Page 1

10

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

PREFEITURA DE COLOMBO

            !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 123  12+ , '!!,4'  6'+  '      !78 )   &7'  9'   &%'*: %, %$!  ; %  =!): (!% )'>'' ?@=(A &'' '*/!  9B',' C!' D',E' ?9CDA ) G H !)' !$*:  )' , 7B ' ')'  !$' &$%'*: !, 'IJ 9! ) #(

            !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 12  12+ , '!!,3'  5'+  '      !67 )   &6' ' ')'*8   9'   : ''"  % 6-  12+   ; ','  (!,! ' !!%'*8  < 0% ) !' ' '))'  ) = > !)' !$*8   )' , 6;  ' ')'  !$' &$%'*8  !, '? @ 9! ) #(

            !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 12  12+ , '!!,3'  5'+  '      !67 )   &6'7   0, )  &   !%*8  ' '!'  9'!!':, # ) ; < !)' !$*8   )' , 6: ' ')'  !$' &$%'*8  !, '=> 9! ) #(

         

Aviso de Licitação Edital â&#x20AC;&#x201C; PregĂŁo Presencial NÂş. 026/2013 Objeto: Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Administração, Preparo e Distribuição de Refeiçþes para o Equipamento de Segurança Alimentar e Nutricional do Restaurante Popular, com fornecimento de todos os gĂŞneros alimentĂ­cios e demais insumos, manutenção, supervisĂŁo e treinamento do quadro de colaboradores, prestação de serviço de manutenção corretiva e preventiva dos equipamentos e utensĂ­lios e manutenção predial, situado na Rua Roberto Lambach Falavinha, nÂş 216, Bairro Alto MaracanĂŁ, conforme descrição do Anexo VII, do Edital. Data: 03 de maio de 2013, Ă&#x20AC;s 09:00 Horas. Local de Abertura: Sede da Prefeitura Municipal de Colombo. Preço MĂĄximo: Constante no Edital. CritĂŠrio de Julgamento: Menor Preço Global. Informaçþes Complementares poderĂŁo ser obtidas na Secretaria Municipal da Administração, sito a Rua XV de Novembro NÂş. 105, Centro, Colombo ParanĂĄ, ou pelos fones: (041) 3656â&#x20AC;&#x201C;8002 ou 3656â&#x20AC;&#x201C;8112 ou pelo site: www.colombo.pr.gov.br. Colombo, 16 de abril de 2013. Izabete Cristina Pavin Prefeita Municipal

Aviso de Licitação Edital - Pregão Presencial Nº. 027/2013 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de emulsão e cimento asfåltico por meio do Sistema de Registro de Preços, para manutenção das vias pavimentadas do município de Colombo, conforme quantidades e especificaçþes constantes do Termo de Referência (Anexo VII), que integra o Edital. Data: 03 de maio de 2013 às 14:00 horas. Local de Abertura: Sede da Prefeitura Municipal de Colombo. Preço Måximo: Constante no Edital. CritÊrio de Julgamento: Menor Preço Global. Informaçþes Complementares poderão ser obtidas na Secretaria Municipal da Administração, sito a Rua XV de Novembro Nº. 105, Centro, Colombo Paranå, ou pelos fones: (041) 3656-8002 ou 3656-8112 ou pelo site: www.colombo.pr.gov.br. Colombo, 16 de abril de 2013. Izabete Cristina Pavin Prefeita Municipal

3ª Publicação Atas 265 a; 274/2012 Pregão 92/2012 Contratante: Prefeitura Municipal de Colombo - Secretaria Municipal de Saúde. Objeto: Aquisição de medicamentos de urgência para os prontos atendimentos municipais, unidades de saúde, SAMU, saúde mental e farmåcia båsica. Ata 265 Comercial Cirúrgica Rioclarense LTDA, CNPJ 67.729.178/0004-9 Valor:R$ 10.876,00 (dez mil oitocentos e setenta e seis reais). Ata 269-Laboratório Teuto Brasileiro S/A, CNPJ 17.159.229/0001-76 - Valor:R$ 30.679,00 (Trinta mil seiscentos e setenta e nove reais). Ata 266 - Cristålia Produtos Químicos Farmacêuticos LTDA., CNPJ 44.734.671/ 0001-51 - R$ 283.874,00 (duzentos e oitenta e três mil oitocentos e setenta e quatro reais). Ata 267- Dimaci/Pr Material Cirúrgico LTDA., CNPJ 00.656.468/0001-39 Valor: R$ 58.721,80 (Cinquenta e oito mil setecentos e vinte um reais e oitenta centavos). Ata 268 -Distribuidora de Medicamentos ANB Farma LTDA, CNPJ n.º 73.773.129/0001-06 - Valor:R$ 226.159,90 (Duzentos e vinte seis mil cento, cinquenta e nove reais e noventa centavos) Ata 270 -Mauro Marciano ComÊrcio de Medicamentos LTDA., CNPJ n.º 94.894.169/0001-86 R$ 27.462,94 (Vinte e sete mil quatrocentos e sessenta e dois reais e noventa e quatro centavos) Ata 271- Prodiet Farmacêutica LTDA., CNPJ 81.887.838/0001-40 Valor:R$ 8.193,00 (Oito mil cento e noventa e três reais). Ata 272 - Promefarma Representaçþes Comerciais LTDA., CNPJ n.º 81.706.251/0001-98 Valor:R$ 79.211,00 (Setenta e nove mil duzentos e onze reais). União Química Farmacêutica Nacional S/A,CNPJ 60.665.981/0007-03 Valor: R$ 110.129,00 (Cento e dez mil cento e vinte nove reais). Ata 273 - Webran Distribuidora de Medicamentos LTDA, CNPJ 04.372.020/ 0001-44 Valor: R$ 10.380,00 (dez mil trezentos e oitenta reais). Vigência: 27 de agosto de 2012 a 26 de agosto de 2013. Data: Colombo, 16 de abril de 2013.

Extrato 5º Aditivo Contrato 388/2011 Tomada de Preço12/11 Objeto: Empresa especializada para execução de serviços de levantamento, avaliação e cadastramento dos bens patrimoniais (móveis e imóveis) do Município de Colombo. Contratante: Município de Colombo - Secretaria Municipal da Administração Luiz Gilberto Pavin Contratado: Unisis Administração Patrimonial e Informåtica LTDA., CNPJ sob nº. 96.614.672/0001-66. Prazo: prorroga os prazos de execução e de vigência por mais 90 (noventa) dias, no período de 19/03/ 2013 a 18 /06/ 2013. Colombo, 19 de março de 2013.

  !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% )+ , $!  !$'! %,&)- %'!  ')$*/! % 0'! &'  #$ %&' 12  12+ , '!!,3'  5'+  '      !67

Preços Registrados: Encontram-se a disposição no Setor de Contratos, sito à Rua XV de Novembro, n°. 105, Centro - Colombo/PR ou pelo site www.colombo.pr.gov.br no link licitaçþes.

)   , % 0,' %,  ) 11  %!  '  12+   !" #$ %&' ! ()! ' ' *'   !% ) &6' ! ,! ! % !"! ''8  '% '! &'' %,& ' ,!!9 !%& '  #( 5!!' : ' ; ')) :' 2<$ '*9 ''  !'= %"' 2 >  ?$%5 !@ :' <' % ! 2 !" A $)' ) B C !)' !$*9  )' , 6: ' ')'  !$' &$%'*9

PORTARIA N.º 202/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, e conforme o Processo nº 01135961; RESOLVE: I - Designar a comissão de sindicância, composta pelos seguintes servidores: Humberto Ramon B. Rodrigues , RG nº 4.220.445-4, Inês Marli Kadanus Benato, RG nº 4.202.045-1 e Dinah Hastri Mendes Pereira, RG nº 4.462.0596, para sem prejuízo de suas funçþes, sob a Presidência do primeiro, constituírem a Comissão de Sindicância, referente ao Processo nº 01135961 dando-se o prazo de 60 (sessenta) dias para conclusão dos trabalhos, contados da instalação da comissão. Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 15 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

!, 'DE > ! ) #(

              !   "#$ % &"'()     ###*+ "') ')       &#   #&) # '(*+ "') #  ) *&-.# '"/ ) # ()  % &"'()  0 12 3 0     3 3 0   '"/ )   ' )  4  )  " 516    1    7     !   8 9"')  )  ###*+ "') ')  :   ) ##; ) =*)  ">)  "  )        !  #? @  *    (? ) ) # )  A &) -.# ")    ') -B    "#$ % &"'()     ###*+ "') ')  C0 12 3 0 D  * E : #*) #&-B "*)  ? 8  ")  ) *)   #&) (&') -B #  ) FG H # "*  %  

PORTARIA N.º 203/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, e conforme o Processo nº 01138693; RESOLVE: I - Designar as Sevidoras Bianca Aquino Bonete RG nº 9.297.199-6, Isabele Vicente de Brito RG nº 5.018.912-0, Flåvia Emilly Rodrigues da Silva RG nº 7.516.398-3 e Eloyse Weeny Ramos Bieberbach RG nº 6.958.461, para sob a presidência da primeira e sem prejuízo de suas funçþes comporem a comissão de prova das amostras do Processo Administrativo nº 01138693, que refere-se a aquisição de dietas, fórmulas e leites especiais para alimentação, atendendo as necessidades da Secretaria Municipal De Saúde. Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 15 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA N.º 205/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, RESOLVE: I - Designar a Servidora Pública Municipal Mà RCIA REGINA CECCON ZANETTI RG n° 5.672.610-1, para exercer a função de Responsåvel do posto de Identificação da Sede (FG), vinculado ao Gabinete do Prefeito, a partir de 01 de Abril de 2013; Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA Nº 208/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso de suas atribuiçþes que lhe são conferidas por Lei, RESOLVE: I - Exonerar a pedido, o Servidor Público Municipal VALDIVINA APARECIDA DA SILVA, RG 5.573.497-6, do cargo de Educador Infantil, na função de Educador Infantil, a partir de 11/04/2013. II - Exonerar a pedido, o Servidor Público Municipal MAYARA CRISTINA PARUCCI DIAS, RG 10.454.220-4, do cargo de Agente Administrativo, na função de Assistente Administrativo, a partir de 16/04/2013. Dê-se publicidade, Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA Nº 210/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso de suas atribuiçþes que lhe são conferidas por Lei, e nos termos da solicitação contida no processo nº 01136703; RESOLVE: I - Autorizar, o uso do espaço Público junto ao Parque da Uva, (Pista de Corrida), neste Município, para realização de evento Esportivo da Academia Versåtil com sede em Colombo, a ser realizado no dia 20 de Abril de 2013, das 08:00 ås 12:00 Horas. Dê-se publicidade, Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

PORTARIA N.º 211/2013 A PREFEITA MUNICIPAL DE COLOMBO, Estado do Paranå, no uso das suas atribuiçþes que lhe são conferidas por lei, RESOLVE: I - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Cristiane Elizabete Motin, RG nº 6.857.196-0, matrícula nº 4119, a partir de 05 de Março de 2013, por um período de 1 ano, devendo após esta data retornar para sua função. II - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Eronilde Roxadelli Kreusch Machioski, RG nº 3.050.764-9, matrícula nº 7591, a partir de 04 de Março de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. III - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Lany Cristina Oliveira Ramos, RG nº 007545098, matrícula nº 7881, a partir de 26 de Março de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. IV - Conceder licença sem vencimentos a Servidora Pública Municipal, Glaziela Fernanda da Conceição, RG nº 6.807.667-6, matrícula nº 9504, a partir de 01 de Abril de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. V - Conceder licença sem vencimentos ao Servidor Público Municipal, Helenildo de Lima Arrais, RG nº 8.361.279-7, matrícula nº 5980, a partir de 11 de Janeiro de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. VI - Conceder licença sem vencimentos ao Servidor Público Municipal, João Carlos Pepe, RG nº 7.675.663-5, matrícula nº 5570, a partir de 05 de Abril de 2013, por um período de 2 anos, devendo após esta data retornar para sua função. VII - Esta Portaria entrarå em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposiçþes em contrårio. Dê-se publicidade. Paço Municipal de Colombo Em 16 de Abril de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN Prefeita Municipal

Extrato de Dispensa de licitação. Processo NÂş: 1138694 - Dispensa 29/2013. Partes: MunicĂ­pio de Colombo/PR, Dimaster ComĂŠrcio de Produtos Hospitalares Ltda e Comercial CirĂşrgica Rio Clarense Ltda Objeto: Aquisição dos medicamentos Clomipramina 25 mg e Haloperidol 5 mg/1ml a serem utilizados no Programa SaĂşde Mental. Valor: O valor mĂĄximo da Dispensa serĂĄ de R$ 6.600,00 (seis mil e seiscentos reais). Embasamento Legal: Artigo 24 IV â&#x20AC;&#x201C; Lei nÂş. 8.666/93. Data 16/04/2013

Extrato de Dispensa de licitação. Processo Nº: 1138726 - Dispensa 28/2013. Partes: Município de Colombo/PR, A.R. Weirich Centro Gråfico-EPP. Objeto: Contratação de serviços de Plotagens e cópias de projetos nos formatos A0, A1, A2 e A3 a fim de atender as necessidades das Secretarias Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbanismo e Habitação da Prefeitura. Valor: O valor måximo da Dispensa serå de R$ 2.452,50 (dois mil quatrocentos e cinqßenta e dois reais e cinqßenta centavos). Embasamento Legal: Artigo 24 II - Lei nº. 8.666/93. Data 16/04/2013

Extrato do Empenho N° Empenho: Data: Valor do Empenho: Dispensa n°: Contratado: Contratante: Objeto: Ă&#x201C;rgĂŁo ResponsĂĄvel:

Extrato do Empenho N° Empenho: Data: Valor do Empenho: Dispensa n°: Contratado: Contratante: Objeto: Ă&#x201C;rgĂŁo ResponsĂĄvel:

2595/2013 16/04/2013 R$ 5.700,00 (cinco mil e setecentos reais) 29/2013 Comercial Cirúrgica Rioclarense Ltda Prefeitura Municipal de Colombo Aquisição de medicamento Clomipramina 25mg para Saúde Mental. Secretaria Municipal de Saúde

2596/2013 16/04/2013 R$ 900,00 (novecentos reais) 29/2013 Dimaster ComÊrcio de Produtos Hospitalares Ltda Prefeitura Municipal de Colombo Aquisição de medicamento Haloperidol 5mg/ml para Saúde Mental. Secretaria Municipal de Saúde


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

PREFEITURA DE COLOMBO Estado do Paraná

A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Candidato

Classificação

26° Ana Paula Hey Colombo, 17 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Cargo Enfermeiro

COLOMBO PREVIDÊNCIA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE A.G.O

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE COLOMBO

FBM Administradora de Bens S/A, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n. 04.078.292/0001-36 e no NIRE sob o n. 41300023441, convoca seus acionistas para se reunirem em Assembléia Geral Ordinária (A.G.O.), a ser realizada no dia 25 de abril de 2013, às 13:00 horas em primeira convocação, com a presença de acionistas que representem, no mínimo, ¼ (um quarto) do capital social com direito a voto, e, às 13:30 horas em segunda convocação com qualquer número, em sua sede social situada na rua Tavares de Lyra, n. 2.200, bairro Afonso Pena em São Jose dos Pinhais-PR, a fim de discutirem e deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: (i) aprovar o relatório anual da administração e as demonstrações financeiras acompanhadas do parecer dos auditores independentes relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012; (ii) aprovar a proposta do Orçamento de Capital; (iii) aprovar a destinação de lucros da companhia referente exercício de 2012; (iv) eleger e dar posse os membros da diretoria; e (v) fixar o montante global anual da remuneração dos Diretores. As demonstrações financeiras e demais documentos da administração de que trata o art. 133 da Lei das Sociedades Anônimas foram publicadas em data de 22 de março de 2013 nos Jornais Metrópole e Diário Oficial. As procurações eventualmente outorgadas pelos acionistas para serem representados na Assembléia, deverão ser entregues na sede social da Companhia, no prazo improrrogável de 08 dias antes da A.G.O, sob pena de não poder o mandatário exercer o mandato, conforme comando do art. 12 do Estatuto da Companhia.

Extrato de Termo Aditivo Termo Aditivo: Processo: Partes:

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 031/2013 Concurso Público 004/2011

Concurso Público 004/2011

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 032/2013 Concurso Público 002/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) Final de Lista aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público Assistente Administrativo 002/2011 Weilany França Wilges 86° Josmar Lima Amaral

121°

Assistente Administrativo

002/2011

Gabrielle Uniczycki

123°

Assistente Administrativo

002/2011

Nael da Silva

128°

Assistente Administrativo

002/2011

Marcia Andreia Heupa

129°

Carla Renata Osga

134°

Assistente Administrativo Assistente Administrativo

002/2011 002/2011

Jenifer Meire Rezende da Silva Mariano

172°

Assistente Administrativo

002/2011

Lucimeire Rezende da Silva

178°

Assistente Administrativo

002/2011

Regiane Marcia de Oliveira

183°

Assistente Administrativo

002/2011

Janiffer Bonfim Moreira

205°

Assistente Administrativo

002/2011

Cristiane Adam da Luz

217°

Assistente Administrativo

002/2011

Edilene da Rocha 218° Assistente Administrativo Colombo, 17 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

002/2011

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 026/2013 Concurso Público 004/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público 02° 004/2011 Priscilla Scucato Minioli Médico Ginecologista Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

01/2013 ao Contrato de nº 04/2013. Dispensa de Licitação nº 04/2013. Colombo Previdência e Agostinho Fiorese / Ivete Cecon Guimarães Fiorese representados por Cibele Rozek. Objeto: Locação de imóvel localizado no cruzamento da Rua José Leal Fontoura com a Rua Zacarias de Paula Xavier, 654, Centro - Colombo/Pr para sede da Colombo Previdência. Da Dotação: As despesas decorrentes do presente contrato serão atendidas através dos recursos de dotação orçamentária de 2013, LOA n° 1283/2012Dotação 14.02.2.020.3.3.90.36.15.00.00.00 - Locação de Imóveis. Data: 15 de Abril de 2013. Assinatura: Eliseu Ribeiro dos Santos - Superintendente

FBM ADMINISTRADORA DE BENS S/A Diretoria

CARTÓRIO LIDIA KRUPPIZAK Registro Civil – Títulos e Documentos – Pessoas Jurídicas - Fone (41) 3035-3200

EDITAL DE PROCLAMAS CARTÓRIO DISTRITAL DE COLÔNIA MURICI

LIDIA KRUPPIZAK, Oficial do Registro Civil da sede da Comarca de São José dos Pinhais – PR, na forma da lei FAZ SABER que pretendem se casar: FRANCIS DA SILVA OLIVEIRA E THAYNÁ KAROLINE DA CUNHA WILSON OSNI ALVES DA SILVA JUNIOR E RAQUEL FELICIA PINHEIRO MARQUES SERGIO LOURENÇO DE OLIVEIRA E CINTHIA CASSIANE SENS ROBERT DE LIMA RODRIGUES E MARINA SUELEN PEREIRA EVANDRO CESAR PEREIRA E ALINE REIS LEANDRO APARECIDO DA COSTA COELHO E ROSINHA FALISNKI FABIO JOCELIM SILVA DE ALVARENGA E SUELI CAVALIN GAMA FABIANO MAURICIO DE LUCENA E VANESSA DE OLIVEIRA VIANA DOS SANTOS RAFAEL ROCHA PADILHA E JOSIANE APARECIDA DA SILVA LUIZ CARLOS DE SOUZA E MICHELE TENORIO DOS SANTOS JULIO CESAR DA SILVA MENDONÇA E JOSIANE DAS GRAÇAS DE FREITAS DARCI LUIZ TOMASI JUNIOR E MARIA ISABEL LADIKA HENRIQUE SIMÃO E THAIS FERREIRA DOS SANTOS MARCELO ALEGRIA BRUNING E BIANCA CRISTINE GONÇALVES JONATHAN WILLIAM CALEGARI RODRIGUES E PAULA CRISTINY GONÇALVES ANDERSON RIBAS E LUCICLEY RODRIGUES NETO MICHELI VENTURA DA SILVA E THALITA SANCHEZ DO PRADO EDSON TAKASHI YANO E LORIANE MANIKA SERGIO ADRIANO DE MELO E SIMONE RODRIGUES ALVES CARLOS BALBINO DE CASTILHO CAROLINE DE JESUS GONÇALVES Se alguém souber de impedimento legal, acuse-o para os fins de direito. E para constar e chegar este ao conhecimento de todos, lavro o presente para ser afixado no lugar de costume. São José dos Pinhais, 16 de abril de 2013. LIDIA KRUPPIZAK OFICIAL DO REGISTRO CIVIL

JOSÉ JAVORSKI – OFICIAL Alameda Bom Pastor, 171 – Campina – São José dos Pinhais - PR Fone (41) 3283-4371 – Fone/Fax (41) 3383-0588 EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem se casar: CELER COELHO DA COSTA com THAMYRIS MARIA MOTA JUSSIMAR DA SILVA com TEREZINHA DE FATIMA SIMÃO DIEGO RODOLFO DE ANDRADE com AMANDA DE MELLO CAMEIRÃO MURILO DAMAZIO DA SILVA com JAQUELINE LEANDRO GOMES Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias. São José dos Pinhais, 15 de abril de 2.013. JOSÉ JAVORSKI Oficial

EDITAL DE PROCLAMAS TABELIONATO E REGISTRO CIVIL DE SANTA QUITÉRIA. Av. N. Sra. Aparecida, 305, loja 13, Seminário – CEP: 80.440-000. Tel: (41) 3342-7372 Fax: (41) 3343-2333 – CURITIBA -PR Faço saber que pretendem casar-se e apresentarem os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro: WERBER FERNANDO TEIXEIRA DE LIMA e CAMILA CAPOBIANCO ELITON DE OLIVEIRA LOPES e ANDRESSA DE BORBA Sabendo alguém de qualquer impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de quinze dias. O referido é verdade e dou fé. Curitiba, 16 de Abril de 2013. CID ROCHA JÚNIOR / OFICIAL

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 027/2013 Concurso Público 004/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Candidato

Classificação

25° Marlon Jefferson dos Santos Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Cargo Enfermeiro

Concurso Público 004/2011

JURITI ASSOCIAÇÃO DE CRÉDITO AO MICROEMPREENDEDOR A Juriti Microfinanças, com CNPJ nº 10.246.252/0001-59, com sede na Rua José Theodoro Ribeiro, 1414 – Ilha da Figueira, Jaraguá do Sul – SC e Filial na Rua Joaquim Nabuco, 1900 – Centro, São José dos Pinhais – PR, vem por meio deste divulgar suas informações financeiras dos anos 2012 e 2011.

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 028/2013 Concurso Público 001/2010

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (em Reais)

A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência.

ATIVO

Classificação

06° Luciana Luiz Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Cargo Nutricionista

Concurso Público 001/2010

PASSIVO 2012

2011

14.428.820

13.334.139

Caixa e Equivalentes de Caixa (N.4)

1.806.316

362.077

Operações de Crédito (N.5)

9.493.776

12.592.842

Valores a Receber – Programa Gaúcho (N.6)

2.491.390

-

637.338

379.220

3.106.037

4.559.716

2.531.827

4.090.079

2.531.827

4.090.079

300 561.897 12.013

449.316 20.351

17.534.857

17.893.855

CIRCULANTE

Candidato

Outros Créditos

CIRCULANTE Fornecedores Empréstimos e Financiamentos (N. 8) Obrigações Tributárias Obrigações Sociais Outras Obrigações NÃO CIRCULANTE

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 029/2013 Concurso Público 001/2010 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público Juliano Bonin 03° 001/2010 Técnico em Radiologia 04° Fabio Roberto Borges Moura Técnico em Radiologia Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Operações de Crédito (N. 5)

PATRIMÔNIO SOCIAL Investimentos Imobilizado (N. 7) Intangível (N. 8) TOTAL DO ATIVO

DESPESAS OPERACIONAIS

A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) no Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento de Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicação deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará na desistência. Classificação

Cargo

03° Ronna Mara Ramon Técnico em Higiene Dental Colombo, 16 de abril de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Patrimônio Social (N. 12) Déficits do Exercício TOTAL DO PASSIVO

2011

2.645.288

2.519.546

1.745

954

1.817.625

2.188.827

69.163 608.444 148.311

17.671 187.343 124.751

19.214.542

14.115.174

6.525.997

1.896.316

12.688.548

12.218.858

(4.324.973)

1.259.135

1.259.135 (5.584.108)

2.584.122 (1.324.987)

17.534.857

17.893.855

DEMONSTRAÇÃO DO SUPERÁVIT (DÉFICIT) EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (em Reais)

RECEITA DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO

Candidato

Empréstimos e Financiamentos (N. 9) Partes Relacionadas (N. 10)

2012

001/2010

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 030/2013 Concurso Público 001/2010

Concurso Público 001/2010

11

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

Despesas com Operações de Crédito (N. 11) Despesas com Pessoal Despesas Administrativas Despesas (Receitas) Financeiras Outras Receitas Operacionais DÉFICIT DO EXERCÍCIO

2012

2011

8.639.021

7.983.544

(14.223.129)

(9.308.531)

(5.215.177) (4.607.293) (2.962.381) (1.490.831) 52.553

(2.539.431) (2.836.342) (2.033.076) (1.899.682) -

(5.584.108)

(1.324.987)

“Demonstrações contáveis auditadas por Sappia Auditores Independentes S/S Ltda, CRC (SC) 25.751/O-9 e CRS (RS) 53.378/T-SC. As Demonstrações contábeis, notas explicativas e parecer dos auditores independentes estão à disposição na sede da Juriti Microfinanças.”

Anvisa fixa regras para registro de medicamentos por processo eletrônico Agência Brasil

Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (15) no Diário Oficial da União fixa regras para o processo eletrônico de solicitação de registro de novos medicamentos. Na semana passada, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou um pacote de medidas para acelerar o registro de remédios no país. Entre as mudanças está a criação do sistema eletrônico, que vai eliminar o uso de papel durante o procedimento. De acordo com a resolução, o protocolo eletrônico da solicitação de registro está sujeito ao pagamento de uma taxa de fiscalização de vigilância sanitária, em até 30 dias. Já a efetivação do protocolo deve ocorrer em até dois dias úteis, a contar da data do pagamento. “O não pagamento da taxa no prazo estipulado resultará no cancelamento automático do peticionamento no sistema de informações da Anvisa e na não protocolização do pedido”, ressaltou a publicação. A resolução entra em vigor hoje. A meta do governo é, até dezembro, zerar a fila de produtos que aguardam há pelo menos seis meses por registro no Brasil.


| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

13

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

IBQ - BRITANITE CNPJ/MF Nº 78.391.612/0001-40 - NIRE Nº 413000836-81

Indústrias Químicas Ltda

Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos para apreciação dos acionistas o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da IBQ - INDÚSTRIAS QUÍMICAS S/A informações relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, acompanhados do Relatório de Auditoria Independente. As demonstrações Financeiras estão sendo apresentadas em conformidade com as normas internacionais de contabilidade emitidas pelo IASB e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, com atendimento integral da Lei nº 11.638/07 e Lei nº 11.941/09, e pronunciamentos emitidos pelo CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis e aprovados pelo CFC - Conselho Federal de Contabilidade e pela CVM - Comissão de Valores Mobiliários. A EMPRESA Somos uma empresa que atua no desenvolvimento da indústria de base brasileira, especialmente na construção civil pesada, agregados e mineração. Produzimos e comercializamos explosivos de uso civil e acessórios de detonação, e também fornecemos soluções em engenharia de desmonte de rochas para construtoras brasileiras em projetos de hidrelétricas, portos, estradas, além de soluções técnicas para mineradoras em todo território nacional. A IBQ Indústrias Químicas S/A esta comprometida com a prática de altos padrões de segurança e qualidade no fornecimento de explosivos civis, sistemas de iniciação e serviços em desmonte de rocha. Para atingir este objetivo praticamos os princípios de melhoria contínua em nossos produtos, processos e sistemas operacionais, sempre de acordo com os requisitos aplicáveis ao Sistema de Gestão da Qualidade, de forma a exceder as expectativas de nossos clientes, parceiros de negócios, acionistas e comunidade, operando sempre de forma ética, segura e ambientalmente responsável. Um dos pilares da atuação da IBQ Indústrias Químicas S/A é o foco na prevenção de acidentes através do treinamento e acompanhamento rígido dos incidentes no ambiente de trabalho. Uma medida do sucesso da Companhia nesta área foi a ocorrência de apenas um acidente com afastamento no decorrer do ano de 2012, o que coloca a Britanite como referência em padrões de segurança, quando comparado aos produtores mundiais de explosivos civis e outras indústrias químicas. A Companhia conta com um parque fabril atualizado e bem equipado, localizado em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, no Estado de Paraná, o qual, no decorrer do ano de 2012, atingiu, por vários meses, recordes de produção na maioria das linhas de fabricação. Em junho de 2012, em mais um passo decisivo na trajetória da IBQ, a CR Almeida Engenharia e Construções S/A, então sua controladora integral, completou o processo de venda parcial do controle acionário da IBQ Indústrias Químicas S/A para o consórcio ENAEX e EXSA, passando a contar com dois novos acionistas, o Grupo Breca (do Peru) e o Grupo Sigdo-Koppers (do Chile), e nos tornando uma empresa com presença internacional. A nova sociedade garante mais força e perpetuidade à empresa, uma vez que a indústria de explosivos no Brasil e no mundo está se consolidando, e uma grande quantidade de empresas pequenas e médias está desaparecendo, absorvidas por grupos internacionais que se tornam cada vez maiores e mais difíceis de serem confrontados. O objetivo é que, juntos, possamos enfrentar os desafios para o futuro, não só perante a América Latina, mas também diante do mercado global. A soma das experiências e das capacidades deu à companhia uma nova dimensão, aumentando o nível de investimento para crescimento do negócio, gerando sinergias necessárias para podermos alavancar a expansão no Peru, Chile e Brasil, em uma estratégia de crescimento regional e mundial, que se ajuste às competitivas exigências atuais do negócio. A IBQ Indústrias Químicas S/A, operando com a marca comercial Britanite, atualmente com representação comercial e operações em dez estados brasileiros, tem a maior rede de atendimento entre as empresas do mesmo segmento do pais. Competindo com empresas internacionais tradicionais no ramo de serviços de desmonte de rocha e fornecimento de explosivos para uso civil, a IBQ é líder de mercado tendo uma participação aproximada de 45% enquanto que seus concorrentes, representados por empresas internacionais, ocupam uma parcela equivalente do mercado. Enquanto que esta participação representativa do mercado brasileiro, como que a IBQ detém, torna lenta uma maior ocupação de mercado, a experiência dos colaboradores e a qualidade dos produtos Britanite, permite estruturar estratégias de crescimento para outros mercados e eventualmente para novos negócios. A Receita da Companhia nos últimos cinco anos tem crescido constantemente superando em termos relativos aproximadamente 12,4 vezes o crescimento do PIB Brasileiro. Para fins de ilustração, comparamos no gráfico abaixo as variações cumulativas de crescimento do PIB e as variações de crescimento da receita da IBQ. A Britanite tem apresentado crescimento substancial no segmento de Mineração, setor responsável pelo desempenho positivo da balança comercial brasileira e por aproximadamente 45% da receita da Companhia, o qual, segundo levantamento realizado pelo Instituo Brasileiro de Mineração - IBRAM deverá ser objeto de uma das maiores parcelas de

investimento do setor privado no País no período de 2011 a 2015, com aportes de US$ 68,5 bilhões. Para superar os obstáculos e garantir a solidez, competitividade e desenvolvimento do setor de Mineração, o Governo Federal lançou o Plano Nacional de Mineração 2030. O programa norteará e visa fortalecer o setor mineral brasileiro nos próximos 20 anos. Segundo a opinião de especialistas e a partir de uma perspectiva de investidores internacionais, o setor de Mineração brasileiro também está se tornando primordial, canalizando empreendimentos em conjunto (joint ventures), parcerias e alianças. Ao se unirem por meio de associações internacionais, as empresas de mineração poderão colaborar de forma mais eficiente para resolver problemas regionais comuns, barreiras regulatórias e agregar valor a todos os concorrentes do setor por meio de infraestrutura compartilhada e investimentos de logística. A IBQ Indústrias Químicas S/A também tem participação acentuada no setor de construção civil, o qual vem representando 32% de sua receita, tendo sido parceira de todas as grandes construtoras nacionais em obras de infraestrutura como a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, Jirau e Teles Pires, construção do Rodoanel e Metro em São Paulo, Metro e Portos no Rio de Janeiro e obras do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) no Norte e Nordeste tais como Ferrovia Transnordestina e obras de transposição do Rio São Francisco. Para enfrentar os desafios atuais, as empresas de mineração, construção civil e seus parceiros, entre eles as empresas prestadores de serviço da área de desmonte de rocha, a exemplo da IBQ Indústrias Químicas S/A devem continuar a controlar os custos, melhorar o gerenciamento de projetos de investimento, melhorar o seu planejamento de cenários e fortalecer seus controles internos. CERTIFICAÇÕES • Certificado da ISO 9001:2008, órgão certificador BVQI. • Certificado das embalagens: CONCEPTA. DESEMPENHO COMERCIAL O negócio de prestação de serviços em desmonte de rocha e comercialização de explosivos civis está segmentado em duas grandes áreas. A primeira delas representada pelas pequenas mineradoras e pedreiras independentes, que constituem o negócio de varejo de venda de explosivos civis e aplicação em pequena escala, suportados pelos especialistas da Britanite ou técnicos do cliente, sob supervisão da Britanite. Este segmento de varejo é representado por mais de quinhentos clientes que estão em constante contato com os representantes comerciais e técnicos da Companhia, visando aperfeiçoar suas operações, melhorar a produtividade de seus negócios e colocar os seus requerimentos para os novos serviços de desmonte que irão realizar. A segunda área de negócios é representada por grandes mineradoras, construtoras de grande porte e conglomerados de pedreiras e cimenteiras, para os quais a IBQ executa o planejamento, aplicação e desmonte de rocha usualmente sob contratos de longo prazo. Em função da grande segmentação de clientes no mercado de varejo, dos contratos de longo prazo em obras de infraestrutura e com as grandes mineradoras, e de ter o negócio lastreado em diferentes segmentos de negócios tais como, mineração, infraestrutura e construção civil, a Britanite tem conseguido continuadamente aumentar o seu faturamento, apesar da flutuação econômica em alguns destes mercados. DESEMPENHO ECONÔMICO E FINANCEIRO A receita líquida das atividades operacionais neste exercício atingiu o montante recorde de R$ 338,4 milhões contra R$ 280,7 milhões no exercício de 2011, representando um crescimento de 20,6%, comparado com crescimento do PIB estimado para o mesmo período de aproximadamente 1,0%.

Nota

2012

2011 Ajustado

06 07 08 09 11

1.727 57.198 24.715 3.764 8.139 811 96.354

1.795 64.480 21.362 3.477 3.889 1.374 96.377

Não circulante Contas a receber ................................................................. Créditos com pessoas ligadas .............................................. Tributos e contribuições a recuperar ..................................... Imposto de renda e contribuição social diferidos ................... Outros recebíveis ................................................................ Imobilizado ........................................................................ Intangível ...........................................................................

07 17 09 10 11 12 13

6 7 1.034 65.667 4.885 92.927 8.114 172.640

39 19.566 994 17.228 987 76.226 4.402 119.442

268.994

215.819

Total do Ativo .............................................................................

Nota

2012

2011 Ajustado

14 15 18 -

22.682 28.276 33.675 345 5.561 711 91.250

19.219 19.172 39.211 133 335 78.070

Não circulante Empréstimos e financiamentos ............................................ Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas .............................. Provisões para contingências .............................................. Imposto de renda e contribuição social diferidos ................... Débitos com pessoas ligadas ...............................................

14 15 16 17

20.174 5.097 4.478 29.749

5.249 14.912 18.066 3.153 386 41.766

Patrimônio líquido Capital social ...................................................................... Reservas de capital ............................................................. Reservas de lucros ............................................................. Ajustes de avaliação patrimonial ..........................................

18 18 18 18

69.832 58.256 19.907 147.995 268.994

68.000 21.862 6.121 95.983 215.819

PASSIVO Circulante Fornecedores ..................................................................... Empréstimos e financiamentos ............................................. Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas .............................. Adiantamentos de clientes .................................................. Dividendos a pagar ............................................................. Outros passivos .................................................................

Total do Passivo .........................................................................

Nota Receita líquida das atividades operacionais ............................. Custo das atividades operacionais ..........................................

Receitas (despesas) operacionais: Despesas gerais e administrativas ....................................... Outras receitas (despesas) operacionais líquidas .................

2011 Ajustado

338.452 (183.319)

280.760 (152.183)

155.133

128.577

(128.789) 11.228 (117.561)

(106.320) (1.918) (108.238)

37.572

20.339

22 22 -

3.424 (10.372) -

4.673 (18.173) (771)

30.624

6.068

23

(10.820)

(495)

19.804

5.573

19 -

20 21

Lucro antes dos efeitos financeiros e da equivalência patrimonial Receitas financeiras ............................................................... Despesas financeiras ............................................................. Resultado da equivalência patrimonial .................................... Lucro antes da tributação do imposto de renda e da contribuição social Imposto de renda e contribuição social ...................................

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - (valores expressos em reais)

Lucro líquido do exercício ........................................................

Saldos em 31 de Dezembro de 2010 ..................................................................................................... Redução de Capital ................................................................................................................................... Ajustes de avaliação patrimonial: ............................................................................................................. Reversão - Contas a receber .................................................................................................................... . Realização - Depreciação do imobilizado ............................................................................................. . Realização - Impostos diferidos ............................................................................................................ Lucro líquido do exercício ......................................................................................................................... Destinações propostas: ............................................................................................................................. . Reserva legal ......................................................................................................................................... . Juros sobre o capital próprio ................................................................................................................. . Dividendos propostos ............................................................................................................................ Saldos em 31 de Dezembro de 2011 ..................................................................................................... Aumento de capital ................................................................................................................................... Distribuição de dividendos ....................................................................................................................... Ajustes de avaliação patrimonial: . Realização - Depreciação do imobilizado ............................................................................................. . Realização - Impostos diferidos ............................................................................................................ Incorporação de sociedade ...................................................................................................................... Lucro líquido do exercício ......................................................................................................................... Destinações propostas: . Reserva legal .......................................................................................................................................... . Dividendos propostos ............................................................................................................................. . Reserva para expansão .......................................................................................................................... Saldos em 31 de Dezembro de 2012 .....................................................................................................

