Page 1


Editorial Caro Leitor! 2012 está chegando ao fim, deixando um gostinho de quero mais. Ano maravilhoso, grandes conquistas, novos parceiros anunciantes, a manutenção dos antigos, e a felicidade de continuar fazendo o que se ama, são os motivos principais de tanta energia positiva! Mais uma vez só temos motivos para comemorar e agradecer pela confiança depositada em nosso trabalho por meio da Revista Mercado de Águas e do nosso portal www.guiamercadodeaguas. com.br. Tivemos, também, um ano com altas temperaturas e tempo muito seco, cenário maravilhoso para as empresas que atuam no segmento de água mineral. O calor excessivo fez despertar naqueles que ainda não tinham o hábito de beber água a necessidade dessa hidratação, indispensável à saúde. Nessa edição, falaremos sobre a nova regra para o transporte de água e gás por motofrete; sobre a Água Mineral Lambari (MG), que deve voltar ao mercado em março de 2013; e um estudo feito na Inglaterra, mostrando que a utilização de água mineral com sílica pode ajudar em tratamento de Alzheimer, entre outros assuntos. Depois da pausa para descanso – que as festas nos proporcionam – já estaremos prontos para uma nova edição, 51/fev/mar/abr, o nosso 8º anuário! Desejamos a todos um ótimo Natal e tudo o que houver de melhor em 2013! Boa Leitura! Cláudia Queiroz Diretora

Sumário Transporte Comissão aprova nova regra para transporte de gás e água por motofrete

6

4

Lambari Água Mineral Lambari deve voltar ao mercado em março de 2013

Sustentabilidade

12

Saúde

20

Patrocínio

22

Garrafões

24

MPE

26

Legislação

28

Navegando

30


Transporte

Comissão aprovou nova regra para o transporte de gás e água por motofrete A mudança facilita a entrega nos locais onde veículos maiores não têm condições de trafegar e evita que os consumidores tenham de fazer o transporte Fonte: Agência Câmara de Notícias A Comissão de Viação e Transportes aprovou, em 28 de novembro, a proposta que dispensa a obrigatoriedade de utilização de side-car (compartimento com rodas normalmente instalado ao lado da motocicleta) pelo motoboy que transportar pequenas cargas de gás ou de água. O transporte de gás ou de água poderá ser feito pelo motoboy desde que instalados dispositivos específicos para o transporte desse tipo de carga. O texto aprovado é um substitutivo do deputado Lourival Mendes (PTdoBMA) ao Projeto de Lei 1.968/11, do deputado Domingos Sávio (PSDBMG). O substitutivo esclarece que o dispositivo para transporte de carga não pode ser genérico, mas específico para o transporte de água e gás. “Com isso, atende-se à demanda da população que mora em comunidades carentes e desprovidas de infraestrutura de transportes”, afirmou o relator. Pela proposta, o motofrete fica dispensado da obrigatoriedade do side-car no transporte de, no máximo, um botijão de gás de até 13 kg ou de um galão de água de até 20 litros, desde que instalados em dispositivo de transporte de car4

gas regulamentado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). O projeto torna mais branda a regulamentação atual do mototáxi e do motofrete incluída no Código de Trânsito (Lei 9.503/97), que não permite o transporte de nenhuma quantidade de água e de gás de cozinha sobre o banco da motocicleta. Tramitação - A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Íntegra da proposta: PL-1968/2011 - (Do Senhor Domingos Sávio) Altera a redação do art. 139-A da Lei nº 12.009 de 29 de julho de 2009, acrescentando novo parágrafo. O Congresso Nacional Decreta: Art. 1º O art. 139-A da Lei nº 12.009 de 29 de julho de 2009, passa a vigorar acrescido do § 3º, com a seguinte redação: “Art. 139-A..... § 3º Poderá a motofrete transportar por vez, sem o auxílio do side-car, no máximo um botijão de gás de até13 kg ou um galão de água de até 20 litros, desde que instalados dispositivos para transporte de carga de acordo com o previsto no § 1º deste art. Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Justificação - A lei nº

12.009/2009, em seu Art.139-A, § 2º, ao autorizar o transporte de gás e água por meio de motofretes. Porém, limitando a autorização àquelas que dispõem de um side-car acoplado, praticamente inviabilizou a motocicleta como meio de transporte desse tipo de mercadoria. O uso de motocicletas para a entrega de gás e água é intenso nos locais onde não há uma entrega regular por meio de outros tipos de veículos motorizados, principalmente em lugares de difícil acesso, tais como morros e aglomerados urbanos com vielas estreitas e em áreas rurais, locais onde as motocicletas com side-car e outros veículos maiores não têm condições de trafegar. O fato obriga os consumidores mais carentes a fazerem o transporte nas costas em subidas íngremes ou por longas distâncias. Por todo o exposto, peço aos nobres Pares apoio para a aprovação do presente projeto de lei, que só tem a contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população que vive nas áreas mais carentes e sem uma adequada infraestrutura de transporte. Sala das Sessões, de agosto 2011 - Deputado Domingos Sávio, Vice-líder PSDB.


Lambari

Água mineral Lambari deve voltar ao mercado em março de 2013 Além das versões de 300 e 510 ml em PET, a Copasa estuda a possibilidade de trazer ao mercado uma inovação: água mineral em latas de alumínio Por Camila Silva A Água Mineral Lambari deverá retornar ao mercado em março de 2013, depois de ter sua fábrica completamente reformada. Esta é a previsão da

6

Copasa, empresa responsável pelas aguas minerais do sul de Minas, que já resgatou as águas de Araxá, Cambuquira e Caxambu. A fonte será a última a ser resgatada pelo programa

de revitalização das águas minerais. Além das versões de 300 e 510 ml em PET, a Copasa estuda a possibilidade de trazer ao mercado uma inovação, água mineral em latas de


Lambari alumínio. A empresa é subsidiária da companhia mineira de saneamento, que assumiu as fontes e as unidades de envase há cerca de sete anos. A Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais) é a detentora da concessão das fontes de águas minerais das marcas Caxambu, Araxá, Cambuquira e Lambari, mas com o término do contrato da antiga arrendatária das fontes, passou para a Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) o direito de exploração dessas fontes. Os recursos iniciais já foram destinados para a manutenção e compra de novos equipamentos e, também, para a modernização do

10

parque industrial. A revitalização do Parque das Águas também consta do projeto. Todo o planejamento está sendo feito para que, em março, os consumidores de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo voltem a ter a marca Lambari à disposição. Além do mercado interno, a empresa tem como objetivo conquistar também o mercado externo, principalmente na América do Sul, acreditando muito na qualidade de sua água mineral. Sobre a cidade – Lambari é uma cidade turística, situada ao sul de Minas Gerais, com uma área de 213 km², estando a 340 km de Belo Horizonte, 280 km de São Paulo e 330 km do Rio de Janeiro. Suas águas

minerais foram descobertas em 1780 por Antônio de Araújo Dantas. Entre os anos de 1830 e 1832, a Câmara Municipal de Campanha desapropriou uma área de 12 alqueires dos herdeiros de Antônio de Araújo, para executar obras de proteção das fontes. A cidade tem um belo cartão de visita, o majestoso cassino do Lago, construído no início do século. Sua construção possui ares medievais e decoração feita por artistas japoneses. A beleza do cassino é realçada pelo lago Guanabara, com duchas cristalinas. A cidade conta ainda com o Parque das Águas, com suas fontes de águas medicinais de grande potencial terapêutico.


Sustentabilidade

Estádio do Maracanã terá cadeiras feitas com garrafas PET Parceria entre Governo do Rio e empresas envolvem a população na reciclagem de garrafas PET Por Sérgio Henrique

O Governo do Estado do Rio de Janeiro e as empresas Giroflex-Forma, Coca-Cola do Brasil e o Consórcio Maracanã Rio 2014 anunciaram, em cerimônia ocorrida em novembro, no Maracanã (RJ), uma parceria para a fabricação de 6.773 assentos com revestimento de garrafas PET. Essas cadeiras serão chamadas de Premiun e estarão localizadas bem próximas ao gramado do estádio do Maracanã, onde será realizada a final da Copa do Mundo de 2014. A Giroflex, empresa responsável pela confecção dos acentos, investiu pesado para que fosse possível a utilização desse material reciclado, uma vez que a FIFA tem exigências como conforto, combustão, durabilidade, entre outros. Esse novos

