Page 1

O Mensageiro do Algarve P U B L I C A Ç Ã O

T R I M E S T R A L — A N O

I I

N . º 5

A B I L

2 0 1 4

Editorial NESTA EDIÇÃO: Quem Sabe

2

Clubes de Trocas no 5 início do Séc. XX

No passado dia 29 de Março, teve lugar em Lisboa, no Hotel Travel Park, o Congresso Ordinário da Federação Portuguesa de Filatelia – APD. O Congresso foi presidido pelo nosso colega de redacção, António Borralho e secretariado por Eduardo Sousa. Da extensa ordem de trabalhos, que nos escusamos aqui de a incluir no seu todo, constavam a apreciação, discussão e votação do relatório e contas de gerência da direcção

O Mergulhão de crista visto através da maximafilia

6

referente ao ano de 2013 e as Eleições para os Corpos Sociais da Federação para o quadriénio 2014-2018, lista que integra alguns filatelistas do Algarve, ambos os pontos apro-

Tem telégrafo e correio 8 situado na Rua D. Infante D. Manuel, n.º 99 Atividades filatélicas no Algarve de Janeiro a 18 Março

vados por unanimidade. Porém, foi no período prévio à ordem de trabalhos, concedido pelo Presidente da Mesa, em que mais discussão houve, à volta das relações da Federação com outras entidades, da divulgação das actas das assembleias e do Dia do Selo. Legenda que descreve a

Nesta fase do Congresso, os imagem clubes algarvios ou gráfico.estiveram particularmente activos, principalmente à volta do Dia do Selo, que há longos anos tem vindo a ser comemorado a 1 de

Próximos eventos filatélicos

22

Outras notícias

24

Dezembro, feriado este que se encontra suspenso por quatro anos, e, em consequência deste facto, para o Dia do Selo deveria ser escolhida uma data fixa, comemorando em

Selos colocados em 30 circulação pelos CTT no 1.º trimestre

eventos organizados simultaneamente nas diferentes zonas filatélicas.

Bilhetes Postais coloca- 31 dos em circulação pelos CTT no 1.º trimestre

desde a sua criação em Portugal e que se quer comemorar condignamente no próximo

Uma discussão que está aí para durar, logo em vésperas de se comemorarem 60 anos

ano. Uma outra efeméride, mas esta já para este ano, são os 60 anos da Federação Portuguesa de Filatelia. Da ordem de trabalhos constava a escolha do local para a realização do próximo congresso ordinário. O Presidente da Direcção da Federação tomou a palavra dizendo que gostaria que as comemorações se realizassem em Lisboa, sendo intenção da Federação solicitar um Inteiro Postal Comemorativo aos Correios, pedindo ao mesmo tempo às Federadas que enviem propostas de Filatelistas que mereçam ser homenageados, pelos serviços prestados em prol da Filatelia. Ficamos alerta… Neste primeiro trimestre, realizaram-se no Algarve, em Faro e em Estoi, duas manifestações filatélicas com a particularidade de na primeira das localidades a Mostra Filatélica poder ter sido visitada à distância. Foi a primeira vez que em Portugal se produziu um evento filatélico sob as formas física e virtual.


PÁGINA

2

Quem sabe? (Resposta) 1.ª pergunta do mensageiro n.º 3 (atual pergunta 2) O que era a "Fédération International de Collectionneurs Échangistes" - F.I.C.E. No Mensageiro 4 informámos que este Clube de trocas existiu em Portimão. Editou uma Revista, cuja primeira publicação, com os números 1 e 2 data de janeiro de 1919, e os números 3 e 4 foram editados no mesmo ano, nos meses de julho e outubro, todos com 16 páginas cada, tendo como língua predominante o Francês. A Biblioteca Nacional possui no seu acervo estas publicações, que consultámos e às quais vamos fazer referência detalhada. Não sabemos se existiram outros números mas, no caso de terem existido, não os detetámos em qualquer Arquivo. O diretor da publicação era Armando Netto Sequeira e o editor Guilherme Pedro Castela. A sede situava-se na rua 5 de Outubro de Portimão. Deve ter funcionado pelo menos um ou dois anos antes da saída do número 1, Capa do n.º 1 e n.º 2 do boletim da F.I.C.E.

em Janeiro de 1919, pois já tinha, nessa altura, 160 sócios sendo 71 de Portugal e Colónias (29 em Portimão) e os restantes de 38 países diferentes. No número 4, de outubro do mesmo ano o número de sócios subia para 224, 88 para Portugal (35 em Portimão) e o número de países passava para 47. A F.I.C.E. tinha 3 delegados em Portugal, 3 nas Colónias portuguesas e 25 no estrangeiro. Havia também agentes na Espanha, França, Itália e Argentina. Os sócios que poderiam ser ativos, protetores e vitalícios, com quotas de 12, 18 e 100 francos, eram divididos em 5 grupos: 1.º Colecionadores de Postais Ilustrados; 2.º Colecionadores de Selos; 3.º Colecionadores de Postais Ilustrados e Selos; 4.º Colecionadores que trocam apenas a seu pedido e 5.º Colecionadores de diversos (Jornais, Revistas, Curiosidades, etc.) A lista de sócios e delegados é publicada em todos os números assim como comunicados da Federação, pequenos anúncios dos colecionadores e anúncios de outras Associações de Trocas de vários países.

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

PÁGINA

3

O logótipo da Federação era uma esfera armilar com o desenho da Torre de Belém e as iniciais da Federação F.I.C.E. As publicações eram impressas na Minerva Comercial de José Ferreira Baptista, em Évora. A primeira publicação correspondente aos números 1 e 2, apresenta, na sua capa, além do logótipo da Federação, a "Galerie d'Honneur" com a fotografia dos 5 elementos da Direção. Embora os seus nomes não sejam divulgados afigura-se-nos que sejam os primeiros 5 nomes da lista de sócios, Armando Neto Sequeira, José Joaquim Mendes Furtado, João Mar-

Logótipo da “F.I.C.E.”

ques Martins, Guilherme Pedro Castela e António Barracosa Júnior, todos residentes em Portimão. De notar que era uma Associação dirigida com elementos muito jovens, com idades que deveriam rondar os 20 anos. O Delegado da F.I.C.E., em Lisboa, era António dos Santos Furtado, de 22 anos, estudante de Engenharia. Do editorial intitulado "Aux amis de la Carto-Philatélie" publicado em português e francês transcrevemos parte do mesmo: "… alegrai-vos amigos da Carto-Filatelia e auxiliai a F.I.C.E. que em paga tereis uma revista, um periódico pronto a defender-vos, pronto a combater as idéias mesquinhas de que infelizmente nos achamos rodeados, porque é a esses que vamos abrir caminho.(…) É a esses que precisamos dizer-lhes que as pretensões do Coleccionador são em primeiro logar instruir-se, animar-se, em segundo, viajar, correr o mundo; porque todos temos mais ou menos ésta idéa que nos fascina que é o de ver-mos o que ainda não vimos; e tem o colecionador tudo isto vê tudo isto sem sair de casa. Numa palavra: diremos que a Filatelia é uma sciencia, uma arte, um estudo e a Cartofilia um dos mais belos e instrutivos passatempos." Duas páginas são dedicadas à rubrica "Literatura" onde se insere uma completa descrição e

