Page 1

MATP

Nº 47 Agosto de 2019

Boletim Informativo http://matportugal.blogspot.pt/ . www.matp-online.org

Proteste Este mês de agosto é um mês terrível para os animais. Com efeito, a indústria tauromáquica aproveitando-se de realização de festas religiosas e muitas vezes com a cumplicidade das comissões de festas e dos próprios padres promove touradas por tudo quanto é sítio..

. https://www.facebook.com/MATP-194892957259614/

Contra a classificação da tauromaquia como Património Cultural Imaterial de Portugal

Não podemos ficar indiferentes, manifestemos, pacificamente, por todas as formas ao nosso dispor o nosso repúdio pela tauromaquia. Como se não bastasse a cumplicidade de uma parte da igreja católica e de muitos governantes e autarcas, vem agora o PSD da ilha Terceira organizar uma garraiada. Em breve realizar-se-ão eleições e todos os amigos dos animais saberão dar uma resposta adequada a quem fomenta a tortura. Bom trabalho ou boas férias! J.S.

Apoie mais esta iniciativa da BASTA contra a Classificação das touradas como “Património Cultural Imaterial”. Se, tal como nós, considera que a violência contra pessoas e animais não merece qualquer tipo de classificação e, pelo contrário deve ser abolida, assine a petição criada pela Basta aqui:

www.basta.pt/nao-em-meu-nome


Como pode ajudar o MATP? São várias as formas de nos ajudar:

Quando a palavra "sadismo" escapa de um dicionário, entrando na verbalização e na prática, é porque a razão nos deu o alerta para algo inconcebível e macabro! A lei dos homens penaliza apenas alguns desvios comportamentais, en-

● Seguindo e divulgando o nosso blog, página web e página no facebook; ● Enviando informações e denúncias sobre a sua região;

quanto aplaude outros, por considerá-los de menor importância, no entanto, a dantesca visão de qualquer ser vivo sujeito a tortura, é sem sombra de dúvida a imagem de sociedades doentes e destituídas dos seus valores mais básicos, éticos e humanos! É assim com quem aplaude o sangue e é assim com quem dele sustenta os

● Fazendo-se associado; ● Contribuindo com donativos;

seus instintos mais primários, dominando e torturando os seres mais frágeis, por lhe ser vedado legalmente o direito de o fazer aos da sua própria espécie, o que apenas acontece a indivíduos enfermos, pobres de espírito, ou depravados mentais, com evidente baixa auto estima e dificuldades ób-

● Respondendo ao nosso questionário / atualização da base de dados: http://www.matp-online.org/ index.php? destin=enquire&enq_id=1

vias de inserção num universo de paz e igualdade que a todos deveria pertencer! A tauromaquia é, portanto, um caso grave de saúde pública, analisado cientificamente em comunidades e países mais desenvolvidos, mas ainda propositadamente ignorado onde se pratica! Sem me alongar por outros meandros do sadismo humano e porque estamos na época de certas "tradições" abjectas, hoje precisei mais uma vez de dar largas aos sentimentos, já que não me é possível regenerar certas consciências, nem curar as inúmeras demências que neste mundo teimam mascarar, com argumentos descabidos e ridículos. Vamos então à tourada e às suas variações de sadismo, geralmente potenciadas pelo álcool. Porque será que esta "tradição" ainda resiste, conseguindo ainda ser defendida por alguns com tanto desespero? Verificam-se igualmente estes comportamentos de frustração e violência gratuita, no futebol, na caça e em espectáculos onde se aplaudem animais abusados, em evidente sofrimento e stress. (continua na página seguinte)


Páginas/Blogues pela abolição da Tauromaquia ● BASTA h p://basta.pt/

O frágil conceito de "cultura", ganha, nestes casos contornos bem distintos da sua real essência contemplativa e didáctica, para se tornar o escape dos sentimentos mais sórdidos e imorais. A Igreja Católica, desde sempre coesa com os poderosos e desvirtuando a sua essência moral e compassiva, por iguais razões, compactua despudoradamente com estas práticas, porque questionar demais é perigoso e os

● PORTUGAL SEM TOURADAS h ps:// www.portugalsemtouradas.pt/

● MCATA

"rebanhos" querem-se mansos, fáceis de manipular e sabiamente domesticados. A corrupção fica assim impune, porque as instituições públicas conti-

h p://inicia va-decidadaos.blogspot.com/

nuam a financiar, tanto às claras como através de subterfúgios, todas

● AÇORES MELHORES

cidas, não percebem que esse escape das suas mais básicas frustrações,

h ps:// acoresmelhoressemmaltratosanimais.blogspot.com/

está apenas a ser usado para benefício das mesmas minorias que os

● GALIZA MELHOR h p:// www.galiciamellorsentouradas. org/

estas atrocidades, enquanto as populações menos instruídas e esclare-

enganam e exploram. A luta pelo fim das práticas tauromáquicas, mexe com os interesses e vantagens de muitos, por isso, quando se contesta, ataca-se todo um sistema antagónico à evolução de um povo e ao seu direito à cultura, ao mesmo tempo que se formatam crianças para a continuidade de uma vergonha que coloca o nosso país na cauda das opiniões internacionais mais abalizadas e honestas. É sem dúvida a corrupção e o compadrio que sustentam e vão mantendo possíveis, estas actividades que embora moribundas, só resistirão enquanto não se achar que é imperativo o seu desmembramento através da constante e aguerrida contestação, militância e do voto consciente, porque enquanto se alimentarem no poder governantes desonestos que se sentem seguros e protegidos por posições obsoletas e criminosas, jamais seremos um país digno de pertencer ao século XXI, nem seremos vistos por quem nos visita, como uma nação habitada por um povo civilizado, pertencente a uma velha Europa que apesar dos seus erros do passado, hoje se pretende exemplar pela sua cultura, ética e progresso. Teresa Botelho


FALA QUEM SABE

“Mas a tradição é mais antiga, do tempo em que humanos e animais lutavam na arena para excitar os nervos da multidão com o sangue e a morte anunciada. A piedade, que é um valor mais antigo do que Cristo, veio, na sua interpretação cristã, salvar disto os humanos. Esqueceu-se, porém, dos animais”. “…Por desespero, coragem ou raiva (não é o mesmo?), o touro arremete pela última vez. Em Espanha morre. Aqui, neste país de maricas, é levado lá para fora para, como é que se diz? ah sim: ser abatido. A multidão retira-se humanamente, portuguesmente, de barriga cheia de cultura portuguesa, na tradição milenar à qual nenhuma piedade chegou.”

Profile for matp

Boletim nº 47  

Boletim nº 47 do MATP-Agosto

Boletim nº 47  

Boletim nº 47 do MATP-Agosto

Profile for matp1
Advertisement