Issuu on Google+

w w w. m e t r o p o l e j o r n a l . c o m . b r

Quarta-feira

Ano 13 | Nº 3189 | 28 de novembro de 2012

Presidente: Ary Leonel da Cruz

Diário de Circulação Nacional

Pinhais realiza campanha preventiva contra a AIDS Foto ANPr

Delegação da FIFA vistoria obras para Copa em Curitiba

» A Prefeitura de Pinhais, por meio do Centro de Testagem e Aconselhamento - CTA e das Unidades de Saúde da Família realizam entre os dias 22 de novembro a 1º de dezembro a Campanha Fique Sabendo. A mobilização integra as ações

do Dia Mundial de Luta contra a AIDS. A Campanha visa sensibilizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce, da realização do exame, além de diminuir o preconceito em relação ao vírus HIV. Página 9

Richa interioriza governo para apoiar prefeitos eleitos » O governo estadual estará mobilizado a partir desta quarta-feira (28) para apoiar prefeitos e prefeitas eleitas de todo o Paraná no planejamento dos primeiros dias de administração e na identificação de programas do Estado que podem ser

O secretário-geral da Fifa Jérôme Valcke e o secretário especial da Copa Mario Celso Cunha na Arena da Baixada

» O governador Beto Richa recepcionou a delegação da FIFA liderada pelo secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, e pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que esteve em Curitiba nesta terça-feira (27) para vistoriar as obras para a Copa 2014 que estão

em execução na cidade. No encontro, Richa destacou a boa parceria com o município na execução das obras de mobilidade urbana e a solução encontrada para viabilizar as adequações da Arena da Baixada. Página 3

Seminário mostra educação integral e contraturno escolar do o Programa Mais Educação fizeram diversas apresentações musicais e teatrais durante o seminário, realizado neste sábado (24) na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, campus São José dos Pinhais.

Governadores do Sul querem royalties do petróleo Foto ANPr

» Os frutos do trabalho educativo realizado com os alunos em contraturno escolar e nas escolas de tempo integral foram apresentados e discutidos no "II Seminário de Educação Integral de São José dos Pinhais". Alunos de escolas onde é aplica-

implementados nos municípios. O Encontro de Prefeitos Eleitos, que vai até sexta-feira em Foz do Iguaçu, contará com a presença do governador Beto Richa, de secretários estaduais e dirigentes de empresas públicas do Paraná. Página 7

Página 4

2ª Conferência Municipal de Habitação de Interesse Social "Regularização Fundiária: uma ação de cidadania". A conferência teve como objetivo analisar, definir e deliberar as diretrizes da Política Municipal de Habitação de Interesse Social. Página 4

Governador Beto Richa preside no Palácio Iguaçu a reunião do Conselho de Desenvolvimento do Sul (Codesul)

» Os governadores do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul enviarão mensagem à presidente Dilma Rousseff pedindo que ela sancione o Projeto de Lei 2.565/2011, que estabelece novas regras de distribuição dos royalties do petróleo. O

argumento é de que se trata de uma riqueza nacional. O assunto foi tratado nesta terça-feira (27), em Curitiba, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento e Integração do Sul (Codesul). Página 3

Foto Paulo Roberto dos Santos/Aginarc

» Com a meta de assegurar o acesso de todos os sãojoseenses à moradia digna, a Prefeitura de São José dos Pinhais realizou neste final de semana a 2ª Conferência Municipal de Habitação de Interesse Social, sob o tema

Ginástica rítmica são-joseense conquista título » A ginástica rítmica de São José dos Pinhais encerra o ano com chave de ouro. Após uma das mais brilhantes apresentações nos Jogos da Juventude do Paraná 2012, realizados no Ginásio de Esporte Max Rosenmann, no bairro Afonso Pena, na semana passada, 20 ginastas viajaram para Cascavel (Oeste do Paraná) no último final de semana e conquistaram mais um título inédito para o município, onde a equipe infantil sagrou-se campeã da modalidade ao se classificar em primeiro lugar.

Grupo são-joseense de ginástica rítmica conquista título inédito da modalidade em Cascavel/PR

Página 14


2

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Editorial

Uma estratégia errônea Desde o governo anterior há uma estratégia que preconiza o desparceiramento econômico com economias tradicionais, como a dos Estados Unidos, em favor de uma idéia de fortalecimento da economia regional na América Latina pela via de prioridades com novos mercados emergentes, em particular a China. Hoje, mesmo diante de uma crise de grande porte que afeta as grandes economias tradicionais, inclusive a americana, observa-se que a visão ideológica que orientou (e ainda orienta) a política exterior do país é distorcida, imprudente e ineficiente. Relatório divulgado pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) indica que a economia brasileira fechará o ano com um crescimento de, no máximo, 1,5%. É o menor percentual entre os países que compõem o bloco Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). A maior previsão de crescimento é a da China, 7,5%. Depois vêm a Índia (4,4%), a Rússia (3,4%) e a África do Sul (2,6%). Pelas projeções para o próximo ano e 2104, a China e a Índia continuarão na liderança, registrando crescimento superior a 6,5%. O Brasil, segundo as estimativas, deverá crescer 4% no ano que vem e 4,1% em 2014. As economias da Rússia e da África do Sul terão expansão de 3% a 4%. Detalhes sobre o estudo podem ser obtidos na página da OCDE. No capítulo sobre o Brasil, a organização informa que a economia registra melhorias, mas abaixo da tendência geral de crescimento. Segundo o relatório, há indicadores de confiança e projeções de queda no desemprego. O estudo diz ainda que a inflação diminuiu e se estabilizou. Mas alerta sobre a necessidade de mais investimentos nas exportações. Em relação à economia global, o relatório diz que a projeção é "uma recuperação hesitante e desigual", nos próximos dois anos. A OCDE recomenda que as autoridades assumam uma "política decisiva" para combater os efeitos da crise econômica internacional e evitar riscos de recessão. "A economia mundial está longe de estar fora de perigo", disse o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría. "Os governos devem agir decisivamente, usando todas as ferramentas à disposição para retomar a confiança e impulsionar o crescimento e a geração de emprego, nos Estados Unidos, na Europa e em outros lugares", acrescentou ele. O documento alerta sobre a fragilidade da economia norte-americana, enfraquecida pela recessão e sob efeito da crise global. Também informa que a geração de emprego no mundo está em baixa, registrando cerca de 50 milhões de pessoas desempregadas nos países pesquisados pela OCDE. A orientação da entidade é para que as autoridades estimulem a abertura de vagas de trabalho. Para os pesquisadores, a tendência é que a crise na zona do euro (17 países que adotam a moeda única) deve permanecer apesar das medidas de austeridade adotadas por vários governos da região. Observa-se que aos costumes históricos, as economias latino-americanas se mantém quase nada competitivas nos mercados abertos da globalização. E o Brasil, mesmo com um crescimento muito abaixo da sua potencialidade é a salvação da lavoura regional.

Política & Poder FINANÇAS DA CAPITAL Gustavo Fruet (PDT), prefeito eleito de Curitiba, recebeu um primeiro relatório de sua equipe de transição, que trabalha em conjunto com equipe do atual prefeito Luciano Ducci (PSB), mas não se deu por satisfeito e quer mais informações sobre as contas da administração municipal. Desde o 2º turno das eleições, a equipe de transição já fez ao menos cinco grandes reuniões com a equipe indicada por Ducci e o relatório entregue a Fruet é resultado desses encontros. "Mas detectamos a necessidade de pedir informações complementares relativas a restos a pagar, capacidade de endividamento, financiamentos em andamento e contratos que estão vencendo", explicou o prefeito eleito. Ele não quis detalhar que tipo de dúvidas tem quanto a situação financeira da prefeitura. "Nós pedimos informações complementares, temos um tempo para fazer essa avaliação. Eu estou tomando muito cuidado para evitar especulação", justificou. Fruet elogia a boa disposição de Ducci nessa fase. "Essa transição até agora tem sido de muito diálogo. Então eu acho importante ter acesso ao máximo de informação, com relação a alguns dados até dezembro. E a partir da posse nós teremos um período para daí sim, ter um diagnóstico mais seguro". Segundo o futuro prefeito, ele precisa de mais informação, "até para fazer juízo, para ter segurança quando for fazer alguma afirmação". Fruet informou que irá instituir, depois da posse em 1º de janeiro, um grupo especial somente para tratar da questão do metrô de Curitiba. A CONFERIR 1 Sobre o prefeito eleito ainda, Fruet deve começar a anunciar os primeiros nomes de sua equipe, primeiro e segundo escalão, na primeira semana de dezembro. Ele tem analisado nomes e antecipa que pretende compor um secretariado essencialmente técnico. O pedetista lembra que foi liberado pelos partidos que o apoiaram no primeiro turno para escolher os integrantes de primeiro escalão de acordo com sua preferência, sem interferências. A CONFERIR 2 Dirigentes do PDT, PT e PV, os três partidos da coligação vitoriosa na eleição de Curitiba, reforçam o discurso de que mais importante é garantir que a administração de Fruet seja bem sucedida, para depois sim pensar em questões eleitorais futuras. A observação se deve às ilações inevitáveis entre as três legendas com vistas as eleições de 2014. O prefeito eleito tem evitado também falar de política, se dedica a manter reuniões técnicas com vários setores curitibanos. DE NOVO, NÃO Álvaro Dias, líder do PSDB no Senado, está indignado com um vídeo exibido e compartilhado na internet que insinua estar ele recebendo aposentadoria especial de ex-governador do Paraná. O senador afirma que é uma tentativa de enganar seus eleitores e garante que é o "único" ex-governador a não colocar no bolso, "em mais de

Correspondência para roselivalerio@gmail.com 20 anos de direito liquido e certo, um centavo sequer desses proventos". CONTROVÉRSIA O senador está de fato dizendo a verdade. Sua "renúncia" a aposentadoria como ex-governador ficou desconhecida durante 20 anos até que, cerca de dois anos atrás, atendeu a "apelos" de entidades assistenciais e a requereu para repassar a elas os valores que legalmente lhe pertenciam. Na época criou-se uma imbróglio, porque foi questionado se efetivamente Álvaro estaria repassando os valores. REQUENTADO Álvaro diz que não foi bem compreendido e seus adversários passaram a explorar negativamente o fato, por isso recuou, desistindo da aposentadoria. "Continuo renunciando a esses valores, ao contrário dos demais, que deles não abriram mão. A especulação agora revivida é descabida, injusta e sobretudo, desonesta", dispara o tucano. A origem do vídeo tanto pode ser nacional como paranaense. Lá e cá o tucano tem desafetos. No Paraná, dentro do próprio PSDB. NA FALTA DE... Para o senador, o vídeo com a sugestão de que ele recebe a aposentadoria, é "uma tentativa de transformar atitude ética e de respeito em postura negativa, usando a mentira como arma de desgaste". Álvaro desabafa: "Não sabem o que fazem. Nada encontram de real e verdadeiro para o ataque e tornam-se repetitivos na calúnia. Mais do que a mim, agridem aos que tentam enganar". PROVA DOS NOVE Venceu ontem o prazo para que os 100 candidatos que concorreram a prefeito no segundo turno da eleição de 2012 entreguem as prestações de contas finais de campanha. Pela lei, alerta o TSE, o candidato que não apresentar as contas eleitorais não poderá obter a certidão de quitação eleitoral e, em consequência, ficará impedido de obter o registro de candidatura para a próxima eleição por não estar quite com a Justiça Eleitoral. PARA TODOS Além das contas de candidatos e comitês financeiros, a Justiça Eleitoral deu prazo também até ontem para a entrega das prestações de contas dos diretórios dos partidos (municipais, estaduais e nacionais), referentes ao segundo turno das eleições municipais. Candidatos que participaram só do primeiro turno entregaram as contas até dia 6 passado. MESMA TECLA Disposto a presidir o diretório do PMDB paranaense, contra tudo e contra todos, o senador Roberto Requião mantém a cruzada e o discurso, dia sim, dia também. "A adesão da bancada dos deputados estaduais ao governo de Beto Richa [PSDB] faz com que o partido perca sua identidade. E quando um partido perde a sua identidade, perde também credibilidade", reitera o senador aos correligionários. OS “PEDIDOS” Requião cita sua trajetória em termos de apelos ao partido. "Eu pedi apoio do PMDB para ser deputado estadual, consegui o apoio e me elegi. Pedi apoio para ser prefeito de Curitiba e o resultado foi positivo. Por três vezes pedi o apoio do partido e da população para ser o governador do Paraná. Por duas vezes pedi apoio para ser senador e o resultado foi também excepcional",

relembra. “HUMILDADE” Vai daí o senador alegar que agora se dirige novamente "aos companheiros" pedindo apoio para disputar a presidência do diretório regional. Quem o conhece sabe que ele não é o tipo de pessoa que pede, em geral manda mesmo. Mas, nesses casos todos, dependia de voto dos convencionais, como depende também na eleição do diretório estadual dia 15 de dezembro, o que justifica a "humildade" de Requião. OUTRA VEZ Mais uma semana e nova expectativa de que a Câmara dos Deputados aprecie o polêmico Marco Civil da Internet. A matéria tramita em regime de urgência e é um dos primeiros itens da pauta de votação, mas já sofreu vários adiamentos em função da resistência de parcela dos parlamentares ao texto do projeto. SOB PRESSÃO O mais importante: o relator, deputado Alessandro Molon (PTRJ), defende a mobilização da sociedade para pressionar os deputados a votarem pela neutralidade da rede. Segundo ele, o ponto com mais polêmica é o que trata da questão da neutralidade da rede, que determina que os provedores devem tratar da mesma forma todos os pacotes de dados, sem distinção por conteúdo, serviço, origem ou aplicativo. CERTO ELE Molon afirma que a sociedade deve pressionar os deputados e os partidos que têm se posicionado para impedir a votação do Marco Civil, pois eles "se alinham aos interesses das empresas provedoras de internet e, ao mesmo tempo, contrariam os interesses de toda a população", acusa. A POLÊMICA A proposta do relator proíbe que os provedores operem com velocidade variável para cada site. O objetivo é evitar que as empresas de internet passem a cobrar tarifas adicionais dos geradores de conteúdo para garantir a velocidade na transmissão dos dados. EM RISCO Há resistências, principalmente por parte do PMDB e do PSD. Os críticos da neutralidade da rede dizem que ela viola as regras de mercado e prejudica a livre concorrência. E se o Marco Civil da Internet não for aprovado neste ano, será ainda mais difícil aproválo em 2013, quando o PMDB assumirá a presidência da Câmara. Quem define a pauta de votações do plenário é o presidente da Casa. JOGO ABERTO Para o relator da matéria, o brasileiro tem o direito de saber de que lado está cada partido, como cada um votou, se a favor dos provedores ou do usuário. Faltou coragem aos líderes de mostrar de que lado estão. Faltou coragem à Câmara", afirmou ao final de mais uma tentativa, na semana passada, de votar o texto pelo plenário da Casa. Ele defende "uma internet neutra, a privacidade do usuário e a liberdade de expressão de todos os internautas brasileiros".

Diário Oficial traz exoneração da filha da ex-chefe de gabinete da Presidência em SP Brasília - O Diário Oficial da União de ontem (27) publicou a exoneração de Mirelle Nóvoa de Noronha, assessora técnica da Diretoria de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e filha da ex-chefe de gabinete do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha. O desligamento ocorreu a pedido de Mirelle. Rosemary foi exonerada do cargo pela Casa Civil depois da Operação Porto Seguro da Polícia Federal, que prendeu suspeitos e investiga um esquema de favorecimento de interesses privados em processos públicos. A PF encontrou irregularidades na Agência Nacional de Águas (ANA), na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), na Advocacia-Geral da União (AGU), na Secretaria do Patrimônio da União (SPU), no Tribunal de Contas da União (TCU) e no Ministério da Educação (MEC), além da própria Anac. A demissão de Rosemary foi publicada no Diário Oficial da União de anteontem (26). Outro investigado é José Weber Holanda Alves, que já tinha sido afastado do cargo de adjunto do advogado-geral da União. Ele teve mais uma exoneração publicada no Diário Oficial desta terçafeira, a do Conselho Deliberativo da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo. O Diário Oficial de ontem também traz a exoneração de Glauco Alves Cardoso Moreira, procurador-geral da Antaq, e a abertura de sindicância administrativa na Secretaria do Patrimônio da União, com prazo de 30 dias. A Presidência da República determinou que todos os órgãos envolvidos abram processos desse tipo. Ontem, a secretaria exonerou a assessora Evangelina de Almeida Pinho, que também é investigada pela PF. A Advocacia-Geral da União (AGU) informou que vai fazer uma fiscalização nas atividades consultivas prestadas às agências reguladoras denunciadas na Operação Porto Seguro, da Polícia Federal Agência Nacional de Águas (ANA), Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). A Corregedoria da AGU irá priorizar a análise de documentos ligados a servidores presos ou intimados pela Justiça. O órgão também criou um grupo de trabalho para reformular procedimentos relativos às demandas externas à AGU e suspendeu parecer emitido em nome da União que autorizaria o ex-senador Gilberto Miranda (PMDB-AM) a não desocupar a Ilha de Cabras, localizada no litoral de São Paulo. Há suspeita de que o documento tenha sido emitido por meio de suborno. Exonerado, o ex-advogado da União adjunto José Weber de Holanda também foi afastado das funções no Conselho Deliberativo do Fundo da Previdência Complementar do Funcionalismo (Funpresp), do comitê gestor do novo Pacto Republicano para melhoria da Justiça e da banca examinadora do concurso da AGU.

Bancada petista acusa governo de maquiar recursos para saúde e gastar com supérfluos Roseli Valério, de Curitiba

Mais uma vez a bancada petista provocou um embate no plenário da Assembléia Legislativa com a liderança do governo tucano de Beto Richa. Ontem foi por causa da denúncia de que o governo estadual estaria usando um artifício contábil que retirará da área da saúde pública R$ 450 milhões em 2013. Os deputados do PT protestaram contra o fato de o governo deduzir da base de cálculo das receitas da saúde, os recursos do Fundeb, no total de R$ 3,7 bilhões, "o que redunda na sangria substancial de recursos para a saúde", acusou o líder da oposição, o petista Tadeu Veneri. A Constituição Federal estabelece que os Estados devem destinar 12% de seus orçamentos para a saúde. Tradicionalmente, o Paraná incluía no Orçamento, item saúde, gastos com saneamento, hospital militar, SAS, pensões aos portadores de hanseníase, leite das crianças, Funsaúde e proteção à saúde do adolescente, o que fazia com que ilusoriamente se cumprisse os 12%, mas, na realidade, a área perdia recursos. Essa prática foi questionada pelo deputado Veneri e a oposição da época nos oito anos de governo Roberto Requião (PMDB). Em relação ao Orçamento do Estado para 2013, com a dedução dos recursos do Fundeb, acontece o mesmo. Na prática, dizem os deputados do PT, o Orçamento que

está sendo aprovado não destina, de fato, 12% para a saúde. Ao contrário, implica na perda de R$ 450 milhões para a área da saúde. Eles citam recomendação do Tribunal de Contas do Estado de que “o governo se abstenha de excluir da base de cálculo da receita de impostos os repasses do Fundeb, seja por inexistir base legal para tais exclusões, seja porque o critério da Constituição, em se tratando de direitos fundamentais, é o ampliativo e não o coercitivo”. A cobrança sobre os recursos para a saúde feita pelo líder da oposição, foi rebatida pelo líder do governo na Assembléia, deputado Ademar Traiano (PSDB). Ele negou a existência dessa redução e garantiu que os recursos para saúde terão aumento de R$ 330 milhões em 2013. O tucano disse ainda que a norma constitucional de dedicar 12% do Orçamento Geral ao setor vem sendo cumprida pela primeira vez sem qualquer tipo de maquiagem, como a inclusão de saneamento como se fosse saúde, prática adotada no governo anterior. Traiano fez as declarações sem contudo desmontar com fatos o argumento da oposição. O vice-lider do governo e relator do Orçamento de 2013 na Assembléia, deputado Elio Rusch (DEM), seguiu a mesma linha. Afirmou que Veneri estava equivocado e que houve um aumento no orçamento de saude de 2012 para 2013. Comparativo Outra polêmica levantada ontem pelos deputados do PT partiu

de levantamento de gastos do governo Richa, efetuado pela assessoria técnica da bancada, em que conclui-se que nos dois anos da atual gestão, as despesas são maiores com terceirização e jetons, retirando recursos do orçamento do Estado do Programa Saúde da Família e as verbas do bolsa auxílio dos professores. Os petistas acusaram que, além de gastar em serviços supérfluos, o governo Beto Richa está perdendo a capacidade de investimento e também inchando a máquina, aumentando o gasto com pessoal. Insistiram que a gestão tucana ampliou os gastos em publicidade, voos de aeronaves, serviços de consultorias, auxílio alimentação, entre outros "supérfluos", reduzindo gastos em programas de saúde e educação. De acordo com o levantamento, na comparação dos investimentos e gastos públicos dos primeiros dez meses dos anos de 2007 a 2012, apura-se que teria ocorrido queda na capacidade de investimento do governo, caindo de 4,49% na gestão do governo Requião para os atuais 3,19%. Ao mesmo tempo, houve um inchaço da máquina, com aumento na folha de pagamento. A bancada do PT divulgou os números completos do levantamento, com detalhamento do custeio. Enquanto nos últimos 4 anos do governo Requião a média dos gastos com pessoal ficou em 47,97% da despesa total, nos dois primeiros anos do governo Richa esta

média saltou para 51,36%. Entretanto cabe destacar, dizem os petistas em nota, que no primeiro ano os gastos com pessoal chegaram a 52,29% do total da despesa, enquanto no segundo ano a despesa com “pessoal e encargos sociais” caiu para 50,43% da despesa total, o que aponta para um realinhamento desses gastos em relação ao determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Sobre os investimentos, se observa um pequeno retrocesso no governo Richa, mas o desempenho está melhorando. Enquanto a média dos investimentos no governo Requião foi de 4,49% da despesa total, no governo Richa esta média está em 3,19. Destaque-se que no primeiro ano de governo esses investimentos representaram apenas 2,25% da despesa total, o segundo foi o responsável pela recuperação, e já se aproximou dos investimentos realizados no governo Requião, 4,13%. "O governo Richa não apresenta grandes diferenças daquilo observado no governo Requião. Entretanto, ao se fazer um estudo mais aprofundado a respeito das prioridades de cada governo pode-se perceber algumas diferenças", ressalta o estudo petista. Em relação ao custeio, observa-se que a média de gastos com “outras despesas correntes” na segunda gestão de Requião foi de 40,22% da despesa total. No governo Richa essa mesma rubrica representou em média, 39,57% do total da despesa.


| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

3

Richa recepciona delegação da FIFA que vistoriou obras em Curitiba O governador Beto Richa recepcionou a delegação da FIFA, liderada pelo secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, e pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que esteve em Curitiba nesta terça-feira (27) para vistoriar as obras para a Copa 2014 que estão em execução na cidade. No encontro, Richa afirmou que o Paraná não mediu esforços para trazer o mundial de futebol para Curitiba e que a capital paranaense será uma das melhores sedes do torneio. Ele destacou a boa parceria com o município na execução das obras de mobilidade urbana e a solução encontrada para viabilizar as adequações da Arena da Baixada. Richa afirmou que o governo estadual participa de vários projetos que vão contribuir para melhorar o sistema viário da Região Metropolitana de Curitiba. "Nosso interesse e disposição é trabalhar em conjunto com todos os envolvidos na organização da Copa para entregarmos todas as obras dentro do cronograma estabelecido. Haverá um legado de melhoria na infraestrutura urbana", afir-

mou o governador. O encontro foi acompanhado pelo prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, e pelos ex-jogadores Ronaldo e Bebeto, além dos secretários da Copa do Estado, Mário Celso Cunha, e do município, Luiz de Carvalho, e membros do Comitê Organizador Local (COL) do mundial. O presidente do Clube Atlético Paranaense, Mario Celso Petraglia, foi o anfitrião da visita ao estádio. O clube fez uma apresentação dos estágios do projeto de adequação da Arena. De acordo com ele, 69% das obras estão concluídas. PRAZOS Valcke afirmou que as obras da sede paranaense da Copa, incluindo o estádio, estão dentro dos prazos previstos. "Tivemos uma excelente reunião com o governador e o prefeito. Tudo está bem encaminhado e dentro dos requisitos da FIFA. Curitiba está em verde no nosso acompanhamento", destacou ele, elogiando o projeto da Arena da Baixada. Para o ministro Aldo Rebelo, Curitiba já está dotada

de todas as condições para receber a Copa 2014. Para ele as novas obras vão contribuir para deixar a cidade ainda melhor. "A preparação não tem segredo e nem mistério. Tudo acontece se houver um trabalho coordenado", afirmou. Os ex-jogadores Ronaldo e Bebeto, que fazem parte do Comitê Organizador Local (COL), também elogiaram o que viram em Curitiba. "Estamos encantados com tudo que estamos vendo e confiantes de que tudo dará certo", disse Ronaldo. PROJETOS O secretário estadual para Assuntos da Copa 2014, Mário Celso Cunha, fez um relato dos preparativos para o mundial. Ele ressaltou as ações nas áreas de saúde, segurança pública, turismo e capacitação de trabalhadores. Cunha afirmou que Curitiba está entre as cidades brasileiras mais visitadas por estrangeiros e que os atrativos da capital serão apresentados em um evento em Londres em março de 2013. "Estaremos entre as melhores sedes da Copa", assegurou.

