Page 1

DIRECTOR: Luciano Gonçalves

36 anos de informação

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017 | Nº 1779 | Ano 36

OJORNAL AMARANTE

DE

“Amarante – Pascoaes: Do Solar de Gatão ao Universo”

Amarante // Pág. 2

Plano Diretor Municipal entra em discussão pública // Pág. 3

Resposta de Apoio Psicológico promove “Conversas de Pais” // Pág. 5

Amarante e Medina del Campo lançam rede internacional de destinos de enoturismo // Pág. 7

Oito medalhas, no Desporto Adaptado, para atletas do CAT e da Cercimarante // Pág. 8

AEA promoveu o workshop “Gestão no Agroalimentar”

Pág. 16 e 17

// Pág. 18

IV Agrotalks com conversas à volta do mel // Pág. 18

“Parque Florestal de Amarante, uma Obra Centenária” para ver em Espanha // Pág. 20

Apresentação de livro e inauguração de exposição marcam as atividades da Biblioteca Municipal

Amarante acolhe Bolsa de Empreendedorismo da Comissão Europeia // Pág. 3

Entrevista // Pág. 12 e 13

António Duarte

“O Amarante FC tem condições para estar na 2ª Liga” // Pág. 10

Competição decorre até 10 de março

2 escolas de Amarante cantam “Hinos da Fruta”


02

OPINIÃO

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Estou a ficar velho Por Rui Canossa Estou a ficar velho. Quantas vezes repetimos isto. Mas de facto não estou sozinho nesta evidência inexorável do tempo. Em 2050 Portugal serão o mais envelhecido da União Europeia, acompanhando a demografia global. Seremos menos portugueses a viver no território nacional e estaremos mais velhos do que alguma vez na nossa história. A esperança média de vida pouco se alterou entre o aparecimento do homem moderno, há 200 mil anos e a primeira metade do século XX. Durante milénios, os seres humanos viviam, em média, 35 a 45 anos. Atualmente a esperança média de vida é de 71 anos. O envelhecimento acelerado da população por um lado é uma conquista da civilização e um reflexo da

melhoria da esperança média de vida mas, por outro lado, e devido também à diminuição da população ativa e contributiva, coloca desafios significativos à economia, à capacidade de organização social e à sustentabilidade dos sistemas de proteção social e da própria saúde. De facto, o índice de envelhecimento em Portugal é de 127,8%, ou seja, o número de pessoas com mais de 65 anos por cada 100 jovens com menos de 15 anos. Em 1991 este rácio era de 68.1%. Entre 1950 e 2000, a população idosa acima dos 65 anos mais do que duplicou. As projeções da ONU estimam que até 2050 uma em cada cinco pessoas em todo o mundo terá mais de 60 anos. O número de pessoas com 100 anos ou mais

aumentará 15 vezes, ou seja, passará dos 150 mil em 2000 para 2.2 milhões em 2050. Já daqui a três anos, em 2020, haverá mais pessoas com 60 anos do que crianças até aos 5 anos, pela primeira vez na história da humanidade. Em Portugal a esperança média de vida é de cerca dos 77 anos para os homens e 83 para as mulheres e a taxa de fecundidade é uma das mais baixas do mundo, 1.3 filhos por mulher, o que não permite a renovação das gerações. O Eurostat sugere que Portugal se tornará o 4º país mais envelhecido do mundo atrás do Japão, Coreia do Sul e da Espanha. Nos próximos 30 a 40 anos, 3 milhões de portugueses terão mais de 65 anos e 3.7 milhões serão pensionistas. A atual situação política

dominante ignora deliberadamente os problemas concretos envolvidos com o envelhecimento. A despesa total da segurança social deverá duplicar dos 15% do PIB para 30% do PIB em 2050. A despesa com a saúde pesa hoje cerca de 10% do PIB. O modelo está falido. O contrato de solidariedade entre gerações, ou seja, quem está em idade ativa desconta para as pessoas que estão nas idades mais avançadas, supondo quem contribui agora que, quando se reformar, existirão outras pessoas a descontar para elas. O que me preocupa é que em vez de se enfrentar o problema para encontrar soluções, vai-se empurrando com a barriga com reformas antecipadas, cortes nas pensões, e aumenta-se à idade da refor-

ma. Quando comecei a trabalhar tinha a expectativa de me reformar aos 59 anos. Depois, passou para os 60 anos e 36 anos de contribuições, depois para os 65, agora é 66 e três meses. Daqui a nada estou a trabalhar até aos 70. Vejam lá, é que estou a ficar velho!

Plano Diretor Municipal entra em discussão pública Desde o passado dia 14 de fevereiro até 28 de março, decorre o período de discussão pública da proposta de revisão do Plano Diretor Municipal de Amarante (PDM), disponível para consulta no edifício da Câmara Municipal e em www.cm-amarante.pt . Os interessados podem formular, por escrito, reclamações, observações ou sugestões, dirigidas ao Presidente da Câmara Municipal de Amarante, para o endereço: Alameda Teixeira de Pascoaes, 4600-011 Amarante. Em alternativa podem entregar diretamente no Balcão Único de Amarante, ou enviar por email para: geral@cm-amarante.pt, utilizando o impresso próprio disponibilizado na autarquia ou no sítio oficial do Município de Amarante na Internet.

Propriedade: Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

director.jornaldeamarante@gmail.com jornalamarante@gmail.com

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros Estrangeiro 50,00 Euros

Director: Luciano Gonçalves (C.P. 7020) Redação: ERA FM Colaboradores: A. Magalhães, Carlos Carvalho, Hernâni Carneiro, Luís Magalhães, JS Amt, JSD Amt, Rui Canossa, Bruna Ribeiro Rubrica de Saúde e bem-estar: Pedro Cunha, Elsa Pimenta Fotografia: Carlos Moura Espaço de Direito: Vitor Briga Rei Parcerias: ERA FM (92.7) / Notícias do Tâmega Paginação: Mediatâmega, Lda Departamento Comercial e Secretariado: Júlia Gonçalves (255136045 / 918811511) Redacção: Edifício Santa Lúzia, S. Gonçalo, Amarante Edição: ERA - Emissora Regional de Amarante, Lda. / NIF: 501837930 Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 (Nota: A opinião expressa nos artigos assinados pode não corresponder forçosamente à da direcção do jornal)

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


03

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Projeto ES mais Amarante

Resposta de Apoio Psicológico promove “Conversas de Pais” A atividade “Conversas de Pais” está em curso na Escola Básica Acácio Lino e na Casa da Juventude de Amarante e conta atualmente com a participação de 27 pais/ encarregados de educação. Com o principal objetivo de fomentar o desenvolvimento de competências parentais e estratégias educativas positivas, as sessões são dinamizadas por profissionais de Psicologia do Município de Amarante e do Projeto TEIA+. As “Conversas de Pais” são baseadas no programa “Mais Família, Mais Criança” e “Mais Família, Mais Jovem”, e pretendem criar um espaço de partilha, interajuda e su-

porte de forma a fortalecer as relações familiares. As sessões desenvolvemse em torno das temáticas: “atenção positiva”, “elogios”, “recompensas concretas”, “ignorar”, “regras claras e limites”, “consequências para o mau comportamento”, “escuta ativa e mensagens eu” e da resolução dos seguintes problemas: “estudar”; “ajudar nas tarefas em casa”; “saídas à noite” “conflitos entre irmãos”; “melhorar o aproveitamento escolar”, entre outros. Destinam-se a pais e/ou outros educadores e desenvolvem-se num conjunto de sessões programadas mediante as caraterísticas

de cada grupo, tendo como parceiros entidades públicas e privadas (escolas, associações de pais, IPSS’s, entre outros). As Conversas de Pais foram consideradas pelo IES -SBS (Instituto de Empreen-

dedorismo Social), uma iniciativa de alto potencial de impacto de empreendedorismo social em Amarante (ES+). Recorde-se que a cerimónia de apresentação do projeto ES mais Amarante aconteceu a 19 de fevereiro

de 2016, dia em que, além das “Conversas de Pais”, mais outros seis projetos amarantinos receberam o galardão “ES mais”.

Amarante acolhe Bolsa de Empreendedorismo da Comissão Europeia

A 16 de fevereiro, às 14 horas, Amarante será palco da “Talk4”, uma ação de promoção que surge no âmbito da Bolsa de Empreendedorismo 2017, que terá lugar no Instituto Empresarial do Tâmega. O principal objetivo da sessão passa por difundir informação sobre as iniciativas da União Europeia

para a promoção do investimento, do crescimento e do emprego e proporcionar a potenciais empreendedores oportunidades para desenvolver ideias, projetos ou empresas. No seguimento do lançamento da “Bolsa do Empreendedorismo 2017”, promovido pela Repre-

sentação da Comissão Europeia em Portugal, realiza-se um ciclo de eventos de divulgação. Nestas ações será apresentado oficialmente o programa da Bolsa do Empreendedorismo, os seus momentos, enquadramento e as formas de participação e candidatura. Empreendedores, projetos de

empreendedorismo e startups em fase de lançamento são o público -alvo. O Município de Amarante através da InvestAmarante, e o IET Instituto Empresarial do Tâmega, associam-se à Representação da Comissão Europeia em Portugal. Amarante e a região do Tâmega e Sousa juntam-se assim às cidades de Lisboa, Aveiro, Évora, Porto e Coimbra na promoção do Empreendedorismo. A grande prioridade da Comissão Europeia é fazer com que a Europa volte a investir, a crescer e a criar emprego. Para tal, é importante promover o empreendedorismo e ajudar todos os interessados a levar as suas ideias da fase de “laboratório” ao mercado.


