Issuu on Google+

www.reporterdomarao.com.pt • geral@reporterdomarao.com.pt • Telf. 255 521 307 •

Preço: 1,00€ IVA 5% incluído

30 de Abril a 13 de Maio 2009 • Quinzenário • Edição n.º 1217 • Ano 26 • Publica-se à quinta-feira • Director: Vítor Almeida • Director Adjunto: Alexandre Panda

O J o r n a l d a R e g i ã o d o Tâ m e g a e S o u s a

cinfães no topo da gestão camarária Destaque Anuário Financeiro: Enquanto Cinfães, Baião e Amarante estão bem conotados em termos de gestão financeira, Castelo de Paiva e Marco de Canaveses revelam dificuldades de tesouraria. No Vale do Sousa, Paços de Ferreira é a autarquia que menos gasta com os funcionários e Felgueiras é a Câmara com melhores resultados económicos da região. Conheça os resultados das Autarquias do Tâmega e Sousa nas páginas centrais Pág. 6/7

BAIÃO

250 árvores para centros cívicos MARCO

Aprovado empréstimo de 7 milhões

BARRAGEM DE FRIDÃO

ÁGUA VAI SER BOMBEADA DE NOITE PARA A ALBUFEIRA

REGIÃO

Parque de Lazer inaugurado em Celorico

SOCIEDADE

PAÇO DE SOUSA

Gangue do MCDonald´s na cadeia

Mosteiro requalificado

w w w. r e p o r t e r d o m a r a o. c o m . p t


2

Sociedade

Repórter do Marão 30 Abril 2009

geral@reporterdomarao.com.pt

Cabecilha condenado a 24 anos de cadeia

Penas pesadas para gangue do McDonald’s

Alexandre Panda O líder do gangue do McDonald’s, o grupo responsável, entre outros roubos, dos assaltos aos estabelecimentos de Penafiel e Felgueiras, foi condenado, em Valença, a 24 anos e meio de cadeia. O tribunal considerou Manuel C. culpado de 25 assaltos, homicídio de um gasolineiro e ofensas à integridade física. O irmão Nélson que respondia pelos mesmos crimes apanhou 24 anos de prisão. Os arguidos actuavam sobretudo em zonas isoladas e durante a noite ou madrugada, fazendo-se transportar em viaturas roubadas por “carjacking” e actuando de forma “altamente violenta”: usavam bastões de basebol e armas de alarme e de fogo, entre as quais um revólver de calibre

12 milímetros, disparavam normalmente para o ar, para intimidar as vítimas, e também iam quase sempre munidos de pedras e paralelos em granito, que usavam para partir as montras dos estabelecimentos que pretendiam assaltar. “Quando precisavam de partir montras, arremessavam os paralelos. Quando a porta estava aberta, deixavam-nos ficar no local. Era a sua marca. Como o Zorro deixava o Z, eles deixavam os paralelos”, sustentou, durante as alegações finais, a magistrada do Ministério Público, que rebaptizou o grupo de “gangue dos paralelos”. Durante a leitura do acórdão, que demorou quase quatro horas, o juiz presidente do colectivo, Júlio Pinto, afirmou que os arguidos iam sempre preparados “para o

Montepio de Amarante assaltado por solitário

Um solitário armado de uma pistola assaltou a dependência do Montepio Geral de Amarante, no passado dia 22 de Abril. Cerca das 13h30, quando se encontravam vários clientes no banco o solitário entrou com um boné a tapar-lhe a cabeça e ameaçou os funcionários para roubar o di-

nheiro das caixas. Desconhece-se a quantia levada pelo assaltante que saiu a pé do banco. Pelo que foi possível apurar, o banco não tem um sistema de vídeo vigilância o que irá dificultar o trabalho da PJ do Porto que está a investigar o caso. O assalto foi rápido e nenhum proprietário dos comércios à volta do banco se aperceberam do roubo até os carros da GNR estacionar em frente à dependência, despertando curiosidades. Desconhece-se se o indivíduo tinha um cumplice à espera no exterior do banco. AP

que desse e viesse”. “Se alguma coisa corresse mal e alguém tivesse de levar um tiro, levava”, referiu. Todos tinham antecedentes criminais e dois deles já tinham sido condenados. Durante as alegações finais, os advogados de defesa foram unânimes em pedir a absolvição dos arguidos, considerando que toda a acusação se baseou “em convicções” dos agentes da Polícia Judiciária (PJ) “alicerçadas em conversas informais”. O colectivo de juízes considerou este grupo como extremamente perigoso e violento, com problemas graves de integração social e familiar. Os seis elementos do grupo, todos residentes no concelho da Maia, e com extenso registo criminal – sofreram penas pesadas face à violência com que

atacavam funcionários e clientes de gasolineiras, restaurantes e ourivesarias, além dos furtos de vários carros por carjacking no norte do País. Também incluído no grupo que assaltou a bomba de Valença em que Nélson atingiu mortalmente um funcionário com dois tiros na cabeça, Tiago C., com 24 crimes de roubo qualificado, foi condenado a vinte anos de prisão, tal como José M.. A advogada de Tiago, Ana Espírito Santo, já disse que vai recorrer por entender “não haver prova”. Carlos R. teve uma pena mais reduzida – 13 anos de prisão – por não ter ficado provada a sua participação em 12 dos crimes. A sete anos e meio de cadeia foi condenado Paulo D. – único elemento que não está em preventiva e vai continuar em liberdade por apresentar recurso.

Lousada: Raptora conhece sentença a 15 de Maio Tanto o Procurador do Ministério Público, como a advogada dos pais do bebé e a defensora de Simone Ferreira pediram ao colectivo de juízes uma pena suspensa para a arguida dada atitude de colaboração e de arrependimento que a jovem mostrou desde o início do julgamento. Recorde-se que a jovem confessou os crimes, tendo colaborado com o tribunal. Para César Almeida, que também vinha acusado de sequestro, o MP pediu a absolvição uma vez que na anterior sessão Simone tinha afirmado que ela tinha convencido este antigo namorado de que o bebé era dela. O tribunal também ouviu Simone a pedir desculpas aos pais da criança que levou do hospital de Penafiel: “Peço desculpa a toda a família, aos pais da criança”, disse enquanto os pais estavam sentados nos bancos da assistência. A Juíza deu a palavra aos pais que responderam que, para já, não podiam desculpar. A leitura do acordão está marcado para dia 15 de Maio. AP


Repórter do Marão 30 Abril 2009

geral@reporterdomarao.com.pt

Sociedade

3

Em Paredes os pais negam as acusações mas aceitaram colocação das crianças

Meninas retiradas da família por suspeitas de negligência Alexandre Panda

Maria Pacheco também afirmou ao RM que nunca houve violência do casal para com as filhas. A medida de colocar três crianças em casa das respectivas madrinhas foi tomada pela comissão depois de uma denúncia anónima ter alertado as entidades competentes para o caso. A denúncia alertava para suspeitas de maus-tratos às crianças e contava que as filhas já assistiram a relações sexuais dentro de casa. No entanto, tanto os pais como vizinhos e amigos negam essas acusações, reconhecendo, no entanto, que o casal tem frequentes discussões violentas, dando a entender que existe violência doméstica entre o casal. O perfil disfuncional e a personalidade impulsiva do pai, terão levado a comissão a negociar com os progenitores a colocação das crianças em casa das madrinhas. Uma outra filha do casal, com dois anos, vive com a madrinha desde que nasceu, devido a dificuldades financeiras da família. O caso foi encaminhado para o Ministério Público e para a Polícia Judiciária que deverá agora averiguar da veracidade das denúncias anónimas.

“Nunca tratei mal as minhas filhas, nem nunca as obriguei a fazer o que quer que fosse. É verdade que bati na minha mulher mas a elas nunca lhes toquei”, é esse o sentimento de revolta de Carlos Alves, pai de três crianças que foram colocadas consensualmente em casas de madrinhas na semana passada pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco de Paredes que considera a família disfuncional e emocionalmente instável. As três crianças de sete, nove e onze anos – entre outras duas meninas do casal – foram colocadas pela CPCJ depois de uma denúncia anónima alegar maus-tratos e insinuar visualização de actos sexuais em casa. “Isso é mentira. É verdade que temos discussões em casa mas é com a minha mulher e por isso assinei tudo para que as minhas filhas fossem para as madrinhas, a bem delas. Mas se fosse assim tão mau não me tinham deixado a guarda da minha criança de quatro anos”, disse Carlos Alves, incomodado com acusações vindas a público, que fez questão de negar. A mãe,

Carro roubado no Marco serve para assaltos à mão armada Um Renault Megane furtado na residência de uma família em Várzea de Ovelha e Aliviada, Marco de Canaveses, serviu para realizar três assaltos à mão armada na zona de Vila do Conde na manhã do passado dia 21 de Abril. Pelo que o RM conseguiu apurar, a família de Várzea de Ovelha tinha comprado o carro havia dois dias na zona de Amarante. O carro, quase a estrear, acabaria por atrair a atenção dos larápios que penetraram na habitação da família para roubar o veículo. Depois de se descobrir a origem do veículo que foi identificado nos assaltos à mão armada em Vila do Conde, os investigadores foram à habitação para recolher eventuais vestígios que pudessem conduzir à identificação de suspeitos. Encontraram sinais de arrombamento

e o caso está agora nas mãos dos inspectores da Polícia Judiciária, a entidade policial que concentra as competências dos crimes com arma de fogo. Embora um caso de furto de viatura não mereça habitualmente a atenção da PJ, neste caso, uma vez que o carro serviu para três assaltos à mão armada, a própria investigação criminal do furto do carro de Várzea de Ovelha e Aliviada, passou para alçada da Judiciária. Com o Renault Megane furtado no Marco, três jovens encapuzados e armados com uma caçadeira de canos cerrados fizeram três assaltos na zona de Vila do Conde. Em menos de uma hora roubaram duas farmácias e uma bomba de gasolina. As autoridades acreditam que sejam os mesmos indivíduos que assaltaram, dias antes, uma farmácia na Maia.

SMS’s alegando raptos assustaram população Alexandre Panda “Tenham cuidado, andam por aí a matar crianças. Tiram-lhes os órgãos. Voltaram a desaparecer duas crianças em Pe-

sem fundamento, que terá começado numa escola de Penafiel no dia 1 de Abril, dando conta de um jovem que apareceu esventrado. “Essa informação é completamente falsa. Trata-se de uma brincadeira de mau gosto que se propagou”, afirmou ao Jornal RM o Capitão Adriano Rocha, da GNR de Penafiel. Essa falsa informação espalhou-se pelos cafés e escolas devido a casos de suicídios de jovens na região e também pelo facto de um jovem continuar desaparecido no rio Tâmega há vários dias, num caso que, tudo indica, tratarse-á de suicídio. A mesma SMS chegou à PJ do Porto que contactou as autoridades locais para confir-

GNR recupera material de construção civil em Felgueiras O Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Felgueiras desmantelou na última segunda-feira, 27 de Abril, um grupo de três indivíduos suspeitos de ter furtado cerca de 70 taipais metálicos, com um valor de 4000 euros, em estaleiros de construção civil em Lousada e Felgueiras. Os três indivíduos com idades entre os 20 e 28 anos foram constituídos arguidos depois de terem tentado vender o material numa sucata do concelho de Felgueiras.

Homem morre esmagado em Lousada Um homem de 53 anos morreu esmagado por uma máquina agrícola em Vila Pouca, na localidade de Meinedo, Lousada, na passada segunda-feira 27 de Abril. Agostinho Magalhães estaria a manobrar uma mini-retro destinada ao transporte de adubos quando por motivos ainda desconhecidos ficou preso à máquina, acabando por ficar esmagado. Pelo que o RM conseguiu apurar, a vítima, natural de Caíde de Rei, só foi descoberta cerca de duas horas depois do acidente por um indivíduo que passava pela segunda vez num caminho contíguo ao terreno onde a vítima trabalhava. O homem terá estranhado ver o agricultor na mesma posição inanimada, duas vezes num intervalo de largos minutos.

n a fiel e Santo Tirso. Já morreram mais de 10 esta semana. Cuidado com uma carrinha cinzenta e vidros escuros”. Esta mensagem de telemóvel circulou pelos pais e alunos das escolas da região do Tâmega e Sousa, assustando toda a comunidade, com esta falsa informação. Tanto a GNR como a PJ já vieram a público desmentir. Acreditando na veracidade da mensagem, algumas escolas fizeram questão de alertar os pais, dando ainda mais dimensão ao boato,

mar a falsidade da informação. “Já são centenas de chamadas que recebemos de pais preocupados, mas podem estar tranquilos que nada disso se confirma”, adiantou ainda o Capitão Adriano Rocha. Na última semana, as forças policiais desdobraram-se em desmentidos públicos sobre os conteúdos das mensagens de telemóveis o que chegou a surtir efeito.


4

Amarante

Repórter do Marão 30 Abril 2009

amarante@reporterdomarao.com.pt

Produção das eólicas servirá para bombear água para a albufeira durante a noite

EDP confirma grupos reversíveis na barragem de Fridão Jorge Sousa A EDP vai instalar grupos reversíveis - não previstos no estudo inicial do plano nacional de barragens lançado pelo Governo - no maior dos dois aproveitamentos a construir em Fridão, de modo a aproveitar a energia eólica produzida durante a noite, período que corresponde ao “vazio”, em que os consumos são mais reduzidos e a energia mais barata, anunciou a empresa no âmbito de uma gigantesca campanha institucional. A instalação de grupos reversíveis no escalão de montante em Fridão - chamamse reversíveis por funcionarem como turbina durante as horas em que há maior solicitação no consumo de energia e como bomba nos períodos de horas de vazio ou de excedentes de energia na rede - tem por objectivo returbinar a água quantas vezes for necessário, atenuando a diminuição do volume da albufeira em períodos de estiagem. Fonte da EDP anunciou que todas as novas barragens terão “ao lado” parques eólicos, o que possibilitará, através de um sistema de bombagem, a produção “de mais e melhor energia limpa”. “Nas horas de vazio, podemos utilizar a energia que está a ser gerada pelos parques eólicos para bombear novamente para a albufeira a água que já foi turbinada na barragem. Isso significa que, com a mesma água, se vai poder produzir energia várias vezes”, explicou a fonte. As cinco novas barragens a construir

até 2016 são as do Baixo Sabor (já em construção), Foz Tua (em projecto), Fridão, Alvito e Ribeiradio. Segundo a mesma fonte, a EDP vai investir, até 2016, 3 milhões de euros na construção de cinco novas barragens e no reforço da potência de seis, passando a produzir energia hídrica suficiente para mais de dois milhões de consumidores. Este plano inclui o reforço de potência em seis barragens do actual parque hídrico da EDP, concretamente Bemposta, Picote, Alqueva, Venda Nova, Salamonde e Paradela.     Estes investimentos aumentarão a

capacidade hidroeléctrica instalada em mais de 2.900 Megawatts (MW), o que significa um reforço de 61 por cento face ao actual parque da EDP. “A energia, limpa e renovável, produzida anualmente por esta nova capacidade equivalerá ao consumo médio anual de mais de dois milhões de consumidores residenciais”, referiu a fonte da EDP. Estudo para o plano nacional de barragens não previa grupos reversíveis O estudo da COBA que o governo man-

dou elaborar e que serviu para a aprovação dos dez empreendimentos de elevado potencial hidroeléctrico não considerava os grupos reversíveis para a barragem de Fridão.  Além disso, era também omisso quanto à construção de uma segunda barragem (terá 30 metros de altura), denominada de escalão de jusante, onde será também instalado um grupo gerador. A EDP, porém, quando apresentou um estudo prévio do projecto à Câmara de Amarante, em Setembro de 2008, alguns meses depois de ganhar o concurso, já considerou essas duas hipóteses, a desenvolver em fase de anteprojecto. Dizia o memorando apresentado pela EDP há oito meses, a que o Marão Online teve acesso, que “será avaliado o interesse de alternativas, designadamente a instalação de grupos reversíveis no escalão de montante e o equipamento do escalão de jusante”. A segunda barragem, além da produção de energia, servirá também, segundo a EDP, para “modular os caudais turbinados em Fridão”, uma vez que se estima que o caudal a turbinar [no escalão principal] poderá atingir 350 m3/segundo. A barragem principal será construída a pouco mais de seis quilómetros da cidade de Amarante, enquanto o escalão de jusante dista cerca de dois quilómetros daquela. O estudo de impacte ambiental, em elaboração, será objecto de avaliação pública no segundo semestre deste ano.

Subsídios aos clubes de futebol chumbados pela segunda vez

Amarante e Vila Meã recusam receber menos

Os actuais dirigentes do Amarante Futebol Clube – actualmente gerido por uma comissão administrativa, desde Dezembro, pela dificuldade em encontrar um elenco directivo completo – ameaçam deixar o clube sem governo devido à diminuição do subsídio camarário. A proposta de atribuição de um subsídio ao clube, de um montante idêntico ao do ano passado, foi chumbada pela oposição por duas vezes nos últimos dois meses. Os vereadores da oposição - PSD e Mo-

vimento Amar Amarante - aprovaram uma proposta de atribuição de uma verba por atleta federado, o que diminui o subsídio na ordem dos 20 por cento, afectando tanto o Amarante como o Atlético de Vila Meã. Os dirigentes dos dois clubes recusaram assinar o protocolo resultante dos subsídios aprovados na reunião de 02 de Março e a segunda iniciativa do presidente da câmara, autor da proposta, apresentada nesta segunda-feira, também fracassou. Na proposta, Armindo Abreu lembrou que “há jovens que, quer pela sua idade, quer por outras circunstâncias, estão na formação sem estarem, necessariamente, federados”. O autarca defendeu ainda que o critério adoptado pelo executivo na decisão do início de Março “não leva em linha de conta a dimensão e importância social do clube, isto é, não faz a diferenciação positiva das associações desportivas com maior relevância social” nem valida “o acréscimo de despesas resultantes de maior número de equipas a disputar campeonatos”. Estes argumentos, porém, não demoveram a oposição, que manteve as posi-

ções. Moura e Silva considera que os clubes devem ser subsidiados por atleta federado e que a diminuição do subsídio resulta de o número de atletas inscritos na Associação de Futebol do Porto ser inferior ao que foi indicado pelo clube da cidade. O vereador do movimento independente considerou ainda que as críticas do presidente da CA do Amarante FC, divulgadas após a primeira abordagem do assunto, em Março, “foram uma grosseria pública”. A proposta acabou chumbada por três votos contra (MAA e PSD), dois a favor (PS) e uma abstenção (Carlos Silva), numa reunião em que faltou o vereador independente (ex-PSD) Amadeu Magalhães. Futebol juvenil está a servir “de arma de arremesso político” Entretanto, Jorge Pinto, ex-vereador socialista e actual responsável pelas camadas jovens do Amarante FC, reconhece que a sua tentativa de explicar à oposição que está em causa o futuro das camadas jovens (reuniu-se recentemente com o ve-

reador do MAA, Moura e Silva) fracassou. Para o dirigente associativo, a formação dos jovens atletas do clube da cidade “é assunto demasiado sério para ser usado como arma de arremesso político”. Jorge Pinto lembra que o clube recebia 95 mil euros de subsídio em 2005, quando ainda era liderado por José Clemente, disputava a 1ª divisão distrital da AF Porto e tinha cinco equipas na formação. Considera, por isso, “insustentável” que relativamente à época 2008-09, em que o clube disputou a 2ª divisão nacional, a autarquia decida atribuir apenas 80 mil euros, numa temporada em que foram inscritas dez equipas de formação. Na época anterior, o subsídio atribuído pela câmara foi de 100 mil euros. Jorge Pinto assegura que vai manter o acompanhamento das camadas jovens até ao fim da época, mas nada garante para além de 30 de Junho, a manter-se a irredutibilidade do executivo amarantino. Relativamente ao futebol profissional, o presidente da CA já ameaçou abandonar o clube no fim das duas jornadas que faltam - a época termina a 10 de Maio. JS


Repórter do Marão 30 Abril 2009

amarante@reporterdomarao.com.pt

Amarante

Câmara vai agora homenagear vítimas dos confrontos

Ramalho Eanes diz que em Amarante “se jogou o destino do país”

Jorge Sousa O antigo Presidente da República general Ramalho Eanes afirmou, em Amarante, que no episódio bélico da Defesa da Ponte, ocorrido há 200 anos, “se jogou o destino do país”. “Comemorar este fausto e nacional evento é pois, sobretudo para os amarantinos, recordar com orgulho o que aqui de heróico se passou e quanto isso pesou na preservação da independência de Portugal”, afirmou o ex-Chefe de Estado. Ramalho Eanes presidiu à evocação do bicentenário da Defesa da Ponte, em representação do Presidente da República, Cavaco Silva, um evento que levou à cidade do Tâmega cerca de 15 mil pessoas, segundo as estimativas da organização. No próximo dia 2 de Maio, a câmara organiza uma cerimonia de homenagem às

vítimas da II Invasão Francesa. A Defesa da Ponte de Amarante é um episódio bélico ocorrido entre 18 de Abril e 02 de Maio de 1809, no decorrer da II Invasão Francesa, em que tropas portuguesas comandadas pelo general Silveira resistiram durante 14 dias às tropas napoleónicas, em maior número e muito melhor armadas, chefiadas pelo general Soult. Segundo Eanes, “foi aqui em Amarante que durante 14 dias épicos e de martírio se jogou o fim da pátria portuguesa” e que o desgaste da batalha aqui travada “foi a pedra tumular dos propósitos de Soult”. “Na verdade, é em Amarante, no seu Convento de S. Gonçalo, na sua ponte e no seu rio Tâmega, que se jogaram em definitivo confronto quer o futuro do país quer o destino da segunda invasão francesa”, assinalou. Ramalho Eanes considerou ainda que

a queda da ponte, ao fim de 14 dias de resistência, em nada diminuiu a valentia das tropas de Silveira - a quem chamou “militar de génio” -, que soube estrategicamente recuar, para alguns dias depois reconquistar a antiga vila de Amarante, a exemplo do que já fizera relativamente “à praça de Chaves”. Anteriormente, numa apresentação histórica do evento, também o tenente-coronel Vale do Couto salientara que “Silveira foi o herói de uma aventura”, que “infelizmente ainda não chegou a filme”. “Ao empenhar [em Amarante, durante 14 dias] quase metade do seu exército Soult ficou impedido de resistir ao avanço dos ingleses e teve de encetar a fuga”, salientou o oficial. Para o presidente da Câmara de Amarante, Armindo Abreu, que citou António Cândido, “ficou por alto preço em vidas e bens a resistência de Amarante”. “Teremos de concluir que a honra e a glória estão com aqueles que se obstinam em preservar a paz como condição primeira para que a liberdade, a igualdade e a fraternidade se vão cumprindo”, sustenta o autarca. No âmbito da recriação histórica que a cidade de Amarante está a celebrar, teve lugar a simulação do assalto final à ponte, com a destruição da barricada montada na margem esquerda da travessia do rio Tâmega, o último bastião da resistência aos franceses. A recriação do avanço das tropas de Napoleão, comandadas pelo general Soult, e da resistência do exército português do general Silveira, mais tarde conde de Amarante, foi executada por cerca de 160 figurantes do Grupo de Recriação Histórica do Município de Almeida.

Ministro do trabalho lança apelo à formação dos trabalhadores Jorge Sousa O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, defendeu, em Amarante, que o país precisa de investir mais na formação dos jovens e na requalificação dos adultos. “A formação profissional não é garan-

tia de nada, mas sem formação profissional quase nada é possível”, afirmou o ministro, no passado dia 15 de Abril na inauguração do núcleo de Amarante do Centro de For-

mação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (CENFIM), a funcionar desde há alguns meses no parque industrial de Telões, resultante da recuperação das antigas fábricas da Tabopan. Vieira da Silva acrescentou que “vamos necessitar de investir cada vez mais na qualificação dos jovens e na requalificação dos adultos”, dando como exemplo o centro de formação de Amarante, resultado de parcerias entre as empresas e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Na opinião do ministro do Trabalho, este centro “oferece aos desempregados uma oportunidade de requalificação, que lhes vai dar, com certeza, mais instrumentos para poderem regressar ao mercado de trabalho”. Vieira da Silva também inaugurou a quinta edição das Oficinas de Emprego e Orientação Profissional, organização da câmara de Amarante e onde duas dezenas de entidades procuram

atrair os jovens para as suas actividades. O núcleo do CENFIM de Amarante tem capacidade para 120 formandos, tendo já formado, desde a sua abertura a 15 de Dezembro de 2008, cerca de duas centenas de pessoas, jovens interessados na via profissionalizante e adultos em busca de requalificação ou de novos conhecimentos. O Sector Metalúrgico e Electromecânico é considerado um dos pilares do desenvolvimento económico da NUTS III Tâmega, estando concentradas em Amarante dezenas de empresas que, no seu conjunto, empregam cerca de duas mil pessoas. A indústria metalúrgica e metalomecânica de Amarante tem dimensão nacional e no concelho está concentrado uma espécie de “cluster” de alguns segmentos industriais, nomeadamente dos rails de protecção de estradas. Segundo o CENFIM, o tecido industrial de Amarante é ainda significativo nas áreas da serralharia, ferragens, fabrico de redes e correntes metálicas, mobiliário metálico, ferramentas forjadas e moldes para calçado.

5

Luís Moura venceu Torneio Atleta Completo do Norte em Braga O atleta da Associação Desportiva de Amarante, Luís Moura, venceu, no último fim-de-semana, em Braga, no escalão infantil, o Torneio Atleta Completo do Norte. Pedro Lopes, no mesmo escalão, foi 5º classificado. Luís Moura, que terminou com 2358 pontos, melhorou em mais de 70 pontos a classificação com que venceu a prova regional da Associação de Atletismo do Porto. A prestação do atleta da ADA foi surpreendente ao conseguir terminar o torneio com mais 225 pontos que o segundo classificado. Pedro Lopes, no mesmo escalão, foi o 5º classificado num torneio que compreende a realização de cinco provas: velocidade na distância de 60 metros, salto em comprimento, 60 metros barreiras, lançamento do peso e uma corrida na distância de 1000 metros. Refira-se que no Torneio Atleta Completo do Norte participaram atletas de diversas associações de atletismo do norte de Portugal. Nas provas extra do Torneio, que decorreu no Estádio 1º de Maio, em Braga, o atleta juvenil da ADA, Eusébio Oliveira, fez mínimos nos 800 e 1500 metros para o Campeonato Nacional de juvenis e juniores. Eusébio Oliveira esteve em grande nível nesta competição ao conseguir melhorar a sua melhor marca pessoal. A atleta júnior da ADA, Sónia Carvalho, também participou nas provas extra de 800 e 1500 metros realizando excelentes tempos que comprovam o seu crescente nível competitivo nesta época. Realce-se ainda o bom desempenho de Samuel Ribeiro na prova de 800 metros e a participação de Jorge Silva nos 200 e 400 metros.

Atleta da ada campeão nacional de Slalom O atleta da ADA, Rui Ferreira, em C1 júnior, sagrou-se, no passado domingo 26 de Abril, campeão nacional de slalom. Na prova mais importante do calendário nacional de canoagem, na vertente de slalom/ águas bravas, disputada em Fridão, Amarante, Hélder Ferreira, também da ADA, foi terceiro classificado em K1 júnior masculinos. Rui Ferreira, uma das jovens promessas da ADA, terminou as duas mangas da final com o tempo de 316,64, gastando menos 20,18 que o segundo classificado. Hélder Ferreira, que estreou o novo caiaque da Sipre, fez no total das duas mangas o tempo 291,87 ficando muito próximo do 2º lugar (apenas a 5,23 ). A ADA alcançou ainda o terceiro lugar na prova colectiva de patrulhas de K1 seniores masculinos com a participação de Hélder Ferreira, Cristiano Duarte e Jorge Ribeiro. Em K1 Sénior masculinos Jorge Ribeiro foi 6º e Cristiano Duarte 10º classificado. Em C1 Sénior masculinos Luís Gonçalves foi 6º classificado.


6

Destaque

Repórter do Marão 30 Abril 2009

destaque@reporterdomarao.com.pt

anuário financeiro: a classificação dos municípios deixa marco e castelo de paiva no fundo da tabela

Câmara de Cinfães leva o prémio de melhor gestão do Tâmega e Sousa Alexandre Panda

De todos os municípios do Tâmega e Sousa, Cinfães é o concelho mais bem referenciado da região, tanto em termos de eficiência financeira como em termos de dívidas a fornecedores ou passivo por cada habitante. Já no fundo das diversas tabelas encontram-se o Marco de Canaveses, já bem conhecido pela dívida que levou o Estado a celebrar um contrato de reequilíbrio financeiro com aquele concelho, e também Castelo de Paiva que surge várias vezes no Anuário Financeiro dos Municípios relativo a 2007 com pouca liquidez e maior índice de dívidas a fornecedores quando comparado com as receitas. Amarante e Baião também são municípios do Tâmega com boas prestações gerais, e bem colocados no ranking geral dos melhores municípios em termos de eficiência financeira. No Vale do Sousa, Paços de Ferreira é a autarquia que menos gasta com os funcionários, mas também é aquela que tem menos liquidez e resultados financeiros negativos. Felgueiras é a câmara do Vale do Sousa com maiores resultados económicos da região. Cinfães entre os municípios com melhor eficiência financeira O Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses concluiu que Cinfães está entre os “50 melhores municípios em termos

10 indicadores relacionados com a “gestão financeira, económica, patrimonial e orçamental dos municípios” (entre os quais as dívidas a terceiros por habitante, a liquidez, o endividamento líquido por habitante, a arrecadação de impostos e taxas por habitante e a diminuição dos passivos financeiros). O desempenho do município

de Cinfães é ainda referenciado no “ranking global dos 20 melhores municípios de média dimensão”, também relativamente à eficiência financeira. Os autores do estudo atribuíram três categorias aos municípios, consoante a população de cada um: pequena (população menor ou igual a 20 mil habitantes), média (superior a 20 mil e menor ou igual a 100 mil habitantes) e grande dimensão (superior a 100 mil habitantes). Para a elaboração do estudo, a população atribuída a Cinfães foi de 20 494 habitantes. No ranking global dos 50 melhores municípios, foram consideradas todas as categorias. O Anuário “analisa as contas do municípios” e “tem o apoio da Câmara dos Téc-

Câmara Municipal de Cinfães

de eficiência financeira”. Os dados do documento referem-se à prestação financeira dos municípios durante o ano de 2007. A elaboração do ranking teve por base

nicos Oficiais de Contas, do Tribunal de Contas e da Fundação para a Ciência e Tecnologia”.

Amarante no ranking dos 50 melhores municípios em termos de eficiência financeira À semelhança de Cinfães, Amarante encontra-se entre os 50 municípios com gestão financeira, económica e patrimonial mais equilibrada, sendo o único município do distrito do Porto a figurar no ranking global dos melhores municípios em termos de eficiência financeira. O Município de Amarante consta, ainda, no ranking dos 35 com menor endividamento total (passivo exigível), por habitante, e entre os 35 municípios com menor índice de dívidas a fornecedores, relativamente às receitas do ano anterior (2006). E s tas conclusões resultam d e um

projecto de investigação, designado “A Eficiência no Uso dos Recursos Públicos e a Qualidade da Decisão Municipal Portuguesa”, levado a cabo pelo Núcleo de Estudos em Administração e Políticas Públicas, com início em 2004, da Universidade do Minho e financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Euros por habitante. “Estarmos classificados naquela posição, em 2007, é a demonstração do esforço de gestão rigorosa que levamos a cabo para equilibrar as contas e podermos fazer face a compromissos e dívidas da autarquia. Entre o princípio do mandato, e o final de 2007, foram pagos quase 7 milhões de Euros, entre dívidas e compromissos assumidos pela anterior gestão”, refere o presidente da autarquia, José Luís Carneiro. Marco de Canaveses com fundos próprios negativos A única nota positiva das finanças do Marco de Canaveses prende-se com o grau de execução da receita cobrada em relação ao orçamento da receita. Neste particular a câmara do Marco de Canaveses está situada na 34ª posição com uma taxa de execução de 84.7 %. De resto o Anuário apenas atribui notas negativas às finanças marcoenses, estando citadas na tabela dos municípios com fundos próprios negativos. Também se encontra na 34ª posição das câmaras com maior passivo que em 2007 era de 45 329 807 euros. Refira-se que em 2005 o passivo declarado foi de 45 milhões e em 2006 era de mais de 46 milhões. Quando comparamos os números chega-se à conclusão que a câmara reduziu a dívida de 2006 para 2007. O Marco de Canaveses também está na 9ª posição quanto aos municípios com maior índice de endividamento líquido em relação às receitas do ano anterior. Resende com menor grau de execução financeira

A câmara de Resende está citada no Anuário Financeiro dos Municípios relatiBaião bem classificado vo a 2007 como a 26ª do país com menor grau de execução da receita cobrada, reO Município de Baião lativamente à receita lifoi, em 2007, o 21º a níquidada, com uma percenCinfães é dos vel nacional com maior tagem de 95.19. De resto grau de execução da remunicípios melhor Resende apenas é situaceita cobrada em relação do nas tabelas do número classificados a nível de habitantes que revela ao orçamento da receita. O município baionense connacional. Amarante que o concelho tem vindo a seguiu um grau de 89,2% população. Passou e Baião seguem os perder de execução deste indicade 11 887 habitantes em dor, enquanto que Albufei2005 para 11 775 um ano passos daquele ra, com 117,7%, se situou depois, para terminar em concelho. na primeira posição deste 11 681 em 2007. “ranking”. Os dados consCelorico de Basto não é tam no Anuário Financeiro dos Municípios citado no Anuário em termos financeiros Portugueses – 2007, que ontem foi apre- passando a ser falado apenas na tabela da sentado, em Lisboa, pela Câmara dos Téc- população, onde se fica a saber que o connicos Oficiais de Contas (CTOC). celho perdeu cerca de 200 habitantes de Os níveis de execução na casa dos 90% 2005 para 2007. “evidenciam situações de grande rigor na elaboração dos orçamentos e o respeito peCastelo de Paiva com menor liquidez las normas e princípios orçamentais esta- e maior índice de dívidas a fornecedores belecidos no Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais (POCAL)”, As finanças de Castelo de Paiva estão a refere o documento. passar por uma fase difícil. O município é O Anuário Financeiro dos Municípios o quinto do país com menor grau de execuPortugueses – 2007 coloca ainda Baião ção da receita cobrada em relação ao orçanuma posição de destaque no que refere ao mento da receita e ocupa a mesma posição “ranking” de municípios com menos passi- quanto ao menor rácio de receitas liquidavo exigível, por habitante: Baião situava- das sobre as receitas previstas. Também é se no 17º lugar, com uma dívida de 175,98 das câmaras que tem um maior índice de


Repórter do Marão 30 Abril 2009

dívida a fornecedores relativamente às receitas totais do ano anterior e é o 35º município do país com menor liquidez. A única nota positiva que se encontra no Anuário prende-se com o facto do municípios não ter recorrido a nenhum empréstimo des-

destaque@reporterdomarao.com.pt

inventariáveis são considerados custos à medida que vão sendo depreciados ou desvalorizados. Em termos contabilísticos, o registo da desvalorização anual do imobilizado designa-se por “amortizações” e é um dos principais custos dado o elevado valor

Câmara Municipal de Marco de Canaveses

de 2005. Do lado oposto do Vale do Sousa, a câmara gerida por Fátima Felgueiras é dos municípios com maiores resultados económicos com cerca de sete milhões de euros que lhe vale a 26ª posição nacional. Felgueiras também é citado por não incluído os bens de domínio público no activo municipal (em 2006 não apresentavam esta informação os municípios de Câmara de Lobos e Felgueiras). Em obediência ao princípio da especialização dos exercícios, os bens

dos activos imobilizados. No entanto, apesar da obrigatoriedade do registo anual das amortizações dos exercícios, 12 municípios não efectuaram este registo contabilístico, entre eles Felgueiras. Penafiel e Paços de Ferreira com pouca liquidez Em termos de liquidez, que mede a capacidade que uma empresa ou entidade tem para pagar os seus compromissos a

Destaque

7

Endividamento geral curto prazo (ano), Penafiel e Paços de Ferdas autarquias subiu reira estão incluídos no lote dos 35 mais debilitados. No 14º lugar está Penafiel, com O endividamento das autarquias subiu um saldo negativo de quase 16,5 milhões de euros e em 25.º surge Paços de Ferreira para 6 664 milhões de euros, em 2007. Liscom mais de 11 milhões negativos. Ainda boa representa um terço da dívida global, pelo lado negativo, Paços de Ferreira está mas as câmaras de Aveiro, Maia, Figueina lista (em 8.º) dos municípios com me- ra da Foz e Gaia também se destacam com nores resultados económicos, com resulta- liquidez negativa. Ao todo, 195 municípios dos negativos que ascendem quase aos cin- apresentaram, no final de 2007, uma liquidez negativa de 685 milhões de euros. Tal co milhões. No entanto Paços de Ferreira é das câ- valor - em que as dívidas a pagar foram sumaras que menos gasta com pessoal e está periores ao dinheiro disponível - é demonsentre os 35 municípios com maior grau de trativo que as autarquias não conseguiram execução da receita cobrada relativamen- pagar as dívidas a curto prazo, que subiram nesse período mais te à receita liquidada, de 26 milhões de euros, no lugar número 12 com Castelo de Paiva e face ao ano anterior. As 102,74 por cento de grau Marco de Canaveses dívidas de médio e londe execução, mas é tamgo prazo, por seu turbém uma das que tem são os municípios do no, apresentaram uma maior peso das despesas Tâmega e Sousa redução, caindo 49,5%. de investimento e transNo entanto, dos 308 ferências de capital nas a viver maiores municípios portuguedespesas totais, e surdificuldades financeiras ses, há a destacar que ge ainda como o 27.º mu17 não registaram qualnicípio com maior índice de dívida a fornecedores relativamente quer endividamento líquido. Neste item às receitas totais do ano anterior, com uma saliente-se que as autarquias de Penacova, Cascais, Cinfães, Mafra, Lagos, Almada, percentagem de 89,2 por cento. No ranking dos 35 municípios com me- Câmara de Lobos, Castelo Branco, Belnor dívida por habitante está a autarquia monte e Loulé são aquelas que apresentade Paredes, com 172,31 euros por habitan- ram a melhor situação financeira. De acordo com o documento apresente, em 15.º lugar, sendo a divida mínima de 22,89 euros e a máxima de 248,56. Apesar tado na Câmara dos Técnicos Oficiais de de ter havido um aumento em relação ao Contas, a dívida global das autarquias auano de 2006, é de salientar que no Anuá- mentou, sobretudo, devido ao endividario relativo às contas desse ano o município mento junto de fornecedores e ao leasing, surgia na 10.ª posição da lista dos conce- e não por via de empréstimos bancários. lhos com menor passivo exigível por habi- Segundo o Anuário, a dívida dos municípios à Banca diminuiu, inclusive, mais de tante – 137,72 euros. 52 milhões de euros.

PU B L IREPORTAGEM

A REBAT acaba de integrar o grupo de empresas subscritoras do “Código de Conduta Empresas e VIH”, elaborado no âmbito da Plataforma Laboral contra a SIDA, assumindo-se como interlocutora privilegiada na resposta à infecção pelo VIH no local de trabalho, nomeadamente nas vertentes da não discriminação, da prevenção e do acesso ao tratamento.

REBAT adere ao Código de Conduta “Empresas e VIH”

A REBAT formalizou a 14 de Abril a sua adesão ao “Código de Conduta Empresas e VIH”, numa cerimónia que contou com a presença de todas as empresas participadas do Grupo AdP – Águas de Portugal, que, depois da adesão da holding AdP – Águas de Portugal, SGPS, S.A., em Outubro de 2008, tornam-se agora também subscritoras do documento elaborado no âmbito da Plataforma Laboral contra a SIDA e impulsionado pela Coordenação Nacional para a Infecção VIH/Sida. Actualmente, 9 em cada 10 pessoas infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) encontram-se em idade activa, pelo que a adesão da REBAT e da totalidade das empresas do Grupo AdP a esta iniciativa, num universo de cerca de 5.000 colaboradores, representa um importante contributo para a resposta à infecção pelo VIH no local de trabalho, nomeadamente nas vertentes da não discriminação, da prevenção e do acesso ao tratamento. Ao subscreverem o “Código de Conduta Empresas e VIH” as empresas aderentes à iniciativa comprometem-se a: não discriminar as pessoas que vivem com infecção VIH, quer sejam trabalhadoras ou candidatas a cargos na empresa; assegurar a igualdade entre homens e mulheres no que respeita ao acesso à pre-

venção e ao tratamento da infecção pelo VIH; facilitar a divulgação junto de trabalhadores e trabalhadoras de materiais informativos relativos à infecção pelo VIH e participar em programas de prevenção envolvendo os seus representantes; reconhecer que a realização de teste de infecção pelo VIH, enquanto medida de saú-

de pública importante, é insusceptível  de comprometer o ingresso e a progressão na carreira de cada trabalhador/a; respeitar e fazer respeitar o carácter voluntário dos testes para o VIH e a confidencialidade dos resultados; facilitar o acesso aos cuidados de saúde e à protecção social em condições de igualdade para todas as pessoas da empresa.

Integram a Plataforma Laboral contra a Sida a Coordenação Nacional para a Infecção VIH/Sida; a OIT – Organização Internacional do Trabalho; a ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho; a AEP – Associação Empresarial de Portugal, Câmara de Comércio e Indústria;  a AIP – Associação Industrial Portuguesa; a CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal, a CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal; a CIP – Confederação da Indústria Portuguesa; a CNJAP - Confederação Nacional dos Jovens Agricultores de Portugal; a CTP – Confederação do Turismo Português; a CGSI - Confederação Geral dos Sindicatos Independentes; a CGTP- Intersindical Nacional, a UGT – União Geral de Trabalhadores, a USI – União dos Sindicatos Independentes; a Associação Positivo e o GADS - Grupo de Apoio e Desafio à Sida. A REBAT é a empresa responsável pela recolha, tratamento e valorização de resíduos sólidos no Baixo Tâmega. Tem implementado um sistema de recolha selectiva de embalagens multimaterial, através de ecopontos, ecocentros, e recolha porta-a-porta. Desenvolve acções de sensibilização à população para a importância de fazer a correcta separação e deposição dos diferentes tipos de embalagens para que possam ser encaminhados para reciclagem.


8

Baião

Repórter do Marão 30 Abril 2009

baiao@reporterdomarao.com.pt

Dispositivo inovador no combate aos fogos florestais A câmara de Baião vai criar duas equipas de vigilância móvel permanente de prevenção dos fogos florestais que deverão funcionar 24 horas por dia, todo o ano. Estas duas equipas, compostas por 10 elementos com capacidade de primeira intervenção, serão accionados sempre que haja condições climatéricas críticas, em qualquer altura do ano. “É uma medida inovadora em termos nacionais. Prevemos que este ano seja favorável ao aparecimento de fogos e optamos pela prevenção permanente que em outras condições já mostrou dar frutos”, explicou José Luís Carneiro Presidente da Câmara de Baião, um concelho que tem cerca de 60% do território composto por floresta. “Com estas equipas municipais estaremos em alerta permanente sempre que apareça condições críticas e não apenas nos períodos críticos”, adiantou o autarca.

MEDIDAS APOIAm FAMÍLIAS NA EDUCAÇÃO, ACÇÃO SOCIAL E URBANISMO A criação de um Gabinete de Apoio à Família (que englobará o apoio ao munícipe idoso, à mulher e aos jovens) e o reforço financeiro do Fundo de Solidariedade Social foram duas medidas temporárias de luta contra as dificuldades das famílias baionenses anunciadas pelo presidente da Câmara Municipal de Baião, José Luís Carneiro, segunda-feira 28 de Abril. O autarca falava durante a reunião da Assembleia Municipal relativa à Prestação de Contas de 2008, e antecipou também novidades nas áreas da educação, desporto, urbanismo e uma redução dos prazos de pagamentos aos fornecedores da autarquia para uma média de 21 dias. Esta foi a primeira vez na história do município que as contas foram certificadas por um Revisor Oficial de Contas – “levamos a cabo esta certificação, apesar de a lei a isso não nos obrigar, porque entendemos que serve para responsabilizar quem dirige o município e para que não haja dúvidas sobre a transparência e o rigor dos números sempre que o poder político muda”, defendeu José Luís Carneiro.

NOVIDADES NA EDUCAÇÃO, DESPORTO E URBANISMO O congelamento dos valores das mensalidades dos três primeiros escalões da Acção Social Escolar no Pré-Escolar; descontos de 25% para as famílias que frequentam as Piscinas Municipais; e a isenção de pagamento para os portadores de Cartão Jovem, na utilização das infra-estruturas desportivas e de juventude durante as férias escolares foram as medidas anunciadas nos campos da educação e do desporto. No sector do Urbanismo, José Luís Carneiro tornou pública a redução de até 50% dos valores das taxas de construção para os jovens até 35 anos de idade, como estímulo à fixação, e nos casos em que um dos elementos do agregado familiar tenha caído em situação de desemprego. Todas estas medidas têm um carácter transitório: “dado existirem Regulamentos Municipais sobre estas áreas, as propostas aqui anunciadas serão objecto de análise e aprovação em sede de reunião de Câmara e de Assembleia Municipal”, explicou.

Investimento de 100 mil Euros

População acompanhou visita à obra de pavimentação em Ingilde

Cerca de 50 pessoas, do lugar do Ingilde, na freguesia de Campelo, saíram à rua para acompanhar o presidente da câmara municipal de Baião, José Luís Carneiro, no dia 19 de Abril, na visita do autarca à obra de pavimentação da Carvalha ao Outeirinho. Ao todo, em duas fases de alargamento e pavimentação, a autarquia investiu mais de 100 mil Euros, entre empreitadas e protocolos formalizados com a Junta de Freguesia de Campelo. Este investimento aumenta para 150 mil Euros o valor aplicado pela autarquia no lugar desde o início do mandato (contabilizando obras realizadas e a obra de alargamento e beneficiação de S. Roque, que vai ser executada pela Junta de Freguesia graças a um protocolo no

valor de 28 mil Euros). “O lugar do Ingilde comporta um futuro radioso porque cada vez mais gente se quer fixar aqui e há muita juventude”, disse José Luís Carneiro que recordou os tempos em que tinha que atravessar campos e propriedades de famílias amigas para ir aprender a tocar acordeão com António da Rosa, professor de muitas gerações de baionenses. O autarca disse também que a cedência da escola do primeiro ciclo do Ingilde para o grupo de Escoteiros de Baião e para uma recém-formada associação do lugar, será importante para que os jovens tenham mais actividades e locais para se entreterem. Nesta visita estiveram também os vereadores da autarquia Paulo Pereira,

Manuel Durão, Paula Freitas e o presidente da Junta de Freguesia, Fernando Guedes. Durante a caminhada que marcou a visita à obra, José Sousa, morador do lugar, disse que vê o Ingilde a “desenvolverse cada vez mais”. “Há gente a vir de outros lugares para aqui e a construir a sua casa. Temos a vantagem de estar perto da vila de Baião, mas ao mesmo tempo temos o sossego do campo”, explicou. Já Maria da Luz, outra moradora que lamenta o facto de passar mais tempo no Porto do que no Ingilde, diz que a obra foi muito boa, pois transformou “um antigo caminho de carro de bois” numa via onde passam carros e as pessoas “andam à vontade”.

Primeiras árvores plantadas em Santa Marinha do Zêzere

250 árvores para centros cívicos do concelho

Pedro e Maria, de seis anos de idade, contaram na última segunda-feira 27 de Abril com a ajuda do presidente da Câmara Municipal de Baião, José Luís Carneiro,

na plantação de dois Castanheiros da Índia no local onde está a ser construído o Centro Cívico de Santa Marinha do Zêzere. Pedro não achou a tarefa difícil. “Até já

tinha plantado três árvores em minha casa e gosto muito de mexer na terra”, diz-nos. Maria é da opinião contrária: “Foi difícil, é preciso muita força para enterrar a pá na terra”. Os dois alunos do Jardim-de-infância de São Pedro plantaram as primeiras de um total de 84 árvores daquela espécie que vão envolver aquele local à entrada da vila de Santa Marinha do Zêzere. O Castanheiro da Índia é uma árvore de grande porte e que dá flor. Ao todo, a autarquia baionense vai plantar perto de 250 árvores em nove Centros Cívicos em outras tantas freguesias de Baião. Os Centros Cívicos são espaços polivalentes, onde se pretende fomentar o convívio, o lazer e o desporto através da qualificação do território. Em Santa Marinha do Zêzere o Centro Cívico vai ter um bar com esplanada, parque infantil, zona desportiva e parque de estacionamento com 120 lugares. Ali vai passar a realizar-se a Feira de Santa Marinha do Zêzere bem como as Festas da Freguesia.


Repórter do Marão 30 Abril 2009

marcodecanaveses@reporterdomarao.com.pt

Marco de Canaveses

9

Assembleia Municipal aprovou empréstimo de sete milhões de euros A Assembleia Municipal de Marco de Canaveses aprovou, na sessão do passado dia 17 de Abril, a contratação de um novo empréstimo, no valor de sete milhões de euros, para o pagamento das dívidas não cabimentadas a juntas, instituições e fornecedores, ainda herança do anterior executivo, e para dar início à construção dos centros escolares. Durante mais de quatro horas, o executivo de Manuel Moreira e os deputados debateram os prós e contras deste novo empréstimo, acabando por ser aprovado com 45 votos a favor, nove abstenções e três votos contra. A solução dos sete milhões vem contra o que a autarquia inicialmente tinha previsto, que seria um empréstimo de 50 milhões de euros, que iria servir para pagar os 43 milhões da dívida antiga e mais sete milhões para as dívidas não cabimentadas e para os centros escolares. No entanto, e segundo Manuel Moreira, “depois de se fazer uma prospecção pelos bancos, os spreads apresentados foram de 2,9% e 3,5%. Altos demais para irmos para um novo empréstimo”, referiu Moreira. Coube à empresa Marques da Cunha, A. Duarte e Ass. dar a palavra final sobre o que seria melhor para a autarquia. A empresa fez o estudo do plano de reequilíbrio financeiro e concluiu que o mais viável seria um novo empréstimo no va-

lor de sete milhões de euros. “Com este novo empréstimo, a autarquia pode solver os compromissos não cabimentados existentes, os processos judiciais existentes e os dois milhões para o parque escolar, ao mesmo tempo aproveita-se as condições do empréstimo do reequilíbrio financeiro, ou seja, com spreads mais baixos”, explicou Marques da Cunha. Algumas vozes discordantes se levantaram, nomeadamente João Lima, do PCP-PEV, o qual disse que “esta medida é igual à de 2005, só com a diferença que a câmara vai fazer a obra e vai pagar, ou seja, vai mostrar que fez obra para as eleições. Também José Carlos Pereira, do PS,

manifestou a intenção de se abster, “como uma forma de levantar um cartão amarelo ao executivo”. Resta agora o aval do Governo para que a autarquia marcoense possa contrair este empréstimo. No período de 2002 a 2006, a IGAL – Inspecção-geral da Administração Local, realizou uma inspecção ordinária sectorial ao município de Marco de Canaveses, inspecção que foi dada a conhecer ao plenário na última assembleia municipal. O relatório teve como base o ordenamento do território, fornecimento de bens e serviços e casos de natureza vária. “O relatório principal ainda não está concluído e

por isso facultamos apenas o relatório preliminar”, explicou Manuel Moreira. Em matérias de urbanização e edificação, o relatório aponta 13 obras executadas sem licença ou autorização. Dentro da inspecção principal, foram feitas quatro acções parcelares, duas delas já com relatório final. Trata-se da situação do Edifício Talegre, na freguesia de Tuías e do Cineteatro Alameda, na freguesia de Fornos. Quanto ao Edifício Talegre, a IGAL concluiu que esta construção “violou o PDM, com a construção de mais três pisos acima do autorizado”. A IGAL pede a “nulidade do licenciamento”. O caso está entregue ao Ministério Público “e o que este decidir é o que vai ser feito”, referiu Manuel Moreira, não querendo o mal estar de quem adquiriu os apartamentos. Concluído está também a inpecção que diz respeito ao Cineteatro Alameda. Segundo a IGAL, “o edifício foi adquirido por mais metros do que na realidade tem”, a diferença é de 190m2, mas o valor do metro quadrado faz muita diferença no preço, dado que foi vendido a 866 euros, o metro quadrado. “Preço que não teve em atenção que 1.454m2 teriam de ser afectos à sala de espectáculos, o que implicaria um decréscimo no valor comercial”, diz a IGAL. Não foram no entanto encontradas irregularidades no relatório de contas.

Jornadas de Maio animam Escola de Agricultura Depois da tradicional gincana de tractores, que decorreu no último domingo, a Escola Profissional de Agricultura de Marco de Canaveses vai levar a cabo uma série de iniciativas, integradas nas Jornadas de Maio 2009. Assim, dia 4, segunda-feira, vai decorrer uma acção de sensibilização de jovens

para a vida profissional militar - para todas as turmas, durante os intervalos. O dia 5 é designado de dia aberto, com a realização das seguintes actividades: Dia das Ciências e Percurso Pedestre (No âmbito da PAP do aluno Fernando Ricardo). No dia 6, quarta-feira o programa será o seguinte: Poisson d’ avril. Prova de

Orientação e Tarde desportiva/Desportos Radicais, entre muitas outras actividades. A finalizar as Jornadas 2009, a organização reservou para o dia 8 pelas 09h00 a entrega de Prémios e de diplomas de participação (Actividades do Departamento de Línguas); pelas 09h30 – Palestra Técnica sobre o tema “Criação de Perdizes em

Município festejou 35 anos da revolução Pelo quarto ano consecutivo, a Câmara de Marco de Canaveses, assinalou o aniversário do 25 de Abril, levando a cabo uma série de iniciativas de âmbito cultural. As comemorações tiveram início com uma Assembleia para jovens, que decorreu no dia 24, tendo o Salão Nobre dos Paços do Concelho sido palco das várias questões que preocupam os jovens estudantes marcoenses. Já no dia 25, ao som do Hino Nacional hastearam-se as bandeiras, com uma guarda de honra composta pelos Bombeiros do Marco e pelo Núcleo de Marco de Canaveses da Cruz Vermelha Portuguesa. Seguiu-se a sessão solene, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a participação de cidadãos marcoenses e tiveram a palavra os líderes parlamentares João Lima, pelo PCP-PEV, Pedro Costa e Silva, pelo CDS-PP, Virgílio Costa, pelo PS e Rui Cunha, pelo PSD. António Coutinho, presidente da assembleia municipal usou também da palavra, tendo ficado a cargo de Manuel Moreira, presidente da autarquia marcoense o encerramento da sessão. A parte da tarde foi dedicada a várias actividades, a destacar a abertura da Marco de Letras – Feira do

Livro do Marco de Canaveses, da exposição fotográfica “Carmen Miranda Intemporal, de Manuela Reis, o concerto, pela Banda de Música de Vila Boa de Quires, a já tradicional Corrida de Liberdade e a terminar o dia de comemoração, uma noite académica com a actuação de três tunas. Apesar da noite fria que se fez sentir, muitas foram as pessoas que assistiram a este evento.

Cativeiro” pelo Dr. Vítor Moure da empresa NANTA; e pelas 14h30 – Colóquio “Actividades Turísticas e Impactos Ambientais”, a decorrer no Auditório Municipal (1º, 2º e 3º TTAR), uma iniciativa aberta ao público, cuja organização é da responsabilidade de Célia Abreu.


10

Região

Repórter do Marão 30 Abril 2009

regiao@reporterdomarao.com.pt

Obras sociais em curso no concelho de Cinfães As obras do Centro Social da Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira (ASSRN) arrancaram no decorrer desta semana e a empreitada do novo Lar de Idosos da Misericórdia de Cinfães terá início durante o mês de Maio. O Centro Social da ASSRN está a ser construído na Quinta do Tojal, Vila Chã, em Nespereira, com um prazo de execução de 547 dias. Ali ficarão instaladas as valências de Lar de Idosos (para 40 utentes), de Creche (33) e de Serviço de Apoio Domiciliário (65). A obra está orçada em 1.680.967,86 euros e será financiada, com 667.831 euros (infra-estruturas e equipamento), pelo Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES). O Lar de Idosos da Misericórdia de Cinfães, a edificar na Quinta d’Além do Ribeiro (a norte do actual lar de idosos da instituição), terá capacidade para 16 utentes. As obras, adjudicadas por 597.995,46 euros, terão um prazo de execução de 540 dias. O financiamento do Programa Pares é de cerca de 297 mil euros: 285.831,00 euros (a que acresce o valor de 10 por cento do montante elegível comparticipado, relativo a infra-estruturas) e de 12.450,00 euros (equipamento móvel).

Juntas com responsabilidades nos Polidesportivos A Câmara Municipal de Cinfães delegou nas Juntas de Freguesia de Espadenedo e de Tarouquela a gestão, manutenção e realização de pequenas reparações dos Polidesportivos das respectivas localidades. A delegação de competências também inclui as áreas envolventes dos recintos.

10 mil euros para a Comunidade Intermunicipal O Município de Cinfães vai transferir 10 mil euros para a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS), em que está integrado. A verba, referente a transferências de capital (6 mil euros) e a transferências correntes (4 mil euros), a pagar pelas Autarquias associadas da CIM-TS, contribuirá para o início de actividade da Associação de Municípios.

4 mil euros para a Associação de Municípios Ribeirinhos do Douro A Câmara Municipal de Cinfães vai pagar uma quota anual de 4 mil euros à Associação Ibérica de Municípios Ribeirinhos do Douro, relativa a 2009. A Associação, constituída em 1994, tem como objectivos “promover a elaboração de um projecto de desenvolvimento integral cujo centro seja o rio Douro, com as suas inúmeras potencialidades, que abranja a área das câmaras municipais ribeirinhas”; “impulsionar a adopção de um compromisso ecológico, cuja finalidade consista na defesa do rio Douro, essencial para a vida das povoações ribeirinhas”; “denunciar e tratar de impedir possíveis atentados ecológicos”; “desenvolver programas que melhorem e potenciem a actividade dos seus sócios, nomeadamente no âmbito das infra-estruturas e dos serviços especializados”; e “promover e defender os interesses dos seus associados para conseguir o desenvolvimento integral da área geográfica do Douro, para além de melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes” (www.aimrd.com).

Celorico inaugurou Parque de Lazer de Canedo de Basto

Centenas de pessoas participaram na inauguração do Parque de Lazer de Canedo de Basto localizado na zona marginante do rio Tâmega que se realizou no dia 26 de Abril. A inauguração foi presidida pelo presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Albertino Mota e Silva, acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia, Diamantino Mota e pelo vereador do Turismo Joaquim Mota e Silva. Após a bênção das instalações, celebrada pelo P.e Parcidio e o descerramento da placa o presidente da autarquia sublinhou que esta obra é apenas mais uma que reflecte a preocupação da Câmara Municipal em proporcionar mais condições aos habitantes de Celorico de Basto. O autarca referiu algumas infra-estruturas básicas efectuadas na freguesia e no concelho como o abastecimento de água, caminhos de acesso e equipamentos de ensino, desportivos e de lazer, como é o caso do Jardim-de-infância de Canedo, o Poli-

desportivo entre outros. “As obras vão continuar”, salientou o presidente da Câmara, “ em breve vamos requalificar o espaço situado perto da Junta de Freguesia e do Caminho-de-ferro, designado por Quinta da Taipa”. “O pelouro da Acção Social da Câmara está a trabalhar para a Construção de um Centro Social em Canedo que disporá de Serviço de Apoio Domiciliário, Centro de Dia e posteriormente também terá um Centro de Noite” referiu Albertino Mota e Silva. O presidente da Junta de Freguesia, Diamantino Teixeira explicou a importância da realização da obra. A construção desta obra é a consequência da nossa aposta em criar um espaço onde as pessoas possam desfrutar de momentos agradáveis. Diamantino Mota destacou a colaboração da Câmara Municipal no apoio técnico e na execução das obras. “Grande parte das obras executadas resultam da estrei-

Câmara de Resende promoveu Festa das Cavacas O Pavilhão Multiusos de Caldas de Aregos voltou a ser palco de mais uma edição da Festa das Cavacas, no passado domingo 26 de Abril. Vinte produtores do concelho estiveram reunidos no local, em stands de venda próprios, numa festa onde os visitantes tiveram a oportunidade única de recolher o resultado de séculos de receitas passadas de geração em geração e acompanhálas com alguns dos vinhos dos produtores da região que também marcaram presença nesta feira. A abertura oficial da feira realizouse às 11h00, com uma visita aos stands e prova das cavacas e a inauguração da exposição “Cavacas de Resende – Um doce de Ouro”, acompanhada de animação musical a cargo do grupo “Foula – Charanga

da Galiza”. Recorde-se que as Cavacas de Resende são um dos doces mais conhecidos e apreciados da doçaria tradicional portuguesa, sendo que as suas origens perdem-se no tempo. O modo de confecção continua a ser o mesmo com a massa (constituída por ovos, farinha e açúcar) mexida á mão e cozida em fornos a lenha. Depois de cozido, este doce que mede cerca de 5 cm de comprimento e 2,5 cm de largura, é coberto com uma calda de açúcar e farinha, resultando numa deliciosa iguaria. Esta iniciativa pretendeu valorizar um dos produtos mais tradicionais do concelho de Resende e considerada de manifesta importância para o tecido económico local, atraindo visitantes para Caldas de Aregos e para a região.

ta ligação que existe entre a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal, através do apoio técnico e financeiro”. O vereador do turismo e da Acção Social, Joaquim Mota e Silva sublinhou que esta é mais uma inauguração da estratégia que a autarquia tem para o desenvolvimento de Celorico de Basto. “ Este é um equipamento importante na continuação da rota que estamos a traçar para o desenvolvimento social, do turismo, do lazer e da economia do concelho. Está em curso a construção de hotéis. Aproveitamos os recursos naturais de que dispomos. Construímos equipamentos culturais, desportivos e de lazer para oferecer um roteiro turístico a quem nos visita”. Através do trabalho que está a ser efectuado para a dinamização do turismo e da acção social em Celorico de Basto, o vereador do Turismo e da Acção Social realçou que estão a ser criados muitos postos de trabalho relacionados com a actividade turística e em equipamentos sociais. “ Nos próximos dois anos estarão ao dispor dos celoricenses mais 150 postos de trabalho, apenas na área social”. O autarca finalizou dando os parabéns ao presidente da Junta de Freguesia pela sua dedicação e realçou a importância do trabalho em colaboração entre as duas entidades. “Apesar das dificuldades que atravessamos, as Juntas de Freguesia e a Câmara Municipal estão a fazer obra. Juntos conseguimos ultrapassar e vamos sair reforçados”, concluiu. A festa culminou com um lanche convívio acompanhado de música tradicional portuguesa. O Parque de Lazer de Canedo surge da remodelação de um antigo lugar de convívio da freguesia agora equipado com entretenimentos para os mais novos, como escorregas, caixas de areia e campo de futebol e voleibol. A infra-estrutura é constituída por um parque de merendas com zona de mesas e churrasqueira, um parque infantil, um espaço para a prática de actividade desportivas, pavimentado com areia, e um parque de estacionamento automóvel.

Divulgação de Oferta de Emprego

Sapadores Florestais para o Concelho de Cinfães Esta Associação criou recentemente uma Equipa de Sapadores Florestais para o Concelho de Cinfães e pretende seleccionar cinco elementos para a mesma. As funções a desempenhar serão as seguintes: acções de prevenção dos incêndios florestais através de silvicultura preventiva; acções de apoio ao combate aos incêndios florestais e operações de rescaldo; e acções de sensibilização do público para a prevenção de incêndios Os interessados devem contactar a: Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega Rua António Araújo Valente, 75 Tuías - Marco de Canaveses Telefone 255 523 556


Repórter do Marão 30 Abril 2009

valedosousa@reporterdomarao.com.pt

Vale do Sousa

Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel recuperado Inserido nas comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2009, a Câmara Municipal de Penafiel inaugurou a requalificação da área envolvente do Mosteiro de Paço de Sousa. Este monumento, que integra a Rota do Românico do Vale do Sousa (RRVS), assume um papel de especial relevo no contexto regional. A intervenção abrange diversos largos e avenidas e incidiu numa área total de 1,7 hectares. Com a comparticipação de 70% do FEDER, o investimento total da obra ultrapassou um milhão de euros. Refira-se que as principais acções tiveram por base a repavimentação de acessos, execução das redes de infra-estruturas, designadamente de abastecimento de água, drenagem de águas residuais e pluviais, gás, rede eléctrica e telefones. Destaque ainda para o tratamento dos espaços exteriores da envolvente directa do Mosteiro que contemplou a alteração dos materiais existentes no pavimento e nos muros de suporte, a demolição do quiosque existente e a sua substituição por outro numa nova localização, o tratamento da escarpa, a limpeza da linha de águia, o restabelecimento do tabuleiro original da ponte que a atravessa e a remodelação do

mobiliário que existia. Desenvolvimento de uma zona turística O presidente da Câmara Municipal de Penafiel considera que a execução do projecto “permitiu organizar e requalificar o espaço público envolvente do Mosteiro, beneficiando as acessibilidades e as redes de infra-estruturas, bem como o aspecto visual e paisagístico de toda a área circundante

do monumento, conferindo condições adequadas à sua usufruição, quer pelos habitantes locais, quer pelos visitantes”. Para encerrar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, nada mais apropriado do que assistir, junto ao Mosteiro, ao “Casamento da Filha da Rainha”, uma peça de teatro, levada à cena pelo grupo ComoDEantes. O ponto final, foi colocado pelos rapazes do projecto Gaiato Escolhe, através de um concerto de Jazz e Ritmos de Percussão.

Paços de Ferreira

Anjo inspira projecto da Casa Mortuária

Depois da aprovação em reunião do executivo da Câmara Municipal, o projecto da Casa Mortuária de Paços de Ferreira foi aprovado pela Assembleia de Freguesia de Paços de Ferreira. O projecto da autoria da Arquitecta da Câmara Municipal, Delfina Marcos, tem a configuração de um anjo e terá capacidade para 3 velórios em simultâneo, conferindo total privacidade a cada espaço. O próximo passo será a abertura do concurso, para o próximo mês de Maio, avançando de seguida a construção da obra, no espaço da antiga Quinta dos Brandões, frente ao Cemitério Municipal. Os 3 volumes distintos, para os 3 veló-

rios, estarão unidos por um só altar, que constitui o elemento de Fé, o elemento de união. A zona deste altar será coberta por uma cúpula em vidro, que permite ver o céu, facto que confere a “luz” que todos os cultos procuram no momento de perda de familiares ou amigos. É precisamente esta configuração de 3 estruturas unidas por uma área redonda que, vista de cima, tem a configuração de um anjo. A própria iluminação será devidamente tratada a fim de serem criadas sensações distintas conforme a função dos espaços propostos. Para além do espaço destinado à ce-

lebração, a nova Casa Mortuária integra uma área para receber familiares, uma zona de arrumos e sanitários de apoio ao pároco e às três naves. O projecto contempla a utilização de materiais simples, dada a natureza da obra e privilegiará o vidro, o tijolo com reboco branco e o ferro cortene, que transmite a resistência da fé perante a fragilidade humana. A Casa Mortuária cumprirá também toda a legislação actual no que diz respeito à ausência de barreiras que impeçam a utilização das instalações por pessoas com mobilidade condicionada e da mesma forma a concepção e construção desta obra cumpre na íntegra o Regulamento de Segurança contra Incêndios em Edifícios Escolares. As técnicas construtivas a utilizar estão pensadas de forma a permitir níveis de conforto ambiente no que se refere à temperatura, qualidade do ar, luminosidade e cor e conforto acústico e que procurando minimizar despesas de manutenção e consumo e utilizando sempre que possível formas de energia alternativas.

Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa presente na Feira da Saúde em Paredes Como maior prestador de cuidados de Saúde da região, o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) esteve presente na IV Edição da Feira da Saúde, promovida pela Câmara Municipal de Paredes e que decorreu de 24 a 26 de Abril. Passaram pelo Stand do CHTS mais de uma centena de pessoas, das quais cerca de 40 fizeram rastreio à Asma, 50 “lava-

ram as mãos” com o apoio de profissionais e cerca de 60 realizaram rastreios que permitiram calcular o Risco Cardiovascular. Foi ainda possível aos Visitantes da Feira ficar a saber mais sobre o correcto uso dos Medicamentos e sobre a actuação e manobras de Suporte Básico de Vida. Durante os três dias do evento a Feira da Saúde, para além da exibição de víde-

os formativos e informativos sob a temática da Saúde, foram também distribuídos folhetos com as mais diversas informações de Saúde. Com estas iniciativas o CHTS marcou uma forte presença na Feira de Saúde de Paredes com rastreios e acções de promoção para uma Saúde de Qualidade.

11

Penafiel: Pintar em Boelhe Integrado no projecto de transformar Boelhe na “Terra do Românico, das Artes e da Cultura”, a Associação de Desenvolvimento de Boelhe e a Fábrica da Igreja paroquial da freguesia de Boelhe levam a cabo, nos próximos dias 1, 2 e 3 de Maio a iniciativa “Pintar Boelhe”. Para o efeito, um grupo de 12 renomados pintores luso-galaicos aceitaram o convite para retratar, em tela, monumentos, paisagens e pormenores de Boelhe e grupos de crianças da freguesia serão, pintados sob orientação destes “mestres”, sensibilizados para as artes e, em particular, a pintura como forma de expressão cultural. Integrada na iniciativa, realizar-se-á também uma “viagem” pela rota do românico com visitas guiadas às Igrejas de Cabeça Santa, Mosteiros de S. Pedro de Cete, do Salvador de Paços de Sousa e à jóia do Românico, a Igreja de S. Gens de Boelhe.

Zona desportiva de Felgueiras com multi-modalidades A Zona Desportiva de Felgueiras, que inclui um pavilhão desportivo e foi inaugurada, permite, em simultâneo, a prática de futebol, atletismo em pista e cortamato, BTT e ténis, observou o vereador do sector. Bruno Carvalho, que tutela a área desportiva na Câmara Municipal adiantou à Agência Lusa que a construção dos equipamentos - um novo campo de futebol em relva sintética, pista de atletismo e circuito de manutenção - exigiu um investimento de 1,5 milhões de euros, totalmente suportado pelo município. O acto, que se integrou nas comemorações do 25 de Abril, incluiu a realização, na Biblioteca Municipal, de um colóquio sobre desporto, com intervenção de atletas, ex-atletas, directores e dirigentes nacionais de várias modalidades, como futebol, atletismo, natação e ciclismo.

Medalha de Ouro para FC Paços de Ferreira O Presidente do Município, Pedro Pinto, vai propor na próxima reunião do Executivo municipal a atribuição da Medalha de Ouro de Altruísmo e Mérito ao Futebol Clube de Paços de Ferreira, por ter alcançado, pela 1ª vez, o apuramento para a final da Taça de Portugal, em futebol. Toda a Câmara Municipal manifesta, publicamente, o seu orgulho por este feito histórico que constitui mais um importante momento para a promoção da Capital do Móvel, para além da possível presença na UEFA, que ajudará a mediatizar ainda mais o prestígio do concelho pacense.

Percurso para campeões na região de Paredes Foi apresentado esta 3ª feira 28 de Abril, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Paredes, o 4º Grande Prémio Paredes Rota dos Móveis RTP que se realiza de 14 a 17 de Maio. Lugo, em Espanha, é desta vez o cenário escolhido para as primeiras pedaladas da prova que, após uma etapa totalmente espanhola, se desenrolará no norte de Portugal. A quarta edição do Grande Prémio Paredes Rota dos Móveis RTP continuará a apostar na vertente ibérica ao nível da escolha de percursos, e no número de equipas espanholas, que foi claramente reforçado este ano.



Jornal Repórter do Marão