Page 23

EVENTOS

Broadway Inbound quer parceria do trade para venda antecipada de shows Natália Strucchi

motivos. “Portanto vemos a necessidade de convencimento do trade a vender os ingressos antecipadamente”. A preocupação com os mercados prioritários, com destaque para o Brasil, tem simples justificativa. Dados da US Travel revelam o crescimento do número de brasileiros nos Estados Unidos, alcançando a quarta colocação em 2011. E as previsões para 2012 são ainda mais positivas, com expectativa de crescimento superior a 10% e terceira colocação no ranking, ultrapassando a Alemanha. Em números de gastos nos EUA, os brasileiros já ocupam a terceira colocação, com US$ 9 bilhões, sendo US$5,8 mil por pessoa. Nesse quesito, à frente dos brasileiros estão apenas Reino Unido e Japão. O tempo médio de estadia dos brasileiros foi de 17 noites e o aumento das visitas em relação a 2010 foi de 25,3 %, maior médio em relação aos outros mercados, que foi de 5%.

Sheraton NY finaliza renovação e destaca importância do Brasil O Brasil está entre os mercados prioritários para o Sheraton NY. Além dos brasileiros, ingleses e alemães completam a lista. Para receber da melhor forma esses hóspedes, a ideia é se adaptar aos gostos dessas nacionalidades da melhor forma possível. “Temos como objetivo tornar a estada dos turistas a mais confortável e para isso treinamos sempre nosso staff e melhoramos os serviços”, disse a diretora de vendas da rede Starwood, Mary Beth O’Connor. O gerente geral da rede Starwood, Mark Sanders, ressaltou o importante papel do governo dos EUA para facilitar a entrada de

visitantes e flexibilizar o processo de visto. O hotel passa por uma renovação com investimento de US$ 150 milhões e que termina em maio deste ano. No projeto, que teve início no começo de 2011, uma transformação do chão ao teto, ampliando o tamanho de todos os 1.780 quartos, suítes e do Sheraton Club Lounge. Segundo o diretor de vendas e marketing do hotel, Kai Fischer, durante a primeira etapa de reforma, já finalizada, os andares foram fechados um a um para não comprometer o funcionamento do hotel. “New York continua a manter sua posição como popular destino turístico para visitantes internacionais

e recentemente emergiu como a melhor escolha para viajantes nacionais”, lembrou. Sem revelar números, eles garantiram que a ocupação média se mantém alta. O total de visitantes em Nova York em 2011 representou aumento de 3,5% em relação ao ano anterior, antecipando a sua meta de alcançar 50 milhões de visitantes até 2012. Em 2010 este movimento significou US$ 31,5 bilhões a mais na economia da cidade, enquanto em 2011 subiu para US$ 32 bilhões, com os hotéis registrando uma ocupação média de 85%.

