Page 1

Diretor: Luciano Gonçalves

38 anos de informação

quinta-feira, 14 de março de 2019 | Nº 1804 | Ano 38

OJORNAL AMARANTE

DE

“(...) até os mais difíceis obstáculos se curvarão diante da força de quem luta para vencer.” //págs. 12 e 13

Ciclo de Saraus Amarantinos Stay to Talk

//pág. 05

Conferência “António Cândido: um retrato político e intelectual”

//pág. 08

Orçamento Participativo Jovem de Amarante está de volta //pág. 14

Vítor Hugo Teixeira Amarantino de gema, estudou no Colégio de São Gonçalo, foi jogador de futebol nas camadas jovens do Amarante Futebol Clube e fez a Licenciatura em Biologia na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Tinha o “bichinho” da investigação e decidiu realizar o mestrado científico também nessa mesma Universidade. Com um percurso admirável, ganha uma prestigiada bolsa de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia e partiu para França. Mais tarde, recebe um convite aliciante para ficar na Faculdade de Medicina René Descartes em Paris, mas já estava em Londres e é onde reside atualmente. É cientista no Departamento de Medicina da University College London (UCL), na área do cancro do pulmão. Esta entrevista dar-nos-á a conhecer um brilhante ser humano e cientista que muito nos orgulha, ainda mais sendo amarantino.

UVVA - inscrições para expositores abertas até 20 de maio

//pág. 09

Recolha de sangue em Vila Meã no dia 16 de março

//pág. 14

Nova edição A Step to Stop decorre até 31 de março

//pág. 09 Pub.


02 | OPINIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Participar na coisa pública

Há na nossa cidade quem viva nas suas traseiras, discriminado socialmente, sendo camuflados muitos dos seus problemas, ou como a querer dar a ilusão de que estão a ser resolvidos. Se houvesse maneira de quem tem a responsabilidade de enfrentar, e de se identificar com os múltiplos problemas da comunidade, e entender as desigualdades, entre outros casos, por exemplo, da saúde e da habitação, e até se preocupasse com a qualidade de vida de quem mora em zonas degradadas, ou tivesse um mínimo de conhecimento dessas realidades, teria outro empenho na resolução dos vários problemas, como por exemplo, nestas escadas, no fim da Rua do Amieiro. Problematizei em tempos várias questões, a saber: O escorrimento de uma fossa de esgotos domésticos escadas abaixo, como uma longa levada, o cheiro nauseabundo e nojento meses a fio, e perante esta constatação e realidade social, a pedir intervenção radical, e mais, que fazer e agir, só deu para esvaziar a fossa. Este assunto que se prende com problemas concretos de quem ali habita, é por demais conhecida esta situação, não é um espaço devoluto, e se volto a ele, é pelo completo abandono e à ausência de quem livre os moradores e passantes de um pesadelo, daquele charco

imundo, e cujo perfume cheira a morto, das fúrias intestinais, e inicia-se com o verbo no presente: ”FEDE”. E olhando à sua volta, à medida que o tempo vai passando, foram vários meses, tudo continua a apontar para o esquecimento, do que constituiu e continua a constituir um atentado à saúde pública. Estas palavras não são comezinhas nem miúdas, sublinham apenas a necessidade de organizar um trabalho que anule definitivamente o vazar de porcaria da fossa, que já está a escorrer de novo escadas abaixo à medida de cada descarga doméstica, como constatei neste dia 3 de fevereiro e ainda no dia18 deste mês, e neste momento também se começa a notar o “perfume”, apesar de o tempo frio e de chuva, o ir atenuando. É que não chega só esvaziar a fossa e ir embora. Claro que há sempre uns restos de descontentamento, que é assim que se sente quem é vexado, daqueles que têm uma voz fraca, como vivessem numa favela, num vulgar abandono, indignados por injustificável desprezo e esquecimento, que se alonga a cada instante. Ninguém se envergonha disto? É que a cidade parece ter duas cores, a do feerismo das iluminações de Natal, num curto-circuito de olhares, e este tom escuro que fede, à espera que alguém lhe dê atenção. Não há paisagens semelhantes, e é mais a visão das cicatrizes que o tempo não esconde, emparedadas pelos muros, mal servindo de cortinas. A degradação é evidente. Há ainda uma reclamação quanto às escadas, sobretudo para quem tem mobilidade reduzida, pois os degraus são de uma altura exagerada. Estudar formas de intervir a que corresponda uma acção clara que tenha também em vista a segurança de quem ali vive e passa, é o que se pede. Para as questões que aqui desenvolvo, com todas as suas mazelas, e talvez definitivamente sem remédio, é o mínimo de intervenção cívica que posso dar, denunciando e chamando a atenção para um espaço socialmente deprimido e degradado, como se fosse feita tábua rasa dos mais elementares direitos, de quem até parece se habituou a uma vida pequenina, desajeitadamente encafuados numa monótona regularidade, e do raio de um triste itinerário.

“Tudo vem a propósito”, por Hêrnani Carneiro

Está assim identificada esta realidade, e a necessidade de informar os riscos que ameaçam a segurança das pessoas, quadro que é visto e do conhecimento de muita gente, e não serve sequer para diminuir as responsabilidades e a evidência, e de quem espera dos outros o mínimo de compreensão para estes berbicachos, e não para o sentido de desistência, antes na defesa da dignidade, contra a marginalização e exclusão social, pela defesa de uma politica de saúde ambiental, e agora também de segurança. É que um dos erros mais comuns que há, é o tomar aquilo que acontece depois de um acontecimento, por sua consequência. Para dar a última demão, como um rio de inverno, mesmo junto ao Nosso Café, e como é recorrente, transbordou uma vez mais uma fossa de esgotos domésticos, (e voltou a transbordar neste dia 10 de Dezembro), que seguiu o percurso das escadas, tudo sem mais cuidados, sem respeito, e sem limpeza, por quem tem de suportar aquela imundice, apenas franzindo o nariz. Embora sempre em esboço, um nojo. Resta a resignação e o infortúnio? Ou será que a ignorância triunfa sempre? São aquelas pelo menos as exigências mínimas, à atenção da Protecção Civil, Delegação de Saúde, G.N.R. e serviços competentes do nosso Município. E o mundo há-de continuar, pois o galo canta todos os dias.

director.jornaldeamarante@gmail.com

Diretor: Luciano Gonçalves (C.P. 7020) Colaboradores: Hernâni Carneiro, JS Amt, JSD Amt, Rui Canossa, Vítor Briga Rei, Júlio Moreira, A.Teixeira da Silva Espaço de Direito: Vitor Briga Rei Parcerias: ERA FM (92.7) / Notícias do Tâmega Departamento Comercial e Secretariado: Júlia Gonçalves (255136045 / 969123545) Paginação: L. Gonçalves - Mediatâmega, Lda. Redação: ERA FM - Edifício Santa Lúzia, S. Gonçalo, Amarante Edição: ERA - Emissora Regional de Amarante, Lda. / NIF: 501837930 Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99

Preço de Assinatura Anual: Continente - 30,00 Euros Estrangeiro - 50,00 Euros

(Nota: A opinião expressa nos artigos assinados pode não corresponder forçosamente à da direcção do jornal)

38 anos de informação

DE

OJORNAL AMARANTE

Propriedade: Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média: 3500 exemplares.

Porte Pago Avença - 4600 Amarante


04 | OPINIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Banco Mau Escrevi há uns tempos um artigo a justificar porque os bancos não podem, ou melhor, não devem ir à falência, devem ser intervencionados. Agora, expliquem às pessoas como se faz essa intervenção. Um dos temas que nos últimos anos tem sido de profunda análise é a que envolve o Banco Espírito Santo – BES. Os sucessivos Governos não tiveram coragem de assumir, desde o início, que o BES nos custaria muito dinheiro. Preferiram vender-nos sucessivas ilusões. O país descobriu por estes dias, em choque, que um private equity chamado Lone Star está a fazer uma limpeza no Novo Banco, com a ajuda de um mecanismo de capital contingente assegurado pelo Fundo de Resolução, uma entidade pública financiada pelas contribuições dos bancos. Aparentemente, o Governo e os partidos da oposição não sabiam o que faz um investidor como o Lone Star, especializado em ativos problemáticos: reestrutura, aliena ativos “tóxicos” a desconto e põe a casa a dar lucro, para mais tarde a vender com mais-valias. Mais fácil se torna se puder fazer isto alegando pressão do su-

pervisor, o Banco de Portugal, para limpar o balanço e tendo à disposição um cheque em branco no valor de 3,89 mil milhões. Por isso, o que está a acontecer no banco, com a venda de carteiras de crédito e imóveis a desconto, só deve surpreender os menos atentos. Custa até a entender a indignação dos políticos, com as mais altas figuras do Estado à cabeça, sobretudo as que desenharam e sancionaram a solução atual. A qual, sendo o mal menor, está longe de ser inócua para os contribuintes e para os outros bancos, que são forçados a pagar a recuperação de um rival que, um dia destes, retribuirá a simpatia voltando à liça com renovado poder de fogo. O triste facto é que não existem soluções fáceis para problemas deste calibre. Mas os Governos não tiveram a coragem de assumir que o BES nos custaria a todos largos milhares de milhões de euros, preferindo vender-nos sucessivas ilusões. Primeiro, o BES era “sólido”, depois os bancos eram “os acionistas do Fundo de Resolução” e, mais recentemente, o mecanismo dificilmente seria acio-

nado pela Lone Star. Agora, prometem mais inquéritos e auditorias, para podermos finalmente “saber a verdade”, como disse Marcelo Rebelo de Sousa, sobre o banco que afinal é “mau”, como confessou António Costa. A verdade, sobre este assunto, parece chegar com delay. Por uma vez, digam a verdade, nós aguentamos!

Rui Canossa

Registo Central do Beneficiário Efetivo O Canto da Justiça Vítor Briga Rei - Advogado

No cumprimento da Quarta Diretiva Europeia contra o Branqueamento de Capitais e com vista ao reforço da transparência, da confiança e segurança nas transações económicas entre entidades nacionais e internacionais que operam em Portugal, passou a existir uma nova obrigação declarativa por parte das empresas, além de outras entidades como associações, fundações, entidades empresariais, sociedades civis, cooperativas, fundos ou “trusts”: Trata-se do Registo Central do Beneficiário Efetivo. O beneficiário efetivo é a pessoa física que controla, através da propriedade de partici-

pações sociais ou de outros meios, uma empresa ou outra entidade já acima enumerada. É através deste registo que se pretende obter uma base de dados onde conste a identificação da pessoa - ou pessoas - que a controlam. Essencialmente, na apresentação do registo, o declarante deverá indicar a sua identificação completa, bem como a da entidade em causa, identificar os sócios que sejam pessoas coletivas e os sócios que sejam pessoas singulares, identificar os membros dos órgãos de administração e os beneficiários efetivos e identificar o interesse detido por cada beneficiário efetivo (o tipo de relação que existe entre o beneficiário efetivo e a entidade em causa). O incumprimento do Registo Central do Beneficiário Efetivo dentro do prazo estabelecido poderá resultar em sérias implicações para as empresas, nomeadamente a impossibilidade de distribuição de lucros entre os sócios, a impossibilidade de celebração de contratos de fornecimento com o Estado, a impossibilidade de beneficiar de apoios de fundos europeus, entre outras. Este registo é obrigatório e deverá ser efetuado, relativamente a entidades sujeitas a registo comercial (caso das empresas, por exemplo), até ao dia 30 de abril de 2019. Quanto a outas entidades, não sujeitas a re-

gisto comercial, o prazo limite do registo é 30 de junho de 2019. As entidades constituídas a partir de 1 de outubro de 2018 (data da entrada em vigor da legislação que obriga ao Registo Central do Beneficiário Efetivo) ficaram obrigadas a efetuar a primeira declaração no prazo de 30 dias após a sua constituição, ou após a inscrição definitiva no Ficheiro Central de Pessoas Coletivas de entidade não sujeita a registo comercial, ou após a atribuição do NIF pela Autoridade Tributária quanto a entidades que não tenham o dever de ter inscrição no Ficheiro Central de Pessoas Coletivas. A partir da primeira declaração, sempre que existam alterações aos dados já declarados, todas as entidades ficam obrigadas a fazer nova declaração no prazo de 30 dias após o facto que lhe deu origem, bem como a partir do ano 2020 ficam obrigadas a fazer a confirmação anual dos dados até ao dia 15 de julho de cada ano. O Registo Central do Beneficiário Efetivo poderá ser feito pelos gerentes, administradores ou pessoas com pessoas com funções equivalentes, por autenticação através da sua chave móvel digital ou entre outros, por Advogados, devidamente autenticados com o seu certificado digital profissional, que possuem para a prática da profissão.


