Issuu on Google+

PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3 - Direcção de Turma Índice 3.1 - Introdução......................................................................................................... 145 3.2 – Objectivos ........................................................................................................ 146 3.3 - Enquadramento Legal ....................................................................................... 146 3.4 - Funções do Director de Turma ...........................................................................147 3.5 - Actividades do Director de Turma ..................................................................... 149 3.6 - Conselhos de Turma ..........................................................................................151 3.7 - Dossier da Turma .............................................................................................. 152 3.8 - Caracterização da turma ....................................................................................153 3.8.1 - Registo Fotográfico ................................................................................................ 153 3.8.2 - Relação dos Alunos ................................................................................................ 154 3.8.3 - Horário da Turma ................................................................................................... 155 3.8.4 - Professores da Turma ............................................................................................ 156 3.8.5 - Representantes dos Encarregados de educação ..................................................... 157 3.8.6 - Problemas Reais e Estratégias a Adoptar na Turma ............................................... 158 3.8.7 - Análise Estatística dos Inquéritos ........................................................................... 163

3.9 - Actividades a desenvolver na Turma................................................................. 181 3.9.1 - Planos de actividades a realizar com a Direcção de Turma ..................................... 182 3.9.2 – Planificação da actividade: Dia da Turma 9º3 ........................................................ 183 3.9.3 – Planificação da actividade: Visita de estudo à WowSystems e Proinov .................. 187

3.10 - Conclusão........................................................................................................ 191

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 144


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.1 - Introdução A Direcção de Turma tende a assumir um papel central no âmbito do processo educativo, uma vez que é o Director de Turma o elo de ligação entre todos os membros envolventes no processo de ensino aprendizagem de cada discente. O Director de Turma, tem um raio de acção alargado, pois, para além de todo o processo burocrático, é o principal responsável pela realização de todo um conjunto de actividades que envolvem ao alunos, os professores da turma e os Encarregados de Educação. O Director de Turma é responsável por articular, coordenar, conciliar e estabelecer comunicação entre alunos/professores, Encarregados de Educação/ professores, alunos/alunos, professores/professores e até alunos/Encarregados de Educação. No corrente ano foi atribuído ao professor em profissionalização, a turma três do nono ano. O projecto curricular de escola contempla dois tempos lectivos para o desempenho do cargo de Director de Turma. Essa carga horária está distribuída da seguinte forma: um tempo semanal para o atendimento aos Encarregados de educação e um tempo semanal para o seu empenho de actividades burocráticas. Nesta secção do Projecto de Formação de acção Pedagógica será apresentada a identificação da turma e a sua respectiva caracterização baseada nas fichas biográficas preenchidas pelos alunos no início do ano lectivo e de acordo com esses resultados apresentado um plano de actividades a desenvolver com a turma.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 145


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.2 – Objectivos No âmbito da acção como director de turma, deverão ser cumpridos os seguintes objectivos:  Definir uma linha de actuação comum dos professores da turma em todos os domínios da sua acção perante os alunos;  Promover o trabalho em equipa entre professores e alunos (os alunos de uma turma trabalham com uma diversidade de docentes que visam objectivos educativos comuns;  Facilitar a articulação dos conteúdos programáticos e a integração dos saberes;  Centrar a acção educativa na aprendizagem dos alunos;  Adequar as estratégias de ensino às características dos alunos, explorando as suas motivações e interesses;  Identificar alunos com características especiais e definir estratégias individuais;  Estabelecer uma linha de actuação dos professores da turma em todos os domínios da sua acção perante os alunos;  Explicitar os critérios de avaliação. Decidir, em Conselho de Turma, o que avaliar e como avaliar.

3.3 - Enquadramento Legal

“No Quadro do desenvolvimento da autonomia das escolas estabelece-se que as estratégias de desenvolvimento do Currículo Nacional, visando adequadamente ao contexto de cada escola, aprovado e avaliado pelos respectivos órgãos de administração e gestão, o qual deverá ser desenvolvido, em função do contexto de cada turma, num Projecto Curricular de Turma, consoante os ciclos.

 Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Decreto-Lei nº 6/2001 de 18 de Janeiro Página 146


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.4 - Funções do Director de Turma Segundo o artigo 22º do Regulamento Interno, o director de turma tem as seguintes competências: 

Promover junto do Conselho de Turma a realização de acções conducentes à aplicação do Projecto Educativo da Escola, numa respectiva de envolvimento dos encarregados de educação.

Assegurar a adopção de estratégias coordenadas relativamente aos alunos da turma, bem como a criação de condições para a realização de actividades interdisciplinares.

Colaborar com os serviços de Psicologia e de Serviço Social na definição de estratégias que promovam e facilitem a correcta integração social dos alunos com necessidades de apoio especial.

Promover a rentabilização dos recursos e serviços existentes na comunidade escolar e educativa, mantendo os alunos e encarregados informados do seu funcionamento.

Sensibilizar os alunos para a importância do papel de Delegado e subdelegado de Turma.

Verificar pautas, termos e registos biográficos juntamente com o professor que secretaria a reunião.

Colaborar, a nível pedagógico, no processo de matrícula dos alunos internos.

Promover a consciência cívica dos alunos.

Incentivar a participação em actividades da escola.

Assegurar a participação dos alunos, professores e encarregados de educação na aplicação de medidas educativas decorrentes da apreciação de situações de insucesso disciplinar.

Coordenar o processo de avaliação formativa dos alunos, garantido o seu carácter globalizante e integrador, solicitando, se necessário, a participação dos outros intervenientes na avaliação.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 147


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Propor aos serviços competentes a avaliação especializada, após solicitação so Conselho de Turma.

Garantir o conhecimento e o acordo prévio do encarregado de educação para a programação individualizada do aluno e para o correspondente itinerário de formação, recomendados no termo da avaliação especializada.

Propor, na sequência da decisão do Conselho de turma. Medidas de apoio educativo adequadas e proceder à respectiva avaliação.

Apresentar ao Coordenador dos Directores de Turma o relatório elaborado pelos professores responsáveis pelas medidas de apoio educativo.

Presidir às reuniões do conselho de Turma, realizadas, entre outras, com as seguintes finalidades: - Avaliação da dinâmica global da turma; - Planificação e avaliação de projectos de âmbito interdisciplinar; - Formalização da avaliação formativa e sumativa; - Apresentar ao Coordenador, até 30 de Junho do ano lectivo em curso, um relatório de avaliação das actividades desenvolvidas.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 148


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.5 - Actividades do Director de Turma O Director de Turma, tem como actividade principal servir de ponte entre os diversos intervenientes do processo educativo: alunos, professores, encarregados de educação, funcionários e órgãos de gestão da escola. As actividades de um director de turma, podem ser explicadas através de dois níveis: pedagógicas e as administrativas. Pedagógicas: Manter um diálogo com:  Os alunos a nível individual e com a turma, com o objectivo de estimular para um melhor aproveitamento; facilitar a integração na vida escolar; detectar os seus interesses e necessidades; apoiar no planeamento e concretização de projectos.  Os professores da turma, através das reuniões de Conselho de Turma e com os professores do Apoio Educativo a fim de recolher informações sobre os alunos; apreciar o sucesso educativo de cada aluno da turma; estimular a participação na resolução dos problemas dos alunos; coordenar os Planos Curriculares de Turma; fomentar a interdisciplinaridade e a colaboração nas orientações escolares da escola.  Os Encarregados de Educação por meio de reuniões com o intuito de estimular a participação na vida escolar; informá-los acerca das competências/conteúdos nas diversas disciplinas; sobre a avaliação, comportamentos e assiduidade dos seus educandos.

