Page 1

Não jogue na rua, recicle!

www.jornalcentrocivico.com.br

www.facebook.com/CentroCivico

Centro Cívico Jornal

desde

2002 Junho/18

ed.161

Mais que um jornal de bairro

Centro Cívico • Juvevê • Hugo Lange • Bom Retiro • São Francisco

Paraná é o 3.° Estado que Pág. 3

mais gerou empregos no país

Em Curitiba, 71% da população está com excesso de peso ou obesa Pág. 5

Cida é homenageada como uma das grandes porta-vozes do Paraná Pág.7 Além da governadora, também receberam a homenagem diversas personalidades do Paraná. Também foi laureado, in memoriam, o professor Belmiro Valverde Jobim Castor, morto em 2014.

Culinária italiana: história e sabores Pág.9 Prefeito abre Festa do Pinhão e lança rotas de turismo de inverno O prefeito percorreu as barracas da festa, conversou com os empreendedores participantes e degustou alguns pratos. Foi o caso do escondidinho de pinhão com batata salsa e carne seca e do pinhão com bacon, acompanhados de alguns goles de cerveja de pinhão. Pág.7

Com o passar dos séculos, a história e a culinária italiana evoluíram juntos. Foram os italianos que inventaram o sorvete, a pizza e o café com leite.

No frio, o consumo do carro aumenta? Alguns testes mostram que em dias muito frios um carro movido à gasolina perde em aproveitamento entre 12% e 22%. Pág.10


FUP entra na Justiça contra venda de quatro refinarias da

Petrobras Federação dos Petroleiros diz que decisão não respeita trabalhadores

D

e acordo com a FUP, os pacotes de venda representam juntos quase 40% de toda a capacidade de refino do Brasil. Destes, a companhia pretende vender 60% de sua participação acionária em cada uma. A ação ajuizada pelos petroleiros no Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ) questiona os impactos sociais e trabalhistas da privatização, alegando que os direitos dos trabalhadores deveriam ser preservados. Segundo a FUP “a venda das refinarias, além de não se traduzir em qualquer espécie de investimento para a sociedade, deixa dúvi-das sobre a geração de renda e empregos nas regiões atingidas".Ainda de acordo com a federação, "a alienação das refinarias, avaliada sob a ótica de sua expressividade, representará, portanto, prejuízos à União e, consequentemente, à sociedade como um todo”. No processo, a federação dos petroleiros pede a suspensão de qualquer transferência acionária, pela

w

Demora para efeito chegar no consumidor t

A

taxa de juros está em seu menor nível histórico, mas o custo do crédito para o tomador final (empresas e pessoas físicas) continua alto, segundo análise da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O professor Joelson Sampaio, da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (EESP-FGV) explica porque a demora acontece.

Banco Central mantém juros básicos da economia em 6,5% ao ano

“É o efeito de transição, ou seja, quando o governo muda, até chegar na ponta, no geral leva de quatro a seis meses, porque já tem operações correntes, ou seja, o impacto é bem gradativo”.

Ele explica que, embora o custo do consumidor na ponta não tenha reduzido depois de 2017, a redução já ocorrida é sinal de melhora. “O custo do consumidor não reduziu na mesma magnitude, mas tem apresentado uma redução, então este sinal é positivo, de melhora”, opina.•

Jornal

Centro Cívico

t

t

Economia

2 jornalcentrocivico.com.br

Petrobras, das refinarias e dos seus sistemas integrados (dutos e terminais), assim como cobra a apresentação do estudo técnico dos impactos socioeconômico e trabalhista sobre os empregados. “É urgente, portanto, um estudo sobre os impactos da transferência acionária das refinarias nos contratos de trabalho, analisando criteriosa e tecnicamente as formas de proteção ao emprego dos seus trabalhadores”. A FUP escreveu na ação que “as refinarias não são meros ativos em abstrato, mas são formadas de trabalhadoras e trabalhadores titulares do direito ao trabalho e à busca do pleno emprego”. A Petrobras foi procurada mas não respondeu à reportagem até o fechamento da edição.•

FOTO:Washington Alves

Refinaria Gabriel Passos (Regap) - Fica localizada na divisa dos municípios de Betim e Ibirité(MG)


Centro Cívico

t

Jornal

jornalcentrocivico.com.br

Cotidiano

Defesa Social e polícia combatem o furto de peças de semáforos

Paraná é o 3.° Estado que

mais gerou empregos no paísw

A Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito está desenvolvendo um trabalho conjunto com a Polícia Civil para identificar e prender os responsáveis por furtos de equipamentos dos semáforos na cidade.

A

Entre janeiro e maio de 2018 foram 38.699 vagas criadas por todo o Estado, um crescimento de 38% em relação ao mesmo período de 2017. Curitiba é a capital que ocupa o 4° lugar no ranking nacional de geração de empregos.

