Page 1

1

Abril de 2010

Foto: Frederico Mombach


índice

MA TÉRIA DE C AP A MATÉRIA CAP APA Uma união para projetar mais resultados Duas empresas com credibilidade na fabricação de móveis - MD e Giroart unem suas forças para oferecer mais aos seus clientes. Acompanhe essas mudanças na entrevista com Ilo Marino e Alexandre D’Ávila

8 e9 Cidade receberá Unidade Operacional do SESC ............... 04

Toalhas de pano minimizam danos ao meio ambiente ......... 28

Para Parks, WiMAX em 3,5GHz já é realidade ............... 13

O problema do lixo tecnológico ........................ 30

Como manter a qualidade na prestação de serviços ......... 15

TRC tem expectativas de crescimento .............................. 32

Empresa participa da InovaBrasil ........................... 17

Vendas pela internet cresceram 30% em 2009 ......... 36

Pensar só no lado financeiro pode trazer desmotivação ...... 26

Terex construirá unidade em Guaíba ....................................... 38

EXPEDIENTE:

Contatos:

Abril - 2010 - Ano III - 13a Edição

Coordenação: - Roselaine Vinciprova - roselaine@trcomunicacao.com - Tadeu Battezini - tadeu@trcomunicacao.com

Circulação: 5000 Exemplares Jornalista Responsável: Roselaine Vinciprova (MTB 11043) Versão on-line: www.revistamateriaprima.com.br Fontes: Fiergs, Fecomércio, Federasul, Sebrae RS, Portal da Qualidade, Setcergs, Zero Hora, Receita Federal do Brasil, Valor Econômico, Jornal do Comércio, O Estado de São Paulo, Mundo do Marketing, Gazeta Mercantil, InfoMoney e Administradores.

Av. Flores da Cunha, 1050 / 604 Centro - Cachoeirinha / RS

51 3041.2333

Geral: 51 3041.2333 | materiaprima@trcomunicacao.com Comercial: Tadeu Battezini - tadeu@trcomunicacao.com

Colaboração: Camila Schäfer - jornalismo@trcomunicacao.com Rodrigo Viegas - rodrigo@trcomunicacao.com

* Os artigos assinados não refletem, necessariamente, a opinião da revista Matéria Prima e são de inteira responsabilidade dos autores.

2

Matéria Prima uma2010 publicação bimestral da TRCOM. Todos os direitos reservados. Abril éde


3 Abril de 2010


Cidade receberá Unidade Operacional do SESC O município de Cachoeirinha garantiu, no mês de março, a construção de uma Unidade Operacional do SESC/RS. Representado hoje por um balcão vinculado a Gravataí, a entidade decidiu aproveitar a doação de dois terrenos no bairro Eunice Nova para erguer um prédio próprio com escola de educação infantil, biblioteca, gabinete de odontologia e telecentro, ampliando a oferta de serviços aos comerciários da cidade e à comunidade. Inicialmente, parte da área da antiga Escola Santa Catarina (ESCA) e um terreno vizinho oferecidos pelo governo e com doação oficializada receberiam apenas a escola. O diretor regional do SESC, no entanto, confirmou que Cachoeirinha sediará a 40ª Unidade do serviço, que está em processo de expansão. As obras devem iniciar em julho. O prédio terá 800 m2 e de-

verá ser inaugurado em fevereiro do ano que vem. Ao assinar a escritura, o presidente da Fecomércio, Moacir Schukster, disse que a parceria traz grandes benefícios para a cidade. Atualmente, explicou, o balcão oferece à comunidade facilidades como financiamentos de bens e serviços e pacotes turísticos. Schukster, ao lado do diretor Regional do Sesc/RS, Everton Dalla Vecchia, apresentou ao prefeito de Cachoeirinha, Vicente Pires, o desenho da maquete e o projeto arquitetônico da obra. O prefeito agradeceu aos dirigentes o investimento de cerca de R$ 2 milhões que será feito na Eunice Nova. "Já estávamos ocupando o imóvel aos poucos e agora, com o SESC, o cenário vai mudar para melhor e o importante é que os serviços disponibilizados alcançarão toda a comunidade", avaliou.