04

OPINIÃO

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Jump Box – Vale a pena dar o salto! Por Iva Carla Meireles, JSD Amarante Mas afinal o que é isto do Saltar da Caixa? A Jump Box é uma academia de desenvolvimento de competências promovida pelo Instituto Empresarial do Tâmega com a co-promoção da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico do Porto, tem parceiro o Município de Amarante através do InvestAmarante. No passado dia 16 de janeiro, na nossa cidade, teve inicio a 1º sessão da Jump Box com 23 jovens, na sua maioria recém-licenciados, de áreas multidisciplinares, que ainda não tiveram oportunidade de mostrar o seu valor no mundo profissional, mas com eles têm, muitos sonhos, esperança e projetos em mente. Esta academia tem a duração de cinco meses sendo três meses de formação-ação e dois meses de apoio ao planeamento da carreira e procura de emprego. É destinada a jovens entre

os 18 e os 30 anos que estejam à procura de emprego e estes são convidados a desenvolver novas competências ligadas ao empreendedorismo e as suas Soft Skills. Os Jumpers são selecionados um-a-um com base no seu potencial e posteriormente são colocados a trabalhar com o apoio de mentores e peritos de renome. Durante a formação, espera-se que os formandos vão aumentando a sua confiança e as competências necessárias para alcançar o sucesso no mercado de trabalho. O programa desenvolve também competências de liderança e colaboração através de uma abordagem interativa e prática, nomeadamente com vista a formar uma visão estratégica do mundo que os rodeia; desenvolver curiosidade e paixão para estar à frente das tendências e pensar diariamente no futuro; compreender as ferramentas e estratégias necessárias

ao mercado de trabalho e construir liderança e competências de colaboração para trabalhar com sucesso em equipa. Em paralelo, a Academia, trabalha o desenvolvimento de competências pessoais nos Jumpers. São trabalhadas as mais variadas Soft Skills, como a criatividade, a liderança, a comunicação, a Inteligência Emocional, a resolução de problemas, a negociação e a gestão de projetos. No final deste intensivo e versátil programa os Jumpers serão capazes de trabalhar proativamente em equipas para entregar projetos virtuosos que influenciem mudanças, com prazos apertados e especificações complexas, desenhar estratégias e projetos de raiz que possam otimizar recursos e atingir os objetivos propostos; usar dados de uma variedade de fontes para gerar insights e fazer recomendações estratégicas; impulsionar mudanças organizacionais, reunindo as

(Des)afirmar Amarante

Uma das competências do poder local prende-se com a implementação de políticas e de estratégias dinamizadoras da atividade económica, que promovam a coesão territorial e que impulsionem o investimento, a inovação e o desenvolvimento do município às quais dizem respeito. Não cabendo diretamente ao executivo municipal a função de criação de emprego, é da sua responsabilidade a constitui-

ção de condições favoráveis à criação e fixação de empresas e ao fomento da competitividade do território. São estas condições que no seu conjunto permitem que um município evolua, crie riqueza e gere bem-estar. Passaram cerca de 4 anos desde que a coligação PSD/ CDS-PP assumiu a liderança da Câmara Municipal de Amarante, sendo hoje imprescindível que se faça um balanço da governação. E o que nos dizem os indicadores? O “Jornal de Negócios” noticiava no mês passado que a maioria dos municípios portugueses tinha aumentado as exportações entre 2013 e 2015 e que o volume de bens vendidos ao exterior a nível nacional cresceu 5,3%. “Fique a saber como é que o seu município evoluiu nas

vendas ao estrangeiro nesses três anos” era o mote que nos guiava para o corpo de texto da notícia e impulsionava a procurar no mapa interativo o nosso município. Vamos a números: Amarante exportou 40.475,496€ no ano de 2015, 45.172,606€ em 2014 e 79.245,658€ em 2013, o que equivale a uma variação negativa de 48,9% entre 2013 e 2015. Como justificará o atual executivo municipal, autocaracterizado pela detenção de uma capacidade de estratégia e de planeamento notáveis, que Amarante tenha caminhado, no último mandato, em sentido oposto ao da maioria dos restantes municípios portugueses, impera neste momento descortinar. A menos de um ano do começo de um novo ciclo autárquico, discernir a repercussão

suas competências empresariais com as suas Soft Skills; desenhar um plano de desenvolvimento da sua carreira profissional em equilíbrio com a sua vida pessoal; avaliar a relação entre inovação e a mudança necessária no seu comportamento e nas suas competências, bem como avaliar como essa relação evoluirá no futuro e o que isso representa para eles. Todos os mentores e peritos são escolhidos das mais diversas áreas com vista a desenvolver as competências dos Jumpers, com o brilho das conquistas e das suas experiências pessoais. As sessões para além de serem abrilhantadas com excelentes oradores, são também interativas, dinâmicas e motivadoras. Cada sessão fornece um enorme leque de oportunidades para discussão e debate, para além das atividades, vídeos, pesquisas, sessões de discussão e sessões individuais com a equipa de coordenação, que os Jumpers

têm. A filosofia da Jump Box é simples “A forma como aprendes é tão importante como o que aprendes” sendo utilizada forma diferente e inovadora de aprender. Este projeto reúne todas as condições para atingir sucesso, prova disso é esta primeira edição. Se te identificas com ele, está atento e agarra a tua oportunidade nas próximas edições. Esta é mais uma excelente e inovadora iniciativa a pensar nos e para os jovens, apoiada pelo nosso Município.

Por Filipa Magalhães, JS Amarante das propostas elencadas no programa eleitoral da coligação “Afirmar Amarante”, o caminho percorrido e a estratégia futura não se assume uma tarefa fácil. As obras chave, anunciadas e explanadas pela cidade logo no início do atual mandato, parecem atualmente ter deixado de constar das prioridades da governação municipal. Desconhece-se, a título de exemplo, qualquer execução orçamental relativa à requalificação do Parque Florestal e à constituição do anunciado Parque da Cidade, ao Plano de Pormenor do Rossio ou ao Plano de Pormenor da Urbanização de Amarante. O balanço sucessivo do desempenho da autarquia, oriundo de uma observação atenta do trabalho realizado no concelho, nomeadamente daquele que deverá ser justifi-

cado, melhorado ou desviado para outras áreas estruturantes, assume-se cada vez mais como essencial para o pleno exercício da democracia. Em meados do ano que há pouco se iniciou os cidadãos amarantinos serão confrontados com um ato eleitoral de extrema importância: as eleições autárquicas de 2017. É essencial que desde já se assimile que a persecução de um olhar atento e questionador não compete apenas aos partidos da oposição: é um direito e um dever de todos. Como nota final, realçar de forma efusiva a recente nomeação da cidade do Porto como o Melhor Destino Europeu de 2017. Amarante situa-se apenas a 60 km: saibamos, também na autarquia municipal, tirar o maior partido das oportunidades.


05

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Amarante e Medina del Campo lançam rede internacional de destinos de enoturismo

O projeto, fundado pelas rotas vínicas de Rueda, a partir de Medina del Campo em Espanha e do UVVA Wine Tourism, em Amarante, Portugal, pretende criar uma rede internacional constituída pelos melhores destinos de enoturismo dos vinhos brancos. A criação desta rede pretende realçar a excelência do produto enoturístico ligado aos Vinhos Verdes de Amarante e restante região e ao Verdejo, de Medina del Campo e da rota de Rueda, valorizando as suas especificidades, quer pelo que os aproxima, como pelo que os distingue. Na base da concretização deste projeto estão as candidaturas aos programas europeus Interreg Sudoe e Erasmus+.

Com o programa Interreg Sudoe serão criados pacotes de enoturismo especializados em vinhos brancos, uma parceria entre a Ruta del Vino de Rueda e a UVVA Wine Tourism. Serão ainda constituídos espaços de Welcome Center de Enoturismo, de provas e degustação gastronómica nos mercados, bem como, serão utilizadas ferramentas tecnológicas de promoção do Enoturismo e desenvolvidas campanhas de marketing da rede e das rotas com vista à sua divulgação internacional. Através da candidatura do programa Erasmus+ será possível criar um programa de formação profissional específico para o enoturismo, baseado nas melho-

res práticas internacionais e envolvendo peritos internacionais. Este projeto surge de um encontro feliz, no âmbito do projeto City Centre Doctor, do programa Urbact da Comissão Europeia, no qual participam, entre outras cidades, Amarante e Medina del Campo e que, pelas semelhanças que aproximam as duas cidades, em termos de potencial enoturístico, decidiram realizar a 1ª edição das Jornadas Técnicas de Enoturismo, em Amarante nos dias 6, 7 e 8 de fevereiro, ao abrigo do projeto Rural Growth do programa Interreg Europe da Comissão Europeia.

Mais um fimde-semana desportivo com a ADA em várias frentes A Associação Desportiva de Amarante destacou-se no fim-de-semana de 10 a 12 de fevereiro, pela Ada Slalom Canoagem Amarante, com a sua participação na XXIII Internacional de Slalom em Fridão com 8 atletas, tendo sido a vitória de José Carvalho em C1 e o 4º Lugar de Sara Bastos em K1 Feminino. Na modalidade de ADA Andebol, este fimde-semana realizaram-se sete jogos, obtendo os seguintes resultados: os Minis “B” receberam e venceram o Boavista Fc por 27-27, os minis “A” não querendo ficar atrás também venceram o FC Gaia por 40-36, os Infantis tiveram jornada dupla, recebendo no Sábado o CDC Santana perdendo por 14-24 e no domingo deslocaram-se ao Académico saindo derrotados por 34-18. Os iniciados receberam e venceram o ADA Ismai Maia por 2221 na última jornada desta fase terminando em 6º Lugar em 16 equipas. Os Juvenis receberam e venceram o CAAE Baltar por 31-27 terminando também esta fase ficando em 3º Lugar. Ainda no andebol os seniores Masculinos receberam o CP Natação perdendo por 20-26. Na ADA - Futsal feminino, a equipa Sénior Feminina recebeu a Juventus Triana FC e perdeu por 4-0. A nível de Associação Desportiva de Amarante - Voleibol, as iniciadas femininas deslocaram-se e venceram a Toda a Prova por 3-1, enquanto as seniores receberam o ADESP e perderam por 3-0, os minis “B” participaram no seu 2º torneio e tiveram novamente uma prestação positiva. No A.D.Amarante Futebol receberam e venceram o Ansiães por 4-2. Para fechar a equipa de ADA Trail Running Team participou no anto Thyrso Ultra Trilhos com atletas nas várias distâncias, entre 50 km a 17 km.


06

OPINIÃO

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Novas regras no abate de animais para autoconsumo e abate enquanto manifestação cultural / desportiva “O Canto da Justiça” de Vítor Briga Rei – Advogado A legislação nacional permite o abate de ovinos, caprinos e bovinos com idade inferior a 12 meses, de suínos, aves de capoeira e coelhos domésticos cuja carne se destine exclusivamente ao consumo doméstico do produtor e dos seus familiares sem que seja necessário recorrer a um matadouro. O Despacho n.º 7198/2016 passa a impor algumas condições quanto ao estado e tratamento dos animais alvo do abate, designadamente: Os animais têm de estar identificados de acordo com a legislação em vigor (por exemplo, no caso dos bovinos, devem estar devidamente registados e possuir o tradicional “brinco” que permite saber, entre outros dados, a data de nascimento do animal e identificar o seu proprietário); não podem sofrer de

perturbações comportamentais, fisiológicas ou funcionais nem podem ter sofrido acidentes. No caso dos suínos, o produtor tem de os incluir no Registo de Existências e Deslocações (RED). Ainda no caso dos suínos, cada produtor apenas pode abater, para autoconsumo, 3 suínos por ano. É expressamente proibida a venda ou a cedência das carnes obtidas do animal abatido, pelo que apenas podem ser consumidas pelo produtor e pelos seus familiares. Após a matança não é possível a sujeição das carnes a qualquer marcação de salubridade (tratase de uma marcação colocada por um médico veterinário oficial atestando que aquela carne é própria para consumo). Quanto às explorações onde os

animais se encontrem e se abatam animais para autoconsumo, não podem estar sujeitas a restrições sanitárias e devem estar registadas de acordo com a legislação específica para cada espécie animal, de modo a que se possa garantir que que os animais não têm doenças, designadamente tuberculose. Resulta do novo despacho a obrigatoriedade de cumprimento dos requisitos de eliminação de subprodutos de origem animal que não se destinem a consumo humano, designadamente vísceras e carcaças dos animais, por forma a evitar a possibilidade de propagação de doenças ou a possibilidade de causar efeitos negativos para o ambiente. Em certas localidades do nosso país, designadamente no Norte e Centro de Portugal, organizam-

se anualmente as “matanças tradicionais do porco”, que muitas vezes juntam no mesmo local várias centenas de pessoas. Estas “manifestações culturais e desportivas” também se encontram regulamentadas por este despacho n.º 7198/2016 e vinculadas a regras ali bem definidas: O despacho considera “manifestações culturais e desportivas” as tradições de longa data e atividades desportivas em que a produção de carnes e outros produtos animais seja praticamente inexistente ou pouco significativo do ponto de vista económico. Neste caso, tendo essencialmente em conta a quantidade de pessoas que se geralmente se encontra presente nestes eventos e que pode acabar por ingerir a carne resultante da matança, é obrigatória a presença do médi-

co veterinário municipal (cujos custos devem ser suportados pela organização), e é obrigatória a inspeção higiénica e sanitária dos animais antes e após a matança. No demais, o local da matança deve estar devidamente aprovado pelo médico veterinário municipal e as carnes que não sejam consumidas durante o evento devem ser encaminhadas como subprodutos, sendo proibida a sua comercialização ou cedência por qualquer forma.