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | AMARANTE | 05

Ciclo de Saraus Amarantinos Stay to Talk 1º Sarau Stay to Talk – Vila Meã (09-03-2019)

Em julho de 2017 nascia uma ideia de negócio social, premiada pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM) como sendo uma ideia de negócio com futuro e com relevância para a região, desde então apresenta-se como um projeto autossustentável e tem atuado na região do Tâmega e Sousa com os parceiros locais. O Stay to Talk – Instituto de Imersão Cultural é uma empresa de impacto social que pretende trazer para Portugal um novo conceito de turismo, o Turismo Idiomático e Criativo de Base Comunitária. Um turismo que tem a língua e cultura portuguesa como o recurso chave onde os turistas possam usufruir de experiências de aprendizagens aprendendo a língua e tendo a oportunidade de a praticar mergulhando na cultura local, realizando percursos de imersão cultural local através de atividades criativas, nomeadamente, desfolhadas, vindimas, entre outras atividades, fazer pão ou dançar num rancho folclórico. Este contacto direto com a comunidade acontecerá com base numa rede comunitária designada por Rede de Agentes Culturais Comunitários (RACC). Com o propósito de implementar esta RACC, ao longo do ano de 2019, através de uma iniciativa reconhecida pelo Fórum para a Governação Integrada (Govint) o Stay to Talk Instituto pretende desenvolver um CICLO DE SARAUS AMARANTINOS que acontecerão, localmente, em cada freguesia a propósito de diferentes temáticas no concelho de Amarante. Estes Saraus Stay to Talk são encontros comunitários informais que pretendem reunir entidades e habitantes locais com o objetivo de clarificar as vantagens que cada um de nós poderá ter ao pertencer à RACC do Stay to Talk Instituto. É um projeto que conta com parceiros permanentes de execução, nomeadamente: (1) ERA-FM responsável pela comunicação de todos os Saraus, o (2) Centro de Estudos Amarantinos, uma presença constante ao longo do Ciclo e (3) o grupo de teatro RI-TE.COM, responsável por animar os encontros. O Stay to Talk Instituto pretende com estes encontros co-construir com a comunidade a

resposta à seguinte questão: - O que poderei ganhar com a chegada do turismo à minha terra? O Primeiro Sarau Amarantino Stay to Talk aconteceu na terra onde o Instituto tem a sua sede, na freguesia de Vila Meã. O Stay to Talk Instituto agradece, desde já, pois foi muito bem acolhido pela Junta de Freguesia que se prontificou a ser parceira local deste evento, assim como o Centro Cívico de Vila Meã Raimundo Magalhães, um ícone da cultura desta terra, que desde logo se prontificou a acolher este evento comunitário. Perante aproximadamente 60 pessoas, após uma breve peça de teatro, que para além de satirizar as vantagens e desvantagens da chegada do turismo às aldeias e de explicar o que é a RACC, é à volta de uma mesa redonda que o debate acontece e motivado pelas seguintes temáticas: (1) as mais valias de um trabalho em rede e colaboração para a comunidade (Dr. Torcato Ferreira), (2) a história do Centro Cívico, do comboio e a vivência da cultura em Vila Meã (Dr. Raimundo Magalhães), e a (3) a influência que a relação entre comboio e turismo tem no desenvolvimento de uma comunidade (Eng. Carlos Machado do CEA). Neste encontro as pessoas/instituições partilharam memórias ligadas ao Centro Cívico aquando a sua atividade de cinema comunitá-

rio, entre outras, algumas preocupações sobre as atuais obras da linha de comboio e da estação de Vila Meã, assunto ainda muito presente e que tem preocupado os vilameanenses. No final do debate o Stay to Talk fez questão de tornar pública a lista de instituições convidadas, nomeadamente, instituições ligadas não só à área associativa (religiosa, cultural, desportiva, empresarial), assim como, a área da restauração a estarem presentes neste debate e a partilharem o seu trabalho no sentido do Stay to Talk Instituto tomar conhecimento e quem sabe passar a realizar parcerias de trabalho nesta área geográfica. O 1º Sarau Stay to Talk em Vila Meã terminou com a partilha de um desejo comum a todos os presentes – que em 2021 pudéssemos todos contar a seguinte história: “Era uma vez a comunidade de Vila Meã que aceitou o desafio de “fazer acontecer” e se juntou ao Stay to Talk Instituto. Agora proporciona aos turistas experiências de aprendizagem e tem conseguido: (1) criar mais postos de trabalho, (2) maior poder de compra e (3) tem vindo a tornar-se uma terra mais dinâmica e atrativa, não só para os de fora como para os seus habitantes, nomeadamente, os jovens. Obrigado Vila Meã por acreditar em nós, Stay to Talk Instituto de Imersão Cultural.

Simulacro e ação de sensibilização no lar residencial Amália Mota - Cercimarante

Foi realizado no Lar Residencial Amália Mota – Cercimarante, uma ação de sensibilização e simulacro destinados aos colaboradores e clientes da Cercimarante numa situação de abalo sísmico. As referidas atividades tiveram como objetivo dotar os participantes com conhecimentos teóricos e práticos do plano de segurança

contra abalos sísmicos, que lhes permitam atuar perante situações de emergência. Neste exercício participaram doze bombeiros do Corpo de Bombeiros Voluntários de Amarante entre os quais elementos do Quadro de Comando, Equipa de Intervenção Permanente 01 e 02 (EIP) e EPS túnel Marão, utilizando duas Ambulâncias de Socor-

ro (ABSC 02 e ABSC 03), Veículo Urbano de Combate a Incêndios (VUCI 03) e Veículo de Comando Operacional Tático (VCOT 01). O exercício consistiu numa derrocada de alguns compartimentos de onde resultaram algumas vítimas e, foi-lhes dada assistência com as devidas intervenções e precauções.


06 | OPINIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Estejamos atentos aos sinais do tempo Estimados leitores no início de 2019, cujo ano é último da segunda década deste novo século e milénio, quero dizer-vos a todos que podem contar comigo todos os meses, porque a minha paixão é dar de graça o que de graça recebi. Sei porque vos conheço muito bem que a vossa interrogação é a seguinte: Que recebeu ele e que nos pode dar? Caríssimos todos nós que acreditamos no poder de Deus, sabemos que através do Espirito, que algo nos transcende e nos ilumina, dando-nos gratuitamente o conhecimento, a sabedoria e o amor, e é exatamente o que eu vos vou procurar dar. Os cristãos Judaico-Católicos, mas que o são só porque criaram o hábito de cumprir o preceito dominical, entramos nus nos templos e saímos despidos, porque nada trazemos para refletir semanalmente. Se trouxéssemos algo alimentaríamos o espírito e sentiríamos uma alma sã em corpo são, para nos apercebermos que é necessário mudarmos de paradigma, para procurarmos observar que os sinais dos tempos estão ao nosso lado, e que nós na maioria, os crentes olhamos para o céu para que de lá venha um sinal. Lá de cima o que vem é a chuva, mas que tem que subir do planeta, através da evaporação, condensação e precipitação. Este natural mistério é a prova da bênção divina, mas a maior riqueza é aquela que nos abençoa logo pela manhã. Meu senhor, Meu Deus: abençoai as nossas mentes. Purificai as nossas bocas e os nossos lábios. Dai força aos nossos corações para vos servirmos mais e melhor. Esta forma e, como se deduz, é com as habituais cruzes respetivamente na testa, na boca, no peito e quando citamos os corações o nosso dedo polegar está mesmo sobre o nosso coração. Agora como estamos já num ano eleitoral vamos, na minha modesta opinião, parar, refletir, porque o voto é a única arma que temos para podermos, mudar de paradigma, porque os políticos que temos são a nossa total desilusão. Vejamos, António Costa, tomou o poder de assalto, traindo os seus camaradas de partido e a seguir traiu aquele que a maioria dos eleitores votantes escolheram para Primeiro-ministro. Chico esperto, pois como sabeis o camarada Jerónimo dizia que o Costa ia misturar a farinha de Passos Coelho no mesmo saco. A Catarina, a grande, mas não é grande coisa, diz que pelo respeito pelas vítimas, quantas vítimas, durante esta falta de governação no país. Quantas catástrofes em 2017 e em 2018? Quantos mortos? Primeiro vamos acordar de vez. Alguém disse que vinha o diabo! Querem pior diabo do que o diabo deste governo? Ando cá quase há 80 anos. Andei na chamada guerra em África, nunca na minha vida sofri tanto como tenho sofrido nestes dois últimos anos. Considerava-me forte, resistente, persistente até, mas agora não. Ana Catarina acusa que a oposição não respeita as famílias. Eu sou oposição extra parlamentar e tenho respeito, de tal ordem, que estive a participar em Baltar, das 9:30 às 12:30, no funeral dessa jovem Daniela, que para salvar uma vida, perderam-se 4 vidas, mas a Daniela viveu para servir, para ajudar, para salvar e, estas vitimas

desta catástrofe, porque o sabemos cumpriram a sua missão. Viveram para servir. Para que servem os políticos? Para que servem os deputados? Tende vergonha, promíscuos e desonestos. Marcam presenças na Assembleia e estão fora. Mudam de residência para nos vigarizarem mais ainda. Depois de tantas falhas inaceitáveis vamos ter que aceitar um governo inaceitável? Tomou o poder do partido traindo um camarada seu. Tomou o poder do país traindo a vontade popular. A maioria dos eleitores escolheram um outro Primeiro-ministro. Mas como os chicos espertos são todos assim não olham a meios para atingir os fins. Mais um adágio: o Sr. Costa das Índias dividiu para reinar, misturando o seu farelo grosso com a farinha do Jerónimo. Eu pergunto: Como é possível o Sr. Costa das Índias ser a favor da Comunidade Europeia e Económica e viver amantizado com bloquistas e comunistas, que são contra a comunidade? Até aqui se vê os hipócritas que temos a fingir que nos governam. É lamentável que os senhores Marcelo e Costa estejam sempre de acordo. Até no inquérito único, sempre de acordo, parecem o roque e a amiga. Quem respondeu pela tragédia de Camarate? Quem influenciou Sá Carneiro para não ir encerrar a Setúbal a campanha presidencial com o saudoso D. Manuel Martins, e o influenciou ir ao Porto ao Coliseu que era no Norte que Soares Carneiro ganharia. Estou a vasculhar mais dados para através deste jornal vos informar quem mandou montar a armadilha a Amaro da Costa, porque já cá, Amaro da Costa, mandou investigar militares que roubavam o estado, mas já nos anos 60 do século passado os vagomestres roubavam nas bombas, assinando valores superiores. O senhor Presidente nos Reis, dia que por coincidência, coincidiu com a tradição do dia 6, com o primeiro domingo, e dia exatamente para todos nós o chamado dia dos Reis, Marcelo aproveitou para dizer e bem que bom este espirito de família, mas Senhor Marcelo vamos todos acordar, porque Jesus o Nazareno há quase dois mil anos disse-nos: “Eu não tenho família. Não há famílias”. Quando disse, minha mãe e meus irmãos, são os que estão aqui comigo. Os que ouvem as minhas palavras e seguem os meus caminhos. Jesus disse, não há famílias. As famílias são como os amigos, só por interesses. Se houver bens nas partilhas zangam-se. Vamos deixar de ser hipócritas! Deus não dorme e, Costa que morria politicamente assassinado pelos seus camaradas misturou o seu farelo com as farinhas do Jerónimo e da Catarina. Sabemos bem que temos o pior governo de sempre, exceto Mário Centeno, verificamos no dia-a-dia, que nenhum vale nada, mas Centeno se não for antes vai no fim da legislatura para o Grupo Europeu. Como temos as eleições Europeias já em maio é bom que saibamos que os anti europa e anti euro, sendo contra a Comunidade Europeia e contra a comunidade económica como é possível tomem lugar em decisões que são contra larguem o tacho. Deixem de ser chulos! Exemplo: há um leilão de algo que vai à praça pública, eu digo que o leilão

nada vale, não interessa e, chegam lá veem-me com a ficha na mão para participar, por favor, se são contra não concorram para um órgão se são contra, tenham vergonha. Tenham vergonha! Quem perde a vergonha não tem mais que perder. A propósito e porque sou demasiado extrovertido vou contar-vos uma história: - O nevoeiro e a vergonha encontraram-se, certo dia, e conversaram bastante ao ponto de que quando se aperceberam era demasiado tarde. Muito à pressa tentam separar-se rapidamente, mas a vergonha atrevida pergunta: - Se eu tiver saudades tuas onde te poderei encontrar? - O nevoeiro responde: - Olha se estiver sol, sem vento, eu estou abrigado nos vales, sinto-me muito bem junto aos rios ou ribeiros. - Está bem, obrigado. - O nevoeiro também interroga. Se eu te perder onde te posso encontrar ó vergonha? - O quê? Não me percas, porque se perderes a vergonha nada mais tens a perder! Até Marcelo está a perder a vergonha. Disse a Bolsonaro que é irmão, quando queria dizer é que o Brasil é um país irmão, mas já reconheceu que é um doente. Em Monchique disse estas frases a seguir aos incêndios: esta manhã tive uma sugestão? Em dois minutos falhou duas vezes, queria dizer “ideia”, mas já falham faculdades e completa o governo. Pensa.Santo Deus iluminai-o, até parece crente. Senhor Presidente se disse que o ministro da A.J. ou PM penso que terão cabeça, agora o governo, não. Faz-me lembrar um comentador na televisão, e não personalizo, por uma questão de ética, diz esta burrice “as instituições e associações são boas, as pessoas é que não valem nada”. Nós povo, somos bons. Os políticos é que não valem nada. Como tenho vocação popular vou terminar com uma quadra. “Os filhos a nossa alegria Os netos a nossa esperança Dão destino à nossa vida E assim nada nos cansa”. Um bom ano cheio de felicidade!

A. Teixeira da Silva


Políticas Ambientais para um Desenvolvimento Sustentável O fundo, enquanto instrumento financeiro de apoio à politica ambiental do Governo, apoia soluções locais de economia circular, ideia estratégica que assenta na reutilização, recuperação, transformação e reciclagem de materiais e energia, substituindo o conceito de fim de vida da economia linear. São objetivos gerais a implementação de soluções adequadas, demonstrando beneficios económicos, sociais e ambientais. Os objetivos específicos, caracterizam-se pelo desenvolvimento de soluções enquadradas nos projetos, tendo por base a conceção de produtos com múltiplas vidas úteis, preservação e conservação dos recursos naturais, bem como contribuir para a educação do produtor/consumidor. Após aprovação das nossas candidaturas, estão disponíveis para produção e partilha os seguintes projetos:

Oficina Comunitária

A oficina comunitária de Ansiães funcionará como um espaço onde todos possam realizar pequenas reparações em todo o tipo de utensílios para prolongar a sua vida útil. Funcionará todas as sextas-feiras entre as 09h00 e as 17h00, num formato completamente voluntário e gratuito. A oficina, pretende também ser um espaço de confraternização e convívio saudável para toda a comunidade.