Divulgação Fecomércio

Saiba mais • A unidade será erguida em parte do terreno da antiga Escola Santa Catarina (ESCA) e num terreno vizinho, imóveis doados oficialmente pelo governo municipal através da assinatura da escritura. • O prédio terá 800 m2 de área construída e contará com uma escola de educação infantil, biblioteca, gabinete de odontologia e telecentro para atender aos comerciários da cidade e também à comunidade. • A escola terá 100 vagas

Interlink busca recertificação na Norma SASSMAQ A Empresa Interlink Cargo está sendo recertificada na Norma SASSMAQ - Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade - a mais importante certificação de qualidade para o segmento de transporte de cargas. A certificação foi conquistada em 2006. A Interlink Cargo completa neste mês de abril 18 anos. A empresa, que iniciou suas atividades em Porto Alegre, atua nos segmentos de transporte rodoviário internacional, nacional e de contâineres, além de armazém geral e desembaraço aduaneiro, sendo uma referência para o Mercosul e Chile. Em 2001 mudou suas atividades para o Distrito Industrial de Cachoeirinha. A Interlink Cargo foi uma das pioneiras a implantar o rastreamento via satélite. Em fevereiro de 2005, a empresa recebeu a segunda licença do Brasil e

Roselaine Vinciprova/MP

Em 2010, a frota foi ampliada

a primeira do RS para ser Operador de Transporte Multimodal (OTM). O reconhecimento pela capacidade da Interlink Cargo tem o respaldo de uma carteira de clientes líderes em seus segmentos e em volumes de comércio exterior. Com a implantação do planejamento estratégico, a empresa passou a dar um salto em qualidade. Em 2006 ganhou o Prêmio Fornecedor Destaque em Transporte pela

4 Abril de 2010

Petrobras. Em 2010, a frota foi ampliada e hoje conta com mais 12 conjuntos de cavalo-trator Iveco e Siders Guerra, totalizando uma frota de 50 equipamentos. Conforme o Analista da Qualidade, Clóvis Borba, a Interlink Cargo trabalha para prestar o melhor serviço aos seus clientes e utiliza as ferramentas mais modernas e eficientes do mercado.


Bringer e Interfasul divulgam produtos e serviços A Bringer do Brasil, de Cachoeirinha, participou da 16ª edição da Intermodal South América, maior evento de transporte de carga, logística e comércio internacional das Américas. Realizado de 6 a 8 de abril em São Paulo, o evento reúne todos anos a cadeia de produtos e serviços envolvidos no transporte de cargas. Participaram desta edição cerca de 490 expositores e aproximadamente 50 mil pessoas visitaram a feira durante os três dias. Empresa que atua em transportes de cargas aéreas nacionais e internacionais, a Bringer recebeu em seu estande clientes, parceiros

e visitantes de várias partes do mundo, onde pode confraternizar, trocar ideias, expor e divulgar seu trabalho e produtos. Já a Interfasul Representação Comercial, do mesmo grupo e também de Cachoeirinha, participou do Seminário Bi-Anual de Máquinas CNC da Spinner, empresa alemã. A companhia, que trabalha no ramo de transações internacionais e como trading, esteve representada pelo seu diretor Eliseu Gonçalves da Silva e seu gerente de vendas para máquinas CNC, Sidnei Dorneles. O seminário aconteceu nos dias 18 e 19 de março, em Istambul, na Turquia.

2009 fortaleceu know-how da Perto A Perto, de Gravataí, empresa de tecnologia para instituições financeiras e varejo, fechou o ano de 2009 com importantes conquistas no mercado nacional e internacional. A empresa obteve sólido crescimento, fornecendo equipamentos para os principais bancos do país, e expandiu suas exportações com a primeira entrega para a Índia. De acordo com o diretor comercial e de marketing da Perto, Marco Aurélio Freitas, o crescimento alcançado em 2009 forta-

5 Abril de 2010

leceu o know-how da empresa no desenvolvimento de soluções e na área de outsourcing. O foco da empresa para 2010 será trabalhar com produtos inovadores e funcionais a preços competitivos. Neste ano, a empresa espera crescer 15% e aposta em sua linha de soluções com tecnologia de imagem para captura de cheques, tanto no ATM (Terminais de Autoatendimento) como na frente de caixa. Os dados são do site da Perto.


