Issuu on Google+

MeuSUL Sa˙de: saiba tudo sobre a Influenza A

Aposentadoria: tire

suas d˙vidas sobre ela

PolÌtica: a ìsaladaî dos partidos na busca pelo governo do SC

REVISTA

Ano 2 | N∫ 11 | abril 2010

OBESIDADE FELIZ GORDINHOS... MAS COM SAÚDE

Distribuição gratuita - Venda proibida

www.meusul.com.br


MeuSUL

Palavra do Editor

REVISTA

(48) 3658.0091 | 3658.0092

EDITORIAL

Olá leitor! A edição de abril ficou mais gordinha e em se tratando disso, resolvemos falar um pouco sobre a vida feliz que um obeso pode levar, claro, se seguir alguns cuidados. Estatísticas demonstram um crescimento acelerado, nos números da obesidade. Contamos rapidamente um caso neste sentido, de uma pessoa que não é exemplo de bons costumes, mas que revela ser feliz em ser gorda. Agora mais magra, ela não deixa de freqüentar o consultório médico para avaliar sua saúde. Alertamos ainda sobre os riscos e orientamos aqueles que pretendem fazer a conhecida cirurgia de redução de estômago. Vale dizer que há outros meios de você reduzir alguns quilinhos, mas isso depende da força de vontade e dedicação. Aproveite um tempo livre, leia os conteúdos sobre a obesidade e tire suas conclusões, se isso poderá ou não mudar a vida de alguém. No mais. Boa leitura.

NUTRIÇÃO 08

24

POLÍTICA

Prefeitos correm contra o tempo em busca de verbas.

MODA 10 COMPORTAMENTO 12 APOSENTADORIA 14 SAÚDE 16 MEMÓRIAS DO SUL 20 POLÍTICA 22 CIDADE 32

27

CAPA

36

ESPECIAL

Veja diversas opniões sobre Obesidade.

EDUCAÇÃO 24 TECNOLOGIA 38 TEEN 40 TURISMO 42

Ivo Machado Coan Editor-Chefe

ESPORTE 44 SOCIAL 46

Como está o caso Fosfateira?

FESTAS 48 EXPEDIENTE

A Revista MeuSUL é uma publicação mensal da Ivo Coan Comunicação e Marketing.

Edição anterior

São 10.000 exemplares distribuídos gratuitamente no sul de Santa Catarina, entre as cidades de Garopaba e Criciúma, abrangendo cerca de 40 municípios. • Direção Ivo Machado Coan - ivo@meusul.com.br • Comercial Juliano de Oliveira - juliano@meusul.com.br (Cel. (48) 9957.2265) Tamara S. Daufemback - tamara@ meusul.com.br (Cel. (48) 9945.5525) • Arte e diagramação Suzana Schlickmann suzana@meusul.com.br • Jornalista responsável Alvaro Dalmagro • Correção e revisão Terezinha Schulz Prim • Colaboração Wagner Afonso Floriani da Silva - Jean Carlos Lehmkuhl - Larissa Volpato Schlickmann - Wando Ceolin - Yngrid P. Kulkamp - Alvani Machado Coan - Deus • Revista on-line www.meusul.com.br • Assessoria jurídica Valmir Meurer Izidorio OAB/SC 9.002 Maicon Schmoeller Fernandes OAB/SC 27.952 www.izidorio.com.br - (48) 3658.3147 3658.4945 Os textos assinados pelos colaboradores são de suas respectivas responsabilidades.

06 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Publicação: Ivo Coan Com. e Marketing CNPJ: 10.912.105/0001-70 Endereço: Rua Osvaldo Westphal, 112 Centro . Braço do Norte . SC Contato: www.ivocoan.com.br


por Karine Motta e Tamara Niehues

OBESIDADE: RISCO PARA SAÚDE Você já deve ter ouvido falar nesta doença que acomete uma grande porcentagem da população. A obesidade é um mal que ataca cada vez mais brasileiros. Segundo o Ministério da Saúde, 43% da população estão com excesso de peso. E 13% são obesos.

A

NUTRIÇÃO

obesidade não é somente os quilinhos extras que incomodam na hora de vestir a calça jeans favorita e sim uma doença séria associada a problemas de saúde. O estresse crônico, sedentarismo, alimentos ricos em gordura e açúcar, contribuem para aumentar a incidência desse quadro clínico. Acredita-se que haja uma interação entre o ambiente (alimentos ricos em gordura, açúcar, aditivos alimentares, carência de micronutrientes e fibras) e genes suscetíveis, aumentando assim a prevalência da obesidade, podendo ter diferentes variações nos membros de uma mesma família, ocasionando desde um leve sobrepeso até a obesidade mórbida. Um fator chave que pode trazer grandes mudanças nesse contexto, é a gestação, pois há uma programação metabólica intra-uterina já que ocorre a regulação e formação dos genes. Isso explica o fato em que a gestante deve se alimentar corretamente, sem excessos ou carências de nutrientes, não fazer dietas, evitar exposição a produtos químicos (drogas, álcool, cigarro, inseticidas, metais tóxicos), para que não ocorra uma adaptação do feto a esse meio atribulado e dessa maneira trazer modificações na sua constituição genética. A obesidade deve ser tratada por uma equipe multidisciplinar, pois devem ser considerados diversos aspectos, a fim de evitar a estigmatização do paciente, às doenças associadas e alcançar o sucesso no tratamento. Além dos problemas estéticos, a obesidade acarreta inúmeros prejuízos ao organismo como: depressão; problemas de coração (infarto, AVC, derrame); problemas respiratórios

08 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

(apnéia do sono e cansaço); problemas nas articulações (artrite e artrose); problemas no sistema digestivo (refluxo, cálculos biliares, gordura no fígado, tumores de intestino e fígado) e problemas no sistema reprodutivo (infertilidade, distúrbios na menstruação, impotência sexual, câncer de útero e próstata) e segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) o controle da obesidade pode reduzir em 19% o câncer no Brasil. Segundo uma coleta de dados realizada na nossa região, em um município vizinho, no mês de julho de 2009, em escolas municipais com pré-escolares e escolares, demonstrou que 47,18% dos meninos e 46,24% das meninas deste município, encontravam-se em sobrepeso ou obesidade, entre idades de 1 a 11 anos. Esse dado demonstra que devemos repensar nossas atitudes tomar ações para prevenir e/ou evitar essa situação metabólica.

Equilíbrio Natural 3658.7910

Ambulatório 3658.8128

Seguem algumas dicas para controle e prevenção do excesso de peso: - Procurar um nutricionista para a prescrição de planos alimentares individuais (dieta) e reeducação alimentar; - Rever os hábitos alimentares. Não excluir nenhum grupo alimentar. - Não seguir dietas malucas, pois podem desregular todo o organismo. - Não tomar remédios e/ou suplementos por conta própria. Sempre procurar um nutricionista ou médico; - Fazer exames de rotina periodicamente; - Evitar comer doces, frituras, refrigerantes e bebidas alcoólicas em excesso; - Não se a ter somente as calorias dos alimentos, pensar sim, na qualidade do que se está consumindo e que somente a restrição de calorias sem exercício físico não é efetiva para o emagrecimento; - Praticar exercícios físicos com orientação de um educador físico.

“O peso que foi adquirido durante anos, leva um certo tempo para ser eliminado. Para emagrecer é preciso paciência, atitude e persistência”. Encontre produtos naturais na loja


por Larisa Volpato Schlickmann MODA

BLOG/INFORMAÇÕES.EM.CONTA.GOTAS.COM Um blog é um site cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de “posts”, que são organizados de forma cronológica inversa, tendo como foco a temática proposta pelo blog. Na maioria deles o “blogueiro” escreve de uma forma bastante informal, como se estivesse conversando com o leitor, estimulando bastante a interatividade, através dos comentários no blog.

Eles começaram como um diário online e, hoje, são ferramentas indispensáveis como fonte de informação e entretenimento. Por serem assim úteis, e também por eu adorar ler blogs todos os dias, preparei uma listinha com os meus favoritos. Julia Petit - Petiscos http://juliapetit.com.br Publicitária, produtora musical e modelo, a super estilosa Julia e sua equipe dão dicas de moda, comportamento, cultura, música, beleza, esmaltes, compras, comentam os looks das celebridades e têm até uma seção só para os meninos. Escrito de forma leve e divertida é um dos blogs mais acessados do país. Garotas Estúpidas http://www.garotasestupidas.com O blog da Camila Coutinho segue a mesma linha do Petiscos, e tem uma visão como a nossa, fora do eixo Rio-São Paulo, porém do outro lado do país, já que ela escreve de Recife. Muitas vezes ela usa gírias e expressões bem locais e fica bem divertido. Garotas Modernas http://www.garotasmodernas.com Esse é de mais pertinho. As meninas desse blog são de Florianópolis, e além das dicas bacanas elas falam de eventos que rolam na Capital. The Sartorialist http://thesartorialist.blogspot.com Já indiquei aqui o livro do Scott Schuman, mas não custa lembrar que o blog de street style mais famoso do globo é fonte inesgotável de looks lindos para mulheres e homens, que são o principal foco das lentes dele.

10 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Garance Doré http://www.garancedore.fr Garance, além de linda e namorada do Scott Schuman, é uma ilustradora chiquérrima. Como o namorado, ela fotografa pessoas e amigos nas ruas através do seu olhar bem particular e faz comentários ótimos. No blog, além das fotos, tem ilustrações e vídeos dos principais desfiles internacionais. Adoro. Stockholm Street Style http://stockholmstreetstyle.feber.se Outro blog de estilo de rua bem legal, com imagens grandes e looks no mínimo diferentes. Dia de Beauté http://diadebeaute.com A Vic Ceridono trabalha na Vogue RG e desde criança ela ama maquiagem e tudo que envolve beleza. No blog ela dá dicas de produtos, posta videos ensinando truques de make-up, fala de cabelos e penteados... Bem coisa de mulherzinha, uma delícia!

Donde estás corazón? http://dondeestascorazon.wordpress.com Mais um blog catarinense, cheio de atitude, um pouco mais underground. Além de falar de moda, a Bia e a Julie falam das festas que rolam na “buáti”(termo que elas usam sem parar), tiram sarro das “peruices” e de tudo que elas acham (i)relevante.

“Para simplificar a leitura, inscreva todos no Google Reader. Ele verifica, constantemente, todos os seus blogs e sites favoritos em busca de novos conteúdos. Não importa se o site é atualizado diariamente ou mensalmente, pode ter certeza de que você não vai perder nada.”


por Bia Severino

PÂNICO NA ATUALIDADE A partir da observação do sofrimento causado pelo “Pânico” dediquei-me a estudar métodos que pudessem aplacar os sintomas deste “Mal do Milênio”. biaseverino@biaseverino.com.br

COMPORTAMENTO

A necessidade de adaptação das pessoas às transformações sentidas na atualidade acabaram por gerar um incrível medo de mudanças, inevitáveis nos dias de hoje. De acordo com a aceleração do planeta, estamos vivendo um momento atípico de transição, que se faz sentir em todos os segmentos da vida. Este é o momento de eliminarmos o “lixo” que vínhamos carregando durante tempos de existência. Há pessoas mais sensíveis que ao se defrontarem com esta situação, não identificam o que está acontecendo e somatizam diante do susto, da mudança, entrando em pânico. O pânico se manifesta em função de perdas que a pessoa vivencia como se fossem reais, ainda que possam ser apenas sensações. Perdas afetivas, insegurança financeira, perda de um ente querido ou até mesmo de um animal de estimação, muitas vezes são os responsáveis pela deflagração do Pânico. Isto porque, a concentração de afeto cristaliza a emoção. A pessoa dimensiona a situação, exagera a emoção negativa, não consegue enxergar saída, entra nesse redemoinho onde vivencia a crise como se estivesse sendo atacada por um tigre, assumindo essa condição como real. Os sintomas psicossomáticos são os mais diversos, diferenciados pelas próprias características individuais. São reconhecidos e identificados como

“O Pânico se manifesta em função de perdas”.