Governadores querem sanção da lei dos royalties do petróleo

DÍVIDAS Os membros do Codesul também debateram as dificuldades com o pagamento das dívidas estaduais com o governo federal.

Foto ANPr

Os governadores do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul enviarão mensagem à presidente Dilma Roussef pedindo que ela sancione o Projeto de Lei 2.565/ 2011, que estabelece novas regras de distribuição dos royalties do petróleo. O argumento é de que se trata de uma riqueza nacional. A redistribuição do pagamento dos royalties entre os estados foi um dos assuntos tratados nesta terça-feira (27), em Curitiba, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento e Integração do Sul (Codesul), sob a presidência do governador Beto Richa. Segundo ele, 24 estados brasileiros já se manifestaram favoráveis à legislação aprovada no Congresso Nacional. Richa destacou que o governo federal deve considerar a redistribuição dos royalties como uma forma de compensar todos os estados pelas perdas de arrecadação e pelas responsabilidades que estão sendo transferidas às administrações regionais pela União. Ele também considera fundamental que os municípios recebam parte dos recursos. "Temos que defender o interesse de nossa população", declarou. O governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, entregou um estudo realizado pelo senador Wellington Dias, que detalha o impacto da nova distribuição dos royalties do petróleo. O trabalho demonstra que não haverá impactos relevantes na arrecadação de nenhum dos estados brasileiros. "Nós temos que definir nosso horizonte futuro que não se apresenta promissor", afirmou. O secretário do Planejamento do Rio Grande do Sul, João Motta, que representou o governador Tarso Genro, disse que os governantes, mesmo sendo da base da presidente Dilma Roussef, não podem se omitir. "Poderemos ter um quadro ainda mais difícil para gerir nossos estados. É preciso pressionar o governo federal para que ele sinalize uma janela de compensação", destacou.

Governador Beto Richa recebe no Palácio Iguaçu o governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, vice-governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, e o secretário do Planejamento do Rio Grande do Sul, João Motta, que representou o governador Tarso Genro

Segundo Richa, a dívida do Paraná não baixa por conta dos altos juros cobrados pela União. "A União não pode continuar tirando a nossa condição de investir em obras para a melhoria da qualidade de vida da população", reforçou. O secretário da Fazenda do Paraná, Luiz Carlos Hauly, detalhou o posicionamento do Codesul contrário às medidas que prejudicam a arrecadação estadual. Ele explicou que o Paraná deve perder R$ 750 milhões em receitas, somados os anos de 2012 e 2013, devido às mudanças determinadas pelo governo federal nas tarifas do setor energético. FERROVIA Os governos do Codesul também defendem a revisão do tra-

çado da Ferrovia Norte-Sul, anunciada pelo governo federal dentro do Programa de Investimento em Logística (PIL) em agosto passado. Os representantes dos quatro estados assinaram um ofício que será enviado ao Ministério dos Transportes, pedindo a inclusão de um ramal até o Mato Grosso do Sul no projeto. A sugestão é que a estrada de ferro passe ainda pelos principais polos produtores do setor agropecuário do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. "O PIB dos estados do Sul equivale a 17% da geração nacional de riquezas. Por sua importância, a região merece um tratamento compatível com seu tamanho nos investimentos federais em logística e infraestrutura", disse Richa.

Foto ANPr

Os ex-jogadores Ronaldo e Bebeto, que fazem parte do Comitê Organizador Local (COL), elogiaram o que viram em Curitiba

Governador Beto Richa acompanha visita do secretário-geral da FIFA Jérôme Valcke e do ministro dos Esportes, Aldo Rebelo e os ex-jogadores Ronaldo Nazário e Bebeto, prefeito Luciano Ducci e o secretário Mario Celso Cunha

BRDE receberá aporte financeiro de R$ 685 milhões dos estados do Sul O governador Beto Richa, que preside o Conselho de Desenvolvimento e Integração do Sul (Codesul), anunciou nesta terça-feira (27) a decisão dos governos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul de elevar em R$ 685 milhões o capital do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) a partir de 2013. A capitalização deve ser feita com recursos do Proinvest, linha de finaciamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apoiar os estados brasileiros. O banco registra atualmente um capital de R$ 85 milhões. "É uma medida extremamente importante, pois o banco auxiliará nossos estados em novos investimentos e repasses de recursos ainda maiores, tanto para a iniciativa privada quanto para o setor público", destacou Richa. "Há 20 anos o banco não recebia aporte financeiro". Segundo o presidente do BRDE, Carlos Henrique Horn, a decisão soluciona o esgotamento da capacidade de alavancagem operacional da instituição, provocado pelo expressivo crescimento dos contratos de financiamentos firmados pelo banco. De acordo com ele, o Patrimônio Líquido (PL) da instituição não tem acompanhado essa elevação na mesma proporção. "A aceleração da economia da Região Sul é a responsável por tal aumento", disse. Por ser um banco de desenvolvimento, o BRDE é afetado por perdas normais pelo nível de risco das operações e pelo fato de que, desde o início dos anos 80, os controladores não

Geara defende posição da ACP na Câmara Municipal O coordenador do Conselho Político e vice-presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Gláucio Geara, representou a entidade nesta terçafeira (27) na Câmara Municipal, na sessão plenária que aprovou em segunda discussão a proposição 0015.00148.2010, instituindo o feriado municipal do Dia da Consciência Negra (20 de novembro). Geara, que teve a permis-

são de falar aos vereadores reunidos em plenário com a finalidade de expor os pontos de vista da ACP, como entidade de classe do setor empresarial, advertiu os membros do legislativo sobre os prejuízos financeiros que os dias feriados provocam ao comércio, indústria e serviços, com a interrupção das atividades. O vice-presidente ressaltou que a entidade "não é

contrária ao Dia da Consciência Negra e ao reconhecimento dos méritos de quaisquer etnias, mas tem a responsabilidade de advertir que mais um feriado num calendário repleto deles, certamente vai contribuir para o aumento das perdas financeiras dos empreendimentos, comprometendo seu desempenho na geração de emprego, renda e tributos".

terem aportado mais nenhum recurso no capital da instituição. O último aporte de capital foi feito pelo então governador José Richa. A capitalização alavancará pelo menos mais R$ 3,5 bilhões em novas operações de financiamento. A instituição pretende ampliar os financiamentos à infraestrutura dos municípios. "Isso nos permitirá alavancar os investimentos do banco nos estados. Com certeza teremos recorde de contratações neste ano", afirmou Horn. Ele informou que o banco deve fechar 2012 com R$ 2 bilhões em contratações. SITUAÇÃO O aumento do PL, desde meados dos anos 80, se deu mediante a geração de lucros. Como os resultados foram positivos nos últimos anos, o patrimônio, que em 2003 era de R$ 478 milhões, passou para R$ 1,2 bilhão em dezembro de 2011. Entretanto, somente com a atual geração de lucros, o banco não teria um patrimônio suficiente para atender à forte demanda por crédito esperada para os próximos anos em função das

previsões de crescimento da economia, havendo a necessidade de aportes de capital. "A capitalização anunciada por Richa servirá para que o BRDE siga dando suporte aos investimentos da economia paranaense e à sua carteira de crédito", diz Horn. AÇÕES O BRDE registrou em 2011 um crescimento de 23,2% no número de contratações de novas operações de crédito em relação ao ano anterior. O volume foi de R$ 1,751 bilhão. O Paraná foi o Estado que obteve maior participação nas contratações totais (42,9%), num total de R$ 750,5 milhões. No período de janeiro a dezembro do ano passado, o BRDE realizou 2.354 novos contratos no Paraná, atendendo empreendedores de todos os portes na cidade e no campo. Em 2011, os financiamentos concedidos pelo BRDE induziram cerca de R$ 1 bilhão em investimentos, que propiciaram a geração de 3.187 novos postos de trabalho e arrecadação adicional de R$ 161 milhões de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ao Paraná.

Primeiro aniversário do PSD é comemorado na Câmara dos Deputados Por ocasião de seu primeiro aniversário, o Partido Social Democrático (PSD) foi homenageado nesta terça-feira (27) em sessão solene da Câmara dos Deputados. Presidida pela vice-presidente da Casa, deputada Rose de Freitas, a sessão contou não só com a presença de deputados e senadores, mas também com a de importantes figuras políticas do partido como seu presidente nacional, Gilberto Kassab, além de outros prefeitos, vereadores, e apoiadores do partido. Segundo o Presidente do partido no Paraná, deputado Eduardo Sciarra, "O PSD nasceu robusto, detentor da terceira maior bancada na Câmara dos Deputados, e com menos de um ano enfrentou uma série de empecilhos para conquistar seu espaço,

vitorioso em todas as batalhas, também teve excelente desempenho nas urnas, ficando cada vez mais fortalecido". Quarta maior força política do País, o PSD conta com 55 deputados federais, dois governadores, dois senadores, seis vicegovernadores e 109 deputados estaduais. E, nas eleições de outubro, elegeu 498 prefeitos e quase 5 mil vereadores. No estado do Paraná, foram 36 prefeitos eleitos, 35 vice-prefeitos e 294 vereadores. Com esse resultado, irá administrar o terceiro maior bolo de orçamentos municipais do estado a partir do próximo ano, gerindo R$ 1,5 bilhão nas prefeituras conquistadas. "Em um ano conseguimos ultrapassar legendas tradicionais e melhores estruturadas", afirmou Sciarra.


4

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Apresentações simbolizam êxito da educação integral e contraturno escolar em SJP Os frutos do trabalho educativo realizado com os alunos em contraturno escolar e nas escolas de tempo integral foram apresentados e discutidos no "II Seminário de Educação Integral de São José dos Pinhais". Alunos de escolas onde é aplicado o Programa Mais Educação fizeram diversas apresentações musicais e teatrais durante o seminário, realizado neste sábado (24) na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, campus São José dos Pinhais. "O Seminário representa a valorização da prática pedagógica utilizada neste processo de construção da educação integral. Tudo que é aplicado nas escolas é discutido e estudado", destacou a diretora do departamento do ensino fundamental, Eliane Vitkovski. O Mais Educação é aplicado nas escolas Leo-

Neste sábado (1), começa horário diferenciado no comércio são-joseense Para 2012, a Associação Comercial, Industrial, Agrícola e Prestação de Serviço de São José dos Pinhais (Aciap) sugere um horário de comércio por adesão nos primeiros domingos de dezembro. Informações 3525-0801. Seminário reuniu alunos e professores

nilda Ravaglio Trevisan; Cleonice Braga da Fonseca; Rural Lilian Viana; Rosi Machado Marchesini; Castro Alves; Ezaltina Camargo Meiga; Rural São Francisco de Assis e Irmã Maria Eufrásia Torres. O programa foi criado pelo Ministério da Educação e tem

como principal função fomentar atividades para melhorar o ambiente escolar. As crianças também desenvolveram diversos trabalhos como desenhos, redações e maquetes, que ficaram expostos no evento. "Todas essas apresentações e a avalia-

ção positiva da implantação do programa Mais Educação demonstram que o processo educacional pode ser feito de maneira criativa e agradável às crianças", explicou o diretor do departamento pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, Cássio Moletta.

Prefeitura de SJP planeja melhorar acesso à habitação digna Com a meta de assegurar o acesso de todos os são-joseenses à moradia digna,a Prefeitura de São José dos Pinhais realizou neste final de semana a 2ª Conferência Municipal de Habitação de Interesse Social, sob o tema "Regularização Fundiária: uma ação de cidadania". A conferência foi realizada em parceria com o Conselho Gestor do Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social e teve como objetivo analisar, definir e deliberar as diretrizes da Política Municipal de Habitação de Interesse Social. "Com a urbanização acelerada, o acesso à habitação tornou-se um assunto preocupante nos âmbitos social, econômico, urbano e ambiental. Na Conferência, procuramos planejar o espaço territorial e investir na regularização fundiária. É a democratização do espaço urbano. Cada município deve verificar a solução cabível dentro de sua realidade e das cidades próximas", destacou o secretário municipal de Ha-

Promovendo parcerias para o crescimento empresarial

No início da Conferência, na sexta-feira (23), a professora de Projeto e Planejamento Urbano da Universidade Bandeirantes e Gestão da PUC-SP, Margarete Matiko Uemura, ministrou uma palestra

bitação, Loester Vargas. Entre as várias medidas tomadas nesses últimos quatro anos pela gestão municipal para facilitar o acesso à habitação estão o reassentamento e o trabalho socioambiental com as famílias em situação de risco às margens do Rio Ressaca, a entrega de 594 moradias por meio do "Programa Minha Casa, Minha Vida" e a regularização fundiária de algumas áreas após mais de 20

anos de espera, como a do Jardim Itália. No início da Conferência, na sexta-feira (23), a professora de Projeto e Planejamento Urbano da Universidade Bandeirantes e Gestão da PUC-SP, Margarete Matiko Uemura, ministrou uma palestra. Já no sábado (24) foram abordadas as necessidades da aplicabilidade do Plano Local de Habitação de Interesse Social

(PLHIS), apresentadas e aprovadas as propostas elaboradas pelos grupos de trabalho formados durante a Conferência. O evento realizado no Hotel Paraná Golf contou com a presença da representante dos movimentos populares, Maria da Graça Wolf, do Conselho Regional de Corretores de Imóveis, Dilermando Eleutério e da Companhia de Habitação Popular de Curitiba, Vivian Troib.

1 (sábado), 9h às 21h; 2 (domingo), 10h às 19h (facultativo); 3 a 7 (segunda a sexta), 9h às 20h; 8 (sábado), 9h às 21h; 9 (domingo), 10h às 19h (facultativo); 10 a 14 (segunda a sexta), 9h às 21h; 15 (sábado), 9h às 21h; 16 (domingo), 10h às 19h; 17 a 21 (segunda a sexta), 9h às 22h; 22 (sábado), 9h às 21h; 23 (domingo), 10h às 19h; 24 (segunda), 9h às 18h; 31 (segunda), 09h às 14h.

FALECIMENTOS  Teresinha Grossmann Miranda, 76 anos. Sepultamento hoje, às 16h30, no Cemitério São José.  Afonsina Alves de Lima, 76 anos. Sepultamento hoje, às 10 horas, no Cemitério Parque Senhor do Bonfim.  José Alci Machado, 57 anos. Sepultamento hoje, às 8h30, no Cemitério da Colônia Zacarias. Serviço Funerário Municipal - São José dos Pinhais Rua Ângelo Zem, 55 Centro - Fone : 3382 1271


5

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Metró ole Variedades "Se não há café para todos, não terá para ninguém." Che Guevara

Foto Marcelo Stamme (Divulgação)

Ingredientes: 2 xícaras (chá) de sobras de coxão mole cozido cortado em tiras 1 berinjela 1 colher (sopa) de suco de limão 2 colheres (sopa) de azeite de oliva 1 cebola cortada em tiras 1 pimentão vermelho cortado em tiras 1/2 xícara (chá) de vinho branco 1/2 xícara (chá) de uvas passas brancas sem sementes sal e pimenta-do-reino a gosto Modo de Preparo: Lave a berinjela, seque com toalha de papel, retire as extremidades, corte-a em tiras finas e pequenas (4 cm de comprimento) e coloque-as em uma peneira. Encaixe a peneira em uma tigela e regue com o suco de limão e o sal. Pressione com um prato raso e deixe descansar por 15 minutos. Em seguida, lave a berinjela, retire o excesso de sal e seque com toalha de papel. Leve ao fogo uma panela com o azeite de oliva, a berinjela, a cebola e o pimentão e refogue, mexendo de vez em quando, até os legumes murcharem. Adicione o coxão mole, a salsinha, o vinho, as uvas passas, o sal e a pimenta-do-reino e misture bem. Cozinhe, mexendo de vez em quando, por mais 3 minutos, ou até o vinho secar. Retire do fogo e sirva em seguida

Mel ajuda no combate de doenças gastrointestinais

4) Quem interpretou Norman na novela “Esplendor”? a) Gracindo Jr. b) Floriano Peixoto c) Caio Blat d) Osmar Prado 5) Qual era o bordão usado por Tony Carrado (Nuno Leal Maia) quando se referia a Jocasta (Vera Fischer), na novela “Mandala”? a) Belezura b) Minha Loira c) Vida Minha d) Minha Deusa

© Revistas COQUETEL 2007

(?) Davis, Fim, em atriz de inglês "Thelma & Louise"

Acessório do funkeiro

José (?), escritor Proibição português, Nobel de no voto de Ator de Literatura de 1998 castidade "Vidas Opostas", novela da Record

Tímidos; medrosos

Processo de desamassar o carro Que apresenta certa relação

Corrente de elos da âncora

A sigla oficial do Egito

Rio suíço que desemboca no Reno

Soberano persa Ave de rapina assemelhada ao gavião

Interjeição de incentivo ao cavalo

Que tem o mesmo nível Piso que amortece a queda do judoca

65

Divisão de Zona Administrativa

Artefato bélico Muito (apócope)

Colina na qual foi erguida Jerusalém

Rainha hebréia da Pérsia

Aparelho óptico do submarino The Arte, em Rolling latim (?), banda de rock Análogo

Sacerdote indígena "Washington (?)", jornal dos EUA

Nara Leão, em relação à Bossa Nova Jogador que arma os ataques do time (vôlei) Agência que levou o homem à Lua (sigla)

(?)-Lama, líder espiritual tibetano

A categoria do mestre em judô

Interjeição de saudação Acolá (?) Luft, escritora de "Perdas e Ganhos"

James (?), ator dos EUA

T A L

O dos hippies era "Paz e Amor"

Via de circulação urbana (abrev.)

Consoante de "dó"

O sacramento da Eucaristia (Catol.)

BANCO

Solução O S G E M X A Ç O R A C B E U A L P I O A R S R E D O R A R L Y A A D I M O

3) Em qual dessas novelas a atriz Bete Mendes não atuou? a) “O Rei do Gado” b) “Quatro Por Quatro” c) “O Rebu” d) “Gina”

Itens que têm peso alto no orçamento familiar

G B E R O S E R N A N E R A R A A R M M E A U I G I S C O I P O S T A N T A J O L E A N L E M T I S S

2) Quem foi a primeira atriz brasileira a concorrer ao Oscar na categoria de melhor atriz estrangeira? a) Normal Bengell b) Cacilda Becker c) Fernanda Montenegro d) Sônia Braga

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS www.coquetel.com.br

E M N T D A I M T A R E R S A T E V R D S A A N

1) Qual era o personagem mutante do ator Victor Ferreira em “Os Mutantes”, novela que foi exibida pela Record? a) Fog b) Metamorfo c) Sansão d) Pesadelo

Você consome mel? Se ainda não, saiba que está perdendo diversos benefícios que este alimento oferece para sua saúde. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ele possui mais de 70 substâncias essenciais ao organismo, como água, frutose, sacarose, glicose (carboidratos), potássio, ferro, sódio, fósforo, zinco, cloro, cálcio, magnésio, vitaminas do complexo B, vitaminas A, E, C e alguns tipos de aminoácidos (proteínas). “Trata-se de um alimento de alta qualidade e energético, com ação imunológica, analgésica, antibactericida, anti-inflamatória e que funciona como laxante natural”, afirma a nutricionista Flávia Morais, da rede Mundo Verde. Para usufruir de todos os benefícios do mel, a especialista diz que duas colheres de sobremesa, ao dia, são suficientes. As crianças a partir de um ano podem consumir o alimento sem risco de alergia. O cuidado fica por conta dos diabéticos, já que o mel é fonte de carboidratos simples e de alto índice glicêmico, correndo o risco de descontrolar as taxas de açúcar no sangue. No entanto, ele é mais bem aceito pelo organismo do que o açúcar branco, fonte de calorias vazias e que não oferece nenhum nutriente ao organismo, além da glicose. “Isso porque 40% da composição do mel é frutose, o açúcar natural das frutas, bem menos prejudicial”, afirma a nutricionista Vivian Goldberger, do Emagrecentro. Flávia ressalta ainda sua função prébiótica, que melhora o funcionamento do intestino e a absorção de nutrientes. A aplicação do mel, por sinal, é muito indicada na assimilação dos alimentos e na prevenção e nos tratamentos de desordens gastrointestinais, tais como úlceras, gastrites e gastroenterites.

