Page 1

São Paulo,10 de Dezembro de 2013-Terça-Feira

NOTÍCIAS DIÁRIAS Inflação do aluguel ganha força no início de dezembro, diz FGV No ano e em 12 meses, o indicador acumula alta de 5,22%. Preços no atacado, que entram no cálculo do IGP-M, subiram menos. O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), também conhecido como inflação do aluguel, porque é usado para reajustar a maioria dos contratos de locação de imóveis, variou 0,32% na primeira semana de dezembro, após subir 0,30% no mesmo período do mês anterior, segundo pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgada nesta terça-feira (10). No ano e em 12 meses, o indicador acumula alta de 5,22%. Usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação de preços no atacado, ficou em 0,26% na primeira prévia de dezembro, depois de variar 0,29% na mesma apuração de novembro. Na contramão, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que calcula os preços no atacado e também é usado no cálculo do IGP-M, teve alta de 0,47% depois de avançar 0,39% no mês anterior. Dos oito grupos de despesa que integram o índice, quatro mostraram avanço das taxas, com destaque para o grupo educação, leitura e recreação (de 0,17% para 0,93%). Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos vestuário (de 0,42% para 0,81%); despesas diversas (de 0,13% para 0,60%); e alimentação (de 0,55% para 0,61%). Faz parte do cálculo do IGP-M o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), cuja taxa de variação foi de 0,15% para 0,36%. Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/12/inflacao-do-aluguel-ganha-forca-no-iniciode-dezembro-diz-fgv.html


Bradesco planeja pagar R$ 1,4 bi extras em juros sobre capital próprio O conselho de administração do Bradesco vai deliberar no dia 23 de dezembro sobre o pagamento de R$ 1,421 bilhão aos acionistas em juros sobre capital próprio complementares, proposto na segunda-feira pela diretoria do Bradesco. De acordo com a proposta, será pago R$ 0,322567993 por ação ordinária e R$ 0,354824792 por ação preferencial aos acionistas que estiverem inscritos nos registros da companhia no dia da reunião do conselho. Segundo o comunicado do banco, o pagamento será feito no dia 7 de março do ano que vem pelo valor líquido de R$ 0,274182794 por ação ordinária e R$ 0,301601073 por ação preferencial, já deduzido o Imposto de Renda na Fonte de 15%, exceto para os acionistas pessoas jurídicas que estejam dispensados da referida tributação. Os juros complementares representam, aproximadamente, 17,1 vezes o valor dos juros pagos mensalmente. Fonte: http://www.valor.com.br/financas/3367540/bradesco-planeja-pagar-r-14-bi-extras-emjuros-sobre-capital-proprio

Linhas de ônibus do país todo vão a leilão Agência Nacional de Transportes Terrestres-- vai mudar toda a geografia do transporte rodoviário interestadual de passageiros no país. Foram colocadas em licitação todas as rotas atuais, com exceção de 25, cujas permissões ainda valem. Segundo o edital, já publicado, as interessadas devem apresentar suas propostas em 20 e 21 de janeiro de 2014. As linhas serão concedidas por 15 anos, e vence quem oferecer as menores tarifas, o que pode levar a uma mudança de preços das passagens após o leilão --o objetivo da ANTT é atingir a "modicidade tarifária". As linhas não serão licitadas individualmente. Para garantir que todo o país seja atendido, mesmo em regiões de menor movimento, elas foram agrupadas em blocos, dos quais fazem parte rotas mais e menos lucrativas (veja exemplos no quadro). CASO ANTIGO O caso das linhas interestaduais se arrasta desde a Constituição de 1988.


Embora o mercado de linhas de ônibus não seja um monopólio natural --em um mercado aberto, bastaria um veículo para começar a competir com empresas estabelecidas--, em 1988 ficou decidido que a exploração do serviço teria de ser precedida de licitação, pois esse setor seria de interesse público. Em 1993, um decreto presidencial deu às empresas estabelecidas uma permissão de 15 anos, para garantir a continuidade do serviço. Essa permissão venceu em 2008. Sob pressão do Ministério Público Federal, que pediu nova licitação em vez de simples renovação das permissões, a ANTT começou naquele ano pesquisas que desembocaram no atual edital. Há hoje 207 empresas operadoras de ônibus, mas o leilão terá no máximo 54 vencedoras, representando uma concentração do mercado. Para participar, interessados isolados ou líderes dos consórcios terão que apresentar fortes qualificações, como já ter determinada frota, garagens e experiência -os números variam de acordo com o bloco licitado. Tais exigências afastam aventureiros da licitação, mas tendem a excluir tanto empresas menores quanto novatos interessados em entrar no ramo, criando na prática uma reserva de mercado. GRANDES INSATISFEITAS Isso não significa que as grandes empresas do setor estejam felizes. O problema, segundo as empresas, é que o novo agrupamento de linhas não necessariamente reflete as operações atuais. Ou seja, o leilão deve trazer uma grande dança das cadeiras entre as operadoras. Uma grande empresa do setor ouvida pela Folha fez um estudo e concluiu que, na melhor das hipóteses, em função das combinações de linhas possíveis de serem arrematadas, manterá só 30% da sua atual malha. Empresas que tradicionalmente operam trechos próximos às suas sedes históricas podem deixar de fazê-lo e, em um curto período de tempo, mudar garagens, moradia de funcionários e rodoviárias. Questionada sobre a redistribuição dos blocos e a redução no número de operadoras, a ANTT não respondeu até a conclusão desta edição. Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/12/1383302-linhas-de-onibus-do-pais-todovao-a-leilao.shtml


