Page 1

Jornal Sindical “COMPANHEIRO METALÚRGICO”

SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE GUARULHOS, ARUJÁ, MAIRIPORÃ E SANTA ISABEL - ANO 23 - Nº 252 - NOVEMBRO/DEZEMBRO 2017 União e Ação

Telefone 2463.5300 • E-mail: sindicato@metalurgico.org.br • Site: www.metalurgico.org.br

Luta por direitos marca ações sindicais de 2017 Foto: Rômulo Magalhães

aNO TeVe GreVe GeraL, OCUPa braSÍLia e OUTrOS PrOTeSTOS

28/4 - Greve contra reformas neo

liberais

em SP 14/9 - Plenária brasil Metalúrgico,

ília

24/5 - Guarulhos no Ocupa Bras

ASSEMBLEIA APROVA - Diretores e trabalhadores na sede, dia 10 de novembro. assembleia aprovou os primeiros acordos da campanha salarial e autorizou o Sindicato a negociar com os demais grupos patronais. Nosso presidente José Pereira dos Santos afirma: “É a negociação mais difícil em muitos anos. A reforma trabalhista estimula o corte de direitos. Por isso, estamos fazendo uma campanha salarial de resistência”. Leia mais na página 4

Classe trabalhadora resiste O ano de 2017 fica marcado por fortes lutas sindicais. Uma delas é a greve geral em 28 de abril, com paralisações em todo o País. Nosso Sindicato participou de todas as lutas. As últimas ocorreram em 10 de novembro e 5 de dezembro. Foram atos contra a lei

trabalhista de Temer, que entrou em vigor dia 11 de novembro, e a reforma da Previdência. Balanço - “A luta não para, porque Temer também quer desmontar a Previdência”, alerta nosso vice Josinaldo José de Barros (Cabeça). Páginas centrais

MeU FUTUrO COMPLeTa 15 aNOS

Em 12 de outubro, o Instituto completou 15 anos de trabalho e inclusão social. Última página


2 - Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017

 eDIToRIaL

Conhecer e defender cada direito conquistado

José Pereira dos santos

Presidente do Sindicato

E-mail: pereira@metalurgico.org.br

Ainda estamos finalizando nossa campanha salarial. A campanha dos metalúrgicos ocorre no momento em que entra em vigor a nova lei trabalhista, que é muito ruim. Diante disso, o comando das negociações decidiu por uma tática preventiva. Ou seja, buscar garantir os direitos e impedir que a reforma trabalhista atinja as Convenções Coletivas. Esse objetivo tem sido alcançado. Até o momento, todos os acordos preservaram nossas Convenções - ou seja, Pisos, jornada, licença-maternidade, estabilidade do acidentado e outras conquistas importantes.

Paralelamente à campanha, o Sindicato tem atuado direto nas fábricas. Destaco dois resultados dessa ação: 1) Mais acordos de PLR (Participação nos Lucros e/ou Resultados); 2) Aumento na sindicalização. No que diz respeito aos direitos, buscamos massificar as Convenções. Fazemos isso por meio do site, boletins, vídeo, jornal e de outros meios, como assembleias por empresa.

Até o momento, preservamos nossas Convenções Coletivas

 PoLÍTICa naCIonaL

Lula lidera pesquisa PSDB apoia Alckmin Huck desiste do pleito O ex-presidente Lula lidera as pesquisas de intenção de votos para presidente da República. Pelo Vox Populi, ele tem 42%. Já Bolsonaro surge com 16% das preferências.

O governador paulista Geraldo Alckmin deve ser o candidato tucano à Presidência em 2018. Nomes como Doria e Aécio são considerados sem chances na disputa.

Melhoria - O acordo por grupo patronal garante um patamar aos trabalhadores desses setores. Porém, onde há condições de buscar melhorias o Sindicato está buscando. Pedimos aos companheiros que se mobilizem, pois isso nos dá mais força. Governo - Parece incrível, mas é real. O governo Temer baixou Portaria que relaxa a fiscalização do trabalho escravo e facilita abusos. Isso mostra o nível do governo nacional e a serviço de quem essa gente está. Por isso, precisamos nos unir ainda mais. Unir, resistir e derrotar a corja que está afundando o Brasil.  PRoFIssIonaL De MÍDIa

Em artigo na Folha de S. Paulo, dia 27 de novembro, o apresentador de TV Luciano Huck anunciou que não disputará cargo eletivo em 2018. Ele era cortejado pelo PPS.

 DeU na IMPRensa

Ações sindicais repercutem em jornais, TVs e sites

TaLeNTO JOVeM Rômulo Queiroz Magalhães é um dos jovens talentos do jornalismo guarulhense. Bom de foto e bom de texto, o ex-metalúrgico da Marília vê no jornalismo uma forma de sacudir o comodismo das pessoas e a ordem social do País. Casado com Yoná, é pai de duas

Imprensa documenta luta sindical por direitos, salários e desenvolvimento

Jornais, sites e TV divulgaram amplamente as ações sindicais em outubro e novembro. Guarulhos Hoje e Folha Metropolitana publicaram matérias sobre as mobilizações nas fábricas em 10 de novembro, no Dia Nacional em Defesa dos Direitos contra a

reforma trabalhista. Tais matérias saíram nos jornais impressos e nos sites desses veículos. Nossa Campanha Salarial também obteve repercussão. Além dos jornais, foi divulgada nos programas Tribuna Livre e Cidade em Debate, da TV Guarulhos, como

também nos sites da Força Sindical, CNTM, Agência Sindical e Federação dos Metalúrgicos. Nosso advogado dr. Marcílio Penachioni foi entrevistado por Georgia Lúcia Malaquias e Elói Pietá, ex-prefeito de Guarulhos, no programa www.gru360.com

crianças: Raí e Lívia Maria. atualmente, atua no jornalismo como free lancer. Rômulo conta sua experiência: “Fiz assessoria para políticos, e sei que nem todos são como os que estão em Brasília. Como metalúrgico, também aprendi muito. e levo isso no meu dia a dia. busco respeitar os companheiros, sempre procurar algo melhor e nunca ficar parado”.

