Issuu on Google+

Colégio Ofélia Fonseca

Artes Marciais - Taekwondo

Lucas Guimarães Borlenghi Neto

São Paulo 2013


Lucas Guimar達es Borlenghi Neto

Artes Marciais - Taekwondo

Trabalho apresentado sob a orienta巽達o do professor Henrique Kurosaki, da disciplina Biologia

S達o Paulo 2013


AGRADECIMENTOS.

Gostaria de expressar o meu muito obrigado ao meu orientador Henrique Kurosaki (Prof. de Biologia) por me ajudar neste trabalho e dedicar-se esforçadamente para a orientação e realização deste TCC. Minhas gratidões aos meus mestres de Taekwondo por terem me inspirado e mudado a minha vida para melhor durante esses anos de treino, ao Claudio Perez e Rodrigo Seta; aos amigos e colegas de treino. E por fim agradeço os meus amigos e colegas de sala de aula por terem me ajudado em discussões para a realização deste trabalho, em especial a Mayara Sanches que esteve comigo durante toda a etapa final do trabalho. Obrigado também a direção do colégio por me proporcionar a realização de um trabalho que, com certeza, me fez amadurecer em âmbitos escolares.


RESUMO.

Este trabalho tem como objetivo discutir sobre o Taekwondo, uma arte marcial Coreana muito conhecida no mundo todo, não muito diferente do Karate, no qual o combate utiliza 90% das pernas ao aplicar os golpes. O Taekwondo e muitas outras artes marciais estão inseridos na área desportivo-competitiva, lazer, terapia ocupacional e no caráter educativo e disciplinar. Contudo, vem o pensar de que esta arte marcial pode estar ligada diretamente a agressividade de jovens praticantes, porém quem pratica artes marciais com bons mestres e com consciência, sabe que elas não remetem a violência. No entanto, com a leitura deste trabalho de conclusão de curso poderá ver que é o contrário, todas as teorias pregam sempre o bom senso, a disciplina e o respeito ao próximo.


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO. ................................................................................................................................. 6 1.1

Motivo de escolha do tema...................................................................................................... 6

1.2

Miscigenação da cultura. ......................................................................................................... 6

1.3

O que são artes marciais? ........................................................................................................ 7

1.4

O Taekwondo: ......................................................................................................................... 8

1.5

Porque as artes marciais foram criadas?.................................................................................. 9

1.6

Sua historia, a origem. (Taekwondo). ..................................................................................... 9

1.7

A nossa sociedade: ................................................................................................................ 12

2. DESENVOLVIMENTO. .................................................................................................................. 13 2.1 Benefícios das artes marciais: ..................................................................................................... 13 2.2 O Malefício Físico....................................................................................................................... 14 2.3 Artes marciais e briga de rua. .................................................................................................... 145 2.4 Violência nas artes marciais, quem são os culpados? ............................................................... 156 2.5 Entrevistas. ................................................................................................................................ 167 3. CONCLUSÃO. ................................................................................................................................. 23 4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................................................... 25


1. INTRODUÇÃO.

1.1 Motivo de escolha do tema.

Na minha infância, fui um garoto gordinho com tendências de ser alguém obeso em dias de hoje, porem na época minha mãe me incentivou a praticar exercícios; aos 8 anos ela me inscreveu para a academia "Competition", onde comecei a fazer algumas aulas de ginástica, Judô e Taekwondo. Com o passar do tempo, eu acabei gostando mais de praticar o Taekwondo, onde além de fazer vários amigos, minha vida tinha mudado por inteira; minha saúde melhorou, minha felicidade, minha disposição, acabei virando um garoto com uma vida ativa, porém gordinho ainda. Desde então não parei mais de fazer Taekwondo, acabou virando rotina e a melhor parte do dia pra mim. Hoje, sou faixa preta, com muito orgulho, pois, foram exatamente 10 anos de dedicação, treino, foco e forca, e não foi apenas benefícios físicos que tive, também estudei sobre essa arte marcial e a cultura Coreana. Em todos os meus exames de faixa, eu precisava fazer trabalhos sobre esta arte marcial e a cultura coreana, e por isso digo que estou apto a fazer meu TCC sobre este tema, porque eu me interesso, eu gosto, estudo há 10 anos sobre esta arte marcial e me identifico com ela.

1.2 Miscigenação da cultura.

A sociedade contemporânea vive em uma fase de excesso de informação, no qual a globalização esta presente em tudo e em todos os momentos, espaços em que culturas se misturam e criam outras novas, hábitos, viveres e entre outros. Como a cultura brasileira que é uma miscigenação de outras culturas, por exemplo, a cultura oriental que está bastante presente em nosso cotidiano, ainda nos dois maiores pólos de concentração populacional: Rio de Janeiro e São Paulo ( Link 1 e Link 2 pag.24) Isso gera uma realidade cultural que, de certo modo, trás como efeito uma aproximação com alguns valores e hábitos do oriental, como na religião, na culinária, na terapia e também nas artes marciais.


Por exemplo, a Liberdade, na imagem 1, um dos bairros mais turísticos de São Paulo, famoso por sua arquitetura semelhante à cultura japonesa, é conhecido como o maior reduto da comunidade japonesa na cidade, a qual, por sua vez, congrega a maior colônia japonesa do mundo, fora do Japão (Link 3). Observa-se o destaque recente da comida japonesa, um restaurante brasileiro do tipo buffet

pode

ser

um

exemplo,

com

o

oferecimento de sushi, em churrascarias. Imagem 1: Bairro da Liberdade. Fonte

:

http://2.bp.blogspot.com/-NVvtDyVD6-Y/T9NjQjNYz3I/AAAAAAAADuw/s3FkM_RnIUQ/s1600/300px-

Liberdade_sao_paulo.jpg

1.3 O que são artes marciais?

Artes marciais são disciplinas físicas e mentais criadas em graus diferentes

para

treinamentos

de

combate, geralmente sem o uso de armas de fogo, que tem como objetivo um alto desenvolvimento de seus praticantes para que possam defenderse ou submeter o adversário mediante diversas técnicas. Fonte: http://thumbs.dreamstime.com/x/taekwondo4714029.jpg

Imagem 1: Montagem feita com a bandeira da Coréia com figuras do Taekwondo, suas siglas e uma atleta.


1.4 O Taekwondo: O Taekwondo é uma arte marcial coreana antiga que existe ate hoje. Desde sua criação, como todas as outras artes marciais antigas, passou por diversas mudanças ao longo dos séculos, incorporou diversas técnicas, ensinamentos e valores étnicos e morais. Atualmente, algumas artes marciais, incluindo o Taekwondo estão inseridas na área desportivo-competitiva, lazer, terapia ocupacional e no caráter educativo e disciplinar. Contudo, vem o pensar de que esta arte marcial pode estar ligada diretamente a agressividade de jovens praticantes, porém quem pratica artes marciais com bons mestres e com consciência, sabe que elas não têm nada a ver com violência. Pelo contrário, todas as teorias pregam sempre o bom senso, a disciplina e o respeito ao próximo. O termo Taekwondo tem sido utilizado para descrever a técnica de combate sem armas:

Imagem 2: Esta imagem representa o significado das

TAE: Saltar, siglas do Taekwondo, traduzindo literalmente do coreano. com o pé.

voar, chutar ou quebrar

KWON: Socar

ou destruir com os punhos.

DO:

caminho, método (segundo a

Arte,

filosofia oriental, "o caminho construído pelos santos e sábios")

1.5 Porque as artes marciais foram criadas? Acredita-se que as artes marciais tiveram seu inicio com Bodhidharma, um monge budista que definiu a plenitude de vida como o treinamento de corpo, da mente e do espírito, criando-se desta forma uma forte ligação entre as artes marciais e a filosofia oriental. Esta arte desenvolvida se espalhou durante suas peregrinações à China por


templos budistas. Tais templos sofriam constantes ataques de outros povos, assim, utilizando esses ensinamentos, trabalhavam simultaneamente o corpo, a mente o espírito e as defesas do templo. Com o passar das décadas, os novos discípulos levavam estes ensinamentos a outros templos, que desenvolviam novos conceitos e técnicas, aprimorando a arte marcial de acordo com as características de sua região, criando estilos vinculados a uma mesma arte, como por exemplo: Judô, Aikido para o Japão, Taekwondo e Hapkido na Coréia, Kung Fu na China e diversas outras. "As artes marciais presente no país, desde o início do século XX, são atividades corporais que influenciaram e influenciam a nossa sociedade com seus valores, traços culturais e participação popular" (DRIGO ET AL., 2003, p.1). Observa-se que, desde tempos remotos a humanidade criou essas artes marciais com o intuito de buscar métodos de autodefesa, pelo aumento gradativo e exponencial de violência. Assim, com o desenvolvimento da sociedade ao longo das décadas, acumulou conhecimento para proporcionar proteção coletiva e individual a seus membros. Na coletiva tiveram como objetivo formando forças armadas, guardas municipais dentre outros. Na individual, as formas de autodefesa tornaram-se inclusive práticas esportivas. Essa convergência entre atividades físicas, esportes e processos históricos pode ser observada em quase todas as modalidades: "A historia do desporto é íntima da cultura humana, pois por meio dela se compreende épocas e povos, lá que cada período histórico tem seu esporte e a essência de cada povo nele se reflete" (TUBINO apud. MURAD, 2007, p.16).

1.6 Sua historia, a origem. (Taekwondo).

No século VII a Coréia era dividida entre três reinos: Koguryo, Paekche e Silla. Tae-Kyon (a mais antiga forma de Taekwondo) originou-se mais ou menos num período interior de 50 a.C. Descobertas arqueólogas de pinturas nas paredes de Muyong-Chong, uma tumba do reino de Koguryo, deixa evidente que esta arte é praticada em tempos antes de Cristo. As pinturas não deixam dúvidas sobre se realmente representam uma manifestação da antiga arte do Tae-Kyon: mostram homens desarmados praticando um combate e se utilizando de técnicas bastante características


da arte, como a "faca da mão", o punho cerrado e a posição de luta clássica. Nesta época, os reinos viviam em conflito, e Silla era o reino mais fraco e menos desenvolvidos dos três, assim sempre sendo invadido por piratas japoneses, que aproveitavam de sua fraqueza e incompetência militar. O Rei de Koguryo, preocupado frente aos ataques dos piratas japoneses, resolve enviar forcas militares para prestar treinamento a alguns guerreiros da nobreza de Silla e ajudá-los a combaterem e livrarem-se, e à própria península, dos ataques inimigos. Esta foi a primeira vez que o Taekwondo foi introduzido no reino de Silla, que seria, a partir de então, seu maior propagador. Com o apoio militar de Koguryo, o rei de Silla convocou a nobreza do reino para que formassem um grupo de elite bem treinado para proteger a nação. O grupo criado ficou conhecido como os Hwarang, e foram treinados em diversas modalidades: arco e flecha, a marcha, a espada, o bastão, a lança, as táticas militares e Tae-kyon (Tae-kwon-do).

No entanto esses grupos não foram apenas assassinos bem treinados, eles também estudaram historia, filosofia confuciana, ética e moral budista, formando assim seu código de honra: -Fidelidade ao rei; -Lealdade aos amigos; -Respeito aos pais; -Nunca recuar ante o inimigo; -Só matar quando não houver alternativa.

A partir da formação do grupo dos Hwarang, Silla tornou-se tão poderosa frente a seus inimigos vizinhos que, no ano de 670 d.C., consegue unificar os três reinos da península sob a sua bandeira. Durante a dinastia Silla (668 d.C. até 935 d.C.) Os Hwarang viajaram pelo interior da península conhecendo a região e população, e espalhando o Taekwondo por este reino, que se tornou popular como uma atividade de lazer ou um sistema de desenvolvimento físico e também como uma excelente forma de defesa pessoal, conhecido como Tae-Kyon. Durante a dinastia Koryo (935 d.C. - 1392 d.C.) esta finalidade começou a mudar, o Tae-Kyon passou a ser conhecido como Subak, deixando de ser visto como sistema de desenvolvimento físico e tornando-se uma arte marcial. O Taekwondo nasceu oficialmente nesse período, na cidade de


Surabul. A prática de Taekwondo foi proibida durante 36 anos, período em que o Japão estava ocupando a Coréia. Após a segunda guerra mundial, o Japão foi derrotado e os coreanos voltaram a treinar até conseguir a união de diversas escolas e estilos, adotando então o nome de Taekwondo. Porém, ainda em 1948, o Taekwondo foi novamente afetado com a divisão da Coréia em sul e norte, situação que até hoje permanece. Devido à divisão surgiram duas linhas dessa arte marcial, destacando como a principal diferença entre elas, a proibição do soco no rosto, pelos praticantes do sul. Hoje o Taekwondo eh conhecido e praticado em vários países no mundo inteiro, por conta da interação econômica ou mesmo pelo fato da globalização ter feito o mercado mundial ampliar-se, o Taekwondo e também muitas outras artes marciais são encontradas em quase todos os países para a prática. Existem duas grandes federações que regulam a prática e as competições de Taekwondo no mundo: a ITF (International Taekwondo Federation) e a WTF (World Taekwondo Federation). A primeira, com sede atual no Canadá, privilegia o combate com poucos equipamentos de segurança, buscando manter o Taekwondo mais próximo da prática de seus ancestrais. Esse estilo de Taekwondo é praticado principalmente na Coreia do Norte e no Canadá. Por outro lado, a WTF procurou transformar o taekwondo em um esporte com regras bastante definidas, cuja prática apresenta menores riscos para o atleta. Esse tipo de Taekwondo disputa nos jogos Olímpicos. No Brasil, o Taekwondo foi introduzido em 1970. No entanto, o primeiro campeonato brasileiro dessa arte marcial ocorreu em 1973. O local onde se acredita que tenha sido a primeira academia voltada ao ensino do Taekwondo hoje se transformou em sede da Federação Paulista de Taekwondo, que é localizada no bairro da Liberdade, na cidade de São Paulo.

1.7 A nossa sociedade. Nos dias de hoje, a sociedade anda carregando os "pesos das contas" nas costas, ou seja, repleto de trabalho, trânsito, compromissos, preocupações, enfim, com todo esse estresse nosso de cada dia as pessoas tendem a se irritar facilmente podendo brigar por coisas e assuntos banais que podem ser resolvidas pelo dialogo. Contudo, tem varias maneiras das pessoas tirarem o estresse dessa rotina trabalhosa, que uma delas é pela prática de alguma atividade física, para assim descarregar toda a energia, e que ao mesmo tempo, nos abasteça de animo e satisfação pessoal.


2. DESENVOLVIMENTO.

2.1 Benefícios das artes marciais:

Como já dito no tópico "A nossa sociedade", a prática de esportes, inclusive artes marciais podem descarregar a energia acumulada ao longo do dia cheio e trabalhoso das pessoas, e que ao mesmo tempo, nos abasteça de animo e satisfação pessoal. Muitos atletas praticam treinamentos físicos e mentais, tendo como uma de suas principais metas o caráter disciplinatório do corpo e da mente, treinamento este permeado pela cultura da arte marcial em questão. Algumas modalidades de artes marciais continuam sendo muito praticadas porque os conceitos vão muito além da defesa pessoal, pois também fortalecem o físico, a mente e o espírito. E também, além dos benefícios físicos, o esporte traz benefícios psicológicos, estimulando a capacidade de concentração, o controle emocional, o autoconhecimento, o aprendizado com as vitorias e derrotas e principalmente o desenvolvimento do espírito de competitividade sadio. Níveis de organizações marciais similares podem ser observados nos núcleos de praticas de lutas e artes marciais atualmente. Países orientais de modo geral (como a Coréia) são reconhecidos por seus povos serem disciplinados e zelosos, tanto com suas culturas quanto no seu dia-a-dia, devido ao hábito da sociedade de incorporar desde a infância, a prática de valores transmitidos pelas gerações anteriores. As artes marciais costumam ser uma das principais ferramentas da transmissão desses valores, permeando-se de geração em geração. ( Link 7 pag. 24) Nessa sociedade oriental, as artes marciais não são apenas difundidas em centros marciais e academias, mas também nas escolas dentro das aulas de educação física, mas não só nessa sociedade como também no mundo inteiro, colégios aprovam ensinar algumas artes marciais em suas aulas de esporte, por opção, fazendo com que as valências trabalhadas, os valores e disciplinas desenvolvidas, possam brotar já na idade infantil, tendo a supervisão de profissionais graduados e qualificados.


2.2 O Malefício Físico.

Contudo, há uma grande consequência por trás de todo esse beneficio das artes marciais, uma das principais delas são as lesões. No Taekwondo, as lesões são muito comuns nos praticantes, as áreas mais afetadas são os pés, tornozelos e joelhos, porque a maioria dos golpes do Taekwondo são realizados pelas pernas. Estas lesões podem ser relativamente simples, tirando o atleta das atividades por períodos curtos de semanas, ou relativamente complexas, sendo nestas, o atleta necessitando de procedimento cirúrgico e de um longo período de reabilitação, que pode durar meses. As entorses dos ligamentos do tornozelo e do joelho podem ser classificadas em 3 níveis:

Imagem Fonte

4

Imagem 5

imagem

4:

http://www.comofazer.com.br/wp-content/uploads/2013/01/Como-Cuidar-de-

Tor%C3%A7%C3%B5es-300x225.jpg Fonte

imagem

5:

http://i1.r7.com/data/files/2C92/94A3/2B83/3A8E/012B/8836/51B5/38FA/Joelho-dor-hg20101007.jpg

Imagens: As imagens 4 e 5 representam não só a entorse, mas também simples torções e luxações que são comuns em atletas.

Entorse de 1° grau: o atleta vai sentir uma dor fraca na articulação, podendo ser observado edema e rigidez articular. Esta entorse é caracterizada como uma lesão onde ocorre mínima ruptura das fibras ligamentares, não chegando a ocorrer instabilidade articular;


Entorse de 2° grau: neste caso o atleta perceberá uma dor de intensidade moderada a aguda, devendo ocorrer edema e rigidez articular. Neste caso, existe certa ruptura e separação das fibras ligamentares e instabilidade moderada da articulação; Entorse de 3° grau: pode haver dor aguda no início, seguida por pouca ou nenhuma dor, devido à ruptura total das fibras nervosas.

2.3 Artes marciais e briga de rua.

“Briga de rua” ou “luta de rua”, é um termo coloquial que é usado para designar um combate entre dois indivíduos corpo-a-corpo, geralmente ilegal que ocorre em locais públicos. Ao contrário das artes marciais, a briga de rua pode envolver armas, não envolvendo nenhuma regra. E essas lutar muitas vezes resulta em ferimentos graves ou ate mesmo em mortes. As brigas podem ser sempre evitadas, pois elas tem origem em situações que podemos resolver por meio de dialogo e do bom-senso. As brigas se não evitadas, pode ocorrer vários ferimentos inclusive os citados acima, e outros muito mais graves que podem colocar a vida em risco dos indivíduos. Segundo a notícia do jornal Estado de São Paulo, foi feita uma breve pesquisa sobre as diferenças entre brigas de rua e lutas, a pergunta foi ao faixa preta de caratê e professor de psicologia da USP (Link 8, noticiário. Pag.24): A única diferença entre briga de rua e luta é a existência de regras, juízes e medalhas? Pela resposta de Cristiano Barreira: (…)"A briga desumaniza o outro e pode até matá-lo. Já na luta, as intenções do outro são consideradas - sua proposta combativa e suas habilidades, enfim, sua meta de vencer. Na luta, o desenvolvimento passa pelo contato com a raiva, a frustração, o orgulho, a determinação e a fraqueza. Daí também a luta não ser apenas com o outro, mas consigo mesmo, num combate contra as próprias limitações, sobretudo, contra o próprio orgulho." (…) Notícia do dia 22 de agosto de 2010.


2.4 Violência nas artes marciais, quem são os culpados?

Como se não bastasse a violência causada pelas diferenças socioeconômicas de nosso País, de algum tempo para cá tornou-se "moda" outro tipo de violência: aquela proporcionada por garotões que gostam de ser vândalos, que se autopromovem distribuindo pancadaria e provocando baderna em festas, boates, na rua, ou ainda em frequentes brigas de gangues, fazendo o uso irresponsável e indevido das técnicas de defesa e ataque aprendidas em academias de Taekwondo e Caratê ou outros tipos de lutas. O País inteiro convive com este problema atualmente e o discute, surgindo sempre a questão: "quem são os culpados?". Antes de tudo é necessário fazer a distinção entre a violência esportiva e a violência praticada com as técnicas do esporte, porém, fora dele. Muitos esportes, no calor da competição, trazem alguns riscos e certa dose de violência nos embates que são dosados e limitados por regras e punições rígidas aos excessos cometidos pelos atletas. É o exemplo do basquete com exagerado empenho defensivo nos moldes da NBA (National Basketball Association) e, não diferentes, os esportes de lutas como o Taekwondo, o judô, o jiu-jitsu, o boxe, a luta-livre e outros. Falando especificamente sobre as lutas vemos que as técnicas, quando executadas entre dois praticantes e dentro das regras esportivas que buscam, ao invés da destruição física do oponente, a sua derrota dentro da filosofia da superação esportiva, num clima de concorrência leal e positiva, quase nunca traz consequências sérias e danosas que os definam como mais arriscados do que os outros esportes de equipe citados, que muitas vezes trazem mais lesões aos seus praticantes do que as lutas. A violência esportiva é moralmente tolerada, ou seja, se na prática de qualquer esporte, ocorrerem lesões com danos à integridade física ou à vida do oponente, não ocorrerá crime por ter o atleta atuado no chamado "exercício regular do direito". O Estado autoriza, regulamenta e até incentiva a prática dos esportes, socialmente úteis, não podendo punir aqueles que, exercitando um direito, causam dano. Haverá crime apenas quando ocorrer excesso do agente, ou melhor, quando a agressão do atleta causador do dano passar os limites da tolerância o que, intencionalmente desobedece às regras esportivas, causando resultados lesivos; estes sim constituirão crimes. A violência praticada com as técnicas do esporte, porém, fora dele, em brigas, por exemplo, tendo a conduta do lutador brigão como sempre dolosa, na modalidade do


chamado dolo eventual, considerando que por saber lutar, conscientemente estaria admitindo e aceitando o risco de produzir o resultado lesivo à integridade física de outrem numa confusão. Por exemplo, se numa briga entre duas pessoas comuns um vier a falecer, a pena para o autor do homicídio é de 6 a 20 anos. A pena para uma lesão corporal leve em alguém é de 3 meses a 1 ano de cadeia. No caso das lesões corporais graves, de 2 a 8 anos de prisão e, na lesão corporal seguida de morte, de 4 a 12 anos de reclusão. Como sabem que se usarem seus conhecimentos técnicos em uma briga poderão ferir seriamente um adversário, o melhor é, definitivamente, não brigar. Por causa destes vândalos irresponsáveis, ou talvez, mal orientados, modificações sérias em nossa Legislação Penal estão sendo propostas no Congresso Nacional. Há alguns anos, o ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF) apresentou projeto de lei que prevê que "o praticante de artes marciais ou outros tipos de luta que cometer qualquer crime aplicando, de forma desvirtuada, as técnicas de lutas, poderá ter sua pena aumentada ou até dobrada". Tal projeto já foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais. ( Link 9 pag.24) Como se vê, essas exigências burocráticas legais, que se mostram necessárias, incomodarão a todos os praticantes de lutas que pagarão pela inconseqüência dos baderneiros. Porém, não podemos assistir de braços cruzados mais este tipo de violência gratuita, que deprecia a imagem de todos os esportes de luta, desvirtuando suas filosofias que pregam-no.

2.5 Entrevistas.

As entrevistas foram realizadas para saber um pouco mais sobre a opinião de mestres e discípulos do Taekwondo sobre esta arte marcial e a agressividade e violência na sociedade. Aqui se encontra duas entrevistas, com algumas perguntas, a primeiro Claudio Perez, mestre de Taekwondo, e a segundo Marcel Leandro, discípulo faixa preta.


Entrevista com Claudio Perez: Claudio Perez, mestre de Taekwondo e praticante desta arte desde 1986, é professor há vinte e um anos na academia Competition e há quinze anos no Clube Corinthians. Já foi técnico da seleção Paulista quatro vezes e já disputou trinta e cinco campeonatos internacionais. Atualmente é técnico e coordena quarenta e cinco professores e quinze atletas faixa preta que fazem parte da seleção brasileira. Além disso, é um consagrado hexa campeão brasileiro.

2.5.1 Quais são suas expectativas nas aulas do Taekwondo?

Depende da aula, tem aula que é com criança e minhas expectativas eh na educação delas, no desenvolvimento físico, motor e intelectual em todas elas. E tem os adolescentes que é na parte disciplinar, e nos adultos na parte física e disciplinar também, porém focado mais na parte física.

2.5.2 Além das habilidades, existem outros valores para que possam ser ensinados nas aulas?

Sim, como novas amizades, companheirismo, trabalho em grupo, disciplina, respeito aos mais velhos… aos professores, aos pais, e também "não" a violência. Aqui na aula, pelo muito contrario que todo mundo acha, as crianças se tornam menos violentas porque aqui não pode ter violência, e não pode ter agressão.

2.5.3 Qual o dever de um mestre no Taekwondo?

O dever de um mestre de Taekwondo é tentar fazer com que a modalidade cresça, criar novos professores de qualidade e passar a cultura da arte Taekwondo quanto da cultura do país dela que é a Coréia.


2.5.4 Qual é a sua opinião sobre a violência praticada com as técnicas do esporte, principalmente do Taekwondo?

A violência já esta dentro do ser humano. Todo ser humano ja eh violento, como no transito você ver seu pai ou alguém perdendo a calma, as vezes algumas crianças de 3 anos já bate em outra… então vemos que a violência ja esta dentro do ser humano. A prática do Taekwondo não é correto ser usado com violência… Acho que qualquer coisa que você faca pode influenciar na violência ou não, como falei por exemplo, uma pessoa que aprende a dirigir, ela começa a se tornar violenta no trânsito, e não foi ensinado pra ela isso, no trânsito vemos as pessoas se xingando, vemos que o comportamento muda nas pessoas. Acredito que o Taekwondo, no meu ponto de vista, não influencia na violência ou no crescimento dela, muito pelo contrario, diminui, desde que o profissional esteja capacitado, pois é o dever dele ensinar o aluno de tal maneira, seja pra qualquer esporte, se for ensinado de maneira incorreta a pessoa pode acabar sendo violenta. Como nos jogos de vôlei, Brasil contra Cuba, eles sempre brigam, mesmo sendo de quadras separadas vemos agressão e violência. Mas no Taekwondo, a modalidade em si não aumenta, e sim diminui que ela canaliza soltando a aplicação de golpes em equipamentos e etc.

2.5.5 Se um atleta acaba sendo agressivo no treino, o que há de errado nos valores ensinados a ele?

Na verdade a gente lida com pessoas muito variadas em relação ao comportamento, tem pessoas muitos calmas, tem pessoas que são mais ou menos e tem pessoas que são muito violentas. E sou uma pessoa brava, quieta e pratico Taekwondo desde 1986 e nunca briguei na rua muito menos usando as habilidades que adquiri no Taekwondo, porque minha índole não é essa, mesmo sendo um cara forte, alto e bravo, mas minha índole não é essa. E tem pessoas são mais baixas e fracas e são muito agressivas. Não é que o Taekwondo aumenta ou ajuda na


agressividade e violência, o Taekwondo diminui, mas, pra quem é violenta diminui e pra quem é muito calmo aumenta um pouco a reação e deixa se tornar uma pessoa omissa e não pasciam demais.

Entrevista com Marcel Leandro:

Marcel Leandro de 20 anos é um discípulo faixa preta de Taekwondo, pratica a 8 anos esta arte, é campeão paulista brasileiro universitário. Hoje atua como atleta, treina no time do Corinthians, na Competition e na equipe Claudio Perez.

2.5.6 Além das habilidades que aprendemos, aprendemos outros valores?

Sim, aprende a obedecer a seus pais, respeitar os amigos, a família, ter postura fora de casa e da academia, na escola, no trabalho… é e tudo isso o Taekwondo ajuda a ensinar.

2.5.7 Você acha que as artes marciais principalmente o Taekwondo influencia na violência e da agressividade das pessoas?

A Arte marcial em si não, mas depende do treinador, se ele influenciar no treino do aluno fazendo com que ele seja agressivo ai sim, ele vai ser. Mas a arte marcial em si, não.

2.5.8 Se o aluno acaba sendo agressivo praticando uma arte marcial, qual eh o erro que esta tendo no treino?

Pode ser por muitos fatores, ou é a índole do atleta, se a pessoa é agressiva por natureza, ou o treinador influencia na agressividade do atleta nos treinos.


Como pode-se observar, segundo o mestre e o discípulo de Taekwondo, esta arte marcial em si não influencia na violência e na agressividade do praticante, ao menos que o atleta venha a treinar com intuitos de usar a pratica para a violência ou também com as influencias negativas de um mestre para fazer com que o atleta seja violento. Desde tempos remotos, tanto o Taekwondo como outras artes marciais, elas foram criadas com filosofias que se baseavam em respeito, disciplina e honra, como o Taekwondo, já citado em sua historia. No dia 28 de março de 2013, o jornal “Estado de São Paulo” publica uma noticia

sobre

as

artes

marciais e seus benefícios, e assim concretizando os argumentos de que as artes marciais

podem

servir

como uma "terapia" sem remédio

para

muitas

pessoas. Publicado em 28 de Mar de

Imagem 3: Imagem tirada da notícia do site da UOL, Folha de 2013 por Leticia Macie ( Link 10. S.Paulo, representando atletas de artes marciais com a bandeira do Japão no fundo. pág.24)

A prática da arte marcial desenvolve um novo comportamento social e psíquico. Segundo a noticia, foi feita um estudo da Universidade de Tel Aviv onde mostrava

criancas que passaram a praticar esportes, inclusive artes marciais,

apresentaram um maior autocontrole e disciplina alem de diminuir a agressividade. De acordo com os pesquisadores, os meninos mostraram os melhores resultados. Isso porque as artes marciais funcionaram melhor do que uma terapia convencional, pois esta não diminui as emocoes negativas. Emcontrapartida, para idosos, estudo da Universidade da California e Los Angeles, comprovou que aqueles que praticam artes marciais tem melhor qualidade de sono. Apesar desses resultados, muitos ainda questionam se a pessoa não se tornará ainda mais agressiva com a prática das lutas. A prática de uma arte marcial por si só desenvolve um novo comportamento social e psíquico a partir da própria estrutura, da hierarquia, das regras e da parte ética.


3. CONCLUSÃO.

Como vimos, o Taekwondo é uma arte marcial Coreana muito praticada nos dias de hoje em países ocidentais, ensinando aos praticantes valores em que sua filosofia pregam-no e benefícios físicos como: autocontrole, flexibilidade, fortalecimento de músculos, coordenação motora entre outros. Porém, devido as suas técnicas de combate, pessoas com falta de informação julgaram-no como culpado das pessoas serem agressivas e violentas, não só o Taekwondo, mas outras artes marciais também. Criando um ciclo de desinformação prejudicando as artes marciais em si e os praticantes. Ao longo deste trabalho vimos que as coisas não são bem assim, pelas pesquisas, entrevistas e notícias as artes marciais principalmente o Taekwondo desestimula a agressividade e violência dos praticantes, pois ele foi criado (como muitas outras artes marciais foram) com uma filosofia que se baseava em disciplinas, respeito e honra desde sua criação em tempos remotos. Mas isso não depende da filosofia que o pregam, depende também da índole do atleta e também do professor que da as aulas aos atletas. Segundo as entrevistas o Taekwondo em si não influencia negativamente na agressividade do atleta, e sim em como as aulas são dadas a ele, pela influencia de um mestre imaturo e irresponsável que com a intenção de atrair fregueses, buscam a fama e dinheiro conquistando adolescentes sob a promessa de torná-los imbatíveis guerreiros através dos conhecimentos da técnica de combate. E também da própria índole do praticante em fazer a arte marcial, ou seja, se veio treinar com o intuito de usar as técnicas de combate de um jeito irresponsável fora do tatame. Importante, é informar de forma clara e verdadeira aos praticantes de lutas as responsabilidades criminais atuais de cada um deles pelo mal uso de seus conhecimentos técnicos, assim como as tendências de modificação em nossa legislação penal em função da situação criada pelos irresponsáveis que dão mal ao uso das técnicas de combate fora do tatame. No cotidiano, as pessoas da sociedade andam cheias de trabalho, trânsito, compromissos, preocupações, enfim, com todo esse estresse de cada dia as pessoas tendem a se irritar facilmente, e se não descarregarem toda essa energia no final do dia elas podem ter problemas com temperamento.

Um dos únicos meios das pessoas

tirarem o estresse é pela atividade física, para assim descarregar toda essa energia, e que ao mesmo tempo, nos abasteça de animo e satisfação pessoal. A prática do Taekwondo entra diretamente nesses requisitos de animo e satisfação pessoal, pois todo dia de treino


você coloca o seu corpo em exercícios de exaustão, exercícios de autodefesa, de combate, assim reconhecendo seus limites e melhorando sua saúde e seu desempenho físico. Antes de começar a praticar qualquer arte marcial, sempre é bom conhecer as aulas, os atletas e o professor, deixar que eles expliquem em como são as aulas e quais são os valores dentro do tatame e da filosofia da arte marcial escolhida. Na maioria dos treinos, os atletas e o professor selam um ciclo de amizade e companheirismo, pois, muitos valores são ensinados nos treinos, igual a uma sala de aula onde que o aluno aprende não só a matéria e disciplinas, e sim valores morais, responsabilidade, disciplina entre outros. Não é a toa que a Coréia é conhecida por ter grande parte de seus povos disciplinados e zelosos, tanto com suas culturas quanto no seu dia-a-dia, devido ao habito da sociedade de incorporar desde a infância, a prática de valores transmitidos pelas gerações anteriores. Nessa sociedade oriental, as artes marciais não são apenas difundidas em centros marciais e academias, mas também nas escolas dentro das aulas de educação física, colégios aprovam ensinar algumas artes marciais em suas aulas de esporte, fazendo com que as valências trabalhadas, os valores e disciplinas desenvolvidas, possam brotar já na idade infantil, tendo a supervisão de profissionais graduados e qualificados. Para conseguir lutar contra essa desinformação que anda por ai, deve-se criar campanhas ou pequenos eventos onde as artes marciais possam fazer apresentações, e professores explicarem os valores ensinados nas aulas além do treino físico de combate. Algumas vezes acontece alguns pequenos eventos no parque Villa Lobos, onde varias modalidades de artes marciais se encontram para fazer simples apresentações sobre as técnicas de combate, incluindo atividades para que o publico possa interagir com os atletas, assim as pessoas acabam vendo que a prática de artes marciais é nada mais que uma experiência ótima na vida de uma pessoa, onde que ela aprende a se defender e ao mesmo tempo a ter disciplina, honra e respeito ao próximo. Concluindo, esse modo de mostrar as pessoas sobre as artes marciais é convincente e educativo, fazendo com que essa desinformação possa um dia ser extinta. Este trabalho é um convite para as pessoas enxergarem o Taekwondo como um estilo de vida, não somente como uma luta; muito menos como um esporte violento.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: 1

-

http://pt.wikipedia.org/wiki/Imigra%C3%A7%C3%A3o_japonesa_no_Brasil

(Acessado em 07/04/2013) 2 - http://www.brasilescola.com/brasil/a-regiao-sudeste.htm (Acessado em 17/04/2013) 3 - http://pt.wikipedia.org/wiki/Liberdade_(bairro_de_S%C3%A3o_Paulo) (Acessado em 20/04/2013) 4 - http://www.suapesquisa.com/educacaoesportes/taekwondo.htm O Taekwondo ( Acessado em 21/04/2013) 5 - (DRIGO ET AL., 2003, p.1). http://www.listasconfef.org.br/arquivos/teses_e_dissertacoes/MOCARZEL.pdf (Acessado em 01/05/2013) 6-

(TUBINO

apud. MURAD, 2007,

p.16).

http://www.listasconfef.org.br/arquivos/teses_e_dissertacoes/MOCARZEL.pdf (Acessado em 15/05/2013) 7 - http://www.tkdlivre.com/index.php?option=com_content&view=article&id=174:ahistoria-da-arte-marcial-coreana-nativa&catid=4:cultura-marcial&Itemid=5

O

Taekwondo na Coréia (Acessado em 17/05/2013) 8

-

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-briga-desumaniza-a-luta-

nao,598499,0.htm (Acessado em 21/05/2013) 9

-

http://www.brasilmedicina.com/noticias/pgnoticias_det.asp?Codigo=661&AreaSelect=3 (Acessado em 21/05/2013) 10 - Leticia Macie noticiário http://revistavivasaude.uol.com.br/bem-estar/artesmarciais-para-o-autocontrole/265/ ( Acessado em 25/05/2013) 11 - http://www.significados.com.br/artes-marciais/ (Acessado em 20/08/2013) 12 - http://www.knockoutcentrodelutas.com.br/o-que-sao-artes-marciais/ (Acessado em 20/08/2013) 13

-

http://www.suapesquisa.com/educacaoesportes/taekwondo.h

(Acessado

20/08/2013) 14 - http://www.corinthians.com.br/site/clube/modalidades/outros/?s=Taekwondo (Acessado em 21/-8/2013) 15 - http://www.webartigos.com/artigos/a-origem-do-taekwondo/2274 (Acessado em 21/08/2013)

em


16 - http://cladeartesmarciais.com/modalidades/taekwondo/a-origem-do-tae-kwon-do (Acessado em 21/08/2013) 17 - http://www.eurekaeva.com.br/artigos/importancia-da-arte-marcial-produtos-eva (Acessado em 22/08/2013)


Lucas guimarães borlenghi neto