Administrativas: Organização do Dossier dos Planos Curriculares de Turma e do Dossier de Turma; eleição do delegado/subdelegado de turma e explicação das suas funções; registo de faltas; preparação das reuniões de Conselho de Turma; marcação da hora de atendimento dos Encarregados de Educação para tratar de assuntos sobre os seus educando, com o móbil de contribuir para uma actuação pedagógica mais eficaz; recolha de dados importantes para um conhecimento mais aprofundado do aluno e por fim no fornecimento de informações sobre os intervenientes no processo. Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 149


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Plano Anual de Actividades da Direcção de Turma Actividades

Calendarização

1º Período

Final de cada período

Setembro/ Outubro

Novembro

Ao Longo do Ano Lectivo

‐ Conhecer o papel e responsabilidades do Director de Turma; ‐ Organizar o dossier e o Livro do Ponto; ‐ Conhecer o percurso escolar dos alunos; ‐ Informar os alunos e os pais sobre o Regulamento Interno; ‐ Caracterizar a turma; ‐ Estabelecer em conjunto com os alunos as regras da sala de aula; ‐ Atender os Encarregados de Educação de Educação; ‐ Contactar os Encarregados Educação dos alunos; ‐ Verificar as Fichas Internas dos alunos; ‐ Presidir à eleição do delegado e sub‐delegado; ‐ Preparar as reuniões do Conselho de Turma; ‐ Fazer o levantamento das necessidades educativas; ‐ Preparar a reunião do Encarregados de Educação e eleger o representante; ‐ Propor e delinear com o Conselho de Turma os critérios de actuação; ‐ Propor alunos para o Gabinete de Apoio ao Aluno (G.A.A.). ‐ Verificar os elementos de avaliação intercalar; ‐ Reunião de Conselho de Turma; ‐ Propor e delinear com o Conselho de Turma as estratégias para combater os problemas reais da turma; ‐ Contactar os Encarregados Educação dos alunos. ‐ Verificar os elementos de avaliação; ‐ Reunião de avaliação; ‐ Balanço das actividades desenvolvidas; ‐ Propor e delinear com o Conselho de Turma as estratégias para combater os problemas reais da turma; ‐ Contactar os Encarregados Educação dos alunos. ‐ Participar nas reuniões de Directores de Turma; ‐ Verificar a assiduidade/pontualidade e a justificação de faltas; ‐ Estabelecer contacto com os vários intervenientes; ‐ Registar os contactos; ‐ Acompanhar e detectar questões de natureza disciplinar; ‐ Acompanhar o Insucesso escolar; ‐ Divulgar informações respeitantes aos diferentes sectores da organização escolar; ‐ Organizar o dossier de Turma; ‐ Elaboração do Projecto Curricular de Turma; ‐ Actualizar a informação no Livro do Ponto; ‐ Acompanhar as actividades de Apoio Pedagógico Acrescido.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 150


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.6 - Conselhos de Turma

O Conselho de Turma é constituído por todos os professores da turma e por docentes do Ensino Especial, no caso de existirem na turma alunos com Necessidades Educativas Especiais. É presidido pelo Director de Turma, excepto nas situações de processos disciplinares, em que é representada pelo Presidente do Conselho Executivo e conta ainda com a participação do representante dos Encarregados de Educação, representante da Associação de Pais, o delegado e subdelegado da turma. Caso exista uma situação de impedimento do Director de Turma, cabe ao Conselho Executivo nomear de entre os professores da turma, um professor para presidir à reunião. Os Conselhos de Turma são secretariados por um professor da turma, nomeado pelo Conselho Executivo. O referido Conselho de Turma deve reunir-se no início do ano lectivo, uma vez por período, extraordinariamente e sempre que motivos de natureza pedagógica ou disciplinar o justifiquem. Os Conselhos de Turma têm como finalidade: analisar a situação da turma e identificar características específicas dos alunos a ter em conta no processo de ensino aprendizagem; planificar o desenvolvimento de actividades a desenvolver com os alunos em contexto de sala de aula, identificar diferentes ritmos de aprendizagem e necessidades educativas especiais, com o intuito de adopção de estratégias relativamente à sua superação e preparar informação que será posteriormente transmitida aos Encarregados de Educação, relativa ao processo de aprendizagem e avaliação dos alunos.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 151


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.7 - Dossier da Turma A organização do dossier da direcção de turma é fundamental para facilitar a consulta e recolha de informação relevante da turma. O dossier é organizado da seguinte forma: 1ª Parte - Turma       

Relação dos alunos da turma Fotografias da turma Horário da turma Relação dos nomes dos professores da turma Horário lectivo do D.T. Caracterização da turma Acta da eleição do delegado e subdelegado de turma

2ª Parte - Processo individual do aluno       

Ficha biográfica do aluno Fichas de informação mensal e anual do aluno Justificação de faltas Registo Escola/Família Registo da correspondência enviada e/ou recebida Autorizações dos Encarregados de Educação Participação das ocorrências Disciplinares

3ª Parte - Documentação diversa     

Relação dos alunos subsidiados pelo A.S.E. Subsídios do A.S.E. Registos de Avaliação originais (1º, 2º e 3º Períodos) Pautas Convocatórias e actas de reuniões (Conselhos de Turma, Conselhos Disciplinares, Reuniões com os Encarregados de Educação)

4ª Parte - Legislação       

Decreto Legislativo n.º 15/2001- (Estatuto Disciplinar) Critérios de Progressão/Retenção pelo CP Despacho Normativo n.º 14/2003 – (Regime de faltas) Despacho Normativo 12/2006 – (Avaliação) Portaria 38/2006 – Regulamento da A.S.E. Regulamento Interno PCT ( Projecto Curricular de Turma )

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 152


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8 - Caracterização da turma 3.8.1 - Registo Fotográfico

1. Ana Silva

2. Andrés Jesus

3. Bernardo Pontes

4. Danilo Rodrigues

5. Débora Freitas

6. Décio Olim

7. Fabiana Fernandes

8. Fábio Abreu

9. Filipe Câmara

10. Irina Paixão

11. Jéssica Chaves

12. Joana Vieira

13. João Freitas

14. Marcelo Quintal

15. Lisandro Pinto

16. Luís Correia

17. Carlos Sousa

18. Diogo Figueira

19. Marta Gonçalves

20. Michelle Pereira

21. Pedro Silva

22. Sónia Corte

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 153


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.2 - Relação dos Alunos

A turma três do nono ano tem a seguinte relação de alunos para o ano lectivo 2010/2011:

Ano Lectivo 2010/2011 Turno ‐ MANHÃ Nº

Ano – 9º Turma ‐ 3 SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS

Nome

NºProc.

Idade

1

Ana Silva

4173

15

2

Andrés de Jesus

4434

15

3

Bernardo Pontes

4360

15

4

Danilo Rodrigues

4174

15

5

Débora Freitas

4359

15

6

Décio Olim

4361

15

7

Fabiana Fernandes

4127

16

8

Fábio Abreu

4216

17

9

Filipe Câmara

5097

16

10

Irina Paixão

4178

15

11

Jéssica Chaves

4362

17

12

Joana Vieira

4718

15

13

João Freitas

4364

16

14

Marcelo Quintal

4052

15

15

Lisandro Pinto

4369

16

16

Luís Correia

4251

15

17

Carlos Sousa

4234

16

18

Diogo Figueira

4077

16

19

Marta Gonçalves

4370

15

20

Michelle Pereira

4059

16

21

Pedro Silva

4457

16

22

Sónia Corte

4889

15

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Opção: Educação Visual Obs.

