{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

mind blowing: as ilhas de teshima e naoshima, no japão — pág. 18

minimeca: quem passou pelo nosso evento mensal no mecaspot — pág. 21

o rock onírico e sentimental do quarteto terno rei — pág. 20

the biggest smallest cultural platform

MECAJournal Distribuição g ratuita

Número #011 — Junho, 2017

karol conka Uma das principais atrações do MECAInhotim, ao lado de Jorge Ben Jor, a cantora conta, na base do improviso e da rima, o que a inspira no dia a dia pág. 11

mecainhotim vem aí...

FESTIVAL — A segunda edição do nosso mais esperado evento volta a ocupar o mais incrível museu a céu aberto do mundo nos dias 7, 8 e 9 de julho — pág. 16

toda forma de amor

— Um roteiro com oito endereços que acolhem todas as formas de amor para celebrar o Dia dos Namorados em São Paulo pág. 23

vida com sentido

PONTO DE VISTA — Para Lourenço Bustani, da Mandalah, a busca por propósito é resposta a um modus operandi de ambições exageradas — pág. 14

Around the world: os principais festivais do verão europeu pág. 08

www.meca.love

family & friends lugares incríveis agenda cultural summit: brett leve


MECAPLATFORM

MECACafe

MECAFestival

MECARoom

MECAGames

MECAInhotim

MECAShop

MiniMECAs

MECAPresents

MECAEvents

MECASpot

Arte, Conhecimento, Cinema, Esportes, Gastronomia, Moda & Música

Café, Coworking, Minieventos, Locação de Espaço & Loja

the biggest smallest cultural platform

MECAMedia

MECAWorks

Audiência Proprietária, Canais de Mídia, Geração de Conteúdo & Informação

Plataforma de Influenciadores, Pesquisa, Planejamento, Produção de Conteúdo & Vídeos

MECAFuture

MECANews

MECASite

MECASocial

Cidade Planejada, Members Club, Publicação Científica, Serviço de Curadoria

MECABox

MECAHouse

MECAFilm

MECAIdea

MECALink

MECAType

MECAPaper

MECATown FOTOS CAPA: DIOGO NARITA /MECAINHOTIM; DIVULGAÇÃO

MECAJournal

2


WELCOME

Novidades

2

Para equilibrar as emoções, fortalecer o espírito ou apenas deixar um ambiente mais bonito e cheiroso, criamos uma linha de produtos que gostamos de ter em casa. São cristais, incensos, velas, canecas, isqueiros, cadernos e tote bags, além de uma seleção incrível de achados feita durante nossas viagens pelo mundo. Uma boa pedida se está na busca por mimos para alguém especial – inclusive para você mesmo. Está tudo aqui no MECASpot, nossa casinha em Pinheiros. Quem quer? 1

3

1 – Canecas para tomar café ou o que você preferir bem quentinho 2 – Vasos de plantas em cerâmica e cristais como os de ametista e turmalina negra para deixar a casa energizada ou mais simpática 3 – Velas feitas com cera de soja e aromas como o de sândalo 4 – Isqueiros pretos ou brancos customizados com a nossa carinha 5 – Tote bags para você carregar o que for para onde quiser 6 – Cadernos feitos em parceria com a marca Chocolate Notebooks 7 – Sálvia branca e outras plantas em forma de incensos

4

5

7

FOTOS: MARI CALDAS

6

MECACrew

MECASpot

Ana de Souza Dantas, Brett Kincaid, Diogo Narita, Eloá Orazem, Fernanda Grahl, Gabriela Valdanha, Guil Salles, Guga Roselli, Helder Ferreira, Igor Cavalera, Juli Baldi, Julia Grassetti, Laima Leyton, Leo Galvão, Letícia Ippolito, Luisa Martini, Manuela Rahal, Marcela Zanon, Mark Daniel, Mariana Caldas, Matheus Barros, Matthew Rowean, Max Pollack, Natália Albertoni, Paula Englert, Pedro Valério, Peèle Lemos, Renata Magueta, Ricardo Moreno, Roberto Martini, Rodrigo Santanna, Rony Rodrigues, Seth Kallen, Valentine Giraud-Robben, Yentl Delanhesi e muitos mais!

Rua Artur de Azevedo, 499 – Pinheiros – São Paulo – Brasil, CEP 05404-011 +55 (11) 2538-3516

3

Assine o MECAJournal e receba, mensalmente, um exemplar em sua casa. Envie um e-mail para: contato@meca.love


TASTE THE CITY SÃO PAULO

O mar pelas mãos

CURSO - Aulas de aquarela

com Estela Miazzi

Indie artsy

intervenção artística, como a cerveja da casa com rótulos desenhados à mão e os moletons estampados por prints flúor — queridinhos da casa. Quer só uma lembrancinha cool? A Bendgy também vende adesivos, zines, patches e broches. R. General Jardim, 554.

ARTE - Espaço

reúne zines e roupas

Boteco de raiz

BAR - Endereço na Barra

Funda atrai curiosos Aberto há quase um ano, só agora o Capivara caiu nas graças dos boêmios de plantão. O clima é de boteco: cardápio afixado numa placa preta na parede, mesas coletivas, dois tipos de cerveja e vinho. Fora do eixo Pinheiros-Centro, o endereço na Barra Funda funciona nas noites de terça e quinta e nas tardes de sábado. As esmeradas receitas saem de uma

cozinha aberta e meio improvisada. Prove a sopa stracciatella, feita com caldo de carne, espinafre e ovos, e a salada de cogumelo cru, pecorino e pralinê. R. Dr. Ribeiro de Almeida, 157.

DRINK IT O drink de Luiz Gabriel Vieira

NOITE - Balsa

passa a abrir às quintas Esqueça nome na lista, confirmação de data de evento via newsletter ou troca de e-mails para visitar um dos rolês mais legais da cidade: a Balsa. Desde o mês passado, o espaço que mais parece o

apartamento de um amigo querido com ótimo gosto para decoração passou a abrir todas as quintas. Nesta fase, não haverá DJs ou atrações especiais, mas drinks, comidinhas e um som ambiente. A cerejinha do bolo ainda fica por conta do terraço, que oferece uma supervista do Centro. R. Capitão Salomão, 26.

Preparo Misture todos os ingredientes com gelo e peneire num copo com gelo. Enfeite com uma fatia de limão e sirva.

Kátia Abreu,

coordenadora do Dia da Música, que ocupa palcos em 22 estados no dia 24/6.

Qual o cenário do novo circuito da música brasileira? Existem muitos artistas produzindo música interessante, e temos visto um circuito de palcos se consolidar pelo país. É bacana notar que há espaço para todo tipo de som, de norte a sul do Brasil. Existe alguma particularidade do Dia da Música no Brasil? O Dia da Música se inspirou na Fête de la Musique, que nasceu em Paris e hoje acontece em mais de 700 cidades do mundo. Aqui, desde a primeira edição, colocamos foco no circuito de música autoral.

“O fitzgerald, do bar Boca de Ouro, é o meu preferido. O gim e o limão juntos são uma combinação imbatível. Há um frescor muito prazeroso e ao mesmo tempo uma seriedade, que vem do gim.” Receita • 1 dose de Tanqueray • 30 ml de xarope de açúcar • 20 ml de suco de limão • 2 gotas de Angostura

Nem bar, nem casa

na Casa Tombada, em Perdizes, custa R$ 550 — o material está incluso. Não é necessário ter experiência em desenho ou saber segurar um pincel, mas estar disposto a dialogar sobre o que a aquarela transborda em cada um. R. Ministro de Godoi, 109.

[A]

Mito carioca

TEATRO - Vida e obra de Madame

Satã são tema de musical Prostituta, pobre, negra e travesti. João Francisco dos Santos, conhecido como Madame

Satã, tornou-se a figura mitológica da Lapa carioca. No mês em que se comemora o or-

Cheia de charme

Originária da Vila Olímpia, a Ciclo Urbano defende o uso da bicicleta como um meio de transporte eficaz, econômico e ade-

LOJA - Bikes

estilosas são foco de nova casa 4

gulho LGBT (leia mais na pág. 23), a história dessa que carregou a alcunha de primeira travesti do Brasil ganha versão musical com o Grupo dos Dez e Galpão Cine Horto.

De 8 a 18/6, na Caixa Cultural São Paulo, “Madame Satã” combina trilha sonora inédita com textos poéticos e combativos. O espetáculo é gratuito. Pça. da Sé, 111.

quado ao nosso tempo. E tem muitos adeptos. Tanto que a loja ganhou, há cerca de um mês, uma casinha nova em Pinheiros. Vizinho do King of the Fork, o espaço vende bikes e acessórios para quem quer se aventurar pelas ciclovias da cidade. Modelos esportivos até têm vez.

Mas, por lá, reinam as versões retrôs em tons pastel arrematadas por cestinhas, como as britânicas Pashleys, enviadas diretamente de Stratford-uponAvon, ao sul de Birmingham. Vai lá e escolhe a sua. E depois passa no KOF para um café. R. Artur de Azevedo, 1.325.

