Issuu on Google+

Publicação bimestral da Igreja Metodista no Estado do Rio de Janeiro – 1ª RE Ano XL • Nº 437 • novembro/dezembro de 2013

Palavra do Bispo Lockmann expõe sobre desafios ao crescimento e ao discipulado Página 3

Região Encontro de Música e Arte reúne metodistas da área Página 4

Entrevista Rogéria Valente compartilha experiências ao assumir o DNTC

4º Congresso de Missões desafia obreiros

Página 5

Região Encontro Regional de Escola Dominical recebe 300 pessoas Página 8

Durante evento, cerca de 130 líderes são estimulados a se envolver integralmente na obra

S

ob o tema Missão é integral, foi realizado o 4º Congresso Regional de Missões. O evento aconteceu em outubro, na Escola de Missões, e recebeu cerca de 130 líderes de diversas igrejas metodistas. A Palavra foi ministrada pelo pastor Carlos Queiroz, da Igreja de Cristo no Brasil, no Ceará. O Encontro, que faz parte da Campanha Missionária Jesus, Nosso Maior Tesouro, foi organizada

Igrejas em Ação Catedral Metodista comemora 135 anos dedicados à obra Página 9

N

pela Secretaria Regional de Expansão Missionária, coordenada pelo pastor Ronan Boechat. Segundo ele, o objetivo do evento é fazer com que todos se sintam missionários e ao mesmo tempo desafiados a investir e contribuir com projetos nessa área. O congresso contou também com oficinas focadas em temas que contribuíram para a orientação e capacitação de quem já atua na área. Página 7.

Jornal Avante promove 1º Fórum de Comunicação

a comemoração dos seus 40 anos, o órgão oficial de comunicação da 1ªRE realiza seu 1º fórum, sob o tema A Mídia e a Comunicação do Evangelho. O principal objetivo do encontro foi refletir a propagação das Boas Novas a partir dos veículos de comunicação de massa. O evento, que aconteceu na Catedral Metodista, contou com

a participação de profissionais cristãos de diferentes segmentos: Marcelo Ramiro, editor do Expositor Cristão; Maurício Zágari, da Editora Mundo Cristão; Lenildo Medeiros, da Agência Soma; Silas Daniel, chefe do Departamento de Jornalismo da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD); e Moisés Abreu e André Andrade, do Estúdio Site. Página 6.


ME TO D I S MO N O MU N D O

E DITO RIA L

Missão em todo o tempo

Metodista na Conferência Mundial pela Paz

T

endo missão integral como tema central, o 4º Congresso Regional de Missões, que recebeu cerca de 130 líderes, confirma a visão missionária da Primeira Região. Convidado para ministrar durante o evento, pastor Carlos Queiroz, da Igreja de Cristo no Brasil, Ceará, declarou que "a missão acontece a partir do envolvimento com o Espírito Santo". Ele destacou em sua ministração, entre outras coisas, a necessidade de usar Jesus como modelo de ministério, usando como referência Mateus 4.23-24. Esse evento, que fez parte da Campanha Missionária Jesus Meu Maior Tesouro, foi realizado pela Secretaria Regional de Expansão Missionária, coordenada pelo pastor Ronan Boechat. Segundo ele, o objetivo do congresso é fazer com que todos se sintam missionários e ao mesmo tempo desafiados a investir e contribuir com projetos nessa área. Oficinas visando à orientação e capacitação de líderes também fizeram parte da programação (página 7). Uma programação interessante também integrou a comemoração dos 40 anos desta publicação. A data foi celebrada com a realização do primeiro fórum promovido pelo Jornal Avante. Sob o tema A Mídia e a Comunicação do Evangelho, profissionais cristãos ligados à área refletiram sobre o uso dos meios de comunicação, inclusive a internet, pela Igreja. "Temos sido eficazes na proposta de levar vidas a Cristo?" Esse foi um dos questionamentos (página 6). Além desses assuntos, está edição traz informações sobre diversos trabalhos da Região. Entre eles, o Encontro de Música e Arte, realizado em Cascadura; o Encontro das Esposas de Pastores, na Escola de Missões; e os 135 anos da Catedral Metodista, que foi comemorado durante todo o mês de setembro. Fechamos a última edição do ano na esperança de que, assim como os exemplares anteriores, cada linha publicada neste número, além de informar, possa edificar vidas. Aproveitamos a oportunidade para desejar aos leitores Feliz Natal e um 2014 repleto de boas realizações. Boa leitura.

n O bispo Paulo Lockamnn, presidente do Concílio Mundial Metodista, participou recentemente da Conferência Anual da Comunidade de Santo, na Itália. Com base no tema A Coragem da Esperança, lideranças mundiais dialogaram sobre religião e cultura, a fim de buscar e orar pela paz. Estiveram presentes bispos luteranos, anglicanos, representantes do Concílio Mundial de Igrejas, Patriarca de Antioquia, Patriarca de Atenas e vários outros líderes da Igreja Ortodoxa, judeus e mulçumanos.

Debate pedagógico da Alaime

n A Associação Latino-americana de Instituições Metodistas de Educação (Alaime) promoveu, no Peru, o Debate Pedagógico da Alaime – Desafios Pedagógicos para o Século XXI. Cerca de 80 participantes marcaram presença do evento, representando instituições Metodistas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Panamá, Peru, México e

Uruguai, além de representação da Junta Geral de Educação Superior e Ministério (GBHEM), CIEMAL e da Igreja Metodista do Peru. Ao final do encontro, foi aprovada a Carta de Lima, que traz uma síntese do pensamento desse debate pedagógico.

Conferência Mundial Metodista de 2016

n Durante a reunião do Conselho Metodista Mundial, na Capela de Wesley, em Londres, o tema e logotipo para a Conferência Mundial Metodista 2016 foi apresentado aos membros do Conselho e convidados. O tema será "One". O logotipo, que foi projetado por Cathryn Wooton, um designer gráfico de Virginia, também resume o objetivo da Conferência Mundial Metodista, de as pessoas de todo o mundo que compartilhem das tradições de fé filiados ao Conselho Metodista Mundial de convocar, comemorar e discernir dentro das linhas comuns de sua fé em Jesus Cristo. A Conferência Mundial Metodista 2016 acontecerá entre 31 de agosto e 4 de setembro, em Houston, Texas.

C omunicado do C ol é g io E pisco pal

Igreja Metodista divulga Carta Pastoral do próximo biênio Discípulas e discípulos no caminho da missão formam uma comunidade de fé; comunhão e serviço. Esse é o tema da Igreja Metodista brasileira para o biênio (2014-2015). O Colégio Episcopal, cumprindo determinação do Concílio Geral e buscando pastorear a Igreja, publica essa Carta Pastoral. Esse material busca oferecer subsídios para que o povo metodista possa aprofundar o tema através de reflexão, estudo e oração. O presidente da Igreja Metodista, bispo Adonias Pereira do Lago, destaca a importância do documento. “Os bispos e bispa da Igreja se empenham para cumprir as determinações do 19º Concílio Geral. Esse documento chega às mãos da Igreja para instruí-la e capacitá-la para o serviço”, destaca o bispo. Formar uma comunidade de fé, comunhão e serviço foi um grande desafio para os primeiros cristãos e continua sendo em pleno século 21. Nesse viés, uma Igreja histórica, fundamentada na teologia cristã e wesleyana tenta superar esses desafios, por meio dos documentos e pastorais, para proporcionar aos membros e sociedade uma transformação de vida pautada na Palavra de Deus e nos princípios do cristianismo. Conteúdo – A carta é subdivida em três capítulos. 1) Estudo para aprofundar o tema geral da Igreja para o sexênio: “Discípulas e discípulos nos caminhos da missão”; 2) O tema deste biênio (2014-2015) – dividido em três capítulos. Cada um deles enfatiza uma palavra-chave do tema: fé, comunhão e serviço; 3) As seis ênfases missionárias da Igreja Metodista. História da Igreja Metodista – Movido pela paixão da fé salvadora, o rev. John Wesley inicia o movimento metodista na Universidade de Oxford – na Inglaterra – no século 18. O cres-

cimento foi rápido. Várias pessoas se juntavam aos “metodistas” para experimentarem a alegria da fé e da confiança em Deus. Em 24 de maio de 1738, Wesley deixou registrado em seu diário à experiência religiosa em ter o coração estranhamente aquecido. Essa data é lembrada como um marco para os metodistas. A igreja precisa estar apta a servir a sociedade e fazer a diferença na mesma. “É preciso de homens e mulheres com uma visão de Deus, uma visão humanizadora para aqueles que sofrem o caos da pobreza e das injustiças sociais”, deixou registrado na obra “Momentos Decisivo do Metodismo” o historiador metodista, rev. Duncan Alexander Reily. Brasil – a Igreja Metodista no Brasil inicia em 1867, quando chegam aqui os primeiros missionários norte-americanos, oriundos da região sul dos Estados Unidos da América do Norte. Eles se instalaram no litoral fluminense, no Rio de Janeiro. A partir de 2 de setembro de 1930 a Igreja Metodista do Brasil proclama a sua autonomia. Ela passa a administrar os seus interesses sem a interferência da Igreja norte-americana, e passa a fazer parte, juntamente com as outras igrejas autônomas, do Conselho Mundial do Metodismo. Atualmente, a Igreja Metodista no Brasil está subdividida administrativamente em seis Regiões Eclesiásticas e duas Missionárias. Cada uma delas possui um bispo ou bispa designado pelo Colégio Episcopal, que coordena os trabalhos das igrejas e distritos de sua região. Este bispo ou bispa é eleito pelo Concílio Geral da Igreja Metodista, que se reúne dentro do período regular de cinco anos. José Magalhães Assessoria de Comunicação da Igreja Metodista

Nádia Mello Acontece Jogo beneficente

A Igreja Metodista em Inhoaíba será a sede do 2° Jogo Beneficente – Artista X Jogadores. O evento, promovido pela Secretaria Executiva de Ação Social por meio da Coordenação Regional de Esportes, acontecerá em 21 de dezembro, às 9 h.

