Issuu on Google+

COLÉGIO OFÉLIA FONSECA

SUPLEMENTAÇÃO NUTRICIONAL

Guilherme Murta C. Santos

São Paulo 2013


Guilherme Murta C. Santos

SUPLEMENTAÇÃO NUTRICIONAL

Trabalho de conclusão de curso realizado e apresentado sob a orientação do Professor Renato Castilho Goncalves

São Paulo 2013


Agradecimento

Ao Colégio Ofélia Fonseca pelas oportunidades oferecidas desde meu primeiro ano fundamental I. Ao professor Renato Castilho pelo apoio oferecido durante todo o trabalho. A professora Carolina Zambrana pela boa vontade e disposição nos meus momentos mais difíceis. Aos meus amigos de classe que me apoiaram todos os dias durante anos. A minha família que é fundamental na minha vida para todas minhas realizações. E a bancada por se disponibilizar de avaliar meu trabalho de conclusão.


Resumo

A procura pelo corpo “perfeito” tem levado a indústria suplementar a se expandir de forma inacreditável. Antes uma indústria focada a doentes e fisiculturistas passou a atender grande parte da população em diversos segmentos. O uso de suplementos nutricionais tem como objetivo suprir, aumentar e aperfeiçoar, os nutrientes no organismo humano. Aspecto que são fundamentais e responsáveis por adquirir o aperfeiçoamento físico. O fato dos suplementos proporcionarem melhor desempenho físico, desencadear resultados em menor prazo e de maneira mais prática, os fazem serem um grande aliado dos praticantes de atividades físicas e atléticas. O indicado é possuir acompanhamento profissional especializado para o consumo destes produtos, porém a realidade é bem diferente. As novas tecnologias proporcionam produtos de maior eficiência e segmentos mais específicos e a grande diversidade dos mesmos aumentam tornando o mercado suplementar um “gigante”. O objetivo do trabalho é avaliar o ciclo do suplemento na sociedade, o por quê do uso dos mesmos, os principais suplementos da atualidade, quais funções eles exercem no organismo e se são benéficos ou maléficos a saúde do usuário.


Sumário 1.

Introdução............................................................................................................................. 6

2.

Desenvolvimento .................................................................................................................. 7 2.1.

Nutrientes ..................................................................................................................... 7

2.1.1.

Carboidratos ......................................................................................................... 7

2.1.2.

Proteínas ............................................................................................................... 8

2.1.3.

Lipídios .................................................................................................................. 9

2.1.4.

Vitaminas............................................................................................................. 10

2.1.5.

Sais Minerais ....................................................................................................... 13

2.2.

Suplemento nutricional ............................................................................................. 15

2.2.1.

Definição de Suplemento Nutricional ................................................................. 15

2.2.2.

Histórico .............................................................................................................. 15

2.2.3.

Uso de suplementos ............................................................................................. 17

2.2.4.

Classes suplementares......................................................................................... 18

2.2.5.

Principais suplementos ....................................................................................... 18

3.

Conclusão ........................................................................................................................... 29

4.

Referências bibliográficas .................................................................................................. 30


1.

Introdução

A sociedade tem como princípios o culto a beleza e a valorização da estética apreciável. As pautas estabelecidas por uma cultura, para a definição de belo, devem ser perfeitamente satisfeitas. As culturas responsáveis pelas definições dos padrões de beleza sofrem variações conforme os períodos e influencias do contexto histórico. Atualmente o culto a beleza tem definido o perfil corporal musculoso e definido, como o que mais satisfaz as pautas culturais. As indústrias e a mídia monopolizam e criam os padrões estéticos "perfeitos" cujo a sociedade incorpora e deseja alcançar. A mídia tem sido utilizada pelas indústrias como um meio de propagação da valorização estética, e das "formulas" que prometem resultados bastante satisfatórios, sem a necessidade de investir muito tempo, disciplina e esforço físico na modelação do corpo. Essas "formulas" levam as pessoas a se utilizarem desses recursos para atingir o resultado esperado em curto prazo, sem se preocupar com os prejuízos que podem resultar em longo prazo, para sua saúde e ultrapassando os limites naturais do organismo. Um aspecto de muita importância para se alcançar bons resultados é a nutrição, uma vez que ela é fundamental por desencadear uma série de reações no corpo, fazendo com que os resultados desejados sejam alcançados. Esta nutrição é composta basicamente por carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais.

6


2.

Desenvolvimento

2.1.

Nutrientes

Os nutrientes são substancias fornecidas depois da transformação dos alimentos ingeridos. Os mesmo desempenham funções essenciais em organismos vivos e são fundamentais para o perfeito funcionamento do organismo. Dentre as que mais se destacam são as funções energéticas, construtoras, reguladoras, ativadoras e protetoras.

2.1.1. Carboidratos Os carboidratos são biomoléculas que exercem diversas funções em nosso organismo, formadas a partir dos elementos carbono, hidrogênio e oxigênio, sendo que podem apresentar, ainda, nitrogênio, fósforo ou enxofre na sua composição. Também são conhecidos por outros nomes, como glicídios, hidratos de carbono e açúcares. São divididos em carboidratos simples (monossacarídeos como glicose, frutose e galactose; dissacarídeos, como sacarose, lactose e maltose; ou oligossacarídeos, como rafinose, estraquiose e frutooligossacarídeo) e carboidratos complexos (polissacarídeos, amido, celulose). 

Os carboidratos simples possuem uma estrutura química molecular de tamanho

reduzido e por isso suas moléculas são facilmente quebradas no processo digestivo, o que possibilita sua rápida absorção e digestão e consequente aumento súbito na taxa de glicose no sangue (glicemia), portanto os níveis de açucares no sangue aumentam, e a liberação da insulina ocorre. Este processo faz com que os carboidratos alimentem as células musculares em um tempo curto. Os alimentos que são fontes de carboidratos simples são as frutas, mel, xarope de milho, leite e derivados, açúcares e vegetais. 