12

acent o s serão m a i s resistentes do que os tradicionais. Outra parceira, a Coca-Cola do Brasil, lançou no dia 15 de novembro uma campanha – estrelada pelo apresentador Luciano Huck, pela jogadora Marta e pelo líder do movimento dos catadores de materiais recicláveis, Tião Santos – para arrecadar as garrafas que serão utilizadas na fabricação. Serão distribuídos pela cidade do Rio de Janeiro coletores especiais para esse


recolhimento. Para a confecção do tecido de cada estofamento serão necessárias cerca de 100 garrafas PET de 600 ml. Essas cadeiras serão as primeiras a utilizarem material reciclado em sua confecção, uma inovação e, também, um bom exemplo de sustentabilidade dado neste importante evento, uma vez que todo o mundo estará com suas atenções voltadas para o nosso país. Além da iniciativa das cadeiras, a visão sustentável das obras do estádio de forma geral farão com que o Maracanã tenha uma redução de 30% no consumo de água e 8% no de energia,

14

obtendo assim a certificação LEED, dada às edificações que conseguem seguir conceitos sustentáveis. Este certificado foi criado em 1993 nos Estados Unidos, para que pudesse mostrar o quanto a construção é realmente verde. É elaborado através de comitês multidisciplinares, compostos de arquitetos, engenheiros, construtores, incorporadores, advogados e todos os demais envolvidos com a indústria da construção. Ao se

Foto: Divulgação

Sustentabilidade

implementar o certificado LEED, a obra mostra um maior comprometimento com a proposta de sustentabilidade e a preocupação com o meio ambiente.


Saúde

Água mineral pode auxiliar em tratamento de Alzheimer Por Camila Silva Um estudo elaborado pela Universidade de Keele, no Reino Unido, e publicado na revista científica Journal of Alzheimer’s Disease, indica que beber um litro de água mineral, rica em sílica, diariamente, pode prevenir a diminuição da atenção, da percepção e memória dos doentes de Alzheimer. A sílica é um mineral abundante na natureza e está distribuída em pequenas quantidades, em águas de rios, lagos e também nos lençóis freáticos. Os cientistas da Universidade estudaram 30 volun20

tários, sendo 15 mulheres e 15 homens, que foram orientados a beber um litro de água mineral da marca Malaia Spritzer, que apresentava uma elevada concentração de sílica. Os voluntários mantiveram essa rotina durante 13 semanas. Após esse período, a maioria dos participantes não mostrou nenhum sinal de deterioração cognitiva, ou seja, da memória, percepção e atenção, sendo que, em três dos voluntários, pode até se observar uma melhora na saúde mental. Os voluntários foram avaliados, ainda de outra forma, pelo

método de diagnóstico, que inclui jogos de memória e tarefas simples, como desenhar um simples relógio, o que pode ser difícil para pessoas que têm a função cognitiva deteriorada. Segundo os cientistas responsáveis, houve melhorias em alguns casos, uma estabilidade da situação de outros e numa porcentagem pequena a piora continuou a acontecer. O próximo passo da pesquisa é aprofundar um pouco mais para compreender se é possível reduzir os riscos nas pessoas predispostas a sofrerem da doença.


Patrocínio

Seleção espanhola é apoiada por empresa de água mineral A Seleção espanhola, atual campeã mundial e também bicampeã europeia, anunciou em outubro, durante um evento, um novo patrocinador. Trata-se da empresa de água mineral Cabreiroá, que será a marca de água mineral oficial da equipe nacional até o final de 2014. O contrato ainda inclui o fornecimento de água mi-

22

neral para toda a delegação espanhola que estará presente na Copa do Mundo, aqui no Brasil. Além disso, a empresa poderá explorar comercialmente o selo de patrocinadora oficial da Seleção espanhola. A apresentação contou com a participação do técnico Vicente Del Bosque e alguns jogadores. No evento, a

Foto: Divulgação

Por Camila Silva

Cabreiroá mostrou uma edição especial da água, uma garrafa com a imagem do time campeão da Eurocopa de 2012.


