Page 2

02|

1 FOCO

BRASÍLIA, QUARTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2015 www.metrojornal.com.br

{BRASIL}

PM de SP usa bombas de gás contra alunos Violência. Policiais dispersaram protesto contra ocupação de escolas e desobstruíram via bloqueada com cadeiras e carteiras. Pelo menos quatro adolescentes foram detidos Um ato de estudantes contra a reorganização das escolas públicas estaduais em São Paulo terminou em confronto com a PM (Polícia Militar) e pelo menos quatro adolescentes foram detidos. O protesto foi na avenida Nove de Julho, no centro. A via foi parcialmente bloqueada com o uso de cadeiras e carteiras pelos jovens. Por volta das 19h, o trecho na altura da Avanhandava foi totalmente fechado por alunos do Caetano de Campos e de outras unidades de ensino que irão para o modelo de ciclo único da Secretaria da Educação. Às 21h, homens da Força Tática e policiais com escudos e cassetetes chegaram ao local e utilizaram bombas de efeito moral para liberar a avenida. Os estudan-

Jovem foi imobilizado por PM | JOEL SILVA/FOLHAPRESS

tes jogaram sacos de lixo para tentar conter o avanço da PM. Um ônibus teve os vidros quebrados quando passava pelo corredor da Nove de Julho. Jovens foram imobilizados e colocados à força em carros da PM e levados para

delegacia. Os nomes dos adolescentes não foram divulgados até as 23h de ontem. Segundo policiais que participaram da ação, ela foi “necessária e com a força exigida para liberar a via”. O comando da PM afirma que só avançou após os ado-

lescentes se recusarem, mesmo com uma tentativa de negociação, a liberar a avenida. Do outro lado, os estudantes afirmam que foram surpreendidos pela PM, que “adotou a truculência com aval do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)”. Pelo menos 190 unidades de ensino seguem ocupadas no Estado, segundo a Secretaria da Educação. A Apeoesp, sindicato dos professores, afirma que esse número é de 208. O Ministério Público informou ontem que ingressará com uma ação na Justiça pedindo a suspensão da reorganização, que resultará no fechamento de 92 escolas. A decisão da Promotoria ocorre no mesmo dia de publicação do decreto oficializando as mudanças no “Diário Oficial”. METRO

Samarco. Lama não está no fundo do mar, diz Ibama A lama de rejeitos da Samarco já atingiu uma área de 80 km2 no mar do Espírito Santo, mas os sedimentos não estão se depositando no fundo do oceano. Segundo o Ibama, diferententemente do observado no rio, os sedimentos permanecem boiando pouco abaixo da superfície. A analista ambiental do Ibama Cinthia Masumoto explica que os sedimentos têm se diluído facilmente ao chegar ao mar, o que deve minimizar os impactos. “Em épocas de chuvas intensas, a turbidez chega a ser ainda maior que a observada agora. Mas ainda é preciso avaliar as análises físico-químicas da água para saber se há risco de contaminação por metais pesados”, disse. Justiça cobra informação Ontem, a Justiça determinou que a Samarco apresente, em até dois dias, relatórios de monitoramento, inclusive dos sedimentos no mar, sob pena de multa diária de R$ 10 milhões. METRO VITÓRIA

Comissão põe CPMF no Orçamento Kiss. Sócio diz que não

Voto de papel

Crítica do TSE O presidente do TSE (Tribunal Superior Federal), Dias Toffoli, fez novo apelo para que o governo e o Congresso encontrem os R$ 200 milhões necessários para a compra de novas urnas com voto impresso. “O valor que a Justiça Eleitoral está precisando é muito menor do que o Fundo Partidário”, afirmou. Hoje, os partidos dividem R$ 867 milhões. Sem o recurso, as eleições de 2016 serão feitas em cédulas de papel, ameaça o Judiciário.

