Page 1

Dezembro 2015


Indíce

EsEscolhas Porto/ Algarve/Açores

Açores Visita/Intercâmbio

Atrás do Sol Intercâmbios Internacionais

Intercâmbio Boom Box

Basket Beat Atuação

Visitas Culturais Atuações

Produzido por: CV4 Condominhas

Futebol de Rua Equipa Metas Jovem Destaque Rúben Santiago


Desta vez temos um editorial diferente! A letra da música que os jovens do CIJ fizeram para a rádio sobre o projeto METAS! Três anos de Metas Atividades surgiram Amigos encontramos Outros saíram

Habilidades trabalhamos desde da dança à percussão Estes últimos anos ficaram no coração

Com estas viagens reis nos sentimos sorrisos retiramos às meninas que vimos

Crescemos juntos Uns rápido outros lento Criámos um grupo A que chamamos Barulhentos

Destes três anos muita memória nos resta dos pequenos eventos ao Serralves em Festa

Pela nossa frente jogadores e guardiões Na Geração Liga-te fomos campeões

Entre saltos e piruetas muitos passos surgiram Mix Girls e Eros Crew ainda assim evoluíram.

No futebol de rua o Metas é campeão temos o Tampinha que foi à seleção

Três anos parece pouco mas foi um longo percurso se o projeto acabar um minuto de luto.

Com a revista e a rádio fomos distinguidos o prémio da comunicação foi-nos atribuído

Da Finlândia à Lituânia Muito tempo passou amizade permaneceu e a saudade ficou Da Quinta da Regaleira ao Palácio da Pena As visitas culturais são sempre grande cena

EDITORIAL Sou do Metas e tu donde és ? somos iniciativa desde a cabeça aos pés. Por ser deste projeto sinto-me sortudo Temos a dizer OBRIGADO POR TUDO !!! Barulhentos Pedro // Nuno // Rodrigo // Miguel // Renato // Zé // Rêgo


Projeto Renascer No passado dia 30 de julho o Projeto Renascer E5G teve a honra de receber a visita de três elementos da equipa técnica do Projeto Metas E5G e seis intervenientes da Ágil Associação de Jovens, do Porto. O convívio entre os dois Projetos iniciou-se, de manhã, com os preparativos para a apresentação dos Workshops de Beat Box e Break Dance. A apresentação ocorreu no período da tarde, nas imediações do Claustro da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, na presença de alguns utentes do Centro de Cuidados Continuados da mesma instituição, bem como de alguns membros da Direção. No final da atuação, teve lugar um lanche convívio com produtos regionais, entre os quais os Bolos Lêvedos e Ananases. Raquel Furtado - Coordenadora

Projeto Aprendiz@rte Projeto Mais Sucesso

O intercâmbio entre o Projeto Aprendiz@rte, o Projeto Metas e o Projeto Mais Sucesso no Porto foi muito divertido e enriquecedor no sentido de termos sido incentivados a ser mais criativos e a explorar o mundo das artes. O mundo das artes pode ser pintura, desenho mas também esculturas, peças feitas de espelhos e a dança. A dança foi o que eu pensei ser mais chamativo, pois o Projeto Metas fez uma demonstração aos projetos no seu espaço mas também na rua perto do rio, e eu penso que a dança e a música são como se fossem um mundo onde ninguém pode entrar por nós, se não for a própria pessoa a querer dançar não se sentirá bem nesse mundo que para muita gente e para mim é o mais acolhedor. A ida ao Porto fez com que o Projeto Aprendiz@rte e o Projeto Mais Sucesso se reunissem mais uma vez e fez com que fizéssemos mais amizades entre os projetos, como foi com o Projeto Metas. A dança não foi só o que me chamou a atenção, muitos de nós gostámos de ir ao Museu de Serralves, pois tinha peças muito originais e tinha um jardim lindíssimo que intrigou a todos com a sua beleza, apesar de que com pena estivemos lá na época em que estava a ser arranjado. A viagem foi muito boa e tenho certeza que todos gostaríamos de voltar lá, tanto o nosso Projeto Aprendiz@rte como o Projeto Mais Sucesso. Para mim esta viagem fez-me abrir a visão ao nível das culturas, modos de ser e pensar diferentes, passei também a conseguir entender melhor outro estilo musical como o HipHop e Rap. Beatriz Correia - jovem do Projeto Aprendiz@rte