Capa do 3.º boletim

resenha histórica da Torre de Belém, belo exemplar da arquitetura portuguesa e que serviu de base ao logotipo da Federação. Na segunda publicação, com o n.º 3 apresenta na "Galerie d'Honneur" da capa a fotografia do delegado da F.I.C.E. nas Filipinas. O editorial é dedicado à participação do falecimento de José Guerreiro, dedicado à Cartofilatelia e que teria sido um dos mentores da publicação. Uma página é dedicada aos Monumentos Portugueses, desta vez o Convento de Mafra. A rubrica "Literatura" apresenta texto e imagens sobre Portimão e a Praia da Rocha. A terceira edição, com o número 4 reproduz, na capa, um postal de Lisboa com os Restauradores e Avenida da Liberdade. Nas duas páginas dedicadas aos Monumentos Portugueses é apresentada a Sé Velha de Coimbra São ainda reproduzidos postais sobre praias portuguesas, a Praia da Luz em Lagos e a Praia das Maçãs assim como sobre trajes portugueses, Mulher de Avintes e Mulher dos Arredores do Porto. Na rubrica "Literatura" um artigo em inglês de um sócio estrangeiro sobre o colecionamento de postais.

Capa do 4.º boletim


PÁGINA

4

Quem sabe? (Pergunta n.º 9) - Houve um Clube de trocas em Lagos nos anos 20 do século passado?

Numeração das perguntas da rubrica “Quem sabe Tendo começado esta rubrica por uma pergunta no Mensageiro n.º 2, o número de perguntas chegou às 8, no Mensageiro n.º 4. Para facilitar as respostas, renumerámos as perguntas desde a primeira. Assim, ao darmos as respostas ou qualquer outra achega informativa mais facilmente localizaremos a pergunta a que se refere. Continuamos a contar com a colaboração dos nossos leitores. Sabemos que há quem esteja a investigar para responder convenientemente às questões ainda não respondidas. Pela nossa parte ficamos satisfeitos por estarmos a contribuir para o estudo da História Filatélica do Algarve. Página 5 do 1.º boletim da F.I.C.E.

QUEM SABE? N.º

Pergunta

1

Polícia de Faro fez serviço de Correios?

2 3 4 5 6 7 8 9

O

MENSAGEIRO

O que era a "Fédération International de Collectionneurs Échangistes" ? O que era o "International Algarve Exchange Club"? As comemorações do dia do Selo em 1957 realizaram-se também em Vila Real de Santo António? Núcleos Filatélicos no Algarve na década de 60? Quem pode dar informações sobre os "Dia do Selo" realizados no Algarve? Quem pode dar informações sobre a mostra filatélica comemorativa do centenário do Corpo de Bombeiros Municipais de Faro em 28/11/1982? Em que data se realizou a primeira exposição filatélica em Vila Real de Santo António? Houve um Clube de Trocas em Lagos nos anos 20 do século passado?

DO

ALGARVE

N.º Edição e data Mensageiro 2 - 2.º Trimestre 2013 Mensageiro 3 - 3.º Trimestre 2013 Mensageiro 3 - 3.º Trimestre 2013 Mensageiro 3 - 3.º Trimestre 2013 Mensageiro 3 - 3.º Trimestre 2013 Mensageiro 4 - 4.º Trimestre 2013 Mensageiro 4 - 4.º Trimestre 2013 Mensageiro 4 - 4.º Trimestre 2013 Mensageiro 5 - 1.º Trimestre 2014


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

PÁGINA

Clubes de Trocas no Início do Séc. XX Com o aparecimento dos postais ilustrados no último quartel do século XIX, nasceram os colecionadores de postais e a necessidade de promover trocas. Para isso surgiram, um pouco por todo o lado Clubes de trocas de Colecionadores de Postais Ilustrados e Selos, que promoviam trocas entre os seus associados. As trocas eram, na maioria dos casos, de postais circulados com o selo colado do lado da imagem, os chamados T.C.V. (Timbre Coté Vue), cuja circulação foi autorizada até aos anos 30 do século passado e que foram os percussores dos Postais Máximos. A rúbrica "Quem Sabe?" levou-nos a investigar sobre dois destes Clubes, com sede no Algarve, os únicos que até agora conhecemos a existência em Portugal. Constatámos que existiram muitos outros, em diversos países, cuja listagem apresentamos. Alguns com milhares de sócios, o que mostra como este género de colecionismo estava radicado a nível mundial. Muitos mais existiram, certamente. A prova disto é que acabamos de ser alertados para um outro que teria existido em Lagos e do qual esperamos conseguir dar notícias brevemente. Clubes de trocas The Argentine Exchange Echange International Clube Belge pour l'echange de cartes postales et timbresposte Fraternidad International - Liga Universal de Colecionistas Clube Universo - Clube International d'échangistes De correspondence, cartes postales, timbres-poste Revue Internationale Carthophilie Timbrophilie - Union Internacionale d'échanges et de correspondance Registre d'Echangistes de Cartes Postales Illustrées et de Timbres-Poste The Universe Exchange Club Mersey Correspondence Exchange The British & Universal Collectiors Association (ex. M.C.E.) Colllezionisti Italo-Universali - Société Universelle The Eastern Asia Exchange Club International Algarve Echange Club Ligue Internationale de Collectionneurs Fédération Internationale de Collectionneurs Echangistes - Union Universalle d'echanges et de correspondance The Russia Collectors and Correspondents Journal Clube D'echanges de Cartes Postales et Timbres - Union Souvenir Card Exchange

Sigla A.E.

Cidade Buenos Aires

País Argentina

Título da Revista The Argentine Exchange

E.I.C.B.

Anvers

Belgica

F.I.

Madrid

Espanha

Fraternidad International

C.U.

Barcelona

Espanha

C.U.

R.I.C.T.

Le Mans

França

R.I.C.T.

R.E.C.P.

VilleneuveSt-George

França

R.E.C.P:

U.E.C.

London

Inglaterra

The Unimag

Periodicidade Trimestral Trimestral

Trimestral

M.C.E.

Cheshire

Inglaterra

Mersey Correspondence Exchange

B.U.C.A.

Cheshire

Inglaterra

BUCA JOURNAL

C.I.U.

Firenze

Italia

C.I.U.

E.A.E.C.

Kawanishi

Japão

The Eastern Asia Exchange Club

I.A.E.C.

Faro

Portugal

O Colecionador

Trimestral

F.I.C.E.

Portimão

Portugal

F.I.C.E.

Trimestral

R.C.C.J.

Moscou

Russie

R.C.C.J.

U.S.C.E.

Seattle

U.S.A.

