Page 10

do menino-mago, além de professores e pais que desejam despertar o prazer da leitura por meio de clubes do livro. Em lugares como Estados Unidos e Reino Unido os clubes de leitura têm historicamente contribuído não apenas para a consolidação de um mercado editorial forte, mas também para a formação de um público leitor amplo. Na Inglaterra, por exemplo, estima-se que hoje aproximadamente 500 mil pessoas participam de clubes de leitura, reunindo-se esporadicamente em livrarias, bibliotecas, escolas e na casa dos integrantes do grupo para discutir e compartilhar suas leituras dos mais diversos títulos. Esse fenômeno vem se desenvolvendo aos poucos no Brasil, que experimenta um número crescente de grupos e reuniões. Isso, em grande parte, com a ajuda de grandes editoras que criaram seus próprios clubes influenciados por parcerias internacionais ou por verem o momento como propício para esse investimento. Companhia das Letras, Cosac Naify e livrarias como Saraiva e Livraria da Vila mantêm seus próprios grupos e investem nos encontros como forma de propagar a leitura – e seus lucros - em um país onde poucos leem ou compram livros físicos. Mas o interessante é notar que, juntamente com essa leva de clubes patrocinados, novos grupos independentes se formam e aumenta o sucesso dos antigos clubes. Marcelo Carvalho, supervisor de ações culturais da Biblioteca Mário de Andrade, localizada em São Paulo, conta que o projeto Leitores e Leituras surgiu com o objetivo de estimular o uso de um espaço público de convivência

10

Rubato  

Revista com espaço total dedicado à Literatura.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you