Produção de Pellets

Os Pellets são uma energia renovável que vai de encontro às necessidades de manutenção da floresta, tendo uma participação ativa na utilização dos desperdícios da limpeza das mesmas como medida para redução do risco de incêndios. O poder energético dos pellets, é cerca de 6 vezes superior à lenha e metade da do gasóleo. É neste momento a alternativa energética com mais crescimento, seja a nível doméstico, industrial e de produção de Electricidade. Vamos iniciar o processo, procurando manter durante todas as fases de produção os melhores parâmetros de qualidade. Serão disponibilizados a todos os utilizadores a preços simbólicos.


08 | AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Visita Pastoral a Figueiró Santiago e Santa Cristina As paróquias de Figueiró (Santiago e Santa Cristina), da vigararia de Amarante, receberam a Visita Pastoral de D. Pio Alves, bispo auxiliar do Porto, entre os dias 19 e 24 de fevereiro. Foram dias marcados pelo diálogo entre os vários elementos e órgãos da comunidade. Estas duas paróquias, estão inseridas geograficamente na União de freguesias de Figueiró (Santiago e Santa Cristina). Apesar de cada uma ser singular nas suas origens, as duas comunidades, partilham juntas momentos de culto e de fé. Todo o trabalho pastoral é desenvolvido, em Santa Cristina há quase 8 anos e em Santiago há quase 5 anos pelo Pároco, P. Nelson Soares, que é também pároco de Telões e Capelão do Hospital de Amarante, inserido no Centro Hospitalar Tâmega e Sousa. Poucas pessoas guardavam memória da última visita pastoral; também por este motivo, esta semana era aguardada, com muito entusiasmo pelas Comunidades. Revelou-se uma semana de muito trabalho, azáfama, mas, sobretudo, de contacto com o povo de Deus. Decorreram diversas atividades, entre elas a visita às escolas, instituições e empresas, que receberam D. Pio Alves, de forma a mostrar a realidade da nossa terra conhecendo, assim, as necessidades e anseios do povo. Esta visita pastoral, revelou-se gratificante na vertente humana, com a visita do D. Pio Alves aos doentes acamados e às suas famílias, onde deixou uma palavra de conforto e esperança. Esta proxi-

midade com os mais frágeis, culminou com a celebração das Eucaristias, com Unção dos Doentes, este sacramento confere uma graça especial, pois une mais intimamente o doente à Paixão de Cristo, dando-lhe conforto, paz e coragem, foi esta a mensagem que D. Pio Alves deixou, também, pela expressão do seu olhar e pelo seu abraço. Um dos pontos altos desta visita pastoral, foi o encontro com as “pedras vivas”, onde estiveram presentes os diversos grupos das comunidades, nomeadamente, ‘alma dance’, catequese, jovens, famílias, leitores, corais, acólitos, caridade, ministros extraordinários da comunhão, zeladores e irmandade. Aqui, D. Pio Alves sentiu a energia e o entusiasmo de cada um, pois todos apresentaram o seu trabalho, oferecendo ao prelado um objeto como símbolo do seu grupo. Neste encontro, congratulou-se com a demonstração da união das duas comunidades graças, sobretudo, ao trabalho pastoral desenvolvido pelo Pároco, sublinhando que esta união é difícil de encontrar na Diocese. Por isso apela à continuidade deste trabalho, lembrando que é fundamental e primordial nesta construção, a participação de todos, desde os mais novos aos mais idosos, tendo cada um, uma função única e especial. Referindo ainda, que “juntos farão uma grande diferença e, sobretudo, partilhar a nossa fé e dar um testemunho válido e credível de unidade, na riqueza da diversidade que o Espírito de Deus cria na sua Igreja”.

Município de Amarante e Centro de Estudos Amarantinos promoveram conferência “António Cândido: um retrato do político e intelectual”

Foi no dia 9 de março que o Salão Nobre da Câmara Municipal de Amarante recebeu a Conferência “António Cândido: um retrato do político e intelectual”. Esta iniciativa, que teve como orador Pedro Tavares de Almeida, Professor Catedrático da

FCSH da Universidade Nova de Lisboa, surgiu no âmbito do protocolo firmado recentemente entre o Município de Amarante e o Centro de Estudos Amarantinos – Associação Cultural, com vista à evocação do centenário da morte do Conselheiro António Cândido, tendo sido designado como Comissário das Comemorações, Luís Ramos, Professor Associado da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. A conferência “António Cândido: um retrato do político e intelectual” é a primeira de um ciclo de atividades que culminará em 2022. Do programa de Evocação a apresentar em momento oportuno constará, nomeadamente, a republicação de obras de António Cândido, publicação de biografia, correspondência e demais obras julgadas de interesse para a divulgação da sua Vida e Obra, conferências, exposição biobibliográfica e iconográfica itinerante, programa com as Escolas de Amarante, entre outras.

Foi com imensa alegria e entusiasmo, que D. Pio Alves foi recebido pelas crianças e adolescentes da catequese, seus pais e catequistas. Foi um momento de partilha e diálogo com todos, onde foram colocadas diversas questões, obtendo sempre uma resposta pertinente. Este encontro ficou marcado pela demostração da importância de frequentar a catequese: conhecer Jesus para o amar e seguir, sendo feliz e fazendo os outros felizes. No último dia da vista pastoral, realizou-se na igreja paroquial de Santa Cristina, a celebração da eucaristia, onde 16 jovens receberam o Sacramento da Confirmação. Estes jovens receberam assim o dom de Deus que os permite viver com plenitude a experiência cristã e, por consequência, a autenticidade da experiência humana. D. Pio Alves, deixou-lhes o desafio de participarem ativamente, nos grupos das comunidades, sendo eles as pedras vivas, na construção da Igreja e na edificação do mundo de amanhã. Sucedeu-se um almoço comunitário, que encerrou a visita de D. Pio Alves, que revelou ter estado com todo o coração nesta visita pastoral, salientado a proximidade e generosidade de todos os que o receberam. Esta visita perdurará na nossa memória; com ela reavivamos nos nossos corações o amor de Deus fortalecendo, assim, os laços que nos unem, como comunidade cristã e fraterna, que pretende viver em Cristo e com Cristo, fazendo de todas as pedras vivas a família que é de Cristo.

Recertificação do curso de tripulante de ambulância de transporte (RTAT) Decorreu nos dias 2, 3, 9 e 10 Março uma recertificação interna destinada a Bombeiros do Corpo de Bombeiros Voluntários de Amarante, o curso de Tripulante de Ambulância de Transporte (TAT). Nesta formação estiveram incluídos dois formadores da Escola Nacional de Bombeiros e onze Bombeiros Voluntários de Amarante.


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | AMARANTE | 09

UVVA Inscrições para expositores abertas até 20 de maio

Amarante Recebeu Taça de Portugal Slalom

A Edição 2019 do UVVA (Universo do Vinho Verde Amarante) vai decorrer em Amarante, nos claustros do Convento de S. Gonçalo e na Alameda Teixeira de Pascoaes, nos dias 14, 15 e 16 de junho. As inscrições para expositores decorrem até 20 de maio. Realizado pela primeira vez em 2016, o UVVA tem vindo a consolidar-se como um evento vínico de referência em toda a região, reforçando a aposta no vinho verde enquanto produto estratégico de desenvolvimento local e de promoção turística. A 4ª edição do UVVA contará com conversas sobre o Vinho e com Showcookings de reconhecidos Chefs, atuações musicais e representações do melhor da gastronomia regional. Para o público, a entrada no UVVA 2019 continuará a ter um custo de 5€, valor que confere o direito a um copo para provas e a um voucher de desconto de 2,5€ na compra de vinho. Para inscrições e informações adicionais, os interessados deverão fazer os seus contactos através do email investamarante@cm-amarante.pt e/ou do telefone 914 378 974.

Inserido no programa “Amarante Cidade Desportiva”, o Aventura Marão Clube, em parceria com o Município de Amarante, organizou e recebeu a Taça de Portugal Slalom. O evento decorreu ao longo de dois dias, 9 e 10 de março, tendo sido o primeiro dedicado a treinos e conhecimento do percurso e o segundo às provas. Contou com um total de 64 atletas, distribuídos pelas 6 equipas que integraram a prova, Associação Desportiva de Amarante (ADA), Águas Bravas Clube (ABC), Darque Kayak Clube, AMAS Vizela, Barquinhense e claro Aventura Marão Clube. Os prémios por equipas foram para os da casa, ficando em 1º lugar o ABC, em 2º a ADA e em 3º o AMC, mas não deixando de dar o devido mérito aos restantes, pois eles também tornaram possível a boa competição que marcou o dia. O Aventura Marão Clube, através de Alfredo Carvalho, fez questão de agradecer à União de Freguesias de Amarante, ao Núcleo da Cruz Vermelha Delegação de Amarante, à Federação Portuguesa de Canoagem e à Connect, por todo apoio prestado antes e durante a prova.

Nova edição “A STEP TO STOP” decorre até 31 de março

À semelhança de anos anteriores e no âmbito do Protocolo de Colaboração entre o Município de Amarante e a Universidade do Porto, 19 alunos do concelho de Amarante, selecionados pelos agrupamentos escolares e escolas não agrupadas do ensino público e privado, com base no aproveitamento e mérito escolar, vão frequentar a “Universidade Júnior”, na semana de 1 a 5 de julho. O protocolo estabelecido entre a Câmara Municipal de Amarante e a Universidade do Porto resulta da consciência da autarquia sobre o importante papel que poderá desempenhar no que respeita à formação qualificada dos jovens do município e do seu interesse em apostar em estratégias que incentivem a prossecução de es-

tudos. Ainda neste âmbito, o Município de Amarante encontra-se a promover uma nova edição do concurso de ideias “A Step to Stop”. Nesta edição, os jovens são desafiados a criar um slogan que apele à prevenção da Violência no namoro. O concurso a Step to Stop destina-se aos jovens residentes no concelho de Amarante, que se encontrem a frequentar, no ano letivo vigente, o 9.º e ensino secundário. Aos autores das três melhores ideias, o Município oferece a participação gratuita na Universidade Júnior, na semana de 1 a 5 de julho. As inscrições para o concurso terminam a 31 de março e devem ser efetuadas em www.cm-amarante.pt.

O comandante dos Bombeiros de Amarante, Rui Ribeiro, disse à Lusa que vão reativar a utilização de cães nas operações de busca e salvamento, no contexto de dispositivo de proteção civil. Segundo a corporação, a equipa cinotécnica é constituída por cinco bombeiros, cada um com um animal devidamente treinado. Já em 2007 tinha sido criada uma equipa, mas por falta de efetivos, acabou

por não realizar as operações. Recentemente decidiram reativar a equipa, confiando ao bombeiro, José Ribeiro, que já fez parte da equipa anterior, a tarefa de ensinar os novos colegas. O comandante orgulha-se da nova equipa cinotécnica, mas queixa-se da dificuldade de obter apoios e formação certificada em Portugal. O canil encontra-se no edifício ao lado do quartel e tem cinco selas para os

Bombeiros de Amarante reativam utilização de cães em operações de salvamento animais. Estes animais precisam de, pelo menos, um ano de treino para ficarem aptos a exercer a função, como disse à Lusa, Carlos Macieira, o coordenador dos treinos. Acreditam os responsáveis que no próximo verão, a equipa cinotécnica dos Bombeiros de Amarante esteja em condições de ser ativada para qualquer ocorrência na região do Tâmega e Sousa, como aconteceu no passado.


10 | OPINIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Amarante e o Futuro Na Assembleia Municipal ocorrida no passado dia 28 de Fevereiro foi debatida a situação financeira da Câmara Municipal de Amarante. A este respeito, cumpre referir que no “Relatório de atividades e situação financeira do Município” apresentado na aludida Assembleia consta que o endividamento a médio e longo prazo tem o valor de 12.081.489 EUROS, que a dívida de curto prazo ascende a 2.416.226 EUROS e, consequentemente, o valor total da dívida do município ascende a 14.497.715 EUROS. Acresce que neste relatório está inscrito que o limite legal de endividamento do Município é de 36.937.038 EUROS, o que se consubstancia numa margem disponível de endividamento superior a 22 milhões de euros. Ademais, é pertinente referir que essa margem de endividamento não pode ser utilizada na totalidade no presente ano, dado que no final deste exercício a dívida não pode ultrapassar o valor de 18.958.271 EUROS. Assim, tendo em atenção estes números, fica devidamente clarificado que é falsa a tese apregoada pelo Partido Socialista de que a Câmara Municipal de Amarante está falida. Apesar disto, certamente que o executivo camarário tem noção que a gestão financeira do município tem riscos devido ao elevado volume de investimentos previstos e deverá ser prudente na realização dos mesmos. No entanto, Amarante não pode voltar ao marasmo que caracterizou a governação socialista e, portanto, é de louvar a capacidade realizadora da atual maioria governativa e o seu empenho em elaborar candidaturas a fundos comunitários que têm uma componente a fundo perdido que certamente ajudará a fazer face a estes investimentos. Defenderei sempre que o equilíbrio das contas

públicas é um pressuposto primordial de qualquer gestão pública eficiente e que a realização destes investimentos não poderá em caso algum colocar em causa a solvência da autarquia. Neste contexto, parece-me ser de elementar bom senso elevar o nível do debate e discutir os investimentos a realizar. Essa é a grande questão política que temos de debater. Quais são os investimentos essenciais (?), quais os que devem ser realizados por beneficiarem de fundos comunitários a fundo perdido (?), quais os que podem ser adiados (?), quais os que devem ser cancelados (?) e, por último, se estamos disponíveis para aumentar a dívida da Câmara para financiar esses investimentos (?). Na minha intervenção na Assembleia Municipal defendi precisamente isto e, acrescentei que temos de ser criteriosos nos investimentos, sendo que qualquer aumento de dívida tem que estar suportado por uma sólida análise custo-benefício e não poderá implicar aumento de impostos. Só devemos realizar aqueles investimentos que sejam essenciais para a nossa terra, que apresentem retorno claro, que melhorem a qualidade de vida dos amarantinos e que criem condições para que a iniciativa privada possa prosperar e criar emprego. São estes princípios que defendo e que devem ser aplicados a cada um dos investimentos previstos, nomeadamente, as áreas de acolhimento empresarial, a obra no Cineteatro, a empreitada no Solar dos Magalhães, a recuperação das margens do rio Tâmega, a reabilitação do Bairro Cancela de Abreu, a remodelação do mercado municipal, ... O Presidente da Câmara Municipal tem pugnado pela necessidade inequívoca de realizar estes investimentos e foi precisamente isso que defendeu na última campanha eleitoral, em que a coligação

“AFIRMAR AMARANTE” obteve uma estrondosa maioria absoluta. Por contraponto, o PS tem todo o direito de discordar do caminho definido pelo PPD/PSD e pelo CDS/PP, mas tem a obrigação ética e política de agir em conformidade e, isso significa, dizer quais os investimentos que devem ser adiados ou mesmo cancelados, porque não é possível afirmar que a câmara está em péssima situação financeira e defender, simultaneamente, a realização destes investimentos. Temos de ser claros, falando verdade aos amarantinos e assumindo que estes investimentos tornam inevitável o aumento da dívida da Câmara. Amarante joga muito do seu futuro no atual e no próximo mandato, pelo que, é obrigação de quem nos representa na oposição e no governo da autarquia, assumir, sem subterfúgios, o que pensa destas questões e tomar as decisões certas para afirmar Amarante, colocando o superior interesse do povo amarantino acima de tricas partidárias.

