Page 1

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Planejamento e Dimensionamento de Canteiros de Obras.

MaurĂ­cio Felzemburgh


1.0. Objetivos - Discutir as definições mais relevantes de canteiros de obras; - Refletir sobre a relevância do tema para o campo de atuação do arquiteto; - Reconhecer a natureza dinâmica do canteiro, através da ilustração de suas diversas fases; - Ilustrar os principais elementos comuns para o planejamento do canteiro de obras, incluindo noções de dimensionamento; - Associar à exposição principais noções de segurança e meio ambiente relacionadas.


us.arevablog.com . Obra Usina Nuclear


http://www.ibtimes.com. Obras do Estádio de Brasília.


http://www.marketplace.org/. Obras do metr么 de Nova Iorque.


do.com. Sede da Televis達o da China. Rem Koolhaas e Ole Scheeren da OMA


http://www.ebaumsworld.com/


2.0. Conceituação

- NR 18: área de trabalho fixa e temporária, onde se desenvolvem operações de apoio e execução de uma obra. - NBR 12264: Conjunto de áreas destinadas à execução e apoio dos trabalhos da indústria da construção, dividindo-se em áreas operacionais e áreas de vivência. - Canteiro é a parte física do sistema de produção. Equivale à fábrica na indústria de transformação de materiais. Só que neste caso a “fábrica sai e o produto fica.” - Projeto do produto → projeto da produção → projeto do canteiro.


3.0. Importância do Planejamento do Canteiro

Lembrando nosso cenário:  Setor atrasado, com baixos índices de produtividade.  Perdas elevadas;  Falta de confiabilidade prazo;  Falta de segurança.


3.0. Importância do Planejamento do Canteiro Trata-se de um sistema complexo, com variados riscos. Principais aspectos a serem garantidos através do planejamento de canteiro.  Segurança;  Qualidade;  Produtividade;  Meio ambiente.


3.0. Importância do Planejamento do Canteiro Objetivos do planejamento de canteiro, segundo Tommelein (1992) apud Surin e Formoso (2006) dividem-se em duas categorias principais: a) objetivos de alto nível:  promover operações eficientes e seguras e manter alta a motivação dos empregados b) objetivos de baixo nível:  minimizar distâncias de transporte;  minimizar tempos de movimentação de pessoal e materiais;  minimizar manuseios de materiais;  evitar obstruções ao movimento de materiais e equipamentos.


3.0. Importância do Planejamento do Canteiro

Devem ser considerados na implantação do canteiro: - Condições locais da obra: acesso, área disponível, acesso à infraestrutura de energia, água, esgoto etc.; - Tipo e tamanho da obra a ser edificada. - Tecnologia de produção. Quais insumos e em que quantidade serão utilizados e quais recursos operacionais serão necessários; - Métodos de transporte; - Planejamento e cronograma.


4.0. Fases ou Cenários

Fase Inicial - Demolições, - Movimentos de terra, - Contenções; - Locação; -

Fundações.


4.0. Fases ou Cenรกrios

http://equipedeobra.pini.com.br/


www4.planalto.gov.b


www.calhaforte.com.br


http://www.systemcv.com.br/


http://equipedeobra.pini.com.br/


http://equipedeobra.pini.com.br/


Acervo pessoal


Acervo pessoal


Acervo pessoal


Acervo pessoal


4.0. Fases ou Cenários

Alguns cuidados especiais com a Fase Inicial -

Análise de impacto de vizinhança e vistoria prévia;

-

Solicitação e prazo para ligações provisórias;

-

Autorizações prévias (alvará de construção, licenças ambientais, autorização de supressão de vegetação, comunicação prévia DRT etc);

-

Montagem do primeiro arranjo das áreas de vivência deve preceder o início das demais atividades;


4.0. Fases ou Cenários

Alguns cuidados especiais com a Fase Inicial -

Montagem de tapumes e controle de acesso;

-

Existência de lençol freático;

-

Fluxo de veículos e sinalização. Autorização do departamento de trânsito, cuidado com áreas de estacionamento;

-

Execução das contenções e aos taludes provisórios.