T L A R I A F T A S P M U B L I C N A S

(Respostas: 1-a / 2-c / 3-c / 4- a / 5-d)

A Cinemark promove a Maratona Senhor dos Anéis, com exibição completa da série baseada nos livros de J.R.R. Tolkien, nos dias 11, 12 e 13 de dezembro. Nesses dias, o complexo do Shopping Mueller exibirá os filmes O Senhor dos anéis – A Sociedade do anel, O Senhor dos anéis – As Duas torres e O Senhor dos anéis – O Retorno do rei, de Peter Jackson. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) e já podem ser adquiridos na bilheteria do cinema. Confira a programação no site da Cinemark (www.cinemark.com.br). O primeiro filme da trilogia mostra uma terra fantástica e única, chamada Terra-Média, onde o hobbit Frodo (Elijah Woods) recebe de presente de seu tio o “Um Anel”, objeto mágico e maligno que precisa ser destruído antes que caia nas mãos do mal. Para isso ele terá um caminho árduo pela frente, onde encontrará perigo, medo e personagens bizarros. Ao seu lado, ele poderá contar com outros hobbits, um elfo, um anão, dois humanos e um mago, totalizando 9 pessoas que formarão a Sociedade do Anel. No segundo longa, após a captura de Merry (Dominic Monaghan) e Pippy (Billy Boyd), a Sociedade do Anel é dissolvida. Enquanto que Frodo (Elijah Wood) e Sam (Sean Astin) seguem sua jornada rumo à Montanha da Perdição para destruir o Um Anel, Aragorn (Viggo Mortensen), Legolas (Orlando Bloom) e Gimli (John Rhys-Davies) partem para resgatar os hobbits sequestrados. No terceiro filme, Sauron planeja um grande ataque a Minas Tirith, capital de Gondor, o que faz com que Gandalf (Ian McKellen) e Pippin (Billy Boyd) partam para o local na intenção de ajudar a resistência. Um exército é reunido por Theoden (Bernard Hill) em Rohan, em mais uma tentativa de deter as forças de Sauron. Enquanto isso Frodo (Elijah Wood), Sam (Sean Astin) e Gollum (Andy Serkins) seguem sua viagem rumo à Montanha da Perdição, para destruir o “Um Anel”.

Coxão mole com Berinjela e Pimentão

3/ars — end — lya. 4/açor — post. 5/ester. 8/saramago. 10/santíssimo.

Rede Cinemark promove Maratona Senhor dos Anéis, com exibição dos três filmes da série

Dia 29: Mín. 15º e Máx. 25º Dia 30: Mín. 15º e Máx. 25º Dia 01: Mín. 15º e Máx. 26º

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA

TOME NOTA

Máx. 24º Mín. 14º

Muitas nuvens


6

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

TR, POUPANÇA E TBF TR MENSAL % ago set 0,01 0,00

Mantega apresenta ao Senado a nova proposta de unificação do ICMS O ministro deverá ir à Casa na próxima terça-feira (4) para defender a nova proposta do governo de unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 4% em todo o território nacional

Ministro Guido Mantega

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou ontem (27) a ida do ministro da Fazenda, Guido Mantega, à Casa na próxima terçafeira (4) para apresentar a nova proposta do governo de unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 4% em todo o território nacional. A proposta da equipe econômica prevê ainda dois fundos que compensarão perdas dos estados e do Distrito Federal durante 16 anos. Um dos fundos, avaliado em R$ 7 bilhões, é para compensação automática para os estados que tiverem a arrecadação reduzida com a unificação do

ICMS. Outro, no total de R$ 182 bilhões, para financiar investimentos locais com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Orçamento Geral da União. Ontem, os senadores da base aliada reuniramse com os ministros Guido Mantega e Ideli Salvatti, da Secretaria de Relações Institucionais, para tratar do assunto antes do debate da semana que vem no Congresso Nacional. Ao sair, o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), admitiu que, mesmo faltando pouco menos de um mês para o fim dos trabalhos legislativos no

Congresso Nacional, as discussões sobre temas como o ICMS não podem esperar ficar para 2013. “O ICMS que é uma discussão delicada, que tem de ser iniciada neste ano. Mesmo que o assunto fique para ser debatido no próximo ano. [A discussão] tem de começar agora para, durante o ano de 2013, tentar costurar um acordo [sobre o ICMS e outros temas].” Além do ICMS, foram discutidos pontos relacionados à reforma tributária, como a renegociação dos indexadores das dívidas dos estados e a redefinição dos critérios de distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

out 0,00

nov 0,00

ano 0,29

12 m 0,38

POUPANÇA MENSAL % ago set out 0,51 0,50 0,50

nov 0,50

ano 5,95

12 m 6,58

ÍNDICES DIÁRIOS Período 31/10 a 1/12 1/11 a 1/12 2/11 a 2/12 3/11 a 3/12 4/11 a 4/12 5/11 a 5/12 6/11 a 6/12 7/11 a 7/12 8/11 a 8/12 9/11 a 9/12 10/11 a 10/12 11/11 a 11/12 12/11 a 12/12 13/11 a 13/12 14/11 a 14/12 15/11 a 15/12 16/11 a 16/12 17/11 a 17/12 18/11 a 18/12 19/11 a 19/12 20/11 a 20/12 21/11 a 21/12 22/11 a 22/12 23/11 a 23/12

TR 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000

TBF 0,5401 0,5268 0,5098 0,5098 0,5367 0,5740 0,5379 0,5391 0,5450 0,5331 0,4924 0,5184 0,5289 0,5609 0,5195 0,5194 0,5192 0,5070 0,5324 0,5716 0,5711 0,5414 0,5819 0,5575

CONSTRUÇÃO em % jul ago out CUB/PR 5,32 0,31 0,16 CUB (outubro/2012): R$ 1.071,50

Poupança 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134

ano 7,63

12 m 8,19

FAJ-TR / TR-FATOR

27/11 28/11 SELIC Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12

2,76797879 2,76800265

0,86% 0,86% 0,91% 0,89% 0,75% 0,82% 0,71%

0,01240137 0,01240147

Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12 Out/12 * Nov/12

0,74% 0,64% 0,68% 0,69% 0,54% 0,61% 1,00%

* No mês corrente o valor da Selic é sempre 1,00% IR - NOVEMBRO

Emater contrata consultoria para mudar modelo de gestão O Instituto Emater, órgão vinculado à Secretaria estadual da Agricultura, contratou uma consultoria externa, o Instituto Publix, de Brasília (DF), que vai desenvolver um novo modelo de gestão para resultados que vai compatibilizar as novas atribuições na prestação de assistência técnica aos agricultores familiares e na execução de programas e políticas públicas, com a reestruturação administrativa e de pessoal. O objetivo é preparar a Instituição para os novos desafios da agropecuária estadual. A empresa de consultoria apresentou à diretoria do Emater um cronograma de trabalho que começa agora e vai até julho de 2013. De acordo com Gilberto Porto, diretor do Ins-

tituto Publix, está sendo proposto um modelo de gestão e a atualização do planejamento estratégico da empresa, capaz de suportar as necessidades organizacionais para os próximos seis anos. A consultoria do Instituto já prestou consultorias em vários estados e municípios brasileiros, que mudaram a gestão administrativa e com isso melhoraram seus desempenhos. Ao longo do primeiro semestre de 2013 serão realizados encontros, workshops, treinamentos de pessoal para que estejam preparados a assumir as novas funções e responsabilidades. O modelo de gestão propõe a entrega de mais resultados às sociedades com os recursos disponíveis.

Segundo o diretor-presidente do Instituto Emater, Rubens Niederheitmann, a empresa deve se adaptar aos novos cenários da agropecuária e discutir sua função diante de novos desafios. “Logo teremos a Lei Estadual de Ater (assistência técnica e extensão rural) que nos impõe um novo papel, temos um contingente considerável de funcionários que vão se aposentar, a renovação do quadro de pessoal já foi anunciada pelo governador Beto Richa, e com isto a adequação do modelo de gestão é fundamental para que possamos dar conta do que a sociedade espera da Instituição”, afirmou. A Lei de Ater impõe novas funções à empresa, como gestora técnica da

assistência técnica oficial e executora de políticas públicas, o que muda radicalmente a forma de atendimento do extensionista. Segundo Niederheitmann, outras entidades estão atuando na extensão rural como cooperativas, Ongs e entidades estatais. “Sabemos que há trabalho para as todas as organizações, mas precisamos ter bem claro de que forma nos situamos, como devemos nos posicionar e como fazer parcerias, mantendo nosso foco e identidade como órgão de governo”, disse. O trabalho de consultoria vai auxiliar no mapeamento de papéis e responsabilidades e como o trabalho deve ser compartilhado com as entidades parceiras e os municípios.

Na última reunião do ano, Copom deve manter Selic em 7,25% Brasília – O Comitê de Política Monetária (Copom) iniciou ontem (27) à tarde a última reunião do ano do colegiado de diretores do Banco Central (BC) para avaliar o desempenho dos principais indicadores macroeconômicos nos últimos 45 dias, no Brasil e no exterior. A avaliação pode determinar uma correção de rumo na taxa básica de juros (Selic). A reunião do Copom ocorre em duas etapas, terça e quarta-feira, e ao fim da segunda etapa, depois do fechamento dos mercados, o BC emite nota sobre a decisão do colegiado. A informação sobre eventuais alterações na taxa Selic é aguardada com expectativa. O índice sofreu dez reduções seguidas de agosto do ano passado - quan-

do estava em 12,5% ao ano - para cá. Atualmente, com a taxa em 7,25% – o nível mais baixo da história do Copom, criado em junho de 1996 – a expectativa dos analistas financeiros é que o BC interromperá o processo de redução da Selic. Na semana passada, o presidente do BC, Alexandre Tombini, deu sinais nesse sentido. Segundo ele, o Copom entendeu que “é preciso manter as condições monetárias estáveis por período suficientemente longo”. Com isso, os analistas que há seis semanas apostam na manutenção da Selic no patamar atual, em curto e médio prazo, acreditam que a taxa deve permanecer em 7,25% durante todo o ano de 2013.

* IR 2012: A oitava parcela do IR 2012 vence em 30/11. Para pagamento desta parcela há juros Selic de 4,90%. ** Para pagar atrasado um tributo cujo vencimento foi no mesmo mês, será cobrada a Selic do mês corrente (1,00%). Para atrasos que extrapolem o mês em curso, será cobrada taxa equivalente à soma da Selic dos meses em atraso, mais multa. PREVIDÊNCIA Competência: OUTUBRO As empresas têm prazo para pagar até 20/11 e as pessoas físicas até 16/11. A partir desses prazos há multas de 4% a 100%, além de juros pela taxa Selic. EMPRESÁRIO/EMPREGADOR Contribui com 11% sobre o pró-labore, entre R$ 622,00 (R$ 68,42) e R$ 3.916,20 (430,78), através de GPS. AUTÔNOMO 1) Quem só recebe de pessoas físicas: recolhe por carnê 20% sobre os limites de R$ 622,00 (R$ 124,40) a R$ 3.916,20 (R$ 783,24). 2) Quem só recebe de pessoas jurídicas: a empresa recolhe 11% até o máx. de R$ 3.916,20 (R$ 430,78) e desconta do autônomo. 3) Quem recebe de jurídicas e físicas: têm desconto de 11% sobre o que recebe de jurídicas, até R$ 3.916,20 (R$ 430,78). Se não atingir este teto, recolhe 20%, via carnê, sobre a diferença até R$ 3.916,20. FACULTATIVO Contribui com 20% sobre qualquer valor entre R$ 622,00 (R$ 124,40) e R$ 3.916,20 (R$ 783,24), através de carnê. ASSALARIADOS Salário Contribuição (R$) Até 1.174,86 De 1.174,87 até 1.958,10 De 1.958,11 até 3.916,20

Alíquota 8,00% 9,00% 11,00%

EMPREGADOS DOMÉSTICOS Empregado Empregador Total

Alíquota % 8 a 11 12 20 a 23

R$ mín 49,76 74,64 124,40

SALÁRIO FAMÍLIA – NOVEMBRO/12 Salário de até R$ 608,80 Salário de R$ 608,81 a 915,05

R$ máx 430,78 469,94 900,72

R$ 31,22 R$ 22,00

OUTROS ÍNDICES BTN + TR TJLP Sal. Mínimo FGTS UPC

Ago 1,569947 5,50 622,00 0,2610 22,30

Set 1,570040 5,50 622,00 0,2589 22,30

IR – TABELA DE NOVEMBRO Desconto na fonte e carnê-leão Base (R$) Alíquota Até 1.637,11 isento 1.637,12 a 2.453,50 7,5% 2.453,51 até 3.271,38 15,0% 3.271,39 até 4.087,65 22,5% Acima de 4.087,65 27,5%

Out 1,570040 5,50 622,00 0,2466 22,31

Nov 1,570040 5,50 622,00 0,2466 22,31

Dedução – R$ 122,78 R$ 306,80 R$ 552,15 R$ 756,53

Deduções: a) Assalariados: 1) - R$ 164,56 por dependente; 2) - pensão alimentícia; 3) - contribuição à Prev. Social; 4) - R$ 1.637,11 por aposentado a partir de 65 anos; 5) - contribuições à previdência privada e aos Fapi pagas pelo contribuinte; b) Carnê Leão: itens de 1 a 3 mais as despesas escrituradas no livro-caixa.


| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

7

Richa interioriza governo para apoiar prefeitos eleitos A equipe do governo apresentará aos gestores municipais os projetos e programas de cada área do Estado, aproximando o governo das administrações para garantir o desenvolvimento das cidades paranaenses O governo estadual estará mobilizado a partir desta quarta-feira (28) para apoiar prefeitos e prefeitas eleitas de todo o Paraná no planejamento dos primeiros dias de administração e na identificação de programas do Estado que podem ser implementados nos municípios. O Encontro de Prefeitos Eleitos, que vai até sexta-feira em Foz do Iguaçu, contará com a presença do governador Beto Richa, de secretários estaduais e dirigentes de empresas públicas do Paraná. A equipe do governo apresentará aos gestores municipais os projetos e programas de cada área do Estado, aproximando o governo das administrações para garantir o desenvolvimento das cidades paranaenses. O governador Beto Richa terá um gabinete no local para despachar e receber administradores municipais. A programação inclui ainda oficinas e palestras sobre gestão pública empreendedora, plano estratégico, políticas públicas, desenvolvimento local e o papel das micro e pequenas empresas. A iniciativa faz parte do Programa de Estudos Avançados para Líderes Públicos, promovido em parceria entre Governo do Paraná e o Sebrae-PR. O objetivo é auxiliar as

novas lideranças municipais a planejar os primeiros 100 dias de governo. "Vamos interiorizar o governo e levar ao conhecimento de todos os prefeitos presentes aquilo que o Estado está fazendo. A contribuição que podemos dar vai desde a melhoria dos equipamentos urbanos até o resgate social e geração de renda", afirma Richa. Beto Richa disse que a interiorização da administração estadual atende o compromisso de fazer uma gestão democrática e municipalista. O governo terá no evento uma estrutura onde os novos gestores municipais poderão tirar dúvidas diretamente com os secretários, dirigentes ou técnicos das secretarias e órgãos estaduais. Os interessados em participar devem se cadastrar na página www.liderespublicospr.com.br. "Um governo não se consolida sem a participação efetiva dos municípios. Por isso, este encontro com os prefeitos e prefeitas eleitas do Paraná é de grande significado para o desenvolvimento das cidades. Além disso, representa o entendimento do governador Beto Richa, que já foi prefeito e sabe da importância de um trabalho conjunto entre prefei-

Um grupo formado por representantes do governo das províncias de Santa Fé e Entre Ríos, da Argentina, esteve nesta terça-feira (27) no Porto de Paranaguá para estabelecer convênios técnicos e comerciais. Ligada às áreas portuárias, de serviços públicos e de transportes, a comitiva foi recebida pela diretoria empresarial da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Para o secretário de Transportes da Província de Entre Ríos, Juan Carlos Chagas, foi um contato proveitoso para os dois lados. "Pudemos ver como funciona o terminal paranaense, modelo para toda a América Latina. De alguma maneira, queremos replicar algumas práticas em nossa província", afirmou. A visita da comitiva argentina ao Paraná começou na segunda-feira (26), quando o grupo foi recebido pelo governador Beto Richa, em Curitiba. Em continuidade à missão, os governantes argentinos acompanharam no Porto de Paranaguá as operações do terminal portuário. Segundo o diretor empresarial da Appa, Lourenço Fregonese, estes encontros fazem parte de um trabalho conjunto para estreitar as relações entre o Brasil e a Argentina. "Mostrando a capacidade do nosso Estado, do Porto de Paranaguá, esperamos que - através dos governos - possam surgir convênios para que as informações sejam trocadas mais a fundo. Assim, será possível melhorar os portos do Paraná com os acertos argentinos e melhorar

Nájia Furlan/Appa

Comitiva da Argentina busca parceria com o Porto de Paranaguá

Em missão no Paraná, um grupo formado por representantes do governo das províncias de Santa Fé e Entre Ríos, da Argentina, esteve no Porto de Paranaguá

os portos de lá, com os acertos do Paraná", afirmou o diretor. Representando a região central da Argentina, além do secretário de Transportes de Entre Ríos, visitaram o Porto de Paranaguá o presidente do Instituto Portuário de Entre Ríos, Carlos María Scelzi , e o ministro de Águas, Serviços Públicos e Meio Ambiente da Província de Santa Fé, Antonio Ciancio. Em Santa Fé, na Argentina, está um dos principais portos da Argentina. Segundo o Ministro de Águas, Serviços Públicos e Meio Ambiente da Província, Antonio Ciancio, entre as mo-

tivações para conhecer o Porto de Paranaguá, está o fato de o terminal paranaense estar passando por um momento de desenvolvimento semelhante ao do porto argentino. "Queremos aprender, estabelecer vínculos e trocar informações com o Porto de Paranaguá, principalmente pela potência que é e pela capacidade de projeção que alcança. Esse foi o primeiro contato e esperamos dar continuidade", destacou o ministro. ENTRE RÍOS Na província de Entre Ríos, estão três importantes portos

marítimo-fluviais da Argentina: Ibicuy, Puerto de Concepción del Uruguay e Puerto Diamante. "Estabelecendo esse contato com o Porto de Paranaguá, conhecendo como funcionam os sistemas de cargas, transportes e de administração, queremos avançar e firmar um convênio de colaboração entre todos os portos da região central do nosso país com o porto paranaense. Esta é uma oportunidade interessante de novos negócios", afirma o presidente do Instituto Portuário da Província de Entre Ríos, Carlos María Scelzi.

Fiscais de tributos de SJP no evento nacional em BH/MG Nos dias 21 a 23 de novembro de 2012 foi realizado o XXIV Encontro Nacional da FENAFIM (Federação Nacional dos Auditores Fiscais de Tributos Municipais) em Belo Horizonte - MG. O evento contou com a participação de Auditores e Fiscais de Tributos Municipais de todo o Brasil. O tema do evento foi “Administração Tributária: Cidadania, Justiça e Eficiência”. A FENAFIM defende um Sistema Tributário Nacional justo, que onere menos a classe trabalhadora, o setor produtivo e promova a desconcentração da arrecadação de tributos. Os temas discutidos no encontro foram de grande relevância para a administração tributária municipal, pois visou o crescimento profissional dos servidores e à implementação de melhores práticas de gestão. Foram apresentados temas referentes a Escrituração Fiscal Digital do ISSQN, Aspectos Técnicos da Planta de Valores, O uso de Ferramentas geo na Manutenção Cadastral do IPTU, A Reforma Tributária e os Municípios, A Posição dos Tribunais e a Atuação do Fisco Municipal, A Legitimidade Ativa e a Base de Cálculo na Tributação da Atividade de leasing, O caminho Para a Autonomia Fiscal, Aspectos da Carreira do Fisco e a Relação com o Poder Político, O Conceito de Estabelecimento Prestador, O Que Podemos Fazer Pra Melhorar o Sistema de Arrecadação, A Reforma Tributária das Micro e Pequenas Empresas. Cabe destacar que a cada dia

que passa os municípios estão se organizando e atualizando a forma de arrecadar para poder assim prestar um serviço melhor e com qualidade para toda a população e que mais pessoas paguem impostos a fim de baixar os valores. Este evento, que ocorre todo ano, é o mais importante referente a administração tributária municipal no país. Cerca de 500 pessoas estiveram no evento representando as 60 cidades presentes como Oriximiná, Maceió, Belém, Brasília, Curitiba, Londrina e São José dos Pinhais. A Associação dos Agentes Fiscais de São José dos Pinhais (www.fiscal.org.br) esteve participando do evento com seis Fiscais da cidade. Os quais estão trazendo na bagagem o que tem de mais novo e eficaz relacionado a fiscalização de tributos devidos aos municípios. Referente estas mudanças todos da cidade deverão estar envolvidos, pois são alterações positivas que garantem melhorias para a população de forma geral. Está sendo organizado pelas classes de São José dos Pinhais um evento para ocorrer no início do ano de 2013, o tema será relacionado a “Tributos Municipais”. Estarão envolvidos na organização a Câmara de Vereadores, Aciap, Associação Comercial, Associação dos Contadores Municipais, Crea, Imprensa Local, Auditores de Cidades Metropolitanas entre outros que ainda serão convidados a fazer parte deste evento pioneiro na cidade.

tura e governo do Estado para bem-estar da população", disse o secretário-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Sebastiani. Cerca de mil pessoas já estão inscritas para participar do encontro, entre prefeitos, vice-prefeitos, secretários municipais, secretários, dirigentes e técnicos do governo estadual, entre outros. A abertura oficial acontece na quartafeira (28), às 19h30, com a presença do governador Beto Richa, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdir Rossoni, e do presidente do Tribunal de Contas do Estado, Fernando Guimarães, entre outras autoridades. Segundo o secretário para Assuntos Estratégicos, Edson Casagrande, a iniciativa mostra a determinação do governador Beto Richa de administrar o Paraná em parceria com as prefeituras municipais. "Vamos trabalhar unidos pelo bem comum de todos os municípios do Paraná. Essa é uma grande oportunidade de fazer com que todas as lideranças públicas federais, estaduais e municipais se unam para o bem-estar de todas as comunidades", afirmou Casagrande.

Programa completa dez anos e capacita 18,5 mil produtores rurais no Paraná Mais de 4,5 mil produtores do Paraná reúnem-se no próximo dia 3 de dezembro, no Expotrade, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Eles participam do Encontro de Encerramento do Programa Empreendedor Rural - edição 2012. O Programa, que completa dez anos, é uma parceria de sucesso entre Sebrae/PR, Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-PR) e Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep). A abertura do evento está marcada para as 8h30, com os pronunciamentos do presidente da Faep, Ágide Meneguette; do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, Jefferson Nogaroli; e do presidente da Fetaep, Ademir Mueller. O governador do Paraná, Beto Richa; a ministra-chefe da Casa Civil, Gleise Hoffmann; a presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu; e o coordenador da bancada federal do Paraná, Osmar Serraglio, já confirmaram presença. Estão programadas as palestras "Perspectivas para o agronegócio brasileiro", com o ex-presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) Xico Graziano, às 10h30, e "O que é ser empreendedor, no Brasil, hoje", com Rodrigo Brito, da Aliança Empreendedora, às 14 horas. A tradicional apresentação de projetos desenvolvidos durante o Empreendedor Rural começa às 14h30, seguida da premiação dos melhores trabalhos de 2012. O encerramento do evento está programado para as 17 horas, depois de uma palestra sobre criatividade. Soluções para o campo Lançado em 2003, o Empreendedor Rural leva soluções para o homem do campo, transformando propriedades rurais e o modo de pensar dos produtores. No Paraná, a iniciativa já capacitou 18,5 mil produtores, que experimentaram mudanças significativas na gestão de suas propriedades. Mesmo cansados da lida diária, os produtores se dispuseram uma vez por semana, durante 17 encontros, se sentarem em uma sala de estudo para se capacitarem. Ao longo dos últimos dez anos, as aulas aconteceram nos 399 municípios do Estado, atendendo todas as comunidades rurais, o que era uma meta a ser atingida. O Empreendedor Rural tem como objetivo principal desenvolver e estimular a capacidade dos produtores rurais paranaenses para que eles se transformem em empreendedores de projetos e propriedades sustentáveis. Transformação "Olhando para trás percebe-se que a administração da propriedade ocorria de forma intuitiva", diz Ágide Meneguette, presidente da Faep e do Conselho Administrativo do Senar-PR. "Se o produtor queria aumentar a produção de leite comprava mais vacas, sem questionar se o rebanho estava produzindo na sua capacidade total, se a pastagem era suficiente, se ele tinha água para os animais, se tinha mercado para mais leite, qual era o custo da produção e o preço de mercado. São variáveis que não eram consideradas e muitas vezes, se observadas, demonstrariam prejuízo", complementa. Para o presidente da Faep, não há mais espaço para o amadorismo. "A propriedade rural é uma empresa que precisa ser administrada aproveitando ao máximo sua capacidade produtiva. Exige planejamento, muito 'lápis e borracha' para se fazer todas as contas necessárias." É isso que o Empreendedor Rural oferece ao produtor, autonomia no planejamento de sua atividade e na tomada de decisões, por meio de diagnóstico, planejamento estratégico, estudos de mercado, custos e receitas e avaliação de viabilidade do negócio. O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, Jefferson Nogaroli, concorda com Meneguette e também destaca a importância do Programa nesse processo de transformação da pequena propriedade em um empreendimento rural. "Planejar é um imperativo no mundo corporativo. Isso vale para os empreendedores, empresários de micro e pequenas empresas, produtores rurais. O Empreendedor Rural é um programa que estimula o planejamento nas propriedades rurais, capacitando e preparando assim os produtores, que começam a observar, com mais facilidade e conhecimento, os movimentos de mercado e seus impactos nos negócios." O presidente da Fetaep, Ademir Mueller, diz que, graças ao Empreendedor Rural, o homem do campo tem melhorado de vida. "As propriedades rurais mudaram nos últimos anos, estão mais profissionais, mais focadas. Muitas propriedades saíram da agricultura de subsistência a qual viviam para transformarem-se em espaços produtivos, potencializados pelo uso de tecnologias." Segundo Mueller, o Programa tem um efeito multiplicador e transformador. "Quem faz o Empreendedor Rural vira exemplo para os vizinhos, o que é muito positivo porque aumenta, a cada ano, o número de capacitados. É uma corrente muito forte", assinala o presidente da Fetaep.


8

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Luciano Ducci entrega nova unidade de educação integral na Vila Torres O prefeito Luciano Ducci vai inaugurar nesta quarta-feira (28), às 10h30, a Unidade de Educação Integral (UEI) Vila Torres. Na nova sede da UEI serão atendidas, no período de contraturno escolar, 480 crianças e adolescentes moradores da comunidade da Vila Torres. A UEI Vila Torres foi fundada em 1991 como Projeto Piá Vila Torres e fazia parte da extinta Secretaria Municipal da Criança. Em seguida, passou para a Secretaria Municipal da Educação e funcionava em uma casa alugada para atendia 180 crianças por turno. A nova sede tem dois pavimentos, com acessibilidade, e oito salas de atendimento. Contará também com biblioteca, sala de informática, pátio/refeitório e quadra esportiva. Na UEI, as crianças e os adolescentes têm acompanhamento pedagógico, aulas de arte, conservação do meio ambiente, ciências e tecnologia e prática de movimento.

Mãe Curitibana: pré-natal valoriza participação do pai Um capítulo especial dedicado à participação do pai no prénatal e no parto está entre as novidades da quinta edição do protocolo do programa de atenção maternoinfantil Mãe Curitibana, que está chegando à rede municipal de saúde e também traz um casal grávido na capa. O protocolo é o roteiro elaborado pela Secretaria Municipal da Saúde para padronizar o atendimento prestado pelas equipes das unidades de saúde às gestantes e seus companheiros e, por isso, está sob constante atualização. O novo protocolo detalha a inserção masculina desde as consultas de rotina, passando pelas oficinas de gestantes com pai presente. Esse processo começou há três anos, no décimo aniversário do Mãe Curitibana. "A participação efetiva do homem que vai ser pai tem muitas vantagens. Ela é vital para dar suporte emocional à gestante, para que ele próprio aprenda sobre o seu papel nesse novo ciclo de vida e também para cuidar da sua saúde, uma vez que ele também poderá ser avaliado, encaminhado para especialistas, se for o caso, e tratado adequadamente", explica o coordenador do Mãe Curitibana, Edvin Javier Boza Jimenez. PÚBLICO DIFÍCIL Na prática, a criação de um lugar especial para o homem no pré natal também é um meio encontrado pelos profissionais de saúde para aproximar a figura

masculina - até então arredia às abordagens de prevenção e promoção de rotina - do atendimento de rotina oferecido pelas unidades de saúde. Os homens vivem 8 anos menos que as mulheres e são quem menos comparece às atividades de prevenção e promoção oferecidas naqueles locais. Entre os problemas de saúde masculinos mais comuns e que podem ser prevenidos por meio do acompanhamento clínico regular e da mudança do estilo de vida estão hipertensão arterial, diabete, colesterol alto, câncer, obesidade, depressão, acidentes de trânsito e no trabalho, violência, doenças bucais, do cérebro e do coração. Doenças sexualmente transmissíveis e aids, bem como tuberculose, também são alvo de atenção para os que participam do prénatal. A população masculina de Curitiba é de 835.115 habitantes, correspondendo a 48% do total. Quase 70% têm menos de 40 anos. A esperança de vida está em torno dos 70 anos contra 78 das mulheres - mais assíduas nos serviços de saúde para consultas, exames e atividades de prevenção e promoção em saúde. Do total de consultas médicas realizadas nas unidades municipais de saúde, menos de 40% são para homens. ACOLHIDA O homem começa a participar do processo quando a esposa,

namorada ou companheira, ao receber o resultado positivo de gravidez, leva para ele o convite e o folheto sobre o acompanhamento que se inicia. O primeiro compromisso é a consulta conjunta, em que os dois passam por avaliação de rotina - como a medição da pressão arterial do casal. A primeira consulta é também a oportunidade em que a equipe oferece ao pai a possibilidade de fazer exames para detecção de sífilis e do vírus da aids. Além de preservar a parceira e tratar o homem doente, a meta é prevenir a ocorrência da transmissão vertical (da mãe contaminada para o bebê, na hora do parto). Igor Francisco Baggio, de 29 anos, conhece bem esse roteiro.

Casado com Maressa Tixiliski, de 27, e pai de Isadora, de 7 meses e de outras duas pré-adolescentes, ele não perdeu nenhum consulta na Unidade de Saúde São Pedro, no Xaxim, e entrou na sala de parto da maternidade Mater Dei na hora do nascimento do bebê. "Na época trabalhávamos juntos e isso facilitou muito", conta MAressa, que é dona de uma loja de locação de artigos para festas. Solidário e consciente do seu papel para o bem estar familiar, Igor fez questão de posar para a foto da capa do protocolo ao lado da mulher - na ocasião grávida da primeira e única filha dela. "Eu teria mais filhos mas, juntos, já temos três crianças. Então fica difícil", argumenta Maressa. Por conta dessa decisão compartilha-

da, Igor se submeteu a uma vasectomia, também na rede municipal de saúde, logo após o nascimento da filha. OPORTUNIDADES Além das consultas e dos exames, o pai pode acompanhar a gestante na visita à maternidade em que o bebê vai nascer e participar das oficinas - oportunidade em que aprende a cuidar do bebê e, assim, dividir a tarefa com a mãe. Técnicas para dar banho e fazer a higiene bucal da criança, a importância da vacinação, quando e como introduzir alimentação sólida depois dos seis meses, a hora de ir para a maternidade, como prevenir e adiar uma nova gravidez são alguns dos assuntos abordados pelos profissionais de saúde nesses encontros. Para facilitar o acesso dos casais, as reuniões são preferencialmente realizadas à noite ou aos sábados. São as mesmas dicas contidas, de modo conciso, na Caderneta de Saúde da Gestante. O espaço para a participação do pai também é garantido na maternidade - seja na hora que antecede o parto, durante a preparação ou do nascimento. As seis maternidades de Curitiba que atendem gestantes da rede pública de saúde estão em condições e devem receber os acompanhantes. A leis federais 11.108/2005 e 8080/1990, bem como a portaria 2418/2005 do Ministério da Saúde e lei estadual 14.254/2003 garantem esse direito.


| Quarta-feira 28 de novembro de 2012 |

9

Campanha preventiva contra a AIDS

ste ano será levada a testagem rápida, para HIV e SÍFILIS, em locais mais próximos da população (Imagem: Biblioteca Inst. Bio. Universidade Federal Fluminense)

A Prefeitura de Pinhais, por meio do Centro de Testagem e Aconselhamento - CTA e das Unidades de Saúde da Família realizam entre os dias 22 de novembro a 1º de dezembro a Campanha Fique Sabendo. A mobilização integra as ações do Dia Mundial de Luta contra a AIDS. A Campanha visa sensibilizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce, da realização do exame, além de diminuir o preconceito em relação ao vírus HIV. Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil possui atualmente cerca de 530 mil pessoas infectadas pelo HIV, sendo que destas 130 mil desconhecem que têm o vírus. De acordo com a coordenadora do Centro de Testagem e Aconselhamento de Pinhais Débora Beatriz Machado, por este motivo, este ano será levada a testagem rápida, para HIV e SÍFILIS em locais mais próximos da população. “Com a mesma confiabilidade do tradicional, realizando o teste rápido as pessoas terão seu resultado em aproximadamente 30 minutos”, destaca Débora. Vale destacar que o teste é oferecido para a população em geral e todo o processo é confidencial. Abaixo confira os locais onde será oferecida a testagem, além da programação especial, a população tem a sua disposição o CTA, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h30. Mais informações pelo telefone: 3912-5399.

Pinhais promove mobilização pelo fim da violência contra a mulher A Prefeitura de Pinhais, através das secretarias municipais de Assistência Social e Saúde, promoveu no último domingo (25) um ato de mobilização lembrando o Dia Internacional pelo Fim da Violência Contra a Mulher. O evento realizado no Bosque Municipal contou com a presença de participantes dos grupos de combate a violência contra a mulher, autoridades, além da população que estava no local. Foram realizadas diversas atividades, como rodas de conversa, apresentação de vídeo sobre a violência e entrega de materiais com informações sobre o tema. O número de mulheres vítima de violência tem crescido e, a maior parte dos agressores são antigos ou atuais maridos, namorados ou companheiros. Sendo assim, a violência contra a mulher é principalmente doméstica. A Lei Maria da Penha, sancionada em 2006 aumentou o rigor da punição nos casos de violência contra a mulher. Os agressores podem ser presos em flagrante e não podem ser punidos mais com penas alternativas. Na abertura do evento, Josimara de Freitas Prado, participante do grupo de combate a violência contra a mulher do CREAS, relatou a todos que sofreu violência psicológica dentro de sua casa, mas não se calou. Buscou ajuda e foi muito bem acolhida. “Eu procurei a delegacia de polícia e tive um ótimo atendimento, depois fui encaminhada para o CREAS e em seguida para o Fórum. Tudo fluiu bem e de maneira muito rápida. Eu não imaginava que

havia esse serviço e um atendimento tão bom em Pinhais. Hoje vivo em paz e digo a todas que sofrem qualquer tipo violência que não deixem de lutar por seus direitos e de buscar ajuda, porque o serviço existe e realmente funciona”, contou Josimara. Diante do relato de Josimara, o Juiz da Vara Criminal de Pinhais, Dr. José Orlando Cerqueira Bremer, se disse surpreendido pelo reconhecimento do trabalho do Fórum e de toda a rede. “Não imaginava que o serviço funcionava tão bem, pois, o poder judiciário ainda tem muito que progredir. Mas, estou contente com a parceria com a Prefeitura de Pinhais, pois, com o pouco que temos, conseguimos fazer muito e isso é importante para que o trabalho continue transcorrendo dessa forma relatada aqui hoje”, comentou o juiz. Já o Prefeito de Pinhais, Luizão Goulart, ressaltou que é através dessa parceria com o Poder Judiciário e a Delegacia, que o município consegue prestar esse serviço de atendimento as mulheres. “Antes não havia com quem contar e hoje nós temos um serviço que funciona. Pois, a mulher não pode sofrer dois traumas, o primeiro da violência e o segundo de não ter com quem contar”, enfatizou o prefeito Luizão. No município de Pinhais, o Centro de Referência Especializado em Assistência Social - CREAS dá suporte e orientação às mulheres vítimas de violência. Ele fica na Rua 21 de Abril, 321 - Centro - Pinhais.

O evento realizado no Bosque Municipal reuniu setores do poder público e sociedade civil mobilizados pela causa

Momentos de alegria e emoção marcaram a solenidade que contou com a presença de autoridades, familiares e amigos dos graduandos

Servidores do Executivo e Legislativo concluem curso Tecnologia em Gestão Pública Na última quinta-feira (22), os 42 alunos do curso Tecnologia em Gestão Pública, ministrado pelo Instituto Federal do Paraná (IFPR) em parceria com a Prefeitura de Pinhais, receberam certificação. Os formandos e agora gestores públicos, são servidores da Câmara Municipal de Pinhais, local onde foi realizada a cerimônia, e da Prefeitura de Pinhais. Momentos de alegria e emoção marcaram a solenidade que contou com a presença de autoridades, familiares e amigos dos graduandos. A turma, formada no ano de 2009, passou por dois anos e meio de aprendizado. Além de buscar o aprimoramento dos alunos, a iniciativa também serviu de impulso para a ascensão profissional dos participantes e para a melhoria na qualidade dos serviços desenvolvidos no município. Para o prefeito Luizão, os profissionais formados através da parceria da Prefeitura de Pinhais e o IFPR são conquistas para

toda a cidade. “Um servidor bem capacitado e satisfeito trabalha com mais alegria, e isso beneficia não apenas a administração pública, mas toda a população”. De acordo com o prefeito, tão importante quanto fazer é saber exatamente o que se deve fazer, com segurança e perícia, e “é isso que a educação proporciona a quem se dispõe a investir nos estudos”. A parceria entre o município e o IFPR para o desenvolvimento do curso faz parte de um projeto do Governo Federal que visa a formação acadêmica de servidores públicos em todo o país. Em Pinhais, o curso de Tecnologia em Gestão Pública foi ministrado através do sistema Teleaula, em formato semipresencial, nas dependências da própria Prefeitura. De acordo com o Ministério da Educação, o diploma de tecnólogo tem a mesma validade que o de um curso universitário, de especialização e até mesmo de pós-graduação.


10

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

PIRAQUARA

ALMIRANTE TAMANDARÉ

Servidores recebem 13º salário em 15 de dezembro

Grupos ligados à Educação reclamam da falta de vagas e superlotação nos estabelecimentos de ensino já existentes

O Prefeito de Almirante Tamandaré, Vilson Goinski, anunciou ontem (27) que o pagamento da segunda parcela do 13º salário dos servidores públicos municipais, será efetuado no dia 15 de dezembro de 2012. A primeira parcela já foi paga em julho deste ano. Ainda, segundo Goinski, o último salário do ano será pago até o final do mês de dezembro. "É uma satisfação ter pago, nestes oito anos o sa-

Grupos ligados à Educação discutem construção de mais escolas

estaduais, este valor acaba sendo arcado pela Prefeitura. E quanto menos escolas, mais os alunos têm que ser transportados por longos trechos até chegar às escolas. Nesta questão do transporte escolar, após muita luta do município, o Estado já aumentou o valor repassado, mas ainda não é suficiente. Para o grupo reunido, a nova escola é uma conquista de toda a comunidade escolar que deve continuar mobi-

lizada na luta por mais vagas nas escolas estaduais. Cabe ressaltar que os Colégios Estaduais Prof. Mário B. T. Braga e Dr. Gilberto A. do Nascimento, já foram fruto da luta da comunidade por mais vagas no município já que o Colégio Estadual Romário Martins não comportava mais a demanda. A secretária de Educação Loireci Dalmolim de Oliveira destaca ainda que conforme a demanda, hoje há necessi-

dade de mais duas escolas no Guarituba, sendo uma na Rua Betonex e uma no bairro Guarituba circular, além de uma na Planta Deodoro, e devido ao grande número de novas moradias, é preciso mais duas escolas: uma no Santa Maria e uma no Santiago. A próxima reunião da equipe já tem data definida, será na próxima semana, na Superintendência de Desenvolvimento Educacional do Estado.

Goinski: "No dia 15 do próximo mês a segunda parcela do 13º está garantida"

PIÊN

Rematrícula para o ano letivo começou esta semana

ARAUCÁRIA

Município recebe investimentos para água e esgoto

A Secretaria Municipal da Educação de Piên, na Região Metropolitana de Curitiba, iniciou na última segunda-feira (26) o período de rematrículas para o ano letivo de 2013 em toda a rede municipal de ensino. Com isso, os pais devem procurar a creche ou escola mais próxima, de onde residem, munidos da certidão de nascimento da criança e comprovante de residência (conta de luz). O prazo para a matricula começa hoje (28) e termina amanhã (29), das 08h às 12h, em todas as instituições de ensino do município. Para o ingresso na Pré-Escola o aluno deverá ter cinco anos completos, ou completar até o dia 31 de março de 2013 e, para ingresso no primeiro ano, o candidato deverá ter seis

Carlos Poly/ACS

anos completos, ou completar até 31 de março. Caso não tenha alunos suficientes para fechar uma turma, a matrícula será transferida para a escola mais próxima, Lembrando que a transferência só é possível se houver comprovação de vaga na escola escolhida, e o transporte só será gratuito se não houver vaga na escola mais próxima. A Prefeitura informa que entre hoje e amanhã haverá ônibus nas localidades no mesmo horário dos alunos, e nos pontos de costume. Os alunos que residem em Trigolândia e sede do município poderão efetuar a matrícula também no período da tarde. Qualquer dúvida, os interessados devem procurar a escola mais próxima ou Secretaria Municipal de Educação.

Deputado estadual Francisco Bührer acompanhou prefeitos da RMC

o primeiro passo e estamos agradecidos por este investimento que irá ajudar bastante o município", disse o prefeito Zezé. Para o governador Beto Richa, os investimentos realizados pelo governo do estado por meio da Sanepar resultam em mais saúde e qualidade de vida para todos os paranaenses. "Mais um grande investimento do governo para a melhoria da qualidade de vida da região metropolitana. Temos investido muito na infraestrutura

para garantir o desenvolvimento econômico e social, e especificamente de forma sistemática em relação ao saneamento. Hoje, liberamos mais R$ 35 milhões que serão aplicados em cinco municípios, gerando quase seis mil postos de trabalho na execução das obras e, depois que estiverem concluídas, iremos gerar mais qualidade de vida e consequentemente a redução de demandas na área da saúde a partir do momento em que garantiremos um saneamento mais

adequado nestes municípios" detalhou. O compromisso da Sanepar com a universalização do atendimento à população com sistemas de água e esgoto foi ressaltado pelo presidente da empresa, Fernando Ghighone. "Cada real que o governo investe em obras de saneamento economiza quatro na saúde pública. Para Araucária, a Sanepar tem ainda R$ 15,28 milhões já assegurados para ampliação da rede coletora de esgoto em 2013", anunciou.

Divulgação/PMP

O prefeito de Araucária, Albanor Zezé Gomes, juntamente com o governador do Estado, Beto Richa, presidente da Sanepar, Fernando Ghignone, e os prefeitos de Almirante Tamandaré, Campo Magro, Quatro Barras e Rio Branco do Sul assinaram na última segunda-feira (26), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, ordens de serviço para ampliação dos sistemas de água e esgoto nos cinco municípios. Somados, os investimentos de R$ 35 milhões resultarão em benefícios para 132.000 pessoas, gerando ainda 5.989 empregos diretos e indiretos no período da execução da obra. Araucária é o município que receberá o maior investimento do governo do Estado, totalizando R$ 10,72 milhões. As obras de melhorias e ampliação do sistema de esgoto irão englobar a execução de 45 km de redes coletoras, implantação de 2.241 ligações residenciais e a construção da estação elevatória de esgoto Cachoeira. Serão gerados 1.813 empregos. "É um investimento alto. E isso se deve as negociações com a Sanepar no sentido de ampliar o sistema na cidade, resultando numa maior inclusão, pois hoje contamos com apenas 38% de rede de esgoto para atender nossa comunidade. Este é apenas

lário dos servidores sempre em dia. Mesmo com as dificuldades financeiras que enfrentamos na gestão do município", destacou Goinski. Nos últimos oito anos, o funcionalismo público de Almirante Tamandaré teve seus salários pagos em dia, o Décimo Terceiro pago antecipadamente, além de conquistas na carreira como implantações dos Planos de Cargos Carreiras e Vencimentos.

Divulgação/PMAT

Uma reunião com representantes de várias instituições de ensino e grupos da área da Educação aconteceu na sede da Prefeitura de Piraquara, na semana passada, com a finalidade de retomar a luta pela construção de mais escolas estaduais no município. A luta é antiga e começou em 2009 com o mesmo grupo. Durante o encontro, foi anunciado que está criada a Escola Estadual Planta Deodoro, que tem previsão de funcionamento já para 2013 e deverá atender em torno de 500 alunos do 6º ao 9º ano. Porém, para funcionar, ainda precisa ser finalizado o processo de locação do imóvel e a adequação para que tudo esteja pronto para receber os professores e alunos. A diretora da nova escola será a professora Eunice Nunes da Silva. A luta da comunidade para conseguir mais escolas estaduais em Piraquara, devido à falta de vagas e à superlotação nas escolas existentes, já dura vários anos. Outra questão onde a falta de escolas causa impacto é o transporte escolar. Como o Estado não repassa ao município o custo total do transporte de alunos de escolas

Frans Rodrigues/PMP

Comunidade luta pela conquista de mais escolas estaduais

Começa hoje o período de matrículas na rede pública municipal


PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

11

Foto: Osvaldo Ribeiro/ANPr

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, participou do 2.º Seminário de Desenvolvimento da Região de Cornélio Procópio, no Norte do Estado, que contou com 20 prefeitos eleitos e reeleitos dos 23 municípios da região.

JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE SÃO MATEUS DO SUL - ESTADO DO PARANÁ. EDITAL DE CITAÇÃO DE CLOVIS DOMINGUES BATISTA - COM O PRAZO DE TRINTA (30) DIAS. O Doutor César Augusto Bochnia, Juiz de Direito da Vara Cível Comarca de São Mateus do Sul, Estado do Paraná, na forma da lei, etc... FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que, neste Juízo e cartório Cível, se processam os autos nº 1121-39.2012.8.16.0158 de Ação de Busca e Apreensão, proposta por BV Financeira S.A. C.F.I. contra Clovis Domingues Batista, alegando a autora na inicial: “B. V. FINANCEIRA S.A. C.F.I.,CNPJ/CPF sob n° 01.149.953/0001-89, com sede em SAO PAULO - SP, sito à AVENIDA PAULISTA, 1274 - 9o ANDAR - CEP: 01310-000, por seus advogados infra-assinados (does.anexos), vem, respeitosamente à presença de V. Exa., propor a presente: AÇÃO DE BUSCA E APREENSÃO COM PEDIDO DE MEDIDA LIMINAR, com fundamento no artigo 3o do Decreto Lei n° 911/69, com a nova redação dada pela Lei n° 10.931/04, contra CLOVIS DOMINGUES BATISTA, inscrito (a) no CNPJ/ CPF sob n° 045.586.889-11, residente e domiciliado(a)/Sede à R MATOS COSTA 29 - CASA - VL AMERICANA - SAO MATEUS DO SUL/PR - CEP: 83900-000 , podendo ser localizado na R TEN MAX WOLF FILHO 386 PRÉDIO -CENTRO - SAO MATEUS DO SUL/PR - CEP: 83900-000, pelas razões de fato e de direito que a seguir passa a expor:I - DOS FATOS -1- O Suplicante é credor do(a) Suplicado(a) em razão de operação consubstanciada no incluso Contrato de Financiamento Garantido por Alienação Fiduciária n° 510156156, ( does. anexos), firmado em 15/9/2011, no valor de R$ 34.900,80 (TRINTA E QUATRO MIL, NOVECENTOS REAIS E OITENTA CENTAVOS), para ser pago na forma e condições contratualmente estabelecidas. 2Como garantia ao fiel cumprimento do avençado o Suplicante alienou fiduciariamente ao(a) Suplicado(a) o bem abaixo descrito, permanecendo na posse do mesmo a saber: 1) - FIAT - MILLE WAY ECONOMY(SO - 10/09 - PRETA - AFV4747 - 9BD15844AA6311645. 3 - Ocorre que, o(a) Suplicado(a) não cumpriu com a sua obrigação de pagamento, estando as prestações vencidas de 15/11/2011 à 15/3/2012, conforme demonstrativo doe. em anexo e atualizado até 20/3/2012. II - DO DIREITO - 4 - Estando a mora caracterizada por meio da inclusa notificação, (docs.anexos), tendo, ainda o Suplicante esgotado todos os meios para resolver a questão amigavelmente e estando o bem supra descrito em poder do Suplicado, a título precário, com fundamento no artigo 3o do Decreto-Lei n° 911/69, com a nova redação dada pela Lei n° 10.931/04, o Suplicante propõe a presente ação de Busca e Apreensão. III - DO PEDIDO. 5 - Por apresentar-se a inicial regularmente instruída e com base no artigo 3o do Decreto-Lei 911/69, com a nova redação dada pela Lei n° 10.931/04, requer V.Exa.: determine a expedição do competente mandado, no endereço supra citado, para o fim de ordenar liminarmente a Busca e Apreensão do bem antes descrito, com a sua entrega ao representante do Suplicante; na pessoa dos subscritores da presente ou à(o) Dr(a). ENEIDA WIRGUES., OAB/ PR n° 27.240. passando os mesmos a figurarem como fieis depositários do bem; ordene, uma vez ultimada a providência acima, a citação do(a) Suplicado(a), no endereço declinado no início, para contestar, querendo, sob pena de revelia; decorrido o prazo de 5 (cinco) dias após executada a liminar, protesta, desde já, pela faculdade do previsto no parágrafo Io do artigo 3o do Decreto Lei n° 911/69, com a nova redação dada pela Lei n° 10.931/04, independente da citação do réu; julgue procedente a presente ação, na forma do pedido, consolidando-se a posse do bem em mãos do Suplicante; e) defira os benefícios do artigo 172 e parágrafos do Código de Processo Civil, para cumprimento das diligências, bem como, se necessário, ordem de arrombamento e reforço policial, no caso de obstrução do cumprimento da ordem judicial; f) a condenação do Suplicado no pagamento das custas processuais e honorários advocatícios. 6 - Protestase, desde já requer, pela produção antecipada de todos os meios de prova em direito admitidos, por mais especiais que sejam, principalmente pelo depoimento pessoal do Suplicado, oitiva de testemunhas, juntada de documentos, etc. 7. Dá-se à presente, pra efeitos fiscais, o valor de R$ 34.900,80 (Trinta e quatro mil, novecentos reais e oitenta centavos).” Que foi deferida liminarmente a medida, tendo sido efetuada a busca e apreensão do veículo descrito na inicial. Que, pelo presente edital NOTIFICA Clovis Domingues Batista, atualmente em lugar ignorado, para purgar a mora, no prazo de cinco dias, conforme dispõe o artigo 3º, § 2º do Decreto-Lei nº 911/69. CITA para contestar querendo, no prazo de quinze dias, e na ausência de defesa presumir-se-ão aceitos como verdadeiros os fatos articulados pela autora na inicial, bem como sob pena de revelia e seus efeitos. DADO E PASSADO nesta cidade e Comarca de São Mateus do Sul, Estado do Paraná, aos dezenove dias do mês de outubro do ano de dois mil e doze. Eu,(a) (Matilde Olicheski Polak), escrivã, que o digitei e subscrevi.(a) Matilde Olicheski Polak Escrivã. Assino de ordem do MM. Juiz de Direito ( Portaria n°11/2007).

SÚMULA DE CONCESSÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO Derosso-Abastecimento Lavagem e Lubrificação Ltda torna público que recebeu da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a LO-11/0609, válida até 30/01/2013, para o Comércio Varejista de Combustíveis, situada à Rua Francisco Derosso, 420 – Curitiba – PR.

Súmula de Pedido de Renovação de Licença de Operação Derosso-Abastecimento Lavagem e Lubrificação Ltda torna público que requereu à Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a renovação da Licença de Operação, para o Comércio Varejista de Combustíveis, situada à Rua Francisco Derosso, 420 – Curitiba – PR.

SÚMULA DE CONCESSÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO Translíquido Transportes Ltda EPP. torna público que recebeu da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a LO-12/0107, válida até 23/10/2012, para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos, situada na Hermínio Nichele, 462 – Curitiba – PR.

Súmula de Pedido de Renovação de Licença de Operação Translíquido Transportes Ltda EPP. torna público que requereu à Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a renovação da Licença de Operação, para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos, situada na Hermínio Nichele, 462 – Curitiba – PR.

Secretaria apresenta programas para agricultura a prefeitos eleitos Segundo Ortigara, o governo do Estado pode ajudar muito os prefeitos desde que eles planejem suas ações, comuniquem com clareza o que querem e onde querem chegar e as formas de mensurar os resultados. “Todo atendimento da estrutura da Secretaria da Agricultura e do governo será por projetos bem estruturados e apresentados”, recomendou o secretário. O secretário explicou que foi autorizada a ampliação da estrutura do Instituto Emater em mais 500 técnicos para ajudar os prefeitos. Outra forma de ajudar os prefeitos será com a união de municípios em consórcios. Segundo Ortigara, programas como o Patrulhas do Campo, de readequação de estradas rurais lançado há pouco tempo pelo governador Beto Richa, vai atender as prefeituras organizadas em consórcios. DESONERAÇÃO Ortigara disse que a medida do Governo do Estado de desonerar as prefeituras de pagar o convênio de prestação de serviços de assistência técnica e extensão rural do Instituto Emater deve ser aproveitada para reinvestimentos no meio rural. Os municípios podem aproveitar os recursos para reestruturar as secretarias municipais de Agricultura, órgão que fará parcerias e articulações para acessar mais recursos. Entre os programas mais procurados pelas prefeituras são acesso à distribuição de calcário, adequação de estradas rurais e manejo de solos e água em microbacias. O governo vai se antecipar aos recursos do Banco Mundial e irá iniciar obras no ano que vem com investimentos de até R$ 170 mil por microbacia. Os demais programas apresentados como Fábrica do Agricultor, incentivo à diversificação da propriedade por meio da fruticultura, olericultura e criação de animais, Trator

O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, e o presidente do Instituto Emater, Rubens Niederheitmann participaram do 2º Seminário de Desenvolvimento da Região de Cornélio Procópio, no Norte do Estado, que contou com 20 prefeitos eleitos e reeleitos dos 23 municípios da região. Durante o seminário, realizado ontem (27), foram apresentadas as políticas públicas e os programas executados pelo sistema da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e suas seis empresas vinculadas.

Norberto Ortigara secretário da Agricultura e do Abastecimento

Solidário, Fundo de Aval, Habitações Rurais e outros tem por objetivo promover o aumento de renda no meio rural, aumentar a qualidade de vida e preservar o desenvolvimento sustentável. Segundo Ortigara, o objetivo do sistema Seab é ajudar as famílias rurais a construírem uma atividade rural com mais diversificação e com menos riscos decorrentes da monocultura. Para isso o governo deve ajudar no desenvolvimento de pesquisa, na busca de tecnologias e na capacitação de pessoas para desenvolver os projetos e viabilizar os resultados esperados. PREFEITOS A direção regional do Instituto Emater e do núcleo da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento em Cornélio Procópio entregaram a cada um dos prefeitos uma pasta contendo todas as informações sobre os programas disponíveis no sistema Seab e a melhor forma de acessá-los. O prefeito eleito de Cornélio Procópio, Frederico Carlos de Carvalho Alves, disse que a partir de janeiro de 2013, entre as primeiras medidas que vai adotar na prefeitura será a criação de uma secretaria municipal de agricultura e a inclusão do seu município num consórcio intermunicipal. Alves falou em nome dos prefeitos sobre a importância do seminário para a região que tem 80% de sua economia dependente do desenvolvimento da agropecuária. Ele disse que está otimista com as possibilidades apresentadas pelo secretário Ortigara para a região, como a diversificação da atividade rural com o cultivo de banana e laranja. Sobre seu município manifestou otimismo também com o incentivo à criação de peixes em pequenas e médias propriedades que poderão oferecer a produção a um frigorifico de peixes que está para ter suas obras concluídas.


12

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

PREFEITURA DE COLOMBO

SINDITAX – SINDICATO DOS TAXISTAS DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS – PR.

Estado do Paraná

Ref.: ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

PORTARIA N.º 1783/2012 O PREFEITO MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paraná, no uso das atribuições que lhe são conferidas por Lei, RESOLVE: I - Designar o Servidor Nelson Luiz Jardwski, RG. 4.168.458-5, como fiscal da Ata nº 334/2012, referente ao Pregão nº 125/2012, cujo objeto é a contratação de empresa especializada para fornecimento de diesel S50 e reagente ARLA 32, para abastecimento dos veículos ônibus escolares, atendendo as necessidades da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes, conforme quantidade e especificação constante no anexo que integra o presente edital. Dê-se publicidade, Paço Municipal de Colombo Em 23 de novembro de 2012. JOSÉ ANTONIO CAMARGO Prefeito Municipal

PORTARIA n° 1785/2012 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Art. 1º - Conceder Aposentadoria Voluntária Especial de Magistério, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal EDNA RUBIO, RG: 3.606.425-0/PR, CPF: 510.388.979-04, no cargo de PROFESSORA, sob matrícula nº. 534, como dispõe o art. 6º da Emenda Constitucional 41/2003 e art. 84 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob n° 163/ 2012, percebendo proventos mensais de dois mil, duzentos e vinte e oito reais e vinte e cinco centavos. Sendo garantida a isonomia e paridade com o servidor na atividade. Dê-se publicidade Paço Municipal de Colombo Em 26 de novembro de 2012. JOSÉ ANTONIO CAMARGO Prefeito Municipal

PORTARIA N° 1786/2012 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Art. 1º - Conceder Aposentadoria Voluntária Especial de Magistério, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal MARTA BUENO GONÇALVES, RG: 3.121.823-3/PR, CPF: 617.766.029-00, no cargo de PROFESSORA, sob matrícula nº. 1573, como dispõe o art. 6º da Emenda Constitucional 41/2003 e art. 84 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob n° 164/2012, percebendo proventos mensais de dois mil, cento e cinquenta e oito reais e oitenta centavos. Sendo garantida a isonomia e paridade com o servidor na atividade. Dê-se publicidade Paço Municipal de Colombo Em 26 de novembro de 2012. JOSÉ ANTONIO CAMARGO Prefeito Municipal

PORTARIA N° 1787/2012 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no

uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Art. 1º - Conceder Aposentadoria Voluntária Especial de Magistério, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal MARTA BUENO GONÇALVES, RG: 3.121.823-3/PR, CPF: 617.766.029-00, no cargo de PROFESSORA, sob matrícula nº. 4424, como dispõe o art. 6º da Emenda Constitucional 41/2003 e art. 84 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob n° 164/2012, percebendo proventos mensais de dois mil, vinte e quatro reais e setenta e seis centavos. Sendo garantida a isonomia e paridade com o servidor na atividade. Dê-se publicidade Paço Municipal de Colombo Em 26 de novembro de 2012. JOSÉ ANTONIO CAMARGO Prefeito Municipal

PORTARIA N° 1788/2012 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Art. 1º - Conceder Aposentadoria Voluntária Especial de Magistério, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal VERA LUCIA DE CARVALHO ALVES RG: 1.486.603/PR, CPF: 549.316.229-68, no cargo de PROFESSORA, sob matrícula nº. 2178, como dispõe o art. 6º da Emenda Constitucional 41/2003 e art. 84 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob n° 168/2012, percebendo proventos mensais de um mil, oitocentos e trinta e cinco reais e trinta e sete centavos. Sendo garantida a isonomia e paridade com o servidor na atividade. Dê-se publicidade Paço Municipal de Colombo Em 26 de novembro de 2012. JOSÉ ANTONIO CAMARGO Prefeito Municipal

RESOLUÇÃO Nº 08 - 27 de Novembro de 2012. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em uso de suas competências e atribuições conferidas pela Lei Municipal 400/90 e 1224/2011, em assembléia extraordinária, no dia 27 de Novembro de 2012. Resolve: Art 1º - Aprovar o Plano de Trabalho do Programa Atitude 2013 Art 2° - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação. Rosimeri Araújo Presidente CMDCA

RESOLUÇÃO Nº 09 - 13 de Novembro de 2012. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em uso de suas competências e atribuições conferidas pela Lei Municipal 400/90 e 1224/2011, em assembléia ordinária, no dia 13 de Novembro de 2012. Resolve: Art 1º - Aprovar o Plano Aplicação da Casa de Apoio Sete Anjos, com recurso da venda do veículo Gol - 96. Este adquirido com recurso do FIA. Art 2° - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação. Rosimeri Araújo Presidente CMDCA

O presidente em exercício do SINDITAX – SINDICATO DOS TAXISTAS DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS – PR, Sr. Arnaldo Alves Ribeiro, no uso de suas atribuições estatutárias, vem convocar, dentro do prazo estabelecido no art. 19 do Estatuto deste SINDITAX, todos os sindicalizados para comparecer à Assembléia Geral Extraordinária que irá ser realizada no dia 01 de dezembro de 2012, no plenário da Câmara Municipal de Vereadores de São José dos Pinhais, sito a Rua Veríssimo Marques, nº 699, Centro em São José dos Pinhais, PR, a instalar-se em primeira convocação às 08:30 se presentes 2/3 dos associados e, em segunda convocação às 09:00 horas, independente do número de associados presentes, conforme prevê o art. 18, alíneas a e b do Estatuto do SINDITAX, tendo a seguinte ordem do dia: 1 – Prestação de contas gestão agosto/2012 à novembro/ 2012; 2 – Posse da nova Diretoria; 3 – Planejamento 2013. São José dos Pinhais, 27 de novembro de 2012. Arnaldo Alves Ribeiro Presidente SINDITAX

EDITAL DE CITACAO DE - L CONSTRUÇÕES E REFORMAS LTDA - CNPJ/MF 11.265.818/000152. PRAZO DE VINTE (20 ) DIAS. A Doutora Danielle Nogueira Mota Comar, Juíza de Direito da Primeira Vara Cível da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, Foro Regional de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, etc.,F A Z S A B E R a todos quantos virem o presente edital ou conhecimento dele tiverem, que encontra-se tramitando perante este Juízo e Cartório os autos sob o nº 0016434-89.2010.8.16.0035 (2480/2010) de Ação de Execução de Título Extrajudicial, em que é exeqüente Ananda Metais Ltda, e executado L Construções e Reformas Ltda, nos termos a seguir transcritos conforme minuta apresentada pelo requerente de fls.153 : ficando através do presente a empresa executada L. CONSTRUÇÕES E REFORMAS EM GERAL LTDA, que encontra-se em lugar incerto e não sabido, devidamente CITADA dos termos da ação e do resumo da inicial a seguir segue descrita: A exeqüente é credora da Executada pela quantia liquida, certa e exigível de R$ 1.658,80 (um mil, seiscentos e cinqüenta e oito reais e oitenta centavos), em razão da transação comercial entre as partes, cujo pagamento se daria mediante a compensação do cheque nº 00041, emitido em 31/03/2010, o qual foi tempestivamente depositado, sem contudo, obter êxito no recebimento do valor devido, vez que foi devolvido pelo Banco por insuficiência de fundos. Ocorre que a Executada deixou de cumprir o pactuado não honrando com o pagamento. Requer a citação da executada para efetuar o pagamento no valor de R$ 1.771,31, atualizada até 31/08/2010, bem como, deverá constar os acréscimos legais até o seu efetivo pagamento. E tendo em vista que foram esgotados todos os meios suasórios de cobrança, não restou a exeqüente outra alternativa senão a via judicial para o recebimento de seu crédito o faz através da presente execução.Após várias tentativas de citação da executada, não foi obtido êxito, fica assim a executada L. CONSTRUÇÕES E REFORMAS EM GERAL LTDA, devidamente CITADA dos termos da presente ação através do presente edital. ADVERTÊNCIA: Efetuar o pagamento no prazo de 03 (três) dias, nos termos do artigo 652 e seguintes e artigo 738 do CPC. E para que chegue ao conhecimento de todos e no futuro não costume alegar ingnorância, passei o presente Edital que será afixado no lugar de costume e publicado na forma da Lei. Advertindo-o de que se não forem contestados presumir-se-ão aceitos pelo mesmo como verdadeiros os fatos articulados pelo requerente (art.285 e 319 ambos do Código de Processo Civil). Para constar lavrou-se o presente. São José dos Pinhais, 07 de novembro de 2012. Eu (a) (Rosana de Lima Bonato) Auxiliar de Justiça Juramentada que o digitei e subscrevi. Subscrição autorizada pelo MM. Juiz - Portaria 02/10.

JUÍZO DE DIREITO DA DÉCIMA NONA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - ESTADO DO PARANÁ EDITAL DE CITAÇAO DE PAULO GILBERTO PACHECO MANDELLI (CPF/MF: 717.373.919-53), COM PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS. ; FAZ SABER a todos que o presente edital virem ou dele souberem, que perante o MM. Juízo de Direito da 19a Vara Cível da Comarca de Curitiba - PR, tramitam autos de EXECUÇAO DE TITULO EXTRAJUDICIAL autuados sob o n° 08/2001 (0000660-73.2000.8.16.0001), movido por MILTON PETTERSSEM, em face de PAULO GILBERTO PACHECO MANDELLI e ALBA MARIA WOLLINGER MANDELLI, ambos brasileiros, casados entre si, empresários, residentes e domiciliados nesta Capital, demais dados de qualificação desconhecidos, com último endereço conhecido na Avenida Visconde de Guarapuava, no 5.087, 16° andar, apartamento 1.601, Edifício Rio Danúbio, encontrando-se atualmente em local incerto e não sabido, conforme consta das Certidões do Sr. Oficial de Justiça, e em virtude do arresto que recaiu sobre bens móveis de sua propriedade, objeto das matrículas n°s. 18.829 e 48.475, ambos do Registro de Imóveis da 4° Circunscrição de Curitiba, para a garantia do débito montante em 13/06/2009 (ultima planilha demonstrativa do débito existente nos autos) R$ 113.023,23 (cento e treze mil e vinte e três reais e vinte e três centavos) mais acréscimos legais juros, correção monetária e custas judiciais). Contabilizados até a data da efetiva satisfação do crédito, FICA pelo presente, devidamente CITADO e ciente do prazo legal de 03 (três) dias para pagar o débito, findos quais restará convolado o arresto em penhora para todos os efeitos legais, restando-lhe então o prazo legal de 15 (quinze) dias para opor eventual embargo à execução, tudo em conformidade às disposições do artigo 652 e seguintes e 738 e seguintes do Código de Processo Civil Brasileiro. O presente edital será afixado em local de costume, no Fórum, e publicado na forma da lei. DADO E PASSADO nesta Cidade de Curitiba - Capital do Estado do Paraná, aos cinco dias do mês de novembro do ano de dois mil e doze. ‘(a) FERNANDO DE AVILA OLIVEÍRA E. Juramentado - Portaria 161/2006 Por ordem do MM. Juiz


| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

13

Dirceu João Maschyo E-MAIL: dirceumetropole@hotmail.com

SÉRIE B - CURITIBA

NEM ATLÉTICO, NEM PARANÁ. Duelo Rubro-negro x Tricolor foi outro Bangú sai à frente do Operário Pilarzinho por uma vaga na Série A

Bangú só depende de um empate no Monte Bérico para garantir o acesso à Série A de 2013

Rubro-negro venceu e leva vantagem para o jogo de volta

Numa tarde em que o foco de tricolores e rubronegros era outro jogo, Atlético x Paraná, no futebol amador não poderia ser diferente. Em campo duas equipes brigando por uma vaga na decisão da Série B da Suburbana e o tão sonhado acesso à divisão principal. Operário Pilarzinho e Bangú fizerem um jogo disputado lance a lance no estádio Bôrtolo Gava, na tarde de sábado (24). E sem se importar com a torcida fervorosa que apoiava os donos da casa a todo instante, o Bangú garantiu a vitória sobre o Pilarzinho por 2x1. Os gols do rubro-negro vieram de penalidades cobradas por Giva e Ricardinho. Peter marcou para os donos da casa.

Rebaixado em 2011, Operário Pilarzinho quer a todo custo a classificação

Pilarzinho teve maior posse de bola mas saiu com a derrota por 2x1

O resultado faz com que o Bangú precise de apenas um empate em seus domínios, o estádio Monte Bérico, para chegar à decisão diante do Umbará ou União Ahú. O Op. Pilarzinho precisa vencer por qualquer placar para levar a partida para a prorrogação, e pênaltis se for o caso. O jogo de volta será no próximo sábado (1), no estádio Monte Bérico, às 16h. OP. PILARZINHO 2X1 BANGÚ O jogo começou a todo o vapor, com os donos da casa abusando dos ataques rápidos e priorizando a posse de bola. Mas o Bangú tinha uma forte linha defensiva montada, impedindo o

Nem Atlético, nem Paraná O duelo da tarde de sábado era entre outros rubro-negros e tricolores

Pilarzinho de finalizar com êxito os arremates. E como diz o ditado - “quem não faz leva” – o Pilarzinho viu o rubro-negro sair a frente. Aos 35 minutos Sagui é derrubado na área. Giva cobra com categoria e abre o placar para os visitantes. Na segunda etapa, o Pilarzinho correu atrás do prejuízo e chegou ao empate logo aos 9 minutos iniciais. Espiga dá um passe precioso para Peter balançar a rede do Bangú e deixar tudo igual no Bôrtolo Gava. O Pilarzinho continou firme na posse de bola, mas em um erro da zaga, mais uma penalidade foi assinalada pelo arbitro Rafael Traci. Ricardinho

cobra no canto de Jura e dá a vitória e a vantagem no jogo de volta para o Bangú. Final Op. Pilarzinho 1x2 Bangú. Resultado que deixa o rubro-negro a um empate de subir para Série A da Suburbana. Pilarzinho Jura, Renan (Lê), Willian, Ricardo (a), Leandrinho, Cascão, Paraguai, Robson, Peter, Thiago Pioto (Rogerinho) e Espiga - Téc: José Maria. Bangu Marcão, Valdir, Eliseu, Everton, Foca (a), Edimar, Clé, Lindomar, Giva (Ricardinho), Adriano Sagui e Marquinhos - Téc: Jeferson Souza.

3383-6650


14

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Ginástica rítmica são-joseense conquista título em Cascavel Equipe viajou com 20 atletas para o Oeste do Estado e categoria infantil conquista o 1º lugar na modalidade po forte formado", afirma. O presidente da Aginarc ressalta que viu a grande importância de desenvolver o projeto no município. "Quando implantamos a ginástica rítmica em São José dos Pinhais fomos surpreendidos pelo sucesso. Atualmente contamos com 150 meninas nas escolinhas de base e na equipe, que já disputa várias competições e treina em dois núcleos, um no bairro Cidade Jardim e outro no Ginásio de Esporte da Colônia Rio Grande", explica Paulo Roberto. Para o próximo ano, a Aginarc pretende ampliar o trabalho em outros núcleos do município, já que a procura é grande e os dois locais de treinamento já não atende a demanda. "A procura é grande e não temos espaço, pois não contamos com ajuda de patrocinadores. Esperamos que em 2013 possamos continuar com este projeto e conquistar patrocínios para ampliar o nosso trabalho", diz o presidente da Aginarc. O festival de encerramento do ano com as meninas da ginástica rítmica de São José dos Pinhais acontece no dia 9 de dezembro, no Ginásio Ney Braga, a partir das 14h.

Fotos Paulo Roberto dos Santos/Aginarc

A ginástica rítmica de São José dos Pinhais encerra o ano com chave de ouro. Após uma das mais brilhantes apresentações nos Jogos da Juventude do Paraná 2012, realizados no Ginásio de Esporte Max Rosenmann, no bairro Afonso Pena, na semana passada, 20 ginastas viajaram para Cascavel (Oeste do Paraná) no último final de semana e conquistaram mais um título inédito para o município, onde a equipe infantil sagrou-se campeã da modalidade ao se classificar em primeiro lugar. O são-joseense Paulo Roberto dos Santos, que preside o grupo das ginastas, denominado de "Aginarc", afirma que é gratificante ver os resultados do grupo, já que, segundo ele, o projeto está em São José dos Pinhais desde 2009. "Já conquistamos vários títulos nacionais e internacionais", diz Paulo Roberto. De acordo com ele, graças ao empenho da sua filha Luana Isabele, dona de títulos nacionais e internacionais da modalidade em Cuba, pela Seleção Brasileira, que começou a dar aulas para meninas de São José dos Pinhais. "Daí em diante, foram só conquistas e hoje temos um gru-

Meninas de ouro de São José dos Pinhais dão show em Cascavel

Tricolor Sub-18 é eliminado do Estadual A equipe de Sub-18 do Paraná Clube acabou sendo eliminada pelo Coritiba, após perder o jogo válido pela semifinal da Copa Sub-18, na tarde do último sábado, no CT da Graciosa. O placar foi de 4 x 1 favorável para a equipe coxa branca, que agora disputa a final com o Atlético Paranaense. Com o resultado negativo, o Paraná Clube, que havia vencido os alviverdes na partida de ida por 1 x 0, encerrou sua campanha no Campeonato Paranaense da categoria. Isso porque a equipe ficou em desvantagem no saldo de gols total entre as duas partidas da semifinal. Durante a partida, no último final de semana, o Coritiba abriu o placar aos 20 minutos da etapa inicial de pênalti. No 2º tempo, os anfitriões marcaram mais dois gols: outro de pênalti e um saindo de uma jogada dentro da área, abrindo três gols de vantagem. Aos 10 minutos da etapa complementar, o Tricolor Paranaense, treinado

Tricolor é eliminado após perder para o Coxa por 4 x 1

por Milton do Ó, ensaiou uma reação na partida quando o atacante paranista Arthur diminuiu a vantagem alviverde: Coritiba 3x1 Paraná. No entanto, o time da Graciosa conseguiu marcar seu quarto tento, complicando a vida dos atletas

paranistas, que, entretanto, se dedicaram até o fim para diminuir a vantagem dos rivais e, pelo menos, levar a decisão para os pênaltis. Mas não deu tempo, e o placar final ficou em 4x1 para o Coritiba. O balanço total da campanha paranista no esta-

dual ficou assim: 14 vitórias, três empates e três derrotas. Agora, vários dos atletas do Sub-18 começam a focar os trabalhos na Copa São Paulo de Futebol Júnior, que será disputada em janeiro. A final do Paranaense Sub-18 será disputada entre Atlético e Coritiba.

Atletiba Sub-18 decide Campeonato Estadual O Coritiba Sub-18 entra em campo na tarde de hoje (28) para enfrentar o Atlético Paranaense no primeiro jogo da final do Campeonato Estadual da categoria. O confronto acontece no Estádio Janguito Malucelli a partir das 15h30, com entrada franca. A disputa pelo título promete muito equilíbrio, tendo em vista a campanha parecida das equipes dentro da competição. O Coxa entrou em campo 20 vezes, venceu 14, empatou cinco e perdeu apenas uma. Já o time atleticano disputou 18 partidas, venceu 14, empatou duas e perdeu outras duas. Por ter melhor campanha na somatória da segunda, terceira e quarta fase, o Coxa decide o título em casa. No ano passado, o Estadual Sub-18 também foi decidido no clássico Atletiba. Na ocasião, o Coxa perdeu em casa e venceu o rival na Arena da Baixada, porém, nos pênaltis o Atlético levou a melhor. De acordo com o regulamento da competição, em caso de igualdade de pontos ao final das duas partidas, o critério de desempate será o saldo de gols. Caso a igualdade se mantenha, o campeão será conhecido nas cobranças de pênalti.


| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Artigo Adelino Venturi De acordo com as agências de notícias, um levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde indica que 77 municípios brasileiros estão em situação de risco para a dengue, incluindo uma capital, Porto Velho. Nessas áreas, onde vivem mais de 5,7 milhões de pessoas, mais de 3,9% dos imóveis pesquisados apresentam larvas do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti. Além disso, 375 cidades estão em situação de alerta para a dengue (índice de infestação entre 1% e 3,9%), enquanto 787 registraram índices considerados satisfatórios (menores que 1%). A pesquisa foi realizada em

Dengue: o inimigo silencioso 1.239 municípios brasileiros. No ano passado, 800 prefeituras haviam participado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), feito pelo governo desde 2003. Das 77 cidades em situação de risco para a dengue, 58 participaram da pesquisa pela primeira vez e dez mantêm a classificação desde o ano passado. Em 2011, 48 municípios foram identificados em situação de risco, 338 estavam em alerta e 414 apresentaram índice satisfatório. No Nordeste, mais de 70% das larvas do mosquito se concentram em reservatórios de água. No Sudeste, mais da metade dos focos (59,2%) estão em depósitos domiciliares. No Sul e no Centro-Oeste, o problema maior é o lixo, enquan-

to no Norte há uma situação de equilíbrio entre o armazenamento de água e o lixo. O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, lembrou que, em dezembro, o verão começa oficialmente no país e que o período é considerado predominante para a circulação do vírus da dengue. "Contamos com a parceria importante de estados e municípios para que a gente tenha uma mobilização com antecedência para evitar epidemias no próximo verão", disse. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, alertou que o LIRAa funciona como uma espécie de fotografia de momento e que a circulação da dengue deve aumentar em alguns municípios. "Teremos mais chuvas, o que é um ambiente

mais provável para infestação do mosquito. Certamente teremos municípios com situação de epidemia", disse. São importantíssimas as informações. O mosquito da dengue é um inimigo invisível, mas é letal. O mal da dengue pode ser fatal. As crianças são as maiores vítimas. Todo cuidado é importante. E tudo se resume aos hábitos das pessoas, à qualidade do meio ambiente, á

consciência de prevenção que leva a hábitos saudáveis, como a limpeza, a higienização dos ambientes domésticos e, também, nas empresas, nas escolas; enfim, em todos os lugares que compõem o ambiente da vida humana e animal. Em São José dos Pinhais realiza-se neste momento campanhas de mérito, como a realizada nos últimos dias pela Prefeitura em vários locais, entre eles o Shopping

São José. É preciso atender ao chamado da prevenção, observar as campanhas nos seus detalhes e, acima de tudo, ter a consciência de que o combate à dengue é muito sério, de vida ou morte. Adelino Venturi é professor, empresário e membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial, Industrial, Agrícola e de Prestação de Serviço (Aciap), de São José dos Pinhais


2

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |


6

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

Resíduos têxteis são reutilizáveis na construção civil No futuro, poderá ser possível reaproveitar resíduos de tecidos gerados pela indústria têxtil na construção civil, como isolamento térmico de edifícios, com uma eficiência semelhante à de materiais utilizados atualmente. Esta é a conclusão de um estudo realizado por investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, da Universidade de Aveiro e da Universidade Fernando Pessoa, que vai ser publicado na revista Construction and Building Materials (CBM) no início de 2013. A indústria têxtil é um dos sectores mais importantes da economia portuguesa, com grande contributo para as exportações. E, como todas as indústrias, produz resíduos que podem ser reaproveitados. O estudo resulta de uma parceria estabelecida com empresas têxteis e analisa dois desses resíduos – restos de tecidos e uma espécie de cotão, que resulta do aproveitamento de restos de tecidos para o fabrico de colchões e carpetes. Os autores do artigo inspiraram-se na utilização de vestuário. “Fazemos roupas com tecidos, que servem para proteger do frio e do calor”, refere Anabela Paiva, professora da Universidade de Trás-os Montes e Alto Douro e uma das autoras do artigo. “Considerámos que os desperdícios de tecidos teriam um comportamento térmico semelhante ao das roupas e resolvemos fazer um conjunto de ensaios para o confirmar.” O estudo a ser publicado pela CBM conclui que os restos de tecidos e o cotão podem ser utilizados como enchimento de paredes duplas, com resultados semelhantes ao de outros materiais utilizados em construção civil como o poliestireno extrudido, o poliestireno expandido, a lã mineral e a lã de rocha. A reutilização de resíduos em substituição destes materiais contribui para uma maior sustentabilidade da construção civil, e é um dos objectivos dos autores do artigo. “Estamos a desenvolver trabalho na área da reutilização de materiais, quer da indústria têxtil, quer resultante da atividade agrícola”, indica Ana Paiva. O artigo científico foi possível graças ao estabelecimento de parcerias com quatro empresas têxteis: Textâmega, Supercorte, Pastopo e Profato. “A cooperação entre universidades e indústria é importante para ambas as partes”, refere Ana Paiva. “Os investigadores ficam a conhecer as necessidades reais da indústria e investigam no sentido de responder a essas necessidades e apresentar resultados que tenham uma aplicação prática.”

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

Demonstrações do resultado Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 31 de dezembro de 2010 (Em milhares de reais)

Gestamp Paraná S.A. 02.147.467/0001-94

Receita operacional líquida (Nota 16) Custo dos produtos vendidos e dos serviços prestados

Balanços patrimoniais 31 de dezembro de 2011 e 2010 - (Em milhares de reais) 31/12/2011

31/12/2010

Ativo Circulante Caixa e equivalente de caixa (Nota 4) Contas a receber de clientes (Nota 5) Estoques (Nota 6) Adiantamentos a fornecedores Impostos e contribuições a compensar (Nota 7) Partes relacionadas (Nota 12) Demais contas a receber Total do ativo circulante

13.032 132.649 189.557 50.193 72.347 5.541 5.198 468.517

40.888 95.159 87.506 37.378 30.741 5.844 5.169 302.685

Não circulante Impostos e contribuições a compensar (Nota 7) Depósitos judiciais (Nota 14) IRPJ e CSLL diferido (Nota 13) Investimentos (Nota 8) Imobilizado (Nota 9) Intangível Total do ativo não circulante

10.920 656 3.539 61.663 383.672 460.450

5.500 357 7.793 51.734 236.647 2.701 304.732

Total do ativo

928.967

607.417

31/12/2011

31/12/2010

Passivo Circulante Fornecedores Empréstimos e financiamentos (Nota 10) Adiantamentos de clientes Imposto de renda e contribuição social (Nota 13) Tributos a recolher (Nota 11) Salários e encargos a pagar Partes relacionadas (Nota 12) Demais contas a pagar Total do passivo circulante

107.553 64.231 45.867 80 11.627 14.948 145.843 4.537 394.686

43.497 11.709 37.884 7.092 6.871 10.686 64.627 10.240 192.606

Não circulante Empréstimos e financiamentos (Nota 10) Partes relacionadas (Nota 12) Tributos a recolher (Nota 11) Provisão para contingências (Nota 15) Juros sobre capital próprio a pagar Total do passivo não circulante

66.573 249.494 7.027 9.867 332.961

51.863 165.216 197 4.444 221.720

Patrimônio líquido (Nota 15) Capital social Reserva de lucros Ajuste de avaliação patrimonial Lucros acumulados Total do patrimônio líquido

96.031 4.519 (9.110) 109.880 201.320

96.031 3.598 (10.499) 103.961 193.091

Total do passivo e patrimônio líquido

928.967

607.417

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Demonstrações das mutações do patrimônio líquido Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 - (Em milhares de reais)

Saldos em 31 de dezembro de 2009

Capital Social

Reserva de Lucros

Outros resultados abrangentes Ajuste de avaliação patrimonial

Lucros acumulados

Total

66.841

2.784

-

52.436

122.061 868 23.178 29.190 55.276 (10.499) (26.983)

29.190 -

814 -

(10.499) -

868 23.178 55.276 (814) (26.983)

Saldos em 31 de dezembro de 2010

96.031

3.598

(10.499)

103.961

193.091 18.425 1.389 (11.585) 201.320

Saldo em 31 de dezembro de 2011

-

921 -

1.389 -

18.425 (921) (11.585)

96.031

4.519

(9.110)

109.880

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Notas explicativas às demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2011 e 2010 (Em milhares de reais) 1. Informações sobre a Companhia A Gestamp Paraná S.A. (“Companhia”), com sede em São José dos Pinhais, Estado do Paraná, foi constituída em 16 de julho de 1997 e iniciou suas operações em 10 de junho de 1999. Tem como objetivo social a industrialização, importação e exportação de componentes automotivos, bem como a participação em outras sociedades. Em 30 de dezembro de 2010, a Assembleia Geral Extraordinária aprovou a incorporação da controlada MB Metalbages do Brasil Ltda. e controlada indireta Gestamp Gravataí Indústria de Autopeças S.A., cujo processo de incorporação resultou no aumento do capital da Companhia em R$ 29.190. 2. Sumário das políticas contábeis 2.1 - Base de preparação e apresentação das demonstrações financeiras As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com diversas bases de avaliação utilizadas nas estimativas contábeis. As estimativas contábeis envolvidas na preparação das demonstrações financeiras foram baseadas em fatores objetivos e subjetivos, com base no julgamento da administração para determinação do valor adequado a ser registrado nas demonstrações financeiras. Itens significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem a seleção de vidas úteis do ativo imobilizado e de sua recuperabilidade nas operações, avaliação dos ativos financeiros pelo valor justo e pelo método de ajuste a valor presente, análise do risco de crédito para determinação da provisão para devedores duvidosos, assim como da análise dos demais riscos para determinação de outras provisões, inclusive para contingências. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores significativamente divergentes dos registrados nas demonstrações financeiras devido ao tratamento probabilístico inerente ao processo de estimativa. A Companhia revisa suas estimativas e premissas pelo menos anualmente. As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as políticas contábeis adotadas no Brasil, que compreendem os pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). As demonstrações financeiras da Gestamp Paraná S.A. (“Companhia”) para o exercício findo em 31 de dezembro de 2011 foram autorizadas para emissão pela administração em 23 de outubro de 2012. 2.2 - Reconhecimento de receita A receita é reconhecida na extensão em que for provável que benefícios econômicos serão gerados para a Companhia e quando possa ser mensurada de forma confiável. A receita é mensurada com base no valor justo da contraprestação recebida, excluindo descontos, abatimentos e impostos ou encargos sobre vendas. A Companhia avalia as transações de receita de acordo com os critérios específicos para determinar se está atuando como agente ou principal e, ao final, concluiu que está atuando como principal em todos os seus contratos de receita. Os critérios específicos, a seguir, devem também ser satisfeitos antes de haver reconhecimento de receita: Venda de produtos A receita de venda de produtos é reconhecida quando os riscos e benefícios significativos da propriedade dos produtos forem transferidos ao comprador, o que geralmente ocorre na sua entrega. Receita de juros Para todos os instrumentos financeiros avaliados ao custo amortizado e ativos financeiros que rendem juros, classificados como disponíveis para venda, a receita ou despesa financeira é contabilizada utilizandose a taxa de juros efetiva, que desconta exatamente os pagamentos ou recebimentos futuros estimados de caixa ao longo da vida estimada do instrumento financeiro ou em um período de tempo mais curto, quando aplicável, ao valor contábil líquido do ativo ou passivo financeiro. A receita de juros é incluída na rubrica receita financeira, na demonstração do resultado. 2.3 - Conversão de saldos denominados em moeda estrangeira As demonstrações financeiras são apresentadas em Reais (R$), que é a moeda funcional da Companhia. As transações em moeda estrangeira são inicialmente registradas à taxa de câmbio da moeda funcional em vigor na data da transação. Os ativos e passivos monetários denominados em moeda estrangeira são reconvertidos à taxa de câmbio da moeda funcional em vigor na data do balanço. Todas as diferenças são registradas na demonstração do resultado. 2.4 - Caixa e equivalente de caixa Inclui caixa, saldos em conta movimento, aplicações financeiras resgatáveis no prazo de até 90 dias das datas das transações e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado. As aplicações financeiras incluídas nos equivalentes de caixa, em sua maioria, são classificadas na categoria “ativos financeiros ao valor justo por meio do resultado”. 2.5 - Contas a receber de clientes As contas a receber de clientes são registradas pelo valor faturado, ajustado ao valor presente quando aplicável, incluindo os respectivos impostos diretos de responsabilidade tributária da Companhia, menos os impostos retidos na fonte, os quais são considerados créditos tributários. O prazo médio de recebimento é equivalente a 30 dias. A provisão para devedores duvidosos foi constituída em montante considerado suficiente pela administração para fazer face às eventuais perdas na realização dos créditos e teve como critério a análise individual dos saldos de clientes com risco de inadimplência. 2.6 - Estoques Os estoques de matérias primas, insumos, materiais e mercadoria para revenda são avaliados ao custo médio de aquisição ou valor líquido realizável, dos dois o menor. O valor realizável líquido corresponde ao preço de venda no curso normal dos negócios, menos os custos estimados de conclusão e os custos estimados necessários para a realização da venda. As provisões para estoques de baixa rotatividade ou obsoletos são constituídas quando consideradas necessárias pela Administração. 2.7 - Investimentos Os investimentos são avaliados pelo método de equivalência patrimonial. A variação cambial de investimentos no exterior é registrada no patrimônio líquido como ajuste de avaliação patrimonial. 2.8 - Arrendamentos mercantis A caracterização de um contrato como arrendamento mercantil está baseada em aspectos substantivos relativos ao uso de um ativo ou ativos específicos ou, ainda, ao direito de uso de um determinado ativo, na data do início da sua execução. Arrendamentos mercantis para os quais a Companhia não transfere substancialmente todos os riscos e benefícios da posse do ativo são classificados como arrendamentos mercantis operacionais. Custos diretos iniciais incorridos na negociação de arrendamentos mercantis operacionais são adicionados ao valor contábil do ativo locado e reconhecidos ao longo do prazo do arrendamento com base semelhante à receita de aluguel. Aluguéis contingentes são reconhecidos como receita ao longo do tempo em que eles são auferidos. 2.9 - Imobilizado Registrados ao custo de aquisição ou formação. A depreciação é calculada de forma linear ao longo da vida útil do ativo, a taxas que levam em consideração a vida útil estimada dos bens, conforme descrito abaixo. Média ponderada de vida útil Edificações 25 anos Instalações fabris 10 anos Embalagens metálicas 5 anos Máquinas e equipamentos 15 anos Veículos 5 anos Móveis e utensílios 10 anos Equipamentos de informática 5 anos Um item de imobilizado é baixado quando vendido ou quando nenhum benefício econômico futuro for esperado do seu uso ou venda. Eventual ganho ou perda resultante da baixa do ativo (calculado como sendo a diferença entre o valor líquido da venda e o valor contábil do ativo) são incluídos na demonstração do resultado no exercício em que o ativo for baixado. O valor residual e vida útil dos ativos e os métodos de depreciação são revistos no encerramento de cada exercício, e ajustados de forma prospectiva, quando for o caso. A Companhia revisou sua vida útil em janeiro de 2010, tendo depreciado seu ativo imobilizado a partir daquela data pelas novas taxas de vida útil, tendo como base o laudo de empresa especializada. Custos de empréstimos Custos de empréstimos diretamente relacionados com a construção de um ativo que necessariamente requer um tempo significativo para ser concluído para fins de uso são capitalizados como parte do custo do correspondente ativo. Todos os demais custos de empréstimos são registrados em despesa no período em que são incorridos. Custos de empréstimo compreendem juros e outros custos incorridos por uma entidade relativos ao empréstimo. A Companhia capitaliza custos de empréstimos para todos os ativos elegíveis. 2.10 - Ativos intangíveis O ativo intangível registrado refere-se aos custos de desenvolvimento de projetos e são reconhecidos quando puder demonstrar: (i) a viabilidade técnica de concluir o ativo intangível da forma que estará disponível para uso ou venda; (ii) a intenção de concluir o ativo e a habilidade de usar ou vender o ativo; (iii) como o ativo gerará benefícios econômicos futuros; (iv) a disponibilidade de recursos para concluir o ativo; e (v) a capacidade de avaliar de forma confiável os gastos incorridos durante a fase de desenvolvimento. Após o reconhecimento inicial, o ativo é apresentado ao custo menos amortização acumulada e perdas de seu valor recuperável. A amortização é iniciada quando o desenvolvimento é concluído e o ativo encontrase disponível para uso, pelo período dos benefícios econômicos futuros. O valor recuperável do ativo é testado anualmente. 2.11 - Perda por redução ao valor recuperável de ativos não financeiros A administração revisa anualmente o valor contábil líquido dos ativos com o objetivo de avaliar eventos ou mudanças nas circunstâncias econômicas, operacionais ou tecnológicas que possam indicar deterioração ou perda de seu valor recuperável. Sendo tais evidências identificadas e o valor contábil líquido exceder o valor recuperável, é constituída provisão para desvalorização ajustando o valor contábil líquido ao valor recuperável. O valor recuperável de um ativo ou de determinada unidade geradora de caixa é definido como sendo o maior entre o valor em uso e o valor líquido de venda. Na estimativa do valor em uso do ativo, os fluxos de caixa futuros estimados são descontados ao seu valor presente, utilizando uma taxa de desconto antes dos impostos que reflita o custo médio ponderado de capital para a indústria em que opera a unidade geradora de caixa. O valor líquido de venda é determinado, sempre que possível, com base em contrato de venda firme em uma transação em bases comutativas, entre partes conhecedoras e interessadas, ajustado por despesas atribuíveis à venda do ativo, ou, quando não há contrato de venda firme, com base no preço de mercado de um mercado ativo, ou no preço da transação mais recente com ativos semelhantes. Durante os exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010, a Companhia não verificou a existência de indicadores de que determinados ativos imobilizados, intangíveis ou outros ativos não financeiros poderiam estar acima do valor recuperável, e consequentemente, nenhuma provisão para perda de valor recuperável dos ativos imobilizados é necessária. 2.12 - Ajuste a valor presente de ativos e passivos Os ativos e passivos monetários são ajustados pelo seu valor presente quando o efeito é considerado relevante em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto. O cálculo do ajuste a valor presente é efetuado com base em taxa de juros que reflete o prazo e o risco de cada transação. Para as transações a prazo a Companhia utiliza a variação da taxa do Certificado de Depósito Interbancário – CDI, visto que é a taxa de referência utilizada em transações a prazo. O ajuste a valor presente das contas a receber se dá em contra partida da receita bruta no resultado e a diferença entre o valor presente de uma transação e o valor de face do faturamento é considerado como receita financeira e será apropriado com base na medida do custo amortizado e a taxa efetiva ao longo do prazo de vencimento da transação. O ajuste a valor presente de compras é registrado nas contas de fornecedores e custos, e sua realização tem como contra partida a conta de despesa financeira, pela fruição do prazo de seus fornecedores.

31/12/2010

764.794 (616.975)

237.196 (215.452)

147.819

21.744

(7.815) (122.262) (48.658) 22.091 8.540 17.172

(2.267) (15.788) (17.101) 4.160 11.500

(130.932)

(19.496)

Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social Imposto de renda e contribuição social (Nota 13) Corrente Diferido

16.887

2.248

1.538

(773) (607)

Lucro líquido do exercício

18.425

868

0,19

0,01

Lucro por ação (Nota 15) Básico e diluído

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Demonstrações do resultado abrangente Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 31 de dezembro de 2010 (Em milhares de reais) 2011

2010

Lucro líquido do exercício Resultado abrangente Ajuste de avaliação patrimonial (Nota 15)

18.425

868

1.389

(10.499)

Total do resultado abrangente líquido de impostos

19.814

(9.631)

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Lucro líquido do exercício Ajustes de exercícios anteriores (Nota 15) Aumento de capital Saldos de Incorporação Reserva legal Ajuste de avaliação patrimonial (Nota 8) Juros sobre capital próprio (Nota 15)

Lucro líquido do Exercício Reserva legal Ajuste de avaliação patrimonial (Nota 15) Juros sobre capital próprio (Nota 15)

Lucro bruto Receitas (despesas) operacionais Despesas com vendas Despesas gerais e administrativas Despesas financeiras (Nota 18) Receitas financeiras (Nota 18) Resultado de equivalência patrimonial (Nota 8) Outras, líquidas (Nota 17)

31/12/2011

Em 31 de dezembro de 2011 e 2010, não foram identificadas outras transações que fossem consideradas relevantes em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto e que requeiram ajuste a seu valor presente. 2.13 - Provisões Provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente (legal ou não formalizada) em consequência de um evento passado, é provável que benefícios econômicos sejam requeridos para liquidar a obrigação e uma estimativa confiável do valor da obrigação possa ser feita. 2.14 - Tributação Impostos sobre vendas Receitas, despesas e ativos são reconhecidos líquidos dos impostos sobre vendas exceto: • Quando os impostos sobre vendas incorridos na compra de bens ou serviços não for recuperável junto às autoridades fiscais, hipótese em que o imposto sobre vendas é reconhecido como parte do custo de aquisição do ativo ou do item de despesa, conforme o caso; • Quando os valores a receber e a pagar forem apresentados juntos com o valor dos impostos sobre vendas; e • O valor líquido dos impostos sobre vendas, recuperável ou a pagar, é incluído como componente dos valores a receber ou a pagar no balanço patrimonial. As receitas de vendas e serviços estão sujeitas aos seguintes impostos e contribuições, pelas seguintes alíquotas básicas: Alíquotas ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços 7% a 18% IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados 0% a 5% COFINS – Contribuição para Seguridade Social 7,60% PIS – Programa de Integração Social 1,65% Esses encargos são demonstrados como deduções de vendas na demonstração do resultado. Os créditos decorrentes da não cumulatividade do PIS/COFINS são apresentados dedutivamente do custo dos produtos vendidos na demonstração do resultado. Imposto de renda e contribuição social correntes Ativos e passivos tributários correntes do último exercício e de anos anteriores são mensurados ao valor recuperável esperado ou a pagar para as autoridades fiscais, e são demonstrados no ativo circulante ou não circulante, de acordo com a previsão de sua realização e/ou liquidação. As alíquotas de imposto e as leis tributárias usadas para calcular o montante são aquelas que estão em vigor ou substancialmente em vigor na data do balanço. A administração periodicamente avalia a posição fiscal das situações nas quais a regulamentação fiscal requer interpretação e estabelece provisões quando apropriado. Impostos diferido Imposto diferido é gerado por diferenças temporárias na data do balanço entre as bases fiscais de ativos e passivos e seus valores contábeis. Impostos diferidos passivos são reconhecidos para todas as diferenças tributárias temporárias. Impostos diferidos ativos são reconhecidos para todas as diferenças temporárias dedutíveis, créditos e perdas tributários não utilizados, na extensão em que seja provável que o lucro tributável esteja disponível para que as diferenças temporárias dedutíveis possam ser realizadas, e créditos e perdas tributários não utilizados possam ser utilizados. O valor contábil dos impostos diferidos ativos é revisado em cada data de balanço e baixado na extensão em que não é mais provável que lucros tributáveis estarão disponíveis para permitir que todo ou parte do ativo tributário diferido venha a ser utilizado. Impostos diferidos ativos baixados são revisados a cada data do balanço e são reconhecidos na extensão em que se torna provável que lucros tributáveis futuros permitirão que os ativos tributários diferidos sejam recuperados. Impostos diferidos ativos e passivos são mensurados à taxa de imposto que é esperada de ser aplicável no ano em que o ativo será realizado ou o passivo liquidado, com base nas taxas de imposto (e lei tributária) que foram promulgadas na data do balanço. Imposto diferido relacionado a itens reconhecidos diretamente no patrimônio líquido também é reconhecido no patrimônio líquido, e não na demonstração do resultado. Itens de imposto diferido são reconhecidos de acordo com a transação que originou o imposto diferido, no resultado abrangente ou diretamente no patrimônio líquido. Impostos diferidos ativos e passivos são apresentados líquidos se existe um direito legal ou contratual para compensar o ativo fiscal contra o passivo fiscal e os impostos diferidos são relacionados à mesma entidade tributada e sujeitos à mesma autoridade tributária. 2.15 - Benefícios a empregados Os benefícios concedidos a empregados e administradores da Companhia incluem, em adição a remuneração fixa (salários e contribuições para a seguridade social – “INSS”, férias e 13º salário) e remunerações variáveis como participação nos lucros. Esses benefícios são registrados no resultado do exercício quando a Companhia tem uma obrigação com base em regime de competência, à medida que são incorridos. 2.16 - Lucro por ação A Companhia efetua os cálculos do lucro por lote de mil ações – utilizando o número médio ponderado de ações ordinárias totais em circulação, durante o período correspondente ao resultado conforme pronunciamento técnico CPC 41. Não há ações preferenciais na composição do capital da Companhia. 2.17 - Demonstrações dos fluxos de caixa As demonstrações dos fluxos de caixa foram preparadas pelo método indireto e estão apresentadas de acordo com o pronunciamento contábil CPC 03 (IAS 7) – Demonstração dos Fluxos de Caixa, emitido pelo CPC 03. 2.18 - Instrumentos financeiros – Reconhecimento inicial e mensuração subsequente a) Ativos financeiros Reconhecimento inicial e mensuração Os instrumentos financeiros da Companhia são reconhecidos inicialmente pelo seu valor justo acrescido dos custos diretamente atribuíveis à sua aquisição ou emissão, exceto os instrumentos financeiros classificados na categoria de instrumentos avaliados ao valor justo por meio do resultado, para os quais os custos são registrados no resultado do exercício. Os principais ativos financeiros reconhecidos pela Companhia são: caixa e equivalentes de caixa, aplicações financeiras de liquidez imediata, contas a receber de clientes e empréstimos e recebíveis. Mensuração subsequente A mensuração subsequente de ativos financeiros da Companhia são como segue: Ativos financeiros a valor justo por meio do resultado Ativos financeiros a valor justo por meio do resultado incluem ativos financeiros mantidos para negociação e ativos financeiros designados no reconhecimento inicial a valor justo por meio do resultado. Ativos financeiros são classificados como mantidos para negociação se forem adquiridos com o objetivo de venda no curto prazo. Mensuração subsequente Ativos financeiros a valor justo por meio do resultado são apresentados no balanço patrimonial a valor justo, com os correspondentes ganhos ou perdas reconhecidos na demonstração do resultado. Os juros, correção monetária, variação cambial e as variações decorrentes da avaliação ao valor justo, são reconhecidos no resultado quando incorridos. Empréstimos e recebíveis Empréstimos e recebíveis são ativos financeiros não derivativos, com pagamentos fixos ou determináveis, não cotados em um mercado ativo. Após a mensuração inicial, esses ativos financeiros são contabilizados ao custo amortizado, utilizando o método de juros efetivos (taxa de juros efetiva), menos perda por redução ao valor recuperável. O custo amortizado é calculado levando em consideração qualquer desconto ou “prêmio” na aquisição e taxas ou custos incorridos. A amortização do método de juros efetivos é incluída na linha de receita financeira na demonstração de resultado. As perdas por redução ao valor recuperável são reconhecidas como despesa financeira no resultado. b) Passivos financeiros Reconhecimento inicial e mensuração Passivos financeiros da Companhia são classificados como passivos financeiros a valor justo por meio do resultado, empréstimos e financiamentos, conforme o caso. A Companhia determina a classificação dos seus passivos financeiros no momento do seu reconhecimento inicial. Passivos financeiros são inicialmente reconhecidos a valor justo e, no caso de empréstimos e financiamentos, são acrescidos do custo da transação diretamente relacionado. Os passivos financeiros da Companhia incluem contas a pagar a fornecedores, outras contas a pagar e empréstimos e financiamentos. Mensuração subsequente A mensuração dos passivos financeiros da Companhia são como segue: Empréstimos e financiamentos Após reconhecimento inicial, empréstimos e financiamentos sujeitos a juros são mensurados subsequentemente pelo custo amortizado, utilizando o método da taxa de juros efetivos. Ganhos e perdas são reconhecidos na demonstração do resultado no momento da baixa dos passivos, bem como durante o processo de amortização pelo método da taxa de juros efetivos. 3. - Julgamentos, estimativas e premissas contábeis significativas Julgamentos A preparação das demonstrações financeiras consolidadas do Grupo requer que a administração faça julgamentos e estimativas e adote premissas que afetam os valores apresentados de receitas, despesas, ativos e passivos, bem como as divulgações de passivos contingentes, na database das demonstrações financeiras. Contudo, a incerteza relativa a essas premissas e estimativas poderia levar a resultados que requeiram um ajuste significativo ao valor contábil do ativo ou passivo afetado em períodos futuros. Estimativas e Premissas As principais premissas relativas a fontes de incerteza nas estimativas futuras e outras importantes fontes de incerteza em estimativas na data do balanço, envolvendo risco significativo de causar um ajuste significativo no valor contábil dos ativos e passivos no próximo exercício financeiro, são discutidas a seguir. Impostos Existem incertezas com relação à interpretação de regulamentos tributários complexos e ao valor e época de resultados tributáveis futuros. Dado a diferenças entre os resultados reais e as premissas adotadas, ou futuras mudanças nessas premissas, poderiam exigir ajustes futuros na receita e despesa de impostos já registrada. A Companhia constitui provisões, com base em estimativas cabíveis, para possíveis consequências de auditorias por parte das autoridades fiscais das respectivas jurisdições em que opera. O valor dessas provisões baseia-se em vários fatores, como experiência de auditorias fiscais anteriores e interpretações divergentes dos regulamentos tributários pela entidade tributável e pela autoridade fiscal responsável. Essas diferenças de interpretação podem surgir numa ampla variedade de assuntos, dependendo das condições vigentes no respectivo domicílio da Companhia. Imposto diferido ativo é reconhecido para todos os prejuízos fiscais não utilizados na extensão em que seja provável que haja lucro tributável disponível para permitir a utilização dos referidos prejuízos. Julgamento significativo da administração é requerido para determinar o valor do imposto diferido ativo que pode ser reconhecido, com base no prazo provável e nível de lucros tributáveis futuros, juntamente com estratégias de planejamento fiscal futuras. Para mais detalhes sobre impostos diferidos, vide Nota 13. Valor Justo de Instrumentos Financeiros Quando o valor justo de ativos e passivos financeiros apresentados no balanço patrimonial não puder ser obtido de mercados ativos, é determinado utilizando técnicas de avaliação, incluindo o método de fluxo de caixa descontado. Os dados para esses métodos se baseiam naqueles praticados no mercado, quando possível, contudo, quando isso não for viável, um determinado nível de julgamento é requerido para estabelecer o valor justo. O julgamento inclui considerações sobre os dados utilizados como, por exemplo, risco de liquidez, risco de crédito e volatilidade. Mudanças nas premissas sobre esses fatores poderiam afetar o valor justo apresentado dos instrumentos financeiros.

Demonstrações dos fluxos de caixa Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 - (Em milhares de reais)

Lucro líquido do exercício Ajustes para reconciliação do resultado líquido ao caixa gerado pelas atividades operacionais Depreciações, exaustões e amortizações Valor residual dos bens do ativo permanente baixado Equivalência patrimonial em controladas Provisão para perdas com clientes Ajuste a valor presente Provisão para contingências Provisão para realização de impostos Provisão de perdas de estoque Encargos financeiros sobre empréstimos Efeitos de Incorporação Ajuste de avaliação patrimonial Imposto de renda e contribuição social (Aumento) redução de ativos Caixa oriundo da incorporação (Nota 1) Contas a receber de clientes Estoques Impostos a recuperar Créditos com partes relacionadas Outros créditos Aumento (redução) de passivos Fornecedores Salários e encargos sociais Valores a pagar a partes relacionadas Adiantamento de clientes Outras contas a pagar Impostos, Taxas e Contribuições Provisão para imposto de renda

31/12/2011

31/12/2010

18.425

868

20.246 1.206 (8.540) 876 2.583 308 (2.200)

1.357 688 (1.774) 360 220

1 4.254

1.535 34.882 (7.149) (5.993)

18.734

24.126

(38.222) (99.996) (47.334) 303 (13.143)

30.632 (13.370) (3.457) 3.304 (3.193) (9.814)

(198.392)

4.102

64.056 4.262 165.494 7.983 (5.703) (4.171) -

(13.966) 780 10.640 (3.462) 4.828 1.854 773

231.921

1.447

70.688

30.543

(165.776) -

3.821 (997) 148

(165.776)

2.972

87.856 (20.624) -

9.116 (8.276) (19.454)

Caixa líquido proveniente (aplicado) das atividades de financiamentos

67.232

(18.614)

Aumento (redução) líquido em disponibilidades e valores equivalentes

(27.856)

14.901

40.888 13.032

25.987 40.888

(27.856)

14.901

Caixa líquido proveniente das atividades operacionais Fluxos de caixa das atividades de investimentos: Aquisição de imobilizado Venda do ativo imobilizado Aumento do ativo intangível Caixa líquido proveniente (aplicado) das atividades de investimentos Fluxos de caixa das atividades de financiamentos: Empréstimos e financiamentos Captações Amortizações de principal e juros Juros sobre o capital próprio

Disponibilidades e valores equivalentes no início do exercício Disponibilidades e valores equivalentes no final do exercício Aumento (redução) líquido em disponibilidades e valores equivalentes As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

(Continuação das notas explicativas) Provisões para Riscos Tributários, Cíveis e Trabalhistas A Companhia reconhece provisão para causas tributárias, cíveis e trabalhistas. A avaliação da probabilidade de perda inclui a avaliação das evidências disponíveis, a hierarquia das leis, as jurisprudências disponíveis, as decisões mais recentes nos tribunais e sua relevância no ordenamento jurídico, bem como a avaliação dos advogados externos. As provisões são revisadas e ajustadas para levar em conta alterações nas circunstâncias, tais como prazo de prescrição aplicável, conclusões de inspeções fiscais ou exposições adicionais identificadas com base em novos assuntos ou decisões de tribunais. 4. Caixa e equivalente de caixa Caixa e bancos Aplicações financeiras

31/12/2011

31/12/2010

2.026 11.006

13.041 27.847

13.032

40.888

As aplicações financeiras são de curto prazo, de alta liquidez, e prontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor. As aplicações financeiras referem-se, substancialmente, a certificados de depósitos bancários e fundos de renda fixa, remuneradas a taxas que variam entre 100% a 100,3% em 31 de dezembro de 2011 (100% a 100,3% em 31 de dezembro de 2010) do Certificado de Depósito Interbancário – CDI, com liquidez diária. 5. Contas a receber de clientes Contas a receber Menos: Ajuste a valor presente Provisão para Devedores Duvidosos

31/12/2011

31/12/2010

134.739

96.517

(267) (1.823)

(411) (947)

132.649

95.159

A movimentação da provisão para crédito de liquidação duvidosa está demonstrada a seguir: 31/12/2011 31/12/2010 Saldo no início do exercício Adições Recuperações / Realizações Saldo no final do exercício

(947) (2.581) 1.705 (1.823)

(2.066) (6.737) 7.856 (947)

Em 31 de dezembro, a análise do vencimento de saldos de contas a receber de clientes é a seguinte: 31/12/2011 31/12/2010 A vencer Vencidos a: De 1 a 30 dias De 31 a 90 dias De 91 a 180 dias Acima de 181 dias

103.521

81.782

18.558 2.685 2.060 5.825

5.495 2.757 2.212 4.271

Total

134.739

96.517

31/12/2011

31/12/2010

10.029 9.689 97.858 58.744 14.813 (813) (763)

5.925 3.785 24.244 46.007 11.176 (668) (2.963)

189.557

87.506

31/12/2011

31/12/2010

29.909 4.851 23.772 850 24.200 500 (815)

15.263 3.392 1.879 407 15.649 158 (507)

83.267 (10.920)

36.241 (5.500)

72.347

30.741

A Companhia não requer garantias sobre as vendas à prazo. 6. Estoques Produtos Acabados Produtos semi-elaborados Ferramentas em elaboração Matérias-primas e embalagens Materiais de manutenção Ajuste a valor presente Provisão para perdas

7. Impostos e contribuições sociais a compensar ICMS IPI PIS e COFINS IRRF IRPJ e CSLL Outros (-) Provisão para perdas de impostos a recuperar (-) Impostos e contribuições longo prazo Total curto prazo

a) Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS O saldo é composto por créditos apurados nas operações mercantis e de aquisição de bens integrantes do ativo imobilizado, gerados nas unidades produtoras e comerciais da Companhia. b) Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI O saldo é composto por créditos apurados nas operações mercantis na aquisição de matéria prima, outros materiais e embalagens. c) PIS e CONFINS O saldo é composto por valores de créditos originados da cobrança não-cumulativa do PIS e da COFINS, apurados principalmente nas operações de aquisição de bens integrantes do ativo imobilizado, que são compensados em parcelas mensais sucessivas, conforme determinado pela legislação. d) Imposto de Renda e Contribuição Social – IRPJ e CSLL Corresponde ao imposto de renda retido na fonte sobre aplicações financeiras e antecipações no recolhimento de imposto de renda e contribuição social realizáveis mediante a compensação com impostos e contribuições federais a pagar. 8. Investimentos Gestamp Baires S.A. Gestamp Córdoba. Ágio na aquisição da Gestamp Gravataí

31/12/2011

31/12/2010

34.454 11.222 15.987

25.838 9.909 15.987

61.663

51.734

A Companhia possui participação de 45,01% do patrimônio líquido da empresa Gestamp Baires S/A, e 20,01% da empresa Gestamp Córdoba S/A., ambas sediadas na Argentina, investimentos estes avaliados pelo método de equivalência patrimonial. a) Movimentação do investimento: Gestamp Baires S.A. 31/12/2011

31/12/2010

Saldo no início do exercício Resultado de equivalência patrimonial Variação cambial sobre saldo inicial

25.838 7.612 1.004

18.442 4.276 3.120

Saldo no final do exercício

34.454

25.838

31/12/2011

31/12/2010

9.909 929 384

9.073 276 560

11.222

9.909

b) Movimentação do investimento: Gestamp Córdoba S.A. Saldo no início do exercício Resultado de equivalência patrimonial Variação cambial sobre saldo inicial Saldo no final do exercício (Continua na página seguinte)


PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

| Quarta-feira, 28 de novembro de 2012 |

(Continuação da página anterior referente as notas explicativas da GESTAMP PARANÁ S.A.) 9. Imobilizado Terrenos

Edificações

Instalações fabris

Máquinas, equip.