Já os carboidratos complexos correspondem àqueles com estrutura química

maior, mais complexa, e, portanto suas moléculas são mais lentamente digeridas, realizando um aumento pequeno e gradual da glicemia, evitando assim, as grandes elevações e queda dos níveis glicêmicos. Os alimentos fontes de carboidratos complexos: arroz, pão, batata, massa e fibras. 7


O corpo pode armazenar carboidratos no fígado (glicogênio), músculos (glicogênio) e sangue (glicose), servindo como fonte de energia e satisfazendo as necessidades energéticas do organismo. Eles também podem atuar na regulação do metabolismo proteico, poupando as proteínas de serem utilizadas para produzir energia e mantendoas em sua função de construção de tecidos. A quantidade de carboidratos consumidos irá determinar como as gorduras serão utilizadas para suprir uma fonte de energia imediata. Ainda, os carboidratos são necessários para o funcionamento normal do sistema nervoso central, pois o cérebro não armazena glicose e por tanto necessita de um suprimento de glicose sanguínea diária e auxiliam na eliminação do bolo fecal, absorvendo água para dar massa ao conteúdo intestinal. A deficiência no consumo de carboidratos em dietas restritivas e jejum podem causar sérios problemas a saúde e integridade física, pois fará com que o organismo oxide os lipídeos, causando uma acidose metabólica, o que, consequentemente, pode levar ao coma e trazer riscos para o sistema nervoso central e para o organismo, de maneira geral.

2.1.2. Proteínas As proteínas são macromoléculas orgânicas, que podem conter carbono, hidrogênio, nitrogênio e oxigênio, e são formadas a partir de um conjunto básico de vinte aminoácidos, arranjados em várias sequências específicas. Algumas proteínas contêm elementos adicionais, como fósforo, ferro, zinco e cobre. Seu papel está relacionado com o controle de todas as funções celulares, uma vez que em cada célula existem vários tipos de proteínas, cada uma cumprindo uma função específica. Além disso, elas possuem uma grande variedade de funções nas células, dividas em dois grupos:

- Dinâmicas - Transporte, defesa, catálise de reações, controle do metabolismo e contração. - Estruturais - Proteínas como o colágeno e elastina, que promovem a sustentação estrutural da célula e dos tecidos.

As proteínas podem ser classificadas em simples (por hidrólise liberam apenas 8


aminoácidos) ou conjugadas (por hidrólise liberam aminoácidos mais um radical não peptídico, denominado grupo prostético), de acordo com o número de cadeias.

As principais fontes de Proteínas são as carnes, ovos, queijos, leite e seus derivados, feijão e legumes.

2.1.3. Lipídios Os lipídios são biomoléculas orgânicas compostas por átomos de hidrogênio, oxigênio, carbono e possuem em sua composição gorduras, óleos, ceras, colesterol, fosfolipídios e lipoproteínas. São caracterizados por serem insolúveis em água e em solventes orgânicos, como o álcool, benzina, éter, clorofórmio e acetona. A principal característica dos lipídios é o fornecimento de energia para as células, porém eles são a segunda fonte, pois a primeira são os carboidratos. Participam na composição das membranas celulares, são isolantes térmicos e protegem os órgãos internos. Além disso, facilitam determinadas reações químicas no organismo, como por exemplo, a produção de hormônio. A classificação dos lipídios é feita em três grupos:  Lipídeos Simples o Glicerídeos: são os óleos e gorduras, formados a partir da união do álcool glicerol com ácidos graxos. o Cerídeos: são mais comuns entre os vegetais, embora sejam produzidos também por animais. Atuam como impermeabilizastes nas frutas e folhas, impedindo a perda de água através da evaporação.  Lipídios Compostos: são formados através a união de ácido graxo, glicerol e algumas outras substancias. Os fosfoglicerídeos (fosfolipídios) são importantes por serem componentes das membranas celulares, que também apresentam o radical fosfato na sua estrutura.  Lipídios Derivados: os esteroides são um exemplo dessa classe, cujo mais importante é o colesterol, componente da membrana plasmática das células animais e precursor dos hormônios como a testosterona e a progesterona.

9


Os alimentos que são as principais fontes de lipídios são a margarina, os óleos de peixe, de soja, de canola, o milho, a soja e a aveia.

2.1.4. Vitaminas

As vitaminas são micronutrientes de extrema importância no processo de metabolismo de carboidratos, lipídios e proteínas. Existe uma grande variedade: Vitamina

Função

B1

Mantém circulatório

Fonte os

sistemas saudáveis,

nervoso auxilia

e Alface,

espinafre,

berinjela,

na cogumelos, grãos de cereais

formação do sangue e no metabolismo de integrais, feijão, nozes, atum, carboidratos, previne o envelhecimento, carne bovina e de aves. melhora a função cerebral, combate a depressão e a fadiga, converte o açúcar no sangue em energia.

B2

Ligada à formação de células vermelhas Vegetais, grãos integrais, leite e do sangue e anticorpos, envolvida na carnes. respiração e processos celulares, previne catarata, ajuda na reparação e manutenção da pele e na produção do hormônio adrenalina.

10


B3

Aumenta a circulação, reduz triglicérides Levedura, carnes magras de e colesterol, ajuda no funcionamento bovinos e de aves, fígado, leite, adequado

do

sistema

nervoso

e gema de ovos, cereais integrais,

imunológico, regula o açúcar no sangue, vegetais de folhas (brócolis, protege o corpo contra poluentes e espinafre), aspargos, cenoura, toxinas.

batata-doce,

frutas

secas,

tomate, abacate.

B5

Ajuda na formação de células vermelhas Carnes,

ovos,

leite,

grãos

do sangue e na desintoxicação química, integrais e inteiros, amendoim, previne degeneração de cartilagens, ajuda levedura, na

construção

colesterol

e

de

anticorpos,

triglicérides,

(brócolis),

reduz algumas frutas (abacate), ovário

ajuda

nas de peixes de água fria, geleia

disfunções hormonais. B6

vegetais

real.

Reduz o risco de doenças cardíacas, ajuda Cereais integrais, semente de na manutenção do sistema nervoso central girassol, e

no

sistema

imunológico,

feijões

(soja,

reduz amendoim, feijão), aves, peixes,

espasmos musculares, alivia enxaquecas e frutas (banana, tomate, abacate) náuseas, reduz o colesterol, melhora a e vegetais (espinafre). visão, previne aterosclerose e câncer. B7

Auxilia no crescimento celular, produção Carne de aves, fígado, rins, de ácidos graxos e redução de açúcar no gema

de

ovo,

couve-flor,

sangue, combate infecções, promove a ervilha. saúde das glândulas sudoríparas, do tecido nervoso, da medula óssea, das glândulas sexuais e células sanguíneas, previne

a

calvície,

alivia

dores

musculares, baixa a intolerância à insulina em diabéticos.

11


B9

Manutenção dos sistemas imunológico, Fígado, rins, vegetais de folhas circulatório e nervoso; antitóxico; ajuda a verdes, couve-flor. combater o primeiro infarto, o câncer de mama e de cólon, parasitas intestinais e envenenamento alimentar, diminui o risco de aterosclerose, promove a saúde dos cabelos e da pele, reforça o sistema imunológico e o sistema nervoso central.