12 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

www.biaseverino.com.br

“O Pânico interfere no convívio familiar, na produtividade profissional, no convívio social”.

síndrome, porque fazem parte de um conjunto de sintomas que caracterizam o próprio Pânico. Cada pessoa exacerba um determinado sintoma: sudorese, labirintite, sensação de que falta o chão (passo do marujo), motor na cabeça, desejo de ficar confinado, medo de sair, não tomar banho pelo medo de passar mal no chuveiro, medo de ficar sozinho. A pessoa neste estado fica quase sempre impossibilitada de exercer as atividades do cotidiano. É um momento de intenso sofrimento, onde qualquer ameaça passa a ser absolutamente verdadeira, onde se torna frequente o medo de morrer. Nestas ocasiões são de grande intensidade o desequilíbrio energético, a aceleração do movimento cardíaco, a ameaça dos pensamentos, a instabilidade psíquica, as constantes oscilações de humor e insônia. A falta de conhecimento da procedência destes sintomas contribui para a sensação de pavor, que tem como consequência o desequilíbrio psicológico, mental e espiritual. Entretanto, não há tempo para alimentar a dor. Para tal, há formas alternativas de

tratar o Pânico, dando atenção não apenas à mente mas também ao corpo e ao espírito integrando-os, promovendo um alinhamento dos corpos físico, mental, emocional e espiritual. Como sugestão ao iniciar o tratamento seria importante procurar as bênçãos da situação que o Pânico gerou. Ao tentarmos entrar em contato com o verdadeiro sentimento que está por detrás do sintoma mascarado pelo Pânico, tende-se a tirar as máscaras que nos escondem do verdadeiro “EU”, daquele Eu Superior, que jamais adoeceu, que jamais morreu, a partícula Divina que está dentro de cada um. Como parte do tratamento, pode-se remover o “lixo” que a mente não tem mais necessidade de carregar, iniciando-se um processo de purificação, onde a razão do conflito é identificada, permitindo aos doentes aproximarem-se da verdadeira identidade, encontrando a essência que os levará em direção ao verdadeiro significado de sua existência. Muitas vezes nossas “doenças” são apenas manifestações, avisos cósmicos, para nos inteirarmos de nossa magnificência, cumprindo o Plano Divino que nos foi designado.


por Tatiana Della Giustina Borges

NOVOS RUMOS NA

APOSENTADORIA

Tati Advogada OAB/SC 12896

APOSENTADORIA

O problema é que o governo, de tempo em tempo, altera as regras e torna a vida dos trabalhadores complicada e insegura, uma vez que a lei que está vigente no momento em que o cidadão trabalha pode não ser a mesma quando chegar à idade de aposentar-se. Para complicar ainda mais, o trabalhador desconhece qual o método que será utilizado para o cálculo do valor do seu benefício, o que gera ainda mais insegurança no momento da aposentadoria, ou durante seu planejamento. Duas decisões importantes dos tribunais podem alterar, novamente, os rumos das aposentadorias dos milhões de aposentados brasileiros, desta vez, ela poderá beneficiar a maioria deles. Quem esclarece o assunto, apresentando uma visão panorâmica, é a advogada Tatiana Della Giustina Borges de São Ludgero. 1) Sabemos que no Brasil de vez em quando ocorrem mudanças na legislação e nos entendimentos dos Tribunais que alteram os rumos das aposentadorias, quais foram as mais recentes? Houve algumas modificações legislativas na área previdenciária nos últimos anos, mas no ano passado duas decisões dos Tribunais foram muito importantes, uma que diz respeito à desaposentação e outra no que diz respeito a possibilidade de conversão do tempo de trabalho exercido em atividade consideradas insalubres depois de 1998, alterando as regras da aposentadoria Aposentodoria Especial. 2) fica?

Na prática, o que isto signi-

No primeiro caso, da DESAPOSENTAÇÃO, uma decisão do SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA entendeu que o segurado que já está aposentado e continua trabalhando e recolhendo contribuições aos cofres do INSS pode requerer a renúncia ao benefício que vinha recebendo e pedir um outro benefício contando com o tempo que contribuiu após estar aposentado. A diferença é que, antes da decisão, não era interessante ao segurado pedir este novo benefício porque corria o risco de devolver os valores que havia recebido do INSS enquanto estava apo14 |

Objetivo de todos os brasileiros, ao final de uma vida de trabalho, o tema ‘aposentadoria’ sempre está entre os de maior importância e de grande relevância. Dez em cada dez pessoas querem chegar a uma certa idade e “ir para seus aposentos” ou “ aposentar-se”.

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

sentado e agora, com a decisão, não há mais a necessidade de devolução dos valores, só o cálculo de sua renda seria revisto levando em conta as contribuições após a aposentadoria. 3) Isto é vantajoso para todos os aposentados? Não, cada caso deve ser analisado. Um exemplo é de um segurado que aposentou-se antes de 1999 e contava com um cálculo de sua renda com as últimas 36( trinta e seis) contribuições sendo que após passou a existir o fator previdenciário e a forma de cálculo modificou,, então há casos em que mesmo tendo contribuído por mais de 10 (dez) anos após a aposentadoria o cálculo feito com a aplicação do fator previdenciário fica abaixo do valor recebido de aposentadoria. É vantajoso para aqueles que efetuaram a aposentadoria proporcional por tempo de serviço ou que tinham pouca idade e tempo de serviço quando efetuaram a aposentadoria. Também pode ser utilizado para quem aposentou-se por idade e quer aposentar-se por tempo de serviço e vice-versa. Mas cada caso deve ser analisado e para ter o direito deve ser provada a vantagem econômica. O segurado deve procurar o advogado de sua confiança para realizar a verificação. 4) Com relação à conversão do tempo de serviço em especial para comum? Este é outro assunto que foi alterado pelos Tribunais, em especial a TNU (Turma de Uniformização Nacional dos Juizados Especiais Federais), quando foi revogada a Súmula 16. Na prática quem trabalhava em atividades insalubres após 28/05/1998 não tinha direito de convertê-lo em comum para aposentar-se, utilizando o acréscimo de 40% (quarenta por cento) por ter trabalhado em local prejudicial à sua saúde. Com a revogação da súmula 16 a conversão pode ocorrer até os dias atuais e quem teve negado seu benefício por não ter conseguido a conversão do tempo trabalhado em locais insalubres pode revisar o ato. 5) Há alguma providência que o cidadão possa tomar durante sua trajetória de trabalho para garantir

o direito à Aposentadoria quando chegar a hora certa? Sim, é importante que o segurado sempre mantenha vínculo com a previdência, ou seja, trabalhe com carteira assinada ou pague os contribuições no carnê, caso seja autônomo, porque a falta de contribuições induz ao indeferimento de vários benefícios como auxílios quando ocorrem acidentes no trabalho, pensão por morte, aposentadoria por invalidez e outros. Também é importante lembrar que todos podem aderir a planos de previdência privada, juntamente ou não com o pagamento do INSS, onde não há limite de renda e os benefícios devidos ao final são os contratados no início do plano, sem interferência de políticas públicas, o que dá um certo ar de estabilidade e segurança. A única providência é procurar o melhor plano em uma instituição de confiança.

“O trabalhador desconhece o cálculo utilizado para gerar o valor do benefício”.


abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

01


SAÚDE

Influenza A

VACINA PARA TODOS A Campanha Nacional de Vacinação contra gripe H1N1 já começou, sendo que a campanha será realizada em cinco etapas e ocorrerão em todos os municípios do Brasil. As doses da vacina já chegaram a muitos estados. Saiba mais sobre a vacina, data e calendário de vacinação.

O Ministério da Saúde lançou no mês de março passado a campanha contra a influenza A (H1N1). “Quanto mais prevenção, mais proteção” diz a mensagem da campanha, que tem o objetivo de orientar e incentivar a população a cultivar hábitos de higiene, principalmente para se prevenir da gripe pandêmica. A campanha será dividida em quatro etapas e contém mensagens de preparação e esclarecimento da população, principalmente com relação aos grupos prioritários para receber a vacina. Na primeira etapa, foram vacinados os grupos que correm mais risco de ter complicações associadas as doenças: grávidas, em qualquer período de gestação, bebês a partir de 6 meses e menores de 2 anos, pacientes de câncer e Aids, pessoas de até 60 anos com doenças crônicas como diabetes, hepatite, hipertensão, além dos profissionais da área de saúde que têm contato com pacientes com gripe e populações indígenas. O Ministério da Saúde espera vacinar 20 milhões de brasileiros nesse período. O fato de a vacinação ser restrita a algumas faixas etárias não significa que as demais estão imunes. O que acontece é que não há tanta vacina. No Brasil, metade da população deve ser imunizada, de acordo com o Ministério da Saúde, o que reduz a circulação do

“De acordo com o Ministério da Saúde, ninguém pega a gripe com a vacina e as reações costumam ser leves”.

16 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

vírus. Pessoas alérgicas podem tomar a vacina sem problemas. A única restrição é para pessoas com alergia a ovos. Uma preocupação comum é se a vacina contra a nova gripe tem efeitos colaterais fortes ou se pode levar alguém a desenvolver a doença. De acordo com o Ministério da Saúde, ninguém pega a gripe com a vacina e as reações costumam ser leves, como dores no corpo e febre baixa, que passam em até 48 horas. “A vacina já foi utilizada em mais de 300 milhões de pessoas no mundo todo. Não têm sido registrados, comprovadamente, eventos adversos graves, ou mortes relacionadas ao uso da vacina. Portanto, a vacina é segura”, diz o diretor de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, Eduardo Hage. Pessoas com obesidade mórbida devem se vacinar. Já os idosos com mais de 60 anos, e com doenças crônicas, devem ir aos postos de saúde

somente em 24 de abril. Gripe A em Santa Catarina Santa Catarina conta com casos da doença desde a primeira onda de infecção no Brasil, em maio do ano passado. Dos mais de 7 mil casos suspeitos, foram confirmados, através de exames, 2.484 casos, dos quais 140 foram a óbito. O fim do Verão e a queda nas temperaturas vão facilitar a chegada da segunda onda da doença, e a tendência é que, a partir de agora, o número de pessoas com problemas respiratórios aumente em relação aos primeiros meses do ano. A campanha de vacinação pretende se antecipar ao inverno para garantir uma redução significativa na quantidade de infectados pela gripe A em comparação a 2009. A meta é imunizar 2,8 milhões de pessoas contra a gripe A em todo o estado. Leia abaixo o cronograma de vacinação.

22/3 a 2/4

Gestantes (As mulheres que ficaram grávidas após esse período devem procurar um posto de vacinação para serem vacinadas). Crianças de seis meses até dois anos (1ª dose). A segunda dose será 30 dias após a primeira. Também podem vacinar nesse período, pessoas com doenças crônicas, tais como: cardíaca, respiratória, hepática, renal, sanguinea, diabetes, imunodepressão ou grande obesidade, exceto idosos com 60 anos ou mais, que serão vacinados em outra etapa.

05 a 23/4

População de 20 a 29 anos

24/4 a 7/5

Idosos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas. A vacinação será realizada junto com a Campanha anual contra a gripe comum.

