Page 1

Lounge e sombra da casa: Paisagem tipicamente mineira


Salão do espaço: Um espaço projeto para servir de ponto de encontros

A

os que chegam à casa de número 20 da Rua Francisco Batista de Oliveira, no bairro Aeroporto, o primeiro encantamento advém da belíssima paisagem: belas e verdes montanhas, tipicamente mineiras repousadas sob o cristalino céu, que quase se pode tocar. Num segundo momento o amplo espaço também chama atenção. No interior lounge, bar, cozinha e banheiros indicam a estrutura necessária para eventos dos mais diversos. No exterior da casa, um interessante jardim. Ainda, uma loja com diferentes artigos, exclusivos, assinados por artistas renomados e iniciantes, inéditos na cidade. Causa curiosidade sobre a mentora de tal iniciativa. Porém, aos que já a conhecem, não é grande novidade o projeto ousado, visto se tratar de uma profissional que se baseou na criatividade e na inventividade para se firmar no cenário publicitário e editorial de São Paulo. Inegável, as influências uma grande metrópole, já que espaços multiuso tem se tornado muito frequentes no Rio de Janeiro e na capital paulista. Indiscutível, também, a evidente paixão pela terra mineira, vide o afastamento do centro comercial de Juiz de Fora e a escolha pela maravilhosa vista dos arredores do Estádio Municipal. Nascida em Ubá, em 1958, Patida Mauad mudou-se aos 7 anos para Juiz de Fora, e 14 anos depois transferiu-se para o Rio de Janeiro. Com formação em Artes, envolveu num curso da casa Sol, no Jardim Botânico, e, descoberta pela artista Maria Teresa Vieira especializou-se na área. “Eu posava para ela e ela me pagava em aulas”, relembra. A partir daí, a carreira começou a se desenvolver. Deu aulas de artes e logo resolveu abrir, em sociedade com uma amiga, uma confecção: O Atelier de Criação MAPA, que funcionava em sua casa.


Em 1983, mudou-se para São Paulo e entrou de vez no mundo da moda. No famoso bairro Jardins, já com outra sócia, abriu a camisaria Marfine, que vendia peças pintadas a mão e tinha representantes no Rio de Janeiro e no Sul do Brasil. Assim, começou a se tornar conhecida nos meios editoriais especializados em moda. Fechou a loja e se empregou na revista Top Model, publicação de marca internacional, na qual exercia a função de coordenadora de moda. Em seguida, como produtora, a revista Carícia lhe projetou ainda mais, fazendo-a conhecer famosas modelos e pessoas influentes no universo editorial paulistano. Na publicação produziu o concurso Garota Carícia. Das revistas publicadas pela Editora Abril a qual integrava desde a Editora Azul, antigo nome , só não trabalhou para a Claúdia e para a Nova, recorda Patida, que também soma passagens pela Editora Globo e Editora Peixes. Já na década de 90, trabalhou durante os cinco primeiros anos do revolucionário canal MTV, no qual fez a produção da primeira Casa da Praia, iniciativa inédita na televisão. “Fui escolhida pela minha personalidade, eu não tinha muita relação com o universo da televisão”, conta, revelando que a descontração e a tendência pelo mais moderno não características recentes. De cada experiência, Patida extraiu o que hoje a permite dizer que é “design de ideias”, visto a habilidade para os mais diferentes trabalhos. A volta à terra aconteceu em 2007, quando já havia entrado no ramo de eventos, promovendo cerimoniais, cenografia ou mesmo produção. “Eu estava no meu limite em São Paulo”, lembra, contando ter ficado em dúvida entre o Rio, a Bahia e Juiz de Fora na hora de escolher a nova casa. Em 2008 começou a construção de uma casa, que de acordo com ela, apareceralhe em sonho. Inicialmente, entusiasmou-se com a ideia de reproduzir sua casa paulistana, sempre cheia e movimentada. “Sempre fui de misturar tribos. Sempre estive em várias tribos”. Assim, reconhecendo os vazios da nova cidade, e remontando, à seu modo a experiência na cidade grande, Patida construiu o que espera servir como ponto de encontro, como meio de circular tendências, sejam elas da moda, da gastronomia, das artes plásticas, da música, e por aí vai. O nome surgiu em alusão ao site, forma prática e abrangente de manter e apresentar seu portfólio. Mas, também, traz o traço jovial, antenado dessa profissional que se firmou na selva de pedra. Uma profissional que aprendeu e hoje deseja dividir, seja em cursos ministrados por ela, ou por amigos -, festas, ou até mesmo locando o espaço. Do gosto às recepções, da crença na cultura em suas diferentes manifestações, do desejo em ver bons espaços em Juiz de Fora, e, principalmente, na certeza de que existe público para sua ousadia, Patida criou o espaço. “Onde eu passava eu transformava. Eu sempre fui vanguardista”. Patida Mauad: “Sempre estie em várias tribos”


Material de divulgação Patida.com Rua Francisco Batista de Oliveira, 20 Aeroporto | Juiz de Fora | MG (32) 9953.8857 Responsável: Mauro Morais

Loja do Patida.com: Arte, moda e muito mais

Material de divulgação Patida.com  

Natural e sofisticado: Patida.com apresenta novo conceito em espaço multiuso. Saiba mais sobre a iniciativa pioneira e sua mentora.