The International Post

Mensal

5


PÁGINA

6

O Mergulhão de Crista visto através da MaximaFilia O Mergulhão-de-crista também conhecido como Mergulhão-de-poupa (Podiceps cristatus), pertence à ordem dos Podicipediformes e à família Podicipedídae. É uma ave aquática que está primorosamente adaptada à vida na água e debaixo dela, tendo um corpo esbelto, aerodinâmico e isolado por uma camada de penugem espessa, bem como pela plumagem exterior que é impermeável à água. O Mergulhão-de-crista é fácil de identificar por ter um pescoço longo, mantido verticalmente, bem como pela sua plumagem da cabeça, que forma uma “O mergulhão-de-

crista negra e dupla e, quando mergulha, desaparece frequentemente de

crista está presente

vista, vindo a aparecer mais tarde num ponto diferente do local onde sub-

em Portugal ao

mergiu.

longo de todo o

Os dedos estão ligados por uma membrana palmar, até à primeira articula-

ano, exceto em

ção, que lhe alarga a superfície da planta do pé e lhe aumenta a força de

algumas zonas do litoral”

propulsão dentro de água. É uma espécie selvagem e pouco tímida, com comprimento de 46 a 51 cm, envergadura de 85 a 90 cm, pesa cerca de 750 a 1200 gramas e a sua longevidade é em média de 10 anos. O seu habitat é geralmente em zonas relacionadas com o meio aquático como lagos, albufeiras e lagoas. O mergulhão-de-crista está presente em Portugal ao longo de todo o ano, exceto em algumas zonas do litoral, onde que aparece como invernante e a época de reprodução inicia-se nos princípios de Março e vai até fins de Julho. O ninho, construído simultaneamente pelo casal, é flutuante e à base de plantas aquáticas e caules de caniço, sendo amarrados aos juncos e às canas que se encontram na superfície. A fêmea faz uma postura por ano pondo em média 3 a 5 ovos, sendo a incubação de 28 dias e feita alternadamente pelo casal. Os filhos, quando jovens não têm qualquer semelhança com os pais, pois são pequenos e tem plumagem às riscas, e após o seu nascimento normalmente a mãe transporta-os às costas.

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

Mergulhão-de-crista ou Mergulhão-de-poupa (Podiceps cristatus) - Postal Máximo Emissão: 2000 - Aves de Portugal – Emissão Base (1º Grupo) – 2.03.2000 – Selo com dupla taxa de 85$00 € 0.42 Denteado: 12 x 12 ½ - Papel: Esmalte - Folhas: 100 selos (10 x 10) Obliteração: Marca postal dos CTT de Faro 2.03.2000 Faro: É uma cidade Portuguesa e a capital do Distrito de Faro. Edição: Edições Século XXI

A alimentação destas aves é muito variada, sendo à base de insetos aquáticos, algas, molúsculos e pequenos peixes. Filatelicamente têm sido emitidas, em diversos países, várias séries de selos e postais máximos alusivos a esta ave e, os C.T.T de Portugal não ficaram indiferentes a esta situação tendo lançado, no ano de 2000, uma emissão “Aves de Portugal (I Grupo) ”, onde está incluída esta espécie, conforme o exemplar aqui demonstrado o testemunha. BIBLIOGRAFIA: Catálogo de Selos Postais e Marcas Pré-Adesivas – Afinsa 2012 – 29ª Edição Guia de Aves – Editora Assírio & Alvim - Lisboa – Outubro 2003 Guia das Aves Aquáticas – Circulo de Leitores, Lda – (Junho 1989) Guia das Aves Aquáticas da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António – Instituto Da Conservação da Natureza e Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António. Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal - Instituto da Conservação da Natureza - Editora Assírio & Alvim – 2ª Edição - 2006 Elaborado por Américo Rebelo Março 2014

PÁGINA

7


PÁGINA

8

Tem telégrafo e Correio, situado na Rua Infante D. Manuel, n.º 99 Esta pequena frase de sete palavras e algumas preposições, que serve de título para este escrito pode ser a chave que há muito eu procurava. Confesso que já me tinha passado por mais de uma vez debaixo dos olhos não lhe dando eu importância suficiente para o esclarecimento que há muito procurava – onde terá sido a primeira estação de correios em Vila Real de Santo António. É certo que não me responde à questão, mas poderá ser “onde terá sido a primeira estação de

um passo bastante importante, que excluí algumas das hipóteses deste complicado teorema.

correios em Vila Real de Santo António.”

Assinalada por setas está a Rua do Infante D. Manuel, situando-se o Correio e Telégrafo na parte norte da Vila. LEGENDA: 1. Primeira Estação de Correio em 18??; 2. Segunda Estação de Correio em 1928; 3. Terceira e actual Estação de Correio em 1976; 4. Estação de Correio provisória entre 2004/2005.

Antes ainda de nos debruçarmos sobre o primeiro local conhecido da instalação do correio nesta localidade, fazemos referência a um aviso 15 de Março de 1775 do Marquês de Pombal dirigido para o Correio-Mor, que se insurgiu contra o custo diferenciado das cartas com origem ou destino do Algarve e que não resistimos a transcrever na íntegra, respeitando a grafia utilizada na época: O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

“A El-Rey Meu Senhor foi presente, que ainda depois da Providentíssima Ley de 4 de Fevereiro do anno de 1773 pela qual desterrou o intoleravel abuso, com que os Moradores do Reino do Algarve eram reputados como estranhos para o pagamento dos Direitos, e Impostos, se continuava no Officio de V. Sª. a levar quarenta reis pelo porte de todas as Cartas, que vem, e vão dirigidas àquele Reino. E sendo este excesso hum abuso introdusido pelo mesmo errado principio, reprovado na sobredita Ley de quatro de Fevereiro, cujo Exemplar impresso será com este Avizo: He o mesmo Senhor servido, que V. Sª. Ordene aos seus officiaes, que abstendose do referido abuso, se regulem ao dito respeito pelos portes de outras Provincias deste Reino; pois que o do Algarve tem conservado esta denominação para Título de honra, e não para ser onerado em prejuiso dos Moradores delles. Deos g.de V. Sª. Paço de 15 de Março de 1775 Marquês de Pombal”.

PÁGINA

9

“à data da fundação de Vila

Sendo já uma preocupação do reino, o estabelecimento do correio nesta novel Vila

Real de Santo

acabada de construir, o Marquês de Pombal fez incluir na mesma carta um segundo

António,

aviso, e este sim, prova e inexistência de correio em Vila Real de Santo António,

(também Alcou-

àquela data e que igualmente transcrevemos, onde pede o estabelecimento de “Casas de Correyo” em Alcoutim e Santo António de Arenilha: “Para o Correyo Mor do Reino El Rey Meu Senhor he servido q. V. Sª. mande logo establecer Casas de Correyo nas Villas de Alcoitim, e Santo Antonio de Arenilha no Reino do Algarve, e que as Malas, em que forem condusidas as Cartas para as referidas Villas, vão dirigidas á cidade de Béja, de onde, pelas novas Estradas passarão á Villa de Mertola; para desta seguirem a mais curta viagem até às Villas, em que se devam establecer os sobre ditos Correyos; e de V. Sª. assim o haver executado me darà conta por este Secretaria de Estado dos Negocios do Reino para ser presente ao mesmo Senhor. Deos g.de V. Sª. Paço de 15 de Março de 1775 Marquês de Pombal”.