10 a 21/5

População de 30 a 39 anos.


cipalmente em locais fechados, com alguém que apresente sintomas de gripe. Caso ocorra transmissão, os sintomas podem se iniciar no período de 3 a 7 dias após o contato. Não há registro de transmissão da Influenza A/H1N1 para pessoas por meio da ingestão de carne de porco e produtos derivados. Este novo vírus não resiste a altas temperaturas (70ºC). Assim como qualquer outra gripe, esta pode matar. A letalidade média das gripes sazonais é de 0,5%, enquanto outras, mais virulentas, como a gripe aviária, a letalidade pode chegar a 50% dos casos. A melhor maneira de evitar a doença é a prevenção. Lavar bem as mãos, com água e sabão em abundância, sempre que tocar objetos de uso comum, como dinheiro, corrimãos de escadas, transporte coletivo, etc, e o uso do Álcool a 70% ajuda, e muito, a transmissão do Vírus H1N1 entre as pessoas. Outra maneira de prevenção é vacinando-se contra este vírus. O Ministério da Saúde já lançou campanha de vacinação com o intuito de prevenir e

diminuir a transmissão dos vírus, mas não contempla na totalidade a população brasileira, ficando vários grupos de pessoas divididas pela sua faixa etária, desamparadas e a mercê de uma possível contaminação pelo vírus H1N1. Em virtude disso, os laboratórios produtores de vacinas antigripais, atrasaram a sua produção, para incluir nas doses de 2010, uma cepa de H1N1 juntamente com as cepas de gripe sazonal, o que significa dizer que, no momento em que você toma uma vacina comprada na rede privada, você estará se prevenindo não só do H1N1, mas também de todas as gripes comuns que acometem os brasileiros todos os anos. Esta proteção adicional não ocorre com a vacina distribuída pelo governo em sua campanha, pois a vacinação é apenas contra o vírus H1N1. A vacinação na rede privada terá início em meados de abril sendo que os fabricantes estão apenas aguardando a liberação das doses de vacinas pela ANVISA – Vigilância Sanitária Nacional – já que em sua totalidade estas vacinas são importadas. De qualquer forma, mesmo após ser vacinado o ideal é continuar a se prevenir e tomar as medidas já mencionadas (uso de Álcool a 70%, lavar as mãos) para que esta doença tenha sua transmissão interrompida. Lembre-se, você também é responsável por conter a transmissão da gripe Influenza A/ H1N1. Previna-se.

por Alexandre Piccinini

A Influenza A/H1N1 (comumente conhecida como Gripe Suína) é uma gripe pandêmica que atualmente está acometendo a população de inúmeros países, causada pelo vírus Influenza A/ H1N1. A gripe foi inicialmente detectada no México, no final de março de 2009, e desde então se alastrou por diversos países. Desde junho de 2009, a OMS elevou o nível de alerta de pandemia para fase 06, indicando ampla transmissão em pelo menos dois continentes. Os sinais e sintomas da gripe suína são semelhantes aos da gripe comum, tais como febre, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dor na garganta e fraqueza. Entretanto, diferentemente da gripe comum, ela costuma apresentar complicações em pessoas jovens. A gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 é uma doença transmitida de pessoa a pessoa, através de secreções respiratórias, principalmente por meio da tosse ou espirro de pessoas infectadas. A transmissão pode ocorrer quando houver contato próximo (aproximadamente um metro), prin-

SAÚDE

Farmaceutico/Bioquímico CRF 3408

MAIS PREVENÇÃO, MAIS PROTEÇÃO

“Lavar bem as mãos, com água e sabão, e o uso de álcool 70%, ajuda muito na prevenção”.

abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

17


Existem muitas histórias em torno da epidemia pelo vírus influenza H1N1. Acompanhe algumas verdades e mentiras sobre o assunto.

O primeiro surge quando a imprensa usa o termo “Gripe Suína” para a nova pandemia, gerando prejuízos incalculáveis aos suinocultores. Parte disso se deve ao fato dos mexicanos (onde os primeiros casos aconteceram) terem por hábito comer carne crua. Parte porque os porcos, as aves e o ser humano podem ser reservatórios naturais do vírus influenza (gripe). Cada nova gripe surge da recombinação destes vírus que ocorre quando homens, aves e porcos vivem em ambiente sem controle sanitário (sujo, sem controle de doenças e sem estrutura adequada). O próximo mito surge com a disseminação da teoria de conspiração, de uma ordem mundial e de interesse em exterminar a população mundial, principalmente na Internet. A desinformação e a informação incorreta e preconceituosa são vantagens para a doença. Não é a primeira pandemia pelo H1N1. Nas últimas décadas pelo menos duas outras foram registradas: a Gripe Asiática (1957) e a Gripe de Hong Kong (1968). Estas pandemias estão bem documentadas e a vacina foi a estratégia para contê-las. Em 1968 o mundo levou meses para começar a reagir, hoje levamos dias. Em 2009 morreram no mundo 12.799 pessoas por H1N1 e em 1968 morreram mais de 30.000 casos. A Gri-

SAÚDE

por Eletânia E. de Almeida

MITOS E VERDADES

“Cada nova gripe surge da recombinação de vírus”.

18 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

pe Espanhola (1918) também gerado pelo subtipo H1N1 matou 50 milhões de pessoas. Quando a Gripe Espanhola surgiu o mundo estava vivendo o final da Primeira Guerra Mundial (19141918). O mito da vacina assassina (teoria da conspiração) tenta disseminar terror e medo na população. Porém a vacina já foi usada com sucesso em 1968. Desde então os laboratórios se modernizaram e produzem melhores vacinas, mais rápido e com menor custo. A tecnologia usada para a produção é a mesma usada para a vacina da Gripe Sazonal ( Vacina dos idosos). O lucro da indústria farmacêutica vem da compra da vacina. Se esta for ineficaz ou produzir prejuízos à saúde, como eu indústria vou ter lucro. Lembrem-se de que a vacinação começou em outubro de 2009 nos Estado Unidos e até agora está tudo bem. Outro mito urbano é que quem tem alergia de carne de porco tem alergia a vacina da Gripe A. A verdade é quem tem alergia a ovo (matéria prima da vacina) não pode tomar a vacina. A vacina da gripe A confere imunidade, sendo o meio mais eficaz contra a doença e suas complicações. Efeitos adversos ocorrem em torno de 1% dos vacinados e na sua maioria são leves. A história se repete, Osvaldo Cruz enfrentou uma revolta da população e da imprensa no Rio de Janeiro em virtude da campanha de vacinação contra a varíola. A varíola foi erradicada em várias partes do mundo por causa da vacinação em massa. Em 2010, novos casos de Gripe Influenza H1N1 já surgiram. Com a vacinação, o mundo espera mudar esta história.

Infectologista CRM-SC 14944


Inivaldo João Ostrowski

MAIS QUE MERECIDO Inovar quer dizer mudar padrões e nossa revista resolveu realizar esta mudança. A partir desta edição, você leitor terá um espaço diferente. Através da parceria com o Cabana Grill, a revista MeuSUL irá apresentar a história de pessoas, em vida, que muito fizeram e fazem para o crescimento, de forma social, na região sul. Para iniciar este trabalho, nosso primeiro homenageado – muito justamente escolhido-, será o professor de Educação Física, o multi premiado - com mais de 90 medalhas como atleta e outros tantas conquistas como técnico- Inivaldo João Ostrowski.

MEMÓRIAS DO SUL

Todos têm uma história de vida, a de Inivaldo João Ostrowski, iniciou em 19 de julho de 1944, no município de Rodeio, norte de Santa Catarina. Nascido entre oito irmãos, seis mulheres e dois homens, em uma família de agricultores, ele estudou no Colégio Franciscano, disputou muitas competições, como atleta e como técnico, no atletismo, voleibol e basquete. Seu casamento com Corina Rafael da Rosa, com quem teve os filhos, Gracieli, Tatiana, Fernando e Karin, trouxe Inivaldo para Braço do Norte, onde praticamente iniciou o trabalho do esporte e, além de técnico, várias vezes premiado, foi diretor de escola e ajudou muitas pessoas a escolher o caminho correto, em sua vida social. Para conhecer um pouco mais sobre ele, voltamos aos seus 14 anos. Sempre disciplinado e ligado ao esporte, nesta idade ele representava o município nas competições de atletismo e voleibol, em uma época que, sem a força da tecnologia, o esporte dependia muito mais do esforço e do poder de superação dos atletas. Aos 16, dividia a vida de atleta, agricultor, com a profissão que marcaria sua vida, a Educação Física. Aos terminar o normalista, uma espécie de segundo grau, mesmo com a dificuldade de permanecer ligado ao ofício da família, passou a se dedicar ainda mais ao esporte, viajava de ônibus a Blumenau, onde treinava com a equipe de voleibol. Neste mesmo período ele foi aprovado em concurso para o estado para escolha de vagas em escolas isoladas do ensino primário. Todos os dias eram 17 quilômetros de bicicleta

20 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

até chegar à instituição de ensino escolhida. A maior idade chegou com o desgosto de ter que se alistar no exército, seguindo para o Rio de Janeiro, onde apesar do rigor dos quartéis, logo o garoto de Santa Catarina provaria suas qualidades. Disputou o último ano da Olimpíada do Exército Brasileiro, na qual foi campeão na modalidade Salto Com Vara, com a marca de 3,30 metros – sem contar que a vara era feita de bambu, muito diferente da fibra de vidro e de carbono utilizados hoje-, marca praticamente 40 centímetros acima de seus competidores. Ao mesmo tempo, participava das disputas no voleibol, onde jogou com vários atletas que depois seriam ídolos das quadras Fluminense. Poderia ter seguido carreira no exército, chegaria rapidamente a Terceiro Sargento – Fato de que ele se arrepende até hoje-, mas resolveu retornar ao sul, em meio a Revolução de 31 de Março, o golpe de estado que marcaria por décadas a história do militarismo no país. No ano seguinte e durante os seis anos posteriores voltou a dar aulas, até optar pelo Curso Normal Especializado em Educação Física. Já em 72, como atleta ele entrou para a história de Timbó e do esporte catarinense. Nos Jogos Abertos ele não só conquistou a primeira medalha do município na competição, como bateu o recorde do salto com vara, ao registrar 3,20 metros – ainda com vara de bambu - que somente foi superado sete anos depois, com a evolução do esporte. Na mesma competição foi técnico do voleibol e, por ironia, eliminou

Braço do Norte na primeira fase. Seu desempenho chamou a atenção de Joinville, cidade que lhe deu estrutura para cursar a faculdade e jogar, livre de qualquer despesa. Mas nada era fácil. A faculdade era das mais rigorosa. De manhã, aulas teóricas sobre todos os esportes, à tarde, aulas praticas sobre eles. Após a formatura, veio o casamento com Corina, romance iniciado em 1971 e paixão que o acompanha até hoje. Esteve em Blumenau, onde passou por diretoria de escola, treinador, pós-graduando em basquete – esporte implantado por ele na cidade, na categoria feminina-. Também foi pós-graduado em voleibol, antes de 1979, ano em que seguiu removido, em função de problemas de saúde na família, para Braço do Norte, onde passou a atuar como professor e técnico, com foco maior no voleibol, sem deixar de lado o atletismo.

“Foi o cara que iniciou tudo, nos deu muito incentivo. Ele era enérgico, cobrava objetivos e quem estava voltado para o esporte, seguia as regras. Tanto que eu saia da escola à noite e corria até o ginásio para poder treinar”. Charles Bianchini


Inivaldo João Ostrowski

o trabalho pois havia parceiros, como a Água da Serra, o colégio Espaço, mas ainda assim faltava apoio. Mas acredito que ainda é fácil trabalhar o esporte aqui. São mais de cinco mil jovens, muitos talentos, pessoas com grande potencial ainda não descobertos. Basta que se tenha empenho e incentivo de ambos lados. Já me propus a ensinar outra pessoa para dar continuidade, vamos ver.

Recebendo a placa em homenagem entregue pela Revista MeuSUL

Como era o esporte no município nesta época? Inivaldo – Não existia esporte. Comecei a implantar o voleibol, masculino e feminino e percebi que teríamos um futuro promissor, pelo resultado logo nas primeiras competições estudantis. O masculino com o quarto lugar e o feminino como vice. Para competir em disputas estaduais, trabalhei para criar o Conselho de Esporte, baseado no estatuto fornecido por Tubarão. Aos poucos, com muita dificuldade, realizamos melhorias. Você passou por muitas mudanças? Inivaldo – Sim. Sou do tempo em que a manchete era dada como um tapa na bola. Nos meus 51 anos de quadra (me orgulho disso), passei por seis mudanças no esporte, em algumas delas tiveram que retroceder, mas hoje ele é muito disputado, o que atrai bastante. O esporte cresceu muito nos anos seguintes? Inivaldo – Apesar do esforço dos envolvidos com o esporte, houve muitos boicotes, mas a gente foi persistente, com o apoio de amigos, pais, patrocinadores mantivemos o nível. A segunda metade da década de 90 foi amelhor. Atuava na escola e no esporte, mas em 95 me aposentei pelo estado e passei a me dedicar ao oficio de treinador. Conseguimos ter atenção maior, investimentos e trabalhamos com mais tranqüilidade, formamos grandes atletas neste período, lembro de cada uma delas, tínhamos muito potencial. Antes da aposentadoria você foi diretor de colégio Dom Joaquim? Inivaldo – E fui eleito, não fui in-

dicado como ocorre hoje. A política apesar de necessária atrapalha muito o desenvolvimento de trabalho. Tivemos altos e baixos justamente em função da política. Quando deixei da diretoria, me aposentei e passei a me dedicar mais a função de técnico. Também fui várias vezes diretor esportivo. Qual a prioridade no trabalho realizado? Inivaldo – Sempre priorizei as categorias de base. Não se consegue construir uma casa de cima para baixo. No esporte não é diferente, precisamos formar os atletas desde cedo, explicar e praticar fundamentos para que ele chegue a certa idade preparado para os desafios. Por que o esporte não tem continuidade? Inivaldo – Tivemos ótimas equipes, poderíamos ter chegado longe, mas sem incentivo não é possível. O potencial do município acaba sendo levado para outros locais que investem no esporte. Aqui sem incentivo, chega 1516 anos, os jovens precisam ajudar no orçamento familiar e o esporte passa a não ser mais o objetivo principal. Sei como chegar aos títulos, mas para isso precisa ter incentivo. Advirto ainda, se a mentalidade de quem dirige o esporte continuar como esta, em aproximadamente três anos, todo o trabalhos, iniciado há 30 anos está comprometido e poderá acabar. Ao seu ver, qual seria a saída? Inivaldo - A criação da Fundação Municipal de Esporte. O Esporte precisa ter seu orçamento próprio, precisa caminhar com as próprias pernas. Há muitos esportes sendo praticados em vários locais do município, mas com apoio restrito. Eu conseguia executar