Publicação bimestral da Igreja Metodista na 1ª Região Eclesiástica Fundado em maio de 1973 Ano XXXVIII nº 438 Rua Marquês de Abrantes, 55 – Flamengo 22.230-061 – Rio de Janeiro – RJ Tel.: (21) 2557-3542 / 3509-1074 Fax: (21) 2557-7048 avante@metodista-rio.org.br www.metodista-rio.org.br

2

BISPO DA 1ª REGIÃO ECLESIÁSTICA

Paulo Tarso de Oliveira Lockmann Os artigos são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal ou da Igreja Metodista.

Vigília dos Juvenis

No dia 6 de dezembro, acontece a 2ª Vigília Regional de Juvenis, no templo da Igreja Metodista em Cascadura, promovida pela Federação Metodista de Juvenis (Femeju).

Luciano Vergara e Nádia Mello

Filipe Pereira Mesquita

EDITORA E JORNALISTA RESPONSÁVEL

Fotografias

Nádia Mello (MTb 19.333)

Henrique Moraes

REDAÇÃO E REVISÃO

Evandro Teixeira

DIAGRAMAÇÃO

www.estudiomatiz.com.br

CONSELHO EDITORIAL

Ronan Boechat de Amorim (coordenador), Selma Antunes da Costa, Deise Luce de Sousa Marques, Pablo Massolar, Giselma Matos,

REVISÃO DA PALAVRA DO BISPO

ASSISTENTES DE REDAÇÃO

Camila Alves e Carla Tavares

TIRAGEM: 10.500 exemplares ASSINATURA INDIVIDUAL: R$ 20,00


PAL AV RA D O BI SPO

Desafios ao crescimento e ao discipulado (Hb 11.1-7) Questões básicas para a Igreja

Mobilizado ainda pelos estudos dados pelo pastor Abe Huber em nosso ministerial, entre muitas coisas que aprendemos, algo que me chamou a atenção foi como tudo começou. “Do nada”: três pessoas alcançaram um ministério abençoado e frutífero. Ele mencionou três barreiras que precisam ser vencidas: 1) A descrença de que a Igreja pode crescer; 2) Precisamos fechar a porta dos fundos e parar de perder gente; e 3) Exercer uma fé audaciosa.

Crescer ou não crescer

Paulo ensina, escrevendo aos Efésios: ”Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo...” (Ef 4.15). A Igreja

na Igreja Primitiva não opera mais. Ora, a nossa própria história metodista contraria isso. Eu creio que testemunhos como o de Atos 5.14 (“E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor”) continua real para Igreja hoje. Uns dizem que depois de 200 membros a igreja local não consegue vivenciar a comunhão, a vivência de se ser um corpo; alegam que as pessoas não se conhecem mutuamente como irmãos na fé. Na verdade, essa é um tipo de igreja onde as pessoas se encontram somente no culto, alguns poucos na Escola Dominical, são encontros rápidos. Numa igreja no discipulado todos estão integrados num grupo, se conhecem e se cuidam mutuamente, os testemunhos e experiências do grupo (cé-

Espírito Santo, mas não cuidamos dos recém-nascidos, ou cuidamos mal. O resultado é que os novos convertidos ficam desapontados com sua incapacidade de viver o Evangelho, a vida cristã, ou não alcançam as promessas feitas no púlpito, desanimam e vão embora. Quando não, por assistirem cenas na vida da Igreja demasiadamente pecaminosas e desapontadoras. O resultado é que um ex-crente com um coração endurecido, com mágoas e ressentimentos, torna-se muito cético e fica extremamente difícil voltar a evangelizá-lo. “Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos, procurando repouso, porém não encontra, por isso, diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada.

Fé: elemento decisivo

A terceira questão é a do exercício da fé, tema bastante desafiador bíblica, histórica e doutrinariamente. O exercício da fé é caminho de crescimento e maturidade cristã. Vivemos num mundo de tantas afirmações pessoais, do eu posso, dos diplomas, que quase não precisamos mais de Deus. Ele torna-se um detalhe que só adquire importância em momentos de desespero. É o último recurso, quando deveria ser o único. Entramos no mês da Reforma Protestante, onde graça e fé adquiriram relevância definitiva, o trio Somente a graça, somente a fé e somente as Escrituras mudou o Cristianismo. Por tudo isso é que nos inspiramos no texto de Hebreus 11. Ali aparece a Igreja vivendo

O segundo elemento é apontar para a Escatologia como fonte de fé na intervenção futura de Deus em favor da Igreja: “Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá e não tardará...” (Hb 10.37). “Podemos dizer que para a Bíblia, em geral, fé é a fonte e o centro de toda vida cristã. Ao plano que Deus vem desenvolvendo no tempo, deve o ser humano, responder com fé. Nas pegadas de Abraão “pai de todos os que creem” [1] (Rm 4.11). Para concluir, a importância de uma experiência “da fé que vence” (1 Jo 5.1-5). Ouçamos um testemunho de Wesley “O barbeiro que me barbeava disse: ‘Senhor, eu louvo a Deus por sua causa. Quando o senhor estava em Bolton, a última vez, eu era o ébrio mais notável da cidade; fui ouvi-lo pregar, fiquei perto da janela e

Não podemos continuar ganhando e perdendo vidas preciosas para Deus; isso é uma espécie de infanticídio. Nós alcançamos o coração das pessoas, graças à ação do Espírito Santo, mas não cuidamos dos recém-nascidos

nascida no Pentecostes apresenta um sucessivo e significativo crescimento: “... os que aceitaram a Palavra foram batizados, havendo um acréscimo de três mil pessoas” (At 2.41) (...) enquanto isto, acrescentava-lhes o Senhor dia a dia os que iam sendo salvos (At 2.47) (...) muitos dos que ouviram a palavra aceitaram, subindo o número de homens a cinco mil...” (At 4.4). E assim vão os testemunhos sobre o crescimento da Igreja Primitiva. Mesmo assim, há uma imensa quantidade de pessoas que tem dificuldade de crer num grande crescimento da Igreja. São fortalezas mentais que apregoam que é bom “ser um pequeno povo mui feliz”. Há os que teorizam que não há perspectiva de crescimento para o Protestantismo histórico. Isso tem nome: falta de fé de que o Deus que operou

lula) são apresentados como testemunho para toda igreja e esta se fortalece e cresce ao ver a comunhão se realizando. “...Da multidão dos que creram era um o coração e a alma...” (At 4.32a).

Fechando a porta dos fundos

A segunda barreira é o fechar a porta dos fundos. Hoje é um dos mais graves problemas da Igreja. Não é por acaso que o último recenseamento apontou milhares de “evangélicos sem Igreja.” A maioria deixou a Igreja, não foram cuidados, não foram buscados, e ainda são tratados com críticas e acusações. Não podemos continuar ganhando e perdendo vidas preciosas para Deus; isso é uma espécie de infanticídio. Ou seja, nós alcançamos o coração das pessoas, graças à ação do

Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro. Assim também acontecerá a esta geração perversa” (Mt 12.43-45). A única receita para esse mal é o discipulado, trabalho semanal em grupos de discipulado (célula), onde cada convertido que chega é nutrido na fé, tratado em seus problemas, um verdadeiro pastoreio profundo. Ali ele aprende a aplicar os princípios da Palavra no seu dia a dia. Recebe acompanhamento e cuidado, dificilmente volta a perder-se. “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros” (2 Tm 2.1-2).

tempo de perseguição e necessidade de afirmar sua identidade como comunidade de fé, deixando de ser tão somente uma seita judaica. A perseguição pode ser ilustrada pelas palavras do capítulo 10 que introduz o hino à fé do capítulo 11: “Lembrai-vos, porém, dos dias anteriores, em que, depois de iluminados, sustentastes grande luta e sofrimentos; ora expostos como em espetáculo, tanto de opróbrio quanto de tribulações, ora tornando-vos coparticipantes com aqueles que desse modo foram tratados. Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio superior e durável. Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão” (Hb 10.32-35).