JORNAL SINDICAL - Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos, Arujá, Mairiporã e Santa Isabel. Sede: rua Harry Simonsen, 202, Centro de Guarulhos, CEP 07013-110. Telefone 2463.5300. Site: www.metalurgico.org.br - E-mail: sindicato@metalurgico.org.br - Subsede Arujá: rua Silmar Montoni, 215, Center Ville, CEP 07401-135. Telefone 4655.3596. Subsede Mairiporã: rua José Claudino dos Santos, 122, Jardim São Francisco II (Terra Preta), CEP 07600-000. Telefone 4486.1615. Clube de Campo: rua Galáxia, 126, Parque Primavera, Guarulhos, CEP 07142-390. Telefone 2402.3811. Colônia de Férias em Caraguatatuba: (12) 3887.1250. Hotel-Fazenda Vista Linda em Vargem: (11) 4598.1215. Produção: Agência Sindical - 3255.6559. Fotos: Carlos Salles, Rômulo Magalhães, Ivanildo Porto, Lucas Braga e Silvio César. Texto: Luiz De Salvo Neto (Titico) e João Franzin. Edição: João Franzin. Diretoria: José Pereira dos Santos (presidente), Josinaldo José de Barros (vice-presidente), Pedro Pereira da Silva (secretário-geral), Alex Sandro de Lima (1º secretário), Célio Ferreira Malta (2º secretário), Antonio Francisco da Silva (tesoureiro-geral), Josete Machado Filho (1º tesoureiro). Suplentes: José Carlos Santos Oliveira, Ricardo Pereira de Oliveira, Roseli do Carmo Lima, José João da Silva, Márcia de Aquino Meira e Raquel de Jesus. Conselho Fiscal: Augusto Valdomiro Knupp, José Dilton Braga da Silva e Daniel Hermínio Estevam. Suplentes: Evandro Pereira, Adriano Alves de Oliveira e Eronides Rafael Galdino. Delegados na Federação: José Barros da Silva Neto e Elenildo Queiroz Santos. Suplentes: Eduardo Apóstolo Santos Oliveira e José Pedro da Silva. Impressão: BanGraf. Tiragem: 30 mil exemplares. novembro/Dezembro 2017.


Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017 - 3

 De 2004 aTÉ 2017

Categoria acumula ganho real de 32,4% Foi mais de uma década com aumentos reais contínuos. Confira: É natural que o trabalhador se preocupe com o salário e seu poder de compra. Natural, também, que comemore os ganhos reais e se aborreça quando o reajuste fica abaixo da sua expectativa. No entanto, pedimos que você considere os contínuos ganhos obtidos nas campanhas salariais. E também leve em conta nossas conquistas de Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR). DIEESE - O economista Rodolfo Viana, do Dieese, aponta alguns desses ganhos, obtidos a partir de 2004. Veja: • Inflação - De 2004 a 2017, o INPC ficou em 118,55%. • Reajuste - No período, os reajustes negociados pelo Sindicato acumularam alta de 189,39%.

AINDA BEM QUE TEMOS AS CONVENÇÕES Todo ano, a cada campanha salarial, o Sindicato renegocia a Convenção Coletiva de Trabalho. E o patrão é obrigado a negociar? Não. Até porque a lei não o obriga. Nossa Convenção assegura direitos e conquistas que garantem ganhos e protegem o trabalhador metalúrgico. Algumas conquistas: 1) estabilida-

de até a aposentadoria ao trabalhador acidentado; 2) estabilidade a quem está pra se aposentar; 3) Hora extra e adicionais acima do que estipulava a CLT que Temer desmontou; 4) Licença-maternidade de 180 dias em alguns grupos patronais; 5) Garantia de homologação no Sindicato. Com isso, evita-se o calote patronal em cima do demitido.

Aumento real - O ganho real salarial foi de 32,41% - ou seja, quase 33% acima da inflação. E a lei? Ora, desde o governo FHC não existe mais lei que reponha no salário as perdas da inflação. Portanto, toda negociação começa do zero. Essa é a conta que você deve fazer: a) Partimos do zero; b) Se tivéssemos conseguido repor a inflação, o reajuste acumulado seria de 118,55%; c) Mas, como conseguimos aumentos reais nesses anos todos, o ganho efetivo - acima do INPC - chegou a 32,41%. Piso - O Piso nacional, na prática, é o salário mínimo. Hoje, R$ 937,00. Já o maior Piso metalúrgico está em R$ 1.830,00. Isso representa R$ 893,00 a mais que o salário mínimo. Já o menor Piso em nossa categoria está em R$ 1.289,00. Ou seja, supera em R$ 352,00 o salário mínimo nacional. O Sindicato atua, você ganha!

Veja outras conquistas salariais no período 2004-2017

Rodolfo Viana, economista do Diee

se

Companheiro(a): Vamos supor que em 2004 você ganhasse R$ 600,00 - era o maior Piso naquela data-base. Neste caso, os valores atuais de seu salário seriam: Se você tivesse recebido só o INPC acumulado (118,55%), seu salário teria ido pra R$ 1.311,31. Mas, como nosso Sindicato conseguiu negociar aumento real de 32,41% entre 2004 a 2017, este mesmo salário estaria hoje em

HOMOLOGAÇÃO? SÓ VALE NO SINDICATO!

R$ 1.736,34, acumulando um reajuste total de 189,39%. Outro exemplo - Em 2004. Se você ganhasse R$ 2 mil. Seu salário atual seria de R$ 4.371,04. Mas, graças aos 189,39% conseguidos pelo Sindicato, seu salário chegaria a R$ 5.787,80. Considere ainda aquele salário de R$ 2 mil, em 2004. A diferença dos ganhos (entre o INPC e o que nosso Sindicato coseguiu) seria de R$ 1.416,76. Isso daria em um ano

(entre 2017 e 2018) R$ 18.885,33. Aqui, somamos os ganhos de salário, 13°, férias e abono de férias. Diferença total - Ainda tomando-se como base o salário de R$ 2 mil, em 2004. A soma de todos os ganhos, de lá pra cá, daria um montante de R$ 140.807,12. Ou seja, a ação sindical acrescentou R$ 140.807,12 a um trabalhador empregado naquela época, ganhando R$ 2 mil, e que continue na empresa até hoje.

