Page 1

w w w. m e t r o p o l e j o r n a l . c o m . b r

Quarta-feira

Presidente: Ary Leonel da Cruz

Renault bate recordes de vendas e crescimento em 2012 » A Renault do Brasil foi uma das montadoras que mais cresceram no Brasil em 2012 e os resultados colocaram a marca em destaque junto ao mercado brasileiro e dentro do próprio Grupo Renault. O crescimento da marca foi quatro vezes superior ao do mercado brasileiro de

automóveis, totalizando mais de 24% de aumento em relação a 2011. As vendas foram recordes com mais de 241.000 unidades e a participação de mercado ficou em 6,6%, 0,9 ponto percentual acima do ano anterior. Página 7

Diário de Circulação Nacional

Foto: Ademar Marques (Arquivo Metrópole)

Ano 14 | Nº 3285 | 17 de abril de 2013

Presidente Olivier Murguet com o governador Beto Richa em recente evento na empresa em SJP

Caminhada da Natureza Setim participa da arrecada alimentos e campanha de vacinação distribui mudas em Colombo

cional de vacinação, com o slogan "Quem lembra da vacina se protege da gripe". Página 6

» A 7ª Caminhada Internacional da Natureza Circuito Italiano, reuniu 420 participantes num percurso de 12,1 km, no domingo (14), em Colombo. A concentração aconteceu na Igreja Nossa Senhora da Imaculada Conceição, local onde o participante pôde doar 1 kg de alimento não perecível.

Foto: PMSJP

» A Secretaria de Saúde deu início essa semana a campanha de vacinação contra a Influenza (gripe). A campanha acontece do dia 15 ao dia 26 de abril. No dia 20 será feita uma mobilização na-

O prefeito Setim e o secretário Brasílio Vicente de Castro acompanharam a vacinação na Unidade de Saúde Central

Richa diz que PPP SAMU, UPA e Guarda é importante para Municipal ganham apoio » investimentos

Nesta terça-feira (16), a Secretária de Saúde de São José dos Pinhais realizou a requalificação do Pólo de Educação Permanente do SAMU. O treinamento aconteceu na sede campestre Associação dos Funcionários Públicos Municipais (AFPM) no bairro da Costeira. Página 6

Página 7

Assembleia debate políticas para tratamento de lixo

FBI investiga ato de terrorismo, diz Obama » O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse ontem (16) que o FBI, polícia federal norte-americana, investiga "um ato de terrorismo", ao se referir às explosões registradas ontem (15) na maratona de Boston. Página 2

Ao todo, a organização do evento arrecadou 215 kg, que foram encaminhados ao Provopar e serão entregues a famílias carentes do município. Na ocasião, a secretaria de Meio Ambiente aproveitou o evento distribuir mais de 350 mudas de várias espécies aos caminhantes. Página 4

Palestras encerram Semana de Prevenção e Combate ao Câncer de mama em Pinhais » "Essa é a minha família. Marido, filhos, irmãos. Essa é minha netinha. Ela só tem seis anos, mas já é especialista em câncer". Com os olhos grudados nas imagens projetadas na parede, o público acompanhava. E ria, e calava... se emocionava. Houve até quem tentasse disfarçar o arroubo de senti-

mentos, secando rápido alguma lágrima atrevida que ousava se precipitar dos olhos. À frente, relatos. Dados técnicos e histórias de vida que se entrelaçavam e compunham, pouco a pouco, uma teia de informações ao redor de um só tema: o câncer de mama. Página 9

tamento dos resíduos sólidos integram a temática dos debates durante todo o dia nesta terça-feira (16), em conferência livre realizada pela Frente Parlamentar Ambientalista, em parceria com o Ministério Público do Paraná, no Plenarinho da Assembleia Legislativa.

» O governador Beto Richa e a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, entregaram nesta terça-feira (16)], no Palácio Iguaçu, 50 novos veículos para reforçar o atendimento nas 23 regionais da secretaria e nos Centros de So cioeducação (Censes), que atendem adolescentes em conflito com a lei.

Página 3

Foto: Arnaldo Alves / ANPr

» A geração e o tra-

Novos veículos fortalecem ação social no PR

O governador Beto Richa e a secretária da Família e Desenvolvimento Social Fernanda Richa durante a entrega dos veículos no Palácio Iguaçu

Página 3


2

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Editorial

Otimismo em queda O fantasma da inflação causa temor nas áreas econômicas de referência do moderno desenvolvimento. Na área da indústria, principal segmento econômico do país, a confiança está em queda. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) recuou 1,7 ponto em abril registrando 55,4 pontos. Essa foi a segunda queda consecutiva do índice e o pior resultado desde agosto de 2012. Em março, o índice ficou em 57,1 pontos. Os números foram divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para a confederação, o indicador mostra que os empresários estão menos otimistas ante as condições dos negócios e da economia. O mesmo ocorre com as expectativas dos empresários para os próximos seis meses. A confiança dos empresários recuou, principalmente, na indústria de transformação e no segmento da construção civil. Apenas na indústria extrativista houve crescimento do Icei. De maneira geral, nos primeiro meses do ano, o índice ficou abaixo do registrado em igual período de 2012. Na interpretação da CNI, a menor confiança do empresário industrial no início de 2013 pode resultar em dificuldade de crescimento dos investimentos. Outro indicador aponta na mesma direção. O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) voltou a recuar em abril, segundo pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O ICF apresentou recuo de 1,2% (130,6 pontos) na comparação com março, e queda de 3,8% em relação a abril de 2012. Entretanto, a pesquisa mostra que, apesar do novo recuo - o ICF também caiu 2,5% em março deste ano, em relação a março do ano passado, repetindo tendência de janeiro e fevereiro - os índices mantêm-se acima da zona de indiferença (100 pontos), indicando um nível favorável de consumo. Analisando as condições atuais e as perspectivas futuras da economia doméstica, a previsão da Divisão Econômica da CNC é que o volume de vendas do varejo obtenha um crescimento ao redor de 6,5% em 2013. De acordo com a CNC, os principais responsáveis pela queda do otimismo em abril - tanto na variação mensal quanto na anual - foram a inflação, a manutenção do nível ainda elevado de endividamento e o menor otimismo com o mercado de trabalho. O resultado do índice, na comparação mensal, foi sustentado principalmente pela retração da confiança das famílias com renda acima de dez salários mínimos, com redução de 2,2%. As famílias com renda abaixo de dez salários mínimos apresentaram variação negativa menor, de 0,9%. O ICF das famílias mais ricas aparece com 138,4 pontos e o das demais alcança 129,1pontos. Para fechar esse momento de expectativa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu para 3% a projeção de crescimento da economia brasileira este ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi reduzida em 0,5 ponto percentual com relação à previsão divulgada pelo organismo em janeiro. A estimativa para 2014 foi ajustada para cima em 0,1 ponto percentual, alcançando agora 4%. Recorda-se que no ano passado o crescimento do PIB brasileiro ficou em 0,9%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

AB Notícias

abnoticias@abcom.com.br (41) 3014-6764

SAFRA RECORD A região de Ponta Grossa bate seu record na produção de milho e soja. A estimativa é que a safra atual, com 80% das lavouras de soja e 92% das plantações de milho colhidas, alcance a marca de 3,10 milhões de toneladas, contra 3,4 no ano passado. Um dos impulsores do crescimento é o considerável aumento da área cultivada de soja, que passou de 495 para 535 hectares.

MAIS MORADIAS Até o fim de agosto a cidade de Umuarama, noroeste paranaense, contará com mais 603 moradias. As casas, que integram o Conjunto Habitacional Sonho Meu, fazem parte do Programa Sonho Meu, e deverão ser entregues no dia 30 de agosto. Uma creche e uma escola municipal estão sendo construindo para oferecer suporte para os futuros moradores do bairro. A construção de mais 454 casas está prevista para a terceira etapa do programa.

FINANCIAMENTOS Com o receio do fim do IPI ao final do mês de março, o setor de financiamento de veículos ficou aquecido. O segmento apresentou um crescimento de 17% em relação a feveiro. Ao todo, foram 539.755 veículos financiados em todo o país, contra 460 mil no mês anterior. O financiamento de veículos novos representa 176.562 unidades do total, mostrando uma alta de 29% em relação ao mesmo período do ano passado.

16 ANOS DO AB O AB Notícias Paraná completa hoje 16 anos de publicação. Partimos para o 17º aniversário com o mesmo espírito paranista, dedicando nosso espaço aos temas do Estado. Levando informações de uma para outra região, procuramos servir de traço de união entre os municípios, respeitando as diferenciações regionais. Continuamos aceitando sugestões para abordagem em nossos informativos.

VACINA PARA PEIXES Considerada uma das maiores regiões produtoras de peixes do país, a região Oeste do estado tem estratégia para reduzir em até 40% a mortandade de peixes dos seus açudes. Para isso, será utilizada uma vacina, oriunda de Cingapura e já em teste em Palotina, já utilizada no Nordeste e Sudeste do país. O preço de sua dose custa entre 0,12 e 0,14 centavos.

NOVA IMORTAL A Academia Brasileira de Letras conta agora com mais uma mulher em seu quadro. Trata-se da jornalista e escritora Rosiska Darcy de Oliveira, de 69 anos, que ocupa a cadeira do poeta Ledo Ivo, falecido ano passado. A au-

tora, com oito livros publicados, já atuou como jornalista para a TV Globo e é militante de movimentos feministas. Dentre suas obras a mais destacada é o ensaio “O Elogio da Diferença”.

FESCAFÉ O município de Ribeirão Claro, norte pioneiro do estado, já prepara a programação da 17ª edição da Fescafé, que será realizada em julho. Já estão confirmadas as presenças das duplas Munhoz e Mariano, João Neto e Frederico, do cantor Daniel e da banda Jota Quest. O público religioso também terá espaço com a apresentação do padre Juarez de Castro. Além dos shows o evento terá com rodeios, exposições e leilões.

VACINAÇÃO Em apenas um dia de campanha, aproximadamente 17 mil idosos receberam a dose da vacina contra a gripe no estado. A campanha espera vacinar, até o dia 26 deste mês, cerca de 2,8 milhões de pessoas. Para cumprir a meta, no próximo dia 20 as cidades ofertarão a vacina em pontos estratégicos, como supermercados, praças e escolas. A vacina, distribuída em mais de 2,5 mil postos em todo o estado, protege contra a gripe do tipo H1N1, H3N2 e contra a Influenza B.

FESTA DO CENTRO PARANAENSE A cidade de Pitanga, centro do estado, realizará entre os dias 17 e 21 deste mês a 9ª edição da Festa Típica do Centro do Paraná. O evento, com entrada gratuita, acontece no Centro de Eventos do Lago. A programação conta com shows de duplas sertanejas e com a apresentação da banda RPM. Dentro do evento ocorre também a Feira do Comércio de Pitanga e o Show Pecuário Leiteiro.

ALMIR SATER No dia 19 deste mês o auditório Guairão, do Teatro Guaíra, em Curitiba, receberá um dos maiores nomes na viola brasileira, Almir Sater. Um dos responsáveis pelo resgate da moda de viola de 10 cordas, a popular viola caipira, o músico, tem uma carreira marcada pelo experimentalismo e pela inspiração musical advinda do contato com gente do campo. Os ingressos custam a partir de 60 reais e estão a venda na bilheteria do teatro.

SEMANA INDÍGENA Com o objetivo de proporcionar o conhecimento da cultura indígena bem como aproximá-la à população, até quinta-feira acontece no município de Diamante do Oeste, oeste do estado, a 7ª edição da Semana Cultural Indígena. O local das comemorações é a Terra Indígena Tekoha Añatete, no interior da cidade. O ingresso para participação do evento é de 3 reais.

FBI investiga ato de terrorismo, diz Obama sobre explosões em Boston Agência Brasil Brasília - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse ontem (16) que o FBI, polícia federal norte-americana, investiga "um ato de terrorismo", ao se referir às explosões registradas ontem (15) na maratona de Boston. "Considerando o que sabemos em relação ao que aconteceu, o FBI está investigando o ocorrido como um ato de terrorismo. No momento em que bombas são usadas para atingir civis inocentes, isso é um ato de terrorismo", destacou, durante pronunciamento transmitido por televisão. Obama ressaltou que as autoridades norte-americanas ainda não identificaram os responsáveis pelas explosões, o que motivou o episódio e se o atentado foi planejado e executado por uma organização terrorista, estrangeira ou doméstica, ou por um único indivíduo. "Nós vamos encontrar o responsável por prejudicar nossos cidadãos. E vamos levá-los à Justiça", disse. Um dia após as explosões que mataram pelo menos três pessoas e feriram mais de 100 durante a Maratona de Boston, nos Estados Unidos, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que o Brasil está tomando todas as providências para garantir a segurança nos grandes eventos internacionais que o país vai receber: Copa das Confederações de 2013, Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016. "O Brasil está tomando as providências necessárias e temos confiança de que serão providências que garantirão a segurança dos eventos", disse Patriota, antes do início de um seminário no Palácio do Planalto. O ministro manifestou solidariedade ao povo norte-americano e ressaltou a importância de acompanhar as apurações do episódio. "Acho muito importante acompanhar agora a apuração, para sabemos exatamente qual foi a natureza e a motivação por trás desse ato hediondo", disse Patriota, acrescentando que o governo está em contato com o consulado brasileiro em Boston. Cento e trinta e um atletas brasileiros estavam correndo a maratona, uma das mais importantes do mundo. Segundo o ministro, a informação atual é de que apenas uma brasileira teve ferimentos leves. Ainda ontem, a presidente Dilma Rousseff manifestou seu repúdio "a esse ato insano de violência e sua solidariedade, em nome de todos os brasileiros às vítimas e suas famílias". Para Patriota, o Brasil não pode deixar de se "insurgir" contra esse tipo de ação e acompanhar com interesse a apuração das responsabilidades.

Assembleia aprova projeto que moderniza o transporte de alunos O projeto de lei nº 26/13, do Poder Executivo, que propõe melhorias no transporte de alunos da rede pública de ensino do Paraná, foi aprovado na sessão plenária desta terça-feira (16), na Assembleia Legislativa, em segunda discussão. As alterações asseguram o aperfeiçoamento de ações que vêm sendo praticadas desde 2011, como o Sistema de Gestão do Transporte Escolar (SIGET), a transferência mensal e direta dos recursos para os municípios e a instituição do Comitê Estadual do Transporte Escolar. A proposta altera a Lei nº 11.721, de 20 de maio de 1997, modificada pela Lei nº 14.584, de 22 de dezembro de 2004, que autoriza o Governo do Estado a instituir o Programa Estadual de Transporte Escolar (PETE). Conforme

o Executivo, desde 2012 os recursos para o transporte escolar são definidos de acordo com a especificidade de cada cidade. Pela primeira vez a quilometragem é contabilizada na definição dos valores a serem repassados aos municípios. A matéria passou com uma emenda apresentada pelo deputado Fernando Scanavaca (PDT), apoiada por diversos outros parlamentares, que altera o artigo nono da lei. O artigo passará a contar com a seguinte redação: "Os critérios, as formas de transferência, a execução, o acompanhamento e a prestação de contas dos recursos financeiros serão disciplinados por resolução específica da Secretaria de Estado da Educação (SEED), com a anuência do Comitê Estadual de Transporte Escolar, o

qual passa a ter caráter deliberativo". O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, lembrou que desde 2011 o governador Beto Richa vem modernizando e ampliando o atendimento no transporte escolar. Em abril de 2012 o repasse de recursos do Estado para os 399 municípios foi de R$ 80 milhões. "Houve um acréscimo de 176% em relação ao que foi repassado em 2010. Somado aos R$ 22 milhões do governo federal, os municípios receberam R$ 102 milhões em 2012 e a previsão nesse ano é que seja liberado o mesmo valor", adiantou Traiano. Juventude Rural Em segunda discussão, os deputados aprovaram nesta sessão o projeto de lei nº 571/11, do deputado Pedro Lupion (DEM). A proposição ins-

titui o Programa de Primeiro Crédito para a Juventude Rural. A finalidade é financiar atividades agropecuárias, de turismo e artesanato rural, entre outras, nas modalidades custeio, investimento e aquisição de propriedades. Seriam beneficiários jovens entre 18 e 32 anos de idade. Lupion justifica a proposta tomando por base a Constituição do Estado, que estabelece em seu artigo 12 a competência do Estado, União e Municípios em fomentar a produção agropecuária e organizar o abastecimento alimentar. Em terceira discussão, passou o projeto de lei nº 41/ 13, do deputado Rasca Rodrigues (PV), concedendo o título de Cidadão Honorário do Paraná ao advogado Dinarte Antonio Vaz, superintendente do patrimônio da União no estado.


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

3

Governador fortalece atenção social com entrega de 50 novos veículos O governador Beto Richa e a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, entregaram nesta terça-feira (16/04), no Palácio Iguaçu, 50 novos veículos para reforçar o atendimento nas 23 regionais da secretaria e nos Centros de Socioeducação (Censes), que atendem adolescentes em conflito com a lei. Os recursos para aquisição dos 50 automóveis Renault Logan vieram de diversas fontes do Estado, entre elas o Fundo da Infância e Adolescência (Fia) Fundo Estadual de Assistência Social (Feas), e totalizam R$ 1,3 milhão. Os veículos entregues nesta terça-feira fazem parte da reestruturação dos escritórios regionais e das unidades da Secretaria da

Família e Desenvolvimento Social. "Estamos provendo melhor estrutura para que a secretaria tenha mais mobilidade para o atendimento de mais qualidade. A área social é nossa prioridade, pois queremos atender as pessoas mais carentes do Estado. São elas que mais precisam da presença do Poder Público", afirmou o governador. O governo repassou ainda neste mês R$ 490 mil às áreas de informática e tecnologia dos centros de socioeducação e aos escritórios regionais. São 222 novos computadores e 30 notebooks, que tornam mais ágil o trabalho de ação social. A meta é, até o ano que vem, investir R$ 10 milhões na modernização dos sistemas de informática

da secretaria. "Esta estruturação garante condições adequadas para que as nossas equipes sejam ágeis e eficientes para oferecer um atendimento técnico de qualidade aos municípios e aos paranaenses", disse a secretária Fernanda Richa. No primeiro ano da gestão de Beto Richa, o governo e o Conselho Estadual dos Direitos da Criança repassaram R$ 13 milhões aos municípios para compra de veículos e equipamentos de informática a fim de melhorar a ação dos conselhos tutelares. "A renovação da frota demonstra o empenho da gestão em assegurar melhores condições de trabalho aos servidores que atuam diretamente nos municípios, no atendimento às famílias", afirmou.

Foto: Arnaldo Alves / ANPr

Os veículos fazem parte da reestruturação das unidades da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social

O governador Beto Richa e a secretária da Família e Desenvolvimento Social Fernanda Richa durante a entrega dos veículos no Palácio Iguaçu

Assembleia debate políticas para tratamento de resíduos sólidos

Nina Singer reúne comunidade e autoridades para discutir assaltos na zona rural

A geração e o tratamento dos resíduos sólidos integram a temática dos debates durante todo o dia nesta terça-feira (16), em conferência livre realizada pela Frente Parlamentar Ambientalista, em parceria com o Ministério Público do Paraná, no Plenarinho da Assembleia Legislativa. O objetivo é reforçar uma pauta de encaminhamentos para a IV Conferência Estadual do Meio Ambiente, e por consequência à Conferência Nacional do Meio Ambiente, marcada para o mês de outubro, em Brasília. Para o deputado Rasca Rodrigues (PV), coordenador da Frente no Legislativo estadual, a discussão será, em especial, em torno da Lei nº 12.305/2010, sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos. De acordo com ele, existe uma tendência de eliminação dos chamados lixões, e o Paraná vem dando sua contribuição para que isso aconteça até 2014. "Municípios de até 20 mil habitantes não precisam de aterro, já estão fazendo compostagem destes resíduos. O Paraná tem dado demonstrações no decorrer dos anos com uma política de eliminação de lixões. Por isso, estamos fazendo este debate, numa conferência livre com diversos segmentos da sociedade, com envolvimento do Legislativo", disse Rasca. O envolvimento da sociedade e a conscientização sobre o processo de seleção e diminuição dos resíduos, em diferentes localidades no país, vão auxiliar o debate nacional. "Iniciamos as conferências em várias etapas, até chegarmos à conferência nacional. Portanto, é fundamental discutir com a população o assun-

A vereadora Nina Singer reuniu, na noite desta segundafeira (15), a comunidade da área rural e autoridades policiais e do Executivo para discutir e buscar soluções aos constantes assaltos nos bairros da região. O encontro realizou-se no salão paroquial da igreja da Contenda. Preocupadas com o número de furtos e roubos na área rural, principalmente com invasões domiciliares, compareceram a reunião, cerca de 150 pessoas representando os bairros: Contenda, Colônia Marcelino, Colônia Murici, Campestre da Faxina, Inhaíva, Campo Largo da Roseira, Faxina, Roça Velha, Saltinho da Malhada, Roseira, Rio de Una, Córrego Fundo, Avencal, Papandúva da Serra, Malhada, Campina do Taquaral e Agaraú. "É uma região extensa que sofre com a criminalidade e falta de policiamento extensivo. Por isso, reunimos poder público e comunidade para cobrarmos

Na mesa da conferência o deputado Rasca Rodrigues (PV) e o secretário do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida

to da produção e destinação do lixo, porque não há como mudarmos a questão dos resíduos sem o envolvimento da sociedade", ressaltou a representante do Ministério do Meio Ambiente no evento, Ana Carla Almeida.

bém sobre para onde vai este resíduo das casas. Não basta apenas fechar os lixões, mas é preciso realizar políticas ambientais e sociais", afirmou a representante do Movimento Nacional dos Catadores, Marilza Lima.

REALIDADE Quem trabalha na coleta seletiva e na separação dos resíduos avalia que o Brasil tem condições, a partir da sua realidade, de encontrar soluções adequadas para o tratamento do seu lixo, sem necessariamente importar modelos, por vezes até mesmo mais poluidores. Mas as condições de sobrevivência destas pessoas, cuja renda é garantida pelo ofício de destinar o material reciclado às cooperativas, a situação social precisa ser levada em conta também. "Não precisamos de outras tecnologias de outros países para gerar energia. Há mais de 50 anos os catadores vivem em lixões. Hoje há preocupação tam-

PARANÁ SEM LIXÃO O secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, deputado estadual licenciado Luiz

Eduardo Cheida, assinalou que o Poder Executivo está lançando o programa "Paraná sem lixão", prevendo a participação de outras esferas de governo. Conforme antecipou, haverá, por meio de consórcios nos municípios, uma política integrada, com a participação de técnicos e maquinário para transformação dos aterros sanitários. "Serão incentivos de várias ordens.

ações de combate aos assaltos", disse a vereadora. Após ouvir as reclamações dos moradores e prestar informações a respeito das rondas, a Polícia Militar comprometeu-se a aumentar o patrulhamento, e a Guarda Municipal a destacar mais uma equipe para área rural em, no máximo, noventa dias. "A reunião foi bastante proveitosa porque contamos com a participação efetiva da comunidade. Apenas com união conseguiremos solucionar os problemas do município", afirmou Nina. Participaram do encontro o vice-prefeito Toninho da Farmácia; o secretário de obras, Leandro Rocha; o secretário de segurança, Adriano Muhlstedt; o comandante do 17º Batalhão da PM, tenente coronel Edson Hartmann de Oliveira; o comandante da 1ª Companhia, capitão Eleandro Azevedo e o diretor da Guarda Municipal, Samarone Bueno.

Nina Singer na companhia do capitão Eleandro; vice-prefeito Toninho da Farmácia; tenente-coronel Hartmann, comandante do 17º BPM; e o secretário de Segurança Adriano Muhlstedt

Foto: Orlando Kissner/ANPr

MST: Vargas é um aliado histórico, diz o coordenador Diego Moreira

André Vargas reafirmou seu apoio aos movimentos sociais como o MST

Na semana em que se comemora o Dia Nacional de Luta Pela Terra (17), o coordenador do Movimento Sem Terra (MST), Diego Moreira, esteve no gabinete do primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR), em Brasília. "Esta semana será muito importante para o MST e para o conjunto dos movimentos sociais em luta pela terra" esclareceu Moreira. Durante a semana, os movimentos sociais se reunirão com a presidenta Dilma Rousseff e debaterão propostas e alternativas para a questão agrária. Moreira solicitou a André Vargas o apoio para inserir a reforma agrária na agenda política do governo, "O deputado é um aliado histórico, sempre a disposição para ajudar nos movimentos sociais", enfatizou. André Vargas, conhecedor das dificuldades do homem do campo, apoia os movimentos e se colocou à disposição para os pleitos.


