Page 1

OJORNAL AMARANTE

Diretor: Luciano Gonçalves

DE

38 anos de informação

Periodicidade Mensal | Distribuição Gratuita

quinta-feira, 12 de setembro de 2019 | Nº 1809 | Ano 38

Dupla Fontes vence Rali Terras d’Aboboreira

Créditos: @world

Messias Maricoa

//pág. 08

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios //pág. 05

//pág. 12

Amarante mais amiga do ambiente: Câmara Municipal adquire veículo de recolha de resíduos sólidos urbanos //pág. 06

Abertas candidaturas para voluntários para programa gratuito de combate à obesidade e ao sedentarismo

No âmbito do programa REVIVE: Mosteiro de Travanca em concurso público para fins turísticos

//pág. 05

//pág. 09

Câmara de Amarante adquiriu terrenos da antiga “Fábrica dos Matias"

Band´Arte: Festival de Bandas "Vive, Sente, Ama a tua cidade"

//pág. 07

//pág. 13

Pub.


02 | OPINIÃO | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Quando as recordações demoram à nossa volta Encontro da Família Carneiro

Há acontecimentos que estão indissociavelmente ligados à história da minha Família Carneiro, e tudo aquilo que as gerações passadas foram sedimentando fazem hoje parte da nossa vida, da nossa memória, e de um capital que está ligado ao nosso destino, e parece não ter dimensão. É assim dentro deste espírito que anualmente vimos promovendo um encontro da Família Carneiro, que das rotas mais variáveis, e numa direcção comum vêm até nós, desde Paris, S. Tomé Príncipe e Luanda, da nossa capital, de outros pontos do País, e também dentro dos nossos muros, todos nos reunimos, e este ano até alargamos as nossas relações, introduzo esta ressalva de alguém que nos trouxe um singelo e emotivo testemunho sobre a nossa familiar Abília Carneiro, recentemente falecida, aos 92 anos: O coronel Artur Freitas, lembrando a sua infância e convivência na Rua 31 de Janeiro, e mais tarde, no tempo da guerra colonial, o reencontro em Moçambique. E também vamos prestando o nosso tributo a outros membros familiares que nos deixaram há algum tempo, o nosso respeito e Amizade pelas suas qualidades, que se mantiveram indemnes pela vida fora. São exemplos que falamos deles com o maior respeito e nostalgia, quando relemos parte do Diário do meu bisavô António Teixeira Carneiro, um homem incontornável nesta nossa terra, a sua luta espantosa no Brasil para onde emigrou aos 14 anos, desde a cidade de Santarém, no Amazonas, até ao Rio de Janeiro, aventuras e desventuras, e quanta energia para lutar sem desistências, com determinação, pela dignidade da Família, até dar um significado às suas ideias, já aqui em Amarante, a sua paixão pelo prelo e apego às tintas, do que resultou a fundação do Flor do Tâmega, no dia 1 de Dezembro de 1886, com grande júbilo seu e do filho Pedro, meu Avô. A envergadura histórica deste acontecimento ori-

38 anos de informação

DE

OJORNAL AMARANTE

Propriedade: Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média: 3500 exemplares. director.jornaldeamarante@gmail.com

Preço de Assinatura Anual: Continente - 30,00 Euros Estrangeiro - 50,00 Euros

“Tudo vem a propósito", por Hernâni Carneiro

ginal e pioneiro, sabemo-la nós através da releitura e dos testemunhos de vários Amigos, dando conta do falecimento do meu bisavô, em 3 de Janeiro de 1926, nas páginas do Flor do Tâmega, de 10 de Janeiro de 1926. E digo sempre para mim e para toda a Família, que além de um legado, este número é como uma página do Evangelho, e assim devia ser encadernado, tantas e tão grandes são as referências expressas nas suas páginas. A história que sabemos da fundação do Flor do Tâmega, que ainda hoje nos fascina, fez sofrer o meu bisavô e o seu filho Pedro, num longo e penoso caminho, naquele sonho mais louco, de quem soube engrandecer este facto notável, indiferente a todas as dificuldades, sem grandes recursos, para quem já entendia a função inteligente das palavras. Agora que ainda mal avaliamos muitas das inquietações, de quem queria conquistar um projecto, que parecia impossível, e também uma posição para alimentar uma prole imensa, tudo foi ganho, porque não houve sacrifícios inúteis. Contenta-nos e agrada-nos a todos aqui presentes, neste jantar da Família Carneiro, pois tudo aquilo que sabemos de muitos factos, têm uma alma e uma assinatura, que admiramos hoje, assentaram na confiança, abnegação e pertinácia, que tornaram maior a sua grandeza. Estas minhas considerações levam-me agora directamente para este pedaço da noite, em que amenizamos lembranças e saudades, que alguns familiares expressaram emotivamente, de uma forma incomparável e profundo significado, o Paulo e o Jaime, irmão e filho, respectivamente, da Maria Amélia da Cruz Carneiro, minha prima, e que tratávamos carinhosamente por Mariazinha, falecida há alguns meses, a Maria José que escreveu sobre a Mãe Abília, e ainda uma colaboração muito minha e pessoal, sobre esta prima por quem todos tínhamos um carinho especial. A nossa alma, ainda hoje continua dispersa pelo mundo, mas é a fraternidade que nos reúne hoje aqui, novos e “cotas”, com ânimo redobrado, de uma geração que leva quase dois séculos de história desta terra, e que assinalamos também em letra de forma, com a publicação de um livro, impresso na Gráfica do Norte, ao qual foi dado o título “VAMOS FAZER UMA VIAGEM NO TEMPO” – Quando as recordações demoram à nossa volta- – e que teve a minha colaboração, e dos meus primos Manuel Carneiro, ( paginou, conferiu, imprimiu e encadernou), e do Jorge Carneiro. Neste livro partilhamos ainda pedaços de história do meu Avô Pe-

dro, escrita por Teixeira de Queirós, já falecido em Minas Gerais, Brasil, do pintor António Carneiro, visto por Pascoaes, do meu Tio Ernesto, e da sua veia dialéctica e gazetilheira, colaboração recolhida no livro “ Gazetilha Amarantina”, sobre o meu primo António Pedro, a sua luta contra a Barragem do Torrão, mais tarde contra a Barragem de Fridão. Todos tiveram uma vida cheia, inteira e grande. Destacamos ainda a exposição de pintura, em Fevereiro deste ano, do nosso primo Jorge Carneiro, a sua coragem de se expor à crítica, e à qual deu o título “NASCER PARA A ARTE”, através de personagens, paisagens, e retratos, onde não faltou também paixão e o erotismo, tudo simples e sem pretensões. Houve tempo para assinalar os 18 anos do meu neto Afonso, com bolo e parabéns a você. Para terminar, não posso também deixar de lembrar o papel do meu bisavô António Teixeira Carneiro na fotografia. Trabalhos que ainda hoje resistem ao tempo, nos falam de outras histórias, de espaços e personagens, que aguçam o vício do coleccionador, alguns trabalhos de muito afecto de meus familiares, outros trabalhos de eventos históricos, resumindo, aqui está muita da memória do passado Fomos ainda cúmplices da contemplação de vários quadros, das tendências, da pulsão da tinta, da vontade de criar formas, dos meus primos Jorge e Jú. A poesia também esteve presente através do livro “MOMENTO”, de Juliana Miranda, e como se lê no prefácio do Dr. José António Queirós, “ Em suma, “ MOMENTO” revela uma mulher determinada, que desnuda a alma em versos breves e intensos e que não tem receio de dizer, neste momento que para muitos é de sombra e angústia, que “ ser feliz é estar aqui”. Quando terminamos este encontro e as várias intervenções de alguns familiares, estava uma noite de lua cheia, como é difícil ver-se.

Diretor: Luciano Gonçalves (C.P. 7020) Colaboradores: Hernâni Carneiro, Rui Canossa, Vítor Briga Rei, JS Amt, JSD Amt, Júlio Moreira, Daniela Sousa Coelho, Ana Domingues, Estefânia Vasconcelos, Catarina Ribeiro Espaço de Direito: Vítor Briga Rei Parcerias: ERA FM (92.7) / Notícias do Tâmega Departamento Comercial e Secretariado: Júlia Gonçalves (255136045 / 969123545) Paginação: L. Gonçalves - Mediatâmega, Lda. Edição: ERA - Emissora Regional de Amarante, Lda. / NIF: 501837930 | Edifício Santa Luzia, S. Gonçalo, Amarante Impressão: CORAZE – Edif. Raínha, 4.º piso | 3720 Oliveira de Azeméis | Telf.: 914605117/ 910 253 116 / 914 602 969 | e-mail: comercial@coraze.com Registos: ERC - 106941 | Depósito Legal: 135757/99 Estatuto Editorial: www.erafm.pt (Nota: A opinião expressa nos artigos assinados pode não corresponder forçosamente à da direcção do jornal)

Porte Pago Avença - 4600 Amarante


04 | OPINIÃO | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Indústria 4.0 A maioria de nós já ouviu falar em indústria 4.0. ou a quarta revolução industrial, como também é conhecida. Esta revolução, uma das maiores que a humanidade assistiu na era moderna, assenta na digitalização, o casamento entre os mundos cibernéticos e o físico, orientado para o consumidor, que potencia a personalização, melhor eficiência e produtividade reduzindo os desperdícios. Esta revolução veio paulatinamente, herdando o melhor da terceira revolução, dos anos 70 do século XX, com a chegada do computador e da automatização. Para situar o leitor, a primeira revolução industrial é a da mecanização da produção, usando como tecnologias a água e a máquina a vapor, de meados do século XVIII, a segunda revolução, é a produção em massa e o uso da energia elétrica, no final do século XIX. Mas também não se preocupe muito com esta história das revoluções industriais, pois, dependendo dos autores, já vi defenderem desde uma única revolução industrial a sete ou oito! Voltando à indústria 4.0, segundo a consultora McKinsey, o elevado volume de dados gerados pelas máquinas, registados através de sensorização, é uma das circunstâncias que mais alimentam esta revolução. Com ele se conjugam o poder computacional e de conetividade e o surgimento de capacidades analíticas e de business-intelligence, que permitem digerir toda esta informação gerada e partilhada entre

equipamentos. Juntando-se as novas formas de interação homem-máquina que é possível estabelecer e as melhorias na transferência de instruções digitais para o mundo físico e temos os alicerces de uma verdadeira fábrica do futuro. Assim sendo, a indústria 4.0 trata-se de uma evolução dos sistemas de produção industrial que garante vantagens como a redução de emergia e de custos, bem como o aumento da qualidade e segurança e uma maior eficiência dos processos. No centro desta revolução está o uso em massa da internet e a consequente disponibilidade da informação em tempo real, através de plataformas digitais, os produtos, as máquinas e as pessoas encontram-se cada vez mais ligados em rede. Se o futuro aponta para aqui, então há que estabelecer uma estratégia em Portugal. Num país onde o nível de digitalização das empresas é baixo e muito baixo, cerca de 75%, do tecido nacional, o número de trabalhadores a requalificar e formar em competências digitais é de 200 mil onde se irão verificar mais de 350 programas transformadores financiados. Em relação às competências para a indústria 4.0, o que deve interessar não só às escolas, mas a toda a sociedade em geral, destacam-se dois níveis, as Hard Skills e as Soft Skills. As Hard Skills, são competências digitais em tecnologias da informação e comunicação ainda

Rui Canossa

mais específicas consoante o setor e área de atividade; manuseamento de máquinas ao nível da robótica e automação; inteligência sustentável e o conhecimento específico. Nas chamadas Soft Skills, destacam-se o pensamento crítico; inteligência social; colaboração; compreensão do mercado; competências cognitivas e flexibilidade de adaptação à mudança. A mudança é um fator de desenvolvimento. Mas para esse desenvolvimento se traduzir numa melhoria da qualidade de vida é preciso estar preparado para aceitar a mudança e transformá-la em algo positivo, quer a nível individual, quer coletivo. Abracemos a mudança, procurando cada um de nós a melhor forma de darmos o nosso contributo para um futuro melhor.

Incontinência Urinária: 90% não procura ajuda Catarina Ribeiro

Médica na Unidade de Saúde Familiar Hygeia

A incontinência urinária é definida atualmente pela International Continence Society como qualquer perda involuntária de urina. De um modo geral, a sua prevalência em mulheres com idade superior a 20 anos, não grávidas, varia entre 25 e 45%. Em Portugal, de acordo com a Associação Portuguesa de Urologia, estima-se que existam 600 mil pessoas incontinentes nos diferentes grupos etários, entre os 45 e os 65 anos de idade, sendo a proporção de casos de incontinência urinária de três mulheres para cada homem. As perdas involuntárias de urina, sendo ex-

tremamente comuns, não deixam de ser profundamente perturbadoras. Mesmo as mais pequenas perdas de urina têm implicações na qualidade de vida, atingindo o âmbito físico, social, sexual e psíquico, com sérias repercussões a nível emocional. Desta forma, embora não esteja associada a um aumento da mortalidade, a incontinência urinária apresenta um profundo impacto no bem-estar e na qualidade de vida. Apesar das perdas involuntárias de urina interferirem de forma devastadora na qualidade de vida, esta continua a ser uma patologia subdiagnosticada e subtratada. Estima-se que apenas 10% das pessoas com incontinência urinária procure ajuda médica. A vergonha, a falta de conhecimento sobre as opções de tratamento ou o medo da cirurgia podem ser apontados como responsáveis por este silêncio. Além disso, a incontinência urinária, sobretudo na mulher, é um grave problema cultural. Como a mãe e a avó também sofreram da mesma doença, assume-se a incontinência urinária como uma herança. O fator familiar expõe a ideia de que é algo natural e, por isso, deve ser encarado como um fardo. É nosso dever inverter este mito e promover

a auto estima e a autoconfiança! Hoje em dia existem diferentes tipos de tratamento para a incontinência urinária, dependendo do tipo e da sua gravidade. Na última década foram feitas importantes descobertas nesta área. Existem, inclusivamente, formas de incontinência urinária tratáveis com alterações do estilo de vida, reabilitação com fisioterapia, tratamento farmacológico ou cirurgia. A maioria destas cirurgias implicam um internamento de curta duração, sendo a vida normal retomada horas ou poucos dias após a cirurgia. O doente que apresente perdas involuntárias de urina (como por exemplo perda de urina relacionada com o esforço físico, como tosse, espirro e prática de atividade desportiva e/ou perda de urina acompanhada ou imediatamente antecedida por uma vontade súbita de urinar) deve dirigir-se ao seu médico para que este possa avaliar os sintomas e assim orientar da melhor forma a resolução deste problema que, embora não sendo uma doença que ameace a vida, revela-se bastante incómoda e angustiante pelas limitações que acarreta, tanto a nível físico como a nível emocional.