-

Queda de pessoas e materiais.

-

Visualizar todas as fases na implantação do canteiro para reduzir desmobilizações.


4.0. Fases ou Cenários

Fase Intermediária - Estrutura; - Vedação; - Cobertura


Acervo pessoal


Acervo pessoal


Rede Frio

Acervo pessoal


Acervo pessoal


4.0. Fases ou Cenários

Cuidado especiais com a Fase Intermediária -

Proteção contra queda de pessoas e materiais;

-

Controle de verticalidade;

-

Manutenção das áreas de vivência.

-

Gestão de equipamentos de obra (registros de inspeção, manutenção, laudos etc)

-

Montagem de equipamentos definitivos.


4.0. Fases ou Cenรกrios

Fase Final - Revestimentos; - Esquadrias; - Acabamento.


Central de Rede Frio

Acervo pessoal


CaminhĂŁo FrigorĂ­fero

Acervo pessoal


Acervo pessoal


4.0. Fases ou Cenários

Cuidado especiais com a Fase Final -

Qualidade;

-

Finalização dos lotes de planejamento.

-

Habite-se.

-

Entrega e instruções de uso e operação.

-

Documentação de entrega.


5.0. Elementos de um Canteiro 5.1. Áreas de Produção - Central de concreto; //www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=-Ibc8fULyBc - Central de argamassa; - Central de preparo de armaduras; - Carpintaria; - Montagem de esquadrias; - Fábrica de blocos e/pré-moldados


5.0. Elementos de um Canteiro

5.1.1. Central de argamassa. -

Preferencialmente próxima aos estoques de areia;

-

Preferencialmente próxima aos equipamentos de transporte vertical;

-

Local coberto;

-

Atenção às interferências de fluxo;

-

Área aproximada de 20 m2;

-

Concepção está diretamente ligada ao tipo de argamassa utilizada componentes.

e seus


5.0. Elementos de um Canteiro

a)

Mistura no canteiro.

-

Utilização do cal; Desuso do arenoso; Utilização de aditivos

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=wOm46ot5_tA

b) Argamassa pré-misturada; -

Adição de água no canteiro;

c) Alternativas de eliminação da central -

Argamassa pronta; Biomassa.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=qYWj3Av3obI


5.0. Elementos de um Canteiro

Transporte da argamassa -

Girica;

-

Guinchos;

-

Elevadores e gruas;

-

Bombeamento. www.youtube.com/watch?v=WhyJRUW3w2s


Acervo pessoal


Acervo pessoal


5.1. Elementos de um canteiro 5.1.2. Carpintaria (NR-18) A serra circular deve atender às disposições a seguir: - ser dotada de mesa estável, com fechamento de suas faces inferiores, anterior e posterior, construída em madeira resistente e de primeira qualidade, material metálico ou similar de resistência equivalente, sem irregularidades, com dimensionamento suficiente para a execução das tarefas; - ter a carcaça do motor aterrada eletricamente; - o disco deve ser mantido afiado e travado, devendo ser substituído quando apresentar trincas, dentes quebrados ou empenamentos; - ser provida de coifa protetora do disco e cutelo divisor, com identificação do fabricante e ainda coletor de serragem. - Nas operações de corte de madeira, devem ser utilizados dispositivo empurrador e guia de alinhamento. - As lâmpadas de iluminação da carpintaria devem estar protegidas contra impactos provenientes da projeção de partículas. - A carpintaria deve ter piso resistente, nivelado e antiderrapante, com cobertura capaz de proteger os trabalhadores contra quedas de materiais e intempéries.


Acervo pessoal

http://zonaderisco.blogspot.com.br/


5.1. Elementos de um canteiro http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=f5G3E01KqtE http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Y9V4FyCX97Y

http://pt.slideshare.net/


5.1. Elementos de um canteiro 5.1.3. Armaduras (NR 18) - A dobragem e o corte de vergalhões de aço em obra devem ser feitos sobre bancadas ou plataformas apropriadas e estáveis, apoiadas sobre superfícies resistentes, niveladas e não escorregadias, afastadas da área de circulação de trabalhadores. - As armações de pilares, vigas e outras estruturas verticais devem ser apoiadas e escoradas para evitar tombamento e desmoronamento. - A área de trabalho onde está situada a bancada de armação deve ter cobertura resistente para proteção dos trabalhadores contra a queda de materiais e intempéries. - As lâmpadas de iluminação da área de trabalho da armação de aço devem estar protegidas contra impactos provenientes da projeção de partículas ou de vergalhões. - É obrigatória a colocação de pranchas de madeira firmemente apoiadas sobre as armações nas fôrmas, para a circulação de operários. - É proibida a existência de pontas verticais de vergalhões de aço desprotegidas. - Durante a descarga de vergalhões de aço, a área deve ser isolada. - Aproximadamente 50 m2.


http://www.marcospiffer.com.br/


http://www.marcospiffer.com.br/


http://www.marcospiffer.com.br/


5.0. Elementos de um Canteiro 5.2. Áreas de Apoio à Produção -Estoques; - Almoxarifado.


5.0. Elementos de um Canteiro 5.2.1. Almoxarifado -Recebimento, armazenagem e distribuição; - Fácil recepção dos materiais e a distribuição pelo canteiro; - Facilidade de acesso e manuseio. Identificação, limpeza e organização; - Os materiais tóxicos, corrosivos, inflamáveis e explosivos, devem ser identificados e separados por compatibilidade química. Devem ser armazenados em local isolado e sinalizados. - Atenção às FICHAS DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS (FISPQ). - Fifo http://www.sinduscon-rio.com.br/


5.0. Elementos de um Canteiro

5.2.1. Almoxarifado - Atenção às FICHAS DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS (FISPQ). - Termos de recebimento e uso de EPI – Equipamentos de Proteção Individual. - Controle dos Certificados de Aprovação (CA). - Controle de certificados ambientais. - FIFO - First In, First Out.

http://www.sinduscon-rio.com.br/


www.lix.com.br


www.lix.com.br


5.0. Elementos de um Canteiro 5.3. Áreas de apoio administrativo - Escritório; - Refeitório; - Portaria/recepção; - Controle de ponto; - Sala de treinamento; - Vestiário / banheiros; - Alojamento / cozinha. - Ambulatório;


Acervo pessoal


Acervo pessoal


Acervo pessoal


http://equipedeobra.pini.com.br/


5.0. Elementos de um Canteiro 5.3.1. Refeitórios (NR 18) O local para refeições deve: - ter paredes que permitam o isolamento durante as refeições; - ter piso de concreto, cimentado ou de outro material lavável; - ter cobertura que proteja das intempéries; - ter capacidade para garantir o atendimento de todos os trabalhadores no horário das refeições; - ter ventilação e iluminação natural e/ou artificial; - ter lavatório instalado em suas proximidades ou no seu interior; - ter mesas com tampos lisos e laváveis; - ter assentos em número suficiente para atender aos usuários; - ter depósito, com tampa, para detritos; - não estar situado em subsolos ou porões das edificações; - não ter comunicação direta com as instalações sanitárias; - ter pé-direito mínimo de 2,80m (dois metros e oitenta centímetros), ou respeitando-se o que determina o Código de Obras do Município, da obra. Independentemente do número de trabalhadores e da existência ou não de cozinha, em todo canteiro de obra deve haver local exclusivo para o aquecimento de refeições, dotado de equipamento adequado e seguro para o aquecimento. É proibido preparar, aquecer e tomar refeições fora dos locais estabelecidos neste subitem. É obrigatório o fornecimento de água potável, filtrada e fresca, para os trabalhadores, por meio de bebedouro de jato inclinado ou outro dispositivo equivalente, sendo proibido o uso de copos coletivos.


5.0. Elementos de um Canteiro 5.3.2. Vestiário (NR 18) Todo canteiro de obra deve possuir vestiário para troca de roupa dos trabalhadores que não residem no local. A localização do vestiário deve ser próxima aos alojamentos e/ou à entrada da obra, sem ligação direta com o local destinado às refeições. Os vestiários devem: a) ter paredes de alvenaria, madeira ou material equivalente; b) ter pisos de concreto, cimentado, madeira ou material equivalente; c) ter cobertura que proteja contra as intempéries; d) ter área de ventilação correspondente a 1/10 (um décimo) de área do piso; e) ter iluminação natural e/ou artificial; f) ter armários individuais dotados de fechadura ou dispositivo com cadeado; g) ter pé-direito mínimo de 2,50m (dois metros e cinquenta centímetros), ou respeitando-se o que determina o Código de Obras do Município, da obra; h) ser mantidos em perfeito estado de conservação, higiene e limpeza; i) ter bancos em número suficiente para atender aos usuários, com largura mínima de 0,30m (trinta centímetros).


5.0. Elementos de um Canteiro 5.3.3. Instalações Sanitárias (NR 18) a)ser mantidas em perfeito estado de conservação e higiene; b) ter portas de acesso que impeçam o devassamento e ser construídas de modo a manter o resguardo conveniente; c) ter paredes de material resistente e lavável, podendo ser de madeira; d) ter pisos impermeáveis, laváveis e de acabamento antiderrapante; e) não se ligar diretamente com os locais destinados às refeições; f) ser independente para homens e mulheres, quando necessário; g) ter ventilação e iluminação adequadas; h) ter instalações elétricas adequadamente protegidas; i) ter pé-direito mínimo de 2,50m (dois metros e cinqüenta centímetros), ou respeitando-se o que determina o Código de Obras do Município da obra; j) estar situadas em locais de fácil e seguro acesso, não sendo permitido um deslocamento superior a 150 (cento e cinqüenta) metros do posto de trabalho aos gabinetes sanitários, mictórios e lavatórios.


5.0. Elementos de um Canteiro 5.4. Sistemas de transporte - Elevadores a cabo; - Elevadores tipo cremalheira; - Gruas; - Guinchos; - Andaimes.


http://www.google.com.br/imgres?q=elevador+de+obra


http://www.google.com.br/imgres?q=cremalheira&start


hhttp://www.google.com.br/imgres?q=grua+obra+edificio


http://equipedeobra.pini.com.br/


5.0. Elementos de um Canteiro

5.5. Layout e dimensionamento 5.5.1. Principais referências normativas e legais: - NBR 12264 ABNT- Áreas de vivência em canteiro de obras; - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA - NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - NR 9 MTE - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - NR 18 MTE- Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil; - NR 24 MTE- Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho;


5.0. Elementos de um Canteiro 5.5. Layout e dimensionamento 5.5.2. Principais parâmetros: a) Refeitório - 0,8 m2/pessoa; - Proibição de sua localização em subsolos ou porões; o mesmo vale para todas área de vivência(NR 18); - Inexistência de ligação direta com as instalações sanitárias (NR 18); b) Vestiário - 1,5 m2/pessoa (NR 24) - Próximo aos banheiros e saída; - Armários individuais com cadeados (NR 18); - Bancos (NR18);


5.0. Elementos de um Canteiro 5.5. Layout e dimensionamento c) Banheiros (exigências da NR 18) - 1 lavatório, 1 vaso sanitário e 1 mictório para cada grupo de 20 trabalhadores ou fração; - 1 chuveiro para cada grupo de 10 trabalhadores ou fração; - Local destinado ao vaso sanitário deve ter área mínima de 1,0 m2; - Área mínima destinada aos chuveiros deve ter 0,80 m2; - Distancia máxima de deslocamento entre banheiro e postos de trabalho: 150 m. d) Almoxarifado - Depende dos materiais estocados e varia durante a obra.


5.0. Elementos de um Canteiro e) elevador de carga: as dimensões em planta de 1,80 m x 2,30 m são as mais usuais para torres metálicas de elevadores de carga; f) distância entre roldana louca e tambor do guincho: esta distância deve estar compreendida entre 2,5 m e 3,0 m (NR-18), devendo ser considerada para estimar a posição do guincheiro; g) baias de agregados: as baias devem ter largura igual ou pouco maior que a largura da caçamba do caminhão que descarrega o material, as dimensões usuais são aproximadamente 3,00 m x 3,00 m x 0,80 m (altura); h) estoques de cimento: conforme programação da obra. - dimensões do saco de cimento: 0,70 m x 0,45 m x 0,11 m (altura); -altura máxima da pilha: 10 sacos. No caso de armazenagem inferior a 15 dias a NBR 12655 (ABNT, 1992) permite pilhas de até 15 sacos; i) estoque de blocos: conforme programação da obra. -altura máxima da pilha em aproximadamente 1,40 m; j) bancada de fôrmas: a bancada deve possuir dimensões em planta que sejam pouco superiores às da maior viga ou pilar a ser executado; l) caminhões betoneiras: dimensões usuais desses caminhões são as seguintes: - raio de curvatura: 5,00 m; - largura e comprimento do veículo: 2,70 m x 8,00 m.


http://www.construplena.com.br/


www.comunidadedaconstrucao.com.br


Layout Fase Intermediária – Pavimento G2


Layout Fase Intermediária – Pavimento PG


6.0. Segurança 6.0. Segurança nas instalações - NR-18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO; - CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes; - PCMAT - Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil; - PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional; - EPIs e EPCs; - Proteção contra quedas; - Sinalização de segurança. -Proteção contra incêndio. http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=Oct2Rag9SGs http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=Pw_bL5ucmBI


http://www.theatlantic.com/


zonaderisco.blogspot.com


Acervo pessoal


http://miltontecnologost.blogspot.com.br/


6.0. Seguranรงa

http://equipedeobra.pini.com.br/


Acervo pessoal


Acervo pessoal


Acervo pessoal


7.0. Gerenciamento de resíduos 7.1. Atendimento à Resolução Conama 307 a)Objetivos - Não Geração de Resíduos; - Redução; - Reutilização; - Reciclagem; - Destinação Final adequada. b) projeto de gerenciamento de resíduos - Identificar e qualificar os resíduos; - Triagem; - Garantir o acondicionamento da forma adequada; - Transportar - transportadores cadastrados; - Destinação - locais licenciados 7.2. NBR 15112 a NBR 15116


8.0. Fontes

1- NBR 12264 ABNT- Áreas de vivência em canteiro de obras. 2- NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA. 3- NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. 4- NR 9 MTE – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. 5- NR 18 MTE- Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil . 6- NR 24 MTE- Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho. 7- FORMOSO, Carlos. Planejamento de canteiros de obra e gestão de processos. Porto Alegre: ANTAC, 2006. 8- GEHBAUER, Fritz. Planejamento e gestão de obras: um resultado prático da cooperação técnica Brasil-Alemanha. Curitiba: CEFET-PR, 2002. 9- GONZALEZ, Marco. Noções de Orçamento e Planejamento de Obras. São Leopoldo: UNISINOS, 2008 10 - http://www.dcc.ufpr.br/mediawiki/index.php/Disciplinas

Maurício Felzemburgh-TC-Aula 03  

Planejamento e Dimensionamento de Canteiros de Obras.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you