Issuu on Google+

São Paulo, 09 de Junho de 2014 - Segunda-Feira

NOTÍCIAS DIÁRIAS Mercado baixa previsão de alta do PIB de 2014 pela 2ª semana seguida Projeção do mercado para o crescimento deste ano recua para 1,44%. Estimativa para o IPCA de 2014 permanece estável em 6,47%, diz BC. O mercado financeiro reduziu, pela segunda semana seguida, sua previsão de crescimento da economia brasileira neste ano, que passou de 1,50% para 1,44%, informou o Banco Central nesta segunda-feira (9), por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus. O documento é fruto de pesquisa com mais de 100 instituições financeiras. Para 2015, a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 1,85% para 1,80%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o crescimento da economia. A revisão para baixo da estimativa de crescimento do PIB do mercado financeiro para 2014 aconteceu após a divulgação do resultado do primeiro trimestre. No fim de maio, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia do país registrou expansão de 0,2% nos três primeiros meses do ano em relação ao quarto trimestre de 2013, com destaque para o bom desempenho da agropecuária. O aumento do PIB do Brasil previsto para 2014 pelo mercado financeiro continua abaixo do estimado no orçamento federal, de 2,5%, e também é menor que a previsão divulgada pelo Banco Central em março, de alta de 2%. Inflação Os analistas do mercado financeiro mantiveram inalterada, na semana passada,em 6,47% a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país e calculado pelo IBGE, em 2014. Com isso, o valor permanece próximo do teto de 6,5% do sistema de metas de inflação para o ano. A previsão chegou a ultrapassar o teto em abril, mas depois recuou. Para 2015, a expectativa do mercado para o IPCA subiu de 6,01% para 6,03% na semana passada.


Pelo sistema que vigora no país, a meta central tanto para 2014 quanto para 2015 é de 4,5%. Entretanto, há um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Desse modo, o IPCA pode oscilar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta do Banco Central seja formalmente descumprida. Taxa de juros O mercado financeiro também manteve a estimativa de que a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, ficará estável no atual patamar de 11% ao ano até o fechamento de 2014. No fim de maio, a taxa foi mantida estável pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central - o que interrompeu um ciclo de nove altas consecutivas ao longo de 13 meses. Para o fim de 2015, a previsão dos analistas para o juro básico da economia permaneceu em 12% ao ano. Câmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2014 permaneceu em R$ 2,40 por dólar. Para o término de 2015, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 2,50 por dólar. A projeção para o superávit da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações) em 2014 recuou de US$ 3 bilhões para US$ 2,25 bilhões na semana passada. Para 2015, a previsão de superávit comercial ficou estável em US$ 10 bilhões. Para este ano, a projeção de entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil permaneceu em US$ 60 bilhões. Para 2015, a estimativa dos analistas para o aporte de investimentos estra Fonte:http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/2014/06/mercado-baixa-previsao-de-altado-pib-pela-segunda-semana-seguida.html

BC da China detalha redução no compulsório bancário O banco central da China detalhou nesta segunda-feira o corte no depósito compulsório bancário anunciado no fim de maio para apoiar as pequenas empresas e o setor agrícola do país. A queda de 0,5 ponto percentual no compulsório de alguns bancos vai ser efetivado em 16 de junho, afirmou a autoridade monetária chinesa em comunicado. A redução é válida para cerca de dois terços dos bancos comerciais das cidades, 80% dos bancos comerciais rurais e 90% dos bancos de cooperativas rurais. O anúncio veio depois de o Conselho de Estado da China indicar no fim de maio que os formuladores de política monetária iriam reduzir "apropriadamente" os depósitos compulsórios para bancos que ampliarem uma certa quantidade de empréstimos para tomadores rurais e empresas pequenas.


Dez de 26 analistas pesquisados pela Bloomberg News em abril previam um corte no compulsório bancário no fim de junho enquanto 12 entre 25 esperavam uma redução no fim de 2014. Fonte: http://www.valor.com.br/financas/3578286/bc-da-china-detalha-reducao-no-compulsoriobancario

Italiano Monte dei Paschi lança oferta de ações de 5 bi de euros O banco italiano resgatado Monte dei Paschi di Siena lançou uma venda de ações de 5 bilhões de euros (6,9 bilhões de dólares) nesta segunda-feira, buscando pagar a ajuda estatal e impulsionar suas finanças em preparação para uma revisão dos bancos em toda a Europa. A emissão de ações é um dos nove aumentos de capitais já concluídos ou que serão lançados neste ano por bancos italianos após a mais longa recessão do país desde a 2ª Guerra Mundial. O Monte dei Paschi tinha planejado originalmente levantar 3 bilhões de euros com investidores. No entanto, empréstimos ruins em disparada no banco levaram a um aumento na emissão para 5 bilhões de euros, quase o dobro de seu valor de mercado. O terceiro maior banco da Itália, e o banco mais antigo do mundo ainda em funcionamento, precisa do dinheiro para pagar parte dos 4,1 bilhões de euros em ajuda estatal que foi forçado a tomar no ano passado após ser atingido pela crise da dívida da zona do euro e negócios com derivativos que deram prejuízo. O pagamento do resgate é uma condição para evitar a nacionalização. Fonte:http://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2014/06/09/italiano-monte-dei-paschi-lancaoferta-de-acoes-de-5-bi-de-euros.htm

Mais uma rede social adota mensagens que se autodestroem Os serviços sociais passam por uma onda de "snapchatzação", implantando recursos que permitem a troca de conteúdo efêmero. Na semana passada o Tinder anunciou que teria algo assim, e agora o Path também entrou na onda. Considerado uma "anti-rede social", o Path funciona de forma semelhante ao Facebook, mas permite que se adicione apenas 150 contatos, na intenção de fazer com que os usuários se aproximem. O serviço anunciou a possibilidade de troca de mensagens no ano passado, agora fez modificações para impedir que as conversas fiquem gravadas. Texto,


imagem, vídeo ou áudio trocados por ali serão deletados em 24 horas - mas podem ser salvos antes disso. A novidade começa a funcionar no dia 11, quando tudo o que for mais velho que um dia desaparecerá. Quem não atualizar, não desinstalar o app e não se deslogar dele consegue manter as coisas como estão, mas só até tomar uma dessas ações. O Path não explicou por que decidiu seguir a tendência do Snapchat, só diz que isso garantirá mais privacidade aos usuários. Fonte:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/42467/42467


NOTÍCIAS DIÁRIAS ED. 423