Issuu on Google+

voluntariado empresarial

polĂ­tica corporativa


objetivos • Estimular a participação cidadã dos profissionais da Alpargatas em ações de Voluntariado empresarial, por meio do Programa de Voluntariado Corporativo – Funcionário Cidadão do Instituto Alpargatas; • Contribuir para o desenvolvimento comunitário dos municípios onde há Alpargatas; • Orientar e apoiar a Alpargatas na estruturação de seu programa de voluntariado.

abrangência Todos os profissionais da Alpargatas, locados em todas as unidades e países onde a Empresa atua.


definições 3.1 Serviço voluntário: A lei nº 9.608/98 define serviço voluntário como a atividade não remunerada, prestada por pessoa física à entidade pública de qualquer natureza ou à instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive, mutualidade. 3.2 Voluntariado empresarial: É qualquer forma de apoio formal e organizado de uma empresa a profissionais, familiares e amigos que desejam servir voluntariamente, com seu tempo e habilidades, a uma comunidade. 3.3 Programa de Voluntariado Corporativo – Funcionário Cidadão: Os objetivos do Programa são valorizar, reconhecer e apoiar o serviço voluntário dos profissionais da Alpargatas, criando oportunidades, prioritariamente alinhadas aos programas desenvolvidos pelo Instituto Alpargatas, de modo a contribuir para o desenvolvimento comunitário dos municípios envolvidos. O programa também prevê a participação de familiares dos profissionais. 3.4 GAV (Grupo de Ação Voluntária): Os GAVs são formados por profissionais voluntários interessados em atuar mais diretamente na implementação das ações sociais. Esses grupos desenvolvem e articulam as atividades, prioritariamente alinhadas aos projetos e às ações em andamento na comunidade, inseridas nos programas criados e operacionalizados pelo IA. Esses programas são formados por empregados da Alpargatas, seus familiares e pessoas da comunidade. 3.5 Termo de Adesão do voluntário: Previsto na lei do voluntariado (lei nº 9608/98) é um documento que deve ser utilizado pelos profissionais interessados em participar do Programa de Voluntariado Corporativo – Funcionário Cidadão, especialmente quando se trata de ações contínuas.


descrição da política A atuação voluntária dos profissionais da Alpargatas deve respeitar as seguintes orientações: 4.1 O profissional e os seus familiares interessados em participar no Programa de Voluntariado Corporativo – Funcionário Cidadão deverão assinar o Termo de Adesão, de acordo com a lei nº 9.608/98, declarando estar ciente das suas responsabilidades e de seus deveres. 4.2 O voluntário poderá utilizar, eventualmente, os recursos da empresa para realizar as ações voluntárias, sempre de acordo com os procedimentos internos do Instituto Alpargatas. 4.3 À ação voluntária recomenda-se respeitar e observar os mesmos valores que norteiam as atividades da Alpargatas: • Comprometimento; • Respeito às pessoas; • Empreendedorismo; • Satisfação dos consumidores; • Ética. 4.4 As atividades para capacitar e preparar a ação voluntária poderão ser realizadas durante o horário de trabalho, desde que autorizadas pelo superior imediato. 4.5 Algumas ações voluntárias poderão ocorrer, eventualmente, durante o horário de trabalho, desde que autorizadas pelo superior imediato e não interfiram no cumprimento das atividades profissionais do voluntário. 4.6 A Alpargatas estimula a participação de profissionais, terceiros e fornecedores nas práticas de voluntariado.


responsabilidades 5.1 Responsáveis pelas áreas de Recursos Humanos das Unidades de Negócio: Estimular, orientar e contribuir para que os profissionais atuem de forma voluntária no desenvolvimento das comunidades onde a Unidade de Negócio está presente, devendo fomentar a cidadania como um facilitador das ações voluntárias entre os profissionais. 5.2 Instituto Alpargatas: 5.2.1 Prover as metodologias e os modelos, bem como estabelecer parcerias para estimular, orientar e contribuir, de modo que os profissionais da Alpargatas atuem de forma voluntária no desenvolvimento comunitário, preferencialmente por meio do Programa de Voluntariado Corporativo – Funcionário Cidadão, em sintonia com as ações das Unidades. 5.2.2 Fornecer apoio e capacitação para que o GAV (Grupo de Ação Voluntária) possa difundir e organizar ações voluntárias entre os profissionais das unidades Alpargatas. 5.2.3 Promover o fortalecimento do vínculo da Alpargatas com a comunidade, incentivando e apoiando as ações voluntárias dos profissionais da Empresa, capacitando e orientando os GAVs. É responsável por entregar o Termo de Adesão ao voluntário para preenchimento, coletar as assinaturas dos integrantes do GAV e entregá-los para a área de Recursos Humanos. 5.2.4 Criar formas de valorização e reconhecimento do trabalho voluntário. 5.2.5 Registrar as ações voluntárias.


5.3 GAV (Grupo de Ação voluntária): Realizar ações planejadas de voluntariado preferencialmente contínuas e, sempre que possível, alinhadas aos programas estruturantes do IA. É de responsabilidade do profissional integrante do GAV definir as ações voluntárias, cuidar da assiduidade e pontualidade, comunicar suas ausências, participar das reuniões e capacitações, compartilhar experiências e atuar em harmonia com seu grupo. 5.4 Área de Recursos Humanos: 5.4.1 Controlar e arquivar o Termo de Adesão. 5.4.2 Incentivar e apoiar as ações de voluntariado individuais e coletivas. 5.4.3 Acompanhar e participar das ações em suas comunidades.

confidencialidade As informações relativas à política de Voluntariado Empresarial são propriedades exclusivas da Alpargatas e do Instituto Alpargatas e devem ser utilizadas somente pelos profissionais integrantes dos GAVs das Unidades do Grupo, com o objetivo de nortear as ações voluntárias.

soluções de conflitos Quaisquer situações decorrentes das informações contidas nesta Política de Voluntariado Empresarial ou em outra derivada desta, que possam gerar conflitos internos ou externos à Alpargatas, deverão ser imediatamente notificadas ao RH da unidade e à liderança do GAV. Esses, por sua vez, devem notificar o Instituto Alpargatas para que as ações corretivas necessárias sejam tomadas.


lei do voluntariado (lei nº 9.608 de 18 de fevereiro de 1998) Dispõe sobre o serviço voluntário e dá outras providências. o presidente da república Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Art. 1º – Considera-se serviço voluntário, para fins desta Lei, a atividade não remunerada, prestada por pessoa física à entidade pública ou de qualquer natureza ou instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade. Parágrafo único: o serviço voluntário não gera vínculo empregatício, nem obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim. Art. 2° – O serviço voluntário será exercido mediante a celebração do termo de adesão entre a entidade, pública ou privada, e o prestador do serviço voluntário, dele devendo constar o objeto e as condições do seu serviço. Art. 3° – O prestador do serviço voluntário poderá ser ressarcido pelas despesas que comprovadamente realizar no desempenho das atividades voluntárias. Parágrafo único: as despesas a serem ressarcidas deverão estar expressamente autorizadas pela entidade a que for prestado o serviço voluntário. Art. 4° – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. Art. 5° – Revogam-se as disposições em contrário.


Política Corporativa de

Voluntariado Empresarial Esta política norteia a participação cidadã dos profissionais do Grupo em ações de voluntariado empresarial por meio do Programa de Voluntariado Corporativo - Funcionário Cidadão do Instituto Alpargatas.

funcionário

cidadão



Voluntariado empresarial Alpargatas