Issuu on Google+

Título: BMW oferece cor amarela na maxtrail G 650 GS Autor: Coluna: CLASSIAUTOS Nome do Veículo: A TARDE Cidade: SALVADOR País: BRASIL Data de Capa: 12/06/2013 Nome do Cliente: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Disponibilização: 17/06/2013

Tipo de Veículo: JORNAL Página: 09 Estado: BA Origem: On Line Palavra Chave: FENABRAVE


Título: Venda de veículos recua em maio Autor: BRUNO BACCHETTI Coluna: NEGÓCIOS Regionais + Capital Nome do Veículo: TODO DIA Cidade: AMERICANA País: BRASIL Data de Capa: 09/06/2013 Nome do Cliente: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Disponibilização: 17/06/2013

Tipo de Veículo: JORNAL Página: 01 Estado: SP Origem: On Line Palavra Chave: FENABRAVE


Título: Produção de caminhões da Mercedes sobe Autor: Redação Coluna: Nome do Veículo: DIÁRIO DO COMÉRCIO BH ONLINE Cidade: WEB País: BRASIL Data de Capa: 15/06/2013 Nome do Cliente: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Disponibilização: 17/06/2013

Tipo de Veículo: SITE

Estado: WEB Origem: On Line Palavra Chave: FENABRAVE


Publicada em 15-06-2013

Produção de caminhões da Mercedes sobe Em m e io às pe rspe ctivas positivas quanto ao de se m pe nho do m e rcado brasile iro, a produção de cam inhõe s da Me rce de s-Be nz e m Juiz de Fora, na Zona da Mata, de ve rá atingir 12.500 unidade s ne ste ano, conform e o dire tor de Produção de C am inhõe s da com panhia, André Luiz More ira. C aso atinja a m e ta, a produção se rá 25% supe rior ao volum e fabricado no ano passado. Em 2012, se gundo o e x e cutivo, foram produzidas 10 m il unidade s. Na planta de Juiz de Fora são fabricados os m ode los Acce lo e Actros. Ape sar do incre m e nto, a produção ainda e stá aqué m da capacidade da fábrica m ine ira. A linha de produção pode produzir anualm e nte 50 m il unidade s. Q ue stionado sobre um possíve l aum e nto n o ritm o de produção, More ira afirm ou que isto de pe nde rá da de m anda no m e rcado brasile iro. O s inve stim e ntos da Me rce de s para ade quar a unidade na Zona da Mata para a fabricação de ve ículos pe sados são de aprox im adam e nte R $ 450 m ilhõe s e ntre 2010 e 2013. As ope raçõe s foram iniciadas no ano passado com ce rca de m il funcionários. O C EO da Me rce de s-Be nz do Brasil, Philipp Schie m e r, de m onstrou otim ism o quanto o m e rcado no Brasil. Se gundo e le , os inve stim e ntos para a C opa do Mundo de 2014 e para a O lim píadas de 2016 re sultam e m boas pe rspe ctivas para o se gm e nto. Alé m disso, conform e o e x e cutivo, o m e rcado de cam inhõe s ve m e voluindo de form a significativa no país. Em 2009, por e x e m plo, as ve ndas de cam inhõe s acim a de 6 tone ladas som avam 103.228 unidade s. Ne ste ano, e ste s e m placam e ntos de ve rão alcançar 140 m il unidade s, alta de 35% no pe ríodo. De acordo com dados da Fe de ração Nacional da Distribuição de Ve ículos Autom otore s (Fe nabrave ), as ve ndas de cam inhõe s Me rce de s-Be nz no Brasil som aram 15.317 unidade s e ntre jane iro e m aio. O re sultado ficou e stáve l na com paração com o m e sm o inte rvalo do ano passado, quando che gou a 15.262 unidade s. (RT)


Título: Diário matinal Autor: Redação Coluna: Nome do Veículo: MONITOR MERCANTIL ONLINE Cidade: WEB País: BRASIL Data de Capa: 14/06/2013 Nome do Cliente: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Disponibilização: 17/06/2013

Tipo de Veículo: SITE

Estado: WEB Origem: On Line Palavra Chave: FENABRAVE


Notícias

Colunas

Assinaturas

Publicidade Busca

Gráfica

A Empresa Ano:

OPINIÃO D O ANALISTA

Diário matinal 14/06/2013 - 11:29:41 Share Share Share Share M ore 0 Proxy mensal do PIB brasileiro apontou crescimento de 0,84% em abril

Parceiros

Contato

Ano

Mais Notícias FINANCEIRO 14/06/2013 - 21:38:33

Desmonte de veículo será disciplinado ainda este ano REGISTRO 14/06/2013 - 20:42:20

O índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), divulgado há pouco, registrou alta de 0,84% na passagem de março para abril, já descontados os efeitos sazonais, conforme divulgado há pouco pelo Banco Central. Esse resultado veio em linha com nossa expectativa e levemente acima da mediana do mercado (0,70%, segundo coleta da Agência Estado). Os resultados na margem de março e fevereiro foram revisados de 0,72% para 1,07% e de uma queda de 0,36% para contração de 0,26%, respectivamente. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, houve avanço de 7,30%, acumulando crescimento de 3,20% em 2013. Assim, o indicador - uma proxy mensal para o PIB reforça a percepção de aceleração na margem da economia brasileira neste segundo trimestre. Esperamos alta de 0,9% no período, após expansão de 0,6% registrada nos primeiros três meses deste ano. . ATIVIDADE IBGE: vendas no varejo seguiram fracas em termos reais em abril O crescimento das vendas no varejo continua fraco em termos reais. Após estabilidade em março, as vendas cresceram 0,5% em abril. A surpresa esteve concentrada no segmento de super e hipermercados, que mostrou nova queda de 0,6% na margem (em março as vendas já haviam caído 1,5%). Apesar do resultado negativo, as sondagens de maio já indicam uma recuperação específica do setor. Por isso, atualizamos nossa projeção para o comércio varejista em maio, passando de uma retração de 1,5% para 0,5%. O volume de vendas no varejo restrito (que exclui as atividades de veículos e motos, partes e peças e de material de construção) mostrou alta de 0,5% na margem em março, já descontados os efeitos sazonais, de acordo com a Pesquisa M ensal de Comércio (PM C) divulgada ontem pelo IBGE. Houve ligeira revisão do indicador de março, passando de redução de 0,1% para estabilidade. Com o resultado de abril, não há mudança relevante da dinâmica das vendas no varejo (ainda mais se considerada nossa estimativa de queda de 0,5% para maio), que permanecem praticamente estáveis desde outubro de 2012. Na comparação com o mesmo período de 2012, o indicador avançou 1,6%. A abertura por segmento apontou recuo de 0,5% nos hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, diminuindo em intensidade a trajetória observada em março (-2,1%) e puxando para baixo o resultado do varejo restrito. A inflação elevada de alimentos, em grande medida, vem comprometendo o desempenho desse setor. Por sua vez, o setor de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria, cujas vendas haviam recuado fortemente em março, apresentaram forte alta de 6,4%, mais do que devolvendo o resultado anterior. O comércio ampliado (que considera todas as atividades) registrou expansão de 1,9% na margem e de 9,1% na comparação interanual. As vendas de veículos e motos, partes e peças cresceram 0,4% na margem, mesma direção dada pelos dados de emplacamentos de veículos, divulgados previamente pela Fenabrave. Já as vendas de materiais de construção intensificaram a trajetória positiva e registraram alta de 1,2% em abril. . Fiesp: a despeito da queda do emprego industrial registrada em maio, desempenho no acumulado do ano é positivo Em linha com a retomada moderada da produção industrial e da volatilidade elevada que os resultados mensais têm apresentado, o emprego do setor no estado de São Paulo mostrou queda de 0,37% em maio, na comparação com abril, na série com ajuste sazonal, conforme divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Com isso, de janeiro a maio deste ano, o emprego industrial acumula crescimento de 2,5%. Dos setores analisados, na margem, doze reportaram contratação, seis anunciaram demissão e quatro mostraram estabilidade. Esses resultados, portanto, estão alinhados com a nossa expectativa de recuperação moderada do mercado de trabalho ao longo deste ano. Cabe lembrar que o resultado da Pesquisa M ensal de Emprego, do IBGE, referente a maio será conhecido no próximo dia 20 de junho. . INFLAÇÃO FGV: reajuste da mão de obra na construção civil puxou aceleração do IGP-10 em junho O reajuste dos salários na construção civil, que já ocorre normalmente em junho, foi superior ao esperado, puxando ainda mais a aceleração do IGP-10 no período. A alta de 0,63% do indicador, que em maio registrou deflação de 0,09%, foi ainda influenciada pelo avanço dos preços no atacado. O IPA subiu 0,43% em junho, ante queda de 0,39% no mês anterior, influenciado pela reversão dos preços dos produtos agropecuários, que passaram de -2,80% para 0,57%. Já a inflação dos produtos industriais desacelerou de 0,55% para 0,38%. O INCC, que mede a inflação na construção civil, avançou 2,48%, após alta de 0,79% registrada em maio. Essa, no entanto, deve ter sido a maior variação do indicador, que tende a desacelerar nas próximas leituras dos IGPs. . INTERNACIONAL EUA: resultado do varejo em maio reforça cenário positivo para economia norte-americana O comércio varejista apresentou resultado positivo em maio, ao crescer 0,6% na comparação com abril, superando as expectativas que apontavam para expansão de 0,4%. Para tanto, as vendas do setor automotivo, com alta de 1,8%, impulsionaram o desempenho agregado. Excluindo o segmento de postos de gasolina, material de construção e veículos, nota-se uma desaceleração nos últimos meses, compatível com um arrefecimento do consumo e do PIB no segundo trimestre, em relação ao primeiro trimestre. Ainda assim, considerando o impacto do ajuste fiscal no trimestre corrente, os gastos das famílias têm mostrado certa resiliência, o que sustenta o cenário positivo para a economia dos EUA. Isso, finalmente, não altera nossa percepção de que o Fed será cauteloso na retirada dos estímulos monetários, possivelmente no final deste ano. . Tendências de mercado

Liceu Literário oferece curso gratuito Dificuldades da Língua Portuguesa INTERNACIONAL 14/06/2013 - 18:31:04

União Africana: em defesa dos interesses do grande capital


As bolsas asiáticas fecharam o último pregão da semana em alta, acompanhando o movimento positivo da bolsa norteamericana na seção de ontem. O crescimento das vendas no varejo em maio nos EUA favoreceu as bolsas locais. O iene se valorizou frente ao dólar, depois de a ata da última reunião do BoJ ter mostrado que um membro do comitê defendeu que os estímulos monetários deveriam se restringir a um período de dois anos. Já as demais moedas, em especial o euro, perdem valor frente ao dólar, refletindo o desempenho favorável da economia norte-americana. M esmo motivo que fortalece a cotação da maioria das commodities nesta manhã, principalmente sob a expectativa de números mais fortes da produção industrial em maio no país, que serão divulgados hoje. As bolsas européias exibem ligeira alta, enquanto os índices futuros em Nova Iorque permanecem praticamente inalterados. A bolsa brasileira tende a apresentar alguma realização do movimento de ontem, condicionada aos indicadores econômicos nos EUA. O real deve perder valor, ao passo que o mercado doméstico de juros futuros tende a refletir a divulgação do IGP-10 e IBC-Br. Octavio de Barros Diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos - Bradesco Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Comentários No momento, não há comentários. Para escrever o seu comentário, é necessário se autenticar.

Notícias

Colunas

Assinaturas

Publicidade

Gráfica

Monitor Mercantil © 2012 - Todos os direitos reservados Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização Desenvolvido por Seven Soluções

A Empresa

Contato


Título: Venda de veículos cresce 19% em Ponta Grossa Autor: Redação Coluna: Nome do Veículo: JORNAL DA MANHÃ Cidade: WEB País: BRASIL Data de Capa: 15/06/2013 Nome do Cliente: FENABRAVE Categoria: Fenabrave Disponibilização: 17/06/2013

Tipo de Veículo: SITE

Estado: WEB Origem: On Line Palavra Chave: FENABRAVE


Venda de veículos cresce 19% em Ponta Grossa Credito: Clebert Gustavo Em maio, a venda de caminhões cresceu 88% em relação a maio de 2012 As vendas automotivas apresentaram um grande crescimento em Ponta Grossa. Seguindo a tendência de crescimento nas vendas do comércio apontadas nas pesquisas do Fecomércio desde o início do ano, no balanço mensal da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores do Paraná (Fenabrave – PR) referente ao mês de maio, o número de veículos vendidos (emplacamentos) cresceu 19,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Se em maio de 2012 foram comercializadas 742 unidades entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários, em maio deste ano o número saltou para 884 unidades no comércio local. No acumulado do ano, o número de veículos vendidos nos cinco primeiros meses do ano já ultrapassou quatro unidades de milhar: foram 4.026 unidades neste ano, ante 3.803 no ano passado.


Clipping Fenabrave 17.06.2013