Page 15

ABC, QUARTA-FEIRA, 4 DE JUNHO DE 2014 www.metrojornal.com.br

{ESPORTE}

Missão cumprida

|15|◊◊

Em Goiânia. Brasil goleia e até dá ‘olé’ contra o Panamá. Apesar da fragilidade do rival, time demora para engrenar

3 ESPORTE

Equipe comemora gol anotado sobre os panamenhos no Serra Dourada. Sexta, desafio é contra a Sérvia, em São Paulo | RICARDO MORAES/REUTERS

O Brasil goleou o Panamá por 4 a 0, em Goiânia, no penúltimo teste antes de estrear na Copa do Mundo contra a Croácia, dia 12. Mas, a Seleção demorou a entusiasmar os mais de 30 mil torcedores que foram ao Serra Dourada. A partida começou com os panamenhos bem fechados na defesa. O Brasil até que tentou tomar as iniciativas. Só que abusou do ritmo preguiçoso, sem partir para cima dos rivais, tentando abafar, como foi sua marca registrada na conquista

4 0 • •

Julio Cesar; Daniel Alves (Maicon), David Luiz (Henrique), Dante e Marcelo (Maxwell); Luiz Gustavo, Ramires (Hernanes) e Oscar (Willian); Hulk, Fred (Jô) e Neymar . Técnico: Luiz Felipe Scolari

BRASIL

McFarlane (Calderón); Machado, Román Torres (Cummings), Baloy e Carroll (Rodríguez); Cooper (Jimenez), Henríquez, Gómez e Quintero (Torres); Tejada (Nurse) e Muñoz. Técnico: Hernán Gómez

PANAMÁ

Gols. Neymar aos 27 e Daniel Alves aos 40 minutos do 1º tempo; Hulk a 1 e Willian aos 27 minutos do 2º tempo. Arbitagem. Raul Orozco (BOL)

da Copa das Confederações, no ano passado. Jogando em clima de treino, os brasileiros tiveram de usar uma tradicional arma (que por sinal andava meio esquecida) para resolver a situação: um gol

de falta de Neymar, aos 27 minutos do 1º tempo. A exemplo dos treinos no dia anterior, quando acertou a maioria das cobranças contra Julio Cesar, o camisa 10 foi preciso e abriu o placar.

Treze minutos depois, Daniel Alves marcou o segundo, com um chute de fora da área. Depois de levar os dois gols no 1º tempo, o Panamá foi desanimando e os espaços em sua defesa – e mais gols – apareceram para fazer a festa da torcida. Exigente, como sempre, o técnico Luiz Felipe Scolari esbravejou e gesticulou no final da primeira etapa. “Eu queria que nosso time trabalhasse melhor as jogadas”, disse. No primeiro minuto do 2º tempo, os espaços apareceram para os brasileiros e a goleada se consumou, primeiro com um genial toque

de calcanhar de Neymar para a bomba de Hulk. Willian, um dos seis jogadores que saiu do banco de reservas para o jogo, marcou o quarto gol. Segundo Felipão, a oito dias da Copa, apesar da goleada, ainda falta muito para seu time jogar um futebol de campeão que encantou na Copa das Confederações. Promete gesticular muito mais e trabalhar duro para chegar lá. FERNANDO VALEIKA DE BARROS E FABIANE GUIMARÃES DE GOIÂNIA, PARA O METRO

Neymar: 200 gols na carreira O futebol do Brasil nem sempre foi lá aquelas coisas, em Goiânia. Mas, Neymar, o craque do time, fez o que se esperava dele: correu muito, marcou os adversários, deu dribles desconcertantes, fez uma precisa cobrança de falta, um genial toque de calcanhar para o gol de Hulk, criou a jogada para Willian fechar a goleada... E ainda quase fez mais um, de bicicleta. Mas a bola que colocou na rede entrou na história: foi o 200º gol do atacante na carrei-

ra, sendo o 45º com a camisa da Seleção (incluindo as equipes sub-20, olímpica e sub-17). “Feliz por ter cumprido mais uma meta em minha vida, não sabia que sairia com a camisa da Seleção, mas estou feliz e espero poder fazer muito mais”, disse o camisa 10. Pé na forma Ao longo das Copas do Mundo, o Brasil já teve grandes cobradores de falta: Didi, em 1958 e 1962, Rivellino em três Mundiais dos anos 1970, Zi-

co, nas Copas da Espanha e México, Branco na conquista do tetra em 1994, e -- mais recentemente – as bombas de esquerda de Roberto Carlos. Neymar quer entrar neste time. Que, de acordo com Scolari, ainda tem David Luiz para cobranças de longe, Daniel Alves para falta do lado direito e Marcelo para a esquerda. “Sempre treinei faltas e continuo trabalhando para me especializar neste fundamento”, disse o atacante ao Metro Jornal. METRO

Neymar diz que está com 70% da capacidade física | ANDRESSA ANHOLETE/METRO BRASÍLIA

Roland Garros

Sharapova

A russa Maria Sharapova venceu ontem a espanhola Garbine Muguruza por 2 sets a 1 – parciais de 1/6, 7/5 e 6/1 – e avançou para as semifinais do torneio de Roland Garros, na França. Também ontem, o sérvio Novak Djokovic bateu o canadense Milos Raonic por 3 a 0 – 7/5, 7/6 (5) e 6/4 – e chegou às semifinais. Hoje, é a vez de o espanhol Rafael Nadal enfrentar o compatriota David Ferrer. O jogo é às 11h30 e tem transmissão do Bandsports.

20140604_br_metro abc  
20140604_br_metro abc  
Advertisement