Page 17

PNEUMOLOGIA PNEUMOLOGIA Outras incidências não raramente utilizadas são: o decúbito lateral com raios horizontais, quando o paciente se deita sobre o hemitórax que se deseja estudar, adotando a posição paralela ao filme (Figura 5); e a apicolordótica, quando a ampola de raio x é inclinada 15° em direção à cabeça do paciente, na intenção de retirar a clavícula do campo torácico, facilitando a visualização dos segmentos superiores dos lobos superiores. Ainda existem outras incidências, como as oblíquas e a penetrada de mediastino, com utilização bem restrita na prática. Figura 2 - Radiografia em PA: (T) Traqueia; (C) Clavícula; (E) Escápula; (Diaf) Diafragma; (Est) Estômago-bolha gástrica; (AD) Átrio Direito; (AE) Átrio Esquerdo; (VE) Ventrículo Esquerdo; (Hd) Hilo direito; (He) Hilo esquerdo; (Ao) aorta; (Apu) Artéria pulmonar e (Pf) Pequena fissura

Figura 5 - Radiografia em decúbito lateral esquerdo com raios horizontais evidenciando pequeno derrame pleural à esquerda

3. Como interpretar a radiografia de tórax Figura 3 - Radiografia em perfil normal: (Ao) aorta; (Pf) Pequena fissura; (Cor) Coração; (Gf) Grande fissura; (Dd) Diafragma direito; e (De) Diafragma esquerdo: observar o “sinal do dégradé” da coluna torácica – opaca superiormente e transparente inferiormente

A projeção AP tem aplicação especial em pacientes restritos ao leito e é largamente utilizada nas unidades de terapia intensiva. Sua maior utilidade é a localização de drenos, tubos e outros dispositivos (Figura 4).

A interpretação adequada da radiografia de tórax requer o conhecimento de um exame normal. Antes de qualquer análise detalhada, é fundamental avaliar a qualidade da imagem realizada. A Tabela 3 descreve as características de uma radiografia bem executada. Tabela 3 - Características de uma radiografia bem realizada

Inspiração adequada É esperado que o 6º ou o 7º arco costal anterior tenha contato com o hemidiafragma, ou o 9º ou o 10º arco posterior.

Boa penetração O examinador deve identificar de 3 a 4 vértebras torácicas. Quanto menor o número de vértebras visualizadas, menor a penetração; quanto maior, maior a penetração do exame.

Simetria A análise da radiografia é comparativa. Assim, é importante que os 2 hemitórax tenham posição simétrica: as extremidades mediais das clavículas devem estar equidistantes em relação à apófise espinhosa vertebral. Além disso, as partes moles extratorácicas devem ser visualizadas com o mesmo contraste bilateralmente. Figura 4 - Radiografia de tórax em AP de paciente em UTI: (T) Tubo orotraqueal; (S) sonda enteral; (C) Cateter venoso profundo e (E) Eletrodo de monitorização

238

Visualização de todas as estruturas É fundamental que todas as estruturas torácicas sejam visíveis ao filme, dos ápices aos seios costofrênicos.

R3 Clinica Medica Vol. 4  

R3 Clinica Medica Vol. 4

R3 Clinica Medica Vol. 4  

R3 Clinica Medica Vol. 4

Advertisement