Deus me feriu no coração. Então orei, pedindo poder sobre o meu vício de beber, e Deus me deu mais do que eu pedira: tirou-me o desejo de beber; contudo, eu me sentia pior, sempre pior, até que no dia 5 de abril p.p. não me aguentava mais. Sabia que cairia no inferno naquele instante, se Deus não me socorresse; mas Ele me apareceu, e me fez saber que me amava; então senti a doce paz. No entanto, eu não podia dizer que tinha fé; mas ontem fez um ano que Deus me deu fé, e seu amor me tem transbordado o coração até agora.’” Bispo Paulo Lockmann

[1] Dufour, XL – Vocabulário de Teologia Bíblica. Petrópolis, Ed. Vozes, 2002, p. 335

3


N ACIO N A L

Adoradores por excelência

Encontro de Música e Arte mobiliza músicos cristãos a cumprirem o chamado de Deus n Carla Tavares

R

ecentemente aconteceu o Encontro Regional de música e Arte, na Igreja de Cascadura. O evento recebeu cerca de 350 participantes ligados à música e arte em suas igrejas locais. O encontro foi liderado pelo reverendo Edson Mudesto, coordenador nacional e regional do Departamento de Música e Arte da Igreja Metodista, juntamente com o reverendo Lúcio de Sant’Anna Ferreira, superintendente do distrito de Cascadura. De acordo com Edson Mudesto, o evento teve como finalidade o aperfeiçoamento e a capacitação dos músicos e artistas para o crescimento do Reino de Deus. “Temos que nos preparar para o grande desafio da Igreja Metodista de alcançar um milhão de novos discípulos e discípulas para Jesus”, enfatizou. Logo pela manhã foi realizada uma devocional dirigida pelo reverendo Edson Mudesto. A mensagem bíblica foi conduzida pelo reverendo Lúcio Sant’anna, que enfatizou a questão da importância do compromisso do músico com o Senhor e com sua igreja local, tendo uma vida de testemunho diante de Deus.

Músicos e pessoas ligadas à arte se reuniram em busca de aperfeiçoamento no ministério

Houve diversas oficinas. Entre elas, a Caráter do Músico, obrigatória a todos os participantes, teve mais destaque. “Nesse laboratório, foi dada a ênfase na questão da obediência a Deus, santidade, testemunho, compromisso com o Reino de Deus, a técnica, o ministério de música e arte, os pastores e suas igrejas locais”, ressaltou o pastor Mudesto.

Também foram oferecidos laboratórios de Violão, Guitarra, Teclado/Piano, Bateria, Canto, Canto Coral, Dança, Teatro, Contrabaixo e Técnicas de Ministração. Segundo o pastor Mudesto, a maioria dos laboratórios foi ministrada pelo Ministério Projeto Adoração e Intimidade (PAI), liderado pelo irmão Fabrício Nogueira. Outros pro-

fessores como Roseane Sobreira e o próprio Edson Mudesto também colaboraram com as oficinas. Ao final, todos os integrantes do evento se reuniram no templo formando um grande coral para cantar o hino Digno é o Cordeiro que foi morto, e o Ministério PAI entoou vários cânticos que abrilhantaram mais ainda esse encontro.  

Formando líderes parecidos com Jesus Pastoreio de Pastores realiza mais um módulo do Curso de Liderança Avançada

n Redação

4

O curso ajuda formar novos mentores e mentoras para fomentar o Pastoreio de Pastores

C

om o intuito de promover um crescimento ordenado e contribuir para a expansão do Reino de Deus, a Igreja Metodista em Cascadura acolheu, recentemente, mais um módulo do Curso de Liderança Avançada do Movimento Pastoreando Pastores da Primeira Região Eclesiástica, sob a coordenação do pastor Geovanilson Rodrigues. O evento teve como objetivo principal capacitar líderes e pastores de diversas denominações para o pastoreio mútuo. “Temos o intuito de formar novos mentores e mentoras para fomentar o Pastoreio de Pastores da nossa Região”, disse o coordenador. O pastor e missionário da Sepal, Marcelo Fraga, compartilhou sua experiência com o trabalho de encorajar e desenvolver ministérios saudáveis nas igrejas. “Nosso alvo é treinar e capacitar os pastores e líderes para que o discipulado das nações aconteça e ajudá-los a cuidar uns dos outros, com treina-

mento e qualificação, formando discípulos semelhantes a Jesus”, disse. O Curso de Liderança Avançada Mentor Master é realizado em oito módulos durante dois anos e agrega diversos assuntos para expandir ainda mais os conhecimentos de seus alunos. Recentemente o curso foi chancelado pela Universidade de Nova Iguaçu (UNIG) como pós-graduação. As aulas são ministradas por meio de uma parceria entre o Pastoreio de Pastores Regional, Instituto de Mentoria e Coaching Cristão, IMCC, Sepal e o Mapi. As pré-inscrições para a turma de 2014/2015 já estão abertas. Para os alunos, o curso é uma ótima oportunidade de amadurecimento ministerial e espiritual. “Esse curso chegou num momento especial em que eu estava buscando uma capacitação e me trouxe muita bagagem. Creio que o Curso de Mentoria veio para fazer a diferença na minha vida”, disse a pastora Laiza Gomes.


E NTREV ISTA

Criança como parte do Reino de Deus Ao assunir o DNTC Rogéria Valente fala sobre experiências no tabalho com crianças

n Redação

I

maginem uma pessoa criada na Igreja Metodista que já passou por todas as coordenações possíveis para trabalhar com crianças. Ela passou nas coordenações dos ministérios de trabalho com crianças da Igreja Local, Distrital, Regional. Agora ela assume a coordenação do Departamento Nacional de Trabalho com Crianças da Igreja Metodista (DNTC). Rogéria Valente Frigo é da 1ª Região Eclesiástica. Ela é casada com o Zenézio José Frigo e relata a trajetória ministerial, a expectativa de somar esforços junto às coordenadores regionais e, sobretudo, os desafios e uma mensagem aos pastores e pastoras da Igreja. Fale um pouco de sua experiência com crianças antes de assumir o Departamento Nacional de Trabalho com Crianças? Rogéria Valente Frigo: Fui cria-

da na Igreja Metodista e tenho orgulho de contar que meu primeiro passeio depois de nascida foi à Escola Dominical. Desde então, essa tem sido a rotina de todos os meus domingos como aluna ou professora ao longo de todos os anos. Minha primeira responsabilidade de serviço na igreja local foi como secretária da Sociedade de Crianças. Deus tem me permitido servir à Igreja em diferentes ministérios e, em todos eles, o que mais marca é que sempre tenho recebido mais do que ofertado. Minha experiência de trabalho com crianças vem desde a adolescência: fui professora da Escola Dominical da igreja local e também em uma de nossas congregações; fui diretora local de Crianças (naquela época era assim que nos chamavam). No final da adolescência, fui diretora distrital de Crianças. Anos mais tarde, voltei a Equipe Regional como assessora e depois coordenadora do Departamento Distrital de Trabalho com Crianças. Assumi a Coordenação do Departamento Regional de Trabalho com Crianças na 1ª Região em maio de 1999. Na ocasião, Roséte de Andrade era coordenadora, e teve que deixarpor assumir

a coordenação nacional. Meu compromisso com ela era de fechar o seu mandato, mas quis Deus que eu permanecesse até o presente ano. E como foi a experiência de passar pela Coordenação no Estado do Rio de Janeiro? Rogéria Valente Frigo: Coorde-

nar o Trabalho do Departamento Regional na 1ª Região foi uma experiência extremamente enriquecedora. Cresci e amadureci ao longo desses anos. Tínhamos uma assessoria muito comprometida que se reunia regularmente para refletir sobre a caminhada. Estávamos sempre avaliando e planejando, dividindo tarefas e produzindo. Nunca me senti caminhando sozinha, era realmente um trabalho de equipe – uma equipe que nutria um sincero amor fraterno entre seus componentes, e isso fazia diferença no resultado do nosso trabalho. Quais são as expectativas ao assumir o DNTC? Rogéria Valente Frigo: Entendo

que o Departamento Nacional de Trabalho com Crianças é o órgão da Igreja Metodista responsável por apoiar e dinamizar o trabalho com crianças na Igreja Metodista brasileira em cada uma de suas Regiões Eclesiásticas e Missionárias. Esse procedimento irá garantir a capacitação de pessoas que trabalham com crianças, o atendimento à criança nas igrejas locais e, por meio delas, promover e apoiar a produção de materiais que subsidiará o trabalho nas igrejas locais. Minha expectativa é estar somando esforços com o pessoal que trabalha com crianças no sentido de fazer chegar elas um trabalho de qualidade. Entendo que não existe Igreja Nacional, Regional nem Distrital, mas, sobretudo, o trabalho acontece na igreja local, da qual somos membros. Para quem atua na estrutura da Igreja precisa trabalhar no sentido de facilitar a missão lá onde ela acontece – na igreja local. Acredito que é no dia a dia com a criança que se constrói a

sua história de fé, que se amadurece a relação com Deus. Então, precisamos de pessoas que sejam genuinamente intimas de Deus, que saibam se relacionar com crianças e amem esse trabalho. Penso que investir em capacitação, provocar momentos em que essas pessoas se reúnam para conversar sobre a sua prática, avaliar e planejar pode fazer diferença. Qual sua preocupação atualmente e o que precisa ser melhorado no trabalho com as crianças? Rogéria Valente Frigo: Preocu-

pa-me que tenhamos tão pouco tempo com nossas crianças semanalmente para nos dedicarmos a sua educação da fé. É preciso aproveitar melhor esse tempo e que essas oportunidades possam não voltar a se apresentar. A criança é a igreja de hoje, do presente. Ela só permanecerá amanhã ao sentir-se acolhida hoje. Portanto, esse compromisso com a educação da fé da criança é de toda a comunidade. Anseio ver o pessoal que trabalha com crianças capacitado, pastores ministrando para as ovelhas filhotes e comunidade de fé cumprindo o compromisso sacerdotal assumido no pacto batismal. Já que falamos de preocupações, na igreja metodista batizam-se crianças, há uma valorização delas junto ao Departamento Infantil nas igrejas locais. Em seu ponto de vista, o que pode ser feito para melhorar a participação das crianças nos cultos metodistas? Rogéria Valente Frigo: As crian-

ças estão presentes no meio da congregação e isso é muito bom. Preocupa-nos quando elas são tiradas para outros espaços impossibilitando a igreja de conviver com elas: aprendendo com elas e ensinando-as. Elas precisam estar ali participando da família (famílias têm crianças), e a igreja precisa estar habituada a tê-las por perto. Elas vão participar do culto: cantar junto da comunidade, ouvir os testemunhos, aprender com os exemplos dos adultos – isso vai fazer com que ela se sinta parte da família.

Aos poucos ela vai aprender a participar dos momentos cúlticos – isso faz parte de seu processo de crescimento. O que observamos é que muitos pais não querem gastar um pouco do seu tempo educando as atitudes de seus filhos e se ninguém disser a elas como desejam que elas se comportem naquele ambiente elas não vão adivinhar. Deixam-na soltas “atrapalhando” a atenção dos adultos. Esse procedimento pode ocasionar o mesmo pensamento dos “discípulos de Jesus” que desejaram que elas fossem retiradas dali, pois o que estavam ouvindo era precioso demais para crianças. O que pode ser feito quando isso ocorrer? Rogéria Valente Frigo: As crian-

ças precisam ser ensinadas, acolhidas e amadas. A comunidade de fé precisa se apresentar como família e assumir seus compromissos diante da criança da sua comunidade. Levá-las para outros espaços em longo prazo pode ser perigoso. A criança que não convive com a comunidade não se sente parte dela. Quando chegam os difíceis dias da adolescência, ela precisa de referenciais de pertença; a igreja não terá oferecido esses referenciais e o adolescente não reconhecerá aquele grupo como sua família. Trabalhar com as crianças pode ser trabalhoso, mas é gratificante. É importante dar mais atenção a elas, por exemplo, na chegada à Igreja a maioria das pessoas cumprimenta aos adultos e ignoram as crianças. É preciso se dirigir a elas também porque elas também fazem parte da comunidade. Temos que crer que a Bíblia é verdadeira quando nos afirma que eles não se perderão se caminharmos com eles nos caminhos do Senhor. Considerar que ela está presente é um bom começo.

Acredito que é no dia a dia com a criança que se constrói a sua história de fé, que se amadurece a relação com Deus. Então, precisamos de pessoas que sejam genuinamente íntimas de Deus, que saibam se relacionar com crianças e amem esse trabalho

Que mensagem você deixaria aos pastores e pastoras da Igreja Metodista? Rogéria Valente Frigo: O traba-

lho com crianças é desenvolvido na fonte das águas. Se envenenarmos a fonte das águas, comprometeremos toda a vida do rio. Ou seja, se comprometermos a visão que essa criança construirá sobre Deus, estaremos comprometendo toda a sua caminhada de fé. Nosso compromisso é que nenhum desses pequeninos se perca. Se escolhermos para o trabalho com crianças nosso melhor pessoal e nessa equipe investirmos o melhor dos nossos esforços, certamente iremos garantir que esses pequenos não só permaneçam no Evangelho, mas que venham a ser uma geração de restauradores de ruínas. Precisamos de nossos líderes nesse processo. A amplitude da visão de nossos pastores e pastoras acerca do trabalho com criança vai interferir significativamente no desenvolvimento das ações dos ministérios locais de trabalho com crianças. Estamos certos de que a cada passo percorrido temos sido acrescidos em fé e na graça de nosso Senhor. Que Deus esteja nos abençoando e que saibamos nos manter no centro da vontade dEle. Orando para que nossos esforços cheguem às nossas crianças. Entrevista publicada no Expositor Cristão


R E G IÃ O

Tarefa de comunicar do Evangelho

Nos seus 40 anos, Avante promove Fórum de Comunicação sobre a Igreja e a mídia n Patrícia Scott

A

6

o longo de quatro décadas, o Jornal Avante se consolidou como publicação oficial da Igreja Metodista no Rio de Janeiro por sua tradição e compromisso com a propagação do Evangelho. E, para celebrar a data, o Departamento de Comunicação da 1ª Região Eclesiástica promoveu o 1º Fórum de Comunicação do Jornal Avante, intitulado A Mídia e a Comunicação do Evangelho, na Igreja Metodista do Catete, zona sul carioca. O evento reuniu diversos comunicadores de diferentes denominações evangélicas para um debate com base no tema. Antes de iniciar as atividades, os presentes participaram de um culto de louvor e gratidão a Deus com preparação litúrgica dos pastores Paulo Welte e Gláucia Mendes. Já a reflexão bíblica do culto ficou por conta do coordenador do Conselho Editorial do Jornal Avante, pastor Ronan Boechat. O fórum teve como principal objetivo refletir a propagação das Boas Novas a partir dos veículos de comunicação de massa. Nesse sentido, a comunicação institucional e cristã, segundo Nádia Mello, jornalista e gerente de comunicação da Igreja Metodista, cumpre uma tarefa importante no espaço social, assumindo também o desafio da promoção da paz e anúncio do Reino de Deus. “A mídia tem um papel especial no que tange aos valores construídos na sociedade, sendo relevantes as discussões que envolvam o seu uso como ferramenta em prol do bem comum”, ressaltou. Dinâmicas criativas que retrataram o amor do Senhor e o seu perdão, lembrando a caminhada vitoriosa do Avante, também marcaram o debate, que teve também a participação do jornalista Marcelo Ramiro, editor do jornal Expositor Cristão, órgão oficial da Igreja Metodista em nível nacional, que falou sobre os veículos de comunicação da denominação. Ele parabenizou o Avante pelos 40 anos, destacando o fato de a 1ªRE ter um trabalho de comunicação desenvolvido por profissionais, situação que, segundo ele, não acontece em outras Regiões. "Em algumas áreas, a comunicação é feita por voluntários, que fazem esse trabalho nas horas vagas. Precisamos investir mais nessa área", disse. Marcelo falou também sobre sua experiência à frente do Expositor Cristão, que, em 2014, completa 128 anos. Com larga experiência em mídias seculares e evangélicas, o jornalista Maurício Zágari, da

Nádia Mello com jornalistas da Mundo Novo, Agéncia Soma e CPAD

O evento mostrou uma exposição de fotos e jornais antigos

Editora Mundo Cristão, explanou sobre O uso da mídia pela Igreja e o seu efeito na sociedade. Ele afirmou que as mídias cristãs não causam impacto para a sociedade, já que os assuntos abordados são sempre voltados para a própria igreja e sem nenhum apelo para aqueles que não conhecem a Palavra. “Fazemos revista, jornal, rádio, televisão, internet para os próprios evangélicos. São veículos de comunicação que funcionam como house organ, ou seja, são mídias institucionais”, frisou. E completou: “Fato é que a sociedade não nos conhece. Para eles, nossa mídia está entre inócua e negativa”. Sobre esse lado ruim, Zágari apontou para os programas de TV evangélicos, que apelam para a prosperidade financeira e a falsa doutrina de que a igreja resolverá todos os problemas da pessoa. “São programas chatos, que ainda passam a imagem de que somos aproveitadores, bitolados e bons de lavagem cerebral”, salientou. Para mudar esse quadro, Maurício Zágari ressaltou que o primeiro passo é reconhecer que o problema existe para, depois, chegar ao passo seguinte que é analisar a situação, respondendo à pergunta: esse canal de comunicação tem cumprido seu papel de chegar à sociedade ou só pensa em falar para a própria igreja? “Se quisermos falar para os não cristãos teremos um grande

desafio e precisaremos de coragem. Isso porque será preciso sair da nossa caixinha”, avaliou o jornalista, que acrescentou: “Teremos que deixar de falar o idioma “crentês”, que só é compreendido no país chamado “Igreja”, para nos comunicar de forma que todos entendam, abordando temas de interesse da sociedade sempre pautados na mensagem da Cruz de forma cristalina”. A vida cristã e a mobilização comunitária foi o assunto tratado pelo jornalista e teólogo Lenildo Medeiros, editor da Agência Soma, que enfatizou a importância das mídias estarem focadas também na realidade das comunidades com o objetivo de ajudá-las na melhora da qualidade de vida. “E para isso é preciso que o veículo vá além dos seus interesses, tendo capacidade de parar para dar atenção à vizinhança para que a vida daquela comunidade seja alterada”, asseverou. Ele deu destaque ao que chamou de “mídia dos pequenos gestos”, quando público e mídia interagem de maneira ampla. Para exemplificar, Lenildo mencionou um jornal que ao convocar a comunidade para uma reunião não dá voz às pessoas que atenderam ao chamado. “A pessoa entra e sai invisível. Pior ainda quando ela tem a sensação de que foi manipulada pelo veículo para benefício próprio”, explicou. Para fechar a palestra, o jornalista lembrou o quanto é importante

o profissional de comunicação depender do Espírito Santo no decorrer de todo o processo do trabalho. “Pedir a Deus unção e bênção em cada detalhe faz toda diferença. A escolha certa de uma foto, por exemplo, debaixo da direção do Senhor, pode impactar a vida de uma pessoa e transformá-la totalmente”, opinou. O uso da internet também foi abordado no evento. Moisés Abreu e André Andrade, do Estúdio Site, falaram sobre essa importante ferramenta, com base no tema A internet e a missão: tendências e oportunidades. Outro tema em pauta durante o fórum foi O desafio editorial na comunicação cristã ministrado pelo jornalista Silas Daniel, chefe do Departamento de Jornalismo da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD). Ele destacou que o termo comunicação vem da Roma Antiga, quando o Império Romano abria estradas para interligar as cidades sob o seu domínio. Daí, segundo ele, o jornalista é um contador de histórias que tem a nobre e edificante missão de abrir estradas. “A internet, por Boa comunicação e criatividade na liturgia do culto de abertura

exemplo, nada mais é do que abrir estradas no mundo virtual para que as pessoas se relacionem, troquem ideias, tomem conhecimento dos acontecimentos”, afirmou. O jornalista ponderou ainda que as mídias evangélicas têm crescido de forma segmentada com foco em determinado público ou denominação. Durante a palestra, Silas Daniel lembrou o imediatismo da internet que, atualmente, para alguns, concorre diretamente com os veículos impressos. No entanto, na opinião do jornalista, os periódicos impressos não estão fadados ao esquecimento, mas, em tempos de era digital, passam por profundas transformações para continuar abocanhando uma larga fatia do mercado. “O impresso tem sofrido pressão da internet, justamente por causa da velocidade com que essa mídia propaga as informações na rede”, sinalizou, apontando que os periódicos impressos possuem dois grandes desafios a vencer para concorrer com os sites e blogs. “Um dos desafios é trabalhar de forma profunda os mais variados assuntos. Ou seja, ao abordar um tema aprofundá-lo com riqueza de detalhes, pesquisas, análises, entrevistas”, disse Silas Daniel. E o outro desafio, de acordo com ele, é buscar novos temas, o furo de reportagem, publicando assuntos que nenhum outro veículo ainda atentou. O jornalista, lembrou que, hoje, na comunicação há o cruzamento das mídias. “Uma mídia fortalece a outra, já que cada uma tem um importante papel na sociedade”.


M iss ões

Missão integral desafia obreiros Participantes do 4º Congresso Regional de Missões saem mais preparados e animados para o Ide n Nádia Mello

Q

uem compareceu ao 4º Congresso Regional de Missões, sob o tema Missão é Integral, realizado pela Secretaria Regional de Expansão Missionária, na Escola de Missões, de 11 a 13 de outubro, desfrutou de momentos especiais divididos numa programação diversificada, que contou com reflexões bíblicas, testemunhos, oficinas, louvor e oração. Mais de 100 líderes de diversas igrejas metodistas ouviram atentamente a palavra ministrada pelo pastor Carlos Queiroz, da Igreja de Cristo no Brasil, no Ceará. Compareceram também o missionário Rick Bonfim e o Ministério Sonar. O culto de abertura ficou por conta do bispo Paulo Tarso de Oliveira Lockmann, presidente da Igreja Metodista em nosso Estado. Segundo o pastor Ronan Boechat de Amorim, secretário regional de Expansão Missionária, hoje a Igreja Metodista possui 131 campos missionários distritais. O objetivo do evento, de acordo com ele, é fazer com que todos se sintam missionários e ao mesmo tempo desafiados a investir e contribuir com projetos nessa área. Para a pastora Selma Antunes, coordenadora dos Voluntários em Missão – 1ªRE, há muitas localidades que precisam de ajuda, pessoas dentro e fora do país necessitando de orações, apoio emocional, recursos financeiros e da presença da Igreja para o fortalecimento dos trabalhos missionários. Essa visão, que norteou os trabalhos, também foi compartilhada pelo coordenador do

Ministério de Expansão Missionária da Igreja Metodista de Cascadura, André Sagas, durante um painel realizado no evento. Para ele, é importante ajudar o pastor local nessa tarefa e estimular os membros a contribuírem com Missão. Cascadura, atualmente sob a liderança do pastor Marcos Torres, mantém uma parceria com dez frentes missionárias e, por meio de seu representante, saiu motivada a contribuir também com o Projeto em Acaraú. Para o pastor Carlos Queiróz, a missão acontece a partir do envolvimento com o Espírito Santo. “Quando o Espírito vem em unidade, nós nos entendemos pelo olhar, pela afetividade, pela comunhão. Não precisamos ter o mesmo dialeto porque é o Espírito Santo que vai impregnar as verdades do Evangelho na nossa convivência”, destacou. Durante entrevista ao Avante, falou a respeito dos aspectos da missão e dos resultados dessas ações na vida das pessoas, fazendo, inclusive, citações sobre o ministério de Jesus. Como referência para essa análise, usou Mateus 4.23-24, que considera síntese do ministério do Mestre. De acordo com o pastor Carlos Queiroz, o ministério de Jesus tem as seguintes implicações: Proclamação (anúncio do Evangelho e denúncia das maldades humanas); Ensino (formação de seres humanos mais humanos); e Serviço (diakonos). “As implicações do Ministério de Jesus eram aceitação do pobre; a libertação dos cativos; cura dos cegos;

cura das pessoas de suas alienações; além de implicações na alma, na mente, no coração, na saúde, nas relações sociais, culturais, políticas. É extraordinário”, disse entusiasmado pastor Queiroz fazendo referência ao projeto de Jesus. E acrescentou: “É revolucionário e aponta para uma desconstrução de tudo que está elaborado no nosso esquema religioso, de tudo o que está elaborado na nossa política de dominação e de controle, propondo de fato uma nova sociedade”. O evento contou também com oficinas focadas em temas que contribuíram para a orientação e capacitação de quem já atua na área. Os participantes inscritos escolheram entre os seguintes temas, que apontaram para a realidade de vida do missionário, A igreja local no preparo, envio e sustento de

Momentos de intercessão marcaram o evento

missionários (pastor Rogério de Oliveira), Estruturando o ministério da família na igreja local (pastor Clair Fernandes dos Santos), Usando sua profissão para fazer missão (Lélia Barros, missionária na África), Como ser um missionário e Testemunhos na formação e envio metodista de missionários transculturais (Don e Angeline, diretores do Imform); e Elaborando um projeto missionário para o ministério de missões e evangelismo e para a igreja local (Wesley Cavalheiro). Além desses, os presentes tiveram a oportunidade de se inscrever ainda nas oficinas: Como preparar a igreja local para missões (Neuza Farias e Anísia Silva), A Igreja do apóstolo Paulo, uma igreja missionária (Rick Bonfim), TDM e Discipulado linkados com testemunho, evangelismo e missões (pastor Clinger Cosme Campos).

O painel realizado no último dia do encontro e formado por missionários envolveu bastante os participantes durante a programação. Segundo Neuza Farias, da Secretaria de Expansão Missionária e coordenadora da Campanha Jesus, nosso maior tesouro, as pessoas puderam ter uma visão do que é uma realidade no campo missionário, no Brasil e no exterior. Já para a missionária Claudete, que está servindo no Nordeste, na Igreja em Acaraú, no Ceará, é importante reunir pessoas que estão envolvidas no mesmo propósito, ainda que em localidades diferentes. Não faltou motivação, e os que participaram saíram revigorados para o trabalho missionário a partir de suas igrejas locais e animados para o próximo Congresso. Agora é só aguardar.

7


R E G IÃ O

Encontro Regional de Escola Dominical Cerca de 300 participam de evento focado na capacitação para o ensino

n Redação

O

9º Encontro Regional de Escola Dominical reuniu cerca de 300 pessoas no templo da Igreja Metodista em Cascadura. O objetivo do encontro, realizado anualmente, é provocar um novo despertar para a Escola Dominical na vida da igreja além de capacitar professores, superintendentes e coordenadores nessa área tão importante para a vida da igreja. De acordo com a reverenda Selma Antunes, em julho, a equipe saiu do Rio de Janeiro com destino a Recife e Pernambuco, onde passaram 10 dias trabalhando em diferentes bairros. “A Igreja Metodista

de Guararapes, liderada pelo pastor Samuel Luiz da Silva, acolheu a equipe missionária com muito amor e dedicação. Foram dias de comunhão e serviço. Pudemos ver o poder de Deus agindo no meio do povo”, ressaltou a pastora. O bispo Paulo Lockmann participou do devocional de abertura com uma reflexão bíblica sobre acolhimento. “Escola Dominical é um espaço tão significativo na vida da igreja no sentido de que ajuda o crente novo e os irmãos na caminhada de fé a aprenderem mais da Palavra de Deus e da história da igreja. Isso edifica, instrui e capacita para a vida

Participantes aprenderam sobre a importância do ensino

cristã e, mais do que isso, para ministrar em nome do Senhor”, disse Lockmann. Durante o dia, os participantes acompanharam as palestras com temas focados no ensino e que falaram de uma Escola Dominical feita por cada um de nós. Para a secretária-executiva de Educação Cristã, Lorely Del Valle, a qualidade da ED está relacionada com o crescimento da igreja. “Uma boa Escola Dominical se transforma num poderoso agente de crescimento saudável, pautado na palavra de Deus, porque contribui para a formação e capacitação da igreja na realização da missão”, disse.