Quando o funcionário sai da empresa, o empregador deve fazer a quitação das verbas trabalhistas do ex-empregado. A homologação deve ser feita no Sindicato da categoria, para que se faça a devida conferência dos pagamentos. Portanto, homologação fora do Sindicato não vale. Fique atento e nos avise: 2463.5300.


4 - Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017

 CaMPanHa saLaRIaL

Negociação garante Convenções Coletivas resultados dos acordos coletivos já cobrem mais de 90% da nossa base Metalúrgicos de todo o Estado estão na reta final das negociações coletivas. Basicamente, asseguramos: 1) Convenções Coletivas na íntegra; 2) Abono salarial em três parcelas; 3) Reposição da inflação SINDIPEÇAS - Reajuste: 1,8% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de r$ 8.602,00, fixo de R$ 154,84). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 12 de dezembro, 5% até 13 de março e 5% até 12 de junho (teto de r$ 8.602,00). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto - r$ 1.440,00 (empresa com até 150 funcionários) e R$ 1.830,00 (com mais de 150 funcionários). SIMEFRE - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de r$ 8.618,00, fixo de R$ 157,71). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro, 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de r$ 8.618,00). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, r$ 1.346,69 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.477,11 (de 101 a 350) e R$ 1.719,41 (acima de 350 funcionários) - teto salarial de R$ 8.618,00. SINAFER - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de r$ 8.618,00, fixo de R$ 157,71). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro, 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de r$ 8.618,00). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto - r$ 1.346,69 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.477,11 (de 101 a 350) e R$ 1.719,41 (acima de 350 funcionários) - teto salarial de R$ 8.618,00.

UMICORE - Nossos diretores Evandro, Zoião, Ricardo e Antonio durante assembleia de campanha salarial

ou de índice próximo ao INPC. O presidente José Pereira dos Santos lembra: “O grande esforço

foi manter os direitos das Convenções Coletivas”. Assembleia na sede dia 10 de

COMO FICOU POR GRUPO

FUNDIÇÃO - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de julho de 2018 sobre o salário de 31 de outubro deste ano. Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 22 de dezembro, 5% até 22 de janeiro e 5% até 22 de março. Piso salarial a partir de 1º de julho, r$ 1.492,46 (empresa com até 350 funcionários); e R$ 1.792,66 (mais de 350). SICETEL - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de R$ 8.609,73, fixo de R$ 157,56). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro, 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de R$ 8.609,73). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, r$ 1.346,69 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.477,11 (de 101 a 350) e R$ 1.719,51 (mais de 350 funcionários). SIESCOMET - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de R$ 8.609,73, fixo de R$ 157,56). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro, 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de R$ 8.609,73). Empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica

desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, r$ 1.346,69 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.477,11 (de 101 a 350) e R$ 1.719,51 (mais de 350). SINIEM-ESTAMPARIA - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de R$ 8.419,88, fixo de R$ 154,08). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro, 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de r$ 8.419,88). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, R$ 1.361,07 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.469,11 (de 101 a 350) e R$ 1.685,14 (mais de 350 funcionários). SINDAL - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de R$ 8.423,00, fixo de R$ 154,14). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro; 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de r$ 8.423,00). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, r$ 1.336,00 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.473,00 (de 101 a 350) e R$ 1.691,00 (mais de 350 funcionários).

FEDERAÇÃO - Dirigentes assinam acordos após negociação com grupos patronais

novembro aprovou as primeiras negociações e autorizou acordos com outros segmentos patronais. SINDRATAR - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de r$ 8.618,00, fixo de R$ 157,71). Abono salarial: 15% sobre salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro; 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril (teto de r$ 8.618,00). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, r$ 1.346,69 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.477,11 (de 101 a 350) e R$ 1.719,51 (mais de 350 funcionários). SINDIFUPI - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano. Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro. Pagamento: 5% até 22 de dezembro; 5% até 20 de fevereiro e 5% até 20 de abril. Piso salarial a partir de 1º de agosto, r$ 1.289,00 (empresa com até 50 funcionários); e R$ 1.379,00 (mais de 50 funcionários). SINDIMAQ/SINAEES - Reajuste: 1,83% a partir de 1º de agosto de 2018 sobre salário de 31 de outubro deste ano (teto de R$ 8.868,54, fixo de R$ 162,29). Abono salarial: 15% do salário de 31 de outubro deste ano. Pagamento: 5% até 20 de dezembro; 5% até 14 de fevereiro e 5% até 12 de abril (teto de r$ 8.868,54). empresa que optar conceder reajuste em 1º de novembro deste ano fica desobrigada do abono. Piso salarial a partir de 1º de agosto, R$ 1.412,75 (empresa com até 100 funcionários); R$ 1.535,58 (de 101 a 350 funcionários) e R$ 1.765,92 (mais de 350 funcionários). FIQUE LIGADO - Pelo aPP, Facebook ou nosso site: www.metalurgico.org.br Ou ligue 2463.5300.


Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017 - 5

 PLR na JULIo sIMÕes

Participação pode chegar a R$ 4.319,41

JULIO SIMÕES - Nosso diretor Daniel Estevam conduz assembleia na unidade da empresa, localizada no Taboão, em Guarulhos

Benefício melhora renda do trabalhador e ajuda a ativar a economia O Sindicato fez várias assembleias de Participação nos Lucros e/ ou Resultados. Apesar da crise que o Brasil atravessa, fechamos vários acordos, muitos com aumento. Nosso vice Josinaldo José de Barros (Cabeça) comenta: “Este ano está sendo muito difícil, devido à recessão econômica e aos ataques de Temer aos nossos direitos. Mesmo assim, fechamos centenas de acordos. Cada PLR conquistada é mais renda ao metalúrgico”. Julio Simões - Nesta empre-

sa, com 280 funcionários nas duas plantas em Guarulhos (Cumbica e Taboão), a Participação pode chegar a R$ 4.319,41, conforme metas. A primeira parcela, no valor de R$ 2.159,71, será paga em agosto do próximo ano. A segunda, com as metas, em fevereiro de 2019. Prensal (J. Munhoz) - Além da PLR, que será paga em maio e até julho, o Sindicato negociou estabilidade no emprego para os 30 funcionários, até julho de 2018. Henrisan (Itapegica) - A Participação aos 12 funcionários sobe 8% e pode chegar a R$ 1.112,40, com metas. Pagamento sai em fevereiro e abril.

ITEFAL - Diretores Jau, Carioca e Cabeça comandam assembleia na fábrica

Itefal (Vila Paraíso) - Os 110 funcionários receberam PLR de uma só vez no final de novembro. Refrisat (Itapegica) - Aumentou 4%. Será paga em novembro e até março do próximo ano. Viva Aer (N. Bonsucesso) - Valor do benefício aumenta para os 35 companheiros. Pagamento foi feito em novembro. Maprelux (Vila Galvão) Garantido pagamento da PLR de 2015 e 2016 aos 35 funcionários. Diretor Evandro Pereira conduziu assembleia. Ele diz: “A direção da Maprelux alegou dificuldades financeiras e não fechou a PLR nestes anos. A situação melhorou, fomos à fábrica e negociamos o benefício. Foi uma vitória da união entre o Sindicato e os trabalhadores”. Dinheiro será depositado em novembro e fevereiro. Deluma (Cumbica) - Empresa não queria pagar o benefício. Nos-

so diretor José Barros da Silva Neto conta: “Após pressão pra reabrir a negociação, a direção da Deluma apresentou proposta muito ruim. Foi recusada pelos companheiros. O Sindicato retomou a negociação, até conseguir uma proposta melhor”. Pagamento em março. Reis (Cumbica) - Valor será de R$ 1.337,60. Depósito em novembro e até maio. J. Gianini (Almeida Prado) Pagamento em março e até maio. Guaru Aço (Itapegica) - Valor será de R$ 1.444,00 com pagamento em dezembro. AF Dutra (Vila Paraíso) - Pagamento do benefício sai nos meses de novembro e março.

EXIJA

Você tem direito de receber PLR. Procure o Sindicato. Ligue 2463.5300.

CObraMOS SeGUraNça Na KOMaTSU O Sindicato realizou dia 10 de outubro ato com os 150 funcionários da Komatsu, a fim de cobrar de medidas de segurança na empresa. A manifestação ocorreu devido a acidente de trabalho dia 15 de setembro, que resultou na morte do eletricista emerson Vieira de Souza, de 41 anos. No ato nossos diretores relataram as providências relativas ao acidente fatal e lembraram que o empregador, pela lei, responde pela segurança na fábrica. O diretor Nildo Queiroz Santos alerta: “No caso,

não foram respeitadas integralmente as normas de segurança. O patrão não pode só querer produzir, sem dar segurança aos funcionários”. Participaram o presidente José Pereira dos Santos e os diretores antonio Francisco da Silva, augusto Knupp e José Carlos Santos Oliveira (Chorão). Emerson caiu de uma escada, sofrendo forte impacto e corte na cabeça. Foi hospitalizado, mas não resistiu aos traumas, vindo a falecer dia 24 do mesmo mês. O Sindicato prestou assistência à família.

CAT - Todo acidente ou doença do trabalho deve ser relatado fielmente na Comunicação do Acidente. Exija!


6 - Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017

Um ano inteiro de ações n

GreVe GeraL, OCUPa braSÍLia, braSiL MeTaLÚrGiCO e aSSeM O ano de 2017 foi o pior na história da classe trabalhadora brasileira. A economia permaneceu em recessão; o desemprego ficou muito alto; a crise política se agravou. Pra piorar, nossos direitos foram duramente atacados. Veja: 1) Governo aprovou lei da terceirização, que precariza o emprego; 2) Governo aprovou lei trabalhista, que corta direitos e enfraquece a ação sindical; 3) Governo editou Portaria que estimula o trabalho escravo; 4) Governo força uma reforma previdenciária que dificulta a aposentadoria e corta benefícios. O que fez o movimento sindical? Reagimos! Fizemos greve geral dia 28 de abril e ocupamos Brasília em 24 de maio. Mas realizamos outros atos e protestos. Nestas páginas, o resumo das lutas das quais nosso Sindicato participou.

15/3 - Protesto ocupa pista da Dutra

28/4 - Greve geral na região de Bonsucesso

15/2 - evento por emprego em nossa sede

25 de janeiro - Nosso Sindicato participou de ato com 30 mil pessoas, em SP, quando o Sindinapi realizou manifestação em defesa dos trabalhadores, aposentados e contra a reforma da Previdência. 15 de fevereiro - Encontro no Sindicato, com presença do prefeito Guti, para debater meios de retomar o crescimento de Guarulhos e gerar empregos. 4 de março - Diretoria e assessoria participaram, na sede, de Seminário sobre a reforma da Previdência. O economista Rodolfo Viana, da subsecção do Dieese no Sindicato, explicou Nota Técnica da entidade sobre os prejuízos da reforma para trabalhadores da ativa, aposentados e pensionistas. 15 de março - Dia Nacional de Protesto contra a reforma da