O que mudou desde a primeira edição? Criamos um fundo de apoio para viabilizar alguns palcos gratuitos e, este ano, teremos prêmio para circulação dos artistas do RJ. Como fazer a escolha do roteiro tendo tantas opções? Dá para filtrar por horário, gênero ou pela proximidade. A programação do festival está no nosso site e aplicativo.

FOTOS: DIVULGAÇÃO; [A] LETICIA SOUZA; [B] E [C] CECILIASCHIAVO

Em junho, vamos celebrar o Dia da Música e todas as formas de amor com discos novos, arraial e comidinhas gostosas

No pequeno salão da Bendgy, quase tudo está à venda. Misto de loja e galeria de arte, o art space recebe ainda shows em formato pocket, além de lançamentos de produtos com alguma

Conhecida por suas baleias azuis melancólicas e manchadinhas, Estela Miazzi oferece em junho a oficina de aquarela Como Traduzir o Mar. São quatro aulas (5, 12, 19 e 27/6), nas quais os alunos serão incentivados a se aproximar do mar, seu silêncio e suas criaturas. O curso


TASTE THE CITY SÃO PAULO

Livro-arte

Homem de futuro

MÚSICA - Lucas

Santtana lança disco imersivo Para lançar o disco, “Modo Avião”, Lucas Santtana inovou. Gravado com uma microfonação binaural, que rende uma audição 360 graus, mais próxima do real, a intenção do artista é que os fãs escutem as faixas como se ouvissem as cenas de um filme. Além disso, em um desdobramento do álbum, ele fez um livro em parceria com o escritor João Paulo Cuenca e com o quadrinista Rafael Coutinho, por meio do qual ele conta a história das

MOSTRA - Steve

Jobs é tema de mostra no MIS Todas as fases da vida e da carreira do fundador da Apple são contempladas na mostra Steve Jobs, O Visionário, com

abertura prevista para o dia 15/6. O acervo vídeoiconográfico é dividido em seis seções: Negócios, Inovação, Sonho, Falência, Competição e Espiritualidade. A exposição é composta por fotos, reportagens, filmes, objetos pessoais e até peças do Apple 1, um dos

primeiros computadores da empresa californiana. Av. Europa, 158

[B]

canções a partir de desenhos que chegam a um metro. Editado pela Lote-42, conhecida por reunir publicações inusitadas, o lançamento está marcado para o dia 10/6, na Banca Tatuí. R. Barão de Tatuí, 275.

turn the music on

by Curumin — O baterista e cantor acaba de lançar o disco “Boca”.

[C]

As minas do pop

SHOW - Charli

XCX e Karol Conka no palco Depois de se apresentar no MECA em 2014, a cantora Charli XCX volta ao Brasil para ser headliner da 21ª edição do Cultura Inglesa Festival, em São Paulo. No dia 11/6, a britânica que ganhou as pistas com faixas do seu segundo

álbum, “Sucker”, divide o palco com Karol Conka. Uma das main attraction do MECAInhotim deste ano, a rapper, que também flerta com o pop, fará um tributo a David Bowie. O Cultura Inglesa Festival teve início no fim de maio e, em 2017, inclui programação de cinema, artes visuais, teatro e dança. Tudo free. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664.

MARCHA MACIA – Siba

“Essa faixa nos põe diante da dura constatação de que o sistema nos institucionalizou.”

MAR AO FUNDO – Ava Rocha “Música que mistura o doce e o ácido de um jeito lindo, e nesse embalo se vai longe.”

DESPERDIÇOTE-ME – Karina Buhr

“A gente se despedaça e se desperdiça nesse lamento lindo, que me faz ficar pensando e sentindo coisas.”

É tudo nosso

LOJA- Design

e comida Made in Brazil As definições de compartilhamento foram atualizadas: o Brain, clube de criativos à la espaço de coworking, passa a dedicar uma parte de sua área em Pinheiros a uma loja de conveniência 100% nacional. Resultado da parceria entre a incrível Galeria Nacional e o bar de comidas e bebidas

artesanais Cateto, o novo espaço tem foco nos gifts e no TAB — Take Away Brain, que consiste em uma “janela” aberta na parede que divide o Cateto do Brain, e funciona como ponto de encontro para lanches ou happy hour. A curadoria afiada da Galeria Nacional contempla criacões de nomes em ascensão no design brasileiro, a exemplo de Rahyja Afrange, Nicole Tomazi e do Estúdio Plume. R. Francisco Leitão, 258 e 266.

Trem da alegria

FESTA - Festa

junina moderninha Com atrações para todas as idades, o Arraial nos Trilhos chega a segunda edição. E a tradição está garantida: tem bingo, barraca do beijo, correio elegante e até quadrilha. A gastronomia típica acompanha a festa marcada para o dia 19/6, e os “caipiras” podem se esbaldar nos quiosques de comidinhas. Entrada: R$ 20. R. Visconde de Parnaíba, 1.253.

RIQUÍSSIMA – Rico Dalasam

Pop lisérgico

SHOW - Banda capixaba lança

disco no Centro Cultural SP Projeto experimental de Gabriela Deptulski, o My Magical Glowing Lens lança seu primeiro disco no dia

15/6, no CCSP. “Cosmos” tem 11 faixas e uma atmosfera onírica embalada por uma combinação de

sons analógicos e eletrônicos que pulsa quando os sintetizadores estão em foco. A cantora capixaba começou a gravar sozinha em 2013, no próprio quarto, inspirada por Mutantes, Flaming

“O rap ganha novas formas e cores com artistas como o Rico. E ele rima de um jeito único, com temas novos, e faz renascer, mais uma vez, o estilo.”

Lips e Tame Impala. Desde então, ganhou companheiros de palco e saiu da toca para soltar a voz em festivais nacionais importantes, como o Bananada. R. Vergueiro, 1.000.

EVA E EU – Anelis e Serena Assumpção

“Na homenagem a Péricles Cavalcanti, as irmãs se unem em uma simplicidade cósmica e universal.”

5

Ô de casa CAFÉ- Nova

cafeteria na Vila Madalena

Aberto somente em dias úteis, de segunda a sexta, das 13 às 19h, o Cupping Café é a nova empreitada pessoal do arquiteto Gabriel Manassés Penteado, que passou três anos fazendo cursos de barista. Todo o conhecimento que reuniu em sala de aula é

colocado em prática na sua primeira cafeteria, estabelecida na mesma casa onde cresceu — seus pais, inclusive, moram nos fundos. Os itens são servidos em material descartável e o expresso é tirado de uma mítica La Marzocco FB70. R. Wisard, 171.


TASTE THE CITY RIO DE JANEIRO

Bela à moda carioca

MODA - Apresentadora celebra 50

anos de grife com nova coleção

Assinando uma coleção composta por 20 peças exclusivas, a cozinheira e apresentadora aposta em estampas florais e tecidos que privilegiam o conforto — e isso vale para tudo: blusas, camisetas, calças jeans, jardi-

Você pode trocar o seu brinco de lua por um de abacaxi, por exemplo. Declaradamente adepta de um lifestyle natural, Bela Gil empresta seu ziriguidum à Cantão, marca carioca que celebra meio século de atividade.

Junto e misturado

BEBIDA - Drinks

clássicos com cerveja

Dueto de titãs

SHOW - Marisa Monte e Paulinho da Viola juntos, de novo Dois expoentes da MPB repetem a parceria de sucesso e ocupam, simultaneamente, o mesmo palco. O encontro já havia rendido, em

1994, a faixa “Dança da Solidão”. Marisa e Paulinho também já dividiram o carro alegórico da Portela, no Carnaval de 2012, quando am-

O calor do Rio de Janeiro cai sempre muito bem num copo de cerveja estupidamente gelada, e como esse match perfeito não se desfaz por qualquer coisa, os belgas da DeliriumTap House, em Ipanema, decidiram se moldar ao combo. Em vez de insistir nas versões clássicas de

bos entoavam o enredo em homenagem a Clara Nunes. Agora, a amizade e intimidade entre os artistas poderá ser conferida nos dias 9, 10 e 11/6, no Km de Vantagens Hall. A partir de R$ 90. Av. Ayrton Senna, 3.000.

A mordida do pecado

neira, vestido e acessórios. Para a ocasião, Bela criou ainda faqueiro, bolsa utilitária e avental. Os cliques da campanha são de autoria de J.R. Duran. Todas as peças já estão disponíveis no e-commerce da marca, e em breve estarão à venda nas lojas físicas também. cantao.com.br

COMIDA-

Novidade no Bar do Adão

drinks já conhecidos, renovaram a carta de coquetéis adaptando as bebidas à paixão nacional pela cerveja. Foi assim que nasceu o mojipa, que combina o clássico mojito (rum, hortelã e limão) com uma IPA (foto). Já a gold velvet leva em sua receita espumante, suco de abacaxi e witbier. Para forrar o estômago, há boas opções de petiscos, sanduíches e saladas. R. Nascimento Silva, 51-65.