Garrafões

Advocacia- Geral da União confirmou a norma que fixa prazo de validade dos garrafões Por Sérgio Henrique A AGU (AdvocaciaGeral da União) conseguiu anular, na justiça, o pedido feito pela Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil, que pretendia derrubar o limite de vida útil das embalagens plásticas de garrafões de água mineral. A entidade buscava a suspensão das portarias nº 387/2008 e 358/2009 do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral) que disciplinavam o uso das embalagens plásticas e determinavam o tempo máximo de três anos para a reutilização das embalagens. A Procuradoria Regional Federal da 1ª Região e a Procuradoria Especializada junto ao DNPM contestaram a ação da entidade alegando que a autarquia tem o direito e também a competência para editar portarias sobre este assunto, além de fiscalizar e controlar o aproveitamento das substâncias minerais e comercialização de água engarrafada. A alegação dos procuradores federais é de que o prazo de três anos, que foi esta-

24

belecido, teria sido o resultado de vários debates entre os órgãos, ministérios e departamentos envolvidos, que comprovaram, por meio de experimentos, que este é o tempo adequado para a vida útil do garrafão plástico de água, pois estudos realizados mostraram que um garrafão em circulação há cerca de três anos está sujeito a 146 operações de pré-lavagem e que um tempo superior a esse pode deixar a embalagem mais suscetível ao surgimento de odores e contaminações.


MPE

Comissão aprova programa de apoio às micro e pequenas empresas Fonte: Agência Câmara de Notícias A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio aprovou, no dia 5 de dezembro, o Projeto de Lei 3.340/12, que cria um programa para informar novos empreendedores sobre apoio e incentivos fiscais oferecidos pelo Poder Público para incrementar as atividades econômicas no país. Pelo texto, o programa será destinado a empreendimentos de micro e pequeno porte. A proposta, do deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC), estipula que o projeto “Novos empreendedores” deve orientar empresas de pequeno porte sobre regimes diferenciados, fornecer dados sobre atividades econômicas e ofertar cursos sobre administração e gerência de negócios. “O objetivo é contribuir para o desenvolvimento dos novos empreendedores, preparando-os para o mercado de trabalho e permitindo a formação de novas empresas dentro dos princípios da legislação”, afirma o autor. Para ele, esse será um meio de transformar o que cha-

26

mou de realidade pessoal e social dessas empresas e prepará-las para novos desafios. Sebrae O programa terá atuação semelhante àquela atualmente exercida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Por meio de parcerias com os setores público e privado, o Sebrae promove programas de capacitação, estímulo ao associativismo, desenvolvimento territorial e acesso a mercados. O relator, deputado Wellington Fagundes (PR-MT), disse que, com essa proposta, haverá uma complementação do trabalho hoje realizado pelo Sebrae. “Acreditamos que, com esse reforço, os resultados alcançados poderão se tornar ainda mais relevantes para o sucesso dos novos empreendimentos e para o desenvolvimento dos novos empreendedores e, com eles, do Brasil”, disse. Tramitação - A proposta, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Legislação

Câmara aprova diferenciação entre água mineral e adicionada de sais Fonte: Agência Câmara de Notícias A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou emendas do Senado ao Projeto de Lei 1.014/03, do deputado Ricardo Izar (PSD-SP), que define parâmetros e padrões para estabelecer diferenças entre a água mineral e as águas preparadas com adição de sais ou de vitaminas e minerais. A proposta já havia sido aprovada pela Câmara em 2010, mas voltou a ser analisada porque foi aprovada com alterações pelos senadores. O Senado retirou a previsão de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) regulamentar a água adicionada de vitaminas e minerais, categoria criada pela proposta, em até seis

28

meses. Sob o mesmo argumento, outra emenda excluiu do Ministério da Saúde a atribuição de estabelecer, para as águas com sais ou vitaminas, os mesmos parâmetros de exigência da água potável. O relator da proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PMDB-BA), defendeu o texto. O projeto segue para sanção presidencial, pois tramita em caráter conclusivo e as emendas já haviam sido aprovadas pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Defesa do Consumidor. Conceitos – O projeto classifica como “água adicionada de sais” ou “água adicionada de vitaminas e minerais” a bebida que tenha sido processada artificialmente,

com a adição de produtos químicos. Entre outros parâmetros, os teores máximos de vitaminas e minerais adicionados à água não deverão ultrapassar os limites definidos para os alimentos adicionados de nutrientes essenciais (os chamados alimentos enriquecidos). Por sua vez, os nutrientes utilizados na fabricação da água deverão estar presentes em concentrações que não impliquem ingestão excessiva ou insignificante do nutriente adicionado, conforme as necessidades do consumidor. Já a água mineral, conforme o texto aprovado, é aquela provida pela própria natureza e deve ser retirada diretamente da fonte e envasada sem o acréscimo de substância alguma.


Navegando

Expediente

QR Code - Código lido por celular pode ser grande ferramenta de marketing Por Camila Silva Você já deve ter visto uma imagem que parece um mosaico, em anúncios de revista (inclusive no setor de água mineral), campanhas publicitárias, games, contas de luz e outros lugares. Essa ferramenta de marketing está sendo cada vez mais utilizada, a fim de transmitir rapidamente informações a dispositivos móveis: são os QR Codes. Tratase de um código de barras em 2D, que pode ser escaneado pela maioria dos aparelhos celulares que tenham câmera fotográfica. Este tipo de codificação permite que seja armazenada uma quantidade significativa de caracteres, cerca de 7.000 numéricos, 4.200 alfanuméricos, 2.900 binários e 1.800 no alfabeto japonês. Criado em 1994 pela empresa japonesa Denso-Wave, para identificar peças na indústria automobilística, vem sendo utilizado desde 2003 para adicionar dados a telefones celulares com câmera fotográfica. Uma das empresas que estão utilizando essa ferramenta é o Metrô de São Paulo, que adotou o uso do QR Code para disponibilizar, aos usuários, o acesso mais rápido ao conteúdo de seu site, na versão móbile. Sempre que aparecer esse código em

30

Diretoria Cláudia Queiroz claudia@revistamercadodeaguas.com.br Sérgio Henrique sergio@revistamercadodeaguas.com.br Jornalista Responsável Edna Simão - MTB 27073 redacao@revistamercadodeaguas.com.br Revisão Cidnei Soares Publicidade publicidade@revistamercadodeaguas.com.br (11) 2918-2280

algum local, significa que existem mais informações interessantes a serem vistas. Para se criar um QR Code, existem programas gratuitos que podem ser instalados no PC ou podem ser gerados por serviços, também gratuitos, disponibilizados em sites na internet. Para que seu celular possa fazer a leitura do código é necessária a instalação de um software de leitura. O procedimento de leitura de um QR Code é bem simples: é só executar o aplicativo instalado no celular, posicionar a câmera de maneira que o código seja escaneado pelo aparelho, e em seguida, o programa irá exibir o conteúdo decodificado ou irá redirecionar o usuário para o local onde está o link do código. Vale salientar que em situações que necessitem visualizar o conteúdo em algum site, o aparelho celular deve contar, também, com a função de navegação na web.

Diagramação Arte Ativa Comunicação Assinatura assinatura@revistamercadodeaguas.com.br

A Revista é uma publicação da Ativa Comunicação, com periodicidade trimestral e circulação nacional. Dirigida à engarrafadoras de água e bebidas, distribuidoras, fornecedores de embalagens, máquinas, equipamentos, aço inox, aromas e essências, acessórios para distribuidoras, personalização de veículos, laboratórios de análises, prestadores de serviço em informática, geologia e consultoria, estâncias hidrominerais, e demais profissionais e empresas ligados ao setor de água mineral. O conteúdo dos anúncios, artigos e informes publicados é de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião da Editora.

Fone/fax: (11) 2918-2280 ativa@revistamercadodeaguas.com.br www.revistamercadodeaguas.com.br www.guiamercadodeaguas.com.br


REVISTA MERCADO DE ÁGUAS  

O CANAL DE INFORMAÇÃO E NEGÓCIOS DO SETOR DE ÁGUAS MINERAIS!