Page 1


EDITORIAL Luciana Saraiva Diretora de Atendimento da Melon 3D

Como marcar a data do nosso 2º ani­­versário? Fazemos uma festa? Um coquetel? Um anúncio? Hmmm... Vamos pensar. O que nós sabemos fazer de melhor? A resposta não tardou muito a

STAFF Conselho Editorial Alice Hetzel Carolina Saraiva Diego de Castria Diogo Retamal Iuri Schroeder Luciana Saraiva Redação e Revisão Flavia Mu Projeto Gráfico Alice Hetzel Arte da Capa Cleto Pádua

MELON 3D Av. Taquara, 98/504 Porto Alegre/RS CEP 90460-210 55 51 2111.3492

aparecer: faremos uma revista, onde possamos mostrar tudo de legal que a gente vê por aí, o que nos inspira e o que estamos fazendo de bacana para os clientes. Arquitetura? Design? Comunicação? Tudo junto. Bem do jeito que a gente mais gosta! Aliás, em nossos primeiros dois anos de mercado, descobrimos diariamente que somos apaixonados pelo que fazemos. Por isso, queremos compartilhar com vocês tudo o que se passa nos nossos “melõezinhos” enquanto estamos aqui no nosso dia a dia de trabalho. A primeira edição da Revista Melonzine foi preparada com dedicação, carinho e orgulho. Desejamos uma ótima leitura!

PETS NA DECORAÇÃO Eles ganham o coração dos donos e, logo, um cantinho especial na casa. É cada vez mais comum encontrar por aí móveis e objetos desenvolvidos para os pets. Veja, abaixo, uma inspiração para você que é louco por cachorros e gatos. Envie a foto do seu mascote em casa para revista@melon3d.com


DECOR

ROLA NA WEB

Cássio Lazzarotto

REPRODUÇÃO/ETSY

Ambientes de trabalho inovadores, bem diferentes e decoração temática. É inspiração para quem trabalha com arquitetura e design.

© CLETO PÁDUA

+ officesnapshots.com

ADEUS, PAPEL DE PAREDE! Ficou fácil mudar o visual da casa. Para quem gosta de estampa, mas quer fugir da aplicação de papéis

Foi amor à primeira vista. Há mais de 13 anos, quando passeava pe-

de parede, a empresa britânica The Painted House

las ruas movimentadas de Nova York, PATRICIA LONGHI, DIRETORA

coloca no mercado uma boa solução: rolos de pin-

DA 2DAY CONSULTORIA, ficou encantada por um vaso prateado na

tura que funcionam como carimbos. São nove de-

vitrine de uma loja. Não resistiu, comprou e embarcou de volta para

senhos diferentes, com borboletas, flores, pássaros,

o Brasil com o objeto de decoração. “Nem acredito que trouxe algo

entre outras estampas. E além das paredes, os ro-

tão grande no avião”, diverte-se. E, mesmo depois de tanto tempo, o

linhos podem ser usados em outros lugares, como

vaso ainda está entre os protagonistas da casa de Patrícia. “É super

móveis e tecidos.

simples, mas bem contemporâneo. Todos os sábados, compro flores

À venda no e-commerce Etsy com entrega no Brasil.

na feirinha da Tristeza e arrumo no meu vaso. A casa fica sempre linda

+ www.etsy.com/shop/patternedpaintroller

e alegre”, comenta.

MELONZINE #01 / 3


DECOR

O PUBLICITÁRIO ISMAEL GOLI é um apaixonado por casa e por tudo que faz parte do universo familiar. Não por acaso é proprietário da Refúgio Urbano, uma loja com jeitinho de interior. Na sala do apartamento, Goli preserva um aspirador de pó, herança da avó. “Lembro do sorriso dela limpando seus tapetes e os cantinhos da casa. E eu fazia o aspirador de cavalo em minhas brincadeiras”, recorda. O aparelho não funciona mais. “Mas é uma obra de arte na minha casa, usado como vaso para cactos. Todo arquiteto que vem aqui adora pelo design, que ainda é inovador, pela

ARQUIVO PESSOAL

carga de história ou ainda pela nobreza da sua nova utilidade. Afinal de contas, ele se aposentou como aspirador velho e hoje é um objeto decorativo bem interessante”, afirma.