Açores

De 28 de Julho a 2 de Agosto, o Projeto Metas mais a Associação de Jovens de Lordelo do Ouro (Ágil), visitaram os Açores num intercâmbio entre projetos Escolhas. Num desses dias os jovens da ÁGIL, dinamizaram alguns workshops ( Workshops de Beat Box e Break Dance) para os jovens do Projeto Renascer, que tinha como intuito preparar uma performence para apresentar da parte da tarde na Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada. Durante a nossa estadia nos Açores estava a decorrer um Festival de Arte Pública (Walk&Talk), que se expandia pela ilha toda, e como não podíamos faltar à “festa”, mais uma vez os jovens da Ágil fizeram algumas apresentações de Beatbox e Break Dance que deixaram os açorianos de boca aberta ahahahah. Agora deixemos o trabalho de lado! Estes dias serviram também para passear, conhecer locais fantásticos, paisagens muito bonitas, conhecer praias de areia vulcânica e acima de tudo aproveitar a boa companhia (das raparigas dos Açores e turistas)! Esperamos voltar à ilha brevemente!!! Ricardo Gonçalves


Do dia 14 ao dia 22 de Julho de 2015 realizou-se no Porto o intercâmbio com jovens da Finlândia com os quais já tínhamos tido uma experiência parecida o ano passado, na Finlândia. Este intercâmbio teve como objetivo melhorar o nosso Inglês, melhorar o nosso desempenho ao nível da dança e também possibilitar o reencontro e conhecer melhor as pessoas do intercâmbio anterior. Neste intercâmbio gostamos muito de voltar a ver os finlandeses e também conhecer um elemento novo no grupo deles, que era o líder. Gostamos muito de lhes mostrar a nossa cultura e a nossa cidade. Sentimos que eles gostaram muito de

No passado mês de Novembro, os jovens da ÁGIL - Associação de Jovens de Lordelo do Ouro, voltaram a fazer parte de mais uma iniciativa a nível internacional, desta vez em Vilnius, Lituânia. Este training course “BADGE ALERT: Badge Powered Recognition in Youth Exchanges”, teve como tema principal o sistema de certificação “Badge“. Esta iniciativa, que durou 7 dias, e contou com participantes da Eslovénia, Itália, Espanha, Letónia, Alemanha, Grécia, foi repleta de formações, atividades, mas também momentos de lazer e convívio. Como sempre, os participantes tiveram a oportunidade de adquirir várias ferramentas e novos métodos de trabalho bastante importantes para o trabalho que um desempenha na sua comunidade local. Enquanto associação, foi importante para podermos dar a conhecer o nosso trabalho e também para aumentarmos a nossa rede de parceiros internacional! Renato Florim/José Oliveira

conhecer a cidade invicta. Nestes dias participamos

participou o Teemu, que

prato típico do Porto.

ainda no evento “First

apesar de ser dançarino de

No final da semana foi um

Steps”, uma battle de hip

Loocking na Crew WFFF

pouco complicado pois

hop para quem está a

(Will Funk for Food), par-

tivemos de nos despedir

começar, em que compe-

ticipou na competição de

dos Finlandeses e até hoje

tiram

Hip Hop.

só houve contacto pela in-

Portugueses e Finlandeses.

Foi muito divertido criar

ternet.

Dois jovens da Finlândia

um FlashMob, que apre-

Estamos já a pensar em

foram à final mas infeliz-

sentamos em vários locais

novas ideias para dar con-

mente não venceram…

da zona histórica do Porto.

tinuidade a estes intercâm-

À noite houve também a

Nesse mesmo dia fomos

bios!