Carlos Alberto Miranda

Presidente da JSD Amarante

A Mulher na Sociedade Contemporânea JS Amarante - Sofia Ribeiro

No dia 8 de março celebrou-se o Dia Internacional da Mulher. Viram-se imensas flores, sorrisos e beijinhos a serem distribuídos como apoio a esta causa. E tenho a certeza que, até aqueles para os quais este dia não tem muita importância, deram um sorriso ou ficaram com uma disposição um bocadinho melhor ao receber ou apreciar todos estes carinhos concebidos por um interesse em comum. Mas, infelizmente, nem sempre foi assim. No período de 1950 e 1960 a mulher esteve presa às tarefas domésticas e regras impostas pelo homem. O pre-

conceito de género fez-se presente em várias áreas, quer nas ciências naturais, quer nas ciências humanas e sociais. A sociedade era quem determinava as diferenças de gênero baseadas na conceção de que o homem, por ser superior, representava a mulher. Este estereótipo de “rainha do lar” era não só refletido em filmes, mas também na educação. Existiam, por exemplo, diferenças nos currículos das escolas femininas e masculinas, as meninas aprendiam corte e costura, e poderiam ser, no máximo, professoras. Essa divisão foi rompida com o movimento feminista e processo de empoderamento da mulher que foi idealizado nos anos 1960. Surgiram aí várias maneiras de encorajar o empoderamento do sexo feminino como por exemplo a pílula anticoncepcional permitiu à mulher o controle sobre seu corpo. A partir de imensos debates, iniciou-se também uma revolução dentro dos setores das ciências humanas onde áreas como filosofia, sociologia e história criaram departamentos para discussões sobre as questões de gênero. Por conseguinte, em 1911, na Áustria, Alemanha, Dinamarca e Suíça, milhares de mulheres marcharam a exigir o direito de voto, de trabalho e o fim da discriminação; Na Rússia, a revolução bolchevique teve o seu inicio em 1917, com as reivindicações de mulheres que reclamavam por “pão e paz”; Já em

Itália, no ano de 1943, um movimento feminino protestou contra Mussolini e exigiu o fim da II Guerra Mundial; Em Portugal, a luta pela implantação da República, que levou à queda do regime fascista, contou com a ajuda das mulheres, que até 1974 não tinham muitos dos direitos que deviam usufruir como cidadãs. No entanto, apesar de ser comemorado desde 1909, o Dia Internacional da Mulher só foi proclamado oficialmente pelas Nações Unidas em 1975. E, somente em 1979 foi aprovada a Convenção para a eliminação de todas as formas de discriminação contra as mulheres. Hoje, o feminismo pode se definir como uma área que se baseia na análise das relações entre os sexos, bem como na prática da luta pela libertação das mulheres, representando assim um importante papel na sociedade no que toca à reflexão sobre o sistema social que condiciona o livre movimento das mulheres nas várias situações da vida. Apesar de tudo, violência contra a mulher em casa e na rua, costumes antigos que ainda perduram na sociedade atual, a falta de mulheres no poder e em cargos de alto nível e o preconceito por parte da parcela masculina são problemas que ainda não foram derrubados e nos quais a sociedade, especialmente feministas, luta para eliminar.


12 | ENTREVISTA | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Vítor Hugo Teixeira

“(...) até os mais difíceis obstáculos se curvarão diante da força de quem luta para vencer.” Amarantino de gema, estudou no Colégio de São Gonçalo, foi jogador de futebol nas camadas jovens do Amarante Futebol Clube e fez a Licenciatura em Biologia na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Tinha o “bichinho” da investigação e decidiu realizar o mestrado científico também nessa mesma Universidade. Com um percurso admirável, ganha uma prestigiada bolsa de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia e partiu para França. Mais tarde, recebe um convite aliciante para ficar na Faculdade de Medicina René Descartes em Paris, mas já estava em Londres e é onde reside atualmente. É cientista no Departamento de Medicina da University College London (UCL), na área do cancro do pulmão. Esta entrevista dar-nos-á a conhecer um brilhante ser humano e cientista que muito nos orgulha, ainda mais sendo amarantino.

Jornal de Amarante (JA) – Quem é o Vítor Hugo Teixeira? Vítor Hugo Teixeira (VHT) - Antes de mais, gostaria de agradecer o convite para estar nesta entrevista. Sou um amarantino de gema, que nasceu há 41 anos na freguesia de São Gonçalo. Passei a minha infância repartida pelo Campo da Feira e Estradinha. Joguei futebol durante 8 anos, nas camadas jovens do Amarante Futebol Clube. Sou casado e tenho um filho de 21 meses. Actualmente, resido em Londres onde sou cientista, no Departamento de Medicina da University College London (UCL), na área do cancro do pulmão. JA – Conte-nos o seu percurso académico. VHT - Eu realizei todo o meu ensino básico e secundário no Colégio de São Gonçalo, em Amarante. Posteriormente, efectuei a minha licenciatura em Biologia na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Depois de terminar a licenciatura lecionei a disciplina de Biologia em diversas escolas secundárias do distrito de Coimbra e a cadeira de Genética e Biologia Molecular na Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Como o “bichinho” da investigação esteve sempre presente na minha cabeça, decidi realizar o mestrado científico em Biologia Celular na Universidade de Coimbra, tendo feito o meu projecto de investigação na área do Transplante Cardíaco no Centro de Histocompatibilidade do Centro em Coimbra. Depois de terminar o mestrado decidi que a investigação clinica

iria ser a minha vida e, depois de ter obtido uma prestigiada bolsa de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia, parti para Franca para efectuar o meu doutoramento na Universidade de Evry/Paris VII. O meu projecto de investigação envolveu o estudo genético da artrite reumatóide. Durante o meu doutoramento, identificamos vários genes que se encontram envolvidos no desenvolvimento desta doença (genes de susceptibilidade). JA – Em que altura da sua vida profissional surge Inglaterra ? VHT - Uns meses antes de terminar o meu doutoramento, recebi um convite bastante aliciante para ficar a trabalhar num grupo de investigação da Faculdade de Medicina ReneéDescartes em Paris. Mas, durante esse período, estava em Londres com a minha namorada, actual esposa, que tambem é cientista e se encontrava na altura a trabalhar na London School of Higiene and Tropical Medicine. Nesse período, assisti a uma palestra sobre cancro do pulmão do Professor Sam Janes na University College London e fiquei fascinado pela investigação que este se encontrava a realizar. Depois de várias conversas e emails trocados, o Professor Janes ofereceu-me uma posição de cientista no seu laboratório, a qual aceitei. Como é óbvio, fiquei extremamente feliz, uma vez que esta posição me proporcionava ficar a trabalhar num projecto de investigação excelente, numa das melhores universidades do mundo. Além disso, juntei o útil ao agradável uma vez que me permitiu ficar junto

da minha esposa. Há 9 anos que aqui estou, sempre com a mesma motivação com que iniciei este projecto. JA – Sendo filho único, de que forma a sua ida para França alterou as rotinas da sua família? VHT - Para ser sincero, não foi nada fácil... Nos primeiros meses a minha adaptação a Paris foi algo difícil devido, não só à barreira linguística - uma vez que a minha segunda língua era o Inglês, como também devido às muitas saudades que sentia dos meus pais, família e amigos. Sendo filho único foi, como deve imaginar, extremamente complicado para os meus pais. Mas conseguimos matar as saudades com chamadas regulares pelo Skype e com visitas frequentes dos meus pais a Paris e minhas a Amarante. JA – Sabemos que faz parte de uma equipa de cientistas, em que área se centra a vossa investigação? VHT - Eu sou cientista no laboratório “Lungs for Living” que faz parte do departamento “UCL Respiratory” que está incluído na Divisão de Medicina da University College London. O foco primordial da nossa investigação é compreender os mecanismos envolvidos na progressão do cancro do pulmão. O cancro do pulmão é o cancro mais frequente no Mundo. A sua incidência aumenta a um ritmo abismal de 0.5% por ano. Em Portugal, ocupa o 4º lugar em termos de incidência e o 2º lugar em mortalidade. Todos os anos surgem mais de 4


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | ENTREVISTA | 13

mil casos a nível nacional e aproximadamente metade dos pacientes morre durante os primeiros 12 meses. O aparecimento do cancro do pulmão está ligado a factores externos como o fumo do tabaco, a poluição e as radiações, e a factores próprios do indivíduo, como por exemplo a predisposição genética. Quando um indivíduo susceptível é posto em contacto com um agente carcinogénico, após um período de latência, as suas células vão sofrer alterações que levam ao aparecimento do cancro do pulmão. Antes do aparecimento do cancro do pulmao este passa por uma fase chamada pre-invasiva. Os patientes nesta fase desenvolvem lesões chamadas carcinoma in situ que estão ainda delimitadas por uma membrana, não afetando por isso os tecidos pulmonares adjacentes. Nós queremos perceber o porquê de estas lesões se tornarem invasivas, originando assim o cancro do pulmão. JA - Sabemos também que, recentemente, publicou um artigo científico muito importante nesta área. Descreva-nos, em traços gerais, o que descobriram? VHT - Sim, publicamos um artigo científico num dos mais conceituados jornais de medicina do mundo chamado Nature Medicine. Para quem tiver curiosidade em ler o artigo pode procurar no Google com o título “Deciphering the genomic, epigenomic, and transcriptomic landscapes of pre-invasive lung cancer lesions”. Como disse anteriormente, antes de o cancro do pulmão aparecer, os pacientes possuem lesões pre-cancerosas nas vias respiratórias. Nós observamos que só metade desses carcinomas in situ dão origem ao cancro do pulmão, enquanto outros desaparecem ou ficam benignos. Ao microscópio todas os carcinomas in situ são semelhantes, por isso torna-se impossível saber que lesões se devem tratar. Nós estudamos 129 biopsias de carcinomas in situ e descobrimos que as diferenças entre os carcinomas in situ que progridem para o cancro do pulmão e as lesões que são benignas ocorrem no ADN e ARN das celulas que fazem parte destas lesões. Nós identificamos diferentes “assinaturas” epigenéticas, genéticas e de expressão génica que difereciam as lesões que progridem das lesões benignas. Estas “assinaturas” são tão diferentes que podemos prever com uma enorme especificidade quais são os carcinoma in situ que irão desen-

