Issuu on Google+

| Quarta-feira, 4 de abril de 2012 |

Sinduscon-PR irá realizar Mega Feirão do Emprego da Construção em abril O Sinduscon-PR, em parceria com a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) e o Ministério do Desenvolvimento Social irá realizar uma ação de extrema importância no que se refere à empregabilidade: o IV Mega Feirão de Empregos da Construção. O evento — que será no dia 21 de abril, das 9 às 16h, no CIETEP — deve reunir milhares de pessoas que estão em busca de uma colocação no mercado da construção civil e empresas do setor interessadas em contratar mão de obra. A vice-presidente de Responsabilidade Social do Sinduscon-PR, Mayra Doria Mattana, destaca que esta será uma oportunidade ímpar de os empresários buscarem profissionais que necessitam em suas obras, ou mesmo gerar um banco de candidatos para vagas futuras. “As empresas interessadas em participar não terão custo com aluguel do espaço, que já estará com ponto de energia e internet, mas cada um será responsável pelo mobiliário que considerar necessário para o evento”, explica. Além das ofertas de vagas de trabalho, haverá também prestação de serviços gratuitos, atividades nas áreas de saúde, lazer e cidadania, além de exposição de fornecedores e inscri-

ções de cursos de capacitação na área da construção civil para trabalhadores da capital paranaense e Região Metropolitana. A ação contará com a parceira da FIEP, por meio do Sistema Sesi/ Senai-PR. EXPERIÊNCIA CARIOCA Na edição realizada na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, mais de 5 mil pessoas participaram do feirão, que prestou cerca de 12,3 mil atendimentos pelas empresas e outros 28 mil nos demais espaços disponibilizados durante a realização do evento (Espaço

Cidadania, Espaço Qualificação, Espaço Emprego e Espaço Tecnologia). Nesta oportunidade, os cidadãos puderam sair não só empregados como também matriculados em cursos e atualizados com as tecnologias inovadoras da construção civil. MAIS INFORMAÇÕES As empresas associadas do Sinduscon-PR interessadas em participar do evento podem entrar em contato com a entidade, pelo telefone (41) 30514355 ou enviar email para seconci@sindusconpr.com.br.

Artigo

O renascimento Adelino Venturi Vivemos a Semana Santa, que lembra a passagem de Jesus Cristo pela Terra e sua crucificação e morte no Monte Calvário. Os cristãos fazem deste momento um tempo de reflexão sobre o cotidiano da vida, o seu significado e um autoexame, uma parada para que possamos olhar para nós mesmos e ver em que condições espirituais estamos para enfrentar os desafios que nos são colocados neste incessante aprendizado da vida. O final desse ciclo de consternação e tristeza é de êxtase, de glória pelo renascimento, tendo como cenário a ressurreição de Cristo. Os cristãos comemoram a Páscoa com muita alegria e exageros alimentares para se recompor de um tempo em que muitos ainda praticam o ato de jejuar. Esse ato não pode ser visto somente como um mandamento religioso. É uma necessidade do corpo e da alma. Todos nós conhecemos a máxima do esporte: mens sana in corpore sano. Isto passa pelo jejum ou alguma forma de reeducação alimentar. Mas, o renascimento tem tudo a ver com a nossa realidade social. Para muitos, o ano só começa agora e todos se voltam para suas atividades de trabalho, estudos e

a vida familiar e social. É importante que tenhamos sempre em nossas mentes estes momentos de renascimento, que devemos usar como uma motivação para as nossas vidas, para que sempre sejamos úteis a nós mesmos, aos nossos semelhantes e à nossa sociedade em forma de nação. É neste momento, também, que nos alertamos para as condições precárias de muitos de nossos irmãos. E como é salutar podermos oferecer a uma criança, por exemplo, a alegria de saborear um gostoso chocolate. Assim, ense-

jamos que este momento da Páscoa seja também um momento de solidariedade, para que também tenhamos o renascimento dos valores éticos e morais, que estão sumidos, infelizmente, da vida brasileira. Feliz Páscoa. Adelino Venturi é professor, empresário e membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial, Industrial, Agrícola e de Prestação de Serviço (Aciap), de São José dos Pinhais


2

| Quarta-feira, 4 de abril de 2012 |


| Quarta-feira, 4 de abril de 2012 |

3


6

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

| Quarta-feira, 4 de abril de 2012 |

Classilinha AGORA VOCÊ TEM MUITO MAIS VANTAGENS. Anuncie no Classilinha e ganhe anúncio no site www.metropolejornal.com.br

Aspirador de Pó Chácaras

Terreno

ELECTROLUX - VENDO - R$ 130,00 - CHÁCARA COM INFRAESTRUTURA P/ Entrar em contato com Cássio ou PARQUE AQUÁTICO, 20.000,00m² c/3 Raquel - Fone: 41 9991-1729 piscinas, sobrado alojamento, refeitório, salão cultural, central de gás, toboágua etc.. Só R$ 550.000 F. 3078-2899

Salão de Cabeleireiros

VENDO - 6 cadeiras, 1 balcão recepção, 1 TV, 1 lavatório, 8 cadeiras para acento, 3 mesas manicure c/6 cadeiras, 6 penteadeiras, 1 computador, 2 armários, 5 carinhos auxiliar. R$ 8.500,00 / Aceito Proposta. Fone: 3283-1984, Carlos

EXCELENTE OPORTUNIDADE 7 lotes no Sta Teresa - SJP cada um c/ +/600m² por apenas R$ 400.000,00 os Sete. F. 3078-2899

Excelente Área

ÓTIMA CHÁCARA NA BORDA DO CAMPO em SJP, com 5.000,00m², c/ casa de +/- 56,00m² e + casa do chacreiro TERRENO 12X36 PLANO, com três próx de escola, padaria, mercado, por casas na borda do campo em SJP, vale apenas R$ 200.000,00. F. 3078-2899 apena conferir R$180.000,00 F: 3078-2899

Exemplo:

Econômico / Mínimo: 5 edições Inteligente { R$ 30,00 Para anunciar ligue: 3383-6650 GOL 1.0 - 95 - Bordo - Liga leve, aro 15, insufilme. R$ 12.000,00. Ótimo estado. Informações: 9106-1534

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Em Milhares de Reais

IRMÃOS PASSAÚRA S/A CNPJ 80.337.306/0001-77 - NIRF 41300077363 - Curitiba - PR BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO Em Milhares de Reais ATIVO

PASSIVO 2011

2010 CIRCULANTE Fornecedores Obrigações trabalhistas /previdenciárias Obrigações fiscais/tributárias Parcelamentos tributários Provisão de férias e encargos Empréstimos e financiamentos Adiantamentos de clientes Provisão para IRPJ / CSLL Juros s/capital próprio a pagar Dividendos a pagar

CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa Duplicatas a receber (-) Duplicatas descontadas Adiantamento a empregados Adiantamento a terceiros Impostos e contribuições a recuperar Estoques Outros créditos Despesas antecipadas TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE

48.894 31.732 0 321 2.280 2.039 4.011 237 12 ——— 89.527

18.509 9.046 (2.307) 296 830 1.163 1.604 17 30 ——— 29.188

TOTAL DO PASSIVO CIRCULANTE

NÃO CIRCULANTE

2011

2010

7.924

3.757

3.585 1.578 43 4.397 917 40.137 6.951 1 17.250 ——— 82.782

2.114 435 65 2.499 994 15.496 1.559 1.685 11.241 ——— 39.845

NÃO CIRCULANTE

Realizável a longo prazo Aplicações de liquidez não imediata Outros Créditos Créditos com pessoas ligadas Investimentos Imobilizado TOTAL DO ATIVO NÃO CIRCULANTE

4.727 622 1.112

4.257 597 1.226

1.323 37.250 ——— 45.035

74.520 39.327 ——— 119.927

EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Adiantamentos de clientes Empréstimos e financiamentos Parcelamentos tributários Partes relacionadas Tributos Diferidos Passivos

13.756 0 5.412 6.247 0 43 0 950 5.491 7.335 ——— ——— TOTAL DO PASSIVO NÃO CIRCULANTE 24.659 14.575 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social 15.000 Reserva legal 933 Ajustes de Avaliação Patrimonial 10.659 Ajustes de Avaliação Patrimonial Reflexa 0 Reservas de lucros a realizar 529 ——— TOTAL DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 27.121

———— ———— 134.562 149.115 TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO ———— ———— LÍQUIDO (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis) TOTAL DO ATIVO

30.000 1.615 14.240 40.780 8.060 ——— 94.695

———— ——— 134.562 149.115 ————————

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Em Milhares de Reais RESERVAS DE LUCROS

RESERVA LEGAL

RESERVA DE LUCROS A REALIZAR

AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL

LUCROS OU PREJUIZOS ACUMULADOS

TOTAL

1.222 0

11.338 0

0 0

-0 10.416

42.560 10.416

0 0 0 0 0 393 0 0 0 1.615 0

0 0 0 0 0 0 0 0 -3.278 8.060 0

21.829 -7.421 -253 86 40.779 0 0 0 0 55.020 0

0 0 253 0 0 -393 -11.000 -2.554 3.278 -0 32.992

21.829 -7.421 0 86 40.779 0 -11.000 -2.554 0 94.695 32.992

EVENTOS CAPITAL REALIZADO SALDOS INICIAIS EM 01/JAN./10 30.000 LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 0 AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL - Avaliação Inicial do Imobilizado CPC 27 0 - Provisão Tributos Diferidos Passivos 0 - Realização da Mais Valia CPC 27 0 - Ajustes Tributos Diferidos Passivos 0 AVALIAÇÃO PATRIMONIAL REFLEXA 0 RESERVA LEGAL 0 DIVIDENDOS PROPOSTOS E DISTRIBUIDOS 0 JUROS S/ CAPITAL PRÓPRIO 0 RESERVA DE LUCROS A REALIZAR 0 SALDOS FINAIS EM 31/DEZ./10 30.000 LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 0 CISÃO PARCIAL - 30/11/2011 - Redução do Capital Social -15.000 - Baixa da Avaliação Patrimonial Reflexa - Baixa da Reserva Legal - Baixa da Reserva de Lucros - Baixa do Resultado do Exercício até a data da Cisão (30/11/2011). AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL - Realização da Mais Valia CPC 27 0 - Ajustes Tributos Diferidos Passivos 0 AVALIAÇÃO PATRIMONIAL REFLEXA 0 RESERVA LEGAL 0 DIVIDENDOS PROPOSTOS E DISTRIBUIDOS 0 RESERVA DE LUCROS A REALIZAR 0 SALDOS FINAIS EM 31/DEZ./11 15.000

-15.000 -30.740 -808 -8.060

-30.740 -808 -8.060 -17.858

0

0

-17.858

0 0 0 125

1.906 1.615 0 0

-1.906 -1.615 -10.100 0

0 0 0 -125

0 0 -10.100 0

0 0 932

0 14.867 529

0 0 10.660

-18.000 -14.867 -0

-18.000 0 27.121

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 - (Valores em Milhares de Reais) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL A sociedade tem por objetivo mercantil: a) Serviços de montagem e manutenção industrial, compreendendo mecânica, elétrica, pintura, tratamento e isolamento térmicos, controle de qualidade e caldeiraria; b) Locação de guindastes, inclusive para fins específicos de movimentação de materiais e independentemente da destinação e uso do locador, bem como locação de demais equipamentos de içamento e movimentação de carga industrial, comercial e portuária; locação de geradores, compressores, ferramentas, matérias primas, componentes, peças, bem com a locação de outros equipamentos correlatos à atividades industriais e de construção; c) Compra, venda, importação, exportação, representação e consignação de guindastes e quaisquer equipamentos de içamento e movimentação de carga industrial, comercial e portuária, geradores, compressores, ferramentas, matérias primas, componentes, peças, correlatos e quaisquer outros equipamentos industriais; d) Atividade de agropecuária, florestamento e reflorestamento; e) Serviços de manutenção e assistência técnica aos produtos e equipamentos, seus e aos de suas representadas ou licenciadas; f) Transporte rodoviários, de cargas municipais, intermunicipais, estaduais, interestaduais, locação de automóveis e equipamentos rodoviários; g) Serviços de construção civil e comercialização de materiais para obras civis; h) Exercer quaisquer outras atividades necessárias ou adequadas ao desempenho de seus objetivos sociais. NOTA 2. BASE DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis da Sociedade foram elaboradas e preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis as pequenas e médias empresas, e compreendem aquelas incluídas na legislação societária brasileira e os pronunciamentos, as orientações e as interpretações emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC . NOTA 3. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS Dentre os principais procedimentos adotados para a prepa-

ração das demonstrações contábeis, ressaltamos: A) CLASSIFICAÇÃO DE ITENS CIRCULANTES E NÃO CIRCULANTES No Balanço Patrimonial, ativos e obrigações vincendas ou com expectativa de realização dentro dos próximos 12 meses são classificados como itens circulantes e aqueles com vencimento ou com expectativa de realização superior a 12 meses são classificados como itens não circulantes. B) CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Caixa e equivalentes de caixa incluem o caixa, os depósitos bancários, outros investimentos de curto prazo de alta liquidez, que são prontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor, conforme segue: Descrição 2011 2010 ———————————— ———— ———— Caixas e bancos 2.483 1.237 Aplicações financeiras 46.411 17.272 ———— ———— Total 48.894 18.509 C) APLICAÇÕES DE LIQUIDEZ NÃO IMEDIATA Estão demonstradas pelo custo de aplicação, acrescido dos rendimentos correspondentes, apropriados até a data do balanço. D) DUPLICATAS A RECEBER As contas a receber de clientes são avaliadas no momento inicial pelo valor presente e deduzidas da provisão para créditos de liquidação duvidosa. A provisão para créditos de liquidação duvidosa é estabelecida quando existe uma evidência objetiva de que a sociedade não será capaz de cobrar todos os valores devidos de acordo com os prazos originais das contas a receber. E) ESTOQUES Os estoques de almoxarifado foram avaliados pelo custo médio de aquisição. F) INVESTIMENTOS Está demonstrado ao custo dos investimentos, conforme demonstramos na nota 6.

RECEITA BRUTA Receita de serviços Receita de venda de mercadorias DEDUÇÕES Impostos e contribuições Vendas e Serviços cancelados RECEITA LÍQUIDA CUSTOS DAS VENDAS E SERVIÇOS LUCRO BRUTO DESPESAS/RECEITAS OPERACIONAIS Despesas c/vendas Despesas gerais e administrativas Resultados financeiros líquidos Despesas tributárias Resultado a avaliação de Investimentos Outras Receitas/Despesas RESULTADO ANTES DO IRPJ E CSLL PROVISÃO P/ IRPJ E CSLL LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO Lucro liquido por ação

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA - (MÉTODO INDIRETO) Em Milhares de Reais

PERÍODOS 01/jan./11 01/jan./10 a a 31/dez./11 31/dez./10 253.934 164.530 252.592 162.470 1.342 2.060 (16.281) (14.838) (15.978) (13.618) (303) (1.220) 237.653 149.692 (199.538) (112.842) 38.114 36.850 8.135 (21.116) (2.346) (2.053) (388) (16.088) 3.643 (145) (732) (218) 8.753 (794) (2.612) 46.249 15.734 (13.257) (5.318) 32.992 10.416 0 (2.554) 2,20 0,35

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

(Continuação das Notas Explicativas) G) IMOBILIZADO Está demonstrado ao custo de aquisição, acrescido de correção monetária até 31/dez./95, ajustado por depreciação, calculadas pelo método linear, a taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil, fixado por espécie de bens, conforme demonstrado na nota 7. H) IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO A provisão da Contribuição Social sobre o Lucro foi constituída à alíquota de 9% (nove por cento), do lucro líquido ajustado e o Imposto de Renda à alíquota de 15% (quinze por cento), com adicional federal de 10% (dez por cento), sobre a parcela excedente a R$ 20 mil mensais, na forma que dispõe a legislação vigente. Os impostos e contribuições sociais apurados e pagos pela empresa estão suscetíveis de revisão por parte das autoridades tributárias, previdenciárias e trabalhistas competentes, dentro de prazos prescricionais. I) PROVISÃO PARA FÉRIAS E ENCARGOS Foi constituída para a cobertura das férias vencidas e proporcionais até a data do balanço, acrescida dos encargos sociais correspondentes. J) APURAÇÃO DO RESULTADO O resultado é apurado pelo regime de competência. Os rendimentos e encargos incidentes sobre os Ativos e Passivos Circulantes estão reconhecidos no resultado. K) DEMAIS ATIVOS E PASSIVOS Os demais ativos e passivos circulantes e não circulantes são demonstrados aos valores conhecidos ou calculáveis, quando aplicável, atualização em base pró rata dia. NOTA 4. ADIANTAMENTOS A TERCEIROS A composição é a seguinte: 2011 2010 DESCRIÇÃO ————————————————— ———— ———— Adiantamentos a obras 1.186 470 Adiantamentos a sócios 38 88 Adiantamentos a fornecedores 1.056 272 ———— ———— Total 2.280 830 NOTA 5. IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES A RECUPERAR A composição é a seguinte: Descrição 2011 2010 ——————————————— ———— ———— INSS a recuperar 661 211 CSLL a recuperar lei 10.833 0 475 ICMS - filial Otacílio Costa - SC 0 17 Impostos diversos a compensar 6 6 ICMS a recuperar 11 0 PIS/COFINS e CSLL retido por clientes1.361 454 ———— ———— Total 2.039 1.163 NOTA 6. INVESTIMENTOS A composição é a seguinte: Descrição 2011 2010 ——————————————— ———— ———— Reflorestamentos 1.323 1.089 Participações societárias 0 73.431 Consórcios em andamento 0 0 ————— ———— Total 1.323 74.520 Evento de Cisão Parcial – data base 30 de Novembro de 2011: Na data de 30/11/2011 houve uma operação de Cisão Parcial entre as sociedades Irmãos Passaúra S.A. como cindida, sociedade esta que subsistirá, e Passaúra Participações S.A., como receptora. A Cisão foi feita mediante versão, para a receptora, de parcelas do patrimônio líquido da cindida, abrangendo componentes do ativo e do passivo da mesma, visando equilibrar as contas que remanescerão na Irmãos Passaúra S.A. (cindida), que passou a tão somente operar sua atividade empresarial, da mesma forma que suas coligadas da Passaúra Participações S.A. (receptora). Com tal operação societária e contábil a atual participação acionária (investimento) detido pela sociedade Irmãos Passaúra S.A. em suas hoje controladas, passou para o controle da Passaúra Participações S.A. Desta forma, a Passaúra Participações S.A. passou a exercer, frente às sociedades controladoras, o papel de uma holding pura, possibilitando a cada uma de suas controladas o exercício de sua atividade empresarial de forma autônoma e independente, entre si. Tendo em vista os critérios de avaliação acima detalhados, foi possível apurar os seguintes valores contábeis das parcelas a serem vertidas para a empresa incorporadora Passaúra Participações S.A, como segue (valores expressos em

PERÍODOS 01/jan./11 a 31/dez./11

01/jan./10 a 31/dez./10

32.992

10.416

4.014 794 -8.753 29.047

2.324 1.800 2.565 17.105

-22.686 0 -2.307 -25 -1.450 -876 -2.407 -245 18 114

11.147 -105 -5.335 5 432 77 1.009 62 -8 -650

4.167 1.472 1.142 -22 1.898 -76 -38.397 5.391 -1.685 6.009 -950 -21.867

776 -630 34 108 -682 0 -3.000 -170 1.433 441 -4.150 17.899

FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Aplicações Financeiras de Liquidez não Imediata Aquisição de Investimentos Baixa de Investimentos Aquisição de Ativo Imobilizado/Diferido Ajustes de Avaliação Patrimonial Reflexa Avaliação Inicial Imobilizado Ajustes de Avaliação Patrimonial Provisão Tributos Diferidos Passivos Realização dos Tributos Diferidos Passivos Caixa Líquido Usado nas Atividades de Investimento

-471 -234 33.243 -5.811 40.840 0 1.906 0 1.615 71.088

-348 -42.693 76 -13.560 40.780 21.828 -14.492 -7.421 86 -15.744

FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Empréstimos e Financiamentos Juros sobre o Capital Próprio Dividendos Propostos e Distribuidos Caixa Líquido Usado nas Atividades de Financiamento

-835 0 -18.000 -18.835

4.171 -2.554 -11.000 -9.383

AUMENTO/(REDUÇÃO) DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA: 30.385 Caixa e Equivalente de Caixa no Início do Período 18.509 48.894 Caixa e Equivalente de Caixa no Fim do Período Variação no Saldo de Disponibilidades 30.385 (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

-7.228 25.737 18.509 -7.228

FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro Líquido do Exercício Ajustado por: Depreciação Resultado na Alienação e Baixa do Imobilizado Resultado da Equivalência Patrimonial Lucro Líquido Ajustado (Aumento)/Redução dos Ativos Duplicatas a Receber (-) Provisão p/Devedores Duvidosos (-) Duplicatas Descontadas Adiantamentos a Empregados Adiantamentos a Terceiros Impostos e Contribuições a Recuperar Estoques Outros Créditos Despesas Antecipadas Créditos com Pessoas Ligadas - Longo Prazo (Redução)/Aumento dos Passivos Fornecedores Obrigações Trabalhistas Obrigações Fiscais/Tributárias Parcelamentos de Impostos Provisão de Férias e Encargos Cheques a Compensar Adiantamentos de Clientes Provisão p/Impostos de Renda e Contribuição Social Juros sobre Capital Próprio Dividendos a Pagar Partes Relacionadas - Longo Prazo Caixa Líquido Gerados Pelas Atividades Operacionais

reais): ATIVO NÃO CIRCULANTE . 72.466 72.143 INVESTIMENTO - Participação societária na sociedade Irmãos Passaúra e Locações Ltda, representado por 30.611.017 quotas do capital social, 53.440 - Participação societária na sociedade Passaúra & Fernandes Agronegócios Ltda, 18.703 representado por 4.701.000 quotas do capital social. 323 IMOBILIZADO - Conta de Guindastes, bem identificado como Guindaste LTM 1300 – CGS 6277 e número do bem 6481. Custo de aquisição R$ 3.180.000,00 e depreciação acumulada de R$ 2.857.092,00 TOTAL DO ATIVO 72.466 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 72.466 Capital Social 15.000 Reserva Reflexa de ajuste 30.740 patrimonial 808 Reserva Legal 8.060 Lucro Acumulados de Anos 17.858 Anteriores Lucro do Período de 2011 TOTAL DO PASSIVO 72.466 NOTA 7. IMOBILIZADO A composição é a seguinte: Valor Depre Resi Resi de cia dual dual Aqui ções 2011 2010 sição Acumu Descrição adas —————————— ——— ——— ——— ——— Terrenos Urbanos e Rurais 7.209 0 7.209 7.209 Edificações 6.389 (330) 6.059 6.105 Máquinas e Equipamentos 14.198 (2.860) 11.338 10.316 Moveis e Utensílios 2.103 (919) 1.184 931 Instalações 188,00 (76) 112 130 Aeronaves 7.998 (845) 7.153 7.687 Veículos 3.118 (1.047) 2.071 1.751 Guindastes 1.380 (147) 1.233 4.601 Direito de Uso Telefone 28,40 0 28 28 Aparelhos de Telecomunicações433,99(234) 200 134 Programas de Softwares 253,94 (135) 119 21 Equipamentos de Informática1.713 (1.168) 545 408 Equipamentos Agrícolas 5,80 (6) 0 6 —————————— ——— ——— ——— ——— Total 45.017 (7.767) 37.250 39.327

NOTA 11. EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Os empréstimos tomados são reconhecidos pelos valores originais, acrescidos das correções, variações e juros. Os detalhes identificativos das mesmas, incluindo as garantias prestadas discriminam-se como segue: Não Instituição Tipo Data Circulante Circulante Financeira Financiamento Vencimento 2011 2011 —————————————————————————— ———— ———— Bco. Bradesco Leasing Veículo 03/mar./2010 0 0 Bco. HSBC Leasing Veículo 12/nov./2012 0 0 Bco. HSBC Leasing Veículo 18/nov./2012 86 0 Bco. Bradesco Leasing veículo 23/abr./2011 0 0 Bco. HSBC Leasing Empilhadeira 22/abr./2011 0 0 Bco. Volvo Finame Veículo 01/abr./2012 26 0 Bco. HSBC Financ. Veículo 15/nov./2011 0 0 Bco. Safra Financ. Veículo 30/mar./2012 5 0 Bco. HSBC Financ. Veículo 09/ago./2012 16 0 Bco. Bradesco Financ. Caminhão 17/out./2011 0 0 Bco. Bradesco Financ. Caminhão 15/ago./2011 0 0 Bco. HSBC Financ. Caminhão 23/abr./2011 0 0 Bco. Bradesco Finame. Aeronave 15/jun./2020 715 5.333 Bco. Bradesco Leasing veículo 30/maio/2012 8 0 Bco. Itaú Leasing Guindaste 19/05/2014 53 68 Bco. Bradesco Leasing Guindaste 22/03/2014 8 11 ———— ———— Total 917 5.412

Não Circulante Circulante 2010 2010 ———— ———— 4 0 60 55 94 94 134 0 50 0 72 26 9 0 22 6 24 16 74 0 60 0 20 0 355 6.043 19 7 0 0 0 0 ———— ———— 994 6.247

No exercício de 2010 os principais bens integrantes do Ativo Imobilizado foram mensurados ao valor justo, o qual foi considerado como custo atribuído, em conformidade com o disposto na NBC TG 1000, baseados em laudos internos de avaliação. NOTA 8 IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DIFERIDOS O montante registrado a título de Impostos diferidos passivos são reconhecidos para fazer frente à realização das temporárias, e sua composição é feita da seguinte forma: 2011 2010 ———— ———— Passivo Imposto de Renda (IR) 16.150 21.575 Custo atribuído ao ativo imobilizado 16.150 21.575 Alíquota de IR 25% 25% Total de débito de imposto de renda 4.038 5.393 Contribuição Social Custo atribuído ao ativo imobilizado 16.150 21.575 16.150 21.575 Alíquota de CS 9% 9% Total de débito de contribuição social 1.453 1.942 Total de imposto de renda e contribuição social diferidos passivo 5.491 7.335 NOTA 9. FORNECEDORES A composição é a seguinte: 2011 2010 DESCRIÇÃO ————————————— ————— ————— Fornecedores nacionais 7.924 3.757 Os saldos são decorrentes das operações normais da empresa, e tem previsão de vencimento nos próximos de 30, 60 e 90 dias, e encontram-se em processo normais de pagamento. NOTA 10. OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS A composição é a seguinte: 2011 2010 DESCRIÇÃO ——————————————— ———— ———— INSS a pagar 299 168 FGTS a pagar 429 243 Pró-labore a pagar 16 6 IRRF s/ folha a pagar 477 279 Contribuição sindical a pagar 28 20 Salários e ordenados a pagar 2.336 1.398 ———— ——— Total 3.585 2.114

NOTA 12. ADIANTAMENTO DE CLIENTES A composição é a seguinte: 2011 2010 DESCRIÇÃO ————————————— ———————— ———————— Aracruz Celulose S.A. 13.756 13.756 Eldorado Celulose e Papel. 39.414 0 São Fernando Energia Ltda. 693 0 Central Itmbiara 0 71 HPB Engenharia e Equipamentos Ltda. 0 500 Ituitaba Energia 0 146 Irmãos Passaúra Locações S/A 0 1.000 Outros adiantamentos 0 23 ———————— ———————— Total 53.863 15.496 ———————— ———————— Passivo Circulante 40.137 15.496 Passivo Não Circulante 13.756 0 Os saldos referem-se a adiantamentos recebidos por conta de obras. NOTA 13. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Apuração dos tributos sobre base tributável: 2011 2010 DESCRIÇÃO ———————————-———————— ——————— Lucro contábil antes dos tributos 46.249 18.289 Alíquota fiscal dos tributos (IR e CS) 34% 34% Despesa de IR e CS à alíquota básica 15.725 6.218 Juros sobre capital próprio (0) (868) Efeito Dif. permanentes/temporárias liquidas(2.468) (32) —————— ——————— Valor lançado ao resultado (IR e CS) 13.257 5.318

(Continuação da página acima, referente as Demonstrações Contábeis do exercício findo em 2011 de IRMÃOS PASSAÚRA S.A.) NOTA 14. SALDOS COM PARTES RELACIONADAS A composição era a seguinte: DESCRIÇÃO 2011 2010 ————————————————— ———— ———— Irmãos Passaúra Locações Ltda. 0 950 ———— ———— Total 0 950 NOTA 15. DESTINAÇÕES PROPOSTAS Reserva Legal - Constituída com a aplicação de 5% sobre o Lucro Líquido nos termos do artigo 193 da Lei nº 6.404/76. Dividendos Propostos - Constituído com a aplicação de 25% e 21% sobre o Lucro Líquido referente aos dividendos mínimos obrigatórios e dividendos adicionais respectivamente, nos termos do Estatuto Social. Os dividendos foram calculados conforme segue: 2011 DESCRIÇÃO ————————————————— —————— ————— Lucro líquido do exercício 18.654 Reserva legal (5%) (932) Base para o cálculo dos dividendos mínimos 17.722 Dividendos mínimos obrigatórios (25%) (4.430) Dividendos adicionais propostos (85%) (13.292) Total dos dividendos a pagar (passivo circulante) (17.250) Dividendos por ação R$ 0,87 2010 DESCRIÇÃO ————————————————— —————— ————— Lucro líquido do exercício 10.416 Reserva legal (5%) (393) Base para o cálculo dos dividendos mínimos 10.023 Dividendos mínimos obrigatórios (25%) (2.506) Dividendos adicionais propostos (85%) (8.494) Total dos dividendos a pagar (passivo circulante) (11.241) Dividendos por ação R$ 0,37 Após a destinação da reserva legal e dos dividendos mínimos obrigatórios, por proposta do conselho de administração a ser aprovada em Assembléia Geral Ordinária, foram destinados os saldos remanescentes dos lucros acumulados para a Reserva de Lucros a Realizar, no montante de 14.867 Mil em 2011 (R$ 3.278 Mil em 2010), em consonância com o disposto no art. 197 da Lei nº 6.404/76. NOTA 16. CAPITAL SOCIAL O Capital Social, totalmente integralizado esta representado por 15.000.000 (quinze milhões) de ações com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma, pertencente inteiramente a acionistas domiciliados no paí

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMOSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmo. Srs. DIRETORES E ACIONISTAS da IRMÃOS PASSAÚRA S.A. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações contábeis individuais da IRMÃOS PASSAÚRA S/A, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2011 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS A Administração da sociedade é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC TG 1000), com a faculdade conferida pela Resolução CFC nº 1.319/10, descrita na nota explicativa “2” às demonstrações contábeis, e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. RESPONSABILIDADE DOS AUDITORES INDEPENDENTES Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e a adequada apresentação das demonstrações contábeis da Instituição para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia dos controles internos da empresa. Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Base para opinião com ressalva sobre as demonstrações contábeis. Redução ao Valor Recuperável de Ativos A administração da Companhia não avaliou, através de fontes internas ou externas, a existência de alguma indicação de que os ativos possam ter sofrido desvalorizações. Provisão para Contingências Passivas Não estão reconhecidas nas demonstrações contábeis as provisões p/contingências trabalhistas, relativas às ações judiciais em andamento movidas contra a Sociedade, no montante aproximado de R$ 1.150 mil, conforme relatório dos assessores jurídicos. OPINIÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Em nossa opinião, exceto quanto aos possíveis efeitos decorrentes do mencionado no parágrafo Base para Opinião com Ressalva sobre as Demonstrações Contábeis, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da IRMÃOS PASSAÚRA S.A. em 31 de dezembro de 2011, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC TG 1000), com a faculdade conferida pela Resolução nº 1.319/10. Curitiba, 29 de fevereiro de 2012. SETTE AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC-PR Nº 006.578/O-0 WILSON HEIN CONTADOR CRC-PR Nº 12.460/O-9


| Quarta-feira, 4 de abril de 2012 |

ASSOCIAÇÃO FEMININA DE PROTEÇÃO À MATERNIDADE E A INFÂNCIA DE CURITIBA Rua Luiz Ronaldo Canalli, 2901 CEP 81.230-250 CURITIBA PARANA FONE FAX 041- 3274-9778 CNPJ 76.626.993/0001-73 Registro CNSS sob nº MEC 135462/59 em 19/06/1967. Declarada Utilidade Pública Federal pelo Decreto nº 62.390 publicado no Diário Oficial nº 52 de 15/03/1968. Utilidade Pública Estadual Lei nº 4.558 publicado no diário Oficial nº 12 de 16/03/1962 - Utilidade Pública Municipal Lei 8175 Publicada no Diário Oficial nº. 42 de 03/06/1993

BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 2010 2011 PASSIVO

ATIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONIBILIDADES Caixa Bancos Conta Movimento Aplicações Financeiras OUTRAS CONTAS Adiantamentos Estoques Impostos a Recuperar NÃO CIRCULANTE REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Fundo Pró Construção Reclamatórias Trabalhistas Adiantamentos a Terceiros PERMANENTE Imobilizado Técnico TOTAL DO ATIVO

512.813,73 157.691,12 275,06 130.690,78 26.725,28 355.122,61 301.528,42 53.594,19

435.193,33 102.348,91 100,65 34.059,15 68.189,11 332.844,42 279.932,95 52.911,47

14.477,55 14.477,55 3.098.283,33 3.098.283,33 3.625.574,61

15.852,54 15.852,54 3.175.502,81 3.175.502,81 3.626.548,68

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO 2010 2011 RECEITA BRUTA Associação 243.329,98 241.568,87 Creche Anna Messias 146.847,60 166.536,40 Escola Paula Amaral 886.062,75 914.728,95 Casa Maternal 214.186,90 144.766,66 Bercário Menino Jesus República Feminina 96.201,00 169.002,00 DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA (-) Descontos s/mensalidades RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 1.586.628,23 1.636.602,88 DESPESAS ADMINISTRATIVAS (1.730.077,83) (1.857.975,75) Pessoal (654.767,92) (693.400,73) Material de Consumo (177.553,79) (205.796,23) Adminstração Geral (171.451,34) (239.214,95) Serviços e Utilidades (36.485,38) (43.786,05) Tributária e Financeira (11.601,91) (39.941,43) Manutenção e Reparos (14.395,05) (27.637,79) Pessoal Escola Paula Amaral (663.822,44) (608.198,57) RECEITAS/DESPESAS FINANCEIRAS Receitas Financeiras 523,39 3.261,76 Despesas Financeiras (72.231,32) (69.650,79) RECEITAS NÃO OPERACIONAIS Resultado da Venda do Imobilizado 56.187,92 Resultado do Exercício (158.969,61) (287.761,90) DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA DE SUPERAVIT E DÉFICIT 2.010 2.011 Patrimônio Social Líquido Inicial 3.387.502,58 3.228.532,97 Superavit/Déficit do exercício (158.969,61) (287.761,90) Patrimônio Líquido Final 3.228.532,97 2.940.771,07

2010

CIRCULANTE Fornecedores Obrigações Sociais Outras Contas NÃO CIRCULANTE EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos/Financiamentos Empréstimos Pessoas Físicas Parcelamento de IPTU Adiantamentos

97.153,25 7.418,13 88.407,00 1.328,12

31.773,98 6.359,96 25.350,52 63,50

299.888,39 164.525,64 115.000,00 20.362,75 -

654.003,63 174.929,00 158.711,88 20.362,75 300.000,00

PATRIMONIO SOCIAL LÍQUIDO Patrimônio Social Superavits/Déficits do ano

3.228.532,97 3.387.502,58 (158.969,61)

2.940.771,07 3.228.532,97 (287.761,90)

TOTAL DO PASSIVO

3.625.574,61 DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DOS RECURSOS - 2011 ORIGENS Superavit/(Déficit) Líquido do Exercício Redução do Ativo Permanente Aumento do Exigível a Longo Prazo Total das Origens APLICAÇÕES Aumento do Ativo Permanente Redução do Passivo Exigível a Longo Prazo Total das Aplicações Variação do Capital Circulante Líquido

RECEITAS Mensalididades Escolares - Escola Desc. s/Mensal Escolares - Escola Receitas de Subvenções - Ativ. Sociais Não Operacionais - Venda imobilizado Valor Líquido das Receitas INSUMOS ADQUIRIDOS Materiais de Consumo e Manutenção Gastos com administração e Pessoal Energia, Água e Telefones Despesas Tributárias Outros Total insumos adquiridos

3.626.548,68

(287.761,90) 354.115,24 66.353,34 77.219,48 1.374,99 78.594,47 (12.241,13)

Ativo Circulante no Final Ativo Circulante no Inicio Variação Passivo Circulante no Final Passivo Circulante no Inicio Variação

435.193,33 512.813,73 (77.620,40) 31.773,98 97.153,25 (65.379,27)

Variação do Capital Circulante

(12.241,13)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO SOCIAL LÍQUIDO 2010 2011

Patrimônio Social Líquido Inicial

3.387.502,58

Superavit/Déficit do exercício

3.228.532,97

(158.969,61)

Ajuste do Exercício Anterior

(287.761,90)

-

Patrimônio Líquido Final SUPERAVIT / (DÉFICIT) EXERCÍCIO - R$ DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA 2010

2011

3.228.532,97

2.940.771,07

(287.761,90) 2011

3) Aplicações Os recursos foram aplicados conforme as finalidades da Instituição de conformidade com o seu Estatuto Social, como segue:

886.062,75 700.565,48 56.187,92 1.642.816,15

721.873,93 b) Dos Gastos e Despesas: Todos os gastos e Despesas estão diretamente relacionados com as atividades assistenciais exercidas pela instituição, não havendo pagamento ou distribuição de quaisquer valores para os 1.636.602,88 membros da diretoria;

177.553,79 1.504.436,75 36.485,38 11.601,91 72.231,32 1.802.309,15

233.434,02 1.540.814,25 43.786,05 39.941,43 69.650,79 1.927.626,54

VLR ADIC LÍQUIDO PROD ENTIDADE

(159.493,00)

914.728,95 a) Dos Recursos: Todos os recursos são aplicados na instituição, especialmente em pessoal e manutenção e melhoria das instalações, novos móveis e utensílios e equipamentos;

4) Déficit: A Instituição obteve déficit no curso do exercício, face ao crescimento das despesas operacionais em 6,95% em relação ao ano anterior , face ao incremento de atividades internas de melhoramento no antendimento as pessoas antendidas pela associação. 5) Imobilizado A redução no ativo permanente deve-se a venda de imóvel pertencente a instituição para complementar as despesas geradas pelas obras sociais mantidas . 6) Exigível a Longo Prazo: Contratou-se no decorrer do exercício 2011, aumento no total da conta devido a adiantamento de R$

(291.023,66) 300.000,00 por conta de antecipação de pagamento sobre a alienação de imóvel a realizar-se durante o exercício 2012.

VALOR ADICIONADO RECEBIDO Receitas Financeiras

7) Demonstração das Contribuições Previdenciárias:

523,39

VALOR ADIC TOTAL A DISTRIBUIR DISTRIB DO VALOR ADICIONADO Superavits/(Déficits) do Exercício

(158.969,61) (158.969,61) (158.969,61)

3.261,76 Para efeito do cumprimento do artº. 4º da Lei 2.536/98, abaixo transcrevemos as contribuições (287.761,90) (287.761,90) (287.761,90)

previdenciárias devidas como se a instituição não gozasse de isenção, consideramos o percentual de 20% com contribuição da Instituição, 4,5% para terceiros e 2% para RAT, como segue: Devida 322.833,09

Paga Isenção 81.265,13

NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 1) Principais Práticas Contábeis: As demonstrações contábeis e Financeiras foram elaboradas em conformidade com a Lei nº. 11.638/07 e Resolução CFC nº. 877/2000 que aprovou a NBCT 10.19 a) Critérios das receitas: As receitas foram lançadas pelo efetivo recebimento bem como as relativas a matrícula para o exercício seguinte; b) Critérios das Despesas: Foram lançadas pelo mês de competência; c) Critérios da Gratuidade: São consideradas gratuidades os valores suportados pela instituição, relacionados com as suas atividades de assistenciais.

PARECER DO CONSELHO FISCAL

Examinamos as contas da Sociedade bem como o Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultado, sendo de nossa responsabilidade expressar opinião a respeito das práticas contábeis adotadas pela atual administração da Associação. É de nossa opinião que as práticas adotadas correspondem a atual situação financeira e contábil da Associação em todos os aspectos relevantes pelo que aprovamos as Demonstrações Contábeis do exercício findo em 31 de dezembro de 2011. Curitiba, 31 de Dezembro de 2.011.

2) Subvenções: Não há convenio com o SUS. A Instituição recebeu subvenção do Governo em seus diversos níveis (Municipal e Estadual) como segue: Convênio Municipal Convênio Estadual TOTAL

José Afonso de Souza Teixeira CRC PR/030250/O-0 Técnico Contábil

IRMÃOS PASSAÚRA LOCAÇÕES S/A CNPJ 11.464.546/0001-10 - NIRF 41300079421 - Curitiba - PR BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO Em Milhares de Reais 2011 CIRCULANTE Caixa e Bancos 705 Aplicações de Liquidez Imediata 6.116 Duplicatas a Receber 3.176 Adiantamento a Empregados 28 Adiantamento a Terceiros 3.119 Impostos e Contribuições a Recuperar 59 Estoques 43 ———— TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 13.246

2010 593 3.247 2.715 22 3.260 36 284 ———— 10.157

NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Créditos com Pessoas Ligadas Depósitos Recursais Imobilizado

0 8 72.028 ———— TOTAL DO ATIVO NÃO CIRCULANTE 72.036

1.000 0 51.936 ———— 52.936

ATIVO 2011 CIRCULANTE Fornecedores 782 Instituições Financeiras 5.217 Salários e Ordenados a Pagar 350 Impostos, Taxas e Contribuições Diversas 1.105 Provisão de Férias e Encargos 1.229 Adiantamentos de Clientes 2 Dividendos a Pagar 8.000 Outros Débitos 6 TOTAL DO PASSIVO CIRCULANTE 16.691 NÃO CIRCULANTE Instituições Financeiras 13.172 Tributos Diferidos Passivos 6.990 TOTAL DO PASSIVO ———— NÃO CIRCULANTE 20.162 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social 30.621 (-) Capital Social a Intergralizar (10) Ajuste de Avaliação Patrimonial 13.570 Reserva de Lucros 4.248 TOTAL DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 48.429

———— ———— 85.282 63.093 TOTAL DO PASSIVO E ———— ———— PATRIMÔNIO LÍQUIDO (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

TOTAL DO ATIVO

2010 1.775 1.530 354 1.206 1.122 1 0 17 6.005 2.972 8.239 ———— 11.211 30.621 (960) 15.993 223 45.877

———— 85.282

———— 63.093

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Em Milhares de Reais EVENTOS

SALDOS INICIAIS EM 01/JAN./10 PREJUÍZO DO EXERCÍCIO

CAPITAL SOCIAL REALIZADO A INTEGRALIZAR

29.671

AJUSTES AVALIAÇÃO PATRIMONIAL

RESERVAS DE LUCROS LUCROS A LEGAL REALIZAR

LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS

(4.510)

0

0

0

0 25.161 (2.219) (2.219)

0

0

0

0

(950)

0

0

0

0

0,00

INTEGRALIZAÇÃO CAPITAL

0

4.500

0

0

0

0

4.500

AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL - Avaliação Inicial do Imobilizado - Provisão Tributos Diferidos - Realização da Mais Valia - Ajuste Tributos Diferidos

0 0 0 0

0 0 0 0

26.674 (9.069) (2.442) 830

0 0 0 0

0 0 0 0

0 26.674 0 (9.069) 2.442 0 0 830

30.621

(960)

15.993

0

0

LUCRO DO EXERCÍCIO

0

0

0

0

0

8.353

8.353

INTEGRALIZAÇÃO CAPITAL AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL - Realização da Mais Valia - Ajuste Tributos Diferidos

0 0 0 0

950 0 0 0

0 0 (2.423) 0

0 0 0 0

0 0 0 0

0 0 2.423 1.248

950 0 0 1.248

DESTINAÇÕES - Reserva Legal - Reserva de Lucros a Realizar - Dividendos Propostos

0 0 0

0 0 0

0 0 0

612 0 0

0 3.635 0

(612) 0 (3.635) 0 (8.000) (8.000)

30.621

(10)

13.570

612

3.635

0 48.429

SALDOS FINAIS EM 31/DEZ./11

223 45.877

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 - (Valores em Milhares de Reais) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL A sociedade tem por objetivo social: a) Aluguel de máquinas e equipamentos para construção industrial, manutenção, remoção industrial e atividades correlatas; b) Aluguel de andaimes; c) Locações de automóveis sem condutor; d) Movimentação de cargas; e) Transporte rodoviário de cargas no âmbito intermunicipal, interestadual e internacional; f) Comércio varejista de materiais de construção em geral e; g) Participação no capital social de outras sociedades, como acionista ou quotista. NOTA 2. BASE DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC TG 1000), as quais levam em consideração as disposições contidas nos pronunciamentos, orientações e interpretações do Comitê de Pronunciamento Contábeis (CPC) para pequenas e médias empresas. nota 3. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS As principais políticas contábeis aplicadas na preparação destas demonstrações contábeis estão definidas abaixo. Essas políticas vêm sendo aplicadas de modo consistente em todos os exercícios apresentados, salvo disposição em contrário. A) CLASSIFICAÇÃO DE ITENS CIRCULANTES E NÃO CIRCULANTES No Balanço Patrimonial, ativos e obrigações vincendas ou com expectativa de realização dentro dos próximos 12 meses são classificados como itens circulantes e aqueles com vencimento ou com expectativa de realização superior a 12 meses são classificados como itens não circulantes. Os passivos estão registrados pelo seu valor de contratação, e acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e variações monetárias incorridas. B) CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Caixa e equivalentes de caixa incluem o caixa, os depósitos bancários, outros investimentos de curto prazo de alta liquidez, que são prontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor. C) DUPLICATAS A RECEBER As contas a receber de clientes são avaliadas no momento inicial pelo valor presente. A empresa não tem por prática a constituição de provisão para créditos de liquidação duvidosa, visto que a mesma entende que o risco de perda no recebimento de duplicatas é irrelevante. A provisão para créditos de liquidação duvidosa é estabelecida quando existe uma evidência objetiva de que a sociedade não será capaz de cobrar todos os valores devidos de acordo com os prazos originais das contas a receber. D) ESTOQUES Os estoques de almoxarifado foram avaliados pelo custo médio de aquisição, os quais não superam os valores de mercado. E) IMOBILIZADO Está demonstrado ao custo de aquisição, ajustado por depreciação, calculadas pelo método linear, a taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil, fixado por espécie de bens, conforme demonstrado na nota 6.

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

PERÍODOS TOTAL

0

SALDOS FINAIS EM 31/DEZ./10

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Em Milhares de Reais PERÍODOS 01/jan./11 01/jan./10 a a 31/dez./11 31/dez./10 RECEITA BRUTA 47.837 28.203 Receita de Locação de Guindastes 34.296 24.628 Receita de Serviços de Manutenção 13.541 3.575 (5.009) (1.405) DEDUÇÕES Impostos e Contribuições (4.916) (1.238) Vendas e Serviços Cancelados (93) (167) 42.828 26.798 RECEITA LÍQUIDA CUSTOS DAS VENDAS (31.444) (25.439) E SERVIÇOS LUCRO BRUTO 11.384 1.359 DESPESAS/RECEITAS (1.178) (503) OPERACIONAIS Despesas Comerciais (275) (168) Despesas Gerais e Administrativas (369) (147) Resultados Financeiros Líquidos (469) (40) Outras Receitas/Despesas (64) (148) RESULTADO ANTES DO IRPJ E CSLL 10.206 856 PROVISÃO P/ IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO (1.853) (3.075) LUCRO/PREJUÍZO LÍQUIDO 8.353 (2.219) DO EXERCÍCIO Lucro/Prejuízo por Ação 0,27 (0,07)

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA - (MÉTODO INDIRETO) Em Milhares de Reais

950

AUMENTO DE CAPITAL SOCIAL

Marilene Bizzi Gonçalves Presidente

R$ 444.568,00 R$ 22.366,66 22 366 66 R$ 466.934,66

ATIVO

Contribuição Patronal do INSS 241.568,66

F) IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO A provisão da Contribuição Social sobre o Lucro foi constituída à alíquota de 9% (nove por cento), do lucro líquido ajustado e o Imposto de Renda à alíquota de 15% (quinze por cento), com adicional federal de 10% (dez por cento), sobre a parcela excedente a R$ 20 mil mensais, na forma que dispõe a legislação vigente. Os impostos e contribuições sociais apurados e pagos pela empresa estão suscetíveis de revisão por parte das autoridades tributárias, previdenciárias e trabalhistas competentes, dentro de prazos prescricionais. G) PROVISÃO PARA FÉRIAS E ENCARGOS Foi constituída para a cobertura das férias vencidas e proporcionais até a data do balanço, acrescida dos encargos sociais correspondentes. H) APURAÇÃO DO RESULTADO O resultado é apurado pelo regime de competência. Os rendimentos e encargos incidentes sobre os Ativos e Passivos Circulantes estão reconhecidos no resultado. NOTA 4. ADIANTAMENTOS A TERCEIROS O saldo em dezembro de 2011 e 2010 respectivamente está assim composto: DESCRIÇÃO 2011 2010 —————————————-— ———— ———— Adiantamentos a obras 37 67 Adiantamentos a fornecedores 3.082 3.191 Outros Adiantamentos 0 2 ———— ———— Total 3.119 3.260 NOTA 5. IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES A RECUPERAR O saldo em dezembro de 2011 e 2010 respectivamente está assim composto: Descrição 2011 2010 —————————————— ———— ———— ICMS a Recuperar 2 2 INSS a Recuperar 1 26 PIS, COFINS e CSLL – Lei nº 10.833 56 8 ———— ———— Total 59 36 NOTA 6. IMOBILIZADO O saldo em dezembro de 2011 e 2010 respectivamente está assim composto: Valor de DepreciaçõesResidualResidual Descrição Aquisição Acumuladas 2011 2010 ————— ———— ———— —-— ——— Máquinas e equipamentos 687 (90) 597 308 Móveis e Utensílios 20 (3) 17 16 Instalações 17 (3) 14 15 Veículos 8.384 (1.216) 7.168 7.524 Guindastes 69.037 (4.863) 64.174 44.015 Aparelhos de telecomunicações 40 (7) 33 37 Equipamentos de Informática 33 (8) 25 21 ———— ———— —-— ——— Totais 78.218 (6.190) 72.028 51.936

01/jan./11 a 31/dez./11 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro Líquido do Exercício antes do IRPJ e CSLL 10.206 Ajustes por: Depreciações 3.596 13.802 Lucro Líquido Ajustado Variações Patrimoniais (Aumento)/Redução dos Ativos Valores a Receber e Outros (461) Impostos e Contribuições a Recuperar (23) Estoques 241 Adiantamento a Empregados (6) Adiantamento a Terceiros 141 Créditos com Pessoas Ligadas 1.000 Outros Valores (8) (Redução)/Aumento dos Passivos Fornecedores (993) Impostos, Taxas e Contribuições Diversas (101) Salários e Ordenados a Pagar (4) Provisão p/Férias e Encargos 107 Adiantamento de Clientes 0 Dividendos Propostos 8.000 Outros Débitos (11) Provisão p/Imposto de Renda e Contribuição Social (1.853) Caixa Líquido Gerado pelas ———— Atividades Operacionais 19.832 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Aquisição de Imobilizado (24.104) Resultado na Alienação e Baixa do Imobilizado 241 Avaliação Inicial do Imobilizado 0 Constituição de Provisão de Tributos Diferidos Passivos 0 Ajuste de Avaliação Patrimonial Baixa Avaliação 34 Ajuste Tributos Diferidos 0 Caixa Líquido Aplicado nas ———— Atividades de Investimento (23.828) FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Instituições Financeiras 13.887 Constituição/Realização Reserva (8.000) Integralização de Capital 950 Caixa Líquido Aplicado nas ———— Atividades de Financiamento 6.837 AUMENTO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.841 Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período 3.840 Caixa e Equivalentes de Caixa no Fim do Período 6.820 (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

01/jan./10 a 31/dez./10

856 2.455 3.311 (2.715) (36) (284) (22) (3.260) (1.000) 0 1.775 1.206 354 1.122 1 0 17 (3.075) ———— (2.606)

(6.793) 4.237 26.674 (9.069) (18.435) 830 ———— (2.556)

4.502 0 4.500 ———— 9.002 3.840 0 3.840

(Continuação das Notas Explicativas) As taxas de depreciação foram atribuídas a cada um dos bens conforme o respectivo prazo de vida útil. No exercício de 2010 os principais bens integrantes do Ativo Imobilizado foram mensurados ao valor justo, o qual foi considerado como custo atribuído, em conformidade com o disposto na NBC TG 1000, baseados em laudos de avaliação de especialistas. NOTA 7. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DIFERIDOS O montante registrado a título de Impostos diferidos passivos são reconhecidos para fazer frente à realização das temporárias, e sua composição é feita da seguinte forma: 2011 2010 ———— ———— Passivo Imposto de Renda (IR) 20.560 24.231 Custo atribuído ao ativo imobilizado 20.560 24.231 Alíquota de IR 25% 25% Total de débito de imposto de renda 5.140 6.058 Contribuição Social Custo atribuído ao ativo imobilizado 20.560 24.231 20.560 24.231 Alíquota de CS 9% 9% Total de débito de contribuição social 1.850 2.181 Total de imposto de renda e contribuição social diferidos passivo 6.990 8.239

(Continuação das Notas Explicativas) NOTA 8. FORNECEDORES Os saldos são decorrentes das operações normais da empresa, e tem previsão de vencimento nos próximos de 30, 60 e 90 dias, e encontram-se em processo normais de pagamento. NOTA 9. IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES DIVERSAS O saldo em dezembro de 2011 e 2010 respectivamente está assim composto: 2011 2010 DESCRIÇÃO ————————-————————— ———— ———— INSS a pagar 228 216 FGTS a pagar 60 68 Contribuição Sindical a recolher 5 5 IRRF a pagar 142 91 ISS a pagar 40 1 PIS a pagar 54 12 COFINS a pagar 251 55 IRPJ a pagar 206 545 CSLL a pagar 117 213 PIS, COFINS, CSLL ret. a pagar 2 0 ———— ———— Total 1.105 1.206 NOTA 10. EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Os empréstimos tomados são reconhecidos pelos valores originais, acrescidos das correções, variações e juros. Os detalhes identificativos das mesmas, incluindo as garantias prestadas discriminam-se como segue: Instituição Tipo Circulante Longo Circulante Longo Financeira Financiamento 2011 Prazo 2011 2010 Prazo 2010 —————— ——————————— —————— ——————— —————— —————— Bco. Itaú Leasing Guindaste 696 364 748 1.060 Bco. HSBC Financ. Veículo 32 5 32 37 Bco. Itaú Leasing Guindaste 1.261 1.751 750 1.875 Bco. HSBC Leasing Plataforma 53 40 0 0 Bco. HSBC Financ. Veículo 288 192 0 0 Bco. HSBC Leasing Guindaste 600 900 0 0 Bco. Itaú Leasing Guindaste 2.288 9.920 0 0 —————— ——————— —————— —————— Total 5.217 13.172 1.530 2.972 NOTA 11. DESTINAÇÕES PROPOSTAS Reserva Legal - Constituída com a aplicação de 5% sobre o Lucro Líquido nos termos do artigo 193 da Lei nº 6.404/76. Dividendos Propostos - Constituído com a aplicação de 25% e 21% sobre o Lucro Líquido referente aos dividendos mínimos obrigatórios e dividendos adicionais respectivamente, nos termos do Estatuto Social. Os dividendos foram calculados conforme segue: 2011 DESCRIÇÃO ——————————————————————————— ————— Lucro líquido do exercício 12.247 Reserva legal (5%) (612) Base para o cálculo dos dividendos mínimos 11.635 Dividendos mínimos obrigatórios (25%) (3.000) Dividendos adicionais propostos (63%) (5.000) Total dos dividendos a pagar (passivo circulante) (8.000) Dividendos por ação R$ 0,26 Após a destinação da reserva legal e dos dividendos mínimos obrigatórios, por proposta do conselho de administração a ser aprovada em Assembléia Geral Ordinária, foram destinados os saldos remanescentes dos lucros acumulados para a Reserva de Lucros a Realizar, no montante de 3.635 Mil em 2011, em consonância com o disposto no art. 197 da Lei nº 6.404/76. NOTA 12. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS Investimentos em Coligadas e Controladas A sociedade não possui investimentos em coligadas e controladas. Controladora A sociedade é controlada pelas empresas Irmãos Passaúra S.A. e Passaúra Participações S.A. Partes Relacionadas No exercício não foram realizadas transações entre partes relacionadas. NOTA 13. CAPITAL SOCIAL O Capital Social, totalmente integralizado esta representado por 30.621.017, ações com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma, pertencente inteiramente a acionistas domiciliados no país. A companhia está propondo distribuir a seus acionistas a título de dividendos o montante de R$ 8.000 mil.

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmo. Srs. DIRETORES E ACIONISTAS da IRMÃOS PASSAÚRA LOCAÇÕES S.A. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações contábeis individuais da IRMÃOS PASSAÚRA LOCAÇÕES S.A, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2011, e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS A Administração da companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC TG 1000), com a faculdade conferida pela Resolução CFC nº 1.319/10, descrita na nota explicativa “2” às demonstrações contábeis, e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. RESPONSABILIDADE DOS AUDITORES INDEPENDENTES Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e a adequada apresentação das demonstrações contábeis da Instituição para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia dos controles internos da empresa. Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. OPINIÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Em nossa opinião, as Demonstrações Contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da IRMÃOS PASSAÚRA LOCAÇÕES S.A., em 31 de dezembro de 2011, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo nessa data, de acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas (NBC TG 1000), com a faculdade conferida pela resolução nº 1.319/10. Curitiba, 27 de fevereiro de 2012. SETTE AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC-PR Nº 006.578/O-0 Valdair Martimiano Contador CRC-PR Nº 042.482/O-7 IRMÃOS PASSAÚRA LOCAÇÕES S.A. Curitiba - PR

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

7


8

| Quarta-feira, 4 de abril de 2012 |

Construção com blocos de concreto oferece ganhos de até 30% aos construtores

Nova aposta no mercado imobiliário A UCI Brasil agregará a expertise global de uma empresa que já financiou mais de 5 milhões de famílias no mundo - UCI, com os 40 anos de experiência no mercado nacional de crédito imobiliário do Grupo Província

O crescimento da economia do Sul e os programas habitacionais, como o Programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, têm incentivado também o uso de sistemas construtivos que oferecem vantagens técnicoeconômicas, como a alvenaria estrutural com blocos de concreto. A alvenaria estrutural com blocos de concreto oferece vantagens consideráveis em relação aos outros sistemas construtivos por permitir a construção de casas e edifícios sem a necessidade de erguer a estrutura com pilares e vigas, que exigem a contratação de profissionais especializados na execução de fôrmas de madeira ou o uso de fôrmas metálicas, encarecendo o custo da construção. Com a alvenaria estrutural com blocos de concreto, como o próprio nome revela, a estrutura e a vedação são a mesma coisa, devido à resistência estrutural dos blocos. Além disso, os projetos arquitetônicos e de instalações atuais já permitem que as instalações elétricas e hidráulicas sejam previamente pensadas e posicionadas independentemente da estrutura ( alvenaria estrutural), diminuindo a necessidade de horas/homem de trabalho nessas etapas. Também a forte racionalização da construção é permitida por equipamentos como andaimes para pedreiros, escantilhões, plataformas para descarga, carrinhos para paletes, entre outros. Essas vantagens são somadas ao fato de que os blocos de concreto já obedecem à norma de coordenação modular, recentemente publicada pela ABNT, favorecendo a instalação de portas e janelas sem precisar quebrar blocos ou fazer outras adaptações. A somatória desses elementos montou o alicerce para o enorme salto técnico-econômico no sistema constru-

tivo de alvenaria estrutural com blocos de concreto. Estudos realizados por especialistas em construção com alvenaria de renomadas universidades brasileiras, como a Federal do Rio Grande do Sul, Politécnica da USP, Universidade Federal de São Carlos-SP, entre outras, comprovam que a alvenaria estrutural com blocos de concreto permite reduzir o custo das obras em até 30% (em torres de até quatro pavimentos) e 15% (em torres com 20 pavimentos), com ganhos ambientais, por praticamente não gerar rejeitos de canteiro e quase não utilizar fôrmas e escoras de madeira. Além disso, o sistema de alvenaria estrutural com blocos de concreto tem vantagens comparativas importantes, em relação ao sistema de fôrmas. Ao contrário deste, que exige elevado investimento inicial para compra de todo o sistema, com o construtor correndo o risco de subutilização e desperdícios, com os blocos de concreto não há investimentos por parte dos construtores com fôrmas e escoramentos para pilares e vigas, que no final serão eliminados. E, fundamentalmente, a construção civil brasileira tem hoje fornecedores de blocos de concreto qualificados, avalizados por instrumentos como o Selo de Qualidade, fornecido sob critérios rigorosos de inspeção pela Associação Brasileira de Cimento Portland, e que vêm investindo cada vez mais na ampliação da produção, com a construção de novas fábricas nas diversas regiões do país. Assim, a alvenaria estrutural com blocos de concreto é a melhor alternativa – para construtores e incorporadores, para seus clientes, que compram qualidade a custos menores, e para a sociedade, pelo seu potencial de emprego e geração de renda.

A união do Grupo Província com a UCI, instituição financeira espanhola especializada em crédito imobiliário, está trazendo para o Brasil, a UCI Brasil, empresa que promoverá a distribuição de financiamentos imobiliários para Pessoas Físicas através de imobiliárias, inicialmente no sul do País. A UCI Brasil terá como objetivo principal, auxiliar e beneficiar as imobiliárias e corretores de imóveis na obtenção de financiamentos imobiliários para seus clientes, sempre com presença nas imobiliárias e atendimento personalizado da sua equipe comercial, especializada em crédito imobiliário. A partir de 2012 o Grupo Província se une a uma das maiores empresas de crédito habitacional europeu, a UCI Union de Créditos Imobiliários, com sede principal na Espanha, e atuações em outros países europeus, tendo como sócios dois dos maiores grupos financeiros da Europa, os Grupos Santander e BNP Paribas. A UCI Brasil agregará a expertise global de uma empresa que já financiou mais de 5 milhões de famílias no mundo - UCI, com os 40 anos de experiência no mercado nacional de crédito imobiliário do Grupo Província. “Com a experiência e know-how obtidos com grandes volumes de financiamentos realizados pela UCI e novos processos operacionais baseados em sistemas de informática que estamos trazendo, acreditamos que podemos oferecer o máximo estandar de qualidade de serviço às imobiliárias e fazer com que o financiamento imobiliário fique ainda mais rápido e ágil”, comenta Eric Klesta, que vem da Espanha para assumir a Diretoria Geral da UCI Holding. Desta nova empresa surge o compromisso de ajudar a desenvolver o setor de crédito imobiliário para Pessoas Físicas, oferecendo serviços para a melhor solução ao financiamento de imóveis. “Com a nossa especialização, temos o compromisso constante de inovar nas soluções e produtos de financiamento imobiliário. O objetivo principal da UCI Brasil é dar atendimento exclusivo e personalizado e criar uma estreita relação com os corretores de imóveis, ajudando e facilitando suas vendas sempre que seus clientes buscarem um financiamento para compra de seus imóveis”, afirma Luis Felipe Carchedi, Diretor de Negócios da UCI Brasil. A empresa já inicia suas operações em 11 cidades nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Ainda em 2012, a expectativa é chegar a mais 3 cidades da região Sul.

CREA-PR debate com entidades a crescente demanda por engenheiros dia 12 As perspectivas do Brasil para o século XXI com foco na economia, indústria e trabalho serão o foco do debate que o CREA-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná) e o Senge-PR (Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná) promovem na próxima quintafeira (12), das 8h30 às 12h, no Plenário do Conselho.

As inscrições podem ser feitas pelo site do CREAPR . “O intuito é apresentar e discutir o cenário do mercado de trabalho para profissionais da engenharia, agronomia, tecnológicas e técnicas no Brasil, abordando oportunidades trazidas pela política desenvolvimentista brasileira, o crescimento da eco-

nomia e os seus reflexos no mercado de trabalho e no exercício das profissões das áreas tecnológicas”, explica o presidente do CREA-PR, engenheiro civil Joel Krüger, mencionando a expectativa de políticas do governo federal focadas no desenvolvimento e investimentos em áreas estruturantes indutoras do crescimento.


imobiliario4-4-12