Não dá para ficar mais crocante que isso: no lugar do pão, duas massas de pastel, devidamente fritas. Não fosse a adição certeira desse novo ingrediente, o sanduíche seguiria a receita clássica, uma vez que é feito de hambúrguer de carne moída, queijo, cebola frita, salada e tomate. A nova delícia carioca pode ser devorada em qualquer uma das dez unidades do Bar do Adão, no Rio de Janeiro. baradao.com.br

BELO HORIZONTE

HOTEL- A nova

moda de Ronaldo Fraga O estilista Ronaldo Fraga tem, cada vez mais, desenvolvido projetos criativos que vão além das passarelas. Sua nova investida é um lugar que abriga “coisas, pessoas e pensares”,

No pé da moda

nas palavras do próprio artista. Encontrou num casarão dos anos 1920, no bairro dos Funcionários, o espaço que buscava — e o deixou por um ano nas mãos de Alex Rosset, para as devidas reformas e reparos. O Grande Hotel é o resultado de toda essa revolução, inclusive pessoal.

CALÇADOS - Yellow Factory

une moda, fotografia e design

[A]

Molares em ação

COMIDA - Um paraíso para os

carnívoros chamado OssO Essa nova casa de carnes no bairro de Lourdes tem abocanhado um público fiel — e faminto. Investida dos sócios Paulo Vasconcelos e Djalma Victor, o restaurante OssO Mind the Bones traz, sobretudo, receitas carnívoras preparadas na parrilha. Notórios pela maciez e suculência, os cortes das raças angus e wagyu estão entre os mais pedidos. Mas há

Cumprindo sua sina, a estalagem reúne tudo o que gravita no universo

de Fraga: vinho, boa mesa, música, beleza e, claro, moda. R. Ceará, 1205.

Bom negócio

girando em torno do Dia Mundial do Meio Ambiente — o tema desta edição. Marcado para 4/6, às 14h, o evento é embalado por DJs, oficinas e mostras fotográficas, além da exibição do filme “Não Vale a Pena”, de Pedro de Filippis. Curso de upcycling e a Feira Fresca, com alimentos orgânicos e agroecológicos, completam a atração. R. Conde de Linhares, 308.

CULTURA -

outras opções, digamos, mais mundanas, caso do joelho defumado ali mesmo na casa e a barrigada de porco, que é cozida por longas 12 horas antes de ser levada ao forno. Para abrir o apetite, vá de steak tartare de wagyu com tutano e chips de batata-doce, servido sobre seu próprio osso. R. São Paulo, 1.984.

Networking sem esforço A Casa Bernardi abre as portas para a 4ª edição d’O Cluster, um evento que promove a troca de ideias e a interação entre artistas, designers, estilistas e consumidores. A proposta é viabilizar o maior número de negócios e relacionamentos possível, tudo

6

Depois de uma temporada em Nova York, a designer Débora dos Santos voltou decidida a criar algo diferente. Colocou no papel as ideias de possíveis negócios, mas o histórico familiar com a indústria calçadista pesou na balança: criaria uma marca com modelagem única, e ali uniria

suas paixões pela fotografia, pela moda e pelo design gráfico. No início usou um quartinho amarelo como estoque — daí o nome Yellow Factory Boots. Sneakers, plataformas e sapatos de salto de couro e veganos dividem a loja virtual com acessórios como bolsas e cintos. lojayf.com

FOTOS: DIVULGAÇÃO; [A] ANA SLIKA; [B] TUANE EGGER

Sem pressa


TASTE THE CITY PORTO ALEGRE

Proteína alternativa VEGAN - Dieta

sem sacrifício animal A proteína animal pode ser substituída sem sacrifício, bastam só alguns ajustes e os temperos certos. A Oficina de Culinária: De Onde Vem a Proteína, que acontece dia 28/6, às 19h, no restaurante Vê: Empório e Restaurante Vegano, tem como objetivo ajudar a suavizar a

Masculinidade na navalha

transição de quem quer adotar uma dieta sem qualquer tipo de consumo animal. Ao longo das três horas de aula, os presentes aprendem receitas e métodos de cocção, e ainda levam para casa uma apostila com o passo a passo para fazer delícias como chucrute, queijo fresco de amêndoas, bife à rolê e mais ­— tudo vegan, claro. A inscrição custa R$ 180. Av. Lageado, 1265.

BARBEARIA - Velho Tranquilo

ganha unidade e trilha roqueira A trilha sonora com The Strokes e Iggy Poppy canta a atmosfera da nova unidade da Velho Tranquilo Barberaria, no Moinhos de Vento. O espaço de dois andares tem mesa de sinuca e estúdio de tatuagem. Com

Noite de poesia

para esquentar o inverno

[B]

20h, o evento conta com as apresentações dos instrumentistas Nelo Johann e Fe Feldens. Enquanto o primeiro mostra sua influência folk, o segundo expõe sua mistura de

Resistência poética LIVROS - Artes &

Ecos inicia os trabalhos

Com foco em poesia, ensaios de arte e psicanálise, a editora Artes & Ecos faz sua estreia com títulos vendidos exclusivamente online. Ricardo Silvestrin e Celso Gutfreind apresentam, respectivamente, “Prêt-à-Porter” e “Tesouro Secundário”; Cristian Verardi debuta com “O Diabo Belisca Meus Calcanhares”, e Lucas Krüger lança “Homenagem à Nuvem”. arteseecos.com.br

punk, riot e postpunk em um repertório autoral. Entre as leituras, os poemas de Coiote Flores são o ponto alto da noite. Organizado no Quintal Cultural, há ainda área para a distribuição e venda de zines e CDs. R. Luiz Afonso, 549.

ARTE - Música e leitura boa Para esquentar o frio do inverno porto-alegrense, artistas, poetas e simpatizantes se unem na noite do dia 15/6 para o sarau Poesia Contra a Distopia. Com início marcado para as

cadeiras clássicas das barbearias do início da década de 50 em tonalidades diferentes, a nova unidade segue o conceito atual de mesclar cortes afiados e drinks na medida. R. Padre Chagas, 293.

OUTRAS CIDADES

Churrasco a sério

COMIDA - Em Fortaleza, carnes e

cervejas premium andam juntas O coração do bairro Meireles está em brasa desde a inauguração do Beer, Meat & Fire (BMF),

Cabeças pensantes TECH - Campus

Party Brasília de 14 e 18 /6

A capital do país recebe pela primeira vez a Campus Party, que ocupará o Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

um espaço de 730 m2 muito bem disputado por cerca de 300 itens para churrasco,

Coreto Hype

mais de 50 rótulos de cervejas mais acessórios para a cozinha. A casa acomoda encontros e workshops, além de 10 torneiras de chopes. Av. Abolição, 2951.

LOJA - Novo

endereço em Salvador

Beleza à mesa

Com palestras, workshops, hackaton e jogos, a convenção traz ao Brasil nomes de peso, como Richard Stallman, criador do movimento software livre, e Horst Hörtner, especialista em interação humano-computador. brasil.campusparty.org/brasilia

COMIDA -

Natureba com estilo e sabor Do outro lado da rua do shopping Novo Batel, a cafeteria Verd&Co proporciona uma cultura slow life para a região mais

badalada de Curitiba. Com foco na alimentação saudável, a autointitulada “lanchonete boutique” aposta em sucos prensados a frio e um menu de saladas e grelhados. Há também vitaminas e smoothies. R. Coronel Dulcídio, 588.

O conceito continua o mesmo: moda, gastronomia e arte, tudo em um único lugar — a diferença é que esse lugar passa

a ser sempre o mesmo. A feirinha Coreto Hype trocou seu nomadismo por uma vida mais regrada dentro do Shopping Bela Vista, em Salvador. A Coreto Store foi inaugurada trazendo em suas araras mais de 60 marcas nacionais. facebook.com/ coretohype

por TNT Energy Drink

RESISTÊNCIA — GENTE QUE NÃO SE RENDE ÀS DIFICULDADES DO DIA A DIA DIANE LIMA Criadora do portal NoBrasil, plataforma que conecta atos criativos em prol da valorização da diversidade, a designer baiana chamou atenção com a campanha que promove a autoestima de crianças negras.

ANDERSON FRANÇA Empreendedor social, escritor e roteirista, Dinho é um dos criadores da Universidade da Correria, que prepara jovens da periferia que querem correr atrás de seus próprios negócios.

7

MINAS PROGRAMAM Ariane Cor, Bárbara Paes e Fernanda Balbino oferecem cursos introdutórios de programação para mulheres com o objetivo de reverter a baixa presença feminina no mercado da tecnologia.


