Issuu on Google+

A FORÇA DA PATERNIDADE FILME “O FILHO ETERNO”CHEGA AOS CINEMAS DE TODO O PAÍS PÁG. 09

GRANDE VITÓRIA Quinta-feira, 1º de dezembro de 2016 Edição nº 657, ano 3 MÍN: 19°C MÁX: 28°C

www.metrojornal.com.br | leitor.gv@metrojornal.com.br | www.facebook.com/metrojornal | @MetroJornal_VIX

Força-tarefa ameaça abandonar a Lava Jato

Na calada da noite. Em reação à votação da Câmara que desfigurou o texto das dez medidas contra a corrupção e incluiu a punição a membros do Judiciário, procuradores afirmam que vão renunciar caso proposta seja sancionada. Para presidente do STF, ‘não se pode calar a Justiça’ PÁG. 04

RECICLE A INFORMAÇÃO: NÃO JOGUE ESTA PUBLICAÇÃO NAS VIAS PÚBLICAS. PASSE ESSE JORNAL PARA OUTRO LEITOR.

O T N E M I T N E S Torcedores se reúnem em Chapecó e em Medellín para homenagear Chapecoense

E D R E V

Milhares de torcedores se reuniram na Arena Condá, em Chapecó

PÁG. 16 PAULO WHITAKER/ REUTERS


02|

1 FOCO

Entrega de presentes

Papai Noel dos Correios Termina amanhã o prazo para entrega dos presentes na campanha Papai Noel dos Correios, e 50% dos padrinhos e das madrinhas que pegaram cartas destinadas ao “Bom Velhinho” no Estado ainda não realizaram o desejo de seus “afilhados”. Basta levar o presente até uma agência dos Correios, e a empresa fará a entrega dos pacotes às crianças, sem custos de postagem. No Espírito Santo, o Papai Noel dos Correios recebeu cerca de 14 mil cartinhas de crianças matriculadas em escolas públicas de regiões de vulnerabilidade social.

Cotações Dólar - 0,25% (R$ 3,387) Bovespa + 1,51% (61.906 pts) Euro - 0,85% (R$ 3,588) Selic (13,75% a.a.)

Salário mínimo (R$ 880)

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{FOCO}

Rio Doce: contaminação crônica pode durar 20 anos e piorar com chuvas Novas expedições. Análises feitas entre janeiro e abril apontam que níveis de cobre, cádmio e cromo diminuíram. Em dezembro, pesquisadores estudarão o efeito das chuvas na foz do rio A contaminação da foz do rio Doce, no Norte do Estado, pode durar até 20 anos, segundo pesquisadores que estudam a região após o rompimento da barragem de Mariana (MG), que ocorreu em novembro de 2015. Diferentemente de outros elementos, metais como ferro, cromo, cobre e cádmio, presentes em rejeitos de mineração, não se transformam na natureza. Ainda assim, as pesquisas na foz do rio, em Regência, Linhares, apontam que os níveis de metais na água, em peixes e crustáceos diminuíram. Agora, os pesquisadores querem estudar o efeito das chuvas, que podem piorar o atual cenário. “A preocupação é se um aporte maior de água no rio vai gerar resuspensão (dos metais) e se isso vai prejudicar a qualidade da água de novo. Se tivermos vazão que possa, com as chuvas, levar o material contaminado para o rio, isso pode obviamente piorar a situação”, explica o professor da Universidade Federal do Rio Grande (RS) Adalto Bianchini, coordenador das pesquisas. Segundo ele, as últimas análises, entre janeiro e abril,

Entenda

ESTUDO

É feito por pesquisadores a bordo do navio pesquisa Soloncy Moura - CEPSUL/ICMBio. Entre janeiro e abril, eles foram duas vezes até a foz do rio Doce, no Norte do Estado, e colheram análises de água e vida marinha, com o objetivo de identificar os impactos ecotoxicológicos da lama da Samarco no rio e saúde da população. Novembro de 2015: lama chegou ao mar em Regência | PRISCILLA THOMPSON

apontam que os níveis de contaminação dos metais na foz caíram -- exceção de ferro, que cresceu. Mas que, ainda assim, baseado em experiências com acidentes desse gênero, ele diz: a contaminação deve perdurar por até 20 anos. “O metal é um elemento que tem tendência de se conservar no ambiente. Com o tempo, será transportado (naturalmente) a outras regiões. Mas ficaremos com esse metal por mais tempo. É uma contaminação crônica.” Questionado se o consumo da água ou pescado pode ser prejudical, ele afirma que são necessários estudos específicos. “Cabe agora a Vigilân-

cia Sanitária avaliar quanto o cidadão consome desse pescado e em que frequência isso ocorre para saber se o alimento poderá causar ou não algum tipo de toxicidade”. A partir de 2017 serão iniciados estudos em toda a bacia do Doce. A previsão é monitorar a região por pelo menos cinco anos. Os primeiros resultados foram apresentados ontem na Assembleia Legislativa, Vitória, em audiência pública com a Comissão da Saúde da Casa e representantes da sociedade civil. VINICIUS ARRUDA METRO GRANDE VITÓRIA

PRIMEIROS RESULTADOS

As primeiras análises coletadas entre janeiro e fevereiro apontaram contaminação por metais como cromo, cádmio, cobre, ferro e arsênio, por exemplo. Já em abril, uma segunda análise concluiu que houve uma redução desses metais para níveis toleráveis, com exceção do ferro.

PRÓXIMOS PASSOS

A partir da primeira semana de dezembro, os pesquisadores retornam para a foz do rio para refazer as análises e comparar com os resultados obtidos em abril e a interferência da chuva nesse cenário. E, a partir de 2017, a pesquisa será realizada também na bacia do Doce, por 5 anos.

Tarja preta

Farmacêutico é preso pela PF Um farmacêutico de 42 anos foi preso pela Polícia Federal acusado de integrar um esquema de venda de medicamentos de tarja preta, sem receita médica. As investigações foram iniciadas após denúncia anônima. Segundo a PF, o farmacêutico comprava os receituários de um dentista, e o funcionário de uma farmácia disponibilizava os medicamentos, vendidos na casa do farmacêutico, em Aracruz, há mais de três anos. O preço de remédios para emagrecimento chegava a ser 60% mais alto do que os normalmente praticados. O farmacêutico pode pegar até 30 anos de reclusão. METRO Setor de rochas

Sonegação de R$ 1,5 bilhão Cinco pessoas foram presas ontem durante a segunda fase da Operação Âmbar, do Ministério Público Estadual, em Vargem Alta e Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. O objetivo era desarticular uma organização criminosa suspeita de sonegação fiscal que ultrapassa R$ 1,5 bilhão no setor de rochas ornamentais durante cinco anos. Buscas foram feitas nas residências e empresas dos suspeitos de operar o esquema. METRO

Mudança no trânsito em Jardim Camburi Jardim Camburi, em Vitória, terá novas entradas e saídas voltadas à avenida Norte-Sul, ruas de mão única e ciclovia de 500 m no interior do bairro. As obras, aprovadas pela comunidade, custarão R$ 750 mil, devem começar no início do segundo semestre de 2017 e durar cerca de seis meses. O motorista que vier da Serra não poderá chegar ao bairro entrando diretamente

pela avenida Armando Duarte Rabello, próxima ao Shopping Norte-Sul e à agência da Caixa. Será preciso fazer um contorno pela rua Guilherme Santos, paralela à Norte-Sul e próxima à área da Infraero, para só então acessar a Armando Duarte Rabello. Esta passa a ter sentido único em direção ao interior do bairro. Na mesma região, quem quiser sair de Jardim CamFALE COM A REDAÇÃO leitor.gv@metrojornal.com.br 027/2124-3426 COMERCIAL: 027/3334-1749

O Metro Jornal circula em 23 países e tem alcance diário superior a 18 milhões de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a sexta em São Paulo, ABC, Campinas, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Grande Vitória e Maringá, somando 505 mil exemplares diários.

buri deverá passar pelas ruas Arquiteto Décio Thevenard e Raul de Oliveira, próximas à Grafitusa, que também passam a ter sentido único até a rodovia Norte-Sul. Dali, podem seguir para a Serra ou fazer o contorno da Guilherme Santos rumo a Camburi. No bairro, serão implantados ainda dois semáforos na Herwan Modenese Wanderley [da Maternidade San-

ta Paula], sendo um no cruzamento com a Duarte Rabello, e o outro no entroncamento com a Décio Thevenard. O bairro ganhará também uma ciclovia. “Terá início na avenida Duarte Rabello, passando pela rua Herwan Modenese Wanderley até a praça Nilze Mendes, garatindo mais segurança”, disse a secretária de Desenvolvimento da Cidade, Lenise Loureiro. METRO

750 mil é o valor, em reais, do investimento a ser feito para as alterações no trânsito do bairro. O custo será pago, como compensação de impacto, por um condomínio residencial implantado na região.