MEMÓRIAS DO SUL

O que lhe dá satisfação? Inivaldo – A alegria de ganhar títulos. Ver a integração entre os atletas, eles responder dentro de quadra tudo que aprenderam é uma satisfação. O reconhecimento dos pais e apoiadores, também. Você se sente realizado com os resultados obtidos? Inivaldo – Sim. Vejo que durante todos os anos, as equipes que trabalhei fizeram com amor ao esporte e trouxeram resultados significativos. Não foi fácil, ser professor, treinador, amigo, psicólogo, médico, entre outras coisas, mas no final, os resultados valeram a pena. O que lhe traz orgulho? Inivaldo – Participar de uma Comissão Técnica do Voleibol Estadual. Estive na comissão duas vezes. No ano passado fui convidado, mas tive que rejeitar por problemas de saúde. É muito bom para alguém de cidade pequena receber este reconhecimento. Em que você acredita? Inivaldo – Na dedicação, sinceridade e seriedade. O esporte, como tudo na vida precisa de organização e planejamento. No esporte não há lugar para mentiras, você pode usar desculpas, mas se não houver dedicação seriedade, os resultados não aparecerem, as pessoas enxergam a verdade e isso é ruim. O que você gostaria que no esporte tivesse retorno? Inivaldo – O resgate de competições como os Jogos Escolares do Município de Braço do Norte (Jemb), o Torneio de Integração do Meio Rural, Citadino, Municipal de Campo e o Interbairros, alguns não são mais disputados, outros não dão o mesmo valor. A participação nos Joguinhos, Jesc e Olesc, divulgar o nome de Braço do Norte como uma potência do esporte. De tudo isso, o mais importante seria o resgate do esporte de forma geral, investimento. Temos cinco campos nos arredores de Braço do Norte, eles deveriam estar sendo usados por escolhinhas de base, não somente por veteranos. O município doou, seria interessante uma parceria com os cuidadores do local, lideranças do bairro. abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

21


SALADA DE PARTIDOS Partidos

É sabido que já vai longe o tempo em que bastava dizer o nome do político para que soubéssemos imediatamente a que partido ele pertencia. Os tempos mudaram e, com ele, as práticas. E pra pior. Quando pensamos que já vimos tudo em termos de composições políticas para ganhar o poder, eis que surgem mais e mais demonstrações de que o terreno da política continua fértil o bastante pra render novos e anômalos frutos.

POLÍTICA

As eleições deste ano têm toda a pinta de que novos monstrengos podem pintar por aí. O último deles foi a engenhosa aliança que colocou o Democratas, antigo PFL, lado a lado com o histórico inimigo, o PMDB, no palanque e no governo. Junto com o PSDB formaram a Tríplice Aliança vencedora, que deu ao governador Luiz Henrique da Silveira, que recentemente renunciou ao cargo para Leonel Pavan assumir, mais 4 anos no comando do Estado. Tudo se encaminhava para que houvesse a repetição da Tríplice Aliança quando alguns sinais de que as coisas não são tão simples assim começaram a surgir. Quais sejam: a poucos dias do prazo marcado para o vice, Leonel Pavan (PSDB) assumir o lugar de LHS, conforme acordo, eis que surgem denúncias fortíssimas contra Pavan, que o fizeram recuar, pensar, matutar e, quem sabe, ainda o farão desistir de sua candidatura. Assumiu no final de março, com receio do futuro. Sendo assim, numa semana tem-se a impressão de que o cabeça de chapa da situação pode ser do PMDB, na outra, do DEM, na outra, do PMDB. E o PT, que já conchavava com o PP, ainda sem definir se cada partido sairia sozinho no primeiro turno para, no segundo, quem sabe, ver quem seria o cabeça de chapa, de repente se vê atônito com uma batata quente na mão. Empurrado goela abaixo pela verticalização de Brasília, o PT pode ter pela frente o PMDB com parceiro de coligação. Michel Temer já bateu o martelo que será o vice na chapa encabeçada por Dilma Roussef.

22 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Dizem até que o PT andou agindo em Brasília para tirar da pauta do TCU o processo do escândalo da Beira-Mar de São José, no qual Dário Berger é réu. De nada teria valido a pena já o escolhido na convenção do partido é Eduardo Pinho Moreira. Vai uma salada de partidos aí?

“O que se esperava era uma nova Tríplice Aliança, quando alguns sinais, de coisas não tão simples assim começaram acontecer”.


Eleições POLÍTICA

...E AS VERBAS? Prefeitos correm contra o tempo em busca de verbas em ano eleitoral.

Verbas para o município significam obras para os cidadãos. Em ano eleitoral elas também podem significar votos nos chamados currais eleitorais dos responsáveis pela liberação. Mas em ano eleitoral, verbas também podem se tornar uma tremenda dor de cabeça se não forem observados os prazos legais estabelecidos pela lei. Políticos e administradores públicos estão preocupados com a agilidade de projetos que dependem da liberação de recursos para investimentos em obras e infraestrutura por parte do governo do Estado e governo federal, devido ao calendário eleitoral. Para ter acesso à verba é necessário que as prefeituras firmem convênios até dia 30 de abril. A mudança por conta do calendário eleitoral, aliada ao rigor da Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece normas para o controle dos gastos públicos, tem sujeitado prefeitos a uma verdadeira maratona contra o tempo. Depois des-

24 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

sa data os pedidos não serão aceitos. Pela lei, os contratos públicos firmados entre as prefeituras e órgãos da administração direta do Estado e da União devem ser formalizados seis meses antes do pleito. A medida tem como objetivo evitar o uso indevido da máquina, e a destinação de recursos indiscriminadamente durante a campanha eleitoral. Mesmo que garantam a inscrição dos projetos dentro do prazo assinalado na legislação, os municípios só poderão executá-los depois de concluído o processo sucessório em segundo turno. As prefeituras terão de correr. Isso porque depois de apresentar a documentação completa, terão que assinar o convênio até 30 de junho. As prefeituras também terão que oficializar às SDRs comunicando o início das obras. Somente após a vistoria do órgão, confirmando prévio início de obras, é garantia de continuidade de repasses durante o período elei-

“Para ter acesso à verba é necessário que as prefeituras firmem convênios até dia 30 de abril”.

toral, de 3 de julho a 31 de outubro. Muitas provavelmente não poderão executar obras que tinham sido programadas. O movimento nas SDRs tem sido intenso, bem como nas secretarias de Estado e Ministérios. A medida se aplica aos novos projetos e contratos. Empreendimentos que estejam na dependência da liberação de parcelas complementares de financiamento, e situações emergenciais (como ações de combate à incidência de dengue), serão atendidos.


Na contra-mão da busca incessante pelo corpo escultural, uma classe, apesar de perigosa para si mesmo, ganha cada vez mais espaço na mídia, tanto negativamente, pois sua ação vai contra uma boa saúde, como positiva - em que muitas empresas veem uma oportunidade de novos negócios. O gordinho em alta, precisa se cuidar, mas também, pode manter seus prazeres.

M

Foto: Kastemel

“Para o gordinho há muito prazer em visitar churrascarias, saborear uma boa feijoada ou massa em geral”.

ilhões de pessoas em todo o mundo testam, através de cirurgias estéticas, horas de exercício, dietas, contagem de calorias e uma infinidade de outras ações, formas de perder peso. Emagrecer não é uma tarefa considerada das mais fáceis, requer muita disciplina, esforço, privações e sacrifício. Mas, nem todos estão afim deste controle compulsivo do peso. Na verdade há uma classe, mesmo que minoria, que não se incomodam por estarem acima do peso e, ainda, se sentem bem em ser gordinhos. Apesar da mídia, das empresas, da própria moda praticamente excluir as pessoas obesas de sua linha de produtos, observa-se um aumento no número populacional desta classe. O que ocorre na verdade é efeito das regras ditadas pela indústria cultural, moda e televisão. Elas impõem um biotipo, e apresenta uma falsa impressão de que aquilo que prega ser belo, realmente tem que ser seguido. Se a tendência fosse esta imposição, as informações sobre o crescimento no número de pessoas acima do peso não aumentaria. No mundo são mais de um bilhão, informou a Organização Mundial de Saúde (OMS). Os americanos são ‘os reis momos’ do mundo – população mais gorda do planeta. Cerca de 80% dos habitantes, com mais de 25 anos estão acima do peso, isso representa 140 milhões de pessoas. Comparado há 25 anos, o número de obesos cresceu três vezes mais no país. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, os gordinhos representam 40% da população. O Rio de Janeiro permanece como campeã do excesso de peso, com 48% dos mais de seis milhões de habitantes. As regulares idas a churrascarias, pizzarias, as comidas gordurosas das lanchonetes e a falta de exercício, são os principais moti-

vos para o ganho de peso. O problema é que para o gordinho, há muito prazer em visitar estes locais, saborear um bom churrasco, uma boa feijoada, ou massas em geral. Outra questão é a dificuldade em adotar novos hábitos e esta é uma afirmação generalizada, já que há muitas pessoas sedentárias. Em nossa região esta relação com o corpo se torna ainda mais complicada e um dos principais motivo é a culinária. Grande maioria dos municípios do sul de Santa Catarina são colonizados por alemãs e italianos, onde há uma tendência a um alto consumo de carnes e massas. A medicina aponta algumas medidas corporais como uma média ideal para as formas do corpo. Mas, estar fora da forma não quer dizer deixar de ser feliz. Em blogs, sites de relacionamento é comum encontrar comunidades valorizando o manequim ‘avantajado’. Somente no Orkut são mais de mil. E não é raro encontrar textos que aconselham as mulheres a fugir de caras ‘bombados’, principalmente em saber que passarão a estar mais propensas a traição, não é mesmo? Robusto, engraçado, fanfarrão, zoador, brincalhão, além de passar uma sensação de segurança. Estas são algumas definições, identificadas pelas mulheres quando questionadas sobre o perfil do obeso. Mas, isso não é comprovado em pesquisa e sim apresentado em buscas na internet. Apesar de aceitar muitas brincadeiras de familiares e amigos, avaliando por este aspecto, é uma indelicadeza ofender uma pessoa em função de seu peso. Por outro lado, os homens não suportam mulheres preocupadas com certos padrões, como as que são capazes de deixar de cumprir um compromisso por não terem um ‘modelito’ novo, ou por não terem passado em uma cabeleireira antes do evento. Para a classe masculina, a mulher precisa abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

CAPA

ORGULHO

Obesidade

TAMANHO GG COM

27


Obesidade

apenas ser alegre, disposta e estar de bem consigo mesmo. – mesmo que para você mulher seja necessário, uma visita regular a boutique, a cabeleireira, a sapataria ou a loja de jóias. Os homens não pensam assim. De qualquer forma é importante, essencial e muitas vezes imprescindível conhecer as pessoas antes de tirar suas conclusões, pois você pode pré-julgar uma pessoa que está bem com seu eu.