editorial

Dois anos de evolução e crescimento Quando a primeira edição da Revista Matéria Prima chegou ao mercado, nosso editorial falava que estávamos nos propondo, assim como a matéria-prima das indústrias, a ser o início de discussões, debates, notícias, eventos. Ao completar o seu segundo ano, nos damos conta de que iniciamos mais ações positivas do que imaginávamos. Geramos negócios, aproximamos indústrias, abrimos espaços para os empresários que fazem a economia crescer e, sobretudo, levamos informação e conhecimento para milhares de pessoas. Ao folhearmos cada uma das edições, notamos que não foi só o mundo que evoluiu, a revista também acompanhou a modernidade e a cada nova edição se quali-

ficou. Contar a história de empresários destaque foi uma grata surpresa, já que cada história de luta, superação e garra poderia ser facilmente tema de um livro. Nossos parceiros, leitores e colaboradores sentiram isso. E é com muito orgulho que contamos com parceiros comerciais desde a primeira edição. Gente que nunca duvidou da importância desta publicação e que, além disso, fez dela o seu próprio meio de divulgação. Hoje a revista Matéria Prima está identificada com as cidades de Cachoeirinha, Canoas e Gravataí. A Matéria Prima não é mais um produto somente da TRCOM. Ela é o reflexo de uma realidade empresarial e também é parte dela. É um meio de

comunicação com uma proposta totalmente diferenciada, principalmente pela sua distribuição dirigida. Nestas 13 edições e nestes dois anos que caminhamos juntos temos muito a comemorar. Acreditamos muito nesta revista, que foi fruto de uma construção de muitos profissionais que sabiam que era possível fazer um veículo de comunicação diferenciado. E, neste momento, depois dessa caminhada, temos a satisfação de dizer que conseguimos conquistar uma legião de leitores e parceiros que também acreditam e se identificam com a Revista Matéria Prima. Boa leitura e até junho! Equipe da Revista Matéria Prima

Envie sua sugestão ou mensagem para nós! materiaprima@trcomunicacao.com

6 Abril de 2010


Lideranças empresariais de Cachoeirinha são homenageadas Três lideranças de Cachoeirinha foram homenageadas com medalhas da 52ª Legislatura da Assembleia Legislativa. A proposição foi feita pelo Deputado Estadual Miki Breier e a entrega aconteceu na Sala José Lewgov, do Solar dos Câmara no dia 25 de março. Foram agraciados a presidente do Centro das Indústrias de Cachoeirinha (CIC), Neiva Bilhar, o presidente da Associação Comercial de Cachoeirinha (ACC), Paulo Gafforelli, e o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Cachoeirinha (Sindilojas), Adival Rossato. A honraria é concedida pela Assembleia Legislativa a pessoas que tenham contribuído para o crescimento e desenvolvimento de suas cidades e do Estado. Miki Breier enfatizou que as três entidades, representadas por seus dirigentes, são fundamentais para Cachoeirinha. "Estas pessoas acreditaram no município e tiveram a coragem de empreender. Falar de crise é fácil, o difícil é conviver diariamente com os riscos que um empreendimento envolve", enfatizou. Em sua fala, Neiva Bilhar destacou que,

Roselaine Vinciprova/MP

Honraria foi proposta pelo Deputado Estadual Miki Breier

entre os objetivos do CIC, estão o aperfeiçoamento tecnológico e a expansão do parque industrial de Cachoeirinha. De acordo com o presidente da ACC, Paulo Gafforelli, receber a honraria significa o reconhecimento de que a entidade está caminhando na trilha certa.

7 Abril de 2010

"Nosso sucesso é o sucesso do nosso município e dos nossos associados", destacou. O presidente do Sindilojas, Adival Rossato, ressaltou a importância da homenagem. "Que essa valorização seja apenas um degrau para crescermos ainda mais", afirmou.


entrevista |

Ilo Marino e Alexandre Nunes D’Ávila Frederico Mombach/MP

Alexandre, Adriana, Jacqueline e Ilo

Uma união para projetar mais resultados Duas empresas com credibilidade na fabricação de móveis unem suas forças para oferecer mais aos seus clientes. Acompanhe essas mudanças na entrevista com Ilo Marino e Alexandre D’Ávila Como iniciou esse processo de fusão da Giroart e MD? Em 2004 a MD Móveis começou a ser fornecedora da Giroart e a se destacar como uma excelente parceira graças a sua credibilidade com o prazo de entrega e a qualidade. A parceria foi ficando cada vez mais estreita e o trabalho começou a aumentar. Os amigos Eduardo Nunes D’Ávila da MD e a administradora e sócia da Giroart Jacqueline de Souza começaram a visualizar a possibilidade de uma parceria mais próxima. Em 2008, a MD assumiu toda a produção dos móveis da Giroart. Em 2009, percebemos uma mudança positiva em todos os sentidos, principalmente no aumento da satisfação dos clientes. Por isso, decidimos

