Page 1

| Quarta-feira, 13 de março de 2013 |

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

PREFEITURA DE COLOMBO ESTADO DO PARANÁ Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 016/2013 Concurso Público 004/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicaç deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público Luciana Cordeiro 216° Professor 004/2011 Johni Césari Barilli 217° Professor 004/2011 Gabriela de Almeida 218° Professor 004/2011 Rosilene Dias 219° Professor 004/2011 Isolete Rocio Daros 220° Professor 004/2011 Humberto Borges da Costa 221° Professor 004/2011 Valdivina Aparecida da Silva 222° Professor 004/2011 223° Professor 004/2011 Ligia Klauck Analine Turazzi 224° Professor 004/2011 Thalita Cavalheiro 225° Professor 004/2011 Maria Durvalina da Silva 226° Professor 004/2011 Maria de Jesus Brasil 227° Professor 004/2011 Valeria Aparecida Silva Lima 228° Professor 004/2011 Daiane Alves da Silva 229° Professor 004/2011 Neusa Maria Beira da Silva 230° Professor 004/2011 Lenita Eliana Bauer 231° Professor 004/2011 Antonia Aparecida da Silva 232° Professor 004/2011 Bornancim Flavia Dagostin 233° Professor 004/2011 Laudicéia Ferreira Pit 234° Professor 004/2011 Camile Zem Chequin 235° Professor 004/2011 Patricia da Nova Belote 237° Professor 004/2011 Gisleine Soares dos Santos 238° Professor 004/2011 Sueli Aparecida Quintilhato 239° Professor 004/2011 Carine Bosi 240° Professor 004/2011 Colombo, 13 de março de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Prefeitura Municipal de Colombo Edital de Convocação Nº 017/2013 Concurso Público 002/2011 A Secretaria Municipal da Administração convoca o(s) aprovado(s) n Concurso Público abaixo relacionado(s), a comparecerem no Departamento d Recursos Humanos no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da publicaçã deste. O não comparecimento dentro do prazo estipulado implicará n desistência. Concurso Candidato Classificação Cargo Público Denis Calõr de Souza 192° Assistente Administrativo 002/2011 Francieli Maria D Agostin 193° Assistente Administrativo 002/2011 Karen Cristina da Silva 194° Assistente Administrativo 002/2011 Fagundes Elpidio de Paula Ribeiro 195° Assistente Administrativo 002/2011 Junior Andrea Rosane Colett 196° Assistente Administrativo 002/2011 dos Santos Fernanda Santos Souza 197° Assistente Administrativo 002/2011 Paolla Regina Saskoski 198° Assistente Administrativo 002/2011 Claudia da Rocha Moura 199° Assistente Administrativo 002/2011 Wojciechovski Jussara Cavalheiro 200° Assistente Administrativo 002/2011 Rosemari Muniz de 201° Assistente Administrativo 002/2011 Andrade Barcik Colombo, 13 de março de 2013. Carlos Antônio Dallasuanna Diretor do Departamento de Recursos Humanos

Extrato do Empenho N° Empenho: Data: Valor do Empenho: Inexigibilidade n°: Contratado: Contratante: Objeto:

Órgão Responsável:

1774/2013 12/03/2013 R$ 890,00 (oitocentos e noventa reais) 06/2013 Departamento de Imprensa Oficial do Estado do Paraná Prefeitura Municipal de Colombo Aquisição de impressos oficiais necessários ao desenvolvimento das atividades educacionais da Secretaria Municipal da Educação, Cultura e Esportes de Colombo. Secretaria Municipal de Educação,Cultura e Esporte.

Extrato de Inexigibilidade de licitação. 1135874 - Inexigibilidade 06/2013. Município de Colombo/PR, Departamento de Imprensa Oficial do Estado. Objeto: Aquisição de impressos oficiais necessários ao desenvolvimento das atividades educacionais da secretaria municipal de educação, cultura e esporte de Colombo. Valor: O valor máximo da Inexigibilidade será de R$ 890,00 (Oitocentos e noventa reais). Embasamento Legal: Artigo 25 - Inciso I - Lei nº. 8.666/93. Data 12/03/2013 Processo Nº: Partes:

PORTARIA n° 100/2013 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Conceder Aposentadoria Voluntária Por Idade, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal ANA SPOLAOR SILVA, RG: 1.723.839-6/PR CPF: 279.525.769-68, no cargo de AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS, sob matrícula nº. 5088, como dispõe o art. 40 §1º, Inc. III “b” da Constituição Federal e art. 33 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob

n° 002/2013, percebendo proventos de hum salário mínimo nacional. Sendo garantido reajustamento do benefício para manter o valor real de acordo com o Art. 40º § 8º da Constituição Federal. Dê-se publicidade Colombo, 05 de Março de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN PREFEITA MUNICIPAL

PORTARIA n° 101/2013 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Conceder Aposentadoria Voluntária Por Idade, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal ELVIRA PUFAL DE OLIVEIRA, RG: 2.224.880-4/ PR CPF: 035.505.139-76, no cargo de AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS, sob matrícula nº. 6808, como dispõe o art. 40 §1º, Inc. III “b” da Constituição Federal e art. 33 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob n° 006/2013, percebendo proventos de hum salário mínimo nacional. Sendo garantido reajustamento do benefício para manter o valor real de acordo com o Art. 40º § 8º da Constituição Federal. Dê-se publicidade Colombo, 05 de Março de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN PREFEITA MUNICIPAL

PORTARIA n° 102/2013 O MUNICÍPIO DE COLOMBO - PARANÁ, Pelo Chefe do Poder Executivo, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei n. 1205/10, RESOLVE: Conceder Aposentadoria Voluntária Por Idade, na forma da Lei 960/2006 a Servidora Pública Municipal MARIA DIONIRCE DE OLIVEIRA, RG: 1.120.419-8/ PR CPF: 644.606.819-00, no cargo de AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS, sob matrícula nº. 7003, como dispõe o art. 40 §1º, Inc. III “b” da Constituição Federal e art. 33 da Lei 960/2006, conforme Processo Administrativo sob n° 009/2013, percebendo proventos de hum salário mínimo nacional. Sendo garantido reajustamento do benefício para manter o valor real de acordo com o Art. 40º § 8º da Constituição Federal. Dê-se publicidade Colombo, 05 de Março de 2013. IZABETE CRISTINA PAVIN PREFEITA MUNICIPAL

RELAÇÃO DE INSCRITOS PSS EDUCADOR INFANTIL Comunicamos que todos os inscritos para o processo seletivo simplificado para Educador Infantil, deverão comparecer na Regional Maracanã no dia 14/03 nas salas da UAB para a realização da avaliação escrita, as 8h15 min, sendo que a avaliação terá início ás 8h30min, não havendo a possibilidade de entrar na sala após este horário. Os candidatos deverão portar documento de identidade (rg), ou outro documento oficial com foto(carteira de trabalho, ou habilitação. 1 ADRIANA FRYDRIGEVSKI 2 ALICE DE OLIVEIRA FRANÇA 3 AMANDA THOMAS BARBOZA 4 ANA CAROLINE DA SILVA FERMINO 5 ANA MARIA PAES 6 ANA PAULA DA SILVA 7 ANA PAULA DELISE 8 ANA PAULA FERNANDES 9 ANA PAULA FRANCISCA RODRIGUES 10 ANA THAIS RAIMUNDO DA SILVA 11 ANDRÉIA DE FATÍMA DE CRISTO 12 ANDRYELLE CRISTINA ALVES 13 ANE RAFAELA RIBEIRO TELLES DOS SANTOS 14 ANTONIA MARIA DOS SANTOS DE ANDRADE 15 APARECIDA CASTRO DE SOUZA WUICIK 16 BERNADETE FELDE DE JESUS 17 CAMILA THOMAS BARBOZA 18 CATIANA ROBER HENNING 19 CATIANE ALVES DE ARAUJO 20 CELESTE SANTOS 21 CHARLES JEAN DA ROSA SILVA 22 CLARICE SANTOS BANDEIRA 23 CLAUDIA ANGELITA DE ALMEIDA CAVALLI 24 CLAUDIA REGINA ALVES PEREIRA 25 CLAUDIANE MACHADO DE CAMARGO 26 CLEIDE PEYERL 27 CLEIZE PACHECO DOS SANTOS DA SILVA 28 CLENICE THOMAS MACIEL 29 CLEOCI DA SILVA GRACIOLLI 30 DAIANE MARIA DO NASCIMENTO LEITE 31 DANIEL RODRIGUES MOREIRA 32 DANIELE CAMILO CUSTODIO 33 DANIELE FERREIRA BALEIXO 34 DARCYLENE OLIVEIRA DE OLIVEIRA 35 DAVID VERDAN DA SILVA 36 DAYENE FRANCIS NADOLNY 37 DELMA DE LARA 38 DEMETRA ZELI ILIAS 39 DENIS SILVA SANTOS 40 DIRCE SILVA DOS SANTOS 41 DORCELINA PRADO DE LIMA SANTOS 42 ELIANE SANTIAGO DE SÁ 43 ELAINE TEREZINHA REIS 44 ELCI MAFESSONI LIVIZ 45 ELIANE LACERDA NARCISO 46 ELIANE MARIA TUR MACHADO 47 ELIANE SILVA CARVALHO PEREIRA 48 ELINERY VANESSA FORTES DA SILVA 49 ELISANGELA SANTANA ALBINI RAMALHO 50 ELIZABETE APARECIDA DA SILVA 51 ERIKA MULLER DE OLIVEIRA 52 EVERLI DOS SANTOS PADILHA 53 FABIANE ALVES PAVANELI 54 FABIELE DOS SANTOS POMBAL 55 FERNANDA MOREIRA DA SILVA NAKONIECZNI 56 FLAVIA DE LIMA SARTI 57 FRANCIELI MARIA BUGADA 58 FRANCIELLY REGINA FERREIRA ALBERTI

59 GABRIELA DE ALMEIDA 60 GIANE DO ROCIO CHERPPINSKI 61 GICELI DO ROCIO AMARO 62 GIHANI DE ALMEIDA CAMPOS 63 GISELE CRISTINA BARRETO 64 GISLAINE APARECIDA DA SILVA 65 GLACY GIGOLETE MICHENKO NUNES 66 GLAUCIA MIRANDA VON ZUBEN 67 GREICY ELLEN SILVA GRACIOLLI 68 HELOISA HELENA DA ROSA NORONHA 69 INGRID THOMAZ ANTUNES 70 ISABEL CRISTINA LEMOS DE ALCANTARA 71 ISABEL SALES PIRES 72 IVONETE DO ROCIO PADILHA 73 IZABELA MIRANDA OTTO 74 IZAILDA LEMOS DE SOUZA SANTA CRUZ 75 JANAINA FELIPPI 76 JANAINA TRINDADE VARGAS DE MORAIS 77 JANETE RODRIGUES MOTA 78 JESSICA VANESSA DE SOUZA 79 JOCELENE DO CARMO SANTOS 80 JOCELIS FATIMA NUNES 81 JOICE BRUNA FRANÇA KANHA 82 JOICE KELI LIZIERO 83 JOSIANE DA SILVA VARGAS 84 JOSICLER DZIEDICZ FERREIRA 85 JOSIELLE APARECIDA STRAUB CARDOSO 86 JOSILENE TEREZINHA DA SILVA 87 JULIA CAROLINA FERREIRA CAMARGO 88 JULIANA RODRIGUES DA SILVA SANTOS 89 JULIANE LUCIA DA SILVA SILVEIRA 90 JULIANE MELISSA DO NASCIMENTO DIAS 91 KARLA KAROLYNE DE JESUS 92 KATERINE BELCHIOR OGIBOWSKI 93 KESIA PORTO DA SILVA 94 LENITA ELIANA BAUER 95 LETÍCIA APARECIDA RIBEIRO BORGES 96 LILIAN MAGALHÃES FEO FERRO 97 LILIANE PEREIRA LIMA 98 LORENA LEAL CARDOSO DA SILVA 99 LUANA ARGENTA PEREIRA 100 LUCIMARI RIBAS DOS SANTOS 101 LUIZA SILVERIO 102 MAGDA MARIA NUNES CIRQUEIRA 103 MARCELA ALVES 104 MARCIA FRANCIELLY RAZOTO DA SILVA 105 MARCIELLI DA PAZ DE ALMEIDA 106 MARCILENE DE OLIVEIRA QUEIROZ DA SILVA 107 MARIA CAROLINA DE OLIVEIRA 108 MARIA ELIZABETHH DE ARAUJO 109 MARIA ROSELI FLORES SANTOS 110 MARILIA ALVES DE LIMA DA MATA 111 MARINEZ CONRADO DA SILVA 112 MARIZETE ANDREA MOTIN 113 MARLA DAYANA DOS SANTOS COSTA 114 MARLENE APARECIDA DOS SANTOS 115 MARLI DE FATIMA BATISTA RIBEIRO 116 MARLI VIANA DA SILVA 117 MARTA ALMENDRO 118 MAURA DIAS DA SILVA 119 MICHELE FELIX LIMA 120 MICHELLE KARINA APARECIDA DA COSTA DE MELLO 121 NADIR GOMES DE CARVALHO 122 NORIE WINKLER 123 NUBIA NARA DA SILVA MELEK 124 PATRICIA GONÇALVES TABORDA MACHADO 125 PEDRO ALVES JUNIOR 126 PETRIC DE OLIVEIRA LEMES 127 PRICILLA AMARILDA FRANÇA STRAPASSON 128 PRISCILA DA SILVA 129 PRISCILA ZAMIEROWSKI VIEIRA ROXADELLI 130 RAQUEL DA SILVA 131 RIVANIA DE LIMA GUIMARÃES 132 ROSA MARIA ALVES 133 ROSANA FELIX MACHADO 134 ROSELENE ROSEMARY DE OLIVEIRA 135 ROSELI PEREIRA DA SILVA 136 ROSEMERI PASESNY DAMASCENO 137 ROSI DOMINGUES DO NASCIMENTO 138 ROSILENE DIAS 139 SANDRA APARECIDA DE LIMA DOS SANTOS TEIXEIRA 140 SANDRA CRISTINA GAMBOGI 141 SARA DOS SANTOS CAMPELO 142 SHEILA LEOPOLDINO WANDERLEY 143 SHEYLA PAULA HIPÓLITO 144 SIGRID ESPÍNDOLA 145 SILMERI PORTELA FERREIRA DOS SANTOS 146 SILVANA APARECIDA DE SOUZA 147 SILVANA ELEUTERIO ALBANO 148 SIMONE CRISTINA GOINSKI 149 SIRLEI BUENO DA CRUZ 150 SUELI POCIDONIO RODRIGUES TOMAZ 151 SUZANA CORDEIRO 152 TATIANE APARECIDA FERRARINI CANESTRARO 153 TATIANE PRISCIHELYN BARDDAL SOARES 154 TATIELLE RAZZOTO DA SILVA 155 THAIS CRISTINA CAETANO COLERE 156 THAMIRES CAUDURO DE ACACIO 157 VALDIRENE MARTINS FERREIRA 158 VANESSA BORGES CARNEIRO 159 VANESSA DE OLIVEIRA RODRIGUES 160 VANESSA DOS SANTOS RAMOS 161 VANESSA VIEIRA DOS SANTOS 162 VANIA DE OLIVEIRA FREITAS 163 VASTI PONTES DA MOTA 164 VERA LUCIA DE FRANCESCHI 165 VERA LUCIA RIBAS BARRETO 166 VERACI DE CASSIA NADOLNY 167 VIVIANE CRISTINA MACIEL DOS SANTOS 168 VIVIANE DE ALMEIDA SOUZA 169 ZENIR DE OLIVEIRA

11


12

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

EDITAL DE INTIMAÇÃO DA EXECUTADA ELISA DA ROSA ALVISI, SOBRE A PENHORA (ON-LINE) REALIZADA, COM O PRAZO DE TRINTA (30) DIAS. Pelo presente edital, expedido nos autos n.º 944/2006, de EXECUÇÃO, promovida por WALFRIDO NICHELE, em trâmite perante o Juízo e Cartório da 2ª Vara Cível da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba - Foro Regional de São José dos Pinhais - PR., fica a executada ELISA DA ROSA ALVISI, inscrita no CPF/MF sob n.º 872.607.009.04, devidamente INTIMADA da penhora on-line (bloqueio) realizada às fls. 226, que recaiu sobre "O valor de R$ 2.232,01(dois mil, duzentos e trinta e dois reais e um centavo), depositado na conta de poupança judicial n.º 1.522.259-0, da Caixa Econômica Federal - CEF). Advertência: Presumem-se aceitos como verdadeiros os fatos alegados se não contestados no prazo de lei (Artigos 285 e 319 do CPC). E, para que chegue ao conhecimento da executada acima nominada e não possa alegar ignorância, foi expedido o presente edital a ser afixado no lugar de costume do juízo e publicado pela imprensa, na forma da lei. São José dos Pinhais, 05 de novembro de 2012. Eu_________________ (Ivete Marly Hahn - Auxiliar de Justiça Juramentada), que o digitei e subscrevi. ELIANA SILVEIRA DA ROSA Escrivã Assinatura Autorizada pela Portaria 01/2011

| Quarta-feira, 13 de março de 2013 |

NUTRIMENTAL S.A.

Relatório da Diretoria Senhores Acionistas: Em atendimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de Vossas Senhorias o Balanço Patrimonial bem como as demais Demonstrações Contábeis com suas respectivas Notas Explicativas, relativo às atividades encerradas em 31 de Dezembro de 2012. Aproveitamos para agradecer a todos nossos colaboradores, clientes e fornecedores, que conosco estiveram ao longo do exercício e muito contribuíram para os resultados obtidos. São José dos Pinhais, 05 de março de 2013.

INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS CNPJ/MF 76.633.890/0001-30 BALANÇOS PATRIMONIAIS - 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) 31/12/2012 31/12/2011 Ativo Circulante Disponibilidade e valores equivalentes (Nota 4) Contas a receber de clientes (Nota 5) Estoques (Nota 6) Impostos e contribuições a compensar (Nota 7) Demais contas a receber Despesas antecipadas

Não circulante Precatórios a receber – FNDE (Nota 8) Precatórios a receber – PR (Nota 8) Partes relacionadas (Nota 13) Depósitos judiciais (Nota 15) Impostos e contribuições a compensar (Nota 7) Outros créditos

Investimentos (Nota 9) Imobilizado (Nota 10) Intangível

Total do ativo

16.657 33.951 27.989

17.172 34.361 25.582

2.999 1.010 376 82.982

9.713 955 823 88.606

34.205 15.417 2.526 1.651

34.106 15.417 8.724 1.121

8.887 1.008 63.694

462 1.010 60.840

1.870 157.567 123 159.560

306.236

31/12/2012

Passivo Circulante Empréstimos e financiamentos (Nota 11) Fornecedores Outros tributos a recolher (Nota 12) Salários e encargos a pagar Demais contas a pagar Total do passivo circulante Não circulante Empréstimos e financiamentos (Nota 11) Partes relacionadas (Nota13) Imposto de renda e contribuição social diferidos (Nota 14) Tributos a recolher (Nota 12) Provisão para riscos trabalhistas, cíveis e tributários (Nota 15) Outras obrigações Total do passivo não circulante

31/12/2011

65.970 23.957 3.577 5.623 883 100.010

43.858 19.601 7.835 5.681 6.220 83.195

48.470 12.048

46.489 11.315

36.788 20.074

38.450 15.984

1.594 2.548 121.522

1.613 2.842 116.693

1.882 148.216 146 150.244

Patrimônio líquido (Nota 16) Capital social Ações em tesouraria Reserva de reavaliação Ajustes de avaliação patrimonial Outros resultados abrangentes Prejuízos acumulados Total do patrimônio líquido

46.506 (2.091) 5.046 49.638 393 (14.788) 84.704

46.461 (2.091) 5.046 51.241 150 (1.005) 99.802

299.690

Total do passivo e patrimônio líquido

306.236

299.690

DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais)

Destinações: Distribuição de dividendos Realização do custo atribuído Reversão do IR e CS diferidos sobre custo atribuído Prejuízo do exercício Transferência da reserva legal Variação cambial sobre investimentos no exterior Destinações: Juros sobre capital próprio Saldos em 31 de dezembro de 2011 Incorporação Realização do custo atribuído Reversão do IR e CS diferidos sobre custo atribuído Prejuízo do exercício Variação cambial sobre investimentos no exterior Destinações: Juros sobre capital próprio Saldo em 31 de dezembro de 2012

Ações em tesouraria

Reserva de lucros

Reserva de reavaliação

Variação patrimonial

Outros Resultados Abrangentes

Prejuízos acumulados

Total

46.461

(2.091)

285

5.046

53.233

(153)

5.016

107.797

-

-

-

-

(3.019)

-

(5.016) 3.019

(5.016) -

-

-

(285)

-

1.027 -

-

(1.027) (629) 285

(629) -

-

-

-

-

-

303 -

(2.653)

303 (2.653)

46.461

(2.091)

-

5.046

51.241

150

(1.005)

99.802

45 -

-

-

-

(2.428)

-

(8.042) 2.428

(7.997) -

-

-

-

-

825 -

-

(825) (6.247)

(6.247)

-

-

-

-

-

243 -

(1.097)

243 (1.097)

46.506

(2.091)

-

5.046

49.638

393

(14.788)

84.704

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 - (Em milhares de reais)

b) A. Leme Administração e Participações Ltda. A Empresa foi constituída em 11 de janeiro de1989, no município de Curitiba – PR, com o objetivo de atuar no ramo de administração de bens e valores mobiliários próprios e participação social em empresas que tenham ou não idêntico objetivo social e a representação comercial de produtos alimentícios. Os ativos líquidos incorporados podem ser assim resumidos: Saldos incorporados Ativo circulante 34 Passivo não circulante 4 Acervo liquido 30 c) Belarissa Administração e Participações Ltda. Empresa foi constituída em 27 de dezembro de 1988 com sede no município de São Paulo – SP, com o objetivo de participação em outras sociedades civis e comerciais e também a administração de bens móveis e imóveis próprios, e desenvolver pesquisas tecnológicas e econômicas, bem como implantar projetos especiais. Os Ativos líquidos incorporados podem ser assim resumidos: Saldos incorporados Ativo circulante 14 Ativo não Circulante 5 Passivo não circulante 4 Acervo líquido 15

Lucro bruto

31/12/2011

31/12/2012 31/12/2011

237.118 (145.930)

239.395 (149.164)

Prejuízo do exercício (6.247) (629) Ajustes para reconciliação do resultado líquido ao caixa gerado pelas atividades operacionais: 19.291 21.999 Depreciações, exaustões e amortizações 7.647 8.284 (Reversão) /constituição de provisão para perdas em contas a receber, estoques e riscos trabalhistas, cíveis e tributários 585 625 (Reversão) /constituição de provisão ajuste a valor de mercado 11 Constituição (reversão) provisão para perdas com partes relacionadas 98 118 Encargos financeiros sobre empréstimos 13.060 12.194 Ajuste a valor presente (1.123) 523 Equivalência patrimonial em controladas 244 228 Atualização dos precatórios do FNDE (99) (407) Imposto de renda e contribuição social diferidos (1.662) (341) Valor residual dos bens do ativo baixados 530 775 (Aumento) redução de ativos Contas a receber de clientes (175) (8.065) Estoques (2.461) (5.432) Impostos a compensar (1.587) Outros créditos (3.795) 2.776 Aumento (redução) de passivos Fornecedores 4.356 (141) Salários e encargos sociais (59) 379 Adiantamento de clientes (2.868) Outras contas a pagar (697) 1.137 Caixa líquido proveniente das atividades operacionais 5.758 12.024 Fluxos de caixa das atividades de investimentos: Aquisição de imobilizado (13.887) (12.775) Caixa líquido aplicado nas atividades de investimentos (13.887) (12.775) Fluxos de caixa das atividades de financiamentos: Empréstimos e financiamentos Captações 76.968 44.468 Amortizações de principal e juros (68.257) (37.929) Dividendos pagos (5.016) Juros sobre o capital próprio (1.097) (2.653) Caixa líquido aplicado nas atividades de financiamentos 7.614 (1.130) Redução líquida em disponibilidades e valores equivalentes (515) (1.881) Disponibilidades e valores equivalentes no início do exercício 17.172 19.053 Disponibilidades e valores equivalentes no final do exercício 16.657 17.172 Redução líquida em disponibilidades e valores equivalentes (515) (1.881) Transações que não afetam o caixa Compra de imobilizado a prazo 3.614 Incorporação em dezembro 2012 Saldo de tributos a recuperar incorporado (124) Saldo de contas a receber de partes relacionadas incorporado 6.181 Saldo de intangível incorporado (4) Saldo de tributos a recolher incorporado 1 Saldo de contas a pagar a partes relacionadas incorporado 1.943 Aumento de Capital Social 45 Saldo de lucros e prejuízos acumulados incorporado (8.042) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

91.188

90.231 (62.092) (15.251) (20.939) 8.141 (228) (422) (90.791)

Prejuízo antes do imposto de renda e da contribuição social

(7.909)

(560)

Imposto de renda e contribuição social corrente (Nota 14) Imposto de renda e contribuição social diferidos (Nota 14) Prejuízo líquido do exercício

-

(410)

1.662 (6.247)

341 (629)

Prejuízo líquido por lote de mil ações - R$

(0,0064)

(0,0006)

Quantidade de ações no final do exercício (em milhares)

979.667

979.198

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

2. Sumário das políticas contábeis 2.1 Base de preparação e apresentação das demonstrações financeiras As demonstrações financeiras foram elaboradas com base em diversas bases de avaliação utilizadas nas estimativas contábeis. As estimativas contábeis envolvidas na preparação das demonstrações financeiras foram baseadas em fatores objetivos e subjetivos, com base no julgamento da administração para determinação do valor adequado a ser registrado nas demonstrações financeiras. Itens significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem a seleção de vidas úteis do ativo imobilizado e de sua recuperabilidade nas operações, avaliação dos ativos financeiros pelo valor justo e pelo método de ajuste a valor presente, análise do risco de crédito para determinação da provisão para devedores duvidosos, assim como da análise dos demais riscos para determinação de outras provisões, inclusive para contingências. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores significativamente divergentes dos registrados nas demonstrações financeiras devido ao tratamento probabilístico inerente ao processo de estimativa. A Companhia revisa suas estimativas e premissas pelo menos anualmente. As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as políticas contábeis adotadas no Brasil, que compreendem os pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). As demonstrações financeiras da Companhia, para o exercício findo em 31 de dezembro de 2012, foram autorizadas para emissão pela administração em 01 de março de 2013. 2.2 Reconhecimento de receita A receita é reconhecida na extensão em que for provável que benefícios econômicos serão gerados para a Companhia e quando possa ser mensurada de forma confiável. A receita é mensurada com base no valor justo da contraprestação recebida, excluindo descontos, abatimentos e impostos ou encargos sobre vendas. A Companhia avalia as transações de receita de acordo com os critérios específicos para determinar se está atuando como agente ou principal e, ao final, concluiu que está atuando como principal em todos os seus contratos de receita. Os critérios específicos, a seguir, devem também ser satisfeitos antes de haver reconhecimento de receita: Venda de produtos A receita de venda de produtos é reconhecida quando os riscos e benefícios significativos da propriedade dos produtos forem transferidos ao comprador, o que geralmente ocorre na sua entrega. Receita de juros Para todos os instrumentos financeiros avaliados ao custo amortizado, e ativos financeiros que rendem juros, a receita ou despesa financeira é contabilizada utilizando-se a taxa de juros efetiva, que desconta exatamente os pagamentos ou recebimentos futuros estimados de caixa ao longo da vida estimada do instrumento financeiro ou em um período de tempo mais curto, quando aplicável, ao valor contábil líquido do ativo ou passivo financeiro. A receita de juros é incluída na rubrica receita financeira, na demonstração do resultado. 2.3 Conversão de saldos denominados em moeda estrangeira As demonstrações financeiras são apresentadas em Reais (R$), que é a moeda funcional da Companhia. As transações em moeda estrangeira são inicialmente registradas à taxa de câmbio da moeda funcional em vigor na data da transação. Os ativos e passivos monetários denominados em moeda estrangeira são reconvertidos à taxa de câmbio da moeda funcional em vigor na data do balanço, sendo todas as diferenças registradas na demonstração do resultado. A variação cambial sobre o saldo inicial dos investimentos no exterior é registrada no Patrimônio Líquido na rubrica Outros Resultados Abrangentes.

Prejuízo do exercício Outros resultados abrangentes Diferenças cambiais sobre conversão de operações estrangeiras 9

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais)

31/12/2012

(63.629) (16.185) (21.085) 7.305 (244) (5.259) (99.097)

Receitas (despesas) operacionais Com vendas (Nota 18) Gerais e administrativas (Nota 18) Despesas financeiras (Nota 19) Receitas financeiras (Nota 19) Resultado de equivalência patrimonial (Nota 9) Outras receitas (despesas), líquidas (Nota 20)

Nota

Capital social

1. Contexto operacional A Nutrimental S.A. – Indústria e Comércio de Alimentos (“Companhia”) tem como objeto social a produção, comercialização, importação e exportação de produtos alimentícios, bem como a participação em outras empresas. As principais unidades da Companhia estão localizadas em São José dos Pinhais – PR, na avenida Rui Barbosa, 8.153 e em Arceburgo – MG, na rua Jose Vieira Barreto Junior, 405 Reestruturação Societária A Companhia era controlada das empresas Nutrinvest Administração e Participações Ltda., A. Leme Administração e Participações Ltda. e Belarissa Administração e Participações Ltda. Em dezembro de 2012, foi promovida uma reestruturação societária quando a Companhia incorporou de forma reversa o acervo líquido de suas controladoras conforme laudos de avaliação contábil emitidos por empresa independente. A reestruturação teve como principal objetivo simplificar a estrutura societária, restabelecendo a situação acionária vigente até a criação das incorporadas. Abaixo, estão apresentadas as principais informações relativas a cada uma das empresas incorporadas: a) Nutrinvest Administração e Participações Ltda. Empresa foi constituída em 15 de maio de 1985, com sede no município de São José dos Pinhais – PR, com o objetivo de participação em outras sociedades civis e comerciais e também a administração de bens móveis e imóveis próprios, e desenvolver pesquisas tecnológicas e econômicas, bem como implantar projetos especiais. Os saldos líquidos incorporados podem ser assim resumidos: Saldos incorporados Ativo circulante 1.710 Passivo circulante 3 Passivo não circulante 9.749 Acervo líquido negativo (8.042)

Receita operacional líquida (Nota 17) Custo dos produtos vendidos (Nota 18)

DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS ABRANGENTES EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais)

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Saldos em 31 de dezembro de 2010

DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 - (Em milhares de reais, exceto resultado por ações, expresso em reais)

31/12/2012

31/12/2011

(6.247)

(629)

243

303

Total de resultados abrangentes do exercício, líquidos de impostos

(6.004)

(326)

Atribuível a: Acionistas Controladores

(6.004)

(326)

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. (Continuação das notas explicativas) 2.4 Caixa e equivalente de caixa Inclui caixa, saldos em conta movimento, aplicações financeiras resgatáveis no prazo de até 90 dias das datas das transações e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado. 2.5 Contas a receber de clientes As contas a receber de clientes são registradas pelo valor faturado, ajustado ao valor presente quando aplicável, incluindo os respectivos impostos diretos de responsabilidade tributária da Companhia, menos os impostos retidos na fonte, os quais são considerados créditos tributários. A provisão para devedores duvidosos foi constituída em montante considerado suficiente pela administração para fazer face às eventuais perdas na realização dos créditos e teve como critério a análise individual dos saldos de clientes com risco de inadimplência. 2.6 Estoques Os estoques de matérias primas, insumos, materiais e mercadoria para revenda são avaliados ao custo médio de aquisição ou valor líquido realizável, dos dois o menor. Os estoques de produtos acabados e em elaboração são demonstrados ao custo médio de produção. O valor realizável líquido corresponde ao preço de venda no curso normal dos negócios, menos os custos estimados de conclusão e os custos estimados necessários para a realização da venda. As provisões para estoques de baixa rotatividade ou obsoletos são constituídas quando consideradas necessárias pela Administração. 2.7 Investimentos Os investimentos em empresas controladas estão avaliados pelo método de equivalência patrimonial. Com base no método da equivalência patrimonial, o investimento é contabilizado no balanço patrimonial ao custo, adicionado das mudanças após a aquisição da participação societária na investida. A demonstração do resultado reflete a parcela dos resultados das operações da investida. Quando uma mudança for diretamente reconhecida no patrimônio da controlada, a Companhia reconhece sua parcela nas variações ocorridas e divulgará esse fato, quando aplicável, na demonstração das mutações do patrimônio líquido. A participação societária na investida será demonstrada na demonstração do resultado como equivalência patrimonial, representando o lucro líquido atribuível aos acionistas da investida. As demonstrações financeiras da investida são elaboradas para o mesmo período de divulgação que a Companhia. Quando necessário, são efetuados ajustes para que as políticas contábeis estejam de acordo com as adotadas pela Companhia. Após a aplicação do método da equivalência patrimonial, a Companhia determina se é necessário reconhecer perda adicional do valor recuperável sobre o investimento da Companhia em sua investida. A Companhia determina, em cada data de fechamento do balanço patrimonial, se há evidência objetiva de que o investimento na controlada sofreu perda por redução ao valor recuperável. Se assim for, a Companhia calcula o montante da perda por redução ao valor recuperável como a diferença entre o valor recuperável da coligada e o valor contábil e reconhece o montante na demonstração do resultado. Os demais investimentos permanentes são registrados pelo custo de aquisição deduzido de provisão para desvalorização, quando aplicável. 2.8 Arrendamentos mercantis A caracterização de um contrato como arrendamento mercantil está baseada em aspectos substantivos relativos ao uso de um ativo ou ativos específicos ou, ainda, ao direito de uso de um determinado ativo, na data do início da sua execução. Arrendamentos mercantis financeiros que transferem à Companhia basicamente todos os riscos e benefícios relativos à propriedade do item arrendado são capitalizados no início do arrendamento mercantil pelo valor justo do bem arrendado ou, se inferior, pelo valor presente dos pagamentos mínimos de arrendamento mercantil. Sobre o custo são acrescidos, quando aplicável, os custos iniciais diretos incorridos na transação. Os pagamentos de arrendamento mercantil financeiro são alocados a encargos financeiros e redução de passivo de arrendamento mercantis financeiros de forma a obter taxa de juros constante sobre o saldo remanescente do passivo. Os encargos financeiros são reconhecidos na demonstração do resultado. Os bens arrendados são depreciados ao longo da sua vida útil. Contudo, quando não houver razoável certeza de que a Companhia obterá a propriedade ao final do prazo do arrendamento mercantil, o ativo é depreciado ao longo da sua vida útil estimada ou no prazo do arrendamento mercantil, dos dois o menor.

(Continuação das notas explicativas)

Os pagamentos de arrendamento mercantil operacional são reconhecidos como despesa na demonstração do resultado de forma linear ao longo do prazo do arrendamento mercantil. 2.9 Imobilizado A Companhia com o objetivo de mensurar seus ativos imobilizados a valor justo, efetuou a avaliação pelo do custo atribuído em 31 de dezembro de 2010. Os ativos não avaliados pelo custo atribuído são avaliados ao custo de aquisição e/ou construção, acrescido de juros capitalizados durante o período de construção quando aplicável deduzido das respectivas depreciações, com exceção de terrenos, que não são depreciados. Estão inclusos os custos incorridos dos empréstimos durante o período de construção, modernização e expansão de unidades industriais. As taxas de depreciação levam em consideração a vida útil estimada dos bens, conforme descrito na Nota 10. Um item de imobilizado é baixado quando vendido ou quando nenhum benefício econômico futuro for esperado do seu uso ou venda. Eventual ganho ou perda resultante da baixa do ativo (calculado como sendo a diferença entre o valor líquido da venda e o valor contábil do ativo) são incluídos na demonstração do resultado no exercício em que o ativo for baixado. O valor residual e vida útil dos ativos e os métodos de depreciação são revistos no encerramento de cada exercício, e ajustados de forma prospectiva, quando for o caso. 2.10 Ativos intangíveis Ativos intangíveis são mensurados ao custo no momento do seu reconhecimento inicial. Ativos intangíveis gerados internamente, excluindo custos de desenvolvimento capitalizados, não são capitalizados, e o gasto é refletido na demonstração do resultado no exercício em que for incorrido. Ativos intangíveis com vida definida são amortizados ao longo da vida útil econômica e avaliados em relação à perda por redução ao valor recuperável sempre que houver indicação de perda de valor econômico do ativo. O período e o método de amortização para um ativo intangível com vida definida são revisados no mínimo ao final de cada exercício social. Mudanças na vida útil estimada ou no consumo esperado dos benefícios econômicos futuros desses ativos são contabilizadas por meio de mudanças no período ou método de amortização, conforme o caso, sendo tratadas como mudanças de estimativas contábeis. Ganhos e perdas resultantes da baixa de um ativo intangível são mensurados como a diferença entre o valor líquido obtido da venda e o valor contábil do ativo, sendo reconhecidos na demonstração do resultado no momento da baixa do ativo. 2.11 Perdas por redução ao valor recuperável de ativos não financeiros A Administração revisa anualmente o valor contábil líquido dos ativos com o objetivo de avaliar eventos ou mudanças nas circunstâncias econômicas, operacionais ou tecnológicas que possam indicar deterioração ou perda de seu valor recuperável. Sendo tais evidências identificadas e o valor contábil líquido exceder o valor recuperável, é constituída provisão para desvalorização ajustando o valor contábil líquido ao valor recuperável. O valor recuperável de um ativo ou de determinada unidade geradora de caixa é definido como sendo o maior entre o valor em uso e o valor líquido de venda. Na estimativa do valor em uso do ativo, os fluxos de caixa futuros estimados são descontados ao seu valor presente, utilizando uma taxa de desconto antes dos impostos que reflita o custo médio ponderado de capital para a indústria em que opera a unidade geradora de caixa. O valor líquido de venda é determinado, sempre que possível, com base em contrato de venda firme em uma transação em bases comutativas, entre partes conhecedoras e interessadas, ajustado por despesas atribuíveis à venda do ativo, ou, quando

(Continuação da página anterior referente notas explicativas da NUTRIMENTAL S.A. - Indústria e Comércio de Alimentos) efetivos é incluída na linha de receita financeira na demonstração de não há contrato de venda firme, com base no preço de mercado de um mercado resultado. As perdas por redução ao valor recuperável são reconhecidas ativo, ou no preço da transação mais recente com ativos semelhantes. como despesa financeira no resultado. Durante os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, a Companhia não verificou a existência de indicadores de que determinados ativos b) Passivos financeiros imobilizados, intangíveis ou outros ativos não financeiros poderiam estar acima Reconhecimento inicial e mensuração do valor recuperável, e consequentemente, nenhuma provisão para perda de Passivos financeiros da Companhia são classificados como passivos valor recuperável dos seus ativos é necessária. financeiros a valor justo por meio do resultado, empréstimos e financiamentos, conforme o caso. A Companhia determina a classificação 2.12 Ajuste a valor presente de ativos e passivos dos seus passivos financeiros no momento do seu reconhecimento inicial. Os ativos e passivos monetários de longo prazo são ajustados pelo seu valor Passivos financeiros são inicialmente reconhecidos a valor justo e, no caso presente, e os de curto prazo, quando o efeito é considerado relevante em de empréstimos e financiamentos, são acrescidos do custo da transação relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto. O cálculo do diretamente relacionado. Os passivos financeiros da Companhia incluem contas a pagar a ajuste a valor presente é efetuado com base em taxa de juros que reflete o fornecedores e outras contas a pagar e empréstimos e financiamentos. prazo e o risco de cada transação.

SUMULA DE PEDIDO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO AMBIENTAL MARIA DE FÁTIMA CASTELLON – EPP, inscrita no CNPJ sob nº 72.388.796/0001-02, com sede e foro na cidade de Araucária / PR, à Avenida das Araucárias nº 6920, Bairro Capela Velha, CEP: 83.707000, torna público que requereu ao IAP-PR a Licença de Operação Ambiental, para a atividade de fabricação de artefatos para comunicação visual de postos de combustível. Foi determinado estudo de impacto ambiental.

Juízo de Direito da Vigésima Vara Cível do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba – PR. EDITAL DE INTIMAÇÃO – Prazo: 20 dias. A Doutora Camile Santos de Souza Siqueira, Meritíssima Juíza de Direito da Vigésima Vara Cível de Curitiba, Paraná por nomeação na forma da lei, etc..FAZ SABER a todos quantos virem o presente edital ou dele conhecimento tiverem por este Juízo e cartório da Vigésima Vara Cível se processam os termos da ação de cobrança, em fase de cumprimento de sentença, sob nº 0038194-02.2010.8.16.0001 (1443/2010), requerida por CONDOMINIO CONJUNTO RESIDENCIA CIC III contra NEI RODRIGUES, e em atendimento ao que dos autos consta, fica o devedor NEI RODRIGUES, brasileiro, casado, portador do RG nº 1.982.058/ PR intimado para no prazo de quinze (15) dias, efetuar o pagamento espontâneo do montante atualizado do débito no valor de R$ 12.760,75 (doze mil setecentos e sessenta reais e setenta e cinco centavos), em 11/07/2011, acrescido das custas processuais, sob pena de multa de 10% sobre o valor corrigido (artigo 475-J CPC). DESPACHO: Mediante preparo intime-se por edital, conforme requerido. Intime-se. Curitiba, 15 de fevereiro de 2013. (a) Dra Camile Santos de Souza Siqueira – Juíza de Direito. E para que chegue ao conhecimento dos interessados e não possam de futuro alegar ignorância, mandou expedir o presente que será publicado e afixado na forma da lei. Curitiba, 05 de março de 2013. Eu (a) Fabio Eduardo Nunes – Empregado Juramentado, que o digitei subscrevo e assino por determinação da Meritíssima Juíza (Portaria 001/11). (a) Fabio Eduardo Nunes. Empregado Juramentado.

EDITAL DE PROCLAMAS TABELIONATO E REGISTRO CIVIL DE SANTA QUITÉRIA. Av. N. Sra. Aparecida, 305, loja 13, Seminário – CEP: 80.440-000. Tel: (41) 3342-7372 Fax: (41) 3343-2333 – CURITIBA -PR Faço saber que pretendem casar-se e apresentarem os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro: VICTOR LAPPAS GIMENEZ e ALINE VIRGINIA SUCKOW JOSÉ MARCOS CARNEIRO e REGIANE KUTCHMAN GERSON CLAUDIO NADALIN JUNIOR e CAMILA THEODORO. Sabendo alguém de qualquer impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de quinze dias. O referido é verdade e dou fé. Curitiba, 12 de Março de 2013. CID ROCHA JÚNIOR OFICIAL

JUÍZO DE DIREITO DA VIGÉSIMA SEGUNDA VARA CIVEL FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA/PR. Edital de citação de ROGE CARLOS MAIA, com o prazo de 20 dias. FAZ SABER/ a quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, expedido nos autos de DEPÓSITO, registrados sob nº 852/2007, proposta por UNILANCE ADMINISTRADORA DE CONSORCIOS S/C LTDA contra ROGE CARLOS MAIA, portador do Rg nº 5.766.861-0 e CPf/MF 865.945.089-20 e, estando requerido em local incerto, fica citado dos termos da ação a saber: A autora é administradora de consórcios e objetiva o auto financiamento, por parte dos consorciados de bens de fabricação nacional. O consorciado e ora requerido faz parte do grupo 1515, titular da conta 063.0 e ingressou no grupo consorcial em 19/10/06. A cota foi contemplada pelo grupo consorcial em 11/10/06, tendo sido pago o crédito de R$6.440,00 em 27/ 10/06, para a compra e objeto do contrato de alienação fiduciária, tendo a autora, anuído, emitindo autorização para o registro de proprietário do veículo, em nome do requerido, a saber: automóvel marca Ford, modelo Belina Ii GL, ano fabricação 1986, modelo 1986, placas AAB-1792, chassi 9BFDXXLB1DFD87065. Esse veículo foi adquirido e alienado fiduciariamente, à autora, pelo requerido, em garantia do débito remanescente junto ao consórcio, através de contrato de alienação fiduciária o requerido deixou de cumprir suas obrigações contratuais de pagamento e não entregou o veículo dado em garantia fiduciária à autora. E face a não localização do réu, a ação foi convertida para Ação de Depósito. Outrossim, fica o réu citado dos termos da ação e, para querendo, responder no prazo de quinze dias, sob pena de quedando-se inerte, incidir os efeitos da revelia, presumindo-se verdadeiros os fatos articulados pela parte autora na petição inicial. Do que para constar lavrei o presente edital. Curitiba, 27/02/13. Eu (a) Marlene Romeiro Coleta, empregada juramentada o subscrevo. (a) SÉRGIO JORGE DOMINGOS-Juiz de Direito.

2.13 Provisões Provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente (legal ou não formalizada) em consequência de um evento passado, é provável que benefícios econômicos sejam requeridos para liquidar a obrigação e uma estimativa confiável do valor da obrigação possa ser feita. 2.14 Tributação Impostos sobre vendas Receitas, despesas e ativos são reconhecidos líquidos dos impostos sobre vendas exceto: • quando os impostos sobre vendas incorridos na compra de bens ou serviços não for recuperável junto às autoridades fiscais, hipótese em que o imposto sobre vendas é reconhecido como parte do custo de aquisição do ativo ou do item de despesa, conforme o caso; • quando os valores a receber e a pagar forem apresentados juntos com o valor dos impostos sobre vendas; e • o valor líquido dos impostos sobre vendas, recuperável ou a pagar, é incluído como componente dos valores a receber ou a pagar no balanço patrimonial.

Mensuração subsequente A mensuração dos passivos financeiros da Companhia são como segue: Empréstimos e financiamentos Após reconhecimento inicial, empréstimos e financiamentos sujeitos a juros são mensurados subsequentemente pelo custo amortizado, utilizando o método da taxa de juros efetivos. Ganhos e perdas são reconhecidos na demonstração do resultado no momento da baixa dos passivos, bem como durante o processo de amortização pelo método da taxa de juros efetivos. 2.19 Custo dos empréstimos Custos de empréstimos diretamente relacionados com a aquisição, construção ou produção de um ativo que necessariamente requer um tempo significativo para ser concluído para fins de uso ou venda são capitalizados como parte do custo do correspondente ativo. Todos os demais custos de empréstimos são registrados em despesa no período em que são incorridos. Custos de empréstimo compreendem juros e outros custos incorridos por uma entidade relativos ao empréstimo.

As aplicações financeiras são de curto prazo, de alta liquidez, e prontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor. As mesmas, referem-se, substancialmente, a certificados de depósitos bancários e fundos de renda fixa, remuneradas a taxas que variam entre 98% e 101% do Certificado de Depósito Interbancário – CDI, com liquidez diária. 5. Contas a receber de clientes 31/12/2012 37.517 (3.566) 33.951

Contas a receber Provisão para devedores duvidosos

31/12/2011 37.399 (3.038) 34.361

8. Precatórios a receber a) Precatórios a receber - PR Precatórios no montante de R$ 15.417 mil (R$ 15.417 mil em 2011) referemse à compra de precatórios devidos pelo Governo do Estado do Paraná, adquiridos de terceiros. A Administração da Companhia espera realizar tais créditos, por seus valores de face, através de compensação de impostos estaduais devidos. Em 2012, conforme mencionado na Nota 12, a Companhia aderiu ao programa de refinanciamento de certos débitos fiscais, previsto na lei nº 17082/2012. Este programa permitiu o pagamento de 75% da dívida com precatórios. Em atendimento aos requisitos estabelecidos no decreto nº 5007/2012 foi requerido, junto a Câmara de Conciliação de Precatórios, a apreciação de proposta de conciliação os precatórios disponíveis.

No exercício findo em 31 de dezembro de 2012, o ajuste a valor presente foi b) Precatório a receber - FNDE imaterial e não requerido para registro, conforme determinado pelo CPC 12 – Referem-se a encargos contratuais sobre atraso no recebimento de créditos Ajuste a Valor presente. A movimentação da provisão para devedores duvidosos junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE. Em agosto está demonstrada a seguir: de 1999, por decisão judicial, o montante de R$ 40.139 foi depositado 31/12/2012 31/12/2011 judicialmente pela União Federal, e iniciou-se a discussão sobre os índices de atualização sobre os valores depositados. Em 2008, a Companhia resgatou Saldo no início do exercício (3.038) (2.155) parte dos depósitos judiciais, no valor de R$14.927 mil, adicionado de Adições (528) (883) atualização monetária calculada pela TR (Taxa de Referência) de R$ 3.594. Saldo no final do exercício (3.566) (3.038) Sobre o saldo remanescente de R$ 25.212, foi reconhecida a atualização monetária de R$ 8.992 mil (R$ 8.894 até 31 de dezembro de 2011). Durante Em 31 de dezembro, a análise do vencimento de saldos de contas a receber o exercício de 2012, a Companhia reconheceu o montante de R$ 99 mil (R$ de clientes é a seguinte: 407 em 2011) como receita financeira decorrente da atualização da TR sobre 31/12/2012 31/12/2011 o saldo de precatórios a receber. A vencer 26.050 28.961 Vencidos: 9. Investimentos De 1 a 30 dias 4.163 2.844 De 31 a 90 dias 2.485 2.278 31/12/2012 31/12/2011 De 91 a 180 dias 1.443 621 1.764 1.765 Acima de 180 dias 3.376 2.695 Divilson S.A. Ativa Ind. Com. Exp. Prod. Aliment. 21 21 Total 37.517 37.399 Outros investimentos 85 96

2.20 Ações em Tesouraria Instrumentos patrimoniais próprios que são readquiridos (ações em tesouraria) são reconhecidos ao custo e deduzidos do patrimônio líquido. Nenhum ganho 1.870 1.882 As receitas de vendas e serviços estão sujeitas aos seguintes impostos e ou perda é reconhecido na demonstração de resultado na compra, venda, 6. Estoques emissão ou cancelamento dos instrumentos patrimoniais da Companhia. contribuições, pelas seguintes alíquotas básicas: 31/12/2012 31/12/2011 A Companhia possui participação de 100% do patrimônio líquido da Divilson Alíquotas 2.21 Novas normas contábeis e interpretações ainda não adotadas Produtos acabados 14.276 15.377 S.A., empresa localizada no Uruguai, a qual é avaliada pelo método de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços 7% a 18% Diversos pronunciamentos contábeis (novos ou revisões) foram emitidos pelo Produtos semi-elaborados 1.645 1.249 equivalência patrimonial. IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados 0% a 5% IASB, mas ainda não entraram em vigor para o exercício encerrado em 31 de Matérias-prima e embalagens 10.438 7.982 COFINS – Contribuição para Seguridade Social 7,60% dezembro de 2012, sendo essas: Materiais auxiliares 1.154 974 a) Movimentação do investimento: Divilson S.A. PIS – Programa de Integração Social 1,65% Adiantamento a Fornecedores 476 CPC 31/12/2012 31/12/2011 27.989 25.582 Correspon- Vigente Total Nas demonstrações de resultado as receitas são demonstradas pelos valores dente em Saldo no início do exercício 1.765 1.690 líquidos dos correspondentes impostos. Os créditos decorrentes da não 7. Impostos e contribuições a compensar Variação cambial 243 303 cumulatividade do PIS/COFINS são apresentados dedutivamente do custo IFRS 10 - Demonstrações financeiras 31/12/2012 31/12/2011 Resultado de equivalência patrimonial (244) (228) dos produtos vendidos na demonstração do resultado. consolidadas CPC 36 (R3) 2013 ICMS 2.875 2.013 IFRS 11- Negócios em conjunto CPC 19 (R2) 2013 Saldo no final do exercício 1.764 1.765 IPI 7.547 6.530 IFRS 12 - Divulgação de Participações em Imposto de renda e contribuição social correntes COFINS 816 1.103 Outras Entidades CPC 45 2013 Ativos e passivos tributários correntes do último exercício e de anos anteriores PIS 178 239 b) Movimentação de outros investimentos são mensurados ao valor recuperável esperado ou a recolher para as IAS 27 - Demonstrações Financeiras IRPJ 63 169 Separadas CPC 35 (R2) 2013 autoridades fiscais. As alíquotas de imposto e as leis tributárias usadas para CSLL 18 57 calcular o montante são aquelas que estão em vigor ou substancialmente em IAS 28 - Investimentos em coligadas e 31/12/2012 31/12/2011 IRRF 389 64 controladas CPC 18 (R2) 2013 vigor na data do balanço. IAS 19 - Benefícios a empregados CPC 33 (R1) 2013 96 96 11.886 10.175 Saldo no início do exercício IFRS 7 - Divulgações - Compensação entre Ativos Ajuste a valor de mercado dos investimentos (11) (-) Ativo circulante (2.999) (9.713) Impostos diferidos Financeiros e Passivos Financeiros 2013 Impostos diferidos ativos são reconhecidos para todas as diferenças IFRS 13 - Mensuração ao valor justo Ativo não circulante 8.887 462 Saldo no final do exercício 85 96 CPC 46 2013 temporárias dedutíveis, créditos e perdas tributários não utilizados, na extensão IAS 1 - Apresentação das Demonstrações em que seja provável que o lucro tributável esteja disponível para que as Financeiras - Apresenção de Itens 10. Imobilizado diferenças temporárias dedutíveis possam ser realizadas, e créditos e perdas de Outros Resultados Abrangentes 2013 Máquinas, EquipaImobitributários não utilizados possam ser utilizados. O valor contábil dos impostos IAS 32 - Compensação entre Ativos Financeiros Equipamentos de lizações e Passivos Financeiros 2014 diferidos ativos é revisado em cada data do balanço e baixado na extensão Edifimentos e Móveis e Instainformática em em que não é mais provável que lucros tributáveis estarão disponíveis para IFRS 9 - Instrumentos Financeiros: Classificação Terrenos cações Instalações utensílios lações Veículos softwares andamento Total e Mensuração 2015 permitir que todo ou parte do ativo tributário diferido venha a ser utilizado. Impostos diferidos ativos são mensurados à taxa de imposto que é esperada de ser aplicável no ano em que o ativo será realizado, com base nas taxas de imposto (e lei tributária) que foram promulgadas na data do balanço. Impostos diferidos são apresentados líquidos se existe um direito legal ou contratual para compensar o ativo fiscal contra o passivo fiscal e os impostos diferidos são relacionados à mesma entidade tributada e sujeitos à mesma autoridade tributária. 2.15 Benefícios a empregados Os benefícios concedidos a empregados e administradores da Companhia incluem, em adição a remuneração fixa (salários e contribuições para a seguridade social – “INSS”, férias e 13º salário) e remunerações variáveis como participação nos lucros. Esses benefícios são registrados no resultado do exercício quando a Companhia tem uma obrigação com base em regime de competência, à medida que são incorridos. 2.16 Lucro por ação A Companhia efetua os cálculos do lucro por lote de mil ações – utilizando o número médio ponderado de ações ordinárias totais em circulação, durante o período correspondente ao resultado conforme pronunciamento técnico CPC 41 – Resultado por ação. Não há ações preferenciais na composição do capital da Companhia. 2.17 Demonstrações dos fluxos de caixa As demonstrações dos fluxos de caixa foram preparadas pelo método indireto e estão apresentadas de acordo com o pronunciamento contábil CPC 03 R2 – Demonstração dos Fluxos de Caixa. 2.18 Instrumentos financeiros – Reconhecimento inicial e mensuração subsequente a) Ativos financeiros Reconhecimento inicial e mensuração Os instrumentos financeiros da Companhia são reconhecidos inicialmente pelo seu valor justo acrescido dos custos diretamente atribuíveis à sua aquisição ou emissão, exceto os instrumentos financeiros classificados na categoria de instrumentos avaliados ao valor justo por meio do resultado, para os quais os custos são registrados no resultado do exercício. Os principais ativos financeiros reconhecidos pela Companhia são: caixa e equivalentes de caixa e contas a receber de clientes, classificados nas categorias de ativos financeiros a valor justo por meio de resultado e empréstimos e recebíveis. Mensuração subsequente A mensuração subsequente de ativos financeiros da Companhia são como segue: Ativos financeiros a valor justo por meio do resultado Ativos financeiros a valor justo por meio do resultado incluem ativos financeiros mantidos para negociação e ativos financeiros designados no reconhecimento inicial a valor justo por meio do resultado. Ativos financeiros são classificados como mantidos para negociação se forem adquiridos com o objetivo de venda no curto prazo. Esta categoria inclui instrumentos financeiros derivativos contratados pela Companhia que não satisfazem os critérios para a contabilidade de hedge, definidos pelo CPC 38. Ativos financeiros a valor justo por meio do resultado são apresentados no balanço patrimonial a valor justo, com os correspondentes ganhos ou perdas reconhecidos na demonstração do resultado. Os juros, correção monetária, variação cambial e as variações decorrentes da avaliação ao valor justo, são reconhecidos no resultado quando incorridos. Empréstimos e recebíveis Empréstimos e recebíveis são ativos financeiros não derivativos, com pagamentos fixos ou determináveis, não cotados em um mercado ativo. Após a mensuração inicial, esses ativos financeiros são contabilizados ao custo amortizado, utilizando o método de juros efetivos (taxa de juros efetiva), menos perda por redução ao valor recuperável. O custo amortizado é calculado levando em consideração qualquer desconto ou “prêmio” na aquisição e taxas ou custos incorridos. A amortização do método de juros

As normas, emendas às normas e interpretações aos IFRS são efetivas para os exercícios anuais iniciados conforme indicado na tabela acima, e não foram aplicados na preparação destas demonstrações financeiras. A Administração da Companhia julga não haver impactos relevantes sobre suas demonstrações financeiras e de suas controladas quando tais normas entrarem em vigor.

Em 31 de dezembro de 2010

63.160

36.851

88.662

6.487

1.012

3.135

3.296

2.623

205.226

-

24 (98) 1.967

1.539 (229) 3.509

984 (153) 4

2 -

1.217 (614) -

425 (96) 69

8.584 (162) (5.549)

12.775 (1.352) -

3. Julgamentos, estimativas e premissas contábeis significativas Julgamentos A preparação das demonstrações financeiras requer que a administração faça julgamentos e estimativas e adote premissas que afetam os valores apresentados de receitas, despesas, ativos e passivos, bem como as divulgações de passivos contingentes, na data-base das demonstrações financeiras. Contudo, a incerteza relativa a essas premissas e estimativas poderia levar a resultados que requeiram um ajuste significativo ao valor contábil do ativo ou passivo afetado em períodos futuros. No processo de aplicação das políticas contábeis da Companhia, a administração fez os seguintes julgamentos que têm efeito mais significativo sobre os valores reconhecidos nas demonstrações financeiras:

Em 31 de dezembro de 2011

63.160

38.744

93.481

7.322

1.014

3.738

3.694

5.496

216.649

(15) -

16 (43) 4.494

508 (1.660) 16.230

157 (119) -

-

314 (442) -

333 (59) 179

16.171 (20.903)

17.499 (2.337) -

Em 31 de dezembro de 2012

63.145

43.211

108.559

7.360

1.014

3.611

4.147

764

231.811

Depreciação acumulada: Em 31 de dezembro de 2010 Depreciação do exercício Alienações

-

(12.722) (1.099) 43

(40.376) (5.768) 100

(3.959) (493) 59

(597) (47) -

(881) (504) 295

(2.221) (343) 80

-

(60.756) (8.254) 577

Adições Alienações Transferências

Adições Alienações Transferências

Em 31 de dezembro de 2011 - (13.778) (46.044) (4.393) (644) (1.090) (2.484) (68.433) Estimativas e Premissas As principais premissas relativas a fontes de incerteza nas estimativas futuras (1.185) (5.308) (503) (46) (228) (347) (7.617) e outras importantes fontes de incerteza em estimativas na data do balanço, Depreciação do exercício 11 1.482 97 164 52 1.806 envolvendo risco significativo de causar um ajuste significativo no valor contábil Alienações dos ativos e passivos no próximo exercício financeiro, são discutidas a seguir: Em 31 de dezembro de 2012 - (14.952) (49.870) (4.799) (690) (1.154) (2.779) (74.244) Impostos Existem incertezas com relação à interpretação de regulamentos tributários Valor residual líquido complexos e ao valor e época de resultados tributáveis futuros. Dado a 63.145 28.259 58.689 2.561 324 2.457 1.368 764 157.567 diferenças entre os resultados reais e as premissas adotadas, ou futuras Em 31 de dezembro de 2012 mudanças nessas premissas, poderiam exigir ajustes futuros na receita e 63.160 24.966 47.437 2.929 370 2.648 1.210 5.496 148.216 despesa de impostos já registrada. A Companhia constitui provisões, com Em 31 de dezembro de 2011 base em estimativas cabíveis, para possíveis consequências de auditorias por parte das autoridades fiscais das respectivas jurisdições em que opera. 11. Empréstimos e financiamentos O valor dessas provisões baseia-se em vários fatores, como experiência de Taxa média auditorias fiscais anteriores e interpretações divergentes dos regulamentos Indexador anual de juros 31/12/2012 31/12/2011 tributários pela entidade tributável e pela autoridade fiscal responsável. Essas Aplicados no imobilizado: diferenças de interpretação podem surgir numa ampla variedade de assuntos, Leasing / CDC Pré-fixada 1,20% a 1,53% a.m. 672 1.556 dependendo das condições vigentes no respectivo domicílio da Companhia. Finame TJLP 2,60 % a 8% a.a. 10.907 13.276 Imposto diferido ativo é reconhecido para todos os prejuízos fiscais não Finame Variável BNDES 5,8% a 8% a.a. 1.268 620 utilizados na extensão em que seja provável que haja lucro tributável Finame 4,5% a 13,95% a.a. 3.122 1.318 disponível para permitir a utilização dos referidos prejuízos. Julgamento Financ. Direto Fornecedor Variação Cambial 0,43% a.m 3.612 significativo da administração é requerido para determinar o valor do imposto Finimp Variação Cambial 9,16% a.a. 2.972 132 diferido ativo que pode ser reconhecido, com base no prazo provável e nível 22.553 16.902 de lucros tributáveis futuros, juntamente com estratégias de planejamento Aplicados no capital de giro: fiscal futuras. Captados no exterior Libor 1,50% a.a. 2.082 1.906 Capital de giro CDI 0,22% a 0,50% a.m. 66.513 55.809 Valor Justo de Instrumentos Financeiros Pre-fixada 0,64% a.m. 8.492 2.513 Quando o valor justo de ativos e passivos financeiros apresentados no balanço Capital de giro TR 4.370 5.294 patrimonial não puder ser obtido de mercados ativos, é determinado utilizando Novação técnicas de avaliação, incluindo o método de fluxo de caixa descontado. Os 81.457 65.522 dados para esses métodos se baseiam naqueles praticados no mercado, Adiantamentos contrato de câmbio: quando possível, contudo, quando isso não for viável, um determinado nível ACC Variação Cambial 7.109 7.923 de julgamento é requerido para estabelecer o valor justo. O julgamento inclui Financiamentos de importação: considerações sobre os dados utilizados como, por exemplo, risco de liquidez, Finimp CDI 0,35% a.m. 3.321 risco de crédito e volatilidade. Mudanças nas premissas sobre esses fatores 114.440 90.347 poderiam afetar o valor justo apresentado dos instrumentos financeiros. Passivo circulante (65.970) (43.858) Provisões para Riscos Tributários, Cíveis e Trabalhistas 48.470 46.489 A Companhia reconhece provisão para causas cíveis e trabalhistas. A avaliação Não circulante da probabilidade de perda inclui a avaliação das evidências disponíveis, a TJLP – Taxa de Juros de Longo Prazo hierarquia das leis, as jurisprudências disponíveis, as decisões mais recentes FINAME – Fundo de Financiamento para Aquisição de Máquinas e Equipamentos TR - Taxa Referencial nos tribunais e sua relevância no ordenamento jurídico, bem como a avaliação FINIMP – Financiamento de importação CDI – Certificado depósito interbancário dos advogados externos. As provisões são revisadas e ajustadas para levar BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social CDC – Crédito Direto ao Consumidor em conta alterações nas circunstâncias, tais como prazo de prescrição aplicável, conclusões de inspeções fiscais ou exposições adicionais identificadas Os empréstimos a longo prazo vencem como segue: 31/12/2012 31/12/2011 com base em novos assuntos ou decisões de tribunais. 2013 32.658 4. Disponibilidades e valores equivalentes 2014 25.866 9.346 2015 11.257 2.223 31/12/2012 31/12/2011 2016 5.452 1.098 1.705 787 Caixa e bancos 4.126 857 2017 4.190 377 Aplicações financeiras 12.531 16.315 Após 2018 (Continua na página seguinte) 48.470 46.489 16.657 17.172


| Quarta-feira, 13 de março de 2013 |

PUBLICAÇÕES LEGAIS/ NACIONAL

13

(Continuação da página anterior referente notas explicativas da NUTRIMENTAL S.A. - Indústria e Comércio de Alimentos) Os financiamentos estão garantidos por hipoteca, alienação fiduciária de bens objeto dos financiamentos, avais, duplicatas, fianças, penhor mercantil, notas promissórias a aplicações financeiras. Alguns contratos de capital de giro possuem cláusulas restritivas (covernants) estabelecendo limites financeiros no final do exercício, apurados com base no EBITDA e liquidez corrente. 12. Outros tributos a recolher ICMS ICMS S/ Pedido Compensação (Nota 8.a) COFINS PIS IRRF REFIS Estadual (a) Salário educação Outros Passivo circulante Passivo não circulante

31/12/2012 2.226 2.793 3.026 242 355 14.513 179 317 23.651 3.577 20.074

31/12/2011 2.223 8.080 3.448 341 393 8.465 529 340 23.819 7.835 15.984

Os parcelamentos de tributos a longo prazo vencem como segue: 2012 2013 2014 1.122 2015 1.092 2016 940 2017 11.485 Com pedido de compensação 5.435 20.074

2011 1.183 1.006 976 948 3.791 8.080 15.984

(a) Em 2012 a Companhia aderiu ao programa de refinanciamento de débitos estaduais do Estado do Paraná, estabelecido pela Lei 17.082/2012 obtendo os parcelamentos de débitos fiscais dos meses de novembro e dezembro de 2005, janeiro e fevereiro de 2006, outubro e dezembro de 2007, fevereiro, março e agosto de 2008 e agosto de 2009. Também inclui no parcelamento o saldo remanescente do parcelamento anterior. O saldo refinanciado totalizou R$ 14.599 e o prazo de pagamento é de 60 meses, sendo que a 60ª parcela corresponde a 75% da dívida podendo conforme o decreto n. 4.489/2012 o pagamento ser realizado através de precatórios. Em outubro de 2012, atendendo os requisitos do decreto 5.007/2012, foi requerido à Câmara de Conciliação de precatórios proposta de conciliação. (b) O ICMS no valor de R$ 2.793, corresponde a valores com pedido de compensação com precatórios conforme Nota 8 a. 13. Partes relacionadas Os saldos e transações com partes relacionadas referem-se a contratos de mútuo conforme segue: Ativo não Circulante Passivo não Circulante 31/12/2012 31/12/2011 31/12/2012 31/12/2011 Arthur da Silva Leme Neto 1.486 Rodrigo Costa da Rocha Loures 876 Nutrimental Agro Pecuária Ltda. 3.117 Nutrinvest Administração e Participações Ltda 5.456 Divilson S.A. 11.998 10.706 Vitagri Indústria Comércio e Serviços Ltda. 11 Outros 164 140 50 609 2.526 8.724 12.048 11.315

Divilson S.A.

Resultado Despesas/receitas financeiras 31/12/2012 31/12/2011 1.292 1.469

O contrato de mútuo com a Divilson S.A é corrigido pela variação cambial do dólar e juros 0,5% a.a. Sobre os demais contratos não há incidência de juros. Os prazos de vencimento são diversos a partir de 2012. O valor global dos honorários pagos à diretoria no exercício findo em 31 de dezembro de 2012 foi de R$1.519 (R$1.464 em 2011). Não existe, na Companhia, plano de bonificação adicional aos honorários da diretoria executiva. 14. Imposto de renda e contribuição social A composição da despesa de imposto de renda e contribuição social nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 encontra-se resumida a seguir: 31/12/2012 31/12/2011 Prejuízo antes do imposto de renda e da contribuição social (7.909) (560) Imposto de renda e contribuição social pela alíquota fiscal nominal combinada de 34% (em 2012) e 24% (em 2011) 2.689 134 Demonstrativo da origem da despesa de imposto de renda e contribuição social efetivos: Incentivo Fiscal-Inovação 102 Despesas indedutíveis (940) (245) Equivalência patrimonial (83) (55) Outros (4) (5) Crédito (despesa) de imposto de renda e contribuição social no resultado do exercício 1.662 (69) Alíquota efetiva 21% 12% Imposto de renda e a contribuição social diferidos O imposto de renda e contribuição social diferidos referem-se a: 31/12/2012 31/12/2011 Ativo não circulante Créditos sobre diferenças temporárias 3.428 3.896 Créditos sobre prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social 3.665 1.737 7.093 5.633 Passivo não circulante Débitos sobre diferenças temporárias 18.309 17.686 Débitos sobre custo atribuído ao imobilizado 25.572 26.397 43.881 44.083 Imposto de renda e contribuição social, líquidos 36.788 38.450

Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia possuía R$ 10.779 (R$ 5.108 em 19. Receitas e despesas financeiras Os rendimentos oriundos das aplicações financeiras bem como as despesas 31/12/2012 31/12/2011 financeiras provenientes dos empréstimos e financiamentos da Companhia 2011) de prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social sobre o lucro líquido a compensar com lucros tributáveis futuros. As estimativas de Receitas financeiras são afetados pelas variações nas taxas de juros, tais como TJLP e CDI. Juros ativos 359 885 recuperação dos créditos tributários consideram as expectativas de lucros Variações cambiais ativas 4.446 3.971 Risco de estrutura de capital tributáveis a curto prazo. Ajuste a valor presente 1.123 1.321 O objetivo principal da administração de capital da Companhia é assegurar Receitas com aplicações financeiras 1.066 1.679 que esta mantenha uma classificação de crédito forte e uma razão de capital 15. Provisão para riscos trabalhistas, cíveis e tributários e depósitos Deságios 142 149 livre de problemas a fim de apoiar os negócios e maximizar o valor do acionista. judiciais Outras receitas financeiras 169 136 A Companhia administra a estrutura do capital e a ajusta considerando as a) Processos em andamento com provisão e obrigações legais vinculadas a processos judiciais 7.305 8.141 mudanças nas condições econômicas. A estrutura de capital ou o risco financeiro decorre da escolha entre capital próprio (aportes de capital e A Companhia é parte de diversos processos judiciais e administrativos. Despesas financeiras Provisões são constituídas para todas as contingências referentes a processos Juros passivos (12.550) (11.847) retenção de lucros) e capital de terceiros que a Companhia faz para financiar judiciais para os quais é provável que uma saída de recursos seja feita para Variações cambiais passivas (6.476) (5.619) suas operações. Para mitigar os riscos de liquidez e a otimização do custo liquidar a contingência/obrigação e uma estimativa razoável possa ser feita. A Descontos concedidos (522) (301) médio ponderado do capital, a Companhia monitora permanentemente os níveis avaliação da probabilidade de perda inclui a avaliação das evidências Despesas bancárias (279) (204) de endividamento de acordo com os padrões de mercado e o cumprimento de disponíveis, a hierarquia das leis, as jurisprudências disponíveis, as decisões Ajuste a valor presente (2.237) índices (covenants) previstos em contratos de empréstimos e financiamentos. mais recentes nos tribunais e sua relevância no ordenamento jurídico, bem Tributos sobre operações financeiras (733) - Não houve alterações quanto aos objetivos, políticas ou processos durante os como a avaliação dos advogados externos. As provisões são revisadas e Outras despesas financeiras (525) (731) exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011. ajustadas para levar em conta alterações nas circunstâncias, tais como prazo (21.085) (20.939) Risco de câmbio de prescrição aplicável, conclusões de inspeções fiscais ou exposições adicionais identificadas com base em novos assuntos ou decisões de tribunais. Resultado financeiro líquido (13.780) (12.798) O risco de câmbio é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de A Administração, com base em informações de seus assessores jurídicos e um instrumento financeiro flutue devido a variações nas taxas de câmbio. A análise das demandas judiciais pendentes, constituiu provisão em montante exposição da Companhia ao risco de variações nas taxas de câmbio refere-se considerado suficiente para cobrir as perdas prováveis esperadas no desfecho 20.Outras receitas (despesas) operacionais, líquidas principalmente às atividades operacionais da Companhia (quando receitas ou das ações em curso, como segue: despesas são denominadas em uma moeda diferente da moeda funcional). 31/12/2012 31/12/2011 Abaixo está demonstrada a exposição cambial da Companhia para operações 31/12/2012 31/12/2011 227 405 em moedas estrangeiras: Civil 32 124 Rendas diversas US$ mil 612 1.587 Trabalhistas 1.562 1.489 Recuperação de despesas 2012 2011 Result. com alienação de ativo imobilizado (66)1.594 1.613 PIS/COFINS sobre outras receitas (153) (176) Divilson 5.871 5.707 Serviços contratados (1.011) (1.076) J.P.Morgan 1.019 1.019 Cíveis – ações de indenização referentes aos produtos da Companhia. Despesas indedutíveis (1.023) (703) Finimp 2.800 71 Indenizações (215) (288) 9.690 6.797 Trabalhistas e previdenciárias – A Companhia discute diversas ações de Perdas eventuais com produtos (275) (53) natureza trabalhista, sendo que provisão constituída em 31 de dezembro de Gastos com reestruturação operacional (1.891)EUR mil 2012 refere-se às ações cuja expectativa de perda, segundo os advogados da Doação para campanha eleitoral (1.330) Companhia, são prováveis. 2012 2011 Demais resultados operacionais (134) (118) A Empresa mantém, ainda, outros processos trabalhistas e tributários em Finimp 212 (5.259) (422) andamento cuja materialização, na avaliação dos assessores jurídicos é de 212 possível perda, mas não provável, no valor aproximado de R$437 e R$2.190, respectivamente (R$1.302 mil e R$134 mil em 2011) para as quais a 21.Objetivos e políticas para gestão de risco financeiro administração entende não ser necessária a constituição de provisão para Conforme mencionado na nota 2.18 – Instrumentos Financeiros, os principais Risco de crédito eventuais perdas. passivos financeiros da Companhia, que não sejam derivativos, referem-se a O risco de crédito é o risco de a contraparte de um negócio não cumprir uma Abaixo estão demonstrados os depósitos judiciais vinculados e não vinculados empréstimos, contas a pagar a fornecedores e outras contas a pagar. O obrigação prevista em um instrumento financeiro ou contrato com cliente, o a processos provisionados, classificados no grupo de ativo não circulante. principal propósito desses passivos financeiros é captar recursos para as que levaria ao prejuízo financeiro. A Companhia está exposta ao risco de operações da Companhia. Em contrapartida, a Companhia possui ativos crédito em suas atividades operacionais (principalmente com relação a contas Depósitos judiciais 31/12/2012 31/12/2011 financeiros representado por caixa e equivalentes de caixa, contas a receber a receber) e de financiamento, incluindo depósitos em bancos e instituições financeiras, transações cambiais e outros instrumentos financeiros. Tributárias 548 22 de clientes e outras contas a receber que resultam diretamente de suas Contas a receber Trabalhistas 993 1.099 operações. Cível 110 - A Companhia está exposta a risco de mercado, risco de crédito e risco de O risco de crédito do cliente está sujeito aos procedimentos, controles e política liquidez. estabelecida pela Companhia em relação a esse risco. Os limites de crédito 1.651 1.121 A alta administração da Companhia supervisiona a gestão desses riscos para são estabelecidos para todos os clientes com base em critérios internos de garantir que as atividades em que se assumem riscos financeiros são regidas classificação. A carteira da Companhia é pulverizada. A qualidade do crédito A movimentação das provisões nos exercícios findos em 31 de dezembro de por políticas e procedimentos apropriados e que os riscos financeiros são do cliente é avaliada com base em um sistema interno de classificação e 2012 e 2011, é como segue: identificados, avaliados e gerenciados de acordo com as políticas e disposição histórico de perda. A necessidade de uma provisão para perda por redução Trabalhistas Cíveis Total para risco da Companhia. ao valor recuperável é analisada a cada data reportada em base individual Saldos em 31 de dezembro de 2010 1.624 224 1.848 A Companhia não efetua aplicações de caráter especulativo, em derivativos para os principais clientes. (+) Complemento de provisão 598 18 616 ou quaisquer outros ativos de risco. Os resultados obtidos com estas operações O cálculo é baseado em dados históricos efetivos. A exposição máxima ao (-) Reversão de provisão não utilizada (733) (118) (851) estão condizentes com as políticas e estratégias definidas pela Administração risco de crédito na data-base é o valor registrado que esta indicado na nota 5. Saldos em 31 de dezembro de 2011 1.489 124 1.613 da Companhia. Instrumentos financeiros e depósitos em bancos (+) Complemento de provisão 855 10 865 Risco de mercado O risco de crédito de saldos com bancos e instituições financeiras é (-) Reversão de provisão não utilizada (782) (102) (884) O risco de mercado é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros administrado pela Tesouraria da Companhia de acordo com a política por este de um instrumento financeiro flutue devido a variações nos preços de mercado. Saldos em 31 de dezembro de 2012 1.562 32 1.594 Os preços de mercado englobam três tipos de risco: risco de taxa de juros, estabelecida. Os recursos excedentes são investidos apenas em instituições risco cambial e risco de preço que pode ser de commodities, de ações, entre financeiras autorizadas e aprovadas pela Companhia, avalizadas pela Diretoria 16.Patrimônio líquido outros. Instrumentos financeiros afetados pelo risco de mercado incluem Executiva, respeitando limites de crédito definidos, os quais são estabelecidos a) Capital Social empréstimos a pagar, depósitos, instrumentos financeiros disponíveis para a fim de minimizar a concentração de riscos e, assim, mitigar o prejuízo O capital social integralizado em 31 de dezembro de 2012 é R$ 46.506 (R$ venda e mensurados ao valor justo através do resultado e instrumentos financeiro no caso de potencial falência de uma contraparte. 46.461 em 2011), e está dividido em 979.667.299 ações ordinárias nominativas, financeiros derivativos. Risco de liquidez sem valor nominal (979.197.473 em 2011). Em 31 de dezembro de 2012 e O risco de liquidez consiste na eventualidade da Companhia não dispor de 2011 a Companhia mantinha em tesouraria 17.631.701 ações de sua emissão Risco de taxa de juros recursos suficientes para cumprir com seus compromissos em função das no montante de R$ 2.091. Risco de taxas de juros é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa diferentes moedas e prazos de liquidação de seus direitos e obrigações. b) Dividendos futuros de um instrumento financeiro flutue devido a variações nas taxas de O controle da liquidez e do fluxo de caixa da Companhia é monitorado Aos acionistas é assegurado um dividendo mínimo correspondente a 0.25% juros de mercado. diariamente pelas áreas de Gestão da Companhia, de modo a garantir que a do lucro liquido, nos termos do Capitulo VI, Artigo 24, item b do Estatuto A exposição da Companhia ao risco de mudanças nas taxas de juros de geração operacional de caixa e a captação prévia de recursos, quando Social da companhia. Da base de cálculo dos dividendos são deduzidos os mercado refere-se, principalmente, às obrigações de longo prazo da Companhia necessária, sejam suficientes para a manutenção do seu cronograma de valores de constituição de reserva legal e da reserva estatutária e serão sujeitas a taxas de juros variáveis. compromissos, não gerando riscos de liquidez para a Companhia. calculados dividendos correspondentes a 0,25% do saldo liquido da reserva A Companhia somente realiza operações com instituições financeiras de baixo O quadro abaixo resume o perfil do vencimento do passivo financeiro da de reavaliação realizada durante o exercício. A Administração da Companhia risco, aprovadas pela administração. Para contas a receber por vendas a Companhia em 31 de dezembro de 2012 com base nos pagamentos contratuais propôs o pagamento de R$ 1.097 aos acionistas sob a forma de juros sobre Companhia possuem ainda provisão para devedores duvidosos, conforme não descontados. capital próprio. mencionado na nota 2.5. 17. Receita operacional líquida 31/12/2012 31/12/2011 Menos de 3 meses 3 a 12 meses 1 a 5 anos Total Receita bruta 302.619 304.748 Empréstimos 33.256 32.714 48.470 114.440 Deduções da receita: 23.949 4 4 23.957 Tributos estaduais (28.684) (28.472) Fornecedores Tributos federais (24.029) (24.071) 57.205 32.718 48.474 138.397 Devoluções de vendas (12.788) (12.810) 237.118 239.395 18. Despesas por natureza A Companhia optou por apresentar a demonstração do resultado por função. 22. Seguros Conforme requerido pelo CPC 26 – Apresentação das demonstrações Em 31 de dezembro de 2012, a cobertura de seguros estabelecida pela Administração da Companhia para cobrir eventuais sinistros e responsabilidade civil, contábeis, apresenta, a seguir, o detalhamento da demonstração do resultado é resumida como segue: por natureza: Data de vigência Importância 31/12/2012 31/12/2011 Risco de até segurada Prêmio Despesas por função Classificados como: 23/07/2012 23/07/2013 101.550 50 Custos dos produtos vendidos 145.930 149.164 Riscos operacionais – Fábrica SJP 23/07/2012 23/07/2013 24.000 12 Despesas com vendas 63.629 62.092 Riscos operacionais – Fábrica Arceburgo Despesas gerais e administrativas 16.185 15.251 Riscos operacionais – Veículos 20/05/2012 20/05/2013 11.000 101 27/06/2012 09/05/2013 2.676 3 225.744 226.507 Riscos operacionais – Outros Despesas por natureza Custo dos produtos 103.339 110.192 Despesas com pessoal 54.046 49.688 ARTHUR DA SILVA LEME NETO Despesas com vendas 27.608 26.849 Diretor Superintendente Marketing 9.823 9.077 Serviços de terceiros 8.199 8.332 RODRIGO COSTA DA ROCHA LOURES Depreciação e amortização 7.647 8.284 Diretor Superintendente Gastos operacionais 6.480 4.799 Conservação e manutenção 5.666 6.412 LUÍS CARLOS BERTOLAZO Gastos gerais 2.936 2.874 Contador – CRC-PR n° 35643/0 225.744 226.507

The One Harley-Davidson apoia o 4º Encontro de Harleyros e expõe motos no Catuaí Shopping no final de semana Com destino a Maringá, viagem acontece entre os dias 15 e 17 de março, com saída de Curitiba às 7 horas. Motos também ficarão expostas no Catuaí Shopping Maringá A The One Harley-Davidson participa, entre os dias 15 e 17 de março, do 4º encontro de Harleyros, a edição 2013 do evento tem destino a Maringá/PR. O passeio, que parte de Curitiba/PR, possui uma distância de 438 km por trecho. A saída será às 7h da concessionária The One Harley-Davidson, na Avenida Mário Tourinho, 1055. As motos sairão de Curitiba com tanque cheio e pneus calibrados. Os interessados podem se inscrever na secretaria do HOG The One H-D ou pelo telefone 3340-6000, com Michelli. O passeio é organizado pelo moto grupo PHD. As inscrições estão abertas e são limitadas. Outra grande oportunidade para os apaixonados pela marca é poder conferir de perto os lançamentos da Harley-Davidson 2013. De sexta-feira (15), até às 14h do domingo (17 de março), a The One Harley-Davidson estará com os principais modelos em exibição no estacionamento do Catuaí Shopping Maringá, no endereço: Av. Colombo, 9161, onde os consultores da concessionária estarão à disposição para atender aos clientes. Mais informações no site www.theoneharley-davidson.com.br

Estudo: aspirina ajuda a prevenir câncer de pele em mulheres Entre as causas para a doença, está a exposição à luz solar sem proteção Tomar aspirina pode ajudar mulheres a prevenir o câncer de pele, segundo estudo. Os pesquisadores descobriram que quanto mais analgésico é ingerido, menor o risco de desenvolver melanoma. A pesquisa avaliou 60 mil mulheres com mais de 12 anos, que usavam o medicamento regularmente, e concluiu que os riscos diminuem em 21%, em comparação com mulheres que não tomam aspirina. O câncer de pele tem como principais desencadeadores a exposição à luz solar sem proteção. A aspirina já foi associada à

prevenção de câncer no estômago e intestido, com diminuição de 40% dos riscos para usuários regulares. Porém, o uso contínuo também pode estar ligado a sangramentos e úlceras estomacais. A indicação do remédio como método preventivo ainda está em análise. O líder do estudo, o médico Jean Tang disse que a “aspirina funciona reduzindo a inflamação e pode ser por isso que o uso do medicamento diminui o risco de desenvolver melanoma". A aspirina é usada para pacientes com problemas cardíacos, pois evita a formação de coágulos sanguíneos nas artérias.

EDITAL DE PROCLAMAS CARTÓRIO DO PORTÃO. Av. Pres. Arthur da Silva Bernardes nº 2350/ cj. 03/09 – Portão CEP: 80.320-300 / CURITIBA - PR Tel./ Fax: (41) 3013-1667. Faz saber que pretendem casar: EVÓDIO DE JESUS SOARES JÚNIOR e LILIAN KELLY ARAÚJO RODRIGUES VICTOR LAPPAS GIMENEZ e ALINE VIRGINIA SUCKOW GIOVANE ESSER e ELAINE FRANCISCHINI FRANK HEIMART ZIRHUT e DESIREE MATTER VITOR HUGO DE MODESTI e FABIANA KROPERNICKI AELCIO ALVES DE LIMA e CILENE ALVES DE SOUZA WELLINGTON AUGUSTO RINCÃO CORREIA e THATY VANESSA ERICHSEN RODRIGO LOPES DE OLIVEIRA e HAMABILLI DAYANA FERREIRA HELISON BASTOS FERREIRA e CLARICE DOS SANTOS SANTANA MARIO DIAS e MARIA DE LOURDES FERREIRA RAFAEL DE OLIVEIRA e FERNANDA SAMPARA MILTOM CESAR NIIMOTO e ANDRÉA CRISTINA OLIVEIRA GUIMARÃES LUCIANO CASSAS DE OLIVEIRA e LUCIANA PEIXOTO MEZZADRI, Cartório do 1º Ofício de Registro Civil e 13º Tabelionato de Curitiba-PR; ANTONIO FERNANDO BENTO e JULIANA ALVES SIQUEIRA, Cartório de Registro Civil de Piraquara - PR; FERNANDO BARBOSA DAS NEVES e VALDINEIA BATISTA DE OLIVEIRA, Cartório Distrital do Pinheirinho, nesta Capital. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. O referido é verdade e dou fé. Curitiba, 12 de Março de 2013. CAROLINE FELIZ SARRAF FERRI Tabeliã e Registradora

Serviyo Registral de Im6veis. Comarca da Regiao Metropolitana de Curitiba Foro Regional de Fazenda Rio Grande-PR. CNPJ nO 02.952.816/0001-40. Horario - 08h 30 as II :OOh e 13:00h as 17:00h. Bel. Hennas Eurides Brandao Junior - Oficial Re istrador - EDIT AL DE INTIMACAO COM PRAZO DE 15 DIAS. Bel. DENILSON LUIZ NEGRAO DIAS, Oficial Substituto do Registro de Im6veis desta Comarca de Fazenda Rio Grande, no uso de suas atribui<;oes, etc ... FAZ SABER a C. K. A. ATACADO E TRANSPORTES DE CEREAlS LTDA., atraves de seus representantes legais e tambem devedores, FRANCISCO DANIEL FAGUNDES DE ASSIS e CRISTIANE KEIZANOSKI DE ASSIS, casados pelo regime de Comunhao parcial de bens na vigencia da lei 6.515/77 em 18/0411997, brasileiros, ele empresario, portador da CI nO7.362.9810-PR e do CPF/MF n° 036.348.499- 08, ela portadora da CI n° 7.995.978-2-PR e do CPF/MF n° 036.317.97982, residentes e domiciliados na Rua Francisco de Assis Pereira Magalhaes, n° 429, na Cidade de MandiritubaPR, fica pelo presente Edital, INTIMADOS para fins de pagamento de encargos vencidos, antecipando assim o vencimento das demais parcelas, resultando no montante correspondente a R$ 234.495,45 (duzentos e trinta e quatro mil quatrocentos e noventa e cinco reais e quarenta e cinco centavos), posicionado em 3110112013, sujeito a atualiza<;aa.mo1:1’etaria,aos juros de mora ate a data do efetivo pagamento e as despesas de cobran<;a, decorrentes da Cedula de Credito Bancario, emitida sob n° 9400110, celebrado em 08112/2010 e aditivo de reratifica<; ao (Cedula de Credito Bancario) n 20015-0, registrado sob 0 nOAv-7, na matricula n° 18.695 desta Serventia, referente a parte ideal corresponden!e a 3.096,16 m2, do lote de terre no sob n° 05 (cinco), com area total de 10 (dez) Iitros iguais a 6.050,00 m2, situado no Distrito de AREIA BRANCA DOS ASSIS, no Municipio de Mandirituba, da Comarca da Regiao Metropolitana de Curitiba - Foro Regional de Fazenda Rio Grande-Parana, contendo 01 (uma) cas a velha de madeira, tipo chale antigo, de constru<;ao pr6pria, que figura como credora fiduciaria a COOPERA TIVA DE CREDITO DOS EMPRESARIOS DE GRANDE CURITIBA E CAMPOS GERAIS - SICOOB SUL. Assim tendo expirado o prazo de carencia, convencionado ao contrato, para 0 procedimento de cobran<;a, fica INTIMADOS V.S(as). para que se dirija a este Servi<;ode Registro de Im6veis, desta Comarca, a meu cargo, situado a Rua Cesar Carelli, n° 90, sala 503 - Pioneiros na cidade de Fazenda Rio Grande-PR, no horario das 08h30min as 11hOOmin e das 13hOOmin as 17hOOmin, onde devera efetuar a purga do debito acima discriminado no prazo improrrogavel de 15 (quinze) dias, contados da data da terceira e ultima publica<;ao deste Edital. Fica ainda, CIENTIFICADO V. S. de que 0 nao cumprimento da referida obriga<;ao no prazo estipulado, garante o direito de consolida<;ao da propriedade do im6vel em favor da credora fiduciaria, COOPERA TIVA DE CREDITO DOS EMPRESARIOS DE GRANDE CURITIBA E CAMPOS GERAIS - SICOOB SUL. Nos termos do artigo 26, panigrafo 7°, da Lei 9.514, de 20.11.1997. Fazenda Rio Grande, 01 de mar<;ode 2013. Bel. DENILSON LUIZ NEGRAO DIAS Oficial Substituto do Registro-

EDITAL DE CITAÇÃO DE COMPANHIA TERRITORIAL BOQUEIRÃO LTDA. (na pessoa de seu representante legal), COM O PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS. O DOUTOR LUCIANO CARRASCO FALAVINHA SOUZA, MM. JUIZ DE DIREITO DA SECRETARIA DA DÉCIMA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA, FAZ SABER a todos quantos virem o presente, ou dele tiverem conhecimento, que tramitam por este Juízo e Secretaria da Décima Vara Cível os autos da AÇÃO DE USUCAPIÃO, autuada sob o n.º 330/2008, em que são requerentes DANIL LUIZ FERREIRA, JOSIANE CAETANO COSTA FERREIRA, NATANAEL CAETANO COSTA, ARNALDO PEDRO RIBEIRO e LUCY ARCEGA RIBEIRO, e são requeridos COMPANHIA TERRITORIAL BOQUEIRÃO LTDA., ALVANI SANTOS RIBEIRO, HELIA CILMARA RIBEIRO, ROBERTO KURCHCHOFF, ANSELMO AMÓS SANTOS RIBEIRO, ADRIANE ANTUNES DE LIMA, CIBELE CRISTINA RIBEIRO, LUIZ WAGNER RIBEIRO VIDAL, PAULO EDUARDO RIBEIRO VIDAL, CÉLIA REGINA DA SILVA, PASCOAL SANTIN, RUTH OLGA LIMONGI, NERI ZANOLLA, CARLOS ALBERTO LAZAROTTO e MARCOS ROBERTO LAZAROTTO, tendo por objeto a legalização do seguinte bem imóvel: “Lote de terreno sob nº 23, da quadra nº 208, da Planta Fazenda Boqueirão, nesta cidade, medindo 14,00 metros de frente para a rua Carlos de Laet, por 55,00 metros de extensão da frente aos fundos em ambos os lados, confrontando com o imóvel de Neri Zanola pelo lado direito e imóvel de Altevir Lazzarotto pelo lado esquerdo, com 14,00 metros de fundos, onde confronta com o imóvel de Pascoal Santin e Ruth Olga Limongi, com área total de 770,00 metros quadrados. Indicação Fiscal nº 86.130.023.000 do cadastro municipal” conforme memorial descritivo constante nos autos, por meio do qual CITA COMPANHIA TERRITORIAL BOQUEIRÃO LTDA., na pessoa de seu representante legal, para, querendo, contestar a ação no prazo de quinze (15) dias, contados a partir do término do prazo do edital (vinte dias), sob pena de, não sendo contestada, presumirem-se como verdadeiros os fatos articulados na inicial (CPC, artigos. 285 e 319). Tudo de conformidade com o despacho de fl. 346, a seguir: “[...] Defiro o pedido de citação por edital, o autor deverá apresentar a minuta do edital, no prazo de 10 dias. Int. [...]” DADO E PASSADO nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos vinte dias do mês de fevereiro do ano de dois mil e treze. Eu, (a)Paula Cristina Costa, Supervisora de Secretaria, o digitei e subscrevi. (a) LUCIANO CARRASCO FALAVINHA SOUZA. Juiz de Direito.

EXTRATO DE EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS Nº 008/2013 O CENTRO BRASIL DESIGN (Centro de Design do Paraná), neste ato representado pela presidente da comissão de licitação 2012/2013, Sra. Ana Brum, torna público que fará realizar TOMADA DE PREÇOS, nos termos da Lei nº 8.666/93 e alterações, e das condições fixadas no respectivo Edital, convocando todos os interessados a participarem, que poderão fazê-lo até 3 (três) dias antes da abertura, no dia 28 de março de 2013, às 10h30, em ato público, na sede do Centro Brasil Design, na Av. Comendador Franco, nº 1341, Jardim Botânico, 80215-090, Curitiba, Paraná. OBJETO: a contratação de consultoria técnica profissional na área de gestão do design, para atuação no Estado do Rio Grande do Sul. FORMA DE JULGAMENTO: Menor Preço Global. DESTINAÇÃO: Pessoa Jurídica de Direito Privado. ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO E PROPOSTAS: até às 09h25 do dia 28 de março de 2013, na sede do Centro Brasil Design. ABERTURA: dia 28 de março de 2013, às 10h30, na sede do Centro Brasil Design. O Edital na íntegra se encontra disponível na sede do Centro Brasil Design, telefone (041) 3018-7332, em dias úteis de segunda à sexta-feira, no horário das 14 às 18 horas. Curitiba, 12 de março de 2013. Ana Brum Presidente da Comissão de Licitação

EXTRATO DE EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS Nº 009/2013 O CENTRO BRASIL DESIGN (Centro de Design do Paraná), neste ato representado pela presidente da comissão de licitação 2012/2013, Sra. Ana Brum, torna público que fará realizar TOMADA DE PREÇOS, nos termos da Lei nº 8.666/93 e alterações, e das condições fixadas no respectivo Edital, convocando todos os interessados a participarem, que poderão fazê-lo até 3 (três) dias antes da abertura, no dia 28 de março de 2013, às 14h30, em ato público, na sede do Centro Brasil Design, na Av. Comendador Franco, nº 1341, Jardim Botânico, 80215-090, Curitiba, Paraná. OBJETO: a contratação de consultoria técnica profissional na área de gestão do design, para atuação no Estado do Paraná. FORMA DE JULGAMENTO: Menor Preço Global. DESTINAÇÃO: Pessoa Jurídica de Direito Privado. ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO E PROPOSTAS: até às 13h25 do dia 28 de março de 2013, na sede do Centro Brasil Design. ABERTURA: dia 28 de março de 2013, às 14h30, na sede do Centro Brasil Design. O Edital na íntegra se encontra disponível na sede do Centro Brasil Design, telefone (041) 3018-7332, em dias úteis de segunda à sextafeira, no horário das 14 às 18 horas. Curitiba, 12 de março de 2013. Ana Brum Presidente da Comissão de Licitação

EDITAL DE PROCLAMAS CARTÓRIO DISTRITAL DO BOQUEIRÃO RUA MAL. FLORIANO PEIXOTO, Nº 5636, HAUER, CEP: 81630-000. CURTIBA – PARANÁ Faz saber que pretendem se casar: GUILHERME PIOLI VIANA e PALOMA REGINA PINHEIRO ESPINELLI (Serviço Distrital da Barreirinha, Curitiba – Paraná) AMILTON JOSE DOROLLA e ANDREIA ROSELI DA SILVA ROBERTO CARLOS KOSSAR e CELIZE DAS GRAÇAS ALVES MIGUEL BATISTA CANDIDO e JUCIANE FERREIRA GUILHERME HENRIQUE FONSECA e JHENNIFER BARBOSA DIAS BRUNO EDUARDO PERPETUO KUIASKI e VERIDIANE DO ROCIO BIACO DANIEL BATISTA DE OLIVEIRA e VERA DE OLIVEIRA SIDNEI BATISTA DOS SANTOS e AMANDA CRISTINA DA COSTA RAIMUNDO ROMILTON LEAL DO ROSARIO e ELISA DANIELE GAIO JULIANO ESTEVAM ALCIATI BOESE e JOSIANE RAMOS DE OLIVEIRA GUSTAVO HENRIQUE WEBER e DAIANA BASIL SILVA CARLOS RAPHAEL DE SOUZA FERRES e CRISTIANE DAL NEGRO EDUARDO D’AGOSTIN e KELLY ROSANA CHICORA JOSE EDUARDO VALENGA e MARILENE RABISTEK FELIPE DE OLIVEIRA CORDEIRO e KELLE ROSA ALEXANDRE RUTHES PIVATO e ANA CLAUDIA DA SILVA LUIZ Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da lei e no prazo de quinze dias. Curitiba, 12 de Março de 2013. WALDOMIRO BAPTISTA NETO OFICIAL

editais13-3-13  

editais13-3-13

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you