Previdência e o corte em direitos. Cinco mil metalúrgicos paralisaram fábricas da nossa base. Paramos na Rod-Car, Omel, Tower, Continental, Dyna, FW, Cindumel, Umicore, Fabrima, Cummins Motores e Cummins Filtros. 21 de março - Assembleia na Soluções Usiminas (Jardim São Roque) contra reformas de Temer. 25 de março - Mais de 200 pessoas participaram da homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março. O Departamento Feminino organizou o evento. Nossas diretoras alertaram para os riscos à mulher contidas nas reformas neoliberais. 28 de março - O vice-presidente Josinaldo José de Barros (Cabeça) utilizou a Tribuna da Câmara de Guarulhos pra criticar

os projetos do governo sobre a terceirização e as mudanças na Previdência. Fala obteve ampla repercussão. 11 de abril - Sindicato compareceu ao ato unitário, com cerca de 400 manifestantes, na praça Getúlio Vargas, Guarulhos, contra as reformas neoliberais do governo e dos patrões. 27 de abril - Assembleias na Joalmi e Dyna, com de 800 trabalhadores. Foi um esquenta para a greve geral no dia seguinte. 28 de abril - Greve geral. Às 4 da manhã, diretores e assessores já estavam nas ruas, terminais e fábricas, preparando as ações. Balanço apontou 25 mil metalúrgicos na greve. Locais: Várias empresas, como a Cummins Motores, Cummins Filtros, Umicore, Dyna, Modine, Jomar/Jomatic, Randra, Permetal participaram da mobilização. Até a Karina (do setor químico) engrossou a paralisação. 21 de maio - Ato sindical unitário reuniu diversas categorias na Paulo Faccini, Guarulhos, e agitou o domingo na região do Bosque Maia, em Defesa dos Direitos e por emprego. 24 de maio - Dia histórico. Sindicalistas e ativistas de todo o Brasil ocuparam Brasília, com mais de 200 mil pessoas. Objetivo: pressionar o Congresso Nacional a não aprovar as reformas contra os trabalhadores. 30 de junho (1) - O Sindicato

OCUPA BRASÍLIA - Dia 24 de maio, sindicalismo ocupou a Capital contra as reformas. Nosso Sindicato estava lá, na linha de frente


Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017 - 7

na base e lutas sindicais

MbLeiaS NaS FÁbriCaS FOraM aLGUNS DOS aTOS NO PerÍODO

10 DE NOVEMBRO - Presidente Pereira e os diretores Barros, Lula, Nildo e Knupp lideram manifestação na Modine, em Bonsucesso. Ato chamado pelo Movimento Brasil Metalúrgico

comandou novos protestos em fábricas. Desta vez, na U-Shin, Marília, FlexForm e Reydel, contra as reformas que cortam direitos. 30 de junho (2) - Centrais realizaram grande ato, com centenas de manifestantes, na Superintendência Regional do Trabalho, em SP. Nosso Sindicato participou. 10 de agosto - Seminário de Planejamento com diretores e assessores, no Sindicato. Tema: “Democracia, Direitos, Desenvolvimento”. Participações do Dieese e do ex-ministro Aldo Rebelo e outras autoridades. 22 de agosto - Líderes metalúrgicos de todo o País se reuniram no Sindicato em São Bernardo, pra reforçar a luta contra a reforma trabalhista. 29 de agosto - Dirigentes metalúrgicos de todo o Estado fizeram assembleia na sede da Federação, em

30/6 - Protesto em frente à SRT, em SP

SP, para o início da campanha salarial. Sindicato participou. 14 de setembro - Mobilizamos mais de dois mil metalúrgicos no Dia Nacional de Luta, Protestos e Greves pela preservação dos direitos. Ação convocada pelo movimento Brasil Metalúrgico, que reúne CNTM, Força Sindical e outras entidades. Protestamos na ABB, Continental, Tower, Newpower e Permetal. 22 de setembro - Sindicalistas da Força, UGT, CTB, Nova Central e CSB reuniram diversas categorias profissionais e lançaram, em SP, a Primavera de Lutas. 26 de setembro - O Sindicato participou de ato contra a reforma da Previdência, realizado pelo Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais.

14/9 - Newpower, ato do Brasil Metalúrgico

27 de setembro - Começa campanha salarial. Assembleia aprova luta por aumento e garantia dos direitos. Com nosso auditório lotado, foi aprovada a pauta. Foco central da luta: garantir os direitos das nossas Convenções Coletivas. 29 de setembro - Nosso Sindicato participou, em SP, da Plenária Nacional dos Trabalhadores na Indústria, organizada pelo movimento ‘Brasil Metalúrgico’. O encontro aprovou Carta e marcou Dia Nacional de Protestos e Paralisações para 10 de novembro, véspera da entrada em vigor da lei trabalhista. 27 de outubro - Diretores compareceram, na Capital, a protesto contra as reformas neoliberais, promovido pelo Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST).

10/11 - assembleia aprova acordos

10 de novembro (1) - Mobilizamos quatro mil trabalhadores no Dia Nacional de Luta em Defesa dos Direitos contra as maldades da reforma trabalhista. Em nossa base, fizemos ações na Dyna, Granei, Modine, Raft, Carnevalli, Umicore e Omel. 10 de novembro (2) - Categoria lotou sede e aprovou acordos referentes aos grupos patronais do Sindipeças e Fundição. Acordos preservam os direitos das Convenções Coletivas. Assembleia também autorizou o Sindicato a continuar a negociação, nos mesmos termos, com os demais grupos. 5 de dezembro - Doze Sindicatos, com 300 manifestantes, repudiaram a reforma da Previdência. O protesto ocorreu junto ao INSS de Guarulhos, Vila Endres.

5/12 - Ação contra reforma da Previdência


8 - Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017

 ação na base

Conheça todos os setores do Sindicato São cinco. Cada um tem coordenador, diretores e assessores A base do Sindicato integra as cidades de Guarulhos, Arujá, Santa Isabel e Mairiporã. Ela é dividida em cinco setores - A, B, C, D e E - atendidos por nossos diretores e assessores. Qualquer problema ou reivindicação em sua empresa, chame os diretores do setor. As diretoras Raquel de Jesus (da Bristol) e Márcia de Aquino Meira (Continental) continuam em suas empresas, mas, quando preciso, são desligadas pra atuar em ações sindicais nos setores. Eduardo Apóstolo (Tieta) fica no Clube .