JA - Tenciona um dia voltar para Portuvolver o cancro de pulmão. Em conclusão, este estudo ajudou a perceber as etapas iniciais de gal? VHT - Estou à espera do convite... (ri-se). desenvolvimento do cancro do pulmão, descobrindo o que está a ocorrer dentro das celulas Apesar de me sentir feliz e realizado em Inglaterra, estaria a mentir se dissesse que não gosantes de elas se tornarem cancerosas. taria um dia de voltar a Portugal. Tenho muito JA - De que maneira estas descobertas po- orgulho em ser português e gostaria imenso de partilhar todo o conhecimento que obtive dudem ajudar os pacientes? VHT - O grande problema do cancro do pul- rante todos estes anos com os excelentes cienmão é que o seu diagnóstico é feito numa fase tistas que nós temos em portugal. Vamos ver o muito tardia, uma vez que este pode crescer que o futuro me reserva... durante muito tempo sem dar qualquer sintoma JA – Qual é o seu lema de vida? ou sinal. O nosso objectivo é usar estas “assiVHT - O meu lema de vida é tentar sorrir naturas“ genéticas para no futuro desenvolver testes diagnósticos que irão detectar o cancro sempre, porque até os mais difíceis obstáculos do pulmão numa fase inicial, aumentando as- se curvarão diante da força de quem luta para sim a sobrevivência dos pacientes e possibili- vencer. tando o início imediato dos tratamentos. Para JA – De que sente mais falta de Amaraneste efeito, este ano iremos iniciar um ensaio clínico em pacientes com carcinomas in situ te? VHT - Além da minha familia e amigos, nos pulmões onde iremos validar as “assinatusinto falta da tranquilidade que Amarante me ras” acima mencionadas. O nosso estudo também identificou diversos transmite. Adoro passear junto ao rio e deligenes individuais envolvidos na progressão do ciar-me com a beleza ímpar da nossa cidade. cancro do pulmão. Estamos actualmente a in- Sinto falta do calor das pessoas e da impetuovestigar em detalhe a função destes genes para sidade das gentes do norte. Finalmente, como perceber os seus mecanismos de ação no de- um bom garfo que sou, sinto falta dos produsenvolvimento deste cancro e quais os genes tos típicos da nossa gastronomia (ri-se). que podem ser usados para o desenvolvimento JA – Como ocupa o seu tempo livre? de novas drogas. VHT - Adoro viajar. Gosto muito de ir ao JA - Quais os seus projectos para o futu- cinema, concertos e exposições de arte. Mas, neste momento, aproveito todo o tempo livre ro? VHT - Tenho dois grandes projectos em que que tenho para estar com o meu filho e com a estou envolvido neste momento. No primeiro, minha esposa. estou a tentar decifrar o perfil imunológico dos JA – E para terminar, que mensagem goscarcinomas in situ. Um dos objectivos deste projecto é verificar se existem diferenças imu- taria de deixar aos nossos leitores, em partinológicas nas lesões que progridem para can- cular aos amarantinos? VHT - Gostaria de enviar um forte abraço cro relativamente às lesões que se tornam benignas. Com o desenvolvimento nos últimos a todos os Amarantinos. Sejam felizes, aproanos da imunoterapia, uma forma de terapia veitem ao máximo a vida, lutem sempre pelos que pretende estimular o sistema imunitário vossos sonhos e desfrutem imenso da nossa do próprio doente para combater o cancro. O bela cidade de Amarante. meu objectivo é investigar se estas imunoteraJA - Agradecemos ao Vítor Hugo Teixeira pias podem ser utlizadas em doentes com lea possibilidade de nos dar a conhecer o ser sões pré-cancerosas. O meu outro projecto envolve o início dum humano que é, e o trabalho extraordinário mestrado em Setembro de 2020 em Medicina que realiza em prole da ciência, da humaRespiratória na UCL, no qual eu serei o direc- nidade e o seu bem-estar. Desejamos-lhe os tor. Ainda estamos numa fase de construção maiores sucessos a nível pessoal e profissiodos diferentes módulos, mas penso que, no nal e que continue empenhado no excelente verão deste ano, o mestrado será publicitado. trabalho que tem realizado. Pub.


14 | AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Orçamento Participativo Jovem de Amarante está de volta

O Orçamento Participativo Jovem (OPJ) vai já na quinta edição e aguarda pela tua proposta. Se tens entre os 14 e 30 anos, és residente, trabalhador, estudante ou natural de Amarante, apresent a tua proposta em www.opjamarante. pt, até 5 de abril. As propostas devem incidir nas áreas de competência do Município, nomeadamente in-

vestimentos, manutenções, programas ou atividades e projetos transversais a todo ou a parte do concelho, nas áreas da cultura, turismo, educação, ambiente, ação social, urbanismo e obras, desporto, saúde, voluntariado, associativismo, empreendedorismo e inovação social. A apresentação pública das propostas admitidas decorrerá a 25 de maio, data a partir da qual se irá iniciar a votação que terminará a 30 de junho. Para mais informações os interessados podem contactar a Divisão da Educação Juventude e Desporto, através de 255 420 233 ou 912 127 804 ou do email opjamarante@cm-amarante.pt. Recorde-se que o OPJ visa contribuir para o exercício de uma intervenção informada, ativa e responsável dos jovens nos processos de governação local. Incentivar o diálogo e interação entre eleitos; contribuir para a educação cívica; adequar as políticas públicas municipais às necessidades e expectativas dos jovens e aumentar a transparência da atividade da autarquia, são alguns dos objetivos desta iniciativa. Até 15 mil euros é o valor que poderá ser atribuído à proposta vencedora.

AH Bombeiros Voluntários de Vila Meã Instituto Português do Sangue e da Transplantação, IP. “Um pouco de nós pode fazer uma grande diferença. Uma dádiva de sangue equivale a cerca de 10% do sangue em circulação no nosso corpo e é reposta rapidamente pelo organismo. Seja solidário com quem precisa. Dê sangue, uma única dádiva pode salvar até 3 vidas”.

CHTS promoveu debate sobre o tema, aberto a doentes e profissionais

Incontinência Urinária: ultrapassar os tabus

Como forma de assinalar o Dia Mundial da Incontinência Urinária, o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) promoveu um encontro sobre o tema. “Construir soluções com profissionais dedicados” foi o mote para um debate, onde se falou sobre os vários tipos de incontinência urinária, os diferentes tratamentos, numa discussão aberta, também, à participação dos doentes. A incontinência urinária afeta cerca de 600 mil portugueses, mas apenas 10 por cento procura ajuda médica, como ficou patente nas intervenções de vários especialistas, dando conta que o assunto é ainda um tabu para muitas pessoas, o que as impede de encontrar a cura. Seja através da cirurgia, fisioterapia ou medicação, a taxa de cura é de cerca de 90 por cento, pelo que procurar ajuda médica é imperioso. Com repercussões a nível pessoal e familiar, a doença pode mesmo, como disse o presidente do Conselho de Administração do CHTS, Carlos Alberto Silva, “afetar seriamente a vida profissional”, referindo-se ao caso de um doente que, por ter de sair muitas vezes do posto de trabalho para ir à casa de banho “acabou por perder o emprego”. Após uma cirurgia à próstata, na sequência de um parto com uma fase de expulsão muito prolongada ou, mesmo, em jovens que praticam desportos de alto impacto, a incontinência urinária pode instalar-se, tendo um grande impacto psicológico,

emocional, social e económico na vida das pessoas. Todas estas vertentes foram abordadas neste encontro, onde houve lugar, também, à descoberta de uma nova abordagem, que poderá passar por práticas como a hipnose. Miguel Teixeira, enfermeiro do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho deu conta da sua experiência com a utilização da hipnose para o tratamento da enurese noturna nas crianças, uma prática que Joaquim Lindoro encara como “mais uma opção a explorar” também na incontinência urinária no adulto. Para o diretor do Serviço de Urologia do CHTS, a quem coube a organização do encontro, o importante é que “os doentes recorram ao médico e não tenham medo de falar da doença”, porque, realça, “as opções terapêuticas são cada vez mais diversificadas e eficazes”. Rogério Pacheco, enfermeiro responsável pelo

Serviço de Urologia, alerta: “É fundamental que as pessoas estejam atentas a esta problemática e peçam ajuda através do médico de família.” No CHTS, existe uma unidade de Incontinência Urinária e, semanalmente, fazem-se 30 a 50 consultas. Além do recurso à fisioterapia e aos fármacos, as soluções para os casos mais complicados podem passar, no caso de uma incontinência pós-cirurgia radical da próstata, por exemplo, pela colocação de um esfíncter artificial ou, nos casos mais acentuados de perdas de urina por esforço, o uso de redes para suporte da uretra. Seguindo as tendências mais atuais, o CHTS recorre também ao botox no tratamento desta patologia. A iniciativa contou com vários especialistas e foram abordados temas como “Incontinência urinária no idoso, um problema sem solução?”, “Incontinência urinária Pós Parto, prevenir é melhor do que tratar”, “Quando e como usar exercícios pélvicos e a reeducação esfincteriana”, “O Botox na Incontinência Urinária, qual a sua eficácia?”, “Hipnose e enurese, entre a espectacularidade e a cura”, “Incontinência Urinária de esforço: Um futuro sem rede?” e, a finalizar, um painel sobre as “Realidades e Dificuldades” da Incontinência Urinária que envolveu profissionais das áreas de Urologia, Medicina Geral e Familiar, Enfermagem, Psicologia, Fisioterapia e Serviço Social.


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | REGIÃO | 15

Tâmega e Sousa participou no ‘Fórum Gastronómico a Coruña’

Durante três dias, o Tâmega e Sousa reuniu sabores, aromas e cores à mesa numa mostra que pretendeu homenagear e promover todo um reconhecido saber-fazer regional. Deste modo, a Gastronomia – a título de exemplo: a doçaria típica, os enchidos e os queijos, as compotas e o mel, os cogumelos ou os espargos – e, claro, o Vinho Verde estiveram em destaque. Da programação, é de salientar a apresentação de sessões de showcooking pela mão de dois conceituados chefs da região: António Queiroz Pinto, chef do Restaurante de Tormes, localizado na Fundação Eça de Queiroz, em Baião; e Joaquim Gomes, chef do Aidé Restaurante, em Paços de Ferreira. A degustação dos pratos, confecionados com produtos premium, foi complementada com provas de Vinho Verde enólogos da região. do Tâmega e Sousa, sob a responsabilidade de É de notar que o Fórum (FGC) foi criado em

1999 e que desde então se tornou no ponto de encontro imprescindível para profissionais da gastronomia e empresas dos setores agroalimentar e turístico. A sua fórmula de feira e atividades dinâmicas tem vindo a consolidar-se através de técnicas inovadoras, sendo atualmente um evento de referência que conta com três sedes: Barcelona, Corunha e Girona. Esta é mais uma ação de marketing territorial, promovida pelo Consórcio “Tâmega e Sousa Internacionaliza”, o qual é constituído pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, pelo Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa, pela Ader-Sousa – Associação de Desenvolvimento Rural das Terras do Sousa, pela Dolmen – Desenvolvimento Local e Regional e pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto.

CIM do Tâmega e Sousa presente na BTL 2019 A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) vai estar presente na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre de quarta-feira a domingo, 13 a 17, na FIL – Feira Internacional de Lisboa. Este é já o quinto ano consecutivo de participação da CIM do Tâmega e Sousa naquela que é a mais importante feira nacional do setor turístico. A participação da CIM do Tâmega e Sousa constituirá, uma vez mais, uma oportunidade para promover o potencial e a oferta turística do destino Tâmega e Sousa junto de operadores e profissionais do mercado, bem como de turistas e visitantes. À semelhança dos anos anteriores, a participa-

ção da CIM do Tâmega e Sousa na BTL será articulada com a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), em cujo stand, localizado no Pavilhão 1 (stand 1C01), principal entrada da feira, se integra o espaço expositivo da CIM do Tâmega e Sousa. A programação da CIM do Tâmega e Sousa, desenhada em estreita articulação com os 11 municípios que a constituem – Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende –, colocará a tónica no produto estratégico gastronomia e vinhos – em linha com outros projetos que a CIM do Tâmega e Sousa tem

vindo a desenvolver de promoção do vinho verde, aliando-lhe a gastronomia e a doçaria típica –, bem como no turismo de natureza e no turismo cultural, associando-lhe o calendário de eventos e festividades regionais. A participação da CIM do Tâmega e Sousa na BTL 2019 insere-se na Operação “Tâmega e Sousa – Qualify and Brand On”, liderada pela CIM do Tâmega e Sousa, em parceria com o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa e a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto, e cofinanciada pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Retomado ciclo de conferências Quid Juris, Tâmega e Sousa? Depois da conferência “A Lei do Orçamento de Estado para 2019 aplicada às autarquias locais e entidades intermunicipais”, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) retoma, este mês, o ciclo de conferências Quid Juris, Tâmega e Sousa?, um ciclo de quatro conferências subordinado às especificidades jurídicas das entidades intermunicipais e autarquias locais e que tem como foco as mais recentes novidades legislativas aplicáveis a estas entidades. A segunda conferência, subordinada ao tema “A descentralização administrativa”, vai decorrer no próximo dia 22, das 9h00 às 18h00, no Auditório Municipal de Cinfães. A conferência será presidida pelo Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, e será dividida em dois painéis: no painel da manhã, que será conduzido por especialistas em direito constitucional e administrativo, será feita uma abordagem jurídica do processo de descentralização administrativa; no painel da tarde,

debateremos a descentralização administrativa na perspetiva do desenvolvimento regional, com intervenções de agentes políticos e do meio académico. Especialmente dirigido às entidades intermunicipais e autarquias locais, este ciclo de conferências é também aberto à participação das demais entidades do perímetro autárquico, bem como a todos os interessados na temática. A participação na conferência é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia. Os interessados poderão inscrever-se no sítio da internet da CIM do Tâmega e Sousa, em www.cimtamegaesousa.pt.

Até ao final do ano, este ciclo incluirá mais duas conferências: “O Código dos Contratos Públicos – Balanço” (21 de junho) e “Energia Elétrica em Baixa Tensão – O Papel dos Municípios” (11 de outubro). O ciclo de conferências Quid Juris, Tâmega e Sousa? é organizado pela CIM do Tâmega e Sousa, em parceria com a Secretaria de Estado das Autarquias Locais, a Secretaria de Estado da Valorização do Interior, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Penafiel, o Tribunal Judicial da Comarca do Porto Este, a Direção-Geral das Autarquias Locais, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, a Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa – Porto, a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto, o CEDIPRE – Centro de Estudos de Direito Público e Regulação da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e a AEDRL – Associação de Estudos de Direito Regional e Local.