Tendo sido divulgada uma nova tabela de portes em 1 de Agosto de 1799 e, continuando a haver uma discrepância de preços entre as cartas expedidas do ou para o Algarve e aquelas que circulavam dentro do Reino de Portugal, constatamos que a pretensão do Marquês de Pombal não foi atendida até porque a unificação de portes só viria a acontecer em 24 de Março de 1801. Fica apenas uma certeza à data da fundação de Vila Real de Santo António, (também Alcoutim), não havia correio estabelecido. Datando de 18 de Janeiro de 1797 o decreto de Transferência do Serviço Público para a Coroa, só a partir desta data é que poderia haver imposição no pedido do Marquês de Pombal, mas como vimos, nem depois desta, tal pedido viria a ser atendido, também nesta data já D. José I não era o monarca reinante. Como vimos, logo desde a fundação de Vila Real de Santo António, houve a preocupação de ali estabelecer o correio. Tal não aconteceu. Só em 1806, com a nomeação de Luís António de Vasconcelos como primeiro Assistente do Correio-Mor em Vila Real de Santo António é que o correio aqui se estabelecia, ficando contudo sem se saber o local onde pela primeira vez era o correio, leia-se Estação de Correio.

tim), não havia correio estabelecido”


PÁGINA

10

É impensável, que uma Vila acabada de construir ficasse privada de correio, veja-se, por exemplo a preocupação do Marquês de Pombal ao enviar o Aviso ao Correio Mor, mas, recorrer a tal estratagema não seria necessário, bastaria procurar uma resposta a uma pergunta tão simples. Como é que algumas das então maiores empresas do Reino, como por exemplo a Companhia Geral do Alto Douro ou até a recém-criada Companhia Geral das Pescarias Reais do Reino do Algarve se vêm aqui estabelecer e ficar privadas de correio?, seria impensável este facto, até porque a própria lei os impedia de ter os seus próprios correios. É mais uma achega para este complicado puzzle de fácil compreensão mas de difícil concretização, não por falta do espaço para colocar as peças, mas essas peças ainda não estão maniatadas aos respectivos locais. Há ainda um hiato de um século sem se saber onde esteve estabelecido o correio e, muito provavelmente a “como por exemplo

solução estaria em saber onde é que os Correios Mores tinham a sua resi-

a Companhia Geral

dência e aí resultaria talvez parte da solução do nosso problema.

do Alto Douro ou

Pelas diversas consultas que tenho feito à já vasta bibliografia que existe

até a recém-criada

sobre Vila Real de Santo António, não é fácil encontrar qualquer pista.

Companhia Geral

Algumas recolhemos, é certo, como aquela que serve de título e que sur-

das Pescarias Reais

giu num livro escrito um século depois, em 1908, quando Ataíde de Olivei-

do Reino do Algarve se vêm aqui estabelecer e ficar privadas de correio?”

ra, publicou a Monografia de Vila Real de Santo António. Ataíde de Oliveira, o melhor conhecedor do Algarve do seu tempo, que viajou por toda a Província que leu a vasta obra já então existente, falou com políticos e com a população, leituras e audições que serviram de base para a sua extensa obra sobre o Algarve. Fomos para o terreno, visitámos aquela que foi a Rua Infante D. Manuel, uma rua que rasga a Vila de sul a norte, hoje interrompida pela Praça Marquês de Pombal. Actualmente a rua está dividida em duas, a Rua 1º de Maio a sul da Praça Marquês de Pombal e a Rua António Capa, a norte da mesma Praça, artérias que, de premeio foram baptizadas com outros nomes. Percorremos a rua de sul para norte, constatámos que algumas das casas que existiam em 1908, data da primeira referência conhecida à instalação do correio em Vila Real de Santo António, ainda hoje fazem parte do casco histórico da vila, algumas das quais são ainda do tempo da Fundação, pelo que, foi relativamente fácil, mas com uma pequena mar-

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

gem de erro, determinar o local, ou pelo menos o quarteirão, em que os números 99 e 101 da Rua D. Manuel estavam implantados. No número 101 estava estabelecido o Telégrafo Submarino. Quando da Fundação de Vila Real de Santo António, em 1774, a Rua poente da Praça Real, assim se chamava a actual Praça Marquês de Pombal, foi dado o nome de Rua do Infante, em honra do Infante D. José (1761-1788), filho primogénito de D. Maria de D. Pedro, herdeiro ao trono, o qual nunca chegaria a ocupar por morte prematura. Por decisão camarária de 21 de Outubro de 1987, esta artéria viria a ser posteriormente denominada por Rua do Infante D. Manuel, que viria mais tarde a ocupar o trono com o nome de D. Manuel II.

Rua Infante D. Manuel no 1º quartel do século XX. O Correio situava-se no final desta rua, lado esquerdo, não sendo visível na imagem

Como dissemos, a Rua do Infante D. Manuel rompia de sul para norte toda a Vila atravessando pois a Praça Real. A norte desta, viriam a ser construídos três quarteirões a cada lado da rua. O segundo dos quarteirões poente viria a ser de uma importância primordial para a história do correio em Vila Real de Santo António, o número 99 da Rua do Infante D. Manuel, e porque não dizê-lo também o número 101 da mesma rua, ficavam nesse quarteirão e viriam a ser os primeiros locais conhecidos onde estiveram instalados os correios e telégrafos, na frente nascente e, que mudariam mais tarde de local, ainda para o mesmo quarteirão, mas agora virados para a frente sul, na Rua Conselheiro Frederico Ramirez, à data chamada de Rua dos Marinheiros.

PÁGINA

11


PÁGINA

12

É neste quarteirão que agora nos vamos debruçar. Se, em 1908 o Correio estava sedeado no nº 99, como o afirmou Ataíde de Oliveira, fica então ainda por esclarecer onde se estabeleceu o correio desde 5 de Março de 1806 data em que foi nomeado o primeiro Correio Assistente para Vila Real de Santo António até àquele ano e, sabendo nós que a existência de correio é ainda anterior a esta data, poderíamos antecipar mais esta última data. Neste quarteirão, local onde antes do correio ali se ter instalado, foi ocupado pela Fábrica do Assento que, ocupando todo o espaço do quarteirão, era composto por três edifícios e delimitado em parte por um muro encimado por um espigão. Tratando-se uma fábrica de pão, os edifícios destinavam-se à preparação das farinhas, fabrico do pão e sua cozedura e ainda à residência do Administrador, sendo na residência deste onde se terá instalado o correio. Quererá isto dizer que, só depois de se dar esta casa estar vaga, ou por cessão da fabricação do pão naquele lugar, ou por “Se, em 1908 o Correio estava

mudança de residência de quem geria a fábrica é que as instalações tiveram a sua nova ocupação. Restará saber quando…

sedeado no nº 99, como o afirmou Ataíde de Oliveira, fica então ainda por esclarecer onde se estabeleceu o correio desde 5 de Março de

Desenho do local onde terá sito a primeira instalação do Correio e Telégrafo em Vila Real de Santo António, ao lado o Portão, ainda hoje existente (figura abaixo), na Rua António Capa, que era vizinho do Correio. Em 1908 já a casa que se ilustra teria serventia de pelo menos duas portas.