SETOR A

Josete Machado Filho (Pepe) josete@metalurgico.org.br

Evandro Pereira evandro@metalurgico.org.br

SETOR B Assessoria Carliucio S. Santos (Chitão). Região Inocoop, Taboão, Vila Barros, Cecap, São Roque, Bom Clima, Paraventi, Cocaia, Macedo, Vila Rio, São João, Lavras e Presidente Dutra.

Alex Lima

Daniel Estevam

Roseli Lima

Adriano A. de Oliveira

alex@metalurgico.org.br

daniel@metalurgico.org.br

roseli@metalurgico.org.br

adriano@metalurgico.org.br

SETOR C

Antonio Francisco da Silva antonio@metalurgico.org.br

Ricardo Pereira de Oliveira ricardo@metalurgico.org.br

Assessoria Sandro Régio dos Santos e João Monteiro. Região Itapegica, Vila Galvão, Vila Augusta, Ponte Grande, Vila Endres, Gopoúva, Cabuçu, Picanço e Mairiporã (Terra Preta).

SETOR D

Augusto Valdomiro Knupp knupp@metalurgico.org.br

José Barros da Silva Neto Elenildo Queiroz Santos barros@metalurgico.org.br elenildo@metalurgico.org.br

Pedro Pereira da Silva pedro@metalurgico.org.br

José Dilton Braga da Silva josedilton@metalurgico.org.br

Eronides Rafael Galdino rafael@metalurgico.org.br

José Carlos Santos Oliveira josecarlos@metalurgico.org.br

Assessoria - Valdir Planas. Região - Bonsucesso, (Região da Vila Carmela), Aracília, Sadokin, Morro Grande, Arujá e Santa Isabel.

SETOR E Assessoria - Silvia Julião e Fernando (Feijão). Região - Cidade Industrial Satélite (à esquerda da avenida Santos Dumont, sentido São Miguel Paulista), Nova Cumbica, Cumbica, Parque Uirapuru e Pimentas.

Célio Ferreira Malta José João da Silva José Pedro da Silva celio@metalurgico.org.br josejoao@metalurgico.org.br josepedro@metalurgico.org.br

Pereira e Cabeça COORDENAM

Assessoria - Edson Moreira (Araxá). Região - Cidade Industrial Cumbica (à direita da avenida Santos Dumont, sentido São Miguel Paulista) e Várzea do Palácio.

Itinerantes

Todos os diretores do Sindicato atuam em setores fixos. Menos o presidente José Pereira dos Santos e o vice Josinaldo José de Barros (Cabeça), que acabam atuando em todos os setores, nas ações sindicais, assembleias ou negociações coletivas. Mas um diretor apoia o outro - mesmo em setores diferentes - quando necessário. A união faz a força!

Eduardo A. Oliveira

Raquel de Jesus

Márcia de Aquino Meira

eduardo@metalurgico.org.br

raquel@metalurgico.org.br

marcia@metalurgico.org.br


Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017 - 9

 FIQUe sÓCIo

Sindicalização cresce nas fábricas

IBTF - Diretora roseli, trabalhadores da empresa e diretor Daniel

Adesão maciça mostra categoria cada vez mais consciente Nossos dirigentes e assessores agendam sindicalização nas fábricas e muitos trabalhadores aderem. Nas visitas, os diretores explicam o trabalho do Sindicato, mostram a rede de benefícios e também reforçam a importância da participação em uma entidade de classe. Locais - Nas últimas semanas,

houve sindicalização na Viva Aer (Cumbica), Julio Simões (Cumbica e Cecap), Aços Macom (Cumbica), Protendidos Dywidag (Itapegica), Feeder (Itapegica), TecFil (Jardim Cumbica), IBTF (Presidente Dutra), Dyna (Itapegica), Itefal (Vila Paraíso), MBF (Bonsucesso), Deluma (Cumbica), Granei (Taboão), Soluções Usiminas (J. São Roque) e em outras fábricas. Segundo nosso secretário-geral Pedro Pereira da Silva (Zoião), “em todas essas empresas, mais de 50%

USIMINAS - Madeira e companheiros

já são sindicalizados”. Mas a meta é ampliar o número de associados. Ele comenta: “A categoria se deu conta de que é na crise que precisamos nos unir ainda mais”. Só chamar - Pra agendar sindicalização em sua fábrica, ligue no Sindicato - 2463.5300 - e fale com um dos nossos diretores. Serviços - Clube de Campo, Colônia de Férias, escola técnica e universidades são alguns dos benefícios a sócios e dependentes. Saiba mais no www.metalurgico.org.br

VIVA AE R - Diretor Knupp sind

icaliza

 ReCaDo Do TRabaLHaDoR

SÓCiO HÁ 10 aNOS Henrique reis almeida da Silva é

Advogado explica prazos e pagamento do 13º

operador de máquinas na CiP (Jardim

Estamos na época de pagamento do 13º salário. O 13º é garantido pela Lei 4.090, assinada pelo presidente João Goulart, em 1962. Fique atento a prazos e confira valores. O dr. Marcílio Penachioni, do Jurídico, informa: “A primeira parcela deve ser paga até 30 de novembro. A segunda em 20 de dezembro”. Tem empresa que paga a primeira parcela quando o funcionário entra em férias. Se isso não ocorrer, prevalecem as datas-limites de 30 de novembro e 20 de dezembro. Caso a empresa descumpra

há dez anos e sempre usufruiu dos

São Roque). Henrique é sindicalizado benefícios aos sócios. além de considerar importante garantir nesta campanha salarial os direitos da Convenção Coletiva, ele destaca a necessidade de manter nosso Sindicato forte, com milhares de sócios. O companheiro dá seu recado: “Sou associado há dez anos e não me arrependo. O Sindicato sempre me

ORIENTAÇÃO - Dr. Marcílio pede atenção a prazos e valores do 13º salário

prazos e não pague o 13º, procure nosso Sindicato. Várias medidas podem ser tomadas pra se garantir o pagamento, tais como negociação direta com a empresa,

parcelamento da dívida ou mesmo ação trabalhista. Ligue - Em caso de dúvida, ligue 2463.5300 e fale com nosso Departamento Jurídico.