Adél Grobler e Michaelyn Fesler, da Broadway Inbound

Mark Sanders, Mary Beth e Kai Fischer

Vejas outras notas Godspell (Circle in the Square Theatre) - O retorno inédito do musical de Stephen Schwartz, Godspell, que foi exibido pela primeira vez há 40 anos, reconta a história de Jesus e seus apóstolos por meio de um musical inspirado no rock ‘n roll. O show foi modernizado por Michael Holanda, ganhando uma roupagem funk, e conta com direção musical de Charlie Alterman. De acordo com Kristin Johnson, diretora de publicidade e marketing da Davenport Theatrical Enterprises, o show apresenta a nova geração de estrelas da Broadway. Segundo Jody Bell, diretora de vendas da Davenport, esse é um show para todas as idades. Zarkana (Radio City Music Hall) - Depois de completar o primeiro verão em NY, Zarkana retorna à Broadway entre os dias 6 de junho a 2 de setembro. “Temos acrobacias fantásticas. São 90 minutos e 81 artistas num teatro com cinco mil assentos. Além de tudo, não existe um idioma, criamos uma língua própria, portanto todas as pessoas, de diferentes nacionalidades, podem assistir sem problemas”, justifica Jacob Kimbro, diretor de vendas de NY do Cirque Du Soleil. Após a temporada em NY, o show segue para o Ária Resort, em Las Vegas, onde será permanente. Jersey Boys (August Wilson Theatre) - Ganhador do Tony Award 2006 (Oscar da Broadway), esse show pode ser assistido com auxílio de um aparelho de áudio com tradução para quatro línguas, incluindo o português. “Ele não traduz as falas ou músicas, mas explica do que se tratam as cenas seguintes”, explicou Jessica Ludwing, diretora de marketing da Dodgers. O serviço tem custo adicional entre US$ 10 e US$12. Jesus Christ Superstar (Neil Simon Theatre) - Jessica Ludwing, diretora de marketing da Dodgers, também representa esse outro musical, que reestréia na Boradway sob a direção de Des McAnuff. “Ele conta a última semana da vida de Cristo”, lembra Jessica. A trilha inclui canções como “I Don’t Know How To Love Him,” “Everything’s Alright” e “Superstar.” Chicago (Ambassador Theatre) - O musical já ganhou seis Tony Awards, dois Olivier Awards, um Grammy e elogios do público e da crítica. Essa é a produção norte-americana há mais tempo na Broadway. “Ele apresenta muita dança, já foi traduzido para varias línguas e países. Um show adulto, sexy e com humor negro”, avalia Kenneth Sperr, diretor de marketing da National Artists Company. Memphis (Shubert Theatre) - O M&E conversou ainda com dois atores de Memphis. “É um espetáculo humano, cheio de energia. Não é perfeito, mas mesmo se você não sabe a história, a música te envolve. Pessoas de 12 até 70 anos amam a nossa música. Me sinto abençoado de fazer parte desse espetáculo”, define Derek Baskin. “Música é algo universal, todo mundo pode sentir, independente do idioma. A música une as pessoas, não importando a vida que cada um leva. Memphis toca você, te inspira”, concluiu J. Bernard Calloway. The Gershwins Porgy and Bess – O show retorna à Broadway após 35 anos da primeira versão. Em cartaz há apenas três meses, tem atraído diversos turistas e deixado o teatro Richard Rodgers lotado em todas as apresentações, como garantiu Alana Karpoff, da área de imprensa do espetáculo.

Abril de 2012 - 2ª quinzena

A Broadway Inbound quer encorajar as operadoras e agências a venderem os ingressos antecipados para os shows da Broadway. Assim, o turista já sai do seu país com a garantia de que vai assistir aos shows escolhidos. “Desta forma aumentamos a oportunidade de vendas de agentes e operadores. É possível incluir os shows como parte de um roteiro, num pacote, ou vender apenas os tickets”, explicou o diretor da Broadway Inbound, Bob Hofmann. Para incentivar esse processo, foram escolhidos representantes em países prioritários, sendo o Brasil um deles, através do Brazil Experts Bureau (BEB) de Silvia Luise Hackmann e Julienne Gananian. “Além desse suporte, os profissionais podem utilizar nosso website para ajudar a vender os shows, mostrando alguns vídeos, por exemplo”, disse o diretor. As operadoras devem se

registrar no site www.broadwayinbound.com para trabalhar com os produtos. No Brasil, 25 operadoras já vedem os shows. Bob defende que a compra antecipada é também sinônimo de bons assentos, o que um turista geralmente procura quando viaja. As operadoras e agências credenciadas podem vender uma seleção com os melhores shows da Broadway, oferecidos pela Broadway Collection, empresa criada em resposta a uma grande demanda para shows da Broadway oriunda da indústria de viagens e turismo e que hoje conta com 18 musicais em seu catálogo. Em 2011, cerca de 12 milhões de pessoas assistiram aos espetáculos, superando a marca que se mantinha de 11 milhões nos anos anteriores. Apesar dos altos números, Bob recorda que ainda existe um bom percentual de turistas que saem de seus países com a ideia de assistir a um show, mas acabam não concretizando isso por diversos

Bob Hofmann, da Broadway Inbound com Kenneth Sperr, Jessica Ludwig, Kristin Johnson, Jody Bell e Jacob Kimbro, representantes dos musicais

23

Mercado & Eventos Edição 198  
Mercado & Eventos Edição 198  

Abril de 2012 - 2ª quinzena - Ano IX - Número 198Moscou - Capital da Rússia quer mais brasileiro

Advertisement