EXPEDIENTE Metro Jornal. Presidente: Cláudio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB: 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini Diretora Financeira: Sara Velloso. Gerente Executivo: Ricardo Adamo. Editor-Executivo de Arte: Vitor Iwasso Metro Jornal Grande Vitória. Diretor de Jornalismo: Antonio Carlos Leite (MTB: 20074-82). Editora-Executiva: Zainer Silva. Editora: Luciana Raymundo. Editor de Arte: Cleber Machado. Diretor-geral: Carlos Canelas Magalhães. Gerente Comercial: José César Leite

Editado e distribuído por Metro Jornal S/A. Endereço: Avenida Presidente Costa e Silva, 60, Bairro República, CEP 29070-150, Vitória (ES). O Metro Jornal Grande Vitória é impresso na Gráfica Metro

Filiado ao


GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{FOCO}

Pronto-socorro do São Lucas sai do HPM e volta ao Forte São João Saúde. Hospital terá 210 leitos, e governo do Estado promete acabar com superlotação O pronto-socorro do Hospital São Lucas no bairro Forte São João, em Vitória, será reaberto hoje à população, com 210 leitos -- o dobro oferecido até então nas instalações do HPM (Hospital da Polícia Militar), em Bento Ferreira, também na Capital. Com a mudança, os atendimentos de urgência e emergência voltam a ser feitos exclusivamente no São Lucas, batizado de Hospital Estadual de Urgência e Emergência. No HPM, 64 pacientes ainda internados vão permanecer até receberem alta. A promessa do Estado é acabar com a superlotação do hospital; e a expectativa, atender a 4,7 mil pacientes por mês. Ontem à tarde, o governador Paulo Hartung (PMDB) visitou o pronto-socorro. O espaço, que ocupa o segundo andar do novo São Lucas, tem sete consultórios, cinco salas de observação separadas de acordo com a gravidade do paciente, duas para acolhimento e classificação de risco, uma de pequenas cirurgias e reavaliação, uma de medicação e uma de choque (estabilização). Segundo o secretário de Estado de Saúde, Ricardo de Oliveira, os 109 leitos até então disponíveis no HPM serão transferidos para o Dório Silva, na Serra, que receberá, ao todo, 177 novos leitos até fevereiro de 2017, em enfermarias que estavam desativa-

Entenda

MUDANÇA

O pronto-socorro do Hospital São Lucas - que desde 2010 havia sido transferido para o HPM (Hospital da Polícia Militar), em Bento Ferreira - retorna hoje para a unidade de origem, no bairro Forte São João, em Vitória.

DOBRO DE LEITOS

Parte do Hospital Estadual de Urgência e Emergência só será entregue em 2018

das. “Estamos conversando com a direção do HPM para avaliar se continuaremos ali também.” Ainda segundo Oliveira, a mudança vai acabar com a superlotação. “É o nosso objetivo, porque vamos aumentar a infraestrutura.” Parte das novas instalações do São Lucas foi entregue em 2014 e até então atendia a pacientes em leitos clínicos e cirúrgicos. Até 2018, o governo promete entregar o restante: dois novos prédios com 59 novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), estacionamento e heliponto. O investimento é de R$ 30 milhões.

A nova estrutura conta com 210 leitos, quase o dobro dos 109 oferecidos no HPM. Só no pronto-socorro são 35 -- eram 20 disponibilizados no HPM. O número de leitos de UTI também passa de 10 para 40; e o de leitos semi-intensivos, de 10 para 14. Já o número de leitos clínicos sobe de 69 para 121.

ATENDIMENTOS

O hospital terá capacidade de atender a cerca de 4,7 mil pessoas por mês, em torno de 56,4 mil por ano. O investimento na compra de móveis e equipamentos para o novo pronto-socorro foi de R$ 208 mil.

CONTRATAÇÕES

PRISCILLA THOMPSON

Corredor vazio na nova unidade

METRO GRANDE VITÓRIA

| FOTOS: CHICO GUEDES

Já foram contratados 244 profissionais para atuar no novo espaço, pela organização social que administra o hospital. Os profissionais que atuam no HPM serão realocados para outras unidades da rede pública.

03|

Área de marinha. Novas demarcações suspensas por um ano no Estado Novas demarcações de terrenos de marinha no Estado foram suspensas por um ano, por decisão do Ministério do Planejamento. Segundo o órgão, a decisão foi tomada em virtude do cancelamento da audiência pública que ocorreria na semana passada, para iniciar o processo das demarcações em Vila Velha, que gerou polêmica e motivou até uma ação na Justiça contra a cobrança pela prefeitura do município. Na tarde de ontem, o ministro Dyogo Oliveira se reuniu com a bancada capixaba, que se mobilizou para evitar que a demarcação para gerar novas cobranças fossem realizada em Vila Velha e outras 14 cidades. A senadora Rose de Freitas (PMDB) avaliou que houve um avanço nas negociações com o governo, mas defende uma revisão na legislação. “Propus ao ministro que prorrogue o prazo para além de 2018 para termos tempo adequado para

160 mil moradores de Vila Velha serão impactados com a demarcação dos terrenos de marinha no município trabalharmos na revisão dessa legislação”, afirmou. O deputado federal Lelo Coimbra (PMDB) destacou que esse prazo de suspensão só vai valer se continuarem as ações paralelas e as negociações com o ministério sobre a cobrança. “Vamos negociar com o ministro na semana que vem a proposta da PEC 39, que prevê que as habitações de áreas urbanas consolidadas deveriam ficar fora do conceito de terreno de marinha e isentos da cobrança.” Também participaram da reunião o senador Ricardo Ferraço (PSDB) e os deputados Max Filho (PSDB), Marcus Vicente (PP) e Evair de Mello (PV). METRO

Entenda Novas demarcações começariam por Vila Velha: Ʉ GėČèđÿÝÑȩ A SPU havia agendado duas audiências públicas para iniciar o processo de demarcação na cidade. Contra a cobrança, a prefeitura de Vila Velha cancelou a cessão dos espaços para as audiências e entrou na Justiça. Ʉ 2ėÝÑÿĨģıåĨåĤÕė áåđÑĤÝÑáėĨåđ_ÿČÑ_åČþÑȩ Divino Espírito Santo, Rio da Costa, Morro do Moreno,

Praia do Ribeiro, Praias da Costa, Itapoã, Coqueiral, Itaparica e Barrinha, estuário do rio Jucu e sua baixada e as praias do Peitoril, dos Recifes, Grande, Interlagos, Baleia e Ponta da Fruta. Ʉ GĤęļÿđÑĨÝÿáÑáåĨÑ ĤåÝåÜåĤáåđÑĤÝÑÞěåĨȩ Vitória, Serra, Cariacica, Guarapari, Fundão, Aracruz, Conceição da Barra, São Mateus, Linhares, Presidente Kennedy, Piúma, Anchieta, Marataízes e Itapemirim


04|

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{BRASIL}

Procuradores da Lava Jato ameaçam renunciar Reação. Força-tarefa diz que Câmara ‘rasgou as 10 medidas’ e afirma que abandonarão operação se lei for sancionada. Renan manobra, mas não consegue votação urgente

Pacote desfigurado As 10 medidas originais ficaram restritas a uma Ʉ ɴȩ Criação dos testes de integridade de servidores. Derrubada na comissão. Ʉ ɵȩ Enriquecimento ilícito de agentes públicos passa a ser crime. Derrubada no plenário. Ʉ ɶȩ Eleva pena de corrupção para 4 a 12 anos e de 12 a 25 anos, se o valor for superior a R$ 8,8 milhões. Única aprovada como era.

Para procuradores, pacote ‘instaura a ditadura da corrupção’ | ERNANI OGATA/FOLHAPRESS

Desfigurado durante a madrugada de ontem, o pacote anticorrupção aprovado na Câmara, com medidas mais favoráveis aos políticos e contrárias a juízes e procuradores, gerou repúdio da Força-tarefa da Lava Jato, que ameaçou, inclusive, abandonar as investigações caso o texto seja sancionado pelo presidente Michel Temer. Com diversas alterações em relação ao projeto inicial, como a inclusão da ‘Lei do Abuso de Autoridade’, com punições ao Poder Judiciário e o Ministério Público por crimes de responsabilidade, os procuradores disseram que a medida é o ‘começo do fim da

Ʉ ɹȩ Prazos de prescrição ficam suspensos até que recurso seja julgado. Derrubada no plenário. Ʉ ɺȩ Validar provas obtidas por boa fé. Derrubada na comissão. Ʉ ɻȩ Criminalizar o caixa 2 e punir partidos e dirigentes. Aprovada a criação do crime, mas sem a punição e a anistia ao caixa 2. Ʉ ɼȩ Prisão preventiva para obtenção de provas. Derrubada na comissão.

Ʉ ɷȩ Reduz direito a recursos e limite de habeas corpus. Aprovada diminuição do direito de recorrer.

Ʉ ɴɳȩ Permitir o confisco de bens de acusados. Derrubado no plenário.

Ʉ ɸȩ Acelera processos civis de corrupção e regras para acordo de leniência. Derrubada no plenário.

Ʉ '82V)=ȩ Permite enquadrar juízes e procuradores por crime de abuso de autoridade.