Os segredos do Pâncreas Por Elsa Pimenta, Médica Interna de Medicina Geral e Familiar Deve haver muita gente que já ouviu falar no pâncreas, mas não sabe exatamente o que é que ele faz. Hoje resolvi tentar esclarecer a importância que este órgão tem no nosso organismo, assim como mencionar algumas doenças em que pode estar envolvido. O que é e para que serve o Pâncreas? O pâncreas é uma glândula (órgão que segrega substâncias) de cerca de 15 cm de comprimento que, de grosso modo, se situa atrás e ligeiramente abaixo do estômago, limitado à esquerda pelo duodeno e à direita pelo baço. Divide-se em cabeça, corpo e cauda. É uma glândula tanto exócrina (segrega substâncias que acabam por sair do organismo) quanto endócrina (segrega substâncias que vão para a corrente sanguínea). Relativamente à sua parte exócrina, ele produz enzimas que vão auxiliar a digestão, daí que seja um órgão pertencente ao sistema digestivo. Também

segrega grandes quantidades de hidrogenocarbonato de sódio (mais conhecido por bicarbonato de sódio) para o duodeno, o qual neutraliza o ácido proveniente do estômago. No que toca à sua parte endócrina, uma das suas principais funções é produzir insulina. Quando a produção desta diminui, dá origem à Diabetes (há outras causas para a doença, mas a diminuição da produção de insulina é uma delas). Portanto, o pâncreas também pertence ao sistema endócrino. Pancreatite Aguda A pancreatite aguda é uma inflamação do pâncreas, a maior parte das vezes devida à obstrução do canal que vai do pâncreas para o duodeno, o caminho habitual das enzimas pancreáticas. Esta obstrução leva ao aumento de enzimas a montante, começando estas a digerir as células pancreáticas, causando a inflamação. Os cálculos biliares e o alcoo-

lismo são responsáveis por quase 80% dos internamentos hospitalares por pancreatite aguda. De facto, a ingestão de mais de 100 gramas de álcool por dia, durante vários anos, pode provocar a obstrução de pequenos canais pancreáticos, proporcionando o desenvolvimento da inflamação. Pancreatite Crónica É uma inflamação do pâncreas de longa evolução. Nos países desenvolvidos, como Portugal, o alcoolismo é a sua causa mais frequente. Outras causas são uma predisposição hereditária e uma obstrução do canal pancreático (canal principal do pâncreas) devida a uma estenose (estreitamento) do mesmo ou a um cancro do pâncreas. Também pode ser causada por uma crise grave de pancreatite aguda, mas na maioria dos casos, a causa é desconhecida. Adenocarcinoma do Pâncreas Trata-se de um cancro, quase duas vezes mais frequente em ho-

mens do que em mulheres. É duas a três mais frequente nos grandes fumadores do que nos não fumadores. É muito comum em quem sofre de pancreatite crónica. É raro antes dos 50 anos, sendo que a idade média do seu diagnóstico é aos 55 anos. Pouco se sabe sobre as suas causas. Só causa sintomas quando já está muito desenvolvido e na maioria dos casos, no momento diagnóstico, já criou metástases noutras partes do corpo. Os sintomas característicos são dor abdominal na parte alta do abdómen que irradia (vai para) as costas, e perda de peso. Muitas vezes há icterícia (pele amarelada) e prurido (comichão) associados. O diagnóstico precoce é difícil e prognóstico é mau. Menos de 2% das pessoas sobrevivem 5 anos após o diagnóstico. Há outros tumores pancreá-

ticos que por serem muito mais raros, saem fora do âmbito deste artigo. É o caso dos: cistoadenocarcinoma, insulinoma, gastrinoma e glucaginoma. A mensagem que queria que retivessem é a seguinte: a ingestão de álcool em excesso leva ao desenvolvimento de várias doenças pancreáticas, pelo que a sua ingestão moderada e responsável, é imperativa.


07

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Oito medalhas, no Desporto Adaptado, para atletas do CAT e da Cercimarante Uma medalha de ouro, quatro de prata e três de bronze foram conquistadas pelos atletas do Clube de Atletismo do Tâmega (CAT) e clientes da Cercimarante, no Campeonato Nacional de Pista Coberta da Associação Nacional de Desporto para a Deficiência Intelectual (ANDDI), que teve lugar no passado dia 5 de fevereiro, em Braga. Filipe Gomes arrecadou, assim, a medalha de ouro, no salto em comprimento, e foi segundo nos 200 metros, trazendo uma medalha de prata. Ricardo Vieira conquistou também uma medalha de prata mas, desta feita, no salto em comprimento. Sílvia Teixeira trouxe duas medalhas de prata, nas provas

dos 60 metros e 200 metros. Já as três medalhas de bronze foram conquistadas por Marlene Sousa, nos 60 metros, 200 metros, e no salto em

comprimento. Para esta prova, o grupo de atletas foi acompanhado pelo presidente do CAT, José Lima, pelo professor Amândio Mi-

guel Costa, pela diretora técnica do Lar Residencial Amália Mota (LRAM) da Cercimarante e vice-presidente da secção de Desporto Adaptado do

CAT, Paula Pinto Monteiro, e pelo colaborador da Cercimarante Paulo Pinto. Foi há sensivelmente um ano e meio que, a convite do treinador do CAT, Manuel Varejão, o grupo de clientes da Cercimarante foi integrado neste Clube e começou a treinar, semanalmente, no Complexo Desportivo da Costa Grande, em Amarante, juntamente com outros atletas. Uma atividade “que os clientes adoram” e para a qual se “têm empenhado muito”, de acordo com o treinador, Manuel Varejão, e a diretora técnica, Paula Pinto Monteiro. O Desporto inclusivo, sem barreiras, não é uma utopia, e tem nesta iniciativa um exemplo.


08

OPINIÃO / AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Fechar a porta a sete chaves “Tudo vem a propósito”, por Hernâni Carneiro O egoísta refere tudo a si; e não sabe avaliar as relações e a dependência em que cada um está com os outros. O coração é cercado por uma casca dura, que lhe tira a natural sensibilidade. As pessoas com mais idade, de outras gerações, é sabido que tinham uma ligação estreita com todos os vizinhos, no bairro ou rua adentro, e esse relacionamento era essencial em muitos momentos, consolar quem sofria, ajudar no suplicio da solidão, levar algum alívio e agasalho nas horas de aflição no tempo certo, pois quem ajudava tinha a noção que qualquer ajuda tardia tornava menos apreciável a sua ajuda. Apesar da disponibilidade havia sempre limites a respeitar, mas no subconsciente de cada vizinho estava sempre o lema: - é na adversidade que os Amigos se apresentam sem serem chamados. Este sentido de entreajuda, por mais paradoxal que pare-

ça, desapareceu. Penso até que se alterou de tal forma que a indiferença gelou o coração, tal como o pulso deixou de bater no enfermo. As pessoas, de si próprias diferem a cada instante. Questionamo-nos hoje, quanto à conduta pessoal daqueles vizinhos, ridícula, e mais de censura, sempre no sentido de comparação, longe da consciência, que não é mais que uma amiga severa, mas também uma conselheira fiel. É que a consciência pode lisonjear, mas não engana. As formas de relacionamento, o sentido de disponibilidade inseridos nas pequenas comunidades, forneciam uma união familiar, amistosa, presente em momentos de aflição. A confiança estabelecida agradava sempre àquele que a recebia. E era em momentos adversos que a Amizade se preservava. Todos estes alicerces construídos através de gerações, que coabitavam no bairro, ou na rua, desapareceram.

Hoje, o desemprego, os conflitos e as tensões, a falta de convivência, cavaram um vazio. As preocupações e a luta quotidiana aumentaram o isolamento, e acabaram com as práticas de sociabilidade. Há dias tive necessidade de saber notícias de uma problema grave de saúde, de uma pessoa das minhas relações. Não estava ninguém da família em casa, procurei recolher informação logo na casa paredes-meias. Por trás das portas fechadas a sete chaves, o que entendi como prudência, só ouvia perguntar quem era. Disse quem era e ao que vinha, mas descartada a hipótese de falar cara a cara, perguntei se sabiam alguma coisa quanto à saúde do senhor fulano de tal, meu Amigo, e que sabia ter sofrido um problema grave de saúde. Numa indiferença de quem nem sequer pude raptar a imagem, preferiu ficar onde estava, e pareceu-me ouvir com um certo desdém, que me desorientou:

- Ai, está doeeenteee….? São estes os novos seres humanos, a quem falta o melhor das palavras, e que não se identificam com o sofrimento, e até rejeitam o embaraço de se preocuparem. É esta incapacidade de mudar mentalidades que nos leva ao isolamento, que reacende a falta de comunicação, as contradições, os mal-entendidos, assumimos a exclusão, a carência de sentimentos, recolhemonos à nossa concha, e cada um por si. Olhei em volta à procura de gente conhecida, vou catalogando esta porta, aquela janela deste ou daquele vizinho na esperança que se abram, arranjar destinatários para a minha pergunta. Só silêncio. Na coluna do portão, um azulejo: cuidado com o cão. Por ali perto, os muros cercam as casas, encimados por uma rede alta, e termina com arame farpado. Noutra, são as lanças aguçadas, em ferro, e esporões saindo

agressivamente. Como me lembro das respostas, sempre compreensíveis, que penetravam no coração, às necessidades que afligiam esta ou aquela vizinha, e era o pedido: Ó vizinha, empreste-me uma “ perneirinha” de salsa, ou empreste-me uma pitada de sal, ou duas batatas, ou fique um bocadinho com o meu filho, ou o drama quando se tratava de pedir uns escudos emprestados, e quantas vizinhas amamentavam os seus filhos, e os das outras… Eram gestos espontâneos, agora em desuso. Estamos mais pobres, e naquele espaço onde bati à porta, sempre fechada a sete chaves, percebi perfeitamente que qualquer ambiente “ familiar” abrangendo as boas relações, a justiça no coração, a vivência e a convivência, MORREU. Afinal, vizinho sem estes predicados, é moeda de fraco quilate.

AEA promoveu o workshop “Gestão no Agroalimentar” Foi no passado dia 11 de fevereiro, pelas 10h, em Celorico de Basto, que aconteceu a segunda sessão de trabalho, destinada a criar mais dinâmica no sector agroalimentar da região, no âmbito da estratégia da Associação Empresarial de Amarante. Subordinado ao tema “Gestão no agroalimentar”, destinou-se a empresários do setor agrícola e do setor transformador de produtos alimentares. O workshop teve a participação de vários agentes do setor, sendo os subsetores mais representados os cogumelos, pequenos frutos e a padaria/doçaria.

Este ciclo de sessões de trabalho decorre de uma candidatura aprovada ao Sistema de Incentivos às Ações Coletivas, do Norte 2020 e estará em curso até março de 2018, nos concelhos de Amarante, Baião, Celorico de Basto e Marco de Canaveses, tendo por objetivo apoiar o crescimento das empresas e o desenvolvimento do cluster, tornando-o mais atrativo para novos investidores. O Plano tem como parceiros locais a Câmara Municipal de Amarante e as Associações Empresariais de Baião, Celorico de Basto e Marco de Canaveses.


09

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

“EKUI”, o baralho de cartas que veio mudar a inclusão em Portugal A marca “EKUI” significa “Equidade, Knowledge (Conhecimento), Universalidade, Inclusão” e foi criada pela empreendedora social Celmira Macedo e desenvolvida pela Associação Leque, da qual Celmira é fundadora e também presidente. “EKUI” é, assim, a primeira linha de material lúdico-didático inclusivo, que tem vindo a ser desenvolvida desde 2009, e cuja linguagem universal e acessível a toda a população a transforma numa verdadeira lufada de ar fresco, no que à inclusão, em Portugal, diz respeito. Senão vejamos: O EKUI Cards é um baralho que permite que crianças, com e sem necessidades especiais, aprendam o alfabeto na mesma sala de aula. É constituído por 26 cartas do alfabeto e inclui elementos como o Grafema da Letra e a Letra Manuscrita; a Letra em Braille Táctil e Braille Visual, Letra em Dactilologia (Alfabeto da Língua Gestual Portuguesa) e o Alfabeto Fonético. “Em Portugal, é a primeira vez que crianças cegas, surdas, com autismo, disléxicas ou com qualquer outro tipo de limitação física ou cognitiva podem aprender o alfabeto, ao mesmo tempo, na mesma sala de aula. As pessoas com deficiência têm de aprender num meio o menos restritivo possível. E temos todos de aprender no mesmo espaço físico, com os mesmos materiais e da mesma forma. O EKUI vem operacionalizar essa inclusão, personificar o caminho da inclusão, para estas crianças e para todas as outras.”, realça Celmira Macedo, à margem de uma apresentação que fez, no Centro de Formação e Reabilitação Profissional

(CFRP) da Cercimarante, sobre o seu percurso e projetos, a convite do grupo de suporte local de Amarante do Projeto Internacional Change! Mas não se pense que estas cartas só se destinam às crianças: “Podem ser usadas por qualquer pessoa, em qualquer idade, por famílias, tivemos, por exemplo, muita gente neste último Natal que comprou o EKUI para oferecer aos filhos, sobrinhos ou aos filhos de amigos, ou mesmo aos amigos. É

dimento/Acompanhamento e Reabilitação para Pessoas com Deficiência que, só em 2016, conseguiu o apoio da Segurança Social. “As respostas que estão na Segurança Social estão tipificadas de uma determinada forma, há muitos anos. Não foram revistas, não acompanharam a evolução dos tempos, da sociedade, a vontade das pessoas com deficiência e a mudança da sua autodeterminação, e mesmo o facto de as famílias quererem a inclusão pura. Logo,

EKUI já recebeu vários prémios, entre os quais o INSEAD Empreendedorismo Social, que visa reconhecer uma iniciativa de empreendedorismo social que aborde de forma inovadora, sustentável e eficaz um problema negligenciado da sociedade Portuguesa. Recebeu também o galardão Inclusão, e o Bootcamp do European Investiment Bank Institute, uma formação na Universidade Católica Business Scholl, em Lisboa. Esta quarta-feira, venceu a

como oferecer a inclusão. E este jogo é tão simples, que o fantástico é ser mesmo assim, simples”, conta a empreendedora social. Apesar da forte inovação deste projeto e de outros que tem vindo a criar, o caminho “não se tem afigurado fácil”, como reconhece. Em 2009, constituiu a Associação Leque - Associação de Pais e Amigos de Pessoas com Necessidades Especiais, que foi, em 2010, registada como uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, sedeada em Alfândega da Fé, Bragança. Ainda nesse ano, fundou o Centro de Aten-

todas as respostas sociais que sejam criadas e que saiam fora destas “caixinhas” não conseguem enquadrar-se em lado nenhum, e isso faz com que seja muito difícil chegar a esses apoios. Portanto, funcionamos fora dessas “caixas”. O que sentimos é que a inovação social não é acarinhada, e acaba por não tem financiamento. É uma situação difícil e até estranha”, lamenta Celmira Macedo. Apesar de todos estes constrangimentos, o EKUI e o trabalho desenvolvido pela Leque não têm passado despercebidos a muitas entidades. O projeto

categoria Inovação e Sustentabilidade do Prémio António Sérgio 2016. Com estas distinções, Celmira Macedo acredita que o EKUI está no caminho certo. “O EKUI, com certeza, será o caminho para o qual, durante dezenas de anos, tentamos caminhar para aquilo que é dito na Declaração de Salamanca, ou na Convenção das Pessoas com Deficiência”, realça. Ao mesmo tempo, vai recebendo feedback das escolas onde este “baralho de cartas” já está a ser utilizado, e onde “em média, a maior parte dos alunos aprendeu a ler mais rapidamente através

do EKUI do que com outros métodos tradicionais”. Motivo pelo qual já se afirma que este projeto “está a mudar o paradigma da inclusão social”, em Portugal. “É uma enorme responsabilidade, mas é algo muito bom de se ouvir. Dá-nos um grande alento e leva-nos a dizer que, se alguém acredita em nós, e se podemos ser bons, iremos querer ser ainda melhores. Vamos querer mais, experimentar mais. Porque, em todo o país, há muitas crianças que ainda não têm o EKUI. E, enquanto todas elas não tiverem o EKUI, não vamos descansar”, garante Celmira Macedo. Atualmente, a Associação Leque, em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria, encontra-se a validar a componente fonética e a correlação que existe entre a língua gestual e a grafia, presentes nas EKUI Cards. “Há estudos científicos internacionais que nos dizem que há uma correlação positiva entre ambas, mas nós queremos ter os nossos próprios estudos”, assegura, e conclui: “Desta forma, queremos validar o impacto do EKUI no seu todo; no desenvolvimento de atitudes inclusivas nos alunos; nas crianças desde os três anos. Queremos também validar enquanto ferramenta pedagógica de fácil acesso aos professores. Queremos também validar o impacto da aprendizagem dos alunos sem necessidades educativas especiais e com necessidades educativas especiais; com problemas ao nível da fonética; alunos surdos; cegos; com dislexia, entre outros. Portanto, temos ainda um longo caminho de validações a fazer”.


10

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Competição decorre até 10 de março

2 escolas de Amarante cantam “Hinos da Fruta” A APCOI - Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil apresentou os vídeos, apelidados de “Hinos da Fruta”, criados pelos 53.399 alunos de todos os distritos do país que participam este ano letivo na 6ª edição do projeto «Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável». Nesta divertida competição nacional, as crianças partilham a cantar as lições que aprenderam ao longo do projeto sobre a importância dos hábitos saudáveis e convidam os adultos para votar no “Hino da Fruta” da turma ou da escola. A votação já está aberta a todo o público e decorre até às 23:59 do dia 10 de março no site www.heroisdafruta. com e vai apurar 80 hinos finalistas: os 3 mais votados, bem como o mais partilhado de cada distrito ou região autónoma. Mário Silva, presidente e fundador da APCOI e mentor do projeto “Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável” lembrou que “cada voto em qualquer hino da fruta reverte como donativo para a «Missão 1 Quilo de Ajuda» um fundo social que permite à APCOI distribuir

gratuitamente cabazes semanais nas escolas para apoiar a inclusão de fruta no lanche escolar dos alunos mais carenciados do país”. Mário Silva acrescentou ainda que “todas as pessoas que votarem nos hinos da fruta ficarão também habilitadas a ganhar fantásticos prémios. São mais de mil experiências à escolha para

parques aquáticos, zoológicos, museus, aquários, centros de ciência viva e parques de diversões. Além disso, há um super prémio: uma viagem de sonho aos Açores”. Lista dos 2 vídeos das escolas participantes do concelho de Amarante: • EB/JI da Portela - F3/4 • EB Igreja - Vila Caiz 1.ºD, 2.ºD, 3.ºD, 4.ºD, Sala 1,

Sala 2 «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» Depois do sucesso das edições anteriores que envolveram no total 236.227 alunos, no ano letivo 2016/2017 participam no projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável», 53.399 alunos, de

2.665 turmas, de 900 jardins de infância e escolas básicas do 1º ciclo de todos os distritos do país, incluindo as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» é atualmente o maior programa gratuito de educação para a saúde de âmbito nacional, com uma das maiores taxas de sucesso de sempre em reeducação alimentar infantil em Portugal: está estatisticamente comprovado que a aplicação do modelo pedagógico dos «Heróis da Fruta» aumenta em pelo menos 42% o consumo de fruta diário das crianças que nele participam. Além do incentivo ao consumo de fruta nas quantidades recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» leva também às crianças lições importantes sobre alimentação saudável, higiene oral, atividade física, economia e poupança, respeito pelo ambiente e bem-estar emocional, que as ajudam a crescer saudáveis, ativas e felizes. Site oficial do projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável»: www.he-

Homem encontrado morto num poço em Vila Meã

Mulher atira-se da ponte da A4 ao Tâmega

Ao final da tarde, da passada terça feira, foi dado um alerta para a existência de um corpo, no interior de um poço, em Vila Meã, Amarante. Para o local foram enviadas três viaturas da corporação dos bombeiros de Vila Meã e a viatura do VMER do Vale do Sousa. O corpo era de um individuo do sexo masculino, já em estado de cadáver. Veio a confirmar-se que o cadáver é de um idoso desaparecido na freguesia de Figueiró, concelho de Amarante.

Uma mulher de 55 anos, atirou-se da ponte da A4 , que liga Porto a Bragança, em Amarante. O alerta foi dado por um popular, por volta das 14H30, após ter visto a mulher a saltar da ponte. O corpo foi encontrado por volta das 16H30, no rio Tâmega, um pouco abaixo do Parque Aquático. Participaram nas operações de resgate os Bombeiros Voluntários e a GNR de Amarante.


11

PUBLICIDADE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017


12

ENTREVISTA

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

“O Amarante FC tem condi Após uma primeira fase em que a equipa sénior se classificou em 1º lugar e com uma das defesas menos batidas da Europa, o Amarante FC prepara-se para disputar o PLAY-OFF de subida à 2ª divisão nacional. Impunha-se fazer um balanço do até agora conquistado, e das perspetivas e ambições por parte do clube mais representativo do nosso concelho. Para tal o Jornal de Amarante foi ouvir o presidente da direção, António Duarte. JA – Começávamos já por perguntar se contavam estar no lugar que estão? AD – Quero desde já agradecer em meu nome pessoal, e da Direção do Amarante FC, por esta entrevista, e agradecer também à ERA fm toda a cobertura nos relatos do clube. Relativamente à questão que me coloca, se calhar, o Amarante FC começou a época desportiva da mesma maneira, e com o mesmo pensamento, que temos nesta fase de acesso à subida já no próximo domingo. Isto é, o Amarante FC foi criterioso, teve rigor na escolha do plantel, que é aí, juntamente com os técnicos, acho eu, se deve ter muito cuidado no início da época, a elabora-

ção do plantel. Começamos o campeonato a pensar no jogo a jogo. Aliás, hoje em dia, é uma coisa importante, o jogo a jogo, para evitar pressões e ansiedades, é o que der. Entretanto, um plantel, no nosso ponto de vista de qualidade neste caso, é mais para os artistas e equipa técnica, foram construindo um balneário excelente, e como sabemos é muito importante para o sucesso. E o Amarante FC entrou neste campeonato, e desde logo dissemos, em diversos órgãos de informação, que iria ser uma época com um pouco mais de ambição que as anteriores apontando para os primeiros quatro ou cinco lugares. E o clube, fruto daquilo que

acabo de dizer, acaba com toda a justiça em primeiro lugar. A partir daqui, vamos continuar com a mesma filosofia, o clube tem um excelente plantel, uma excelente equipa técnica, e é justo dizê-lo, uma excelente massa associativa, e acho que estão reunidos os condimentos para que seja uma época marcante na vida do clube. JA – Sentiu um grande apoio, e maior acréscimo da massa associativa? AD – Sim. Este ano sentimos um pouco mais de apoio, mas também é justo dizer, que nas épocas anteriores também o sentimos. A massa adepta, os sócios, e as pessoas que gostam do clube, compreendem a realidade do clube da nossa terra, até a realidade socioeconómica. Uma coisa está ligada à outra, e eles sabem até que ponto nós podemos ir. Acho que nós nesta altura já estamos a ir longe demais, e ainda podemos ir mais longe. Porquê não ter alguma ambição? Tivemos esse forte apoio nas épocas anteriores, em que o Amarante FC teve algumas dificuldades, mas sempre acreditamos na estabilidade e sustentabilidade do clube, isso é que é muito importante. E este ano, é uma época excecional, e como é natural há mais gente no estádio. Recordo que no último jogo que fizemos com o Marítimo, nós ultrapassamos as duas mil pessoas, o que não se verificava desde a época passada, naqueles famosos jogos da Taça de Portugal, Marítimo e Arouca. JA – O Amarante FC garante assim o play-off de subida, e será o campeão da Série B do campeonato

Portugal Prio, e nomeadamente atinge, pela primeira vez, no seu historial, esta fase de subida da competição. Está por isso na fase de subida. Mas será preciso reajustar o plantel? Há essa possibilidade? AD – Ainda bem que coloca essa questão, porque uma das grandes lutas, nesta fase de transição, foi não nos preocuparmos excessivamente com aquisições e em não deixar sair. Fruto da época excelente que fizemos, fomos abordados, como se diz na gíria desportiva, atacados no sentido de dispensar ou vender jogadores do nosso plantel. Mas os jogadores sentem-se felizes, estão bem no clube, e conseguimos que ninguém saísse. Uma das lacunas que o clube foi apresentando ao longo da época, estávamos um pouco mais frágeis, sobretudo a atacar, sobretudo na zona esquerda do retângulo, especialmente, o nosso lateral esquerdo, um jovem com muito futuro, o Armando, já é forte, na minha opinião está consolidado no futebol defensivo, está bem, mas a atacar tem mais dificuldades, até porque, na minha opinião, ele não tem um pé esquerdo de raiz, e por vezes a atacar tem essa dificuldade. Posto isto, e até por insuficiência também dos jogadores, naquele setor, o clube entendeu reajustar. Já fizemos uma aquisição, oriundo do Fafe, um jogador das escolas do Vitória de Guimarães, que é o João Carneiro. Nesta altura, já é jogador do Amarante FC, e penso que domingo já estará à disposição, para o nosso mister Pedro Pinto optar, ou não, por ele, isso já é um assunto da equipa técnica. O clube tem uma aquisição concreta, que é esta que acabo de

falar, e talvez, não é certeza, um homem para o ataque, mas os próximos dias o dirão, porque também não estamos com necessidade de ir buscar jogadores por ir buscar. Ou vem acrescentar algo, e fazer a diferença, ou então preferimos não ir buscar ninguém. JA – Fruto deste campeonato que o Amarante FC fez, os jogadores são objeto de cobiça de outros clubes? É um orgulho para si como Presidente? AD – Quando é assim, como é uma coletividade, é sempre partilhado com os colegas da direção, com os sócios e com as pessoas que gostam do clube, porque nós sentimos que há jogadores que não acompanham o Amarante FC, há outros que dão mais nas vistas, e esses são objeto de cobiça dos outros clubes. Acontece que, felizmente para nós, os jogadores em Amarante, acho que não é pelo que ganham, é pela própria cidade em si, a forma como se sentem, o carinho, as condições que o clube lhe oferece, tanto a nível físico como humano, sentem-se tão confortáveis, que para já, na mesma divisão a transferirem-se é muito pouco provável. E aquilo que normalmente fazem, e preparamos o jogador, e temos orgulho e felicidade, é que quando saiam que subam, que vão para escalões superiores. E o Amarante FC, nesta altura, orgulha-se de ter esse ambiente, e creio que é assim que se conseguem as grandes conquistas. É o desporto coletivo, a união faz a força. E as condições estão criadas. JA – Está aí a disputa e a possibilidade de discutir o acesso à 2ª Liga? AD – Seria hipocrisia, ou


13

ENTREVISTA

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

ições para estar na 2ª Liga”

falsa modéstia da minha parte, mas já que estamos lá, porquê estar com o discurso do bombo da festa. Para já, não acreditamos que isso aconteça, e depois são 8 equipas, que tem o direito de pensar da mesma forma, e se fosse aqui a falar, já com um excesso de otimismo, diria pelo que me dizem, pessoas responsáveis e ligadas a jornais desportivos nacionais, gente ligada aos responsáveis do futebol, veja só, que o Amarante FC no campo teórico é o grande favorito. Uma equipa que parte para o campeonato, a tentar fazê-lo o melhor possível, e de repente é a melhor equipa. Como nós andamos há muito tempo no futebol, e não acredito, e atenção aos presentes envenenados, aquilo que tenho para dizer é que o Amarante FC tem uma equipa para lutar pelos primeiros quatro lugares. Disso não tenho dúvida nenhuma. Agora estes quatro são quase como aconteceu nesta fase, o Trofense antes

de começar, se calhar, era capaz de pensar ser o campeão, e ficou em quarto, estamos a falar em 10 clubes, na fase anterior. O Felgueiras também pensaria ser o campeão, não faço ideia, e de repente, e com toda a justiça fica o Amarante FC em primeiro. Acreditamos sim, no valor da nossa equipa. Vamos lutar, vamos fazer o jogo a jogo e ver até onde pode ir. O primeiro adversário é o Merelinense, e também tem os objetivos deles. Nós temos que ter cautela com todas as equipas, e vamos acreditar na nossa. O Amarante FC tem muito valor. JA – O sorteio e o encandeamento das próprias jornadas são importantes. O sorteio já foi realizado. Acha que foi benéfico para o Amarante FC? AD – Há uma ironia no meio disto tudo, e já comentamos isso no nosso estádio, que é, o último jogo do campeonato desta fase,

curiosamente é outra vez com o Marítimo, em casa. E o Amarante FC tem sido muito feliz com o Marítimo, e espero que desta vez também o seja. Poderá ser uma grande festa, quanto mais não seja, se não for a festa da subida, que seja a festa de uma época excelente que estamos a fazer. Mas até lá temos que esperar para ver. JA – Presidente deixe uma mensagem e um incentivo a todos os Amarantinos, e às pessoas em geral, que apoiam o Amarante FC. AD – A minha principal mensagem vai direitinha para os apoios que temos tido, os nossos patrocinadores, nunca é demais dizê -lo, são pessoas que dentro das suas possibilidades nos tem apoiado. Deixo a nossa gratidão para a autarquia, a Câmara Municipal de Amarante, para os sócios, para toda a gente, que ao fim e ao cabo, tem composto o bolo financeiro, com o qual

o Amarante FC vai gerindo o destino do clube. E pensamos que o estamos a fazer com algum rigor, embora haja sempre riscos, porque no futebol nós estamos a contar com uma coisa e sai outra. Só que a tal derrapagem é sempre mínima, e é sempre controlável. Mas de qualquer modo, não nos metemos em loucuras, temo-nos sentido bem, e há uma combinação perfeita entre os apoios que temos e a equipa, que tem correspondido. E quando é assim, penso que há motivos para todos, e estou a falar de desportos coletivos, gosto pouco de particularizar, por isso quero agradecer a toda a gente que nos tem apoiado, e peço desculpa se às vezes, eventualmente me esqueço de alguma coisa. Agradecer ainda, ao Sr. Nogueira de Magalhães, da ERA fm, que está presente nos nossos jogos. JA – O Amarante FC está pronto para subir à 2ª

Liga? AD – No ponto de vista de espaço físico tem todas as condições para o futebol profissional. E mesmo ao nível da própria cidade em si. A grande questão é saber, e neste caso é inevitável, se a autarquia, e as forças vivas estão viradas para aí, ou não. Porque a nível do estádio, e mesmo ao nível de turismo, a nossa cidade é lindíssima, há muita gente que vem cá pela primeira vez à custa do futebol. Acho que temos todas as condições, e sim, o Amarante FC está pronto para subir à 2ª Liga. JA – Para terminar desejamos as maiores felicidades ao clube, e oxalá, que daqui a uns meses estejamos novamente aqui para falar e festejar essa subida à 2ª Liga. Os maiores sucessos, e viva o Amarante FC.