16 | REGIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

CIM do Tâmega e Sousa discorda da posição da CNE sobre publicidade institucional

Na sequência da publicação da Nota Informativa sobre publicidade institucional (Eleição PE 2019), emitida pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), no passado dia 6 de março, a propósito das eleições para o Parlamento Europeu, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), conforme deliberado na reunião de 8 de março do Conselho Intermunicipal, já manifestou a sua discordância em relação à mesma junto desta Comissão, bem como da ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses, da Secretaria de Estado da Administração Local, da Provedoria de Justiça e, ainda, da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias junto da Assembleia da República. A discordância da CIM do Tâmega e Sousa e dos 11 municípios que a integram em relação a esta Nota Informativa assenta nos seguintes motivos: A CIM do Tâmega e Sousa é uma associação de municípios devidamente representada na sua atuação por eleitos locais ou autarcas democraticamente eleitos através de um regime próprio, vertido na Lei Orgânica n.º 1/2001, de 14 de agosto (que regula a eleição dos titulares dos órgãos das autarquias locais, e segunda alteração à Lei n.º 56/98, de 18 de agosto, com

a redação que lhe foi conferida pela Lei n.º 23/2000, de 23 de agosto, que altera o regime do financiamento dos partidos políticos e das campanhas eleitorais). Será, pois, nesse calendário eleitoral que se reveem e não, como que a CNE pretende fazer valer, na interpretação redundante das disposições da Lei n.º 72-A/2015, de 23 de julho e, em particular, do seu artigo 10.º, n.º 4, por via de uma visão “ciclópica” desta mesma Lei perante um ato eleitoral juridicamente estanque dos demais. Com esta Nota Informativa a CNE promove, com o devido respeito, uma interpretação excessivamente extensiva do ponto de vista do âmbito da aplicação da norma (cfr. Ponto II) que não mais não é, na prática, de que uma política de desinformação. Por seu turno, na sua Nota Informativa a CNE entra em contradição, com os exemplos adiantados no n.º 15 do Ponto II e a interpretação da norma em causa, dando ab initio como obrigatória a observância de um requisito apertado – ao proibir toda a publicidade institucional – para, do mesmo passo e de uma forma díspar, elencar exemplos, esses sim, verdadeiramente proibitivos (cfr. Acórdãos n.ºs 461 e 586 de 2017, todos do Tribunal Constitucional), aos quais se adere sem qualquer reserva.

Concerto | Reflexus Trio O Re: Flexus Trio surgiu do encontro espontâneo entre três instrumentistas que frequentaram a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto. Desde então, têm trabalhado predominantemente o repertório clássico, romântico e contemporâneo que junta os três instrumentos. A sua estreia ocorreu, em 2017, no Teatro Helena Sá e Costa, no âmbito do Festival ESMAE – evento dedicado, sobretudo, à apresentação e divulgação de jovens grupos de música de câmara. Entretanto, realizaram também concertos no Teatro Cine de Gouveia, na Casa Branca de Gramido (Gondomar). Em 2019, irão apresentar-se no Auditório Municipal do Seixal, na Casa das Artes de Felgueiras e no CAE de Sever do Vouga.

Este órgão e, em particular, os seus municípios associados defendem os interesses locais dos seus territórios, não integram as listas ao Parlamento Europeu, seguramente, e não utilizam publicidade institucional, em sentido estrito, para eventual “propaganda política”. A CIM do Tâmega e Sousa e em particular os seus municípios atuam e atuarão, independentemente de qualquer Nota Informativa, na defesa dos interesses das suas populações, como assim se consagra no artigo 234.º da Constituição da República Portuguesa (CRP), nossa Lei Fundamental, e, ao abrigo da mesma, exercerão o seu Direito de Liberdade de Expressão e Informação (cfr. artigo 37.º da CRP). Será, por conseguinte, no pleno exercício deste direito, de que, aliás, se não prescinde, que os Municípios da CIM do Tâmega e Sousa continuarão a promover informação institucional no seu Município. A referida Nota Informativa da CNE é, em função do exposto, merecedora de censura política, tendo o Conselho Intermunicipal da CIM do Tâmega e Sousa deliberado reservar-se à interpretação do artigo 10.º, n.º 4, da Lei n.º 72-A/201,5 numa ordem de compatibilização do direito e do seu reverso dever de prestar informação institucional em nome da transparência que a todos nos une.

Médicos do CHTS ministraram curso de resseções gástricas por laparoscopia Médicos da Unidade de Patologia Esofagogástrica do Serviço de Cirurgia Geral do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) foram convidados a ministrar um curso certificado pela Sociedade Portuguesa de Cirurgia Minimamente Invasiva sobre resseções gástricas por laparoscopia. Esta abordagem técnica do Cancro Gástrico para remoção de tumores pratica-se no CHTS, desde 2007, com bons resultados oncológicos e deixou bastante entusiasmados os formandos que participaram no curso. Carla Freitas e César Alvarez, cirurgiões do CHTS, foram os formadores desta ação para formandos com experiência em Cirurgia Laparoscópica Avançada. A formação tinha vagas para 12 inscrições e a lotação foi completamente esgotada com cirurgiões vindos dos maiores hospitais de Lisboa e Vale do Tejo, assim como dos Açores, nomeadamente do Centro Hospitalar de Lisboa Norte, Centro Hospitalar de Setúbal, Centro Hospitalar do Barreiro Montijo, Centro Hospitalar de Évora, IPO de Lisboa, Hospital Curry Cabral, Unidade Local de Saúde de Castelo Branco e Hospital de Ponta Delgada. O curso de resseções gástricas realizou-se, a 22 de fevereiro, no Centro de Cirurgia Experimental Avançado, em Vila do Conde.


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | REGIÃO | 17

Beca vence primeiro desafio da 2ª Fase da 2ª Divisão Nacional para chegar ao Campeonato Nacional da 1ª Divisão A equipa de Juvenis Masculinos do Beca – Bastinhos Escola Clube de Andebol defrontou em casa, Celorico de Basto, no dia 22 de fevereiro, o ISMAI e conseguiu a primeira vitória na fase de subida à 1ª divisão. O Gimnodesportivo de Celorico de Basto encheu para apoiar a equipa da casa num jogo frenético entre duas equipas que ansiavam pela vitória. Ao intervalo o Beca perdia por 8-9 mas na segunda parte conseguiu dar a volta ao resultado terminando a partida a vencer por 21-19. A satisfação do treinador era evidente numa fase difícil mas com objetivos concretos. “Estou muito satisfeito, confio plenamente nos meus jogadores e sei que têm capacidade para competir de forma muito competente com qualquer adversário. Hoje, tivemos alguma di-

ficuldade em imprimir o nosso ritmo, e apesar de estarmos a perder durante grande parte do jogo, conseguimos superar o adversário com determinação e empenho dos nossos atletas. Os adeptos foram fantásticos, e deram um excelente contributo para o resultado alcançado”, disse João Varejão, treinador do Beca. Antes do arranque do jogo que levou os adeptos ao rubro, toda a equipa de Juvenis

Masculinos recebeu as medalhas e a taça de campeões regionais, tarefa a cargo de Manuel Moreira, Presidente da AA de Braga. Um momento que contou ainda com a presença de um representante da autarquia, David Pinto, o subdiretor do Agrupamento de Escolas, Paulo Loureiro, e dois antigos diretores do Agrupamento de Escolas, Ernesto Mesquita e Marcelino Mota. Segundo David Pinto, responsável pela Coordenação Municipal de Desporto do Município, esta consagração “é fruto de muito trabalho e dedicação de todos os que fazem parte do Beca, um clube que tem vindo a crescer em atletas, adeptos e parceiros e que tem atingido grandes feitos no andebol. Para o Município é muito gratificante assistir a estes resultados”.

Mês do Livro: autor mondinense apresentou novo livro

O jovem Mondinense Luís Miguel apresentou, no passado dia 9 de março e no âmbito das atividades do Mês do Livro, a sua recente obra intitulada “A Maldição dos Quatro Rei-

nos: Poder de Sangue”. O Auditório da Assembleia Municipal encheu-se de familiares, amigos do autor e representantes de várias instituições do concelho, que quiseram conhecer o segundo volume da saga de literatura fantástica que o jovem autor lançou com a Chiado Editora. O Presidente da Câmara, Humberto Cerqueira, na sua intervenção felicitou o autor Luís Miguel pelo seu “talento e criatividade que valoriza a cultura e o nosso território”. Realçou também o “orgulho de presidir a um município que tão bem trata a cultura e que tão bem acolhe estas iniciativas”. Luís Carlos Machado Miguel é natural de

Mondim de Basto e licenciado em enfermagem, profissão que exerce desde 2013. A paixão pela literatura fantástica levou-o a enveredar pela escrita.

Vila de Celorico de Basto rendida à folia do Carnaval

Centenas de pessoas deslocaram-se, no dia 01 de março, à vila de Celorico de Basto para ver de perto os foliões oriundos do Centro Escolar de Celorico de Basto, da Creche e do CAO da Associação de Solidariedade Social de Basto e do Infantário da Santa Casa da Misericórdia de Arnoia. Um momento de folia para participantes e plateia como referiu o Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, presente na iniciativa e colaborante com a iniciativa. “Estas tradições devem ser preservadas sobretudo pela alegria que os participantes emanam durante o cortejo”. Um cortejo que atraiu centenas de pessoas à vila de Celorico de Basto e que, como referiu o autarca, “demonstra o trabalho das diferentes entidades na organização do mesmo, com trajes bem conseguidos, arrojados e que deixaram o público certamente agradado”. Do Centro Escolar da Vila participaram 14 turmas que tiveram como tema as mais belas histórias infantis desde a gata borralheira, a

Cinderela, a Alice no País das maravilhas, o Aladino, os 101Dalmatas, a bela adormecida, entre outras. Segundo a Coordenadora do Centro Escolar da vila, Maria José Carvalho, vestida de fada madrinha, “vale muito a pena participar nesta iniciativa basta olhar para a cara dos pais”. Uma iniciativa que demorou cerca de um mês a ser preparada, “desde reuniões à

preparação, mas que contou com uma intensa colaboração dos pais e encarregados de educação”, referiu. O CAO – Centro de Atividades Ocupacionais e a creche da Associação de Solidariedade Social de Basto mascaram-se de “Anos 50”. “Neste desfile procuramos retratar os Anos 50, um tema simples que demorou cerca de 2 meses a ser preparados para conseguirmos apoiar os nossos utentes e ao mesmo tempo preparar o carnaval” referiu Natália Lage, coordenadora técnica do CAO. Segundo a técnica, os adereços irão sofrer algumas alterações para participarem no desfile das camélias agendado, para dia 17 de março. Já o infantário da Santa Casa da Misericórdia, que abriu o cortejo, inspirou-se no filme infantil Frozen e mascarou os foliões de Olaf, uma personagem do filme. Há mesma hora decorreu o cortejo de Carnaval em Fermil de Basto, à tarde decorreram os cortejos na Mota e na Gandarela, com centenas de pessoas a assistir ao carnaval das escolas.


18 | REGIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Mester Filipe Pereira mostrou em Celorico de Basto a arte de pintar em Porcelana “Em segundos nasce uma obra de arte”

Foi no âmbito do mês das camélias que o Município de Celorico de Basto promoveu o workshop “Pintura em Porcelana”, uma arte apresentada pelo mestre Filipe Pereira, madeirense, que tem vindo, desde os 21 anos, a apresentar a pintura em porcelana pelo mundo. A ação decorreu no atelier de cerâmica, no dia 09 de março com o apoio do professor de cerâmica, Vítor Resende. Um artista altamente conceituado na arte de pintar em porcelana que mostrou aos presentes, neste workshop, algumas das principais técnicas utilizadas desde o óleo mole, a texturas, o relevo, para criar as obras-primas apresentadas. Depois de pintadas essas obras são colocadas a temperaturas de 800 graus tendo em conta os materiais utlizados para adquiri o formato desejado. O artista pintou sobretudo flores, tendo incidido em trabalhos com camélias, lembrando que estamos no mês das camélias, mas pinta

também rostos, animais, preferindo objetos concretos ao abstrato. “Descobri esta vocação quando tinha 12 anos e a partir desse instante fui aperfeiçoando esse talento. Apesar das reticências dos meus pais nunca mais deixei de pintar em porcelana e desde os 21 anos tenho vindo a levar esta arte pelo mundo fora” salientou o mestre Filipe Pereira. O entusiasmo de quem assistia e participava no workshop era prova evidente do trabalho deste artista como nos referiu Ana Maria, participante vocacionada para a pintura. “ Eu

olho para a pintura como uma forma de relaxamento, é algo que me deixa tranquila e hoje estou encantada, gostei muito deste workshop, o mestre é de facto extraordinário no trabalho que apresenta”. Todos os participantes no workshop usaram algumas das técnicas apresentadas numa peça de porcelana que foi devidamente transformada em arte pelo mestre Filipe Pereira. Essas peças foram ao forno a 800 graus e serão entregues oportunamente a todos os intervenientes. O mestre Filipe Pereira já percorreu mais de 106 países na apresentação da sua arte e irá estar na próxima semana na Coreia do Sul a apresentar mais um workshop em pintura em Porcelana. No mesmo dia decorreu o espetáculo “ballet da Camélias” com o cineteatro dos bombeiros voluntários pleno para assistir aos momentos artísticos apresentados. Um espetáculo produzido por estúdio 89.

Pedido de autorização é obrigatório para quem deseje realizar uma queima ou queimada Desde janeiro de 2019 que a Lei estabelece a obrigatoriedade dos cidadãos comunicarem às Câmaras Municipais a realização de Queimas e Queimadas. Nessa sequência, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) desenvolveu uma plataforma informática que permite aos cidadãos saber se têm condições para realizar queimadas extensivas ou queimas de amontoados (com restos de vegetação. A nova aplicação permite efetuar pedidos de autorização de queimadas extensivas e avaliação de queima de amontoados, bem como simplificar e facilitar o acesso aos pedidos e respetivas respostas. Com base num conjunto de informações, como a perigosidade, a meteorologia e o número de incêndios dos últimos dias, o sistema gera uma reposta que identifica as condições de risco para o dia solicitado. O requerente tem que se registar na aplicação online para solicitar a autorização da queimada ou a avaliação da queima. Este ato é obrigatório. Para solicitar a respetiva autorização é necessário que o cidadão esteja em condições de identificar a ação, o local e data. Se se verificar um pico de incêndios fora do habitual, o ICNF não aconselhará a realização da queima ou queimada. A resposta chega por SMS e/ou por email no prazo máximo de 2 dias.