Vestidos com as cores do Brasil

Durante Festa Regional, além de participar de diversas atividades, juvenis oram pela nação brasileira n Redação

T

1,5 mil pessoas compareceram à festa dos juvenis

odo ano os juvenis metodistas da 1ª Região Eclesiástica se reúnem para um dia de muita festa e alegria. Trata-se da Festa Regional em comemoração ao Dia do Juvenil. Desta edição participaram 1,5 mil pessoas, sob o tema Vem Pra Festa Agora é a Sua Vez. O evento aconteceu na Igreja Metodista de Cascaura. Com camisas nas cores da Bandeira Nacional, os juvenis passaram o dia com muita música, dança, teatro e oficinas. Eles puderam participar tam-

bém de torneio de futsal, futebol de sabão, touro mecânico e muito mais. Além disso, barraquinhas de cachorro-quente, canjica, pipoca, sorvete, açaí, e outras guloseimas completaram o clima da festa. Durante o culto de adoração e louvor a Deus, os juvenis levantaram um grande clamor pela nação. Como nos anos anteriores, o evento arrecadou mantimentos para doação. Cada juvenil contribui com um quilo de alimento não perecível na entrada do evento.

Como Marta em Tempo de Maria

Com esse tema, 60 mulheres participam do encontro das Esposas de Pastores na Escola de Missões n Camila Alves

O

8

Encontro anual das Esposas de Pastores da Primeira Região Eclesiástica reuniu cerca de 60 mulheres na Escola de Missões, em Teresópolis. O evento aconteceu em outubro, sob o tema Vivendo como Marta em tempo de Maria. No momento em que a mulher moderna precisa administrar suas várias funções dentro e fora do lar, o encontro abordou a importância de manter um coração adorador em meio às tarefas do cotidiano. “Em tempo de lutas e muitas atribuições à mulher, decidimos parar para adorar ao Senhor e, sem dúvidas, este ano é o ano para ouvir a Deus em nossos corações”, disse a presidente da Associação de Esposas de Pastores, Dorcas Michelle dos Santos.

Esposas de pastores se reúnem na Escola de Missões

Palestras e oficinas fizeram parte da programação, que, além de abençoar as vidas das participantes com as ministrações e o ensino da Palavra, serviu como momento de comunhão e descontração entre as irmãs. “Em unidade participamos das oficinas e demos muitas risadas, brincando umas com as outras, mas sempre parando para orar por cada uma”, disse a presidente. O evento contou com a presença de Marta Célia Pereira Lago, esposa do bispo Adonias Pereira do Lago, da 5ª Região Eclesiástica. Para ela, a experiência foi recompensadora: “Foi um prazer participar do Encontro, vivi dias preciosos e aprendi muita coisa. Agora estarei repassando o aprendizado e promovendo um encontro como este na minha Região”, disse.


I G REJ A S EM AÇ ÃO Membros da Catedral Metodista comemoraram os 135 anos da Igreja durante o mês de setembro

Centenária comunidade de fé

Com uma programação desenvolvida durante um mês, Catedral Metodista comemora seus 135 anos n Paula Damas

E

m setembro, a Catedral Metodista do Rio de Janeiro comemorou 135 anos de existência. E a data foi comemorada durante todo o mês. Em todos os cultos dominicais e semanais, a congregação recebeu a visita de convidados especiais, pastores e grupos musicais que “trouxeram o novo de Deus” para a centenária comunidade de fé. Entre os convidados, estiveram o bispo Paulo Lockmann; e os pastores Eduardo Rocha, Isaías Mendes, Helder Machado, Rodrigo Buçard e Gustavo Legal. Como forma de agradecimentos, todos os preletores receberam uma agenda comemorativa personalizada. Os momentos de louvor e adoração musical ficaram por conta do Ministério Nascido de Deus; Ministério Selah; Grupo Sou + Eu, do Instituto Central do Povo; Ministério de Louvor da Metodista do Jardim Botâ-

nico; Sergio Lopes e banda; e Ministério Sonar. No primeiro domingo de comemoração, 1º de setembro, foi tirada a foto oficial dos 135 anos da Catedral Metodista, com a presença dos membros e, em especial, do bispo Paulo Lockmann e sua esposa, Gláucia Lockmann. Na programação, também constou homenagem aos membros que completaram 20 anos na Catedral, além de apresentação especial das crianças da igreja e do coral local Tabernáculo. O início das festividades também contou com a Noite do Vinil e Grupo Logos. Atualmente, a Catedral Metodista do Rio de Janeiro conta com mil membros ativos. Fazem parte do corpo pastoral os reverendos Marcello José Pimenta Fraga, Adilson Nunes Monteiro, Jonas Falleiro Júnior, Thiago Carreiro Miguel e Maria Emília Ferreira

Barros. A igreja também conta com duas congregações, uma no bairro de Fátima e outra no Morro Azul, de responsabilidade do evangelista Carlos Alberto da Rosa e da pastora Maria Emília, respectivamente. A igreja também é conhecida pelo seu grande envolvimento missionário e social, e hoje atende a 60 famílias com cesta básica, presta atendimento psicológico e conta com parcerias de diversas instituições. Em sua pastoral sobre aniversário da igreja, pastor Marcello Fraga afirma que a comunidade de fé que se vê hoje é fruto de um sonho esperado por muitos. “Na verdade, um sonho sonhado sozinho não passa de um sonho, mas sonhado junto torna-se realidade. (...) O Evangelho precisa ser anunciado, pois é o sonho de Deus para toda criatura. Enquanto houver sonhadores e sonhadoras, neste lugar ha-

verá mais um dia de celebração neste santuário de fé e sonhos. Que o Senhor dos Sonhos não permita que cessem de nossos lábios as profecias, dos nossos olhos as visões, e do nosso Espírito os sonhos”.

Breve histórico

A Igreja Metodista no Brasil deu os primeiros passos no ano de 1835 com a chegada do pastor americano Fountain Elliot Pitts, que, no ano seguinte, foi designado pela Igreja Methodista Episcopal do Sul dos EUA como pastor permanente para atuar na missão no Brasil. Entre os anos de 1841 e 1867, a missão enfrentou muitas dificuldades e, em face desses problemas, só em 1870 a Igreja Metodista Episcopal do Sul decidiu retomar as pregações metodistas no Brasil, porém a evangelização só se reiniciaria na prática em 1878, quando o pastor John J. Ranson, depois de

ter visitado o Rio Grande do Sul, o Uruguai e São Paulo (onde estudou português), instalou-se na capital do império. Em outubro de 1881, foi adquirido o terreno onde a Catedral Metodista do Rio de Janeiro está localizada até hoje, à época conhecido como ‘Largo do Cattete’. A primeira construção foi inaugurada em 1882, no que hoje é a Capela Histórica, e a comunidade de fé já contava com 71 membros. O atual templo foi inaugurado no domingo do dia 5 de setembro de 1886, às 10h30, pelo bispo John C. Granbery, após ministração bíblica do reverendo Tarboux. A Capela Histórica foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INPAC) em 21 de setembro de 1978. E, em 1994, a Igreja Metodista do Catete foi reconhecida pelo Colégio Episcopal da Igreja Metodista como Catedral Metodista do Rio de Janeiro.

Ação missionária em Cascadura

Secretaria de Ação Social realiza Evange-Ação em parceria com a igreja local n Redação Atendimento dentário realizado durante Evange-Ação

A

Secretaria Executiva de Ação Social da Igreja Metodista na 1ªRE, em parceria com a Igreja Metodista em Cascadura, promoveu no mais um Evange-Ação. O evento reuniu cerca de 20 evangelistas da igreja local e alguns voluntários, que compareceram para prestar atendimento e solidariedade. Segundo o secretário-executivo de Ação Social, pastor Edvandro Machado, o objetivo do evento foi apresentar o Evangelho às pessoas de forma integral. “Queremos promover um resgate de nossa identidade confessional metodista e levar a

Palavra de Deus e o cuidado ao próximo”, enfatizou o pastor. Durante a manhã, o reverendo Edvandro e o grupo de evangelização subiram a comunidade do Fubá convidando as pessoas a estarem na igreja. Na parte da tarde, os voluntários prestaram atendimento médico, jurídico e odontológico no trailer do Evangemed. Além disso, foi disponibilizado corte de cabelo, aferição de pressão, teste de glicose e recreação para a garotada. Os moradores da comunidade e adjacências também receberam oração e puderam preencher uma ficha para receberem visitas posteriormente.