ACORDO? SÓ COM PARTICIPAÇÃO DO SINDICATO!

Tem patrão achando que a lei trabalhista lhe dá todos os poderes. Nada disso. Portanto, não assine acordos individuais; não faça homologação fora do Sindicato. Fique atento e nos avise: 2463.5300.

apoiou e tive assistência quando mais precisei. Nossa entidade sempre lutou pela categoria. indiquei muitos amigos, que hoje são sindicalizados. Além disso, sempre uso a rede de lazer, como o Clube de Campo e a Colônia de Férias. Aliás, fui sorteado com uma vaga pra passar o Natal com a família lá em Caraguá”. RECADO - Mande o seu para imprensa@metalurgico.org.br


10 - Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017

 DYna e MaCoM

Trabalhadores elegem novas Cipas

Nos dias 23 e 24 de novembro, aconteceu em roma o Seminário internacional Sindical com lideranças do

Comissão atuante previne acidentes e ajuda preservar vidas O Sindicato acompanhou, dia 14 de novembro, eleição da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes na Dyna (Itapegica). Foram eleitos cinco titulares e quatro suplentes. Nosso diretor Antonio Francisco da Silva (Fala Mansa), que é funcionário da Dyna, comenta: “Os cipeiros vão se empenhar pela saúde e segurança dos companheiros da fábrica. Mas é preciso que a empresa também faça a sua parte”. Dyna - Cipeiros titulares: Alessandro Dias Vaz, Alexandre Martins, Alex Fernando Romero, Fábio Santana e Renato Ferreira Santana. Suplentes: Erisvaldo Muniz Ribeiro, Cícero Alves de Lima,

Pereira eLOGia eVeNTO eM rOMa

catolicismo. O evento foi coordenado pelo cardeal Peter Turkson, do Pontifício Conselho de Justiça e Paz do Vaticano. Nosso presidente José Pereira dos Santos representou a Força Sindical. Ele comenta: “O Seminário foi uma iniciativa do Vaticano de fortalecer as relações com o sindicalismo”. além dos sindicalistas de cinco ContiCIPEIROS - Diretor Antonio entrega cédulas na Dyna. Direita: cipeiros eleitos na Macom

Valderez dos Santos e Francisco Pereira da Silva. Macom - Na Aços Macom (Cumbica), os trabalhadores elegeram titulares e suplentes. Titulares: Marlon Damiani, Francisco Wadson, Anderson Alves e Douglas Lacerda. Suplentes: Gildesio Braz, Jefferson Gonçalves, Michel das Neves e Rodrigo da Silva. Médico - Nosso Sindicato possui Departamento de Saúde e

Segurança do Trabalhador, que é coordenado pelo diretor Elenildo Queiroz Santos (Nildo). Também contamos com Médico do Trabalho, que atende na sede. Saiba mais. Ligue 2463.5300. Fale com Nildo ou Rodrigo. ELEIÇÕES - Fique atento às próximas eleições de Cipa nas empresas, em dezembro: dia 5, MTA; 6, CIP e 9, Daicast. Vote e participe da Cipa!

SeDe e SUbSeDeS FeCHaM NO NaTaL e aNO NOVO - Durante Natal e ano Novo o Sindicato não atenderá na sede e nas subsedes de Arujá e Mairiporã. Expediente se encerra às 18 horas do dia 22 e retorno será em 8 de janeiro, a partir das 8h30. Clube de Campo - Funcionará dias 22, 23, 24, 29, 30 e 31 de dezembro. Horários: às sextas-feiras (dias 22 e 29) será das 8h30 às 17h30; aos sábados e domingos, funcionamento das 8 às 18 horas.

nentes, participaram entidades como a Organização Internacional do Trabalho. O Papa Francisco enviou mensagem de valorização do trabalho enquanto meio de realização pessoal, acesso à renda e justa distribuição da riqueza. Pereira diz: “Me sinto honrado em representar a Força e poder expressar os anseios da classe trabalhadora e também dos metalúrgicos”.

Cardeal Turkson e nosso presidente


Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017 - 11

 esPoRTe e LaZeR

Futebol entra na fase final. Prestigie! Terceira etapa começa em janeiro. Jogos no Clube. entrada grátis O 24º Campeonato de Futebol dos Metalúrgicos entra em janeiro em sua fase decisiva, com início da terceira etapa. Haverá jogos a partir do dia 21, movimentando as seis equipes que disputarão a competição. Estão classificados Julio Simões, Elecon, Steel-Rol, Tecfil Filial, U-Shin e Phaynell. Todas as partidas do Campeonato são realizadas no Clube de Campo (Parque Primavera), com entrada grátis para a torcida.

AMOR À CAMISA - Equipes da Elecon (azul) e Marília (vermelho) numa das partidas da primeira fase do Campeonato

O diretor Alex Lima, do Departamento de Esportes, informa: “Nesta terceira fase, os jogos serão disputados no sistema de matamata (perdeu está eliminado).

Decidimos paralisar o Campeonato neste final de ano atendendo solicitação dos próprios jogadores”. A grande final do Campeonato está prevista para 25 de fevereiro.

Sorteio para Colônia contempla 76 sócios

SORTEADOS - Associados mostram o cupom que dá direito a hospedagem na Colônia de Caraguá (foto menor)

Mais de 170 associados participaram dia 10 de novembro, na sede, do sorteio para vagas no Natal e Ano Novo na Colônia de Férias de Caraguatatuba. Muitos es-

tavam com familiares. Realizamos o sorteio porque a procura é muito grande nessas datas. Foram sorteadas 38 vagas para o Natal e 38 para a passagem de

ano. No Natal, os sorteados ficarão hospedados de 22 a 27. No Ano Novo, a estada irá de 29 de dezembro a 5 de janeiro. Aproveitem, companheiros!