“Pro Steps”, competição

com o grupo todo almoçar

profissional, em que

francesinha, que é um

alguns

membros

Miguel e Nuno


Basket beat Uma experiência de Basket Beat no Porto Entre os dias 5 e 10 de setembro tivemos a oportunidade de participar na oficina de Basket Beat, integrada no Encontro de Arte e Comunidade da PELE Espaço de Contacto Social e Cultural. Convidamos o Josep, responsável e criador do Basket Beat, para nos contar como foram estes dias [...] Parece que hasta terça-feira (martes) los días serán parecidos. A las 9.10h voy a tomar el desayuno (un pastel de nata: dulce caliente hojaldre con crema “canelosa” exquisita). A las 9.30h salimos con Abel, de 10 a 13h largas estoy con jóvenes de la comunidad de Lagarteiro. Después vamos al centro a comer y finalmente vamos a Lordelo para trabajar de 15 a 18h largas con ora comunidad. Miércoles nos uniremos y presentaremos nuestro trabajo en el festival. [...] Se nota que el grupo de la mañana es más numeroso y joven que el de la tarde. Para mi es más complejo. Aunque los niños o pre-adolescentes disfrutan de más plasticidad física, sus habilidades motrices y cognitivas se muestran definitivamente menos desarrolladas. Además, en general, conecto más con los jóvenes que son mayores. Casi me atrevería a decir que cuanto mayores mejor. En todo caso, disfruto en la trinchera y realmente el trabajo es “fácil” y agradable. Me acompaña en cada grupo un joven referente del barrio y uno de los educadores de la entidad que ya tienen un vínculo con los participantes. Me gusta la manera en la que los educadores acompañan el proceso: están apreciando tranquilos y confiados mi trabajo y solo intervienen si les pido explícitamente su ayuda. Están haciendo un esfuerzo físico importante.

[...] Ponerse delante de 30 jóvenes de la periferia (casi todos ellos con experiencias de vida fuertes) e intentar construir una vivencia significativa para sus vidas requiere de todo lo que tenemos como educadores y personas. Es lo que llamamos las 3 “ces”. Se precisa todo el Cuerpo y sus sentidos; se precisa todo el Corazón y sus emociones; se precisa de toda la Cabeza y pensamientos (Cuerpo, Corazón y Cabeza). Si le sumamos el Alma, soy un esclavo al servicio del grupo y eso me sitúa en una situación de vulnerabilidad que con el paso de las horas, días, meses se convierte en fortaleza. [...] El primer día trabajamos principalmente alrededor de la pulsación -la estructura de BB- con muchos ejercicios técnicos para mejorar el dominio del balón así como dinámicas y juegos para engendrar la vida grupal (la esencia de BB). [...] El tercer día los participantes estaban cansados de la exigencia física de botar el balón; de sentir frustración por no entender conceptos y palabras; de tener que mantener tanto tiempo su atención; de su imprecisión en los botes (aunque no lo parezca, que dos personas boten una pelota exactamente al mismo momento -ni que alguien de una entrada- es muy difícil, si vas sumando hasta 30, es casi imposible). [...] El último día de taller con los grupos separados hicimos 4 horas con cada grupo y -por primera vez, en los dos grupos- vivimos un momento de foco grupal, cada participante sintió su propia responsabilidad y disfrutamos de unos minutos viviendo todos el “mismo” presente. Un pequeño clic sucedió, nos costó 4 días. [...] Hicimos el concierto a la primera comunidad, no había más que 4 o 5 vecinos y nos sirvió como ensayo general. [...] Hicimos una marca al suelo para diseñar nuestro escenario en plano en la estación de metro Trindade. Es un espacio amplio, lleno de turistas y vecinos de la ciudad que vuelven o van a su trabajo. Estéticamente era precioso, el ruido de los metros le daba una poética aun más urbana. El espectáculo empezó con los participantes andando por todo el espacio con su pelota, iban en silencio y tenían el objetivo de convertir espontáneos en público activo. Empezamos con el grupo de mayores interpretando una canción de Basket Beat Continuamos con la pieza conjunta. Una estructura compleja -para tan pocas horas- suma de ejercicios de BB e ideas de los dos grupos. [...] Pasaron muchas cositas pero conseguimos más de 5 minutos de flow y meditación colectiva (como me dijo una colega brasileña) que arrancaron sonrisas, aplausos y gritos del mas de un centenar de personas que estaban disfrutando. L@s chi@s estaban realmente contentos, cuanta energía… ¡yo partí la baqueta llevando la pulsación! Y la locura subió y subió hasta que nos fuimos a “jantar” (cenar en portugués) los 30 participantes al famoso restaurante MAXIMO. Clamoroso, único, otra experiencia con BB para no olvidar. Josep Mª Aragay Borràs Responsable del proyecto Basket Beat


