Page 1

8

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

| Sexta-feira, 24 de junho de 2011 |

Classilinha AGORA VOCÊ TEM MUITO MAIS VANTAGENS. Anuncie no Classilinha e ganhe anúncio no site www.metropolejornal.com.br

Cartomante

Sobrado

Terrenos Jd. Del Rey

CARTOMANTE VINDA DO NORDESTE. SOBRADO NOVO NO BRAGA 120m². VENDO 2 LOTES JUNTOS NO JARDIM Atende c/ hora marcada . Consulte- C/ sala toda em gesso, parede c/ gra- DEL REY, 1.120m² - R$ 60.000,00. nos! Fone: 9940-2245 22a29 fiato, todo o sobrado com sancas. 3 Aceito veículo. 9112-9004 quartos, suíte, banh. social, lavabo, lavanderia com/ porcelanato. Ótimo acabamento. 8834-5460

Detetive Particular Ponto Móveis Usados Casa - Aluga-se

FAZEMOS SUA INVESTIGAÇÃO SOBRE ROUBO, ADULTÉRIO, DESAPARECIMENTO, ETC... Atendemos todo território nacional Fone: 9901-9798 - Denise denisedetetive@hotmail.com 22a29

VENDO PONTO DE MÓVEIS USADO COM ESTOQUE + CARRINHO DE HOTDOG. Com ponto em local de grande movimentação em SJP R$ 10.000,00 (somente o carrinho R$ 2.000,00) Fone: (41) 9204-9533

ALUGA-SE CASA COM 3 PEÇAS COM GARAGEM COBERTA, no bairro Jd. Icaro, ao lado do bairro Apolo próximo a Marcopolo no Afonso Pena. R$ 370,00. Busco um quarto para alugar. Fone: 8826-3798 - Vilson

Exemplo:

Econômico / 5 edições Inteligente {Mínimo: R$ 15,00 Para anunciar ligue: 3383-6650 GOL 1.0 - 95 - Bordo - Liga leve, aro 15, insufilme. R$ 12.000,00. Ótimo estado. Informações: 9106-1534


| Sexta-feira, 24 de junho de 2011 |

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

9

EDITAL DE CITAÇÃO DE SORVEMANIA COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA ME, PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO, NA PESSOA DE SEU REPRESENTANTE LEGAL, DE QUALIFICAÇÃO DESCONHECIDA, COM O PRAZO DE TRINTA (30) DIAS. Edital de CITAÇÃO da requerida SORVEMANIA COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA ME, pessoa jurídica de direito privado, na pessoa de seu representante legal, de qualificação desconhecida, nos autos sob n.º 1330/2009 de INDENIZAÇÃO promovida por JAIR BRAZ BEBIDA ME em face de BANCO DO BRASIL S/A e SORVEMANIA COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA ME, para que no prazo 15 (quinze) dias, conteste, querendo, e através de advogado, a referida ação, em trâmite perante o Juízo e Cartório da 2ª Vara Cível da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba - Foro Regional de São José dos Pinhais - PR., onde a parte autora alega que “ em 23 de janeiro de 2008 foi surpreendido por uma Notificação do Cartório do 1º Tabelionato de Notas e Protesto de Títulos de São José dos Pinhais, que intimava o representante da empresa autora a comparecer até dia 28 de janeiro de 2008 para pagamento da duplicata mercantil nº. 1670608010 no valor de R$ 3.437,69 (três mil quatrocentos e trinta e sete reais e sessenta e nove centavos), devidos à empresa Sorvemania Comércio de Alimentos Ltda ME tendo como apresentante da duplicata o BANCO DO BRASIL S/A. O representante da empresa requerente, Jair Braz, juntamente com sua esposa Selvina Saraiva Braz, recebendo a presente notificação cartorária, procedeu busca em seus arquivos e constatou e constatou que jamais realizou quaisquer relação mercantil com a segunda requerida, desconhecendo por total o título recebido. De posse da intimação foi até o cartório, explicou que jamais comprou nada “dessa tal” Sorvemania, sendo que desconhecia tal dívida, e lá fora orientado para entrar em contato com a empresa credora. Então procurou através CNPJ dessa empresa, no site da Receita Federal seu endereço, foi até o local indicado mas não havia a empresa citada. Diante de tais fatos a requerente foi até o Juizado Especial Cível de São José dos Pinhais e fez a reclamatória, sendo que na primeira audiência estavam ausentes tanto a primeira quanto a segunda requerida. Na segunda audiência, diante da ausência da empresa Sorvemania e tendo em vista a impossibilidade de realizar a citação por edital e dita empresa pelo procedimento dos Juizados, fora extinto o processo sem julgamento de mérito, conforme art. 267, inciso VIII do Código de Processo Civil. Cabe salientar que desde a audiência o banco tem conhecimento e reconheceu o golpe que a segunda requerida deu na praça, e ainda assim não efetivou a devida baixa do nome da requerente dos sistemas de proteção de crédito. Com isso a empresa requerente permanece negativada junto ao SERASA, indevidamente, mesmo não devendo nada. Desta forma, por negligencia, a primeira requerida prejudicou e ainda prejudica a empresa requerente, pois a mesma tem pública uma inadimplência que não existe, mas que para o comércio em geral, está inserida e não há controvérsia, prejudicando a imagem da requerente e afetando suas atividades laborais, vez que não possui crédito na praça, para realizar negociações mais favoráveis, visando uma melhor concorrência. A primeira requerida culposamente não preservou o nome da requerente, não tendo o mínimo de cuidado de verificar se a empresa realmente havia realizado alguma negociação com a segunda requerida, deixando por total desleixo e maus procedimentos internos ser injusta e ilegal a empresa requerida punida com a inscrição de seu nome no rol dos “caloteiros” e “maus pagadores”. Em consequencia de todas essas atribulações, a empresa requerente sofre e muito, posto que no período em que esta negativada junto ao SERASA esta tendo diversos cadastros renegados em muitas empresas distribuidoras. Indignado com o menosprezo com que lhe tratou o banco requerido, vez que sequer apresentou a duplicata ao requerente, vem ao juízo apresentar sua pretensão. (...). Requer o autor: em razão da verossimilhança dos fatos seja concedida liminarmente a tutela antecipada de forma “initio littis” e “inaldita altera pars”, para os fins de a primeira requerida ser obrigada, de imediato, a tomar as providencias administrativas necessárias para cancelamento do protesto da duplicata 1670608010 junto aos órgãos competentes. Em sendo deferido o pedido constante, seja expedido competente ofício judicial à requerida, assinalando-se prazo para cumprimento da ordem, a qual deve ser de 5 dias, com fixação de multa por dia de atraso, com base no artigo 644 c.c. 461 ambos do Código de Processo Civil; a citação dos requeridos, nas pessoas de seus representantes legais para, querendo, apresentar resposta, sob pena de confissão quanto a matéria de fato ou pena de revelia. Nos termos do artigo 5º da Constituição Federal, a condenação dos réus no pagamento da verba indenizatória por dano moral causado à autora, cujo valor deverá ser arbitrado; a condenação dos réus no pagamento dos danos materiais que a requerente vem sofrendo a ser arbitrado; pagamento de todas as despesas processuais e em honorários advocatícios a base de 20%. A citação nos termos do artigo 172 e seus parágrafos, do Código de Processo Civil, com a juntada de mais de uma cópia da inicial para instruir o mandado citatório; produção de todos os meios de prova admitidos em direito, em especial a juntada de documentos e depoimento das partes e de testemunhas, caso necessário. Atribui-se à causa o valor de R$ 3.437,69 (três mil quatrocentos e trinta e sete reais e sessenta e nove centavos). Advertência: Presumem-se aceitos, como verdadeiros, os fatos alegados na inicial, se não contestados no prazo de lei (Art. 285 do CPC). E, para que chegue ao conhecimento da requerida acima nominada e não possa legar ignorância, foi expedido o presente edital a ser afixado no lugar de costume do juízo e publicado pela imprensa, na forma da lei. São José dos Pinhais, 7 de julho de 2010. Eu ________________ (Ana Paula Savaris Mayer - Auxiliar de Justiça Juramentada), que o digitei e subscrevi.


editais24-06  

editais24-06

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you