AROUND THE WORLD

Tradição britânica

INGLATERRA – Glastonbury e seu line-up imbatível pamento. Para chegar à cidade, que fica a 200 km de Londres, a gente sugere que você pegue um trem até a estação Castle Cary. De lá partem ônibus gratuitos direto para a porta do Glastonbury. glastonbury festivals.co.uk

Hype preciso

SUIÇA – Quatro

décadas de fina festa

Indie selvagem HOLANDA –

Arcade Fire num safári Já faz tempo que o festival holandês Best Kept Secret não é mais segredo: todo mundo sabe que é para lá que deve ir quem foge do óbvio. Neste ano, o evento será realizado de 16 a 18/6, em um safári — sim, um safári! — na cidade de Hilvarenbeek. As atrações principais,

100% orgânico

DINAMARCA – Um misto de

Woodstock e farmer’s market Há 7 anos, os dinamarqueses têm destino certo na primeira semana de junho: Aarhus, cidade de pouco mais de 250 mil habitantes alocada no norte do país. É lá que, uma vez por ano, ocorre o Northside: um festival que mistura música e sustentabilidade. Nesta edição, marcada entre 9 e 11/6, Frank Ocean, Mø (foto), James Blake, Prodigy,

Radiohead, The Afghan Whigs, entre outros, embalam os habitués que, entre um show e outro, poderão se esbaldar em comidas e bebidas sem culpa — afinal, nesse santuário da cultura alternativa, só entram produtos orgânicos. Ingressos para os três dias custam 1.545 coroas, algo em torno de R$ 760. northside.dk

Sem enfado

PORTUGAL –

NOS vai do pop à MPB Nem só do fado vivem os portugueses. Entre os dias 8 e 10/6, o NOS Primavera Sound, irmã menor do megafestival catalão, leva à

cidade do Porto o melhor da música independente internacional. Bon Iver e Elza Soares (fotos), Justice, Aphex Twin, Nicolas Jaar, Teenage Fanclub, Cigarettes After Sex, Flying Lotus e Grandaddy são alguns dos nomes presentes no extenso line-up e que prometem

agitar os gajos que planejam se mudar para o Parque da Cidade durante o fim de semana. Os ingressos diários custam 55 euros (cerca de R$ 200) e o camping, a partir de 32,85 euros (R$ 120). É possível chegar de carro, metrô ou ônibus. nosprimavera sound.com

MECARADAR — BANDAS PARA VOCÊ FICAR DE OLHO MADEIRA (Nova Zelândia) A voz doce de Kim Pflaum ganhou fama na banda Yumi Zouma. Longe do grupo, hoje ela se dedica ao Madeira. Aqui, Kim deixa de lado o indie pop noventista para se jogar num universo de sintetizadores.

no entanto, não serão os elefantes ou leões do parque, mas, sim, as bandas Arcade Fire (foto), Agnes Nobel, George Erza, Arab Strap, Aurora, Radiohead, Run the Jewels e vários outros. Os ingressos para os 3 dias custam 257 euros (cerca de R$ 940) e a taxa para montar a sua própria barraca no local custa a partir de 9 euros (R$ 33) por noite. bestkeptsecret.nl

Sincronize o seu relógio, seja ele suíço ou não — você não vai querer perder nenhuma atração do Open Air St Gallen. A 40ª edição do festival, que acontece de 29/6 a 2/7 na cidade homônima, tem Lorde (acima), Beth Ditto (abaixo), Glass Animals, Bonobo, Bastille, alt-J e Justice em seu line-up. O passaporte, que dá direito aos 4 dias de evento e camping, custa 225 francos suíços (cerca de R$ 760). Saindo de Zurique, leva-se uma hora de trem. openairsg.ch

por Bananas Music Branding

MAI LAN (França) Nome conhecido em projetos como o M83, a produtora francesa alça voo solo com o single “Vampire”, onde mostra o poder dos sintetizadores aliados a corais infantis e um clima contagiante.

8

REVA DEVITO (Estados Unidos) Lançado no ano passado, o EP “The Move” já chegou a 2 milhões de audições. O motivo do sucesso? As batidas típicas da soul music e do hip-hop são o background perfeito para a voz sexy dela.

MAHMED (Brasil) Trata-se da banda brasileira mais indicada para quem tem medo de música instrumental. Os temas do quarteto de Natal, que já abriu shows do Mac Demarco, passam como uma brisa.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Junho é o mês dos festivais europeus. Selecionamos os 7 mais imperdíveis para você que pretende fugir do inverno e imergir em música boa

O Glastonbury não precisa de maiores apresentações; seu line-up tampouco: Father John Misty, Phoenix, The XX, The National, Foo Fighters, Solange, The Flaming Lips, Barry Gib, Major Lazer e Warpaint são algumas das bandas que se revezam nos palcos do festival, marcado para acontecer entre os dias 22 e 26/6 na cidadezinha de Pilton, na Inglaterra. Vendidos a 243 libras (cerca de R$ 1 mil), os ingressos dão direito aos 5 dias de evento e às 5 noites de acam-


AROUND THE WORLD

Reflexão —

Você está aqui agora?

Ich liebe Musik

se Metronomy (esq.), Primal Scream, Spoon, Moderat, Slowdive, Bilderbuch, Minus the Bear, Wild Beasts, Gewalt, The Tidal Sleep, Thruston Moore Group, Roo Panes, Royal Canoe e Kate Tempest (acima). O passe para os 3 dias sai por 95 euros (cerca de R$ 350) e a taxa de camping, por 15 euros (R$ 55 ). maifeld-derby.de

ALEMANHA –

Muito além do Kraftwerk Na confluência dos rios Reno e Neckar, na Alemanha, localiza-se Mannheim, cidade onde ocorre, dias 16, 17 e 18/6, o festival Maifeld Derby. Dentre as 70 bandas que compõem o line-up do evento, destacam-

Noites no castelo DINAMARCA –

Imóvel data do século 16 Nos jardins de um castelo renascentista de 1554 em Kværndrup, na Dinamarca, ocorre o Heartland Festival, de 2 e 4/6. Com uma programação que une música, arte e gastronomia, esta edição tem, entre suas principais atrações, shows de Cat Power e Eddie Vedder (fotos), palestras do cineasta alemão Werner Herzog e do artista dinamarquês Olafur Eliasson, além de exposições e banquetes assinados por chefs

renomados. É possível chegar de carro ou trem e os ingressos, com camping incluso, custam a partir de 1.420 coroas dinamarquesas (R$ 700). heartland festival.dk

FOTO: [A] ULLSTEIN BILD

ICONIC PIC — PESSOAS GENUINAMENTE INSPIRADORAS ANDY WARHOL Pai da pop art, empresário, pintor, cineasta, profeta dos digital influencers... São inúmeros os títulos que acompanham a biografia de Andy Warhol (1928-1987), o artista americano que, nos anos 1960, previu que todos teriam direito aos seus 15 minutos de fama no

por Ray-Ban

futuro. Com suas serigrafias multicoloridas, Warhol foi responsável por transformar imagens comuns de seu tempo — como fotos de celebridades que circulavam em revistas de fofoca, e até mesmo latas de sopa de tomate — em ícones eternos. Na foto, operando uma câmera em 1968.

Diferente dos outros animais, temos uma capacidade cognitiva única e poderosa para concentrar nossa atenção em algo diferente do que está acontecendo no aqui e agora. Por isso, se você se encontra neste momento num escritório, na frente do computador, há uma grande possibilidade de que esteja pensando em outra coisa, totalmente desconectada do que está fazendo neste instante. Essa capacidade é surpreendente, mas estudos recentes mostram uma relação direta entre nosso nível de presença e nossa felicidade. E apontam: uma mente que não está presente é uma mente infeliz. Ou menos feliz do que outra treinada para estar imersa e focada na experiência do agora. De fato, o “devaneio da mente” parece ser o modo de operação padrão do cérebro. E embora essa habilidade denote uma conquista evolucionária, que permite às pessoas raciocinarem, pode ter um custo emocional. Há, no entanto, modos de educar a mente. Você provavelmente já ouviu falar em “Mindfulness”, atenção plena no presente: “estar aqui agora, com o seu corpo, mente, sentimentos e emoções inteiramente presentes”. Muitas tradições filosóficas e religiosas ensinam que a felicidade deve ser encontrada vivendo o momento, e os praticantes são treinados para resistir à mente vagando. Sim, as pessoas podem geralmente ser mais felizes se elas ganham mais dinheiro, se estão com um parceiro que amam ao invés de sozinhas, mas as diferenças são bastante modestas. A felicidade pode ter mais a ver com o conteúdo das nossas experiências momento a momento do que com as principais condições de nossas vidas. Certamente parece que os aspectos fugazes de nossas vidas cotidianas — como o que estamos fazendo, com quem estamos e o que estamos pensando — têm uma grande influência na nossa felicidade. No entanto, estes são aspectos mais subjetivos e difíceis de mensurar até por cientistas. A lição aqui não é que devemos parar de “vagar” inteiramente — afinal, nossa capacidade de revisitar o passado e imaginar o futuro é imensamente útil, e algum grau provavelmente é inevitável. Mas, se fizermos isso com menos frequência, poderíamos melhorar substancialmente a qualidade de nossas vidas. Se aprendermos a experienciar plenamente o presente, estaremos mais aptos a administrar e ressignificar os “maus” momentos e ter ainda mais prazer nos bons. E você? Está aqui agora? by Renata Rocha, da Dharma Academy

[A]

9


O.V.N.E. — ONDA VIRTUAL DA NOVA ERA

dna itinerante

Avanços na tecnologia de análise genômica criam um novo tipo de viagem: o turismo de ancestralidade. A novidade promove o reencontro de viajantes com sua origem desconhecida

David Hertz, chef,

fundador da Gastromotiva

Como se deu o nascimento da Gastromotiva? Eu fazia um projeto social na favela do Jaguaré, em São Paulo. A partir daquela experiência, em 2006, falei: agora estou preparado para fazer um negócio social e transformar o meu catering em um catering que treina pessoas e incuba pequenos negócios de comunidades.