“É o golpe mais forte desferido contra a Lava Jato concretamente, em toda a sua história, pelo Congresso Nacional.” DELTAN DALLAGNOL, COORDENADOR DA FORÇA-TAREFA DA LAVA JATO

Lava Jato’. “Nossa proposta é de renunciar coletivamente. [A lei] cria um risco para os procuradores, pois não estaremos mais protegidos pela lei. Não é possível em nenhum Estado de Direito que não se protejam promotores e procuradores contra os próprios acusados”, disse o procurador regional do MPF (Ministério Público Federal) Carlos Fernando dos Santos Lima. De acordo com o MPF, a

VOTAÇÃO MACIÇA

‘Lei da Intimidação’ chega na hora em que a Lava Jato estava ‘cada vez mais perto de crimes de corrupção praticados por um número significativo de parlamentares influentes’. Pressa O projeto nem sequer foi encaminhado ao Senado, mas o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), tentou ontem à noite aprovar um pedido de urgência, que poderia

até forçar a votação imediata – saiu derrotado por 44 votos a 14. Ele frisou ser favorável às mudanças feitas em alguns pontos. “Propostas como informante do bem, validação de provas ilícitas e teste de integridade só seriam aceitas em um regime fascista, não na democracia”, avaliou. O texto só deve ir a plenário no próximo ano. Protestos A manobra sobre o pacote anticorrupção será alvo de protestos no domingo. Grupos de direita e esquerda se mobilizam nas redes sociais para atos em diversas cidades do país. METRO CURITIBA E BRASÍLIA

Acompanhe como cada partido votou na emenda que pune juízes, procuradores e promotores por crime de responsabilidade. No site do Metro, você pode ver como votou seu deputado em cada uma das medidas do pacote anticorrupção: TOTAL: A favor Contra Abstenções

Partido DEM PCdoB PDT PEN PHS PMB PMDB PP PPS PR PRB Pros PSB PSC PSD PSDB PSL Psol PT PTB PTdoB PTN PV Rede Solidariedade

17 7 14 2 3 0 46 34 1 29 19 0 16 5 20 10 2 0 54 12 3 10 1 0 8

331 132 5

7 0 1 1 4 1 9 7 7 4 1 4 12 2 13 32 0 5 1 5 1 3 4 4 4

1

1 1 2

ES. Deputados dizem que ninguém está acima da lei A ‘Lei do Abuso de Autoridade’, que prevê punições para juízes, promotores e procuradores por crime de responsabilidade, foi uma das medidas mais polêmicas incluídas no pacote contra a corrupção na madrugada de ontem. Os deputados federais que representam o Estado que votaram a favor dessa medida justificam sua posição alegando que membros do Judiciário não devem ter tratamento diferente dos outros cidadãos, caso cometam um crime. Os deputados do Espírito Santo que votaram a favor foram Sérgio Vidigal (PDT), Helder Salomão (PT), Givaldo Vieira (PT) e Jorge Silva (PHS). Vidigal afirma que essa medida que diz respeito ao Judiciário estava no relatório apresentado na comissão que avaliou o assunto, mas foi retirada pelo relator antes da votação. “Votamos o retorno da emenda, pois foi retirada sem o conhecimento do plenário. Ninguém está acima da lei. Hoje, um juiz que comete um crime é punido com aposentadoria vitalícia”, frisa. Na visão de Vidigal e Salomão, a aprovação não vai atrapalhar em nada as investigações da Lava Jato. “Esse pacote não é para punir políticos. Vale para todo cidadão brasileiro”, destaca Salomão. Já o deputado Evair de Melo (PV) diz que a votação foi uma trajédia anunciada. “Foi produzida uma emenda de plenário para atrapalhar as investigações da Lava Jato e para tirar poderes do Ministério Público. Faz isso quem quer esconder os crimes que cometeu e a corrupção”, frisa. METRO

Lula depõe e afirma desconhecer Grupos protestam no atuação de Cunha na Petrobras domingo contra medidas Mesmo orientado pela defesa para não responder as perguntas do MPF (Ministério Público Federal) e dos advogados de Cunha, o ex-presidente Lula Inácio Lula da Silva falou ontem em seu primeiro depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, afirmando ser o ‘maior interessado na verdade’. Lula disse desconhecer uma suposta participação do ex-deputado Eduardo Cunha

(PMDB-RJ) tanto na nomeação de Jorge Zelada para a diretoria Internacional da Petrobras quanto na compra de direitos de exploração de um campo de petróleo de Benin, na África. O petista foi convocado pela defesa de Cunha no processo da Lava Jato no Paraná contra o ex-deputado. A audiência foi feita por videoconferência de São Bernardo do Campo (SP). Questionado pelos advo-

gados do peemedebista sobre quem teria indicado Zelada, Lula respondeu: “Eu acredito que tenha sido o PMDB, da mesma forma que o [Nestor] Cerveró [antecessor de Zelada] foi indicado. Passa pelo Congresso, bancadas, partidos, Casa Civil, GSI [Gabinete de Segurança Institucional] e a exigência é que a pessoa seja tecnicamente competente e tenha história na Petrobras”. METRO CURITIBA

Depois da aprovação das medidas anticorrupção na Câmara dos Deputados, com diversas alterações em relação ao projeto inicial, manifestantes prometem tomar as ruas de Vitória e Vila Velha no domingo contra a votação realizada pelos deputados. A previsão é que os movimentos se reúnam a partir das 16h no posto Moby Dick, na Praia da Costa, em Vila Velha e no mes-

mo horário na Praça do Papa, em Vitória. Raquel Gerde, membro do Movimento Brasil Livre, afirma que dependendo do número de manifestantes que devem se reunir em Vila Velha, eles vão atravessar a ponte para encontrar com o grupo de Vitória. “Fizeram uma emenda em cima do relatório criminalizando o Judiciário. Eles querem intimidar a Justiça. Vamos pa-

ra a rua a favor da Lava Jato”, afirma. A médica Jéssica Polese, do movimento Vitória da Ética, criticou o fato de os deputados terem alterado o projeto inicial e ainda terem votado apesar dos protestos em Brasília e do acidente com a delegação da Chapecoense. “Venham para as ruas no domingo quem for contra a corrupção”, convoca. METRO


06|

Juros. Banco Central reduz REPERCUSSÃO Selic pela segunda vez no ano O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central anunciou ontem uma nova redução dos juros básicos da economia, de 14% ao ano para 13,75% ao ano. No mês passado, o comitê também cortou a Selic em 0,25 ponto percentual, a primeira queda em quatro anos. A decisão foi unânime e já era amplamente esperada pelo mercado financeiro. Em comunicado, o BC destacou que a economia mostrou-se mais fraca do que o esperado no curto prazo. “A evidência disponível sinaliza que a retomada da atividade econômica pode ser mais demorada e gradual que a antecipada previamente”, diz. O BC avalia ainda que a inflação recente mostrou-se mais favorável que o es-

13,75% ao ano é taxa de juros, que foi reduzida em 0,25 ponto percentual

“É muita recessão para um corte pífio de Selic. Não há dúvida de que são necessários cortes mais agressivos da taxa de juros ” PAULO SKAF, PRESIDENTE DA FIESP E DO CIESP

perado. Além disso, para o comitê, os passos no processo de aprovação das reformas fiscais têm sido positivos até o momento. Por outro lado, o BC considera o cenário externo especialmente incerto, citando a possibilidade de aumento da taxa de juros nos Estados Unidos. “Há elevada probabilidade de retomada do processo de normalização das condições monetárias nos EUA no curto prazo e incertezas quanto ao rumo de sua política econômica”, afirma METRO

“É acertada a decisão [...] Esperamos, agora, que haja continuidade da política de redução dos juros” ALENCAR BURTI, PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO

“A queda é muito tímida” PAULO PEREIRA DA SILVA, PRESIDENTE DA FORÇA SINDICAL

Jim Delligatti mostra sua invenção | REPRODUÇÃO/TWITTER

98 anos. Morre o homem que criou o Big Mac

Ministro da Energia, Mohammed Bin Saleh Al-Sada | HEINZ-PETER BADER/REUTERS

Petróleo. Ação da Petrobras salta com acordo da Opep As ações da Petrobras tiveram a maior alta percentual diária desde março. Os papéis ordinários encerraram com ganho de 10,59%, a R$ 18,47, e as preferenciais tiveram valorização de 9,14%, a R$ 16,00. O mercado reagiu à disparada do petróleo no cenário internacional, depois que a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) fechou o primeiro acordo para corte da produção desde 2008. O Ibovespa fechou em alta de 1,51%, a 61.906,36 pontos, após ter caído 2,97% na véspera. Apesar disso, o índice acumulou queda de 4,65% no mês. No ano, acumula ganho de 42,81%.

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{ECONOMIA}

A Opep fechou ontem seu primeiro acordo para corte de produção desde 2008. Segundo comunicado oficial da entidade, o nível de produção será reduzido dos atuais 33,6 milhões de barris diários para 32,5 milhões – queda de 3,27%. O acordo está em linha com a proposta da Argélia. O fechamento do acordo fez o preço da commodity disparar no exterior. Segundo a agência Reuters, o petróleo Brent para entrega em janeiro, negociado em Londres, subiu 8,82%, a US$ 50,47 o barril, enquanto o petróleo tipo WTI, negociado em Nova York, ganhou 9,6%, a US$ 49,44 o barril. METRO

Jim Delligatti, o inventor do Big Mac, morreu ontem aos 98 anos. Quando o McDonald’s vendia apenas opções simples de cheesebuguer e milk shake, Delligatti decidiu criar uma versão grande para o lanche. A rede foi contra a receita inovadora, mas acabou se rendendo em 1968, quando o lanche foi lançado nas lojas dos EUA. METRO

Brasil tem o pior resultado do PIB entre 40 países Recessão. Queda de 0,8% no terceiro trimestre coloca em risco recuperação esperada para 2017. Investimentos despencam 3,1% O Brasil fica na lanterna do ranking mundial com 40 países que representam 83% do PIB mundial. Segundo o levantamento da Austin Rating, a Índia foi o país com o melhor desempenho (alta de 7,3%), seguida por Filipinas (7,1%) e China (6,7%). A economia brasileira encolheu 0,8% no trimestre passado sobre os três meses anteriores, marcando o sétimo trimestre seguido de contração. Sobre o igual período de 2015, o PIB despencou 2,9%. Os destaques da economia brasileira foram as quedas dos investimentos e consumo, quadro que dificulta ainda mais a recuperação da atividade esperada para 2017. No ano, o tombo do PIB chega a 4%, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No período de julho a setembro, os investimentos voltaram a despencar, com uma queda de 3,1%, a mais acentuada desde o último trimestre de 2015 (-4,4 %). Para Alexandre Espirito Santo, economista da Órama Investimentos, o retorno ao crescimento torna-se ainda mais desafiador, pois os empresários estão reticentes e vêm adiando os investimentos. “Precisamos, urgentemente, das reformas, que estabilizem nossa situa-

