Page 2

|02|

1 FOCO

BRASÍLIA, TERÇA-FEIRA, 11 DE FEVEREIRO DE 2014 www.readmetro.com

{BRASIL}

Banco é multado em R$ 67 milhões por espionagem vestigação. MPT-PR acusa HSBC de contratar empresa para monitorar 152 empregados doentes em vários estados entre 1999 e 2003 O HSBC foi condenado a pagar uma indenização de R$ 67,5 milhões em danos morais coletivos por ter espionado 152 empregados de todo o Brasil que eram afastados por doenças. O objetivo era investigar as atividades extrabanco. Os casos ocorreram entre 1999 e 2003. A decisão é do juiz Felipe Calvet, da 8ª Vara do Trabalho de Curitiba, com base em uma ação civil pública ajuizada pelo MPT-PR (Ministério Público do Trabalho no Paraná) em 8 de agosto de 2012. O banco teria contratado a empresa CIE (Centro de Inteligência Empresarial) para monitorar os funcionários. “Dossiês feitos mostram que os investigadores privados contratados chegavam a entrar nas residências dos funcionários, reviravam seu lixo em busca de informações pessoais, especialmente informações a respeito de outras fontes de renda. Houve abordagens de investigadores que fingiram realizar pesquisas e entregar flores, com o objetivo de recolher informações sobre

Donadon

Queria voto secreto O deputado-preso Natan Donadon (sem partidoRO) pediu para ter o processo de cassação analisado no plenário amanhã com o voto secreto. A defesa do parlamentar condenado a 13 anos e 4 meses de prisão diz que a proibição de sessão secreta em sessões de perda de mandato foi instituída após a instauração do processo no Conselho de Ética.

Mais Médicos. Mais um cubano deixa o programa

Ministério Público investiga o caso desde 2012 | RODRIGO FÉLIX LEAL/METRO CURITIBA

o empregado. Nos dossiês constavam fotos e vídeos da família do funcionário, inclusive de crianças”, contou o procurador do trabalho responsável pela ação, Humberto Mussi de Albuquerque. Segundo o procurador, eram obtidas informações como horários de saída e volta à casa, local de destino, meio de transporte e trajes quando saíam, hábitos de consumo, informações sobre cônjuges e filhos, antecedentes criminais, ajuizamento de ações trabalhistas, participação em sociedade comercial e

posse de bens como carros. O valor da indenização será revertido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador. Cada trabalhador investigado poderá ainda entrar com uma ação individualmente contra o banco, pedindo uma indenização por dano moral individual. O HSBC Bank Brasil não vai comentar o caso porque “trata-se de decisão em primeira instância sujeita a recursos”. LINA HAMDAR

João Paulo tem 55 anos de idade e, ao todo, 33 anos de contribuição. Ele tem como formação o trabalho de metalúrgico. A vida pública começou em 1990, quando foi eleito deputado estadual. O petista estava no quarto mandato consecutivo de deputado federal, iniciado em 1993 - sendo presidente da Câmara entre 2003 e 2005. DuranFALE COM A REDAÇÃO leitor.bsb@metrojornal.com.br 061/3966-4607 COMERCIAL: 061/3966-4615

O jornal Metro circula em 24 países e tem alcance diário superior a 20 milhões de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a sexta em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, ABC, Santos e Campinas, somando mais de 480 mil exemplares diários.

Pela segunda vez em menos de uma semana, o programa Mais Médicos registrou nova deserção. O cubano Ortelio Jaime Guerra -- contratado em dezembro do ano passado para trabalhar em Pariquera-Açu (SP) -- afirmou ontem numa rede social que fugiu para os Estados Unidos. O motivo da fuga não foi informado. “Meus amigos de Pariquera-Açu, eu preciso que vocês saibam que tive que ir embora de lá sem falar isso para ninguém por questões de segurança”, escreveu. “Agradeço aos amigos pela bondade e amor. Prometo que um dia vou voltar para ver vocês.” Ramona Primeira cubana a abandonar o programa, Ramona Rodriguez prestou depoimento ontem no MPT

22

cubanos deixaram o programa Mais Médicos - 17 alegaram problemas de saúde e outros cinco por problemas pessoais. (Ministério Público do Trabalho) e afirmou que era obrigada a pedir autorização para sair da cidade de Pacajá (PA). Ramona aguarda um pedido de asilo no Brasil vivendo no apartamento de um deputado do DEM. Ela justificou a saída alegando que não tinha sido informada que receberia apenas em torno de R$ 950 dos R$ 10 mil pagos pelo programa. Ela começou a trabalhar ontem na área administrativa da AMB (Associação Médica Brasileira). METRO BRASÍLIA

METRO CURITIBA

Ex-deputado, João Paulo fica sem aposentadoria Preso há uma semana no presídio da Papuda, o ex-deputado João Paulo Cunha (PT-SP), que renunciou na última sexta-feira, ficará também sem direito à aposentadoria. Segundo a Câmara, o petista não tem os requisitos mínimos para assesgurar o benefício: 60 anos de idade e 35 anos comprovados de trabalho com carteira assinada.

Ortelio atuava no interior de São Paulo | REPRODUÇÃO/FACEBOOK

te o período, contribuiu com o fundo de aposentadoria parlamentar e poderá requerer a aposentadoria assim que cumprir as exigências. O ex-presidente da Câmara está numa cela do CIR (Centro de Internamento e Reeducação) e cumpre pena no regime semiaberto de 6 anos e 4 meses por peculato e lavagem de dinheiro. METRO BRASÍLIA

Leis trabalhistas são descumpridas, diz MPT O procurador do MPT (Ministério Público do Trabalho) Sebastião Caixeta afirmou ontem que o modelo de contratação do Mais Médicos fere a legislação trabalhista. As principais irregularidades estão na ausência de 13º salário e férias. O governo alega que os benefícios não estão previstos porque o programa trata de um curso de especialização em atendimento básico de saúde. “O que se verifica é um vínculo trabalhista claro”, afirmou o procurador.

Caixeta considera como ‘discriminatória’ a situação dos cubanos, que recebem menos de 10% dos salários. O Ministério da Saúde argumenta que o contrato com os médicos de Cuba é semelhante aos assinados pela Opas (Organização Pan-americana de Saúde) em outros países. O MPT concluirá ainda este mês um inquérito civil aberto em agosto do ano pasado e pedirá tratamento isonômico entre os contratados do programa. METRO BRASÍLIA

EXPEDIENTE Metro Brasil. Presidente: Cláudio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini Diretora Financeira: Sara Velloso. Diretor de Tecnologia e Operações: Luiz Mendes Junior Gerente Executivo: Ricardo Adamo Coordenador de Redação: Irineu Masiero. Editor-Executivo de Arte: Vitor Iwasso Metro Brasília. Diretor-editor: Cláudio Humberto. Editor-Executivo: Lourenço Flores (MTB: 8075) Diagramação: Natalia Xavier. Gerente Executivo: Vandler Paiva Grupo Bandeirantes de Comunicação Brasília. Diretor Geral: Flávio Lara Resende

Editado e distribuído por Metro Jornal S/A. Endereço: SBS Quadra.02 - Bloco "Q" - Ed. João Carlos Saad - 15º andar, CEP 70070-120, Brasília, DF, Tel.: 061/3966-4615. O jornal Metro é impresso na Gráfica Moura.

Filiado ao

20140211_br_brasilia  
20140211_br_brasilia  
Advertisement