Page 10

AVIAÇÃO

Tam tem nova presidente: Claudia Sender

Junho de 2013 - 1ª quinzena

Luiz Marcos Fernandes Claudia Sender é a nova presidente da Tam Linhas Aéreas. Anteriormente ela ocupava o cargo de vice-presidente da Unidade de Negócios Doméstica Brasil. Já o presidente da holding, Marco Antonio Bologna, que acumulava o cargo desde fevereiro do ano passado, irá se concentrar na consolidação da fusão com a Lan, nas relações institucionais da empresa e do Grupo Latam no Brasil e na representação da gestão brasileira no Grupo Latam. Desta forma, Cláudia vai se dedicar integralmente às operações aéreas de passageiros no território brasileiro. Na opinião de Bologna o atual cenário brasileiro traz enormes desafios e também consideráveis oportunidades para as companhias aéreas. “Os estímulos atuais ao setor e questões como o incentivo à aviação regional, o aumento de capacidade dos aeroportos, a dinâmica concorrencial e os grandes eventos que o Brasil vai receber neste e nos próximos

Claudia Sender, presidente da Tam

anos exigem foco no dia a dia da companhia, que estará a cargo de Claudia a partir de agora”, afirma. Segundo ele os expressivos resultados da Claudia em geração de valor e foco no consumidor nas empresas onde trabalhou e, principalmente, os resultados alcançados na condução dos negócios da Tam no mercado brasileiro e sua capacidade de formar e liderar equipes a credenciam para a tarefa de atender a milhões de clientes e contribuir para universalizar ainda mais as viagens aéreas neste que é o terceiro maior mercado doméstico do mundo. A nova presidente continuará se reportando a Bologna. Quem é - A executiva está na companhia desde 15 de dezembro de 2011. Engenheira química formada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), Claudia tem MBA pela Harvard Business School e desenvolveu boa parte de sua carreira no setor de bens de consumo, atuando em marketing e planejamento estratégico. Acordo de codeshare - A Tam anunciou em meados de maio o aval da Agência Nacional

de Aviação Civil (Anac) para o acordo de compartilhamento de voos com a American Airlines. Esta era a última aprovação governamental necessária para a operação, que já recebeu aval do Departamento de Transporte dos Estados Unidos (DOT) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). No momento, as companhias estão trabalhando nos detalhes do codeshare, cuja data de implementação será divulgada oportunamente. O acordo entre a Tam e a American Airlines foi firmado em dezembro de 2012. Quando estiver implantado, permitirá que os passageiros de ambas as companhias desfrutem de benefícios como a simplificação de reserva de voos e conexões mais convenientes nas Américas do Sul e do Norte. Os clientes da Tam poderão viajar para cidades dos Estados Unidos utilizando a malha aérea da American Airlines a partir de Miami, Nova York e Orlando. Já os clientes da companhia norte-americana terão acesso a todos os destinos operados pela Tam no Brasil.

10

Air China quer mais uma frequência em São Paulo para 2014 Arthur Stabile Atualmente com duas frequências por semana partindo de São Paulo para Pequin, as quintas e domingos, a companhia aérea Air China planeja implementar novo voo na capital paulista. “Esperamos acrescentar nova opção de horário para atender a demanda na Copa do Mundo”, explicou André Carvalho, executivo de Vendas da companhia. Os números dão respaldo para a ampliação. Durante os primeiros quatro meses de 2013, entre janeiro e abril, a companhia registrou 90% na ocupação de passageiros entre os dois destinos. Este valor é 7% superior ao registrado em todo o ano de 2012. “Transportamos 19 mil passageiros com origem em São Paulo para Madrid ou Pe-

quin”, explicou Wu-Xin, gerente de Vendas da aérea. Aeronave – Integrante da Star Alliance, a Air China utiliza o modelo Airbus A330-20 na rota São Paulo Pequin, com escala em Madrid, na Espanha. Entre os serviços oferecidos aos passageiros brasileiros está sala VIP no aeroporto de Guarulhos, e pretende adicionar facilidades como locação de veículos. “Na China temos carros de transfer entre o aeroporto e hotéis para executivos. Queremos trazer isso para o Brasil”, afirmou Carvalho. Code Share – Clientes com a intenção de marcar viagens em dias sem voos da companhia podem adquirir bilhetes com as parceiras Tam e Lufthansa. “A diferença é que as escalas serão realizadas em Frankfurt, na Alemanha, ou Paris, na França”, disse André, acrescentando que as tarifas encontradas pelo code-share são as oficiais da Air China.

André Carvalho, João Luiz Alves e Débora Casagrande, da Air China

Mercado & Eventos Edição 225  

Mercado & Eventos Edição 225

Mercado & Eventos Edição 225  

Mercado & Eventos Edição 225

Advertisement