EVOLUÇÃO DO PIB 0,1

Variação em relação ao trimestre anterior, em %

0,2

-0,9 -2,3 3º TRI 4º TRI 2014

1º TRI

PERÍODO DE COMPARAÇÃO PIB AGROPECUÁRIA INDÚSTRIA SERVIÇOS INVESTIMENTOS CONSUMO DAS FAMÍLIAS CONSUMO DO GOVERNO

-1,1

-1,6

2º TRI 3º TRI 2015

4º TRI

-0,5

-0,4

1º TRI

2º TRI 2016

3º TRI

Mesmo trimestre do ano anterior

Trimestre anterior -0,8% -1,4% -1,3% -0,6% -3,1% -0,6% -0,3%

-0,8

-2,9% -6% -2,9% -2,2% -8,4% -3,4% -0,8%

FONTE: IBGE

ção fiscal e permitam quedas mais significativas da taxa de juros. Sem essas, a recuperação será muito mais lenta e comedida e será adiada para meados de 2017”, afirma. Em meio ao aumento do desemprego e queda da confiança, o consumo das famílias caiu 0,6% no terceiro trimestre sobre o anterior. Os serviços, por sua vez, recuaram 0,6% no período, também a sétima retração seguida. Diante desse cenário, o Bradesco piorou as projeções para o PIB para este ano, que passou de queda de 3,4% para declínio de 3,6%. Já a previ-

são de crescimento em 2017 foi reduzida de 1% para 0,3%. Segundo o Ministério da Fazenda, a principal razão para o resultado do PIB foi o elevado nível de endividamento das empresas, que refletiu na queda do investimento. “Esse quadro decorreu de condições anteriores ao estabelecimento da nova agenda econômica do governo, que se mostraram mais graves do que inicialmente percebidas”, diz. O governo manteve as projeções para 2016 e 2017. A previsão é de retração de 3,5% para 2016 e crescimento de 1% para 2017. METRO

Supermercado. Vendas crescem 1,16% no ano As vendas dos supermercados cresceram 1,16% no acumulado do ano, entre janeiro e outubro, de acordo com a Abras (Associação Brasileira de Supermercado). No mês passado, as vendas do setor tiveram alta de 4,78% sobre setembro e de 0,71% em relação ao mesmo período de 2015. Segundo o vice-presidente da Abras, João Sanzovo, medidas adotadas pelo governo federal levaram à melhora dos indicadores econômicos. “Existe uma

estabilidade nas vendas e também, no fim do ano, a perspectiva é de que continue estável. Não são números bons, mas também não vão piorar”, avalia Sanzovo. O índice Abrasmercado, que calcula o custo da cesta básica, aumentou 0,18% em outubro, passando para R$ 484,67. No acumulado de janeiro a outubro, a cesta apresentou alta de 16,02%. A elevação foi influenciada pelo aumento de preços das carnes nobres (5,72%). METRO

Preços de supermercado subiram 16% neste ano | MARCELO CAMARGO/ABR


GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{MUNDO}

Trump deixará empresas para cuidar dos EUA Autodemissão. Magnata eleito presidente está sob pressão para evitar a influência do cargo a favor de seus negócios particulares Sob pressão para evitar qualquer conflito de interesses, o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, disse ontem que irá deixar seus negócios. “Farei uma grande coletiva de imprensa na cidade de Nova York, com meus filhos, em 15 de dezembro, para debater o fato de que vou deixar meu grande negócio totalmente para poder me concentrar plenamente na administração do país para tornar a América grande novamente!”, disse o magnata. Críticos vêm indagando como o republicano irá evitar um conflito de interes-

se entre a presidência e um império imobiliário de propriedades espalhadas pelo mundo. Trump disse que a lei não exige que ele altere seu relacionamento com seu negócio, mas acrescentou: “Sinto que é visualmente importante, como presidente, não ter um conflito de interesse de maneira nenhuma com meus vários negócios”. “Sendo assim, estão sendo preparados documentos legais que me afastam completamente das operações de negócios. A presidência é de longe uma tarefa mais importante!”

Relutante em abrir mão de um empreendimento que tornou seu nome conhecido em todo o mundo, Trump chegou a argumentar que não tinha necessidade de se separar da Trump Organization. “O estrago político a uma nova gestão poderia ser amplo. Se o senhor Trump não liquidar [seus bens], será acusado de motivo pecuniário em qualquer ocasião em que adote uma posição na formulação de políticas”, publicou em editorial o “The Wall Street Journal”. METRO Leia mais no metrojornal.com.br

07|

Cuba. Começa o cortejo com cinzas de Fidel

Trump em jantar com Romney: equipe em formação | REUTERS

Secretário do Tesouro é exbanqueiro do Goldman Sachs Steven Mnuchin, 53 anos, ex-sócio do Goldman Sachs e financiador de Hollywood, foi escolhido por Trump como secretário do Tesouro para conduzir a política econômica de seu governo. Mnuchin, que passou 17 anos no Goldman Sachs e saiu em 2002 para montar um hedge fund, foi responsável pelas finanças de campanha de Trump. O investidor bilionário Wilbur Ross, conhecido por seus investimentos em indústrias em di-

ficuldades, deve ser nomeado secretário do Comércio. Na terça-feira, Trump jantou com Mitt Romney, candidato presidencial republicano em 2012. Romney o criticou duramente durante a campanha presidencial, mas o elogiou após o jantar. “Ele continua com uma mensagem de inclusão, de unir as pessoas”, disse o ex-governador, que é cotado para secretário de Estado. METRO

Uma cortejo com as cinzas de Fidel Castro partiu de Havana ontem para realizar uma jornada de 900 quilômetros e três dias até Santiago de Cuba, no leste, refazendo a rota usada por seus revolucionários na marcha vitoriosa rumo a Havana, onde Fidel proclamou a vitória em 1959. O ex-líder foi cremado no último sábado. O funeral acontecerá no domingo. Na noite da última terça-feira, milhares de cubanos, além de líderes dos aliados esquerdistas de Cuba e de outros países em desenvolvimento, reuniram-se na Praça da Revolução de Havana para uma homenagem a “El Comandante”. Fidel era admirado especialmente na América Latina e na África, por ter enfrentado os EUA. Mas muitos o criticavam por ser um ditador que arruinou a economia do país e negou aos cubanos direitos humanos básicos, como liberdade de expressão. METRO


08|

{DIA INTERNACIONAL DE LUTA CONTRA A AIDS

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br PEXELS

+ ESPECIAL

A AIDS NÃO ESCOLHE Campanha virtual

Conectados contra a Aids As redes sociais vêm sendo cada vez mais usadas para o debate de assuntos importantes. Pensando nisso, o Instituto Emílio Ribas, protagonista desde os anos 1980 no tratamento de HIV, lançou a campanha “Mobilização Virtual Contra a Aids 2016”. Com o apoio da Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas Sobre HIV/Aids) e do Fundo PositHIVo, a ideia é se solidarizar e conscientizar a população sobre o crescimento da doença por meio de um filtro, que insere o laço o vermelho — símbolo internacional de compromisso na luta contra a DST— na foto de perfil do Facebook. As hashtags criadas para movimentar a discussão são #BoraSeCuidar e #SeJoganaPrevenção. Para participar, acesse apps.facebook.com/ diadelutacontraaids.

suas vítimas

A Aids já não é mais novidade para a maioria das pessoas nem provoca o pânico de quando ocorreram os primeiros casos da doença no Brasil, nos anos 80. Apesar disso, o número de infectados vem aumentando ano a ano. Para se ter uma ideia, houve cerca de 83,5 mil casos nos primeiros 15 anos da epidemia no país. Só no Espírito Santo, são 12,2 mil pessoas infectadas pelo vírus desde a década de 80. E a cada ano são registrados aproximadamente 1,1 mil novos casos no Estado. No período de 1995 a 2004, já foram registrados mais de 300 mil casos e, entre 2005 e junho de 2015, nada menos do que 410 mil ocorrências, de acordo com o último Boletim Epidemiológico HIV/ AIDS, divulgado pelo Ministério da Saúde. A cada 15 minutos, um novo caso de Aids é diagnosticado no Brasil. Jovens: um grupo sem medo Pessoas de 15 a 24 têm se tornado foco de atenção para as autoridades no país quando o assunto é HIV. E não é para menos: as taxas de Aids entre essa população mais do que duplicou nos últimos anos, segundo dados do Ministério da Saúde. No Estado, a maioria dos novos casos está entre homens de 20 a 29 anos. De 2013 a 2015, houve aumento de 170% no número de casos nesse grupo.

Falta prevenção. Mais de 30 anos depois do surto da Aids, o número de infectados continua aumentando, tanto entre jovens, quanto entre adultos e idosos Para a infectologista Raquel Muarrek, do Hospital São Luiz, o fato tem a ver com uma maior confiança nos tratamentos que a medicina oferece, fazendo com que os jovens se preocupem menos com a prevenção. A coordenadora do programa de DST e Aids da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), Sandra Fagundes, fala também sobre o comportamento de risco assumido conscientemente por essas populações. “Trata-se de um hábito e uma opção pelo não uso do preservativo, em muitos casos”, diz. A pesquisa “Juventude, Comportamento e DST/Aids”, realizada pela Caixa Seguros com o acompanhamento do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), entretanto, revelou que os adolescentes também continuam desinformados e com falsas crenças

quando o assunto é sexo: quatro em cada dez jovens brasileiros acham que não precisam usar preservativo em um relacionamento estável. Incidência nos adultos... Falar em sexo com preservativo como método de prevenção de DSTs pode até parecer conselho de pai para filho adolescente, mas a verdade é que a maior concentração dos casos de Aids no Brasil está nas pessoas de 25 a 39 anos. Inclusive, é na faixa etária de 25 a 29 anos que há o maior número de casos de gestantes infectadas com HIV. Nos últimos dez anos, grávidas acima de 40 anos também têm aumentado as estatísticas. Jean Gorinchteyn, médico do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, um dos pioneiros em tratamento de HIV no Brasil, destaca a impor-

12,2 mil é o número pessoas infectadas pelo vírus HIV no Espírito Santo desde a década de 80

15 min é o intervalo de tempo médio entre cada caso da doença diagnosticado no país tância do diagnóstico precoce, a fim de que a mãe não transmita o vírus para o filho. “Além disso, assim que a criança nasce, ela é submetida ao uso de antirretrovirais diretamente na via sanguínea”, complementa. Tudo para impedir a infecção.

Sandra Fagundes explica que, no Estado, os índices de transmissão da doença de mãe para filho, na gestação, caiu, graças ao acompanhamento no pré-natal e o tratamento adequado oferecido às mães infectadas. ...e nos idosos Se a expectativa de vida está crescendo, o número de idosos ativos sexualmente também tem aumentado. A preocupação, segundo o médico Gorinchteyn, é que muitos não têm o hábito de usar ou nem se quer sabem como colocar o preservativo. O Ministério da Saúde revelou um aumento não apenas no número de pessoas a partir de 60 anos com HIV, como também um aumento no número de óbitos por Aids nessa faixa etária, que dobrou em 12 anos. METRO

O caminho é a prevenção A principal causa para altos índices de infecção está, sim, na ausência do preservativo. Do total de casos de Aids entre as pessoas a partir de 13 anos, a via de transmissão sexual é a responsável por 95,4% dos casos entre os homens e por 97,1% entre as mulheres. E nada de achar que exa-

mes com resultados negativos eliminam as chances de o parceiro estar com o vírus e transmiti-lo. Existe uma fase chamada de janela imunológica, conhecida como o “período do falso negativo”. A Aids propriamente dita só se desenvolve na última fase da infecção, podendo demorar anos para se

manifestar. Por isso, exames corriqueiros, incluindo imunológicos, são sempre muito bem-vindos para diagnósticos precoces. No Espírito Santo, a rede pública disponibiliza testes rápidos e gratuitos nas unidades de saúde, que fornecem o resultado em apenas 15 minutos. METRO


GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{CULTURA}

09|

‘O Filho Eterno’ emociona com história sobre Down Nos cinemas. Baseado em bestseller autobiográfico de Cristóvão Tezza, longa apresenta Marcos Veras e Débora Falabella no elenco

Longa marca estreia do menino Pedro Vinícius como ator | DIVULGAÇÃO

Mais do que tratar das dificuldades de criar uma criança com Síndrome de Down, “O Filho Eterno”, nos cinemas do Brasil, traz à tona as questões que envolvem qualquer relação entre pai e filho. Dirigida por Paulo Machline, de “Natimorto” (2009), a produção é baseada no livro homônimo de Cristóvão Tezza. “O filme mostra um pai com atitudes questionáveis, mas não fizemos dele um vilão, queríamos discutir as dificuldades da paternidade e como um ser humano pode mudar e entender que pode amar seu filho. Eu não sou pai e a história me tocou em lugares que eu nem sabia que existiam”, diz o ator

“Mergulhar nesse universo que era desconhecido para mim, a Síndrome de Down, foi uma bela forma de fazer cinema.” PAULO MACHLINE, DIRETOR

Marcos Veras, que vive Roberto um escritor em início de carreira.

lo sagrado. Na segunda, contemporânea e fantasiosa, um vampiro responsável por controlar a cidade onde vive faz negociatas para manter-se em segredo enquanto vê o poder lhe escapar. As tramas misturam religião e política, dois dos assuntos mais presentes na obra do autor de “Bom Dia, Noite” (2003), que apresentou o filme em São Paulo durante a 40ª Mostra Internacional de Cinema, no último mês.

“Há um discurso sobre um poder que não consegue mais se manter, em parte, pela virtude dos adversários, mas também pela globalização, que destruiu o isolamento daquela cidade em relação ao mundo inteiro”, afirma Bellochio. O fato de colocar em evidência um local tão íntimo tem a ver com o cinema do diretor, que explora fatos e situações singulares com abordagem completamen-

te universalizada. “O que faço, o que filmo e o que imagino são coisas que eu vivi. A política, a religião, a família são experiências que me foram extremamente importantes e podem ser encontradas no que faço. Se você permanecer apenas na superfície da sua região, é claro que outras pessoas não vão se interessar. O caráter universal vem se consigo abordar com profundidade aquilo sobre o qual falo.”. METRO

CULTURA

O filme se passa nos anos 1980, época ainda nebulosa em relação a informações sobre crianças com Síndrome de Down. O personagem de Veras vê sua vida profissional e conjugal ao lado da jornalista Cláudia (Débora Falabella) virar um verdadeiro caos enquanto seu filho Fabrício (Pedro Vinicius) cresce. Com leveza e sem apelar para melodramas, a trama emociona por tratar uma questão universal: a relação paternal. “Todas as cenas foram tocantes e emocionantes. Não sei se é por eu ser mãe, mas desenvolvi uma ligação muito afetiva com esse filme”, conta Débora. METRO RIO

Política encontra religião em filme Em “Sangue do Meu Sangue”, que estreia no circuito nacional de cinema, o diretor italiano Marco Bellochio entrelaça duas histórias ambientadas em torno de um antigo convento, mas separadas por séculos. Na primeira, situada na Idade Média, um soldado busca fazer com que a amante de seu irmão, que se suicidou, confesse tê-lo seduzido para que ele – um padre – possa ser enterrado em so-

2

Cineasta esteve em São Paulo no último mês em São Paulo| DIVULGAÇÃO

metrojornal.com.br

Sucesso fora Elza Soares foi confirmada como atração do festival Primavera Sound 2017, que acontece em Barcelona entre 31/5 e 4/6. Tocam ainda no evento Seu Jorge, Arcade Fire e Bon Iver.


10|

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{CULTURA}

Beber, comer, viver

ANDRÉ ANDRÈS BEBERCOMERVIVER @GMAIL.COM

É preciso ter força

Jose Ignacio: da Casa Silva para a casa dos Maturana

Há esperança na dor? Há. Quando a tempestade passa, quando cicatrizes surgem, quando a calmaria substitui a tormenta, é possível recuperar forças, buscar caminhos, encontrar saídas. Assim é na história - a Primeira Guerra Mundial foi geradora de uma série de avanços, dos tecnológicos, como os da cirurgia plástica, aos sociais, como o da autonomia feminina. Assim é na vida. A família Maturana só foi se redescobrir como família e desenvolver um projeto próprio e peculiar de produção de vinhos após um terremoto. E nem outra armadilha do destino abalou sua capacidade de recuperação, facilmente comprovada nos brancos e tintos recém-chegados ao mercado brasileiro. Jose Ignacio Maturana Perez trabalhou durante 15 anos na Casa Silva, conceituada e conhecida vinícola chilena. Foi gerente da área de enologia e enólogo-chefe. Seu pai, Javier, mantinha, uma pequena produção de vinhos em sua casa centenária, no

Vale de Colchagua. E veio o primeiro desastre: o terremoto de 2010, um dos mais fortes da história do país, destruiu a propriedade. Abalou a história da família. E, depois, provocou uma nova união. “Passamos a ver a vida familiar sob um outro prisma. Buscamos um sustento de longo prazo e pensamos em desenvolver o que realmente amamos: a elaboração de vinhos de alta qualidade”, conta Jose Ignacio, segundo de cinco filhos. Começava a surgir ali o MW, iniciais de Maturana Wines, tradução do projeto idealizado por Jose Ignacio e seu pai: um tinto de produção limitada, sem nenhuma intervenção na evolução do caldo. Esse estilo acabou sendo aperfeiçoado por uma viagem do enólogo para a Borgonha em 2011. Ele ficou dois meses por lá. Trabalhou na colheita. Conversou com pequenos produtores. Observou a forma de produção da região. E, principalmente, aprendeu a entender o vinho como forma de vida.

As coisas começavam a se acertar quando surgiu a segunda tormenta na vida dos Maturana: um incêndio destruiu a casa dos pais de Jose Ignacio. “Terremos destroem paredes, o fogo acaba com a memória. Perdemos recordações e fotos de várias gerações da família”, lamentou ele, entre uma e outra taça provada dias atrás em Vitória. O trio formado pelo enólogo, seu pai, Javier, e o irmão Sebastian, escalado para cuidar da área comercial, conseguiu ressurgir literalmente das cinzas. Passou a investir também em vinhos mais acessíveis, mas de qualidade superior ao seu preço. Já fazia isso com a linha Puente Austral, criada em 2012. A tendência foi reforçada com o Kula, um vinho capaz de resumir a saga dos Maturana. “Kula” significa “três” na língua mapuche. O rótulo traz a figura de três homens. Em pé. Como estão os Maturana e como todos devemos ficar diante das armadilhas e quedas colocadas em nosso caminho pelo destino...

FOTOS: DIVULGAÇÃO

S. BLANC RESERVA PRIVADA Um Sauvignon Blanc muito bom. Fresco, com toques minerais, com acidez equilibrada, frutas cítricas no ponto certo. Sem exageros. Tem grande chance de fazer sucesso no verão que se aproxima.

R$ 59

KULA CAB. SAUVIGNON

MATURANA WINES-MW

O tinto que, à sua maneira, resume a história dos Maturana integra a linha básica de produção da família chilena. A Cabernet Sauvignon é conduzida para render um vinho muito honesto para a sua faixa de preço.

O vinho top dos Maturana é uma mescla de Carménère (80%) e Cabernet Sauvignon (20%). Passa 13 meses em barricas franceses. O objetivo de Jose Ignacio é claro: manter as características naturais da uva.

R$ 45

R$ 380

PUENTE AUSTRAL GRAN RESERVA

PUENTE AUSTRAL RESERVA PRIVADA

Mistura de Cabernet Sauvignon (70%) e Syrah (30%). Tinto potente, mas não chega a ser robusto. Muitos toques de especiarias (pimenta do reino, por exemplo). Bem gostoso.

A Carménère brilha sozinha. E brilha bem: taninos arredondados, notas de frutas vermelhas, um vinho que mostra as características de produção dos Maturana.

R$ 105

R$ 59

TODOS OS VINHOS ESTÃO À VENDA NA ZANATTA WINE

Tintim Tignanello está entre os Top Ten 2016 da Wine Spectator A conceituada revista americana lança, na segunda-feira, a lista dos 100 melhores vinhos de 2016. Jão são conhecidos os rótulos que ocupam da sexta à décima colocação. Bem conhecido por aqui, o Tignanello 2013 (R$ 800) aparece na oitava posição. METRO

Série ‘Game of Thrones’ ganha linha oficial de vinhos americanos Serão um Chardonnay, um Cabernet Sauvignon e um blend tinto. Os rótulos, óbvio, lembram a série de sucesso da HBO. Serão produzidos pela Vintage Wine Estates e custarão até US$ 40. Ponto negativo: as garrafas não chegarão a tempo de virar presente de Natal... METRO

André Andrès é colunista de vinhos há sete anos. Mas sabe que ainda tem muito a aprender sobre tintos, brancos e espumantes

Vinho da semana: o ótimo branco Oxford Landing Chardonnay A safra provada foi a de 2006, ou seja, o branco tinha 10 anos. E estava muito bom, ainda mais pelo seu preço: R$ 85. O Chardonnay produzido pela australiana Yalumba estava arredondado pelo tempo. Toques de amêndoa. Problema: não tem no mercado. METRO


GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{CULTURA}

11|

Artesanato em união Evento. ArteSanto 2016 reúne mais de 500 artesãos, especialmente de associações e de comunidades, na Praça do Papa, Vitória, até domingo Casacas, panelas de barro, esculturas em madeira, joias, bordados, acessórios para casa e peças de decoração de todo o país estão em exposição até o próximo domingo na ArteSanto 2016 - Feira Nacional do Artesanato do Espírito Santo, que acontece na Praça do Papa, em Vitória. O evento reúne mais de 500 expositores, em especial associações e comunidades de artesãos do Estado, e tem como objetivo promover e comercializar esses trabalhos. As peças, feitas em madeira, metal, tecidos, borracha, papel e outros materiais, chamam a atenção pela qualidade e também pela beleza. Nos estandes, também é possível conhecer um pouco da história de cada grupo e da criação dos produ-

Vá lá! ArteSanto 2016 Feira Nacional do Artesanato do Espírito Santo Onde: Praça do Papa, Enseada do Suá, Vitória. Quando: hoje e amanhã, das 16h às 22h; sábado, das 10h às 22h; domingo, das 10h às 21h. Apresentações musicais: amanhã, às 20h, e domingo, às 17h. Entrada gratuita.

tos, explica o secretário de Estado de Assistência Social, Rodrigo Coelho. “É possível conhecer, por exemplo, técnicas passadas de pai para filho na criação de joias ou o bordado desenvolvido por ex-marisqueiras de Regência (em Linhares), que tiveram que buscar outra atividade

depois da chegada da lama (no Rio Doce)”, conta. A feira foi criada em 2013 e também ajuda a difundir o artesanato capixaba. “Entendemos que são instrumentos culturais importantes para o Estado”, explica Coelho. Peças feitas na hora Na entrada da feira, o visitante pode acompanhar a confecção de peças feitas na hora por mestres artesãos. O evento também conta com a presença de profissionais de outros Estados, como Paraíba, Minas Gerais e Santa Catarina. Deles, vieram perfumes e peças em fios e madeira. A feira também possui espaço gastronômico e área para shows, que acontecem amanhã e no domingo. Toda a programação é gratuita. PRISCILLA THOMPSON/METRO

Artesãs de Regência, em Linhares, Lidiane Ferreira e Dalva Martins fazem peças com bordados | CHICO GUEDES/METRO GV


12|

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{PUBLIMETRO} Os invasores

Leitor fala

Na ponta do lápis

Tragédia Ainda sem palavras diante da tragédia que acometeu o time da Chapecoense, dou os parabéns a vocês pela cobertura deste triste fato, que ficará nas nossas memórias.

MARCOS SILVESTRE MARCOS.SILVESTRE@METROJORNAL.COM.BR

CARLOS AUGUSTO VARGAS

AS IMPERDÍVEIS OFERTAS DE NATAL: VAMOS NESSA?

Tragédia 2

Cruzadas

Capa simples e emocionante a de hoje. #forcachape

Ho-ho-ho! Todo final de ano a tentação de consumo é grande: já em novembro a decoração natalina invade o comércio, tem o “esquenta” da Black Friday, e ficamos todos animados com o clima de “lá vem o Papai Noel”! Ok, a vida foi feita para ser celebrada, e as grandes datas festivas nos ajudam a colocar colorido no dia a dia. Só não vale abandonar o equilíbrio financeiro para embarcar nessa “alegria” toda!

RAFAEL SANTOS

Mosquitos

Moro na Mata da Praia, já vi muitas nuvens de mosquitos, mas igual agora... Meu estoque de inseticida já acabou de novo! LUIZA VALADARES

Imperdíveis... ah é? As verbas de marketing de fabricantes e lojas para o final do ano são fortíssimas, o que significa que veremos muitos anúncios de ofertas tentadoras. Cuidado: boa parte disso pode ser puro oba-oba comercial! Para evitar falsas promoções, ainda em setembro ou outubro, vale ir se inteirando do verdadeiro preço daquilo que se pretende comprar no Natal, para poder comparar direito.

Distribuição

O Metro faz minha alegria de manhã, com informação direta, rica e ao mesmo tempo gratuita! Faz mágica! EDUARDO NASCIMENTO

É o caso de comprar, mesmo? Antes de comprar, pergunte-se: eu quero? Eu preciso? Eu mereço? Eu posso? Eu devo? Não é porque se trata da maior data festiva do ano, e porque todo o mundo está (aparentemente) comprando, que você precisa comprar também. Em vez de focar nas “coisas”, pode compensar mais focar nas experiências: as festas de Natal e da virada, um passeio ou até uma viagem.

Distribuição 2

Meus parabéns ao pessoal que entrega o Metro. MICHELLY LEMOS

Quer mais?

Juros embutidos. Se for comprar algum bem de maior valor em parcelas, pergunte-se: as novas parcelas caberão no orçamento, juntamente com as já existentes, daquelas dívidas contratadas antes? Caberão com folga, da primeira à última? Então some os valores das parcelas e compare o total com o (verdadeiro!) preço à vista (conforme pesquisa que você fará): tem juros embutidos? Se tiver... esqueça!

Clique metrojornal.com.br para acessar conteúdo exclusivo, atualização de nossas reportagens, todos os nossos colunistas e galerias com as melhores imagens do dia.

Escondidinho. Um exemplo: a TV LCD é anunciada em uma certa loja em 12 parcelas “sem juros” no cartão de R$ 199,90 cada uma. Isso dá, no total, R$ 2.400,00. Pesquisando em outras regiões de comércio o mesmo aparelho, do mesmo modelo, na caixa, com nota fiscal e garantia, tudo bonitinho, você encontra por R$ 2 mil para pagamento à vista. Então... fica claro que estão lá R$ 400,00 de juros.

Para falar com a redação:

leitor.gv@metrojornal.com.br Participe também no Facebook:

www.facebook.com/metrojornal

Sudoku

Olha a viraaada! Cuidado também para não abusar das compras de final de ano, porque logo janeiro estará aí. Como acontece em todo comecinho de ano, lá vêm IPVA dos carros, IPTU da casa e renovação do uniforme e do material escolar das crianças. Tudo isso terá de caber no orçamento familiar, que anda apanhando do desemprego e da inflação. Mas... se entrar em 2017 com o “bolso direito”... vai prosperar! Economista com MBA em Finanças (USP), atua como orientador de famílias e educador em empresas (Metodologia PROFE®). Comentarista econômico do Grupo Bandeirantes de Rádio e TV, é autor de “Os 10 Mandamentos da Prosperidade” e dirige o site www.educarparaprosperar.com.br.

Horóscopo

www.estrelaguia.com.br

Está escrito nas estrelas POR: GUILHERME SALVIANO

Marte – que rege seu signo – faz bom aspecto com Júpiter, favorecendo um novo momento na condução de projetos junto a outras pessoas.

Tenha cuidado para que a ansiedade com algumas expectativas não tire sua concentração junto a assuntos mais simples.

Um bom aspecto de Marte com Júpiter – regente de seu signo – aponta mais chances para decisões que venham impulsionar metas especiais.   

Aproveite mais momentos culturais, seja com amigos, familiares ou mesmo na vida amorosa. Tendências a exercitar mais sua fé e religião.

Momento especial para divulgações no trabalho. Também há tendências para se dedicar a novas habilidades que deseja desenvolver.

A Lua em seu signo indica tendências para se envolver de maneira mais intensa com responsabilidades diante de suas relações. 

Período mais indicado para pesquisas diante de assuntos materiais e profissionais. Mais estratégia e menos alardes serão essenciais.

Uma dose de saudosismo será mais comum, algo que será mais frequente desde um vídeo ou música. Às vezes faz bem ficar sentimental.

Tendências a recompor as energias, tanto através de espiritualidade, crenças, estudos em atividades de lazer que façam bem ao corpo.

Será essencial observar um pouco mais o ponto de vista de outras pessoas. Saber antes o que os outros pensam ajudará a evitar atritos.