1806”

Consultámos os Planos da Fundação de Vila Real de Santo António, que nada esclarecem, mas convictos da nossa tese, procuramos transpor para o papel, desenhando o que terá sido a primeira Estação de Correio, tendo por base a obra do Arquitecto Rui Figueiras, mantendo no entanto a volumetria e a traça original do prédio e respeitando uma pequena parte da frontaria, que penso ser original e que ainda hoje se mantém.

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

O Correio manteve-se neste local até ao ano de 1928, mudando-se neste ano para a Rua Conselheiro Frederico Meneses.

Este era um dos aspectos do interior da Estação Telégrafo-Postal, nos anos 20 do passado século, antes da chegada da electricidade a Vila Real de Santo António (ver pormenor dos candeeiros a gás). A central telegráfica era então dominada pela “telegrafia a morse”, O telefone haveria chegar a Vila Real de Santo António a 16 de Fevereiro de 1929, já com a “nova” Estação, poucos anos depois desta imagem .

Em finais de 1927, a Firma Amadeu Gaudêncio, procedeu ao início da obra do prédio situado na Rua dos Marinheiros, frente sul do quarteirão, obra a cargo dos Correios Telégrafos e Telefones, para construção das instalações da futura Estação de Correios e Telégrafos, transfigurou a traça pombalina original, dando-lhe uma nova traça em cujo frontispício foi colocado um painel de azulejo identificativo da Estação Telégrafo-Postal. O frontal ainda hoje existe, mas cujos azulejos foram retirados e substituídos por outros que identificam agora a G.F. (Guarda Fiscal), força militarizada que foi incorporada na Guarda Nacional Republicana e actual ocupante das instalações.

PÁGINA

13


PÁGINA

14

Estação Telégrafo-Postal inaugurada em 1928, foto gentilmente cedida pela Foto Calé. Em cima, o mesmo local antes do inicio das obras tal como o eram à data da Fundação.

O local onde estiveram instalados os correios durante quase meio século, “Em 1976, iniciaram-

tornava-se exíguo para o tráfego postal e telefónico, até porque o centro da

se as obras da actual

distribuição de correio, que viria a abranger mais do que um concelho, era

Estação de Correio,

então necessário procurar um novo local. Como serviço público, os correios

situada na Rua

necessitavam de um local mais visível e sobretudo mais amplo, não estra-

Teófilo da Braga”

nhe pois que se deslocassem mais para o centro da localidade e na principal rua localidade. Construíram um edifício de raiz, com duas frentes e bastante funcional, capaz de albergar três serviços distintos, embora dentro da mesma área de actividade: o atendimento postal; a sua distribuição de correio e ainda os serviços dos telefones. Em 1976, iniciaram-se as obras da actual Estação de Correio, situada na Rua Teófilo da Braga, com projecto da autoria da Arquitecta M. José Freitas (?). Um edifício de raiz expressamente concebido para se instalar Estação de Correios, não sendo possível até à presente data determinar a data de conclusão da obras e a respectiva inauguração, servimo-nos apenas de uma notícia inserida no Jornal do Algarve de 16 de Junho de 1978, assinada unicamente com a inicial P., sabemos nós tratar-se de José Manuel Pereira, à altura coordenador da edição do jornal que dizia:

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

“Ao contrário do que pensávamos, a fachada do imóvel não ostenta as características que lembrem o traçado original da vila, tratando-se, sim, de uma construção ao jeito moderno, pouco diferente daquelas que habitualmente rotulamos de «caixotes», e não um edifício com pretensões a valorizar o património local e que tão bem poderia enquadrar-se na zona cêntrica onde se ergue.” Quis o articulista dizer com isto que o edifício estava desenquadrado de todo o meio envolvente.

A estação de correio viria a ser objecto de vários projectos de alteração nos anos em 1989 e em 2004, cuja primeira das alterações, da autoria do arquitecto Carlos Neves lhe modificou parte da fachada, sem contudo lhe alterar o estilo.

PÁGINA

15


PÁGINA

16

No ano de 1992, com a separação da vertente Postal e da vertente Telefones operada na empresa CTT (Correios Telégrafos e Telefones), dando origem a duas empresas os CTT- Correios S. A. (Postal), e a Telecom (Telefones). O atendimento da vertente Postal dos Correios, passou a ser feito unicamente pela Rua Teófilo de Braga enquanto o serviço de telefone, passou a ser atendido na rua das traseiras, a Rua Conselheiro Frederico Ramires, local que mais tarde, passou a ser ocupado na totalidade pelo Serviço de Distribuição, depois da Telecom fechar todos os serviços em Vila Real de Santo António.

Local onde esteve instalada provisoriamente a Estação Correio entre 2004/2005

Durante um curto período nos anos de 2004/2005 e, enquanto na Estação de Correios se procediam a obras de remodelação, os serviços comerciais e de distribuição passaram transitoriamente para a Avenida da Republica, números 70, 71 e 72, local onde passaram a atender o público e onde estiveram igualmente instalados os Apartados e a distribuição de correio. Após a conclusão das obras, os serviços regressaram novamente à Rua

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

PÁGINA

Teófilo de Braga, tendo a reinauguração acontecido, com pompa e circunstância em 14 de Fevereiro de 2005. Pelo que consegui apurar, até à presente data fica ainda por esclarecer o local onde se estabeleceu o correio no período compreendido entre os anos de 1806 a 1908, apesar de crer que o primeiro dos locais aqui denunciado, deverá ter sido o local onde sempre esteve implantado este serviço público.

Francisco Matoso Galveias

Obras consultadas e agradecimentos CAVACO, Hugo, Toponímica de Vila Real de Santo António, Edição da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Maio de 2001, Empresa Litográfica do Sul, Depósito legal 164726/01; FIGUEIRAS, Rui, Vila Pombalina Vila Real de Santo António, Edição da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Maio de 1999, Empresa Litográfica do Sul, S. A., Depósito Legal 136821/99; FIRMINO, Glória, Subsídios para a História dos Assistentes do Correio-Mor de Portugal, Edição Grupo dos Amigos do Museu das Comunicações, Lisboa 2005, Gráfica 2000, Depósito Legal 236095/05; HORTA CORREIA, José Eduardo Capa, Vila Real de Santo António – Urbanismo e Poder na Política Pombalina, FAUD Publicações (Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto), 2ª Edição, 1997, Depósito Legal 116041/97, ISBN 972.9483.26.4; Arquivo Histórico de Vila Real de Santo António; Biblioteca Municipal Vicente Campinas – Vila Real de Santo António; Biblioteca Municipal de Tavira; Biblioteca Social da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António; CTT - Correios, Loja de Vila Real de Santo António; Foto Calé – Vila Real de Santo António; Jornal do Algarve, anos de 1957, 1958, 1959, 1975, 1976 e 2005; SGU – Serviço de Gestão Urbana, EM, S. A. (Paula Paixão) – Vila Real de Santo António.