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | AMARANTE | 05

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios

Município de Amarante cria Grupos de Trabalho No âmbito da atualização do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios – PMDFCI - em vigor até 2020, foram criados, com os elementos que integram a Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Amarante - CMDF, grupos de trabalho com vista à definição de objetivos e ações essenciais no planeamento, proteção e preservação dos espaços florestais do concelho. Com a coordenação do Gabinete Técnico Florestal da autarquia, os grupos de trabalho estão divididos em cinco áreas, designadamente: Prevenção; Combate; Fiscalização, Sensibilização e Educação Ambiental, Recuperação e Reabilitação de Ecossistemas. Envolver todas as entidades com assento na CMDF, dinamizando a participação ativa de todos e responsabilizando cada um pelas ações a implementar é o principal objetivo desta ini-

ciativa. O Grupo de Combate, constituído pelo Gabinete Técnico Florestal, pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, pelas corporações de Bombeiros Voluntários de Amarante e Vila Meã e pela Associação Florestal Entre Douro e Tâmega, reuniu, recentemente, com o intuito de definir procedimentos de atuação no rescaldo de incêndios florestais, envolvendo as Juntas de Freguesia com Kit´s de primeira intervenção, Equipas de Sapadores Florestais e o Corpo Nacional de Agentes Florestais (CNAF). Foi, ainda, atualizado o diagnóstico do Concelho a integrar o Caderno I do PMDFCI, nomeadamente a sua caracterização física, climática, populacional e o histórico dos incêndios, que está já concluído, aguardando a apreciação pela CMDF, e iniciou-se a elaboração do plano de ação a executar no período de 2021-2029.

Recorde-se que o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios contém as ações necessárias à defesa da floresta incluindo, além das ações de prevenção, a previsão e a programação integrada das intervenções das diferentes entidades envolvidas perante a eventual ocorrência de incêndios.

Candidatura para apoio à destruição de ninhos de Vespa Velutina aprovada cípio de Amarante apresentou uma candidatura ao programa de “Apoio para a destruição dos ninhos de Vespa Velutina – 2019”, do Fundo Florestal Permanente e Instituto da Conservação da Natureza (ICNF), tendo a mesma sido aprovada, pelo valor máximo, de 10.000 euros (dez mil euros). Na candidatura constaram as práticas em uso no Município para destruição dos ninhos/colónias de vespa velutina (asiática) e a sua adeInserida no eixo de intervenção "funções eco- quação ao plano de ação para a vigilância e lógicas, sociais e culturais da floresta", o Muni- controlo da vespa velutina, tal como o uso da

Plataforma SOS Vespa. Foi, ainda, incluído o trabalho desenvolvido pelos serviços municipais desde 2014 até aos dias de hoje. Este apoio pretende ajudar na deteção e destruição dos ninhos e colónias de Vespa Velutina - predador de abelhas e de outros insetos que colocam em risco os recursos apícolas. A autarquia ciente da importância desta ação continuará empenhada em trabalhar com os Parceiros Locais de Proteção Civil, bem como, contará com o auxílio dos Munícipes na comunicação dos ninhos/colónias identificados/as.

Abertas candidaturas para voluntários para programa gratuito de combate à obesidade e ao sedentarismo A Casa da Juventude de Amarante, em parceria com o Município de Amarante, estão no processo de instalação de um projeto europeu, que pretende combater a obesidade e o sedentarismo das crianças e jovens. O projeto Fit for Kids, já implementado na Dinamarca e em Itália, é um projeto europeu com o objetivo de combater a obesidade e o sedentarismo das crianças e jovens de hoje em dia. Conta com acompanhamento nutricional e com atividades desportivas, totalmente gratuitas para todos os que estejam interessados em fazer parte. Todas as atividades são coordenadas por voluntários, que terão previamente uma formação. A primeira formação terá lugar já de 30 de setembro a 2 de outubro e contará com a presença de instrutores estrangeiros, já com experiência

no projeto e que já viram provas de que o programa obtém resultados bastante positivos. Para que seja possível andar com a iniciativa para a frente são precisos voluntários com interesse na área do desporto e no estilo de vida saudável. As candidaturas já se encontram abertas para os interessados em se tornarem instrutores e devem ser feitas através do website da Casa da Juventude de Amarante - http://cj-amarante.org/, entidade que podem contactar para obter mais informação. Posteriormente, as famílias interessadas em integrar o projeto, que tenham crianças e jovens em risco de obesidade, podem também inscrever-se para obter este acompanhamento gratuito. Este projeto é financiado pelo programa Erasmus+ da União Europeia.


06 | AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Amarante mais amiga do ambiente

Câmara Municipal adquire veículo de recolha de resíduos sólidos urbanos

O Município de Amarante dispõe de um novo camião de recolha de resíduos sólidos urbanos, que permitirá reforçar a capacidade de resposta na área do ambiente e melhorar o serviço das

equipas de recolha de lixo. O camião, que representa um investimento superior a 170 mil euros, pagos sem recurso a financiamento bancário, tem a capacidade de recolha superior a 15m³ de resíduos, responde às mais recentes normas de antipoluição e vai permitir reduzir custos de manutenção e de reparação, assim como continuar a dar resposta a uma área sensível e essencial como é a da higiene pública. Para além da recolha de resíduos sólidos urbanos, o novo camião já está adaptado para a recolha seletiva de resíduos orgânicos, para a recolha de resíduos verdes e ainda para a recolha porta-

-a-porta. Acresce que esta aquisição está integrada num plano de renovação da frota camarária, que prevê a médio prazo a aquisição de mais dois novos veículos de recolha de resíduos e um de lavagem de contentores. Está agora na mão de cada munícipe contribuir para o sucesso do trabalho da equipa do ambiente da Câmara Municipal, através da separação dos resíduos e da sua deposição nos locais apropriados. São os pequenos gestos de cada um de nós que fazem a diferença na promoção do ambiente que é de todos.

Município de Amarante promoveu vigilância na Serra do Marão e Meia Via No âmbito das metas definidas pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta, o Município de Amarante, há vários anos, promove ações de prevenção contra os fogos florestais na Serra do Marão e Meia Via e conta, desde o início, com a colaboração do Agrupamento de Escuteiros 448 de Amarante. Durante o período de vigilância, que decorreu entre os dias 10 e 24 de agosto, os elementos do Agrupamento 448, acantonados no Quartel do ICNF em Olo realizaram, a partir dali, dois percursos diários, não tendo sido detetados fo-

cos de incêndio. A vigilância florestal é uma atividade de grande importância pela sua função dissuasora, bem como, pelo apoio célere na deteção de focos de incêndio, permitindo encurtar a resposta para a primeira intervenção. É, ainda, importante para sensibilizar a população de forma a evitar comportamentos de risco, nomeadamente na realização de queimas e queimadas no verão. Sempre que detetem focos de incêndio os cidadãos podem dar um contributo importante, informando o 112 ou o 117.

Campanha de Vacinação antirrábica e identificação eletrónica iniciou a 2 de setembro A campanha anual de profilaxia da raiva e de de 2 de setembro a 16 de outubro. A ação decoroutras doenças, que poderão ser transmitidas re, em todas as freguesias do concelho e além pelos animais ao homem (zoonoses), decorrerá da vacinação, será também realizada a identificação eletrónica dos cães, através da colocação de microchip. Esta ação é da responsabilidade da Direção Geral de Alimentação e Veterinária da Região Norte e será realizada pela Médica Veterinária Municipal. Poderá consultar os locais, dias e horas calendarizados em www.cm-amarante.pt e na sede da respetiva Junta de Freguesia. A colocação de identificação eletrónica tem um custo de 13 euros e a vacina antirrábica tem um custo de 5 euros. Após esta campanha, a vacinação antirrábica e a identificação eletrónica podem ser realizadas às segundas-feiras, das 14h00 às 17h00, no Centro de Recolha Oficial de Animais, mais co-

nhecido por Canil/Gatil Municipal, situado no lugar de Madriane. Recorde-se que a vacinação antirrábica é obrigatória (Portaria nº 81/2002 de 24 de janeiro) para todos os canídeos com três ou mais meses de idade, de acordo com o Plano Nacional de Luta e Vigilância da Raiva e Outras Zoonoses. A identificação eletrónica é obrigatória para todos os cães nascidos após 1 de julho de 2008 (Decreto-Lei nº313/2003 de 17 de dezembro) e consiste na colocação de um microchip com um número de identificação, registado numa base de dados onde consta o contacto do proprietário, útil em caso de perda ou roubo do animal de estimação. A partir do próximo mês de outubro será, também, obrigatória a identificação eletrónica dos gatos.


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | AMARANTE | 07

Cineclube de Amarante

Et voilà! Regressamos. E para recomeço ... Quentin Tarantino. O 9º filme dele que o Cineclube de Amarante vai exibir. Os atuais 135 lugares da sala chegarão para todos? Jafar Panahi, realizador iraniano, esteve 20 anos proibido de filmar. Quando em março de 2012 exibimos OffSide, Urso de Prata em Berlim 2006, dissemos que não o perderíamos de vista. Desde a exibição desse filme mais dois foram estreados e ...deixamo-los passar. Não dá para programar tudo o que se pretende. Vamos ver o seu último filme. A cinematografia sul-coreana está presente em todos os festivais de cinema e é hoje das mais interessantes. Ainda este ano a Palma de ouro de Cannes foi para Parasitas de Bong Joon Ho que estreia em Portugal no final de setembro e que veremos em outubro ou novembro. Por agora Em Chamas de Lee Chang-Dong. E terminamos o mês com um filme vindo da Rússia (coprodução Francesa) de um realizador que se encontra em prisão domiciliária desde 2017. Para além da razão estética também é um ato solidário

(inócuo, mas solidário) programar este filme. Que seja um bom regresso. 13 - 3 Rostos Título original: 3 Faces De: Jafar Panahi Com: Behnaz Jafari, Jafar Panahi, Marziyeh Rezaei Género: Drama Classificação: M/14 Irão, 2018, Cores, 100 min. 20 - Em Chamas Título original: Beoning De: Lee Chang-Dong Com: Ah-In Yoo, Steven Yeun, Jong-Seo Jun Género: Drama, Suspense Classificação: M/14 Coreia do Sul, 2018, Cores, 148 min. 27 - Verão Título original: Leto De: Kirill Serebrennikov Com: Teo Yoo, Irina Starshenbaum, Roman Bilyk Género: Biografia Classificação: M/12 RUS/FRA, 2018, Cores, 126 min. Manuel Carvalho

Câmara de Amarante adquiriu terrenos da antiga “Fábrica dos Matias" No dia 26 de julho, no Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho, o Presidente da Câmara Municipal de Amarante, os herdeiros e ex-funcionários outorgaram as três escrituras públicas de aquisição dos edifícios e área envolvente, cerca de dois hectares, que compõem as antigas instalações das oficinas Metalomecânicas Matias Magalhães Lda. Trata-se de uma aquisição que há muito tempo é consensual no seio da comunidade Amaran-

tina, dada a centralidade da sua localização e a dimensão daquele espaço. Esta formalização, num investimento superior a 2,3 milhões de euros, representa o culminar de um processo de extrema complexidade, desde logo pelo número de intervenientes envolvidos entre herdeiros e antigos funcionários que, deste modo, viram satisfeitas as indeminizações laborais que há anos reclamavam nos tribunais. O Presidente da Câmara teve já oportunidade

de se congratular pelo encerramento de mais este dossier. Para José Luís Gaspar “este é um dia histórico para Amarante, porque se resolve um problema que se arrastava há anos. Além disso, vai permitir ao Município dar uma imagem digna a uma das principais entradas da cidade.” José Luís Gaspar referiu, ainda, que o futuro equipamento irá preservar muito do que ali existe para “perpetuar a memória do espaço onde trabalharam várias gerações de amarantinos”.


08 | AMARANTE/OPINIÃO | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Dupla Fontes vence Rali Terras d´Aboboreira Num fim-de semana emocionante, dentro e fora do asfalto das classificativas desenhadas pelo Clube Automóvel de Amarante entre Amarante, Baião e Marco de Canaveses, José Pedro Fontes e Inês Ponte venceram o Rali Terras D’Aboboreira com o Citroen C3 R5 com uma vantagem de 14,9 segundos sobre Bruno Magalhães e Hugo Magalhães em Hyundai i20 R5, após terem sido percorridas as nove provas especiais de classificação do rali. Se na sexta Bruno Magalhães saía na frente no final da primeira etapa, no sábado bem cedo se percebeu que iriam ter forte oposição à reedição da vitória obtida na Madeira. Armindo Araújo entrou a vencer na primeira especial do dia “Marco Rios de Emoção”, tendo atrás de si Miguel Barbosa, mas na seguinte “Baião Vida Natural”, Fontes voltou a vencer colocando os adversários em sentido face ás suas reais intenções neste rali. A terceira especial do dia, “Carvalho de Rei” ficou marcada pelas saídas de estrada de Armindo Araújo e Miguel Barbosa, reduzindo a luta pela vitória a Fontes e Magalhães. Araújo vê assim complicarem-se as contas do campeonato e Barbosa vê um lugar do pódio ser também mais difícil de conquistar no final da época. José Pedro Fontes e Inês Ponte não mais tiveram oposição e venceram as restantes três especiais até final do rali, reafirmando a com-

Créditos: @world

petitividade do Citroen C3 R5 em pisos de asfalto e demonstrando que Fontes está capaz de competir para vencer de forma categórica no nacional de ralis. Apesar do segundo lugar final, Bruno Magalhães soma pontos valiosos nas contas do campeonato, passando para segundo na frente de Armindo Araújo, e ficando muito perto de Ricardo Teodósio que está assim mais pressionado quando faltam dois ralis até final da época.