CAPA

Moda larga Após vários fatos negativos envolvendo modelos que acabaram morrendo em função da anorexia as passarelas revelaram os sacrifícios das jovens em manterem-se magras. Alguns estilistas aproveitaram a oportunidade para chamar a atenção ao bem estar e apresentaram desfiles reunindo várias modelos acima do peso. Um dos mais famosos ocorreu em Milão em 2007. Apesar de ser criticado por tentar mudar padrões, desencadeou uma onda de boas notícias, pois o problema para alguns se tornou a salvação para outras que passaram a se gostar. E isso remete diretamente aos obesos, não somente pela busca em se sentir bem, mas encontrar aquelas roupas legais para o dia-a-dia, com manequim geralmente acima de 46 e que expresse sua personalidade. O fato, apesar de ainda presente, é cada vez menor. Conhecer seu corpo é o primeiro passo para chegar à satisfação, isso porque o visual pode mudar a personalidade Há empresas especializadas em atender este público e possibilitam a esta turma, estar na moda, mesmo estando acima do peso. É possível também encontrar na internet dicas de como achar o ponto ideal, ou seja, a roupa que veste bem e disfarça ‘os excessos’, depois é ir às compras que como já dito, não é mais uma tarefa tão difícil. Antigamente restrita a cores ‘mortas’, estas empresa passaram a apostar no colorido dos tecidos para ganhar e nas estampas para ajudar a disfarçar alguns pontos fracos. Casos e Casos E exemplos de pessoas que não se privam dos prazeres da vida, não são difíceis de encontrar, na verdade estão muito próximos. Em tese você vê uma pessoa obesa em um restaurante e pensa, ‘poxa o cara é gordo e olha só o prato dele, ta transbordando. Ele deve ter vários problemas de saúde’. Mas, nem por isso os médicos afirmam que o gordinho não é preocupado com sua saúde. Exemplos não faltam. Bussunda, Leandro Hassum e o mais recente e 28 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

famoso, o caso do apresentador da TV Globo, Fausto Silva. Apesar de contrário, Faustão optou pela cirurgia bariátrica para resolver alguns problemas de saúde, no caso dele a estética ficou em segundo plano. Na época em que anunciou ter feito a cirurgia, o apresentador usou mais uma vez o bom humor para revelar o ato. “As bailarinas agora estão felizes, porque eu vou emagrecer, vai sobrar mais espaço e elas vão aparecer mais”, brincou ao vivo. Ao mesmo momento, ele falou da complexidade da pós-cirurgia. “É necessário estar ‘preparado psicologicamente’ para se recuperar de uma operação como esta”, argumentou. Mesmo tendo enfrentado problemas de saúde recentemente, a atriz Claudia Jimenez é outra que não se preocupa. “Não encano com este negócio de gordura. Não vou fazer plástica ou cirurgia. Até voltei a fumar”, diz ela dando o mau exemplo que os gordinhos esperam. A mais desinibida e menos preconceituosa humorista Fabiana Karla, da Zorra Total, tomou a atitude para quebrar o paradigma de exclusão, ao recrutar ‘gordinhas’ para estamparem um calendário. “Quem disse que só magras podem ‘ser a moda’. Ser gordinha não é deixar de ser sensual e temos que mudar esta visão”, Em entrevista a sites direcionados às gordinhas, Fabiana afirma desde criança estar acima do peso, mas nunca deixou que isso atrapalhasse sua vida, seja profissional, familiar ou amorosa. “Tenho uma coisa comigo, o fato de eu gostar de me olhar no espelho e ver como eu sou. Sou muito vaidosa. Adoro o meu cabelo, faço unha, adoro a minha pele hidratada. Não adianta você ser magro e mal cuidado. Prefiro ver que minha pele é bem cuidada. Deixo de comer certas coisas porque isso vai se refletir na minha pele, mas não por causa do meu corpo”, revela. Ela demonstra não estar interessada em mudar. “Minhas duas irmãs, que são gêmeas, fizeram cirurgia de redução de estômago e eu tenho dez mil pessoas que me ligam todos os dias para oferecer essa cirurgia, como se fosse a salvação da minha vida. Se eu quisesse, já teria feito. Mas é uma questão minha. Não ficaria feliz de me olhar no espelho e não me ver assim, como sou. Seria como se eu estivesse murcha. Agora é claro que eu queria voltar a ter dois dígitos na balança, porque eu estou com três (risos). Mas por questão de saúde mesmo. Mas não faço apologia à gordura, só quero que as pessoas se aceitem como elas são”, opina. E se sentir bem mesmo com maus hábitos é especialidade do comerciante de São Ludgero, Érico Wessler que também nunca foi exemplo de saúde.

“Tenho uma coisa comigo, o fato de eu gostar de me olhar no espelho e ver como eu sou. Sou muito vaidosa. Adoro o meu cabelo, faço unha, adoro a minha pele hidratada. Não adianta você ser magro e mal cuidado”. Fabiana Carla, humorista

Foto: Marcio Iudice Attie

Foto: Marcio Iudice Attie

Foto: Marcio Iudice Attie

Fabiana Carla e as meninas escolhidas para estampar o calendário de gordinhas.


“A maioria das cirurgias realizadas são por questões estéticas, eleva a auto estima e diminui a incidência de problemas de saúde”. Dono de um famoso bar, festeiro, beberão inveterado, com maus hábitos alimentares – neste caso ele culpa dona Santa, sua mãe que tem mãos especiais para a culinária – e fumante, há cinco anos, ele teve que mudar seu destino. Com 38 anos, 1,92m e com 180 quilos, ele teve um dos piores diagnósticos médicos. Como ele mesmo diz, todos os problemas possíveis de se encontrar em um gordinho, ele possuía. “Se você passar dos 40 agradeça a Deus, pois com a vida que você leva, você não ira chegar no enta. Fiquei preocupado com a saúde e resolvi fazer o sacrifício, a redução de estômago”, aconselha. O problema maior surgiu após a etapa de recuperação. “Alguns meses depois, estava próximo dos 100 quilos. Não conseguia me alimentar, tudo que comia era devolvido”, lembra. Os exames de saúde e comprovavam que tudo estava dentro do padrão, o médico indicou uma psicóloga. Ao explicar a psicóloga que não conseguia se alimentar, Érico passou a freqüentar periodicamente o consultório psicológico. Mas a fase engraçada do processo foi a descoberta de que a falta de alimentação não estava relacionada com a estética, pelo contrário, ele estava deprimido por estar magro. “Não me sentia bem. Falei isso à psicó-

loga. Sempre fui gordo, forte e naquele momento estava magro e fraco, tanto que não conseguia levantar um engradado de bebida, isso era o fim para mim”, relembra. Não seria diferente ao analisar o apelido de ‘Banha’ que sempre acompanhou o comerciante. Após ganhar cerca de 10 quilos a situação mudou. “É muito bom ser gordo. Como o que gosto, tenho hábitos que não deixarei tão fácil. Mas, agora faço acompanhamento médico, para saber e manter as boas condições de saúde”, comemora. Hoje, aos 44 anos e 120 quilos, Érico é uma das pessoas que prova que ser gordo não é tão ruim como prega a sociedade. “Se a maioria das mulheres de revistas usam truques para esconder imperfeições, para que eu vou me preocupar com detalhes”, brinca. Cirurgias bariátricas Aceitar-se como ‘Gordinho’, na maioria das vezes também não é uma das tarefas mais fáceis. Milhares de pessoas lutam durante anos contra a balança. Exclusão social, depressão, ansiedade, também são características apresentadas por estas pessoas que há alguns anos passaram a ter uma saída, às diversas cirurgias bariátricas. Desde que foi implantada, há três anos, o Hospital Nossa Senhora da Conceição registra aproximadamente 150 cirurgias desta modalidade, 26 apenas este ano. A psicóloga, Fernanda Schmitz que atua diretamente nesta área explica que pessoas com idade entre 18 e 65 anos já fizeram a cirurgia e, é raro o

Obesidade CAPA

Foto: Ivo Coan

Érico Wessler, nunca foi exemplo de vida saudável, mas precisou mudar seus hábitos por questões de saúde.

caso de quem procura esta alternativa por questões de saúde. “A maioria das cirurgias são relacionadas a questões estéticas, ela está desconfortável com sua situação, mas a saúde é o complemento, pois a pessoa ficará mais saudável, elevará sua alta estima e diminuirá a incidência de problemas de saúde”, expõe. O processo para a cirurgia não é tão fácil como muitos pensam. Ela começa muito antes da cirurgia e requer muitos testes, analisar se o paciente está realmente preparado para a mudança brusca do pós-operatório, seja física ou psíquica. “É algo muito delicado de se lidar. Nos referimos a uma segunda data de nascimento, pois a mudança é radical, ele terá ciência das privações e limitações. Através dos testes e encaminhamentos do processo, analisamos se a pessoa está preparada para ela”, discorre. O resultado na maioria das vezes é benéfico para ambos. “E perceptível a mudança logo após a cirurgia. As pessoas saem mais felizes. Isto é relatado por eles mesmos nas reuniões mensais que realizamos, onde estão presentes pessoas que fizeram e outras que pretendem fazer. Para nós é igualmente gratificante”, alegra-se. Palavra do Cardiologista Leandro Becker, médico cardiologista, afirma que nem todo gordo é doente e nem todo magro é saudável. “Isso depende muito do histórico familiar. Se houver casos de obesidade, hipertensão, diabetes, por exemplo, nesta família, as chances de aparecer um problema de saúde aumentam”, diz. O maior problema visto pelo cardiologista são as pessoas que ganham peso rapidamente. A elas estão ligadas as maiores incidências de diabetes, pressão alta, infartos, colesterol alto. “Se descuidar do peso é uma questão delicada, pois frequentemente este extra na balança está relacionado à ansiedade e depressão entre outros fatores. É mais difícil voltar ao peso normal e podem aparecer outros problemas de saúde”, explica. A questão se agrava em mulheres com idade acima de 40 anos, durante a menopausa, quando não há mais produção de hormônios estrógeno e progesterona. O aconselhável é chegar aos ‘40’ com peso adequado, do contrário é muito mais complicado perder peso, o processo pode ser longo e haver desinteresse da pessoa. A boa notícia é que, com cuidados, é possível ser gordo e ao mesmo tempo ter uma boa saúde, o que muitos desacreditam. “Claro que para isso é indispensável um check-up anual. O exame de sangue é importante para ver como o metabolismo esta atuando”, destaca. abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

29


A gravidez é um momento delicado e requer cuidados especiais, principalmente quando o assunto é a alimentação que, nessa fase, tem relação direta com a saúde da mãe e a do bebê, tanto na vida intra-uterina como no futuro. A obesidade na gravidez é um problema comum e perigoso.

A obesidade é um dos maiores problemas de Saúde Pública Mundial com crescente aumento de prevalência tanto em países desenvolvidos como em boa parte dos países em desenvolvimento com exceção da África. Como parte natural da epidemia mundial de obesidade, o número de mulheres em idade reprodutiva com sobrepeso também vem aumentando em todo o mundo – e o Brasil não é exceção. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que o excesso de peso e a obesidade entre as mulheres cresceram 50% nos últimos 30 anos, sendo que, atualmente, mais da metade (51,9%) das brasileiras entre 20 e 44 anos estão com um IMC acima de 25. Essa epidemia de obesidade leva primeiramente a problemas de fertilidade, entre as pacientes com sobrepeso temos um número maior de amenorréia (ausência de menstruação) e ciclos anovulatórios (ausência de ovulação), sendo que também os tratamentos para infertilidade possuem maior taxa de fracasso, e os casos de abortamento são mais prevalentes. Após obter êxito na gestação começam os problemas maternos causados pela obesidade na gestação, com exemplo temos a pré eclâmpsia onde o risco dobra a cada 10kg de aumento de peso, da mesma forma, quanto maior o IMC materno inicial, maior o risco de diabetes gestacional. As gestantes obesas também apresentam maior probabilidade de terem infecções urinárias e do trato genital inferior. O sobrepeso materno aumenta ainda os riscos de parto induzido, cesarianas, hemorragia maciça pós-parto e infecção puerperal.

OBESIDADE NA GESTAÇÃO

por José Nazareno Goulart Jr.

GESTAÇÃO E OBESIDADE

30 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Dessa maneira temos um aumento importante na morbimortalidade dessas pacientes por vezes com óbito materno e do próprio bebê. Os bebês são vítimas inocentes de diversos fatores, entre eles os hábitos de suas mães. Enquanto os possíveis efeitos adversos do uso do álcool, fumo e drogas na gravidez são amplamente divulgados e conhecidos pela maioria dos médicos e leigos em geral, os riscos fetais decorrentes da obesidade materna são praticamente desconhecidos. O excesso de gordura afetaria o bebê desde sua fase embrionária até o parto. A taxa de malformações fetais é maior em mulheres obesas. O excesso de gordura parece interferir no metabolismo dos folatos, o que explicaria a maior incidência de defeitos do tubo neural (malformações de sistema nervoso central, cérebro e coluna) entre as obesas, mesmo naquelas que recebem suplementação de ácido fólico nas doses recomendadas. O risco de óbito do bebê ainda no útero é também significativamente maior entre as mulhe-

“O risco de óbito do bebê ainda no útero é também significativamente maior entre as mulheres com peso acima da média”.

