Issuu on Google+

Unifacs Faculdade de Arquitetura

A Indústria da Construção Civil Maurício Felzemburgh

09 de julho 2012


1.0. Introdução

Por que a construção civil é um indústria?


1.0. Introdução

Trata-se de um forma planejada de produção de espaços, envolvendo processos de transformação de forma racional, visando qualidade e produtividade.


2.0. Contextualização

Como se caracteriza a indústria da construção civil em relação às demais?


2.0. Contextualização

Indústria atrasada em comparação às demais: - Baixos índices de produtividade; - Perdas elevadas; - Baixo nível de precisão e qualidade; - Morosidade; - Falta de confiabilidade no prazo; -Inovação lenta. - Não considera o ciclo de vida.


ecoeacao2012.blogspot.com


Fonte: Google Imagens


2.0. Contextualização

Por que isso acontece?


2.0. Contextualização

Dificuldades a) A fábrica saí, o produto fica. - Fábrica móvel. - Produção temporária, não justifica mecanização. - Produção sujeita a intempéries (incerteza);


2.0. Contextualização Dificuldades b ) Uso Intensivo de mão de obra. - Em função da dificuldade de mecanização e do baixo valor da mão de obra disponível há o envolvimento de grande quantidade de operários. - Isso gera grande complexidade das áreas de vivência, da gestão do processo e em particular da gestão de segurança.


Foto: Nir Elias / Reuters


2.0. Contextualização Dificuldades c ) Produto Único. - Não há repetição; - No processo de produção do mesmo produto temos vários subprocessos que mudam com o tempo ao longo da produção; .


2.0. Contextualização

Produto caro e de baixa qualidade.


Fonte: Google Imagens


2.0. Contextualização

d) Especificidades do cenário local

- Alta carga tributária, margens baixas.

- Burocracia.

- Predomínio da informalidade;


- Foto: acervo pessoal.


3.0. Importância no Campo da Arquitetura

Por que arquitetos devem ter conhecimento sobre a industria da construção civil e as técnicas de construção?


3.0. Importância no Campo da Arquitetura

Relevância do tema no campo da arquitetura. 

O gerenciamento de obras de edificação está entre as principais atribuições do arquiteto e urbanista; Planejamento de obras e projeto de canteiros são atribuições importantes com grande carência de profissionais no mercado. O conhecimento do processo de produção tem importante influência nos projetos. Arquitetura é um processo, não só um produto acabado.


3.0. Import창ncia no Campo da Arquitetura

http://www.google.com.br/imgres?q=croqui+lele


3.0. Importância no Campo da Arquitetura Segundo a Lei Federal 12.378 de 2010 Art. 2o As atividades e atribuições do arquiteto e urbanista consistem em: I - supervisão, coordenação, gestão e orientação técnica; II - coleta de dados, estudo, planejamento, projeto e especificação; III - estudo de viabilidade técnica e ambiental; IV - assistência técnica, assessoria e consultoria; V - direção de obras e de serviço técnico; VI - vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria e arbitragem; VII - desempenho de cargo e função técnica; VIII - treinamento, ensino, pesquisa e extensão universitária; IX - desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, padronização, mensuração e controle de qualidade; X - elaboração de orçamento; XI - produção e divulgação técnica especializada; e XII - execução, fiscalização e condução de obra, instalação e serviço técnico.


3.0. Importância no Campo da Arquitetura

Parágrafo único. As atividades de que trata este artigo aplicam-se aos seguintes campos de atuação no setor: I - da Arquitetura e Urbanismo, concepção e execução de projetos; II - da Arquitetura de Interiores, concepção e execução de projetos de ambientes; III - da Arquitetura Paisagística, concepção e execução de projetos para espaços externos, livres e abertos, privados ou públicos, como parques e praças, considerados isoladamente ou em sistemas, dentro de várias escalas, inclusive a territorial; IV - do Patrimônio Histórico Cultural e Artístico, arquitetônico, urbanístico, paisagístico, monumentos, restauro, práticas de projeto e soluções tecnológicas para reutilização, reabilitação, reconstrução, preservação, conservação, restauro e valorização de edificações, conjuntos e cidades; V - do Planejamento Urbano e Regional, planejamento físico-territorial, planos de intervenção no espaço urbano, metropolitano e regional fundamentados nos sistemas de infraestrutura, saneamento básico e ambiental, sistema viário, sinalização, tráfego e trânsito urbano e rural, acessibilidade, gestão territorial e ambiental, parcelamento do solo, loteamento, desmembramento, remembramento, arruamento, planejamento urbano, plano diretor, traçado de cidades, desenho urbano, sistema viário, tráfego e trânsito urbano e rural, inventário urbano e regional, assentamentos humanos e requalificação em áreas urbanas e rurais;