4 / POR AÍ


prédio moderno no centro de uma cidade histórica. A Dancing House, projetada por Frank Gehry em colaboração com arquiteto tcheco-croata Vlado Mulinic, é uma referência diante do rio Vlatva. Como muitos prédios inovadores, causou estranheza, ambientado entre exemplares da arquitetura Art Nouveau, Barroca e Gótica. Construído entre 1992 e 1996, o projeto ocupa o local de um prédio destruído por bombas americanas, em 1945, durante a II Guerra Mundial.” Mylene Rizzo, do blog Viajando com Arte + clicrbs.com.br/viajandocomarte

“A MOLE ANTONELLIANA, LOCALIZADA NA CIDADE ITALIANA DE TURIM, é um incrível prédio de 167m de altura construído, entre 1863 e 1897, em alvenaria estrutural. É o mais alto edifício da Europa que usa esta técnica. Inicialmente, era uma sinagoga, mas hoje sedia o Museu Nacional do Cinema Italiano. Os visitantes percorrem exposições de relíquias do cinema e encontram espaços interativos. Inclusive, dá para assistir a filmes deitado em poltronas espalhadas pelo grande átrio central. Deste mesmo espaço, sobe um elevador panorâmico que leva os visitantes ao topo da cúpula, um mirante de 360 graus da antiga capital italiana, cercada pelos Alpes e cortada pelo Rio Pó. E reza a lenda que os estudantes não devem subir no mirante antes das provas finais ou não passarão de ano. Então, melhor não arriscar.” Andrea Mu, estudante de Arquitetura

MELONZINE #01 / 5

ARQUIVO PESSOAL

ARQUIVO PESSOAL

“NA REGIÃO DE NOVÉ MESTO, EM PRAGA, está localizado o único


PERFIL SONHOS CONCRETOS ANDRÉ PETRACCO

«

É encantador criar. É imaginar, prever e transformar isso em algo concreto, real e funcional. 6 / PERFIL


© CLETO PÁDUA

ANDRÉ PETRACCO ANDA POR AÍ COM UM OLHAR ATENTO A TUDO QUE PASSA. E o foco não está só nas formas, diferenciais e texturas de casas e prédios. O radar do arquiteto nunca desliga: tudo é inspiração. “As pessoas, os ritmos, a cultura e o entorno. A arquitetura faz parte do cotidiano, se mistura com as nossas vidas. É encantador criar. É imaginar, prever e transformar isso em algo concreto, real e funcional”, define. A história e os hábitos das pessoas têm influência importante na arquitetura. No Brasil, há riqueza arquitetônica justamente pelas várias culturas, inclusive dentro de um mesmo estado. “As obras realizadas em Manaus não podem ser aplicadas tal e qual no Rio Grande do Sul”, comenta. Para Petracco, o sucesso de um projeto tem tudo a ver com o trabalho de pesquisa, que identifica as verdadeiras necessidades. “O processo de projetar é semelhante para todo o tipo de cliente, seja no RS ou mesmo fora do Brasil. A pesquisa e a avaliação da cultura, somadas às necessidades de cada novo projeto, é que definem a estrutura de desenvolvimento e o sucesso do resultado”, relata. Além do investimento em pesquisa, os conceitos e os materiais também contribuem para a construção de projetos de qualidade. “A globalização reduziu a defasagem que tínhamos no acesso a novos materiais e no