Ginecologia e Obstetrícia CRM 13023 - Ambulatório 3658.8128 CLINIMED - 3658.2117

res com peso acima da média, por motivos ainda desconhecidos, ou ainda pela relação com as doenças geradas pela obesidade com a pré eclâmpsia e a diabetes gestacional. A macrossomia fetal é mais frequente entre as obesas, independente da associação com diabetes. As obesas têm maior probabilidade de terem filhos obesos, especialmente se elas tiverem também diabetes gestacional ou síndrome metabólica antes de iniciarem a gestação ou se houver ganho ponderal excessivo durante a gestação. O excesso de gordura parece ainda ser capaz de comprometer a programação metabólica fetal, predispondo os filhos de mulheres obesas a serem futuros obesos e diabéticos, perpetuando o ciclo da obesidade.


Mundialmente, a doença cardiovascular está entre as principais causas de morte e incapacidade física. No Brasil, o que se tem visto são números cada vez maiores de infarto do coração e acidente vascular cerebral (popularmente conhecido como derrame cerebral).

O conhecimento dos principais fatores de risco associados a estas doenças, portanto, é extremamente importante. O maior estudo já realizado sobre este assunto e publicado em revista especializada há alguns anos atrás (envolvendo 52 países no mundo - inclusive o Brasil) mostrou de forma clara quais os principais fatores de risco modificáveis associados ao infarto do coração. No gráfico, que segue, está descrito o resultado principal deste estudo. Vimos por exemplo que a presença de colesterol alto no sangue determinou um risco quatro vezes maior de infarto do coração em relação às pessoas que têm colesterol normal. O tabagismo e o diabetes por sua vez, aumentaram o risco de infarto em até três vezes. Outros fatores de risco também se mostraram importantes no estudo. Dentre eles confirmou-se a relevância da hipertensão (pressão alta), da depressão e do estresse psíquico crônico, porém, um fator de risco que mostrou importância fundamental do ponto de vista de saúde pública foi a obesidade. A reportagem de capa deste mês da revista MeuSUL trata exatamente sobre este tema. Países subdesenvolvidos tradicionalmente eram vistos como países de pessoas subnutridas. Entretanto, especialmente nas últimas duas décadas, a prevalência de sobrepeso e obesidade na população destes países tem aumentado drasticamente.

“O acúmulo de gorduras especialmente no abdômen em relação ao resto do corpo, foi o fator determinante de risco aumentado para o infarto do coração”.

RISCOS AO CORAÇÃO

Cardiologista CRM SC 14643 Ambulatório 3658.8128 Hospital São Lucas 3658.2552

por Leandro Q. Becker

RISCOS AO CORAÇÃO

No estudo em questão, por exemplo, a taxa de sobrepeso encontrada em nosso país foi de 48%. A descoberta importante feita neste estudo foi que a obesidade abdominal, ou seja, o acúmulo de gorduras especialmente no abdômen em relação ao resto do corpo, foi o fator determinante de risco aumentado para o infarto do coração. Isto porque esta gordura é a que de fato está associada à hipertensão, colesterol elevado e diabetes. Por isso, mesmo pessoas com peso adequado

para a altura, porém com excesso de gordura no abdômen, estão em risco aumentado para um evento cardíaco. Felizmente nesta mesma pesquisa verificou-se que o consumo diário de frutas e vegetais, assim como a atividade física regular foram “protetores” para infarto do coração, pois reduziram em até trinta por cento a chance de ocorrência deste problema. Assim, procure sempre que possível controlar estes fatores de risco, buscando bons hábitos de vida para cuidar do seu coração.

abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

31


CIDADE

São Martinho

WILLKOMMEN IN

32 |

SÃO MARTINHO Padroeiro de várias cidades alemãs, São Martinho deixou sua marca na região em 1962, quando a colônia de Praia Redonda foi oficialmente emancipada e passou a dar o nome ao novo município.

N

as residências do município é possível ver os traços arquitetônicos da Alemanha. Mas, esta relação com o país europeu fica mais forte à medida que se conhece as comunidades de interior. As casas em estilo enxaimel, conhecido pela estrutura independente em madeira, preenchida por tijolos e com telhados com inclinação acentuada. Durante a imigração, os colonizadores vindos da região da Wesfália, utilizavam a terra para retirar seu sustento. Hoje, com pouco mais de três mil habitantes, São Martinho revela uma série de belezas históricas e culturais, sem perder a característica agrícola. O comércio gira em torno do meio rural, mas tem descoberto outros aspectos para geração de renda. Há cerca de 30 anos, o colono passou a preservar e cuidar melhor do meio onde vive e a investir nas belezas naturais, substituindo o termo homem do campo para se tornar o empreendedor rural. As alternativas de lazer e descanso junto à natureza, como pousadas, pesque-pague, restaurantes, são aparatos turísticos que transformaram a região em um dos principais pólos do turismo rural do sul catarinense e gerador de renda extra a muitas famílias. A culinária tipicamente alemã, unida às trilhas ecológicas, o conhecimento da história e da cultura são os motivadores para que cada dia mais visitantes procurem este destino. Entre os pontos históricos, São Martinho está próximo da comunidade de São Luis, em Imaruí, onde está abrigada a Capela da Beata Albertina Berckenbrock. O município também é conhe-

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Foto: Ivo Coan

Kleiner Schein

cido por abrigar uma das unidades da Kleiner Schein, indústria de móveis que atende todo o país, mas a administração investe em projetos e recursos para incentivar o turismo religioso no local e assim evitar o êxodo rural, assegurando uma melhor renda às famílias. Foto: Ivo Coan

“São Martinho revela uma série de belezas históricas e culturais, sem perder a característica agrícola”.


Resgate da educação EDUCAÇÃO 34 |

O AMOR

X A TABUADA

O amor constrói. Mas não ensina a tabuada. O que dizem os especialistas sobre a “pedagogia do afeto”.

Temos acompanhado nos últimos tempos, pedagogos se engalfinharem em defesa de duas teorias pedagógicas que se opõem, ou pelo menos, diferem entre si: a corrente dos que acreditam que a primeira missão da escola é transmitir conhecimento da cultura universal e desenvolver o raciocínio analítico e a curiosidade dos alunos, e a corrente dos que defendem que o amor e o afeto precisam estar mais do que nunca presentes nas relações escolares. O mais recente desses embates teóricos aconteceu entre os pedagogos Gustavo Ioschpe, Gabriel Chalita e Içami Tiba, através de um artigo em uma revista semanal de tiragem nacional. Na verdade, foi mais uma investida crítica do primeiro contra Chalita e Içami, estes, notoriamente adeptos da pedagogia do amor. Gustavo defende que as fontes teóricas que originaram a pedagogia do amor são sérias, mas que, como acontece com a maioria dos professores que se dizem construtivistas, sem sequer entender bem o que significa isso, a aplicação da pedagogia do amor em sala de aula é simplista e pouco tem a ver com a matriz. “No Brasil, usa-se essa definição para uma ideia difusa de que o fundamental de uma escola, de um professor, é dar afeto aos seus alunos e desenvolver com ele uma relação pessoal, suprindo a suposta carência de afeto sentida pelas crianças brasileiras”, diz Ioschpe. Gustavo ironiza o que ele enumerou como “as três vantagens da pedagogia do afeto: “1) É de difícil mensuração (como se mede o amor?), de forma que é impossível dizer se funciona ou não. 2) Serve como antídoto ao fracasso de nossas escolas naquela que deveria ser sua primeira tarefa: transmitir conhecimentos (...) Afinal,

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

o que é saber trigonometria diante de estar com o coração transbordante e em contato com sua alma? 3) O terceiro benefício é que a pedagogia do afeto apresenta alternativa mais simpática para explicar o insucesso da escola em relação a seu principal concorrente, a ideologização do ensino, que pretende formar o cidadão crítico e consciente. Você pode reclamar que seu filho não está aprendendo porque está sendo doutrinado, mas como atacar aqueles que se preocupam em criar um ambiente amoroso em sala de aula?”, diz Gustavo. E arremata: “A escola brasileira parece acreditar que terá cumprido sua missão se criar um sujeito que não puxa o cabelo dos coleguinhas, ainda que não saiba a tabuada, nem consiga escrever dois parágrafos”. A coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação de Braço do Norte, Rosane da Cunha Alberton, leu praticamente todas as obras de Içami Tiba e sai em defesa do médico psiquiatra. “Penso que sua contribuição para os relacionamentos são muito importantes para a sociedade contemporânea, que ficou perdida em meio à grande mudança que ocorreu na área da informação e comunicação na última década. Os pais e as escolas estão tentando ocupar seu espaço em meio a tanta transformação. Içami Tiba ensina tanto a escola, quanto aos pais, como lidar com seus filhos e alunos em relação à disciplina e o limite, que são exatamente as maiores dificuldades na formação de um ser humano hoje. Esse é o foco de suas obras”, diz. Ioschpe diz que, a obra mais conhecida de Içami, Quem ama educa, “destila todos assuntos imagináveis em 300 páginas, com bibliografia de 17 autores, e é inócua”. Rosane rebate. “Eu mesma me beneficiei muito com suas

Livro de Içami Tiba, campeão de vendas em 2003, segundo a Revista Veja.

obras, no momento em que me deparei com a disciplina dos meus filhos adolescentes. Em Quem ama educa, Içami fortalece e incentiva a postura dos pais no sentido de educar com limites, horários e responsabilidade. Jamais vi suas publicações como algo que somente o amor é importante, pelo contrário, pelo amor se educa. Penso que estes questionamentos levantados não procedem, porque não é isso que o autor nos diz”, argumenta a coordenadora pedagógica. Para a secretária de Educação do município de Criciúma, Geovana Zanetti, o que acontece é que muitos professores estão interpretando equivocadamente a teoria da pedagogia do afeto. “Muita gente tem levado ao extremo, deixando de lado a questão da aprendizagem, o que é um equívoco. Estão confundindo as coisas. Entretanto, a teoria do afeto, do amor, é importante sim, se usada adequadamente. Nas escolas públicas, principalmente”, diz a secretária.

“A escola brasileira acredita que cumpriu sua missão se criar um sujeito que , apesar de não saber a tabuada, não puxe o cabelo dos coleguinhas”.


Caso Fosfateira

IFC

N

POLÊMICA

o dia 15 de abril, o possível impacto do projeto para a exploração de fosfato destinado à produção de fertilizantes, em Anitápolis, pela Indústria de Fosfatados Catarinense (IFC), hoje sob o comando da brasileira Vale e da Norueguesa Yara, terá um novo episódio. Laguna foi a cidade escolhida pela Comissão de Meio Ambiente (CMA) da Assembleia Legislativa, para este novo debate, uma forma de deixar a população ciente sobre os prós e contras. O processo de implantação iniciou em 2005, mas desde os anos 70 a região desperta o interesse de grandes mineradoras. Com a aquisição da Adubos Trevo, as multinacionais Bunge – que teve a divisão de fertilizantes no país vendida para a Vale - e Yara, iniciaram estudos na região de São Paulo dos Pinheiros, comunidade no interior de Anitápolis, onde a empresa possui 1,8 mil hectares. Em resumo, aproximadamente 16% desta área será utilização para extração do minério, na primeira etapa, durante 33 anos. A expectativa é produzir por ano 500 mil toneladas de Super Fosfato Simples (SSP). Para isso a empresa informa ainda que mais de 1,5 mil empregos serão gerados com a construção e instalação da mineradora. Após ter em mãos a Licença Ambiental Prévia (LAP), fornecido pela

“Mais de 1,5 mil empregos serão gerados com a construção e instalação da mineradora”.