O

Paraná assumiu o terceiro lugar no ranking nacional de geração de empregos, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados no último dia 20 pelo Ministério do Trabalho. Entre janeiro e maio deste ano, foram criadas 38.699 vagas no Estado, o que coloca o Paraná atrás somente de São Paulo e Minas Gerais. O desempenho do mês de maio fez o Estado subir de quinto para terceiro lugar. Em comparação com o mesmo período de 2017, o Paraná apresentou um aumento de 38%. Este foi o melhor resultado dos últimos quatro anos. No mês de maio o Paraná foi o nono estado brasileiro e o primeiro da Região Sul que mais criou vagas de emprego. O saldo no mês passado foi de 1.798 postos com carteira assinada no Estado, um saldo positivo em comparação aos vizinhos Santa Catarina (-4484) e Rio Grande do sul (-10727)

que tiveram saldos negativos e ocupam os 26° e 27° lugares, respectivamente. “Os dados demonstram que o Paraná continua com uma geração de empregos positiva. Apesar da queda específica do mês de maio, estamos acima da média nacional e em crescimento contínuo. Isso demonstra a política de investimentos por parte do governo do Paraná na geração de empregos”, disse o secretário especial do Trabalho e Relações com a Comunidade, Paulo Rossi. Segundo ele, a Indústria da Transformação teve uma retração, mas por outro lado o setor de serviços continua em expansão. “A expectativa é crescer ainda mais em 2018”, afirmou. Setores O setor que mais contratou em maio foi o de Serviços, com 3.010 postos de trabalho. Na sequência estão os setores de Construção Civil, Agropecuária e Extrativa Mineral. Den-

tre as atividades, pode-se destacar a construção de edifícios que apresenta uma recuperação. Somente em maio essa atividade registrou saldo de (502) novas contratações. Os setores que mantêm o destaque no Estado, no acumulado do ano, são os de Serviços e o da Indústria de Transformação. Somente estes dois setores são responsáveis por quase 90% da geração de empregos no Paraná. A atividade que mais contratou no Paraná foi a Indústria Sucroalcooleira – que admitiu 4.280 pessoas e teve um saldo positivo de 1.877. Municípios Dentre os municípios que mais contrataram no mês passado o destaque vai para a capital paranaense. Curitiba teve um saldo positivo de 954 postos de trabalho e ficou como a primeira cidade do Paraná e a quarta cidade que mais gerou postos de trabalho no Brasil. Em segundo e terceiro lugares, no ranking paranaense, fica-

3

ram as cidades de Foz do Iguaçu, com 404 novos postos; e Ponta Grossa, com 288. Na Capital, o setor que apresenta destaque (no acumulado do ano) é o de Serviços. Nesse segmento, Curitiba é a cidade no país que mais contrata para atividade de Serviços Combinados de Escritório e Apoio Administrativo. Esta atividade teve um saldo 1.162, à frente inclusive de São Paulo que ocupa a segunda colocação com 554 postos, ou seja, menos da metade dos postos formais de traba-lho criados. Segundo Alexandre Chaves, economista do Observatório do Trabalho, é importante reconhecer o resultado expressivo que Curitiba teve no ranking nacional, pois ele reflete um bom desempenho na geração de emprego no Estado. “Com um saldo positivo de 8.726 novos postos de trabalho, Curitiba ficou atrás apenas das grandes cidades como São Paulo, Belo Horizonte e Brasília”, disse.•

Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito está desenvolvendo um trabalho conjunto com a Polícia Civil para identificar e prender os responsáveis por furtos de equipamentos dos semáforos na cidade. Desde o início do ano, 123 cruzamentos de Curitiba ficaram com os semáforos apagados ou em alerta em decorrência destes furtos - 36 somente neste mês de junho. “Nosso efetivo tem feito rondas, principalmente à noite, para inibir essa conduta criminosa", conta o secretário da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel. "Além disso, solicitamos apoio da polícia na busca pelos receptadores, que recebem o material furtado." A Superintendência de Trânsito (Setran) já providenciou a reposição dos equipamentos em furtos ocorridos anteriormente e, agora, fará uma contratação emergencial para a compra de novos. “Ao perceber uma movimentação suspeita nos cruzamentos, é muito importante que o cidadão ligue para o telefone 153, da Guarda Municipal, ou para o 190, da Polícia Militar", pede Rangel. "Dessa forma, podemos acionar a viatura mais próxima para ir até o local e também obter informações sobre as características dos suspeitos.” explica. A mesma orientação vale para quem tiver informações sobre a venda ou repasse desses materiais. O prejuízo passa de R$ 1,5 milhão, entre as perdas com controladores, fios, cabos e mão de obra para reinstalação dos equipamentos. Cada controlador custa, em média. R$ 25 mil. “Além do prejuízo monetário, cada vez que um semáforo fica sem funcionar o risco de acidentes graves aumenta”, ressalta a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.•


Seu Bairro

t

4

redacao@jornalcentrocivico.com.br

Jornal

Centro Cívico

Rosto da Cidade

Rosto da Cidade é em maior escala, será feita a licitação para a compra do material e do serviço de mão-de-obra.

w

Imóveis públicos Os imóveis públicos do município:

Recuperar paisagem urbana com despiche e restauro de imóveis

Casa Hofmann Casa Romário Martins Casa da Memória Memorial de Curitiba Arcadas de São Francisco Palacete Wolf Casa do Artesanato Conservatório de MPB Cinemateca Novelas Curitibanas Cemitério Municipal Solar do Barão