B12

Auxilia a síntese de células vermelhas do Fígado, rins, carnes, peixes, sangue, manutenção do sistema nervoso, ovos, leite, queijo. ajuda no crescimento e desenvolvimento do corpo.

C

Indispensável para a síntese do colágeno, Frutas cítricas frescas (laranja, ajuda

na

glandulares

manutenção e

do

das

funções limão, tomate abacaxi, mamão

crescimento, papaia)

e

vegetais

frescos

manutenção dos tecidos, previne o câncer, (repolho, couve-flor, espinafre, aumenta a imunidade, protege contra pimentão verde). infecções. Colina

Ajuda

na

memorização,

controla

o Lecitina de soja, gema de ovo.

colesterol e as gorduras no corpo, ajuda a eliminar substâncias tóxicas (venenos e drogas) e na reconstrução do fígado danificado pelo álcool. A

Importante oxidante que protege células Frutas contra radicais livres.

e

vegetais

(cenoura,

abóbora, brócolis e espinafre) e gorduras amarelas de alimentos animais (fígado, ovos e leite).

12


D

É sintetizada com a ajuda dos raios Peixes gordos como o atum e o solares e imprescindível para a produção salmão. de insulina e a manutenção do sistema imunológico. Ajuda na absorção do cálcio.

K

Componente na formação de 13 proteínas Vegetais de folhas e legumes essenciais para a coagulação do sangue e (couve, envolvida na construção dos ossos.

E

o

câncer

cardiovasculares,

e

protege

de

Bruxelas,

brócolis, salsa).

Forte antioxidante contra radicais livres, Óleos previne

couve

(girassol,

amendoim),

doenças sementes de girassol, amêndoas, o

sistema amendoim, vegetais de folhas

reprodutor, previne catarata, reforça o verde-escuras. sistema imunológico, melhora a ação da insulina.

2.1.5. Sais Minerais Os sais minerais são substâncias inorgânicas. Suas principais funções estão em atuar como componente importante na formação e manutenção dos ossos do corpo humano participam da composição de algumas moléculas orgânicas. Existe uma grande variedade: Nutriente

Função

Cálcio

Importante processo

Fontes nutriente de

calcificação

no Leite e seus derivados (queijo, e iogurte) e vegetais com coloração

manutenção óssea, condução verde escuro. de

impulsos

nervosos

e

contração muscular. Fósforo

Auxilia a manutenção óssea, Carne em geral e legumes. composto das moléculas de DNA, RNA e ATP.

13


Sódio

Importante

no

balanço

de Leite e derivados, carnes e sal de

líquidos do corpo, essencial cozinha. para existir a condução do impulso nervoso. Flúor

Componente

presente

nos Peixes, uva-passa, chás.

ossos

dentes

que

e

proporcionam a sua formação. Magnésio

Auxilia no funcionamento de Cereais integrais e vegetais verdes enzimas e necessário para o funcionamento

normal

de

nervos e músculos. Ferro

Fundamental

na

respiração Fígado,

carnes,

gema

de

ovo,

celular devido ser componente legumes e vegetais verdes. da hemoglobina, mioglobina e enzimas respiratórias. Zinco

Auxilia no funcionamento de Carnes, vegetais verdes, ostra. enzimas.

Potássio

Participa na transmissão dos Frutas, verduras e legumes. impulsos

nervosos

e

nas

contrações muscular. Iodo

Composição

de

substâncias Sal de cozinha enriquecido com

hormonais da glândula tireoide. iodo. Cobre

Auxilia

na

produção

de Fígado, ovos, peixe e feijão.

hemoglobina e na formação da melanina. Cloro

Equilibram

líquidos

no Sódio do sal de cozinha.

organismo, além de formar o ácido clorídrico do estômago. Enxofre

Participar aminoácidos

de e

importantes Ovos, carnes e legumes. atua

como

coenzima.

14


Cromo

Atuar

no

metabolismo

da Carnes, cereais integrais, levedura de

glicose. Selênio

cerveja.

Participar do metabolismo de Carnes, frutos do mar, ovos, cereais

Manganês

gorduras.

integrais.

Ativador de muitas enzimas.

Vísceras, cereais integrais, legumes, café, chás.

Molibdênio

Essencial

para

funcionamento

de

o Vísceras, verduras, cereais integrais, algumas legumes.

enzimas.

2.2.

Suplemento nutricional

2.2.1. Definição de Suplemento Nutricional

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra Suplemento é originada do latim "supplementu", cujo possui o significado de: o que serve para suprir; o que se dá a mais; parte que se adiciona a um todo para ampliá-lo, esclarecê-lo ou aperfeiçoá-lo. Ou seja, o suplemento nutricional é um produto desenvolvido quimicamente, através de substancias naturais ou sintéticas, que comportam nutrientes (carboidratos, proteínas, lipídeos, vitaminas e sais minerais), cuja função é fundamental para compor o complexo que é responsável por ocorrer o aperfeiçoamento físico. Este complexo é definido por exercício, nutrição e metabolismo. Seu objetivo é exercer a função de suprir, repor ou acrescentar alguma substância especifica no organismo do individuo para complementar dietas, melhorar o desempenho, o tempo de recuperação muscular, desencadeando os resultados em menor prazo e de maneira mais prática.

2.2.2. Histórico

O universo esportivo teve os primeiros suplementos alimentares comercializados em 1950. Um dos primeiros produtos foi uma proteína desenvolvida e vendida por Irvin 15