O governo projeta para setembro do próximo ano o início da cobrança da CPMF. Numa articulação do Palácio do Planalto, o novo imposto sobre as movimentações financeiras foi incluído pela Comissão Mista do Orçamento no relatório final do Orçamento de 2016. A decisão partiu de uma emenda, elaborada pela equipe econômica, e apresentada pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS) e contrariou o parecer do relator da proposta, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), que não havia incluído a receita, uma vez que o tributo nem sequer foi criado. “Não quer dizer que a CPMF está aprovada”, lembrou o relator. Para que a projeção do governo dê resultado, a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da CPMF pre-

R$ 10,1 bi é a estimativa de arrecadação líquida com a entrada em vigor da nova CPMF a partir de setembro de 2016. cisa ser aprovada na Câmara e no Senado até o início de junho, para entrar em vigor 90 dias depois de promulgada. A criação do imposto está parada na Câmara e ainda depende da criação de uma comissão especial para começar a ser analisada. O relator da proposta também ainda não foi escolhido. A previsão é de uma arrecadação líquida de R$ 10,1 bilhões com o imposto -- R$ 12,7 bilhões, menos R$ 1,2 do IOF (Imposto sobre Operações FALE COM A REDAÇÃO leitor.bsb@metrojornal.com.br 061/3966-4607 COMERCIAL: 061/3966-4615

O Metro jornal circula em 23 países e tem alcance diário superior a 18 milhões de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a sexta em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, ABC, Campinas e Grande Vitória, somando 495 mil exemplares diários.

Financeiras). Os dois impostos não podem ser cobrados ao mesmo tempo. A ideia original do Ministério da Fazenda era conseguir R$ 24 bilhões com a CPMF, mas o atraso na votação fez o governo trabalhar com uma receita menor. Esta não é a primeira projeção sobre proposta que ainda precisa ser votada. Há uma previsão de R$ 10 bilhões com recursos arrecadados com a entrada em vigor que permite a repatriação de patrimônio no exterior. Meta fiscal O Congresso analisaria ontem a proposta que autoriza a revisão da meta fiscal do governo este ano permitindo fechar as contas no vermelho em R$ 119,9 bilhões. Por acordo, a análise da projeto, que é polêmico, ficou para hoje. METRO BRASÍLIA

sabia de show pirotécnico Sócio da boate Kiss na época do incêndio que matou 242 pessoas e feriu cerca de 600 em 2013, em Santa Maria (RS), Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko, negou ontem que soubesse do show pirotécnico dentro do estabelecimento. No depoimento, ele contradisse a fala do ex-vocalista da banda Gurizada Fandangueira. Marcelo de Jesus dos Santos havia relatado que o uso de artefatos pirotécnicos na casa noturna tinha o consentimento de Kiko. Confrontado sobre as contradições entre os dois depoimentos, Kiko disse que foi ele que contratou a banda, mas que em nenhum momento foi falado sobre show pirotécnico. Os réus são acusados de homicídio qualificado por

EXPEDIENTE Metro Brasil. Presidente: Cláudio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini Diretora Financeira: Sara Velloso. Gerente Executivo: Ricardo Adamo Editor-Executivo de Arte: Vitor Iwasso Metro Brasília. Diretor-editor: Cláudio Humberto. Editor-Executivo: Lourenço Flores (MTB: 8075) Editores de Arte: Cláudia Lorena e Priscila S. Belavenute. Gerente Executivo: Vandler Paiva Grupo Bandeirantes de Comunicação Brasília. Diretor Geral: Flávio Lara Resende

Editado e distribuído por Metro Jornal S/A. Endereço: SBS Quadra.02 - Bloco "Q" - Ed. João Carlos Saad - 15º andar, CEP 70070-120, Brasília, DF, Tel.: 061/3966-4615. O Metro Brasília é impresso na Gráfica Moura.

Kiko falou ontem por cinco horas em Santa Maria | MÁRCIO DAUDT/TJRS

motivo torpe e emprego de fogo, asfixia ou outro meio insidioso ou cruel que possa resultar perigo comum. Após os interrogatórios, será aberto prazo para que acusação e defesas apresentem por escrito alegações finais, último passo antes de o juiz decidir se os réus serão levados a júri popular. Todos respondem ao processo em liberdade. METRO POA

Filiado ao

20151202_br_brasilia  
Advertisement