17


PÁGINA

18

Atividades filatélicas no Algarve de Janeiro a Março 7.º Aniv. do Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF Conforme anunciado no ultimo “O Mensageiro do Algarve” no dia 2 de Janeiro abriu ao público na Loja dos CTT em Faro a mostra filatélica comemorativa do 7.º aniversário do Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF, sendo que no dia 7 de Janeiro celebrou-se oficialmente o 7.º aniversário da criação do NFF na Selo personalizado

Associação de Trabalhadores Autárquicos de Faro. Para a supra referida celebração foi lançado um carimbo come-

morativo alusivo ao 7.º aniversário, sendo que o desenho escolhido para ilustrar este aniversário foi a amendoeira, uma das árvores de fruto mais típicas do Algarve. Saliente-se que esta mostra foi a primeira mostra filatélica real e virtual que se realizou em Portugal, pois todas as coleções que estiveram presentes foram digitalizadas e no dia da inauguração da mostra filatélica estavam disponíveis na internet todas as coleções que estavam patentes na Loja dos CTT do Carmo (Faro). Aqui deixamos o endereço para que todos os que tenham interesse (http:// nucleofilateliafaro.blogspot.pt/2014/01/mostra-filatelica-real-e-virtual.html).

Sobrescrito registado com dois selos personalizados e restante valor em etiqueta

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

No dia 07 de janeiro houve então uma sessão comemorativa, marcada por um porto de honra e carimbo comemorativo dos CTT., tendo discursado o responsável do Núcleo de Filatelia de Faro, Sérgio Pedro onde destacou que ao longo destes 7 anos de existência muito já se fez, contudo, muito mais há para fazer sendo que o agradecia o apoio prestado pelos CTT em especial ao Sr. Pedro Rodrigues. Discursou ainda Pedro Rodrigues diretor de marketing do centro e sotavento algarvio, referindo que os CTT prezam em muito o empenho dos filatelistas na sua divulgação de material filatélico e que se esperava para breve mudanças nas lojas dos CTT para darem um maior destaque ao material filatélico.

Pedro Rodrigues dos CTT e Sérgio Pedro do NFF discursando

Refira-se ainda que após o fecho da Loja dos CTT, realizou-se no “Seu Café”, um jantar convívio com maioria dos filatelistas que estiveram presentes no posto de correio, sendo que este encontro intergeracional para além da partilha de conhecimentos serviu ainda para reforçar os laços de amizade dos participantes. Por fim de referir que o selo personalizado e carimbo comemorativo permitiram a elaboração de vários postais máximos muito bonitos, porém deixamos aqui somente a imagem de um desses exemplares.

Postal máximo com selo personalizado

PÁGINA

19


PÁGINA

20

Mostra Filatélica comemorativa dos 75 Anos da Construção da EB 1 de Estoi Conforme foi noticiado no último boletim no passado dia 30 de março inaugurou-se uma exposição histórica e outra filatélica

(Infanto-Juvenil),

comemorativas dos 75 anos Com esta mostra filatélica o Núcleo “Os Amiguinhos dos Selos”, preconizou mais um dos seus objetivo quie é o de divulgar a filatelia a um máximo de crianças possível

da construção da Escola Primária de Estoi. Para assinalar o evento para além da sessão de inaugura-

Sede dos Jograis António Aleixo

ção, que foi bastante participada (apesar dos aguaceiros), foi emitido um postal ilustrado, um selo personalizado pelos CTT Correios de Portugal e um carimbo comemorativo oferecido pelos CTT Correios de Portugal decorrente dom plano exposicional apresentado pelo Núcleo InfantoJuvenil "Os Amiguinhos dos Selos" que dinamiza atividades no Grupo Desportivo e Cultural Jograis António Aleixo.

estimulando-as assim

Refira-se que a sessão inaugural contou com a presença do atual presiden-

para o colecionismo

te da União de Freguesias Conceição de Faro e Estoi, Sr. José Jerónimo, com a Presidente da Assembleia da supra referida Junta Prof.ª Guiomar Paulo, e com os ex-presidentes de junta Dr. J. Paula Brito e o Sr. Mário João.

Publico presente na inauguração do evento

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

De destacar ainda o discurso, da Prof.ª Eurídice que foi homenageada na sessão e que proferiu algumas palavras de apreço a toda a comunidade escolar em especial para os docentes e auxiliares que laboraram na Escola Primária de Estoi. Esteve presente também o Prof. Isidoro que foi aluno da Prof.ª Eurídice, foi seu colega na escola primária de Estoi e Delegado escolar para o Concelho de Faro, ainda durante o tempo que a Prof.ª Eurídice leccionava, sendo que explanou várias qualidades profissionais e pessoais da referida Professora. Por de referir ainda que a exposição filatélica contou somente com participações infanto juvenis, nomeadamente, de : Os Animais (Inês Mata); Selos de Portugal (Diogo Fernandes); Selos (Ana Varela); Selos (Leandro Baião); Animais Domésticos (Letícia Brito); Animais na Filatelia (Eva Anjos); Borboletas o insecto exótico (Eva Anjos). Refira-se ainda que a data foi ainda assinalada com uma exposição histórica sobre a escola no qual se pode observar uma coleção de fotografias de grupos de turma de ex-alunos da escola de documentação que levou à criação da escola. O catálogo da exposição poderá ser consultado em: http://www.slideshare.net/ nucleofilateliafaro/catalogo-exposio-comemorativa-75-anos-construo-da-construoda-eb-1-estoi

Parte da mostra filatélica

Fotografia de uma turma do ano 1933/34 antes de abrir a escola na Rua de Faro

Postal máximo com selo personalizado e sobrescrito comemorativo com selo personalizado

PÁGINA

21


PÁGINA

22

Próximos Eventos Filatélicos Mostra Filatélica tema “Mar” No próximo dia 17 de Abril estará disponível na antiga Escola Primária, na Rua Bartolomeu Dias em Armação de Pêra um carimbo comemorativo e selo personalizado alusivos à inauguração da mostra filatélica organizada pelo Núcleo de Filatelia Juvenil Bichinho do Selo. A exposição estará patente de 17 a 21 de Abril, sendo que na quinta-feira (dia 17) o horário de abertura é 09:30 e fecho às 12:30 e nos restantes dias das 10:00 às 18:00.

Mostra Filatélica itinerante “25 de Abril” Em virtude das comemorações do 25 de Abril se estenderem durante este ano, e existirem vários membros do NFF que têm coleções temáticas sobre o “25 de Abril”, decidiu o Núcleo de Filatelia de Faro, propor ao Município de Faro a realização de uma mostra filatélica itinerante pelas escolas do Concelho de Faro, sendo que em virtude do final do ano letivo decidiu-se dar preferência pelas escolas sede de Agrupamento. Pelo exposto, as coleções dos nossos associados José Pintado, Francisco Paiva e Luís Brás percorreram as seguinte escolas:

O

Escola Secundária Pinheiro e Rosa - 29 de abril a 08 de maio;

Escola Secundária João de Deus - 09 a 15 de maio;

Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa - 09 a 15 de maio;

Escola EB 2/3 Dr. José Neves Júnior - 19 a 22 de maio;

Escola EB 2/3 Afonso III - 26 a 29 de maio;

Escola EB 2/3 Montenegro - 02 a 05 de junho.