Johnson em Chicago. Esta proteína possuía como base a formulação de proteína do leite e do ovo. Johnson mudou-se para Califórnia e mudou seu nome para Rheo Blair. A proteína desenvolvida por ele se tornou popular, virando uma sensação em musculação e filmes nos anos 60. Bob Hoffman se tornou concorrente de Blair, quando sua empresa desenvolveu a formulação de proteína à base de soja e a "Proteína do Mar", feita a partir de algas e tinha a função de induzir o vômito. Com o avanço cientifico, a indústria suplementar progrediu e com os bons resultados a partir das proteínas de leite e ovos, Scott Connelly de Maryland junto de um jovem empreendedor, Bill Phillips de Golden do Colorado desenvolveram um suplemento a base de proteína que possuía nutrientes suficientes para ser substituto de refeições. A comercialização de produtos similares continua até hoje de forma popularizada. Em 1980, a oposição à ideologia Hippie, marcada pelo consumo de drogas, álcool e tabaco, iniciou a “Geração Saúde”. Neste período houve uma consolidação de valores e padrões que prezavam a saúde, o culto ao corpo, a beleza e a juventude. Um dos marcos mais importantes para esta nova realidade foi a popularização de academias de ginástica, que desencadeou hábitos alimentares, pesquisas sobre dietas, exercícios físicos e suplementos nutricionais que traziam promessas de crescimento muscular, força e emagrecimento. A expansão da ideologia da geração saúde atingiu o mundo inteiro, inclusive o Brasil, porém a grande inovação da época, os suplementos alimentares não obtiveram grandes sucessos no mercado brasileiro, devido a não existência de produção nacional, poucas fabricações internacionais, pouca variedade suplementar, dificuldades na importação de matéria prima, barreiras politicas e tabus. Nesta época, a ANVISA, que se chamava Secretaria Nacional de Vigilância Sanitária, baseou-se nos regulamentos Europeus para projetar normas e leis aplicadas a suplementação nutricional. Este fato fez com que as normas Brasileiras fossem restritivas devido o conceito Europeu de que o Estado deve decidir pelo consumidor, aplicando-se uma ideologia bem diferente da Americana, que prezava liberdade ao consumidor de escolha. A falta de liberdade restringiu a capacidade laborativa e criativa dos empresários brasileiros, que poderia ter investido e desenvolvido diversos novos produtos do segmento suplementar. Foi somente depois do governo Collor que se tornou mais fácil à importação de grande escala de aminoácidos, proteínas, vitaminas e outros suplementos. A primeira empresa 16


nacional a fabricar suplementos, Integral médica foi fundada pelo Euclesio Bragança que hoje é o atual presidente da Associação Brasileira das Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri) e desenvolveu o primeiro suplemento alimentar genuinamente brasileiro. O primeiro suplemento nutricional desenvolvido por Bragança foi o Proteinato de Cálcio, desenvolvido a partir de dois importantes elementos associados ao crescimento e construção corporal: a proteína e o cálcio. A idéia de junção dos dois elementos foi desenvolvida com o intuito de atender as necessidades nutricionais tanto de pessoas com deficiência proteica quando de crianças em fase de crescimento, idosos ou homens e mulheres em idade adulta que não possuíam uma alimentação balanceada. O produto caiu no gosto dos praticantes de atividades físicas pelos resultados que proporcionava e pelo alto teor proteico. O público consumidor de suplementos nutricionais eram fisiculturistas. Já atualmente o cenário mudou e o uso de suplementos é feito por diversas pessoas com diversas finalidades, para saúde, qualidade de vida, longevidade, nutrição, melhor desempenho físico, dietas, lazer, recuperação e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis.

2.2.3. Uso de suplementos

O uso de suplementos nutricionais é indicado para pessoas aptas à prática de exercícios físicos ou para prevenir e tratar doenças. Para realizar o uso destes produtos é necessário o acompanhamento de algum profissional especializado na área de nutrição, medicina esportiva ou endocrinologia e o acompanhamento que deverá ser realizado pelo profissional deve ser composto pela realização de exames físicos e laboratoriais, para que possa colher informações precisas sobre o organismo do individuo e através destas diagnosticar a necessidade de utilizar estes produtos para compor a nutrição e se alcançar os objetivos do paciente. Embora estas medidas sejam as idéais e necessárias para que o individuo utilize estes produtos, a realidade é bem diferente uma vez que não é necessário receita médica para comprar suplementos, facilitando o acesso de qualquer individuo a estes produtos.

17


2.2.4. Classes suplementares  Repositores Hidreletrolíticos: são suplementos que possuem carboidratos e eletrólitos. Têm por objetivo a reposição de líquidos e sais que são perdidos na prática de exercícios físicos por meio da transpiração.  Repositores Energéticos: apresentam, em sua maioria, carboidratos em sua composição com acréscimo ou não de vitaminas e minerais. Mantém o nível correto de energia para os atletas.  Suplementos Proteicos: são produtos com proteínas, principalmente, que devem ter um alto valor biológico, provindas de animais. Podem conter gorduras e carboidratos.  Suplementos Compensadores: Devem concentrar proteínas, carboidratos e gorduras em concentrações diversas. Podem levar também vitaminas e minerais.  Aminoácidos de Cadeia Ramificada: São constituídos por aminoácidos essenciais, ou seja, os que o corpo não produz e que devem ser supridos na alimentação. São eles: a leucina, isoleucina e valina. São consumidos pelos atletas que realizam uma atividade física que dura por um longo período.  Suplementos Hormonais: São substâncias que estimulam a produção de hormônios. Utilizam substâncias naturais e artificiais.  Suplementos Emagrecedores: Ajudam no aumento do metabolismo. Contribuem na perda de peso e gordura corporal.

2.2.5. Principais suplementos

Hoje, o mercado de suplementos nutricionais possuem uma vasta variedade de suplementos, com diversas funções. A cada dia, as indústrias suplementares realizam grandes renovações tecnológicas destes produtos, para alcançar maior perfeição e assim saciar as diferentes necessidades de seus consumidores.

18


2.2.5.1. Whey Protein

Possui proteína extraída através do soro do leite, que corresponde a 20% do total de proteínas contidas no leite de vaca, sendo os outros 80% compostos de caseína. Este suplemento tem como objetivo fornecer proteína pura ao organismo. Outros benefícios apresentados pelo uso do mesmo são manter pH do sangue equilibrado, preservar os tecidos musculares, ser fonte de energia quando não houver carboidratos disponíveis, manter equilíbrio aos níveis hormonais, adequar o sistema imunológico do corpo, promover maior retenção de nitrogênio, ação antioxidante e fortalecer o sistema imunológico. Existem três diferentes tipos de principais wheys:  Whey Protein Concentrado (WPC): é o mais comum já que seu processo de produção é o mais fácil de ser realizado devido menor número de filtragens que ele precisa passar no processo de fabricação. Sua composição é de 70% a 80% de proteína, sendo o restante gorduras, carboidratos, minerais e lactose. Seu custo é menor do que as outras opções.

Figura 1: 100% Whey Protein http://www.vianutri.com.br/media/catalog/product/cache/1/image/9df78eab33525d08d6 e5fb8d27136e95/1/0/100-whey-protein-2lbs-optimum_3.jpg

19


 Whey Protein Isolado (WPI): Este Whey Protein passa por um processo de filtragem fino, o que dá maior pureza ao Whey (95% de proteína).

Figura 2: Elite Whey Protein Isolate http://www.agrnews.org/dymatize-elite-whey-the-100-elite-protein/  Whey Protein Hidrolisado (WPH): Este Whey Protein passa por um processo de filtragem fino e longo, fazendo com que ocorra o processo de hidrólise (as cadeias longas de proteínas sejam quebradas gerando cadeias menores, gerando uma absorção mais rápida). Devido a esse processo, sua composição de proteínas é alta e a concentração de outras substancias são pequenas, como o caso da lactose. Devido a esta menor concentração de outras substancias ele é o mais indicado para indivíduos que possuem intolerância a lactose e alergias. Seu custo é bem mais elevado do que os outros 2 tipos de Whey citados acima.