Dia mais propício para se dedicar a gostos culturais, leituras, atividades escritas e para colocar correspondências em ordem.

bem às suas emoções.

Temas que envolvam grupos ou causas voluntárias despertarão mais a sua dedicação e farão

Soluções


GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{CULTURA}

13|

O preconceito em ‘Tintim’ Quadrinhos. Globo Livros lança pela primeira vez os quadrinhos originais do repórter belga no Brasil – e falta não só cor, como tato às publicações Tintim foi criado para crianças, mas hoje em dia é melhor deixar as primeiras aventuras do repórter longe dos pequenos. Suas primeiras histórias, publicadas entre 1930 e 1932 pelo belga Hergé se destacam não só por serem em preto e branco – o que destoa do forte colorido que elas ganhariam nas décadas seguintes –, mas também por serem uma síntese da preconceituosa visão da Europa colonialista. Inspirada em edições internacionais, as histórias foram reunidas em três livros – ‘Tintim no Congo’ (1931), ‘Tintim na América’ (1931) e ‘Os charutos do faraó’ (1932) – e já foram publicadas no Brasil anteriormente em sua versão revista dos anos 1950. Agora, porém, pela primeira vez elas chegam ao Brasil em seu formato original, sem cores, e em luxuosa edição com capa dura. Publicadas por Hergé em edições

Em viagem ao Congo, Tintim fica obcecado por caçar um leão | REPRODUÇÃO

semanais, elas mostram em seu original a crueza por trás de muitas das situações “cômicas” dos quadrinhos. Passagens polêmicas Em sua viagem ao Congo, por exemplo, Tintim derruba por acidente um trem de passageiros. Sua solução é mandar os negros nativos levantarem a locomotiva e justifica que,

sem seus gritos, eles ficam preguiçosos. Em outro momento, ele atira em uma família inteira de antílopes para fazer seu jantar. Na viagem aos Estados Unidos, Tintim trata tanto os chineses que moram em Chicago quanto os indígenas americanos como bandidos e inferiores. Infelizmente, o posicionamento crítico fica pratica-

Para prender Al Capone, Tintim faz um estardalhaço nos EUA | REPRODUÇÃO

mente só a cargo do leitor. A edição insere uma nota de rodapé no fim dos livros comentando a postura de Tintim em apenas dois parágrafos e sem destaque. Do ponto de vista da importância histórica, porém, o tradutor Érico Assis faz um ótimo trabalho, traduzindo com boa fidelidade até o vocabulário pobre que Hergé usou em seus tex-

tos originais para retratar os nativos dos três livros. A narrativa menos preconceituosa é a do mistério do desaparecimento de pesquisadores em uma tumba faraônica perdida do Egito. Não é só por isso, todavia, que ‘Cigarros do Faraó’ é o melhor livro dessa coleção, e essa narrativa também é a mais coesa.

O livro consegue ligar melhor os pequenos episódios pelos quais o repórter passa em uma história única. Abstraída essa questão política, a edição das três obras é encantadora. Os livros têm um acabamento muito elegante e são altamente recomendados a colecionadores de quadrinhos clássicos, inclusive por seu preço – R$ 59,90 cada um, valor abaixo do que é cobrado em edições especiais como a dos três livros recém-editados. Além destes, outros seis livros de Tintim foram originalmente publicados em preto e branco, incluindo a primeiríssima história do repórter, ‘Tintim no País dos Sovietes’ (1930), e indo até as histórias de 1950. Nenhuma dessas, porém, tem previsão de publicação próxima. BRUNO BUCIS METRO BRASÍLIA


14|

3 ESPORTE

“É uma escolha difícil, mas que eu tive que fazer. Na verdade, como sempre disse, não era nem para eu ter vindo neste ano. Ia me dedicar apenas à minha família em 2016, mas fui convencido pelo Alexandre Mattos, pelo presidente, pelo projeto que foi apresentado a mim e, claro, pelo meu amor ao Palmeiras. Torço desde criança, nunca escondi isso de ninguém. Saio muito feliz e com a missão cumprida. Tenho certeza de que voltarei um dia para continuar a minha história no clube” TÉCNICO CUCA, EXPLICANDO SUA DECISÃO DE DEIXAR O PALMEIRAS

‘Falha total elétrica e de combustível’ Tragédia na Colômbia. Em último contato com a torre do aeroporto de Medellín, piloto do voo que levava delegação da Chapecoense e profissionais da imprensa relata problemas no avião e insiste em ter autorização para pousar Um diálogo de aproximadamente 11 minutos divulgado ontem pela Blu Radio, da Colômbia, revela a insistência do piloto boliviano Miguel Quiroga com a torre de controle do aeroporto José Maria Córdova, em Medellín, para pousar o avião da LaMia, modelo Avro RJ85, que transportava a delegação da Chapecoense e profissionais da imprensa por conta da situação de emergência da aeronave. O avião caiu na madrugada de terça-feira na região de Antióquia e deixou 71 mortos. Apenas 6 sobreviveram. Durante a conversa, o comandante revela que a aeronave estava em “pane total elétrica e de combustível”. Por isso, ele pede em diversas ocasiões da gravação, feita momentos antes do acidente, que haja prioridade para aterrissagem diante do quadro. A controladora que está em contato com Quiroga dá ordens para que a aeronave permanecesse no ar e aguardasse porque havia uma emergência com outro veículo, um Airbus da empresa Viva Colômbia, que estava sendo atendido no mesmo momento. Em um dos trechos, o piloto informou que voava a 9 mil pés (2.743 metros), abaixo da altura recomendada pela Aeronáutica Civil da Colômbia para a região montanhosa de Cerro El Gordo que é 10 mil pés (3.048 metros), onde a aero-

Boliviano Miguel Quiroga, que pilotava o Avro RJ85, informou problemas à torre | REPRODUÇÃO/FACEBOOK

REPRODUÇÃO/FLIGHTRADAR24

Ponto final

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{ESPORTE

O VOO LMI-2933 DO AVIÃO LAMIA AVRO RJ85 De acordo com dados do site de rastreamento de voos FlightRadar24, o voo LMI-2933, que transportava a delegação da Chapecoense e profissionais de imprensa, mostra a diminuição brusca de velocidade e altitude até a queda. Já no rastro de trajeto, é possível ver que o avião ficou voando em círculos esperando a autorização do aeroporto de Medellín

Hipótese de que avião não tinha combustível suficiente ganha força O avião Avro RJ-85, da LaMia, não tinha autonomia para fazer o trajeto entre Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e Medellín, na Colômbia. É o que apontam especialistas ouvidos pela rádio BandNews FM sobre o acidente que vitimou 71 pessoas no voo que levava a delegação da Chapecoense para a disputa da final da Copa Sul-Americana. Segundo o comandante Carlos Camacho, ex-diretor do Sindicato Nacional dos Aeronautas, uma aerona-

ve só pode decolar se tiver capacidade para voar por mais tempo do que apenas até o destino programado: “É preciso ter combustível até o trajeto previsto, além de uma rota alternativa e ainda mais 30 minutos para emergências, totalizando 45 minutos de sobra.” O site oficial da LaMia, que estava fora do ar na terça-feira, dia do acidente, mostra que o modelo tem autonomia para voar, no máximo, 2.965 quilômetros com o tanque cheio. O por-

tal Flight Radar, que monitora voos em todo o mundo, aponta que o voo LMI-2933 percorreu 2.975 km até desaparecer do radar. A hipótese principal é que o piloto Miguel Quiroga tenha tentado completar o voo sem ter combustível suficiente. Diretor da Aeronáutica Civil da Colômbia, Alfredo Bocanegra reforçou a tese e confirmou que o avião não tinha autonomia para o percurso e deveria ter parado para reabastecer. METRO

nave se acidentou. Em seguida, o piloto pede as coordenadas para iniciar os procedimentos de pouso e as recebe. A torre ainda informa a distância do avião para pista, que era de 13km, avisa que há chuva e que os bombeiros haviam sido acionados. O contato, então, é perdido. Quando o avião fica sem comunicação com a torre de comando, ele sobrevoava as cidades de La Ceja e Aberrojal, à 0h33 de Brasília, e a queda ocorreu à 1h15 no Cerro El Gordo – de acordo com informações do aeroporto de Medellín. O outro voo A advogada brasileira Hanna Pfeffer, passageira do avião da Viva Colômbia que ganhou prioridade para aterrissar, contou à BandNews FM que o tempo era relativamente bom naquele momento, com uma chuva fraca, mas que enfrentou turbulência durante o trajeto. “Após uma hora de voo foi informado que estávamos tendo problemas com um vazamento de combustível e que deveríamos fazer um pouso de emergência na cidade próxima de Medellín, Rio Negro. Depois, houve muito pânico, todos muito apreensivos, com medo. E acabamos pousando”, relatou. METRO Ouça a gravação completa entre piloto e torre no metrojornal.com.br

Plano de voo previa parada para abastecer O plano de voo do LaMia previa a possibilidade de parar no caminho para reabastecimento. De acordo com o general boliviano Gustavo Vargas, diretor da empresa, as cidades de Cobija, na Bolívia, e Bogotá, na Colômbia, eram alternativas para aterrissagem em caso de necessidade. Em entrevista ao canal local Unitel, Vargas revelou que não houve como realizar o procedimento. “Lamentavelmente não pudemos reabastecer a aeronave em Cobija, que era o

ponto inicial, porque ficou tarde e este aeroporto não funciona à noite. Então eliminamos Cobija, mas o piloto tinha outra alternativa, que era Bogotá”, disse, antes de ponderar a decisão de Miguel Quiroga: “Antes de passar por Bogotá ele tinha de tomar a decisão, se estava com combustível teria que seguir, mas se havia algo errado com o combustível deveria parar. Se continuou é porque avaliou que podia. Continuou e aconteceu esta catástrofe.” METRO


GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{ESPORTE}

Notícias positivas Na Colômbia. Primeiros boletins médicos indicam pequenas melhoras dos sobreviventes da tragédia. Neto, Alan Ruschel e Follmann seguem sob observação, entubados; e tripulação não corre risco de morte Boletim médico Neto (jogador) O zagueiro chegou ao hospital com edemas no crânio e no tórax. Ele passou por drenagem torácica e tem boas condições circulatória e neurológica. Ainda passará por novos procedimentos nas pernas para fechar feridas e evitar infecções. Ele teve fraturas nos membros inferiores em decorrência do choque e está internado na clínica Somer, de Rio Negro. Alan Ruschel (jogador) O lateral passou por cirurgia na terça-feira para estabilizar uma fratura na coluna. Ele teve lesão em uma das vértebras e correu risco de ficar tetraplégico, mas, segundo o porta-voz da Chapecoense, Andrei Copetti, não há mais essa possibilidade. Alan também está na clínica Somer.