REDAÇÃO

R

esgatar o Centro da cidade como área para moradia, turismo e lazer e o fortalecimento do comércio e de serviços, é uma das metas do projeto Rosto da Cidade, da Prefeitura de Curitiba. Idealizado pelo prefeito Rafael Greca e desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), o projeto busca a recuperação de imóveis em uma área de 2 km² onde se pretende agregar valor e a preservar o patrimônio edificado. “O Rosto da Cidade dá início a um processo de despiche, de recuperação urbana e de reativação de bons usos das antigas casas”, afirma o prefeito. A área foco do projeto integra um polígono de quadras compreendido entre as ruas XV de Novembro, Mariano Torres, Conselheiro Araújo, Luiz Leão, João Gualberto, Inácio Lustosa, Benvindo Valente, Paulo Graeser Sobrinho, Emílio de Menezes, Visconde de Nácar e as vias

transversais. “É uma região onde há prédios intei-ros, de qualidade, completamente desocupados sendo transformados em mocós. Nossa ideia é que o rosto de Curitiba faça jus ao grande nome da cidade”, reforça Greca. Intervenções O projeto envolve uma série de intervenções que vão desde a prospecção de propriedades e o estudo de incentivos para a sua recuperação e utilização para o benefício da cidade. No espaço urbano definido para a execução o Rosto da Cidade prevê quatro etapas com a recuperação de uma área

aproximada de 230 mil metros quadrados. O investimento estimado é de R$ 4,8 milhões na recuperação que envolve o custo do material, execução da pintura e reparos nas edificações. A primeira delas é o Setor Histórico, desde a Rua São Francisco até a Telepar no encontro com a Manoel Ribas, com investimento de R$ 1,7 milhão para a recuperação de 83 mil metros quadrados. O segundo trecho envolve as Praças Tiradentes e Generoso Marques, uma área de 51 mil metros quadrados, com investimento estimado de R$ 980 mil. A terceira parte das intervenções se dará no eixo das ruas

Feiras noturnas em nosso bairro

Barão do Rio Branco e Riachuelo, desde a Praça Eufrásio Correia até a 19 de Dezembro, numa área de 75 mil metros quadrados na qual deverão ser investidos R$ 1,7 milhão na recuperação. Na quarta etapa entrará a Trajano Reis desde o Setor Histórico até a Praça do Gaúcho, uma área de 19 mil metros quadrasos, na qual precisará ser investidos R$ 495 mil . “O objetivo é que não percamos o São Francisco e os bairros do centro tradicional que são o rosto de Curitiba”, ressaltou Greca. Ações de despiche No âmbito da Secretaria Municipal do Meio

S

ão realizadas quatro feiras semanais de 3ª a 5ª feira no horário das 17 às 22 horas. Nas Feiras Noturnas, além dos produtos das Feiras Livres, o consumidor encontra também comidas típicas regionais e internacionais, tais como: comidas baianas, mineira, japonesas, francesas, polonesas, ucraniana, belga, italiana, portuguesa, chilena e outras. Prestigie às feiras

w

Ambiente o verniz antipichação já foi aplicado na recuperação de área da Praça Afonso Botelho, no Monumento à Nossa Senhora da Luz dos Pinhais e no Parque Tanguá. Na Praça 19 de Dezembro foi feita ação semelhante a partir de uma parceria do município com a Associação Comercial do Paraná (ACP). A aquisição do material para as intervenções da Prefeitura seguiu o procedimento legal de registro de preços por pregão eletrônico, tendo sido comprados conforme a necessidade da utilização e pelo menor preço. Como o Projeto proxima Cívico:

do

Centro

serão os primeiros a ser recuperados como parte do Rosto da Cidade. A Fundação Cultural de Curitiba (FCC) publicará edital de licitação para a compra de material e a contratação de mão-deobra. Para os demais prédios e casas, o projeto prevê uma parceria do poder público municipal com os donos dos imóveis e a iniciativa privada, com parcerias para o fornecimento de tintas, a exemplo de outros programas já realizados com sucesso, como o Cores da Cidade, feito na gestão anterior do prefeito Rafael Greca. Também fazem parte das ações da Prefeitura, nesse contexto, a execução de planos de iluminação pública, segurança, mobilidade e acessibilidade.• 17:00 às 22:00

Juvevê AV. ANITA GARIBALDI, S/N - Entre a R. Campo Sales e a Av. João Gualberto. Todas as terças, das 17:00 às 22:00

Hugo Lange R. PRES. RODRIGO OTÁVIO, S/N - Entre a R. Augusto Stresser e a R. Dep. Carneiro Campos. Todas as quartas das 17:00 às 22:00

Alto da Glória R. IVO LEÃO, S/N Entre a R. Dr. Zamenhof e a R. Nicolau Maeder, ao lado do Cemitério Protestante. Todas as quartas das

São Francisco R. KELLERS, S/N Entre a Al. Dr. Muricy e a R. do Rosário, ao lado da Pç. Garibaldi. Todas as quintas, das 17:00 às 22h00•


t

jornalcentrocivico.com.br

Jornal

Centro Cívico

obesa

práticas mais saudáveis. O consumo regular de frutas e hortaliças cresceu 4,8% (de 2008 a 2017), a prática de atividade física no tempo livre aumentou 24,1% (de 2009 a 2017) e o consumo de refrigerantes e bebidas açucaradas caiu 52,8% (de 2007 a 2017). “Mesmo com esta tendência a estabilidade e com o crescimento de pessoas que praticam

atividade física e que estão consumindo alimentos mais saudáveis, não podemos deixar de continuar vigilantes. A obesidade e o sobrepeso são portas de entrada para doenças crônicas, como hiper-tensão e diabetes, que prejudicam a saúde da população e que poderiam ser evitadas”, alerta a diretora do Ministério da Saúde, Fátima Marinho. O Vigitel é uma pesquisa telefônica realizada com maiores de 18 anos, nas 26 capitais e no Distrito Federal, sobre diversos assuntos relacionados à saúde. Para avaliar a obesidade e o excesso de peso, a consulta leva em consideração o Índice de Massa Corporal (IMC), que deve estar abaixo de 25 pontos. Ele pode ser calculado pelo peso do indivíduo em quilogramas dividido pelo quadrado de sua altura em metros (kg/ m²).•

Paraná participa de pesquisas para avaliar o transporte escolar no Brasil t

Em Curitiba, 71% da população está com excesso de peso ou t

A

população da capital do Paraná está majoritariamente acima do peso. O alerta vem da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2017 realizada pelo Ministério da Saúde. Em Curitiba, 52,8% dos habitantes estão com excesso de peso e 18,1% obesos. A situação não é diferente das demais capitais brasileiras, onde mais da metade da população está com excesso de peso (54%). Apesar dos números preocupantes, que apontam que quase 1 em cada 5 (18,9%) brasileiros das capitais são obesos, a pesquisa também revela mudanças de hábitos. Após anos de crescimento, a prevalência de obesidade e excesso de peso começou a se estagnar e os brasileiros já demonstram

5

Gestores do transporte público escolar, conselheiros do Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb e diretores e coordenadores de escolas que recebem estudantes residentes em área rural do Paraná têm até 15 de agosto para participar de uma pesquisa de avaliação dos Programas Caminho da Escola e Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE). As pesquisas do PNATE e do Caminho da Escola pretendem mapear os desafios a serem superados e, com isso, melhorar o acesso à escola de mais de 4,6 milhões de estudantes que residem ou estudam nas áreas rurais do País.•


Divirta-se

t

6

jornalcentrocivico.com.br

8 O

grupo Nenhum de Nós vem a Curitiba no dia 14 de julho (sábado) com o turnê Doble Chapa para uma única apresentação. Doble Chapa é uma expressão que define as pessoas que vivem na fronteira próxima ao Uruguai. Motivo de documentários, ensaios literários e canções, inspirou o grupo gaúcho no momento de batizar o EP. “Fronteiras podem

ser legais na medida que abrigam iniciativas culturais marcadas por peculiaridades. Misturar estas particularidades para gerar algo novo é o tom deste novo trabalho”, revela o guitarrista Carlos Stein. “Com Doble Chapa reforçamos nossa identidade latino americana” complementa Thedy Corrêa. E prossegue: “somos apaixonados pelo nos-

so continente e temos especial orgulho de nossa condição de sulistas e gáuchos (com o acento castelhano). Nossa cultura é o resultado desta mistura que não conhece fronteiras e que faz com que haja sintonia mesmo falando línguas diferentes”. O quinteto sobe ao palco do Teatro Positivo a partir das 21h15. Os ingressos estão à venda pelo site Disk Ingressos.•

Roger Waters Us + Them

R

oger Waters retorna à América do Sul em 2018 com uma nova turnê, Roger Waters – Us + Them, que combina clássicos do Pink Floyd e novas canções de seu trabalho solo. A turnê Roger Waters – Us + Them marca o retorno do artista para o Brasil desde 2012, quando esteve no país com a turnê The Wall Live (2010-2013), que foi vista por mais de 4 milhões de fãs ao redor do mundo, em 219 shows. E até hoje é a maior turnê de um artista solo na história. No país, Roger irá fazer oito apresentações em 2018. O show em Curitiba acontece dia 27 de outubro de 2018 (sábado) no Estádio Couto Pereira (Rua Ubaldino do Amaral, 37), às 21h00.•

Jornal

Centro Cívico


t

jornalcentrocivico.com.br

Jornal

Centro Cívico

7

Prefeito abre Festa do Pinhão e lança rotas de turismo de inverno A

Festa Sabores do Pinhão acontece na grande tenda armada na rua General Carneiro, ao lado do Mercado Municipal, até 8 de julho. Na feira, O prefeito Rafael Greca lançou a estratégia de turismo de inverno "Rotas do Pinhão" para estimular o uso do fruto no preparo de pratos da culinária das diferentes etnias que formam o perfil da população curitibana. “É com muita alegria que lanço nesse evento, que tem o gosto de Curitiba, a ideia do turismo de inverno Rotas do Pinhão. A partir de Curitiba, vamos ter pinhão no restaurante alemão, italiano, japonês, no meio do sushi e da polenta, pra ficar forte e ter a energia de vem da árvore mais linda da terra”, disse Greca. O prefeito percorreu as barracas da festa, conversou com os empreendedores

participantes e degustou alguns pratos. Foi o caso do escondidinho de pinhão com batata salsa e carne seca e do pinhão com bacon, acompanhados de alguns goles de cerveja de pinhão. O pediatra maringaense Renato Fernando Cazanti aproveitou a folga do estágio que veio fazer em Curitiba para passear na Festa Sabores do Pinhão e conhecer o tortei de abóbora com pinhão. “Gosto de conhecer comidas diferentes e esse prato chamou a minha atenção”, disse o médico. Com sabor de pinhão: Assim como essa massa, os visitantes também podem saborear linguiça de pinhão, farofa de pinhão, sopa de pinhão com carne seca e os doces húngaros kurtos kalacs - cones de massa envolvidos em açúcar caramelizado onde são

Cida é homenageada como uma das grandes porta-vozes do Paraná

A

governadora Cida Borghetti foi uma das 13 personalidades paranaenses homenageadas pelo jornalista e professor Aroldo Murá Haygert como uma das “Grandes Porta-Vozes do Paraná”. A homenagem foi entregue durante o lançamento da décima edição do livro de perfis Vozes do Paraná, que aconteceu no Palácio Garibaldi, em Curitiba. O diploma “Grandes Porta-Vozes do Paraná” reconhece a contribuição de 13 personalidades retratadas ao longo dos dez anos da coleção publicada por Murá. “É uma honra muito grande, fiquei bastante emocionada com as palavras do mestre Aroldo Murá, que hoje reúne personalidades de diversas áreas, que contribuem com o desenvolvimento do Paraná. Quero agradecer ao professor Aroldo Murá pela distinção que faz ao nosso nome”, afirmou a governadora. Além da governadora, também receberam a homenagem os ex-

governadores Jaime Lerner, Orlando Pessuti e João Elísio Ferraz de Campos; os juristas René Ariel Dotti e Clèmerson Merlin Clève; o ex-ministro Euclides Scalco; o advogado Luiz Fernando de Queiroz e sua esposa, Ellin Queiroz; o médico e professor Cicero de Andrade Urban; o radialista e deputado Luiz Carlos Martins; o professor e empresário Wilson Picler; e o jornalista Fábio Campana. Também foi homenageado, in memoriam, o professor Belmiro Valverde Jobim Castor, morto em 2014. Ao longo das dez edições da coleção, 240 personagens foram retratados por Murá no Vozes do Paraná. “Ao completar dez anos, decidi que alguns personagens mereciam entrar em uma nova coleção. A Cida foi personagem há alguns anos e é uma figura maravilhosa. Independente de questões políticas, ela dá uma contribuição notável ao Paraná dos dias de hoje”, disse o jornalista.•

colocadas generosas bolas de sorvete de creme. Para o evento, conta a chef Ana Paula Lazier, foram criadas duas coberturas especiais para o doce: farofa de pinhão e amendoim triturados e calda de quentão. Quem quiser doses adicionais da bebida junina pode levar também ampolas que, espetadas no sorvete, liberam o líquido em temperatura ambiente dentro da massa. Participaram da abertura do evento os secretários municipais do Abastecimento, Luiz Gusi, da

Educação, Maria Sílvia Bacila Winkeler e o do Esporte, Emílio Trautwein; os vereadores Pier Petruzziello e Sérgio Balaguer; a presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo Regional (Adetur) e chef Jane Dissenha; além de representantes da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), da Fundação Cultural, do Instituto Municipal de Turismo e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Florestal (Embrapa).•


A

t

8

Saúde

jornalcentrocivico.com.br

última edição do Registro Brasileiro de Transplantes, divulgada nesta terça-feira (30), destacou o Paraná como o melhor Estado do país em captação de órgãos. No final do ano passado, na mesma publicação da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), o Paraná já ocupava o 1° lugar no indicador de desempenho no quesito “transplantes”. Segundo o ex-secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, os dados mostram a verdadeira revolução feita no setor durante nos últimos sete anos e que deu prioridade absoluta à área de transplantes. “Em 2011, pegamos o Estado no humilhante 9° lugar no ranking de doação de órgãos. Algo inadmissível para um Estado como o Paraná. Por isso, tínhamos a obrigação moral de reverter este quadro e colocar o Paraná na posição em que a gente

merece”, comemora Michele Caputo. Conforme o balanço divulgado nesta terça, o Paraná alcançou a taxa de 44,2 doações efetivas por milhão de habitantes. Um crescimento de 426% em relação ao índice de 2010, que foi de 8,4 doações/milhão de habitantes. Frente de todos Com isso, o Paraná fica muito à frente do segundo colocado que é Santa Catarina (33,7). Em seguida vêm os estados do Ceará (29,7), Acre (24,1), Distrito Federal (23,7), Rio Grande do Sul (23), São Paulo (22,8), Mato Grosso do Sul (16,2), Goiás (15,3) e Roraima (15,3). “Nosso desempenho é comparável aos melhores países do mundo em captações de órgãos”, lembra Michele Caputo. No período, entre janeiro e março/2018, o Paraná registrou 214 transplantes de córneas,

u

Paraná tem o melhor desempenho do país em captação e transplante de órgãos

148 de rim - taxa de 52,3, a maior entre os estados, 83 de fígado, um de coração e um de pâncreas. “Hoje, com a divulgação deste resultado, vemos que nossa missão foi exitosa. Tenho muito orgulho de ter deixado a Secretaria com o Paraná em primeiro lugar. Isso tudo salvou milhares de vidas”, ressalta Michele Caputo, que deixou o cargo em abril para ser

pré-candidato à deputado estadual. Em sete anos, a fila de espera por um órgão caiu drasticamente no Paraná. Atualmente, 1.207 pessoas aguardam por um transplante no Estado. Em 2010, mais de 3,3 mil pacientes estavam cadastrados nesta lista. Sistema estadual Segundo Michele Caputo, o grande diferencial foi o processo de

Jornal

Centro Cívico

reorganização do sistema estadual de transplantes, tendo em vista a solidariedade do paranaense. “Fizemos de tudo para transformar essa solidariedade das pessoas em vidas salvas. Por isso, investimos pesado na capacitação das equipes e na organização do serviço aeromédico, que agilizou muito o transporte de órgãos e equipes transplantadoras”, explicou. Ao todo, quatro bases de helicóptero foram implantadas em Cascavel, Londrina, Maringá e Ponta Grossa. A base de Curitiba também foi reforçada. Além disso, em uma das primeiras ações do então governador Beto Richa, a frota de aviões do Estado foi liberada para ficar à disposição das demandas da saúde. Já são mais de 8 mil missões aéreas, entre transporte de pacientes e órgãos para transplantes. Além dos órgãos, tecidos como a córnea,

pele, ossos, valvas cardíacas e tendões também podem ser doados. Todas as doações são feitas por meio do Sistema Estadual de Transplantes, encarregado pela coordenação e gerenciamento da fila de quem espera por um órgão no Paraná. No Brasil, a doação de órgãos depende do consentimento da família, e é com isso que as comissões de doação de órgãos trabalham dentro dos hospitais. Após a detecção da morte encefálica no paciente, essas equipes são responsáveis pelo processo de acolhimento da família e também da oferta para a doação de órgãos do paciente.•

Anuncie

Aqui www.jornalcentrocivico.com.br

3364-1277

(41)


Cusine

Culinária italiana: história e sabores amo.kitchenaid.com.br culinária italiana é uma das mais saborosas do mundo. Com pratos que envolvem os mais variados tipos de vegetais, carnes e massas, não há quem resista aos encantos desta gastronomia. Todo este sabor tem origem na própria história do país. Com o passar dos séculos, a história e a culinária italiana evoluíram juntos. Foram os italianos que inventaram o sorvete, a pizza e o café com leite. O macarrão, ao contrário do que muitos pensam, não nasceu na Itália e sim na China. Os italianos, deram apenas fama e sabor à massa. Porém não é só de massas que vive esta tão rica culinária. O vinho italiano é reconhecido pela sua qualidade desde a época em que o Império Romano dominava a região. Foi durante o Renascimento, entre os séculos XIV e XVI, principalmente nas cidades de Veneza e Florença, que a culinária se refinou e criaram os bons modos à mesa. A partir de então, massas, risotos, antepastos cativaram o paladar de todo o mundo. Muitos modos de preparo criados na Itália, tiveram seus nomes influenciados pelas cidades de origem, como por exemplo o de “à bolonhesa”, “à napolitana”, “à milanesa” que foram criados nas cidades de Bolonha, Nápoles e Milão, respectivamente. Essas e outras formas de preparo influenciaram diversas culturas, principalmente a do Brasil. Isso porque nós somos o país mais italiano do mundo, perdendo apenas, é claro, para a Itália.

redacao@jornalcentrocivico.com.br

4

Rondelli

t

Jornal

Centro Cívico

9

6

de Presunto e Queijo

A

Cozinha variada Apesar de ser um país relativamente pequeno- sua extensão territorial é semelhante ao do estado do Maranhão- a culinária é influenciada pelas diferenças regionais, posições geográficas e influências de outros povos. Tanta diversidade resulta em uma cozinha com uma enorme variedade de pratos, modos de preparos e ingredientes. Ingredientes básicos Como já foi dito, a culinária italiana é bastante rica, os ingredientes básicos são variados, a começar pelo trigo. É ele que serve de base para as massas, pizzas e pães. Já arroz, principalmente o arbóreo, carnaroli e vialone, são muito utilizados também. Entre as carnes, as preferidas são as de vaca, porco, cabra e ovelha, além de frango e pato.

Ingredientes • 1 pacote de 500 g de massa pré-cozida para lasanha; • 3 colheres de sopa de manteiga; • 1 lata de molho de tomate; • 250 g de presunto fatiado; • 1 cebola picada; • 250 g de queijo mussarela fatiado; • 2 dentes de alho picados; • 6 tomates maduros picados sem as sementes; • Queijo parmesão ralado; • Sal a gosto.

Modo de Preparo

Ingredientes como peixes, mariscos, azeite de oliva, azeitona, manteiga, queijos e hortaliças como a berinjela, cebola, abobrinha, pimentão e tomates são amplamente utilizados nesta completa gastronomia que ainda conta com frutas típicas, vinho e embutidos. São tantas delícias que apenas uma viagem ao país não basta para experimentar tudo. Ervas aromáticas Além do sabor, os pratos italianos são conhecidos, e apreciados, pelo aroma das ervas. As mais utilizadas são orégano, sálvia, manjericão, tomilho, erva-doce, hortelã, estragão, salsa e alecrim. Pratos clássicos Muitas são as receitas clássicas italianas, embora muitas já tenham sido adaptadas para a realidade de cada país, algumas não mudam nunca. É o caso do risoto de parmesão, penne alla putanesca e o tiramisu. Vinho, café e sorvete Vinho e café são as bebidas preferidas dos italianos. Produzidas em diferentes regiões como Toscana e Piemonte, os vinhos são exportados para o mundo todo e são conhecidos pela sua alta qualidade. Foram os italianos, também, que inventaram a máquina de café expresso e a ideia de juntá-lo com o leite, dando origem ao tradicional capuccino. No quesito doce, os italianos também ganham. São eles os produtores do melhor sorvete do mundo, ou gelatto, como é chamado por lá. Desde o século X, a preparação do doce é uma arte entre eles que aperfeiçoaram uma fórmula árabe que misturava suco de frutas, vinho ou mel com neve. Você sabia que o sorvete entrou para a gastronomia ao ser servida, em 1533, no casamento de Catarina de Médicis (italiana) e Henrique II (francês), em Paris? Inicialmente restrito aos nobres, hoje o sorvete se tornou uma das sobremesas mais populares do mundo. E você, qual a sua receita italiana favorita? Compartilhe conosco! redacao@jornalcentrocivico.com.br

4Unte com manteiga e farinha de trigo um refratário de tamanho médio e reserve; 4Antes de começar a fazer o rondelli, deixe o forno pré-aquecido em temperatura média; 4Arrume as fatias de queijo e presunto por cima da massa de lasanha; 4Enrole como se fosse um rocambole; 4Corte a cada 4 cm para formar rolinhos e coloque virado no refratário untado; 4Refogue a cebola e o alho na manteiga em uma panela por 3 min; 4Adicione o molho de tomate, os tomates picados, o sal e refogue por 5 min; 4Espalhe o molho formado sobre o Rondelli e salpique o queijo parmesão ralado por cima; 4Cubra com papel alumínio e leve ao forno por 15 minutos; 4Depois desse tempo, retire o papel alumínio e deixe no forno por mais 10 min; 4Sirva quente.

Sua receita no Centro Cívico Quer ter a sua receita publicada no jornal Centro

Cívico? Envie-nos a sua receita para redacao@jornalcentrocivico.com.br. Se a sua receita for aprovada, ela será publicada aqui.•


o consumo do

carro aumenta? Quando a temperatura ambiente cai, a densidade do ar aumenta, exigindo mais gasolina para a combustão completa ANTÔNIO MARTINS  PARIS/FR

D

irigir em dias de frio no inverno pode afetar o consumo de combustível de seu carro de forma significativa. ram que em dias Alguns testes mostram ovido à gasolina muito frios um carro movido nto entre 12% e perde em aproveitamento 22%. ros flex é mais E o efeito nos carros so acontece? notável, mas porque isso aturas, a fricção Em baixas temperaturas, ta por causa do na transmissão aumenta os outros fluidos. resfriamento do óleo e dos O motor precisa de mais tempo para alcançar a eficiência. Isso afeta mais os trajetos curtos. E o aquecimento da manda do motor. cabine acrescenta a demanda tes de começar a Aquecer seu carro antes rodas também aumenta o consumo. is condensado, O ar frio é mais aumentando o arrasto, especialmente nas auto-estradas. os pneus diminui, No frio, a pressão dos ia de rodagem aumentando a resistência A performance da bateria diminui, tornando mais difícil para o alternador so também afeta mantê-la carregada. Isso ma de frenagem a performance do sistema alternativa dos carros flex.

jornalcentrocivico.com.br

Motor

7

No frio,

t

Jornal

Centro Cívico

Então que fazer para melhorar o desempenho do carro? Quando está muito frio, não há muita coisa que você possa fazer, mas essas sugestões diminuem o problema: Se puder, deixe seu carro numa garagem coberta e o mais longe possível do frio, para quer a cabine não precise de muito aquecimento Aproveite ao máximo a saída com seu carro: abastecimento, rápidas passagens no supermercado. Se você usa seu carro para trabalhar, aproveite o início da manhã, quando faz mais frio, para compromissos rápidos (entrega de mercadoria, cobranças ou faturas) De a saída suavemente, evitando acelerações bruscas nos primeiros 30 segundos. E durante todo o ano: mantenha sempre seus pneus calibrados.• Antônio Martins Engenheiro Mecânico e Colunista do Jornal Centro Cívico

Í

10

Três startups serão aceleradas na fase final do

Renault Experience As startups escolhidas são da USP, Uninter (Paraná) e Universidade Federal do Espírito Santo. Aceleradora Renault começa no dia 08/07, em Curitiba

U

m sensor que capta o álcool automaticamente através da respiração do motorista, desliga o veículo e informa outra pessoa por um aplicativo; um sistema de delivery compartilhado, que conecta quem deseja entregar uma mercadoria a quem esteja disponível para fazê-lo; e um software capaz de prever problemas futuros com o veículo e alertar sobre medidas preventivas necessárias antes que a situação se agrave. Esses são os produtos e serviços das startups SensCar (Uninter), iDeliver (Ufes) e Arquimedes (USP), respectivamente, que serão aceleradas na última etapa da edição 2017/2018 do programa Renault Experience, do Instituto Renault. A partir do dia 8 de julho, as equipes escolhidas participarão da Aceleradora Renault, sediada na Hotmilk, uma das maiores aceleradoras de Startups do Brasil, parceira do Instituto Renault no programa. O local é dedicado e preparado para alavancar o projeto e a criatividade das finalistas. O produto/ serviço será apresentado à direção da Renault do Brasil, além de executivos e especialistas. Ao final, a Renault pode investir nas startups, que também recebem o prêmio de R$ 30 mil para alavancar seus negócios. “Em dois anos adotando o atual modelo de startups, o Renault Experience já recebeu quase 800 projetos, envolvendo um total aproximado de 3 mil estudantes e 130 instituições de ensino superior de 14 Estados do país. São pessoas que encontraram neste programa a oportunidade mais completa de inovar e empreender, uma vez que o Renault Experience acompanha desde a criação da ideia até sua transformação em um produto ou serviço pronto para chegar ao mercado”, afirma Caique Ferreira, vice-presidente do Instituto Renault e diretor de Comunicação da marca.•

cone global da Volkswagen, o G Golf traz novidades mecânicas, visuais e na estrutura de ofertas, tornando-se ainda ma mais atraente. As mudanças se estendem ao G Golf Variant, que também passa a oferecer ainda mais qualidades. Os modelos chegam às concessionárias da marca a partir deste mês e fazem parte da maior ofensiva de produtos da história da Volkswagen no Brasil, com 20 lançamentos até 2020. Produzido em São José dos Pinhais (PR), o Golf é oferecido em três versões – Comfortline, Highline e GTI. As novidades para o hatchback são a adoção da transmissão automática de 6 marchas para a versão Comfortline, combinada ao motor 200 TSI Total Flex, que passa a desenvolver até 128 cv; e o incremento de potência para o GTI, cujo motor 350 TSI agora entrega 230 cv.