20


Figura 3: Platinum Hydro Whey http://www.madrugaosuplementos.com.br/platinum-hydro-whey-1-590g-optimumnutrition O consumo deste produto é indicado para ser realizado conforme sua necessidade de proteínas durante o dia, podendo sofrer variações conforme sua dieta. Normalmente este produto é utilizado em algumas dessas opções; de manhã, anteriormente ao treino, posteriormente ao treino, ou à noite. As dosagens também sofrem variações de acordo com o organismo do individuo, o tipo de proteína (WPC, WPI, WPH) e a marca do produto. Existem relatos de efeitos colaterais como problemas digestivos, inchaço, cólicas, cansaço, fraqueza, fadiga, dores de cabeça, irritabilidade, ganho de peso, surgimento de acne, hipotéticas reações alérgicas e o aumento do colesterol. Estes efeitos colaterais são casos isolados que estão relacionados a marca do produto, organismo do individuo, quantidade e frequência de uso.

2.2.5.2. Creatina

A creatina é um composto produzido pelo organismo no fígado, nos rins e no pâncreas e é estocado na célula muscular na forma de fosfocreatina (PCr) e creatina livre (Cr). Sua função no organismo é auxiliar na reciclagem do ATP (fonte de energia para a célula) 21


de forma rápida, aumentando a energia para exercícios de alta intensidade e curta duração. A creatina puxa a água do lado de fora da célula para dentro, fazendo-a inchar e esta é a razão do rápido ganho de peso. O aumento do teor de água nas células musculares causa uma grande tensão nas membranas, a qual envia uma mensagem para o núcleo da célula, que envia uma mensagem pelo mRna para aumentar a síntese proteica muscular, fazendo o músculo se desenvolver mais rapidamente ao longo do curso, resultando em mais força, aumento de massa muscular e maior resistência à fadiga muscular. O consumo deste produto é indicado para ser realizado anteriormente ao treino e posteriormente ao treino. As dosagens devem ser de 2-10 gramas por ingestão. Existem relatos de efeitos colaterais como retenção hídrica, alterações hepáticas, disfunção renal, pedras nos rins, inchaço e cãibras.

Figura 4: Creatina Powder http://www.madrugaosuplementos.com.br/creatina-powder-300g-optimum-nutrition São vários os tipos de creatina, sendo que a mais utilizada popularmente como suplemento é a creatina monohidratada. A creatina monohidratada é composta a partir da associação de 03 aminoácidos de alto valor biológico: Arginina, Glicina e Metionina, e possui micropartículas que são 20 vezes menores do que o pó de creatina pura. Devido seu tamanho ela resulta em uma absorção mais pura e rápida. A creatina micronizada, possui alto nível de pureza e atua na regeneração do ATP (o único combustível imediatamente disponível para fornecer energia para as células reagirem com contração muscular), fazendo com que o organismo regenere o armazenamento temporário de energia, durante os exercícios. A creatina pura é produzida no organismo humano (fígado, pâncreas e rins) e depois transportada para os músculos do corpo humano através da corrente sanguínea. Embora as creatinas citadas acima sejam as mais populares, existe uma grande variedade de creatinas, tartarato de creatina, nitrato de creatina, anidro creatina, creatina 22


pyroglutamate, creatina ethyl, taurino de creatina, citrato de creatina, creatina “titrate”, creatina krealkalyn, nitrato de creatina, creatina alfa cetoglutarato, creatina HMB, creatina orótica e gluconato de creatina.

2.2.5.3. BCAA O BCAA (Branch Chain Amino Acids, significa aminoácidos de cadeia ramificada) possui uma fórmula desenvolvida através da formulação de três aminoácidos essenciais (L-Valina, L-Leucina e L-Isoleucina), os quais não são produzidos pelo corpo e, portanto as únicas fontes para obtê-los é através da alimentação ou suplementação. O uso do BCAA aumenta a síntese de proteínas musculares e reduzem a sua degradação; encurtando o tempo de recuperação após o exercício, diminuindo fadigas musculares, inibindo o catabolismo, aumentando a resistência muscular e preservação de glicogênio muscular. O consumo deste produto é indicado para ser realizado anteriormente e posteriormente ao treino, em uma quantidade próxima a 4-8 gramas por ingestão.

Existem relatos de efeitos colaterais como fadiga, gerada devido o aumento das concentrações plasmática e muscular de amônia, perda de coordenação motora, deficiência em funções celebrais e problemas gastrintestinais. Os formatos de BCAA disponíveis no mercado são em tabletes ou capsulas (praticidade de uso), em pó (dosagem variada pelo consumidor, menor custo) e líquido (maior absorção com maior velocidade e maior custo).

Figura 5: BCAA 1000 http://www.corpoperfeito.com.br/produto/bcaa_1000_optimum

23


2.2.5.4. Glutamina

A glutamina é um aminoácido condicionalmente essencial, ou seja, o organismo consegue produzir, mas em situações de estresse metabólico. Possui inúmeras funções no organismo, incluindo o fortalecimento da musculatura e do sistema imunológico (de reforçar, tanto no fornecimento de energia para as células do intestino delgado como para células do sistema imune). Além disso, promove uma recuperação pós-exercício mais efetiva, aumenta a hidratação das células e servindo como estímulo ao anabolismo e serve de substrato energético durante atividade física. Um dos motivos pelo qual a glutamina melhora a manutenção da musculatura é o estímulo à secreção do hormônio de crescimento. Quanto maior os níveis do hormônio de crescimento, maior é a construção e o reparo dos tecidos. O consumo deste produto é indicado para ser realizado anteriormente e posteriormente ao treino em uma quantidade de 5-20 gramas por ingestão. Existem relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento dor nos rins, calafrios, vertigens, dores de cabeça, febre, desmaios, aperto de peito e do estômago, taquicardia, risco de convulsões, diarreia, diminuição da sensibilidade ao toque, mãos e pés frios, depressão, descoloração dos dedos e das unhas, diminuição da habilidade para concentrar, e um sentimento geral de fraqueza, indigestão, falta de apetite, náusea, flatulência, intumescimento do ânus, libertação de gases, congestão, garganta seca e com dores, rinorreia e cirrose do fígado.

Figura 6: Glutamina 1000 http://www.madrugaosuplementos.com.br/glutamina-1000-120caps-optimum 24


2.2.5.5. Dextrose

O suplemento Dextrose é também conhecido como "glicose", nutriente que é a principal fonte de energia das células vivas. Sua composição é proveniente de carboidratos simples que possuem estrutura molecular de tamanho reduzido, facilitando a digestão e rápida absorção. A dextrose é ideal para fornecer energia rapidamente para uma atividade, repor rapidamente as reservas de açúcar no organismo e promover o anabolismo durante a recuperação pós-treino. O consumo deste produto é indicado para ser realizado posteriormente ao treino, em uma quantidade próxima 250 gramas por ingestão. Não há relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento.

2.2.5.6. Maltodextrina Devido sua composição complexa, este suplemento proporciona a liberação gradual de glicose para o sangue mantendo o índice glicêmico mais estável por um período prolongado, ajudando a sustentar os níveis de energia durante a atividade. A insulina que ira exercer o papel de transportar a glicose do sangue para dentro das células ira atuar sobre um tempo mais prolongado devido a ação da glicose ser gradual, assim outros nutrientes terão maior absorção devido o tempo mais prolongado se aproveitando mais dos nutrientes disponíveis. O consumo deste produto é indicado para ser realizado anteriormente e durante o treino, em uma quantidade próxima 150 gramas por ingestão. Não há relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento.

2.2.5.7. Pré-treino/Vasodilatador Os pré-treinos são substancias que são desenvolvidas para dar mais força, energia, menor tempo de recuperação muscular, vascularização, disposição e rendimento durante os treinos. A concentração de substâncias com efeitos estimulantes é bem elevada, e os efeitos variam de consumidor para consumidor. Estes suplementos fazem com que os vasos sanguíneos se dilatem, normalmente através de substancias que fazem com que o corpo produza óxido nítrico, permitindo que mais oxigênio e nutrientes alcancem suas células musculares. Muitas marcas que possuem pré-treinos não possuem autorização de venda no Brasil já que possuem substâncias consideradas de risco a saúde humana. O 25


consumo deste produto é indicado para ser realizado anteriormente ao treino, em uma quantidade variada, conforme a marca e quantidade de substâncias. Existem relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento como: boca seca, enjoo, arritmia, falta de concentração, agitação, dor de cabeça, alteração da pressão arterial, ansiedade, aumento dos batimentos cardíacos, nervosismo, tremores, suor excessivo, dependência, perda de sono, desanimo pós-uso e ataque cardíaco.

Figura 7: Efeitos do Pré-treino/Vasodilatador no atleta durante o treino http://tudosobremaromba.blogspot.com.br/2013/02/vasodilatacao-mitos-everdades.html

2.2.5.8. Outros suplementos  Termogênico: possuem o objetivo de eliminar gordura através do aumento da temperatura corporal e dos batimentos cardíacos, fazendo com que o sangue circule em velocidade mais elevada pelo organismo e ocorre a dilatação das veias. Estas substancias também estimulam as glândula tireoide, pois as mesmas produzem hormônios que aumenta sua taxa metabólica, resultando em maior número de calorias queimadas. O consumo deste produto é indicado para ser realizado anteriormente ao treino, em uma quantidade variada conforme a marca e quantidade de substâncias. Existem relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento como: dor de cabeça, alteração da pressão arterial, ansiedade, 26


aumento dos batimentos cardíacos, nervosismo, tremores, suor excessivo, perda de sono, desanimo pós-uso e ataque cardíaco.  Multivitamínicos: são complexos vitamínico-minerais, nutrientes essenciais, que o corpo não possui a capacidade de produzir, que são vitais para a saúde, devido servir de base para funções cerebrais, contração muscular, balanço de fluidos e produção de energia. O uso destes suplementos multivitamínicos, tem como função abastecer as necessidades diárias do corpo para manter as funções vitais do organismo em ordem. Seu consumo é indicado para ser realizado de manhã e de noite, em uma quantidade de 1 cápsula por ingestão. Existem relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento no caso de excesso como: náusea, diarreia, vômito e problemas direcionados ao excesso de alguma vitamina especifica.  Tribulus Terrestris: trata-se de uma erva que tem sido usada na medicina durante longo período, possuindo diferentes origens regionais. Sua utilização na China, por exemplo, é nas regiões asiáticas, tinham como objetivo tratar doenças no fígado, rins, bexigas, utilidades anti-inflamatórias, melhorar as funções cardíacas, curar dores de cabeça e exaustão nervosa. O tribulus é um adaptógeno da testosterona, sendo assim ele possui função de reequilibrar os níveis de testosterona no organismo. Devido o fato deste suplemento regular os níveis de testosterona no organismo, seu uso faz com que o metabolismo do individuo não sofra tantas variações e se mantenha sempre em alta, consequentemente os resultados são ganho de massa magra e aumento do libido sexual. Este suplemento normalmente é utilizado em terapias pós-ciclo, pois durante o ciclo de anabolizantes, os níveis de testosterona aumentam de forma relevante e o organismo então começa uma serie de reações para eliminar o excesso e se proteger, então o organismo cessa a produção de testosterona e desativa os receptores de testosterona. O consumo deste produto é indicado para ser realizado de manhã e de noite, em uma quantidade próxima a 500 miligramas por ingestão. Não há relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento, no entanto, pouco se sabe sobre seu uso prolongado, novas pesquisas ainda estão em andamento.  Zma: O suplemento ZMA, possui uma fórmula composta por zinco, magnésio e vitamina B6. Sua reação eficaz no organismo faz com que exista um aumento 27


dos níveis de hormônios anabólicos, gerando maior força, resistência, e massa muscular. É recomendado o uso deste mesmo 30 minutos depois dos treinos e 30 minutos antes de dormir, pois ele irá proporcionar relaxamento muscular e ajudar no processo de recuperação do tecido muscular no pós-treino. Não há relatos de efeitos colaterais relacionados a este suplemento, porém o excesso dos nutrientes que ele possui são prejudiciais a saúde.  Albumina: é uma proteína extraída da clara do ovo. Seu alto valor biológico faz com que a albumina tenha uma lenta e boa absorção no organismo. O custo da albumina é relativamente baixo, e a mesma é apontada como um dos suplementos que possui melhor custo beneficio. O consumo deste produto é indicado para ser realizado a noite (antes de dormir) ou em algum momento durante o dia em que o usuário fica em jejum por longo período. As dosagens sofrem variações por conta do organismo do individuo, o tipo e intensidade do treino e a marca do produto. Existem relatos de efeitos colaterais como problemas digestivos, inchaço, cólicas, irritabilidade, ganho de peso, o surgimento de acne, reações alérgicas, o aumento do colesterol, problemas hepáticos e gases.  Caseína: é uma proteína encontrada no leite de mamíferos e corresponde aproximadamente 80% das proteínas do leite de vaca e por volta de 20% das proteínas do leite humano. Esta proteína possui grande popularidade no mercado consumidor devido sua digestão prolongada que é resultado de uma propriedade atraente da molécula de caseína que capacita ela se coagular no estômago. Esta coagulação proporciona uma libertação continua lenta de aminoácidos para a corrente sanguínea, muito eficiente no fornecimento de nutriente de duração de várias horas. Sua utilização tem como principal objetivo evitar o catabolismo e manter o organismo em anabólico. O consumo deste produto é indicado para ser realizado a noite (antes de dormir) ou em algum momento durante o dia em que o usuário fica em jejum por longo período. As dosagens sofrem variações devido o organismo do individuo, o tipo de caseína e a marca do produto. Existem relatos de efeitos colaterais como problemas digestivos, inchaço, cólicas, cansaço, fraqueza, fadiga, dores de cabeça, irritabilidade, ganho de peso, o surgimento de acne, hipotéticas reações alérgicas e o aumento do colesterol.