O Clube Automóvel de Amarante, e os municípios de Amarante, Baião e Marco de Canaveses, agradecem e destacam o comportamento exemplar do público, num fim-de-semana em que as condições meteorológicas e o alerta especial de risco em vigor, exigiam cooperação e responsabilidade a todos, o que efetivamente veio a acontecer. autonews

Acesso à informação matricial de prédios confinantes

O Canto da Justiça Por Vítor Briga Rei - Advogado

A partir do mês de outubro de 2019, os Advogados e os Solicitadores passarão a ter o direito de aceder às cadernetas prediais dos prédios que sejam contíguos aos prédios dos clientes que representem, uma vez que foi recentemente aprovada uma alteração ao Código do IMI que o vem permitir. Em março de 2018 a Autoridade Tributária

(Finanças) havia publicado uma informação vinculativa, na qual determinava que os acessos às cadernetas prediais, pelos proprietários de prédios confinantes, não estavam suportados num interesse direto e legítimo, acrescentando ainda que, em seu entendimento, a informação matricial estava protegida pelas regras do sigilo fiscal e que, por isso, não poderia ser consultada. A posição da Autoridade Tributária limitava, por exemplo, a possibilidade de exercício do direito de preferência dos proprietários dos prédios confinantes, nomeadamente dos rústicos, uma vez que dificultava – tornava, por vezes, impossível – a identificação dos proprietários dos prédios confinantes para efeitos de notificação para p exercício do direito de preferência. Para resolver o problema existente quanto a esta questão foi recentemente aprovada uma alteração ao Código do IMI, em que se determina que “os advogados e solicitadores podem, no exercício da sua profissão, ter acesso à informação constante das cadernetas prediais, sem que se lhes possa opor o regime da confidencialidade”. Ressalva-se que a possibilidade de obtenção

da informação das cadernetas prediais dos prédios contíguos, que a partir de agora será permitida, implica que os profissionais que as façam fiquem condicionados ao dever de confidencialidade relativamente à informação a que tenham acesso, bem como a necessidade de demonstrarem que a consulta tem por base um interesse efetivo e real na mesma. Tendo em conta que a negação de consulta destas informações prediais - que até agora existia por imposição da Autoridade Tributária - implicava diretamente a impossibilidade de exercício de um dever e de um direito dos proprietários (no caso, tanto a notificação para preferência como o exercício do direito de preferência pelo proprietário do prédio contíguo), julgamos que não seria necessário uma alteração legislativa para resolver esta questão mas que deveria ser suficiente o conhecimento das dificuldades que aquela informação vinculativa colocava, acrescido de um pouco de bom-senso, para que o problema pudesse - e devesse - ser resolvido pela AT e não tivesse sido necessário acrescentar, expressamente, essa possibilidade, através de uma alteração legislativa.


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | AMARANTE | 09

No âmbito do programa REVIVE

Mosteiro de Travanca em concurso público para fins turísticos Decorre até 21 de novembro o concurso público para a recuperação e transformação do Mosteiro de Travanca, com vista à sua exploração turística. O concurso é realizado no âmbito do programa REVIVE, uma iniciativa conjunta dos Ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que tem como objetivo valorizar e recuperar património sem uso, promovendo a atratividade dos destinos regionais. Em concreto, o objeto do Contrato de Concessão de Exploração que o Estado pretende celebrar em relação ao imóvel visa a realização de obras, incluindo infraestruturas, bem como posterior exploração para fins turísticos, enquanto estabelecimento hoteleiro, estabelecimento

de alojamento local, na modalidade de estabelecimento de hospedagem, ou outro projeto de vocação turística, estimando-se que possam ser construídos 60 quartos. O Contrato de Concessão, não renovável, será

feito por um prazo de 50 anos, com o pagamento de uma renda anual mínima de 51.600 euros, e incidirá sobre uma área de 4.248,96 metros quadrados, que deixa de fora a igreja Paroquial de Travanca, adjacente ao Mosteiro, bem como a antessacristia e a sacristia. O anúncio do Concurso, bem como caderno de encargos e peças do procedimento estão disponíveis em revive.turismodeportugal.pt Para mais informações sobre o programa, sobre os incentivos municipais ao investimento e também sobre a estratégia turística de Amarante, os interessados poderão contactar a InvestAmarante, através de correio eletrónico: investamarante@cm-amarante.pt ou por telefone: 914 378 870.

Rosalina, a Sonhadora – a próxima “Brava” de Amarante O Auditório da Casa do Portela acolheu uma sessão de trabalho do Projeto “ENXOVAL: Tempo e Espaço de Resistência”, promovido pela PELE e financiado pela Iniciativa PARTIS da Fundação Calouste Gulbenkian. “ENXOVAL” cruza diferentes territórios (Porto e Amarante), contextos, grupos e gerações, potenciando uma grande amplitude na recolha e exploração do património que se foca nas questões do feminino (músicas, histórias, objetos) e depois no processo de (re) interpretação e (re) significação desse mesmo espólio através da criação artística. É assim que nasce, por exemplo, a fanzine “As Bravas”. O primeiro número, “Ana, a Brava”, é ilustrado por Clara Não e conta um episódio da história de uma mulher, Ana Leite de Vila Chã do Marão / Amarante, que na sua juventude caminhava diariamente “quilómetros e quilómetros” descalça, para recolher a lenha que alimentava os fornos das padarias. Ao longo do decorrer dos 36 meses do projeto ENXOVAL, mais histórias serão recolhidas através dos grupos comunitários que participarão no projeto. A vereadora Lucinda Fonseca, com o pelouro da Coesão Social realçou a “importância deste tipo de projetos que vai ao encontro do compromisso que o Município de Amarante assume perante as questões da igualdade de género”. A próxima protagonista é “Rosalina, a sonhadora”, foi a vencedora desta sessão de trabalho onde foi possível assistir a uma dinâmica de apresentação e interação coletiva, conhecer a contextualização do projeto e ponto de situação sobre o ENXOVAL e onde foi feita a apresentação das Bravas: Histórias de Mulheres

que nos inspiram. Houve ainda tempo para a partilha coletiva sobre a ação e necessidades de cada parceiro no âmbito da Igualdade de Género e para a apresentação sobre a "Evolução histórica do movimento feminista em Portugal" por Rosa Oliveira (Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género). Além dos elementos da Associação PELE, a reunião contou com a presença da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, da Câmara Municipal do Porto, da Faculdade de Sociologia da Universidade do Porto, da Norte Vida, do CLAP e dos parceiros da Rede Social de Amarante.

Externato de Vila Meã; Centro de Emprego do Tâmega e Sousa; Centro Hospitalar Tâmega e Sousa; Associação Empresarial de Vila Meã; CPCJ de Amarante; Associação Emília Conceição Babo e Associação Empresarial de Amarante foram os parceiros da Rede Social presentes neste encontro. Quem são as nossas “Bravas”? As heroínas da vida real que nos inspiram e que queremos inscrever na nossa história, na nossa memória coletiva. Ao longo dos tempos, têm sido ocultados os relatos das mulheres que contribuíram para as conquistas históricas, políticas e civis. A sua invisibilidade reflete-se não só nos aclamados “grandes nomes que fizeram história”, mas também, por exemplo, na estatuária e na toponímia, onde a figura masculina é desde sempre predominante nas estátuas que povoam as praças e nos nomes das ruas e avenidas. Os espaços de participação das mulheres, seja na esfera pública ou privada, são mais limitados, sobretudo quando cruzados com a etnia, orientação sexual, monoparentalidade, saúde mental, pobreza… É esta invisibilidade enraizada que gostaríamos de contrariar, acrescentando às histórias que se contam sobre o Mundo, as histórias das mulheres do nosso dia-a-dia. Mulheres que nos são próximas ou até mulheres que no seu anonimato nos fazem admirá-las: negras, ciganas, brancas, novas, velhas… Todas Juntas pela desocultação das histórias, das vidas, das lutas travadas no dia-a-dia para resistir, sobreviver e construir coletivamente outras formas de (re) existirmos: Livres e Iguais, respeitando as suas diferenças.


10 | OPINIÃO | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

A maleita que assusta e entrava Subitamente, o coração dispara. A respiração acelera e torna-se difícil. Tremores invadem, sem pedir licença. A transpiração faz-se sentir em cada poro. Surge frio e calor e a sensação de cair. Náuseas e afrontamentos, dores abdominais e no peito. Medo desconcertante de perder o controlo. Crê-se estar defronte um ataque cardíaco. Um colapso nervoso. Da loucura. Da morte. A sensação de perigo iminente, que se instala abruptamente, sem quê nem para quê, ameniza em cerca de dez a vinte minutos. Segue-se cansaço imenso. Intenso. E, não raras vezes, o medo de voltar a ter medo. Estamos perante sintomas de um ataque de pânico. Só quem vivencia este tipo de episódio, que não tem hora nem local para chegar, entende o sofrimento decorrente dos sintomas que teimam atropelar-se; as palavras não sabem dizer. Não obstante, não se trata de colapsar, de insanidade ou de perder a vida, mas de ter medo das próprias reações fisiológicas/psicológicas face a determinado estímulo ou, na sua ausência, outro ataque de pânico. Por via da regra, no primeiro incidente recorre-se ao serviço de urgência geral. Lá, após diagnóstico, é comum ouvir-se: “Isto não é nada. Tem de relaxar!...”. Após um ataque de pânico, é recomendável proceder a exames médicos, a fim de se descartarem outras condições clínicas, como hipertiroidismo, prolapso da válvula mitral, hipoglicemia (...), que requerem cuidados médicos. Em bom rigor, não se conhece ao certo a origem dos ataques de pânico, mas, ao que parece, estão associados à nossa história evolutiva (a mente humana herdou medos de outrora); à sensibilidade à ansiedade (que combina predisposição genética -

vulgarmente presentes em famílias; e experiência tida na infância - amiúde relacionados com ameaças/rompimentos/perdas familiares, de relacionamento ou comunidade); e à contenção de emoções e sentimentos. Os ataques podem ser isolados ou reincidir inesperadamente. Se recorrerem e se pelo menos um deles for seguido de preocupação persistente com outros ataques; de preocupação sobre as implicações/consequências dos ataques; de mudanças significativas no comportamento relacionado com os ataques, pelo período mínimo de um mês, podemos estar na presença de quadro clínico, nomeadamente de perturbação de pânico, que integra as perturbações de ansiedade. A ansiedade, que é uma emoção secundária com a função de nos proteger, converte-se em transtorno quando intensa e prolongada no tempo, podendo assumir várias formas e feitios. As perturbações de ansiedade são devastadoras, interferindo diretamente na vida pessoal, profissional e social das pessoas. Já se imaginou, por exemplo, dedicar todo o seu tempo à procura compulsiva de sintomas físicos gerados pela ansiedade?... A perturbação de pânico, à semelhança das restantes, não deve ser descurada. Para além de tender associar-se à agorafobia (medo de locais/ situações que possam despoletar um ataque de pânico), exacerbando o sofrimento das pessoas que as desenvolvem e de quem com elas convive estreitamente, pode conduzir a outras condições clínicas. Hoje sabe-se que pessoas portadoras desta perturbação são mais propensas a ter aneurismas, derrames cerebrais, embolia pulmonar, doenças cardiovasculares, depressão, que pode levar ao

Estefânia Vasconcelos

Fundadora, Diretora Executiva de Salas a ser Psicóloga, Formadora e Facilitadora de Mindfulness

suicídio (...). Porém, há boas notícias! As perturbações de ansiedade são passíveis de tratamento. Importa, para tal, querer resolver o problema (como em quase tudo na vida); procurar ajuda de profissionais qualificados, que façam sentir segurança e conforto emocional; e assumir compromisso pessoal com a intervenção, que requer tempo (bem como todas as boas relações). De acordo com os estudos, as intervenções que demonstram mais eficácia no tratamento da perturbação de pânico e de resto todas as perturbações de ansiedade, são as que assentam nas terapias cognitivo-comportamentais, que são altamente estruturadas, procurando, essencialmente, neste particular, dotar as pessoas de mecanismos para superar a maleita que assusta e entrava.

Não aguento tanto stress! Ana Domingues

Médica Interna de Formação Específica em MGF (USF Hygeia)

O stress está presente na vida de todos, e significa coisas diferentes para cada um. O que me provoca stress a mim pode ou não provocar a mesma sensação noutra pessoa. Mas afinal, o que é o Stress? O stress consiste num desequilíbrio que resulta numa resposta fisiológica do organismo a alguma coisa que o faça sentir ameaçado, seja do ponto de vista físico ou mental. Naturalmente, perante uma situação que o cérebro entenda como ser de perigo/desconforto, de-

sencadeiam-se mecanismos de preparação do corpo para uma resposta imediata. Estas ações são, no início, positivas, uma vez que permitem que o corpo seja efetivo na realização de tarefas e resolução de problemas, estimulando a capacidade de lidar com desafios. No entanto, este stress “bom” pode exceder um limiar, tornando-se persistente e levando a situações de ansiedade e esgotamento, com efeitos no corpo e na mente, que afetam a qualidade de vida. Vejamos o exemplo: se estiver na selva e lhe aparecer um leão, desencadeia-se uma resposta do corpo que o leva a fugir do animal para se salvar (o coração bate mais rápido, procura rapidamente um local para se esconder e corre). No entanto, se após este episódio, começar a imaginar o leão em todo o lado e a sentir-se constantemente ansioso por causa disso, este passa a ser considerado um stress “mau”, com consequências negativas na sua vida. Alguns dos potenciadores de stress externo poderão ser, por exemplo, o ambiente envolvente (luzes, sons altos, calor, espaços pequenos), a interação social, alguma alteração importante no dia-a-dia (nacimento, morte, mudança de emprego ou de estado civil). Existem ainda os potenciadores de stress internos, como o estilo de vida (consumo excessivo de estimulantes, dormir pouco, excesso

de trabalho…), atitudes negativas, doenças ou os próprios traços de personalidade da pessoa. Como sei se estou “stressado”? Os sintomas do stress podem ser emocionais: agitação, incapacidade de relaxar, cansaço mental e desorientação, perda de memória e falta de concentração, preocupação e ansiedade excessiva, alterações no humor, evitar situações, uso de substâncias (tabaco, drogas) para tentar relaxar. Existem ainda sintomas físicos, nomeadamente a sensação de cansaço/fadiga, dores musculares, alterações do trânsito gastrointestinal, azia, aumento da tensão arterial e batimentos cardíacos, alterações do sono e apetite, diminuição do desejo sexual. Como posso reduzir o stress? Pode iniciar por tentar perceber o que o está a deixar ansioso e tentar resolvê-lo da melhor forma possível. A prática regular de atividade física e hábitos de vida saudáveis, estão associados à redução dos níveis de stress. Pode ainda procurar estratégias de controlo de ansiedade que se adequem aos seus gostos específicos. Mas, não se esqueça! Caso esta situação comece a tornar-se extrema e incontrolável, deve sempre procurar ajuda de profissionais de saúde.


