Issuu on Google+

São Paulo, 22 de Maio de 2014 - Quinta-Feira

NOTÍCIAS DIÁRIAS Economia do país 'encolheu' em março, indica Serasa Indicador aponta queda de 0,8% na atividade econômica frente a fevereiro. Altas da inflação e das taxas de juros têm impacto sobre o PIB. A economia brasileira recuou 0,8% em março, na comparação com o mês anterior, segundo indicador divulgado nesta quinta-feira (22) pela Serasa. A alta de 0,7% registrada em fevereiro, no entanto, compensou a perda, e a economia encerrou o primeiro trimestre com expansão de 0,3% frente ao trimestre anterior. Na comparação de março com o mesmo mês de 2013, a atividade econômica teve alta de 1,6%. Segundo a Serasa, o desempenho fraco da economia em março e no primeiro trimestre é resultado dos impactos adversos das altas da inflação e das taxas de juros. “Além destes, outros elementos também pesaram sobre a economia no primeiro trimestre, como, por exemplo, os recuos dos índices de confiança de empresários e consumidores perante ao acúmulo de incertezas, estas indo desde as dúvidas quando à eficácia do atual combate à inflação, até as fragilidades associadas ao cenário de crescimento econômico global”, aponta a entidade em nota. “Também a crise na economia argentina, importante parceiro comercial do país e destino de parte relevante da nossa produção industrial afetou a atividade econômica do primeiro trimestre deste ano”. A previsão da Serasa é semelhante à divulgada na semana passada pelo Banco Central. O Índice de Atividade Econômica do BC, o IBC-Br, que é considerado uma prévia do PIB, apontou umcrescimento de 0,29% na economia no primeiro trimestre, na comparação com o trimestre anterior. O resultado oficial do PIB do primeiro trimestre será conhecido somente no dia 30 de maio, quando será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O PIB corresponde à soma de todos os bens e serviços produzidos pelo país.


Fonte:http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/05/economia-do-pais-encolheu-em-marcoindica-serasa.html

Maioria das bolsas da Ásia termina com ganhos, menos Xangai A maior parte das bolsas da Ásia encerrou em alta, em reação a um indicador da China. A paridade do dólar em relação ao iene e as considerações trazidas na ata da última reunião do banco central americano também influenciaram as operações. Os agentes deram atenção a tentativa de retomada de fôlego da indústria chinesa. O índice que mede o desempenho do setor marcou 49,7 em maio, a melhor leitura em cinco meses, mas ainda está abaixo do patamar de 50, que expressa contração da atividade. Em abril, o indicador ficou em 48,1. Em Tóquio, o Nikkei 225 fechou em alta de 2,11%, em 14.337,79 pontos. Em Hong Kong, o índice Hang Seng avançou 0,51%, para 22.953,76 pontos. Na praça de Seul, o Kospi registrou elevação de 0,36%, somando 2.015,59 pontos. Contudo, em Xangai, o índice Xangai Composto cedeu 0,18%, em 2.021,29 pontos. Fonte: http://www.valor.com.br/financas/3557690/maioria-das-bolsas-da-asia-termina-comganhos-menos-xangai

CEO da Siemens quer manter parte do negócios de trens O grupo de engenharia Siemens quer manter pelo menos parte de seu negócio de trens em qualquer acordo com a rival francesa Alstom, disse seu presidenteexecutivo nesta quinta-feira. "Eu posso assegurar aos nossos funcionários que queremos permanecer engajados no negócio de trens no longo prazo - em qualquer constelação", disse o presidente-executivo Joe Kaeser em declarações divulgadas no site do grupo. A Alstom mantém conversas com a General Electric sobre uma oferta de 12,35 bilhões de euros (16,9 bilhões de dólares) por sua unidade de energia. Sob pressão do governo francês, porém, a Alstom abriu sua contabilidade para a Siemens, que avalia seu negócio de trens como parte de uma possível troca de ativos. A Siemens pediu mais informações a Alstom antes de qualquer oferta pelo negócio de energia. Fontes familiares com as conversas franco-alemãs disseram no domingo que a Siemens estava discutindo entregar todo o seu negócio de trens para a Alstom e fazer uma joint venture em sinalização ferroviária.