Nos últimos meses, temos vindo a fazer atividades espetaculares e muito divertidas! Uma delas foi a ida à baixa do Porto para ver a árvore de natal e também a visita ao Edifício Axa, que no dia 28 de novembro encerrou com uma grande festa. Em todo o edifício havia atuações e instalações artísticas. Vimos muitas artes e conhecemos vários artistas que estavam a participar neste evento. Gostámos muito desta tarde! Já em dezembro, as Mix Girls, um dos grupos de dança do Centro de Iniciativa Jovem da ADILO, foram à Estação de S. Bento, na Arca de Natal. Foi uma boa experiência, em que convivemos, divertimo-nos, aprendemos e vimos mais atuações de outros

grupos de instituições do Porto. Fomos acompanhadas pela técnica Patrícia Costa que nos apoiou e nos motivou a termos mais responsabilidade, mas ela queria principalmente que nos divertíssemos e aprendêssemos. Daniela Filipa // Ana Sofia


A ideia de participar no futebol de rua, surgiu quando três elementos da equipa foram a uma visita a Lisboa e conheceram a Associação CAIS, que organiza o torneio de futebol de rua. A Associação Cais falou de alguns projetos que fazia, quando nos dizeram que ia haver o futebol de rua, surgiu a ideia de nos inscrevemos. Decidimos então participar na fase distrital, onde saímos vitoriosos contra uma equipa que já ganhava há bastantes anos seguidos. Passamos então à fase nacional, onde defrontamos equipas de todo o país. O evento decorreu em Braga, onde estivemos cinco dias, jogando futebol e ao mesmo tempo convivendo e aproveitando o tempo com a equipa. Devido a inexperiência e a falta de prática, fomos jogando e aprendendo ao mesmo tempo, tendo conseguido chegar ao nono lugar, que para uma primeira vez no torneio não foi mau. De realçar também a ida de um membro da nossa equipa à selecção nacional, Rubén Santiago, que representou a nossa equipa e a nossa seleção a nível internacional, tendo participado no Torneio internacional de Futebol de Rua em Amesterdão. Foi uma experiência a repetir no próximo ano! Fábio Florim/José Oliveira

~ Associaçao Cais Contextualização/Testemunho

Fundada em 1994, a CAIS é uma Associação de Solidariedade Social sem fins lucrativos, que tem como missão contribuir para o melhoramento global das condições de vida de pessoas social e economicamente vulneráveis, em situação de privação, exclusão e risco. Nesse sentido são muitos os projectos desenvolvidos pela Associação CAIS, sendo um dos que têm mais destaque O Futebol de Rua. Iniciado em 2004, em parceria com inúmeras entidades públicas e privadas, promove a prática desportiva e a sua utilização como estratégia inovadora de intervenção e promoção da inclusão social. O Futebol de Rua é um instrumento de capacitação, no desenvolvimento de competências pessoais e sociais que ao longo dos últimos anos tem crescido e reunido importantes apoios, caso do programa “Football for Hope”.

No âmbito deste Projecto a Associação CAIS implementa diversas iniciativas, nomeadamente as Sessões Move; a Iniciativa Move-te, faz Acontecer - de âmbito nacional e realizada em parceria com o Programa Erasmus + Juventude em Acção e o Plano Nacional de Ética no Desporto e o Torneio Nacional de Futebol de Rua - a iniciativa mais visível do Projecto, realizada em parceria com diversos promotores locais e que culmina com a realização, anual, da Final do Torneio Nacional de Futebol de Rua, um evento de 5 dias com actividades culturais, recreativas, educativas e um Torneio Inclusivo. É ainda, através do Torneio Nacional de Futebol de Rua, que a Associação CAIS selecciona os participantes para as provas internacionais, como o por exemplo o Campeonato do Mundo de Futebol de Rua. A edição de 2015 do Projecto Futebol de Rua alcançou resultados surpreendentes, 922 participantes, 286 técnicos, 100 voluntários, 108 equipas, de 97 IPSS/ONG/Projectos, de 16 distritos e Regiões Autónomas que participaram nas referidas iniciativas e a realização, pela primeira vez, dos Torneios Internacionais (Feminino e Masculino) de Futebol de Rua, por ocasião da Final do Torneio Nacional de Futebol de Rua, em Braga ou a realização do primeiro curso de arbitragem em Futebol de Rua. Todavia o mais relevante é o impacto que o Projecto teve nos seus participantes, 87,75% dos participantes revela um aumento de motivação, 86,39% um aumento da auto-estima, 90,46% um aumento da confiança, 89,78% um desenvolvimento da capacidade de trabalho de equipa e 90,46% um aumento do respeito (por si e pelos outros). É ainda de salientar a participação de novos distritos e novas organizações / projectos, como é o caso do Metas E5G que no seu ano de estreia garantiu o apuramento para a Final do Torneio Nacional de Futebol de Rua ou a participação no Campeonato do Mundo de Futebol de Rua, aclamada nos media, onde o projecto gerou 122 notícias, pelo 3º Lugar obtido em Amesterdão e que em 2015 se destacou pela participação, pela primeira vez, de jovens dos distritos de Castelo Branco, Braga ou de Projectos como o Metas E5g.É o caso do Rubén Santiago, jovem do Projecto Metas E5G, que no seu primeiro ano de participação no Projecto teve a oportunidade de representar Portugal no Campeonato do Mundo de Futebol de Rua.

O Rúben, um jovem que se destacou pelas suas competências desportivas, pessoais e sociais representou de forma digna e exemplar o Projecto Metas E5G, a Associação CAIS e Portugal no Campeonado do Mundo da Modalidade, aproveitando igualmente e como é objectivo do projecto para desenvolver as suas competências e efectuar novas aprendizagens. É por jovens como o Rúben, que valorizam e aproveitam as oportunidades que a Associação CAIS desenvolve o Projecto Futebol de Rua. Estando certos que esta participação teve um impacto muito positivo na sua vida, aguardamos por novidades, certos que o seu futuro será brilhante. Gonçalo Santos - Coordenador Futebol de Rua


Antes de mais gostava de parabenizar o Projeto Metas pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver. Por lutar todos os dias pelo sucesso escolar de muitas crianças e jovens, estruturando de forma positiva os projetos de vida de cada um deles, reforçando fatores individuais e sociais impedindo comportamentos desviantes. É para mim uma honra ter a oportunidade de fazer parte de um projeto como este. Um projeto que me permite desenvolver competências pessoais e profissionais. Dirigi-me ao projeto, mais concretamente ao CIJ, na esperança de encontrar um local onde pudesse estagiar e assim finalizar o meu curso. Na realidade encontrei muito mais que isso! Encontrei profissionais que me ajudaram a crescer, que me proporcionaram momentos e experiências únicas, nomeadamente a participação no projeto Futebol de Rua desenvolvido pela associação CAIS. Esta é sem dúvida uma experiência que vai ficar para sempre na minha memória. Representar Portugal no campeonato do Mundo de Futebol de Rua foi, sem dúvida, o realizar de um sonho. Tudo isto se deve à incansável dedicação e esforço de todas as pessoas que envolvem o Projeto Metas. Quero desde já agradecer desde já ao Sr. Agostinho por permitir a realização do meu estágio no CIJ. Agradecer também à Dra. Sofia São Martinho por coordenar todo o meu trabalho e pela disponibilidade demonstrada ao longo do meu percurso. Ao Renato Florim que sempre me ajudou no desenvolvimento de trabalhos e a todos os jovens que direta ou indiretamente fizeram parte do meu estágio. À Patrícia Costa um grande obrigado por cuidar de todo o processo relacionado com o Futebol de Rua e por toda a preocupação durante o mesmo. Ao Gonçalo Santos, Bruno Seco, Francisco Seita e a toda a seleção um MUITO OBRIGADO pelos fantásticos 20 dias. Rúben Santiago


Ao longo do primeiro período letivo recebemos no projeto 10 alunos dos cursos vocacionais da Escola Leonardo Coimbra, para realizarem a sua prática vocacionada (estágio) na área de multimédia. Numa parceria do nosso projeto com o Espaço T, os alunos das escolas EB1 da Pasteleira e Condominhas experimentaram uma aula de Tai Chi, uma arte marcial chinesa. Dez adultos que estavam a completar o 4.º ano de escolaridade, tiverem aulas de informática no projeto e obtiveram assim o Diploma de competências básicas em informática, emitido pela UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento. Este ano foi um pouco mais triste aos vermos dois jovens da nossa comunidade emigrarem. O Hugo Gomes, membro da Ágil e participante no projeto há vários anos foi trabalhar para Inglaterra. E também o Jonas Oliveira, jovem que participa no projeto desde a primeira geração, membro fundador da Ágil e agora dinamizador comunitário do projeto, foi para as Canárias! Sentimos a vossa falta, mas sabemos que vão ter muito sucesso! Boa sorte!

´


M`Metas11  

O número 11 da nossa revista MMetas, elaborada pelos jovens do nosso projeto. https://www.facebook.com/projeto.metasE5G/?ref=hl

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you