unir realmente as duas empresas para oferecer resultados melhores. Juntamos a experiência em móveis corporativos da Giroart e a qualidade em móveis residenciais da MD em uma só empresa. Nasceu assim a MD Giroart. Houve uma conquista recíproca. Quais as modificações e quais os benefícios para os clientes com esta transformação? Estamos adquirindo grande quantidade de matéria-prima, possibilitando a redução nos custos, e repassamos essa diferença aos nossos clientes. Conquistamos também maior agilidade na entrega. Temos transporte próprio para outros Estados.

8 Abril de 2010

Estamos vendendo com mais qualidade e com menor preço. Nosso investimento triplicou não só em máquinas e equipamentos, mas também em pessoal especializado. Continuamos atuando com renomados arquitetos como, por exemplo, a parceria com a arquiteta Barbara Engel, onde a MD participou, nas últimas cinco edições, da Casa & Cia. Quais as áreas de atuação da MD Giroart? Temos duas divisões atualmente, que são as áreas residencial e a corporativa. São públicos totalmente distintos e, por isso, temos formas de atendimento e pessoal diferenciado. Continuamos projetando layout para as duas áreas com o suporte,


Frederico Mombach/MP

assessoria e acompanhamento das obras. Nós vendemos desde um único item até uma instalação completa, seja por intermédio de arquiteto ou diretamente com o cliente final.

da MD, representada pelo Alexandre Nunes D’Ávila. Unificamos a forma de atendimento seja pelo telefone ou pelo site. Agora a MD e a Giroart são uma empresa única.

A fusão entre as duas empresas completa seu primeiro ano em maio. Como tem sido os resultados? O retorno veio muito mais rápido do que nós esperávamos. Tínhamos a expectativa que dentro de um ano o faturamento fosse empatar, mas na prática ele superou nossas metas. Outra surpresa gratificante tem sido a convivência. Costumamos falar que houve uma união da experiência com a juventude. Porque de um lado temos o histórico da Giroart, representada pelo empresário Ilo Marino, e por outro a juventude e disposição

Quais os projetos para o futuro? Até o final do ano, estaremos com uma sede nova na RS 118, ao lado da Polícia Rodoviária. Vamos apostar também nos segmentos de instalações comerciais e modulados. A MD Giroart já atua nesta área com modelagens de lojas em shoppings, aeroportos, móveis sob medida, entre outras. Temos uma estrutura preparada para atender este público porque ele tem suas peculiaridades. Dentro de pouco tempo também abriremos um showroom de modulados em Porto Alegre.

Histórico da MD Móveis A MD Móveis foi fundada em setembro de 2003, quando Alexandre Nunes D’Ávila e Adriana Bertollo adquiriram a empresa do irmão Eduardo Nunes D’Ávila, que hoje gerencia a produção. O segmento residencial sempre foi o forte, que acumulou ao longo desse tempo muita experiência e credibilidade na fabricação de móveis. Para os irmãos, qualidade e pontualidade foram as palavras-chave que permearam o trabalho.

O que é uma fusão? A fusão é uma operação societária que envolve duas ou mais empresas que juntam seus patrimônios para formar uma nova sociedade comercial, o que faz com que elas passem a não existir mais individualmente. Do ponto de vista teórico, é diferente da incorporação, que é quando os patrimônios de uma empresa passam para o controle de outra.

Histórico da Giroart A Giroart foi fundada em março de 1994. Nasceu em Porto Alegre com a fabricação própria de móveis, instalou-se em Cachoeirinha em dezembro de 2000. Depois de algum tempo, com a demanda crescente de serviço, passou a ser representante de várias marcas. O fundador Ilo Marino sempre participou das atividades comunitárias. Acompanhou quatro gestões na Associação Comercial e está na terceira no Centro das Indústrias, além de já ter sido Conselheiro do Procon e do Sicredi. Neste tempo, a Giroart acumulou um grande histórico de clientes.