3.0. Importância no Campo da Arquitetura

VI - da Topografia, elaboração e interpretação de levantamentos topográficos cadastrais para a realização de projetos de arquitetura, de urbanismo e de paisagismo, foto-interpretação, leitura, interpretação e análise de dados e informações topográficas e sensoriamento remoto; VII - da Tecnologia e resistência dos materiais, dos elementos e produtos de construção, patologias e recuperações; VIII - dos sistemas construtivos e estruturais, estruturas, desenvolvimento de estruturas e aplicação tecnológica de estruturas; IX - de instalações e equipamentos referentes à arquitetura e urbanismo; X - do Conforto Ambiental, técnicas referentes ao estabelecimento de condições climáticas, acústicas, lumínicas e ergonômicas, para a concepção, organização e construção dos espaços; XI - do Meio Ambiente, Estudo e Avaliação dos Impactos Ambientais, Licenciamento Ambiental, Utilização Racional dos Recursos Disponíveis e Desenvolvimento Sustentável.


3.0. Importância no Campo da Arquitetura

Modalidades de serviços de arquitetura (NBR 5670/1977) a) Estudos preliminares; b) estudos de viabilidades técnicas e econômicas; c) planejamento; d) elaboração de projeto; e) assistência técnica; f) pericias (investigação de causas); g) vistorias (constatação); h) avaliações; i) inspeções (análise de risco); j) pareceres; I) consultoria; m) controle de fabricação e execução; n) fiscalização e outros.


4.0. Formas de contratação

O que é um contrato?


4.0. Formas de contratação

Contrato é um acordo prévio entre contratante e contratado.


4.0. Formas de contratação 4.1. Incorporação. - É a atividade imobiliária que objetiva a construção e comercialização de unidades imobiliárias sua durante a execução. - É um contrato de adesão. 4.2. Licitação - Lei 8.666 – Normas para licitações e contratos da administração pública; a) Concorrência: ampla publicidade b) Tomada de preços: realizada entre previamente cadastrados; c) Convite: no mínimo três interessados são escolhidos e convocados.


4.0. Formas de contratação

4.3. Construção

a) Empreitada global; b) Empreitada por preço unitário; c) Administração ou preço de custo; d) Subempreitada


5.0. Fases ou Cenários

Fase Inicial - Demolições, - Movimentos de terra, - Contenções; - Locação; - Fundações.


Acervo pessoal


5.0. Fases ou Cenários

Fase Intermediária - Estrutura; - Vedação; - Cobertura


Acervo pessoal


5.0. Fases ou Cenรกrios

Fase Final - Revestimentos; - Esquadrias; - Acabamento.


CaminhĂŁo FrigorĂ­fero

Acervo pessoal


4.0. Fontes

BRAGA, Pedro. Manual de direito para engenheiros e arquitetos. Brasília : Senado Federal,Subsecretaria de Edições Técnicas, 2007. BRASIL.. Lei Federal 10.406/2002. BRASIL.. Lei Federal 12.441/ 2011. http://webcache.googleusercontent.com/search? q=cache:7hl6M6IFEVgJ:www.dcc.ufpr.br/mediawiki/images/9/9d/01_Ind%25C3%25BAstria_da_constru %25C3%25A7%25C3%25A3o_civil.pdf+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br GONZALÉZ, Marco. Noções de Orçamento e Planejamento em Obras. Disponível em: <http://www.engenhariaconcursos.com.br/arquivos/Planejamento/Nocoesdeorcamentoeplanejamentodeobras. pdf>Acesso em 29/08/2012


Maurício Felzemburgh-TC-Aula 02