E.M.R.C.

Página 154


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.3 - Horário da Turma A turma três do nono ano tem o seguinte horário para o ano lectivo 2010/2011:

Tempos activos

2ª Feira

Sala

3ª Feira

Sala

4ª Feira

Sala

5ª Feira

Sala

6ª Feira

Sala

Inicio Termo 8.00

8.45

MAT

408

HST

408

MAT

408

CNA

408

EDF

Cam po

8.45

9.30

MAT

408

HST

408

MAT

408

CNA

408

EDF

Cam po

9.50

10.35

CNA/FSQ

GGF

408

POR

408

GGF

408

FRN

102

10.35

11.20

CNA/FSQ

GGF

408

POR

408

ING

408

FRN

102

11.30

12.15

EDF

FSQ

403

ING

408

HST

407

POR

408

12.15

13.00

FSQ

403

ING

408

EA

407

POR

408

13.05

13.50

AP

407

13.50

14.35

AP

407

EDV

105

14.45

15.30

EDV

105

TIC

405

15.30

16.15

EDV

105

TIC

405

16.35

17.20

FC

408

17.20

18.05

402/ 403 402/ 403 Cam po

Legenda: POR.‐Língua Portuguesa; HST‐História; ING‐Inglês; MAT‐Matemática; CNA‐Ciências Naturais; FSQ.‐Físico‐Química; FRN‐Francês; GGF‐Geografia;

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

EDV‐Educação Visual; EDF‐Educação Física; A.P.‐Área de Projecto; TIC.‐Tecnologias da Informação e Comunicação; EA‐Estudo Acompanhado; FC‐Formação Cívica

Página 155


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.4 - Professores da Turma Os professores da turma três do nono ano no ano lectivo 2010/2011 são os seguintes: Disciplina

Nome do Professor

Português

Silvia Maria Neves Ribeiro

Inglês

Susana Figueira

Geografia

Ana Manuela da Silva Gomes Luis

História

Nazaré Encarnação Andrade Gonçalves

Matemática

Graciela Josefina Figueira

Ciências Naturais

Flávia Maria Severim e Pereira

Físico-química

Sara Isabel Moreira Teixeira Aguiar

Francês

Dina Carla Rodrigues Gomes

Educação Visual

Ana Teresa Gonçalves Abreu Escorcio

Área de Projecto Tecnologias de Informação e Comunicação Estudo Acompanhado

Branca Maria Braz de Almeida Ana Teresa Gonçalves Abreu Escorcio Michael Silva Silvia Maria Neves Ribeiro Graciela Josefina Figueira

Formação Cívica

Michael Silva

Educação Física

Délia Garcês Gouveia

Cargo

Nome do Professor

Director de Turma

Michael Silva

Secretária

Susana Figueira

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 156


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.5 - Representantes dos Encarregados de educação No dia sete do mês de Outubro de dois mil e dez, reuniram‐se os Encarregados de Educação da turma três do nono ano com o objectivo de entre outros, serem eleitos os representantes dos Encarregados de Educação. O Director de turma começou por propor aos Encarregados de Educação se alguém estaria disposto a ocupar o cargo de representante dos Encarregados de Educação, ao qual a Sr.ª Elsa Costa ofereceu-se para ocupar o cargo de representante dos encarregados de educação e a S.ª Fátima Silva disponibilizou-se para ser a suplente. O Director de Turma perguntou se alguém se oponha, como ninguém se pronunciou o Director de Turma não viu a necessidade de criar uma mesa de voto. A Representante dos Encarregados de Educação é a Sr.ª Elsa Costa, mãe da Michelle Pereira, numero vinte e a Suplente é a Sr.ª Fátima Silva, mãe do Pedro Silva, nº 21.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 157


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.6 - Problemas Reais e Estratégias a Adoptar na Turma 3.8.6.1 - Identificação de Problemas e Definição de Prioridades

De uma primeira diagnose da turma feita pelo conselho de turma, este chegou à conclusão de que a maior parte das dificuldades dos alunos se prendem, na sua maioria, com: 

Deficiente organização dos materiais de apoio ao estudo;

Dificuldades de concentração;

Conhecimentos elementares pouco estruturados e/ou sedimentados;

Comportamento irregular de alguns alunos;

Não cumprimento de regras (na sala de aula e principalmente nos corredores, por parte de um grande número de alunos);

Desorganização dos cadernos diários;

Falta de iniciativa, criatividade e espírito crítico por parte de alguns alunos;

Falta de espírito crítico;

Falta de espírito de síntese;

Falta de autonomia;

Linhas orientadoras da socialização comportamental e de valores: 

Promover a cooperação, valorizando o trabalho de grupo.

Incutir sentimentos e práticas de valorização e preservação do espaço escolar como espaço colectivo fundamental para o exercício do acto de aprender/ensinar.

Definir linhas de orientação comuns a todos os docentes: -

Não permitir a mudança de lugar, excepto em situações que o justifiquem;

-

Responsabilizar o aluno pelo lugar que ocupa;

-

No início e final de cada aula verificar, conjuntamente com o Delegado e Subdelegado da turma, se a sala está limpa e organizada;

-

Não autorizar chapéus, pastilha elástica, telemóveis e leitor de CD/mp3s dentro da sala de aula;

-

Após o segundo toque marcar falta ao aluno que se encontre ausente;

-

Evitar a saída do aluno da sala salvo em casos de força maior, encaminhando-o para o Gabinete de Mediação;

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 158


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva -

Estipular regras para a participação na aula, de modo a evitar que os alunos falem todos ao mesmo tempo;

-

Não marcar trabalhos de casa excessivos evitando, assim, uma sobrecarga de deveres.

-

Não permitir que os telemóveis estejam ligados durante a aula;

-

A nível do comportamento, ficou estipulado que à terceira participação disciplinar, reunirá o Conselho de Turma para proceder à análise do teor das mesmas e propôr a sanção a aplicar. Salvaguardam-se os casos em que, mediante o teor e gravidade da participação, poderá ocorrer, de imediato, a reunião de carácter disciplinar.

-

Marcar atempadamente, no livro de ponto, os testes de avaliação sumativa, de forma a evitar que os alunos tenham mais do que um teste por dia.

Sempre que um aluno desrespeite as normas aqui definidas, bem como qualquer outra estabelecida no Regulamento Interno da Escola, deve ser chamado à atenção. Quando atingir a 3.ª advertência, o Director de Turma deve ser informado para, posteriormente, comunicá-lo ao Encarregado de Educação. Os problemas reais da turma detectados na primeira reunião de conselho de turma foram as seguintes: 

Relacionamento interpessoal e de grupo

Hábitos e métodos de trabalho e de estudo

Para combater e colmatar esses e outros problemas que os alunos da turma têm foram definidas as competências gerais e as competências específicas a trabalhar durante o período lectivo.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 159


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.6.2 - Competências Gerais e Transversais

Competências gerais a privilegiar face aos problemas reais detectados Competências gerais

1º Período

2º Período

3º Período

x

x

x

1. Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano. 2. Usar adequadamente linguagens das diferentes áreas do saber cultural, científico e tecnológico para se expressar. 3. Usar correctamente a língua portuguesa para comunicar de

x

forma adequada e para estruturar pensamento próprio. 4. Usar línguas estrangeiras para comunicar adequadamente em situações do quotidiano e para apropriação de informação. 5. Adoptar metodologias personalizadas de trabalho e de aprendizagem adequadas a objectivos visados. 6. Pesquisar, seleccionar e organizar informação para a transformar em conhecimento mobilizável.