14

ENTREVISTA

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

“Sou um português de Júnior Pereira é o nome artístico, de Casimiro leite. Nasceu a 13-111995 em Amarante. Reside em Sanche. Júnior Pereira que já tem nome pelo estrageiro principalmente pena Suíça país onde viveu 3 anos e onde realizou mais de 30 espetáculos. O gosto pela musica já vem desde muito pequeno depois de ter tido aulas de música e de ter aprendido a tocar vários instrumentos. Júnior Pereira gravou o seu primeiro álbum em 2014 com o título “Um jovem aventureiro”, com grande sucesso na Suíça. Gravou o seu segundo disco já este ano com o titulo de “kuduro ou funana” que contou também com a presença de uma voz feminina com o nome de Susy. O Jornal de Amarante, foi ao encontro de Casimiro Leite, para conhecer melhor ao cidadão Casimiro Leite e o artista Júnior Pereira.

NT – Casimiro Leite, natural de Amarante e cantor. Como começaste nas lides musicais? CL – Este sonho pela música vem desde pequeno. Comecei novo a tocar instrumentos, e lancei um trabalho como músico. Não era cantor, era músico e tocava nas comunidades portuguesas, na Suíça. Tenho feito muitos espetáculos pelo estrangeiro. Voltei este ano a Portugal, definitivamente, e para me dedicar á minha carreira musical.

NT – Como surge a dupla Suzy & Junior? CL – A dupla surge como uma brincadeira. Em agosto passado, depois de um espetáculo que fizemos convidei a Suzy (Susana Pereira), achei que funcionávamos bem juntos, e fiz-lhe a proposta. Ela aceitou, gravamos umas músicas juntos, e o resultado está aí no mercado.

mundo da música em geral. E quero apostar cada vez mais no meu futuro, e sempre ligado à música.

NT – Nota-se que no novo trabalho há um cuidado especial, e as letras são mais atrativas para o panorama musical atual. É assim? CL – Sim. Eu tentei desenvolver mais este trabalho, e empenhei-me NT – O teu sonho muito. Trabalhei com sempre foi cantar? produtores mais atualiCL – Sim. Mas não só zados. cantar, adorava tocar, e sempre me fascinou o NT – Há também uma

nova imagem? É um Cd com mais qualidade? CL – Sem dúvida alguma. Trabalhamos nesse sentido, e para que ficasse um Cd mais comercial e atualizado. Gravei-o no Porto, com o Nuno Albatroz, um grande cantor e artista português. NT – E em termos de espetáculos aqui em Portugal? Já tens marcações? CL - Sim. Tem aparecido bastante trabalho. Para mim é tudo novo, estava habituado a atuar lá fora, na Suíça. Mas

sim, tem aparecido trabalho, e espero que com a chegada do verão possa aumentar. Estamos prontos para trabalhar e dar o nosso melhor. NT – E projetos futuros? CL – Não penso num futuro muito grande no mundo da música, a concorrência é muito grande, e há muitos e bons artistas em Portugal. Mas tento fazer o meu trabalho, não quero ser melhor que os outros, mas mostrar o que faço, e se puder fazer melhor,


15

ENTREVISTA

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Amarante” porque não? NT – E a dupla, Suzy & Junior, é para continuar e fazer espetáculos em Portugal? CL – Sim. Para os espetáculos aqui e lá fora. Estamos a tentar marcar, e já temos um agendado no estrangeiro em março. NT – E além da dupla, há mais alguém por trás? CL – Sim. Acima de tudo tenho o meu produtor, o Nuno Albatroz, que nos apoia e está sempre connosco. Ajuda a lançar-nos como dupla. E esperamos ir cada vez mais longe, e ter mais apoiantes. NT - Dos temas do último trabalho, qual o que destacas? CL – Em termos de dupla é o tema “Kuduro e Funana”, e foi o que deu nome ao Cd. É o que sobressai mais. Mas além da dupla, também cantamos a solo, tanto eu como a Suzy, e um tema que acho muito bom, e é cantado por mim, chama-se “Já não posso mais”. NT – Tens alguma música dedicada à terra onde nasceste, aqui Amarante? CL - No primeiro trabalho sim, tenho uma música que fala de Amarante, “Sou um português de Amarante”.

NT – E para entrar em contato para espetáculos, o que devem fazer? CL – Podem encontrar-nos através da nossa página do Facebook, também pelo e-mail suzy/junior@hotmail. com, ou através do telemóvel 915777462. NT – Queres agradecer a alguém especial? CL – Sim, sem dúvida. Tenho que agradecer aos meus fãs, aos ouvintes das rádios que pedem e gostam das minhas músicas, a todas as pessoas em geral, e claro, à família e aos amigos que me apoiam sempre. NT – Qual a mensagem que queres deixar, em especial aos teus fãs? CL – Que lutem pelos seus sonhos, e que me ajudem a lutar pelo meu. Que me apoiem, porque aqui em Portugal o mundo da música é novo para mim, tive um grande sucesso no estrangeiro, mas aqui é diferente. E quero dizer-lhes que estamos cá para dar o nosso melhor. Se gostam de nos ouvir, agradecemos que nos contatem para as vossas festas e romarias, teremos todo o gosto em lá estar.


16

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Até 6 de maio na Biblioteca Nacional de Portugal

“Amarante – Pascoaes: Do Solar de Gatão ao Universo” A promessa é de uma viagem até ao universo e quem por lá passou, parece já rendido aos encantos desta que é uma exposição, no mínimo, inédita. Até 6 de maio, o universo de Pascoaes, abandona a terra natal do poeta para ocupar parte do 2º piso da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP). Pela primeira vez, o espaço físico da BNP transforma-se para acolher esta mostra que a Câmara Municipal de Amarante, o Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (CLEPUL), a BNP, entre outras instituições, organizam. “Amarante – Pascoaes: Do Solar de Gatão ao Universo” recria a atmosfera do espaço familiar e de escrita do poeta, reunindo um vasto conjunto de epístolas de e para Pascoaes, cartões-postais, manuscritos e datiloscritos de algumas das obras fundamentais do autor, fotografias de família, amigos e admiradores e ainda alguns exemplares da sua obra plástica. Assim, se num primeiro momento, a imagética da Exposição, parte de um cenário intimista, através da recriação panorâmica do escritório do poeta, num segundo momento domina a intensidade fugitiva da expressão plástica de Pas-

ra íntima de ser do poeta e a sua visão, cuja força cósmica rompe com os limites geográficos. É, pois, nesta altura que nos assombram os pungentes versos de Marânus (1911): «(...) Amo-te, ó grande serra maternal! Amo-te, desde a fonte piedosa Que dos teus flancos mana, duma casta E fresca transparência religiosa (...)»

coaes, patente nas suas ilustrações, enquanto no último momento, o foco centra-se no homem, de seu nome Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, dando ênfase quer ao contacto que mantinha com os amigos e cultores da época, quer aos manuscritos e epístolas que atestam a riqueza da sua produção. Os três espaços unificam-se, rompendo os limites geográficos, justamente através da magnitude do legado, literário e filosófico, deixado por Teixeira de Pascoaes. A inauguração oficial da exposição aconteceu a 8 de fevereiro, na presença de autoridades institucionais e oficiais, e foi precedida de uma mesa-redonda, com os contributos de António

Cândido Franco, Miguel Real, Renato Epifânio e Serafina Martins. Na cerimónia teve ainda lugar a atuação do Grupo Coral de Queluz, sob a direção do Maestro Pedro Miguel, com apresentação de uma composição musical inédita, da autoria do compositor Gonçalo Risso Lourenço, a partir de um poema de Pascoaes. A exposição estará patente ao público até 6 de maio, na sala de exposições do 2.º piso da biblioteca.

tes

A este evento, em Lisboa, seguir-se-á o último ciclo de Congresso Internacionais do Triénio Pascoalino, a ter lugar em Amarante, entre 27 e 31 de março de 2017.

Ainda antes, porém, de adentrarmos o espaço de intimidade deste autor de alta magnitude somos convocados, primeiramente, pela imponente imagem da Serra do Marão: paisagem que surge como ponto de intersecção direta entre a manei-

Três espaços concêntricos e intercomunican-

Orquestrada em três espaços concêntricos e intercomunicantes, cujo ritmo de expansão se inicia com a visita nuclear ao espaço do ofício de poeta e cujo itinerário dinâmico e interpelante foi pensado a partir do poder da Palavra que inscreve uma mundividência singular e ímpar, a mostra pretende lembrar a presença continuada do escritório do autor.

Seguidamente, cada visitante é convidado a entrar pelo pórtico do Solar de Gatão e a apreciar a beleza dos azulejos seiscentistas deste espaço secular, remontando ao século XVII. Este momento, antecedendo a entrada litúrgica na intimidade do autor, deverá conduzir o visitante a uma postura de recetividade reverencial, próxima talvez da atitude dos irmãos de Pascoaes que, sentindo que estavam perante um ser superior, andavam calçados com chinelos pelos corredores de sua casa para não perturbarem esse seu ímpar Irmão. Depois de passarmos o frontispício do Solar de Gatão deparamo-nos com o centro nevrálgico da exposição, isto é, o locus sagrado do ofício do Poeta. Aqui encontra-


17

mos a secretária do poeta, a sua cadeira e uma estante para livros, por si desenhadas e ideadas, feitas a partir de carvalhos do Solar de Gatão. Temos, também, a mão de bronze esculpida por António Duarte, sinetes, uma lupa e um estojo em veludo vermelho com uma caneta dourada com pedras de cor. Por detrás da secretária irrompe a imagem de Pascoaes a habitar esse mesmo espaço, fotografia trabalhada e ampliada pelo designer Carlos Gallo e pela arquiteta Bárbara Abreu. Os pincéis e as cores Num segundo momento, o convite transformase na passagem da palavra até ao movimento fugaz e elusivo dos pincéis e das cores. Deparamo-nos, assim, com uma aguarela de Pascoaes feita por António Carneiro. Este segundo marco da exposição, como todos os outros, fala-nos de modos distintos do poeta: encontramos,

AMARANTE

assim, o seu bilhete de identidade com a indicação da sua altura (1,58), olhos castanhos e a marca do polegar direito de Pascoaes. Ainda ligada à noção de fumo encontramos exposta a licença de acendedores e isqueiros, a bengala, a mala de viagem do poeta, o chapéu palhinha e uma réplica da pasta de curso de Direito deste bacharel manquée. Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos No terceiro e último momento, dá-se foco principal ao homem, de seu nome Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, privilegiando momentos íntimos quer através do contacto com os amigos e cultores da época, quer com alguns manuscritos e epístolas que registam a vasta e multímoda produção deste escritor, cuja presença de génio abarca não só a paisagem de Amarante e Gatão, mas faz estremecer a Via-Láctea, o Universo.

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Documentos inéditos Esta mostra opta, igualmente, pela exposição de alguns documentos inéditos ou tão raros que assumem uma importância crucial para compreender o ambiente que circundava o poeta, tais como: os bilhetes-postais das suas admiradoras, Sofia Gallini, Judith Lima e Maria Sabaté Taborda. Salientam-se, ainda, duas ofe-

rendas de claro destaque: uma, de Mário de Sá-Carneiro com uma dedicatória reverencial ao poeta e, outra, os dessins de Amadeo Souza-Cardoso, com dedicatória ao amigo e poeta e um bilhete-postal de Espinho, falando do espírito burguês que aí abundava, escapando apenas o «Typo de beleza da mulher do Oceano.» A este propósito, convém relembrar que o itinerário desta exposição se complementa com a visualização de duas películas (datadas, respetivamente, de 1970 e 1974) sobre a vida e obra de Teixeira de Pascoaes, cedidas pela Câmara Municipal de Amarante, pela Biblioteca Albano Sardoeira e pela RTP. O pinheiro À saída deste percurso, pautado pela voz do poeta, o visitante encontrará um pinheiro trazido diretamente de Amarante: apontamento que celebra a Natureza e lembra dois episódios surpreendentes

da sensibilidade anímica do autor. O primeiro, aponta para o encontro com uma mulher que carregava aos ombros uns pinheirinhos. Pascoaes, não sem alguma irascibilidade, diz-lhe que devolva esses pinheiros à Terra Mãe e que não volte a arrancar os pinheiros na sua fase de crescimento inicial. O segundo, evoca um dos últimos desejos de Pascoaes ao querer que o seu caixão fosse feito da madeira dos pinheiros do seu Solar. A seriedade intimista subjacente a estes três espaços atmosféricos e concêntricos da exposição, que se revelam à medida do andamento musical do visitante, são, pois, extraídos do profundo temperamento de Teixeira de Pascoaes, encaminhando-nos, não apenas para a justa apologia da sua obra poética e filosófica, mas para o simultâneo reconhecimento de uma Visão, cujo grito ressoa frente a frente ao absoluto.


18

AMARANTE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

“Parque Florestal de Amarante, uma Obra Centenária” para ver em Espanha 17 de fevereiro é a data que assinala o encerramento da exposição “Parque Florestal de Amarante, uma Obra Centenária”, no Convento de São Francisco, a sede da “Fundación Rei Alfonso Enriques”, em Zamora, Espanha. A cerimónia contará com um concerto da Orquestra do Norte, às 19h de sexta-feira. 250 quilómetros separam Amarante de Zamora, duas cidades que têm muito em comum: desde a cultura às paisagens, passando pelos costumes e tradições, até à gastronomia. Recorde-se que, em Portugal, a inauguração da exposição “Parque Florestal de

Amarante, uma Obra Centenária” foi a 17 de dezembro de 2016, nos Paços Perdidos da Câmara Municipal de Amarante. Dia em que foi também lançado o livro com o mesmo título e uma edição numerada de 200 postais. Refira-se que todas essas atividades surgiram no âmbito da comemoração dos 100 anos de Regime Florestal da Serra do Marão, cujos eventos irão prolongarse por cada uma das 4 estações do ano. Verónica Teixeira Pinto, da Associação para a Criação do Museu Eduardo Teixeira Pinto comentou, em jeito de balanço, que uma exposição que leva o nome de Joaquim

Teixeira Pinto e de Eduardo Teixeira Pinto, dois fotógrafos amarantinos, fora de Portugal “é sempre uma mais-valia. Estamos muito satisfeitos e agradecemos à Câmara Municipal de Amarante esta ida fora de portas”. A Associação tem, como se conhece, como principal objetivo criar o Museu Eduardo Teixeira Pinto mas “nunca nos esquecemos que um dos nossos propósitos é também divulgar os nomes dos fotógrafos”, esclarece. “Esta exposição em Zamora permite que aquelas pessoas possam conhecer estes nomes e isso para nós é muito gratificante”. Patente ao público, desde

IV Agrotalks com conversas à volta do mel O mel será rei e senhor na quarta edição do agrotalks que se realiza a 4 de março, no Instituto Empresarial do Tâmega. Este espaço de reflexão e de discussão pretende, nesta edição, abordar um domínio setorial: a fileira do Mel. O debate será, pois, feito em torno das tendências e oportunidades da apicultura, bem como da transformação e comercialização do mel. Tópicos que consubstanciam um desafio incontornável da qualificação dos agentes económicos. Neste contexto, pretende-se refletir sobre as dinâmicas da fileira do mel, partindo das perceções, constrangimentos e desafios dos seus diversos atores: produtores apícolas, associações representativas, distribuidores, exportadores. O objetivo passa por reforçar uma visão integradora da cadeia de valor. A promoção desta IV edição conta com o Município de Amarante, que se faz representar pela InvestAmarante; a Santa Casa da Misericórdia de Ama-

rante, através do CLDS 3G (TEIA+); a Dolmen e a ApiMARÃO. Desafiam-se todos os intervenientes da fileira do Mel, assim como as pessoas e organizações interessadas a marcarem presença no evento. O evento decorrerá entre as 9h e as 17h de sábado e contará com painéis temáticos e com uma sessão de provas comentadas. Entre os oradores, destaque para o professor Doutor Paulo Russo, especialista no âmbito da Apicultura, em serviços de análise, investigação, formação técnica e aconselhamento técnico e científico especializado. A ASAE, que se fará representar pelo Inspetor Diretor Engenheiro Vítor Serra especialista na área de Segurança Alimentar, integrará o programa. A participação é gratuita mas sujeita a inscrição e limitada à capacidade do auditório. Mais informações em www.facebook.com/AgrotalksConferencia

13 de janeiro, em Zamora, a exposição tem despertado a curiosidade dos visitantes. “Logo na inauguração, muitas pessoas vieram ter comigo a perguntar-me sobre os fotógrafos mas também sobre Amarante. Havia quem

já conhecesse, em particular, a obra do meu pai, mas tive muita gente a vir ter comigo só para me dizer que, a julgar pelas fotos, Amarante devia ser um sítio fantástico, uma cidade idílica!”.

Orquestra do Norte atua em Zamora Orquestra do Norte atua em Zamora A cidade espanhola de Zamora vai ser a próxima paragem para a Orquestra do Norte que irá realizar naquela cidade um concerto no dia 17 de fevereiro, sexta-feira, pelas 19h. A direção ficará a cargo do Maestro José Ferreira Lobo. Este concerto insere-se num plano de trocas culturais entre Amarante e Zamora, no âmbito da exposição de 40 das 237 imagens do livro “Parque Florestal uma Obra Centenária”, recentemente editado pelo Município de Amarante. Desde 13 de janeiro e até 17 de fevereiro a “Fundación Rei Alfonso Enriques” acolhe a mostra. Designado de “Da Europa à América, entre o século XVIII e o século XX”, o concerto terá o seguinte programa: Jackes-François Gallay - Six Fanfares (Trio de trompas) Astor Piazolla - Adios Nonino (Quarteto de metais)

Johann Sobeck - Quinteto n.3,op.14, allegro mosso (Quinteto de madeiras) Leonard Bernstein - West Side Story (Quinteto de metais) Astor Piazolla - Oblivion (Quinteto de metais) Gustav Holst - Os Planetas, Júpiter (Quinteto de metais) George Bizet – Carmen, suite (Quinteto de madeiras) … Solistas da Orquestra do Norte Maestro Titular José Ferreira Lobo Malgorzata Szymanska | violino Ana Catarina Costa | flauta Miguel Coelho | oboé Nuno Madureira | clarinete Joaquim Teixeira | fagote Mário Reis | trompa Roberto Sousa | trompa Rebecca Holsinger | trompa Carlos Ribeiro | trompete Flávio Silva | trompete José Pereira | trombone Jorge Freitas |trombone-baixo


19

PUBLICIDADE

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017


20

DIVERSOS

EDITAL N.º 7/2017

JOSÉ LUÍS GASPAR JORGE, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com as alterações introduzidas pela Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, que se encontra em discussão pública, a alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará nº 51/78, sito no lugar de Rua de Nossa Senhora de Fátima, Freguesia Vila Meã, a qual deu entrada nestes Serviços, a requerimento de Mónica Marques Cardoso, NIF 225560704, residente no lugar de Rua de Nossa Senhora de Fátima, Freguesia Vila Meã na qualidade de proprietário do lote nº 3. 1.A pretensão consiste: 2.1.Na alteração da área de implantação de 95,00m² para 224,00m²; 2.2.Fixar a área de construção em 391,40m²; 2.3.Fixar a cércea em dois pisos, cave e rés-do-chão, tendo como referencia a cota 257,00; 2.4.Execução de um anexo, constituído por um piso, destinado a churrasqueira, com a área de implantação/construção de 14,00m²; Mais se informa, que o processo administrativo respetivo, com o nº 20/2016, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, nos Serviços Administrativos da Divisão de Planeamento e Gestão do Território desta Autarquia. As sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante, Divisão de Planeamento e Gestão do Território, 24-01-2017 O Presidente da Câmara, José Luís Gaspar Jorge

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Apresentação de livro e inauguração de exposição marcam as atividades da Biblioteca Municipal A Biblioteca Municipal Albano Sardoeira promove, no mês de fevereiro, várias atividades culturais, como horas do conto, teatro de marionetas e fantoches e até cinema. Mas em fevereiro haverá ainda lugar para a apresentação do livro “Foi como um rio”, da autoria de Francisco Ceia, a 17. A 24, pelas 18h, será a inauguração da exposição “O sonho ao poder”, de Mário Viegas. As sessões de apresentação do livro serão às 10h e 11h para alunos das escolas e às 21h para o público em geral. “Foi como um rio” “Um rio é uma árvore de água, filho do choro da chuva doce, escrito no corpo do mundo. O sonho esgaravata-lhe um botão, cálice, corola… explode flor, abre folhas, devagar, cresce haste… gracejo, acotovela seixos, resiste cânticos de constância, corre, briga, abranda, lavra letra e salpico, nas linhas das margens que forja… harmoniza novos braços, adensa o leito, afirma o tronco, esbelto, curva viagem, anda parado… por fora, finge que anda, mas flui, sentido por dentro… adormece espelho, guardador de imagens e lembranças, desagua, no fundo dos olhos de quem o

olha, e afoga as raízes no mar, para lhe beber o sal que há nas lágrimas… tange búzios no peito da maresia… nas luzes do horizonte, solta um grito azulino de gaivota… giza no arco do céu, cor, o beijo pássaro, e na asa dos bons vendavais, imagina nova rota, Sol, chão de sede, searas, tempestade, solidões… no fim, pode ser o começar… como rio de pérolas perdidas no pranto de uma janela, fechada ao cinge gélido de Dezembro, esborratando as cinzas da tarde, dentro dos olhos parados de alguém…”.