Produção industrial cresce em 11 de 14 regiões pesquisadas, segundo IBGE A produção industrial registrou crescimento em 11 das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), segundo a pesquisa divulgada nesta terça-feira (10). No geral, o indicador apresentou alta de 0,6% em outubro. O destaque foi para o Ceará, onde a produção da indústria cresceu 3,8%, depois de ter caído 2,4% em setembro. Pernambuco passou de queda de 12,1% entre julho e setembro para alta de 2,9% entre setembro e outubro. Chamaram a atenção ainda o Pará, que passou de queda de 1,5% em setembro para alta de 2,6% em outubro, e São Paulo, que subiu 2,5% em outubro depois de ter caído 2,3% no mês anterior. Paraná (2,1%), Espírito Santo (1,9%), Minas Gerais (1,8%), Rio Grande do Sul (1,4%), Amazonas (0,9%), Santa Catarina (0,9%) e Goiás (0,6%) completaram o conjunto de locais com taxas positivas nesse mês. Por outro lado, Bahia (-6,2%), pressionado, sobretudo, pelas perdas verificadas nos setores de produtos químicos e de veículos automotores, Região Nordeste (-5,4%) e Rio de Janeiro (-1,5%) apontaram os resultados negativos em outubro. Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/12/10/producao-industrial-cresce-em11-de-14-regioes-pesquisadas-segundo-ibge.htm

Dois jornalistas espanhóis são sequestrados na Síria Militantes ligados à Al-Qaeda sequestraram em setembro um jornalista espanhol e um fotógrafo em uma cidade controlada pelos rebeldes no leste da Síria, informou o jornal El Mundo nesta terça-feira. O repórter Javier Espinosa e o fotógrafo Ricardo García foram levados pelo grupo rebelde Estado Islâmico do Iraque e do Levante em 16 de setembro em um ponto de verificação de Raqqa, que foi tomada pelos rebeldes islâmicos em março, segundo o jornal. Espinosa, um repórter do El Mundo, e García, um fotógrafo freelance, encontravam-se a poucos quilômetros da fronteira com a Turquia e tentavam deixar a Síria quando foram sequestrados. O incidente não havia sido relatado até agora por causa das negociações com os rebeldes, disse o jornal. Os sequestradores não disseram o que queriam em troca dos homens e o El Mundo não informou porque decidiu divulgar os sequestros nesse momento.


Ambos os homens são jornalistas veteranos que cobriam o conflito na Síria desde o início e viajaram para a região cerca de 10 vezes. Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/dois-jornalistas-espanhois-saosequestrados-na-siria,ae18451db0cd2410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Lançado o verdadeiro 'Lulu para homens' Ainda não acabou a polêmica em torno do Lulu. O Tubby podia até ser blefe, mas agora existe um aplicativo rival de verdade, o Clube do Bolinha. Criado pela Online Clothes Company, o serviço já está disponível na Google Play e aguarda aprovação da Apple para entrar na App Store. O funcionamento é o mesmo do Lulu: um sistema em que "eles" podem avaliar "elas"; no final, surge uma nota. As mulheres também podem acessar o serviço, mas só para saber o que os homens estão dizendo. Entre as hashtags positivas há algumas como #RainhaDaPista, #TopCapaDeRevista, mas, entre as negativas, algo como #Bigodinho e #VidaLoka. Embora o logo do aplicativo possa dar a impressão de que o Clube do Bolinha segue os mesmos caminhos propostos pelo falso Tubby, o CEO da Online Clothes, Murilo Vianello, afirmou em nota que sua intenção não é vingar os homens chateados com o Lulu, mas proporcionar experiência semelhante à que as mulheres têm com o outro app. "É importante frisar que não é nossa intenção denegrir a imagem do publico feminino, não queremos vingança, muito pelo contrário, queremos que os homens avaliem as mulheres de uma maneira positiva, e que elas encarem e usem isso de uma maneira positiva também, assim no final servirá de experiência seja ela boa ou ruim para os dois", diz. Segundo Vianello, mais 1 mil pessoas baixaram o aplicativo nos primeiros dias, mas a maioria dos que deram opinião sobre ele na Google Play se diz insatisfeita. Muitos afirmam que o produto tem defeitos. Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/39276/39276

NOTÍCIAS DIÁRIAS ED. 338  

NOTÍCIAS DIÁRIAS ED. 338