A nova tendência de turismo está calcada em uma ideia bastante antiga: a ancestralidade. Mas, diferentemente da viagem que seus pais fizeram para o sul da Itália para conhecer a cidade de seus tataravós, os roteiros atuais podem abranger uma infinidade de destinos. Isso porque eles são criados a partir de informações contidas em seu DNA. Com uma simples amostra de saliva, é possível realizar um teste de Ancestralidade Global, que remonta as origens de seu código genético em um mapamúndi, mostrando de quais povos e regiões do mundo provêm seus genes. O resultado, que demora cerca de dois meses, surpreende até mesmo quem imagina conhecer a fundo sua história, já que revela muito mais informações do que a memória familiar ou os documentos podem registrar – dados tão antigos que precedem a criação do papel ou mesmo do conceito de família. A partir dessas informações, agências de viagem como a britânica Travel Unwrapped traçam roteiros com experiências superexclusivas. Um dos clientes do “Projeto Raízes” da agência Teresa Perez, a primeira no Brasil a oferecer esse tipo de viagem, descobriu em seus resultados motivos suficientes para uma volta ao mundo: seus genes eram de povos originários de cinco regiões diferentes do planeta. Entre as sugestões de roteiro

estavam possibilidades de vivenciar o cotidiano dos mongóis nômades ou de travar contato com povos locais de diferentes tribos do Quênia e da Tanzânia, por exemplo. “O diferencial do programa é incentivar o cliente a se aprofundar nas culturas de seus antepassados. Todas as experiências são criadas com esse intuito, e são enriquecedoras”, explica Tomas Perez, presidente da companhia. A oportunidade de descobrir as origens de seus antepassados e entrar em contato com seus hábitos alimentares, cultura e estilo de vida desperta inte-

resse ao redor do mundo, conforme aponta uma pesquisa da plataforma de reserva de viagens Momondo. Segundo o estudo, que ouviu 7.292 pessoas em 18 países (incluindo o Brasil), 53% dos entrevistados gostariam de aprender mais sobre países e regiões nos quais descobriram ter suas origens, e 46% gostariam de viajar para os mesmos. De olho nessa tendência, o MECA pretende, no futuro, lançar seu próprio serviço de viagens personalizadas: o MECATrips. Afinal, a era dos roteiros turísticos óbvios e impessoais parece estar com os dias contados.

Raio X As empresas que oferecem o teste e os pacotes de viagens Grupo Genera

Com filiais em 13 cidades brasileiras, faz testes a partir de R$ 799. genera.com.br

DNA & Travel Unwrapped

Britânica, oferece tanto o teste, que custa US$ 169, quanto roteiros. dnaunwrapped. com

23 & Me

É uma das mais famosas, mas ainda não envia para o Brasil. US$ 149. 23andme.com

Teresa Perez

Agência de viagem que cria roteiros personalizados com base no DNA. O teste custa R$ 700. teresaperez. com.br

10

Conte um caso emblemático de transformação que a Gastromotiva fez. Me vem à cabeça o Renan Rocha, um menino do Rio. O sonho dele era trabalhar com comida, mas não tinha recursos. Ele conheceu o Claude Troisgros e hoje é sous-chef do CT Boucherie do Jardim Botânico. É uma forma de ver que a roda está girando independentemente da gente.

A Onda Virtual da Nova Era é a plataforma de conteúdo da Ahlma . Dividimos histórias pautadas por tudo aquilo que acreditamos para o futuro — u   m novo você, um novo nós, um novo mundo. Leia mais em ahlma.cc/ovne

ILUSTRAÇÕES: MAURÍCIO PLANEL

UMA SIMPLES AMOSTRA DE SALIVA É O SUFICIENTE PARA MONTAR UM MAPAMÚNDI DOS POVOS QUE PROVÊM SEUS GENES

E o que mudou nesses 11 anos? Acho que o mundo começou a entender mais o poder da gastronomia de transformação social. Mas o engajamento da sociedade, da elite brasileira, ainda deixa a desejar, tem muita coisa para fazer.


#QUEMTEINSPIRA

a música como refúgio

Uma das headliners do MECAInhotim, Karol Conka conta o que a tira do sério com o dom da fala e do improviso

Ela fez o Brasil tombar aos seus pés entoando versos contra o machismo e o preconceito racial envoltos por uma atmosfera pop. Sua arte política surge naturalmente, do cotidiano e das revoltas que ela deseja gritar para o mundo. Se for no improviso, na volta de um break, melhor ainda. Karol Conka conta aqui o que, afinal, a motiva a criar. O que te inspira? O meu cotidiano. A minha inspiração sempre vem das coisas que eu vivo e daquilo que me desperta uma emoção, uma revolta, uma vontade de gritar pro mundo alguma coisa. Com “Tombei”, por exemplo, eu queria falar de um assunto sério, mas de uma maneira tranquila. De um jeito que machistas e racistas pudessem cantar sem perceber a mensagem que estavam passando. Muitas pessoas me escreveram para agradecer dizendo que eu as ajudei a lidar com o racismo. Como foi o processo para encontrar a sua linguagem? Quando eu era adolescente, brigava com a minha mãe, e a única maneira de me comunicar com ela era por cartas. Eu era dramática. Escrevia poemas e tal (risos). Acho que a minha vida inteira eu soube que a minha função era escrever para as pessoas. Ao mesmo tempo eu gostava muito de música. Ligava a TV e ficava assistindo a clipes na MTV. Ficava acordada até de madrugada. Tudo que achava gostoso guardava num potinho dentro de mim. Gostava muito do mundo pop. Destiny’s Child, Beyoncé... O rap veio depois. Com o tempo, dei um jeito de juntar os dois.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Você apresenta o “Superbonita”, que está fazendo tanto sucesso que houve renovação de contrato. Como é trabalhar a criatividade na TV? Ou as coisas vêm mais prontas? Nããão. Quando assumi o programa, falei para mim mesma: “Não entre numa caixa quadrada”. E tive total liberdade e um superespaco para colocar meu toque em tudo. Não uso TP [teleprompter] ou ponto porque gosto da espontaneidade. É mais fácil de fazer e fica mais convincente e verdadeiro. O programa foi todo baseado no meu estilo e no meu mundo. Nessa nova temporada, por exemplo, na volta do break eu apareço recitando um poema de frente para o espelho. É um texto feito na hora em cima de um tema. É uma habilidade de quem é do rap, que lida com situações de improviso. E não dá um branco? Ou aquela preguiça tipo “por que raios inventei isso”? Não, pelo contrário. Sinto uma sensação de alívio quando termino de escrever o poema. Como se precisasse tirar algo de mim.

“HÁ UNS CINCO ANOS, DURANTE 30 MINUTOS, EU MEDITO OU FAÇO UMA ORAÇÃO. FALO QUE MUITO DA MINHA CARREIRA DEU CERTO POR CONTA DA MEDITAÇÃO”

Você tem rituais para criar? Não só para produzir, mas para a vida. Há uns cinco anos, durante 30 minutos, eu medito ou faço uma oração focando pensamentos bons para as pessoas que estão ao meu redor. Às vezes não dá tempo. Mas faço isso pelo menos três vezes na semana. Senão me sinto meio culpada até. E também proíbo todo mundo de falar coisas negativas (risos). Não pode. É a lei da atração. Eu falo que muito da minha carreira deu certo por conta da meditação.

Você é uma mulher negra que conquistou espaço no rap, um ambiente declaradamente machista. Sente que a sua arte precisa ser política? Eu me vejo como uma pessoa com o dom da fala e da escrita. Tenho que usar isso para o bem. Isso vem naturalmente para mim, mas tenho consciência de que é necessário abordar assuntos sérios. Não falo muito de amor, mas de superação. Falo para quem quer deixar a autoestima lá em cima. Escrevo coisas para abrir a mente das pessoas.

11

Você é uma das headliners do MECAInhotim. O que vai tocar? Estou fazendo um disco novo que vai ser lançado depois do festival, mas vou aproveitar para cantar uma música nova, “Lala”. É o termo que inventei para falar do sexo oral feminino, já que não existe um. Quando escrevi, estava pensando em como tem uns homens falhando na prática. Foi uma maneira mais poética que encontrei para dizer que eles precisam olhar pra isso e melhorar um pouquinho (risos).


PONTO DE VISTA CONSUMO CONSCIENTE

uma viagem para dentro

Para Lourenço Bustani, cofundador da Mandalah, a busca por propósito é uma resposta a um modus operandi de ambições exageradas e sem cuidado com o outro

[A]

“VIVEMOS UMA CRISE ESPIRITUAL QUE NEGA A RELAÇÃO QUE TEMOS COM NÓS MESMOS”

“É entender de onde vem e para onde vai. De onde vem: a procedência, a composição, a energia que está por trás daquilo. Já para onde vai pressupõe que exista algum resíduo desse consumo, seja o descarte de uma embalagem, seja o impacto que um alimento tem no seu próprio corpo. Uma decisão de consumo consciente pode ser, eventualmente, fumar um cigarro. Não é saudável, mas pode ser consciente a partir do momento que a pessoa entende do que aquilo se trata. Consciência há, até de sobra, mas o que há também é um desamor pela vida no planeta.” 24 HORAS POR DIA

“Está ficando cada vez mais insuportável ser uma pessoa durante o expediente e outra fora. Pra mim, foi um processo que se desencadeou em função de um desalinhamento entre o profissional e o pessoal maior do que eu conseguia sustentar. E ele foi acelerado por um reconhecimento do nosso trabalho na Mandalah e no senso de responsabilidade que isso me trouxe para garantir que, na medida do possível, eu pudesse defender os valores que propagamos para o mercado. É um trabalho árduo, constante e sem fim. Sempre tem margem para melhora.” VIDA COM PROPÓSITO

Palestrante do MECAInhotim, que acontece nos dias 7, 8 e 9 de julho em Brumadinho (MG), a impressão é de que Lourenço pode falar sobre qualquer assunto. Muito provavelmente porque ele segue o que prega: “Minha única dica é: nunca pare de investigar quem você é. Quando você se conhece, as respostas para todas as perguntas vêm naturalmente”, diz. Até para aquelas que são aparentemente mais complexas, como encontrar um propósito de vida e, de quebra, conseguir alinhá-lo com uma carreira. “Está ficando cada vez mais insuportável você precisar ser uma pessoa durante o expediente e outra fora dele”, afirma. E a busca é eterna. Nossa dica? É melhor começar já.

14

CRISES MÚLTIPLAS

“Vivemos uma crise social. A gente ainda não aprendeu a viver em harmonia, compartilhar os recursos do planeta e garantir direitos básicos para todos. Vivemos uma outra crise decorrente da nossa desconexão com os sistemas naturais dos quais dependemos para viver. E outra espiritual que nega a relação que temos com nós mesmos. Entendendo isso, precisamos fazer um resgate do que é ser humano e agir – logo.”

DE DENTRO PARA FORA

“Criatividade não se ensina, é algo que se vivencia. É reflexo do repertório dentro de você. Repertório esse que é composto e alimentado pelas pessoas que passam pela sua vida e pelos lugares que você frequenta, e como você absorve tudo isso. Então ela é, simplesmente, a devolutiva para o mundo a partir de tudo o que você experimentou.”

FOTO: DIVULGAÇÃO

Lourenço Bustani, 37, tem uma palavra que o norteia: impecabilidade. “Não é perfeição, de forma alguma. É fazer o meu melhor com os recursos que eu tenho, com zelo, com coragem, com disciplina”, diz. É esse mantra que ele aplica no seu dia a dia e nos seus projetos. Hoje, são três em andamento. A Mandalah é uma consultoria de inovação cujo objetivo é fortalecer empresas gerando impacto positivo para a sociedade (GM, Nike, C&A e Hospital Sírio-Libanês foram ou são clientes). Já a HED (Human Experience Design) busca tirar as pessoas de suas zonas de conforto por meio de festas (caso da balada matinal WAKE), retiros e workshops. A Diálogos, por fim, é uma prática de mentoria para jovens.

“Se a atual euforia em torno de ‘propósito’ representa um caminho sem volta eu não tenho certeza, mas é um reflexo dos tempos que estamos vivendo. A crise ambiental é resultado de décadas de um modus operandi que desconsidera os impactos ambientais dos processos produtivos da economia. O grau de conflitos pelo mundo representa o descuido com o próximo. E aí vem essa busca por propósito, como uma forma de remediar ou amenizar o estrago que as gerações anteriores vêm deixando.”


(MECA)INHOTIM

um espaço de sensações

Às vésperas de sediar a segunda edição do MECAInhotim nos dias 7, 8 e 9 de julho, o museu em Brumadinho (MG) mostra sua grandiosidade em obras originais, marcadas por imersão e interatividade

1. Ttéia 1C,

1

Lygia Pape, 2002 — A artista brasileira de grande expressão exerce, no Inhotim, seu apreço pela geometria com uma instalação composta de fios dourados, esticados do teto ao chão, que induzem a circulação ao seu redor, revelando e apagando sua materialidade por um sutil jogo de luzes.

2. Folly,

Valeska Soares, 2005–2009 — Interativa, a obra chama o espectador a perceber-se parte da dança projetada em vídeo nas paredes espelhadas da estrutura. As múltiplas imagens refletidas fazem com que os dançarinos se aproximem e se afastem, tudo ao som da canção “The Look of Love”, de Burt Bacharach.

FOTOS: DIVULGAÇÃO; EDUARDO ECKENFELS [1]; DANIELAPAOLIELLO [2]

3. I Am Not Me, the Horse Is Not Mine,

William Kentridge, 2008 — Videoinstalação inspirada na novela do escritor Nikolai Gogol (1809-1852) “O Nariz”, que narra as peripécias de um oficial russo em busca do próprio nariz. A obra é composta por oito projeções de grande escala, criando uma experiência imersiva e envolvente.

2

3

15


ESPECIAL

OBA, LÁ VEM ELE

Os dias 7, 8 e 9 de julho serão marcados por novos e estimulantes encontros em Brumadinho, a 60 quilômetros de Belo Horizonte (MG). Dos acordes suingados de Jorge Ben Jor com as cores marcantes da “Magic Square”, do artista plástico Hélio Oiticica (1937-1980), servindo de pano de fundo; das tranças cor-de-rosa de Karol Conka com as tranças acobreadas de Tunga; dos aficionados por arte com os que produzem — e frequentam — os melhores shows e festas do Brasil. A confluência ocorre no Inhotim, o maior e mais incrível museu a céu aberto do mundo, onde será realizada a segunda edição do MECAInhotim. Quem foi no ano passado, em novembro, sabe que se trata de um programa imperdível para toda a família.

“O cenário idílico do Inhotim influencia em toda a experiência do MECA. Por exemplo, ter o Jorge Ben Jor cantando ‘País Tropical’ cercado por palmeiras no meio dos jardins do museu será um momento especial”, diz Rodrigo Santanna, sócio-diretor do MECA. Além dos headliners, o evento que no ano passado reuniu Caetano Veloso, Liniker e Jaloo conta agora com alguns dos principais representantes da cena indie nacional, caso de Terno Rei, Lia Paris, Moons, Balako, Ventre e Lumencraft. Entre atrações estrangeiras estão os DJs Joakim, da França, e Pional, da Espanha. Expoente da música eletrônica mundial, Pional já foi responsável por mixar faixas de grupos como o The xx.

16

FOTOS: DIOGO NARITA; I HATE FLASH

Está chegando a hora. Programada para os dias 7, 8 e 9 de julho, a segunda edição do MECAInhotim volta a ocupar o maior e mais incrível museu a céu aberto do mundo com muita música, festas, palestras e workshops. Jorge Ben Jor, Karol Conka e os DJs Joakim (França) e Pional (Espanha) encabeçam a programação. Você vem, né?


ESPECIAL Em novembro do ano passado, cerca de 5 mil pessoas curtiram um final de semana de shows, festas, workshops e palestras no Instituto Inhotim. O evento reuniu grandes representantes da música brasileira, como Caetano Veloso, Liniker e Jaloo.

3

A seleção musical, segundo Santanna, é uma forma de dialogar com o espaço e se relacionar com um ambiente que traduz o melhor do nosso país. Mantém também a vocação do MECA como radar da cena cultural global. Ao longo de sete anos, a plataforma multicultural já trouxe ao Brasil bandas como Two Door Cinema Club, AlunaGeorge e Vampire Weekend antes mesmo de elas serem escaladas para os maiores festivais do planeta. Com um dia a mais na programação em relação ao ano passado — desta vez o evento ocorre de sexta, 7, a domingo, 9 —, a ideia é que durante o dia as pessoas possam curtir o parque e o acervo do museu, que tem mais de 1.300 obras e um jardim botânico incrível, participar de workshops, assistir a performances artísticas e curtir as day parties. No final da tarde e à noite, as cerca de 7 mil pessoas esperadas para os três dias de festival poderão assistir aos shows e explorar uma agenda com palestras sobre temas que envolvem arte, moda, gastronomia, tecnologia e conhecimento. “Vamos trazer para o Inhotim os maiores pensadores do mundo. E será junto com o MECA”, disse Bernardo Paz, fundador do Inhotim. Entre os convidados para os talks e workshops estão o diretor criativo da Vice Brasil, Gabriel Klein; a fundadora da Mesa & Cadeira, Barbara Soalheiro; o diretor da escola de atividades criativas Perestroika, Felipe Anghinoni; o sócio-fundador da empresa de consultoria Mandalah, Lourenço Bustani; Monique Dardenne e Claudia Assef, fundadoras do Women Music Event; a ativista e empreendedora Carlota Mingolia; a fundadora da Olabi Makerspace, Gabriela Agustini; Gian Martinez, criador da curadoria de vídeos online Winnin; Pedro Garcia, da plataforma de financiamento coletivo Queremos!; entre muitos outros. O MECAInhotim só é possível por causa do apoio de marcas como Farm, Terra, Converse, Melissa, Ray-Ban, TNT, Stella Artois e Tanqueray .

ASSISTIR AO JORGE BEN JOR CANTANDO “PAÍS TROPICAL” CERCADO PELAS PALMEIRAS DO INHOTIM SERÁ UM MOMENTO ESPECIAL

Check-in Tudo o que você precisa saber sobre o MECAInhotim Onde:

Instituto Inhotim. R. B, 20, Brumadinho (a 60 km de BH). inhotim.org.br

Quando:

Sexta (7/7), sábado (8/7) e domingo (9/7), a partir das 17h (sex.)

Quanto:

O passaporte antecipado para os três dias de festival custa R$ 390 (inteira) e R$ 195 (meia). Sujeito a variação de lote. A entrada está à venda no site do MECA. www.meca.love

Glamping:

A Overland oferece, mais uma vez, a experiência de glamping no MECAInhotim. Um espaço para momentos especiais em volta da fogueira, nas redes debaixo das árvores e curtindo um picnic com os amigos. De R$ 225 (camping livre) a R$ 2.250 (bangalô para quatro pessoas) overland.tur.br

17


MIND BLOWING

a natureza da arte

Ilhas no Mar Interior de Seto, no Japão, reúnem alguns dos mais afiados nomes da pintura, da arquitetura e das artes plásticas do planeta

1

2

O clássico fica por conta do mestre francês do impressionismo Claude Monet (1840-1926) e suas cinco telas (de um total de 250!) da série “Water Lilies”, com a paisagem de Giverny, na França: aqui, o jardim que encantou um dos pintores mais célebres do mundo ganha vida — e flores reais do lado de fora do museu. As emoções chegam ao pico diante da instalação de Christian Boltanski, “Les Archives du Coeur”, onde os visitantes ouvem batimentos cardíacos gravados pelo artista. Perto dali repousa o Teshima Art Museum, cuja forma de gota foi projetada pelo vencedor do Prêmio Pritzker, espécie de Oscar da arquitetura, Ryue Nishizawa. Para perder o fôlego de vez, recomenda-se visitar a obra de Walter De Maria em diferentes momentos do dia. A instalação é composta por dois lances de escada, e, no pavilhão que une as duas, uma esfera negra de 2,2 metros espera, imóvel. O ambiente, iluminado pela luz natural, muda de cara e de cores conforme o sol — e o céu. O coreano Lee Ufan é outro que tem um museu para chamar de seu, e James Bond, o detetive mais famoso do cinema, conta com o seu 007 Museum, dedicado à saga “The Man with the Red Tattoo”, nunca adaptada para o cinema. Severa quanto a spoilers, a administração do Benesse Art Site Naoshima parece não perceber que não importa o quanto se tenha falado das instalações nas ilhas: é impossível antecipar a vivência de quem se lança a essa parte do mundo.

18

3

4

FOTO:S: DIVULGAÇÃO

Naoshima fica a apenas uma hora de Okayama e, embora ambas fiquem no Japão, a primeira bem poderia ser um país à parte: a ilha, lar para 4 mil pessoas, é um museu a céu aberto. Aliás, um não, vários. Financiado por fundo privado e interesses públicos, esse templo dedicado à cultura moderna teve início em 1989 e hoje leva quase todo o crédito pela dupla de sucesso que conta também com a ilha de Teshima. Juntas, compõem o que é formalmente conhecido como Benesse Art Site Naoshima, um espaço em que arquitetura e escultura contam com a natureza local para aflorar sentimentos e sensações. A experiência começa já a bordo da balsa, única forma de se chegar até a ilha. Do mar, avista-se a “Red Pumpkin”, uma grande abóbora com infinitos pontos pretos. A obra, de autoria de Yayoi Kusama, é bastante semelhante à “Yellow Pumpkin”, provavelmente a peça mais celebrada da ilha: encontra-se à beira -mar, na ponta de um píer de concreto. O trabalho do arquiteto Tadao Ando, artista pioneiro na região, é amplamente celebrado. São dele algumas das maiores e mais belas obras, como o Chichu Art Museum, inaugurado em 2004. Ando projetou ainda um museu que leva o seu nome e é marcado pelo cinza do cimento e pelos ângulos bem definidos. Dentro e fora dos prédios das ilhas, obras de grandes nomes de diferentes períodos, como Yves Klein, Cy Twombly, Hiroshi Sugimoto, Jean-Michel Basquiat, Yasumasa Morimura, Andy Warhol e Richard Long podem ser apreciadas in loco.

DE CLAUDE MONET A YAYOI KUSAMA, AS ILHAS DE NAOSHIMA E TESHIMA ABRIGAM IMPACTANTES EXEMPLARES DA ARTE DO ÚLTIMO SÉCULO

1 – Além de obras de arte, a Benesse House também é um hotel 2 – Tadao Ando, o “rei do concreto”, projetou seu próprio museu 3 – Aberto em 2010, o Teshima Art Museum recria uma gota quando cai 4 – O museu de Teshima ganhou o 25th Murano Togo Prize, o maior prêmio de arquitetura no Japão


COOL PEOPLE BEHIND COOL PROJECTS

cidade do futuro

FOTO: DIVULGAÇÃO

Há nove anos Brett Leve criou o Summit, que conecta gente criativa e inovadora para construir um mundo melhor. O próximo passo, já a caminho, é fundar uma cidade Desde 2008, o Summit conecta artistas, empresários, influenciadores e líderes renomados para produzir conteúdo e juntar forças para criar um mundo melhor. Para isso, promove encontros em cenários inspiradores. Além de uma agenda que combina talks, vivências gastronômicas, arte, música e ativações de bem-estar. Na primeira reunião, os convidados (invite only) esquiaram montanhas ao oeste dos Estados Unidos. Depois, foram recebidos na Playa del Carmen, no México. Na sequência, conheceram a Casa Branca. E Bill Clinton, Ted Turner e Mark Cuban.

Ao longo de nove anos em atividade, a empreitada dos amigos Brett Leve, Eliott Bisnow, Jeremy Schwartz e Jeff Rosenthal resultou na criação de uma comunidade criativa com 18 mil pessoas espalhadas pelo globo. O grupo é responsável por parcerias significativas, como a que levantou US$ 2,5 milhões para proteger cerca de 1 milhão de hectares no Quênia e outra responsável pela instituir uma área de proteção ambiental nas Bahamas. O passo mais recente — e ousado — do quarteto foi a compra de um pedaço de terra em Utah em 2013. A Powder Moun-

tain está localizada nos montes Wasatch e a ideia é que ela se torne uma cidade planejada e focada em empreendedorismo e altruísmo. Nas palavras de Brett Leve: “um lar para a cultura emergente criativa e colaborativa exemplificada pela comunidade Summit”. “Serão bem-vindas, principalmente, pessoas que compartilham uma apreciação por inovação e pelo mundo das artes”, complementa. Até agora foram vendidas 125 casas. E, durante o verão americano, estão programados os primeiros movimentos para o desenvolvimento da aldeia. Em paralelo,

19

já foram construídas estradas e 22 quilômetros de trilhas de mountain bike, além de três teleféricos, cabines de esqui, restaurantes e espaços para eventos. Enquanto o plano vai saindo do papel, o grupo continua com a programação normal. E isso inclui mais um gathering de peso. O Summit 2017 ocorre em Los Angeles, entre os dias 3 e 6 de novembro. Jeff Bezos, fundador da gigante Amazon, é um dos palestrantes. Já a dupla AlunaGeorge, que já se apresentou no MECA, está entre as atrações musicais. “Buscamos os líderes mais conhecidos, bem como nomes ainda não descobertos. No início, nos concentramos em reunir nossa própria geração. Com o passar do tempo, percebemos que era importante valorizar a diversidade de pensamento. Quanto mais variadas forem os inputs, mais interessantes e impactantes serão os resultados”, finaliza.


TRUE CHARACTERS

BUDWEISER

o rock bateu como sonho

Com guitarras, vozes e synths, o quarteto paulistano que forma o Terno Rei cria uma sonoridade viajandona para cenários oníricos com direito a sol da meia-noite MÚSICA –

À primeira audição, qualquer faixa de “Essa Noite Bateu Como um Sonho”, novo disco do Terno Rei, soa como música-tema para um garoto apaixonado triste que vaga pelas ruas numa noite escura desiludido do amor. Contribui para criar a cena o rock calminho do quarteto paulistano composto só de rapazes. A atmosfera é resultado de uma combinação mais evidente de vozes, guitarras e synths, que o grupo chama de dream-pop melancólico. Ou, em tom de blague, de sleeping rock ou sad pop. Ao se atentar às letras, no entanto, o ouvinte se depara com expressões como “sol da meia-noite” e “uma esquina do tempo que voa”. Tais construções nos rementem a imagens que podem vir de sonhos intranquilos e permanecer na mente no dia seguinte e também das artes e do cotidiano. “De todo lugar vem um pouquinho de inspiração. Essa letra [‘Sinais’], por exemplo, eu escrevi depois de ouvir muito um disco da banda americana The War on Drugs e, principalmente, por gostar muito, muito da capa de um de seus álbuns”, conta o vocalista Ale Sater. Algumas repetições ainda remetem a viagens internas e a um processo de auto-conhecimento induzido por meditação, que de fato o vocalista Ale Sater pratica há quatro anos. A banda que tocou no último MiniMECA também está escalada para o primeiro dia de shows no MECAInhotim, que será realizado nos dias 7, 8 e 9 de julho, em Brumadinho (MG).

