Page 43

Movimentação intensa no segundo dia da Aviestur

Novo aeroporto pode ser alternativa para Aviestur em 2015

Samuel Rossilho e Alexandra Caprioli, secretário e diretora de Turismo de Campinas

propulsor do Turismo na região, que hoje conta com uma ocupação hoteleira acima dos 95% de segunda a sexta-feira. “Em 2012 captamos mais de seis mil eventos em Campinas”, disse. A diretora de Turismo de Campinas, Alexandra Capriolli, ressaltou que a cidade – mesmo sem ter um centro de convenções – está em 9º lugar no ranking da ICCA. “Temos focado em grandes eventos, como campeonatos de Vôlei, Hipismo e até a negociação para uma etapa da Stock Car em 2014”, comentou. Para a diretoria da Aviesp que quer “resgatar as origens” a viabilização de um centro de convenções no aeroporto de Viracopos seria um marco para que a Feira em 2015 fosse realizada na cidade de Campinas.

Expositores comentam mudança de local da Aviestur As opiniões não foram unânimes. A primeira edição da Aviestur realizada na cidade de Holambra gerou diversas percepções entre os expositores da feira. No entanto, todos eles afirmam que a feira, embora tenha voltado às suas origens – que é a região de Campinas –, perdeu um pouco da sua característica. Outra reclamação foi a distância de Campinas – onde a maioria ficou hospedado. Cleiton Feijó, da Nascimento Turismo, lembrou das edições realizadas em Águas de Lindoia e Campos do Jordão. “As cidades eram pequenas e o trade tomava conta de tudo. Isso fazia com que a gente respirasse a feira 24 horas, porque em todos os hotéis e todos os lugares encontrávamos pessoas. E também eram oportunidades para se fazer negócios”, disse. A mesma opinião foi compartilhada por Adrian Ursilli, da MSC. Para ele, o fato da feira realmente não acabar no pavilhão e os negócios e contatos continuarem nos bares, restaurantes e hotéis das cidades era o grande atrativo da Aviestur. “Vimos que a estrutura do centro de convenções de Holambra é boa. Mas a hotelaria da cidade não tem ainda capacidade para

Reunião com os expositores

um evento deste tamanho”, afirmou. Feijó, da Nascimento, no entanto, elogiou a ideia das arenas de capacitação, que funcionaram durante a manhã. Para ele, o fato das caravanas chegarem direto no local dos treinamentos fez com que a procura fosse maior. “Antes a gente competia com a feira e fazíamos apresentações para poucas pessoas”, lembrou. Para Celso Guelfi, da GTA, a mudança foi corajosa e merece ser elogiada. “O fato de trocar de local entendendo que a logística em Holambra é melhor foi muito boa

porque, na minha opinião, realmente é”, comentou. “Aqui é mais fácil para agentes de locais como Presidente Prudente e Maringá, por exemplo, chegasserem de uma forma mais fácil. A estrutura neste ano é a melhor do que qualquer uma Aviestur até hoje”, complementou. Ricardo Domingues, da Resorts Brasil e Jeferson Munhoz, do Bourbon, também gostaram da localização. Para eles, estar na região metropolitana de Campinas pode trazer mais agentes de viagens para a feira.

Junho de 2013 - 1ª quinzena

Com o Turismo focado nos segmentos de negócios, rural, lazer e grandes eventos, a Secretaria de Turismo de Campinas espera ampliar a atuação do setor – que hoje corresponde a 3% do PIB - com a inauguração do novo aeroporto, em 14 de maio de 2014. “Teremos um prédio [em construção] que abrigará toda a estrutura do novo aeroporto. No velho terminal, um estudo indicará a viabilidade de termos um centro de convenções em Campinas”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, Samuel Ribeiro Rossilho. Segundo ele, a inauguração do novo prédio que abrigará toda infraestrutura para embarques e desembarques, lojas e duty free será um grande

3

Mercado & Eventos Edição 225  

Mercado & Eventos Edição 225

Mercado & Eventos Edição 225  

Mercado & Eventos Edição 225

Advertisement