Prêmios - Haverá premiação para os quatro primeiros colocados, além de goleiro menos vazado, artilheiro do certame e melhor atleta no jogo decisivo. Prestigie!

APROVEITE O CLUBE! Nosso Clube de Campo (Parque Primavera) está com novo atendimento, no horário de verão. Enquanto perdurar esse horário, o local funcionará das 8 às 18 horas. O Clube funciona às sextas, sábados e domingos. Quando o feriado cai numa segunda, o Clube também funciona. Sextas - Neste dia, o horário é diferenciado: das 8h30 às 17h30. Demais dias - Sábados e domingos, e quando houver feriado na segunda, o local abrirá das 8 às 18 horas, durante o horário de verão. Pesqueiro - De quarta a domingo, das 8 às 18 horas. aproveite o Clube da categoria. endereço: Rua Galáxia, 126, no Parque Primavera, Guarulhos. Mais informações, ligue 2402.3811.

Data Brasil oferece cursos de férias com descontos Aproveite os cursos de férias na Data Brasil. A escola fica no prédio ao lado do Sindicato.

Cursos de Mecânica, Eletrônica, Recursos Humanos, Segurança no Trabalho e Edificações. Sócios e

dependentes têm direito a desconto de 40% na mensalidade. Telefone da escola: 2464.0200.

ANIVERSARIANTES DE DEZEMBRO - Dia 5, Andréia Cristiane dos Santos (Cipa); 7, Noelia P. Gonçalves (Meu Futuro); e 28, Roseli do Carmo Lima (diretoria). JANEIRO: Dia 3, Noemia C. da Rocha (Jurídico); 4, Davanildo Santos (Clube); 7, Evandro S. dos Santos (Clube); 15, Solange Moncia (Clube); e 17, Alexsandro Silva Santos (Clube).


12 - Jornal Sindical - Novembro/Dezembro 2017

 15 anos De aTUação

Meu Futuro promove inclusão na prática

POSSE - Diretores, professores e alunos no dia 12 de outubro, aniversário da entidade. Além da posse, houve homenagens, inclusive ao idealizador José Pereira dos Santos

Conheça e contribua. Ligue para 2401.0722 e informe-se como fazer Nosso Clube de Campo fica no Parque Primavera, periferia de Guarulhos. Nessa região esquecida pelo poder público, o presidente José Pereira dos Santos viu oportunidade de iniciar um projeto social. Ele conta: “Tive infância sofrida. Desde pequeno trabalhei em serviço pesado. Nem pude ir à escola”. E lembra que sempre quis realizar algo concreto para crianças. Começo - Em 2002, nascia o Instituto Cultural e Esportivo Meu Futuro, que logo ganhou sede própria, dentro do Clube de Campo. Aos poucos, a entidade agregou cursos para alunos e pais, ofere-

cendo qualificação profissional e oportunidade de renda às famílias. Um dos primeiros apoios que tivemos foi do Sindicato dos Metalúrgicos da Bélgica, que é parceiro até hoje. As várias direções do Meu Futuro saíram a campo por apoio de pessoas físicas e jurídicas. Quando o aluno completa 16 anos (idade-limite do Instituto), a direção busca empresas a fim de colocar esses jovens no primeiro emprego. Centenas se empregaram. Ajuda - Por meio de doações, o Meu Futuro tem conseguido fornecer, mensalmente, cesta básica a grande número de famílias. Toda semana, famílias carentes recebem leite, por meio de convênio com o governo do Estado. Cursos - É uma forma de promover inclusão social. Nesses anos, o Instituto propiciou cursos

! S O N E M A O IT E IR D M NENHU

de Corte e Costura, Panificação e Confeitaria e também Marcenaria. Conteúdo - O Meu Futuro atende mais de 100 crianças e jovens da região do Primavera, com reforço escolar, aulas da informática, inglês, teatro, meio ambiente e outros conteúdos. Muitos pais puderam montar negócio próprio ou passaram a exercer atividade que complementa a renda. Posse - Dia 12 de outubro, tomou posse a nova diretoria, agora presidida por Alex Lima, diretor do Sindicato. Outros dois diretores compõem a executiva: Antonio F. da Silva e Daniel H. Estevam. DIRETORIA E COnSELHO Alex Lima; Tadeu Fini; Antonio Francisco da Silva; Agrimatonio Procópio de Araújo (empresa Marília); Daniel H. Estevam; Eliko Samejima (Umicore); Conselho Fiscal: Tereza M. Fernandes da Luz e Rafael Ignácio (Usiminas); Maria Rita F. Nascimento (Cerviflan) e Daniela R. Lipe (Lipo).

aLUNa eLOGia Vitória aparecida Moraes mora no Primavera. É aluna do Instituto Meu Futuro há cinco aos; entrou aos sete. Seu depoimento: “Aqui a gente aprende com prazer. Na escola, tem professor que joga o ponto na lousa e não está nem aí com o resultado. Já aqui eles nos dão total atenção. E temos ainda aulas de informática, inglês, teatro, música e meio ambiente. Quando completar meu ciclo, espero que o Meu Futuro continue por muitos anos a ajudar quem precisa”. Foto: Vitória entrega cartão de homenagem a nosso presidente José Pereira dos Santos, que idealizou o Meu Futuro.

Sem sindicalismo forte o Brasil não se levanta

A crise é política, econômica e moral. E a elite nacional já mostrou que não tem projeto para o País. Portanto, cabe à classe trabalhadora apontar caminhos. Muitos passos terão de ser dados. E o primeiro é fortalecer os Sindicatos. Faça isso. Fique sócio.

Procure também nossa sede e as subsedes. Ou ligue para 2463.5300.

Jornal Sindical Balanço 2017  
Jornal Sindical Balanço 2017  

Publicação do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região. Novembro/Dezembro de 2017. Formato - Tablóide, 12 páginas, 4 cores. Tiragem...

Advertisement