O Golf Variant, fabricado na planta de Puebla, no México, é oferecido nas versões Comfortline e Highline, ambas equipadas com o motor 250 TSI Total Flex de 150 cv, combinado à transmissão automática de 6 marchas. Em todas as versões, Golf e Golf Variant ganharam mais itens de série. Houve também uma simplificação na estrutura de oferta dos produtos, com redução dos pacotes opcionais, sem perda de conteúdo. Entre os equipamentos disponíveis de série para todos os modelos na linha 2018 estão luzes de uso diurno (DRL) de LED, sistema de infotainment Composition Media com tela sensível ao toque de 8 polegadas e App-Connect (o Golf GTI traz de série o sistema Discover Media), câmera traseira para auxílio ao estacionamento e lanternas traseiras de LED, entre outros.•


t

ADRIANA MARTINS  PARISFR

T

Entrevista

jornalcentrocivico.com.br

odo ano é a mesma coisa, sai a lista de livros que caem no Enem e começam os comentários, análises e macetes para ajudar os estudantes a ter bom desempenho. Junto com toda essa batelada de informação vem os narizes torcidos e o desespero. Porque livro que cai em prova é chato, difícil e quase inútil: só serve para dificultar a prova. É Macunaíma pra cá, Vidas secas pra lá e Capitães de Areia no meio. Depois de terminada a lição de casa eles voltam pra estante até o próximo exame. Afinal, ler porquê?

w

11

Livro do mês

cursos do segundo semestre

para a 5ª série. Era um colégio enorme (aos meus tímidos olhos infantis), e a primeira coisa que me impressionou foi a biblioteca. Quantos livros, quantos cheiros e que silêncio. Comparado ao tumulto do pátio e das salas de aula aquilo, naquele lugar em que todos eram maiores do que eu, era para mim o paraíso. O primeiro livro que emprestei? A divina comédia. E eu nem sabia que era um clássico ou que fosse um livro complexo. Estava escrito comédia e era tudo o que me importava. Claro que logo nas primeiras páginas percebi que não era bem a comédia que eu pensava, mas o que importava? Portões do inferno, do purgatório e do paraíso. Fofocas do além-túmulo e personagens pra lá de curiosos. Foi isso que me fez amar a história. O que se falava sobre ela nos bancos das universidades não tinha importância para mim. E desde então eu sou essa leitora. É um clássico? É intelectual?

Já estão abertas as inscrições para os cursos regulares do segundo semestre da Gibiteca de Curitiba. São mais de dez opções de cursos de artes visuais para os mais diversos gostos e idades. As inscrições podem ser feitas diretamente na Gibiteca, (R. Presidente Carlos Cavalcanti, 533 - Solar do Barão). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3321-3250 Os cursos disponíveis são: quadrinho básico-mangá, retrato, quadrinhos, criação de jogos (RPG, jogos de tabuleiro e de cartas), quadrinhos básicos (comics / heróis), quadrinhos (narrativa e roteiro), ilustração digital, desenho artístico, pintura com aquarela, quadrinhos básico, intermediário e avançado, e anatomia artística com modelo vivo. A maioria das aulas inicia no mês de agosto e as mensalidades variam entre R$ 30 a R$ 90.•

w

Gibiteca abre inscrições para

Para irmos mais a fundo na pergunta acima, vamos desmem-brá-la em outras per-guntas: o que ler? Como ler? E a mais importante delas “que tipo de leitor eu sou?” É essa última que vai responder a todas as outras perguntas. Eu não sei você, mas eu tenho muitos motivos para ler e ao longo dos anos fui descobrindo o meu caminho. Lembrome até hoje quando passei

Jornal

Centro Cívico É livro de bolso, romance água com açúcar? Caiu em minhas mãos, gostei, é bom. Pra mim. E se por acaso essa leitura me ensinar alguma coisa (o que acontece 100% das vezes), então eu sei porque ler. E você, que tipo de leitor você é? Livro do mês: Guerra do Velho. SCALZI, John, 2016. São Paulo. Editora Aleph “No meu aniversário de 75 anos fiz duas coisas: visitei o túmulo de minha esposa, depois entrei para o exército”. Porque é interessante? O tema é mais do que original. Num futuro bem próximo, a humanidade finalmente descobriu a existência de alienígenas. E alguns não são amigáveis. Quando você completa 75 anos pode alistar-se num exército privado e combatelos a partir de estações espaciais. Mas como um idoso pode combater alienígenas? Preço médio: R$23,90.• Adriana Martins Historiadora e Colunista do Jornal Centro Cívico

Anuncie Aqui

Jornal

Centro Cívico (41)3364-1277


3

Jornal Centro Civico/ed.161/2018  

Mais que um jornal de bairro. www.jornalcentrocivico.com.br - (41) 3364-1277

Jornal Centro Civico/ed.161/2018  

Mais que um jornal de bairro. www.jornalcentrocivico.com.br - (41) 3364-1277

Advertisement