28


3. Conclusão

O grande mistério do universo suplementar é baseado a partir do questionamento dos benefícios e malefícios do uso de produtos nutricionais. O fato do uso de suplementos nutricionais gerarem malefícios a saúde deve ser analisado de forma cautelosa devido à diversidade de fatores que podem interferir e provocar estes malefícios. Isso se dá devido ao fato de que estas substâncias, na maioria das vezes, são utilizadas sem acompanhamento médico, o que pode ser comprovado com uma pesquisa realizada pelo programa “Bem Estar” da rede Globo, que questionou 731 pessoas sobre o hábito de procurar orientação médica antes de tomar algum suplemento alimentar. Destas, 39% responderam que sim e 61% responderam que não. Assim, esses números comprovam o que já foi dito. Outro fator que esta relacionado com malefícios gerados por suplementos, são as empresas que fabricam e comercializam produtos suplementares fora dos padrões exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A falta de fiscalização e controle da ANVISA, resulta na comercialização de produtos que promovem risco a saúde. Devido esta realidade, a ANVISA, junto da Agência Nacional de Saúde, deve tomar providências, para que o uso destas substâncias suplementares sejam realizadas visando à saúde em primeiro lugar, inibindo possíveis malefícios e consequências ao usuário. As atitudes a serem tomadas para se atingir um caminho seguro, na comercialização e utilização dos suplementos nutricionais, devem vir a partir de campanhas de conscientização, principalmente para o público jovem que representa uma grande maioria de usuários de suplementos, gerando um conhecimento apropriado aos indivíduos que irão consumir. Constantes e rígidas fiscalizações da ANVISA. Leis que obriguem profissionais especializados a receitarem os suplementos aos esportistas e atletas. Através destas medidas os usuários destas substâncias estarão objetivando seus resultados e preservando sua saúde e integridade física, não sendo prejudicados pelo uso destes produtos, que devem gerar benefícios e não malefícios a saúde.

29


4. Referências bibliográficas Suplementação esportiva - auxílios ergogênicos nutricionais no esporte exercício - editora phorte - Tácito pessoa de Souza Júnior / Benedito pereira Nutrição e metabolismo- aplicados a atividade motora - aplicados a atividade motora- atheneulancha Jr, Ah / Pereira-lancha,Lo Nutrição esportiva - uma visão pratica -Márcia daskal hischbruch/Juliana Ribeiro de Carvalho Editora Manole Biologia - Volume Único - César e Sezar - Editora Saraiva REVISTA SUPLEMENTAÇÃO - ANO 01 - EDIÇÃO 04 - Matéria: História dos Suplementos no Brasil – INTEGRALMÉDICA http://www.anutricionista.com/o-que-sao-suplementos-alimentares.html (22/04/2013) http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/07/suplemento-alimentar-so-pode-ser-indicadopor-medico-ou-nutricionista.html (22/04/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/tudo-sobre-a-creatina/ (22/04/2013) http://suplementacaocomsaude.com/creatina.html (22/04/2013) http://www.clubdofitness.com.br/18-tipos-diferentes-de-creatina/ (22/04/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-musculo/creatina.html (22/04/2013) http://www.creatinas.com.br/creatina-pura.html (23/04/2013) http://www.creatinas.com.br/creatina-micronizada.html (23/04/2013) http://www.creatinas.com.br/creatina-monohidratada.html (23/04/2013) http://www.emforma.net/2976-os-efeitos-secundarios-da-glutamina (18/05/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/o-que-e-glutamina/ (18/05/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-musculo/glutamina.html (18/05/2013) http://suplementacaocomsaude.com/glutamina.html (18/05/2013) http://definicaototal.com.br/suplementacao/suplementos-vasodilatadores-oxido-nitrico/ (11/06/2013) http://www.infoescola.com/biologia/vasodilatacao/ (11/06/2013)

30


http://homensquesecuidam.com/2013/04/o-que-sao-suplementos-pre-treino.html (11/06/2013) http://boavidafitness.wordpress.com/tag/historia-dos-suplementos/ (31/10/2013) http://blogdamimis.com.br/2013/03/15/termogenicos-e-pre-treinos-a/ (11/06/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/termogenicos-x-pre-treino/ (11/06/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/o-que-e-termogenico/ (11/06/2013)

http://saude.terra.com.br/bem-estar/termogenico-emagrece-veja-como-eles-agem-noorganismo,5cb98c3d10f27310VgnCLD100000bbcceb0aRCRD.html (11/06/2013) http://www.tuasaude.com/multivitaminicos/ (08/06/2013) http://suplementacaocomsaude.com/multivitaminicos.html (12/06/2013) http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/como-usar-os-multivitaminicos/169/ http://www.corpoperfeito.com.br/ce/multivitaminicos (08/06/2013) http://www.saudeesportiva.com.br/vitaminas.php (12/06/2013) http://www.espacovolpi.com.br/nutrologia-saude/abuso-vitaminas-efeitos-colaterais.php (08/06/2013) http://www.tuasaude.com/multivitaminicos/ (12/06/2013) http://www.corpoperfeito.com.br/ce/proteinas (06/05/2013) http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/nutricao/guia/proteinas-equilibre-o-cardapio-e-serecupere-melhor-apos-os-exercicios.html (06/05/2013) http://www.tabelanutricional.com.br/alimentos/contem/proteinas (06/05/2013) http://www.universitario.com.br/celo/topicos/subtopicos/citologia/bioquimica/proteinas.htm l http://www.enq.ufsc.br/labs/probio/disc_eng_bioq/trabalhos_pos2003/const_microorg/prote inas.htm (06/05/2013) http://www.vitafor.com.br/artigos/wheyprotein.PDF (06/05/2013) http://www.alimentacaosaudavel.org/Carboidratos.html (06/05/2013) http://saude.hsw.uol.com.br/carboidratos-basico.htm (06/05/2013) http://www.infoescola.com/nutricao/carboidrato/ (06/05/2013) http://www.corpoperfeito.com.br/ce/carboidratos (06/05/2013) 31


http://www.tabelanutricional.com.br/alimentos/contem/carboidratos (06/05/2013) http://www.todabiologia.com/saude/carboidratos.htm (12/06/2013) http://www.enq.ufsc.br/labs/probio/disc_eng_bioq/trabalhos_pos2003/const_microorg/carb oidratos.htm (12/06/2013) http://www.brasilescola.com/biologia/carboidratos.htm (06/05/2013) http://quimicanova.sbq.org.br/qn/qnol/1995/vol18n3/v18_n3_06.pdf http://www.scielo.br/pdf/cta/v26n3/31773.pdf (30/05/2013)

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/bem-estar/noticia/2013/04/conheca-asprincipais-vitaminas-e-suas-funcoes-4109343.html (28/04/2013) http://dicasdemusculacao.com/entenda-o-que-sao-lipidios-e-sua-funcao-dentro-doorganismo/ (30/05/2013) http://www.tabelanutricional.com.br/alimentos/contem/lipidios (30/05/2013) http://bioquimica.ufcspa.edu.br/pg2/pgs/nutricao/quimicanut/lipidios.pdf (30/05/2013) http://www.infoescola.com/nutricao/lipidios-gorduras/ (30/05/2013) http://www.todabiologia.com/dicionario/lipidios.htm (30/05/2013) http://www.sobiologia.com.br/conteudos/quimica_vida/quimica3.php (30/05/2013) http://www.brasilescola.com/biologia/lipidios.htm (30/05/2013) http://www.todabiologia.com/saude/sais_minerais.htm (12/09/2013) http://www4.faac.unesp.br/pesquisa/nos/bom_apetite/tabelas/sai_min.htm (12/09/2013) http://www.brasilescola.com/biologia/os-sais-minerais.htm (12/09/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-energia/dextrose.html (15/09/2013) http://www.vulgosuplementos.com.br/index.php?route=product/product&product_id (15/09/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/dextrose-maltodextrina-e-waxy-maize/ (15/09/2013) http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_frame.asp?cod_noticia=946 (16/09/2013) http://www.anutricionista.com/o-que-sao-suplementos-alimentares.html (16/09/2013)

32


http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/04/suplementos-alimentares-servem-para-suprirnecessidades-nutricionais.html (16/09/2013) http://www.anutricionista.com/o-que-sao-suplementos-alimentares.html (19/09/2013) http://suplementos-alimentares.info/ (19/09/2013) http://www.nutricore.com.br/dicionarios (19/09/2013) http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_frame.asp?cod_noticia=946 (24/09/2013) http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/07/suplemento-alimentar-so-pode-ser-indicadopor-medico-ou-nutricionista.html (12/10/2013) http://www.clubdofitness.com.br/18-tipos-diferentes-de-creatina/ (23/04/2013) http://www.mais-saude.org/suplementos-musculacao/creatina/diferentes-tipos-de-creatina http://www.vianutri.com.br/blog/o-que-e-zma-tudo-sobre-zma/ (19/10/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-musculo/estimulador-hormonal-testosterona.html (19/10/2013) http://www.corpoperfeito.com.br/artigo/visualizacaoartigo.aspx?idartigo=47 (19/10/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/o-que-e-zma/ (24/09/2013) http://www.educacaofisica.com.br/index.php/ciencia-ef/canais-cienciaef/doping/22100-zmaprecursor-anabolico-natural (12/10/2013) http://www.corpoperfeito.com.br/ce/maltodextrina (12/10/2013) http://www.sonutricao.com.br/conteudo/artigos/dextrose/ (12/10/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/dextrose-e-maltodextrina/ (26/09/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/dextrose-maltodextrina-e-waxy-maize/ (26/09/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-energia/repositores-energeticos.html (26/09/2013) http://www.educacaofisica.com.br/index.php/ciencia-ef/canais-cienciaef/nutricaohidratacao/25663-suplementacao-alimentar-o-que-e-para-quem-sao-os-suplementosalimentares (09/10/2013) http://www.ativo.com/Canais/Pages/ProfDrReinaldoABassit.aspx (09/10/2013) http://suplementos-alimentares.info/(09/10/2013) http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/04/suplementos-alimentares-servem-para-suprirnecessidades-nutricionais.html (26/09/2013) 33


http://www.educacaofisica.com.br/index.php/ciencia-ef/canais-cienciaef/nutricao(19/10/2013) hidratacao/26453-conheca-os-beneficios-da-albumina-no-ganho-de-massa-magra (19/10/2013) http://www.treinomestre.com.br/albumina-o-que-e-efeitos-e-como-tomar/ (19/10/2013) http://www.planetadocorpo.com/2009/05/albumina.html (19/10/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-musculo/albumina.html (19/10/2013) http://www.tuasaude.com/albumina/ (19/10/2013) http://www.corpoperfeito.com.br/ce/albumina (19/10/2013) http://www.malhandocerto.com/suplemento/caseina/ (19/10/2013) http://www.sncsalvador.com.br/mais-musculo/caseina.html (12/10/2013) http://www.planetadocorpo.com/2013/05/caseina.html (12/10/2013) http://suplementacaocomsaude.com/caseina.html (12/10/2013) http://www.musculacao.net/tudo-sobre-a-caseina/ (12/10/2013) http://rspress.com.br/health4life/caseina/ (12/10/2013) http://www.potencialsuplementos.com.br/artigo/historia-suplementos-alimentares (31/10/2013) http://jornalismofasipe.liveradio.com.br/trabalhos/reportagem-especial-beneficios-emaleficios-dos-suplementos-alimentares/ (31/10/2013) http://boavidafitness.wordpress.com/tag/historia-dos-suplementos/ (31/10/2013) http://www.revistasuplementacao.com.br/?mode=materia&id=93 (31/10/2013) http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/noticia/2013/09/polemica-do-whey-protein-vejalista-com-os-produtos-reprovados.html (31/10/2013) http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/09/nutricionista-fala-sobre-beneficios-ecuidados-com-suplementos.html (31/10/2013) http://www.revistasuplementacao.com.br/?mode=materia&id=93 (31/10/2013)

34


Tcc guilhermefinalizado (1)