36 |

Foto: Vagner da Silva

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Fatma - com base nas mais de três mil páginas do Estudo Impactos Ambientais (EIA) e do Relatório de Impactos Ambientais - que atestou a viabilidade do empreendimento, com ressalvas. A IFC foi surpreendida por uma ação movida pela ONG Montanha Viva, contra ela e também contra a União, o Estado de Santa Catarina, o município de Anitápolis, a Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) e o escritório regional do Ibama. O projeto veio a público e com isso as manifestações contrárias a exploração, de entidades como a Associação Comercial e Empresarial do Vale (Acivale) e a Câmara de Dirigentes Lojistas

(CDL) – que reuniu mais de 500 assinaturas entre populares, demonstrando a contrariedade ao projeto-, ambas de Braço do Norte, por não terem a oportunidade de participar do debate e em função dos riscos à vida. A discussão tomou âmbito estadual a partir do envolvimento da AL, através do presidente da CMA, Deputado Décio Góes (PT). Após duas audiências, uma em Florianópolis – onde foi formada uma equipe técnica para fazer o contra EIA/RIMA e apresentar falhas no projeto. Os dados foram expostos na segunda audiência, realizada em Braço do Norte, em 25 de setembro de 2009. Nela os especialistas encontraram diversos dados conflitan-


Mata será destruída por barragem e extração de minério.

tes com o relatório apresentado pela empresa, demonstrando o sério risco à população dos municípios abaixo de Anitápolis, ou seja, Santa Rosa de Lima, Rio Fortuna, Braço do Norte, São Ludgero, Pedras Grandes, e todos os que compõem a Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Na semana seguinte à audiência, a Juíza Federal Substituta, Marjôrie Cristina Freiberger Ribeiro da Silva concedeu liminar pela suspensão da LAI. Após este fato uma nova batalha foi travada no Tribunal Regional Federal de Porto Alegre que manteve a decisão de suspender a licença já fornecida pela Fatma. Em janeiro o relatório

apresentado pela equipe técnica, formada por nove especialistas e coordenada pela CMA, foi anexado ao processo assim como o parecer do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Os documentos apontam não só indícios de crime ambiental, praticado dentro da área de propriedade da IFC, mas também, consideráveis erros, equívocos e dados de omissões no Estudo Prévio de Impacto Ambiental, que as empresas Bunge, Yara e IFC protocolaram na Fatma. Entidades, como a Câmara de Vereadores, a Assembléia Legislativa, Prefeituras, Secretarias de Desenvolvimento Regional, Ministério Público, Ibama, Fatma receberam a cópia do parecer que expõe de for-

ma clara e resumida os possíveis riscos aos habitantes das Encostas da Serra Geral e, dos municípios da região litorânea e ao meio ambiente. Neste início de ano, a notícia sobre a compra da Bunge Fertilizantes, pela Vale, trouxe apreensão, mas segundo o advogado da ONG Montanha Viva, Eduardo Bastos Moreira Lima não altera a ação, principalmente em função dos problemas apresentados. Durante os dias que antecedem a audiência pública em Laguna, entidades, ambientalistas e contrários ao empreendimento, trabalham para que um número significativo de pessoas participe e exponha sua opinião sobre o projeto.

abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

37


A TV DIGITAL JÁ ESTÁ AÍ. TV Digital

E AÍ?

No último dia 2 de abril o padrão ISDB-T de TV Digital completou 2 anos e 4 meses de operação no Brasil. Neste período, o padrão denominado nipo-brasileiro chegou a mais capitais (cidades pólo) e foi adotado por países da América do Sul. Entretanto, a TV Digital ainda enfrenta obstáculos à sua expansão.

TECNOLOGIA

Em 2009 houve uma grande movimentação para promover a implantação da TV Digital em mais cidades. Atualmente a transmissão digital é realizada em 29 cidades, sendo 20 delas capitais e nove cidades pólo. Aqui em Santa Catarina as cidades que já implantaram o sistema são Florianópolis e Joinville. De acordo com o Fórum SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre), a tecnologia cobria em 2009 mais de 60 milhões de brasileiros. Em 2008, os sinais eram operados em nove capitais, cobrindo 40 milhões de habitantes. As consignações de canais tiveram de acompanhar a expansão do número de cidades. Até o momento foram consignadas 60 emissoras e retransmissoras em caráter permanente. Entre as consignadas estão inclusas emissoras universitárias, as quais veiculam programação educativa. Outro aspecto importante foi a adesão dos países sul-americanos ao padrão ISDB-T. O primeiro a adotar o sistema foi o Peru, em de 2009, seguido pela Argentina, Chile e Venezuela. Para promover o sistema, o governo brasileiro tem mantido conversações com Cuba, Equador, Bolívia, Costa Rica e Moçambique. Entretanto, analistas apontam obstáculos que a TV Digital vem enfrentando, como lento crescimento em termos de usuários, o preço do conversor, a programação, qualidade da cobertura e a pouca interatividade.

funcionalidades que permitem uma interatividade entre o telespectador e a emissora possibilitando o acesso a informações adicionais, como por exemplo, o menu de programação. Possibilita ainda a interação do usuário com a emissora, através de um canal de retorno via linha telefônica, por exemplo, permitindo a este votar ou fazer compras. Receptores de TV Com a introdução da tecnologia digital na radiodifusão de TV (TV Digital Terrestre), o usuário poderá optar por uma das seguintes situações: 1- Continuar a receber a TV aberta da forma atual utilizando a sua TV analógica. 2- Adquirir um conversor (Set Top Box) que permitirá receber o sinal digital e convertê-lo para um formato de vídeo e áudio disponível em seu receptor de TV 3- Adquirir uma TV nova que já incorpore o conversor. Como ficam os receptores de TV atuais com a TV Digital? Inicialmente, enquanto os televisores preparados para a recepção de TV Digital ainda não estiverem em todos os domicílios, será necessário utilizar os seguintes equipamentos, conforme mostra a figura:

Fabricantes de conversores no país e preços Os fabricantes de conversores externos, chamados Set Top Box, e de conversores embutidos em TVs, fazem parte da Eletros (Associação Nacional dos Fabricante de Produtos Eletrônicos). Atualmente as empresas Samsung, Sony, Panasonic, CCE, Gradiente, LG, Semp Toshiba e Positivo fabricam esses componentes. No início, em 2007, o preço final aos consumidores ficava entre R$ 700 e R$ 800, dependendo da marca. Hoje, os equipamentos podem ser encontrados por menos de R$ 500 e a tendência é que o preço reduza ainda mais. TV Digital em Santa Catarina Florianópolis recebeu a TV Digital no dia 5 de fevereiro de 2009. A emissora que inaugurou a TV digital no estado foi a RBS TV, como sabemos, afiliada a Globo. Inicialmente, a estreia da TV Digital na cidade estava marcada para novembro de 2008, entretanto o evento foi adiado devido às fortes chuvas que atingiram o nosso estado. Depois da Capital, em 8 de outubro de 2009 foi a vez de Joinville receber o sistema. Tornou-se a 25ª cidade brasileira a dar início à transmissão do sinal da TV Digital. A emissora a fazer a primeira transmissão também foi a RBS TV local. (Fontes: Ministério das Comunicações e www.teleco.com.br)

O que é TV Digital? A TV aberta (terrestre) transmitida para os televisores existentes em 90% das residências brasileiras utiliza canais analógicos com largura de banda de 6 MHz. Na TV Digital a transmissão do áudio e do vídeo passa a ser feita através de sinais digitais que, codificados, permitem um uso mais eficiente do espectro eletromagnético, devido ao aumento da taxa de transmissão de dados na banda de frequências disponível. É possível, desta forma, transmitir som e imagem de melhor qualidade viabilizando a Televisão de Alta Definição (HDTV). A resolução da imagem na TV analógica, que é de 400 x 400 pixels, poderá ser de até 1920 x 1080 pixels. A TV digital apresenta algumas 38 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

“A TV digital apresenta algumas funcionalidades que permitem uma interatividade entre o telespectador e a emissora”.


abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

39


PULSEIRINHAS

TEEN

Polêmica

COLORIDAS

Poderia ser apenas mais um adereço dentre tantos que o comércio oferece e que a TV, dentro de seus programas infantis, incute na cabeça das crianças. Mas não, definitivamente, as pulseirinhas coloridas que viraram febre nas escolas brasileiras não são um produto comercial qualquer.

O problema não está no preço, mas sim no comportamento. Na realidade elas são um código de comunicação entre os estudantes, que diz qual o grau de “receptividade” que pode ter uma menina em relação a um menino, ou vice-versa. Cada cor significa um grau de intimidade, que vai desde um abraço até ao ato sexual completo. Isso mesmo, pais. (Veja no quadro o que cada cor representa) Em alguns países da Europa, por exemplo, elas podem ser vistas em milhares de jovens e adolescentes em várias escolas primárias. Custam quase nada e podem ser compradas em qualquer esquina, o que facilita a disseminação. Em diversos municípios do Sul do estado, o assunto já foi além do universo escolar: mobilizou também meio político. Alguns vereadores já manifestaram intenção de entrar com projetos de lei proibindo a venda em seus municípios e, evidentemente, a permissão do uso nas escolas. Navegantes, no Norte do Estado, saiu na frente e sancionou uma lei que proíbe o uso nas escolas da rede municipal. Já entre os dirigentes de escolas, a opinião e a posição têm sido bem mais flexíveis e tolerantes. No colégio Dehon, um dos mais tradicionais de Tubarão, se depender da vontade do seu diretor, José Antônio Mattiola, as pulseirinhas não serão proibidas. “Já pensou ficar caçando por aí todos os que usam. Evidente que não fechamos os olhos para isso. Tentamos conscientizar os alunos”, diz. A diretora da Escola de Educação Básica Henrique Lage, de Imbituba, Zenir Souza Coelho diz que não percebeu o uso das pulseirinhas em nenhum dos quase 800 estudantes da escola, no entanto, quando fez reunião com os pais para tratar da questão, percebeu o quanto é grande a preocupação dos mesmos com o assunto. “Já comuniquei que não será permitido o uso dessas pulseiras dentro da escola”, disse a diretora, que não esconde seu temor de que a manifestação de preocupação excessiva com o tema possa surtir um efeito contrário entre os alunos, ou seja, o uso das pulseirinhas como forma de contrariar a ordem. A assistente de direção da EEB Dom Joaquim, de Braço do Norte, Gládis Michels Patel Coan, diz que a direção do colégio optou por conscientizar os alunos. “Explicamos que não íamos proibir o uso no colégio, desde que as pulseiras não fossem usadas com a conotação pejorativa, que sabemos que há. Os alunos compreenderam e não temos nenhum registro de casos”, disse. A coordenadora pedagógica do Colégio Estadual Pro-

“Quem não tem cabeça não precisa de pulseirinha para fazer besteira”. 40 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA


fessor Lapagesse, um dos maiores e mais tradicionais de Criciúma, Maria Helena Bressam Madeira, disse que a instituição chegou a fazer reunião com os pais para tratar do problema, mas que não foi necessário qualquer tipo de sanção. “Conversamos com os alunos para não virem para o colégio com pulseiras e acreditamos que essa febre passou. Durou uma semana, um pouco mais. Hoje nem ouvimos mais falar nisso”, disse. Pedagogos, quase na totalidade não concordam com a proibição por acharem que é um comportamento social fruto de diversos fatores, ainda que condenem esse tipo de modismo. Para eles, o melhor que há a se fazer é recomendar aos pais uma boa e franca conversa com seus filhos, afinal, sexualidade é tema a ser tratado também na família, não só na escola. Foi o que fez Silene Rohling Effting, de Braço do Norte. Mãe de uma adolescente de 16 anos, ela acha esse modismo “uma palhaçada” que não merece crédito. “Como é que alguém pode ficar com outro ou outra ou fazer sexo com outro só porque arrebentou uma pulseirinha do braço dele? Isso só pega em quem não tem cabeça boa. E quem não tem cabeça, não precisa de pulseirinha pra fazer besteira. Estou muito tranquila com minha filha. Tivemos uma conversa muito boa sobre isso. O importante é a confiança, a conversa entre os pais”, defende.