MELONZINE #01 / 7

jeito de fazer arquitetura. A tecnologia traz inovações interessantes. A edificação “controlada”, com foco na sustentabilidade, nas questões energética, ambiental, utilização e conforto, são diferenciais em muitos dos novos empreendimentos”, revela. A André Petracco Arquitetura assina mais de cem projetos. A maioria está localizada em Porto Alegre e Santa Maria (RS). Há outros no Litoral Sul e na Serra Gaúcha. E, entre eles, não há preferido. “Cada trabalho tem suas particularidades, dificuldades e retorno. É gratificante ver o processo finalizado, a edificação ‘viva’ e ocupada”, reconhece. Para Petracco, há duas maneiras distintas de trabalhar: o “arquiteto mercado” é aquele que cria para clientes como construtoras, incorporadoras, indústrias, e o “arquiteto psicólogo”, que trabalha para clientes individuais, que estão construindo suas residências ou espaços de trabalho. “Cada um traz as suas percepções, gostos e cultura particular. O projeto de um edifício deve atender a demanda de clientes finais, ainda a serem definidos, respeitando as diretrizes de cada incorporadora. O projeto de uma casa é específico para o cliente, trazendo seus sonhos e desejos com a aplicação da melhor arquitetura”. De todos os projetos, o mais difícil foi a própria casa. “Fui o mais exigente. Não é fácil ser cliente de si próprio”, revela.


© BRUNO PERES

ARQUITETURA COMUNI TURA COMUNICAcao

8 / CAPA


ICAcao

MELON 3D MUDA A FORMA DE VER E PENSAR o lançamento de novos empreendimentos imobiliários. Nos últimos cinco anos, o segmento no Brasil vem crescendo. Desde então, muitos brasileiros realizaram o sonho da casa própria, com uma mãozinha do acesso fácil ao crédito, da redução nos juros e da alta na renda. Em 2012, os imóveis tiveram elevação nos preços de 15,2%. Para dar continuidade à efervescência no mercado e estimular a compra de imóveis, mesmo que com valores um pouco mais altos, torna-se necessário pensar num jeito inovador e diferenciado de vendê-los. Os tradicionais materiais de promoções e malas diretas acabam insuficientes quando o objetivo é falar com os novos consumidores. Então, as empresas passaram a investir também em ferramentas capazes de dar vida aos empreendimentos antes da construção: as perspectivas e os vídeos 3D. Assim, Iuri Schroeder, Luciana Saraiva, Diogo Retamal e Diego de Castria visualizaram uma oportunidade de reunir seus talentos e atuar num mercado que prospera. Um tempo depois, Carolina Saraiva, passou a integrar o grupo e, mais recentemente, Alice Hetzel. A Melon 3D oferece soluções completas em comunicação para lançamentos imobiliários: serviços de arquitetura digital, como maquetes eletrônicas, plantas baixas humanizadas, tours 360°, passeios virtuais e renders 3D, integram-se

MELONZINE #01 / 9

aos serviços de comunicação, resultando em identidades visuais e campanhas consistentes. Na prática funciona assim: Diego e Alice coordenam as demandas de Comunicação e Design, fazendo pesquisas para propor a melhor maneira de atingir o público-alvo do produto imobiliário, transformando o resultado em peças gráficas. Diogo e Carolina comandam a equipe de arquitetos e generalistas 3D na execução de imagens que simulam a realidade, levando aos clientes fidelidade e riqueza de detalhes para o projeto. “É a melhor maneira de levar a essência do empreendimento imobiliário para o cliente final”, comenta Carolina Saraiva. Luciana é responsável pelo relacionamento com os clientes e por “filtrar” as necessidades de cada projeto, além de fazer a “ponte” entre os dois núcleos, e Iuri cuida de todas as questões relacionadas à área administrativa e financeira da empresa. Em 2013, a empresa completa dois anos de mercado. Já conta com uma equipe de profissionais de diversas áreas, nova sede no bairro Petrópolis e uma carta de clientes exigentes e experientes no mercado, como Ivo Rizzo, LV Par, Fork e Melnick Even. “Temos que comemorar nossas conquistas até aqui. Estamos planejando o futuro da empresa com boas perspectivas”, afirma Iuri Schroeder, sócio e diretor Administrativo Financeiro da Melon 3D. + www.melon3d.com


© CLETO PÁDUA

10 / TENDÊNCIA


O CONCEITO DE ANTIRRESTAURANTE NÃO É NOVO, mas no Brasil ainda causa estranheza. Afinal, é um convite para jantar na casa de alguém desconhecido, que recebe os interessados em seu lar como se fossem velhos amigos. Também conhecidos como underground restaurants ou home bistros, são casas particulares abertas a convidados, com o objetivo de servi-los como se estivessem em restaurantes. Marcos Cardozo e a esposa, Luciana, moram num antigo apartamento na Rua Miguel Tostes, no bairro Rio Branco, em Porto Alegre. Aos sábados, o espaço vira a Casa Cardozo e a mesa fica cheia de gente, esperando para provar as delícias que saem da cozinha do casal. Só a decoração já é um convite: piso de parquet, que torna o ambiente aconchegante, muitos quadros nas paredes, TV retrô e objetos divertidos nas prateleiras das estantes. Ele, cozinheiro de coração, empresário, ex-baterista e amante do cinema, já teve também casas noturnas. Então, o gosto por receber pessoas, além de hábito, é uma vocação.

MELONZINE #01 / 11

“Passei grande parte da minha vida fazendo isso e, mais do que acostumar, gosto muito! Aqui em casa, a mesma pessoa que recepciona você na porta, elabora o cardápio, cozinha todos os pratos da noite, monta, serve, conversa e, depois que você for embora, ainda lava toda a louça. De muito bom humor, sempre”, conta. A Casa Cardozo é uma realização para Marcos, que sempre quis trabalhar em casa, sem patrão, sócios ou funcionários. E não foram necessárias muitas mudanças para colocar em prática a ideia que trouxe na bagagem das viagens ao exterior. “Procuramos receber as pessoas de forma muito natural. Toda a decoração, inspirada em nossas viagens e nas heranças de família, está na casa como estaria se não houvesse antirrestaurante. A maior mudança foi transformar um dos quartos da casa em mais uma sala de jantar, onde também colocamos uma geladeira com bebidas que podem ser servidas pelos próprios convidados”, explica. + casacardozo.blogspot.com


IMAGEM 3D PRODUZIDA POR MELON

BA I R R O

Tristeza s贸 no nome...

12 / BAIRRO


DE TRISTE O BAIRRO SÓ TEM O NOME.

tinho da água, onde é possível sentir o fres-

De fato, ninguém fica aborrecido ao descobrir

cor que lembra o litoral e torna o dia a dia

todas as vantagens de morar nos bairros da

mais relax. Além da localização privilegiada

Zona Sul de Porto Alegre. Aliás, há quem diga

(Av. Sargento Nicolau Dias de Farias, 313),

que quem mora perto da água é mais feliz.

o condomínio de alto padrão possui opções

Há alguns anos, a Tristeza era uma região

para todos os gostos em sua área condo-

de veraneio para as famílias porto-alegrenses.

minial, com salão de festa, fitness, espaço

Com o tempo e os investimentos que o bair-

kids e piscina. Tudo com uma vista incrível

ro recebeu, como pavimentação da estrada e

para o rio.

rede elétrica, muita gente optou por estender a temporada de verão e ficar por lá.

Por se tratar de praia, o bairro Tristeza

Cláudio Spalter, da Clave Incorporações,

Jangadeiros, na Rua Ernesto Paiva, 139, proporciona a prática da vela, caiaque, jet-ski e

anos de idade. “Morava na Vila Assunção, que

stand up paddle.

