Issuu on Google+

WORKS: 2004/2012


CICLOTRAMA

PAISAGENS

LUDIC SPACES OU O LABIRINTO DA MALDADE

MELLO+LANDINI


CICLOTRAMA Instalação / Instalation Site Specifc


CICLOTRAMA III ROJO at Espaรงo 104 - 2012 10X20X5.80m 50 Km de fios variados, 2100 pregos


Foto: Eduardo Eckenfels


CICLOTRAMA III - ROJO 104 - 2012


A ideia de “diagrama de fluxos” é geralmente usada para facilitar a percepção de conexões e análises de padrões, para compreensão de universos complexos. Estes conceitos são potências para o desdobramento de questões referentes às dinâmicas, trajetórias e fluxos, articulando à ideias como as relações sociais, transformações e passagem do tempo. A pesquisa Ciclotrama se utiliza da característica capilar e maleável de linhas, fios e barbantes para a investigação dos elementos acima citados. Através da torção ou entrelaçamento, um imutável fio se encontra com outro e outro fio e por fim, se funde a todos eles, explorando as infinitas possibilidades que sempre levam ao mesmo limbo. Como as raiz de uma planta, ramos neurais, ou estruturas microscópicas, o resultado é um corpo composto de partes interdependentes. Ora soltos no espaço, ora utilizando-se de outros suportes, a memória destas histórias se impregnam em espaços arquitetônicos ou criam pequenos poemas objetos.


CICLOTRAMA I 2010 200X540cm 8 km de fios variados, 1500 pregos


Foto: Eduardo Eckenfels


CICLOTRAMA VI - EVERYTHING BETWEEN A AND Z 2012 10x8x8cm 2 tipos de madeira e 150 metros de fios dourados


CICLOTRAMA VII - SECRET 2012 12x18x36cm Caixa de madeira e 500 metros de fios


CICLOTRAMA VIII - MISTERIO DA FÉ 2012 16x10x40cm Livro e 1000 metros de fios


CICLOTRAMA VIII - SONATA 2012 11x12x35cm KSete tape e 160 metros de fios


CICLOTRAMA V - CIDADE 2012 11x12x35cm KSete tape e 160 metros de fios


PAISAGENS

“Pinturas” de fitas / “Paintings” made of ribbons


Memórias cromáticas chromatic memories

CÉU COM NUVENS - 2010 Políptico - 40X60cm (x4) Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


A pesquisa das Paisagens é endereçada à representação do campo etéreo das memórias, onde a definição das regiões de brilho, luz e cor são definitivas na recriação das imagens, uma vez que os detalhes se esvaem com o tempo.

mais orgânicos, como nos Céus. O extrato de nogueira passou a ser usado para “apagar” a vibração da cor mas mantendo o brilho, como nas Queimadas. Nos ambientes arquitetônicos começaram a surgir planos com tramas menos complexas, como nas Visadas. As construções geométricas voltam a ser adotadas de forma mais definida e sem impregnações, como nas Salas Silenciosas. Tanto os trabalhos orgânicos quanto os geométricos são divididos em polípticos para o uso mais complexo de cores.

As fitas de cetim apresentam as qualidades pictóricas desejáveis para articular estas ideias. A trama deste material cria a estrutura base para a construção das pinturas. Estes dois elementos juntos estabelecem os limites da presença denotativa das imagens, reduzidas à visibilidade do O resultado nos remete ao meio tecessencial. nológico-industrial, onde despontam “pixels-pigmentos” sobre a tela mas, A pesquisa pode ser segmentada em por mais que exale esta “artificialifases, desde a experimentação da téc- dade”, ele está numa zona de ambinica até o domínio dela. Inicialmente guidade visual, visível na mutabilias telas eram totalmente tramadas, as dade da paisagem, entre as cores e as cores eram colocadas de acordo com a texturas sob a luz. intenção, mas a impregnação se dava de forma geométrica. O controle da colocação da cor permitiu desenhos


ML10L579 CÉU COM NUVENS - 2010 - 25X40cm - Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


M10L935 PLATAFORMA - 2010 60X80cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


Queimadas Burnings

M10L221 NUVEM DE FUMAÇA - 2010 30x30cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira e extrato de nogueira


M10L222 QUEIMADA IV - 2010 40x60cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira e extrato de nogueira


M10L333 QUEIMADA III - 2010 40x60cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira e extrato de nogueira


Visadas Sight pictures

PAISAGENS – VISADA I - 2011 100x60cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


PAISAGENS – VISADA II - 2011 60x80cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


Salas silenciosas Silent rooms SALAS SILENCIOSAS - 2011 PolĂ­ptico - 70x100cm (x4) Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


SALAS SILENCIOSAS II - 2011 DĂ­ptico - 70x100cm (x2) Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


M11L304 SALA AZUL - 2011 100x70cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


M11L303 SALA VERMELHA - 2011 70x100cm Trama de fitas de tecido sobre chassi de madeira


LUDIC SPACES OU O LABIRINTO DA MALDADE Instalação / Instalation Site Specifc


LUDIC SPACES OU O LABIRINTO DA MALDADE 2004/2012

A pesquisa Ludic Spaces ou o Labirinto da Maldade articula as experiências cotidianas vivenciadas na sociedade contemporânea. É possível observar que há um novo universo de símbolos vigentes nos dias de hoje. Estes novos padrões reorganizam as referências sociais e éticas anteriores e remodelam o estado de consciência e de alma do indivíduo contemporâneo em relação ao seu mundo de valores e sua noção de tempo.

tar as faculdades de percepção e cognição do espectador através da sua participação.

Inicialmente, a pesquisa Ludic Spaces ou o Labirinto da Maldade teria o formato de um labirinto onde todas as propostas estariam reunidas em uma única arena randômica. Cada sala estaria conectada a outras salas através de varias outras portas criando experiências multidirecionais. Porém elas podem existir separadamente, Para cada nova proposta, o processo pois cada proposta se fecha em seu de trabalho se desenvolve a partir do próprio significado, mantendo o objereconhecimento da ambiguidade de tivo inicial de discutir os hábitos sointerpretação de determinado signo ciais, temporais, afetivos, subjetivos, chave. A partir daí o trabalho ganha perceptivos e cognitivos do individuo corpo através de um raciocínio físico, no seu tempo e espaço. arquitetônico e escultórico para a construção de um abrigo poético do sig- O labirinto brinca com corpo chamannificante recriado noutra dimensão. do-o às sensações entre o visível e o Estas “paisagens sociais” propostas invisível, promovendo a articulação o são potencialmente capazes de afe- entre real, o imaginário e o simbólico.


NENHUM LUGAR No where

330x450x450cm (variável) Estrutura metálica, vidro, espelho, MDF e luz

Infinito ou Inexistente Esta é uma sala-capsula, que se utiliza da característica “multiplicativa” dos jogos de espelhos, para a construção de um labirinto que faça desaparecer a imagem do corpo do indivíduo que se posicionar no centro deste espaço, quando ele estiver de frente a todos os espelhos.


ESPAÇO PRESO Loked space

400x400x380cm (variável) Madeira, grampos de arame, elásticos, LED’s, sensores de movimento e equipamento áudio

Fragmento do registro da performance realizada por Maurício Leonard no Espaço Preso.

Limitação ou Libertação Finos elásticos segmentam o espaço interno desta sala. O visitante tem de se colocar em cada um destes compartimentos para passar por ela, obrigando o manuseio da obra e a experimentação fisica e sonora da tensão e da distensão que “prende” o espaço num sentido mais amplo.

FICHA TECNICA Série Ludicspaces ou o Labirinto da maldade – ESPAÇO PRESO Janaina Mello e Daniele Landini – MELLO+LANDINI VIVO ARTE.MOV para o FESTIVAL ELETRONIKA 2011 CURADORIA: Lucas Bambozzi e Rodrigo Minelli PALÁCIO DAS ARTES, Belo Horizonte, MG, Brasil Designer sonoro: Artur Miglio Suporte Tecnológico: Vitor Campos Performer: Mauricio Leonard Filmagem da performance: Diogo Lisboa

Investigação incentivada por VIVO ARTE.MOV www.mellolandini.com/espaco-preso-video


QUASE ESCADA Almost stair

110x1200x550cm (variável) Madeira e aço e luz

Apesar da complexidade visual, esta escada foi desenhada para proporcionar uma subida natural, como qualquer outra escada. Entre os degraus 19, 20 e 21, o ritmo da subida é interrompido, um degrau ‘repetido’ gera um descompasso e faz o corpo parar, compreender o fato e se readequar ao movimento rítmico anterior.


ESCADA ESCALA Stair scale

1400x540x380cm (variável) Madeira, metal cabo de aço e luz

Ganho ou Desperdício A escada serpenteia todo o espaço de uma sala. O visitante é livre para subir e descer este objeto que gradativamente vai alterando a escala. O visitante percebe a mudança na relação do próprio corpo com o objeto e a alteração do esforço físico despendido na experiência.


LAVOURA Crop

800x800x430cm (variável) Mastros de madeira, pintura, argila e luz

Imerso ou Emerso Este trabalho revisita a geometria das lavouras. Mastros de madeira de mesma altura são colocados de forma sequencial e equidistante, formando uma espécie de cubo. Uma topografia artificial feita de materiais naturais como terra, argila ou areia eleva o nível do piso em determinado ponto da sala. O visitante anda imerso ao cubo ou acima dele; aí neste ponto ele descobre um novo ‘plano’ criado pelos pontos vermelhos dos topos dos postes, vistos apenas deste ângulo.


CHUVA Rain

250x300x500cm (variável) fita Metaloid, tecido e luz

Pra mim ou Pra você Numa das salas desta proposta, o visitante manuseia fitas metálicas que cobrem todo o espaço da sala, dependuradas no teto até tocarem o chão, luzes estroboscópicas piscam e refletem feixes de luz nas fitas metálicas e os seixos de argila expandida do chão e o seu som potencializam a instabilidade ao caminhar na sala. As sombras e feixes de luz desta movimentação são projetados nas paredes da sala, mas uma delas é uma tela de tecido que dá para outra sala e de lá, estas projeções podem ser observadas anonimamente como num teatro “sub aquático” de sombras.


LIMBO Limbo

400x400x280cm (variável) 6 projetores pico e folhas de papel branca

Vulto ou Memória Uma folha de papel branca é dada a cada visitante antes de entrar na sala completamente escura. Dentro da sala, pequenos projetores projetam dezenas de filmes curtos em diferentes direções. Não existem telas formais dentro da sala. O visitante manipula a sua folha de papel como um anteparo diante dos feixes de projeção que aparecem e somem em continuada sequência randômica no breu da sala. O tema dos filmes se situa no universo cotidiano e agrega reflexões sobre a passagem do tempo.


LABIRINTO Labyrinth

400x400x280cm (variável) Paredes cenográficas, veludo preto, espelhos e luz

Desconhecido ou Conhecido Sozinho e em meio a escuridão, o visitante explora este labirinto de paredes de veludo negras, até que em certo momento, um facho de luz muito estreito, revela parte do corpo do visitante refletido num espelho que até então estava imperceptível a sua frente, trazendo outra dimensão à experiência.


MONOLITOS Monoliths

440x380x250cm (variável) Mármore branco, sistemas de aquecimento e resfriamento, luz

Semelhantes ou Iguais Dispostos lado a lado numa sala estão dois blocos de mármore branco, iluminados internamente e a priori idênticos. Mas ao passar entre eles, o visitante experimenta a sensação de perceber que os 2 monólitos tem temperaturas opostas. Dentro de cada um deles, existe água e um sistema de aquecimento e resfriamento respectivamente.


PONTE Bridge

400x200x1000cm (variável) Madeira, borracha, cabos de aço, seda amarela e luz

Processo ou resultado À medida que o visitante adentra esta sala-corredor, a sua presença gera um movimento ondulante e instável no espaço. O piso de ripas de madeira, feito com uma estrutura elástica, aciona cabos de aço instalados atrás de altas cortinas de seda amarela, que fazem as vezes de paredes deste corredor. A forte luz que ilumina o ambiente faz o tecido brilhar, reforçando ainda mais o movimento.


DENTRO Within

250x500x500cm (variável) Madeira, espuma, lyckrae luz

Permitido ou Proibido Esta sala com iluminação infra vermelha, tem piso e paredes estofada de espuma macia e revestida com Lycra rosada. Um tipo de “luva/túnel” de Lycra vermelha, de grande dimensão é fixado em cada uma das 6 entradas para esta sala. Quatro destas portas dão acesso livre a este interior estofado, mas 2 portas estão interligadas por uma luva/túnel única, não permitindo ao visitante a possibilidade de ver o ambiente da sala, mas apenas sentilo através deste invólucro.


ATRÁS DO ESPELHO Behind the mirror

200x200x400cm (variável) Espelho, vidro com película espelhada, olho magico e luz

Expectativa ou Frustração Aparentemente esta é uma pequena sala com 2 paredes de espelho. Alguns olhos mágicos em um dos espelhos desperta a curiosidade. Este espelho é falso. Quando o observador olha através do olho mágico, ele vê o seu próprio corpo, infinitamente multiplicado num jogo prismático de espelhos, existente logo atrás deste espelho falso.


MELLO+LANDINI Janaina Mello, Daniel Landini.


Nosso trabalho investiga a noção de tempo.

Our work investigates the notion of time.

Nosso interesse nesta problemática nós guia a articular as tensões entre o espaço e o homem como objetos deste tempo, estabelecendo diálogos entre trajetórias e experiências, transformações, impregnações e sobre a própria passagem do tempo.

Our interest in this problematic leads us to articulate the tensions between the Space and the Man as object of this time, establishing dialogues between paths and experiences, transformations, impregnations and the passage of time itself.

