Issuu on Google+

Sexta-feira, 8 de abril de 2011 |

Cedip: diagnóstico preciso e de qualidade em São José dos Pinhais A especialidade anteriormente conhecida como Radiologia, que tinha por base os exames de raio-x, hoje é chamada de Diagnóstico por Imagem. Essa mudança se deve à inclusão de equipamentos como a Ultrassonografia e a Ressonância Magnética, que não emitem radiação. As clínicas especializadas nesta área realizam exames obtidos através da observação de imagens, uma especialidade médica que se ocupa do uso das tecnologias para realização de diagnósticos, intervenções e tratamentos em alguns casos. Segundo os especialistas, é a melhor forma de se descobrir uma doença, aumentando a chance de sucesso na cura, em especial dos cânceres, mal formações, acidentes vasculares, lesões nas articulações , dentre outros. Considerada uma das clínicas mais tradicionais de Curitiba, fundada em 1991, a CEDIP – Clínica de Diagnóstico por Imagem do Paraná - procura cuidar da saúde de seus pacientes através de recursos e aparelhos de alta tecnologia. Possui o que há de mais moderno em diag-

nóstico por imagem, realizando quase sete mil exames por mês. A CEDIP dispõe de uma área de mais de mil metros quadrados, distribuída em ambientes acolhedores, com salas climatizadas, equipamentos de última geração e estacionamento próprio. Uma infraestrutura disponível para proporcionar um atendimento sério e de confiança. Para garantir a satisfação e a eficácia de seus processos, trimestralmente a clínica realiza pesquisas de satisfação com seus pacientes. O resultado chegou a 96% de satisfação, batendo o recorde e ultrapassando o estabelecido em 91% pelo Sistema de Gestão da Qualidade. “Notamos uma melhora do índice, o que mostra que o sistema está sendo gerido corretamente e os colaboradores estão buscando sempre a melhoria contínua”, explica Diana Cunali Prestes, coordenadora de qualidade da Cedip. Na pesquisa são avaliados os tópicos agilidade no agendamento, atendimento da recepção, dos médicos e durante o exame, infraestrutura, limpeza, tempo de espera e disponibilidade de agenda. Todos os critérios ultrapassaram as metas. A clínica recebeu do organismo certificador italiano - RINA, o documento que atesta a

Certificação da Cedip na Norma ISO 9001. Para ganhar a certificação, a empresa teve de passar por dois estágios de Auditoria onde são verificados se os processos realizados garantem a qualidade do produto - no caso da Cedip, os exames de Diagnóstico por Imagem.

Cedip investe R$ 7 milhões em São José dos Pinhais São José dos Pinhais é considerada a cidade mais dinâmica do Paraná, abrigando as maiores redes de varejo do estado e importantes fábricas. Possui o 2º maior PIB per capita da Região Metropolitana de Curitiba, perdendo apenas para Araucária. Também é um dos municípios com maior potencial de crescimento imobiliário. Pensando nisso e para atender os clientes próximos a região, a Cedip inaugura até o final deste mês uma unidade dentro do Shopping São José. Com um investimento de R$ 7 milhões, a nova clínica terá 60% dos colaboradores de São José dos Pinhais. O espaço será de aproximadamente 620m² e contará ainda com cerca de mil vagas de estacionamento dentro do shopping. O exame de Ressonância Magnética conti-

Curso para gestantes HNSG Acontece entre os dias 11 e 13 de abril, das 19h às 22h15, o Curso para Gestantes do Hospital Nossa Senhora das Graças, voltado para pais e mães. Os pais receberão informações sobre os tipos de parto e os cuidados, rotina e visita à maternidade, vacinas e a importância da prevenção de doenças, odontologia para bebês (o uso de chupetas e mamadeiras) e aleitamento materno. Os participantes aprenderão a trocar fraldas, dar banho, massagem para aliviar cólicas, diferenciar os tipos de choro e posição no berço. O curso é ministrado por uma equipe multidisciplinar formada por pediatra, obstetra, anestesista, farmacêutica, enfermeira e odontopediatra. Serviço: O Curso para Gestantes acontecerá entre os dias 11 e 13 de abril, no Hospital Nossa Senhora das Graças, que fica na Rua Alcidez Munhoz, 433. As vagas são limitadas. Mais informações e reservas de vagas pelo (41) 9129-7926.