A exposição de Mário Viegas, uma personalidade que marcou os anos setenta, oitenta e noventa em Portugal, visa proporcionar à população do concelho e visitantes uma mostra dinâmica e interativa, com conteúdos culturais e sociopolíticos sobre a sua vida e obra, na primeira pessoa. Peças de teatro de humor inéditas, áudios de poesia portuguesa, vídeos e peças do espólio pessoal do ator, poderão ser apreciados, a partir de 24 de fevereiro na Biblioteca Municipal.

Telões – Amarante

Gatão – Amarante

Chapa – Amarante

Sr. José Cerqueira

Dna. Arminda da Silva

Sr. Avelino Alves

AGRADECIMENTO A sua família na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

AGRADECIMENTO A sua família na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Gondar – Amarante

S.Gonçalo – Amarante

Dna. Maria da Graça Mendes

Dna. Ana Manuela Azevedo Ribeiro

AGRADECIMENTO A sua família na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

AGRADECIMENTO A sua família na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

AGRADECIMENTO A sua família na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT

Gatão – Amarante Sr. Manuel Gonçalves Ferreira AGRADECIMENTO A sua família na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vêm por este único meio, expressar muito reconhecidamente a sua mais profunda gratidão para com todos quantos se dignaram participar no funeral e assistiram à Missa de 7.º dia, em sufrágio do seu ente querido. FUNERÁRIAS DO TÂMEGA, LDA – 255 424 422 – 917 212 107 – 919 449 561 917 502 997WWW.FUNERARIASDOTAMEGA.COM – FUNERARIASTAMEGA@SAPO.PT


21

DIVERSOS

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

EDITAL N.º 15/ DAG/2017

JOSÉ LUÍS GASPAR JORGE, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: TORNA PÚBLICO, para efeitos do disposto no nº 1 do artigo 56º da Lei nº 75/2013, de 12 de setembro; QUE, por seu despacho proferido em 27 de janeiro de 2017, foi autorizado o corte/ condicionamento de trânsito a partir das 10h00 do dia 24 de fevereiro de 2017, na EB1/JI Amarante S. Gonçalo, Largo de Santa Luzia, Rua Cândido dos Reis, Rua 5 de Outubro, Rua 31 de Janeiro e Largo Conselheiro António Cândido, sendo o regresso à escola pelo mesmo itinerário no sentido inverso, para realização do desfile de carnaval 2017, na União de Freguesias de (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão. Para constar e surtir efeitos, publica-se o presente edital que vai ser afixado nos locais de estilo e disponibilizado na página eletrónica do Município (www.cm-amarante. pt). E eu, Sérgio Martins Vieira da Cunha, Diretor do Departamento de Administração Geral, o subscrevi. Paços do Município de Amarante, 01 de fevereiro de 2017 O Presidente da Câmara, Dr. José Luís Gaspar Jorge

EDITAL N.º 14/ DAG/2017

EDITAL N.º 04/ DAG/2017

JOSÉ LUÍS GASPAR JORGE, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: TORNA PÚBLICO, para efeitos do disposto no nº 1 do artigo 56º da Lei nº 75/2013, de 12 de setembro; QUE, por seu despacho proferido em 21 de janeiro de 2017, foi autorizado o corte/ condicionamento de trânsito no período compreendido entre as 14h30 e as 15h00 do dia 26 de fevereiro de 2017, na Rua Paulino Cabral e das 15h00 às 17h00 na Rua Pinto Ribeiro até ao Largo Conselheiro António Cândido, para realização do desfile de carnaval 2017 do Infantário Creche “O Miúdo”, na União de Freguesias (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão.

JOSÉ LUÍS GASPAR JORGE, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: TORNA PÚBLICO, para efeitos do disposto no nº 1 do artigo 56º da Lei nº 75/2013, de 12 de setembro; QUE, por seu despacho proferido em 23 de janeiro de 2017, foi autorizado o corte/ condicionamento de trânsito a partir das 13:30h do dia 24 de fevereiro de 2017, em frente ao Externato de Vila Meã, Rua da Feira, Rua Bruno Taveira, Avenida Nova, Avenida 25 de Abril, Rua 5 de Outubro, Rua Professor Luís Mendes Araújo, para realização do desfile de carnaval 2017, na Freguesia de Vila Meã.

Para constar e surtir efeitos, publica-se o presente edital que vai ser afixado nos locais de estilo e disponibilizado na página eletrónica do Município (www.cm-amarante. pt). E eu, Sérgio Martins Vieira da Cunha, Diretor do Departamento de Administração Geral, o subscrevi.

Para constar e surtir efeitos, publica-se o presente edital que vai ser afixado nos locais de estilo e disponibilizado na página eletrónica do Município (www.cm-amarante. pt). E eu, Sérgio Martins Vieira da Cunha, Diretor do Departamento de Administração Geral, o subscrevi.

Paços do Município de Amarante, 01 de fevereiro de 2017 O Presidente da Câmara, Dr. José Luís Gaspar Jorge

Paços do Município de Amarante, 26 de janeiro de 2017 Presidente da Câmara, Dr. José Luís Gaspar Jorge

Vila Garcia - Amarante

São Gonçalo-Amarante

França-Vila Chá-Amarante

Sr. António de Carvalho Teixeira

Sr. Vitorino Rodrigo Pereira

Sr. Agostinho Marinho Pinheiro

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Cepelos-Amarante

S. Gonçalo-Amarante

Suíça-Ansiães-Amarante

Dª. Maria Emília dos Santos

Dª. Albertina Teixeira Gomes

Sr. Manuel Fernando Teixeira

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Vila Caiz-Amarante

Póvoa-Ansiães-Amarante

Lomba-Amarante

Sr. Luís Augusto Vieira Ribeiro

Sr. Alfredo da Costa

Sr. António Manuel Leite

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Funerária São Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 | 914868068


22

DIVERSOS

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

EXTRACTO DE PUBLICAÇÃO Notária Adelaide Monterroso Freixo

LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL CONVOCATÓRIA Nos termos do disposto no Artº. 27º. dos Estatutos, convoco os associados da Liga dos Amigos do Hospital de Amarante para uma Reunião em Assembleia Geral Ordinária, a realizar no dia 25 de março de 2017, às 14h30, na sua sede social, sita no Edifício do Tapado, Rampa do Hospital, nº.62, União das Freguesias de Amarante (S. Gonçalo), Madalena, Cepelose Gatão, nesta cidade, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: 1. Apreciação e votação do Relatório e Contas e Parecer do Conselho Fiscal referentes ao ano de 2016; 2. Outros assuntos de interesse para a instituição. Se à hora acima indicada não se encontrar presente metade dos associados, a Reunião terá início às 15h00, com qualquer número de presenças. A documentação que diz respeito ao ponto 1 da Ordem de Trabalhos encontra-se disponível para consulta na Sede e no Site da Instituição no seguinte endereço: www.ligamigoshospitalamarante.org Amarante, 13 de fevereiro de 2017 A Presidente da Mesa da Assembleia Geral Drª. Maria Teresa V. Mota Neves da Costa Tribunal Judicial da Comarca do Porto Este Juízo Local Cível de Amarante ANÚNCIO Processo: 141/17.5T8AMT Interdição / Inabilitação N/Referência: 72919587

Data: 02-02-2017

Requerente: Ministério Público Requerida: Maria do Carmo Fernandes Pinto de Sousa Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição/Inabilitação em que é requerida, Maria do Carmo Fernandes Pinto de Sousa, com domicílio na Santa Casa da Misericórdia de Amarante, Rua Dr. Miguel Pinto Martins, 134 – 4600-090 Amarante para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica. A Juiz de Direito, Dr(a) Ana Gabriela P.S. Fonseca Freitas A Oficial de Justiça, Virgínia Campos Cerqueira

CERTIFICO, para efeitos de publicação, que neste Cartório e no livro de “Escrituras Diversas” número Sessenta e Sete - A, desde folhas vinte e quatro e seguintes, foi lavrada em seis de Fevereiro de dois mil e dezassete, uma escritura de Justificação, tendo nela outorgado como justificantes: JOSÉ TEIXEIRA FERREIRA, C.F. nº 162 937 822, e mulher MARIA EMÍLIA PEREIRA DE MAGALHÃES FERREIRA, C.F. nº 162 938 381, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Telões, concelho de Amarante, onde residem na Travessa 25 de Abril, nº 116. MAIS CERTIFICO, por extracto que os justificantes declararam o seguinte: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, do prédio urbano, composto de terreno para construção, sito na Rua de Freitas, freguesia de Telões, concelho de Amarante, com a área de novecentos e sessenta metros quadrados, a confrontar de norte com caminho público, sul com José dos Santos Brás e Manuel Cândido Pinto da Costa, nascente com António Francisco T. Pinto, e de poente com Rua 25 de Abril, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na respectiva matriz, em nome da justificante mulher, sob o artigo 2900, que proveio do artigo urbano 1075, da união das freguesias de Freixo de Cima e de Baixo, tendo este, por sua vez, proveniência no artigo urbano P819, da extinta freguesia de Freixo de Baixo, com o valor patrimonial e atribuído de €14 519,50. Que, adquiriram o dito prédio em dia e mês que não sabem precisar do ano de mil novecentos e noventa e cinco, por compra meramente verbal a Casa de Freitas – Sociedade Agrícola, Lda., com sede na Rua de Freitas, nº 103, freguesia de Telões, concelho de Amarante, não tendo sido porém titulada esta aquisição, e por isso não dispõem de título formal que lhes permita fazer prova do direito de propriedade plena. Que, não obstante eles primeiros outorgantes, desde então, sempre estiveram e se mantêm na posse e fruição do aludido prédio, possuindo assim o dito prédio em nome próprio e com aproveitamento de todas as utilidades por ele proporcionadas, nomeadamente, conservando-o, bem como pagando os respectivos impostos, com ânimo de quem exercita direito próprio, posse essa sem qualquer violência nem oposição de quem quer que seja, ininterruptamente e à vista e com o conhecimento de toda a gente. Que, dadas as enunciadas características de tal posse pacífica, contínua e pública, exercida desde o referido ano de mil novecentos e cinco, adquiriram o aludido prédio por usucapião, título esse que por sua natureza não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais, direito este que justificam pela presente escritura, para fins de registo predial. ESTÁ CONFORME Cartório Notarial de Celorico de Basto, 06 de Fevereiro de 2017 A Colaboradora da Notária, Maria Leite da Costa, 366/12


23

DIVERSOS

O Jornal de Amarante|quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Descubra as 10 diferenรงas


Ja 1779  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you