12 | ENTREVISTA | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Messias Maricoa

Jornal de Amarante (JA) – Quem é Messias Maricoa? Messias Maricoa - É um jovem moçambicano, músico e com 25 anos de idade. JA – Um jovem de 25 anos que conquistou o seu espaço na Kizomba, não é assim? Messias Maricoa – Sim, é verdade. JA – Como aconteceu isso? Messias Maricoa – Antes já fazia parte de um grupo de música Rap, mas uma parte mais melancólica. Depois, comecei a ganhar gosto pela Kizomba, de músicas que vinha ouvindo e comecei a apostar mais a sério nesse género musical. As primeiras músicas não tiveram muito impacto no público, mas com empenho, a ajuda de algumas pessoas e um estúdio profissional, foi um desafio e dei o máximo de mim. Em 2015, acertamos a primeira música. Foi um sucesso e depois foi seguir daí para a frente. JA – Como surgiu o “Nhanhado”? Messias Maricoa – Eu estava a pensar se iria receber um convite para gravar num estúdio em condições e na minha cabeça pensava qual a música que poderia entrar no ouvido do público e, então pensei, em fazer uma música que tivesse uma palavra que um dia pudesse explicar o que é, uma música que as pessoas procurassem saber qual o significado da palavra-chave. E foi assim que aconteceu. JA – Como é que um jovem sai de Moçambique e vem para a Europa? Como fazes a ponte entre Moçambique e Portugal?

Messias Maricoa é um nome em destaque no mundo música. O músico não apresenta um sucesso, mas sim vários temas, todos eles com milhões de visualizações no youtube. Os seus temas são presença assídua nos clubes nacionais e internacionais onde a Kizomba se afirma com estilo “quente” e viciante. Messias Maricoa nasceu em Moçambique na província de Nampula situada no Norte do país. Oriundo de uma família com talento para a música e acompanhado da irmã mais velha, vai pela primeira vez a um estúdio musical em 2012 e, segundo o músico, este foi o primeiro grande passo para definir o futuro. O seu primeiro tema Imane, a preferida da mãe, alcançou um discreto sucesso, mas o melhor ainda estava a caminho com o lançamento dos temas: Nhanhado, Madola e Sou teu, onde o seu sonho começa a ganhar forma com a música a espalhar-se pela Europa, em especial em Portugal, tornando-se assídua nas pistas de dança, nos festivais de Kizomba e na playlist dos fãs do género musical. Messias Maricoa foi a grande revelação de 2016 na Europa e em Afríca, o grande consumidor de Kizomba e o palco para muitos artistas crescerem e chegarem mais longe. As letras são românticas, é comum a permanência de palavras da gíria moçambicana, a receita é antiga remetendo aos grandes músicos do passado próximo onde a letra nasce primeiro que o instrumental. Messias não segue a tendência recente onde o instrumental surge primeiro e depois as rimas, aqui o processo é contraditório. Após escrever, o músico vai ao estúdio e, em conjunto com o produtor musical, encontram a melodia perfeita para dar vida a mais um tema. Messias Maricoa é um músico dentro do fenómeno emergente em grande escala, a Kizomba, considerando que o meio competitivo não fecha a porta a outras viagens na sua sonoridade, num futuro. Acredita que o estilo não é moda, veio para ficar e ainda está a conquistar muitos países onde não se fala português, mas o ritmo conquista, como os países de leste. O moçambicano conheceu o sucesso em 2015, com a agência World Music Management e seu respectivo manager, Ricardo Ferreira, com a agenda sempre cheia, o carinho dos portugueses nos shows é a resposta a qualquer dúvida que o musico poderia ter sobre a escolha para o seu futuro. Entretanto, tem ganho vários prémios a nível mundial e nomeado para outros tantos. É assim um dos artistas moçambicanos mais adorados e mais conhecido a nível Mundial. Tendo atingido vários marcos históricos, com mais de 120 milhões de visitas em todas suas músicas a nível mundial.

Messias Maricoa – Lá já era artista e temos o Canal Kizomba, conhecido mundialmente, que ajuda muito a promover o nosso trabalho. Esse canal é muito visto na Europa, então assim comecei a receber convites e acabei por ficar por cá. JA – O tema “Nhanhado” é um sucesso. Tens mais algum tema para lhe suceder? Messias Maricoa – Oiço as pessoas dizerem que esse tema é muito diferente do resto que faço. Acredito que essa música tem uma chave diferente, as pessoas procuravam o significado dessa palavra, então é uma música própria e diferente. Mas vou fazendo outras e cada uma é diferente não saindo desse registo. Nas músicas novas não vou fugir da Kizomba. Vou fazer sempre melhor. Não posso dizer se as músicas serão melhores ou não, mas vou tentar que sejam sempre mais diferentes, sem fugir do registo, mas também experimentar outros estilos diferentes, com parcerias novas de outros grandes artistas com quem tenho interesse em trabalhar. Acho que o povo espera isso. JA – E nessas parcerias que acabas de referir, como é a fusão da Kizomba com a música, por exemplo, da dupla Fabinho & Rodolfo? Messias Maricoa – Será uma mistura e acho que pode pegar. Eu venho com o meu registo e eles com o deles. Ambas as partes têm interesse em fazer isso acontecer e fizemos o ensaio. A coisa vai acontecer e o povo vai gostar. Vai ser um mix que não esperavam. Vai ser uma bomba. JA – Em termos de espetáculo, preocupas-te com a imagem. O que podemos esperar em pal-

co? Messias Maricoa – Para quem já assistiu ao meu show, vê que é mexido, cheio de energia e boa música, e será sempre mais uma coisa diferente. Tento sempre uma coisa mais para surpreender. Não gosto de fazer igual e acrescento mais algum ingrediente. Será, por isso, surpresa e o Messias Maricoa a surpreender, não vou aqui explicar o espetáculo. JA – Onde te vês daqui a 5 anos? Messias Maricoa – Vejo-me a fazer grandes concertos, esse é o meu sonho, o meu foco, ou melhor, o nosso foco, a equipa está comigo e a fazer tudo para isso acontecer. Quero estar em grandes palcos e contar com o público e eles dizerem, antes estávamos ali e agora estamos aqui. Vou contar com o apoio do público que me tem acompanhado para isso acontecer. Quero ser um artista com muito peso. JA – Qual a mensagem que queres deixar? Messias Maricoa – Agradecer-lhes pelo carinho que têm sempre por mim. Motivam-me para criar músicas novas. E quero dizer-lhes que haverá muitas surpresas, que fiquem à espera porque será muita coisa boa. JA - Agradecemos a tua disponibilidade e carinho. A Festa do Emigrante da ERA FM ficou mais rica com a tua presença e a tua música. Continuaremos a acompanhar a tua carreira e a divulgar os teus trabalhos. Desejamos-te as maiores felicidades e continuação de muitos sucessos a nível pessoal e profissional.


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | AMARANTE | 13

Band’Arte: “Vive, Sente, Ama a tua cidade” O Band’Arte – Festival de Bandas do Município de Amarante realizou-se de 2 a 7 de setembro. Esta edição foi realizada em parceria com a Gatilho - Associação para o Desenvolvimento Artístico Cultural Local. “Vive, Sente, Ama a tua cidade” é o slogan desta iniciativa que pretende privilegiar os novos talentos do concelho. De 2 a 7 de setembro, os talentos amarantinos animaram locais estratégicos da cidade, sendo que das três atuações, duas decorreram em estabelecimentos comerciais e a terceira ao ar livre.

O Band’Arte integra uma mostra de projetos musicais desenvolvidos por intérpretes individuais, bandas ou DJ’s, residentes e/ou naturais do concelho de Amarante, com a idade mínima de 16 anos. Fomentar a cultura musical no seio da comunidade amarantina, promovendo, simultaneamente, o trabalho desenvolvido pelos artistas do concelho, bem como, impulsionar o espírito de competitividade, o convívio e a partilha de experiências, são os objetivos deste projeto.

Município apresentou App “Amarante Tourism” Respondendo à dinâmica e crescente procura turística verificada, Amarante tem já disponível para turistas (e residentes) a App “Amarante Tourism”, um guia turístico para smartphones com sistemas operativos Android e IOS, e cujo download pode ser feito, gratuitamente. Funcionando com base em tecnologia bluetooth, a aplicação interage com beacons, peque-

nos emissores de sinal detetável que comunicam com os smartphones dos utilizadores, fornecendo informação de natureza turística (e outra de interesse geral). Assim, a “Amarante Tourism” permite o acesso a notícias, a informação sobre eventos, pontos de interesse, percursos turísticos e rotas, conteúdos que podem ser consultados off-line, com o res-

petivo descarregamento, de forma automática, quando existir ligação à Internet. Os pontos de interesse podem ser explorados através de mapa, ou com recurso a realidade aumentada, com o uso da câmara do dispositivo do utilizador. A App “Amarante Tourism” pode ser descarregada através do seguinte link: http://www.amarante.smiity.com/.

Operação “Proteção Máxima, Risco Mínimo”

Até ao dia 15 de setembro, a Guarda Nacional Republicana (GNR), em todo o Território Nacional, realiza uma operação de fiscalização intensiva do uso dos dispositivos de segurança, nomeadamente, do cinto de segurança, dos sistemas de retenção para crianças (SRC) e do capacete, com o objetivo de promover comportamentos mais seguros por parte dos condutores e ocupantes dos veículos, e diminuir a gravidade

das consequências dos acidentes de viação. A GNR relembra que cinto de segurança e o sistema de retenção para crianças (SRC) são dispositivos de segurança passiva de um veículo automóvel, que têm por finalidade impedir a projeção dos ocupantes, minimizando a gravidade dos ferimentos, em caso de acidente de viação. Por sua vez, o capacete constitui, para os condutores de veículos de 2 rodas, o principal dispositivo de segurança passiva, que tem por função absorver parte da energia do impacto e cujo uso se estima ser responsável por evitar 50% das mortes em resultado de acidente de viação. No ano 2018, a GNR detetou cerca de 19 mil condutores que não faziam o uso do cinto de segurança, ou estavam a utilizá-lo incorretamente, 1 446 por não utilização do sistema de retenção para crianças, e 936 não utilizavam o capacete, ou utilizavam-no incorretamente, durante a condução de motociclos e ciclomoto-

res. Este ano, até ao dia 31 de agosto, a GNR já tinha detetado quase 16 mil condutores que não faziam o uso do cinto de segurança ou não utilizavam o sistema de retenção para crianças, bem como 638 condutores de motociclos ou de ciclomotores que não utilizavam o capacete. Além destes, foram ainda detidos 739 condutores por não terem habilitação legal para conduzir este tipo de veículos. Em todo o período da operação, a GNR, através dos militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, irá alertar os condutores para a importância da utilização dos dispositivos de segurança passiva, especialmente para os condutores de veículos de duas rodas a motor, os quais constituem um grupo de risco pelo facto das consequências dos acidentes serem normalmente graves, tendo em conta a menor capacidade de proteção em caso de colisão ou despiste. Pub.


14 | OPINIÃO | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Votar PPD/PSD, Um Imperativo Nacional Carlos Alberto Miranda

Presidente da JSD Amarante e Candidato a Deputado à Assembleia da República

Nas eleições legislativas do dia 6 de Outubro joga-se muito do futuro de Portugal, pelo que, é obrigação de todos os portugueses, nomeadamente, de quem nos representa na oposição e no governo do país, assumir, sem subterfúgios, as propostas políticas que defendem, colocando o superior interesse do povo português acima de tricas partidárias. Nos últimos 4 anos, o governo não executou as reformas estruturais que são imprescindíveis para aumentar a competitividade da economia portuguesa, tendo-se limitado a aproveitar a conjuntura económica internacional altamente favorável, que dificilmente se repetirá nos próximos anos e, a apregoar um discurso oficial de pura propaganda que nos diz que a austeridade acabou. Assim, o balanço da governação da geringonça é medíocre, sintetizando-se no aumento brutal da carga fiscal sobre cidadãos e empresas e em cortar duramente na qualidade dos serviços públicos - saúde, proteção civil e transportes.

Perante estes factos concretos e indesmentíveis, é o momento dos portugueses deixarem claro nas urnas se querem mais 4 anos de letargia e marasmo ou se querem uma alternativa reformista para Portugal que crie melhores condições de vida para todos. Neste contexto, sou candidato a deputado à Assembleia da República pelo PPD/PSD no círculo eleitoral do Porto, defendendo um programa político que está em consonância com a matriz personalista e interclassista do partido, que coloca a dignidade da pessoa humana no centro da ação política. Propomos uma redução substancial da carga fiscal sobre cidadãos e empresas, pois entendemos que o Estado não pode continuar a sufocar os contribuintes com impostos tão elevados. A redução de impostos incentiva o trabalho, o investimento privado, o investimento estrangeiro e a criação de empregos, aumentando o potencial de crescimento da nossa economia e, consequentemente, gerando bem-estar social e a melhoria das condições de vida dos portugueses. A esta proposta fiscal, reagem os arautos do socialismo situacionista com a impossibilidade de baixar impostos devido a uma eventual crise futura. No entanto, essa eventual crise que os impede de baixar impostos, não os impediu de reduzir o horário de trabalho da função pública das 40 para as 35 horas, de aumentar a função pública, de aumentar a despesa fixa do estado e de fazer proliferar os jobs for the boys no aparelho de estado. Na verdade, a esquerda não quer baixar impostos, porque desconfia da iniciativa privada e considera que os problemas do país se resolvem com uma maior intervenção estatal e, como tal, os contribuintes têm de continuar a pagar a

conta do socialismo vigente, consubstanciado nas inúmeras clientelas dos burocratas governamentais. A este respeito, cumpre referir que o argumento do voto útil no PS para evitar a entrada da extrema-esquerda no governo é pernicioso, pois no limite a concentração de votos no PS aumenta a votação global da esquerda e abre caminho a uma maioria de 2/3 da esquerda na Assembleia da República para uma eventual revisão constitucional. Portanto, quem tem receio de uma maioria de esquerda, deve votar no PPD/PSD para garantir que o espectro político-ideológico de centro-direita consegue o maior número de deputados, pois como sabemos, pelo método de hondt, a dispersão de votos pelas várias formações políticas do bloco político de direita, favorece o PS em detrimento do PPD/PSD. Nestas eleições, os dois candidatos à chefia do governo têm perfis claramente antagónicos, pois Rui Rio assume-se como um verdadeiro estadista que pensa nas próximas gerações, por contraponto a António Costa que só pensa em ganhar eleições e perpetuar-se no poder. Ninguém pode esquecer-se que António Costa perdeu as eleições para Passos Coelho e, para chegar ao poder associou-se a partidos radicais de extrema-esquerda de matriz marxista-leninista e trotskista. Nesta campanha eleitoral, quero falar do que realmente interessa ao povo português, que é defender as políticas imprescindíveis para que com trabalho, esforço e mérito, seja mesmo possível ascender na escala social, viver melhor e deixar algo aos filhos. Vamos lutar por isso, por uma vitória do PPD/ PSD, que coloque Portugal no rumo da prosperidade!