4

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Participantes fizeram alongamento para iniciar o percurso

Caminhada da Natureza mobiliza 420 participantes em Colombo Durante o evento foram arrecadados 215 kg de alimentos e distribuídas 350 mudas de plantas

Caminhantes percorreram trechos de baixa e média dificuldade

Município realiza encontro que orienta sobre os direitos dos idosos Iniciativa faz parte do projeto “Conhecendo o Estatuto do Idoso, Um Caminho Para se Efetivar a Cidadania de Todos”, desenvolvido nos Centros de Convivência do município

O senhor Henrique Shhmidlin, o seu “Vitamina”, de 83 anos, concluiu os 12 km de percurso

com o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater Estadual) e Circuito Italiano Rural de Colombo, contando com o apoio da Anda Brasil, Anda Brasil Paraná, Rede Traf (Turismo Rural da Agricultura Familiar) da IVV (Federação Internacional de Caminhadas), do Provopar, do Conselho Municipal de Turismo e da Associação de Empresários do Turismo Rural. Vitalidade A caminhada teve início às 8h30, após o alongamento dos caminhantes, e percorreu trechos de baixa e média dificuldade, próprios de caminhadas da natureza. Caminhantes de Colombo,

Curitiba e até de outros estados e países, como visitantes da Alemanha, marcaram presença e puderam vislumbrar as mais belas paisagens da área rural de Colombo. O destaque foi a disposição do senhor Henrique Shhmidlin, o seu “Vitamina”, de 83 anos. Apesar da idade, ele demonstrou muita vitalidade e integrou os 80% de caminhantes que concluíram o circuito, chegando entre os primeiros, no final do trajeto. “Pratico caminhada há dez anos, e aqui estou desde a primeira caminhada da Natureza, é muito bom”, disse. A caminhada é um esporte popular, sem fins competitivos.

Prefeitura cria fórum permanente da criança e do adolescente

Crédito: Bruno do Carmo/PMC

A 7ª Caminhada Internacional da Natureza - Circuito Italiano, reuniu 420 participantes num percurso de 12,1 km, neste domingo (14), em Colombo. A concentração aconteceu na Igreja Nossa Senhora da Imaculada Conceição, à partir das 8h, e já neste horário, os caminhantes tiveram à sua disposição feiras de artesanato e de produtos do circuito, provenientes da agricultura familiar, além da venda de artigos religiosos. Durante a concentração o participante pôde doar 1 kg de alimento não perecível. Ao todo, a organização do evento arrecadou 215 kg, que foram encaminhados ao Provopar e serão entregues a famílias carentes do município. Na ocasião, a secretaria de Meio Ambiente aproveitou o evento para promover a distribuição de mais de 350 mudas de várias espécies aos caminhantes. Para o secretário da Indústria e Comércio, Antônio Ricardo Milglioransa, a participação de todos foi fundamental para a realização do evento. “Tanto a participação das secretarias, quanto da comunidade, fizeram com que o evento conseguisse reunir este público, e realizar a caminhada sem problemas, sem imprevistos, tudo conforme planejado. A secretaria só tem a agradecer a todos esta colaboração”, agradeceu Milgioransa. A caminhada foi organizada pela Prefeitura de Colombo, em parceria

Um encontro dos servidores e entidades que atuam com idosos em Colombo, aconteceu no dia 15, na Regional Maracanã. A palestra ministrada pela Psicóloga Thelma Curupaná, orientou os presentes sobre a importância de lutar para que os direitos, previstos no “Estatuto do Idoso”, sejam respeitados. Como conseqüência, diminuir as notificações e denúncias de violência contra a terceira idade. Cerca de 80 pessoas participaram do evento. A iniciativa faz parte do projeto “Conhecendo o Estatuto do Idoso, Um Caminho Para se Efetivar a Cidadania de Todos”, desenvolvido nos Centros de Convivência do município. Nesta ocasião, são realizadas dinâmicas de grupo com questões relacionadas à aposentadoria, envelhecimento, convivência familiar, autoestima, luto, limitações físicas, mentais e o importante papel do idoso na sociedade. “O envelhecimento populacional é atualmente um fenômeno que se manifesta claramente no Brasil, e em Colombo não é diferente, por isso precisamos trabalhar este tema, nos capacitar e repassar estas orien-

tações para os idosos”, disse a secretária da Ação Social e Trabalho, Maria da Silva Souza. Envelhecer De acordo com pesquisas reveladas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Sul e Sudeste, são as regiões no país com maior número de idosos, com 8,1% da população. Durante o século 21, o número de brasileiros com mais de 65 anos, passou de 12,4 milhões para 48,9 milhões. De acordo com a psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Thelma Curupaná, hoje, o Brasil possui cerca de 20 milhões de idosos, o que representa 10% da população do País, a maioria entre 60 e 64 anos. “O processo de envelhecimento é muito rápido, por isto precisamos criar sempre dinâmicas e políticas públicas para acompanhar. Na maioria das situações, eles não têm o apoio das famílias, que estão sempre ocupadas com suas atividades. Neste contexto acabam se sentindo sozinhos, por isto é necessário ações e projetos que visam oferecer qualidade de vida”, concluiu.

Ação Social, conselho e entidades filantrópicas irão discutir e elaborar políticas públicas para a população infanto-juvenil O primeiro Fórum Permanente de Debate aconteceu neste dia 15, na Regional Maracanã, e teve a intenção de criar políticas públicas para melhor atender crianças e adolescentes de Colombo. O encontro reuniu o Conselho Municipal de Direitos da Criança de Adolescente, entidades filantrópicas e servidores municipais que trabalham

com a população infanto-juvenil. “Nosso desafio é perceber a violência existente na sociedade, na família e termos consciência do nosso papel”, argumenta a secretária da Ação Social e Trabalho, Maria da Silva Souza. Para chegar neste debate, foi realizado por esta equipe, o diagnóstico das sete regiões que compõe a cidade: Cen-

Grupo irá orientar as famílias a lidar com os menores e direcioná-los para cada órgão competente, em casos especiais

tro, Área Rural, Osasco, Rio Verde, Maracanã, Guaraituba e Vila Zumbi dos Palmares, com o desafio de desenvolver ações e projetos em locais estratégicos. De acordo com a secretária Maria Souza, a principal missão é orientar as famílias a lidar com os menores e direcioná-los para cada órgão competente, em casos especiais. “Pretendemos criar projetos que alcancem as áreas de Educação, Saúde e Ação Social”, relata a secretária. O Fórum de Debate Permanente será realizado na primeira segunda-feira de cada mês, às 8h30, no mini-auditório da Regional Maracanã. Com a participação de entidades filantrópicas e órgãos municipais e estaduais que estão vinculados á rede de proteção às crianças e adolescentes. O presidente do Conselho Tutelar, Jeremias Fontoura, citou duas palavras para definir o encontro: Esperança e Expectativa. Segundo ele, o que significam fé por algo que irá acontecer e poderá mudar a realidade de crianças e jovens, na convicção de serem responsáveis por um futuro melhor. “Nosso objetivo é resgatar valores e oferecer oportunidades para as famílias”, completou.

A secretária Maria da Silva Souza fala da importância de conhecer o Estatuto do Idoso

Servidores e entidades que trabalham com idosos participam da palestra ministrada pela psicóloga Thelma Curupaná


5

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Metró ole Variedades Censure seus amigos particularmente e louve-os em público.

Nebulosidade variável

Dia 18: Mín. 09º e Máx. 17º Dia 19: Mín. 10º e Máx. 17º Dia 20: Mín. 09º e Máx. 19º

TOME NOTA / TOME NOTA / TOME NOTA Canoas de Batatas Recheadas Ingredientes: 4 batatas grandes sem casca ou com casca Sal a gosto Recheio 3 ovos 1 caixa de creme de leite (200 gr) 100 gramas de mussarela picadinha Orégano a gosto 100 gramas de calabresa ou bacon Modo de Preparo: Lavar bem as batatas, se optar por fazer a receita com casca, fazer um corte nas batatas cruas na horizontal. Retirar a polpa deixando fino, porém firme, sem furar. Temperar com sal e reservar. Misturar os ingredientes do recheio. Rechear as batatas. Colocar as batatas recheadas em um refratário untado com azeite e cobrir com papel alumínio. Levar ao forno por 50 minutos ou até cozinhar as batatas. Retirar o papel e deixar até dourar. Salpicar orégano a gosto. Servir imediatamente.

“Insultos” ao manual de boas maneiras (?) Kirch- Causa de ner, presi- problemas dente da psicológiArgentina cos

Atriz de “A Vida de David Gale” Matiz

Bebedeira (bras. pop.) Indústria produtora de liga de ferro e carbono

© Revistas COQUETEL 2007 Indira Preparado Gandhi, O mundo Sistema de financiamento da casa pelo exterior própria (sigla) lavrador estadista (Filos.) indiana

Esporte de inverno praticado nos Alpes

Tenista brasileiro Narrativa de lendas nórdicas Antecessor de Davi Chuva, em inglês

Em presença de

33

A montanha, por seu formato Planta de propriedade cicatrizante

Tribo que ocupava o litoral brasileiro Som com que se chamam os galináceos

Diz-se da região onde há conflito bélico Índice Geral de Preços

Enfurecer Um dos tipos sanguíneos

(?) Jatene, médico e político Use inconvenientemente

Outra vez! (?)-decavalo, penteado

B

I

S

Cansado, Ilha das em inglês Antilhas Argola, em inglês

Correntes (?): responsáveis pelo surgimento de pinUnidade güins no de venda litoral de calçabrasileiro dos

Ácido encontrado no núcleo da célula

(?) Camargo, pintor que tem um painel exposto na sede da OMS, em Genebra

Fatia de tomate Tecnologia de acesso mais rápido à internet

Poderoso explosivo amarelo (sigla)

Solução

PO

K

E T S Q U I

BANCO

Tony Ramos, ator de “Paraíso Tropical”

B

5) Clorís, Filó, Flores e Nicolau eram personagens de qual desses folhetins? a) “Esmeralda” b) “Ana Raio e Zé Trovão” c) “Malhação” d) “Ribeirão do Tempo”

Deus do trovão, na Mitologia nórdica

A D I B

4) Qual desses autores escreveu a novela “Viver a Vida”? a) Sílvio de Abreu b) Manoel Carlos c) Aguinaldo Silva d) Edilena Barbosa

Ex-ministro do Governo Lula

C

3) Qual dessas atrizes interpretou a personage Kelly na novela “Passione”? a) Débora Duboc b) Adriana Prado c) Carol Macedo d) Mayana Moura

www.coquetel.com.br

M

2) Como se chama o marido da apresentadora Adriane Galisteu? a) Fábio Arruda b) Alexandre Iódice c) Márcio Pedreira d) Roberto Justus

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

F L A V I O S A R E T T A

1) A atriz Guilhermina Guinle interpretou a malvada Luiza, em “Ti-Ti-Ti”. E como se chamava o personagem vivido pelo ator Caio Castro que aparece na foto juntamente com ela? a) Renato b) Marcelo c) Edgar d) Osmar

A prática de musculação é capaz de reduzir a pressão arterial de hipertensos a níveis semelhantes aos obtidos por meio de medicamentos, revela pesquisa da USP (Universidade de São Paulo. O estudo comprova que o treino de força é seguro para os hipertensos, desde que com acompanhamento médico e de profissionais de atividade física. O trabalho também mostrou que a redução da pressão permanece por até quatro semanas após a interrupção do treinamento. Participaram do estudo 15 homens com hipertensão moderada, que utilizavam medicação, com média de idade em torno de 46 anos. Durante seis semanas antes do início do treinamento, com supervisão médica, os medicamentos foram gradativamente retirados. Os exercícios foram realizados durante 12 semanas, trabalhando sete grupos musculares (abdômen, pernas, parte interna e externa das coxas, ombros, biceps e tríceps) três vezes por semana, em dias não consecutivos. Com o treinamento, a média de pressão dos pacientes, que era de 153 milímetros (sistólica, associada ao bombeamento de sangue pelo coração) e 96 milímetros (diastólica), caiu para 137 milímetros (sistólica) e 84 milímetos (diastólica). A redução está no mesmo patamar que é obtido com a medicação. Redução De acordo com Bacurau, esperava-se uma redução média da pressão em torno de 5 milímetros, o que já seria considerado um resultado satisfatório. No entanto, esse indice foi de aproximadamente 13 milímetros, o que comprova o efeito positivo do treinamento de força. Depois do final do período de treino, os pacientes foram acompanhados durante quatro semanas. O estudo também mostrou que os participantes tiveram aumento da força física e da flexibilidade. A pesquisa com hipertensos faz parte da pesquisa de Doutorado em Biofísica de Newton Rocha Moraes, realizado na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), orientada pelo professor Ronaldo Carvalho e co-orientada por Reury Bacurau, professor do curso de Ciências da Atividade Física da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH).

R I N G

Bernardo Carvalho (julho), Michel Laub (agosto), Marcelo Backes (setembro), Paulo Scott (outubro) e Luci Collin (novembro). As conversas também são transcritas, editadas e publicadas no Cândido, jornal de literatura da BPP. O terceiro encontro de 2013, marcado para o dia 5 de junho, será com o escritor cearense, radicado em Pernambuco, Ronaldo Correia de Brito.

W I N S L G A F E O H SA N T E E R U R G A A S A T U P I O M I N A B R A R A R U T I M A S I B E I D O R T E L A D A L A R

(Respostas: 1-c /2-b /3-c /4-b /5-d)

1998. Em 2000, reativou a Criar Edições, o selo que publicou obras de Paulo Leminski, Jamil Snege, Alice Ruiz, entre outros — a editora segue em atividade no momento. O projeto Retomado há dois anos, o projeto “Um Escritor na Biblioteca” já recebeu mais de 20 autores. Ainda este ano, estarão na BPP os escritores Ronaldo Correia de Brito (junho),

Musculação reduz pressão arterial em hipertensos, mostra estudo

S P A T E T O M R R E A U S I D A B O N A M P I N I G P A R I S U P A R O D B A N

Roberto Gomes é o segundo convidado de 2013 do projeto “Um Escritor na Biblioteca”. O bate-papo acontece em 8 de maio, às 19h, no Auditório Paul Garfunkel da BPP. A entrada é franca. Catarinense de Blumenau, radicado em Curitiba desde 1964, Gomes publicou romances, contos, crônicas e obras infantojuvenis. Recebeu o prêmio Jabuti por O menino que descobriu o sol (1982). Seu mais recente livro é o romance O conhecimento de Anatol Kraft, lançado em 2011. Atualmente, o autor publica crônicas quinzenalmente no jornal Gazeta do Povo. O seu percurso como escritor tem início em 1974 com a obra de filosofia Crítica da razão tupiniquim. No entanto, tornou-se mais conhecido como romancista, sobretudo por mesclar história com imaginação. Os dias do demônio (2001) trata das lutas pela terra no Sudoeste do Paraná na década de 1950. Mas é com Júlia (2008), inspirado na vida da poeta Júlia da Costa, que o autor atingiu o resultado mais aplaudido — o crítico Wilson Martins comparou Gomes a Flaubert e Eça de Queiroz. Desde 1979 Gomes trabalha na área editorial. Participou da Coeditora e, entre 1981 e 1989, coordenou a Criar Edições em sua primeira fase. Dirigiu a Editora da Universidade Federal do Paraná de 1990 a 1998. Aposentou-se como professor da UFPR em abril de

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA

3/tor. 4/adib — rain — ring. 5/não-eu — tired. 13/patrus ananias.

Roberto Gomes participa do projeto “Um Escritor na Biblioteca”

Máx. 21º Mín. 08º


6

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Prefeito Setim participa do inicio da campanha de vacinação em São José dos Pinhais A Secretaria de Saúde deu inicio essa semana a campanha de vacinação contra a Influenza (gripe). A campanha acontece do dia 15 ao dia 26 de abril. No dia 20 será feita uma mobilização nacional de vacinação, com o slogan "Quem lembra da vacina se protege da gripe". O Secretário de Saúde Brasilio Vicente de Castro Filho e o prefeito Luiz Carlos Setim acompanharam na tarde desta terçafeira a vacinação na Unidade de Saúde Central. O pre-

feito Setim aproveitou a visita para também receber a sua dose da vacina, uma vez que se enquadra no grupo 'acima de 60 anos'. "A preocupação com a saúde da população é prioridade na nossa gestão. Por isso acreditamos e investimos na prevenção", disse o prefeito. Este ano a Secretaria de Saúde espera vacinar mais de 56 mil pessoas, 24 mil pessoas a mais do que ano passado. A vacina contra a Influenza é oferecida em todas as unidades de saúde

do município e também haverá vacinação no Parque da Fonte. Estão aptos a receberem a vacina crianças de 6 meses menores de 2 anos, gestantes, mães de recémnascidos até 45 dias após o parto (pois assim o recém-nascido ganha mais anticorpos através a amamentação) pessoas acima de 60 anos, trabalhadores da saúde, portadores de doenças crônicas, diabéticos e obesos grau 3 (aqueles que possuem obesidade mórbida).

Influenza ou gripe é uma infecção viral respiratória que frequentemente é confundida com outras viroses respiratórias. Se não forem devidamente tratadas, podem agravar para uma pneumonia. A vacina distribuída este ano é a Tri Valente, que combate 3 tipos de influenza: a H1N1, H3N2 e a Influenza B. Quem desejar mais informações pode entrar em contato com a Divisão de Vigilância Epidemiológica da Prefeitura pelos telefones 3381-6379/ 3381-6360.

Secretaria de Saúde realiza capacitação para equipe do SAMU, UPA e Guarda Municipal

Nesta terça-feira (16), a Secretária de Saúde de São José dos Pinhais realizou a requalificação do Pólo de Educação Permanente do SAMU. O treinamento aconteceu na sede campestre Associação dos Funcionários Públicos Municipais (AFPM) no bairro da Costeira. O objetivo dessa requalificação da equipe foi treinar os funcionários da saúde, atendendo a portaria 2048 - Portaria da Política Nacional de Atenção as Urgências - onde um dos requisitos é manter a equipe sempre capacitada. A capacitação teve início com atividades teóricas e revisão de protocolos de urgência e emergência no período da manhã, e na parte da tarde, oficinas práticas onde todos praticaram as atividades que são efetuadas diariamente dentro das ambulâncias. Participaram da primeira do primeiro treinamento 30 servidores. Nesta quarta-feira (17), acontecerá uma nova capacitação para a segunda equipe. "Essa capacitação com certeza é um ganho para os cidadãos, mas principalmente aos funcionários, que estão ligados a urgência e emergência do SAMU. Uma capacitação de todo o pessoal é muito importante, e é repetitivo, para não se esquecer dos pontos básicos de atendimento. A população sempre ganha com ações desse tipo", falou o Secre-

tário da Saúde, Doutor Brasilio Vicente de Castro Filho. "Todo o pessoal do SAMU está de parabéns por esse treinamento. Com certeza vai melhorar muito a qualidade do atendimento para as pessoas, e isso é gratificante para nossa administração", declarou o vice-prefeito e secretário de Governo, Toninho da Farmácia. "Estamos retomando as atividades do Pólo e abrindo as atividades para a equipe do SAMU, além das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e da Guarda Municipal. Essa capacitação agrega qualidade no atendimento, um tempo resposta melhor na chegada da viatura, segurança e a qualidade de atendimento da equipe", declarou a diretora do Departamento de Urgência e Emergência, Alessandra Aguilera. "É de suma importância essa capacitação, pois nós lidamos com vários pacientes no atendimento pré-hospitalar em situações diversas. Trabalhamos em parceria com a Guarda Municipal, e essa capacitação é bastante importante também para a interação de toda a equipe", disse a participante e técnica de enfermagem, Fabiane Elvira da Cruz. Prestigiaram o treinamento o Secretário de Viação e Obras Públicas, Leandro José Pazinatto Rocha, e representantes de demais secretarias.

Prefeitura de SJP oferece curso gratuito de Braille O Centro Municipal de Atendimento Especializado (CAE) Anne Sullivan está oferecendo aos profissionais da educação curso gratuito de Braille. A primeira turma começou em março e vai até o dia 27 de abril. Os cursos serão ministrados entre das 18h às 21h, na Rua Passos de Oliveira, 999 - Centro.

A turma deste semestre conta com 15 inscritos e para o segundo semestre, o CAE Anne Sullivan terá novas turmas. As inscrições já estão abertas para todos os interessados, no entanto, o Centro está priorizando as vagas para profissionais da educação. O Centro atende portado-

res de deficiência visual, com cegueira, visão subnormal e patologias passíveis à prestação de serviços. Hoje, são 197 alunos matriculados. O Sistema Braille são procedimentos através de técnicas específicas que favorecem a decodificação e interpretação do mundo pelas vias sensoriais remanes-

centes. Desenvolve a leitura e a escrita através do alfabeto convencional cujos caracteres se indicam por pontos em alto relevo. É um método simples que torna a palavra escrita disponível a milhões de deficientes visuais. Mais informações: 33816934 e 3381-6935.

Aciap mantém mobilização sobre futuro da Delegacia Central

Também ontem, futuro da delegacia foi um dos temas na reunião da diretoria da Aciap

A Associação Comercial de São José dos Pinhais (Aciap), com base no entendimento entre a entidade empresarial, Prefeitura, Câmara de Vereadores, Subseção São José dos Pinhais da OAB-PR, Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), delegacia do Conselho Regional Imobiliário do Estado (Creci-PR) e demais órgãos públicos e representações da sociedade civil, busca uma solução para a carceragem da Delegacia Central, na Rua Norberto de Brito. Ontem (16), estiveram reunidos na sede da Aciap o prefeito Luiz Carlos Setim, o presidente da Aciap, Adriano Derinievicz, e o vice-presidente, Luiz Cesar Schlipake, o secretário Municipal de Segurança, Adriano Mühlstedt, os vereadores Onildo do PT e Luiz Paulo, o vice-presidente da Subseção São José dos Pinhais da OAB-PR, Jaiderson Rivarola, o delegado da 6ª Regional do Creci-PR, Dilermando Eleutério, e o presidente do Conseg, Paulo Mendez. As lideranças pedem mais atenção do governo do Estado em relação a esta iniciativa e principalmente, diante da mobilização da sociedade, no envolvimento por uma construção que não gere os transtornos que ocorrem na atual unidade de atendimento.


7

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

TR, POUPANÇA E TBF TR MENSAL % dez jan 0,00 0,00

Renault bate recordes de vendas e crescimento em 2012 A Renault do Brasil foi uma das montadoras que mais cresceram no Brasil em 2012 e os resultados colocaram a marca em destaque junto ao mercado brasileiro e dentro do próprio Grupo Renault. O crescimento da marca foi quatro vezes superior ao do mercado brasileiro de automóveis, totalizando mais de 24% de aumento em relação a 2011. As vendas foram recordes com mais de 241.000 unidades e a participação de mercado ficou em 6,6%, 0,9 ponto percentual acima do ano anterior. Esse expressivo desempenho resultou na conquista, pelo presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, do President Awards 2013, uma premiação de reconhecimento realizado anualmente pelo Grupo Renault. Durante a premiação, realizada na manhã de anteontem em Paris, na França, Olivier Murguet recebeu o troféu na categoria “Executivos” das mãos do

Ademar Marques

Presidente Olivier Murguet é reconhecido com o prêmio President Awards do Grupo Renault

mar 0,00

ano 0,00

12 m 0,10

POUPANÇA MENSAL % dez jan fev 0,50 0,50 0,50

mar 0,50

ano 1,51

12 m 6,27

ÍNDICES DIÁRIOS Período 21/3 a 21/4 22/3 a 22/4 23/3 a 23/4 24/3 a 24/4 25/3 a 25/4 26/3 a 26/4 27/3 a 27/4 28/3 a 28/4 29/3 a 29/4 30/3 a 30/4 31/3 a 1/5 1/4 a 1/5 2/4 a 2/5 3/4 a 3/5 4/4 a 4/5 5/4 a 5/5 6/4 a 6/5 7/4 a 7/5 8/4 a 8/5 9/4 a 9/5 10/4 a 10/5 11/4 a 11/5 12/4 a 12/5

TR 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000

TBF 0,5354 0,5173 0,5185 0,5445 0,5718 0,5765 0,5779 0,5527 0,5175 0,5435 0,5694 0,5598 0,5585 0,5588 0,5443 0,5140 0,4885 0,5143 0,5404 0,5377 0,5314 0,5820 0,5011

CONSTRUÇÃO em % dez jan fev CUB/PR 0,23 0,18 0,26 CUB (fevereiro/2013): R$ 1.079,94

Poupança 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134

ano 0,44

12 m 8,15

FAJ-TR / TR-FATOR

Presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, homenageado com o President Awards 2013

presidente do Grupo Renault, Carlos Ghosn. O President Awards é um reconhecimento aos homens e mulheres que se destacaram por seu compromisso, talento e senso de inovação, contribuindo significativamente para o desempenho dos negócios no ano de 2012.

No contexto do Grupo Renault, os resultados no Brasil contribuíram significativamente para o processo de aceleração das vendas fora da Europa em 2012. Hoje o Brasil já é o segundo maior mercado, superado apenas pela França. Além dos bons resultados no ano passado, a

Renault do Brasil conduziu com sucesso também o projeto de ampliação da capacidade produtiva do Complexo Ayrton Senna. Concluído em fevereiro deste ano, o projeto permitiu um salto da capacidade instalada, que passou de 280.000 para 380.000 carros por ano.