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

7. Adoptar estratégias adequadas à resolução de problemas e à tomada de decisões. 8. Realizar actividades de forma autónoma, responsável e criativa. 9. Cooperar com outros em tarefas e projectos comuns. 10. Relacionar harmoniosamente o corpo com o espaço, numa perspectiva pessoal e interpessoal promotora da saúde e da qualidade de vida.

Competências transversais a privilegiar face aos problemas reais detectados Competências transversais

1º Período

2º Período

3º Período

1. Métodos de estudo e de trabalho

x

x

x

2. Relacionamento interpessoal e de grupo

x

x

x

3. Tratamento de informação

x

x

x

4. Comunicação

x

x

x

5. Estratégias cognitivas

x

x

x

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 160


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.6.3 – Uniformização dos critérios de actuação

Também foi adoptada uma uniformização dos critérios de actuação dos Professores perante certas situações, sendo que a tabela seguinte foi entregue a cada um dos docentes do conselho de turma. Situação 1‐ O aluno está a faltar à aula e encontra-se na escola

2‐ O aluno chega atrasado

3‐ O aluno não tem o material necessário, não fez o TPC, não tem a caderneta assinada pelo E. E.

4‐ Situações de carácter disciplinar

5‐ O aluno recusa‐se a executar as tarefas propostas pelo professor na sala de aula

Actuação do Professor  Em caso de reincidência, o professor participa por escrito ao D.T. que, por sua vez, entra em contacto com o Encarregado de Educação.  O professor averigua os motivos. Se for a 1ªvez, adverte o aluno para os prejuízos que a falta de pontualidade acarreta para si próprio e para o bom funcionamento da aula, alertando-o para a necessidade de resolver os problemas que motivam o atraso.  Em caso de reincidência, o professor assinala a falta no livro de ponto, entra em contacto telefónico com o E.E. do aluno e dá conhecimento ao D.T.  O professor averigua os motivos e à 2ª falta comunica ao E.E. através da caderneta ou via telefone.  O professor averigua os motivos e à 2ª falta comunica ao E.E. através da caderneta ou via telefone.  A falta da caderneta implica uma repreensão por escrito ao E.E.  Advertência – o professor deve alertar o aluno que tais comportamentos devem cessar;  Repreensão – O professor deve entrar em contacto com o E.E. do aluno;  Reincidência – o professor deve comunicar por escrito ao D.T;  Ordem de saída da sala de aula – o professor deve preencher um formulário, entregá‐lo ao aluno que se deverá dirigir para a sala onde o espaço FORUM. O professor assinala a falta no livro de ponto, participa por escrito ao D.T. que, por sua vez, comunica ao E.E.  O professor averigua os motivos de tal comportamento e incentiva o aluno a cumprir a tarefa em causa. Caso o aluno persista na recusa, o professor envia uma comunicação ao E.E. através da caderneta do aluno;  Em caso de reincidência, o professor participa por escrito ao D.T. que, por seu lado, entra em contacto com o E.E.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 161


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

6‐ Ao receber uma ficha de trabalho/avaliação, o aluno risca‐a, rasga‐a ou altera a informação nela constante

 O professor analisa a causa desta atitude e chama o aluno à atenção para a gravidade da mesma, salientando a importância Pedagógica das fichas.  O professor solicita ao aluno que copie ou faça de novo a ficha e comunica a ocorrência ao E.E. e ao D.T.

O Aluno deverá: 7‐ O aluno entra na a) deitar a pastilha elástica no caixote de lixo; sala a mascar b) acabar de comer no corredor, fazendo‐o de forma breve; pastilha elástica, a c) tirar o boné. comer, com o - Em qualquer dos casos o professor alerta para a não boné reincidência, mas caso estas situações persistam o na cabeça professor participa ao E.E. usando a caderneta ou o telefone e comunica ao D.T. 8‐ O aluno brinca com o telemóvel,  O professor retira o telemóvel ao aluno e entrega‐o na atende um a Direcção Executiva. chamada  Deve, no entanto, comunicar o sucedido ao D.T.

9‐ O aluno termina o teste antes do tempo

10‐ O aluno pede para ir à casa de banho, beber água ou tomar um comprimido

11‐ No início e no fim das actividades lectivas

 O aluno não pode abandonar a sala;  O professor relembra a importância de utilizar o tempo de duração do teste para a realização do mesmo e aconselha‐o a reler atentamente as respostas dadas;  Em caso de perturbação do silêncio na sala de aula, o professor poderá atribuir‐lhe outra tarefa.  O Professor: a) Só deve deixar sair o aluno se este tiver apresentado ao D.T. uma declaração médica em com o precisa sair da sala de aula para ir ao WC; b) Não deve permitir que o aluno saia para ir beber água, mas deverá deixar levar água para a sala; c) Não deve permitir que o aluno saia para tomar qualquer tipo de medicação, mas se o aluno tiver hora certa para tomar medicação, deverá trazer água para a sala e comunicar ao professor antes da aula iniciar.  O professor é o primeiro a entrar e o último a sair da sala de aula, verificando se a mesma fica arrumada.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 162


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.8.7 - Análise Estatística dos Inquéritos No início do ano lectivo, na disciplina de Formação Cívica, foi entregue aos alunos um pequeno inquérito em formato de papel. O objectivo do inquérito consiste no conhecimento prévio da turma, de modo a se perceber quais os seus problemas, interesses, contexto familiar e outros aspectos de interesse para a sua caracterização tanto no domínio psicológico como no domínio afectivo. Deste modo o Director de Turma terá uma amostragem da turma, permitindo-lhe a adopção de medidas e estratégias. O inquérito efectuado realçou os seguintes aspectos: Género dos alunos: Género

Género em %

13

M

F

9 F 41% M 59% M

F

A turma é constituída por 22 alunos sendo que 13 alunos (59%) são do sexo masculino e 9 (41%) são do sexo feminino. Idade dos alunos: Idade dos alunos 17 anos 9%

16 anos 41%

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

14 anos 9%

15 anos 41%

Página 163


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Esta turma em termos de idades, tem como média 15.45, sendo que as mesmas variam entre os 14 e os 17 anos.

Escolaridade obrigatória: O número de alunos que se encontram fora da escolaridade obrigatória são 19 (86%) e os alunos são: Nº 1 3 4 5 6 7 8 9 10

Nome Ana Silva Bernardo Pontes Danilo Rodrigues Débora Freitas Décio Olim Fabiana Fernandes Fábio Abreu Filipe Câmara Irina Paixão

Nº 11 12 14 15 16 17 18 19 20 21

Nome Jéssica Chaves Joana Isabel Marcelo Quintal Lisandro Pinto Luís Correia Carlos Sousa Diogo Figueira Marta Gonçalves Michelle Pereira Pedro Silva

Naturalidade: Naturalidade dos alunos

9%

5% Portug. Venezuelano Reino Unido Outras 86%

No que respeita à naturalidade a maioria da turma é composta por elementos nascidos em Portugal, sendo que existem dois alunos naturais da Venezuela e uma aluna do Reino Unido.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 164


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Família:

PAI

Parent. do E.E

Nº Nº do de Agreg irmã ado F. os

Idade

Habilit. Literári as 11.º 45 ano

MÃE Habilit. Literári as

Profissão

4 9

7.º ano

Aux. Administrativa

Pai

1

4

Desempregado

-

6.º ano

Doméstica

Mãe

1

3

-

Cozinheiro

-

-

Hotelaria

Avó

1

5

4.º ano

Carpinteiro

-

6.º ano

Mãe

2

5

Pintor

47

12.º ano

Mãe

2

5

Doméstica

Mãe

3

6

-

-

Educado ra

2

3

6.º ano

Desempregada

Mãe

1

3

Mãe

0

3

Mãe

-

2

Doméstica

Pai

1

4

Aux. De Acção Educativa

Mãe

2

4

52 4.º ano

Desempregada

Mãe

4

7

Func. Público

52 4.º ano

Doméstica

Mãe

6

8

4.º ano

Reformado

57 4.º ano

Doméstica

Mãe

2

5

-

-

-

-

PT comunicações

Mãe

2

4

Carlos

52

4.º ano

Ajud. Motorista

4.º ano

Empregada Doméstica

Mãe

1

4

18

Diogo

43

9.º ano

Bombeiro

4.º ano

Doméstica

Pai

2

5

19

Marta

45

4.º ano

-

45 4.º ano

Doméstica

Mãe

0

3

20

Michelle

-

-

-

35

-

Emp. De mesa/balcão

Mãe

0

2

21

Pedro

55

4.º ano

Electricista

4 8

4.º ano

Desempregada

Pai

1

4

22

Sónia

42

5.º ano

Pedreiro

Doméstica

Mãe

3

6

NOME

1

Ana Silva

2

Andrés

-

3

Bernardo

4

Danilo

5

Débora

6

Décio

59

6.º ano

Mecânico

7

Fabiana

-

-

-

-

8

Fábio

-

12.º ano

Comerciante

-

9

Filipe

10

Irina

-

-

-

11

Jéssica

57

4.º ano

Agricultor

12

Joana

-

-

Chefe Restaurante

13

João

53

4.º ano

Desempregado

14

Marcelo

56

4.º ano

15

Lisandro

57

16

Luís

17

Idade

N.º

Profissão Motorista

4.º ano

-

48 4.º ano

40 6.º ano

Motorista

56 4.º ano

38 6.º ano -

12.º ano

55 4.º ano -

4 9 4 4

-

41 6.º ano

Empregada de Limpeza Aux. De Educação

Ajud. Acção directa Téc. Prof. Laboratório

Na tabela em cima apresentada podemos observar variadas informações acerca das famílias dos alunos.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 165


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

De seguida serão apresentados alguns gráficos para caracterizar essas mesmas informações. Parentesco Encarregado de Educação: Parentesco do Encarregado de Educação 5%

5% 5% Mãe

19%

Pai Avó Tia Educadora 66%

A maioria dos alunos tem como encarregado de educação a mãe (66%), apenas 19% dos alunos tem o pai como encarregado de educação. Quanto aos restantes encarregados de educação, temos uma avó, uma tia e uma educadora.

Idade do Encarregado de Educação: Idade do Encarregado de Educação Entre 30-39 21% Superior a 50 50% Entre 40-50 29%

Metade dos encarregados de educação dos alunos têm uma idade superior a 50 anos, sendo que entre os 40 e 50 anos de idade temos 29% e entre os 30 e 39 anos idade estão 21% dos encarregados de educação.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 166


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Habilitações literárias do Encarregado de Educação: Habilitações Literárias do Encarregado de Educação

11%

6% 50%

Sem Freq. 4º ano

11%

6º ano 9º ano 12º ano

22%

Em relação aos encarregados de educação podemos concluir que as habilitações são baixas visto que a metade deles têm apenas o 4º ano de escolaridade e não existem encarregados com habilitações a nível do ensino superior.

Idade do Pai: Idade do pai Superior a 50 54%

40-50 46%

No que diz respeito às idades dos pais dos alunos desta turma, variam entre os 40 e os 50 anos situa-se nos 46% e os pais com idade superior a 50 anos são 54%.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 167


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Habilitações literárias do Pai: Habilitações Literárias do pai

9º ano 13%

12º ano 6%

6º ano 19%

4º ano 62%

A maior parte dos pais dos alunos da turma apenas tem como habilitações o quatro ano de escolaridade, sendo que 19% têm como habilitações o 6º ano, 13% o 9º ano e apenas 6% dos pais têm o 12º ano de escolaridade. Como podemos ver não existem pais com habilitações a nível do ensino superior.

Idade da Mãe: Idade da mãe Superior a 50 36%

Inf a 30 0%

30-39 14%

40-50 50%

Em relação às idades das mães dos alunos, metade delas têm idade entre os 40 e 50 anos, 36% têm idade superior a 50 anos e 14% têm entre 30 e 39 anos. Não existem mães com idade inferior a 30 anos. Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 168


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Habilitações literárias da Mãe: Habilitações Literárias da mãe

9º ano 0%

12º ano 12%

6º ano 29%

4º ano 59%

A maior parte das mães dos alunos da turma apenas tem como habilitações o quatro ano de escolaridade, sendo que 29% têm como habilitações o 6º ano e 12% têm o 12º ano de escolaridade. Como podemos ver não existem mães com habilitações a nível do 9º ano nem do ensino superior.

Número de irmãos: Número de irmãos + de 3 10% 3 10%

2 30%

0 15%

1 35%

A maior parte dos alunos da turma têm poucos irmãos sendo que 15% não têm, 35% têm apenas um irmão, 30% dos alunos têm 2 e 3 irmãos e apenas 10% têm mais do que 3 irmãos. Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 169


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Relação com o estudo: Gosta de estudar Sim 9%

Às vezes 45%

Não 46%

Quando questionados se gostam de estudar apenas 9% dos alunos afirmam que sim, sendo que 45% deles afirmam que gostam de estudar às vezes e 46% dos alunos afirmam que não gostam de estudar.

Relação com a escola: Gosta da sua escola?

Sim 41%

Não 59%

Relativamente à questão: “Gosta da sua escola?”, mais de metade da turma (mais especificamente 59%) responde de uma forma negativa, mostrando assim um dado preocupante: que muitos dos alunos da turma não têm uma opinião positiva referente à escola que frequentam.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 170


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Tempo de estudo diário: Tempo de Estudo diário + de 2h 11% 0 a 29min 34%

1 a 2h 33%

30 a 59min 22%

Em relação ao tempo dedicado ao estudo por dia, 34% dos alunos responde que dedica até 30 minutos, 22% dedica entre 30 a 59 minutos, 33% dedica entre 1 a 2 horas e os restantes 11% dedica mais de 2 horas para o estudo diário. Disciplinas preferidas:

TIC 5 alunos 17%

Disciplinas Preferidas E.Física 9 alunos 30%

Port 2 alunos 7% Mat 2 alunos 7% Inglês 4 alunos 13%

Francês 2 alunos 7%

F.Química 2 alunos 7%

E.Visual 4 alunos 13%

Nesta turma os alunos têm como disciplinas preferidas: Educação Física, com 30% das preferências, TIC com 17% e E.Visual e Inglês com 13%. Podemos concluir que os alunos desta turma preferem disciplina com uma componente mais prática. Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 171


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Disciplinas que gostam menos: Disciplinas que gostam menos E Física; 3 alunos; 9%

Matemática; 9 alunos; 26%

E Visual; 4 alunos; 11% F Cívica; 1 aluno; 3% F.Quí; 3 alunos; 9%

Inglês; 5 alunos; 14%

História; 2 alunos; 6%

Francês; 8 alunos; 23%

No que diz respeito às disciplinas que os alunos da turma gostam menos destacam-se a Matemática com 26% dos alunos da turma e Francês com 23 % dos alunos. Estudos futuros: Até quando pensa estudar?