“Rentreé” política Rui Vilares

Juventude Socialista de Amarante

Chegando o mês de agosto ao fim, o mês tradicionalmente marcado pelas férias, é altura da conhecida “rentreé” política. Em vésperas de eleições regionais na Madeira e a pouco mais de um mês das legislativas, os partidos regressam em força das férias e ganham palco polí-

tico para a campanha eleitoral. Os temas que vão constar na agenda variam consoante a cor partidária, mas a intenção do PS é clara: fazer ainda mais e melhor. O ano 2019 foi desde sempre antecipado como um ano difícil do ponto de vista eleitoral. Sabíamos, à priori, que teríamos pela frente as eleições europeias, as eleições regionais na Madeira e as eleições legislativas. As eleições europeias trouxeram uma grande vitória ao PS, mas ainda faltam mais dois importantes combates eleitorais. A Madeira foi escolhida para a “rentreé” política do PS para dar um sinal de força, pois há a possibilidade de o PS, pela primeira vez, poder vir a ganhar aquelas eleições. Mas esta “rentreé” também vai servir como ‘pontapé de saída’ para as legislativas, de forma a que os portugueses voltem a confiar em António Costa e no PS. Com uma oposição claramente desnortea-

da, apresentando outdoors com slogans vagos, apresentando argumentos falaciosos e apresentando candidatos jovens como cabeças de lista na tentativa de mediatizar o debate. O sentido de responsabilidade do PS tem que ser ainda maior. O foco do PS tem que ser o mesmo de sempre: as famílias, as pessoas mais desfavorecidas, as desigualdades e a justiça social. Juntos continuaremos a contruir uma sociadade com mais Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Estou certo que não devemos entrar em excessos de confiança, mas o trabalho ao longo dos últimos anos deixa-nos otimistas. O PS merece a confiança dos portugueses nas próximas eleições legislativas. Tudo faremos para que esta seja uma campanha mobilizadora, onde se discuta o futuro do país e onde todos possam ser ouvidos. Vamos debater os problemas estruturantes de Portugal e vamos traçar o caminho que nos levará a uma vitória inequívoca no dia 6 de outubro de 2019. À luta, camaradas!


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | REGIÃO | 15

CHTS assina Compromisso para a Humanização Hospitalar Iniciativa decorreu em Gaia e envolveu as 52 unidades do SNS

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) assinou, juntamente com outras unidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o Compromisso para a Humanização Hospitalar, numa sessão com a Ministra da Saúde, Marta Temido, que se realizou a 4 de setembro, no Centro de reabilitação do Norte - Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho. Este compromisso enuncia bases e aponta medidas destinadas a estimular, avaliar e consolidar práticas e relações interpessoais humanizadas em ambiente hospitalar e cada hospital vai apresentar um plano, ajustado às necessidades, com medidas de humanização para profissionais e utentes. Na abertura da sessão “Compromisso para a humanização Hospitalar - Por um SNS mais humanizado”, Marta Temido vincou: "temos o dever de nos desassossegar e de não nos conformarmos porque o trabalho que temos de fazer de modernização do SNS não se compadece com um conformismo. Por isso, saibamos todos não nos conformar com aquilo que não corre bem, sobretudo com aquilo que podemos fazer melhor. O CHTS, no âmbito do projeto Humanizar+ apresentado em fevereiro deste ano, tem já implementadas várias medidas que visam a humanização e promovem a melhoria assistencial,

envolvendo profissionais, doentes, familiares e cuidadores informais. “Há já um plano em curso para desenvolver este caminho de reposta à vasta população do Tâmega e Sousa que temos para tratar, mais de 5% da população portuguesa - 520.000 pessoas - em 12 Concelhos de 4 Distritos, e onde nada pode ser tabu nas abordagens e discussões sobre este tema. Desde a hotelaria aos afetos, das pinturas ao amor dos gestos, é fundamental o empenho de todos para o cuidado do cuidar”, referiu Carlos Alberto, presidente do Conselho de Administração do CHTS, acerca do compromisso assinado. Além dos representantes das várias unidades de saúde do país, estiveram presentes Raquel Duarte, Secretária de Estado da Saúde, Graça Freitas, Diretora-Geral da Saúde, e Fernando Regateiro, Coordenador Nacional para a Reforma Cuidados de Saúde Hospitalares. No próximo dia 20 de setembro, o CHTS organiza o Humanize Healthcare, um seminário dedicado à humanização nos cuidados de saúde, onde vão ser apresentados os vários projetos já implementados e a implementar que incluem, por exemplo, o acolhimento através de uma abordagem terapêutica e relacional para integrar os pais nas rotinas e cuidados às crianças na Pediatria;

CHTS vai assinalar Dia Mundial do Alzheimer com rastreios e caminhada em Amarante O Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) assinala, a 21 de setembro, o Dia Mundial da Doença de Alzheimer com rastreios e caminhada em Amarante. Durante a manhã, em frente à Câmara Municipal de Amarante, vão ser realizados rastreios cognitivos com avaliações psicológicas e, também, sensibilização para estilos de vida saudável. Às 15h, junto ao Mercado Municipal de Amarante, vai ser dado início à II Caminhada pela demência que irá percorrer 3,9 km pelas ruas da cidade. A iniciativa é gratuita e aberta a toda a comunidade. No final, haverá ainda um lanche convívio. As inscrições podem ser realizadas através do email sfap@chts.min-saude.pt.

continuar a desenvolver, na Neonatologia, o Crescer com Afetos; criação de um balcão único de apoio e informação ao utente sobre os procedimentos e dinâmicas hospitalares; ciclos de conferências; formação no âmbito da Humanização a todos os grupos profissionais; realização de sessões de relaxamento para profissionais e outras atividades de ajuda na gestão do stress; lançamento da campanha Psiuu: o silêncio é parte do tratamento, entre outras iniciativas. A iniciativa realiza-se no Centro Pastoral de Amarante, onde vai estar também Raquel Duarte, Secretária de Estado da Saúde, e vão ser divulgados, inseridos no projeto de Humanização do CHTS, o livro “Humanizar +” e os vencedores do concurso de ideias e concurso de fotografias.

Curso “TIMP” em outubro no Hospital Padre Américo Os Serviços de Pediatria e Medicina Física e Reabilitação do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) organizam, a 14 e 15 de outubro de 2019, o curso “The Test of Infant Motor Performance” – The TIMP que, dirigido a profissionais de saúde, terá lugar no Hospital Padre Américo, em Penafiel. O curso vai ser ministrado por Gay L. Girolami, uma das responsáveis pelo desenvolvimento do TIMP, um instrumento de avaliação utilizado em várias unidades de neonatologia a nível mundial. A participação no curso está limitada a apenas 49

inscrições e tem um custo associado de 200 euros. O que é o TIMP? O TIMP é um teste de postura e movimento realizado em recém-nascidos e lactentes até aos 4 meses pós-termo, utilizado mundialmente por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e outros profissionais de saúde em unidades de neonatologia para avaliar e intervir ao nível do desenvolvimento motor nestas crianças. Este teste avalia o controlo postural e seletivo do movimento necessário para o desempenho motor funcional na primeira infância.


16 | OPINIÃO | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Um alimento (verdadeiramente) biológico! Daniela Sousa Coelho

Médica Interna de Formação Específica em Medicina Geral e Familiar

Para os adeptos de alimentos biológicos, talvez haja uma boa notícia: para encontrarmos o que é (verdadeiramente) biológico, nem sempre temos de madrugar para ir ao mercado. Numa Era em que se discutem os padrões alimentares, se se deve ou não consumir leite, se é saudável ingerir glúten, se questiona quais são os alimentos mais completos,… importa, como em tudo, começar pelo princípio. E o princípio (da alimentação) começa no princípio da vida. Assim, colocando de parte as questões dietéticas na vida adulta, é importante reforçar a importância do primeiro alimento com o qual cada um dos recém-nascidos contacta, ou pelo menos deveria contactar - pois bem, analisemos então o leite materno (LM) e as suas propriedades. De 1 a 7 de agosto celebrou-se a Semana Mundial da Amamentação. Importa esclarecer que apesar dos potenciais benefícios do LM que, de seguida, vão ser apresentados, existem exceções médicas em que a mulher não produz leite, não pretende amamentar ou não é aconselhado que a criança ingira o leite materno. Nessas situações existem al-

ternativas boas e seguras e as famílias não devem ficar angustiadas com a questão, procurando junto dos médico e enfermeiro assistentes apoio e esclarecimento de dúvidas. Para além disso, mesmo nas situações em que não existe nenhum motivo médico para não amamentar, a mulher é livre de querer ou não amamentar pelo que será respeitada na sua decisão. A amamentação tem benefícios, mas é importante que seja também algo prazeroso para a mulher. O LM varia a sua composição ao longo da mamada bem como ao longo do dia, adaptando-se à saciedade da criança.1 A alimentação com LM está associada a menor risco de algumas infeções, menor risco de défices de atenção, de perturbações do comportamento e mesmo de algumas mortes. O aleitamento materno (AM) pode ainda ter um papel protetor contra algumas das ditas epidemias deste século (obesidade, hipertensão arterial, dislipidemia e diabetes tipo 2).2 Na realidade, o AM apresenta benefícios quer para a criança2 quer para a mulher2 sendo que, muitos deles, são mesmo notados pela recém-mamã,3 como a mais rápida recuperação da forma física prévia à gravidez. Para além disso, o facto da mulher amamentar, está associado a menor risco de vir a desenvolver hipertensão arterial, enfarte agudo do miocárdio e até cancro da mama. Para além dos benefícios em saúde física, a amamentação contribui, fortemente, para a criação de vínculo entre mãe e filho.4 Finalmente, ao contrário do leite de fórmula, o leite materno está sempre pronto e à temperatura adequada, para além de ser um alimento económico e promotor de um desenvolvimento sustentável com vantagens até do ponto de vista ecológico5 uma vez que é potencialmente dos alimentos com menor custo. Do ponto de vista alimentar, realmente muitas

pessoas têm vindo a afastar da sua dieta os alimentos ditos instantâneos, substituindo-os por alimentos frescos e biológicos (que no caso dos bebés será o leite materno). Poderá discutir com os profissionais assistentes a duração ideal para o aleitamento materno exclusivo, contudo esta questão não exclui que o leite materno seja importante enquanto primeiro alimento e parte fundamental da alimentação nos primeiros meses de vida de um bebé. Mais uma vez, e a terminar, ao reforçar os benefícios do aleitamento materno, este texto não pretende explorar ou ignorar as exceções clinicamente relevantes e em que por determinada situação se decide pela não alimentação da criança com leite materno. Pelo contrário, pretende reforçar a regra, ou aquela que todos gostaríamos que fosse a regra, em prol de um crescimento e uma saúde excecionais. Referências Bibliográficas: 1 Associação Portuguesa de Nutricionistas, E-Book Aleitamento Materno: Promover Saúde! 2010. ISBN: 978-989-96506-3-3 2 Brahm,P., Valdés, V., Benefits of breastfeding and risks associated with not breastfeeding. Rev Chil Pediatr, 2017. 88 (1): 15-21 3 Schalla, S.C., et al, Body shape and weight loss as motivators for breastfeeding initiation and continuation. International Journal of Environment Research and Public Health, 2017. 14 (7), 754 4 Louzada, V. B., Amamentação como um ato psicossocial. Monografia, 2008. Disponível em http://www.aleitamento.com/amamentacao/ conteudo.asp?cod=239, acedido a 02/02/2018 5 Vural, F., Vural, B., The effect of prenatal and postnatal education on exclusive breastfeeding rates. Minerva Pediatr, 2017. 69 (1): 2229.

Crónicas de um triste sempre alegre Júlio Moreira

NA FORMAÇÃO DE POLÍTICOS", onde só zes, mesmo se os motivos não sejam muitos. entrariam os melhores, como acontece na medi- ABRAÇO. cina. No final do curso, tinham obrigatoriamente de fazerem um estágio de pelo menos dois anos nos países nórdicos. A continuarmos assim com esta escumalha, que quando não conseguem formarem-se vão para políticos, cada vez nos enterraremos mais. É verdade que os partidos estão viciados, mas têm as portas abertas, o que permitiria que uma nova classe, com outros princípios, e com conhecimentos adquiridos nos países mais avançados, nos permitisse a longo prazo uma nova "AI PORTUGAL, PORTUGAL" caminhan- classe de políticos, capazes de tornarem Portudo desta maneira, vais acabar muito mal... gal num País exemplar e com gentes mais resPara não cairmos numa ditadura, só vejo ponsáveis e menos oportunistas. Se gostaram mesmo uma maneira, que já aqui tenho trazi- partilhem a bem de um Portugal melhor. do..."UMA DISCIPLINA ESPECIALIZADA Tenham uma boa semana, e sejam feli-


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | REGIÃO | 17

CIM do Tâmega e Sousa promoveu Business Sunset dedicado à metalomecânica

O cluster da metalomecânica e os seus caminhos de futuro foi o tema de conversa do “TâmegaSousa Business Sunset”, que se realizou no dia 4 de setembro no Hostel des Arts, em Amarante. A metalomecânica é um dos sete setores empresariais estratégicos do Tâmega e Sousa, e um dos principais motores da economia nacional, quer em volume de negócios, quer em exportações, mas sobretudo pelo seu valor acrescentado bruto. Em 2018, por exemplo, alcançou-se o melhor ano de sempre do setor, muito ancorado em mercados como o alemão, o francês ou o espanhol, e fornecendo setores tão distintos como o automóvel, o ferroviário, o aeroespacial ou a indústria química.