2012

Lucro bruto .................................................................................

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

Mutações

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

Capital Social 182.000 (114.000)

Reservas de Capital -

Reservas de Lucros -

Ajustes de Avaliação Patrimonial (107.542) -

Lucros Acumulados 19.566 -

Total 94.024 (114.000)

-

-

-

116.520 (4.329) 1.472 -

4.329 5.573

116.520 1.472 5.573

68.000 1.633 -

-

483 21.379 21.862 (19.566)

6.121 -

(483) (7.606) (21.379) -

(7.606) 95.983 1.633 (19.566)

199 -

58.256 -

--

(3.368) 1.145 (3.898) -

3.368 19.804

1.145 54.557 19.804

69.832

58.256

1.171 16.440 19.907

-

(1.171) (5.561) (16.440) -

(5.561) 147.995

Demonstração dos Fluxos de Caixa - Método Indireto Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 (Valores Expressos em Milhares Reais) .

.

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

NOTAS EXPLICATIVAS Levantados em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Valores Expressos em Milhares de Reais 1) Contexto operacional A IBQ - Indústrias Químicas S/A, companhia de capital fechado está registrada no CNPJ - Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica sob. nº 78.391.612/0001-40, e NIRE - Número de Inscrição de Registro de Empresas nº 41.300.083.68-1 iniciou suas atividades em junho de 1984. Está sediada na cidade de Quatro Barras, estado do Paraná, na Rodovia Regis Bittencourt km 71 - Bairro Florestal - CEP 83420000. Tem como atividade a criação de soluções, fabricação e o fornecimento de explosivos e acessórios de detonação destinados a: mineração, construção civil pesada e pedreiras. 2) Reorganização Societária Em 14 de Junho de 2012, a XION II PARTICIPAÇÕES S.A., então controlada pela XION I PARTICIPAÇÕES S.A. (Pertencente aos grupos ENAEX S.A e EXSA S.A), adquiriu 66,67% das ações da IBQ Indústrias Químicas S.A. Na Assembleia Geral Extraordinária de 01 de Dezembro de 2012 foi aprovada a incorporação, de forma reversa, da totalidade do acervo líquido da controladora XION II PARTICIPAÇÕES S.A. na IBQ Indústrias Químicas S/A. A incorporação foi efetuada com base no balanço de 31 de Outubro de 2012, onde foi apurado o acervo líquido da XION II PARTICIPAÇÕES S.A. no montante de R$ 199, valor esse equivalente ao patrimônio líquido da XION II PARTICIPAÇÕES S.A. deduzido do investimento e do ágio, os quais foram utilizados para aumento do capital social da Companhia. Em consequência da incorporação, o ágio foi baixado na entidade veículo XION II PARTICIPAÇÕES S.A antes da incorporação, e os benefícios econômicos a serem auferidos com decorrência do ágio baixado, na forma de redução futura de tributos, foram constituídos sob forma de crédito tributário para o imposto de renda e contribuição social no montante de R$ 54.358, o qual foi reconhecido no ativo em contrapartida de uma conta de reserva de capital no patrimônio liquido. Tendo em vista o ágio pago na aquisição, o saldo de imposto de renda e contribuição social diferidos registrados no passivo da Companhia até a data da incorporação, no valor de R$ 2.008, foi reconhecido no resultado, uma vez que a depreciação dessa parcela torna-se dedutível para fins tributários após a incorporação. Por essa mesma razão, o saldo remanescente da conta de ajustes de avaliação patrimonial correspondente, foi revertido para a mesma conta de reserva de capital onde foram registrados os efeitos da incorporação. 3) Base de preparação e apresentação das demonstrações contábeis 3.1) Declaração de conformidade As demonstrações contábeis individuais da Companhia foram elaboradas em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com observância às disposições contidas na legislação societária brasileira e nos pronunciamentos, orientações e interpretações técnicas emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), aprovados pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Esses pronunciamentos visam à convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade às Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS). As demonstrações contábeis, incluindo as notas explicativas, são de responsabilidade da Administração da Companhia, cuja autorização para emissão ocorreu na reunião do conselho de administração realizada em 30 de janeiro de 2013. 3.2) Moeda funcional As demonstrações contábeis são apresentadas em reais, que é a moeda funcional da Companhia. Todas as informações financeiras são divulgadas em milhares, exceto quando indicado de outra forma. 3.3) Base de mensuração As demonstrações contábeis foram preparadas com base no custo histórico e ajustadas com base no uso de estimativas. 3.4) Uso de estimativa A preparação das demonstrações contábeis de acordo com as IFRS reque r que a Adm inistração faça julgamentos, estimativas e premissas que afetam valores de ativos, passivos, receitas e despesas. Por definição, os resultados reais podem divergir das respectivas estimativas. Estimativas e premissas com relação ao futuro são revistas de maneira contínua pela Companhia e são baseadas em experiência histórica e novas informações. Revisões de estimativas contábeis são reconhecidas no período em que as estimativas são revisadas e em quaisquer períodos futuros afetados: (Perda estimada com créditos de liquidação duvidosa (PECLD); Provisões; e Arrendamento mercantil). 4) Reclassificações As demonstrações contábeis do exercício findo em 31/12/2011 foram reclassificadas para fins de comparabilidade, conforme segue: 2011 ATIVO Circulante Contas a receber ........................................................................ Tributos e contribuições a recuperar .......................................... Não circulante Tributos e contribuições a recuperar .......................................... Outros recebíveis ....................................................................... Imobilizado ................................................................................. PASSIVO Circulante Empréstimos e financiamentos ................................................. Não circulante Empréstimos e financiamentos ................................................. Ajuste Líquido RESULTADO Despesas gerais e administrativas ........................................... Outras receitas (despesas) operacionais líquidas .................... Receitas financeiras ................................................................... Despesas financeiras ................................................................. Ajuste Líquido

RECURSOS HUMANOS Na gestão de Recursos Humanos, a empresa tem adotado políticas de incentivo ao treinamento e ao desenvolvimento de carreira, principalmente junto ao seu pessoal de produção, facilitando o atendimento à forte demanda de recursos humanos oriunda das áreas produtivas, garantindo elevados padrões de qualidade e melhorando seus índices de produtividade. Ao final do exercício de 2012, a Companhia contava com 987 colaboradores diretos e indiretos, alocados na unidade fabril de Quatro Barras, nos escritórios e canteiros de obras espalhados por todo o Brasil. A premissa do Plano de Cargos da empresa é a valorização do resultado proporcionado e a criação de valor pelo colaborador, promovendo a adequada valoração das posições, preservando a consistência interna e ajuste aos níveis praticados no mercado, levando em consideração o perfil de competência profissional, o desempenho profissional e o grau de contribuição individual e coletivo. Possuímos também um Departamento de Saúde Ocupacional, criado para incentivar a melhora do bem- estar físico, mental e social dos colaboradores da empresa. A prevenção também é uma das diretrizes relevantes, com foco em evitar danos causados à saúde pela postura e comportamento ou por riscos resultantes da presença de agentes nocivos no ambiente de trabalho. Estamos comprometidos com a manutenção de um ambiente de trabalho seguro, saudável e livre de acidentes e incidentes ambientais, e também com o atendimento de todos os requisitos legais necessários às nossas operações. Nossas práticas ambientais estão além do atendimento à legislação e normas ou a imagem da marca, elas estão presentes, inclusive, nos resultados financeiros, pois, acreditamos que, em um futuro muito próximo, integrar conservação ambiental e cadeia de valores, mais que um diferencial competitivo, será fundamental para garantir a continuidade dos negócios.

Demonstração do Resultado Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 (Valores Expressos em Milhares Reais)

BALANÇO PATRIMONIAL Levantados em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Valores Expressos em Milhares de Reais ATIVO Circulante Caixa e equivalentes de caixa ............................................. Contas a receber ................................................................. Estoques ............................................................................ Adiantamentos a Fornecedores ........................................... Tributos e contribuições a recuperar ..................................... Outros recebíveis ................................................................

O Lucro Bruto de 2012 cresceu 20,6% em relação ao ano anterior tendo alcançado R$ 155,1mm (47% em relação à receita líquida) versus R$ 128,5mm (45,8% em relação à receita líquida) no ano de 2011. Um dos fatores que tem contribuído para o aumento são os constantes acréscimos da receita líquida operacional, obtidos em função principalmente de: i) manutenção da carteira de clientes ii) foco em segmentos de infraestrutura e mineração que tem demandado investimentos ou tido crescimento substancial no período. A recente valorização do Real em relação às moedas fortes, a escassez de mão de obra especializada, a alta de preços de commodities químicas utilizadas na indústria, aliados à crise dos mercados desenvolvidos, tem provocado perdas significativa na competitividade dos produtores brasileiros com impacto relevante nas margens percentuais, o que vem sendo combatido pela Companhia com o aumento na oferta de produtos e do volume de operações. A geração de caixa operacional, medida pelo EBITDA, produziu R$ 50,5 milhões com uma margem percentual de 14,9% em relação à receita líquida, tendo crescido R$ 5,5 milhões, porém percentualmente em linha com o ano anterior. É importante ressaltar que a medição acima inclui crédito operacional não recorrente relacionado a impostos no valor de R$ 17,5 milhões, o qual impactou similarmente o lucro liquido conforme detalhamento abaixo. Além dos impactos descritos nos parágrafos anteriores, a administração da companhia seguindo o critério mais conservador decorrente da aplicação das regras do IFRS, optou por lançar como perda no exercício, recebíveis de clientes ora classificados como possíveis de recebimento, o que afetou negativamente o EBITDA. As despesas com vendas, gerais e administrativas no valor de R$ 129 milhões (R$ 106 milhões em 2011) apresentaram um aumento de 21,1% em relação ao ano anterior, devido principalmente à necessidade de aumento no número de operações e de abrangência geográfica de atendimento de modo a compensar as perdas descritas acima. Em 2012 o saldo líquido acumulado das despesas e receitas financeiras ficou em (R$ 6,9) milhões, sofrendo assim uma variação positiva de R$ 6,5 milhões quando comparada com a despesa líquida de (R$ 13,5) milhões em 2011, principalmente em função de quitação de parcelas substancial de parcelamento de impostos existente (REFIS). O lucro líquido do exercício foi de R$ 19,8 milhões comparável com R$ 5,6 milhões no ano de 2011. O Resultado de 2012 inclui crédito operacional não recorrente relacionado a impostos no valor de R$ 17,5 milhões, valor este transferido a controladora anterior, por força do item 13.6 do Share Purchase Agreement (SPA) assinado entre os acionistas em 29/03/2012. Excluído o crédito mencionado no parágrafo anterior, o lucro liquido da companhia apresentou decréscimo substancial na comparação com o ano de 2011 em função de menor rentabilidade operacional causada pela manutenção dos preços de venda ao longo do ano, apesar de custos de matéria prima crescentes devido à alta de preço de commodities de nitrogenados no mercado internacional combinados com apreciação do dólar americano perante o real. Adicionalmente ao fator preços deprimidos e maiores custos de matéria prima, os gastos de vendas e distribuição subiram substancialmente em função de aumento do número de operações em alguns estados devido à nova regulamentação do Exército Brasileiro de armazenagem de explosivos, de custos adicionados em função de implantação de novos projetos na área de mineração, encerramento de obras em projetos na área hidroelétrica e aumento da abrangência geográfica de atendimento para compensar a perda de rentabilidade.

Divulgado

Ajustes IFRS

Ajustado

64.497 3.913

(17) (24)

64.480 3.889

1.136 1.364 73.285

(142) (377) 2.941

994 987 76.226

17.719

1.453

19.172

4.564

685 243

5.249

(105.943) (2.094) 4.690 (18.634)

(377) 176 (17) 461 243

(106.320) (1.918) 4.673 (18.173)

5) Principais práticas contábeis As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia estão descritas abaixo. Essas foram aplicadas de modo consistente nos exercícios apresentados. a) Moeda estrangeira Transações em moeda estrangeira são convertidas para a moeda funcional pelas taxas de câmbio vigentes nas datas das transações. Os ganhos ou perdas cambiais oriundos da conversão de moeda estrangeira são reconhecidos no resultado. b) Instrumentos financeiros São reconhecidos pelo valor justo no momento em que a Companhia se torna parte dos contratos. Os custos de transação são acrescidos ao valor inicial do instrumento financeiro, exceto para ativos e passivos mensurados pelo valor justo por meio de resultado. Nesses casos é reconhecido diretamente no resultado do exercício. A mensuração subsequente depende da categoria em que o instrumento financeiro é enquadrado. Existem três categorias de ativos financeiros: (i) empréstimos e recebíveis; e, (ii) ativo financeiro disponível para venda e (iii) Ativos mensurados pelo valor justo por meio de resultado. E, uma categoria de passivo financeiro, mensurado pelo custo

amortizado. b.1) Ativos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado Um ativo financeiro é classificado pelo valor justo por meio do resultado, quando for mantido para negociação ou designado como tal no reconhecimento inicial. Todos os instrumentos financeiros derivativos são classificados obrigatoriamente nesta categoria. Atualmente, a companhia não opera com derivativos. Estes ativos devem ser mensurados pelo valor justo com contrapartida no seu resultado do exercício, não existindo necessidade de realização de teste para avaliar uma eventual perda no valor recuperável (PECLD). Dentro dessa categoria a Companhia possui “Caixa e equivalentes de caixa”. b.2) Empréstimos e Recebíveis Ativos financeiros com pagamentos fixos ou determináveis, não podendo ser cotados em mercado ativo. Estes ativos são mensurados pelo custo amortizado pela taxa efetiva de juros, estando sujeitos à perda no valor recuperável (PECLD). A taxa efetiva de juros é aquela que desconta exatamente os fluxos de caixa esperados. Dentro desta categoria a Companhia possui o “Contas a receber” e “direitos e obrigações com partes relacionadas”. b.3) Passivos financeiros pelo custo amortizado Os passivos financeiros não foram classificados como mensurados pelo valor justo por meio do resultado. Estes são reconhecidos pelo custo amortizado pela taxa efetiva de juros. Dentro desta categoria a Companhia possui os “Empréstimos e financiamentos” e “fornecedores”. b.4) Perda estimada com crédito de liquidação duvidosa (PECLD) Constituída após avaliação sobre a existência de evidência objetiva acerca da possibilidade de perda no valor recuperável das contas a receber. Tal evidência é advinda de eventos ocorridos após o reconhecimento do ativo que afetem o fluxo de caixa futuro estimado, tendo como base a análise histórica de perda, bem como a experiência da Administração. A análise sobre a evidencia é feita individualmente para casos mais significativos e coletivamente para os demais casos. c) Caixa e equivalentes de caixa Compreendem os saldos de dinheiro em caixa, depósitos bancários à vista e aplicações financeiras. As aplicações financeiras estão demonstradas ao custo, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do encerramento do balanço patrimonial e são de liquidez imediata. Para que um investimento financeiro seja qualificado como equivalente de caixa, precisa ter conversibilidade imediata em montante conhecido de caixa e estar sujeito a um insignificante risco de mudança de valor. Portanto, um investimento normalmente qualifica-se como equivalente de caixa somente quando tem vencimento original de curto prazo, de três meses ou menos da data da aquisição. Estão classificados com “ativo financeiro mensurado pelo valor justo por meio do resultado”. d) Ajustes a valor presente Os ativos e passivos de longo prazo são ajustados a valor presente, bem como, os de curto prazo, caso seja relevante. Os principais efeitos estão concentrados nas rubricas “Contas a receber” e “Arrendamento mercantil”. e) Estoques Os estoques são demonstrados ao custo ou valor líquido de realização, dos dois o menor. O custo é determinado pelo método de avaliação de estoque “custo médio ponderado” e o valor líquido de realização corresponde ao preço de venda estimado menos custos para concluir a venda. O custo dos produtos acabados e dos produtos em elaboração compreende matérias primas, mão de obra direta, embalagens, outros custos diretos e os respectivos gastos indiretos de produção (com base na capacidade operacional normal). Os estoques têm o seu valor recuperável avaliado na data do encerramento do exercício social. Em caso de perda por desvalorização, esta é imediatamente reconhecida no resultado. f) Imobilizado Os itens do imobilizado são avaliados pelo custo histórico de aquisição, menos a depreciação acumulada e quaisquer perdas não recuperável (ou ajustado ao valor justo ou custo atribuído - deemed cost - para os bens das contas de terrenos, instalações, máquinas e equipamentos e veículos, com base em laudo de peritos independentes). O custo histórico inclui os gastos necessários para que o item específico esteja em condições para seu uso pretendido. Reparos e manutenções, incluindo o custo das peças de reposição, somente são ativados quando for provável que os gastos proporcionem benefícios econômicos futuros para a Companhia. Caso contrário, são reconhecidos como despesa quando incorridos. A depreciação é reconhecida de maneira a alocar o valor depreciável dos ativos durante suas respectivas vidas úteis. O método de depreciação utilizado é linear. Os valores residuais e a vida útil dos ativos são revisados e ajustados, se apropriado, no decorrer do exercício. A depreciação se inicia quando o ativo está nas condições de uso pretendidas pela Administração e cessa quando o ativo é desreconhecido ou classificado como ativo mantido para venda. Um item do imobilizado é desreconhecido quando for vendido ou quando nenhum benefício econômico futuro for esperado. Anualmente, a Administração avalia se existe indicativo que os ativos imobilizados estejam desvalorizados. Em caso positivo é apurado o valor recuperável (maior entre o valor em uso e o valor justo líquido de despesas com a venda). Caso o valor recuperável seja inferior ao valor contábil líquido, uma perda deve ser reconhecida. g) Intangível Ativos intangíveis se referem a softwares, marcas e patentes. Estão reconhecidos pelo custo menos a amortização acumulada e qualquer perda no valor recuperável. Eles são amortizados em função do correspondente benefício econômico ao longo de sua vida útil estimada. A Companhia utiliza o método de amortização linear. A vida útil e o método de amortização são revisados anualmente. Os gastos com ativos intangíveis gerados internamente, somente começam a ser ativados quando a Companhia for capaz de demonstrar que ativo gerará benefícios econômicos futuros, e cessa quando o ativo estiver pronto para o uso esperado. h) Arrendamentos Todas as operações de arrendamento são classificadas como financeiro ou operacional. Arrendamentos financeiros são aqueles que transferem substancialmente todos os riscos e benefícios inerentes à propriedade do ativo arrendado a Companhia. Todos os demais arrendamentos são classificados como operacionais. Para os arrendamentos financeiros, o ativo arrendado e uma dívida de igual valor são reconhecidos pelo valor justo do ativo ou valor presente dos pagamentos mínimos, entre eles o menor. Quando não existe certeza quanto à transferência da propriedade do ativo ao final do contrato, o ativo é depreciado pelo menor prazo entre a vida útil do ativo e o prazo do arrendamento. O passivo é amortizado pela taxa efetiva de juros. Os pagamentos referentes aos arrendamentos operacionais são reconhecidos no resultado linearmente durante o prazo do arrendamento. i) Perda estimada no valor recuperável de ativos não financeiros (Impairment) Todo final de período a Companhia avalia se existem evidências objetivas de que os ativos não financeiros estejam desvalorizados, levando em conta fatores internos e externos. Caso existam evidências, o teste de recuperabilidade econômica é realizado. Ativos intangíveis com vida útil indefinida e, ainda os não disponíveis para uso são testados anualmente, sempre na mesma data, independente da existência de evidências. Para os outros ativos é avaliada a existência de indicadores que o valor esteja desvalorizado, caso positivo, o teste é realizado. O valor recuperável de um ativo ou de determinada unidade geradora de caixa é definido como sendo o maior entre o valor em uso e o valor líquido de venda. Nas situações nas quais o valor recuperável se mostrar inferior ao contábil é reconhecida uma perda com contrapartida no resultado do exercício. j) Provisões Provisões são passivos de valor e/ou prazo incerto. Elas são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação

2012

2011 Ajustado 24.732

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS: .................................

44.474

Lucro líquido do exercício antes do imposto de renda e da contribuição social ...................................................................................................................

30.624

6.068

Ajustes por: ......................................................................................................... . Juros e variações monetárias .......................................................................... . (Reversão) Perdas em contas a receber ......................................................... . Resultado de equivalência patrimonial ........................................................... . Depreciações e amortizações .......................................................................... . Valor residual na baixa de investimentos, imobilizados e intangíveis ........

34.581 6.328 5.290 13.985 8.978

36.813 14.210 (805) 771 15.172 7.465

RESULTADO AJUSTADO DO PERÍODO:

65.205

42.881

Aumento (redução) nos passivos: . Fornecedores .................................................................................................... . Imposto de renda e contribuição social pagos ............................................... . Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas ....................................................... . Adiantamentos de clientes ............................................................................... . Outros passivos ................................................................................................ Redução (aumento) nos ativos: . Caixa e equivalentes de caixa advindo de incorporação .............................. . Contas a receber ............................................................................................... . Estoques ............................................................................................................ . Adiantamentos a fornecedores ........................................................................ . Tributos e contribuições a recuperar ................................................................ . Outros recebíveis ..............................................................................................

(12.026) 3.481 (3.911) 1.404 212 (13.212) (8.705) 238 2.311 (3.353) (276) (4.290) (3.335)

3.559 4.736 (495) (3.351) (599) 3.268 (21.708) (23.003) (1.713) 1.679 936 393

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO: . Aplicações em investimentos permanentes ................................................... . Aquisição de imobilizado ................................................................................ . Aplicações no intangível ...................................................................................

(43.376) (37.178) (6.198)

(21.353) (959) (17.988) (2.406)

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO: . Aumento de capital ........................................................................................... . Empréstimos e financiamentos obtidos .......................................................... . Pagamento de empréstimos e financiamentos .............................................. . Pagamento de obrigações fiscais, sociais e trabalhistas parceladas ........... . Operações de mútuo com empresas ligadas .................................................. . Pagamento de dividendos ................................................................................ . Distribuição de juros sobre o capital próprio .................................................

(1.166) 1.633 58.019 (36.802) (23.623) 19.173 (19.566) -

(10.080) 49.523 (13.930) (18.776) (19.291) (7.606)

AUMENTO LÍQUIDO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

(68)

(6.701)

CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO INÍCIO DO PERÍODO

1.795

8.496

CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO FIM DO PERÍODO

1.727

1.795

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. (Continuação das Notas Explicativas) presente, seja legal ou não formalizada, como resultado de eventos passados, sendo provável que uma saída de recursos será necessária para liquidar a obrigação. Em adição, o valor deve ser passível de ser estimado com segurança. As provisões são reconhecidas pela melhor estimativa na data do balanço. A estimativa reflete o valor para liquidar a obrigação ou transferir para um terceiro. O valor é baseado em experiência passada ou opinião de especialistas. k) Imposto de renda e contribuição social corrente e diferido O imposto corrente é aquele pagamento esperado sobre o lucro tributável do atual exercício. São utilizadas as taxas vigentes ou substantivamente decretadas na data de fechamento. O imposto de renda e a contribuição social diferidos são reconhecidos sobre as diferenças temporárias, prejuízos fiscais e base negativa da contribuição social. São apresentados no “não circulante”. O ativo fiscal diferido tem sua recuperabilidade testada anualmente, sendo que a desvalorização é reconhecida quando o valor contábil não puder ser recuperado com a expectativa de lucro tributável futuro. l) Capital social As ações ordinárias são classificadas no patrimônio líquido. Custos adicionais diretamente atribuíveis à emissão de ações, se ocorridos, são demonstrados em conta redutora do patrimônio líquido de quaisquer efeitos tributários. m) Reconhecimento de receitas A receita de venda é reconhecida quando os riscos e benefícios inerentes à propriedade são transferidos. A receita é mensurada pelo valor justo da contrapartida recebida ou a receber, líquida de descontos, abatimentos, devoluções, comissões e impostos incidentes. Geralmente, a receitas é reconhecida no resultado pelo montante equivalente ao valor das notas fiscais emitidas. A receita de prestação de serviços é reconhecida quando uma estimativa confiável do desfecho for possível. Nesse caso, a receita reconhecida tem como base a medição dos serviços prestados. A receita financeira é reconhecida com base no método da taxa de juros efetiva. As demais receitas são sempre reconhecidas pelo regime de competência. Não é reconhecida a receita quando existir incerteza quanto à sua realização. n) Normas e interpretações emitidas ainda não vigentes n.1) IFRS 9 - Instrumentos financeiros: O IASB emitiu a norma que irá substituir a IAS 39 - Instrumentos financeiros: reconhecimento e mensuração. A substituição é composta por 3 fases, sendo que somente a primeira fase foi concluída. Atualmente, a IFRS 9 somente aborda a classificação de ativos financeiros e a classificação e mensuração de passivos financeiros. A norma tem a vigência para 1º de janeiro de 2015. O CPC não emitiu um Pronunciamento análogo. n.2) IFRS 10 - Demonstrações financeiras consolidadas: O IASB emitiu a norma que substitui a IAS 27 - Demonstrações consolidadas e separadas. A maior novidade é a definição de controle. A norma tem a vigência para 1º de janeiro de 2013. O CPC não emitiu um Pronunciamento análogo, todavia, já com a audiência encerrada (CPC 36 (R3) - Demonstrações consolidadas) n.3) IFRS 11 - Negócios em conjunto: O IASB emitiu a norma que substitui a IAS 31 - Investimento em empreendimentos controlados em conjunto. A maior novidade é a restrição no uso da consolidação proporcional. O CPC emitiu o CPC 19 (R2) - Negócios em conjunto. Ambas têm a vigência para 1º de janeiro de 2013. n.4) IFRS 12 - Divulgação de participação em outras entidades: A norma aborda divulgações da natureza e risco associado a participações em outras entidades, inclusive entidades estruturadas. O CPC emitiu o CPC 45 - Divulgação de participação em outras entidades. Ambas têm a vigência para 1º de janeiro de 2013. n.5) IFRS 13 - Mensuração do valor justo: A norma define valor justo e divulgações quando esta é utilizada. Ela não amplia a utilização do valor justo. A norma tem a vigência para 1º de janeiro de 2013. O CPC não emitiu um Pronunciamento análogo, todavia, já está em audiência (CPC 46 -Mensuração do valor justo) n.6) Emendas na IAS 19 - Benefícios a empregados: As emendas na IAS 19 emitidas pelo IASB objetivam, principalmente, limitar as opções de reconhecimento da diferença atuarial. O CPC emitiu as emendas no CPC 33 Benefícios a empregados, com vigência para 1º de janeiro de 2013. n.7) Emendas na IAS 32 - Instrumentos financeiros: apresentação: As emendas na IAS 32 emitidas pelo IASB abordam aspectos relacionados à compensação de ativos e passivos financeiros. O CPC não emitiu as mesmas emendas no CPC 39 - Instrumentos financeiros: apresentação. A Administração estuda os possíveis efeitos das normas e emendas supracitadas e entende que não terão efeito relevante. 2012 2011 6) Caixa e equivalentes de caixa Caixa ......................................................................................................................... 227 285 Bancos conta-movimento ......................................................................................... 823 111 677 1.399 Fundos de investimento .......................................................................................... 1.727 1.795 É considerado equivalente de caixa, as aplicações que permitem o resgate a qualquer momento sem a perda dos juros transcorridos. O valor contábil é próximo ao seu valor justo. (Continua na página seguinte)