Richa diz que PPP é importante para retomada de investimentos

16/4 17/4 SELIC Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12

2,76809740 2,76809740

0,75% 0,82% 0,71% 0,74% 0,64% 0,68% 0,69%

0,01240190 0,01240190

Set/12 Out/12 Nov/12 Dez/12 Jan/13 Fev/13 * Mar/13

0,54% 0,61% 0,55% 0,55% 0,60% 0,49% 1,00%

* No mês corrente o valor da Selic é sempre 1,00% IR - NOVEMBRO * IR 2012: A ultima parcela do IR 2012 vence em 30/11. Para pagamento desta parcela há juros Selic de 6,00%. ** Para pagar atrasado um tributo cujo vencimento foi no mesmo mês, será cobrada a Selic do mês corrente (1,00%). Para atrasos que extrapolem o mês em curso, será cobrada taxa equivalente à soma da Selic dos meses em atraso, mais multa. PREVIDÊNCIA Competência: JANEIRO As empresas têm prazo para pagar até 20/2 e as pessoas físicas até 15/2. A partir desses prazos há multas de 4% a 100%, além de juros pela taxa Selic. EMPRESÁRIO/EMPREGADOR Contribui com 11% sobre o pró-labore, entre R$ 678,00 (R$ 74,58) e R$ 4.159,00 (457,49), através de GPS. AUTÔNOMO

Ricardo Almeida / ANPr

O governador Beto Richa disse nesta terça-feira (16) que a Parceria Público-Privada (PPP) é um instrumento importante para ampliar as ações da administração pública e promover desenvolvimento socioeconômico de municípios, estados e países. Richa foi palestrante do “Estrela da Manhã”, evento organizado pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Seção Paraná (ADVB–PR), em Curitiba. Beto Richa ressaltou que as PPPs são saudáveis principalmente se tratando de infraestrutura, “um setor carente de recursos no Brasil”, em razão da baixa capacidade de investimento do poder público. “ Todos sabem que está exaurida a capacidade dos Estados. Mais do que nunca, é necessária a parceria com a iniciativa privada, de forma transparente, para promover o desenvolvimento socioeconômico”, disse o governador. “Percebemos que o governo tem feito uma ótima gestão pública, com números notáveis. Por isso, convidamos o governador para que explicasse este Case de sucesso que é o Programa Paraná Competitivo. O poder público deve aprender com a iniciativa privada e a iniciativa privada deve aprender com o poder público”, declarou Ronie Pires, presidente da ADVB-PR.

fev 0,00

1) Quem só recebe de pessoas físicas: recolhe por carnê 20% sobre os limites de R$ 678,00 (R$ 135,60) a R$ 4.159,00 (R$ 831,80). 2) Quem só recebe de pessoas jurídicas: a empresa recolhe 11% até o máx. de R$ 4.159,00 (R$ 457,49) e desconta do autônomo. 3) Quem recebe de jurídicas e físicas: têm desconto de 11% sobre o que recebe de jurídicas, até R$ 4.159,00 (R$ 457,49). Se não atingir este teto, recolhe 20%, via carnê, sobre a diferença até R$ 4.159,00. FACULTATIVO Governador Beto Richa durante o café da manhã na Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil

Contribui com 20% sobre qualquer valor entre R$ 678,00 (R$ 135,60) e R$ 4.159,00 (R$ 831,80), através de carnê. ASSALARIADOS Salário Contribuição (R$) Até 1.247,70 De 1.247,71 até 2.079,50 De 2.079,51 até 4.159,00

Alíquota 8,00% 9,00% 11,00%

EMPREGADOS DOMÉSTICOS Empregado Empregador Total

Alíquota % 8 a 11 12 20 a 23

R$ mín 54,24 81,36 135,60

SALÁRIO FAMÍLIA – MARÇO/2013 Salário de até R$ 646,55 Salário de R$ 646,55 a 971,78

R$ máx 457,49 499,08 956,57

R$ 33,16 R$ 23,36

OUTROS ÍNDICES BTN + TR TJLP Sal. Mínimo FGTS UPC

Dez 1,570040 5,50 622,00 0,2466 22,31

Jan 1,570040 5,00 678,00 0,2466 22,31

IR – TABELA DE MARÇO Desconto na fonte e carnê-leão Base (R$) Alíquota Até 1.710,78 isento 1.710,79 a 2.563,91 7,5% 2.563,92 até 3.418,59 15,0% 3.418,60 até 4.271,59 22,5% Acima de 4.271,59 27,5%

Fev 1,570040 5,00 678,00 0,2466 22,31

Mar 1,570040 5,00 678,00 0,2466 22,31

Dedução – R$ 128,31 R$ 320,60 R$ 577,00 R$ 790,58

Deduções: a) Assalariados: 1) - R$ 171,97 por dependente; 2) - pensão alimentícia; 3) - contribuição à Prev. Social; 4) - R$ 1.710,78 por aposentado a partir de 65 anos; 5) - contribuições à previdência privada e aos Fapi pagas pelo contribuinte; b) Carnê Leão: itens de 1 a 3 mais as despesas escrituradas no livro-caixa.


8

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

A partir de 2 de maio, o limite da renda mensal familiar para interessados em se cadastrar e utilizar os Armazéns da Família vai aumentar. Dos atuais R$ 1.395, passará para R$ 1.695,00 - valor equivalente a 2,5 salários mínimos nacional. O valor será reajustado anualmente, de forma a manter a mesma proporção em relação ao salário mínimo. A previsão é que a medida beneficie cerca de 35 mil famílias, que poderão comprar produtos até 30% mais baratos que os vendidos em supermercados. Além disso, o valor máximo para compra passará de R$ 350,00 para R$ 400,00. O anúncio foi feito na noite de segunda-feira (15), pelo prefeito Gustavo Fruet e pelo secretário municipal do Abastecimento, Aldo Fernando Klein Nunes, durante a penúltima consulta pública sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014. Além do abastecimento, a consulta, realizada no Clube da Pesca de Santa Felicidade, tratou do orçamento da Ação Social, Secretaria Municipal Extraordinária da Mulher e da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência. O limite de renda familiar para o cadastro não era atualizado desde janeiro de 2010. " O salário mínimo é corrigido todo ano e o valor para ingressar no programa estava congelado há três anos. O prefeito Gustavo

Fruet determinou que fosse corrigida essa distorção", afirmou Klein Nunes. A ampliação do acesso ao programa representa um aumento de 20% em relação ao número de famílias atendidas atualmente, cerca de 180 mil. Hoje existem no município 33 Armazéns da Família. "Sem o aumento do limite da renda, muitas famílias estavam excluídas", disse Klein Nunes. O secretário também informou que será aberto, no início de maio, o armazém São João Del Rey, localizado no Sítio Cercado. Para 2014 já está prevista no orçamento a construção do Mercado Regional da Região Sul, que está entre as que mais crescem na cidade. AÇÃO SOCIAL A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Marcia Oleskovicz Fruet, falou durante a consulta pública sobre as medidas já adotadas pela Fundação nos primeiros 100 dias de gestão. Ela destacou a inauguração do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Caximba; a implantação, em conjunto com a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do Projeto Acesso, que garante transporte a pessoas com alto grau de comprometimento; o reordenamento de serviços para ampliação e qualificação do atendimento a usuários e as adequações emergenciais nas uni-

Foto: Daniel Caron/FAZ

Prefeitura amplia limite de renda para comprar no Armazém da Família

Penúltima consulta pública sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014. Na imagem, a presidente da FAS, Marcia Fruet

dades de acolhimento. "Um ponto importante foi a regularização dos pagamentos às entidades conveniadas. Estamos equilibrando contas para que ninguém precise cortar seus serviços", afirmou. A presidente da FAS também citou como medida para o aprimoramento da gestão a implementação de uma política de transparência na prestação de contas e relação com as entidades sociais, como o monitoramento direto na programação e execução dos pagamentos da Rede de Instituições de Acolhimento (RIA) e uma nova metodologia de processamento para o pagamento de contratos e convênios. Marcia Fruet também aproveitou a consulta pública para convidar os presentes a participar das atividades que serão realizadas em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e

Adolescentes, celebrado dia 18 de maio: "Curitiba vai participar de maneira muito firme deste dia e firmar um pacto pela redução do tempo de julgamento do agressor. Uma Curitiba mais humana é a da erradicação da extrema pobreza, das medidas protetivas e a que apoia seus munícipes", completou. PARTICIPAÇÃO A audiência contou com a presença de aproximadamente 400 pessoas. No local foram registradas 160 perguntas e mais de 23 mil participaram pelas redes sociais. "Este é um canal direto para que possamos ouvir. a população Damos valor a cada opinião, a cada sugestão, a cada crítica", afirmou o prefeito Gustavo Fruet. A ampliação de equipamentos do Abastecimento constava na pauta de reivindicações apresentada pelo presidente da Associação de

Curitiba decreta luto pela morte de Gerdt Hatschbach, fundador do Museu Botânico O prefeito Gustavo Fruet decretou luto oficial de três dias pela morte do botânico curitibano Gerdt Guenther Hatschbach. Considerado o maior botânico de campo do Brasil, Hatschbach faleceu aos 89 anos, na madrugada desta terça-feira (16), vítima de infecção generalizada. Ele estava internado na UTI do Hospital Nossa Senhora do Pilar, em Curitiba, desde o mês passado. "O professor Gerdt Hatschbach ficará para sempre como um nome que orgulha Curitiba e o Brasil", afirmou o prefeito, em nota oficial. "Seu falecimento é uma perda para a comunidade científica mundial, para Curitiba e para as várias gerações que se acostumaram a tê-lo como um mestre, uma sábia referência no campo da Botânica." O corpo de Gerdt Hatschbach está sendo velado na capela 3doCemitérioMunicipalSãoFrancisco de Paula e o enterro será na quarta-feira (17), às 11 horas, na Comuna Evangélica Luterana, na Rua Ivo Leão, 205, no Alto da Glória. Gerdt Guenther Hatschbach é referência nacional e internacional em Botânica. Em 1965, criou o Museu Bo-

tânico Municipal, que hoje funciona dentro do Jardim Botânico de Curitiba, instituição de pesquisa respeitada no Brasil e no mundo por suas pesquisas e coleções. No seu aniversário de 89 anos, em agosto de 2012, o museu organizou uma exposição em sua homenagem. A mostra contava a história de vida e a trajetória profissional do botânico, além de exibir algumas de suas coleções. Doutor Honoris Causa em Botânica, Hatschbach coletou mais de 80 mil plantas, entre elas cerca de 500 espécies novas para a ciência. O reconhecimento pelo seu trabalho no campo da Botânica é tão grande que 177 plantas levam o nome Gertii ou Hatschbachii na espécie, em sua homenagem. Há também dois gêneros de plantas catalogados: Hatschbachia e Hatschbachiella. Especialmente no exterior, Hatschbach é uma referência. Quando um estudo é assinado por ele, jamais é discutido ou contestado. Em 2011, o Conselho Regional de Biologia, Paraná e Santa Catarina (CRBio7), concedeu-lhe o título de Biólo-

go Honorário. Em 2012, recebeu o título de Comendador da Ordem do Pinheiro, conferido pelo governo do Estado do Paraná em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à botânica. MUSEU BOTÂNICO Fonte de pesquisa e divulgação da flora brasileira, o Museu Botânico Municipal conta com um Centro de Informação Botânica e um herbário, o quarto maior acervo do país, com aproximadamente 400 mil exsicatas (plantas secas identificadas e preservadas). Os pesquisadores do Museu Botânico Municipal ministram cursos e palestras para grupos específicos sobre assuntos relacionados à Botânica, ecologia e meio ambiente, conforme calendário próprio e mediante solicitação. A cada ano, cerca de 300 mil pessoas visitam o museu. Com o objetivo de sensibilizar em relação ao meio ambiente, a equipe de Educação Ambiental oferece diversas atividades destinadas a todos os públicos. O Salão de Exposição divulga trabalhos artísticos ou científicos.

TRAJETÓRIA Gerdt Guenther Hatschbach nasceu em 22 de agosto de 1923, em Curitiba. Em 1975, casou-se com Maria Magdaura Hatschbach, que durante décadas o acompanhou em expedições pelo Brasil e exterior. O casal não teve filhos. Em 1942, Hatschbach coletou, no local onde hoje é o Parque Barigüi, a primeira planta, uma Calyptocarpus biaristatus, que deu início ao seu acervo e que viria a ser a semente do Museu Botânico Municipal. Formou-se no curso técnico em Química Industrial, em 1945, pela Universidade Federal do Paraná. Em 1965, a convite do prefeito Ivo Arzua Pereira, organizou o Museu Botânico Municipal em uma pequena casa, no Passeio Público, exercendo a função de chefia. Na ocasião, ele fez a doação do acervo particular do Herbário Hatschbach (HH) ao Museu Botânico Municipal. Faziam parte do acervo mais de 3 mil publicações, 20 mil exsicatas de herbário, lupas, microscópios e outros equipamentos.

Moradores do Bairro Jardim Gabineto, Antonio Monteiro Sobrinho, conhecido como Toninho Ceará. "A criação de um Armazém da Família é um sonho para nós, é nossa principal reivindicação. É uma necessidade para desafogar o armazém de Santa Felicidade e da CIC", afirmou Monteiro Sobrinho. O presidente da Associação Comunitária da Vila Real, Erni Benjamin Stein, entregou uma lista com 15 solicitações. O prefeito respondeu de imediato positivamente a duas delas, já previstas pela gestão. Fruet disse que deve iniciar até maio a instalação da ciclofaixa na Rua Luiz Fuggiato, localizada no Bairro Or-

ARTIGO

leans, e até o final do ano a criação de um programa de hidroterapia, duas reivindicações antigas da comunidade local. "Precisamos de novas vias e de novos investimentos." enfatizou a presidente da Associação Comercial de Santa Felicidade, Ana Lúcia Moura, que questionou sobre o andamento da proposta de revitalização da Avenida Manoel Ribas. De acordo com o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Póvoa Pires, existe um projeto pronto, mas que não prevê ciclovias. "Queremos rediscutir o projeto para que seja melhorado", afirmou. Wilson Czerski wilson@adepr.org.br

Espiritualismo, Espiritismo e um livro especial Espiritualista é toda pessoa que acredita que além do corpo material existe nele uma alma. Dito melhor, é o reconhecimento de que ele próprio não se resume ao conglomerado de 70 trilhões de células distribuídas em tecidos, órgãos, aparelhos e sistemas do corpo carnal, mas sabe-se possuidor de uma essência de natureza especial e imortal, gerada por Deus, livre, consciente e destinada, mediante o progresso constante, a atingir a perfeição relativa e a felicidade. O Espiritualismo existe de todo o sempre porque sempre os seres humanos, de uma forma ou de outra, acreditaram na sobrevivência após a morte, cultuaram seus antepassados e, em muitos casos, comprovaram pela prática essa realidade, comunicando-se com eles. Já o Espiritismo é uma doutrina filosófica relativamente nova, sistematizada pelo pedagogo francês Hyppolite Léon Denizard Rivail que assumiu o pseudonônimo de Allan Kardec, a partir de meados do século XIX. A Doutrina Espírita, dos Espíritos ou Espiritismo passou a existir a partir do dia 18 de abril de 1857 quando este notável homem publicou a primeira edição de "O Livro dos Espíritos". E por que Doutrina dos Espíritos e "O Livro dos Espíritos" e não dos espíritas, por exemplo? Porque Kardec fez questão de afirmar que a obra não lhe pertencia. Em grande parte, essa afirmação foi uma demonstração de humildade porque, na realidade, ele contribuiu decisivamente na organização dos ensinamentos recebidos dos Espíritos Superiores. Somou todo o seu conhecimento e experiências pessoais adquiridas pelo convívio com os seres incorpóreos durante cerca de 15 anos. As observações e análises que recolheu durante este período, somadas à sua elevada cultura e inteligência tornaram-no - e não foi por acaso que ele foi escolhido para esta tarefa missionária - um instrumento apto e agente ativo para acrescentar suas próprias ideias a respeito do que lia, via e ouvia proveniente do chamado mundo espiritual. "O Livro dos Espíritos", que nesta semana completa 156 anos, não tem o caráter de sacralidade, embora seja, em boa dose, uma obra revelada. É o livro mais importante para estudo dos espíritas e de todos aqueles que têm a coragem de se embrenhar nos fascinantes caminhos do conhecimento de si mesmo e das leis que regem as relações sociais entre os seres encarnados e desencarnados. "O Livro dos Espíritos" é, portanto, o resultado do trabalho de Allan Kardec que avaliou, comparou, experimentou, analisou e sistematizou as informações recebidas de entidades espirituais de notória capacidade moral e intelectual, atendendo, por fim, ao critério do Consenso Universal dos Ensinamentos dos Espíritos, ou seja, o envolvimento de dezenas de comunicantes e médiuns que não mantinham contato entre si, em mais de 50 núcleos de pesquisa espalhados pelo mundo inteiro e cujas informações estavam coerentes e harmônicas. Seguindo o modelo da maiêutica, empregada por Sócrates, com perguntas e respostas - enumeradas 1019 ao todo, mas 1212 no total se considerarmos aquelas que foram desdobradas das anteriores - a obra é dividida em quatro partes. A primeira trata das "Causas Primárias", incluindo Deus, provas de sua existência e seus atributos; os elementos gerais do universo, espírito e matéria; a formação dos mundos, dos seres vivos, povoamento da Terra, pluralidade dos mundos; e seres orgânicos e inorgânicos, inteligência e instinto. Na segunda parte, o mundo dos espíritos, sua origem e natureza, a forma dos espíritos, seus diferentes graus de progresso, anjos e demônios; a reencarnação, a morte, a separação do corpo e a situação posterior, a justiça da reencarnação, parentesco, semelhanças físicas e morais, ideias inatas; o nascimento, a união da alma ao corpo, aborto, deficiências mentais, infância, simpatias e antipatias, esquecimento do passado; sono e sonhos, sonambulismo; espíritos protetores, pressentimentos, bênçãos e maldições, poderes ocultos e talismãs; os minerais e as plantas. Na terceira parte encontramos profundo exame das leis morais: adoração, prece e sacrifícios; trabalho e repouso; reprodução, população do globo, celibato, controle de natalidade; conservação, o instinto de, bens terrestres, o necessário e supérfluo; destruição, flagelos, guerras, crueldade, pena de morte, homicídio; sociedade e laços de família; progresso, a marcha civilizatória, legislação humana; igualdade natural, desigualdades de aptidões, sociais, de riquezas, provas da riqueza e da miséria, entre homens e mulheres; liberdade, de pensar e de consciência, livre-arbítrio, fatalidade, conhecimento do futuro; justiça, propriedade, caridade; perfeição moral. A quarta e última parte é das esperanças e consolações, felicidade e infelicidade relativas, perda de entes queridos, ingratidão, uniões antipáticas, medo da morte, desgosto da vida, a vida futura, natureza, tipos e duração dos sofrimentos dos espíritos. Como se vê, é muito mais do que um livro religioso. É um compêndio de filosofia, religião e ciência. Muita coisa mudou neste pouco mais de século e meio desde a sua publicação, mas ele, afora as novas descobertas científicas e mudanças dos costumes sociais, continua atualíssimo, fonte inesgotável de estudos e orientações teóricas e práticas para todo indivíduo que tem sede de aprender, que busca o autoconhecimento, a compreensão do universo, da alma e sua destinação.


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

9

Palestras encerram Semana de Prevenção e Combate ao Câncer de mama em Pinhais “Essa é a minha família. Marido, filhos, irmãos. Essa é minha netinha. Ela só tem seis anos, mas já é especialista em câncer”. Com os olhos grudados nas imagens projetadas na parede, o público acompanhava. E ria, e calava... se emocionava. Houve até quem tentasse disfarçar o arroubo de sentimentos, secando rápido alguma lágrima atrevida que ousava se precipitar dos olhos. À frente, relatos. Dados técnicos e histórias de vida que se entrelaçavam e compunham, pouco a pouco, uma teia de informações ao redor de um só tema: o câncer de mama. Foi uma tarde toda disso. Vozes diferentes, que apresentaram o câncer em vários de seus aspectos: o científico, da doença em si, e de modo geral, a incidência na cidade de Pinhais, o impacto junto aos pacientes. Às pacientes. Porque é a principal causa de morte de mulheres no Brasil e a segunda ao redor do globo. Entre os homens, coisa rara. À frente de uma plateia repleta e substancialmente feminina, Sônia Maria Nogueira era um dos exemplos de vida do evento. Falou de medos, de vaidade, ou a falta dela. De vida, morte e câncer – um “bandido”, como ela sempre o define. E se debruçou sobre um passa-

do recente, doloroso, que ela não faz questão alguma de esconder. “Quero que as pessoas saibam que é possível vencer essa doença, como eu venci”. Junto dela, a médica Beatriz Helena Manzochi também contou como o câncer a transformou em paciente. E como a conjugação do verbo morrer pode, de repente, pular da terceira para a primeira pessoa, e no presente do indicativo, quando se recebe um diagnóstico desses. “Na hora, é isto: morte. Depois vai mudando, e você pensa: não vou morrer, vou sofrer. Mas como eu vou sofrer? Vai assim até que você se fortalece e decide lutar. E é aí que começa o processo de cura”. Otimismo e garra, isso sim. “As mulheres têm disto: se cuidam muito mais do que os homens”, admitiu o mastologista Vinícius Budel, da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa), durante a sua fala. “Hoje, enfrentamos dados assustadores com relação à doença, que é mais recorrente em países desenvolvidos ou em desenvolvimento”. Tal realidade, segundo ele, deve-se ao ritmo de vida da mulher moderna, que hoje pode fazer as próprias escolhas. “Ela decide sobre a própria carreira, se vai ou não ter filhos e quando fará isso;

Guarda Municipal de Pinhais recupera mais um veículo Por volta das 16 horas, do último dia 12, um veículo Fiat Uno de cor preta, foi tomado em assalto, quando um funcionário de uma farmácia da região do Jardim Amélia, realizava o fechamento do caixa e, saía do estabelecimento com os malotes da loja e, foi abordado por dois indivíduos armados, que deram voz de assalto e levaram o veículo. A vítima entrou em contato com a Guarda Municipal, pelo telefone 153 e, passou as informações do roubo. De posse das informações, repassadas pela vítima, a Guarda Municipal intensificou o patrulhamento na região. No dia seguinte ao ocorrido, a Guarda Municipal localizou o veículo Fiat Uno na Rua Romeu Pires, Jardim Amélia. Durante abordagem do veículo, foi constatado que o mesmo estava abandonado. Ao realizar busca no seu interior, foram localizados três malotes, com a quantia total de R$ 5431,00. Ao entrar em contato com o proprietário da farmácia e, o funcionário que sofreu o assalto, os mesmos compareceram ao local e, o proprietário da farmácia reconheceu o veículo como seu, bem como os malotes e os medicamentos. O veículo, o dinheiro, os remédios, o proprietário da farmácia e a vítima do assalto foram encaminhados à Delegacia de Policia do Município para que fossem tomadas as medidas cabíveis.

O Fiat Uno havia sido roubado em assalto realizado na região do Jardim Amélia.

fatores que influenciam, e muito, na incidência da doença na população feminina”. Além disso, conforme Budel, também pesa nessa balança a expectativa de vida da mulher, que cresce cada vez mais. “É uma questão lógica: quanto maior o tempo de existência, maior a possibilidade de uma pessoa adoecer”, explica. E como, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), eles vivem, em média, 70,6 anos, ao passo que o tempo delas é de 77,7 anos, há de se avaliar que a vida feminina, maior em 10,06%, acaba, também, mais vulnerável, por assim dizer. Outra participação importante no evento foi a da ginecologista Rubia Antunes, que falou sobre a incidência do câncer de mama na população da cidade. Durante a sua palestra, ela destacou que, somente entre os anos de 2009 e 2013, 1.264 exames resultaram alterados, dentre os quais 204 estão em seguimento para diagnóstico definitivo. “E tivemos apenas três óbitos pela doença durante todo esse período”. Embora responda por 22% dos novos casos da doença a cada ano no mundo, número bastante alarmante, se descoberto e tratado adequadamente, o câncer de mama

costuma ter um prognóstico relativamente bom. No Brasil, entretanto, as taxas de mortalidade relacionadas a esse tipo de tumor continuam altas, muito provavelmente, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), porque o diagnóstico demora demais e já encontra o organismo do paciente muito comprometido. “É esse o hábito que precisamos mudar”, alerta a vice-prefeita de Pinhais Marli Paulino, também autora da Lei Municipal nº 617/ 2003, que estabelece a Semana de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama na cidade, de quando ainda era Vereadora. “Por isso, e considerando a faixa etária de maior risco da doença apontada pelo Ministério da Saúde, ou seja, a partir dos 40 anos, é que promovemos esse evento anualmente, como forma de conscientizar as mulheres com relação aos cuidados que devem ter com a própria saúde”. Para ela, a ação reforça a preocupação do poder público com o bem estar da parcela feminina da população, ao passo que se adianta como uma chance a mais de prevenção da doença. “Veja, além da campanha Outubro Rosa, do Ministério da Saúde, temos, em Pinhais, uma oportunidade extra de nos protegermos desse mal”, explica. “E isso, sem dúvida, é muito eficaz na tarefa de manter as pessoas sempre alertas. É um grande orgulho”, reforça. Anfitriã do evento, a secretária de Saúde de Pinhais, Vilma Serra, falou sobre o esforço de toda a sua equipe para manter a comunidade sempre alerta para o aparecimento da doença. “É um trabalho muito importante, essencial até, já que influencia na vida das pessoas”, argumenta. “É muito gratificante estar à frente de um grupo de trabalho como este: que veste a camisa, que compra a ideia e que toma para si, realmente, a missão de prevenir e rastrear o câncer em Pinhais”. Além da vice-prefeita, da secretária de Saúde e da equipe de Saúde da Mulher do município, também estiveram presentes no evento a secretária de Educação de Pinhais, Andréa Franceschini, a vereadora Márcia Ferreira, representando a Câmara Municipal, e as vereadoras Rosa Maria e Cecília Padovan.