No Tâmega e Sousa o setor da metalomecânica está representado por diversas empresas de relevo, por um polo de formação e de valorização profissional – o Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (CENFIM) – e por muito conhecimento técnico instalado associado às centenas de pessoas que nele trabalham. Sendo um setor de alto relevo socioeconómico, e tendo igualmente um enorme potencial de desenvolvimento, importa debater alguns dos desafios que o mesmo enfrenta, no sentido de o tornar ainda mais sustentável e relevante para a região. Nesta conversa informal contamos com três perspetivas fundamentais do tema: a empresarial, pela administradora da AMC – Alexandrino Matias & Cª SA, Alexandra Matias; a associativa, pela diretora-geral da AIMMAP – Associação dos Industriais Metalúrgicos e Metalomecânicos e Afins de Portugal, Mafalda Gramaxo; e a formativa, pelo diretor do Núcleo de Amarante do CENFIM, José Silveira. O ciclo “TâmegaSousa Business Sunset” decorrerá ao longo dos próximos meses, em es-

paços informais situados no Tâmega e Sousa, e privilegiará, à semelhança dos anteriores, a reflexão e o debate de temáticas relacionadas com a gestão de micro, pequenas e médias empresas, a troca de ideias e experiências, a apresentação de boas práticas, a partilha de contactos e o estabelecimento de redes de cooperação e networking entre empresários da região e outros de referência nacional, importantes na alavancagem de novas ideias e projetos de negócio. O ciclo “TâmegaSousa Business Sunset” surge no alinhamento de um conjunto de ações que tem vindo a ser desenvolvido com e para os empresários e empreendedores desta região, no âmbito da Rede de Apoio à Atividade Económica do Tâmega e Sousa, sendo promovido pela CIM do Tâmega e Sousa e pela Qualidade de Basto – Empresa para o Desenvolvimento do Tecido Económico Local, em parceria com a ESTG – P.Porto, o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Esta iniciativa é cofinanciada pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Município de Celorico de Basto atribui as fichas escolares ao 1º ciclo Investimento na educação nunca é demais

Vales podem ser levantados nos serviços Sociais da Câmara Municipal Tal como tem vindo a suceder em anos transatos, o Município de Celorico de Basto mantém o apoio a todos os alunos do 1º ciclo do ensino básico com a oferta das fichas escolares obrigatórias. Um investimento superior a 20 000 euros para cerca de 517 alunos. “Este é um investimento necessário, um investimento nas nossas crianças, no futuro. Um investimento que vai ajudar os pais e encarregados de educação nos seus orçamentos familiares, neste arranque de ano letivo, com a compra do material escolar, uma despesa muitas vezes, difícil de suportar” disse Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. O autarca observa também que esta é uma medida simples, mas que procura ajudar a colmatar algumas lacunas que ainda existem no sistema educativo. “O sistema educativo ainda apresenta algumas brechas que precisam ser colmatadas, lacunas que, em muitas situações, afastam os alunos das escolas ou desenvolvem complexos de inferioridade ou exclusão que não levam a resultados positivos. A carência económica ainda é uma dessas situações e isso, não podemos permitir. Temos que agir, que tra-

balhar por um sistema educativo equitativo com igualdade de oportunidades. Todas as crianças devem ter acesso à educação, à inquietante busca de saber, para que sejam adultos preparados para uma sociedade cada vez mais exigente em todos os campos do saber e do fazer”. Este apoio é destinado a 517 crianças que irão frequentar o 1º ciclo do ensino básico no ano

letivo 2019/2020, no Agrupamento de Escolas de Celorico de Basto. O acesso a este apoio é feito mediante o levantamento de um vale nos serviços sociais da Câmara Municipal de Celorico de Basto, pelo encarregado de educação, e que será trocado pelas fichas escolares, numa qualquer livraria do concelho. A medida entrou em vigor a 2 de setembro.


18 | DIVERSOS | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

EDITAL N.º 31/2019 DRª. ANA RITA BROCHADO MARINHO BASTOS BATISTA, VEREADORA DO URBANISMO DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, na sua atual redação e do disposto no nº 5 do artigo 12º do Código Regulamentar do Município de Amarante, publicado na II Série do Diário da República em 04 de agosto de 2010, que se encontra na fase de consulta pública e audiência aos interessados, o pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará nº17/91, em nome e a requerimento de André Filipe Monteiro Teixeira, na qualidade de proprietário do lote nº 13, residente na Rua do Calvário, da União das Freguesia de Freixo de Cima e de Baixo, NIF 255904550, para o prédio urbano, sito no lugar de Reguengo da Capela, freguesia de Telões, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 1315 e descrito na Conservatória do Registo Predial na ficha 1387/19911223. O período de consulta pública é de quinze dias e inicia-se oito dias após a publicação de aviso na 2ª Série do Diário da Republica. A audiência aos interessados decorrerá no prazo de 10 dias, contados a partir da publicação do presente edital em jornal local. A alteração à licença de loteamento consiste em: - Retificação da área e limites do lote passando de 735.00m² para 704.70m²; - Aumento da área total de construção de 210.00m² para 276.60m² (dos quais 113.00 ao nível do r/c e 113.00m² ao nível do andar se destinam a habitação); - Aumento da área total de implantação de 105.00m² para 163.60m²; - Alteração do polígono de implantação e da cota de soleira; - Construção de anexo destinado a estacionamento com a área de construção e de implantação de 50.60m². Mais se informa, que o processo administrativo respetivo, com o nº 18/2017 LU-LOT, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, nos Serviços Administrativos da Divisão de Planeamento e Gestão do Território desta Autarquia e as sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas através de requerimento escrito dirigido ao Presidente da Câmara Municipal, devendo neste constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam, as quais deverão ser enviadas por carta registada com aviso de receção, por correio eletrónico para urbanismodigital@cm- amarante.pt ou entregues diretamente no Balcão Único do Município de Amarante. Amarante, Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 03 de setembro de 2019

EDITAL N.º 28/2019 Dr.º JOSÉ LUIS GASPAR JORGE, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, na sua atual redação que se encontra em discussão pública, a alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará nº 8/91, sito no lugar de Rua da Igreja, freguesia de Vila Caiz, a qual deu entrada nestes Serviços, a requerimento de Luís Nuno Peixoto Carvalho, NIF 214979750, residente no lugar de Rua da Igreja, freguesia de Vila Caiz na qualidade de proprietário do lote nº 1. O pedido consiste em: - Alteração ao polígono de implantação, com tipologia de cave e rés-do-chão; - Aumento da área total de implantação, de 120.00m2 para 222.20m2; - Aumento da área total de construção, de 240.00m2 para 360.235 m2, dos quais 138.05 m2 se destinam a garagem e arrumos em cave. Mais se informa, que o processo administrativo respetivo, com o nº 47/2018, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, nos Serviços Administrativos da Divisão de Planeamento e Gestão do Território desta Autarquia. As sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante, Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 23-08-2019

O Presidente da Câmara, Dr. José Luís Gaspar Jorge EDITAL N.º 30/2019 DRª. ANA RITA BROCHADO MARINHO BASTOS BATISTA, VEREADORA DO URBANISMO DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, na sua atual redação e do disposto no nº 5 do artigo 12º do Código Regulamentar do Município de Amarante, publicado na II Série do Diário da República em 04 de agosto de 2010, que se encontra na fase de consulta pública e audiência aos interessados, o pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará nº 5/88, em nome e a requerimento de Alberto Carvalho Alves, residente no Largo do Terreiro nº 46, 2º esqdo, freguesia de Vila Cova da Lixa e Borba de Godim, NIF 184785740, para o prédio urbano, sito no lugar de Cruz, União das Freguesias de Freixo de Cima e de Baixo, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 932 e descrito na Conservatória do Registo predial na ficha 211/19880711. O período de consulta pública é de quinze dias e inicia-se oito dias após a publicação de aviso na 2ª Série do Diário da Republica. A audiência aos interessados decorrerá no prazo de 10 dias, contados a partir da publicação do presente edital em jornal local. A alteração à licença de loteamento consiste em: - Alterar a área e polígono de implantação do edifício de 115,00m2 para 202,00m2; - Alterar a área total de construção de 230,00m2 para 382,20m2, sendo 156,85m2 ao nível do rés-do-chão, 166,10m2 ao nível do 1º piso, e 59,25m2 em espaço exteriores cobertos; - Fixar a área de impermeabilização com coeficiente igual a 1 em 235,78m2 e com coeficiente igual a 0.5 em 176,91m2, totalizando 324,24m2. Mais se informa, que o processo administrativo respetivo, com o nº 37/2018 LU-LOT, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, nos Serviços Administrativos da Divisão de Planeamento e Gestão do Território desta Autarquia e as sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas através de requerimento escrito dirigido ao Presidente da Câmara Municipal, devendo neste constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam, as quais deverão ser enviadas por carta registada com aviso de receção, por correio eletrónico, para urbanismodigital@cm-amarante.pt ou entregues diretamente no Balcão Único do Município de Amarante. Amarante, Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 03 de setembro de 2019

A Vereadora do Urbanismo, Drª. Ana Rita Brochado Marinho Bastos Batista

A Vereadora do Urbanismo, Drª. Ana Rita Brochado Marinho Bastos Batista AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, com a sua atual redação que em 18/01/2015 foi emitido aditamento ao loteamento, titulada pelo alvará nº 1/2011 em nome de Marco Paulo Nogueira Ribeiro, contribuinte n.º 219636753, com sede na Rua da Devesa n.º 238, freguesia de Lufrei, concelho de Amarante, através do qual é licenciado o aditamento ao alvará de loteamento acima referido, o qual incidiu sobre o prédio, sito no Moure, Lote n.º 1 alv. n.º 1/2011, freguesia de Lufrei, do concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o artigo 1100-P da respetiva freguesia e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante, na ficha nº 1091/20110504.. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 1005-2019, respeita o disposto no Regulamento do Plano Diretor Municipal, e consiste no seguinte: Alteração das especificações do lote nº 1, conforme a seguir se indica: - A alteração da cota de soleira em 0.65m de 114.50 para 115.15. Amarante, Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 03 de julho de 2019

O Presidente da Câmara, Dr. José Luís Gaspar Jorge AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do nº 2 do artigo 78º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com a sua atual redação que é emitido o aditamento ao loteamento titulado pelo alvará nº 53/77 em nome de Maurício Lourenço de Macedo, contribuinte nº 134149238, residente na Rua dos Pinheiros Mansos, nº 134, freguesia de Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, concelho de Amarante, através do qual é licenciado o aditamento ao alvará de loteamento acima referido, o qual incidiu sobre o prédio, sito na Rua dos Pinheiros Mansos nº 134, União de Freguesias de Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, deste concelho, inscrito na matriz sob o artigo 848 da respetiva freguesia e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante, na ficha nº 994/19960604, na qualidade de proprietário do lote nº 3. A alteração ao alvará do loteamento supra, deferida por despacho de 0706-2019, respeita o disposto no Regulamento do Plano Diretor Municipal, e consiste no seguinte: - Alterar o destino de utilização do anexo existente no referido lote, com a área de 60 m2 de “comércio” para “comércio e serviços”. Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 12 de junho de 2019

A Vereadora do Urbanismo, Drª. Ana Rita Brochado Marinho Bastos Batista


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | DIVERSOS | 19

CARTÓRIO NOTARIAL

CARTÓRIO NOTARIAL

NOTÁRIA MARIA GUADALUPE QUEIRÓS GONÇALVES DA CUNHA sito na Rua Rebelo de Carvalho, 728, Margaride, Felgueiras

NOTÁRIA ANA CATARINA DE CASTRO MARTINS Avenida 1º de Maio, Loja H, R/C, Edifício Carvalhido São Gonçalo, Amarante catarina.martins@notarios.pt

Certifico para efeitos de publicação, que no dia seis de Agosto de dois mil e dezanove, iniciada a folhas cento e sete do livro de notas número cinquenta e sete-A, deste Cartório Notarial, foi exarada uma escritura de justificação em que Eurico da Silveira Santos, NIF 161.626.637 e mulher Maria Fernanda Teixeira Leite, NIF 161.626.645, casados na comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Santão, concelho de Felgueiras e ela da de Vilar do Torno e Alentém, concelho de Lousada, residentes na Rua do Outeiro, nº 372, Figueiró (Santiago), freguesia de Figueiró (Santiago e Santa Cristina), concelho de Amarante declararam: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do prédio rústico, denominado “Vessada”, composto de terreno de cultura e ramada, com a área de cinco mil novecentos e trinta e cinco metros quadrados, sito no lugar do Montinho, freguesia de Figueiró (Santiago e Santa Cristina), concelho de Amarante, a confrontar de norte com José Pereira, de sul com Rua da Pereira, de nascente com Firmino Carvalho Guerra e de poente com Firmino Carvalho Guerra e Rua do Montinho, inscrito na matriz respectiva em nome do justificante sob o artigo 471, que teve origem no artigo 234 rústico da freguesia de Figueiró (Santiago) (extinta), com o valor patrimonial e atribuído de cento e vinte e três euros e sessenta e sete cêntimos, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante. Que o referido prédio lhes foi vendido verbalmente por Idalina Teixeira dos Santos e marido Jaime Baptista de Lemos, casados na comunhão geral, residentes em França, Maria Teixeira dos Santos e marido Albino Pinto de Sousa Queirós, casados na comunhão geral, residente no Estoril, Joaquina Teixeira dos Santos e marido Domingos Adriano da Silva, casados na comunhão geral, residentes no lugar da Saúde, freguesia de Figueiró, concelho de Amarante, Manuel Teixeira dos Santos e mulher Maria da Glória Lopes, casados na comunhão geral, residentes em França, Joaquim Teixeira dos Santos e mulher Isabel de Jesus Carvalho, casados na comunhão geral, residentes no lugar de Vila Nova, freguesia de Santa Cristina, concelho de Amarante, Agostinho Teixeira dos Santos e mulher Maria Áurea da Silva Vasconcelos, casados na comunhão geral, residentes em França, Maria Cândida Teixeira e marido Alberto Machado da Cunha, casados na comunhão geral, residentes no lugar da Figueira, freguesia de Figueiró, concelho de Amarante e José Teixeira Lage e mulher Maria Armanda Viana de Brito, casados na comunhão geral, residentes na Rua da Guia, n.º 38, freguesia e concelho de Vila Real, em dia e mês que não podem precisar do ano de mil novecentos e setenta e oito, não tendo sido outorgada a respectiva escritura, não tendo assim qualquer título suficiente de aquisição que lhes permita efectuar o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial. Que não obstante isso, desde aquela data, de forma pública, pacifica e contínua, isto é, tudo sempre à vista e com conhecimento de toda a gente, sem violência ou oposição de quem quer que fosse, reiterada e ininterruptamente, na convicção de não lesarem o direito de outrem e ainda convencidos de serem titulares do respectivo direito de propriedade, têm possuído e fruído aquele prédio em nome próprio, gozando de todas as utilidades por ele proporcionadas, diariamente, semeando cereais, milho e batatas, plantando e podando as videiras e colhendo os respectivos frutos, abrindo os regos e procedendo às regas, pagando as contribuições e impostos ao Estado, praticando enfim, todos os actos correspondentes ao direito de propriedade plena, pelo que, tendo em consideração as referidas características de tal posse, o adquiriram por usucapião, que invocam, estando por isso, impossibilitados de comprovar a referida aquisição pelos meios extrajudiciais normais. Está conforme o original.