Mas de acordo com notícias divulgadas na mídia, a Siemens estava em algum ponto oferecendo à Alstom metade de seu negócio de fabricação de trens, além de dinheiro, em troca da divisão de turbinas de energia da rival francesa. Fonte:http://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2014/05/22/ceo-da-siemens-quer-manterparte-do-negocios-de-trens.htm

Apesar de acordo, empresa de ônibus é impedida de circular na Zona Oeste Veículos da viação Santa Brígida não saíram das garagens nesta quinta Após uma quarta-feira em que catorze dos 28 terminais de ônibus da capital paulista chegaram a ser fechados, a cidade amanheceu nesta quinta com novos problemas na circulação de ônibus: motoristas da viação Santa Brígida, que atende a Zona Oeste de São Paulo, impedem os veículos da viação de deixar as garagens. Por causa da paralisação, o Terminal Pirituba está fechado. A SPTrans, empresa que administra o transporte municipal, informa que já acionou seu sistema emergencial, o Paese, para atender a região. Na madrugada, ônibus da viação Gato Preto chegaram a ser impedidos por 1 hora de sair da garagem, mas agora circulam normalmente. A paralisação da Santa Brígida ocorre apesar de acordo fechado na noite de quarta por dissidentes do sindicato dos motoristas e cobradores de ônibus. Os grevistas se comprometeram a liberar a saída dos ônibus das garagens na madrugada desta quinta-feira. Grevistas, representantes de empresas e do poder público passaram a tarde de quarta reunidos na Delegacia Regional do Trabalho. As empresas se recusam a renegociar o aumento fixado em 10% para a categoria. O fim da paralisação ficou condicionado a uma reunião com o prefeito Fernando Haddad (PT), que será cobrado para reabrir as negociações. O sindicato patronal obteve liminar nesta quarta que obriga cada linha de ônibus a circular com no mínimo 75% de sua capacidade amanhã. Se a decisão não for cumprida, será aplicada multa. Paralelamente, o Ministério Público Estadual abriu dois inquéritos para apurar responsabilidades. Nesta quarta, o paulistano sofreu pelo segundo dia seguido com os efeitos da paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus. Ao longo do dia, foram bloqueados catorze dos 28 terminais de ônibus da cidade – às 19 horas, nove terminais continuavam fechados. Com ônibus estacionados nas garagens e o rodízio municipal de veículos suspenso, o trânsito na capital paulista voltou a ficar complicado: foram registrados até 178 quilômetros de vias congestionadas. Na terça, nesse mesmo horário, o índice era de 261 quilômetros, recorde no ano.


Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/apesar-de-acordo-grupo-barra-saida-de-onibus-dasgaragens-na-zona-oeste

Oculus VR é processada por roubo de tecnologia de realidade virtual A Oculus VR, empresa comprada recentemente pelo Facebook e responsável pelo Oculus Rift, dispositivo de realidade virtual, tem um problema nas mãos. Ela sendo processada pela publisher de jogos ZeniMax, dona de estúdios como Bethesda (Fallout, Skyrim) e id Software (Doom, Quake), que alega ter tido suas patentes e marcas infringidas com o projeto. O processo foi registrado na quarta-feira, 21, depois de algumas semanas do envio de uma carta à Oculus VR, com cópia para o Facebook. A ação é direcionada à empresa e seu fundador Palmer Luckey. A acusação diz que o Rift “explora ilegalmente propriedade intelectual, incluindo código protegido por direitos autorais e conhecimento técnico relacionado a tecnologia de realidade virtual desenvolvida na ZeniMax depois de anos de pesquisa e investimento”. A Oculus, em contrapartida, diz que a acusação não tem nenhum fundamento e que a ZeniMax não contribuiu com nenhuma tecnologia da empresa. A grande questão é referente a John Carmack, um dos pioneiros da indústria de games, responsável por clássicos como Doom e Quake. Ele se uniu à Oculus VR como diretor de tecnologia, mas permaneceu com vínculos com a id Software, empresa que ajudou a fundar, por algum tempo. Depois de sua saída, a ZeniMax alega que Carmack usou código que lhe pertencia para criação do Rift. Ele nega, no entanto.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/42135/42135


NOTÍCIAS DIÁRIAS ED. 414