Page 1

São Paulo, 17 de Junho de 2014 - Terça-Feira

NOTÍCIAS DIÁRIAS Inflação pelo IPC-S avança apenas em Salvador, entre 7 capitais, diz FGV Variação de preços relativos a comunicação e vestuário aumentou. Considerando todas as capitais, índice desacelerou para 0,36%. A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal desacelerou em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) na segunda prévia de junho. Apenas em Salvador os preços subiram mais em relação à primeira semana. O índice passou de 0,58% para 0,62%. Nesta capital, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação, com destaque para os grupos de comunicação e vestuário. Em Brasília, a taxa recuou de 0,76% para 0,50%; em Belo Horizonte, de 0,28% para 0,16%; no Recife, de 0,91% para 0,70%; em Porto Alegre, de 0,23% para 0,20% e, em São Paulo, de 0,39% para 0,30%. Considerando todas as capitais, a inflação perdeu força na segunda semana de junho. Depois de começar o mês com alta de 0,46%, o Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou para 0,36%, puxado por uma alta menor nos preços dos alimentos. A maior contribuição para a alta menor do IPC-S veio do preço da batatainglesa, que ficou 19,35% mais barata no período. Alface e tomate, que tiveram quedas de 8,64% e 3,79%, também puxaram para baixo a alta do grupo alimentação, que ficou em 0,06%, bem abaixo dos 0,39% registrados na semana anterior. O preço do etanol também ajudou a conter a inflação na semana passada, ao cair 1,89%. Com isso, a taxa de inflação do grupo transportes recuou de 0,31% para 0,19% na passagem da primeira para a segunda semana de junho. Entre os grupos pesquisados pela FGV, ficaram menores, ainda, as taxas de habitação (de 0,56% para 0,54%), saúde e cuidados pessoais (de 0,60% para 0,53%) e despesas diversas (de 1,10% para 1,06%).


Na outra ponta, ficaram maiores as taxas de inflação dos grupos vestuário (de 0,17% para 0,35%), educação, leitura e recreação (de 0,62% para 0,64%) e comunicação (de 0,18% para 0,20%). Fonte:http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/06/inflacao-pelo-ipc-s-avanca-apenas-emsalvador-entre-7-capitais-diz-fgv.html

Bolsas de Tóquio e Seul encerram com ganhos; Xangai e Hong Kong caem Os mercados asiáticos encerraram a sessão sem direção comum. As preocupações com a situação no Iraque continuam afetando os negócios. Os investidores mostraram-se cautelosos também ante a expectativa com o desfecho do encontro do Federal Reserve (Fed, banco central americano), que ocorre amanhã. Diante da chance de novo corte de US$ 10 bilhões no programa de compra de ativos da autoridade monetária americana, os agentes dirigem seu foco para as palavaras da presidente do Fed, Janet Yellen, em busca de pistas sobre o rumo da política monetária dos Estados Unidos. Em Tóquio, o Nikkei 225 subiu 0,29%, para 14.975,97 pontos. O Kospi, de Seul, avançou 0,40%, somando 2.001,55 pontos. Em sentido inverso, o Xangai Composto, de Xangai, cedeu 0,92%, ficando em 2.066,70 pontos. O Hang Seng, de Hong Kong, diminuiu 0,42%, para 23.203,59 pontos. Fonte:http://www.valor.com.br/financas/3586376/bolsas-de-toquio-e-seul-encerram-comganhos-xangai-e-hong-kong-caem

CEO da Siemens não vê motivo para discutir melhora de oferta pela Alstom O presidente-executivo da Siemens, Joe Kaeser, disse que não há motivo para que a companhia alemã e a parceira japonesa Mitsubishi Heavy Industries discutam melhorar a oferta feita pelo negócio de energia da Alstom. Kaeser disse em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira que sua oferta pela Alstom, que concorre com uma proposta anterior da General Electric, já é "superior" e que o projeto das empresas aliadas é "realmente abrangente". Uma fonte no gabinete presidencial da França disse nesta terça-feira que as ofertas atuais pela Alstom precisam ser melhoradas.


Fonte:http://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2014/06/17/ceo-da-siemens-nao-ve-motivopara-discutir-melhora-de-oferta-pela-alstom.htm

Maior refinaria do Iraque é fechada; estrangeiros se retiram Empregados locais permanecem em seus postos e militares ainda controlam a instalação, após funcionários estrangeiros saírem do local A maior refinaria de petróleo do Iraque, em Baiji, foi fechada e seus funcionários estrangeiros foram retirados do local, disseram autoridades da refinaria nesta terça-feira, acrescentando que os empregados locais permanecem em seus postos e que os militares ainda controlam a instalação. Militantes de um grupo dissidente da rede Al Qaeda que invadiram na semana passada a cidade de Mosul, a segunda maior do país, avançaram em direção à refinaria e a cercaram. A refinaria foi fechada à noite, disseram fontes. Fonte:http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/maior-refinaria-do-iraque-e-fechadaestrangeiros-se-retiram

Apple mantém direito de usar marca iPhone no país A Gradiente perdeu o segundo round da sua briga com a Apple pelo uso da marca no país A Gradiente perdeu o segundo round da sua briga com a Apple pelo uso da marca iPhone no Brasil. Em julgamento de segunda instância, o Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro foi favorável à Apple no processo que a companhia americana move contra a brasileira Gradiente e o Instituto Nacional de Proteção Intelectual (INPI). Em setembro, o mesmo tribunal já havia decidido que a fabricante não era mais detentora exclusiva da marca no País e que só poderia vender seu smartphone com o nome composto "Gradiente Iphone" e não mais apenas "iPhone". A Gradiente recorreu e, no novo julgamento, os desembargadores mantiveram a decisão de que a Apple tem o direito de usar a marca iPhone em seus aparelhos vendidos no Brasil sem pagar nada à Gradiente. Em sua fundamentação, o relator do processo no Tribunal descartou a má-fé da Gradiente, mas lembrou que o nome iPhone foi consagrado no mercado pela Apple. A Justiça também alega que, mesmo após a concessão do registro pelo INPI, em 2008, "a Gradiente não lançou um smartphone com o nome iPhone e que


permitir seu uso sem ressalva resultaria em prejuízo para a outra indústria, que desenvolveu o produto e conquistou seu prestígio junto aos consumidores". A Gradiente informou, por meio de nota, que seus advogados ainda estão analisando a decisão, mas que irá recorrer da decisão. Nas duas sentenças, a Justiça anula a decisão do INPI que, em fevereiro do ano passado, reconheceu a Gradiente como proprietária da marca iPhone no País, negando à Apple o direito de registrar quatro marcas de aparelhos no Brasil. A Gradiente solicitou o registro da marca iPhone ao INPI em 2000 e obteve o direito de usar a marca em 2008, um ano depois da Apple lançar o seu primeiro iPhone. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Fonte:http://origin.exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/apple-mantem-direito-de-usar-marcaiphone-no-pais

NOTÍCIAS DIÁRIAS ED. 427  

NOTÍCIAS DIÁRIAS ED. 427