Certifico que no dia doze de agosto de dois mil e dezanove, perante mim, Notária, Leonor da Conceição Moura, com cartório sito na rua 25 de abril, 12-A, Refojos, Cabeceiras de Basto, foi outorgada uma escritura de JUSTIFICAÇÃO notarial, iniciada a folhas 54 do Livro 121- A, intervindo como justificantes: Lúcia Maria Brites dos Reis NIF 225.187.477, solteira, maior, natural da freguesia de Telões, concelho de Amarante, onde reside na rua de Laboriz nº 227. Mais certifico que declarou o seguinte: Que é dona e legitima possuidora, e com exclusão de outrem, do seguinte prédio sito no lugar de Laboriz, freguesia de Telões, concelho de Amarante: RÚSTICO – denominado de “Campo do Engenho” composto por culturas, vinha em bordadura e pastagem com a área de mil quatrocentos e noventa e dois metros quadrados, a confrontar de norte e nascente com Amélia dos Anjos, de sul com Ricardo José Canadas de Oliveira, e de poente com rua de Laboriz, omisso na conservatória e inscrito na matriz em nome da justificante e sob o artigo 3962, omisso na antiga matriz, e com o valor patrimonial e atribuído de €960,00. Que a justificante, no ano de mil novecentos noventa e oito adquiriu por compra verbal a Sofia de Lurdes Tavares Vieira Teles de Vasconcelos, solteira, maior, e residente que foi na rua de Rovuma, Porto, e já falecida, o referido prédio, tendo entrado nessa data na posse do mesmo, mas não dispondo de qualquer título formal para o registar na conservatória, em seu nome. No entanto, e desde essa data, a justificante passou a usufruir do referido prédio, realizando benfeitorias, cultivando e limpando-o, e utilizando-o para pastagem de animais, gozando todas utilidades por ele proporcionadas, com ânimo de quem exercita de direito próprio, de boa fé, por ignorar lesar direito alheio, pacificamente porque sem violência, continua e publicamente, com conhecimento de toda a gente e sem oposição de ninguém – e isto por lapso de tempo superior a vinte anos. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, a justificante adquiriu aquele prédio, por usucapião - título esse que, por natureza, não é suscetível de ser comprovado pelos meios normais.

Certifico, para efeitos de publicação, nos termos do número 1 do artigo 100º do Código do Notariado, que por escritura de justificação lavrada neste Cartório em sete de agosto de dois mil e dezanove, a folhas dezanove e seguintes do livro de notas número SETENTA E DOIS A de deste Cartório, na qual ADÃO DE OLIVEIRA COELHO e mulher EMILIA DA SILVA CARVALHO, casados sob o regime da comunhão geral de bens, natural ele da freguesia de Gatão do concelho de Amarante e ela da freguesia de Telões do concelho de Amarante, residentes na Rua Quinta de Campos nº 38, Telões, Amarante; DECLARAM: Que são donos e legítimos possuidores do seguinte imóvel que à data do início da posse se descrevia da seguinte forma: Prédio rústico, composto por cultura com ramada, a confrontar de norte com caminho de ferro, de nascente com caminho público, de sul com José Machado e de poente José de Oliveira Carvalho, com a área total de seiscentos e oitenta e seis metros quadrados, sito em Campos, na freguesia de Telões, do concelho de Amarante OMISSO na Conservatória do Registo Predial de Amarante, ainda inscrito na actual matriz predial rústica da freguesia de Telões como artigo 193, com o valor patrimonial tributário igual ao atribuído de CINQUENTA E UM EUROS E QUARENTA E OITO CÊNTIMOS. Que adquiriram o referido prédio rústico, no qual foi posteriormente construída a casa abaixo mencionada, por compra, meramente verbal, nunca reduzida a escritura pública, feita a Laura Pereira, solteira, maior, já falecida, residente que foi no Lugar de Campos, na freguesia de Telões do concelho de Amarante, em dia que não podem precisar, mas sabem ter sido em agosto de mil novecentos e setenta e um, não possuindo qualquer titulo formal que legitime a referida posse e desconhecendo sob qual artigo na penúltima matriz rústica esteve inscrito o então indicado imóvel. Que, posteriormente edificaram nesse prédio rústico um prédio composto por casa para habitação com cave para armazém e rés-do-chão, com a superfície coberta de cento e quarenta e sete vírgula cinco metros quadrados e logradouro com quinhentos e trinta e oito virgula cinco metros quadrados, perfazendo a área total de seiscentos e oitenta e seis metros quadrados, sito actualmente na Rua da Quinta de Campos número 56 (antigo Lugar de Campos) , na freguesia de Telões, concelho de Amarante, inscrito na matriz predial urbana actualmente como artigo 1391 da referida freguesia, que proveio do artigo rustico acima mencionado, também omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante. Que a construção acima descrita foi edificada pelos primeiros outorgantes a suas únicas expensas a partir de mil novecentos e noventa e três tendo sido finalizada em mil novecentos e noventa e quatro no solo do prédio rústico que abaixo descrevem e que à altura do início da posse se descrevia da seguinte forma: Que, desde então, até à presente data, logo há mais de vinte anos, sem interrupção e oposição de quem quer que seja, possuem aquele imóvel, gozando de todas as utilidades por ele proporcionadas, cultivando-o, evitando a propagação de plantas daninhas, pagando impostos, e depois iniciando a construção da edificação, concluindo-a, habitando-a e nela guardando os seus haveres, com ânimo de quem exerce direito próprio, considerando-se e sendo considerados como seus únicos donos, na convicção de que não lesam direitos de outrém, POSSE esta que iniciaram e mantêm de boa fé, pacífica, porque sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, adquiriram o dito prédio rústico que corresponde ao solo onde posteriormente implantaram aquela construção atrás descrita por USUCAPIÃO, título esse que, por sua natureza não é suscetível de ser comprovado pelos meios extrajudiciais normais.

Cabeceiras de Basto, doze de agosto de dois mil e dezanove

Amarante, sete de agosto de dois mil e dezanove

A Notária, Leonor da Conceição Moura

A Notária, Ana Catarina de Castro Martins

Felgueiras, seis de agosto de dois mil e dezanove

A Notária, Maria Guadalupe Queirós Gonçalves da Cunha CARTÓRIO NOTARIAL NOTÁRIA LEONOR DA CONCEIÇÃO MOURA sito na rua 25 de abril, 12-A, Refojos, Cabeceiras de Basto

Pub.

AGRADECIMENTO Professora MARIA ESTELA ALMEIDA TAVARES TEIXEIRA DE MIRANDA, minha mulher, sendo eu o seu cuidador, foi internada no HOSPITAL DE AMARANTE, em Medicina Interna – Ala A, no dia 08/07/2019, onde esteve até 31/07/2019. Durante todo este tempo lutou contra uma “Traqueobronquite aguda” passando por momentos críticos e muito difíceis. Contudo, atendendo ao Corpo Médico, assim como, ao excelente Corpo de Enfermeiros e Pessoal Auxiliar, que foram de uma dedicação, profissionalismo e humanismo que é de enaltecer, pois a todos devemos o facto de superar esta tremenda dificuldade. BEM HAJAM! António Eduardo Pereira Teixeira de Miranda


20 | DIVERSOS | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

CARTÓRIO NOTARIAL DE AMARANTE

AVISO

A CARGO DA LICENCIADA OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES LIMPO DE LACERDA, NOTÁRIA COM O ARQUIVO DO EXTINTO CARTÓRIO PÚBLICO

TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, na sua atual redação, foi emitido aditamento ao loteamento, titulada pelo alvará nº 17/88, em nome e a requerimento de Contrastes Geométricos, Empreendimentos Imobiliários, Unipessoal, Ldª, residente na rua de Guetiz, 68, freguesia de Vila Meã NIPC 509229085, que titula a aprovação da alteração da licença da operação de loteamento que incidiu sobre o prédio urbano, na rua Nova da Estalagem, freguesia de Vila Meã, inscrito na respetiva matriz sob os artigos 2014/2015 e descrito na Conservatória do Registo Predial nas fichas 1331/1332. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 10/05/2019, respeita o disposto no Regulamento do Plano Diretor Municipal, e consiste na alteração das especificações dos lotes nº 6 e 7, conforme a seguir se indica: Lote 6: - Alteração ao uso previsto para o edifício, passando de habitação (1 fogo) e comércio, para habitação bifamiliar (2 fogos); - Alteração da área de implantação fixada em 199,50m² para 205,50m² (sendo 149,50 m² de habitação e 56,00 m² do anexo destinado a garagem); - Aumento da área total de construção fixada em 498,50 m² para 504,50 m² (cave para garagem com 149,50 m², rés do chão para habitação com 149,50 m², andar para habitação com 149,50 m² e 56,00 m² do anexo destinado a garagem); Lote 7: - Alteração ao uso previsto para o edifício, passando de habitação (1 fogo) e comércio, para habitação bifamiliar (2 fogos); - Alteração da área de implantação fixada em 199,50m² para 205,50m² (sendo 149,50 m² de habitação e 56,00 m² do anexo destinado a garagem); - Alteração do n.º de pisos do edifício, passando de rés do chão e andar, para cave, rés do chão e andar; - Aumento da área total de construção fixada em 349,00 m² para 408,50 m² (cave para garagem com 53,50 m², rés do chão para habitação com 149,50 m², andar para habitação com 149,50 m² e 56,00 m² do anexo destinado a garagem.

Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 381 a folhas 127 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de 09/08/2019, em que: a) JOAQUINA DA GLÓRIA LEAL, NIF 211.292.575, viúva, natural da freguesia de Mancelos, concelho de Amarante, residente no Caminho do Fontenário, 54, freguesia de Mancelos, concelho de Amarante; b) SILVÉRIO ANTÓNIO LEAL DE CARVALHO, NIF 185.742.939, natural da freguesia de Mancelos, concelho de Amarante e consigo residente; c) ANA DA CONCEIÇÃO LEAL DE CARVALHO, NIF 201.248.506, (titular do cartão de cidadão número 11457994 6zy0, válido até 09/05/2029), casada com Augusto Ribeiro Martins sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da freguesia de Mancelos, concelho de Amarante, onde reside no lugar do Monte; d) ADRIANO LEAL DE CARVALHO, NIF 181.013.479, (titular do cartão de cidadão número 10197714 0zy5, válido até 26/12/2021), casado com Maria Albertina de Jesus Teixeira sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da freguesia de Mancelos, residente na Travessa das Eiras, n.º 58, freguesia de Figueiró (Santiago e Santa Cristina), todas do concelho de Amarante; e) PAULO RENATO LEAL DE CARVALHO, NIF 193.768.267, (titular do cartão de cidadão número 11166783 6zy2, válido até 02/08/2020), casado com Célia Virgina Pinto Silva sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da freguesia de Mancelos, concelho de Amarante, onde reside em Caminho do Fontenário, n.º 53; Que conforme escritura de habilitação outorgada hoje e que antecede esta, são donos e legítimos possuidores com exclusão de outrem em comum sem determinação de parte ou direito por óbito de Armando de Carvalho, do seguinte imóvel, no valor atribuído igual ao patrimonial de oito mil trezentos e cinquenta e três euros e quarenta e cinco cêntimos: Prédio urbano, composto de casa de rés do chão com a área coberta de quarenta e oito metros quadrados e logradouro com a área de dez metros quadrados, sito no lugar do Monte, freguesia de Mancelos, concelho de Amarante, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, a confrontar de norte com Emília Ribeiro, de sul com caminho de servidão, de nascente Paulo Renato e de poente estrada, inscrito na matriz sob o artigo 204 com o valor patrimonial de 8.353,45€, estando apenas um sexto em nome do autor da herança Armando Carvalho e estando as restantes quotas partes inscritas na matriz em nome de António Joaquim Pinto (um meio), Adriano Freitas de Carvalho (um sexto) de quem o autor da herança e a primeira outorgante compraram verbalmente no ano de mil novecentos e setenta e dois, em dia e mês que não podem precisar, razão pela qual não têm título para proceder á inscrição matricial desses cinco sextos em nome do dito autor da herança. Que no entanto e desde essa data, o referido Armando de Carvalho e a aqui primeira outorgante da alínea a), praticaram todos os atos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilidades, ocupando-o segundo os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se como possuidores até à data da morte de Armando de Carvalho, residente que foi no lugar do Monte, referido, em dez de Abril de dois mi e dezasseis, e como se fossem titulares do direito de propriedade plena sobre o referido prédio tendo essa posse sido transmitida aos herdeiros, sua esposa aqui primeira outorgante a) e aos seus filhos, aqui representado da primeira outorgantes b), e primeiros outorgantes c), d) e e) que assim procedem a esta escritura de justificação. Que nestes termos, os primeiros outorgantes nas ditas qualidades, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 09/08/2019

A Notária, Olga Samões CARTÓRIO NOTARIAL DE AMARANTE A CARGO DA LICENCIADA OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES LIMPO DE LACERDA, NOTÁRIA COM O ARQUIVO DO EXTINTO CARTÓRIO PÚBLICO Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 381 a folhas 100 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de 08/08/2019, em que: JOAQUIM TEIXEIRA DE SOUSA, NIF 175.916.080, (titular do bilhete de identidade número 964282 emitido em 28/07/2002, vitalício, pelos SIC do Porto) e esposa MARIA DA ASSUNÇÃO TEXIEIRA DE SOUSA, NIF.175.916.098, (titular do cartão de cidadão número 009652960 5zz0, válido até 13/06/2028), casados sob o regime da comunhão geral de bens, ambos naturais da freguesia da Chapa, concelho de Amarante, residentes na travessa da Serra, 125 freguesia de Chapa, concelho de Amarante. DECLARARAM: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel, no valor patrimonial e igual atribuído de SEISCENTOS E DEZ EUROS: Prédio rústico, denominado “Tapada do Senhor”, composto de pinhal e mato, com a área de três mil oitocentos e noventa metros quadrados, sito em Serra, União de freguesias de Vila Garcia, Aboim e Chapa, concelho de Amarante, a confrontar de norte com Andreia Gabriela Sousa Alves Pinheiro e Ilda Teixeira de Sousa, sul com rua da Junqueira, nascente com calçada do Salgueiral e caminho do Salgueiral e poente com Ilda Teixeira de Sousa, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz sob o artigo 1254 da união de freguesias de Vila Garcia, Aboim e Chapa, em nome do justificante marido. Para efeitos de registo declara-se que o prédio supra identificado se situava na extinta freguesia da Chapa, Amarante. Que no ano de mil novecentos e oitenta e dois, em dia e mês que não podem precisar, foi-lhes doado verbalmente o referido prédio por Manuel de Sousa e esposa Elisa Teixeira, casados na comunhão geral de bens, residentes que foram em Serra, freguesia de Chapa concelho de Amarante, doação esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vêm praticando todos os atos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilidades, ocupando-o segundo os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os primeiros outorgantes como se fossem titulares do direito de propriedade plena sobre o referido prédio. Que nestes termos, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme.