Móveis e utensílios

Imobilizações em andamento

Ajuste a valor presente

Outros

Total

Custo ou avaliação: Em 1 de janeiro de 2010 Adições Alienações

Equip. de informática e softwares

1.106 941 -

26.219 26.080 -

8.600 64 (7.719)

104.068 115.339 -

711 1.947 -

5.193 2.274 -

30.402 61.579 -

(217) (28) (10)

4.906 2.047 -

180.989 210.243 (7.729)

Em 31 de dezembro de 2010 Adições

2.047 -

52.299 83.683

944 151

219.407 49.857

2.658 905

7.467 573

91.980 31.346

(254) (820)

6.953 81

383.503 165.776

Transferências

-

(94.097)

-

-

-

-

94.097

-

-

-

Alienações

-

-

-

(7.380)

(22)

(39)

-

286

(800)

(7.955)

2.047

41.885

1.096

261.884

3.541

8.001

217.424

(789)

6.234

541.324

Em 31 de dezembro de 2009

7.487

6.035

65.856

502

3.763

-

-

2.988

86.631

Depreciação no exercício

9.662

174

54.446

446

1.006

-

-

592

66.326

17.149 2.329

(6.101) 108 100

120.302 13.416

948 269

4.769 1.011

-

-

3.580 420

(6.101) 146.856 17.545

Em 31 de dezembro de 2011 Depreciação:

Alienações Em 31 de dezembro de 2010 Depreciação do exercício Alienações Em 31 de dezembro de 2011 Valor residual líquido Em 31 de dezembro de 2011 Em 31 de dezembro de 2010

2.047 2.047

(1)

-

(5.481)

(31)

(82)

-

-

(1.154)

(6.749)

19.477

208

128.237

1.186

5.698

-

-

2.846

157.652

22.408 35.150

890 839

133.647 99.105

2.355 1.710

2.303 2.698

212.648 91.981

(789) (255)

3.387 3.373

383.672 236.647

Custos de empréstimo capitalizados As imobilizações em andamento estão representadas substancialmente por projetos de expansão e otimização das unidades industriais e espera-se que esses projetos sejam concluídos parcialmente em 2011 e finalizados durante 2012. O valor dos custos de empréstimo capitalizados durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2011 foi de R$ 6.127 (R$ 715 em 2010). A taxa média utilizada para determinar o montante dos custos de empréstimo passíveis de capitalização foi de 0,85 % (0,68% em 2010), que representa a taxa efetiva dos empréstimos específicos. Os empréstimos de longo prazo vencem como segue:

10. Empréstimos e financiamentos Indexador

BNDES Banrisul S.A. – FRE BNDES Banco Bradesco S.A. Banco do Brasil S.A Banco Safra S.A. Banco Votorantim Banco Alfa FINAME - SAFRA

Taxa média anual de juros

TJLP TJLP TJLP TJLP TJLP TJLP TJLP TJLP

31/12/2011

4,50% a.a. 6,00% a.a. 7,05% a.a. 7,10% a.a. 4,50% a.a. 5,53% a.a. 4,50% a.a. 1,26% a.a

31/12/2010

535 33.889 9.263 50.165 11.588 10.008 15.356

2.132 867 8.348 25.186 3.345 21.610 2.084 -

130.804

63.572

(-) Parcelas não circulante

66.573

51.863

Total circulante

64.231

11.709

2012 2013 2014 2015 2016 Após 2016

31/12/2011 27.110 6.676 6.676 6.676 19.435

31/12/2010 15.186 8.839 8.839 8.839 8.839 1.321

66.573

51.863

Os financiamentos estão garantidos por hipoteca, alienação fiduciária de bens objeto dos financiamentos, avais, duplicatas, fianças, penhor mercantil e notas promissórias. 11. Tributos a recolher 31/12/2011 4.601 144 4.727 1.409 90 656

31/12/2010 2.042 95 3.478 831 328 294

(-) Parcelas não circulante

11.627 -

7.068 (197)

Total circulante

11.627

6.871

ICMS IPI PIS E COFINS IRRF Refis IV Outros

FINAME – Fundo de Financiamento para Aquisição de Máquinas e Equipamentos FINIMP – Financiamento de importação BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social TJLP – Taxa de Juros de Longo Prazo TR - Taxa Referencial 12. Partes relacionadas Saldos e transações com partes relacionadas referem-se a operações comerciais conforme segue: Ativo circulante

Passivo circulante

Passivo não circulante

31/12/2011

31/12/2010

31/12/2011

31/12/2010

31/12/2011

368 5.173 5.541

745 5.099 5.844

1 372 13.093 78 6 17.774 14 111.056 3.449 145.843

182 8.864 10.797 4.034 9 13.957 3.270 34 23.480 64.627

249.494 249.494

Estampaciones Martinez S.A. Gestamp Automocion Gonvarri Brasil Ltda. Estampaciones Vizcaia S.A. Gestamp Baires S/A Gestamp Aveiro S.A. Gestamp Bizkaia S.A. MB Hidroacero S.A. Metalbages Santpedor S.A. Edscha do Brasil Ltda Gestamp Servicios S.L. Navarra

31/12/2010 165.216 165.216

O contrato de mútuo com a Gestamp Servicios S.L. é corrigido pelo juros de 10,75% a 15,75% a.a. Os prazos de vencimento são diversos a partir de 2015. A remuneração da Administração da Gestamp Paraná S.A. foi de R$ 3.311 no exercício findo em 31 de dezembro de 2011 (R$ 1.725 em 2010).

13. Imposto de renda e contribuição social A composição da despesa de imposto de renda e contribuição social nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 encontra-se resumida a seguir: 31/12/2011 31/12/2010 Imposto de renda e contribuição social correntes: Despesas de imposto de renda e contribuição social correntes Ajustes relativos ao imposto de renda e contribuição social do exercício anterior

-

Despesas de imposto de renda e contribuição social apresentadas na demonstração do resultado

(1.538)

607

(1.538)

1.380

A conciliação entre a despesa tributária e o resultado da multiplicação do lucro contábil pelas alíquotas fiscais nominais combinadas nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 está descrita a seguir: 31/12/2011 31/12/2010 Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social Exclusão do resultado de equivalência patrimonial Ajustes de Incorporação Lucro após a exclusão do resultado da equivalência patrimonial Imposto de renda e contribuição social pela alíquota fiscal nominal combinada de 34% Demonstrativo da origem da despesa de imposto de renda e contribuição social efetivos: Créditos sobre provisões temporárias não reconhecidos Despesas indedutíveis Variação cambial Ajuste de preço de transferência Benefício de inovação tecnológica Outros Movimentação IR/CS diferidos Receita (Despesa) de imposto de renda e contribuição social no resultado do exercício

16.887 (8.540) -

2.248 (14.057) 34.882

8.347

23.073

(2.838)

(7.845)

(355) 498 (22) 638 3.617

(1.144) (384) (29) 283 8.346 (607)

1.538

(1.380)

31/12/2011 Ativo não circulante Créditos sobre diferenças temporárias Créditos sobre prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social Passivo circulante Débitos sobre diferenças temporárias

31/12/2010

8.947

869

7.719 16.666

6.924 7.793

(13.127)

-

3.539

7.793

Impostos diferidos líquidos

Conforme CPC 26, o saldo de imposto de renda e contribuição social diferidos ativo foi inteiramente classificado no ativo e passivo não circulante, independente do prazo de realização. Em 31 de dezembro de 2011, a Companhia possuía R$ 22.703 (R$ 20.365 - 2010) de prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social sobre o lucro líquido a compensar com lucros tributáveis futuros. As estimativas de recuperação dos créditos tributários consideram as expectativas de lucros tributáveis a curto prazo. 14.Provisão para contingências e depósitos judiciais a) Processos em andamento com provisão para contingências e obrigações legais vinculadas a processos judiciais A Companhia é parte de diversos processos judiciais e administrativos. Provisões são constituídas para todas as contingências referentes a processos judiciais para os quais é provável que uma saída de recursos seja feita para liquidar a contingência/obrigação e uma estimativa razoável possa ser feita. A avaliação da probabilidade de perda inclui a avaliação das evidências disponíveis, a hierarquia das leis, as jurisprudências disponíveis, as decisões mais recentes nos tribunais e sua relevância no ordenamento jurídico, bem como a avaliação dos advogados externos. As provisões são revisadas e ajustadas para levar em conta alterações nas circunstâncias, tais como prazo de prescrição aplicável, conclusões de inspeções fiscais ou exposições adicionais identificadas com base em novos assuntos ou decisões de tribunais. A administração, com base em informações de seus assessores jurídicos e análise das demandas judiciais pendentes, constituiu provisão em montante considerado suficiente para cobrir as perdas prováveis esperadas no desfecho das ações em curso, como segue: Provisão para contingências 31/12/2011 31/12/2010 Tributárias Civil Trabalhistas e previdenciárias

5.245 40 1.742

3.053 62 1.329

7.027

4.444

Cíveis – ações de indenização referentes aos produtos da Companhia. Trabalhistas e previdenciárias – A Companhia discute diversas ações de natureza trabalhista, sendo que provisão constituída em 31 de dezembro de 2011 refere-se às ações cuja expectativa de perda, segundo os advogados da Companhia, são prováveis e possíveis, nos montantes estimados de R$ 1.742 (R$ 1.329 em 2010), respectivamente. Abaixo estão demonstrados os depósitos judiciais vinculados e não vinculados a processos provisionados, classificados no grupo de ativo não circulante. Depósitos judiciais 31/12/2011 31/12/2010 Trabalhistas Cíveis

625 31

326 31

656

357

A movimentação das provisões nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010, é como segue: TribuTrabatárias lhistas Cíveis Total Saldos em 31 de dezembro de 2009

2.117

773

55

2.945

(+) Complemento de provisão (+) Atualização monetária (-) Reversão de provisão não utilizada

1.073 (137)

556 -

7 -

1.636 (137)

Saldos em 31 de dezembro de 2010

3.053

1.329

62

4.444

(+) Complemento de provisão (+) Atualização monetária (-) Reversão de provisão não utilizada

2.192 -

413 -

(22) -

2.583 -

Saldos em 31 de dezembro de 2011

5.245

1.742

40

7.027

15.Patrimônio líquido a) Capital social O capital social integralizado em 31 de dezembro de 2011 e 2010 é respectivamente R$96.031 e R$96.031. Está dividido em 96.031.058 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. Não há ações preferenciais na composição do capital. b) Lucro básico e diluído Lucro básico e diluído 31/12/2011 31/12/2010 Lucro líquido do exerc��cio Quantidade de ações Lucro líquido básico e diluído

18.425 96.031.058 0,19

868 96.031.058 0,01

A Companhia não tem plano de pagamento baseado em ações ou quaisquer outros instrumentos patrimoniais que possam diluir o lucro dos acionistas. c) Dividendos A Companhia distribuiu dividendos no montante de R$ 11.585 no exercício findo de 31 de dezembro de 2011 (R$ 26.983 no exercício findo de 31 de dezembro de 2010, sendo R$ 19.454 sob a forma de juros sobre capital próprio). Os dividendos foram distribuídos com base no resultado do exercício sobre saldo de lucros acumulados de exercícios anteriores. d) Ajuste de avaliação patrimonial A investida MB Metalbages do Brasil Ltda. possuía investimento no exterior nas empresas Gestamp Baires S/A. e Gestamp Córdoba S/A. Estes investimentos foram registrados em equivalente de reais e vinham sendo atualizados ao cambio de dólar americano nos encerramentos dos períodos, esta atualização dos investimentos foram registrados à conta de “ajustes de avaliação patrimonial”, conforme demonstrativo a seguir:

Gestamp Servicios 32,02% 471 181

2.041

1.389

652

22.091 4.160 19.Objetivos e políticas para gestão de risco financeiro nstrumentos financeiros, os principais passivos financeiros da Companhia, que não sejam derivativos, referem-se a empréstimos, contas a pagar a fornecedores e outras contas a pagar. O principal propósito desses passivos financeiros é captar recursos para as operações da Companhia. Em contrapartida, a Companhia possui ativos financeiros representado por caixa e equivalentes de caixa, aplicações financeiras, contas a receber de clientes e outras contas a receber que resultam diretamente de suas operações. A Companhia está exposta a risco de mercado, risco de crédito e risco de liquidez. A alta administração da Companhia supervisiona a gestão desses riscos para garantir que as atividades em que se assumem riscos financeiros são regidas por políticas e procedimentos apropriados e que os riscos financeiros são identificados, avaliados e gerenciados de acordo com as políticas e disposição para risco da Companhia. Todas as atividades com derivativos para fins de gestão de risco são realizadas por equipes especializadas com as habilidades, experiência e supervisão apropriadas. A Companhia não efetua aplicações de caráter especulativo, em derivativos ou quaisquer outros ativos de risco. Os resultados obtidos com estas operações estão condizentes com as políticas e estratégias definidas pela Administração da Companhia. Risco de mercado O risco de mercado é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de um instrumento financeiro flutue devido a variações nos preços de mercado. Os preços de mercado englobam três tipos de risco: risco de taxa de juros, risco cambial e risco de preço que pode ser de commodities, de ações, entre Exercício findo em 31 de dezembro de 2011

Menos de 3 meses

3 a 12 meses

1 a 5 anos

Mais de 5 anos

Total

3.130 72.577

62.929 28.870

56.028 6.106

8.717 -

130.804 107.553

75.707

91.799

62.134

8.717

238.357

Variação cambial investimento Gestamp Baires Variação cambial investimento Gestamp Córdoba

e) Ajustes de exercícios anteriores É composto por valores apurados em 2009 e não contabilizados naquele exercício, sendo i) registro de Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos Ativo no total de R$ 6.690; ii) R$ 3.271 referente à equivalência patrimonial à menor sobre sua controlada MB Metalbages do Brasil Ltda.; iii) variação cambial reflexa sobre os investimentos apurados na sua controlada no total de R$ 13.410; e, iv) ajustes de reversão do IR Diferido sobre ajuste a valor presente no total de R$ 193. 16.Receita líquida de vendas 31/12/2011 31/12/2010 Receita operacional bruta Impostos sobre as vendas

975.477 (210.683)

Receita operacional líquida 17.Outras receitas e despesas operacionais Venda de resíduos de fabricação Despesas não dedutíveis Resultado venda imobilizado Outras receitas/despesas operacionais

292.882 (55.686)

764.794

237.196

31/12/2011

31/12/2010

28.607 (1.045) (647) (9.743)

13.320 (2.940) (131) 1.251

17.172

11.500

18.Despesas e receitas financeiras Despesas financeiras

31/12/2011

31/12/2010

Juros sobre operação de mútuo Variações cambiais passivas Juros sobre financiamento Variações monetárias passivas Pis/Cofins sobre receita com JCP Ajuste a valor presente Outras despesas financeiras

(28.230) (11.745) (1.677) (5.328) (1.678)

(11.560) (1.140) (1.556) (1) (1.486) (1.221) (137)

Receitas financeiras

Imposto de renda e a contribuição social diferidos O imposto de renda e contribuição social diferidos em 31 de dezembro referem-se:

Gestamp Paraná 68,08% 1.004 385

outros. Instrumentos financeiros afetados pelo risco de mercado incluem empréstimos a pagar, depósitos, instrumentos financeiros disponíveis para venda e mensurados ao valor justo através do resultado e instrumentos financeiros derivativos. Risco de taxa de juros Risco de taxas de juros é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de um instrumento financeiro flutue devido a variações nas taxas de juros de mercado. A exposição da Companhia ao risco de mudanças nas taxas de juros de mercado refere-se, principalmente, às obrigações de longo prazo da Companhia sujeitas a taxas de juros variáveis. A Companhia somente realiza operações com instituições financeiras de baixo risco, aprovadas pela administração. Para contas a receber por vendas a Companhia possuem ainda provisão para devedores duvidosos, conforme mencionado na nota 5. Os rendimentos oriundos das aplicações financeiras bem como as despesas financeiras provenientes dos empréstimos e financiamentos da Companhia são afetados pelas variações nas taxas de juros, tais como TJLP e CDI. Risco de câmbio O risco de câmbio é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de um instrumento financeiro flutue devido a variações nas taxas de câmbio. A exposição da Companhia ao risco de variações nas taxas de câmbio refere-se principalmente às atividades operacionais da Companhia (quando receitas ou despesas são denominadas em uma moeda diferente da moeda funcional). Risco de estrutura de capital O objetivo principal da administração de capital da Companhia é assegurar que esta mantenha uma classificação de crédito forte e uma razão de capital livre de problemas a fim de apoiar os negócios e maximizar o valor do acionista. A Companhia administra a estrutura do capital e a ajusta considerando as mudanças nas condições econômicas. A estrutura de capital ou o risco financeiro decorre da escolha entre capital próprio (aportes de capital e retenção de lucros) e capital de terceiros que a Companhia faz para financiar suas operações. Para mitigar os riscos de liquidez e a otimização do custo médio ponderado do capital, a Companhia monitora permanentemente os níveis de endividamento de acordo com os padrões de mercado e o cumprimento de índices (covenants) previstos em contratos de empréstimos e financiamentos. Não houve alterações quanto aos objetivos, políticas ou processos durante os exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010. Garantias A Companhia não tem ativos financeiros dados em garantia em 31 de dezembro de 2011 e 2010. Risco de crédito O risco de crédito é o risco de a contraparte de um negócio não cumprir uma obrigação prevista em um instrumento financeiro ou contrato com cliente, o que levaria ao prejuízo financeiro. A Companhia está exposta ao risco de crédito em suas atividades operacionais (principalmente com relação a contas a receber) e de financiamento, incluindo depósitos em bancos e instituições financeiras, transações cambiais e outros instrumentos financeiros. Contas a receber O risco de crédito do cliente está sujeito aos procedimentos, controles e política estabelecida pela Companhia em relação a esse risco. Os limites de crédito são estabelecidos para todos os clientes com base em critérios internos de classificação. A carteira da Companhia é pulverizada. A qualidade do crédito do cliente é avaliada com base em um sistema interno de classificação e histórico de perda. A necessidade de uma provisão para perda por redução ao valor recuperável é analisada a cada data reportada em base individual para os principais clientes. O cálculo é baseado em dados históricos efetivos. A exposição máxima ao risco de crédito na data-base é o valor registrado que esta indicado na nota 6. Instrumentos financeiros e depósitos bancos O risco de crédito de saldos com bancos e instituições financeiras é administrado pela Tesouraria da Companhia de acordo com a política por este estabelecida. Os recursos excedentes são investidos apenas em instituições financeiras autorizadas e aprovadas pela controladora, avalizadas pela Diretoria Executiva, respeitando limites de crédito definidos, os quais são estabelecidos a fim de minimizar a concentração de riscos e, assim, mitigar o prejuízo financeiro no caso de potencial falência de uma contraparte. Risco de liquidez O risco de liquidez consiste na eventualidade da Companhia e suas controladas não dispor de recursos suficientes para cumprir com seus compromissos em função das diferentes moedas e prazos de liquidação de seus direitos e obrigações. O controle da liquidez e do fluxo de caixa da Companhia e suas controladas é monitorado diariamente pelas áreas de Gestão da Companhia, de modo a garantir que a geração operacional de caixa e a captação prévia de recursos, quando necessária, sejam suficientes para a manutenção do seu cronograma de compromissos, não gerando riscos de liquidez para a Companhia. O quadro abaixo resume o perfil do vencimento do passivo financeiro da Companhia e suas controladas em 31 de dezembro de 2011 com base nos pagamentos contratuais não descontados.

773 -

Imposto de renda e contribuição social diferidos: Relativo à constituição e reversão de diferenças temporárias

Ajuste de avaliação patrimonial 1.475 566

Variações cambiais ativas Ajuste a valor presente Receitas c/ aplicações financeiras Outras receitas financeiras

(48.658)

(17.101)

31/12/2011

31/12/2010

7.633 12.297 988 1.173

1.049 2.404 644 63

Empréstimos Fornecedores

20.Seguros Em 31 de dezembro de 2011, a cobertura de seguros estabelecida pela Administração da Companhia para cobrir eventuais sinistros e responsabilidade civil, é resumida como segue: Data de vigência Risco Riscos operacionais Responsabilidade civil

de

até

Importância segurada

01/01/2011 01/01/2011

31/12/2011 31/12/2011

819.012 1.212

Prêmio 524 4

Não está incluído no escopo dos trabalhos de nossos auditores independentes, emitir opinião sobre a suficiência da cobertura de seguros, a qual foi determinada e avaliada quanto à adequação pela Administração da Companhia. DIRETORIA Manuel López Grandela Presidente

Neuri Nunes de Lima Responsável Técnico CRC-PR: 037757/O-0

Maurício Carlos Rodrigues Diretor Adm. Financeiro

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Aos Administradores e Acionistas da Gestamp Paraná S.A. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações financeiras da Gestamp Paraná S.A.. (“Companhia”), que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2011 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa, para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da Administração sobre as demonstrações financeiras A Administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo coma as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que

são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima refer idas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Gestamp Paraná S.A. em 31 de dezembro de 2011, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Outros assuntos Demonstrações financeira do exercício anterior As demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2010, foram por nós auditadas, sobre as quais emitimos opinião datada de 18 de março de 2011, contendo qualificação em função do registro de ajuste de exercícios anteriores no montante de R$ 23.178 mil diretamente em saldo de lucros acumulados na demonstração da mutação do patrimônio líquido durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2010. Conforme CPC 23, tais valores deveriaam ter sido registrados nas demonstrações financeiras relativas ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009. Curitiba, 31 de outubro de 2012. Ernst & Young Terco Auditores Independentes S.S. CRC-2-SP015199/O-6-F-PR Cláudio Camargo Contador CRC-1PR 038.371/O-1

7

CBIC entrega conjunto de propostas para estimular a construção civil Com o objetivo de estimular o setor da construção civil, que cresceu 2,7% no ano passado e deve se expandir cerca de 2,5% este ano, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), entidade maior do segmento no país, entregou ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, no dia 9, um documento com um conjunto de propostas. Entre elas, destacam-se a redução dos tributos federais que incidem sobre o setor, a desoneração da folha de pagamento, a elevação dos limites do programa Minha casa, minha vida e a sempre reivindicada diminuição da burocracia. Com esse último item, o mercado imobiliário, em especial, tem sofrido muito: problemas com prefeituras, cartórios, agentes financeiros, licenças ambientais são parte do calvário que as construtoras enfrentam para lançar seus empreendimentos. Conforme o documento da CBIC, que foi fundamentado em dados de todos os estados da Federação, a burocracia tem aumentado significativamente o prazo e o ciclo de execução de uma obra. O presidente da entidade, o mineiro Paulo Safady Simão, tem afirmado que, às vezes, um empreendimento demora de 12 a 15 meses para ficar pronto, mas leva-se até três anos para entregá-lo ao usuário. A desoneração da folha de pagamento é outra demanda do setor, que se ressente de ainda não ter sido atendido pelo governo federal nesse quesito, como já ocorreu com outros setores. No entanto, acreditamos que o pleito deverá ser atendido a curto prazo, uma vez que o Ministério da Fazenda já tem estudos nesse sentido. Para ter ideia dos números absurdos que recaem sobre a mão de obra da construção, os encargos previdenciários e trabalhistas que incidem sobre o setor no país chegam, em média, a 130,73%. Isso sem contar os benefícios estabelecidos nas Convenções Coletivas de Trabalho, como café da manhã, cesta básica, seguro de vida em grupo, depreciação de ferramentas, entre outros. No caso de Minas Gerais, o Sinduscon-MG apurou que esse número total chega a 193,81%. Também a redução dos tributos federais que incidem sobre a atividade construtora foi contemplada no documento. Na avaliação da CBIC, a desoneração da folha de pagamento e a redução da incidência desses tributos podem contribuir para a queda do preço dos imóveis ao consumidor. O aumento do limite do Minha casa, minha vida 1, para as faixas 2 e 3, de R$ 85 mil para R$ 100 mil, também foi solicitado ao ministro porque ajudaria estados e municípios a fazerem complementos. O exemplo da CBIC é o do estado de São Paulo, onde esse valor está em R$ 76 mil e o governador Geraldo Alckmin já manifestou interesse em incrementá-lo em mais R$ 20 mil. Outras reivindicações como o recolhimento à Previdência com base no faturamento, pelas construtoras enquadradas no Simples, o aumento do limite do lucro presumido, o fim da cumulatividade do PIS/Cofins, o aumento de R$ 500 mil para R$ 750 mil do valor máximo dos imóveis para financiamento pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), a maior utilização do sistema da Tabela Price para a amortização dos financiamentos para a compra da casa própria, entre outras, poderão contribuir para que o setor cresça 4,5% em 2013, e não os 2,5% até então estimados, e elevar o atual contingente de funcionários do segmento de 3,2 milhões para 3,5 milhões de trabalhadores no próximo ano, conforme a CBIC. (Fonte: CBIC)



metropole28-11-12