Memória Pet | Edição 01/2021

Page 15

Quando chega a hora da despedida A morte de um pet pode trazer uma tristeza imensa, afinal é uma companhia que não exige muito, mas que dá de retorno, imenso amor e dedicação sem igual. Em diversas situações pode ser considerado o único grande amigo, a companhia de todos os dias e para crianças, a primeira relação com perdas permanentes. Sentimento de culpa Muitas vezes esta perda vem acompanhada de um grande sentimento de culpa, com o questionamento, “o que eu poderia ter feito para evitar?” Mas, parte da superação deve partir do pensamento que não houve negligência ou falta de atenção e que tudo que estava ao alcance foi feito. Entender o luto A dor como sentimento é exclusiva e individualizada e entender o luto de alguém por seu pet é respeitar a perda e a lacuna que ficará em sua vida. Não há como mensurar a intensidade da tristeza que o tutor está sentindo, mas é preciso compreender. Assim, expressar sentimentos de condolências, “dar aquela força” e apoio, são fundamentais para a superação. Se dói a separação, tem que viver este momento, já que a lacuna deixada em cada vida é irreparável. Enfrentar a vida sem a companhia do pet É o momento de entender e aceitar que a companhia tão amada se transformou em lembrança e saudade. Por algum tempo é preciso manter a rotina de forma a superar, mesmo que seja ir ao mesmo parque que antes caminhava com o pet ou interagir com outros tutores para abrandar a dor e o sofrimento da perda.

15