Dados técnicos e histórias de vida que se entrelaçavam e compunham, pouco a pouco, uma teia de informações ao redor de um só tema: o câncer de mama

Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama Iniciada na segunda-feira (8), a Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama incluiu muita informação, atendimentos e conscientização. Durante cinco dias, a rotina das equipes em todas as Unidades de Saúde se intensificou, incluindo decoração especial, orientações e exames realizados com o objetivo de prevenir ou rastrear a doença principalmente entre as mulheres com idade a partir dos 40 anos. Movimento reforçado no evento de encerramento, na sexta-feira (12). Idade Segundo o Inca, relativamente raro antes dos 35 anos, o câncer de mama tem incidência rápida e progressiva em pessoas acima dessa faixa etária, e isso tanto em países desenvolvidos quanto naqueles em processo de desenvolvimento. Por isso, e como a idade é o principal fator de risco para a doença, toda mulher com 40 anos ou mais deve manter seu acompanhamento médico em dia, essencialmente até os 50 anos – depois disso, esse aumento ocorre de forma mais lenta, mas deve continuar inspirando cuidados. O ideal é que, até os 69 anos, a mamografia seja realizada a cada biênio, no mínimo. Porém, outros fatores de risco da doença também precisam ser considerados, como a vida reprodutiva e a densidade do tecido mamário, afora o histórico familiar, entre outras coisas. “Em muitos casos a doença é notada pelo aparecimento de um nódulo indolor, detectado no autoexame ou até mesmo pelo exame clínico das mamas, realizado por um profissional de saúde habilitado”, explica a enfermeira e coordenadora municipal de Saúde da Mu-

lher, Ana Cristina Ballinhas. “Ainda assim, a mamografia continua sendo o método inquestionável e fundamental para o diagnóstico precoce e, consequentemente, para a descoberta do câncer de mama. Lembrando sempre que, quanto mais cedo for a descoberta do tumor, maiores serão as chances de sucesso do tratamento”, completa. Câncer de mama O câncer é a principal causa de mortes de mulheres ao redor do globo e surge da multiplicação anormal das células da mama, que forma um tumor maligno. Tem cura, desde que descoberto no início. Quando a mulher tem herança genética é ainda mais essencial que procure o médico para avaliar seu risco de desenvolver a doença. Assim, para aquelas cuja mãe, irmã ou filha tenham sido acometidas pelo câncer de mama antes dos 50 anos, ou câncer de ovário, é imprescindível realizar o exame clínico das mamas e mamografia periódicos a partir dos 35 anos de idade. No Brasil, excluídos os tumores de pele não-melanoma, o câncer de mama é ainda o mais incidente em mulheres de todas as regiões, exceto na região Norte, onde o câncer do colo do útero ocupa a primeira posição. Entre os óbitos por doenças em geral no sexo feminino, perde apenas para os problemas cardiovasculares, como infarto e acidente vascular cerebral (AVC). Ainda de acordo com o Inca, com relação a todos os tipos de câncer no país, o de próstata ainda atinge mais os homens que o de mama afeta as mulheres. Entretanto, apesar de a próstata ser o problema mais frequente nos homens, o câncer de pulmão mata mais.

Conselho Municipal de Educação tomou posse Na última segunda-feira (15), os membros do Conselho Municipal de Educação de Pinhais (CME), foram empossados, para a gestão 2013-2016. Criado por meio da Lei nº 1055/2009, o órgão colegiado é integrado ao Sistema Municipal de Ensino, e é de natureza participativa e representativa da comunidade na gestão da educação. Dentre as características relevantes, para serem elencadas da atuação do Conselho, está o fato de trabalhar em defesa dos direitos educacionais nas leis vigentes. O evento realizado no Auditório da Secretaria Municipal de Educação, contou com a participação do prefeito Luizão Goulart, da vice-prefeita Marli Paulino, profissionais da rede municipal de ensino do município e também da rede privada, representantes do executivo municipal, do legislativo e da sociedade civil. Na oportunidade a presidente do CME, gestão 2010-2013, Simone Gualberto, agradeceu a todos que apostaram na concretização do Conselho. Além disso, apresentou um panorama geral da atuação do órgão, durante o período, e os diversos benefícios conquistados para a área de educação municipal. O Sistema Municipal de Ensino é responsável pela legislação educacional, que regulamenta, fiscaliza e propõe medidas para a melhoria das políticas educacionais municipais. O Conselho está ligado ao Sistema, e lhe compete: baixar normas que complementem as nacionais, além de autorizar, credenciar e supervisionar os estabelecimentos de ensino públicos e privados, os quais atendem a Educação Infantil, Ensino Fundamental – séries iniciais e suas modalidades de Educação especial e Educação. Para a secretária Municipal de Educação, Andrea Franceschini, quando o assunto é educação, poder público e comunidade devem unir forças e pensar juntos, soluções para o tema. “O Conselho é de extrema importância no sentido de assegurar a execução das políticas públicas, destinas à educação”, destacou. Enquanto responsável pela pasta, Andrea Franceschini, colocou-se à disposição para colaborar com a manutenção na qualidade da educação, que, segundo ela, é um dever de todos, direta ou

indiretamente envolvidos. Funções e importância O órgão tem caráter: consultivo, propositivo, mobilizador, deliberativo, normativo e fiscalizador. Destaca-se dentre suas atribuições, a relevância do Conselho, no sentido de, sensibilizar os poderes públicos municipais quanto às responsabilidades no atendimento das demandas dos segmentos, em conformidade com as políticas públicas da educação; procurar formas de parcerias que defendam o direito de todos à educação de qualidade. Além disso, municipalizar a preocupação na resolução dos problemas educacionais e participar da formulação e avaliação da política educacional. O prefeito Luizão Goulart, destacou que ser um dos, poucos, municípios que possui Sistema Municipal de Ensino, é, de fato, um desafio, que demanda muito trabalho e empenho. “Mas nós não temos medo de enfrentá-los”, afirmou Luizão. “O Conselho é uma emancipação, que possibilita que o município dê as diretrizes, no âmbito da educação pública e privada”, acrescentou.

Membros O Conselho Municipal de Educação, gestão 2013-2016, terá a seguinte composição: I – Representantes do Poder Executivo Municipal: a) Titular: Simone Gualberto; b) Suplente: Kelly Panini Fonseca de Souza; c) Titular: Maria Amélia das Neves; d) Suplente: Rosangela Batista. II – Representantes da Secretaria Municipal de Educação: a) Titular: Marcia da Luz Correa Galindo; b) Suplente: Andréia Elisa Giusti Reguta; c) Titular: Adriana Colombo Gonçalves; d) Suplente: Louize Mari da Rocha; e) Titular: Arethuza Graziela Caires Deganutti Laranjeira; f) Suplente: Adriana Denise Bento. III – Representantes das Instituições Privadas de Ensino, ligadas ao Sistema Municipal de Ensino: a) Titular: Charlene Trauer Farias; b) Suplente: Marla Janaina Selski. IV – Representantes da Sociedade Civil Organizada, que mantenha vínculo com as questões educacionais do município: a) Titular: Carmem Lucia de Oliveira Rocha; b) Suplente: Bruna Roberta de C. Subert; c) Titular: Rosalina Mendes da Luz; d) Kelson José Rizatto. V – Representantes do Conselho Tutelar de Pinhais: a) Titular: Rosemeyre Barison Apolinário; b) Suplente: Neusa F. dos Santos Santana. V – Representantes das Associações de pais, mestres e funcionários das unidades municipais de ensino, não integrantes do quadro de servidores do município de Pinhais: a) Titular: Rosiane Couto Fusco; b) Suplente: Dariane Higa Licnerski.


10

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

PREFEITURA DE COLOMBO

            !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 123  12+ , '!!,4'  6'+  '      !78 )   &7'  9'   &%'*: %, %$!  ; %  =!): (!% )'>'' ?@=(A &'' '*/!  9B',' C!' D',E' ?9CDA ) G H !)' !$*:  )' , 7B ' ')'  !$' &$%'*: !, 'IJ 9! ) #(

            !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 12  12+ , '!!,3'  5'+  '      !67 )   &6' ' ')'*8   9'   : ''"  % 6-  12+   ; ','  (!,! ' !!%'*8  < 0% ) !' ' '))'  ) = > !)' !$*8   )' , 6;  ' ')'  !$' &$%'*8  !, '? @ 9! ) #(

            !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 12  12+ , '!!,3'  5'+  '      !67 )   &6'7   0, )  &   !%*8  ' '!'  9'!!':, # ) ; < !)' !$*8   )' , 6: ' ')'  !$' &$%'*8  !, '=> 9! ) #(

         

Aviso de Licitação Edital â&#x20AC;&#x201C; PregĂŁo Presencial NÂş. 026/2013 Objeto: Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Administração, Preparo e Distribuição de Refeiçþes para o Equipamento de Segurança Alimentar e Nutricional do Restaurante Popular, com fornecimento de todos os gĂŞneros alimentĂ­cios e demais insumos, manutenção, supervisĂŁo e treinamento do quadro de colaboradores, prestação de serviço de manutenção corretiva e preventiva dos equipamentos e utensĂ­lios e manutenção predial, situado na Rua Roberto Lambach Falavinha, nÂş 216, Bairro Alto MaracanĂŁ, conforme descrição do Anexo VII, do Edital. Data: 03 de maio de 2013, Ă&#x20AC;s 09:00 Horas. Local de Abertura: Sede da Prefeitura Municipal de Colombo. Preço MĂĄximo: Constante no Edital. CritĂŠrio de Julgamento: Menor Preço Global. Informaçþes Complementares poderĂŁo ser obtidas na Secretaria Municipal da Administração, sito a Rua XV de Novembro NÂş. 105, Centro, Colombo ParanĂĄ, ou pelos fones: (041) 3656â&#x20AC;&#x201C;8002 ou 3656â&#x20AC;&#x201C;8112 ou pelo site: www.colombo.pr.gov.br. Colombo, 16 de abril de 2013. Izabete Cristina Pavin Prefeita Municipal

Aviso de Licitação Edital - Pregão Presencial Nº. 027/2013 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de emulsão e cimento asfåltico por meio do Sistema de Registro de Preços, para manutenção das vias pavimentadas do município de Colombo, conforme quantidades e especificaçþes constantes do Termo de Referência (Anexo VII), que integra o Edital. Data: 03 de maio de 2013 às 14:00 horas. Local de Abertura: Sede da Prefeitura Municipal de Colombo. Preço Måximo: Constante no Edital. CritÊrio de Julgamento: Menor Preço Global. Informaçþes Complementares poderão ser obtidas na Secretaria Municipal da Administração, sito a Rua XV de Novembro Nº. 105, Centro, Colombo Paranå, ou pelos fones: (041) 3656-8002 ou 3656-8112 ou pelo site: www.colombo.pr.gov.br. Colombo, 16 de abril de 2013. Izabete Cristina Pavin Prefeita Municipal

3ª Publicação Atas 265 a; 274/2012 Pregão 92/2012 Contratante: Prefeitura Municipal de Colombo - Secretaria Municipal de Saúde. Objeto: Aquisição de medicamentos de urgência para os prontos atendimentos municipais, unidades de saúde, SAMU, saúde mental e farmåcia båsica. Ata 265 Comercial Cirúrgica Rioclarense LTDA, CNPJ 67.729.178/0004-9 Valor:R$ 10.876,00 (dez mil oitocentos e setenta e seis reais). Ata 269-Laboratório Teuto Brasileiro S/A, CNPJ 17.159.229/0001-76 - Valor:R$ 30.679,00 (Trinta mil seiscentos e setenta e nove reais). Ata 266 - Cristålia Produtos Químicos Farmacêuticos LTDA., CNPJ 44.734.671/ 0001-51 - R$ 283.874,00 (duzentos e oitenta e três mil oitocentos e setenta e quatro reais). Ata 267- Dimaci/Pr Material Cirúrgico LTDA., CNPJ 00.656.468/0001-39 Valor: R$ 58.721,80 (Cinquenta e oito mil setecentos e vinte um reais e oitenta centavos). Ata 268 -Distribuidora de Medicamentos ANB Farma LTDA, CNPJ n.º 73.773.129/0001-06 - Valor:R$ 226.159,90 (Duzentos e vinte seis mil cento, cinquenta e nove reais e noventa centavos) Ata 270 -Mauro Marciano ComÊrcio de Medicamentos LTDA., CNPJ n.º 94.894.169/0001-86 R$ 27.462,94 (Vinte e sete mil quatrocentos e sessenta e dois reais e noventa e quatro centavos) Ata 271- Prodiet Farmacêutica LTDA., CNPJ 81.887.838/0001-40 Valor:R$ 8.193,00 (Oito mil cento e noventa e três reais). Ata 272 - Promefarma Representaçþes Comerciais LTDA., CNPJ n.º 81.706.251/0001-98 Valor:R$ 79.211,00 (Setenta e nove mil duzentos e onze reais). União Química Farmacêutica Nacional S/A,CNPJ 60.665.981/0007-03 Valor: R$ 110.129,00 (Cento e dez mil cento e vinte nove reais). Ata 273 - Webran Distribuidora de Medicamentos LTDA, CNPJ 04.372.020/ 0001-44 Valor: R$ 10.380,00 (dez mil trezentos e oitenta reais). Vigência: 27 de agosto de 2012 a 26 de agosto de 2013. Data: Colombo, 16 de abril de 2013.

Extrato 5º Aditivo Contrato 388/2011 Tomada de Preço12/11 Objeto: Empresa especializada para execução de serviços de levantamento, avaliação e cadastramento dos bens patrimoniais (móveis e imóveis) do Município de Colombo. Contratante: Município de Colombo - Secretaria Municipal da Administração Luiz Gilberto Pavin Contratado: Unisis Administração Patrimonial e Informåtica LTDA., CNPJ sob nº. 96.614.672/0001-66. Prazo: prorroga os prazos de execução e de vigência por mais 90 (noventa) dias, no período de 19/03/ 2013 a 18 /06/ 2013. Colombo, 19 de março de 2013.

  !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 12  12+ , '!!,3'  5'+  '      !67

Preços Registrados: Encontram-se a disposição no Setor de Contratos, sito à Rua XV de Novembro, n°. 105, Centro - Colombo/PR ou pelo site www.colombo.pr.gov.br no link licitaçþes.

)   , % 0,' %,  ) 11  %!  '  12+   !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% ) &6' ! ,! ! % !"! ''8  '% '! &'' %,& ' ,!!9 !%& '  #( 5!!' : ' ; ')) :' 2<$ '*9 ''  !'= %"' 2 >  ?$%5 !@ :' <' % ! 2 !" A $)' ) B C !)' !$*9  )' , 6: ' ')'  !$' &$%'*9

PORTARIA N.º 202/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, e conforme o Processo nº 01135961; RESOLVE: I - Designar a comissão de sindicância, composta pelos seguintes servidores: Humberto Ramon B. Rodrigues , RG nº 4.220.445-4, Inês Marli Kadanus Benato, RG nº 4.202.045-1 e Dinah Hastri Mendes Pereira, RG nº 4.462.0596, para sem prejuízo de suas funçþes, sob a Presidência do primeiro, constituírem a Comissão de Sindicância, referente ao Processo nº 01135961 dando-se o prazo de 60 (sessenta) dias para conclusão dos trabalhos, contados da instalação da comissão. Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 15 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

!, 'DE > ! ) #(

              !   "#$ % &"'()     ###*+ "') ')       &#   #&) # '(*+ "') #  ) *&-.# '"/ ) # ()  % &"'()  0 12 3 0     3 3 0   '"/ )   ' )  4  )  " 516    1    7     !   8 9"')  )  ###*+ "') ')  :   ) ##; ) =*)  ">)  "  )        !  #? @  *    (? ) ) # )  A &) -.# ")    ') -B    "#$ % &"'()     ###*+ "') ')  C0 12 3 0 D  * E : #*) #&-B "*)  ? 8  ")  ) *)   #&) (&') -B #  ) FG H # "*  %  

PORTARIA N.º 203/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, e conforme o Processo nº 01138693; RESOLVE: I - Designar as Sevidoras Bianca Aquino Bonete RG nº 9.297.199-6, Isabele Vicente de Brito RG nº 5.018.912-0, Flåvia Emilly Rodrigues da Silva RG nº 7.516.398-3 e Eloyse Weeny Ramos Bieberbach RG nº 6.958.461, para sob a presidência da primeira e sem prejuízo de suas funçþes comporem a comissão de prova das amostras do Processo Administrativo nº 01138693, que refere-se a aquisição de dietas, fórmulas e leites especiais para alimentação, atendendo as necessidades da Secretaria Municipal De Saúde. Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 15 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA N.º 205/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, RESOLVE: I - Designar a Servidora Pública Municipal Mà RCIA REGINA CECCON ZANETTI RG n° 5.672.610-1, para exercer a função de Responsåvel do posto de Identificação da Sede (FG), vinculado ao Gabinete do Prefeito, a partir de 01 de Abril de 2013; Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA Nº 208/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso de suas atribuiçþes que lhe são conferidas por Lei, RESOLVE: I - Exonerar a pedido, o Servidor Público Municipal VALDIVINA APARECIDA DA SILVA, RG 5.573.497-6, do cargo de Educador Infantil, na função de Educador Infantil, a partir de 11/04/2013. II - Exonerar a pedido, o Servidor Público Municipal MAYARA CRISTINA PARUCCI DIAS, RG 10.454.220-4, do cargo de Agente Administrativo, na função de Assistente Administrativo, a partir de 16/04/2013. Dê-se publicidade, Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA Nº 210/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso de suas atribuiçþes que lhe são conferidas por Lei, e nos termos da solicitação contida no processo nº 01136703; RESOLVE: I - Autorizar, o uso do espaço Público junto ao Parque da Uva, (Pista de Corrida), neste Município, para realização de evento Esportivo da Academia Versåtil com sede em Colombo, a ser realizado no dia 20 de Abril de 2013, das 08:00 ås 12:00 Horas. Dê-se publicidade, Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA N.º 211/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, RESOLVE: I - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Cristiane Elizabete Motin, RG nº 6.857.196-0, matrícula nº 4119, a partir de 05 de Março de 2013, por um período de 1 ano, devendo após esta data retornar para sua função. II - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Eronilde Roxadelli Kreusch Machioski, RG nº 3.050.764-9, matrícula nº 7591, a partir de 04 de Março de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. III - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Lany Cristina Oliveira Ramos, RG nº 007545098, matrícula nº 7881, a partir de 26 de Março de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. IV - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Glaziela Fernanda da Conceição, RG nº 6.807.667-6, matrícula nº 9504, a partir de 01 de Abril de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. V - Conceder licença sem vencimentos ao Servidor Público Municipal, Helenildo de Lima Arrais, RG nº 8.361.279-7, matrícula nº 5980, a partir de 11 de Janeiro de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. VI - Conceder licença sem vencimentos ao Servidor Público Municipal, João Carlos Pepe, RG nº 7.675.663-5, matrícula nº 5570, a partir de 05 de Abril de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. VII - Esta Portaria entrarå em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposiçþes em contrårio. Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

Extrato de Dispensa de licitação. Processo NÂş: 1138694 - Dispensa 29/2013. Partes: MunicĂ­pio de Colombo/PR, Dimaster ComĂŠrcio de Produtos Hospitalares Ltda e Comercial CirĂşrgica Rio Clarense Ltda Objeto: Aquisição dos medicamentos Clomipramina 25 mg e Haloperidol 5 mg/1ml a serem utilizados no Programa SaĂşde Mental. Valor: O valor mĂĄximo da Dispensa serĂĄ de R$ 6.600,00 (seis mil e seiscentos reais). Embasamento Legal: Artigo 24 IV â&#x20AC;&#x201C; Lei nÂş. 8.666/93. Data 16/04/2013

Extrato de Dispensa de licitação. Processo Nº: 1138726 - Dispensa 28/2013. Partes: Município de Colombo/PR, A.R. Weirich Centro Gråfico-EPP. Objeto: Contratação de serviços de Plotagens e cópias de projetos nos formatos A0, A1, A2 e A3 a fim de atender as necessidades das Secretarias Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbanismo e Habitação da Prefeitura. Valor: O valor måximo da Dispensa serå de R$ 2.452,50 (dois mil quatrocentos e cinqßenta e dois reais e cinqßenta centavos). Embasamento Legal: Artigo 24 II - Lei nº. 8.666/93. Data 16/04/2013

Extrato do Empenho N° Empenho: Data: Valor do Empenho: Dispensa n°: Contratado: Contratante: Objeto: Ă&#x201C;rgĂŁo ResponsĂĄvel:

Extrato do Empenho N° Empenho: Data: Valor do Empenho: Dispensa n°: Contratado: Contratante: Objeto: Ă&#x201C;rgĂŁo ResponsĂĄvel:

2595/2013 16/04/2013 R$ 5.700,00 (cinco mil e setecentos reais) 29/2013 Comercial Cirúrgica Rioclarense Ltda Prefeitura Municipal de Colombo Aquisição de medicamento Clomipramina 25mg para Saúde Mental. Secretaria Municipal de Saúde

2596/2013 16/04/2013 R$ 900,00 (novecentos reais) 29/2013 Dimaster ComÊrcio de Produtos Hospitalares Ltda Prefeitura Municipal de Colombo Aquisição de medicamento Haloperidol 5mg/ml para Saúde Mental. Secretaria Municipal de Saúde


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

PREFEITURA DE COLOMBO Estado do Paraná

A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Candidato

Classificação

26° Ana Paula Hey Colombo, 17 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Cargo Enfermeiro

COLOMBO PREVIDÊNCIA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE A.G.O

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE COLOMBO

FBM Administradora de Bens S/A, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n. 04.078.292/0001-36 e no NIRE sob o n. 41300023441, convoca seus acionistas para se reunirem em Assembléia Geral Ordinária (A.G.O.), a ser realizada no dia 25 de abril de 2013, às 13:00 horas em primeira convocação, com a presença de acionistas que representem, no mínimo, ¼ (um quarto) do capital social com direito a voto, e, às 13:30 horas em segunda convocação com qualquer número, em sua sede social situada na rua Tavares de Lyra, n. 2.200, bairro Afonso Pena em São Jose dos Pinhais-PR, a fim de discutirem e deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: (i) aprovar o relatório anual da administração e as demonstrações financeiras acompanhadas do parecer dos auditores independentes relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012; (ii) aprovar a proposta do Orçamento de Capital; (iii) aprovar a destinação de lucros da companhia referente exercício de 2012; (iv) eleger e dar posse os membros da diretoria; e (v) fixar o montante global anual da remuneração dos Diretores. As demonstrações financeiras e demais documentos da administração de que trata o art. 133 da Lei das Sociedades Anônimas foram publicadas em data de 22 de março de 2013 nos Jornais Metrópole e Diário Oficial. As procurações eventualmente outorgadas pelos acionistas para serem representados na Assembléia, deverão ser entregues na sede social da Companhia, no prazo improrrogável de 08 dias antes da A.G.O, sob pena de não poder o mandatário exercer o mandato, conforme comando do art. 12 do Estatuto da Companhia.

Extrato de Termo Aditivo Termo Aditivo: Processo: Partes:

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 031/2013 Concurso Público 004/2011

Concurso Público 004/2011

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 032/2013 Concurso Público 002/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) Final de Lista aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público Assistente Administrativo 002/2011 Weilany França Wilges 86° Josmar Lima Amaral

121°

Assistente Administrativo

002/2011

Gabrielle Uniczycki

123°

Assistente Administrativo

002/2011

Nael da Silva

128°

Assistente Administrativo

002/2011

Marcia Andreia Heupa

129°

Carla Renata Osga

134°

Assistente Administrativo Assistente Administrativo

002/2011 002/2011

Jenifer Meire Rezende da Silva Mariano

172°

Assistente Administrativo

002/2011

Lucimeire Rezende da Silva

178°

Assistente Administrativo

002/2011

Regiane Marcia de Oliveira

183°

Assistente Administrativo

002/2011

Janiffer Bonfim Moreira

205°

Assistente Administrativo

002/2011

Cristiane Adam da Luz

217°

Assistente Administrativo

002/2011

Edilene da Rocha 218° Assistente Administrativo Colombo, 17 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

002/2011

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 026/2013 Concurso Público 004/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público 02° 004/2011 Priscilla Scucato Minioli Médico Ginecologista Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

01/2013 ao Contrato de nº 04/2013. Dispensa de Licitação nº 04/2013. Colombo Previdência e Agostinho Fiorese / Ivete Cecon Guimarães Fiorese representados por Cibele Rozek. Objeto: Locação de imóvel localizado no cruzamento da Rua José Leal Fontoura com a Rua Zacarias de Paula Xavier, 654, Centro - Colombo/Pr para sede da Colombo Previdência. Da Dotação: As despesas decorrentes do presente contrato serão atendidas através dos recursos de dotação orçamentária de 2013, LOA n° 1283/2012Dotação 14.02.2.020.3.3.90.36.15.00.00.00 - Locação de Imóveis. Data: 15 de Abril de 2013. Assinatura: Eliseu Ribeiro dos Santos - Superintendente

FBM ADMINISTRADORA DE BENS S/A Diretoria

CARTÓRIO LIDIA KRUPPIZAK Registro Civil – Títulos e Documentos – Pessoas Jurídicas - Fone (41) 3035-3200

EDITAL DE PROCLAMAS CARTÓRIO DISTRITAL DE COLÔNIA MURICI

LIDIA KRUPPIZAK, Oficial do Registro Civil da sede da Comarca de São José dos Pinhais – PR, na forma da lei FAZ SABER que pretendem se casar: FRANCIS DA SILVA OLIVEIRA E THAYNÁ KAROLINE DA CUNHA WILSON OSNI ALVES DA SILVA JUNIOR E RAQUEL FELICIA PINHEIRO MARQUES SERGIO LOURENÇO DE OLIVEIRA E CINTHIA CASSIANE SENS ROBERT DE LIMA RODRIGUES E MARINA SUELEN PEREIRA EVANDRO CESAR PEREIRA E ALINE REIS LEANDRO APARECIDO DA COSTA COELHO E ROSINHA FALISNKI FABIO JOCELIM SILVA DE ALVARENGA E SUELI CAVALIN GAMA FABIANO MAURICIO DE LUCENA E VANESSA DE OLIVEIRA VIANA DOS SANTOS RAFAEL ROCHA PADILHA E JOSIANE APARECIDA DA SILVA LUIZ CARLOS DE SOUZA E MICHELE TENORIO DOS SANTOS JULIO CESAR DA SILVA MENDONÇA E JOSIANE DAS GRAÇAS DE FREITAS DARCI LUIZ TOMASI JUNIOR E MARIA ISABEL LADIKA HENRIQUE SIMÃO E THAIS FERREIRA DOS SANTOS MARCELO ALEGRIA BRUNING E BIANCA CRISTINE GONÇALVES JONATHAN WILLIAM CALEGARI RODRIGUES E PAULA CRISTINY GONÇALVES ANDERSON RIBAS E LUCICLEY RODRIGUES NETO MICHELI VENTURA DA SILVA E THALITA SANCHEZ DO PRADO EDSON TAKASHI YANO E LORIANE MANIKA SERGIO ADRIANO DE MELO E SIMONE RODRIGUES ALVES CARLOS BALBINO DE CASTILHO CAROLINE DE JESUS GONÇALVES Se alguém souber de impedimento legal, acuse-o para os fins de direito. E para constar e chegar este ao conhecimento de todos, lavro o presente para ser afixado no lugar de costume. São José dos Pinhais, 16 de abril de 2013. LIDIA KRUPPIZAK OFICIAL DO REGISTRO CIVIL

JOSÉ JAVORSKI – OFICIAL Alameda Bom Pastor, 171 – Campina – São José dos Pinhais - PR Fone (41) 3283-4371 – Fone/Fax (41) 3383-0588 EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem se casar: CELER COELHO DA COSTA com THAMYRIS MARIA MOTA JUSSIMAR DA SILVA com TEREZINHA DE FATIMA SIMÃO DIEGO RODOLFO DE ANDRADE com AMANDA DE MELLO CAMEIRÃO MURILO DAMAZIO DA SILVA com JAQUELINE LEANDRO GOMES Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias. São José dos Pinhais, 15 de abril de 2.013. JOSÉ JAVORSKI Oficial

EDITAL DE PROCLAMAS TABELIONATO E REGISTRO CIVIL DE SANTA QUITÉRIA. Av. N. Sra. Aparecida, 305, loja 13, Seminário – CEP: 80.440-000. Tel: (41) 3342-7372 Fax: (41) 3343-2333 – CURITIBA -PR Faço saber que pretendem casar-se e apresentarem os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro: WERBER FERNANDO TEIXEIRA DE LIMA e CAMILA CAPOBIANCO ELITON DE OLIVEIRA LOPES e ANDRESSA DE BORBA Sabendo alguém de qualquer impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de quinze dias. O referido é verdade e dou fé. Curitiba, 16 de Abril de 2013. CID ROCHA JÚNIOR / OFICIAL

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 027/2013 Concurso Público 004/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Candidato

Classificação

25° Marlon Jefferson dos Santos Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Cargo Enfermeiro

Concurso Público 004/2011

JURITI ASSOCIAÇÃO DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR A Juriti Microfinanças, com CNPJ nº 10.246.252/0001-59, com sede na Rua José Theodoro Ribeiro, 1414 – Ilha da Figueira, Jaraguá do Sul – SC e Filial na Rua Joaquim Nabuco, 1900 – Centro, São José dos Pinhais – PR, vem por meio deste divulgar suas informações financeiras dos anos 2012 e 2011.

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 028/2013 Concurso Público 001/2010

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (em Reais)

A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência.

ATIVO

Classificação

06° Luciana Luiz Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Cargo Nutricionista

Concurso Público 001/2010

PASSIVO 2012

2011

14.428.820

13.334.139

Caixa e Equivalentes de Caixa (N.4)

1.806.316

362.077

Operações de Crédito (N.5)

9.493.776

12.592.842

Valores a Receber – Programa Gaúcho (N.6)

2.491.390

-

637.338

379.220

3.106.037

4.559.716

2.531.827

4.090.079

2.531.827

4.090.079

300 561.897 12.013

449.316 20.351

17.534.857

17.893.855

CIRCULANTE

Candidato

Outros Créditos

CIRCULANTE Fornecedores Empréstimos e Financiamentos (N. 8) Obrigações Tributárias Obrigações Sociais Outras Obrigações NÃO CIRCULANTE

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 029/2013 Concurso Público 001/2010 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público Juliano Bonin 03° 001/2010 Técnico em Radiologia 04° Fabio Roberto Borges Moura Técnico em Radiologia Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Operações de Crédito (N. 5)

PATRIMÔNIO SOCIAL Investimentos Imobilizado (N. 7) Intangível (N. 8) TOTAL DO ATIVO

DESPESAS OPERACIONAIS

A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Classificação

Cargo

03° Ronna Mara Ramon Técnico em Higiene Dental Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Patrimônio Social (N. 12) Déficits do Exercício TOTAL DO PASSIVO

2011

2.645.288

2.519.546

1.745

954

1.817.625

2.188.827

69.163 608.444 148.311

17.671 187.343 124.751

19.214.542

14.115.174

6.525.997

1.896.316

12.688.548

12.218.858

(4.324.973)

1.259.135

1.259.135 (5.584.108)

2.584.122 (1.324.987)

17.534.857

17.893.855

DEMONSTRAÇÃO DO SUPERÁVIT (DÉFICIT) EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (em Reais)

RECEITA DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO

Candidato

Empréstimos e Financiamentos (N. 9) Partes Relacionadas (N. 10)

2012

001/2010

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 030/2013 Concurso Público 001/2010

Concurso Público 001/2010

11

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

Despesas com Operações de Crédito (N. 11) Despesas com Pessoal Despesas Administrativas Despesas (Receitas) Financeiras Outras Receitas Operacionais DÉFICIT DO EXERCÍCIO

2012

2011

8.639.021

7.983.544

(14.223.129)

(9.308.531)

(5.215.177) (4.607.293) (2.962.381) (1.490.831) 52.553

(2.539.431) (2.836.342) (2.033.076) (1.899.682) -

(5.584.108)

(1.324.987)

“Demonstrações contáveis auditadas por Sappia Auditores Independentes S/S Ltda, CRC (SC) 25.751/O-9 e CRS (RS) 53.378/T-SC. As Demonstrações contábeis, notas explicativas e parecer dos auditores independentes estão à disposição na sede da Juriti Microfinanças.”

Anvisa fixa regras para registro de medicamentos por processo eletrônico Agência Brasil

Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (15) no Diário Oficial da União fixa regras para o processo eletrônico de solicitação de registro de novos medicamentos. Na semana passada, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou um pacote de medidas para acelerar o registro de remédios no país. Entre as mudanças está a criação do sistema eletrônico, que vai eliminar o uso de papel durante o procedimento. De acordo com a resolução, o protocolo eletrônico da solicitação de registro está sujeito ao pagamento de uma taxa de fiscalização de vigilância sanitária, em até 30 dias. Já a efetivação do protocolo deve ocorrer em até dois dias úteis, a contar da data do pagamento. “O não pagamento da taxa no prazo estipulado resultará no cancelamento automático do peticionamento no sistema de informações da Anvisa e na não protocolização do pedido”, ressaltou a publicação. A resolução entra em vigor hoje. A meta do governo é, até dezembro, zerar a fila de produtos que aguardam há pelo menos seis meses por registro no Brasil.


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

13

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

IBQ - BRITANITE CNPJ/MF Nº 78.391.612/0001-40 - NIRE Nº 413000836-81

Indústrias Químicas Ltda

Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos para apreciação dos acionistas o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da IBQ - INDÚSTRIAS QUÍMICAS S/A informações relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, acompanhados do Relatório de Auditoria Independente. As demonstrações Financeiras estão sendo apresentadas em conformidade com as normas internacionais de contabilidade emitidas pelo IASB e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, com atendimento integral da Lei nº 11.638/07 e Lei nº 11.941/09, e pronunciamentos emitidos pelo CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis e aprovados pelo CFC - Conselho Federal de Contabilidade e pela CVM - Comissão de Valores Mobiliários. A EMPRESA Somos uma empresa que atua no desenvolvimento da indústria de base brasileira, especialmente na construção civil pesada, agregados e mineração. Produzimos e comercializamos explosivos de uso civil e acessórios de detonação, e também fornecemos soluções em engenharia de desmonte de rochas para construtoras brasileiras em projetos de hidrelétricas, portos, estradas, além de soluções técnicas para mineradoras em todo território nacional. A IBQ Indústrias Químicas S/A esta comprometida com a prática de altos padrões de segurança e qualidade no fornecimento de explosivos civis, sistemas de iniciação e serviços em desmonte de rocha. Para atingir este objetivo praticamos os princípios de melhoria contínua em nossos produtos, processos e sistemas operacionais, sempre de acordo com os requisitos aplicáveis ao Sistema de Gestão da Qualidade, de forma a exceder as expectativas de nossos clientes, parceiros de negócios, acionistas e comunidade, operando sempre de forma ética, segura e ambientalmente responsável. Um dos pilares da atuação da IBQ Indústrias Químicas S/A é o foco na prevenção de acidentes através do treinamento e acompanhamento rígido dos incidentes no ambiente de trabalho. Uma medida do sucesso da Companhia nesta área foi a ocorrência de apenas um acidente com afastamento no decorrer do ano de 2012, o que coloca a Britanite como referência em padrões de segurança, quando comparado aos produtores mundiais de explosivos civis e outras indústrias químicas. A Companhia conta com um parque fabril atualizado e bem equipado, localizado em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, no Estado de Paraná, o qual, no decorrer do ano de 2012, atingiu, por vários meses, recordes de produção na maioria das linhas de fabricação. Em junho de 2012, em mais um passo decisivo na trajetória da IBQ, a CR Almeida Engenharia e Construções S/A, então sua controladora integral, completou o processo de venda parcial do controle acionário da IBQ Indústrias Químicas S/A para o consórcio ENAEX e EXSA, passando a contar com dois novos acionistas, o Grupo Breca (do Peru) e o Grupo Sigdo-Koppers (do Chile), e nos tornando uma empresa com presença internacional. A nova sociedade garante mais força e perpetuidade à empresa, uma vez que a indústria de explosivos no Brasil e no mundo está se consolidando, e uma grande quantidade de empresas pequenas e médias está desaparecendo, absorvidas por grupos internacionais que se tornam cada vez maiores e mais difíceis de serem confrontados. O objetivo é que, juntos, possamos enfrentar os desafios para o futuro, não só perante a América Latina, mas também diante do mercado global. A soma das experiências e das capacidades deu à companhia uma nova dimensão, aumentando o nível de investimento para crescimento do negócio, gerando sinergias necessárias para podermos alavancar a expansão no Peru, Chile e Brasil, em uma estratégia de crescimento regional e mundial, que se ajuste às competitivas exigências atuais do negócio. A IBQ Indústrias Químicas S/A, operando com a marca comercial Britanite, atualmente com representação comercial e operações em dez estados brasileiros, tem a maior rede de atendimento entre as empresas do mesmo segmento do pais. Competindo com empresas internacionais tradicionais no ramo de serviços de desmonte de rocha e fornecimento de explosivos para uso civil, a IBQ é líder de mercado tendo uma participação aproximada de 45% enquanto que seus concorrentes, representados por empresas internacionais, ocupam uma parcela equivalente do mercado. Enquanto que esta participação representativa do mercado brasileiro, como que a IBQ detém, torna lenta uma maior ocupação de mercado, a experiência dos colaboradores e a qualidade dos produtos Britanite, permite estruturar estratégias de crescimento para outros mercados e eventualmente para novos negócios. A Receita da Companhia nos últimos cinco anos tem crescido constantemente superando em termos relativos aproximadamente 12,4 vezes o crescimento do PIB Brasileiro. Para fins de ilustração, comparamos no gráfico abaixo as variações cumulativas de crescimento do PIB e as variações de crescimento da receita da IBQ. A Britanite tem apresentado crescimento substancial no segmento de Mineração, setor responsável pelo desempenho positivo da balança comercial brasileira e por aproximadamente 45% da receita da Companhia, o qual, segundo levantamento realizado pelo Instituo Brasileiro de Mineração - IBRAM deverá ser objeto de uma das maiores parcelas de

investimento do setor privado no País no período de 2011 a 2015, com aportes de US$ 68,5 bilhões. Para superar os obstáculos e garantir a solidez, competitividade e desenvolvimento do setor de Mineração, o Governo Federal lançou o Plano Nacional de Mineração 2030. O programa norteará e visa fortalecer o setor mineral brasileiro nos próximos 20 anos. Segundo a opinião de especialistas e a partir de uma perspectiva de investidores internacionais, o setor de Mineração brasileiro também está se tornando primordial, canalizando empreendimentos em conjunto (joint ventures), parcerias e alianças. Ao se unirem por meio de associações internacionais, as empresas de mineração poderão colaborar de forma mais eficiente para resolver problemas regionais comuns, barreiras regulatórias e agregar valor a todos os concorrentes do setor por meio de infraestrutura compartilhada e investimentos de logística. A IBQ Indústrias Químicas S/A também tem participação acentuada no setor de construção civil, o qual vem representando 32% de sua receita, tendo sido parceira de todas as grandes construtoras nacionais em obras de infraestrutura como a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, Jirau e Teles Pires, construção do Rodoanel e Metro em São Paulo, Metro e Portos no Rio de Janeiro e obras do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) no Norte e Nordeste tais como Ferrovia Transnordestina e obras de transposição do Rio São Francisco. Para enfrentar os desafios atuais, as empresas de mineração, construção civil e seus parceiros, entre eles as empresas prestadores de serviço da área de desmonte de rocha, a exemplo da IBQ Indústrias Químicas S/A devem continuar a controlar os custos, melhorar o gerenciamento de projetos de investimento, melhorar o seu planejamento de cenários e fortalecer seus controles internos. CERTIFICAÇÕES • Certificado da ISO 9001:2008, órgão certificador BVQI. • Certificado das embalagens: CONCEPTA. DESEMPENHO COMERCIAL O negócio de prestação de serviços em desmonte de rocha e comercialização de explosivos civis está segmentado em duas grandes áreas. A primeira delas representada pelas pequenas mineradoras e pedreiras independentes, que constituem o negócio de varejo de venda de explosivos civis e aplicação em pequena escala, suportados pelos especialistas da Britanite ou técnicos do cliente, sob supervisão da Britanite. Este segmento de varejo é representado por mais de quinhentos clientes que estão em constante contato com os representantes comerciais e técnicos da Companhia, visando aperfeiçoar suas operações, melhorar a produtividade de seus negócios e colocar os seus requerimentos para os novos serviços de desmonte que irão realizar. A segunda área de negócios é representada por grandes mineradoras, construtoras de grande porte e conglomerados de pedreiras e cimenteiras, para os quais a IBQ executa o planejamento, aplicação e desmonte de rocha usualmente sob contratos de longo prazo. Em função da grande segmentação de clientes no mercado de varejo, dos contratos de longo prazo em obras de infraestrutura e com as grandes mineradoras, e de ter o negócio lastreado em diferentes segmentos de negócios tais como, mineração, infraestrutura e construção civil, a Britanite tem conseguido continuadamente aumentar o seu faturamento, apesar da flutuação econômica em alguns destes mercados. DESEMPENHO ECONÔMICO E FINANCEIRO A receita líquida das atividades operacionais neste exercício atingiu o montante recorde de R$ 338,4 milhões contra R$ 280,7 milhões no exercício de 2011, representando um crescimento de 20,6%, comparado com crescimento do PIB estimado para o mesmo período de aproximadamente 1,0%.

Nota

2012

2011 Ajustado

06 07 08 09 11

1.727 57.198 24.715 3.764 8.139 811 96.354

1.795 64.480 21.362 3.477 3.889 1.374 96.377

Não circulante Contas a receber ................................................................. Créditos com pessoas ligadas .............................................. Tributos e contribuições a recuperar ..................................... Imposto de renda e contribuição social diferidos ................... Outros recebíveis ................................................................ Imobilizado ........................................................................ Intangível ...........................................................................

07 17 09 10 11 12 13

6 7 1.034 65.667 4.885 92.927 8.114 172.640

39 19.566 994 17.228 987 76.226 4.402 119.442

268.994

215.819

Total do Ativo .............................................................................

Nota

2012

2011 Ajustado

14 15 18 -

22.682 28.276 33.675 345 5.561 711 91.250

19.219 19.172 39.211 133 335 78.070

Não circulante Empréstimos e financiamentos ............................................ Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas .............................. Provisões para contingências .............................................. Imposto de renda e contribuição social diferidos ................... Débitos com pessoas ligadas ...............................................

14 15 16 17

20.174 5.097 4.478 29.749

5.249 14.912 18.066 3.153 386 41.766

Patrimônio líquido Capital social ...................................................................... Reservas de capital ............................................................. Reservas de lucros ............................................................. Ajustes de avaliação patrimonial ..........................................

18 18 18 18

69.832 58.256 19.907 147.995 268.994

68.000 21.862 6.121 95.983 215.819

PASSIVO Circulante Fornecedores ..................................................................... Empréstimos e financiamentos ............................................. Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas .............................. Adiantamentos de clientes .................................................. Dividendos a pagar ............................................................. Outros passivos .................................................................

Total do Passivo .........................................................................

Nota Receita líquida das atividades operacionais ............................. Custo das atividades operacionais ..........................................

Receitas (despesas) operacionais: Despesas gerais e administrativas ....................................... Outras receitas (despesas) operacionais líquidas .................

2011 Ajustado

338.452 (183.319)

280.760 (152.183)

155.133

128.577

(128.789) 11.228 (117.561)

(106.320) (1.918) (108.238)

37.572

20.339

22 22 -

3.424 (10.372) -

4.673 (18.173) (771)

30.624

6.068

23

(10.820)

(495)

19.804

5.573

19 -

20 21

Lucro antes dos efeitos financeiros e da equivalência patrimonial Receitas financeiras ............................................................... Despesas financeiras ............................................................. Resultado da equivalência patrimonial .................................... Lucro antes da tributação do imposto de renda e da contribuição social Imposto de renda e contribuição social ...................................

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - (valores expressos em reais)

Lucro líquido do exercício ........................................................

Saldos em 31 de Dezembro de 2010 ..................................................................................................... Redução de Capital ................................................................................................................................... Ajustes de avaliação patrimonial: ............................................................................................................. Reversão - Contas a receber .................................................................................................................... . Realização - Depreciação do imobilizado ............................................................................................. . Realização - Impostos diferidos ............................................................................................................ Lucro líquido do exercício ......................................................................................................................... Destinações propostas: ............................................................................................................................. . Reserva legal ......................................................................................................................................... . Juros sobre o capital próprio ................................................................................................................. . Dividendos propostos ............................................................................................................................ Saldos em 31 de Dezembro de 2011 ..................................................................................................... Aumento de capital ................................................................................................................................... Distribuição de dividendos ....................................................................................................................... Ajustes de avaliação patrimonial: . Realização - Depreciação do imobilizado ............................................................................................. . Realização - Impostos diferidos ............................................................................................................ Incorporação de sociedade ...................................................................................................................... Lucro líquido do exercício ......................................................................................................................... Destinações propostas: . Reserva legal .......................................................................................................................................... . Dividendos propostos ............................................................................................................................. . Reserva para expansão .......................................................................................................................... Saldos em 31 de Dezembro de 2012 .....................................................................................................

2012

Lucro bruto .................................................................................

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

Mutações

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

Capital Social 182.000 (114.000)

Reservas de Capital -

Reservas de Lucros -

Ajustes de Avaliação Patrimonial (107.542) -

Lucros Acumulados 19.566 -

Total 94.024 (114.000)

-

-

-

116.520 (4.329) 1.472 -

4.329 5.573

116.520 1.472 5.573

68.000 1.633 -

-

483 21.379 21.862 (19.566)

6.121 -

(483) (7.606) (21.379) -

(7.606) 95.983 1.633 (19.566)

199 -

58.256 -

--

(3.368) 1.145 (3.898) -

3.368 19.804

1.145 54.557 19.804

69.832

58.256

1.171 16.440 19.907

-

(1.171) (5.561) (16.440) -

(5.561) 147.995

Demonstração dos Fluxos de Caixa - Método Indireto Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 (Valores Expressos em Milhares Reais) .

.

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

NOTAS EXPLICATIVAS Levantados em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Valores Expressos em Milhares de Reais 1) Contexto operacional A IBQ - Indústrias Químicas S/A, companhia de capital fechado está registrada no CNPJ - Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica sob. nº 78.391.612/0001-40, e NIRE - Número de Inscrição de Registro de Empresas nº 41.300.083.68-1 iniciou suas atividades em junho de 1984. Está sediada na cidade de Quatro Barras, estado do Paraná, na Rodovia Regis Bittencourt km 71 - Bairro Florestal - CEP 83420000. Tem como atividade a criação de soluções, fabricação e o fornecimento de explosivos e acessórios de detonação destinados a: mineração, construção civil pesada e pedreiras. 2) Reorganização Societária Em 14 de Junho de 2012, a XION II PARTICIPAÇÕES S.A., então controlada pela XION I PARTICIPAÇÕES S.A. (Pertencente aos grupos ENAEX S.A e EXSA S.A), adquiriu 66,67% das ações da IBQ Indústrias Químicas S.A. Na Assembleia Geral Extraordinária de 01 de Dezembro de 2012 foi aprovada a incorporação, de forma reversa, da totalidade do acervo líquido da controladora XION II PARTICIPAÇÕES S.A. na IBQ Indústrias Químicas S/A. A incorporação foi efetuada com base no balanço de 31 de Outubro de 2012, onde foi apurado o acervo líquido da XION II PARTICIPAÇÕES S.A. no montante de R$ 199, valor esse equivalente ao patrimônio líquido da XION II PARTICIPAÇÕES S.A. deduzido do investimento e do ágio, os quais foram utilizados para aumento do capital social da Companhia. Em consequência da incorporação, o ágio foi baixado na entidade veículo XION II PARTICIPAÇÕES S.A antes da incorporação, e os benefícios econômicos a serem auferidos com decorrência do ágio baixado, na forma de redução futura de tributos, foram constituídos sob forma de crédito tributário para o imposto de renda e contribuição social no montante de R$ 54.358, o qual foi reconhecido no ativo em contrapartida de uma conta de reserva de capital no patrimônio liquido. Tendo em vista o ágio pago na aquisição, o saldo de imposto de renda e contribuição social diferidos registrados no passivo da Companhia até a data da incorporação, no valor de R$ 2.008, foi reconhecido no resultado, uma vez que a depreciação dessa parcela torna-se dedutível para fins tributários após a incorporação. Por essa mesma razão, o saldo remanescente da conta de ajustes de avaliação patrimonial correspondente, foi revertido para a mesma conta de reserva de capital onde foram registrados os efeitos da incorporação. 3) Base de preparação e apresentação das demonstrações contábeis 3.1) Declaração de conformidade As demonstrações contábeis individuais da Companhia foram elaboradas em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com observância às disposições contidas na legislação societária brasileira e nos pronunciamentos, orientações e interpretações técnicas emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), aprovados pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Esses pronunciamentos visam à convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade às Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS). As demonstrações contábeis, incluindo as notas explicativas, são de responsabilidade da Administração da Companhia, cuja autorização para emissão ocorreu na reunião do conselho de administração realizada em 30 de janeiro de 2013. 3.2) Moeda funcional As demonstrações contábeis são apresentadas em reais, que é a moeda funcional da Companhia. Todas as informações financeiras são divulgadas em milhares, exceto quando indicado de outra forma. 3.3) Base de mensuração As demonstrações contábeis foram preparadas com base no custo histórico e ajustadas com base no uso de estimativas. 3.4) Uso de estimativa A preparação das demonstrações contábeis de acordo com as IFRS reque r que a Adm inistração faça julgamentos, estimativas e premissas que afetam valores de ativos, passivos, receitas e despesas. Por definição, os resultados reais podem divergir das respectivas estimativas. Estimativas e premissas com relação ao futuro são revistas de maneira contínua pela Companhia e são baseadas em experiência histórica e novas informações. Revisões de estimativas contábeis são reconhecidas no período em que as estimativas são revisadas e em quaisquer períodos futuros afetados: (Perda estimada com créditos de liquidação duvidosa (PECLD); Provisões; e Arrendamento mercantil). 4) Reclassificações As demonstrações contábeis do exercício findo em 31/12/2011 foram reclassificadas para fins de comparabilidade, conforme segue: 2011 ATIVO Circulante Contas a receber ........................................................................ Tributos e contribuições a recuperar .......................................... Não circulante Tributos e contribuições a recuperar .......................................... Outros recebíveis ....................................................................... Imobilizado ................................................................................. PASSIVO Circulante Empréstimos e financiamentos ................................................. Não circulante Empréstimos e financiamentos ................................................. Ajuste Líquido RESULTADO Despesas gerais e administrativas ........................................... Outras receitas (despesas) operacionais líquidas .................... Receitas financeiras ................................................................... Despesas financeiras ................................................................. Ajuste Líquido

RECURSOS HUMANOS Na gestão de Recursos Humanos, a empresa tem adotado políticas de incentivo ao treinamento e ao desenvolvimento de carreira, principalmente junto ao seu pessoal de produção, facilitando o atendimento à forte demanda de recursos humanos oriunda das áreas produtivas, garantindo elevados padrões de qualidade e melhorando seus índices de produtividade. Ao final do exercício de 2012, a Companhia contava com 987 colaboradores diretos e indiretos, alocados na unidade fabril de Quatro Barras, nos escritórios e canteiros de obras espalhados por todo o Brasil. A premissa do Plano de Cargos da empresa é a valorização do resultado proporcionado e a criação de valor pelo colaborador, promovendo a adequada valoração das posições, preservando a consistência interna e ajuste aos níveis praticados no mercado, levando em consideração o perfil de competência profissional, o desempenho profissional e o grau de contribuição individual e coletivo. Possuímos também um Departamento de Saúde Ocupacional, criado para incentivar a melhora do bem- estar físico, mental e social dos colaboradores da empresa. A prevenção também é uma das diretrizes relevantes, com foco em evitar danos causados à saúde pela postura e comportamento ou por riscos resultantes da presença de agentes nocivos no ambiente de trabalho. Estamos comprometidos com a manutenção de um ambiente de trabalho seguro, saudável e livre de acidentes e incidentes ambientais, e também com o atendimento de todos os requisitos legais necessários às nossas operações. Nossas práticas ambientais estão além do atendimento à legislação e normas ou a imagem da marca, elas estão presentes, inclusive, nos resultados financeiros, pois, acreditamos que, em um futuro muito próximo, integrar conservação ambiental e cadeia de valores, mais que um diferencial competitivo, será fundamental para garantir a continuidade dos negócios.

Demonstração do Resultado Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 (Valores Expressos em Milhares Reais)

BALANÇO PATRIMONIAL Levantados em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Valores Expressos em Milhares de Reais ATIVO Circulante Caixa e equivalentes de caixa ............................................. Contas a receber ................................................................. Estoques ............................................................................ Adiantamentos a Fornecedores ........................................... Tributos e contribuições a recuperar ..................................... Outros recebíveis ................................................................

O Lucro Bruto de 2012 cresceu 20,6% em relação ao ano anterior tendo alcançado R$ 155,1mm (47% em relação à receita líquida) versus R$ 128,5mm (45,8% em relação à receita líquida) no ano de 2011. Um dos fatores que tem contribuído para o aumento são os constantes acréscimos da receita líquida operacional, obtidos em função principalmente de: i) manutenção da carteira de clientes ii) foco em segmentos de infraestrutura e mineração que tem demandado investimentos ou tido crescimento substancial no período. A recente valorização do Real em relação às moedas fortes, a escassez de mão de obra especializada, a alta de preços de commodities químicas utilizadas na indústria, aliados à crise dos mercados desenvolvidos, tem provocado perdas significativa na competitividade dos produtores brasileiros com impacto relevante nas margens percentuais, o que vem sendo combatido pela Companhia com o aumento na oferta de produtos e do volume de operações. A geração de caixa operacional, medida pelo EBITDA, produziu R$ 50,5 milhões com uma margem percentual de 14,9% em relação à receita líquida, tendo crescido R$ 5,5 milhões, porém percentualmente em linha com o ano anterior. É importante ressaltar que a medição acima inclui crédito operacional não recorrente relacionado a impostos no valor de R$ 17,5 milhões, o qual impactou similarmente o lucro liquido conforme detalhamento abaixo. Além dos impactos descritos nos parágrafos anteriores, a administração da companhia seguindo o critério mais conservador decorrente da aplicação das regras do IFRS, optou por lançar como perda no exercício, recebíveis de clientes ora classificados como possíveis de recebimento, o que afetou negativamente o EBITDA. As despesas com vendas, gerais e administrativas no valor de R$ 129 milhões (R$ 106 milhões em 2011) apresentaram um aumento de 21,1% em relação ao ano anterior, devido principalmente à necessidade de aumento no número de operações e de abrangência geográfica de atendimento de modo a compensar as perdas descritas acima. Em 2012 o saldo líquido acumulado das despesas e receitas financeiras ficou em (R$ 6,9) milhões, sofrendo assim uma variação positiva de R$ 6,5 milhões quando comparada com a despesa líquida de (R$ 13,5) milhões em 2011, principalmente em função de quitação de parcelas substancial de parcelamento de impostos existente (REFIS). O lucro líquido do exercício foi de R$ 19,8 milhões comparável com R$ 5,6 milhões no ano de 2011. O Resultado de 2012 inclui crédito operacional não recorrente relacionado a impostos no valor de R$ 17,5 milhões, valor este transferido a controladora anterior, por força do item 13.6 do Share Purchase Agreement (SPA) assinado entre os acionistas em 29/03/2012. Excluído o crédito mencionado no parágrafo anterior, o lucro liquido da companhia apresentou decréscimo substancial na comparação com o ano de 2011 em função de menor rentabilidade operacional causada pela manutenção dos preços de venda ao longo do ano, apesar de custos de matéria prima crescentes devido à alta de preço de commodities de nitrogenados no mercado internacional combinados com apreciação do dólar americano perante o real. Adicionalmente ao fator preços deprimidos e maiores custos de matéria prima, os gastos de vendas e distribuição subiram substancialmente em função de aumento do número de operações em alguns estados devido à nova regulamentação do Exército Brasileiro de armazenagem de explosivos, de custos adicionados em função de implantação de novos projetos na área de mineração, encerramento de obras em projetos na área hidroelétrica e aumento da abrangência geográfica de atendimento para compensar a perda de rentabilidade.

Divulgado

Ajustes IFRS

Ajustado

64.497 3.913

(17) (24)

64.480 3.889

1.136 1.364 73.285

(142) (377) 2.941

994 987 76.226

17.719

1.453

19.172

4.564

685 243

5.249

(105.943) (2.094) 4.690 (18.634)

(377) 176 (17) 461 243

(106.320) (1.918) 4.673 (18.173)

5) Principais práticas contábeis As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia estão descritas abaixo. Essas foram aplicadas de modo consistente nos exercícios apresentados. a) Moeda estrangeira Transações em moeda estrangeira são convertidas para a moeda funcional pelas taxas de câmbio vigentes nas datas das transações. Os ganhos ou perdas cambiais oriundos da conversão de moeda estrangeira são reconhecidos no resultado. b) Instrumentos financeiros São reconhecidos pelo valor justo no momento em que a Companhia se torna parte dos contratos. Os custos de transação são acrescidos ao valor inicial do instrumento financeiro, exceto para ativos e passivos mensurados pelo valor justo por meio de resultado. Nesses casos é reconhecido diretamente no resultado do exercício. A mensuração subsequente depende da categoria em que o instrumento financeiro é enquadrado. Existem três categorias de ativos financeiros: (i) empréstimos e recebíveis; e, (ii) ativo financeiro disponível para venda e (iii) Ativos mensurados pelo valor justo por meio de resultado. E, uma categoria de passivo financeiro, mensurado pelo custo

amortizado. b.1) Ativos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado Um ativo financeiro é classificado pelo valor justo por meio do resultado, quando for mantido para negociação ou designado como tal no reconhecimento inicial. Todos os instrumentos financeiros derivativos são classificados obrigatoriamente nesta categoria. Atualmente, a companhia não opera com derivativos. Estes ativos devem ser mensurados pelo valor justo com contrapartida no seu resultado do exercício, não existindo necessidade de realização de teste para avaliar uma eventual perda no valor recuperável (PECLD). Dentro dessa categoria a Companhia possui “Caixa e equivalentes de caixa”. b.2) Empréstimos e Recebíveis Ativos financeiros com pagamentos fixos ou determináveis, não podendo ser cotados em mercado ativo. Estes ativos são mensurados pelo custo amortizado pela taxa efetiva de juros, estando sujeitos à perda no valor recuperável (PECLD). A taxa efetiva de juros é aquela que desconta exatamente os fluxos de caixa esperados. Dentro desta categoria a Companhia possui o “Contas a receber” e “direitos e obrigações com partes relacionadas”. b.3) Passivos financeiros pelo custo amortizado Os passivos financeiros não foram classificados como mensurados pelo valor justo por meio do resultado. Estes são reconhecidos pelo custo amortizado pela taxa efetiva de juros. Dentro desta categoria a Companhia possui os “Empréstimos e financiamentos” e “fornecedores”. b.4) Perda estimada com crédito de liquidação duvidosa (PECLD) Constituída após avaliação sobre a existência de evidência objetiva acerca da possibilidade de perda no valor recuperável das contas a receber. Tal evidência é advinda de eventos ocorridos após o reconhecimento do ativo que afetem o fluxo de caixa futuro estimado, tendo como base a análise histórica de perda, bem como a experiência da Administração. A análise sobre a evidencia é feita individualmente para casos mais significativos e coletivamente para os demais casos. c) Caixa e equivalentes de caixa Compreendem os saldos de dinheiro em caixa, depósitos bancários à vista e aplicações financeiras. As aplicações financeiras estão demonstradas ao custo, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do encerramento do balanço patrimonial e são de liquidez imediata. Para que um investimento financeiro seja qualificado como equivalente de caixa, precisa ter conversibilidade imediata em montante conhecido de caixa e estar sujeito a um insignificante risco de mudança de valor. Portanto, um investimento normalmente qualifica-se como equivalente de caixa somente quando tem vencimento original de curto prazo, de três meses ou menos da data da aquisição. Estão classificados com “ativo financeiro mensurado pelo valor justo por meio do resultado”. d) Ajustes a valor presente Os ativos e passivos de longo prazo são ajustados a valor presente, bem como, os de curto prazo, caso seja relevante. Os principais efeitos estão concentrados nas rubricas “Contas a receber” e “Arrendamento mercantil”. e) Estoques Os estoques são demonstrados ao custo ou valor líquido de realização, dos dois o menor. O custo é determinado pelo método de avaliação de estoque “custo médio ponderado” e o valor líquido de realização corresponde ao preço de venda estimado menos custos para concluir a venda. O custo dos produtos acabados e dos produtos em elaboração compreende matérias primas, mão de obra direta, embalagens, outros custos diretos e os respectivos gastos indiretos de produção (com base na capacidade operacional normal). Os estoques têm o seu valor recuperável avaliado na data do encerramento do exercício social. Em caso de perda por desvalorização, esta é imediatamente reconhecida no resultado. f) Imobilizado Os itens do imobilizado são avaliados pelo custo histórico de aquisição, menos a depreciação acumulada e quaisquer perdas não recuperável (ou ajustado ao valor justo ou custo atribuído - deemed cost - para os bens das contas de terrenos, instalações, máquinas e equipamentos e veículos, com base em laudo de peritos independentes). O custo histórico inclui os gastos necessários para que o item específico esteja em condições para seu uso pretendido. Reparos e manutenções, incluindo o custo das peças de reposição, somente são ativados quando for provável que os gastos proporcionem benefícios econômicos futuros para a Companhia. Caso contrário, são reconhecidos como despesa quando incorridos. A depreciação é reconhecida de maneira a alocar o valor depreciável dos ativos durante suas respectivas vidas úteis. O método de depreciação utilizado é linear. Os valores residuais e a vida útil dos ativos são revisados e ajustados, se apropriado, no decorrer do exercício. A depreciação se inicia quando o ativo está nas condições de uso pretendidas pela Administração e cessa quando o ativo é desreconhecido ou classificado como ativo mantido para venda. Um item do imobilizado é desreconhecido quando for vendido ou quando nenhum benefício econômico futuro for esperado. Anualmente, a Administração avalia se existe indicativo que os ativos imobilizados estejam desvalorizados. Em caso positivo é apurado o valor recuperável (maior entre o valor em uso e o valor justo líquido de despesas com a venda). Caso o valor recuperável seja inferior ao valor contábil líquido, uma perda deve ser reconhecida. g) Intangível Ativos intangíveis se referem a softwares, marcas e patentes. Estão reconhecidos pelo custo menos a amortização acumulada e qualquer perda no valor recuperável. Eles são amortizados em função do correspondente benefício econômico ao longo de sua vida útil estimada. A Companhia utiliza o método de amortização linear. A vida útil e o método de amortização são revisados anualmente. Os gastos com ativos intangíveis gerados internamente, somente começam a ser ativados quando a Companhia for capaz de demonstrar que ativo gerará benefícios econômicos futuros, e cessa quando o ativo estiver pronto para o uso esperado. h) Arrendamentos Todas as operações de arrendamento são classificadas como financeiro ou operacional. Arrendamentos financeiros são aqueles que transferem substancialmente todos os riscos e benefícios inerentes à propriedade do ativo arrendado a Companhia. Todos os demais arrendamentos são classificados como operacionais. Para os arrendamentos financeiros, o ativo arrendado e uma dívida de igual valor são reconhecidos pelo valor justo do ativo ou valor presente dos pagamentos mínimos, entre eles o menor. Quando não existe certeza quanto à transferência da propriedade do ativo ao final do contrato, o ativo é depreciado pelo menor prazo entre a vida útil do ativo e o prazo do arrendamento. O passivo é amortizado pela taxa efetiva de juros. Os pagamentos referentes aos arrendamentos operacionais são reconhecidos no resultado linearmente durante o prazo do arrendamento. i) Perda estimada no valor recuperável de ativos não financeiros (Impairment) Todo final de período a Companhia avalia se existem evidências objetivas de que os ativos não financeiros estejam desvalorizados, levando em conta fatores internos e externos. Caso existam evidências, o teste de recuperabilidade econômica é realizado. Ativos intangíveis com vida útil indefinida e, ainda os não disponíveis para uso são testados anualmente, sempre na mesma data, independente da existência de evidências. Para os outros ativos é avaliada a existência de indicadores que o valor esteja desvalorizado, caso positivo, o teste é realizado. O valor recuperável de um ativo ou de determinada unidade geradora de caixa é definido como sendo o maior entre o valor em uso e o valor líquido de venda. Nas situações nas quais o valor recuperável se mostrar inferior ao contábil é reconhecida uma perda com contrapartida no resultado do exercício. j) Provisões Provisões são passivos de valor e/ou prazo incerto. Elas são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação

2012

2011 Ajustado 24.732

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS: .................................

44.474

Lucro líquido do exercício antes do imposto de renda e da contribuição social ...................................................................................................................

30.624

6.068

Ajustes por: ......................................................................................................... . Juros e variações monetárias .......................................................................... . (Reversão) Perdas em contas a receber ......................................................... . Resultado de equivalência patrimonial ........................................................... . Depreciações e amortizações .......................................................................... . Valor residual na baixa de investimentos, imobilizados e intangíveis ........

34.581 6.328 5.290 13.985 8.978

36.813 14.210 (805) 771 15.172 7.465

RESULTADO AJUSTADO DO PERÍODO:

65.205

42.881

Aumento (redução) nos passivos: . Fornecedores .................................................................................................... . Imposto de renda e contribuição social pagos ............................................... . Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas ....................................................... . Adiantamentos de clientes ............................................................................... . Outros passivos ................................................................................................ Redução (aumento) nos ativos: . Caixa e equivalentes de caixa advindo de incorporação .............................. . Contas a receber ............................................................................................... . Estoques ............................................................................................................ . Adiantamentos a fornecedores ........................................................................ . Tributos e contribuições a recuperar ................................................................ . Outros recebíveis ..............................................................................................

(12.026) 3.481 (3.911) 1.404 212 (13.212) (8.705) 238 2.311 (3.353) (276) (4.290) (3.335)

3.559 4.736 (495) (3.351) (599) 3.268 (21.708) (23.003) (1.713) 1.679 936 393

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO: . Aplicações em investimentos permanentes ................................................... . Aquisição de imobilizado ................................................................................ . Aplicações no intangível ...................................................................................

(43.376) (37.178) (6.198)

(21.353) (959) (17.988) (2.406)

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO: . Aumento de capital ........................................................................................... . Empréstimos e financiamentos obtidos .......................................................... . Pagamento de empréstimos e financiamentos .............................................. . Pagamento de obrigações fiscais, sociais e trabalhistas parceladas ........... . Operações de mútuo com empresas ligadas .................................................. . Pagamento de dividendos ................................................................................ . Distribuição de juros sobre o capital próprio .................................................

(1.166) 1.633 58.019 (36.802) (23.623) 19.173 (19.566) -

(10.080) 49.523 (13.930) (18.776) (19.291) (7.606)

AUMENTO LÍQUIDO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

(68)

(6.701)

CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO INÍCIO DO PERÍODO

1.795

8.496

CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO FIM DO PERÍODO

1.727

1.795

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. (Continuação das Notas Explicativas) presente, seja legal ou não formalizada, como resultado de eventos passados, sendo provável que uma saída de recursos será necessária para liquidar a obrigação. Em adição, o valor deve ser passível de ser estimado com segurança. As provisões são reconhecidas pela melhor estimativa na data do balanço. A estimativa reflete o valor para liquidar a obrigação ou transferir para um terceiro. O valor é baseado em experiência passada ou opinião de especialistas. k) Imposto de renda e contribuição social corrente e diferido O imposto corrente é aquele pagamento esperado sobre o lucro tributável do atual exercício. São utilizadas as taxas vigentes ou substantivamente decretadas na data de fechamento. O imposto de renda e a contribuição social diferidos são reconhecidos sobre as diferenças temporárias, prejuízos fiscais e base negativa da contribuição social. São apresentados no “não circulante”. O ativo fiscal diferido tem sua recuperabilidade testada anualmente, sendo que a desvalorização é reconhecida quando o valor contábil não puder ser recuperado com a expectativa de lucro tributável futuro. l) Capital social As ações ordinárias são classificadas no patrimônio líquido. Custos adicionais diretamente atribuíveis à emissão de ações, se ocorridos, são demonstrados em conta redutora do patrimônio líquido de quaisquer efeitos tributários. m) Reconhecimento de receitas A receita de venda é reconhecida quando os riscos e benefícios inerentes à propriedade são transferidos. A receita é mensurada pelo valor justo da contrapartida recebida ou a receber, líquida de descontos, abatimentos, devoluções, comissões e impostos incidentes. Geralmente, a receitas é reconhecida no resultado pelo montante equivalente ao valor das notas fiscais emitidas. A receita de prestação de serviços é reconhecida quando uma estimativa confiável do desfecho for possível. Nesse caso, a receita reconhecida tem como base a medição dos serviços prestados. A receita financeira é reconhecida com base no método da taxa de juros efetiva. As demais receitas são sempre reconhecidas pelo regime de competência. Não é reconhecida a receita quando existir incerteza quanto à sua realização. n) Normas e interpretações emitidas ainda não vigentes n.1) IFRS 9 - Instrumentos financeiros: O IASB emitiu a norma que irá substituir a IAS 39 - Instrumentos financeiros: reconhecimento e mensuração. A substituição é composta por 3 fases, sendo que somente a primeira fase foi concluída. Atualmente, a IFRS 9 somente aborda a classificação de ativos financeiros e a classificação e mensuração de passivos financeiros. A norma tem a vigência para 1º de janeiro de 2015. O CPC não emitiu um Pronunciamento análogo. n.2) IFRS 10 - Demonstrações financeiras consolidadas: O IASB emitiu a norma que substitui a IAS 27 - Demonstrações consolidadas e separadas. A maior novidade é a definição de controle. A norma tem a vigência para 1º de janeiro de 2013. O CPC não emitiu um Pronunciamento análogo, todavia, já com a audiência encerrada (CPC 36 (R3) - Demonstrações consolidadas) n.3) IFRS 11 - Negócios em conjunto: O IASB emitiu a norma que substitui a IAS 31 - Investimento em empreendimentos controlados em conjunto. A maior novidade é a restrição no uso da consolidação proporcional. O CPC emitiu o CPC 19 (R2) - Negócios em conjunto. Ambas têm a vigência para 1º de janeiro de 2013. n.4) IFRS 12 - Divulgação de participação em outras entidades: A norma aborda divulgações da natureza e risco associado a participações em outras entidades, inclusive entidades estruturadas. O CPC emitiu o CPC 45 - Divulgação de participação em outras entidades. Ambas têm a vigência para 1º de janeiro de 2013. n.5) IFRS 13 - Mensuração do valor justo: A norma define valor justo e divulgações quando esta é utilizada. Ela não amplia a utilização do valor justo. A norma tem a vigência para 1º de janeiro de 2013. O CPC não emitiu um Pronunciamento análogo, todavia, já está em audiência (CPC 46 -Mensuração do valor justo) n.6) Emendas na IAS 19 - Benefícios a empregados: As emendas na IAS 19 emitidas pelo IASB objetivam, principalmente, limitar as opções de reconhecimento da diferença atuarial. O CPC emitiu as emendas no CPC 33 Benefícios a empregados, com vigência para 1º de janeiro de 2013. n.7) Emendas na IAS 32 - Instrumentos financeiros: apresentação: As emendas na IAS 32 emitidas pelo IASB abordam aspectos relacionados à compensação de ativos e passivos financeiros. O CPC não emitiu as mesmas emendas no CPC 39 - Instrumentos financeiros: apresentação. A Administração estuda os possíveis efeitos das normas e emendas supracitadas e entende que não terão efeito relevante. 2012 2011 6) Caixa e equivalentes de caixa Caixa ......................................................................................................................... 227 285 Bancos conta-movimento ......................................................................................... 823 111 677 1.399 Fundos de investimento .......................................................................................... 1.727 1.795 É considerado equivalente de caixa, as aplicações que permitem o resgate a qualquer momento sem a perda dos juros transcorridos. O valor contábil é próximo ao seu valor justo. (Continua na página seguinte)


14

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL (Continuação da página anterior)

7) Contas a receber Faturas e títulos a receber ....................................................................................... Serviços executados a faturar ................................................................................. Renegociações ......................................................................................................... Clientes - Caução ..................................................................................................... ( - ) Ajustes a valor presente ................................................................................... ( - ) Perdas estimadas com créditos de liquidação duvidosa ................................

2012 50.048 6.613 3.474 2.887 (256) (5.562) 57.204 51.430 5.774 57.204 57.198 6 57.204

Clientes Nacionais ................................................................................................... Clientes Estrangeiros ............................................................................................... Circulante .................................................................................................................. Não circulante ...........................................................................................................

2011 55.163 4.540 3.111 2.702 (17) (980) 64.519 64.519 64.519 64.480 39 64.519

a) Faturas e títulos a receber e serviços executados a faturar Representam valores a receber provenientes de faturas emitidas e de medições de serviços realizados ainda não faturados, porém reconhecidos pelo cliente. Nos valores a receber estão incluídos os respectivos impostos diretos de responsabilidade tributária da Companhia. b) Renegociações As contas a receber em atraso são renegociadas, normalmente, com a inclusão da taxa de juros condizentes ao risco de crédito da contraparte. Os valores foram ajustados a valor presente pela taxa implícita nos contratos. c) Clientes Caução Nas contratações de grandes obras de alguns clientes são exigidos depósitos em caução com o objetivo de garantir a realização dos serviços pela Companhia e são contabilizados a valor histórico. d) Perda estimada com créditos de liquidação duvidosa (PECLD) 2012 2011 Saldo inicial ................................................................................................................ 980 879 ( + ) Adições ................................................................................................................. 5.109 980 ( - ) Reversões ............................................................................................................. (388) (879) ( - ) Baixas .................................................................................................................... (139) Saldo final ................................................................................................................... 5.562 980 Determinada com base em critérios estabelecidos pela Administração para fazer face às possíveis perdas na realização das contas a receber. O valor constituído existente é considerado suficiente para tal cobertura. Para operações individualmente relevantes é realizada uma análise individual dos fluxos de caixa futuros esperados; para as demais, é constituída uma perda para os créditos com base na análise histórica. Faixa de atrasos: Vincendo Vencidas Total até 90 dias

de 91 a 360 dias

mais de 360 dias

2012 51.255 2.965 2.879 99 Existe um saldo de contas a receber de clientes de R$ 381 vencidos e não provisionados. 8) Estoques

57.198

Produtos Acabados e em Processo ........................................................ Matérias Primas .................................................................................... Produtos de Revenda ........................................................................... Embalagens ......................................................................................... Outros Estoques ...................................................................................

2012 12.358 4.932 5.415 465 1.545 24.715

2011 12.545 3.870 3.383 528 1.036 21.362

2012 3.298 2.435 117 458 2.109 756 9.173 8.139 1.034 9.173

2011 1.910 1.717 40 1.216 4.883 3.889 994 4.883

9) Impostos e Contribuições a Recuperar Imposto de renda e contribuição social a compensar .............................. ICMS ................................................................................................... INSS ................................................................................................... PIS ...................................................................................................... COFINS ............................................................................................... Outros ................................................................................................. Ativo circulante ...................................................................................... Ativo não circulante ................................................................................ 10) Imposto de Renda e Contribuição social diferidos Imposto de Renda Composição da base de cálculo: . Diferenças temporárias ........................................................ . IRCS diferidos pela Incorporação XION II ......................... . Saldo de Prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social .................................................................

Contribuição Social

2012

2011

2012

2011

11.297 157.212

10.772 -

11.297 157.212

10.772 -

24.629 39.906 24.629 39.874 193.138 50.678 193.138 50.646 Alíquota aplicável .................................................................. 25% 25% 9% 9% Total de impostos diferidos ativos ..................................... 48.285 12.670 17.382 4.558 São valores referentes de imposto de renda e contribuição social diferidos no montante de R$ 48.285 (R$ 12.670 em 31/ 12/2011) e R$ 17.382 (R$ 4.558 em 31/12/2011) respectivamente, os quais se referem a créditos sobre diferenças temporárias, prejuízos fiscais e base de cálculo negativa do imposto de renda e da contribuição social, reconhecidos até o montante que assegure o direito à compensação com débitos incidentes sobre a provisão de IRPJ e CSLL. A Administração considera que tais créditos serão realizados na proporção da perspectiva de resultados tributários positivos futuros e demais eventos relacionados com a dedutibilidade das diferenças temporárias ativas. A Companhia adota a prática de revisar o valor contábil do ativo fiscal diferido, ao menos, anualmente. Caso ocorram circunstâncias relevantes que modifiquem essas projeções, elas serão revisadas durante o exercício. O imposto de renda e a contribuição social diferidos foram constituídos considerando a aliquota combinada vigente de 34% (imposto de renda - 25% e contribuição social - 9%) e tiveram a seguinte movimentação. Imposto de Renda 2012 12.670 39.969 (4.354) 48.285

Saldos no início do exercício ............................................. . Constituição no exercício .................................................... . Compensações / Ajustes no Exercício ............................... Saldos no final do exercício ...............................................

Contribuição Social 2011 12.083 587 12.670

2012 4.558 14.389 (1.565) 17.382

2011 4.347 211 4.558

11) Outros Recebíveis Composta principalmente por depósito judicial de Pis/Cofins em garantia à exclusão do ICMS da Base de Calculo do Pis/ Cofins no montante de R$ 3.995 (Vide nota 16). Em Agosto de 2007, a Companhia obteve autorização judicial para efetuar o pagamento das contribuições para o PIS e COFINS, sem a inclusão do ICMS em suas bases de cálculo. Com base nessa decisão judicial, a exigibilidade foi suspensa, sendo os respectivos valores provisionados no passivo, acrescidos de atualização pela taxa SELIC (Sistema Especial de Liquidação e Custódia). A partir de Janeiro de 2012, a Companhia decidiu, a partir de opinião de seus assessores jurídicos, iniciar deposito judicial dos valores de Pis/Cofins apurados, com o objetivo de garantir a liquidação na eventual perda no processo. 12) Imobilizado 2012

Terrenos ............................................................................. Edificações e instalações ................................................. Máquinas, equipamentos e ferramentas .......................... Móveis e utensílios ........................................................... Veículos e acessórios ....................................................... Computadores e periféricos ............................................. Outros .................................................................................

(*) 14% 11% 11% 31% 28% -

Valor Justo 1.204 38.037 50.254 3.750 22.422 3.912 3.262 122.841

2011

Depreciação Acumulada 5.689 10.995 873 10.835 1.522 29.914

Valor Líquido 1.204 32.348 39.259 2.877 11.587 2.390 3.262 92.927

Valor Líquido 622 21.933 38.313 3.119 8.798 1.056 2.385 76.226

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Saldo inicial .................................................................................................................................. Novos empréstimos ..................................................................................................................... Pagamentos .................................................................................................................................. Encargos e variações monetárias e cambiais ............................................................................. Saldo final ....................................................................................................................................

13) Intangível 2012 (*) Marcas e patentes ...................................................... Direito de uso de software ......................................... 20%

2011

Valor Justo

Amortização Acumulada

Valor Líquido

Valor Líquido

381 9.967 10.348

2.234 2.234

381 7.733 8.114

983 3.419 4.402

A movimentação ocorrida no exercício foi a seguinte: Em Operação Marcas e patentes .................................................. Direito de uso de software ..................................... Amortização Acumulada Marcas e patentes .................................................. Direito de uso de software ..................................... Valor Líquido .................................................

2011

Adições

Baixas

2012

994 4.834 5.828

259 5.939 6.198

872 806 1.678

381 9.967 10.348

11 1.415 1.426

1.101 1.101

11 282 293

2.234 2.234

4.402

5.097

1.385

8.114

14) Empréstimos e financiamentos Modalidade

Sociais e Trabalhistas. . Salários e encargos .................................................................................................................... . Provisões para bônus, férias e encargos .................................................................................. Fiscais . Débitos correntes ...................................................................................................................... . Débitos parcelados (Lei nº 11.941/09) ..................................................................................... Passivo circulante Passivo não circulante

Encargos

Capital de Giro..........................

R$

21.251

Capital de Giro.......................... Ativo Fixo - Finame................... Ativo Fixo - Leasing.................. Ativo Fixo - CDC....................... Mútuo....................................... Adiantamento de Contrato de Câmbio (-) Encargos a Apropriar............ Leasing....................................

US$ R$ R$ R$ R$

CDI+2,35% a 3% aa. ; CDI+ 0,25%am.; 12,82% a 14,03% aa VC + 5,40% aa TJLP + 4%aa, 10% aa 14,50% a 24,02% aa ; CDI + 3,39%aa 12,01% a 12,28% aa CDI + 0,50% am

273 5.993 1.919 4.545 3.549

501 6.441 288 -

2.013 2.017 2.017 2.016 2.013

VC + 4,40% a 6,80% aa

6.241 (1.863) 6.542 48.450 28.276 20.174 48.450

3.838 (880) 2.138 24.421 19.172 5.249 24.421

2.013 2.015

Passivo Circulante Passivo Não Circulante

2012

2011

3.815 9.520 13.335

2.943 7.305 10.248

9.084 16.353 25.437 38.772 33.675 5.097 38.772

5.923 37.952 43.875 54.123 39.211 14.912 54.123

Em relação aos débitos parcelados (lei nº 11.941/09), os pagamentos estão previstos conforme demonstrado: Em 2013 .............................................................................................................................................................. Em 2014 .............................................................................................................................................................. Em 2015 .............................................................................................................................................................. Em 2016 ..............................................................................................................................................................

2012 11.256 4.927 111 59 16.353

16) Provisões para contingências Cíveis ............................................................................................................................................ Trabalhistas ................................................................................................................................... Tributárias ......................................................................................................................................

2012 246 4.232 4.478

2011 259 1.064 16.743 18.066

De acordo com Share Purchase Agreement (SPA) assinado entre os acionistas em 29/03/2012, as obrigações que surgirem decorrentes de fato gerador anteriores à data de aquisição (vide nota 2) em nome da Companhia, serão absorvidos pelo acionista C.R. Almeida S.A. A Administração julga que na essência, essas obrigações são do antigo controlador, portanto, tais passivos foram baixados. Os débitos abaixo foram assumidos pelo sócio C.R. Almeida S.A: ICMS São Paulo ................................................................................................................................................ Exclusão ICMS Base de Cálculo Pis e Cofins ................................................................................................ Contingência Trabalhista ................................................................................................................................... Contingência Civel ............................................................................................................................................

2012 12.834 17.878 3.265 259 34.236

O montante de provisões tributárias de R$ 4.232 (R$ 16.743 em 31/12/2011) refere-se à apuração da exclusão do ICMS da base de cálculo do Pis/Cofins relativo ao exercício de 2012 coberto por depósito judicial equivalentes (Vide nota 11). Em 31 de dezembro de 2012, a Administração decidiu com base na opinião dos seus assessores jurídicos, registrar a provisão para contingência trabalhista em montante considerado suficiente cujas perdas foram classificadas como prováveis. A Companhia estima que as provisões sejam resolvidas em um prazo médio de cinco anos. 17) Saldos de transações com partes relacionadas As transações com partes relacionadas, tratadas como mútuo financeiro, são formalizadas através de contratos, com prazo de vencimento indeterminado. As atualizações são feitas com base na taxa média de endividamento e realizadas em condições específicas determinadas pela Administração da Companhia. Portanto, a posição financeira e o resultado das transações refletem as condições estabelecidas nestas negociações. 2012 2011 Ativo Circulante Contas a Receber . CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ...................................................... 1.852 9.096 . Proyectos Explosivos S.A. (PROEXSA) ............................................................... 3.167 1.330 5.019 10.426 Ativo Não Circulante Créditos com Pessoas Ligadas . Mútuo - CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ....................................... 7 19.566 7 19.566 Imobilizado . Leasing Sede - CR Almeida S/A. .......................................................................... 3.882 3.882 Passivo Circulante Fornecedores . AEQ Aliança Eletroquímica Ltda. ........................................................................... 36 33 36 33 Outras Contas a Pagar . Aluguel a Pagar Sede - CR Almeida S/A. ............................................................ 495 495 Empréstimos e Financiamentos . Leasing a Pagar Sede CP - CR Almeida S/A. ...................................................... 450 . (-) AVP Leasing Sede CP - CR Almeida S/A ....................................................... 5 455 2012 Passivo Não Circulante Débitos com Empresas Ligadas . Mútuo - CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ........................................ . Provisão para Perdas em Inv - Proyectos Explosivos S.A. (PROEXSA) ............. Empréstimos e Financiamentos . Leasing a Pagar Sede LP - CR Almeida S/A ........................................................ . (-) AVP Leasing Sede LP - CR Almeida S/A. ....................................................... Resultado do Exercício Receitas de Vendas de Produtos e Prestação de Serviços . CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ...................................................... Compras . AEQ Aliança Eletroquímica Ltda ........................................................................... Despesas Gerais e Administrativas . Aluguel de Terreno - CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ................... Outras Receitas (Despesas) Operacionais Líquidas . Proyectos Explosivos S.A. (PROEXSA). .............................................................. . Outras Despesas Financeiras - CR Almeida S/A ................................................. Receitas Financeiras - Encargos de Operações de Mútuo . AEQ Aliança Eletroquímica Ltda. Despesas Financeiras - Encargos de Operações de Mútuo . CR Almeida S/A - Engenharia e Construções.

2011

-

11 375 386

4.075 (444) 3.631

-

12.348 12.348

14.300 14.300

707 707

472 472

495 495

-

(194) (194)

38 38

-

137 137

302 302

138 138

18) Patrimônio Líquido a) Capital social 2012

2011

Nº Ações

Participação %

Nº Quotas

Participação %

CR Almeida S.A.- Engenharia e Construções ................... 23.277.346 Participare - Administração e Participações Ltda. ............ PIO XII - Participações Societárias e Administração de Bens Próprios S/A ...................................................... XION I Participações S.A .................................................... 46.554.694 69.832.040

33,3333 -

113.995.845 2.864

99,9964 0,0025

66,6667 100,0000

1.291 114.000.000

0,0011 100,0000

O capital social no valor de R$ 69.832.040,00 é dividido em 69.832.040 ações ordinárias nominativas no valor de R$ 1,00 cada uma. Todas as ações emitidas estão integralizadas e têm os mesmos direitos de voto em assembleias e de recebimento de dividendos. As alterações ocorridas na composição acionária estão descritas na nota 2. b) Reservas de capital Representada integralmente da reserva de ágio decorrente dos efeitos advindos da reorganização societária mencionada na nota 2. c) Reservas de lucros Reserva legal ............................................................................................................... Reserva de dividendos adicionais ............................................................................. Reserva para expansão ..............................................................................................

2012 1.654 18.253 19.907

2011 483 21.379 21.862

c.1) Reserva legal - A reserva legal é constituída anualmente como destinação de 5% do lucro líquido do exercício e não poderá exceder 20% do capital social. A reserva legal tem por fim assegurar a integridade do capital social e somente poderá ser utilizada para compensar prejuízo e aumentar o capital. c.2) Reserva de dividendos - A reserva de dividendos existente no exercício de 2011 foi constituída pelo saldo remanescente do lucro líquido do exercício ajustado pelas realizações de reservas e acrescido do montante existente em conta de lucros acumulados até o exercício de 2010. Durante o exercício de 2012, R$ 19.566 foram pagos aos acionistas, sendo o saldo remanescente, transferido para a reserva de lucros para expansão. c.3) Reserva lucros para expansão - A reserva de lucros para expansão foi, por proposta da administração, constituída em 2012 pelo saldo remanescente das reservas de lucros após a destinação de recursos para dividendos aos acionistas. Tal constituição está sujeita a ratificação da assembleia geral de acionistas. d) Dividendos Conforme determina o estatuto social, os dividendos mínimos obrigatórios correspondem a 25% do lucro líquido ajustado nos termos do art. 202 da Lei 6.404/76. Tais dividendos, em 2012, representam R$ 5.561 mil que foram integramente provisionados no passivo. No exercício de 2011 a Companhia conferiu a seus acionistas durante o exercício juros sobre o capital próprio no montante de R$ 7.606 mil, nos termos permitidos pela legislação tributária vigente. Tais pagamentos foram computados como parte da distribuição de dividendos, os quais, se calculados na base de 25% do lucro líquido ajustado, representariam R$ 2.294. A seguir são apresentados os detalhes dos valores propostos a título de dividendos: 2012 2011 Lucro líquido do exercício ....................................................................................................... 19.804 5.330 ( + ) Realização de reservas .................................................................................................. 3.368 4.329 ( + ) Ajustes de exercícios anteriores ...................................... ........................................ 243 ( - ) Destinação para reserva legal - 5% .................................. ........................................ 1.171 483 ( + ) Saldo de lucros acumulados anteriores ........................................................................ 19.566 Base existente para distribuição ........................................................................................ 22.244 28.742 Dividendos propostos ............................................................................................................ 5.561 7.606 Juros sobre o capital próprio .................................................................................................. 21.136 5.561 28.742 % de distribuição proposto ................................................................................................. 25% 100% e) Ajuste de avaliação patrimonial Refere-se à contrapartida de custo atribuído de bens registrados no ativo imobilizado referidos a 1º de janeiro de 2010. Este valor foi realizado na mesma proporção da depreciação e ou baixa dos bens que originaram registro até a data da incorporação da XION II. (vide nota 2). O saldo remanescente do custo atribuído foi baixado na data da incorporação. 19) Receita operacional líquida Receitas de vendas de produto .............................................. Receitas da prestação de serviço ........................................... Devoluções e abatimentos ..................................................... Comissões sobre vendas - PJ ................................................ Impostos Incidentes sobre a receita .......................................

IGPM

2012

2011 Vencível até 12.095 2.016

Os empréstimos e financiamentos em moeda estrangeira foram convertidos para reais, mediante a utilização das taxas de câmbio vigentes na data das demonstrações financeiras, sendo R$ 1,00 equivalente a R$ 2,04 em 31 de dezembro de 2012 (R$ 1,87 em 31 de dezembro de 2011). As principais garantias de empréstimos e financiamentos, além dos próprios bens financiados, incluem avais de sócios e recebíveis. A Companhia possui um contrato de arrendamento da sede e das instalações industriais junto ao acionista CR Almeida S/ A Engenharia e Construções. O contrato foi assinado em 14 de junho de 2012 e tem prazo de 15 anos, sendo renovável por igual período. Devido à natureza especifica das instalações industriais, a Companhia decidiu segregar o contrato em duas partes: (i) terreno: e, (ii) instalações. O terreno foi classificado como sendo um arrendamento operacional, enquanto que as instalações foram consideradas como arrendamento financeiro. A divisão dos pagamentos foi definida com base nos valores justos dos elementos na data inicial. O pagamento mensal é atualizado anualmente pelo IGP- M. Como o valor presente dos pagamentos mínimos se mostrou inferior ao valor justo das instalações, este foi considerado o valor inicial do ativo e do passivo subjacente. A taxa de juros foi fixada pelo spread entre a Selic e o IGP-M na data inicial do arrendamento. Os vencimentos dos saldos dos empréstimos é o seguinte: 2012 Em 2013 .............................................................................................................................................................. 28.276 Em 2014 .............................................................................................................................................................. 10.991 Em 2015. ............................................................................................................................................................. 5.621 Em 2016.. ........................................................................................................................................................... 2.139 Em 2017 .............................................................................................................................................................. 429 Após 2017. 994 48.450 As movimentações ocorridas nos exercícios foram:

Pessoal e encargos ............................................................... Fretes ................................................................................... Serviços de terceiros ............................................................. Brindes, doações e contribuições ........................................... Viagens ................................................................................ Combustíveis ........................................................................ Depreciações e amortizações ................................................. Locações de veículos e imóveis .............................................. Manutenção .......................................................................... Alimentação .......................................................................... Consumo .............................................................................. Impostos e taxas ................................................................... Comunicação ........................................................................ Outras despesas ...................................................................

2012 399.132 53.907 (21.282) (3.640) (89.665) 338.452

2011 340.459 35.831 (4.841) (2.787) (87.902) 280.760

2012 57.689 20.847 17.254 481 5.636 2.874 6.867 3.189 3.006 3.063 2.116 1.151 1.200 3.416 128.789

2011 42.292 13.263 14.698 532 4.830 2.205 11.825 2.881 2.705 2.213 3.510 1.571 1.063 2.732 106.320

2012 (411) 227 (5.290) 16.702 11.228

2011 (612) (386) 93 (1.013) (1.918)

2012

2011

71 2.422 147 784 3.424

137 155 3.488 42 558 220 73 4.673

3.321 302 3.615 2.442 1.484 (792) 10.372

1.458 138 12.802 3.597 639 (461) 18.173

21) Outras receitas (ou despesas) operacionais Resultado na baixa de imobilizados ....................................... Resultado na baixa de investimentos ...................................... Reversão / Perdas em contas a receber .................................. Outros resultados .................................................................. 22) Resultado Financeiro Receitas financeiras: . Empresas ligadas .................................................................................................................. . Aplicações financeiras ......................................................................................................... . Variações cambiais ativas .................................................................................................... . Descontos obtidos ................................................................................................................ . Encargos sobre contas a receber de clientes ..................................................................... . Atualização de créditos fiscais ............................................................................................ . Outras .................................................................................................................................... Despesas financeiras: . Empréstimos e financiamentos ........................................................................................... . Empresas ligadas ................................................................................................................. . Atualização monetária das Obrigações Tributárias ............................................................. . Variações cambiais passivas ............................................................................................... . Outras .................................................................................................................................... . ( - ) Capitalização de custos de empréstimos .....................................................................

23) Imposto de renda e contribuição social Imposto de Renda 2012 30.624 25% 7.656

2011 5.825 25% 1.456

2012 30.624 9% 2.756

2011 5.825 9% 524

4.354 (1.476) (103)

1.083 (587) 193 (1.324)

1.565 (532) (29)

389 (211) 69 (477)

(2.224) (288)

(423) (45)

(801) (58)

(152) -

7.919 26%

353 6%

2.901 9%

142 2%

Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social ........ Alíquota aplicável ....................................................................... Ajustes para cálculo da taxa efetiva: . Impostos diferidos sobre diferenças temporárias passivas .... . Impostos diferidos sobre diferenças temporárias ativas ......... . Resultados de equivalência patrimonial .................................. . Outras adições e exclusões líquidas ....................................... . Compensação de prejuízos fiscais e bases negativas de contribuição social .................................................................. . Deduções por incentivos fiscais ............................................... Total do imposto de renda e da contribuição social no resultado ................................................................................ Taxa efetiva Imposto de Renda e Contribuição Social ..........

Contribuição Social

24) Benefícios a empregados A Companhia, em conjunto com a CR Almeida S.A. - Engenharia e Construções, C.R. Almeida S.A. - Engenharia de Obra, PRIMAV Construções e Comércio S/A, AEQ - Aliança Eletroquímica Ltda., mantém um Plano Coletivo de assistência complementar na modalidade de Plano Gerador de Beneficio Livre (PGBL) junto ao Bradesco Vida e Previdência S.A.. As contribuições da Companhia correspondem a 100% do valor aportado pelos funcionários e Administradores. O prazo de carência do plano de PGBL é de no mínimo 5 anos de vinculo empregatício. Durante o ano de 2012 a empresa aportou R$ 596 (R$ 377 em 2011). 25) Instrumentos financeiros A Companhia mantém operações com instrumentos financeiros. A administração dos instrumentos financeiros é efetuada por meio de estratégias operacionais e controles internos visando assegurar liquidez, rentabilidade e segurança. A política de controle consiste no acompanhamento permanente das condições contratadas versus as condições vigentes de mercado. Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia não possuía nenhum instrumento financeiro derivativo para mitigar riscos associados aos seus instrumentos financeiros e durante o exercício também não efetuou aplicações de caráter especulativo ou em quaisquer outros ativos de risco. Os resultados são condizentes com as políticas e estratégias definidas pela Administração da Companhia. 25.1) Gerenciamento de riscos As operações da Companhia estão expostas a riscos de mercado (moeda e indexadores), crédito e liquidez. Os riscos são constantemente acompanhados pela administração. Todos os instrumentos financeiros detidos pela Companhia estão mensurados pelo custo amortizado, a Administração entende que tais valores são muitos próximos aos respectivos valores justos. Ativos Financeiros

Categoria

Caixa e Equivalente Caixa Clientes Partes Relacionadas Mútuo

Mensurado pelo valor justo por meio de resultado ............... Recebíveis .................................... Recebíveis.....................................

Passivos Financeiros Fornecedores Empréstimos e Financiamentos Partes Relacionadas Mútuo

Mensurado pelo custo amortizado Mensurado pelo custo amortizado................................ Mensurado pelo custo amortizado ...............................

Contábil

Valor de Mercado

Contábil

Valor de Mercado

1.726 57.198 7

1.726 57.198 7

1.795 64.480 19

1.795 64.480 19

22.682

22.682

19.219

19.219

48.450

48.450

24.421

24.421

-

-

11

11

25.2) Risco de crédito Refere-se ao risco da Companhia incorrer em perdas resultantes da dificuldade de recebimento de valores faturados a seus clientes. A exposição máxima ao risco de crédito da Companhia é o valor dos recebimentos pendentes de clientes mencionadas anteriormente como “contas a receber” (vide nota 7). O valor do risco efetivo de eventuais perdas encontrase apresentado como perda estimada no valor recuperável (nota 7d). A mitigação desse risco ocorre com a aplicação de procedimentos analíticos de monitoramento das contas a receber de clientes, ações de cobrança e paralisação das vendas. 25.3) Risco de mercado Risco de mercado é a eventual perda resultante de mudanças adversas nos preços de mercado. Os riscos de mercado estão além do controle da Companhia, envolvendo principalmente a possibilidade de que mudanças nas taxas de juros, taxas de câmbio e inflação possam afetar negativamente o valor dos ativos financeiros, fluxos de caixa e rendimentos futuros. A mitigação destes riscos ocorre através da aplicação de procedimentos de avaliação da exposição dos ativos e passivos ao risco de mercado. Os principais riscos de mercado ao qual a Companhia está exposta são o dólar norte americano, CDI, IGPM e a TJLP. A fim de testar a exposição a tais riscos, a Companhia definiu 3 cenários (provável, possível e remoto) a serem simulados. No provável são utilizadas as condições consideradas como prováveis pela Administração, as quais foram definidas com base nas taxas divulgadas pela BM&F e Boletim Focus, e o cenário possível e o remoto, uma deterioração de 25% e 50% respectivamente nas variáveis. Foi fixado o período de um ano para verificação do impacto nas despesas financeiras, sendo desconsiderados os pagamentos a serem realizados no período. Segue a exposição líquida a tais riscos: 25.4) Risco de taxa de cambio Ativos Financeiros Clientes ................................................................................................. Passivos Financeiros Passivo Financeiro mensurado pelo custo amortizado ACC ....................................................................................................... Lei 4131 ................................................................................................. Fornecedores - exterior ........................................................................

Cenário Provável 421

Cenário Possível (alta 25%) 1.970

Cenário Remoto (alta de 50%) 3.519

721 31 248 1.000 (579)

2.462 107 1.398 3.967 (1.997)

4.202 183 2.547 6.932 (3.413)

Cenário Provável

Cenário Possível (alta 25%)

Cenário Remoto (alta de 50%)

43 1.096 95 322 1.556

51 1.333 111 402 1.897

60 1.569 127 482 2.238

Total Líquido ........................................................................................ 25.5) Risco de Taxas de Juros Ativos Financeiros

20) Despesas gerais e administrativas - Por natureza

Moeda

US$ R$ R$

2011 4.182 49.967 (31.269) 1.541 24.421

15) Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas

( * ) - Taxas médias de depreciação anual. Em 2010 a Administração da Companhia contratou empresa especializada para apuração do custo atribuído (“deemed cost”) de seus imobilizados, das contas de terrenos, instalações, máquinas e equipamentos e veículos que emitiu laudo técnico base para os registros contábeis. Como resultado foi apurado um acréscimo no ativo imobilizado em contrapartida do patrimônio líquido na conta de Ajustes de avaliação patrimonial (AAP). Não foi identificada a necessidade de registro de provisão para ajuste dos bens aos seus valores recuperáveis (“Impairment”). Com a reorganização societária ocorrida em 1º de dezembro de 2012 (vide nota 2), os valores do custo atribuído passaram a integrar ao valor do custo do imobilizado e a sua depreciação se tornou dedutível para fins fiscais, implicando, inclusive, na reversão dos ajustes de avaliação patrimonial. Durante o exercício de 2012 foi capitalizado R$ 912 em custos de empréstimos (R$ 461 em 2011). A taxa média ponderada foi de 12,43 % (13,8% em 2011). Na conta Edificações e Instalações estão incluídos ativos de arrendamento mercantil financeiro no valor de R$ 3.741, referente às instalações da sede e R$ 2.480 de equipamentos de informática e veículos. A movimentação ocorrida no exercício foi a seguinte: 2011 Adições Baixas Transferências 2012 Em Operação Terrenos ........................................................................ 622 582 1.204 Edificações e instalações ............................................ 22.082 5.038 35 3.882 30.967 Máquinas, equipamentos e ferramentas ..................... 35.719 7.612 1.329 2 42.004 Móveis e utensílios ...................................................... 3.601 226 77 3.750 Veículos e acessórios .................................................. 12.667 2.159 404 4.852 19.274 Computadores e periféricos ........................................ 1.522 562 71 1.788 3.801 Outros ........................................................................... 76.213 16.179 1.916 10.524 101.000 Em Andamento Edificações e instalações ............................................ 4.324 7.345 717 (3.882) 7.070 Máquinas, equipamentos e ferramentas ..................... 9.956 3.825 5.529 (2) 8.250 Móveis e utensílios ...................................................... 22 22 Veículos e acessórios .................................................. 1.080 6.920 (4.852) 3.148 Computadores e periféricos ........................................ 33 1.866 (1.788) 111 Outros ........................................................................... 2.385 1.042 165 3.262 17.800 20.998 6.433 (10.524) 21.841 Depreciação Acumulada Edificações e instalações ............................................ 4.473 1.216 5.689 Máquinas, equipamentos e ferramentas ..................... 7.362 4.017 383 10.996 Móveis e utensílios ...................................................... 504 387 19 872 Veículos e acessórios .................................................. 4.949 6.220 334 10.835 Computadores e periféricos ........................................ 499 1.044 21 1.522 17.787 12.884 757 29.914 Valor Líquido .............................................................. 76.226 24.293 7.592 92.927

2012 24.421 58.019 (36.802) 2.812 48.450

Passivo Financeiro mensurado pelo custo amortizado / Indexador Finame / TJLP + 1% ~ 6% .................................................................... Capital de Giro / CDI + 0,25% ~ 3,00% ................................................ Arrendamento Mercantil / CDI + 3,3911% ............................................ Arrendamento Mercantil / IGPM ........................................................... Total ......................................................................................................

25.6) Risco de liquidez O risco de liquidez representa o risco de a Companhia enfrentar dificuldades para cumprir suas obrigações relacionadas aos passivos financeiros. A Companhia monitora o risco de liquidez mantendo caixa e investimentos prontamente conversíveis para atender suas obrigações e compromissos e, também se antecipando para futuras necessidades de caixa. Segue a análise de liquidez pelo dos vencimentos contratuais de todos os instrumentos financeiros: Análise do Vencimento ...........................................

até 3 meses

de 3 a 12 meses

de 1 a 3 anos

superior a 3 anos

Total

ATIVO Caixa e Equiv. Caixa ................................................ Clientes ..................................................................... Clientes - Renegociação... ....................................... Partes Relacionadas (Mútuo) .................................. Total Ativo .................................................................

1.726 48.345 883 7 50.961

93 1.310 1.403

2 485 487

21 115 136

1.726 48.461 2.793 7 52.987

PASSIVO Fornecedores Mercado Interno ................................ Forne cedores Mercado Externo ............................. Empréstimos e Financiamentos .............................. Arrendamento Mercantil Financeiro. ....................... Total Passivo ............................................................

18.319 4.350 5.862 956 29.487

13 20.327 2.287 22.627

15.702 2.642 18.344

17 3.296 3.313

18.332 4.350 41.908 9.181 73.771

Os fluxos de caixa, ativos e passivos foram considerados na análise de liquidez a valores não descontados. Os recebíveis de clientes incluem apenas as operações vincendas. 26) Seguros Risco

Vencimentos

Básico/Roubo de Máquinas.............. Frota Veículos................................. Responsabilidade Terceiros............. Garantia execução de serviços......... Responsabilidade Civil.................... Total ..................................................

Valor Segurado

Premio

A apropriar

876 1.300 10.000 19.268 20.000 51.444

6 100 320 489 29 944

2 43 271 375 29 720

Diversos 30/05/2013 05/11/2013 Diversos 01/01/2014

A Administração da Companhia adota a política de contratar seguros de diversas modalidades, cujas coberturas são consideradas suficientes pela Administração e agentes seguradores para fazer face à ocorrências de sinistros, exceto para a modalidade “Property” cujo risco vem sendo recusado pelas seguradoras, no entanto a Companhia tem identificados parceiros que deverão ser capazes de assumir tal demanda em curto período de tempo. As premissas de riscos adotadas, dada a sua natureza, não fazem parte do escopo da auditoria das demonstrações contábeis, consequentemente, não foram examinadas pelos nossos auditores independentes. 27) Resultado por segmento Os dados segmentados são baseados em informações utilizadas pela Administração para avaliar o desempenho dos segmentos operacionais visando a melhor estratégia para Companhia. Produtos Serviços Total Receita bruta ............................................................................................. 309.841 143.198 453.039 Deduções da receita bruta ....................................................................... (91.305) (23.282) (114.587) Receita liquida das atividades operacionais ...................................... 218.536 119.916 338.452 Custo das atividades operacionais .......................................................... (126.590) (56.729) (183.319) Lucro bruto ............................................................................................... 91.946 63.187 155.133 Receitas (despesas) operacionais:Despesas gerais e administrativas . (80.500) (37.061) (117.561) (80.500) (37.061) (117.561) Lucro antes dos efeitos financeiros e da tributação .......................... 11.446 26.126 37.572

DIRETORIA DIRETORIA EXECUTIVA: Antonio Luiz Cyrino de Sá Carlos Alberto Duque Paulo Celso Gomes de Castro André de Camargo

Diretor Presidente Diretor Administrativo/Financeiro Diretor Comercial Diretor de Operações

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Juan Eduardo Errazuriz Ossa Mario Augusto Brescia Cafferata Juan Pablo Aboitiz Dominguez Juan Andres Errazuriz Dominguez Mario Augusto Miguel Brescia Moreyra Karl Georg Maslo Luna Marco Antonio Cassou Joao Alberto Gomes Bernacchio César Beltrão de Almeida

Presidente Vice presidente

CONTADOR: Marcos Rogério Marcatto - CRC/PR 037.466/O-2

Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Aos Acionistas e Administradores da IBQ - Indústrias Químicas S/A Quatro Barras - PR Examinamos as demonstrações contábeis individuais da IBQ - Indústrias Químicas S/A, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis A Administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e com as Normas Internacionais de Relatório Financeiro (“IFRSs”), emitidas pelo “International Accounting Standars Board - IASB”, assim como pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da Empresa para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações contábeis referidas acima apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da IBQ - Indústrias Químicas S/A em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e com as IFRSs emitidas pelo IASB. Curitiba (PR), 30 de Janeiro de 2013. MOORE STEPHENS BOEING AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC.PR 005.174/O-5 José Boeing Contador CRC SC-017.676/O-4 T/PR


16

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

LAPA

PIRAQUARA

Prefeitura apoia iniciativa para atrair turistas

Município recebe aparelhos que medem quantidade de chuva

Buscando desenvolver ações que fomentem o turismo na cidade, em breve será lançado o projeto “Um dia muito especial na Lapa”. O objetivo é dotar a cidade de um atrativo turístico que privilegie a cultura local. A ação será desenvolvida por meio de parceria entre o poder público municipal e o empresário e consultor Márcio Assad. Os detalhes foram definidos em reunião que, além da presença do consultor, contou com a participação do secretário de Desenvolvimento Local, Luiz Lopes, da diretora de Cultura, Eloisa Murbach, e do diretor de Turismo, Sérgio Vinicius de Souza Jr. A iniciativa dedicará um dia no mês às mais diversas expressões de arte e cultura em vários espaços do Centro Histórico. A ação será aberta à

Aparelhos do Governo Federal vai medir fenômenos naturais em Piraquara

ação de gerenciamento de riscos e desastres seja disseminada em todo o país. O Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais inclui os seguintes projetos: “Pluviômetros Automáticos” e “Pluviômetros nas Comunidades”, que visam a distribuição de pluviômetros semiautomáticos, equipamento que mede a quantidade de chuva, para serem instalados em áreas de risco e operados por equipes da comunidade lo-

cal, tendo como objetivo principal o estímulo à cultura da percepção de riscos de desastres naturais, envolvendo a população que vive em áreas de risco e fortalecendo as capacidades locais de enfrentamento aos eventos adversos. A Coordenadoria da Defesa Civil de Piraquara, através de estudos de campo e registros de ocorrências causadas pela chuva, irá indicar os três pontos onde devem ser instalados os equipamentos. O aparelho não precisa

ser conectado na rede elétrica, pois seu funcionamento utiliza células que captam a energia solar. Como aparelho transmite seus dados utilizando um modem celular, o local de instalação deverá estar dentro da área de cobertura de uma operadora com sinal de celular. As informações são acessadas via rede, ou seja, estarão disponíveis na Internet para serem utilizadas para prevenir as pessoas ou planejar ações em caso de desastres naturais.

ARAUCÁRIA

Dando continuidade às atividades do “Programa Mulher 2013”, uma grande festa foi organizada no último final de semana, em Araucária, nas dependências da Associação da Comunidade da Fazendinha, para as moradoras da região. Aproximadamente 100 mulheres compareceram ao barracão, que foi especialmente decorado para o evento, para cuidar da saúde, da beleza e da autoestima. O prefeito Olizandro Ferreira destacou a importância da mulher do campo. “Há 40 anos, 70% da população brasileira morava na área rural e a única mulher trabalhadora era a mulher rural, que enfrentava o dia a dia na roça e trabalhava de sol a sol para produzir e conquistar um espaço”, disse. “É preciso reafirmar todos os dias que a mulher é especial e precisa ser tratada como tal”, afirmou. A secretária de Assistência Social e presidente de honra da Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI), Belquis de Fátima Ferreira, afirmou que as mulheres são o esteio da família e lembrou com carinho da infância vivida na região. “É com muito orgulho que eu volto a essa terra, pois eu

Paulo Cordeiro/ACS

Programa “Mulher 2013” é realizado na Fazendinha

Prefeito Olizandro Ferreira destacou a importância da mulher do campo

nasci nessa região e tenho raízes aqui. Não me criei aqui, porque sai muito criança, mas eu me lembro de muita história bonita que eu vivi aqui”, comentou. PROGRAMAÇÃO Para começar a tarde bem animadas, as mulheres participaram de um alongamento e de algumas brincadeiras com o professor Alexandre Sobânia. Um dos momentos mais aguardados foi a palestra “Universo feminino da atualidade: cuidar de quem cuida”, com a consultora comportamental Cleusa Mar-

tins, que deu dicas para as mulheres se cuidarem e se valorizarem. As participantes também receberam orientações sobre saúde, puderam aferir a pressão e aproveitarem os serviços de beleza, como corte de cabelo, manicure e maquiagem. O bazar da APMI a R$ 1,00 foi outra atração do evento, que teve ainda sorteio de brindes, lanche e distribuição de camisetas alusivas ao “Mulher 2013”. As crianças também aproveitaram a festa com o camarim de pintura e a cama elástica.

As mulheres aprovaram o evento. “Gostei porque foi diferente”, contou Gisele Leal, 23 anos, que mora no Espigão Alto e, além de ganhar um brinde, ainda aproveitou o serviço de manicure. A jovem Suzana Prorok, 12 anos, é moradora do Faxinal e fez as unhas e cortou o cabelo. “Achei legal o evento, porque teve a cara da mulher”, disse. Tereza Karas Chaves, 69 anos, gostou da palestra. “Foi boa, divertida e ela falou coisas bem importantes”, afirmou a moradora da Fazendinha.

Divulgação/PML

O Governo Federal realiza monitoramento nos municípios e elegeu alguns prioritários, pela recorrência de desastres causados pela chuva, para receber pluviômetros automáticos, que medem a quantidade de chuva. No total estão sendo distribuídos 260 aparelhos no país, sendo 50 para o Paraná. Para Curitiba serão 12 e os demais distribuídos entre cidades de várias regiões do Estado. Pela ocorrência frequente das chuvas, Piraquara receberá três pluviômetros. O Governo Federal está desenvolvendo o “Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais”, realizado através do “Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres – (Cenad)”, órgão vinculado à Secretaria Nacional de Defesa Civil subordinada ao Ministério da Integração Nacional, em conjunto com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais – Cemaden subordinado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Essa parceria tem como objetivo atender dispositivos do Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil que prevê o trabalho em parceria e cooperação entre as três esferas do governo e a sociedade civil, de forma que a

Bruno Oliveira/PMP

Coordenadoria da Defesa Civil deve indicar os três pontos da região onde devem ser instalados os equipamentos

comunidade, que poderá participar e desfrutar das apresentações. O projeto também visa aos turistas, já que haverá uma ampla divulgação que se fará nos meios de comunicação de alcance estadual. O programa será realizado no segundo sábado de cada mês e terá atrações simultâneas a partir de 10h30 até 22h00, sendo encerrada com a apresentação do grupo de Seresta da Lapa. Conforme as condições climáticas, as atrações poderão percorrer as ruas da área central da Lapa. O programa está sendo formatado em conjunto, entre prefeitura e população, seguirá todas as normas técnicas e está rigorosamente dentro da linha dos programas que a atual gestão pretende implementar a curto, médio e longo prazo nas áreas da cultura e do turismo.

Grupo de Seresta da Lapa foi escolhido como uma das atrações do projeto


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Mercado Imobiliário de Curitiba em 2013: em que apostar e onde investir? A palavra é estabilização. Esta é a expectativa da Casa Real em relação aos preços do metro quadrado e novos lançamentos, o que torna o Mercado Imobiliário de Curitiba ainda mais maduro. Há, claro, regiões de destaque, como a Linha Verde. Ela corta Curitiba da região Norte, que tem locais nobres em bairros como Jardim Botânico, até à região Sul, em bairros como Pinheirinho, Hauer e Xaxim. Esses locais têm, por conta da infraestrutura que está sendo construída, potencial de valorização, já que

o valor de m² está abaixo da média da cidade. A Linha Verde possui também ligações para rodovias, o que valoriza potencialmente imóveis comerciais, pois facilita o transporte de produtos. Essa aposta também é observada em outras saídas de Curitiba. Vale a pena, então, investir nesse perfil imobiliário? Diríamos que sim. A expectativa de órgãos como o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PR) é de que os dados desse setor sejam parecidos com 2012, confor-

me afirmações na imprensa. O reflexo pode ser vendas rápidas de lançamentos. Portanto, é bom ficar ligado: a Casa Real acompanha possíveis ofertas e possui, por exemplo, parceria com a PDG. Se você está buscando a casa própria ou trocar de imóvel também pode ficar tranquilo. A explosão de valorização de apartamentos na capital foi de 265% entre 2003 e 2012, segundo a Associação dos Dirigientes do Mercado Imobiliário do Paraná (AdemiPR). A tendência, agora, é

que os preços não subam tanto, a menos que você invista na planta e aguarde a entrega ou opte por regiões de Curitiba com potencial de valorização: como Linha Verde e fronteiras. Cuidado, contudo, ao buscar Crédito Imobiliário. Estude as ofertas de bancos, mas evite comprometer mais de 30% de sua renda com o financiamento. Para se ter uma ideia, segundo o Banco Central, de 2005 a 2012, essa linha crédito passou de 3,5% para 13% no comprometimento da renda das famílias.

Setor imobiliário continua aquecido em Curitiba O mercado imobiliário de Curitiba está demonstrando que não se abalou com o anúncio da crise, que tanto estremeceu a economia mundial no final de 2008. É o que indicam dados divulgados pelo Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), entidade ligada ao Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR). De acordo com a pesquisa – que conta com estatísticas dos quatro primeiros meses de 2009 –, a oferta de imóveis está aumentando, assim como a procura, tanto na área de locação quanto na de vendas. Na opinião de Luiz Valdir Nardelli, diretor da Futurama Imóveis, imobiliária que faz parte da Redeimóveis, isso mostra que o setor imobiliário mantém-se aquecido. “Não houve desaceleração. O mercado continua a se desenvolver naturalmente, com suas devidas oscilações”, diz.

Nardelli destaca que, no caso da oferta de imóveis, está ocorrendo um aumento constante, apesar de pequeno. O segmento de locação residencial, por exemplo, apresenta números maiores que os registrados nos dois anos anteriores. Em 2009, o pico de oferta, até o mês de abril, foi em janeiro (3.512 imóveis estiveram à disposição). Por outro lado, na comparação entre janeiro desse ano e o mesmo mês de 2008, a procura aumentou em cada tipo de imóvel descrito, dado que reforça a boa movimentação do mercado. No que se refere à oferta para locação comercial, os números de 2009 estão entre os de 2007 (com índices mais altos) e os de 2008 (com índices mais baixos). Na comparação entre janeiro de 2009 e janeiro de 2008, a procura por imóveis aumentou em cada tipo de imóvel descrito. A busca por conjuntos comerciais cresceu muito consideravelmente (24,2%).

“Com os juros caindo e a desconfiança do investidor com a bolsa, muitas pessoas estão comprando imóveis para alugar”, explica o diretor da Futurama Imóveis, que completa afirmando: “O investimento em imóveis é sempre seguro”. De acordo com uma simulação de ganho publicada na pesquisa, uma pessoa que aplicou, em janeiro de 2007, R$ 100 mil num apartamento de três dormitórios no bairro Alto da Glória possui hoje um imóvel valorizado, na faixa de R$ 180 mil reais. Se essa mesma pessoa tiver colocado o bem para locação, conquistou também aproximadamente 20 mil reais (valor bruto). O rendimento supera a poupança, o investimento em dólares e a bolsa de valores. Se alugar o imóvel é uma boa opção, há também quem aposte nas vendas. Em 2009, o número de imóveis residenciais usados ofertados para venda está maior que em 2007 e 2008.

O pico, entre os meses de janeiro e abril, foi em abril, com 9.891 imóveis à disposição. Por sua vez, a procura por imóveis continua crescente. Entre janeiro do ano passado e o mesmo mês desse ano, houve aumento em todas as categorias pesquisadas, exceto uma (sobrados, com queda de 3%). Para Nardelli, 2009 será um ano semelhante a 2007 no que se refere às vendas. “O ano de 2008, em especial seu primeiro semestre, foi atípico”.

Artigo

Inflação: corrosivo da nação Adelino Venturi No governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o Banco Central (BC) funcionou de maneira autônoma. O resultado foi muito bom. A inflação cedeu e, durante oito anos, ficou sob rígido controle da autoridade monetária na figura de Henrique Meirelles. A estabilidade inflacionária permitiu o equilíbrio da economia, mesmo enfrentando os efeitos diretos de uma crise econômica mundial gerada nos títulos podres do mercado imobiliário americano. Ainda está na memória a definição de Lula para a crise: uma marolinha. Com autonomia, a autoridade monetária domou a ganância dos setores da economia que tradicionalmente se beneficiaram da forte influência na gestão da política monetária do Banco Central. Os grupos de oligopólios - sempre habituados a aumentar os preços sem norma e sem regra e usufruir lucros extraordinários - foram hostilizados pelo BC autônomo. Durante os oito anos do governo Lula ficaram contidos. E neste embalo de uma economia estabilizada, mesmo em momento de grave crise mundial, o partido oficial saiu vencedor nas urnas presidenciais com a vitória de Dilma Rousseff. Meirelles tentou continuar à frente do BC, mas foi obstado. Pegou o boné e foi embora. A rigidez no controle da inflação, por meio de uma política de austeridade, deixou de existir. A autonomia do BC acabou e começou a pressão (dos oligopólios) pela redução gradual dos juros; que é importante e necessária, mas deve ser feita dentro de um ambiente de segurança macroeconômica. A crise internacional avançou para o segundo estágio - com o enfraqueci-

mento das economias europeias - e o Brasil continuou acreditando que ainda era uma marolinha. Ledo engano. A autoridade econômica gestou um plano de emergência para enfrentar a crise, com o aquecimento da economia interna. Estão aí as desonerações tributárias privilegiando principalmente a indústria automotiva. Os preços, a ganância de setores econômicos de base e a elevação sem nexo dos serviços públicos - inclusive aqueles cedidos e privatizados, como a telefonia, encarregaram-se de pressionar o núcleo da inflação. Até há pouco tempo, acreditava-se numa retomada da austeridade, mas o fator eleitoral não permite uma ducha de água fria na ganância dos predadores. Este é o grande teste para a presidente Dilma. As declarações suas e do presidente do BC, Alexandre Tombini, de que a inflação vai ser combatida a ferro e fogo, deram um pouco de ânimo aos investidores e à produção. Tombini e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmam que aplicarão medidas para baixar a inflação. Sinalizaram uma alta do juro básico (taxa Selic) na reunião deste mês do Comitê de Política Monetária (Copom). O colegiado está reunido e o resultado será conhecido ainda hoje. Pode-se afirmar que este é o momento mais crucial, porque somente os juros poderão pressionar os setores que estão se aproveitando da boa fé do povo brasileiro para elevar os preços e ganhar dinheiro fácil. É esperar para ver. Adelino Venturi é professor, empresário e membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial, Industrial, Agrícola e de Prestação de Serviço (Aciap), de São José dos Pinhais


4

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Falta de mão de obra já incomoda menos a construção civil Muita coisa para construir, pouca gente para fazer. O quadro que, até pouco tempo atrás, tirou o sono dos empresários da construção civil, acirrou a disputa pelos trabalhadores e consagrou um período em que atraso nas entregas era a regra, começa aos poucos a deixar a rotina do setor. A escassez de mão de obra qualificada é a preocupação que mais perde espaço entre os empresários do setor: sondagem feita mensalmente pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostrou que, em março, o item foi apontado como a maior limitação aos negócios por 34% dos entrevistados, considerando-se tanto mercado imobiliário como infraestrutura. O "apagão" profissional é ainda o primeiro na lista de problemas, mas a queda é expressiva - em março de 2011 e de 2012, essa porcentagem era de 44% e 41%, respectivamente. Essa preocupação vem perdendo espaço para outros quesitos, como a demanda fraca, justamente a preocupação que mais cresce: saiu de 11% e 12% em 2011 e 2012. para 20% em março de 2013. "O problema da falta de mão de obra é uma coisa que já está acabada", diz o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Paulo Safady. "O ano de 2010 foi uma loucura, havia uma perspectiva irreal de um crescimento muito alto e

continuado, as empresas demandavam muita mão de obra e não tinham alternativa a não ser atrasar as obras. Em 2011 e 2012, isso foi amenizado, o crescimento foi mais baixo e agora essa necessidade se tornou muito menor." O cenário se reflete nas contratações do setor, que estão entre as que mais caem no país. Enquanto o saldo total entre admissões e demissões em todos os segmentos da economia foi 35% menor nos 12 meses encerrados em fevereiro, a queda apenas na construção foi de 51%, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Levantamento feito pela FGV, com a inclusão de serviços como engenharia e acabamento nas estatísticas de emprego, mostra que em 2012 o saldo de contratações caiu para 95,7 mil, 69% menos que em 2011, e abaixo até de 2009, quando, mesmo afetado pela crise internacional, o setor abriu 266,4 mil vagas. Em 2010, ano em que a construção atingiu seu pico, depois de quase duas décadas de estagnação, foram 452,6 mil novos postos de empregos formais. A busca por mão de obra acompanha uma atividade já menos aquecida. "Estamos longe de uma crise, mas desde o ano passado o ritmo de crescimento é mais lento, com infraestrutura um pouco melhor e uma clara desaceleração no segmento imobiliário", disse

Ana Maria Castelo, coordenadora da sondagem da construção civil na FGV. Em 2012, o número de lançamentos imobiliários na região metropolitana de São Paulo caiu 19% em relação a 2011, para um total de 53,9 mil novos empreendimentos, segundo dados do Secovi-SP, sindicato da habitação de São Paulo. Exceto por 2009, desde 2007 não se fechava um ano com menos de 60 mil lançamentos na capital. No segmento de infraestrutura, por outro lado, Copa do Mundo e obras urbanas ainda garantem um certo nível de atividade, mas as indefinições nos pacotes de concessões do governo federal, como no caso de rodovias e ferrovias, deixam o setor em suspenso. Isso não significa, no entanto,, que a construção civil está em crise ou à beira de uma crise, diz Ana. A previsão é de leve retomada nos próximos meses, puxada principalmente por infraestrutura e por um PIB que deve crescer até 4% neste ano, acima das projeções para o PIB nacional, de 3%. No ano passado, a construção civil cresceu 1,4%, acima da expansão do país, que foi de apenas 0,9%. Apesar disso, o ritmo mais brando de atividade muda, ou pelo menos exige alguns ajustes, na rotina dessas empresas.


metropole17-4-13  

metropole17-4-13

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you