José Manuel Ribeiro, comandante operacional municipal, dá conta da “necessidade de se alterarem comportamentos na sociedade de modo a que possam ser realizadas as mesmas práticas, mas com um menor risco, ou seja, com uma menor probabilidade de originar incêndios rurais”. Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, lembra que “por vezes os incêndios florestais têm origem em queimas e queimadas não prevenidas. A autarquia não dificultará a vida aos cidadãos. Apenas vamos, a par com técnicos credenciados, garantir que as queimas ou queimadas são realizadas em condições de segurança com vista a proteger as pessoas, os seus bens, e a floresta do concelho. É nossa obrigação proteger as pessoas mas precisamos que todos estejam envolvidos com a noção da responsabilidade que esta matéria exige porque este tem que ser um esforço de todos”, refere. José Manuel Ribeiro esclarece ainda, as diferenças entre queima e queimada. “Muitas pessoas pensam que as duas ações significam a mesma coisa mas é preciso ter cuidado: uma Queimada acontece quando se usa o fogo para renovação de pastagens e eliminação de restolhos e ainda, para eliminar sobrantes de exploração agrícola ou florestal e que estão cortados mas não amontados; e uma Queima, quando se utiliza o fogo para

eliminar sobrantes de exploração agrícola ou florestais, que estão cortados e amontoados”. Nos espaços rurais, durante o Período Crítico e fora do período crítico quando se verifique o índice de risco de incêndio rural de níveis elevado, muito elevado e máximo é proibido fazer queimas e queimadas. A realização de queimadas só é permitida fora do período crítico e desde que o risco de incêndio rural seja moderado ou reduzido. As queimadas só são permitidas após autorização do município, na presença de técnico credenciado em fogo controlado ou, na sua ausência, de equipa de bombeiros ou de equipa de sapadores florestais. A plataforma dispõe de uma linha de apoio para tirar dúvidas e ajudar a efetuar o registo na aplicação. Os cidadãos podem fazê-lo através do número 808 200 520, que está associado à Linha SOS Ambiente e Território da GNR e que tem o custo de uma chamada local. O número funciona todos os dias, das 08h00 às 21h00. Paralelamente, os baionenses podem, também, solicitar apoio junto do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal, e Postos de Atendimento ao Munícipe de Ancede e Santa Marinha do Zêzere. Podem, ainda, pedir ajuda e esclarecer eventuais dúvidas com o seu (sua) presidente de junta.


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | REGIÃO | 19

Organização Internacional do Trabalho (OIT) homenageada no Terra Justa A edição de 2019 do Terra Justa - Encontro Internacional de Causas e Valores da Humanidade, promovido pelo Município de Fafe, vai decorrer entre 3 e 6 de abril. Trabalho, Liberdade e Saúde são os temas centrais desta edição que decidiu homenagear a Organização Internacional do Trabalho, a Obra Vicentina de Auxílio ao Recluso e ainda o anterior diretor geral de saúde, Francisco George, bem como, a título póstumo António Arnaut. No ano em que celebra o seu centenário, a OIT é a instituição escolhida para ser homenageada no Terra Justa, pelo papel que esta agência internacional tem tido na promoção do trabalho em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade humanas. A OIT conta com cerca de 2 centenas de países, com dezenas de escritórios espalhados pelo Mundo e tem sede em Genebra na Suíça. A problemática das prisões e dos reclusos merece também especial destaque na edição de 2019. No dia 4 de abril, segundo dia do evento, estará em evidência a OVAR - Obra Vicentina de Auxílio aos Reclusos, organização fundada em 1969, prestes a fazer 50 anos e que recebeu, em dezembro último, o Prémio Direitos Humanos 2018, da Assembleia da República. Manuel Almeida Santos, presidente da OVAR desloca-se a Fafe para a cerimónia, prometendo debater e trazer a público realidades “desconhecidas e fraturantes” sobre o sistema. O pai do SNS, António Arnaut será homena-

geado, a título póstumo, numa cerimónia que terá lugar a 5 de abril. Nesse mesmo dia, Francisco George será também distinguido, pela entrega de uma vida ao Serviço Nacional de Saúde. Seja por via das homenagens, dos debates, das conferências, das inúmeras atividades culturais, das exposições, ou simples conversas de café por onde já passaram várias personalidades que dedicaram a sua vida a uma causa ou que defendem valores universais, o objetivo é que “todos paremos para pensar”, como sublinhou na primeira edição o Professor Eduardo Lourenço. O centro da cidade é durante o Encontro Internacional Terra Justa, “decorado” com factos, figuras, textos e histórias reais que se relacionam com os grandes valores e causas da humanidade. Os homenageados são, ainda, convidados a depositar num mural em granito, uma mensagem que só será aberta 25 anos depois. Muitas das iniciativas decorrem em es-

paços informais como cafés, jardins ou outros espaços públicos e as homenagens institucionais têm lugar no magnífico Teatro Cinema do XIX. Por Fafe passam, desde 2015, figuras de renome, e têm sido homenageadas grandes instituições de cultura e solidariedade. Refira-se que já foram homenageadas presencialmente no Terra Justa pessoas e instituições que representam o espírito do Terra Justa, nomeadamente: António Guterres, Secretário-geral da ONU; Óscar Rodríguez Maradiaga, arcebispo das Honduras, presidente (à época) da Caritas Internacional e ainda Coordenador do Conselho de Cardeais para a reforma da Igreja, criado pelo Papa Francisco; Maria de Jesus Barroso Soares, Presidente (à época) da Fundação Pro-Dignitate; Mussie Zerai (conhecido por ser o 112 do Mediterrâneo e que já salvou centenas de refugiados) ; Tareke Brhane, Presidente do Comitato Tre Ottobre (ativista sobre a questão dos refugiados). ; Amnistia Internacional ; Médicos do Mundo ; UNICEF ; Instituto de Apoio à Criança; Rede Talitha Kum (de apoio a mulheres em risco de vida) ; AGENZIA Habeshia (trabalha com refugiados no Mediterrâneo); Fundação Champalimaud ; Fundação Calouste Gulbenkian ; Enfermeiras paraquedistas portuguesas (na guerra colonial) ; Capacetes Brancos da Síria; Human Rights Watch ; Maria de Lourdes Pintasilgo (título póstumo), entre muitos outros convidados de renome nacional e internacional.

Troféus Desportivos “O Minhoto” A Gala de atribuição dos Troféus Desportivos “O Minhoto” – XXII Edição, foi apresentada, dia 28 de fevereiro, em conferência de imprensa, realizada na Câmara Municipal de Celorico de Basto. A organização deste evento, representada por Ana Campos, deu a conhecer as particularidades e os objetivos desta iniciativa que se assume como a grande festa do desporto minhoto, tendo esta “realçando a importância da rotatividade de municípios no acolhimento deste evento no que sempre foi uma preocupação desde a 1ª hora, neste projeto de valorização e reconhecimento de todo o fenómeno desportivo da região”. Acrescentou, ainda, que “na edição deste ano estão nomeados 84 atletas de 18 concelhos da região, acrescentando também, que no decorrer desta noite de festa serão homenageados 9 atletas Campeões do Mundo, bem como 17 atletas e um Clube Campeões da Europa, a exemplo do que tem sucedido em edições anteriores”. Por sua vez, o Vereador do Desporto do município anfitrião – Celorico de Basto, Fernando

Peixoto, manifestou-se satisfeito pelo acolhimento da Gala, “após um longo namoro este é o momento certo para recebermos este prestigiado evento. Não só pela crescente aposta do município na melhoria das infraestruturas desportivas, mas também pela extraordinária dinâmica desportiva do concelho, que tem vindo a crescer em número de atletas, modalidades praticadas e adeptos nos mais diferentes recintos”, a titulo de exemplo recordou a recente conquista do BECA - Bastinhos Escola Clube Andebol de Celorico de Basto cuja “equipa de juvenis masculinos foi recentemente Campeã Regional, numa modalidade que conta já com mais de 250 atletas no nosso concelho”, destacou também outras modalidades que têm vindo a crescer em resultados e número de atletas nomeadamente “o basquete, futebol, futsal e a natação” afirmando “que Celorico de Basto respira desporto”. Fernando Peixoto lembrou ainda os atletas Celoridescendentes que têm vindo a levar Portugal pelo mundo, como João Sousa, Tenista, Miguel Oliveira, em Moto GP, e também a Liliana Mendes vice-campeã de

kickboxing. Em jeito de remate, Fernando Peixoto, afirmou também que esta gala acontece na altura certa, na semana que antecede a Festa Internacional das Camélias. “Aproveitamos também esta iniciativa para dar a conhecer uma das atividades culturais mais coloridas do nosso concelho, no dia da gala as nossas ruas já estarão devidamente engalanadas e deixarão certamente encantados os visitantes que passarem por Celorico de Basto.” Concluindo que “este evento é também uma oportunidade de promoção do concelho”. Ana Campos, coordenadora da iniciativa, salientou que nesta gala-jantar que contará com a presença de centenas de convidados, será também distribuída a revista oficial do evento, que serve como anuário do desporto minhoto, retratando a realidade desportiva de cada concelho, desde atletas de referência, dirigentes e os clubes mais relevantes do fenómeno desportivo da região, “Um registo para a posterioridade, com feitos e factos desportivos da nossa região”.


20 | REGIÃO | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Marco investe cerca de 330 mil euros em maquinaria e viaturas a aquisição de oito novas viaturas: • Seis ligeiros de passageiros de 5 lugares, marca Peugeot; • Duas carrinhas de 9 lugares Renault Trafic Zen; • Duas carrinhas de caixa aberta, ligeiros de mercadorias de 6 lugares, marca Mitsubishi; • Uma Máquina Empilhador Telescópico – Manitou; • Um Reboque Limpa Coletores especial para limpeza urbana, modelo Moses; O Município do Marco de Canaveses está • Um Reboque Cisterna Limpa Fossas Rates; nhou ainda “que os custos com a manutenção a renovar a sua frota de equipamentos e via• A estes juntam-se 3 viaturas ligeiras da das viaturas, devido ao seu uso e desgaste de vários anos, têm sido elevados, sendo por isso turas, otimizando os custos de manutenção e marca Peugeot 208 e 1 Peugeot 308; mais rentável a aquisição da nova frota”. promovendo mais eficiência nas respostas às “Estamos a trabalhar em soluções de mobitarefas de administração municipal. Para Mário Bruno Magalhães, Vice-presiRecentemente a Autarquia investiu quase dente da Câmara Municipal do Marco de Ca- lidade mais viável, com menor impacto am330 mil euros na aquisição de 10 viaturas e 3 naveses, “esta medida visa substituir alguns biental, e, ao mesmo tempo, a qualificar um máquinas, dando cumprimento a uma estraté- equipamentos e viaturas municipais, com uma parque automóvel que proporcione o aumento gia de médio/longo prazo, que pretende reno- média de 20/25 anos, por outros mais eficien- da capacidade de resposta dos serviços”, convar a frota automóvel com mais de 20 anos, e tes e com menos custos de manutenção. Era clui Mário Bruno Magalhães. Simultaneamente a autarquia decidiu alinear com muitos milhares de quilómetros, e trans- urgente e imperativo proceder à renovação formar o parque automóvel do município do de várias viaturas face à incapacidade e des- dois ciclomotores, uma viatura ligeira de merMarco mais eficiente. gaste da frota existente para dar resposta aos cadorias, duas viaturas ligeiras de passageiros, A renovação da frota de viaturas pela Câma- serviços”, refere o Vice-presidente da Câmara duas máquinas industriais, uma retroescavara Municipal do Marco de Canaveses implicou Municipal do Marco de Canaveses, que subli- dora e um dumper.

Câmara do Marco vai integrar precários A Câmara Municipal do Marco de Canaveses vai proceder a uma alteração do Mapa de Pessoal e incluir seis colaboradores que estavam ao serviço da autarquia com vínculos precários. A proposta de alteração do Mapa de Pessoal foi aprovada na última Assembleia Municipal e a regularização da situação destes seis trabalhadores far-se-á no âmbito do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP), que permite às autarquias regularizar situações precárias que correspondam a necessidades permanentes. As seis situações identificadas pela Câmara do Marco serão todas regularizadas e dizem respeito a necessidades em diversos serviços. “Ficamos satisfeitos por podermos fazer justiça a estes trabalhadores que têm desempenhado as suas funções com dedicação e empenho. Com esta integração reforçarmos e melhorarmos o nosso quadro técnico e estamos a dar-lhes maior estabilidade e melhores condi-

ções. De referir que algumas destas pessoas desempenhavam funções a recibos verdes há mais de 10 anos na autarquia e vão ter finalmente maior estabilidade profissional”, diz Cristina Vieira, Presidente da Câmara Municipal. Reforço dos Serviços Além da integração dos precários, nesta alteração do Mapa do Pessoal, e mediante a possibilidade de transformação do mesmo, a Câmara Municipal sinalizou novas necessidades dos recursos humanos e vai contratar mais 12 profissionais para os seus quadros técnicos. “Precisamos de reforçar o nosso quadro para dar uma resposta mais célere e eficaz aos serviços com que o Município do Marco de Canaveses se confronta diariamente e às solicitações e expetativas da munícipe, mas também dar seguimento aos projetos com que nos comprometemos com os marcuenses”, justifica Cristina Vieira.