Ensino Superior 41%

9º ano 0%

12 º ano 59%

Relativamente aos estudos todos os alunos da turma querem ir para além do 9º ano, sendo que 59% pensa estudar até ao 12º ano e os restantes 41%, pretendem estudar até ao ensino superior.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 172


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Profissão desejada/ Estudos Futuros

N.º

NOME

Profissão Desejada

Estudos futuros

1

Ana Silva

Guia Turística

12ºano/ Ensino Sup.

2

Andrés

Téc. de Informática

12ºano

3

Bernardo

Polícia

12ºano

4

Danilo

Línguas

12ºano

5

Débora

Não sabe

12ºano/ Ensino Sup.

6

Décio

Téc. ou Eng. Informático

12º ano

7

Fabiana

Médico

Licenciatura

8

Fábio

Téc. de Informática

Licenciatura

9

Filipe

Polícia/Militar

-

10 Irina

Jornalista

Licenciatura

11

Educadora de Infância

12ºano

12 Joana

Enfermeira

Licenciatura

13 João

Téc. de Informática

12º ano

14 Marcelo

Jogador de Futebol

12º ano

15 Lisandro

Informática

12ºano

16 Luís Correia

Téc. de Informática

Curso Profissional

17

Téc. de Informática

12ºano

18 Diogo Figueira

Artes

12º ano/Licenciatura

19 Marta

Acção Social

Ensino Sup.

20 Michelle

Decoradora/ Fotografa

Licenciatura

21 Pedro

Téc. de Informática

12º ano

22 Sónia Corte

Administrativa

12ºano

Jéssica

Carlos Sousa

Relativamente às profissões desejadas pelos alunos da turma 3 do 9ºano, destaca-se às relacionadas com a área da informática, sendo escolha para 8 alunos, e relação aos restantes alunos as profissões variam.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 173


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Alimentação: Pequeno-almoço

Almoço 11

16

11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0

5

6 3 0

1

1

Em casa

Não toma Na escola

Dos vinte e dois alunos da turma, a maioria toma o pequeno-almoço em casa, sendo que cinco alunos não tomam e apenas um aluno toma o pequeno-almoço na escola. Relativamente ao almoço, metade dos alunos almoçam em casa, sendo que seis almoçam na escola, três num café e um noutro local. Problemas de saúde: Problemas de saúde 3 3 2 1

1

1 0

0

0

0

Com problemas de saúde temos a aluna, Débora Freitas, nº5, tem dificuldades visuais e auditivas. As alunas Fabiana Fernandes, nº7, Marta Gonçalves, nº19 e Michelle Pereira, nº20 têm dificuldades visuais e o aluno Fábio Abreu, nº 8, tem epilepsia. Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 174


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Horas de deitar: Horas de deitar

24h 5%

Após 24H 16%

22h 32%

23h 47%

Quanto à hora de se deitar, quase metade dos alunos da turma deita-te às 23h, 32% às 22h, 5% às 24h e após à 24h temos 16%.

Escalão do ASE: Alunos Com ASE Escalão 2 32% Sem Escalão 50%

Escalão 1 18%

Em relação ao apoio da ASE, metade da turma não tem escalão, sendo que com o escalão 2 temos 32% da turma e com o escalão 1, 18% dos alunos da turma.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 175


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Retenções por ciclo: Nº.

NOME DOS ALUNOS

1º Ciclo Retenções

2º Ciclo Ano

Retenções

3º Ciclo Ano

Retenções

Ano

Sim

9º ano

1

Ana Silva

Não

Não

2

Andrés de Jesus

Não

Sim

3

Bernardo Pontes

Sim

4

Danilo Rodrigues

Não

5

Débora de Freitas

Sim

2º ano

6

Décio Olim

Sim

4º ano

Não

7

Fabiana Fernandes

Sim

1º ano

Sim

5º ano

Não

8

Fábio Abreu

Não

Sim

6º ano

Não

9

Filipe Câmara

Sim

10

Irina Paixão

Não

11

Jéssica Chaves

Sim

12

Joana Isabel

13

2º ano

4º ano

6º ano

Não

Não

Não

Não

Sim

Não

Não

9º ano

Não

Não

Sim

7º ano

Não

Sim

7º ano

Não

Não

Não

Não

Sim

João Freitas

Não

Não

Não

14

Marcelo Quintal

Não

15

Lisandro Pinto

Sim

16

Luís Correia

Não

17

Carlos Sousa

Sim

18

Diogo Figueira

Não

19

Marta Gonçalves

Sim

20

Michelle Pereira

21 22

2º/ 3º ano

Sim 1º ano

6º ano

7º ano

Sim

9º ano

Não

Não

Não

Sim

9º ano

Não

Sim

9º ano

Não

Sim

7ºe 9º ano

Não

Não

Não

Não

Sim

Pedro Silva

Não

Sim

Sónia Corte

Não

Não

2º ano 2º ano

1ºCiclo - Retenções Sim

6º ano

7º ano

Sim Não

9º ano

2ºCiclo - Retenções

Não

Sim

Não Sim 23%

Sim 41% Não 59% Não 77%

Com base na tabela e gráficos anteriores podemos observar que 41% dos alunos da turma já ficou retido no 1º ciclo. Em relação às retenções no 2º ciclo já diminui a percentagem para 23% de retenções.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 176


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3ºCiclo - Retenções

3ºCiclo - Anos de Retenções 7ºe 9º ano 9% 7º ano 36%

Não 50%

Sim 50%

9º ano 55%

8º ano 0%

Quanto ao 3º ciclo metade dos alunos da turma já ficou retida, sendo que em relação aos anos de retenção no 3º ciclo, o 9º ano domina com 55 %, sendo seguida do 7º ano de escolaridade com 36%. Alunos repetentes A turma tem como alunos repetentes: Nº 1 4 14 16

Nome Ana Isabel Silva Danilo Rodrigues Marcelo Quintal Luís Correia

Turma 9º3 9º3 9º3 9º3

Nº 17 18 22

Nome Carlos Sousa Diogo Figueira Sónia Corte

Turma 9º5 9º1 9º1

3ºCiclo - Retenções no 9º ano

Sim 32%

Não 68%

Os alunos repetentes constituem 32% da turma, sendo que vêm de três turmas diferentes, como podemos observar na tabela anterior. Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 177


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Negativas no ano anterior: Negativas no ano anterior Port 8% 5 alunos

Teatro C Nat E Fís 2% 3% 5% 1 aluno 2 alunos 3 alunos

Mat 23% 14 alunos

F Quí 18% 11 alunos

Ing 10% 6 alunos Fran 18% 11 alunos Hist 10% 6 alunos

Geo 2% 1 aluno

Relativamente às disciplinas com maior percentagem de classificações negativas no ano anterior temos a Matemática com 23% (14 alunos), Francês e F. Química com 18% (11 alunos), História e Inglês com 10% (6 alunos) e Português com 8% (5 alunos). Em relação ao número de negativas no ano anterior por alunos temos: 

Com 1 negativa: Filipe Câmara, nº9.

Com 2 negativas: Débora de Freitas, nº5; Fabiana Fernandes, nº7; Joana Isabel, nº12; Marta Gonçalves, nº 19.

Com 3 negativas: Ana Silva, nº1; Andrés de Jesus, nº2; Bernardo Pontes, nº3; Danilo Rodrigues, nº4; Décio Olim, nº6; Fábio Abreu, nº8; Irina Paixão, nº10; João Freitas, nº13; Luís Correia, nº16; Diogo Figueira, nº 18; Michelle Pereira, nº20; Pedro Silva, nº21; Sónia Corte, nº22.