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

Carimbo comemorativo da “AIPSP” No próximo dia 07 de Maio estará disponível na Loja dos CTT Cerro da Alagoa um carimbo comemorativo relativo AIPSP. O AIPSP "Amicale Internacional des Postiers des Stands Philateliques” trata-se de um grupo de funcionários ou ex funcionários de serviços de correios de todo o mundo que anualmente se juntam para passar férias sobretudo no âmbito cultural. Este ano coube a Portugal a ser

Carimbo comemorativo

o país anfitrião, sendo que o grupo ficou instalado num hotel em Albufeira.

ONUGARVE - 2014 4ª Exposición de Filatélia y Coleccionismo Huelva - Algarve Vai realizar-se, de 12 a 30 de Maio na cidade espanhola de Huelva, nas instalações da Universidade de Huelva (Campus de La Merced) a 4ª Exposición de Filatélia y Coleccionismo Huelva-Algarve. Esta exposição conta com a participação de 18 colecções pertencentes a 13 filatelistas oriundo do Algarve e de 12 colecções de filatelistas espanhóis. A Onugarve é uma organização do Circulo Filatélico y Numismático de Huelva e tem o patrocínio da Universidade de Huelva.

PÁGINA

23


PÁGINA

24

Outra Notícias Exposição de colecionismo no Grupo Desportivo e Cultural Jograis António No âmbito da dinamização de atividades do Núcleo Infanto Juvenil “Os

Amiguinhos dos

Selos”, decidiu a Direção do Grupo Desportivo dos Jograis António Aleixo apresentar perGrupo Desportivo

manentemente na sua

dos Jograis António

sala de convívio dois

Aleixo vai apresentar permanentemente na sua sala de convívio dois quadros expositores com material de colecionismo.

quadros

expositores

com material de colecionismo. As exposições começam nas comemorações dos 40 anos do 25 de Abril no qual estará patente a coleção de José Pintado alusiva a esse tema. Seguidamente apresentar-se-iam as seguintes coleções:

 

25 a 28 de abril - 25 de Abril (Filatelia temática de José Pintado);

  

17 a 31 de maio - Portugal é Lindo (Maximafilia da turma 4.º ano);

01 a 16 de maio - Estoi e Olhão em postais (Cartofilia de Álvaro Ramos); 01 a 14 de junho - Selos do Mundo (Filatelia tradicional Ana Varela);

15 a 28 de junho - Selos do Mundo (Filatelia tradicional Leandro Baião);

29 de junho a 12 de julho - Moedas de Euro (Numismática de Álvaro Ramos);

12 a 26 de julho - Pacotes de açúcar (Periglicofilia de Joaquim Vare-

la).

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

II ENCONTRO INTERNACIONAL DE COLECCIONISMO A Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António, vai realizar nos próximos dias 7 e 8 de Junho o II Encontro

Internacional

de

Coleccionismo que terá lugar no Quartel de Bombeiros desta cidade, que será dedicado aos Bombeiros Portugueses e terá como lema “Vida pela Vida”. O programa, distribuído pelos dois dias iniciar-se-á pelas 9 horas com a recepção aos participantes,

seguido

da

recepção às entidades convidadas e, pelas 10 horas será o início oficial do encontro, prolongando-se ininterruptamente até às 18 horas, altura em que encerra o primeiro dos dois dias. O dia não terminará sem que todos os participantes convivam num jantar convívio pelas 20 horas, que se prolongará por largo tempo. No dia seguinte, o reinício dos trabalhos dar-se-á pelas 9 horas e 30 minutos para encerrar definitivamente às 13 horas. Durante todo o este II Encontro, serão entregues aos participantes, escalonadamente, seis séries de pacotes de açúcar, em que o tema principal será “Os Bombeiros”, aos quais serão ainda adicionados os pacotes de açúcar dedicados aos patrocinadores deste II Encontro.

PÁGINA

25


PÁGINA

26

Exposição de Filatelia do Algarve Cabe à AFAL - Associação Filatélica Alentejo-Algarve a organização, pela segunda vez, da V ALGARPEX 2014 V Exposição Filatélica do Algarve, iniciando assim o segundo ciclo deste tipo de Exposições que, depois de 4 edições, se afirmou no panorama filatélico do Algarve. As "ALGARPEX" - Exposições Filatélicas do Algarve são exposições “A AFAL espera a colaboração de todos os filatelistas que colaboraram nas edições anteriores, com as suas participações melhoradas, assim como de novos colecionadores que

não competitivas a levar a efeito, anual e alternadamente, pelo conjunto das Federadas não juvenis sediadas no Algarve. A Exposição, não é competitiva e destina-se aos colecionadores, escritores e jornalistas filatélicos, naturais ou residentes no Algarve. Decorrerá no Salão Medronheiro do Hotel Júpiter, Praia da Rocha, de 17 a 21 de Setembro. Haverá um amplo programa filatélico a divulgar brevemente. Os objetivos destes certames são os seguintes: 

até aqui

Divulgar e promover a filatelia na Província do Algarve incentivando novos colecionadores;

desconheciam a

existência destas exposições.”

Despertar o interesse dos filatelistas pela participação em certames filatélicos;

Mostrar que, para ser colecionador, não é obrigatório

obede-

cer a critérios rígidos de apresentação; 

Dar a possibilidade a todo o colecionador de apresentar as suas coleções tal e qual como as idealizou;

Orientar e incentivar o colecionador a enveredar pela competição;

Desenvolver os laços de amizade e colaboração entre os filatelistas, dando uma valiosa contribuição para a melhor compreensão entre todos;

Procurar difundir, principalmente entre a juventude, a atividade filatélica no que respeita ao seu valor cultural e ao seu interesse para a educação e ocupação de tempos livres;

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

Promover, anualmente, um grande encontro entre colecionadores, com ampla participação de todos, onde possam mostrar as suas coleções, possam receber sugestões e criar amizades.

A AFAL espera a colaboração de todos os filatelistas que colaboraram nas edições anteriores, com as suas participações melhoradas, assim como de novos colecionadores que até aqui desconheciam a existência destas exposições. Os contactos da Comissão Organizadora da ALGARPEX 2014 são: ALGARPEX 2014

Apart. 757

Tel. 933256835 / 926879540

8501-913 PORTIMÃO

email: algarpex2014@gmail.com

Tertúlia “Filatelia: Passatempo, Cultura e Arte” No dia 22 de Maio realizará-se na Biblioteca Municipal de Lagoa pelas 21,30 horas uma tertúlia denominada “Filatelia: Passatempo, Cultura e Arte”, que contará com a presença do nosso colega Dr. Feliciano Flor. Mais uma vez de salientar o excelente trabalho que o Município de Lagoa, nomeadamente, a sua biblioteca e o arquivo municipal no que concerne à divulgação e promoção da filatelia.