9 Abril de 2010


Governadora palestrou no

Almoçando com a Acigra Mais de 300 empresários compareceram ao Almoçando com a Acigra, para acompanhar a palestra da Governadora do Estado, Yeda Crusius. A apresentação ressaltou os investimentos na região e evidenciou, através de números, como o modelo de gestão adotado levou o Estado a alcançar o déficit zero e hoje projetar investimentos em todas as áreas. Além dos R$ 10 milhões investidos em Gravataí, a governadora ainda assinou um edital de licitação para construção de uma escola estadual no Xará, com investimentos superiores a R$ 2,4 milhões. A realização do evento ocorreu com a intermediação do Secretário de Estado Marco Alba, que em seu discurso elogiou o modelo adotado pelo governo de Yeda. A GM apoiou o evento, que foi realizado em parceria com a Acomac, Agrega, Creci e Sindilojas.

Divulgação

Governadora assinou edital de licitação para a construção de uma escola estadual no Xará

CIC prepara Rodada de Negócios e curso para componentes da CIPA O Centro das Indústrias de Cachoeirinha realizará, entre os dias 12 e 16 de abril, o Curso de Prevenção de Acidentes para componentes da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) em sua sede. Para participar, a empresa deverá pertencer ao segmento da indústria. Entre os conteúdos estão: estudo do ambiente de trabalho, bem como dos riscos originados do processo de trabalho; metodologia de investiga-

ção e análise de acidentes e doenças do trabalho; noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida-AIDS, e medidas de prevenção; noções sobre legislação trabalhista e previdenciária relativas à segurança e saúde no trabalho e outros. Os participantes ainda receberão apostila para membros da CIPA, apostila contendo a Norma Regulamentadora Nº 5, informativos de Segurança e botons. O CIC também promoverá a primei-

10 Abril de 2010

ra Rodada de Negócios de Cachoeirinha no dia 28 de abril. O objetivo do evento é aproximar as empresas através de encontros direcionados e previamente agendados, possibilitando, dessa forma, a negociação de seus produtos e serviços ou a realização de associações de toda espécie, como joint-ventures, transferência de tecnologia, franchising, etc. Para maiores informações o fone é o (51) 3471 3388.


Procurador Federal chama atenção para

ações regressivas de trabalho

Roselaine Vinciprova/MP

O Procurador Federal, Fernando Maciel, palestrou para os empresários de Cachoeirinha sobre Ações Regressivas Acidentárias no Café da Manhã do Centro das Indústrias de Cachoeirinha, em março. Conforme Maciel, uma ação regressiva de trabalho é uma ação proposta pela Previdência Social para obter ressarcimento pelos prejuízos gerados no acidente de trabalho, se caso houve uma conduta culposa de uma pessoa jurídica. Atualmente, a construção civil é o setor com maior índice de mortes acidentais. O Brasil é o quarto colocado em acidentes fatais, o 15° em acidentes ge-

rais. Dados alertam que acontece uma morte a cada três horas no país. O Artigo 120 da Lei 8,213/91 indica que a "Previdência Social proporá Ação Regressiva Acidentária de Trabalho...". Isto indica que cabe ao empresário e ao Técnico em Segurança do Trabalho provar que tomou todas as medidas necessárias para evitar o acidente e, assim, redimir-se do prejuízo de ter que ressarcir a Previdência. Conforme o procurador, estas ações têm o caráter muito mais de prevenir do que de ressarcir. "Queremos chamar a atenção dos empresários sobre a quantidade de vidas ceifadas e evitar que esses números cresçam a cada dia", revelou.

11 Abril de 2010

Fernando Maciel palestrou para empresários


DESENVOLVIMENTO Saul Sastre Secretário Municipal de Planejamento de Cachoeirinha saulsastre@terra.com.br