9


I GR EJ A S EM AÇ ÃO

Metodista volta a fazer a diferença

IM da Tijuca leva 700 pessoas à praça pública para comemorar seus 48 anos em evento social n Tatiana Heliche

Evento social da IM da Tijuca leva moradores do bairro à praça pública

A

segunda edição do projeto Fazendo a Diferença comemorou os 48 anos da Igreja Metodista da Tijuca, liderada pela pastora Giselma de Souza Almeida Matos. Cerca de 700 pessoas ocuparam a Praça Afonso Pena, principal área de lazer do bairro, durante o encontro, que mobilizou todos os ministérios e sociedades da igreja. A ideia continua a mesma: levar atendimento médico, cuidados com a beleza e evangelismo para toda comunidade. Para o coordenador do projeto, Alexandre Lopes, o objetivo está sendo alcançado. “O evento está crescendo. Este

ano tivemos novos parceiros, as pessoas da praça participaram mais, o que deixa a igreja mais animada para o ano que vem”, comentou Alexandre. E concluiu: “Conseguimos o que queríamos: fazer mais atendimentos e chamar a atenção das pessoas na hora de anunciar a Palavra de Deus”. Este ano, o diferencial foi a presença da cantora Perlla e de cantores com estilos musicais distintos, como o cantor Davi Barranhas, com suas composições em ritmo de MPB gospel, e a Banda BMM (Brasil Música Missão) contando testemunhos ao som de músicas seculares como do Legião Urbana.

“Fico muito feliz em ver a mobilização de toda a igreja com o projeto. Todos se empenharam no trabalho com as barracas e infraestrutura", contou a pastora Giselma. Por mio de atividades diversificadas, a igreja busca aproximar-se cada vez mais da sociedade. Segundo o pastor Roberto Rocha, esse tipo de programação consegue dar mais visibilidade a igreja. “Queremos fazer um projeto que faça a comunidade ver a nossa existência e se interesse pelo diferencial da Igreja Metodista” ressaltou o pastor Roberto Rocha. Na ocasião, a cantora Perlla também falou sobre a impor-

tância do evento. “Nesse momento, muitas pessoas estão sabendo que aqui existe um grupo de pessoas evangélicas ministrando a Palavra de Deus e abençoando vidas, mesmo que não estejam aqui na praça, mas em seus apartamentos.”, disse. Com cerca de 10 barracas, o evento proporcionou à comunidade serviços como corte de cabelo, escova, atendimento médico, teste de audiometria e doação de aparelhos auditivos para quem precisava. Além disso, muitas pessoas puderam verificar sua pressão arterial e taxa de glicemia gratuitamente, ganharam caricaturas do ar-

tista plástico Renato Martins e aproveitaram o Orelhão, espaço onde os visitantes contavam suas inquietações pessoais e recebiam oração. Uma exposição contando sobre alguns dos tijucanos famosos que fizeram a diferença na música, teatro e literatura também compôs o pacote de atividades do evento. Com este trabalho evangelístico, a Igreja Metodista da Tijuca convocou todos a fazerem a diferença e deixou registrado no bairro seu testemunho de fé e amor.

Colaborou Carla Tavares

Enquanto o filho não vem

Encontro na IM de Cascadura orienta mulheres sobre gestação e maternidade n Tainá Oliveira

R

ecentemente a Igreja Metodista de Cascadura ofereceu para as futuras mamães um curso para gestantes. O evento foi desenvolvido por meio de palestras ministradas por profissionais da área de enfermagem, nutrição e odontologia. As abordagens foram dinâmicas e houve ensinamentos práticos de cuidados com o bebê, como banho, troca de fraldas e higiene, entre outras tarefas. Entre os temas tratados, estavam fases da gestação, amamentação, alimentação e cuidados com a criança. Para a técnica de enfermagem, o ministério com crianças deve começar no ventre. “Deus foi me mostrando a importân-

cia de se ministrar sobre os nossos bebês desde a barriga. Eu fiz um curso para gestantes em minha gravidez e percebi o quanto foi bom, mas também percebi que esses cursos não são muito encontrados na zona norte”, comentou Caroline. Então depois de muito tempo orando, nasceu o projeto Geração Milagres. “Acreditamos que cada bebê, de fato, é um pequeno grande milagre na vida uma mãe”, explicou. Além de Caroline, o curso contou com a participação da dentista Sirlene Marques, a enfermeira Érika Valesca e a nutricionista da Igreja Metodista do Méier, Lucimar da Silva. As profissionais ficaram responsáveis pelas instruções

e orientações para as gestantes no evento. Para a dentista Sirlene Marques, um curso como esse é essencial para o amadurecimento das futuras mamães. "Ele é importantíssimo, pois as mães se sentem mais seguras e não entram nesse novo ministério de ser mães tão cruas, levam informações que serão de grande ajuda no decorrer dessa caminhada. Acho também que a Igreja, como um todo, deveria dar mais importância para nós, mulheres, nessa etapa da vida. Afinal, Deus não nos forma desde o ventre?", declarou a dentista. Para enfermeira Erika, o encontro foi bem aproveitado pelas gestantes. "Em parce-

ria com outras profissionais, pudemos passar informações importantes para as gestantes, mesmo as que já tinham filhos. Aperfeiçoamos as suas ações e trocamos experiências. Sem dúvidas foi um momento de aprendizado para todos. Pudemos tirar dúvidas e saber as informações mais relevantes", comentou Erika. Além das palestras, também foi exibido o vídeo intitulado O Mundo Maravilhoso dos Pais, sobre a síndrome do bebê sacudido, traduzido e narrado no Brasil pelo dr. João Augusto Figueiró. A próxima edição do evento está previsto para novembro. A ideia inicial é que o curso seja realizado a cada três meses.


N otas

Atividades no Distrito da Penha

n A Igreja Metodista em Brás

de Pina, pastoreada por Ana Neide Ramos, promoveu recentemente o culto distrital pela Vigília Nacional das Crianças. A celebração contou com a participação de três igrejas do Distrito da Penha: Brás de Pina, Ilha do Governador, pastoreada por Lídia Peres Moreira, e Vigário Geral, sob a responsabilidade do superintendente distrital José Magalhães Furtado. Segundo a pastora Lídia Pires, no próximo ano, o Distrito contará com atividades voltadas para a capacitação de professores para o ensino de crianças sobre temas como Metodismo, Bíblia, Parte Pedagógica e Instrumentos Didáticos e Artísticos para atividades lúdicas. Além disso, haverá um encontro espiritual para os professores.

Retiro para crianças em Niterói 

n As crianças do Ministério In-

fantil da Catedral Metodista de Niterói, pastoreada por Azoil Zerbinato, participaram de um retiro que reuniu cerca de 120 pessoas no Hotel Fazenda Miguel Pereira, Rio de Janeiro. Sob o tema Crianças abençoadas para abençoar, o evento contou com uma programação variada incluindo devocionais, lazer e muita recreação.

“Foi uma bênção ver a alegria e a transformação de muitas crianças naquele lugar. Valeu a pena. Vimos o quanto Deus é fiel na vida de cada uma dessas ovelhinhas do Senhor», contou a coordenadora do Ministério, Hosana Sauerbron. O pastor Marcelo Luz, da Catedral Metodista de Niterói, e a irmã Else Vergara, da Igreja Metodista Missionária em Água Branca, ministraram de forma lúdica aos pequeninos. O encontro foi finalizado com a celebração da santa ceia.

Celebração em Bom Jesus

n Recentemente, a igreja Me-

todista em Bom Jesus do Itabapoana, pastoreada pelo reverendo Vagner freire, completou 2 anos de existência. Para agradecer a Deus por mais essa vitória, a igreja local preparou um dia de celebração e confraternização, que começou com um almoço na casa pastoral. Para a completar a festa, ainda houve o batismo de nove pessoas e outras três foram recebidas como novos membros. “Deus tem nos abençoado e alargado as nossas tendas a cada dia neste lugar”, contou o pastor Vagner Freire. O pastor também ressaltou a importância de poder contar com as intercessões e com o apoio dos mantenedores e da igreja de uma forma geral, para

Bispo Lockman ministrou a palavra no aniversário da igreja

que a missão continue crescendo naquele lugar. “Cremos que o melhor de Deus ainda está por vir e prosseguimos nesta missão até que o Senhor nos envie para um novo desafio”, completou.  

Encontro de membros antigos em Pilares

n Uma celebração diferente

reuniu cerca de 100 pessoas na Igreja Metodista em Pilares, liderada pelo reverendo Lúcio de Sant’Anna. Tratou-se do Primeiro Encontro da Velha Guarda. O objetivo principal do evento foi promover uma integração entre os membros das décadas de 70, 80 e 90. Segundo um dos representantes da comissão organizadora, João Carlos Kelly, O encontro foi idealizado pelo pastor local e também marcou a comemoração dos 62 anos de fundação da Metodista em Pilares. “Foi uma bênção, Deus fez com que os membros daquelas épocas e os atuais se confraternizassem, gerando um sentimento de satisfação e alegria em todos”, contou. De acordo com João Carlos Kelly, os participantes trouxeram álbuns de fotos para compartilharem entre si. “Gostamos muito do resultado e já estamos nos planejando para fazer este mesmo encontro em 2014”, completou.

IM em Sapucaia em festa

n A Igreja Metodista em Sa-

pucaia, sob a liderança do reverendo Mauro José Carvalho Caldas, comemorou seu 59º aniversário. Para celebrar ao Senhor, houve uma programação especial no templo da igreja. No encerramento das festividades, o Bispo Paulo Lockmann compareceu para deixar uma mensagem bíblica a todos os presentes. “A congregação ficou muito feliz e se sentiu muito honrada com a presença do nosso bispo abrilhantando ainda mais o nosso evento”, declarou Glauce Braga, correspondente de comunicação local.