nuará a ser o carro chefe da clínica. Será uma unidade completa, oferecendo serviços de Tomografia Multi Slice, Ultrassonografia/Ecografia 3D e 4D, Densitometria Óssea, Raio X e Mamografia Digitais . “A comunicação entre as clínicas será direta, por meio de fibra óptica exclusiva, e possibilitará o intercâmbio de informações e imagens de exames entre a equipe médica da Cedip São José e da Matriz”, explica o diretor presidente do grupo, o médico neuroradiologista Antônio C. F. Prestes. Dr. Prestes, que possui formação na França, com 35 anos de experiência na área, sendo um dos primeiros membros da Sociedade Francesa e Européia de Neurocirurgia e Neuroradiologia, conta que a escolha por São José dos Pinhais aconteceu porque o potencial da região lhe chamou a atenção. “Muitos pacientes vem de São José para fazer exames em Curitiba. O atendimento da clínica no shopping seguirá os mesmos padrões da matriz”, comenta o diretor presidente Antônio Prestes. Serviço: CEDIP Shopping São José - Endereço: Rua Izabel A Redentora, nº 1434, piso G1, Centro, São José dos Pinhais. Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 7h30 às 22h.

3

ARTIGO

Financiamento e acesso à saúde Por Sebastião Radominski O Brasil é um país de contradições. Essa é uma das frases mais repetidas quando o assunto é política e sociedade, mas a afirmativa também é verídica com relação à saúde. Apesar de existir um sistema universal de atendimento, apenas 40% dos gastos no país são financiados pelo Estado. Os outros 60%ficam a cargo das famílias e das empresas, que pagam por medicamentos, tratamentos particulares e planos de assistência privada. Isso acontece por dois motivos principais, que se relacionam entre si: o subfinanciamento da saúde pública leva os brasileiros a investir por conta própria em serviços de saúde, para não depender dos serviços de baixa qualidade oferecidos pelo Estado. Esses gastos se somam à carga tributária que já incide sobre todos os cidadãos e deveriam ser suficientes para um atendimento de qualidade. Infelizmente, contudo, os serviços prestados estão aquém do desejado, inclusive para a parte da população que consegue pagar por planos de saúde. Segundo uma pesquisa recente do Datafolha, 90% dos médicos estão insatisfeitos com as operadoras de saúde. O levantamento revela em que nível os usuários dos planos de saúde estão sujeitos a restrições de ordens diversas, que são especialmente relevantes no que diz respeito à disponibilidade a procedimentos de ponta reconhecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). É notório que a atualização do rol de procedimentos cobertospelas operadoras não acompanha o desenvolvimento da medicina e as necessidades dos pacientes. Na reumatologia, essa situação se apresenta de maneira bastante clara no tratamento da artrite reumatóide, doença grave e incapacitante que atinge cerca de 1% da população e que pode levar a incapacidade funcional e dores intensas, além de danos irreversíveis (deformidades articulares), que geram custos para o sistema de saúde e impedem metade dos pacientes de exercer seu trabalho. Com o diagnóstico precoce e início imediato do tratamento, 50% dos pacientes respondem bem ao tratamento inicial. Para os demais, existe atualemente a alternativa dos chamados medicamentos biológicos, que são obtidos com técnicas de engenharia genética para atingir componentes específicos da doença e controlar sua evolução. Apesar de já estarem aprovados pela Anvisa, os medicamentos biológicos para artrite reumatóide são oferecidos por apenas 40% dos planos privados, porque não estão na lista de cobertura obrigatória da Agência Nacional de Saúde Suplementar. Assim, os milhões de brasileiros que pagam por um atendimento de qualidade diferenciada têm acesso limitado a tratamentos que podem ser decisivos para o controle de uma doença grave e incapacidade. Para reverter essa situação, é essencial que a agência exerça seu papel regulador e atualize sua lista de cobertura mínima obrigatória, incluindo procedimentos comprovadamente eficazes. Afinal de contas, todos os brasileiros já pagam por isso. Sebastião Radominski é reumatologista e professor da Universidade Federal do Paraná.