14

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL (Continuação da página anterior)

7) Contas a receber Faturas e títulos a receber ....................................................................................... Serviços executados a faturar ................................................................................. Renegociações ......................................................................................................... Clientes - Caução ..................................................................................................... ( - ) Ajustes a valor presente ................................................................................... ( - ) Perdas estimadas com créditos de liquidação duvidosa ................................

2012 50.048 6.613 3.474 2.887 (256) (5.562) 57.204 51.430 5.774 57.204 57.198 6 57.204

Clientes Nacionais ................................................................................................... Clientes Estrangeiros ............................................................................................... Circulante .................................................................................................................. Não circulante ...........................................................................................................

2011 55.163 4.540 3.111 2.702 (17) (980) 64.519 64.519 64.519 64.480 39 64.519

a) Faturas e títulos a receber e serviços executados a faturar Representam valores a receber provenientes de faturas emitidas e de medições de serviços realizados ainda não faturados, porém reconhecidos pelo cliente. Nos valores a receber estão incluídos os respectivos impostos diretos de responsabilidade tributária da Companhia. b) Renegociações As contas a receber em atraso são renegociadas, normalmente, com a inclusão da taxa de juros condizentes ao risco de crédito da contraparte. Os valores foram ajustados a valor presente pela taxa implícita nos contratos. c) Clientes Caução Nas contratações de grandes obras de alguns clientes são exigidos depósitos em caução com o objetivo de garantir a realização dos serviços pela Companhia e são contabilizados a valor histórico. d) Perda estimada com créditos de liquidação duvidosa (PECLD) 2012 2011 Saldo inicial ................................................................................................................ 980 879 ( + ) Adições ................................................................................................................. 5.109 980 ( - ) Reversões ............................................................................................................. (388) (879) ( - ) Baixas .................................................................................................................... (139) Saldo final ................................................................................................................... 5.562 980 Determinada com base em critérios estabelecidos pela Administração para fazer face às possíveis perdas na realização das contas a receber. O valor constituído existente é considerado suficiente para tal cobertura. Para operações individualmente relevantes é realizada uma análise individual dos fluxos de caixa futuros esperados; para as demais, é constituída uma perda para os créditos com base na análise histórica. Faixa de atrasos: Vincendo Vencidas Total até 90 dias

de 91 a 360 dias

mais de 360 dias

2012 51.255 2.965 2.879 99 Existe um saldo de contas a receber de clientes de R$ 381 vencidos e não provisionados. 8) Estoques

57.198

Produtos Acabados e em Processo ........................................................ Matérias Primas .................................................................................... Produtos de Revenda ........................................................................... Embalagens ......................................................................................... Outros Estoques ...................................................................................

2012 12.358 4.932 5.415 465 1.545 24.715

2011 12.545 3.870 3.383 528 1.036 21.362

2012 3.298 2.435 117 458 2.109 756 9.173 8.139 1.034 9.173

2011 1.910 1.717 40 1.216 4.883 3.889 994 4.883

9) Impostos e Contribuições a Recuperar Imposto de renda e contribuição social a compensar .............................. ICMS ................................................................................................... INSS ................................................................................................... PIS ...................................................................................................... COFINS ............................................................................................... Outros ................................................................................................. Ativo circulante ...................................................................................... Ativo não circulante ................................................................................ 10) Imposto de Renda e Contribuição social diferidos Imposto de Renda Composição da base de cálculo: . Diferenças temporárias ........................................................ . IRCS diferidos pela Incorporação XION II ......................... . Saldo de Prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social .................................................................

Contribuição Social

2012

2011

2012

2011

11.297 157.212

10.772 -

11.297 157.212

10.772 -

24.629 39.906 24.629 39.874 193.138 50.678 193.138 50.646 Alíquota aplicável .................................................................. 25% 25% 9% 9% Total de impostos diferidos ativos ..................................... 48.285 12.670 17.382 4.558 São valores referentes de imposto de renda e contribuição social diferidos no montante de R$ 48.285 (R$ 12.670 em 31/ 12/2011) e R$ 17.382 (R$ 4.558 em 31/12/2011) respectivamente, os quais se referem a créditos sobre diferenças temporárias, prejuízos fiscais e base de cálculo negativa do imposto de renda e da contribuição social, reconhecidos até o montante que assegure o direito à compensação com débitos incidentes sobre a provisão de IRPJ e CSLL. A Administração considera que tais créditos serão realizados na proporção da perspectiva de resultados tributários positivos futuros e demais eventos relacionados com a dedutibilidade das diferenças temporárias ativas. A Companhia adota a prática de revisar o valor contábil do ativo fiscal diferido, ao menos, anualmente. Caso ocorram circunstâncias relevantes que modifiquem essas projeções, elas serão revisadas durante o exercício. O imposto de renda e a contribuição social diferidos foram constituídos considerando a aliquota combinada vigente de 34% (imposto de renda - 25% e contribuição social - 9%) e tiveram a seguinte movimentação. Imposto de Renda 2012 12.670 39.969 (4.354) 48.285

Saldos no início do exercício ............................................. . Constituição no exercício .................................................... . Compensações / Ajustes no Exercício ............................... Saldos no final do exercício ...............................................

Contribuição Social 2011 12.083 587 12.670

2012 4.558 14.389 (1.565) 17.382

2011 4.347 211 4.558

11) Outros Recebíveis Composta principalmente por depósito judicial de Pis/Cofins em garantia à exclusão do ICMS da Base de Calculo do Pis/ Cofins no montante de R$ 3.995 (Vide nota 16). Em Agosto de 2007, a Companhia obteve autorização judicial para efetuar o pagamento das contribuições para o PIS e COFINS, sem a inclusão do ICMS em suas bases de cálculo. Com base nessa decisão judicial, a exigibilidade foi suspensa, sendo os respectivos valores provisionados no passivo, acrescidos de atualização pela taxa SELIC (Sistema Especial de Liquidação e Custódia). A partir de Janeiro de 2012, a Companhia decidiu, a partir de opinião de seus assessores jurídicos, iniciar deposito judicial dos valores de Pis/Cofins apurados, com o objetivo de garantir a liquidação na eventual perda no processo. 12) Imobilizado 2012

Terrenos ............................................................................. Edificações e instalações ................................................. Máquinas, equipamentos e ferramentas .......................... Móveis e utensílios ........................................................... Veículos e acessórios ....................................................... Computadores e periféricos ............................................. Outros .................................................................................

(*) 14% 11% 11% 31% 28% -

Valor Justo 1.204 38.037 50.254 3.750 22.422 3.912 3.262 122.841

2011

Depreciação Acumulada 5.689 10.995 873 10.835 1.522 29.914

Valor Líquido 1.204 32.348 39.259 2.877 11.587 2.390 3.262 92.927

Valor Líquido 622 21.933 38.313 3.119 8.798 1.056 2.385 76.226

| Quarta-feira, 17 de abril de 2013 |

Saldo inicial .................................................................................................................................. Novos empréstimos ..................................................................................................................... Pagamentos .................................................................................................................................. Encargos e variações monetárias e cambiais ............................................................................. Saldo final ....................................................................................................................................

13) Intangível 2012 (*) Marcas e patentes ...................................................... Direito de uso de software ......................................... 20%

2011

Valor Justo

Amortização Acumulada

Valor Líquido

Valor Líquido

381 9.967 10.348

2.234 2.234

381 7.733 8.114

983 3.419 4.402

A movimentação ocorrida no exercício foi a seguinte: Em Operação Marcas e patentes .................................................. Direito de uso de software ..................................... Amortização Acumulada Marcas e patentes .................................................. Direito de uso de software ..................................... Valor Líquido .................................................

2011

Adições

Baixas

2012

994 4.834 5.828

259 5.939 6.198

872 806 1.678

381 9.967 10.348

11 1.415 1.426

1.101 1.101

11 282 293

2.234 2.234

4.402

5.097

1.385

8.114

14) Empréstimos e financiamentos Modalidade

Sociais e Trabalhistas. . Salários e encargos .................................................................................................................... . Provisões para bônus, férias e encargos .................................................................................. Fiscais . Débitos correntes ...................................................................................................................... . Débitos parcelados (Lei nº 11.941/09) ..................................................................................... Passivo circulante Passivo não circulante

Encargos

Capital de Giro..........................

R$

21.251

Capital de Giro.......................... Ativo Fixo - Finame................... Ativo Fixo - Leasing.................. Ativo Fixo - CDC....................... Mútuo....................................... Adiantamento de Contrato de Câmbio (-) Encargos a Apropriar............ Leasing....................................

US$ R$ R$ R$ R$

CDI+2,35% a 3% aa. ; CDI+ 0,25%am.; 12,82% a 14,03% aa VC + 5,40% aa TJLP + 4%aa, 10% aa 14,50% a 24,02% aa ; CDI + 3,39%aa 12,01% a 12,28% aa CDI + 0,50% am

273 5.993 1.919 4.545 3.549

501 6.441 288 -

2.013 2.017 2.017 2.016 2.013

VC + 4,40% a 6,80% aa

6.241 (1.863) 6.542 48.450 28.276 20.174 48.450

3.838 (880) 2.138 24.421 19.172 5.249 24.421

2.013 2.015

Passivo Circulante Passivo Não Circulante

2012

2011

3.815 9.520 13.335

2.943 7.305 10.248

9.084 16.353 25.437 38.772 33.675 5.097 38.772

5.923 37.952 43.875 54.123 39.211 14.912 54.123

Em relação aos débitos parcelados (lei nº 11.941/09), os pagamentos estão previstos conforme demonstrado: Em 2013 .............................................................................................................................................................. Em 2014 .............................................................................................................................................................. Em 2015 .............................................................................................................................................................. Em 2016 ..............................................................................................................................................................

2012 11.256 4.927 111 59 16.353

16) Provisões para contingências Cíveis ............................................................................................................................................ Trabalhistas ................................................................................................................................... Tributárias ......................................................................................................................................

2012 246 4.232 4.478

2011 259 1.064 16.743 18.066

De acordo com Share Purchase Agreement (SPA) assinado entre os acionistas em 29/03/2012, as obrigações que surgirem decorrentes de fato gerador anteriores à data de aquisição (vide nota 2) em nome da Companhia, serão absorvidos pelo acionista C.R. Almeida S.A. A Administração julga que na essência, essas obrigações são do antigo controlador, portanto, tais passivos foram baixados. Os débitos abaixo foram assumidos pelo sócio C.R. Almeida S.A: ICMS São Paulo ................................................................................................................................................ Exclusão ICMS Base de Cálculo Pis e Cofins ................................................................................................ Contingência Trabalhista ................................................................................................................................... Contingência Civel ............................................................................................................................................

2012 12.834 17.878 3.265 259 34.236

O montante de provisões tributárias de R$ 4.232 (R$ 16.743 em 31/12/2011) refere-se à apuração da exclusão do ICMS da base de cálculo do Pis/Cofins relativo ao exercício de 2012 coberto por depósito judicial equivalentes (Vide nota 11). Em 31 de dezembro de 2012, a Administração decidiu com base na opinião dos seus assessores jurídicos, registrar a provisão para contingência trabalhista em montante considerado suficiente cujas perdas foram classificadas como prováveis. A Companhia estima que as provisões sejam resolvidas em um prazo médio de cinco anos. 17) Saldos de transações com partes relacionadas As transações com partes relacionadas, tratadas como mútuo financeiro, são formalizadas através de contratos, com prazo de vencimento indeterminado. As atualizações são feitas com base na taxa média de endividamento e realizadas em condições específicas determinadas pela Administração da Companhia. Portanto, a posição financeira e o resultado das transações refletem as condições estabelecidas nestas negociações. 2012 2011 Ativo Circulante Contas a Receber . CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ...................................................... 1.852 9.096 . Proyectos Explosivos S.A. (PROEXSA) ............................................................... 3.167 1.330 5.019 10.426 Ativo Não Circulante Créditos com Pessoas Ligadas . Mútuo - CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ....................................... 7 19.566 7 19.566 Imobilizado . Leasing Sede - CR Almeida S/A. .......................................................................... 3.882 3.882 Passivo Circulante Fornecedores . AEQ Aliança Eletroquímica Ltda. ........................................................................... 36 33 36 33 Outras Contas a Pagar . Aluguel a Pagar Sede - CR Almeida S/A. ............................................................ 495 495 Empréstimos e Financiamentos . Leasing a Pagar Sede CP - CR Almeida S/A. ...................................................... 450 . (-) AVP Leasing Sede CP - CR Almeida S/A ....................................................... 5 455 2012 Passivo Não Circulante Débitos com Empresas Ligadas . Mútuo - CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ........................................ . Provisão para Perdas em Inv - Proyectos Explosivos S.A. (PROEXSA) ............. Empréstimos e Financiamentos . Leasing a Pagar Sede LP - CR Almeida S/A ........................................................ . (-) AVP Leasing Sede LP - CR Almeida S/A. ....................................................... Resultado do Exercício Receitas de Vendas de Produtos e Prestação de Serviços . CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ...................................................... Compras . AEQ Aliança Eletroquímica Ltda ........................................................................... Despesas Gerais e Administrativas . Aluguel de Terreno - CR Almeida S/A - Engenharia e Construções ................... Outras Receitas (Despesas) Operacionais Líquidas . Proyectos Explosivos S.A. (PROEXSA). .............................................................. . Outras Despesas Financeiras - CR Almeida S/A ................................................. Receitas Financeiras - Encargos de Operações de Mútuo . AEQ Aliança Eletroquímica Ltda. Despesas Financeiras - Encargos de Operações de Mútuo . CR Almeida S/A - Engenharia e Construções.

2011

-

11 375 386

4.075 (444) 3.631

-

12.348 12.348

14.300 14.300

707 707

472 472

495 495

-

(194) (194)

38 38

-

137 137

302 302

138 138

18) Patrimônio Líquido a) Capital social 2012

2011

Nº Ações

Participação %

Nº Quotas

Participação %

CR Almeida S.A.- Engenharia e Construções ................... 23.277.346 Participare - Administração e Participações Ltda. ............ PIO XII - Participações Societárias e Administração de Bens Próprios S/A ...................................................... XION I Participações S.A .................................................... 46.554.694 69.832.040

33,3333 -

113.995.845 2.864

99,9964 0,0025

66,6667 100,0000

1.291 114.000.000

0,0011 100,0000

O capital social no valor de R$ 69.832.040,00 é dividido em 69.832.040 ações ordinárias nominativas no valor de R$ 1,00 cada uma. Todas as ações emitidas estão integralizadas e têm os mesmos direitos de voto em assembleias e de recebimento de dividendos. As alterações ocorridas na composição acionária estão descritas na nota 2. b) Reservas de capital Representada integralmente da reserva de ágio decorrente dos efeitos advindos da reorganização societária mencionada na nota 2. c) Reservas de lucros Reserva legal ............................................................................................................... Reserva de dividendos adicionais ............................................................................. Reserva para expansão ..............................................................................................

2012 1.654 18.253 19.907

2011 483 21.379 21.862

c.1) Reserva legal - A reserva legal é constituída anualmente como destinação de 5% do lucro líquido do exercício e não poderá exceder 20% do capital social. A reserva legal tem por fim assegurar a integridade do capital social e somente poderá ser utilizada para compensar prejuízo e aumentar o capital. c.2) Reserva de dividendos - A reserva de dividendos existente no exercício de 2011 foi constituída pelo saldo remanescente do lucro líquido do exercício ajustado pelas realizações de reservas e acrescido do montante existente em conta de lucros acumulados até o exercício de 2010. Durante o exercício de 2012, R$ 19.566 foram pagos aos acionistas, sendo o saldo remanescente, transferido para a reserva de lucros para expansão. c.3) Reserva lucros para expansão - A reserva de lucros para expansão foi, por proposta da administração, constituída em 2012 pelo saldo remanescente das reservas de lucros após a destinação de recursos para dividendos aos acionistas. Tal constituição está sujeita a ratificação da assembleia geral de acionistas. d) Dividendos Conforme determina o estatuto social, os dividendos mínimos obrigatórios correspondem a 25% do lucro líquido ajustado nos termos do art. 202 da Lei 6.404/76. Tais dividendos, em 2012, representam R$ 5.561 mil que foram integramente provisionados no passivo. No exercício de 2011 a Companhia conferiu a seus acionistas durante o exercício juros sobre o capital próprio no montante de R$ 7.606 mil, nos termos permitidos pela legislação tributária vigente. Tais pagamentos foram computados como parte da distribuição de dividendos, os quais, se calculados na base de 25% do lucro líquido ajustado, representariam R$ 2.294. A seguir são apresentados os detalhes dos valores propostos a título de dividendos: 2012 2011 Lucro líquido do exercício ....................................................................................................... 19.804 5.330 ( + ) Realização de reservas .................................................................................................. 3.368 4.329 ( + ) Ajustes de exercícios anteriores ...................................... ........................................ 243 ( - ) Destinação para reserva legal - 5% .................................. ........................................ 1.171 483 ( + ) Saldo de lucros acumulados anteriores ........................................................................ 19.566 Base existente para distribuição ........................................................................................ 22.244 28.742 Dividendos propostos ............................................................................................................ 5.561 7.606 Juros sobre o capital próprio .................................................................................................. 21.136 5.561 28.742 % de distribuição proposto ................................................................................................. 25% 100% e) Ajuste de avaliação patrimonial Refere-se à contrapartida de custo atribuído de bens registrados no ativo imobilizado referidos a 1º de janeiro de 2010. Este valor foi realizado na mesma proporção da depreciação e ou baixa dos bens que originaram registro até a data da incorporação da XION II. (vide nota 2). O saldo remanescente do custo atribuído foi baixado na data da incorporação. 19) Receita operacional líquida Receitas de vendas de produto .............................................. Receitas da prestação de serviço ........................................... Devoluções e abatimentos ..................................................... Comissões sobre vendas - PJ ................................................ Impostos Incidentes sobre a receita .......................................

IGPM

2012

2011 Vencível até 12.095 2.016

Os empréstimos e financiamentos em moeda estrangeira foram convertidos para reais, mediante a utilização das taxas de câmbio vigentes na data das demonstrações financeiras, sendo R$ 1,00 equivalente a R$ 2,04 em 31 de dezembro de 2012 (R$ 1,87 em 31 de dezembro de 2011). As principais garantias de empréstimos e financiamentos, além dos próprios bens financiados, incluem avais de sócios e recebíveis. A Companhia possui um contrato de arrendamento da sede e das instalações industriais junto ao acionista CR Almeida S/ A Engenharia e Construções. O contrato foi assinado em 14 de junho de 2012 e tem prazo de 15 anos, sendo renovável por igual período. Devido à natureza especifica das instalações industriais, a Companhia decidiu segregar o contrato em duas partes: (i) terreno: e, (ii) instalações. O terreno foi classificado como sendo um arrendamento operacional, enquanto que as instalações foram consideradas como arrendamento financeiro. A divisão dos pagamentos foi definida com base nos valores justos dos elementos na data inicial. O pagamento mensal é atualizado anualmente pelo IGP- M. Como o valor presente dos pagamentos mínimos se mostrou inferior ao valor justo das instalações, este foi considerado o valor inicial do ativo e do passivo subjacente. A taxa de juros foi fixada pelo spread entre a Selic e o IGP-M na data inicial do arrendamento. Os vencimentos dos saldos dos empréstimos é o seguinte: 2012 Em 2013 .............................................................................................................................................................. 28.276 Em 2014 .............................................................................................................................................................. 10.991 Em 2015. ............................................................................................................................................................. 5.621 Em 2016.. ........................................................................................................................................................... 2.139 Em 2017 .............................................................................................................................................................. 429 Após 2017. 994 48.450 As movimentações ocorridas nos exercícios foram:

Pessoal e encargos ............................................................... Fretes ................................................................................... Serviços de terceiros ............................................................. Brindes, doações e contribuições ........................................... Viagens ................................................................................ Combustíveis ........................................................................ Depreciações e amortizações ................................................. Locações de veículos e imóveis .............................................. Manutenção .......................................................................... Alimentação .......................................................................... Consumo .............................................................................. Impostos e taxas ................................................................... Comunicação ........................................................................ Outras despesas ...................................................................

2012 399.132 53.907 (21.282) (3.640) (89.665) 338.452

2011 340.459 35.831 (4.841) (2.787) (87.902) 280.760

2012 57.689 20.847 17.254 481 5.636 2.874 6.867 3.189 3.006 3.063 2.116 1.151 1.200 3.416 128.789

2011 42.292 13.263 14.698 532 4.830 2.205 11.825 2.881 2.705 2.213 3.510 1.571 1.063 2.732 106.320

2012 (411) 227 (5.290) 16.702 11.228

2011 (612) (386) 93 (1.013) (1.918)

2012

2011

71 2.422 147 784 3.424

137 155 3.488 42 558 220 73 4.673

3.321 302 3.615 2.442 1.484 (792) 10.372

1.458 138 12.802 3.597 639 (461) 18.173

21) Outras receitas (ou despesas) operacionais Resultado na baixa de imobilizados ....................................... Resultado na baixa de investimentos ...................................... Reversão / Perdas em contas a receber .................................. Outros resultados .................................................................. 22) Resultado Financeiro Receitas financeiras: . Empresas ligadas .................................................................................................................. . Aplicações financeiras ......................................................................................................... . Variações cambiais ativas .................................................................................................... . Descontos obtidos ................................................................................................................ . Encargos sobre contas a receber de clientes ..................................................................... . Atualização de créditos fiscais ............................................................................................ . Outras .................................................................................................................................... Despesas financeiras: . Empréstimos e financiamentos ........................................................................................... . Empresas ligadas ................................................................................................................. . Atualização monetária das Obrigações Tributárias ............................................................. . Variações cambiais passivas ............................................................................................... . Outras .................................................................................................................................... . ( - ) Capitalização de custos de empréstimos .....................................................................

23) Imposto de renda e contribuição social Imposto de Renda 2012 30.624 25% 7.656

2011 5.825 25% 1.456

2012 30.624 9% 2.756

2011 5.825 9% 524

4.354 (1.476) (103)

1.083 (587) 193 (1.324)

1.565 (532) (29)

389 (211) 69 (477)

(2.224) (288)

(423) (45)

(801) (58)

(152) -

7.919 26%

353 6%

2.901 9%

142 2%

Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social ........ Alíquota aplicável ....................................................................... Ajustes para cálculo da taxa efetiva: . Impostos diferidos sobre diferenças temporárias passivas .... . Impostos diferidos sobre diferenças temporárias ativas ......... . Resultados de equivalência patrimonial .................................. . Outras adições e exclusões líquidas ....................................... . Compensação de prejuízos fiscais e bases negativas de contribuição social .................................................................. . Deduções por incentivos fiscais ............................................... Total do imposto de renda e da contribuição social no resultado ................................................................................ Taxa efetiva Imposto de Renda e Contribuição Social ..........

Contribuição Social

24) Benefícios a empregados A Companhia, em conjunto com a CR Almeida S.A. - Engenharia e Construções, C.R. Almeida S.A. - Engenharia de Obra, PRIMAV Construções e Comércio S/A, AEQ - Aliança Eletroquímica Ltda., mantém um Plano Coletivo de assistência complementar na modalidade de Plano Gerador de Beneficio Livre (PGBL) junto ao Bradesco Vida e Previdência S.A.. As contribuições da Companhia correspondem a 100% do valor aportado pelos funcionários e Administradores. O prazo de carência do plano de PGBL é de no mínimo 5 anos de vinculo empregatício. Durante o ano de 2012 a empresa aportou R$ 596 (R$ 377 em 2011). 25) Instrumentos financeiros A Companhia mantém operações com instrumentos financeiros. A administração dos instrumentos financeiros é efetuada por meio de estratégias operacionais e controles internos visando assegurar liquidez, rentabilidade e segurança. A política de controle consiste no acompanhamento permanente das condições contratadas versus as condições vigentes de mercado. Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia não possuía nenhum instrumento financeiro derivativo para mitigar riscos associados aos seus instrumentos financeiros e durante o exercício também não efetuou aplicações de caráter especulativo ou em quaisquer outros ativos de risco. Os resultados são condizentes com as políticas e estratégias definidas pela Administração da Companhia. 25.1) Gerenciamento de riscos As operações da Companhia estão expostas a riscos de mercado (moeda e indexadores), crédito e liquidez. Os riscos são constantemente acompanhados pela administração. Todos os instrumentos financeiros detidos pela Companhia estão mensurados pelo custo amortizado, a Administração entende que tais valores são muitos próximos aos respectivos valores justos. Ativos Financeiros

Categoria

Caixa e Equivalente Caixa Clientes Partes Relacionadas Mútuo

Mensurado pelo valor justo por meio de resultado ............... Recebíveis .................................... Recebíveis.....................................

Passivos Financeiros Fornecedores Empréstimos e Financiamentos Partes Relacionadas Mútuo

Mensurado pelo custo amortizado Mensurado pelo custo amortizado................................ Mensurado pelo custo amortizado ...............................

Contábil

Valor de Mercado

Contábil

Valor de Mercado

1.726 57.198 7

1.726 57.198 7

1.795 64.480 19

1.795 64.480 19

22.682

22.682

19.219

19.219

48.450

48.450

24.421

24.421

-

-

11

11

25.2) Risco de crédito Refere-se ao risco da Companhia incorrer em perdas resultantes da dificuldade de recebimento de valores faturados a seus clientes. A exposição máxima ao risco de crédito da Companhia é o valor dos recebimentos pendentes de clientes mencionadas anteriormente como “contas a receber” (vide nota 7). O valor do risco efetivo de eventuais perdas encontrase apresentado como perda estimada no valor recuperável (nota 7d). A mitigação desse risco ocorre com a aplicação de procedimentos analíticos de monitoramento das contas a receber de clientes, ações de cobrança e paralisação das vendas. 25.3) Risco de mercado Risco de mercado é a eventual perda resultante de mudanças adversas nos preços de mercado. Os riscos de mercado estão além do controle da Companhia, envolvendo principalmente a possibilidade de que mudanças nas taxas de juros, taxas de câmbio e inflação possam afetar negativamente o valor dos ativos financeiros, fluxos de caixa e rendimentos futuros. A mitigação destes riscos ocorre através da aplicação de procedimentos de avaliação da exposição dos ativos e passivos ao risco de mercado. Os principais riscos de mercado ao qual a Companhia está exposta são o dólar norte americano, CDI, IGPM e a TJLP. A fim de testar a exposição a tais riscos, a Companhia definiu 3 cenários (provável, possível e remoto) a serem simulados. No provável são utilizadas as condições consideradas como prováveis pela Administração, as quais foram definidas com base nas taxas divulgadas pela BM&F e Boletim Focus, e o cenário possível e o remoto, uma deterioração de 25% e 50% respectivamente nas variáveis. Foi fixado o período de um ano para verificação do impacto nas despesas financeiras, sendo desconsiderados os pagamentos a serem realizados no período. Segue a exposição líquida a tais riscos: 25.4) Risco de taxa de cambio Ativos Financeiros Clientes ................................................................................................. Passivos Financeiros Passivo Financeiro mensurado pelo custo amortizado ACC ....................................................................................................... Lei 4131 ................................................................................................. Fornecedores - exterior ........................................................................

Cenário Provável 421

Cenário Possível (alta 25%) 1.970

Cenário Remoto (alta de 50%) 3.519

721 31 248 1.000 (579)

2.462 107 1.398 3.967 (1.997)

4.202 183 2.547 6.932 (3.413)

Cenário Provável

Cenário Possível (alta 25%)

Cenário Remoto (alta de 50%)

43 1.096 95 322 1.556

51 1.333 111 402 1.897

60 1.569 127 482 2.238

Total Líquido ........................................................................................ 25.5) Risco de Taxas de Juros Ativos Financeiros

20) Despesas gerais e administrativas - Por natureza

Moeda

US$ R$ R$

2011 4.182 49.967 (31.269) 1.541 24.421

15) Obrigações fiscais, sociais e trabalhistas

( * ) - Taxas médias de depreciação anual. Em 2010 a Administração da Companhia contratou empresa especializada para apuração do custo atribuído (“deemed cost”) de seus imobilizados, das contas de terrenos, instalações, máquinas e equipamentos e veículos que emitiu laudo técnico base para os registros contábeis. Como resultado foi apurado um acréscimo no ativo imobilizado em contrapartida do patrimônio líquido na conta de Ajustes de avaliação patrimonial (AAP). Não foi identificada a necessidade de registro de provisão para ajuste dos bens aos seus valores recuperáveis (“Impairment”). Com a reorganização societária ocorrida em 1º de dezembro de 2012 (vide nota 2), os valores do custo atribuído passaram a integrar ao valor do custo do imobilizado e a sua depreciação se tornou dedutível para fins fiscais, implicando, inclusive, na reversão dos ajustes de avaliação patrimonial. Durante o exercício de 2012 foi capitalizado R$ 912 em custos de empréstimos (R$ 461 em 2011). A taxa média ponderada foi de 12,43 % (13,8% em 2011). Na conta Edificações e Instalações estão incluídos ativos de arrendamento mercantil financeiro no valor de R$ 3.741, referente às instalações da sede e R$ 2.480 de equipamentos de informática e veículos. A movimentação ocorrida no exercício foi a seguinte: 2011 Adições Baixas Transferências 2012 Em Operação Terrenos ........................................................................ 622 582 1.204 Edificações e instalações ............................................ 22.082 5.038 35 3.882 30.967 Máquinas, equipamentos e ferramentas ..................... 35.719 7.612 1.329 2 42.004 Móveis e utensílios ...................................................... 3.601 226 77 3.750 Veículos e acessórios .................................................. 12.667 2.159 404 4.852 19.274 Computadores e periféricos ........................................ 1.522 562 71 1.788 3.801 Outros ........................................................................... 76.213 16.179 1.916 10.524 101.000 Em Andamento Edificações e instalações ............................................ 4.324 7.345 717 (3.882) 7.070 Máquinas, equipamentos e ferramentas ..................... 9.956 3.825 5.529 (2) 8.250 Móveis e utensílios ...................................................... 22 22 Veículos e acessórios .................................................. 1.080 6.920 (4.852) 3.148 Computadores e periféricos ........................................ 33 1.866 (1.788) 111 Outros ........................................................................... 2.385 1.042 165 3.262 17.800 20.998 6.433 (10.524) 21.841 Depreciação Acumulada Edificações e instalações ............................................ 4.473 1.216 5.689 Máquinas, equipamentos e ferramentas ..................... 7.362 4.017 383 10.996 Móveis e utensílios ...................................................... 504 387 19 872 Veículos e acessórios .................................................. 4.949 6.220 334 10.835 Computadores e periféricos ........................................ 499 1.044 21 1.522 17.787 12.884 757 29.914 Valor Líquido .............................................................. 76.226 24.293 7.592 92.927

2012 24.421 58.019 (36.802) 2.812 48.450

Passivo Financeiro mensurado pelo custo amortizado / Indexador Finame / TJLP + 1% ~ 6% .................................................................... Capital de Giro / CDI + 0,25% ~ 3,00% ................................................ Arrendamento Mercantil / CDI + 3,3911% ............................................ Arrendamento Mercantil / IGPM ........................................................... Total ......................................................................................................

25.6) Risco de liquidez O risco de liquidez representa o risco de a Companhia enfrentar dificuldades para cumprir suas obrigações relacionadas aos passivos financeiros. A Companhia monitora o risco de liquidez mantendo caixa e investimentos prontamente conversíveis para atender suas obrigações e compromissos e, também se antecipando para futuras necessidades de caixa. Segue a análise de liquidez pelo dos vencimentos contratuais de todos os instrumentos financeiros: Análise do Vencimento ...........................................

até 3 meses

de 3 a 12 meses

de 1 a 3 anos

superior a 3 anos

Total

ATIVO Caixa e Equiv. Caixa ................................................ Clientes ..................................................................... Clientes - Renegociação... ....................................... Partes Relacionadas (Mútuo) .................................. Total Ativo .................................................................

1.726 48.345 883 7 50.961

93 1.310 1.403

2 485 487

21 115 136

1.726 48.461 2.793 7 52.987

PASSIVO Fornecedores Mercado Interno ................................ Forne cedores Mercado Externo ............................. Empréstimos e Financiamentos .............................. Arrendamento Mercantil Financeiro. ....................... Total Passivo ............................................................

18.319 4.350 5.862 956 29.487

13 20.327 2.287 22.627

15.702 2.642 18.344

17 3.296 3.313

18.332 4.350 41.908 9.181 73.771

Os fluxos de caixa, ativos e passivos foram considerados na análise de liquidez a valores não descontados. Os recebíveis de clientes incluem apenas as operações vincendas. 26) Seguros Risco

Vencimentos

Básico/Roubo de Máquinas.............. Frota Veículos................................. Responsabilidade Terceiros............. Garantia execução de serviços......... Responsabilidade Civil.................... Total ..................................................

Valor Segurado

Premio

A apropriar

876 1.300 10.000 19.268 20.000 51.444

6 100 320 489 29 944

2 43 271 375 29 720

Diversos 30/05/2013 05/11/2013 Diversos 01/01/2014

A Administração da Companhia adota a política de contratar seguros de diversas modalidades, cujas coberturas são consideradas suficientes pela Administração e agentes seguradores para fazer face à ocorrências de sinistros, exceto para a modalidade “Property” cujo risco vem sendo recusado pelas seguradoras, no entanto a Companhia tem identificados parceiros que deverão ser capazes de assumir tal demanda em curto período de tempo. As premissas de riscos adotadas, dada a sua natureza, não fazem parte do escopo da auditoria das demonstrações contábeis, consequentemente, não foram examinadas pelos nossos auditores independentes. 27) Resultado por segmento Os dados segmentados são baseados em informações utilizadas pela Administração para avaliar o desempenho dos segmentos operacionais visando a melhor estratégia para Companhia. Produtos Serviços Total Receita bruta ............................................................................................. 309.841 143.198 453.039 Deduções da receita bruta ....................................................................... (91.305) (23.282) (114.587) Receita liquida das atividades operacionais ...................................... 218.536 119.916 338.452 Custo das atividades operacionais .......................................................... (126.590) (56.729) (183.319) Lucro bruto ............................................................................................... 91.946 63.187 155.133 Receitas (despesas) operacionais:Despesas gerais e administrativas . (80.500) (37.061) (117.561) (80.500) (37.061) (117.561) Lucro antes dos efeitos financeiros e da tributação .......................... 11.446 26.126 37.572

DIRETORIA DIRETORIA EXECUTIVA: Antonio Luiz Cyrino de Sá Carlos Alberto Duque Paulo Celso Gomes de Castro André de Camargo

Diretor Presidente Diretor Administrativo/Financeiro Diretor Comercial Diretor de Operações

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Juan Eduardo Errazuriz Ossa Mario Augusto Brescia Cafferata Juan Pablo Aboitiz Dominguez Juan Andres Errazuriz Dominguez Mario Augusto Miguel Brescia Moreyra Karl Georg Maslo Luna Marco Antonio Cassou Joao Alberto Gomes Bernacchio César Beltrão de Almeida

Presidente Vice presidente

CONTADOR: Marcos Rogério Marcatto - CRC/PR 037.466/O-2

Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Aos Acionistas e Administradores da IBQ - Indústrias Químicas S/A Quatro Barras - PR Examinamos as demonstrações contábeis individuais da IBQ - Indústrias Químicas S/A, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis A Administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e com as Normas Internacionais de Relatório Financeiro (“IFRSs”), emitidas pelo “International Accounting Standars Board - IASB”, assim como pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da Empresa para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações contábeis referidas acima apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da IBQ - Indústrias Químicas S/A em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e com as IFRSs emitidas pelo IASB. Curitiba (PR), 30 de Janeiro de 2013. MOORE STEPHENS BOEING AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC.PR 005.174/O-5 José Boeing Contador CRC SC-017.676/O-4 T/PR


editais17-4-13  

editais17-4-13

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you