Acampamento em Monsuaba

n O Campo Missionário de

Monsuaba, Angra dos Reis, promoveu o primeiro acampamento dos adolescentes, o Acampadentro. O evento contou com a participação de cerca

de 40 juvenis. “Foi um tempo muito especial” disse o pastor Glauco André. Na programação, havia oficinas de malabares, teatro e dança. Houve também ministrações da Palavra pelos jovens Caio Felipe, da Igreja Central de Santa Cruz, e Igor Domingos, da Igreja Metodista do Balneário, Angra dos Reis. Como resultado, quatro jovens se renderam a Cristo.

Dia dos filhos em Vila Orlandélia

n A Igreja Metodista em Vila

Orlandélia, Barra Mansa, sob a liderança da pastora Sandra Maria da Silva Barbosa, celebrou o Dia dos Filhos. Segundo Marci de Fátima Martins, essa é a segunda edição do evento, que foi instituído na igreja pela superintendente de Escola Dominical, irmã Luzinete Silva. Segundo Marci, a comemoração teve direito a um café da manha especial, que foi servido após a realização da ED.

Tarde alegre em Santa Bárbara IM realiza evento voltado para as crianças e alcança os adultos

O

Projeto apadrinhar

n A 1ª Vara Regional da Infância, da Juventude e do Idoso já deu início ao apadrinhamento para as férias de final de ano. A ideia é incentivar os padrinhos e madrinhas a aproveitar o período em que as crianças estarão com seu tempo livre para passar bons momentos com a garotada. O Projeto Apadrinhar proporciona a crianças e adolescentes a possibilidade de construir vínculos saudáveis com pessoas que não estão inseridas nos programas de acolhimento institucional, mas que possuem disponibilidade emocional ou financeira oferecer-lhes uma melhor qualidade de vida e ser um referencial familiar. O processo de apadrinhamento é simples. O candidato a padrinho deverá entrar em contato pelo e-mail apadrinhar@globomail.com ou comparecer à 1ª Vara Regional da Infância, Juventude e Idoso

Sociedade de Homens na IM de Praia do Saco da Comarca da Capital, localizada na Avenida Ernani Cardoso nº 152, 1º andar, Cascadura, das 13h às 18h. No Setor de Psicologia e Serviço Social, poderá agendar uma entrevista. É necessário levar cópia autenticada da carteira de identidade, CPF, certidão de casamento (se houver), cópia do comprovante de residência e de rendimentos.

Sociedade de Homens promove Encontro

n A Sociedade de Homens do distrito de Santa Cruz realizou mais um encontro distrital. O evento foi realizado na Congregação Metodista em Praia do

Saco, na região de Mangaratiba, Costa Verde. Para o presidente da Federação de Homens, Marcus Vinícius Silva, os encontros têm causado um grande impacto na vida das 26 igrejas do Distrito. “Foram criados seis novos trabalhos com homens, motivando-os ao envolvimento em missão e também trabalhando a unidade e consolidação”, contou. O irmão Ezequiel Faleiro, secretário distrital de Santa Cruz, tem desenvolvido os projetos na região. “Ele abraçou a causa e tem dado assistência aos homens daquele distrito”, comentou Marcus Vinícius.

n Tainá Oliveira penúltimo sábado de outubro, a Igreja Metodista Central em Santa Bárbara, liderada pelo pastor Heraldo Costa, promoveu um evento voltado para a criança intitulado Tarde Alegre. Segundo a direção da Igreja, foi um dia alegre e divertido. A programação, que recebeu 30 crianças, contou com muita música, brincadeiras, malabares e guloseimas. Com muito bom humor, o grupo de teatro Pincel apresentou um divertido trabalho. Além do momento de descontração, um culto de adoração ao Senhor foi realizado durante a tarde. “A realização do culto foi uma oportunidade que tivemos para pregar o Evangelho de Cristo”, declarou o reverendo Heraldo. De acordo com o pastor, oficinas com palestras sobre Discipulado foram ministradas aos pais. “Nenhuma criança pôde participar da festa sem a presença de um responsável. Conseguimos, com isso, atrair muitos adultos para a nossa comunidade de fé”, enfatizou. A Tarde Alegre acontece a cada quatro meses sob a Igreja promove direção do Ministétrabalhos voltados rio Infantil da igreja para as crianças local, coordenado pela irmã Lucimar Moscatel, no bairro de Santa Bárbara, em Niterói.


R E G IÃ O

Dando frutos na terceira idade

M

n Paula Damas

Encontro Regional incentiva a valorização dos idosos na igreja e na sociedade

aturidade Cristã foi o tema do 13º Encontro Regional da Pastoral da Terceira Idade, da Igreja Metodista na 1ªRE (Estado do Rio de Janeiro), que reuniu 220 pessoas, na Escola de Missões, em Teresópolis. Representantes dos diversos distritos metodistas puderam ser capacitados de várias maneiras, por meio de oficinas e palestras direcionadas.” “Durante o encontro, a equipe de apoio da Pastoral também deu orientações aos coordenadores distritais e das igrejas locais sobre a melhor maneira de trabalhar a maturidade do idoso, principalmente os da quarta idade. Por isso, estamos aqui dando ferramentas de trabalho para que o idoso possa continuar vivendo com qualidade de vida e sempre em busca de melhorar sua autoestima”, explicou a coordenadora Regional da Pastoral da Terceira Idade, pastora Ruth Silva. A abertura do evento foi dirigida pela pastora Ruth Silva e a irmã Hercolina D. Vieira, membro da equipe regional. Um dos momentos marcantes foi conduzido pelo pastor Clóvis Paradela, que, além de ser o preletor da noite, realizou a consagração da Banda de Jovens para a Terceira Idade, composta por pessoas de diversas denominações. Baseado no texto de Levíticos 8.23, quando Arão ungiu seus filhos, o pastor ungiu os integrantes da banda da mesma maneira. Os irmãos

Leda Leziria e João de Souza fizeram um solo musical. O tema do encontro também fez parte da palestra ministrada pelo secretário-executivo regional de Expansão Missionária, pastor Ronan Boechat Amorim. Ele afirmou que maturidade cristã faz parte do amadurecimento e desenvolvimento do ser humano que se dispõe em ser moldado por Deus. “A maturidade cristã tem a ver com amadurecimento e desenvolvimento. E nos desenvolvemos em direção a quê? Em sermos um ser humano completo, a estatura de Jesus, pois ele é o nosso padrão. Olhamos para Ele e pensamos: precisamos ser uma pessoa como Jesus foi, na relação dEle com Deus, com o próximo, nas situações adversas, e isso tem a ver com a questão da maturidade cristã, quando as pessoas são aperfeiçoadas pela Palavra de Deus, sua graça e o Espírito Santo a ser pessoas que não complicam, mas que qualificam suas relações, vivem bem umas com as outras, que são bênçãos na vida de umas das outras”, disse pastor Ronan. Na programação do encontro o que não faltou foram atividades. Os participantes puderam se capacitar nas oficinas de artesanato, entretenimento e de formação e ensaio coral. Ouviram palestras sobre Saúde na Terceira Idade para homens e mulheres. Também foram montados estandes com

Música e descontração marcam Encontro da Terceira Idade

bazar, trabalhos manuais, artesanatos e livros. Na noite de sábado, aconteceu a Noite de Talentos, com o tema Para não dizer que não falei de flores, com apresentação de esquetes, números em grupo e individuais. Encerrando o evento, foi ministrada a Santa Ceia, no domingo pela manhã, que contou com a ministração bíblica do pastor Edvandro Machado Cavalcante, secretário-executivo Regional de Ação Social. Sob a coordenação do pastor Edson Fernandes Costa e da irmã Ester Félix, uma sala de oração funcionou quase que 24h por dia, onde os presentes puderam interceder por vidas e por milagres. “Desde outros encontros da Pastoral percebemos que existia a ne-

cessidade de orarmos de uma maneira mais particular pelos participantes, que, na maioria, são idosos e acabam sendo acometidos de várias enfermidades. Por isso, montamos um espaço especial, onde as pessoas são ungidas com óleo e recebem orações específicas. Assim a sala de oração nunca fica fechada, e sempre há uma equipe pronta e preparada para orar e interceder com aqueles que ali chegam”, explicou pastor Edson. Para o secretário-executivo regional de Ação Social, pastor Edvandro Machado Cavalcante, os trabalhos desenvolvidos pela Pastoral são muito importantes para a vida da Igreja, pois insere e destaca a participação da pessoa idosa na vida da comunidade cristã. “O trabalho

da Pastoral é fundamental para a vida da Igreja, pois, no mundo inteiro, quando se olha a pirâmide etária, o mundo não é mais um lugar só de jovens, mas de pessoas que compõem a terceira idade”, disse pastor Edvandro. E completou: “Atualmente, idosos são pessoas economicamente ativas. Quando se aposentam, não colocam um pijama e ficam em casa; se pressupõem que viverão mais e com mais qualidade de vida. E a proposta do Evangelho é de agregar a todos. Anos atrás a visão era outra, e como cristãos precisamos ter esse senso crítico. Hoje o idoso é visto com outros olhos porque ele representa grande parte da renda das famílias e o que precisamos entender é que o idoso tem valor em si”.


Avante novembro / dezembro / 2013