Fachada da clínica San Juan de Dios, na cidade de La Ceja | ADRIANO VIZONI/FOLHAPRESS

Os primeiros boletins médicos, divulgados ontem, foram positivos para os sobreviventes da tragédia aérea que resultou na morte de 71 pessoas na Colômbia. Os primeiros tratamentos, fundamentais na recuperação, mostraram que o seis resgatados dão sinais de melhora. Esperança Familiares do zagueiro Hélio Hermito Zampier Neto, mais conhecido como Neto, torcem pela melhora no estado de saúde do jogador, que é natural do Rio de Janeiro. Último a ser resgatado com vida, ele se recupera bem depois de realizar uma drenagem torácica. A mãe do jogador, Va-

léria Zampier, disse que quando soube da tragédia procurou manter a tranquilidade. “Fiquei esperando e torcendo pelo melhor. Esse time é como uma família e Deus sabe o que é melhor para cada um”, disse em entrevista à BandNews FM. Veja ao lado as informações médicas sobre cada um dos sobreviventes. Gritos O bombeiro Arquimedes Mejía, um dos primeiros a chegar ao local do acidente com o avião da Chapecoense, contou à Rádio Caracol que as vítimas estavam presas às cadeiras da aeronave e que os gritos dos sobreviventes ajudaram no resgate.

“Os corpos  estavam amarrados às cadeiras e não havia cheiro de combustível, não havia queimaduras em ninguém. O avião estava partido em três partes”, afirmou o bombeiro em entrevista à Rádio Caracol. “As pessoas que foram resgatadas com vida estavam na parte de cima da montanha. Os corpos dos mortos estavam no cânion, mais abaixo”, prosseguiu. Outro bombeiro, Juan Diego Gómez, afirmou que dez pessoas foram socorridas ainda com vida. Entre elas, um membro da comissão técnica da equipe catarinense, mas que acabou morrendo minutos depois. Ele não teve o nome confirmado. METRO

Follmann (jogador) O goleiro teve perna direita amputada abaixo do joelho. Na esquerda, sofreu lesões musculares e vasculares que exigirão novos procedimentos médicos. Follmann ainda corre o risco de perder o pé esquerdo e está sendo avaliado. Ele está na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital San Vicente Fundacion de Rio Negro, entubado, mas respirando normalmente. Rafael Henzel (jornalista) O jornalista teve trauma torácico e costelas quebradas, além de lesões em braços e pernas. O impacto também atingiu seu pulmão. Ele está entubado, mas respirando normalmente, e evoluiu bem aos procedimentos médicos. Ximena Suárez (tripulante) Está fora de perigo. Teve lesões ocasionadas pelo impacto, mas sem atingir órgãos vitais. Teve fraturas nas pernas. Segue sob observação. Erwin Tumiri (tripulante) Está fora de perigo. Foi resgatado consciente. Teve lesões decorrentes de impacto, mas nenhuma de alta gravidade.

15|

Tripulação. Sobrevivente conta que luzes se apagaram Uma das seis sobreviventes da tragédia na Colômbia, a auxiliar de voo Ximena Suárez conversou no hospital com o governador de Antioquia, Luis Pérez. De acordo com o relato dela ao político, as luzes do avião apresentaram falhas pouco antes da queda. “O pouco que ela falou foi que as luzes começaram a desligar de forma gradual e que em 40 a 50 segundos ela sentiu a pancada. Ela se recorda até aí. É a única evidência que temos. Não podemos aumentá-la ou menosprezá-la para não atrapalhar a investigação”, disse Pérez, em entrevista à rede Caracol. Além de Ximena Suárez, os outros sobreviventes são os jogadores Jackson Follman, Alan Ruschel e Neto, o técnico da aeronave Edwin Tumiri e o jornalista Rafael Henzel. Posição fetal Outro sobrevivente da tragédia, o boliviano Erwin Tumiri revelou no hospital na Colômbia que escapou da morte ao seguir um protocolo de segurança recomendado para acidentes aéreos. Segundo Erwin, que era um dos tripulantes da aeronave, ele permaneceu em posição fetal com uma mala entre as pernas, o que amenizou o impacto da queda. “Com a situação de pânico, muitos se levantaram dos assentos e começaram a gritar. Coloquei umas malas entre as pernas e fiquei na posição fetal, recomendada para acidentes”, completou, em entrevista ao jornal boliviano “La Razón”. METRO

Velório coletivo será na Arena Condá

Preparativos para o velório na Arena | TARLA WOLSKI/FUTURA PRESS

A Chapecoense, a Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal, a Prefeitura de Chapecó e o Governo de Santa Catarina fizeram ontem uma simulação de como será feito o velório das vítimas do acidente aéreo na Colômbia. A expectativa da organização é que 100 mil pessoas compareçam na Arena Condá para prestar a última homenagem aos atletas, dirigentes, membros da comissão técnica e jor-

nalistas vítimas na tragédia. A intenção do time é que todos sejam primeiramente velados no gramado e, em seguida, liberados para o enterro em suas respectivas cidades de origem. “Não podemos confirmar quando o velório será feito porque dependemos da liberação dos corpos. Mas isso está sendo feito de maneira muito rápida e diria que a tendência é que o velório aconteça na sexta-feira. A nossa intenção é que

todos os envolvidos, inclusive os jornalistas, sejam homenageados aqui no gramado, mas vamos respeitar a preferência dos familiares”, explicou o vice-presidente do Conselho Deliberativo, Gelson Dalla Costa. Os corpos serão colocados em três ou quatro caminhões, dependendo da quantidade de corpos que forem liberados e autorizados pela família para ir para Chapecó. Os familiares do técnico Caio Júnior, por

exemplo, inicialmente não pretendiam que seu corpo fosse levado para a cidade catarinense. Os veículos farão o trajeto entre o aeroporto e o estádio, com cerca de 45 minutos, levando os caixões, que estarão lacrados. A tendência é que o velório se inicie pela manhã. Os caixões ficarão no gramado, alinhados em tendas de forma que os torcedores consigam transitar entre eles. METRO


16|

GRANDE VITÓRIA, QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016 www.metrojornal.com.br

{ESPORTE}

90 minutos de silêncio Emoção. Tanto em Medellín como na Arena Condá, torcedores levam sua mensagem de carinho às vítimas da tragédia. Mundo todo presta homenagem A noite de ontem marcaria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, que aconteceria às 21h45 (de Brasília), no estádio Atanasio Girardot, em Medellín, contra o Atlético Nacional. A tragédia impediu a Chapecoense de entrar em campo. Mas tanto o local onde aconteceria a partida quanto a Arena Condá, casa da Chape, foram tomadas por torcedores em tributo às vítimas. Não faltaram emoção, lágrimas e mensagens de apoio. No estádio de Santa Catarina, familiares e integrantes do clube, foram ovacionados pelas arquibancadas completamente lotadas. Quando chegou o momento do jogo, as homenagens cessaram para dar lugar a um silêncio em tributo às vítimas. Em Medellín, foi às 21h45 que as homenagens começaram, com o povo colombiano abraçando a dor dos brasileiros, dos chapecoenses, do mundo. Mais de 100 mil pessoas passaram pelo estádio e muitos ficaram de fora, já que a capacidade máxima havia sido alcançada. A maioria dos torcdores foi vestida de branco, com velas e flores. Houve cerca de uma hora de homenagens, com a participação dos jogadores do Atlético. Com muito respeito e carinho, com direito ao canto “Vamos, vamos, Chape!” METRO

Torcedores organizaram uma festa emocionante na Arena Condá | RICARDO MORAES/REUTERS

Jogadores que não viajaram também participaram | ANTONIO CARLOS MAFALDA/FOLHAPRESS

Mascote da torcida da Chapecoense | ANTONIO CARLOS MAFALDA/FOLHAPRESS

No canto direito, prédio da Fiesp com o símbolo da Chape, em São Paulo. Ao lado, o uruguaio Cavani comemoragol feito ontem e mostracamisa com a frase “Força ACF”

Mauricio de Sousa e sua equipe também lembraram o time catarinense. Acima, jogadores do Real Madrid entraram em campo com a frase “Todos Somos Chapecoense. O game Fifa 2017 liberou os uniformes Chapecoense gratuitamente

Manchester United e West Ham fizeram um minuto de silêncio em homenagem à Chape. O United passou por tragédia aérea parecida em 1958

TIMES VÃO HOMENAGEAR A CHAPE COM ESCUDO DO CLUBE NAS CAMISAS

IMAGENS: REPRODUÇÃO

Colo-Colo (Chile)

América de Cali (Colômbia)

Audax Italiano (Chile)

Racing (Argentina)

Saint-Étienne (França)

Rosário Central (Argentina)

Nacional (Uruguai)

Huracán (Argentina)


20161201_br_vitoria