Saiba o significado de cada uma delas:

abril 2010 |

MEUSUL | REVISTA

41


Salão do Turismo

TURISMO EM SANTA CATARINA

TURISMO

O último mês de março foi de intensa movimentação para Santa Catarina na área de turismo. Entre os dias 23 e 27 aconteceu o 1º Salão do Turismo: Roteiros de Santa Catarina, em Florianópolis. “Foi um evento muito importante porque reuniu os trabalhos e as experiências no setor de turismo de todas as microrregiões turísticas do Estado”, lembra Murilo Bittencourt, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Braço do Norte, um dos municípios do Sul do estado que participaram do evento. Laguna, Tubarão, Imbituba foram outros municípios de destaque entre os que compõem o Encantos do Sul. Os municípios que fazem parte da região Caminhos dos Cânions, no Extremo Sul de SC também fizeram uma excelente exposição de seu potencial turístico. Ao todo foram mostradas 10 regiões turísticas, que também serão mostradas no 5º Salão Nacional do Turismo 2010, de 25 a 30 de maio, em São Paulo, quando Santa Catarina lançará o roteiro de Turismo Religioso,

42 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

“Governador Leonel Pavan, ex-secretário de Turismo Gilmar Knaesel e outras autoridades fizeram a abertura oficial do 1º Salão de Turismo de SC”. Caminhos da Fé. Mal o Salão acabou e, no dia 26 de março, o diretor geral da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Guilberto Savedra representou o Estado na 56ª reunião do Fornatur – Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Turismo – em Goiás. O encontro com a presença do ministro do Turismo, Luiz Barretto teve em pauta alguns assuntos administrativos e serviu para Savedra levar para Goiás a experiência catarinense de implantação das instâncias regionais de governança do turismo que, durante o I Salão, recebeu a aprovação com destaque da coordenadora nacional do

programa de Regionalização do MTur, Ana Clévia. No dia 31 de março, a Secretaria de Turismo e a Santur apresentaram o Plano de Marketing Turístico do Estado de Santa Catarina, chamado de Plano Catarina, em Florianópolis. O Plano Catarina tem o objetivo de ampliar e diversificar a promoção de destinos e de novos produtos turísticos do Estado nos mercados nacional e internacional até 2020. A apresentação mostrou os resultados do intenso trabalho elaborado também para a ampliação do desenvolvimento local, geração de empregos e incremento do valor das receitas dos municípios com turismo.


Natação ESPORTE

QUEM DERA SER UM PEIXE... A prática esportiva é indicada para qualquer idade, como forma de manter a boa saúde através das atividades físicas, mas nenhuma traz tantos benefícios como a natação, atividade recreativa indicada para idosos, gestantes e até mesmo aos bebês, pela sua capacidade de condicionar o físico, ao movimentar toda a musculatura do corpo. Mas, além disso, pode se tornar uma profissão como muitas outras.

As primeiras observações sobre o surgimento da natação estão datados de mais de sete mil anos, quando os habitantes utilizavam o nado para chegar a sua presa, fosse em lagoas, rios ou mares. Na Grécia antiga os benefícios a saúde da natação já eram conhecidos. O primeiro livro tratando da prática foi escrito por um professor alemão, em 1538. Praticamente três séculos depois ela passou a ser competitiva e outros tantos anos foram necessários para ela receber regras. Na época os competidores poderiam ser chamados de aventureiro, pois as provas eram disputadas no mar. Eles eram levados a 1,2 quilômetros, mar à dentro. Vencia quem chegasse primeiro à praia. As mudanças mais expressivas no desenvolvimento inicial do esporte foram feitas por volta de 1870, com o aperfeiçoamento dos movimentos. O auge do esporte veio em 1896, durante a primeira edição dos Jogos Olímpicos modernos. O húngaro Alfréd Hajós entrou para a história ao ser o primeiro a conquistar uma medalha de ouro nos 100 m livres. Os dois séculos seguintes, uma série de evoluções foram registradas,

44 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

tanto no treinamento, como nas roupas utilizada pelos nadadores, nas piscinas e na diversificação de categorias em competições. Hoje a natação olímpica está dividida em sete modalidades e 16 categorias. Entre as modalidades estão, natação pura, pólo aquático, saltos para a água, águas abertas, nado sincronizado, máster e mergulho aquático. Há ainda cinco estilos de competidores, nado costa, craw, borboleta e peito. As provas podem ser disputadas individualmente ou de revezamento. Especificamente nas competições com tomada de tempo, as provas são disputadas em piscinas de 25, 50 e 100 metros, mas as provas podem se estender até 1,5 mil metros. O Brasil passou a figurar no esporte em 1908, com o vitorioso Abrahão Saliture. Depois dele Maria Lenk, João Havelange e Willy Otto Jordan, foram os nomes do esporte até os anos 80, com a ascensão de Ricardo Prado, o único brasileiro, até hoje, a vencer um campeonato mundial em piscina longa, com direito ao recorde mundial dos 400m medley. Com ele o esporte se difundiu mais rapidamente e passou em menos de oito anos de 3 mil,

“Hoje a natação está dividida em sete modalidades olímpicas e 16 categorias”.

para 65 mil nadadores cadastrados na Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos. Com este avanço, o país passou a figurar na elite do esporte. Nos anos 90, nomes como o de Gustavo Borges e Fernando Scherer entraram para a história da modalidade. Agora a sensação é Cesar Cielo que aos 23 anos virou ídolo brasileiro e recordista mundial nos 50 e 100 metros livres e que leva uma legião de novos atletas às piscinas, com o objetivo de competir. Na região da Amurel o destaque é a Associação Tubaronense de Natação que estreou em competições no último ano, com 23 atletas. Ao visitar o blog -http://atn-tubarao.blogspot.com – são encontradas as informações sobre o desempenho dos nadadores e dicas voltadas a prática da natação.


SOCIAL

por Wando Ceolim

CORRUPÇÃO

MEGA SENA ESPECIAL

Certamente, a corrupção é um dos grandes males que afetam a sociedade brasileira, especialmente a administração pública. Nossa história mostra que as práticas ilícitas do desvio de recursos, do favorecimento de amigos e parentes e da troca de favores têm nos condenado a um estado de subdesenvolvimento crônico. Tão grave quanto a própria corrupção é a naturalização dos comportamentos antiéticos que são traduzidos em ditos populares como “rouba, mas faz”. O bom uso da máquina pública não deve ser vista como uma cortesia, mas como uma obrigação do governante eleito. Viver em sociedade significa pensar no coletivo acima de seus próprios interesses. Se o cidadão paga imposto e aceita a legislação vigente em nome do bem-estar social, é imprescindível que o administrador público também o faça. O descrédito das instituições, a indiferença dos cidadãos pela política e o desinteresse pelas eleições revelam o deterioramento do convívio social. Enfrentando a corrupção, criamos meios para acabar com a carência crônica de verbas que afeta milhares de municípios brasileiros. Além disso, a administração ética dos recursos públicos melhora a qualidade dos serviços básicos oferecidos à população, equilibra a circulação de recursos e possibilita a geração de novos empregos. A Associação dos Amigos Associados de Ribeirão Bonito, cidade do Estado de São Paulo, produziu a Cartilha “O Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil”, uma obra que nos mostra como dar um ponto de partida para combatermos a corrupção em nossas cidades. A publicação é resultado da parceria da Amarribo com o Instituto Ethos e Transparência Brasil cuja publicação foi apoiada por diversas empresas. A cartilha pode ser reproduzida na íntegra - sem modificações - e sua distribuição não é limitada. Também pode ser “baixada” através de um link disponível em http://www.amarribo. org.br. Vale a pena conferir.

Segundo o site www.terra.com.br a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei do Senado que autoriza a Caixa Econômica Federal a realizar um concurso especial da Mega-Sena para destinar parte do dinheiro às vítimas das enchentes de 2008 em Santa Catarina. No proposta, o senador Raimundo Colombo (DEM-SC) pede distribuição de: - prêmio bruto: 44,02% da arrecadação; - remuneração dos lotéricos: 8,61%; - governo Santa Catarina: 47,37%. Segundo o relator do projeto, o deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC), as enchentes deixaram quase 23 mil desabrigados, mais de 31 mil desalojados, 85 mortos e 30 desaparecidos, além de oito municípios isolados e mais de 1,5 milhões de pessoas afetadas. “Diante da gravidade da situação, das dificuldades que ainda estão sendo enfrentadas pelo Estado para a reconstrução dos municípios atingidos e para a relocação da população que perdeu suas casas, projeto merece ser aprovado”, afirmou. O projeto não precisou de aprovação no Plenário, já que não houve opiniões divergentes pelas comissões designadas para analisá-lo, nem recurso contra por parte dos deputados que assinam o projeto. DIÁRIAS DE PREFEITO O projeto mais polêmico de 2010 na Câmara de Vereadores de Braço do Norte, foi aprovado em segundo turno por 5 votos a favor e 3 votos contra. O aumento de 100% no valor das diárias do prefeito foi assunto de muitas rodas de conversa na cidade, a partir de agora, uma diária com pernoite em Brasília custa R$ 1 mil (até então era R$ 500,00) - 20% a menos do valor destinado ao governador, de R$ 1,2 mil. Os preços caem conforme reduz a distância: fora de Santa Catarina, é R$ 700,00; em outros municípios catarinenses, R$ 400,00; na Amurel, R$ 200,00. O atual prefeito Vanio Uliano (PP) alega que o aumento é necessário porque nos últimos anos não houve reajuste nas diárias. A maior indagação da população é sobre o valor das diárias comparando com as de outros municípios da região, segundo informações o valor de R$ 1 mil é o dobro ou mais das diárias de outros prefeitos da região.

Garotão Vitor Ceolin que completa 11 anos no próximo dia 14 de abril, juntamente com a Garota Verão de Santo Antonio da Patrulha-RS. Parabéns a Thaise Philippi, que se formou no último mês em economia, pela UNESC 46 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

OBESIDADE A obesidade é o maior problema de saúde pública da atualidade. Considerada uma doença de alto riso, crônica e reincidente é, sem dúvida, preocupante e merece a devida atenção. Pensando nos milhões de brasileiros que já sofrem com o excesso de peso e nas proporções em que a doença vem se desencadeando, a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica – ABESO, e o Programa Minha Escolha, desenvolveram a Campanha Nacional de Combate à Obesidade, também com o apoio do laboratório farmacêutico Germed Pharma. Focada na conscientização, a campanha tem como objetivo ressaltar os riscos da doença, promover um estilo de vida mais saudável e enfatizar a importância do acompanhamento médico e nutricional especializado, essencial em todas as etapas, desde a profilaxia até o tratamento. Maiores informações no site www.combataobesidade.org.br. O clube Cruzeiro de Braço do Norte juntamente com a empresa Água da Serra apresentam Pink Floyd by Immigrant no dia 17 de abril. DJ Regis com hits dos anos 80 e banda Aromáticos também abrilhantam o evento.


por Hangar Eventos FESTAS

Março foi agitado na Hangar A temporada 2010 na Hangar Eventos começou com muitas festas, para todos os gostos. A abertura da casa aconteceu no dia 12 de março, sexta-feira, com show nacional com Vácuo Live. Já no dia 13 foi a vez da primeira Dasantigas. Com um repertório que fez a cabeça de muita gente, a festa atraiu um público que curte melodias que tiveram seu auge nos anos 50, 60, 70 e 80 e que marcaram décadas. Por fim, o dia 19 marcou as boas-vindas aos novos alunos, com a realização do tradicional Baile dos Calouros. Além da animação dos acadêmicos, a noite teve como atração principal o show nacional com Natiruts, que agitou o público com muito reggae. Todos os eventos tiveram grande presença de público. Confira alguns clicks. E vem muito mais por aí...

2010 promete ser um ano repleto de eventos de qualidade para Tubarão e região. Fique por dentro da programação da casa acessando o site: www. hangareventos.com.br

48 |

MEUSUL | abril 2010 REVISTA

Dia 25, a Hangar realiza a Balada Teen Yázigi, com público selecionado, horário e dias diferenciados. A festa é proibida para maiores de 18 anos e o público vai agitar ao som dos DJs Bruno, Murad e Léo Bandeira. Além disso, será sorteada entre os presentes uma viagem para Orlando, Estados Unidos, a terra da Disney. Uma proposta diferente, que tem tudo para ser um sucesso. A partir das 14 horas. Dia 30, tem mais uma Festa Dasantigas, com o Dj Jacko e sua discotecagem de qualidade dos anos 50, 60, 70 e 80. Como em todas as outras edições, esta também promete ser um sucesso, atraindo um público selecionado, muitas vezes não atendido pelas opções de festas realizadas na região. Já no dia 8 de maio, a Hangar realiza a Future Sound of Brazil, uma festa eletrônica com Dj’s brasileiros conceituados atualmente: Mario Fischetti, Paulinho Boghosian e Bruno Be. Será uma noite perfeita para os amantes da house music.



Obesidade Feliz