é um bairro colado na Tristeza. Por isso, tenho

Há também muitas opções de restaurantes

muitas lembranças da infância por ali”, con-

e lugares bacanas para visitar, como a Floricul-

ta. Apaixonado pelo local, Spalter só constrói

tura Winge, localizada na Rua Dr. Mário Totta,

na Zona Sul. “Investimos há 18 anos na região

963, onde é possível encontrar inúmeros tipos

por seus diferenciais: áreas verdes, tranquili-

de espécies, distribuídas em 30 mil metros

dade, poucos prédios e o contato com o Gua-

quadrados. E nada melhor do que curtir a tar-

íba”, explica.

de com esse clima. O Café & Prosa, que fica

Um dos mais recentes empreendimenque tem tudo a ver com a Zona Sul. É per-

MELONZINE #01 / 13

anos na região por seus diferenciais: áreas verdes, tranquilidade, poucos prédios e o contato com o Guaíba” Cláudio Spalter, Clave Incorporações

incentiva os esportes náuticos. O Clube dos

mudou-se para a Zona Sul em 1970, com três

tos da Clave, o Las Brisas, traz um conceito

“Investimos há 18

dentro da floricultura, é a grande dica. Dá para ficar triste num bairro assim? Certamente não.

Conheça o projeto do Las Brisas no site da Clave Incorporações: www.clave.com.br


PORTA S ABERTAS

Lugar para INVENTAR

É no espaço projetado por Trajano Silva, na Vila Conceição, em Porto Alegre, que a designer Heloísa Crocco inventa, buscando na natureza a ins-

piração para criar. Em seus trabalhos e estudos, a madeira mostra infinitas possibilidades de aplicação, inclusive em diferentes suportes, como objetos utilitários e painéis.

containers dos filhos de Heloísa: Vico, que aposta no food design, e Thomaz, que trabalha com design gráfico e vídeos. E bom gosto é de família!

© CLETO PÁDUA

Além das atividades que envolvem design e artesanato, o Studio Crocco tem espaço para os dois

14 / PORTAS ABERTAS


IMAGEM 3D PRODUZIDA POR MELON

e g a t cks

ba

Você sabe como funciona a tecnologia 3D? COM A CRESCENTE OFERTA de empreendimentos, o mercado imobiliário desenvolveu uma grande demanda por ferramentas que possibilitem uma maior eficiência na comercialização dos produtos. Desta forma, as maquetes eletrônicas e vídeos 3D se transformaram em um precioso recurso para que as incorporadoras e construtoras consigam transmitir os conceitos e diferenciais de seus empreendimentos. Mas, você sabe como funcionam estes softwares que permitem a criação destas imagens e animações? Imagine que estamos fisicamente fotografando ou filmando os espaços

MELONZINE #01 / 15

que queremos ilustrar. Neste cenário, teremos alguns elementos importantes para levar em consideração: a iluminação, o fotógrafo e o que será fotografado. Isto é exatamente o que o software propõe. Assim, criaremos câmeras, luzes, materiais e ambiente digitais que simulam a realidade. Levamos as informações observadas no mundo real para o software, chegando assim ao resultado desejado em nossa imagem. Então, tenha a consciência de que o software 3D simula exatamente a realidade. Quanto mais detalhadas forem as definições, mais próximos chegaremos do real. Estes elementos também

dialogam entre si, pois quanto menor for a incidência de luz teremos que compensar com alguns acertos de câmera. Assim, é de extrema importância sabermos que toda modificação nestes fatores acarretam em novas informações e novas configurações para os demais envolvidos na criação da imagem ou vídeo. Referências bem definidas resultam em uma maior agilidade nos processos. Então, se tiver interesse em investir em 3D, é importante pesquisar bem e ter em mente o que deseja para o resultado final de seu trabalho. Por Diogo Retamal, sócio e gerente 3D da Melon


Seu peixe. Nossa isca. Única no RS com formato de impressão 36x66 cm. O maior do mercado gaúcho. Materiais personalizados em papel, vinil e PVC, com acabamentos diversos. Impressos com qualidade em gramatura de até 350 g. Tecnologia exclusiva da IGen4 Diamond Edition Brasil.

www.trindadexpress.com.br Rua Santa Catarina, 104. Porto Alegre - RS | Fone: 51 3083 0808

Melonzine #01