Com 4 negativas: Carlos Sousa, nº17.

Com 8 negativas: Marcelo Quintal, nº14.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 178


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Apoio Pedagógico: Apoio Pedagógico Ing

Mat

Port 20%

Port

Ing 27%

Mat 53%

Relativamente ao apoio pedagógico no ano anterior, mais de metade dos alunos tiveram apoio a Matemática. Em relação à disciplina de Língua Portuguesa foram 20% dos alunos que beneficiaram de apoio enquanto que a Inglês foram 27 %. Os alunos que beneficiaram de apoio pedagógico no ano anterior foram: 

Língua Portuguesa: Danilo Rodrigues, nº4; Carlos Sousa, nº17; Marta Gonçalves, nº 19

Inglês: Danilo Rodrigues, nº4; Carlos Sousa, nº17; Marta Gonçalves, nº 19; Sónia Corte, nº22

Matemática: Ana Silva, nº1; Danilo Rodrigues, nº4; Décio Olim, nº6; Lisandro Pinto, nº15; Luís Coreia, nº16; Carlos Sousa, nº17; Marta Gonçalves, nº 19; Sónia Corte, nº22.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 179


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Principais factores de Insucesso dos alunos: Nº de vezes Principais factores de Insucesso dos Alunos Falhas na compreensão da linguagem dos professores. Falta de oportunidade esclarecimento de dúvidas. Rapidez no tratamento dos assuntos. Existência de outro tipo de solicitações. Esquecimento rápido do que foi trabalhado. Antipatia do professor. Antipatia pelo professor. Falta de hábitos de estudo. Conteúdos difíceis. Indisciplina na sala de aula. Desinteresse pela disciplina. Mudança de professores. Falta de atenção/concentração. Outra.

Nº alunos 9 5 12 0 8 6 4 16 9 12 19 4 17 1

Percentagem 41% 23% 55% 0% 36% 27% 18% 73% 41% 55% 86% 18% 77% 5%

Quando questionados acerca de quais são na sua opinião os principais factores de insucesso nos estudos destacam-se: 73% dos alunos indicam a falta de hábitos de estudo, 86 % indicam o desinteresse pela disciplina e 77% a falta de atenção/concentração.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 180


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9 - Actividades a desenvolver na Turma No início do ano lectivo, o professor em profissionalização, elaborou a caracterização da turma três do 9º ano, turma que lhe foi atribuída para sua Direcção de Turma. Posteriormente, organizou e preparou a primeira reunião de Actividade de Coordenação Pedagógica onde apresentou essa mesma caracterização da turma ao Conselho de Turma e verificou-se quais os problemas reais da turma. Com base na caracterização da turma o professor em profissionalização, preparou duas actividades inseridas no Plano Anual de Actividades da Turma. Como 36 % dos alunos têm como profissão desejada, uma profissão na área da informática, então foi agendada uma visita de estudo a duas empresas na área da informática. Uma delas inclusive tem oferta educativa na área e não só, permitindo assim a continuação dos estudos para além do 9ºano que é do desejo de todos os alunos da turma. O professor também detectou que 59 % dos alunos não gostam da sua escola e 32% dos alunos provém de outras turmas. E com base: “A relação de amizade e companheirismo entre alunos e as suas repercussões na consecução dos objectivos educacionais, ainda que pouco estudadas, têm-se revelado fundamentais para que o aluno goste da escola e obtenha sucesso (Berndt & Keefe, 1992). Sabese desde Lewin (1936) que um bom clima de grupo é condição fundamental para bons desempenhos e para a satisfação pessoal de todos os seus membros. Pode dizer-se até que “grande parte das informações, das atitudes e dos valores que os jovens adquirem na escola elaboram-se no seio deste território complexo e mais ou menos inexplorado que constitui o sistema de pares” (Ortega, 1997, p. 146)” - retirado de http://sisifo.fpce.ul.pt/?r=21&p=82

Então para promover a integração na turma dos alunos e melhorar a relação de gosto pela escola, o docente criou uma actividade chamada: “Dia da turma 9º3” que incluí: um almoço entre alunos e professores, uma troca de presentes entre os alunos da turma e um convívio desportivo entre os alunos e professores.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 181


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.1 - Planos de actividades a realizar com a Direcção de Turma Data

15 de Dezembro

Actividade

Dia da Turma

Objectivos

- Criar laços entre os elementos da turma e os professores.

Estratégias/Actividades

- Almoço - Troca de presentes - Convívio desportivo

17 de Fevereiro

Visita a empresas de informática

Ano lectivo

Criação de grupo no Facebook

- Divulgar actividades da turma - Interagir com os alunos

- Observação de produtos interactivos. -Interacção com profissionais da área. - Divulgação de instalações. - Divulgação da oferta formativa. - Divulgar actividades da turma - Interagir com os alunos

Criação de página no moodle para a turma

- Transimitir informação sobre os alunos - Definir estratégias de actuação

- Transimitir informação sobre os alunos - Definir estratégias de actuação

Ano lectivo

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

- Conhecer as várias áreas da aplicação da informática. - Conhecer alguma da oferta formativa existente.

Responsáveis

Local

Públicoalvo

Escola dos 2º e 3º ciclos dos Louros

9º3

- Wowsystems - Proinov

9º3

Michael Silva

Escola dos 2º e 3º ciclos dos Louros

9º3

Michael Silva

Escola dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Conselho de turma do 9º3

Michael Silva

Michael Silva

Página 182


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.2 – Planificação da actividade: Dia da Turma 9º3

3.9.2.1 - Justificação da actividade

Com base na caracterização da turma o professor em profissionalização, preparou e dinamizou esta actividade inserida no Plano Anual de Actividades da Turma. O professor também detectou que 59 % dos alunos não gostam da sua escola e 32% dos alunos provém de outras turmas. E com base: “A relação de amizade e companheirismo entre alunos e as suas repercussões na consecução dos objectivos educacionais, ainda que pouco estudadas, têm-se revelado fundamentais para que o aluno goste da escola e obtenha sucesso (Berndt & Keefe, 1992). Sabese desde Lewin (1936) que um bom clima de grupo é condição fundamental para bons desempenhos e para a satisfação pessoal de todos os seus membros. Pode dizer-se até que “grande parte das informações, das atitudes e dos valores que os jovens adquirem na escola elaboram-se no seio deste território complexo e mais ou menos inexplorado que constitui o sistema de pares” (Ortega, 1997, p. 146)” 1

Então para promover a integração na turma dos alunos e melhorar a relação de gosto pela escola, o docente criou uma actividade chamada: “Dia da turma 9º3” que incluí: um almoço entre alunos e professores, uma troca de presentes entre os alunos da turma e um convívio desportivo entre os alunos e professores.

1

Retirado de http://sisifo.fpce.ul.pt/?r=21&p=82

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 183


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.2.2 – Plano geral da Actividade

Data de realização: 15-12-2010

Hora

Actividade

13h00

Saída da escola

13h30

- Chegada ao restaurante pizzaria. - Almoço. -Troca de presentes

15h15

Saída do restaurante

15h45

Chegada à escola

16h00

Jogo de futebol

17h00

Fim da actividade

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 184


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.2.3 - Relatório da actividade No dia 15 de Dezembro de 2010, foi realizado uma actividade com a turma denominada: “O dia do 9º3”. A actividade foi organizada e dinamizada pelo Director de turma que falou e combinou alguns aspectos com os alunos, nomeadamente o local do almoço e a modalidade a disputar no jogo de convívio. Foi enviado ainda para os encarregados de educação informação sobre a actividade e um pedido de autorização para os alunos participarem na mesma. Os professores do conselho de turma foram avisados desta actividade pessoalmente pelo director de turma e alguns deram conta da sua disponibilidade de participar no almoço convívio. O docente ainda entrou em contacto com o restaurante Pizzaria Xarambinha onde o almoço decorreu reservando os lugares para o grupo e com a Presidente do Conselho executivo da escola para reservar o campo de futebol para a actividade desportiva. A actividade consistiu num almoço convívio entre Docentes e alunos da Turma, seguida de uma troca de presentes entre os alunos, aproveitando também a época natalícia como mote e finalmente uma actividade desportiva envolvendo os alunos e o Director de Turma. Esta actividade teve como objectivo principal estreitar laços entre os alunos e os Docentes, tendo em conta que mais de metade dos alunos da turma revelam não gostar da sua escola e um terço dos alunos provém de outras turmas. A actividade decorreu da melhor forma, permitindo conhecer os alunos fora do ambiente de sala de aula e o convívio entre alunos e Professores da Turma, que teve em vista uma efectiva aproximação entre todos estes elementos. O almoço foi realizado num restaurante pizzaria localizado perto da Escola com a presença de alunos e alguns Docentes da Turma, sendo realizado a troca de presentes entre alunos após a refeição. Depois da troca realizada, os alunos e o Director de Turma, dirigiramse para o campo da escola, onde realizaram um jogo amigável de futebol, sendo que algumas das alunas formaram claques de apoio. O resultado final do jogo, ninguém apontou, mas também não era o mais importante, o importante foram os laços criados.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 185


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

Resumindo, os objectivos propostos para esta actividade foram atingidos no dia da sua execução e o Docente espera que dê os seus frutos nos próximos períodos lectivos. O Professor em Profissionalização salienta ainda que criou um grupo no Facebook, onde foram colocados informações e fotos sobre a turma e as suas actividades. 3.9.2.4 - Anexos

ANEXO I – Pedido de autorização aos Encarregados de educação ANEXO II – Fotos da actividade

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 186


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.3 – Planificação da actividade: Visita de estudo à WowSystems e Proinov

3.9.3.1 - Justificação da actividade

Com base na caracterização da turma o professor em profissionalização, preparou e dinamizou esta actividade inserida no Plano Anual de Actividades da Turma. Como 36 % dos alunos têm como profissão desejada, uma profissão na área da informática, então foi agendada uma visita de estudo a duas empresas na área da informática, nomeadamente à: WowSystems e Proinov. Uma delas inclusive tem oferta educativa na área e não só, permitindo assim a continuação dos estudos para além do 9ºano que é do desejo de todos os alunos da turma.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 187


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.3.2 - Plano geral da Actividade

Data de realização: 17-02-2011

Hora

Actividade

14h00

Saída da escola

14h30

Chegada à Wowsystems

15h30

Saída da WowSystems

16h00

Chegada à Proinov

17h00

Fim da actividade

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 188


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.9.3.3 – Relatório da actividade

Anteriormente à actividade o professor em profissionalização combinou e confirmou a disponibilidade das duas empresas para a realização da visita de estudo e enviou um documento para todos os encarregados de educação da turma para serem informados e darem autorização aos seus educandos para a ida à visita. No dia dezassete do mês de Fevereiro de dois mil e onze o grupo constituído pelo Director de turma e os alunos partiu da escola e apartir daí deslocou-se para o centro do Funchal. A visita começou na empresa de desenvolvimento de software: WowSystems, que produz e implementa soluções interactivas multimédia e aplicações para iphone/ipad e android. O grupo foi recebido por dois engenheiros informáticos que trabalham na empresa e que mostraram o seu local de trabalho e de criação e explicaram alguns elementos de funcionamento da empresa. Depois os alunos e o Professor em Profissionalização foram levados para a “showroom” onde estão expostos algumas das soluções da empresa, desde de um chão interactivo, aquário virtual, stand dedicado ao turismo, entre outros. Os elementos do grupo puderam ver como estas aplicações funcionam para além de interagir com elas. O chão interactivo ganhou muitos adeptos! Após e durante a demonstração e a interacção, os engenheiros disponibilizaram-se para responder a dúvidas que surgiram por parte dos alunos ou do professor. Prosseguindo o grupo dirigiu-se para o segundo local, a empresa: Proinov, sendo recebido pela directora de formação e comunicação a Dr.ª Rita Andrade. Após terem sido mostradas as instalações, como a secretaria, salas de reunião, de aulas, entre outras, os alunos foram levados para uma sala onde a directora fez a apresentação da empresa, os seus propósitos, feitos recentes e a sua oferta formativa. Este último ponto é de grande interesse para os alunos desta turma visto que todos querem prosseguir os seus estudos para o ensino secundário, oferta que esta empresa disponibiliza, com vários cursos. Os alunos tiraram várias dúvidas com a directora e o director de turma e alunos ficaram com informações acerca da oferta formativa da empresa e o contacto caso surjam novidades.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 189


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

O Professor em Profissionalização considera que os objectivos propostos para esta actividade foram plenamente atingidos. Os alunos puderam por exemplo ver uma empresa que constrói produtos inovadores e é constituída só por madeirenses que tiraram os seus cursos na Madeira, questionar que tipo de curso é necessário ter para desenvolver instalações interactivas e noutra descobrir que existem cursos de ensino secundário financiados, em que podem ter por exemplo subsídio de alimentação e de transporte e não ter encargos com o material didáctico, situações que eram desconhecidas pela maioria. O Professor em Profissionalização salienta ainda que no grupo do Facebook da turma foram colocados informações e fotos sobre a turma e as suas actividades.

3.9.2.4 - Anexos

ANEXO I – Pedido de autorização aos Encarregados de educação ANEXO II – Fotos da actividade

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 190


PFAP – Direcção de Turma Docente Estagiário: Michael Jesus da Silva

3.10 - Conclusão

Nesta secção foi inicialmente apresentada algumas informações como as funções e as principais actividades do Director de turma. De seguida apresenta-se a caracterização da turma com a identificação dos seus elementos, registo fotográfico, horário, professores da turma e a sua caracterização baseada nas fichas biográficas preenchidas pelos alunos no início do ano lectivo na disciplina de Formação Cívica. Depois de analisar esta caracterização foram detectados os problemas reais, interesses e principais dificuldades da turma e de acordo com essas informações foram definidas as Competências Gerais e Transversais a serem implementadas e a uniformização dos critérios de actuação dos docentes do conselho de turma. As actividades que foram realizadas com a turma foram de acordo com as características determinadas da turma e das suas necessidades. O Docente apresentou constante cuidado em adquirir informações sobre os seus alunos com os restantes professores do conselho de turma e pontualmente estabeleceu contacto e encontros com os Encarregados de Educação sempre que necessário. Quanto às suas funções administrativas como Director de Turma organizou um Dossier bem documentado, onde consta o processo individual de cada aluno, o processo da turma, as actas e convocatórias das reuniões de Conselho de Turma, o registo dos contactos com os encarregados de educação, um arquivo da legislação em vigor e o Projecto Curricular de Turma. Depois de desempenhar uma função tão importante e exigente como o de Director de Turma, o Professor em Profissionalização pensa teve uma participação positiva, adquirindo uma nova visão da responsabilidade do que representa este cargo.

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos dos Louros

Página 191


3- DT