Decorreu na Piscina Municipal de Felgueiras o XIII Encontro de Atividades Aquáticas Decorreu na Piscina Municipal de Felgueiras, no passado dia 27 de fevereiro, o XIII Encontro de Atividades Aquáticas “Cidade de Felgueiras”, promovido pela Associação Nacional de Desporto para Desenvolvimento Intelectual (ANDDI-Portugal) em parceria o Município de Felgueiras e a Cercifel. O objetivo desta iniciativa é fomentar a aprendizagem e o desenvolvimento das aptidões de portadores de deficiência, permitindo-lhes uma maior autonomia através da melhoria da condição física e do seu desenvolvimento cognitivo, contribuir para a inclusão social e consequente para a melhoria da qualidade de vida dos cida-

dãos. Na altura, o vereador do Desporto, Joel Costa e a vereadora da Ação Social Rosa Pinto entregaram uma lembrança do Município às instituições presentes. Joel Costa considera que esta atividade “reforça a prática do desporto como um fator muito importante para a saúde e bem-estar, para a sociabilização e para a participação cívica desta população”. O desporto tem o mérito de dar visibilidade às capacidades dos indivíduos, e não às suas dificuldades, pois ninguém pratica uma atividade desportiva e recreativa sem ter a oportunidade de colocar em evidência as suas capacidades.


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | REGIÃO | 21

Semana Concelhia da Leitura de Fafe envolve escolas e Município

Arrancou esta segunda-feira a Semana Concelhia da Leitura, que envolve os três Agrupamentos de Escolas do concelho, a ACR Fornelos e o Município de Fafe, pelo décimo ano consecutivo. Este ano, sob o mote “Hoje leitor, amanhã leitor”. Presidiu à sessão de abertura o Vereador da Educação e da Cultura, Pompeu Martins, estando ainda na mesa o Presidente da Direcção da Cruz Vermelha, António Fernandes, o chefe da Divisão de Cultura da autarquia, Artur Coimbra e a bibliotecária Natércia Batista. Na sexta-feira, a Biblioteca apresenta uma exposição de micro-contos com a designação “Tecendo Palavras”, encerrando a sua participação no evento. Os micro-contos serão oportunamente trabalhados nos centros de convívio no sentido da criação de objectos ar-

tísticos a partir do seu conteúdo. O Vereador Pompeu Martins destacou a fundamental e preciosa colaboração dos professores bibliotecários, em grande número na sala, para o desenvolvimento e concretização do programa da Semana Concelhia da Leitura. Agradeceu também ao Presidente da Direcção da Cruz Vermelha a colaboração para o novo projecto que aí vem e que terá como palco os centros de convívio, cujos utentes serão potenciais “volutários da leitura” e leitores das obras que a Biblioteca disponibilizará para os mesmos. E genericamente apelou ao esforço colectivo no sentido da dinamização, promoção e incentivo ao livro e à leitura, no âmbito permanente da Biblioteca Municipal e periodicamente nas semanas dedicadas à leitura.

Freixo de Baixo - Amarante Sra. Rosa de Jesus Brites AGRADECIMENTO A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIA CARLOS ALBERTO, LDA MADALENA - AMARANTE | Filial: VILA CAÍZ - AMARANTE Telm: 919 023 883 | 968 615 754 - Tlf: 255 531 207

Moure - Lufrei Sra. Ilda da Conceição Ribeiro AGRADECIMENTO A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIA CARLOS ALBERTO, LDA MADALENA - AMARANTE | Filial: VILA CAÍZ - AMARANTE Telm: 919 023 883 | 968 615 754 - Tlf: 255 531 207

O Programa de Mentoring, Orientação Vocacional e Profissional - SAGAZ

Este programa, desenvolvido no âmbito do PIICIE (Programa Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar), é direcionado aos jovens do 12º ano de escolaridade, numa fase crucial da sua vida em termos de escolhas, decisões e orientação escolar e profissional. O objetivo é estabelecer uma relação entre um/a “Mentor/a”, ou seja, um/a profissional de determinada área, que irá transmitir ao aluno/a um conjunto de aprendizagens necessárias ao desenvolvimento do seu potencial, nos vários âmbitos da sua vida pessoal, social, académica e profissional. O programa foi acolhido com excelente recetividade junto da comunidade escolar e as primeiras Palestras de Sensibilização, a realizar pela ALENTO em regime de itinerância por todas as escolas com ensino secundário (regular e profissional, num total de 29 turmas envolvendo cerca de 600 estudantes), decorrem já nos dias: - 18 de março na Escola Secundária da Lixa - 19 de março na Escola Profissional de Fel(das 9:15 às 11:05) e na Escola Profissional de gueiras (das 9:00 às 11:30), na Escola Básica e Felgueiras (entre as 14:20 às 16:45); Secundária Dr. Machado de Matos (das 11:45

às 12:15) e na Escola Básica e Secundária de Airães (das 14:30 às 15:15); - 22 de março na Escola Básica e Secundária de Idães (das 10:40 às 11:25). Estas palestras têm como finalidade sensibilizar os/as jovens para o programa de Mentoring, Orientação Vocacional e Profissional, apelando à sua inscrição para um mega EVENTO que irá decorrer no dia 24 de abril de 2019 em que, através da dinâmica de um pitch, procuram convencer um/a mentor/a a seleciona-lo/a para o/a acompanhar e ajudar a gerir a sua carreira. A todos/as os/as alunos/as que participem desta iniciativa ser-lhes-ão disponibilizadas ferramentas de empregabilidade, o chamado “Kit Emprega-te”, sendo que 30 dos/as jovens envolvidos/as serão selecionados/as para integrarem o programa SAGAZ, na relação Mestre/Aprendiz. Esta relação envolverá contactos frequentes entre ambos, favorecendo a partilha de conhecimentos, orientação em situações específicas, nomeadamente de carácter vocacional e profissional. Pub.


22 | DIVERSOS | 14 MARÇO 2019 | O JORNAL DE AMARANTE

Autarquia de Felgueiras empenhada na requalificação do Parque Habitacional Social As habitações em questão são propriedade do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana e não são intervencionadas há cerca de 40 anos. A Câmara Municipal de Felgueiras está empenhada na requalificação do Bairro João Paulo II, propriedade do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), esforço que o Executivo tem feito, desde o momento em que tomou posse, para resolver a situação de degradação daquele parque habitacional. Nuno Fonseca, autarca de Felgueiras, manifestou a intenção de colaborar com o Governo na requalificação das habitações sociais concelhias que não dependem da gestão autárquica. A intenção foi manifestada após uma série de reuniões que decorreram com o IHRU e que culminou com uma reunião com a Secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, e na qual o Presidente da Câmara revelou preocupação com as constantes queixas apresentadas pelos munícipes que residem nas habitações sociais pertencentes ao IHRU. “O facto é que, pela proximidade geográfica, os munícipes procuram mais depressa a Câmara Municipal para apresentarem as suas queixas do que propriamente o IHRU. Todas as semanas somos confrontados com as necessidades e não podemos

intervir, uma vez que os imóveis não são nossos”, referiu o Presidente da Câmara. Perante o cenário, a autarquia demonstrou disponibilidade para colaborar numa solução conjunta que permita mitigar os problemas detetados. “Queremos que as pessoas habitem em condições dignas e cabe-nos pressionar a estrutura central para uma resolução rápida dos problemas destas famílias. Estamos disponíveis para colaborar”. Essa intenção tinha já sido também manifestada junto do IHRU. Confrontado com as fracas condições habitacionais dos mpreendimentos, Nuno Fonseca garante perceber a indignação dos moradores. “A situação não pode continuar no mesmo marasmo. As obras têm que avançar rapidamente e, por isso, temos pressionado para uma solução. A autarquia fará tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que as obras comecem ainda este ano”, rematou. Solidário com as manifestações dos arrendatários e com a autarquia, o IHRU confirmou que irá avançar com as obras previstas ainda durante o ano de 2019. A solução a adotar deverá passar por uma estratégia concertada entre o IHRU, a Câmara Municipal e os proprietários que residem nos edifícios a intervencionar.

São Gonçalo - Amarante

Madalena - Amarante

Sr. José Augusto Gonçalves

Sr. Ricardo Afonso Mota Alves da Silva

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

São Gonçalo - Amarante

Vila Caíz - Amarante

Sr. Casimiro de Azevedo Maia

Sr. António Cerqueira

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Cercimarante Convocatória Assembleia Geral Ordinária Nos termos do disposto na alínea a) do art.º 32 e do nº 1 do art.º 33 dos Estatutos, convoco a Assembleia Geral da Cercimarante, Cooperativa para a Educação e Reabilitação dos Cidadãos com Incapacidades, C.R.L, a reunir em Sessão Ordinária nas instalações da sede, sitas na rua de Guimarães, nº 869, 4600-112 União de Freguesias de Amarante – S. Gonçalo, Madalena, Cepelos e Gatão, no dia 30 de março pelas 14h30m, com a seguinte: Ordem de Trabalhos 1. Leitura da Ata da Assembleia Geral anterior. 2. Aprovação do relatório de gestão e documentos de prestação de contas do exercício de 2018, bem como parecer do conselho fiscal. 3. Alteração dos Estatutos da Cooperativa. 4. Discussão de outros assuntos de interesse para a Cooperativa. Nos termos do nº 1 do artigo 34.º dos Estatutos, a Assembleia Geral reunirá à hora marcada nesta convocatória se estiverem presentes mais de metade dos Cooperadores com direito de voto, ou, meia hora depois, com qualquer número de Cooperadores presentes. Amarante, 07 de março de 2019

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Eduardo Jorge Medeiros Pinto

Centro Cultural de Amarante Convocatória Assembleia Geral Em conformidade com as disposições legais aplicáveis e os Estatutos do Centro Cultural de Amarante, convoco todos os sócios para uma reunião ordinária a realizar no dia 23 de março, na sua sede, sita na Rua Nova nº 112 São Gonçalo - Amarante, entre as 10 horas e as 13h00, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto um - Apreciação, discussão e votação do relatório de contas e parecer do Conselho Fiscal, referentes ao ano de dois mil e dezoito. Ponto dois - Outros assuntos de interesse para o Centro Cultural de Amarante. Se à hora marcada não estiver presente a maioria dos associados, a Assembleia funcionará, em segunda convocatória às 10h30m do mesmo dia, local e ordem de trabalhos, com qualquer número de associados. Convocam-se, igualmente, os mesmos sócios para a Assembleia Eleitoral, cuja votação para os novos órgãos sociais do Centro Cultural decorrerá entre as 15h30 e as 17h30, em conformidade com o Regulamento Eleitoral disponível para consulta na sede da Associação. Amarante, 28 de fevereiro de 2019

O Presidente da Assembleia Geral Dr.ª Maria Lúcia Barbosa Coutinho

Faça-se assinante

d´O Jornal de Amarante Preço da Assinatura Anual: Continente 30,00 Euros Estrangeiro 50,00 Euros


O JORNAL DE AMARANTE | 14 MARÇO 2019 | DIVERSOS | 23

Aventura Marão Clube Convocatória Assembleia Geral Ordinária Convocam-se todos os associados do Aventura Marão Clube para uma Assembleia Geral Ordinária a realizar às vinte e uma horas do dia vinte e nove de março de dois mil e dezanove na Casa da Juventude de Amarante, sito na Av. ª General Silveira, 193, Cepelos, em Amarante. Se às vinte e uma horas e trinta minutos do mesmo dia e local não existir quórum a Assembleia Geral Ordinária terá início com o número de associados presentes. Ordem de trabalhos: Primeiro ponto – Leitura e votação da acta da última Assembleia-Geral; Segundo ponto – Discussão e votação do Relatório e Contas de 2018; Terceiro ponto – Outros assuntos de interesse para a Associação. Nota: Informam-se os associados do Aventura Marão Clube que se encontram em pagamento as quotas relativas ao ano de 2018 e 2019. Amarante, 05 de março de 2019

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral José Pedro da Silva Lourenço

Banda Musical de Amarante Convocatória Assembleia Geral Nos termos da lei, convoco todos os sócios para uma reunião ordinária da Assembleia Geral, a realizar no próximo dia 30 de Março de 2019, pelas 18:00 horas, na sede da Associação, sita no Edf. do Salto – 2ª cave, nº 24, em Amarante, com a seguinte Ordem de Trabalhos: Ponto Um – Discussão e aprovação do Relatório e Contas do ano de 2018 e parecer do Conselho Fiscal. Se, à hora indicada, não houver quórum, a Assembleia Geral funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de sócios presentes. Amarante, 12 de Março de 2019

O Presidente da Assembleia Geral António Ferreira Soares Araújo

Convocatória

Dna. Maria Emília Sampaio da Mota Agradecimento A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Aboadela - Amarante Sr. Armando Gonçalves de Miranda Agradecimento A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Lomba - Amarante Dna. Maria Fernanda Jesus Pinto Agradecimento

Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Amarante

S.Gens – Freixo de Cima

Sanche - Amarante Dna. Custódia Gonçalves Mendes Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Assembleia Geral Ordinária Nos termos da Lei e dos Estatutos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Amarante, ao abrigo da alínea c) do número 2 do artigo 47º, convoco todos os sócios para a Assembleia Geral Ordinária, a realizar no próximo dia 28 de Março, pelas 20:30 Horas, na sede da Associação, sita na Av. 1º de Maio, nesta Cidade de Amarante, com a seguinte: Ordem de trabalhos Ponto Um – Discussão e aprovação do Relatório e Contas de Gerência do ano de 2018 e Parecer do Conselho Fiscal. Ponto Dois – Trinta minutos para discussão de outros assuntos de interesse para a Associação. Não comparecendo o número legal de Associados, a Assembleia Geral funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de Associados presentes, em conformidade com o número 1 do artº 49º dos Estatutos. Amarante, 11 de Março de 2019

O Presidente da Assembleia Geral Dr. Pedro Leonel Dias Marques Cunha

Telões - Amarante Dna. Adosinda Pinheiro Ferreira Agradecimento

Aboadela - Amarante Sr. Manuel Augusto Pinheiro Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Jazente - Amarante

Travanca - Bustelo

Dna. Maria Rosa Morais da Silva Duarte

Sr. Joaquim Pinto

Agradecimento

Agradecimento

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

A sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido.

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997 WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Pub.


Profile for MediatamegaLda

Jornal de Amarante 1804  

(14-03-2019)

Jornal de Amarante 1804  

(14-03-2019)

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded