Issuu on Google+

AÇÃO DE FORMAÇÃO “Aquisição e tratamento de imagem (e-Learning)" 30 Horas De 24 de Junho a 15 de Julho de 2012


Introdução Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

O ser humano desde sempre valorizou a imagem como elemento fundamental da comunicação. No entanto, a produção, manipulação e utilização de imagens nem sempre esteve ao alcance de todos. Até ao início do século XX, somente os artistas e artífices especializados dominavam o conhecimento e as ferramentas necessárias para a criação de imagens. Com desenvolvimento técnico da fotografia tradicional - que surgira em 1827 da capacidade inventiva de Joseph Niepce - , iniciou-se uma revolução na utilização e manipulação da imagem: os profissionais da fotografia levaram-na até à "ilusão da realidade"... Finalmente, em finais do século passado, com o aparecimento das novas tecnologias informáticas e a sua aplicação na área da imagem, atingiu-se uma nova era na criação, captura e manipulação de imagem: a era da imagem digital.


Objetivos Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Identificar os principais componentes e recursos do programa de aquisição e tratamento de imagem estática; Reconhecer e utilizar as ferramentas mais comuns de edição de imagens; Saber trabalhar com cores: propriedades da cor, selecção e substituição da cor; Saber trabalhar com camadas: tipos de camadas, criação e remoção de camadas; Saber trabalhar com selecções: utilizar as ferramentas de selecção.


Introdução

Participação;

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Assiduidade; Cumprimentos de prazos na entrega de trabalhos; Exercícios Práticos; Realização de um cartaz A3.


Mais pormenores aqui Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Uma imagem digital é uma quantidade de informação codificada, ou seja, armazenada e organizada segundo um determinado código - número binário. Posteriormente poderá ser visualizada em determinados equipamentos, editada por software de imagem ou impressa. Como se forma uma imagem digital? Para percebermos o processo de formação de uma imagem digital, com uma câmara fotográfica, por exemplo, vamos compará-lo ao sistema de visão humana. O nosso sistema ocular é composto por um receptor, o globo ocular; por uma rede de transmissão de dados, o nervo óptico; e por um processador e armazenador de imagens, o cérebro. A luz reflectida por um objecto, ou por ele emitida, entra no nosso globo ocular e atravessa-o até chegar às células fotossensíveis (células sensíveis à luz) que cobrem as suas paredes interiores. Estas células (cones e bastonetes), ao serem impressionadas pela luz, emitem impulsos nervosos, eléctricos, que são conduzidos pelo nervo óptico até ao cérebro.

Imagem digital Resolução

Profundidade

Modo de cor


Introdução

Imagem digital Objetivos

Resolução Avaliação Profundidade

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Modo de cor


Sessão 1 - Resolução Introdução

Objetivos

A qualidade da imagem é determinada pelos pequenos elementos que a constitui:

Recursos

Píxel (pictureelement) - pequenos elementos de cor e brilho, normalmente quadrados, que constituem a imagem. Resolução - quantidade de informação que a imagem contém por unidade de comprimento, ou seja, é o número de píxeis por polegada (ppi - pixels per inch) ou pelas dimensões da mesma (comprimento x largura). Resolução de uma impressora ou scanner - é o número de pontos por polegada (dpi - dots per inch). Permite saber o tamanho real da imagem quando impressa. A resolução determina não só o detalhe da imagem, mas também o tamanho.

Galeria

O tamanho varia com a escala de:

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Bibliografia

Cores Preto e branco Cinzas

Imagem digital Resolução

Profundidade

Modo de cor


Sessão 1 – Profundidade Introdução

Profundidade do Píxel (Nº de bits)

Nº de cores produzidas

Modelo de cores

1

2

Preto e branco

8

256

Escala de cinzas ou cores de 8 bits

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

16

65 536

Cores de 16 bits

24

16 777 216

Cores de 24 bits

32

4 294 967 296

Cores de 32 bits

Imagem digital Resolução

Profundidade

Modo de cor

Fichas

Exemplo de imagens com alteração da profundidade da cor Recursos Profundidade da cor

Galeria

Bibliografia

24 bits

16 bits

Escala de cinzas

Preto e branco


Sessão 1 - Modo de cor Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Qualquer imagem digital tem de utilizar um modo de cor, ou seja, um código para a definição das cores com que a imagem é construída. Existem vários modos de cor com que se pode trabalhar tais como: Escala de cinzentos; RGB; CMYK;

Resolução

Profundidade

O modo da cor utilizado pelos monitores, máquinas digitais, scanners e outros equipamentos de manipulação e visualização de imagem é o modo RGB, cuja denominação utiliza as iniciais das palavras inglesas red (vermelho), green (verde) e blue(azul). Em contraposição, impressoras utilizam o modelo CMYK, cuja denominação Ciano (Cyan), Magenta (Magenta), Amarelo (Yellow) e preto(Blak) de cores subtrativas.

Galeria

Bibliografia

RGB

Imagem digital

CMYK

Modo de cor


Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Apresentação do Software O Photoshop da Adobe Systems Incorporated, é um dos principais programas para o tratamento e manipulação digital de imagem, quer: Ao serviço dos profissionais na área do design gráfico, na web, ou na fotografia; Ao serviço do utilizador comum.

As ferramentas que o Photoshop disponibiliza permitem a preparação de material para: Impressão; Web ou mesmo para produtos multimédia.

Para os fotógrafos, o Photoshop é uma perfeita câmara escura digital, possibilitando realizar praticamente todas as tarefas conseguidas pelos processos químicos, simulando mesmo algumas técnicas realizadas com a máquina fotográfica, tais como: A profundidade de campo; Efeitos de movimento.

Ambiente de trabalho e Ferramentas Exemplificação prática 


Ambiente de trabalho: Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Janela de abertura; O ambiente de trabalho e seus elementos; Caixa de ferramentas; Paletas; Criar um ficheiro de imagem. Abertura de uma Imagem: Abrir uma imagem; File Browser; Layers (Camadas.

Ferramentas de selecção: Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Ferramentas Marquee (selecção regular); Ferramentas Lasso (Laço); Ferramentas Magic Wander (Varinha mágica); Ferramentas Slice; Ferramenta Crop (Recortar).

Várias Ferramentas: Ferramentas de Desenho; Ferramentas de correcção de imagem; Ferramentas de edição vectorial; Ferramentas de edição de cor.

Guardar um ficheiro de imagem.

1ª Parte

2ª Parte

3ª Parte

4ª Parte

5ª Parte


Introdução

Fichas de exercícios práticos:

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Fichas de orientação: Criação de neve;

Recursos

Galeria

Bibliografia

Aplicação de “fogo” em texto.


Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia


Introdução

Objetivos

Avaliação Flor_azul

Meninos

Águia

Borboleta

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Estrela

Chapéu de sol

Alimentos

Crocodilo

Recursos

Galeria

Bibliografia

Homem

Mulher

Ele

Ela


Introdução

Objetivos

Avaliação

Sessão 1

Sessão 2

Fichas

Recursos

Galeria

Bibliografia

Bibliografia TAVARES, Aderito; SILVA, Daniel Marques; TEIXEIRA, Luís Filipe; TREZENTOS, Paulo; FERREIRA, Sérgio. Tecnologias da Informação e Comunicação. Lisboa Editora.


Mestrado em Ciências da Educação Especialização em Informática Educacional Doutor António Andrade Junho de 2012 Por: Irene Maciel


Trabalho power point - Irene Maciel