Amarante e Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 15 de maio de 2019

A Vice-Presidente da Câmara, Drª. Lucinda Fonseca Moreira AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do nº 2 do artigo 78º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com a sua atual redação que é emitido o aditamento ao alvará de loteamento n.º 48/83, em nome e a requerimento de Sara Eliana Peixoto Gonçalves, com sede na Rua dos Ataúdes, 398, freguesia de Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, NIPC 218462263, que titula a aprovação da alteração da licença da operação de loteamento que incidiu sobre o prédio urbano, sito na Rua dos Ataúdes freguesia de Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 4015 e descrito na Conservatória do Registo Predial na ficha 27/19851209. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 27/06/2019, respeita o disposto no Regulamento do Plano Diretor Municipal, e consiste na alteração das especificações do lote nº 8, conforme a seguir se indica: - Subdivisão do lote n.º 8, com 2050m2, em lote n.º 8, com 1515,6m2 e lote n.º 10, com 521,5m2; - Cedência ao domínio público municipal de uma área de 12,9m2 destinados a passeio na entrada do lote n.º 8. Para o lote nº 10 são definidas as seguintes especificações: - Polígono de implantação com 10m x 15m; - Área total de construção de 300 m2; - Área de impermeabilização do solo de 312,9 m2; - Área total de implantação de 150 m2; - 2 pisos e altura da fachada de 7m; - 2 lugares de estacionamento privado com 50 m2 de área; - Os afastamentos ao limite do lote são os estipulados na planta de implantação. Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 12 de junho de 2019

A Vereadora do Urbanismo, Drª. Ana Rita Brochado Marinho Bastos Batista AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, na sua atual redação, foi emitido aditamento ao loteamento, titulada pelo alvará nº 17/88, em nome e a requerimento de António José Magalhães Gonçalves, residente na rua Nova da gateira, nº44, freguesia de Mancelos NIPC 251777464, que titula a aprovação da alteração da licença da operação de loteamento que incidiu sobre o prédio urbano, na Travessa Fundo de Vila, freguesia de Mancelos, inscritos na respetiva matriz sob o artigo 897 e descrito na Conservatória do Registo Predial na ficha 480. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 11/04/2019, respeita o disposto no Regulamento do Plano Diretor Municipal, e consiste na alteração das especificações do lote nº 5, conforme a seguir se indica: - Ampliação da área de implantação prevista para o lote passando de 110,00 m² para 235,40 m² (181,50m2 (habitação) + 53,90 m² (anexo de apoio - garagem); - A área total de construção do lote passa de 220,00m² para 235,40m²; - Alteração do n.º de pisos da habitação, passando de 2 (rés do chão e andar) para 1 (rés do chão).

Cartório Notarial de Amarante, 08/08/2019

Amarante, Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 15 de maio de 2019

A Notária, Olga Samões

A Vice-Presidente da Câmara, Drª. Lucinda Fonseca Moreira


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | DIVERSOS | 21

Ansiães – Amarante

Várzea – Amarante

S. Gonçalo – Amarante

Sr. JOSÉ AUGUSTO DA SILVA DUARTE

Dna. ALZIRA RIBEIRO DA SILVA Agradecimento

Dna. MARIA BALBINA ALVES MACHADO

Agradecimento

Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Sanche – Amarante

Gondar – Amarante

ONDINA ISABEL SEIXAS DE CARVALHO

Madalena – Amarante Dna. MARIA IRENE GOMES GONÇALVES

Sr. AUGUSTO PINTO DIAS

Agradecimento

Agradecimento

Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

CARTÓRIO NOTARIAL DE AMARANTE

CARTÓRIO NOTARIAL DE CELORICO DE BASTO

A CARGO DA LICENCIADA OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES LIMPO DE LACERDA, NOTÁRIA COM O ARQUIVO DO EXTINTO CARTÓRIO PÚBLICO

NOTÁRIA LIC. ADELAIDE MONTERROSO FREIXO EXTRACTO DE PUBLICAÇÃO

Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 382 a folhas 119 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de 30/08/2019, em que: JOAQUIM ANTÓNIO PINHEIRO, NIF.176.293.604, titular do cartão de cidadão número 03604855 0zz6 válido até 21/03/2029 e esposa ROSA TEIXEIRA PINTO PINHEIRO, NIF.210.184.043, titular do cartão de cidadão número 05837683 6zz5 válido até 18/03/2029, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Bustelo, concelho de Amarante, residentes em França em 100, Rue Lauriston Paris, 75016. DECLARARAM: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, de DOIS TERÇOS, do seguinte imóvel: Prédio rústico, composto de cultura com oliveiras, com a área de quatrocentos e sessenta metros quadrados, sito no lugar de Padroeiro, união das freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei, concelho de Amarante, a confrontar de norte com Abílio Mendes, de sul e poente com caminho e de nascente com Joaquim P. Nogueira, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante na freguesia de Bustelo, inscrito na matriz em nome do justificante marido na referida proporção sob o artigo 1293 da união das freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei, que proveio do artigo 553 rústico da freguesia de Bustelo (extinta), com o valo patrimonial correspondente e igual atribuído de 2,49€. São titulares do restante um terço do prédio supra identificado, em comum e sem determinação de parte ou direito, por óbito de Diamantino da Silva Ribeiro Nogueira: Manuel Madureira Nogueira, casado sob o regime da comunhão de adquiridos com Maria Lurdes Rosa Gonçalves Madureira, residente na Rua das Fontaínhas, nº 592, referida união das freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei, Fernão Madureira Nogueira, casado sob o regime da comunhão de adquiridos com Olinda da Conceição Dinis Lage Nogueira, residente na Avenida Padre Luís Pinto Carneiro, nº 86, freguesia de Gandra, concelho de Paredes e Nelson Madureira Nogueira, solteiro, maior, residente na rua do Cruzeiro, união das freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei, concelho de Amarante. Que no ano de mil novecentos e setenta e sete, em dia e mês que não podem precisar, compraram verbalmente os referidos DOIS TERÇOS, do acima identificado prédio a Fernando Alves da Silva e esposa Maria Edite Pinheiro, casados na comunhão de adquiridos, residentes no lugar de Bustelo, freguesia de Bustelo, concelho de Amarante, compra e venda esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vêm praticando todos os atos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilidades, ocupando-o segundo os seus destinos e fins, em proveito próprio, composse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os compossuidores como se fossem titulares do direito de compropriedade plena sobre os DOIS TERÇOS do referido prédio. Que nestes termos, detêm a composse de DOIS TERÇOS em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio nas ditas proporções, pelo que o adquiriram nas citadas proporções por USUCAPIÃO. Está conforme.

CERTIFICO, para efeitos de publicação, que neste Cartório e no livro de “Escrituras Diversas” número setenta e nove- A, desde folhas vinte e sete e seguintes, foi lavrada em vinte e três de agosto de dois mil e dezanove, uma escritura de Justificação, tendo nela outorgado como justificantes: FERNANDO MONTEIRO MARINHO, C.F. nº 190 082 526, e mulher, MARIA DO CARMO PEREIRA DE CARVALHO, C.F. nº 207 540 586, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, portadores dos cartões de 11853400, válido até 14/02/2028, ambos naturais da freguesia de Candemil, concelho de Amarante, onde residem na rua do Maninho, nº386. MAIS CERTIFICO, por extracto, que os justificantes declararam o seguinte: Que os outorgantes são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, do seguinte prédio urbano, sito na rua do Maninho, nº386, freguesia de Candemil, concelho de Amarante, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante: Prédio urbano, composto de casa de r/c, destinado a habitação, com a superfície coberta de noventa e seis metros quadrados, e que corresponde à área global do prédio, na respectiva matriz sob o artigo 665, com o valor patrimonial e atribuído de vinte mil quatrocentos e vinte e um euros e oitenta cêntimos. Que adquiriram o mencionado prédio, em dia e mês que não sabem precisar, do ano de mil novecentos e noventa e cinco, por compra meramente verbal a Firmino Teixeira e mulher Maria Idalina Pereira, residentes que foram em rua Central de Gião, nº 1033, Candemil, Amarante. Não tendo sido, porém, titulada esta aquisição e por isso não dispõem de título formal que lhes permita fazer prova do direito de propriedade plena. Que, não obstante, eles outorgantes, desde então, sempre estiveram e se mantém na posse e fruição do aludido prédio, possuindo-o assim em nome próprio e com aproveitamento de todas as utilidades por ele proporcionadas, nomeadamente conservando-o, com ânimo de quem exercita direito próprio, posse essa sem qualquer violência nem oposição de quem quer que seja, ininterruptamente e à vista e com o conhecimento de toda a gente. Que, dadas as enunciadas características de tal posse pacífica, contínua e pública, exercida desde os referidos anos de mil novecentos e noventa e cinco, adquiriram o aludido prédio por usucapião, título esse que por sua natureza não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais, direito este que justificam pela presente escritura, para fins de registo predial. Está conforme.

Cartório Notarial de Amarante, 30/08/2019

Cartório Notarial de Celorico de Basto, 23 de agosto de 2019

A Notária, Olga Samões

A Colaboradora, Elisabete Gomes Pub.


22 | DIVERSOS | 12 SETEMBRO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

São Gonçalo - Amarante

Candemil - Amarante

Rebordelo - Amarante

Dª. Rosa da Conceição Teixeira

Dª. Gracinda da Conceição

Dª. Cassilda Ermelinda Martins Nogueira

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Cepelos - Amarante

Vila Caíz - Amarante

Madalena - Amarante

Dª. Alda Ferreira

Sr. Amadeu Castro dos Santos

Dª. Maria Júlia da Silva Sequeira

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Fregim - Amarante

São Gonçalo - Amarante

Vila Chã do Marão - Amarante

Sr. António Manuel Noya de Vasconcelos Peixoto

Dª. Laura da Conceição

Sr. Joaquim Gonçalves de Morais

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Madalena - Amarante

Freixo de Baixo - Amarante

Dª. Maria de Lurdes Pereira

Sr. António da Silva Francisco

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Vila Chã do Marão - Amarante

Murgido - Candemil - Amarante

Sr. José António Teixeira Fontaínhas Ribeiro

Sr. Augusto Correia Pinto

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

CONVOCATÓRIA BANDA MUSICAL DE AMARANTE Assembleia Geral Nos termos da lei, convoco todos os sócios para uma reunião extraordinária da Assembleia Geral, a realizar no próximo dia 25 de setembro de 2019, pelas 19:30 horas, na sede da Associação, sita no Edf. do Salto – 2ª cave, nº 24, em Amarante, com a seguinte Ordem de Trabalhos: Ponto Um – Eleição dos membros dos corpos sociais. Se, à hora indicada, não houver quórum, a Assembleia Geral funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de sócios presentes. Amarante, 06 de setembro de 2019

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral, António Ferreira Soares Araújo

Faça-se assinante

d´O Jornal de Amarante Preço da Assinatura Anual: Continente 30,00 Euros Estrangeiro 50,00 Euros


O JORNAL DE AMARANTE | 12 SETEMBRO 2019 | DIVERSOS | 23

Telões – Amarante Dna. MARÍLIA DO CÉU TEIXEIRA DA SILVA RIBEIRO Agradecimento

Aboadela – Amarante Dna. LAURA RIBEIRO DE MORAIS Agradecimento

Ansiães – Amarante Sr. MANUEL ANTÓNIO GUEDES DA SILVA Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Padronelo – Amarante Dna. MARIA ROSA PEREIRA Agradecimento

Vila Chã do Marão – Amarante

Dna. LEONOR RIBEIRO TEIXEIRA BRÁS Agradecimento

Candemil – Amarante Sr. Padre MANUEL DE ALMEIDA SOUSA VILAR Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

S. Gonçalo – Amarante Dna. RAQUEL TEIXEIRA DA SILVA SANTOS Agradecimento

Wartenberg – Alemanha Vila Chã do Marão - Amarante

Dna. MARIA DELFINA BARBOSA COSTA Agradecimento

Vila Garcia – Amarante Dna. ROSA MARIA TEIXEIRA Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Gatão – Amarante Sr. ADRIANO PEREIRA AUGUSTO Agradecimento

Telões – Amarante Sr. JOSÉ CASTRO MOTA Agradecimento

Rebordelo – Amarante Dna. MARIA GRAÇA DA COSTA Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Aboim – Amarante Dna. MARIA LOPES DA SILVA Agradecimento

S. Gonçalo – Amarante Sr. JOSÉ BRUNO DE LENCASTRE E SOUSA SOARES Agradecimento

Padronelo – Amarante Sr. DOMINGOS MENDES DA CUNHA Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Pub.


Profile for MediatamegaLda

Jornal de Amarante  

(12-09-2019)

Jornal de Amarante  

(12-09-2019)

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded