Page 7

ESTREIAS CINEMA

MICHEL HOUELLEBECQ EM DOSE DUPLA

EXCLU

CINEMSIVO AS M

EDEIA

Em exclusivo e em simultâneo na Medeia Filmes, dois filmes protagonizados por aquele que é considerado um dos maiores escritores franceses, Michel Houellebecq

O RAPTO DE MICHEL HOUELLEBECQ

ESTREIA 2 ABR

DE GUILLAUME NICLOUX

Dur: 96 min

COM MICHEL HOUELLEBECQ, MATHIEU NICOURT, MAXIME LEFRANÇOIS

Em 2011, Michel Houellebecq desapareceu durante a promoção do seu livro. Este filme imagina o que terá acontecido. Foi no dia 16 de Setembro de 2011. Todos os meios de comunicação em França falavam do mesmo: o escritor Michel Houellebecq tinha desaparecido. Nessa altura, Houellebecq estava a promover a sua obra O Mapa e o Território. Entre as várias teorias que surgiram, encontrava-se a hipótese de um rapto. Foi a partir dessa teoria que surgiu O Rapto de Michel Houellebecq, no qual o escritor se representa a si próprio. No filme, Houellebecq é levado por um trio de raptores amadores e acaba numa casa de campo, na província francesa. Aí, mantém longas conversas com seus raptores, cujo conteúdo varia entre o absurdo e o hilariante. Nos dias seguintes, a especulação aumentou. No entanto, quando reapareceu, Michel não deu nenhuma justificação para o sucedido, ficando sempre esta história como um mistério. O realizador Guillaume Nicloux descreve O Rapto de Michel Houellebecq como “um laboratório experimental onde o verdadeiro escritor se mistura com o escritor ficcional”. Mas existe ainda outro objectivo no filme de Nicloux: “Para além desta história, espero mostrar um escritor que é engraçado, sensível, afectado pela dúvida, ingénuo, ansioso, inteligente e apaixonado. O tipo de homem que não esperamos conhecer.” Apesar de ser inspirado em factos reais, fica o aviso: o filme não pretende ser-lhes fiel.

Prémios e Festivais: Tribeca Film Festival – Melhor Argumento Sydney Film Festival Festival Internacional de Berlim

EXPERIÊNCIA ESTREIA 2 ABR DE QUASE MORTE

Dur: 87 min

DE BENOÎT DELÉPINE E GUSTAVE KERVERN COM MICHEL HOUELLEBECQ, MARIUS BERTRAM, MANON CHANCE

“Se vamos ficar aqui na Terra, pelo menos que seja com boas condições. Devo dizer, sempre fui muito rigoroso – quase autocrático mesmo – no que diz respeito a escolher sofás. Sentar-me de forma confortável é essencial para mim.” Monólogo de Paul em Experiência de Quase-Morte. Os realizadores responsáveis por Aaltra (2004) e Mammuth (2010) escolheram o polémico escritor Michel Houellebecq como actor principal do seu mais recente filme. Já nas suas obras anteriores Benoît Delépine e Gustave Kervern manifestaram uma predilecção por personagens excêntricas e desajustadas mas, ao mesmo tempo, bastante humanas. E neste filme, a personagem de Michel Houellebecq, Paul, pode ser enquadrada nessa categoria. Paul trabalha para uma companhia de telefones e encontra-se à beira de um esgotamento. É numa sexta-feira 13 que Paul recebe um sinal do noticiário televisivo a dizer-lhe que está na altura de mudar algo na sua vida. Depois desse momento revelador, ele parte para as montanhas, onde irá ter a sua experiência de quase-morte. Para os realizadores, este filme é aquilo com que sempre sonharam: “fazer um filme sem quaisquer restrições, financeiras ou de outro tipo. Apenas sete pessoas, nas montanhas, com uma única câmara.” Para a revista Variety, Experiência de Quase-Morte “é um trabalho filosófico – praticamente um poema, com a sua escassa introspecção narrativa” que nos permite aceder a uma visão do mundo partilhada por Michel Houellebecq e pela dupla de realizadores. Prémios e Festivais: Festival Internacional de Veneza

MARÇO | ABRIL 2015

7

Medeia Magazine 16 Março e Abril  

Dez obras ímpares, que testemunham o génio e a humanidade de Roberto Rossellini, estarão em exibição exclusiva na Medeia Filmes, em Lisboa a...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you