4

Sexta-feira, 8 de abril de 2011 |

PARAPSICOLOGIA E VIDA MELHOR nº 184 Quando há disposição em superar as mágoas, na medida que a mente vai sendo trabalhada com exercícios adequados, você adquire controle sobre seus pensamentos, sentimentos e ações. O método TECA poderá ajudar nesse treinamento. Cada letra da palavra TECA designa uma etapa do processo que você poderá praticar. O T significa Ter esperança. O T enfoca aquilo que você quis que acontecesse em determinada situação, não aquilo que você não quis que acontecesse. Sua tarefa é pensar exatamente no que quis na situação que o fez sofrer. Elabore um frase positiva afirmando o que você queria. Faça uma afirmação pessoal e seja o mais específico possível. Exemplos: “Eu tinha esperança que José fosse um sócio honesto e confiável.” “Eu tinha esperança de ter um relacionamento estável e amoroso com Maria”. O E em TECA significa Educar-se, compreender que você não tem controle sobre outras pessoas, sobre você mesmo ou sobre os acontecimentos da vida. Educar-se significa tomar consciência de que você pode não conseguir o que quer. Faça por escrito uma frase na qual você reconhece a incerteza inerente ao ato de querer algo. Eis alguns exemplos de afirmações no aspecto do educar-se: “Eu compreendo e aceito que nem todos os relacionamentos dão certo”. “Eu compreendo e aceito que as pessoas podem adoecer e/ou morrer”. Eu compreendo e aceito que nem sempre as sociedades, funcionam do jeito que eu quero”. Estas afirmações completarão as frases referentes ao T – Ter esperança. “Eu tinha esperança de ter um relacionamento estável e amoroso com Maria, porém compreendo e aceito que nem todos os relacionamentos dão certo”. “Eu tinha esperança de ter uma vida maravilhosa ao lado de (nome), porém compreendo e aceito que as pessoas podem adoecer e/ou morrer”. “Eu tinha esperança que (nome) fosse um sócio honesto e confiável, porém compreendo e aceito que nem sempre as sociedades, funcionam do jeito que eu quero” Exercício para praticar o perdão 1.Deite-se ou sente-se com a coluna recostada, pernas descruzadas e os pés apoiados no chão. Repouse as mãos sobre as pernas. Feche os olhos, fique totalmente imóvel, tranqüilo. Respire profundamente, prenda o ar em seus pulmões por alguns segundos, esvazie lentamente. Continue repetindo esta respiração profunda e lenta umas dez vezes. Em seguida, deixe a respiração voltar ao seu ritmo natural, enquanto sua mente continua concentrada no ar que entra e sai de seus pulmões. Siga assim até sentir seu corpo relaxado e a mente tranqüila. 2.Pense em alguém que ama ou em alguma coisa que o deixa com uma sensação positiva. 3. Repita mentalmente diversas vezes a afirmação que você elaborou sobre Ter esperança e Educar-se. A terceira etapa do método TECA é o C de Confirmar sua intenção positiva, retomando os seus objetivos, sua esperança maior e tocando a vida em frente. Alternativamente, a intenção positiva lembra que podemos crescer a partir de qualquer experiência danosa. O A significa assumir um compromisso A Longo Prazo para seu bem-estar de longo alcance. O A enfatiza a importância de fazer os exercícios. Assuma o compromisso de praticar o método TECA sempre que se sentir perturbado. Reforce sua decisão com esta declaração: “Eu assumo o compromisso a longo prazo de seguir minha intenção positiva e exercitar o método TECA para continuar progredindo”. Para a maioria isso será suficiente para superar uma mágoa. Alguns, talvez, sintam necessidade de outros treinamentos especializados, terapia individual, terapia familiar, aulas de dança, Yoga, Meditação.

Parapsicólogo Flávio Wozniack E-mail: flavio.wozniack@ig.com.br 1. Av. Manoel Ribas, 852 - sala 12 Mercês – Curitiba - 3336-5896 9926-5464 2. Estrada da Ribeira - Colombo Clínica Strapasson - 3606-2635

Mais de 85% dos médicos paranaenses aderem ao Movimento de Paralisação da categoria por reajuste de honorários Dos 19 mil médicos ativos – entre credenciados e não credenciados a planos de saúde – em todo o Paraná, mais de 11 mil paralisaram suas atividades ontem, dia 7 de abril, Dia Mundial da Saúde. A estimativa é da Comissão Estadual de Honorários Médicos (CEHM) – entidade composta pela Associação Médica do Paraná (AMP), Conselho Regional de Medicina (CRM) e Sindicato dos Médicos do Paraná (Simepar). O “Dia Nacional de Protesto em Defesa dos Médicos que Trabalham na Saúde Suplementar”, instituído nacionalmente pelo Conselho Federal de Medicina, (CFM) e Associação Médica do Brasil (AMB) orientou os profissionais médicos a suspender consultas e procedimentos eletivos – com exceção de casos de emergência. A paralisação foi após anos de tentativas fracassadas de negociação com planos de saúde por reajustes dignos dos honorários. Movimento Durante todo o dia, mais de mil médicos passaram pela sede da AMP, em Curitiba, participando e opinando dos debates que iniciaram pela manhã e estenderam por todo o dia, culminando numa caminhada de protesto pelas ruas próximas à entidade. Os médicos defenderam, no mínimo, a reposição da inflação, em razão dos 10 anos de desafagem nos valores das consultas e 19 anos de defasagem em procedimentos e cirurgias, que obriga-

ram muitos profissionais a fechar seus consultórios diante da dificuldade de custear as despesas básicas. No Paraná, o balanço parcial, dava conta dos seguintes números: nas cidades de Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Ivaiporã, a adesão dos médicos foi de 100%; em Foz do Iguaçu, Guarapuava e Santo Antonio da Platina 90% dos médicos pararam, em Cascavel e Apucarana a paralisação chegou a 80%, em Castro, Cianorte e Guarapuava 70% dos profissionais pararam e, em Umuarama o balanço foi de 50% de médicos parados. Para frente Caso as operadoras não negociem com base nas reivindicações da classe, os médicos discutirão o descredenciamento individual, a exemplo de localidades, como, Ivaiporã, no Centro do Paraná. Médicos de outros municípios paranaenses como União da Vitória e Foz do Iguaçu já avaliam esta possibilidade concreta, conforme informou o presidente da AMP e da CEHM, José Fernando Macedo. A entidade que congrega cerca de 30 operadoras de saúde no Estado já sinalizou com a intenção de negociar com a CEHM. A reunião com estas operadoras está marcada para o próximo dia 18 de abril. Apoio Uma carta de apoio da Associação dos Usuários de Planos de Saúde foi recebida com aplausos

pelas entidades médicas. As diretorias do Conselho Regional de Odontologia (CRO/PR) e do Conselho Regional de Fisioterapia (Crefito/PR) também se pronunciaram em apoio ao movimento e orientaram estes profissionais a paralisar na data de ontem. Muitos dentistas e fisioterapautas compareceram à sede da AMP. Histórico Há mais de 10 anos, uma manobra jurídica junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) considerou improcedente o pedido de reajuste para os médicos. As operadoras encontraram na oportunidade um espaço para promover achatamento na remuneração das consultas, mesmo que, neste período, tenha sido registrado reajuste de 136% nas mensalidades dos planos à população. Para a classe médica, houve apenas 44%. Apesar de 90% das operadoras usarem a tabela de 1992, a Associação Médica Brasileira (AMB) editou, em 2010, uma tabela reivindicada pela classe como a ideal para utilização de todas as operadoras de saúde, denominada Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), que também não foi respeitada pelos planos. Pelo documento, o valor de uma consulta médica regular em consultório deveria ser de R$ 60, com variação possível de 20% para mais ou menos, ou seja, de R$ 48 a R$ 72. As conseqüências

desta derrocada econômica é o valor ínfimo destinado à classe: descontando os custos de operação de um consultório, impostos de Renda e INSS, sobrariam somente R$ 5,53 por consulta para os médicos. Em procedimentos como parto ou cesarianas, em que o profissional deve dar atenção a duas vidas, os médicos recebem, com os descontos do imposto de renda, menos de R$ 120,00. A implantação de piso salarial e plano de cargos e salários no Sistema Único de Saúde (SUS) também é outra batalha que ganhará força entre os profissionais da classe médica, porém será realizada com mais ênfase posteriormente, para sedimentar, primeiramente, conquistas obtidas junto às operadoras, gerando força e credibilidade ao movimento. Campanha O movimento de paralisação médica às consultas eletivas de saúde conta com idealização de diversas peças como estratégia de marketing que repercutiram em todo o Estado, incluindo outdoors, inserções em rádios, espaço publicitário em jornais e revistas de grande circulação, além de um adesivo para ser colocado nos carros com a frase O MEU MÉDICO É PROFISSIONAL DE VALOR. A meta da campanha de divulgação é trazer a população para junto da classe médica, pois condições dignas de trabalho aos médicos traduz-se em melhor atendimento à população.

Câncer: prevenção é o melhor remédio para combater a doença Os números assustam. De acordo com estimativas do INCA (Instituto Nacional do Câncer), o Brasil terá 500 mil novos casos de câncer em 2011. E, se não houver uma intervenção efetiva pelas autoridades de saúde, este número pode saltar para 26 milhões em 2030. Os tipos mais comuns, à exceção do câncer de pele do tipo não melanoma, serão os cânceres de próstata, pele, cólon, reto e de pulmão no sexo masculino, e os cânceres de mama, pele, cólon, reto, pulmão e do colo do útero, no sexo feminino. Segundo pesquisa recente da Agência Internacional para Pesquisas em Câncer, o impacto global do câncer mais que dobrou nos últimos 30 anos. Uma das explicações para a crescente incidência da doença é, curiosamente, o aumento da expectativa de vida. Com uma população cada vez mais idosa, o aumento dos casos de doenças crônico-degenerativas também é crescente. No Estado de Minas Gerais são esperados mais de 46 mil novos casos de câncer, segundo estudo do

Prevenção é essencial para todos os tipos de cancer

INCA. De acordo com o médico oncologista e diretor da Oncomed Bh, Amândio Soares, hábitos de vida saudáveis, como não fumar, se alimentar de forma saudável, não ingerir excesso de álcool, praticar alguma atividade física e evitar exposição ao sol ainda são as melhores formas de se prevenir contra um câncer. Diante desse cenário, é essencial fomentar recursos e esforços no sentido de orientar a população sobre as estratégias de prevenção, diagnóstico e controle do câncer. “Devemos aprimorar os programas já existentes e estabelecer novas medidas no sentido de inserir entre as prioridades de saúde pública a conscientização e o apoio na prevenção do câncer”, reforça o médico. Mortalidade O câncer continua sendo a segunda principal causa de mortes em todo o mundo – perde apenas para doenças cardiovasculares. Tumores no pulmão, nas mamas, no fígado e na região colorretal provocam a maioria dos óbitos registrados por câncer.


cadernosaude08-04