PÁGINA

27


PÁGINA

28

Marcofilia comemorativa do 1.º trimestre

Reuniões das agremiações filatélicas do Algarve Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António: 2.ª quinta-feira de cada mês, no Quartel do Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António AFAL - Associação Filatélica Alentejo-Algarve - 1.ª Quartas-feiras de cada mês, às 21,30 horas na Sede da Associação Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão - 3.º Sábado de cada mês ás16,00 horas na Sede do Lions Clube de Portimão Núcleo de Filatelia e Colecionismo da Escola EB 2/3 Dr. António da Costa Contreiras de Armação de Pera - Agrupamento Silves Sul -"O Bichinho do Selo": Reuniões semanais durante o período letivo: - Segunda-feira às 15,30 horas na Biblioteca da Escola - Sexta-feira às 18,00 horas na Sede do Agrupamento de Escuteiros O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

Núcleo de Filatelia Infanto Juvenil “Os Amiguinhos dos Selos”: reúnem-se no 2.º e 4.º sábado de cada mês das 14 horas às 16 horas no Grupo Desportivo e Cultural António Aleixo

Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF / Amigos da Filatelia: reúne todas as primeiras quinta-feira no Museu Municipal de Faro pelas 17 horas

Feiras, Mercadinhos e outros eventos ligados ao colecionismo Calendarização das feiras e mercados no qual poderão encontrar material filatélico e/ou de colecionismo. 1.º Sábado (Tavira e Algoz); 1.º Domingo (Fuseta e Portimão); 2.º Sábado (Vila Real de Santo António); 2.º Domingo (Almancil, Faro [junto Teatro Municipal] e Ferragudo); 3.º Sábado (Albufeira); 3.º Domingo (S. Brás de Alportel e Portimão); 4.º Sábado (Monte Gordo); 4.º Domingo (Quelfes).

Publicações sobre filatelia e colecionismo

http:// www.youblisher.com/ p/840927-GPA-NEWSIssue-21-March-2014/

http://issuu.com/ filcordoba/docs/ cordoba_colecciona14_web

http://issuu.com/ http:// guernseystamps/docs/ www.stampinsider.org/ phil_news_feb_2014_web Stamp%20Insider/Older% 20PDFs/1405.pdf

PÁGINA

29


PÁGINA

30

Selos colocados em circulação pelos CTT no 1.º trimestre CTT Sociedade aberta - Sempre presente Emissão: 09/10/2013 Selos Bloco de €1,70 Carimbos 1.º dia

Madeira Auto-adesivos Emissão: 27/01/2014 Selos 5 x E20g I Carimbos 1.º dia Os selos da série Madeira autoadesivos são compostos por imagens de selos emitidos em

Desportos Radicais Emissão: 10/02/2014 Selos: €0,40 / €0,50 / €0,70 / €0,80 / €1,70

2011/2012/2013

Carimbos 1.º dia

400 anos da 1.ª edição da Peregrinação Emissão: 24/02/2014 Selos €1,00 Bloco €3,00 Carimbos 1.º dia

O

MENSAGEIRO

DO

ALGARVE


PUBLICAÇÃO

TRIMESTRAL—ANO

II

N.º5

800 anos do notariado em Portugal Emissão: 06/03/2014 Selos €0,80 Bloco €3,00 Carimbos 1.º dia

800 anos do notariado em Portugal Emissão: 24/03/2014 Selos: €0,40 / €0,50 / €0,60 / €0,70 / €0,80 / €1,00 Carimbos 1.º dia

Bilhetes Postais colocados em circulação pelos CTT no 4.º trimestre Centenário do Jornal de Gouveia “Notícias de Gouveia” Carimbo de 1º Dia de Circulação: CTTGouveia2014.02.12 (Loja CTT Gouveia) Entrou em circulação no Dia 3 de Fevereiro de 2014 Design: Jornal “Notícias de Gouveia” Tiragem: 9.000 exemplares Taxa: Taxa Paga / Postage Paid – Válido para Portugal (0,40€)/ 1º Escalão Nacional “Selo”: Logótipo do Centenário do Notícias de Gouveia Desportos Radicais Carimbo de 1º Dia de Circulação: Não houve Entrou em circulação no Dia 27 de Fevereiro de 2014 Design: João Machado Tiragem: Ilimitado Taxa: N20g / 1º Escalão Nacional “Selo”: Idêntico ao selo de 0,40€ Congresso Nacional Olímpico Carimbo de 1º Dia de Circulação: CTTMaia 2014.03.03 (Loja CTT Tecmaia) Design: Futuro Publicidade Tiragem: 4.000 exemplares Taxa: Taxa Paga / Postage Paid – Válido para Portugal (0,40€)/ 1º Escalão Nacional “Selo”: Logótipo do Comité Olímpico de Portugal 100 Anos da Federação Portuguesa de Futebol Carimbo de 1º Dia de Circulação: CTTLisboa2014.03.31 (Loja CTT Rato) Design: Ainda não divulgado pelos CTT Tiragem: Ainda não divulgado pelos CTT Taxa: Taxa Paga / Postage Paid – Válido para Portugal (0,40€)/ 1º Escalão Nacional “Selo”: Logótipo da Federação Portuguesa de Futebol + 100 / 1914-2014

PÁGINA

31


Divulgando a filatelia e o coleccionismo do Algarve.

Endereços das Agremiações: AFAL - Associação Filatélica Alentejo Algarve Avenida 25 de Abril, Bloco 2, r/c 8500-610 Portimão Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF Beco do Arco 8000 Faro Núcleo Infanto Juvenil “Os Amiguinhos dos Selos” G.D.C. Jograis António Aleixo Rua João de Deus, 31 - Estoi 8005-475 FARO

Colaboraram neste número: Américo Rebelo António Borralho Francisco Galveias Sérgio Pedro

Paginação e Montagem: Sérgio Pedro

Design: Susana Andrade

Núcleo Filatélico Juvenil de Armação de Pera Sítio da Torre, Armação de Pêra, 8365-184 Silves Núcleo Juvenil de Filatelia e Colecionismo de Lagoa Biblioteca Municipal de Lagoa Largo dos dos Combates da Grande Guerra 8400-338 LAGOA

Os artigos publicados são da inteira responsabilidade dos seus autores.

Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão Auditório Municipal Rua Miguel Bombarda 8500-299 Portimão Secção de Colecionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António Rua Francisco Sá Carneiro S/N 8900-307 Vila Real de Santo António

Email: omensageirodoalgarve@gmail.com

Participa nos nossos Blog’s, Páginas Web e/ou Página de Facebook Blog’s: http://omensageirodoalgarve.blogspot.pt/ http://osamigosdafilatelia.blogspot.pt/ http://nucleofilateliafaro.blogspot.pt/

Página Web http://selos.org/assoc.php Página de Facebook https://pt-pt.facebook.com/pages/Sec%C3%A7%C3% A3o-de-Coleccionismo-dos-BV-de-VRSA/334989464180

Revista online: http://www.slideshare.net/mensageiro2013 http://issuu.com/mensageiro_algarve/docs

Entidades responsáveis pelo boletim

O Mensageiro do Algarve 1.º trimestre 2014  

No passado dia 29 de Março, teve lugar em Lisboa, no Hotel Travel Park, o Congresso Ordinário da Federação Portuguesa de Filatelia – APD. O...

O Mensageiro do Algarve 1.º trimestre 2014  

No passado dia 29 de Março, teve lugar em Lisboa, no Hotel Travel Park, o Congresso Ordinário da Federação Portuguesa de Filatelia – APD. O...

Advertisement