A pesquisa se apropria de uma larga gama de suportes que se encaixam a intenção – de espaços arquitetonicos a pequenos objetos, vídeos e “pinturas”.

The research appropriates a wide range of supports that fit the intent – from architectural spaces to small objects, videos and “paintings”.


JANAINA MELLO Janaina Mello e Daniele Landini compoem a dupla MELLO + LANDINI desde 2009.

Janaina Mello and Daniele Landini compose the dual MELLO + LANDINI since 2009.

Nasceu em 1974 em São Gotardo, Minas Gerais. Em 1999, se formou em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais, em 2004 ingressou na Escola de Belas Artes na mesma universidade. Tem trabalhado nos próprios projetos artísticos desde 2004. Transita entre várias mídias, do vídeo à instalação e chega a inventar suas próprias técnicas para expressar os pensamentos. Em parceria com Daniele, tem colaborado com outros artistas como cenógrafa e designer de vídeo-objetos, incluindo alguns trabalhos de Éder Santos. Além de vários projetos de arquitetura, trabalhos de cenografia e figurino para teatro – incluindo o Grupo Galpão – e design de produtos, atuou como produtora e depois, coordenadora das produções artísticas em Inhotim de 2006 a 2009. Atualmente, vive e trabalha entre New York e Belo Horizonte.

Janaina Mello Castro Landini was born in 1974 in Brazil. Currently, she lives and works in their own artwork in New York. In 1999, she graduated in bachelor of Architecture from the Universidade Federal de Minas Gerais, at Belo Horizonte. In 2004, she began her Bachelor of Fine Art at UFMG, unfinished. In addition to several architectural projects, scenography, costumes for theatre and product design, she served as producer and later as coordinator of the artistic productions of the Contemporary Art Department at Inhotim Institute (www.inhotim.org.br) from 2006 to 2010.


DANIELE LANDINI Janaina Mello e Daniele Landini compoem a dupla MELLO + LANDINI desde 2009.

Janaina Mello and Daniele Landini compose the dual MELLO + LANDINI since 2009.

Nasceu em 1975 em Milão, Itália. Em 1999, se formou em Design de produto pelo Instituto Europeu de Design de Milão. Em parceria com Janaina, tem trabalhado nos próprios projetos artísticos desde 2009. Atua como Designer de produto desde 1995, primeiramente na Itália e a partir 2005 no Brasil, onde também atua como Sócio/Diretor na Agência NEW360. Seus trabalhos de Design participaram de mostras em Milão, Zurique, Veneza, Londres, Colônia, Nova York, São Paulo, Valência, Paris, Frankfurt, Moscou, Dubai, Verona, Tóquio; foram premiados no Concurso Young & Design nos anos de 1998, 1999, 2002 e 2005 e foram publicados na Domus, Ottagono, Interni e nos livros Design the Italian Way e A.M.I. Abitare made in Italy. Atualmente, Daniele Landini vive e trabalha entre New York e Belo Horizonte.

Daniel Landini was born in 1975 in Milan, Italy. Currently, he lives and works in their own artwork in New York. In 1999, he graduated in Product Design at the European Institute of Design in Milan. He acts as a industrial designer and design management between Italy and Brazil, working as a freelancer and corporate designer in different fields: art design, product design, Lighting design, furniture design, interior design, exhibition design, retail design, brand environment design and design management.


Solo Exhibitions: 2011 | Paisagens | Desvio 2010, Belo Horizonte. 2010 | Ciclotrama | Espaço 2010, Belo Horizonte.

Collective Exhibitions: 2012 | ®Nova Cultura Contemporânea (Rojo)| CentoeQuatro | Belo Horizonte. 2011 | Vivo Arte.Mov | Palácio das Artes | Belo Horizonte. 2011 | Quarto das Maravilhas | Galeria Emma Thomas | São Paulo. 2011 | Pequenos Formatos | galleria Subterrânea | Porto Alegre. 2010 | Design for Humanity Brazil Espaço Baró / Emma Thomas | Unique Hotel, São Paulo. 2010 | Cartel 011 mostra 11 dezembro | São Paulo. 2010 | Deserto Azul estúdio aberto | Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília. 2010 | The Creators Project Brasil | Espaço Vice NY | Galeria Baró Emma Thomas, São Paulo. 2010 | Coletiva 10+20 | Galeria Emma Thomas, São Paulo. Exhibitions: www.mellolandini.com/exposies Collaborations: www.mellolandini.com/colaboraes e-mail: janainamello@gmail.com landini@mellolandini.com Site | www.mellolandini.com


WWW.MELLOLANDINI.COM

Fotografias: Janaina Mello, Eduardo Eckenfels - Projeto Grรกfico: Daniel Landini


MELLO+LANDINI