Issuu on Google+

| Terça-feira, 19 de abril de 2011 |

13

“Colégio Milenium e Oficina de Inglês Milenium recebem seu segundo Intercambista” Em 2004 foi criado dentro das dependências do Colégio Milenium a Oficina de Inglês Milenium, uma escola de inglês para alunos do colégio e também aberta à comunidade.

A Oficina de Inglês utiliza de método de desenvolvimento de habilidades através de assimilação natural e intuitiva. Buscamos levar ao aluno a situação mais próxima possível da realidade, ao invés do estudo formal de um novo idioma, onde normalmente o aluno teria que memorizar informações e então transformá-las em conhecimento. Para deixar esta realidade ainda melhor, em parceria com a Brazillian Experience, organização que tem como objetivo promover o Brasil no exterior como um destino de estudos e intercâmbio cultural, pelo segundo ano consecutivo estamos recebendo um aluno, tendo o Inglês como sua língua nativa. Neste programa, o aluno fica hospedado durante 10 semanas na casa de outro aluno da Oficina. Em 2010 recebemos Victor M. 18 anos, vindo da Inglaterra. Dia 03 de abril uma nova família recebeu a Yaneé, 18 anos, dos Estados Unidos. Em pouco mais de uma semana, a americana de Nova Iorque já participou de várias aulas de “conversação”, onde formam-se grupos e se conversa em inglês, sobre diversos assuntos. Assiste-se filmes, se ouve músicas, entre outras atividades. Nestas aulas os alunos adaptam o que aprenderam nas aulas, à suas realidades, usando es-

truturas corretas para expressar opiniões e apresentar sua maneira de pensar, assim como ouvir o que o aluno de outro país tem a dizer. Alguns alunos se surpreendem com os resultados, pois em situações como esta é onde vemos o que sabemos. Uma aluna disse a professora Thaís, ao sair de uma aula com Yaneé: “Nossa, eu sei falar inglês mesmo!”. MONOLINGUISMO O analfabetismo que era comum até o século passado, que passou a ser inaceitável e combatido no século XX, e que ainda hoje paira vergonhosamente sobre os países menos desenvolvidos, pode estar com seus dias contados... mas já tem um substituto não menos ameaçador: o monolinguismo.

A história, ao eleger o inglês como língua do mundo, sentenciou o monolinguismo nos países de língua não-inglesa a se tornar o analfabetismo do futuro. Basta compararmos a importância de se falar uma língua estrangeira há 50 anos atrás, com a necessidade hoje da pessoa ser bilíngue, para podermos entender a ameaça que o monolinguismo representará quando nossos filhos tornarem-se adultos. A revolução nas telecomunicações proporcionada pela informática, pela fibra ótica, e por satélites, despejando informações via TV ou colocando o conhecimento da humanidade ao alcance de todos via Internet, cria para o ser humano uma segunda esfera de atuação e convívio: a comunidade global. O CAMINHO O período ideal para tornar a pessoa bilíngue é a infância ou a adolescência. Pesquisas no campo da neurolinguística, da psicologia e da linguística já demonstram que, por fatores de ordem biológica e psicológica, quanto mais cedo, melhor. O ritmo de assimilação das crianças não só é mais rápido, como o teto, mais alto. Além disso, até os 12 ou 14 anos de idade a criança ainda tem a capacidade de assimilar o idioma estrangeiro ao mesmo nível da língua materna.


educacao19-04