A BANDA É UMA DAS ATRAÇÕES DO MECAINHOTIM, QUE ACONTECE NOS DIAS 7, 8 E 9 DE JULHO

Aficionado por hambúguer tira receitas de blog e leva para a Vila Nova Conceição Kinoshita). Tem dado tão certo que a casa fica cheia de segunda a segunda, mas principalmente aos domingos, quando há fila de espera. Por lá, nove receitas de blend carnívoras tradicionais — daí o nome do empreendimento — são servidas num pequeno salão, onde a decoração de madeira pravelece. O espaço rústico inspirado em lanchonetes visitadas pelos sócios ao redor do mundo lembra as cabanas de madeira ao longo da Highway

Quais são os melhores lugares para dançar no Rio e qual é o passinho da vez? Sem dúvida, a festa Selvagem e o espaço Éden. O passinho da vez é ser feliz. Soltar o seu corpo sem pensar muito no que os outros vão achar.

O que cansa sua beleza? Pessoas com muitos pudores, que vão a uma festa e ficam julgando os outros. O que é representatividade? Não ter um padrão estipulado. É determinar que os espaços são feitos por todos e para todos. Não muda de jeito nenhum em você? A vontade de abraçar o mundo do alto dos meus 1,58 m.

1, a mítica estrada que circunda a Califórnia de norte a sul. A cozinha é comandada pelo chef Lierson Junior, filho do idealizador. O foco do enxuto

cardápio são os lanches, mas vegetarianos podem se saciar com opções de saladas, batatinhas e um milkshake de Ovomal[B] tine. Os pre-

ços dos sandubas variam entre R$ 16 e R$ 34 e há ainda opções de sobremesa, como o merengue (R$ 19,11). R. Diogo Jacome, 391.

20

Assim como a cerveja, que há mais de um século tem sua receita inalterada, a Bud acredita em pessoas autênticas, genuínas e que fazem as coisas do seu próprio jeito. Alguns desses exemplos estão nesta página!

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Durante cinco anos, Lierson Mattenhauer manteve um blog para falar do seu hobby favorito: fazer hambúrgueres. A brincadeira foi ficando séria e as receitas, ganhando fama em festivais que tinham a guloseima como foco. Até que a paixão virou negócio. Com um ano e seis meses de vida, o Tradi Burguer, na Vila Nova Conceição, é uma parceria de Lierson com o amigo de infância e restaurateur Marcelo Fernandes (Attimo e

blog de beleza e cultura negra Mequetrefismos

O que faz a sua cabeça? Um penteado que me permita ficar à vontade. Gosto de um coque bagunçadinho e não dispenso os óculos escuros, porque nunca sei a hora que vou sair de uma festa. É bom para dar aquele truque (risos).

paixão que virou negócio COMIDA –

Luiza Brasil, do


MINIMECA

um evento por mês

FOTOS: ANNA MASCARENHAS

Marcado sempre para o primeiro sábado do mês, com entrada gratuita, no MECASpot (Rua Artur de Azevedo, 499, Pinheiros), o MiniMECA reúne show, DJ sets, market e uma experiência que explora áreas como moda, arte e conhecimento. O terceiro encontro teve discotecagem de Lucio Ribeiro (Popload) e Guga Roselli (Mareh), além de show do Terno Rei – todos escalados para o MECAInhotim. Rolou ainda um batepapo sobre autoconhecimento. O próximo é dia 3/6. Vem!

21


FAMILY & FRIENDS 1

2

OUTRAS PALAVRAS 1. Valentine Giraud,

facilitadora — “Acredite na confiança que existe em você. Seja amiga do tempo e da ventania, pois do outro lado do medo existe um pouco mais de você.”

2. Lucio Ribeiro,

4

3. Guil Salles,

relações públicas e empreendedor — “A velocidade com que tudo muda o tempo todo me dá medo. Mudanças são bem-vindas, mas é melhor quando você tem tempo de curti-las.”

4. Luisa Martini,

artista e empreendedora — “Eu sou uma completa coexistência, virginiana com peixes com escorpião, com todos os opostos que se pode imaginar. ”

FOTOS: DIVULGAÇÃO

3

jornalista e empresário — “Sempre me vi preso num ciclo infernal em que acordava tendo 100 coisas para fazer: fazia 50 e ficava chorando pelas 50 não feitas. Agora passei a celebrar as 50 que faço.”

22


ROUTE

CONVERSE

4 R. Guaicurus R. Clélia

Fra nc isc o

Av .P om pé ia

VILA ROMANA

Av. Sum aré

Av. Pac aem bu

PERDIZES

LUZ

BARRA FUNDA

Ma tar azz o

8

SANTA CECÍLIA

Av .S ão Jo ão

SUMARÉ He ito rP entea do

2

6

1

Co ns ol aç ão

.N Av

3

da

LIBERDADE

7

sil ra .B Av

JARDIM EUROPA

Av. Vinte e Três

Lu ís An tô ni o

JARDINS

Av .B rig ad ei ro

Av .C id ad e

Ja rd im

ças ou eb R . Av

de Maio

Av .P au lis ta

Ru aT am an da ré

BELA VISTA

R.

PINHEIROS

BIXIGA

io R. Treze de Ma

Arn ald o

ov ed eJ ulh o

Av. Dr

VILA MADALENA

CENTRO

Av .A ng éli ca

R.

PARAÍSO

IBIRAPUERA

5

ITAIM BIBI

iro lhe es se Alv onues C . Avodrig R

VILA MARIANA

Parque Ibirapuera

iro ue Rua Verg

Neste mês dos namorados, selecionamos oito hot spots da cidade que acolhem todas as formas de amor. Vem com a gente SPOT – Sucesso desde sua fundação, em 1994, o restaurante mantém público e cardápido praticamente inalterados. O casting certeiro de garçons e garçonetes acaba sendo um motivo a mais para frequentar o local. restaurantespot.com.br

PARADA GAY – Uma das maiores manifestações da luta pelos direitos humanos do mundo, a Parada do Orgulho LGBT vai desfilar o seu arcoíris no dia 12 de junho e promete, mais uma vez, reunir milhões de pessoas na avenida Paulista. paradasp.org.br

CASTRO BURGUER – Com nome inspirado no tradicional bairro gay de São Franciso, a hamburgueria tem o próprio altar para reverenciar estrelas como Cher e Elke Maravilha. No cardápio, o destaque vai para os milk-shakes Tô Bege e A Loka!. castroburger.com.br

VERMONT – Tradicional point gay de São Paulo, o endereço no Itaim é perfeito para um encontrinho despretensioso ou um esquenta. Domingo é o dia das garotas, que bebem ao som da roda de samba Meninas do Ressaca. vermontitaim.com.br

JEROME – Com pista assinada por Felipe Morozini, a boate nasceu em 2016 com a proposta de resgatar a cena underground dos clubinhos dos anos 1980 e 1990. O lugar é perfeito para dançar house e dubstep e atrai habitués como o estilista Dudu Bertholini.

THE WEEK – Clássico dos clássicos, e com uma estrutura de primeiro mundo, ela é uma das maiores referências na noite paulistana, além de ser o clube gay mais famoso do Brasil. Parada obrigatória para quem quer se jogar até de manhã. theweek.com.br

BAR DA DIDA – Quem acordou com vontade de beber uma cerveja de garrafa na calçada pode tentar um lugarzinho em uma das concorridas mesas do bar, que é frequentado pelos gays e lésbicas mais modernos da cidade.

CHILLI PEPPER – Só para meninos, é considerado o melhor hotel gay da América Latina. Além da piscina, do bar, do minicine e dos inesquecíveis shows de striptease, tem também a sauna mais concorrida de São Paulo. hotelchillipepper.com.br

1

2

3

4

5

6

23

7

8


Produzimos os eventos que a gente gostaria de ir. Geramos o conteĂşdo que a gente gostaria de consumir. ConstruĂ­mos os lugares que a gente gostaria de frequentar. Criamos os produtos que a gente gostaria de comprar. Investimos nos negĂłcios que a gente gostaria de participar. Aproximamos as pessoas com quem a gente gostaria de conviver. Conectamos as marcas que a gente gostaria de trabalhar. Simples assim. Shaping the culture of a new generation, since 2011

Profile for MECAJournal

MECAJournal # 11 - Junho/17  

Um jornal mensal, gratuito, distribuído nos locais mais legais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Com perfis, entr...

MECAJournal # 11 - Junho/17  

Um jornal mensal, gratuito, distribuído nos locais mais legais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Com perfis, entr...

Advertisement