Page 1

| Quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 |

Como anda o mercado imobiliário no mundo?

Artigo

A evolução nos últimos anos, os efeitos da crise e as perspectivas daqui para frente em três mercados imobiliários distintos que, de alguma forma, acabam se relacionando. Foi o que empresários de diversos segmentos conferiram no encontro “Perspectivas Imobiliárias Mundiais”, quando foi apresentada a situação dos mercados brasileiro, norte-americano e europeu. Realizado pela Brum e Advogados Associados, o evento aconteceu no último dia 1º de abril, no Hotel Senac-Ilha do Boi, em Vitória, e foi o primeiro de uma série que vai abordar, entre outros temas, os reflexos da economia na construção civil sustentável. Na primeira palestra, o diretor-presidente da Galwan, José Luís Galvêas, também diretor do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Espírito Santo (Sinduscon), falou sobre as perspectivas no Brasil, principalmente com o Pacote da Habitação, recém-lançado pelo governo federal. “É um estímulo para o empresariado e representa um incremento muito grande na movimentação do mercado. Com imóveis voltados para quem ganha até 10 salários mínimos, injeta-se dinheiro na economia, refletindo em todos os segmentos”, afirmou. Ele ressaltou que a regulamentação dos financiamentos no País impede a formação de uma bolha imobiliária, como aconteceu nos Estados Unidos. “Estamos em uma situação madura, de mercado extremamente competitivo e regulamentado” acrescentou. Galvêas ressaltou que há perspectivas positivas no mercado interno para o setor de rochas, mas deu o alerta. “O produto industrializado ainda tem mais agressividade em vendas e marketing. É preciso que as empresas de granito busquem essa competividade”, aconselha.

A nossa principal entidade da sociedade civil organizada, de São José dos Pinhais, a Aciap, respira ares de modernidade. A nova diretoria - comandada pelos empresários e companheiros Adriano Derinievicz e seu vice Luiz Cesar Schilipake - se mostra inovadora. Tem como marca a inovação, que não se insere apenas nas áreas da produção industrial. A inovação é um conceito amplo e abrange, antes de tudo é a visão estratégica de uma empresa, de uma entidade e da própria sociedade. Vivemos um tempo de renovação, de sangue novo injetado em todos os sistemas que impulsionam a nossa sociedade, inclusive na área política. A posse da nova diretoria que vai administrar a Aciap até 2014 - foi um momento de expressão desse novo tempo. É importante reproduzir alguns temas desse momento, em particular as afirmações do nosso presidente Adriano. Ele disse de maneira objetiva que "um dos grandes objetivos é apresentar nas comemorações do cinquentenário o projeto de um novo prédio da associação que trará mais estrutura aos serviços dos associados e comunidade".

INCENTIVOS PARA RECUPERAÇÃO NOS EUA A empresária brasileira Patrícia Brum, radicada nos Estados Unidos, detalhou todo o efeito dominó da bolha imobiliária, desde o “sonho americano” de cada família ter uma casa espaçosa, com dois carros na garagem”, às facilidades para a compra do imóvel, passando pelas hipotecas e chegando à inadimplência. Patrícia, que também é membro do Marble Institute of América (MIA), observou que o setor de rochas acompanhou tanto o pico como a queda desse mercado, a partir de 2007, e explicou também os efeitos do plano de resgate da economia proposto pelo presidente norteamericano Barack Obama, da ordem de US$ 10,5 trilhões. Entre as ações, estão a redução de impostos e mais crédito para quem compra a primeira casa. Também serão investidos US$ 787 bilhões em obras de infraestrutura e o benefício do seguro desemprego foi estendido. Por enquanto, segundo ela, as construções foram paralisadas, exceto de apartamentos para aluguel. Por outro lado, não é impossível comprar um imóvel nos EUA hoje, mesmo porque os preços estão baixos. “Um casal jovem consegue comprar sua casa, desde que comprove renda e faça um depósito de entrada, por exemplo. E ainda recebe como incentivo a devolução de parte do valor pa-

go no imposto de renda”, disse. Brasil na mira dos europeus O empresário espanhol Alfonso Sevillano, que atua no setor imobiliário, falou sobre os efeitos da crise e as mudanças no mercado europeu. Segundo ele, no verão de 2007, foram investidos cerca de 64 bilhões de euros no setor. No último trimestre de 2008, o valor caiu para cerca de 18,5 bilhões de euros. Sevillano observou que, com o superávit imobiliário que atingiu a Espanha nos últimos anos, gerando um esgotamento do mercado residencial, por exemplo, muitas empresas daquele país estão buscando investimentos na América Latina, principalmente no Brasil. Um termômetro apresentado foi uma pesquisa realizada no último trimestre de 2008, com mais de 800 diretores de empresas do ramo imobiliário e de fundos de investimentos, com a intenção de conhecer suas expectativas quanto ao futuro do setor imobiliário na Europa. Cerca de 49% dos entrevistados afirmaram acreditar que o mercado deve se ajustar em dois ou três anos. Outros 30,5% acreditam que a situação deve de organizar em mais de três anos. Além disso, 38% demonstraram interesse em investir na América Latina e 38,6% afirmaram que um dos fatores que mais preocupa ao investir em um novo mercado é o desconhecimento do mesmo.

O mérito empresarial Adelino Venturi

Segundo Adriano, muitos projetos deste ano serão direcionados ao ano que vem, quando a Aciap completa 50 anos. E mais. Todas as ações serão orientadas pela filosofia do associativismo - que, tradicionalmente, muito se fala e pouco se pratica. Isto é deveras importante. O associativismo demanda se compreender que uma entidade não pertence a um ou mais dirigentes ou membros influentes. Ela é um todo; uma grande colméia onde todos têm uma função. É com esse espírito que a nova geração de dirigentes da Aciap assume a responsabilidade de projetar institucionalmente um dos mais modernos centros empresariais do país. São José dos Pinhais é hoje a expressão da modernidade brasileira fora do eixo do tradicionalismo e do conservadorismo, as federações paulistas que se autodenominam "território econômico" do país. São José dos Pinhais é um dos centros que lideram o empreendedorismo e a produção sustentada pelos avanços tecnológicos na chamada nova fronteira do desenvolvimento do país. Por aí se mede a importância da nossa entidade nesse contexto institucional, de representação de todos os segmentos - agricultura,

indústria, comércio e serviços - da economia local e regional. O presidente Adriano agradeceu o apoio dos diretores, parceiros e representantes do poder público e acrescentou: "São estas parcerias que vão gerar o futuro Instituto Aciap e o futuro Observatório Social. Em curto prazo, vamos reinaugurar o Centro de Negócios da Aciap no Aeroporto Internacional Afonso Pena". O evento foi prestigiado pelo vice-prefeito Antonio Fenelon (Toninho da Farmácia), que representou o prefeito Luiz Carlos Setim; o secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Valdir Furlan; atuais e ex-diretores da entidade; coordenadores das câmaras setoriais e do Conselho Deliberativo da Aciap; vereador Tadeu Camargo, que representou a Câmara Municipal; presidente da Subseção São José dos Pinhais da OAB-PR, Vanderlei Mühlstedt; representantes de clubes de serviço, Polícia Militar; imprensa; entre outros segmentos. Adelino Venturi é professor, empresário e membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial, Industrial, Agrícola e de Prestação de Serviço (Aciap), de São José dos Pinhais


4

| Quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 |

imobiliario30-1-13  

imobiliario30-1-13

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you