Atendemos mal nossos clientes A capa da revista Exame do dia 24 de março de 2010 é "Sua empresa é pior do que você imagina". Segundo a matéria, que divulga uma pesquisa inédita sobre atendimento, realizada pela revista e pelo Instituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente - IBRC, existe uma distância muito grande entre o que as empresas se propõem a fazer e os resultados que apresentam. É como se fosse uma imagem distorcida no espelho, daquelas que víamos no parque de diversões. De um lado, as organizações construindo estruturas de relacionamento e afirmando que no centro de sua arquitetura estratégica está o bom atendimento, e do outro lado a queixa geral do péssimo trato percebido pelo público. Pensando bem, a pesquisa não surpreende. Como consumidores enfrentamos na pele uma cultura de mal atendimento em todos os lugares que vamos, e inclusive nos surpreendemos quando somos bem atendidos e tal fato vira comentário entre amigos, como se isso fosse uma grande coisa. "O discurso de maximização do atendimento é uma falácia" e fica distorcido quando, por exemplo, com qualquer operadora de celular, não conseguimos passar a mensagem para o outro lado da linha devido aos cortes e falhas na ligação, ou seja, as empresas não conseguem cumprir o contrato selado com o consumidor, que dirá surpreender e encantar. Em uma realidade local, visitando estabelecimentos comerciais espalhados pela Região Metropolitana, é muito difícil recebermos cartões de visita de vendedores, com o seu celular e e-mail e, pior ainda, acharmos profissionais de vendas que anotam nossos desejos e nossos contatos quando entramos em uma loja e não encontramos o que estamos procurando. Isso sem falar na venda adicional, que raramente acontece. Geralmente nos entregam o produto que solicitamos e às vezes não nos dão nem tchau. Bom atendimento, ainda estamos longe e quem sabe um dia nos queixaremos menos da falta de vendas e nos concentraremos mais em atender melhor. Pense nisso.

região

Souza Cruz é reconhecida pela preocupação com meio ambiente Empresários, executivos e profissionais liberais do Rio Grande do Sul apontam a Souza Cruz como uma das cinco empresas brasileiras mais lembradas pela preservação do meio ambiente. A indicação foi revelada em março, em Porto Alegre, durante o evento Marcas de Quem Decide. O gerente de Planejamento e Comunicação da Souza Cruz, Fernando Bomfiglio, recebeu a homenagem em nome da empresa na cerimônia realizada no Salão do Hotel Plaza, na capital gaúcha. A pesquisa Marcas de Quem Decide, feita anualmente pelo Jornal do Comércio (RS) e pela QualiData Pesquisas e Conhecimento Estratégico, relaciona as marcas líderes de 102 setores da economia, incluindo a categoria especial Preservação do Meio Ambiente. Como uma das ações, neste ano, a Souza Cruz deu início a outro projeto de conscientização ambiental. A área de transportes da companhia aumentará o volume recolhido de caixas de papelão por meio da conscientização ambiental também dos varejistas. Atualmente, as caixas de papelão da empresa são usadas para o transporte e o armazenamento dos produtos até os pontos de venda. Ao retornar para a companhia, este material é reciclado. A equipe de transportes da Souza Cruz é responsável pela capacitação do time de distribuição para a campanha. Motoristas e auxiliares de en-

Instituto Souza Cruz

trega da companhia levarão as informações necessárias aos varejistas, incluindo a distribuição de uma carta que ressalta a importância ambiental do retorno das caixas de papelão. Juntos, eles serão responsáveis por avaliar as reais necessidades do uso das caixas, bem como o possível retorno deste material. Como ocorre a cada ano, a pesquisa Marcas de Quem Decide realizou entrevistas com metodologia científica em todo o Rio Grande do Sul, entre 25 de novembro de 2009 e 16 de janeiro deste ano.

Divulgada Pesquisa Salarial No dia 23 de março foi divulgada, na Metalúrgica Mahler, em Cachoeirinha, a Pesquisa Salarial do grupo formado por 10 empresas do Distrito Industrial. O trabalho, que começou em outubro de 2009 e foi concluído em março, tem por objetivo fornecer parâmetros salarias para as empresas instaladas em Cachoeirinha, principalmente no Distrito Industrial. A empresa responsável pela pesquisa, LA Fio-

12 Abril de 2010

ravanso, acredita que com o início desta pesquisa outras empresas poderão aderir e assim melhorar a base de dados. As empresas que tiverem interesse em participar da pesquisa podem entrar em contato pelo fone (51) 3279 6045. A pesquisa foi construída através de coleta de dados e reuniões para a consolidação de cargos ou funções de empresas locais.


A Parks, fabricante nacional de equipamentos para telecomunicações, está preparada para a liberação de novos blocos de frequência na faixa de 3,5GHz, sendo a primeira empresa brasileira a certificar-se no mercado para produção e comercialização no país. Antecipando-se à nova tendência de mercado para a introdução da tecnologia WiMAX no Brasil, a empresa de Cachoeirinha investiu em 2008 US$ 2,5 milhões na expansão de sua planta industrial com a aquisição de novos equipamentos. Os investimentos realizados foram voltados para o desenvolvimento de produtos com frequências na faixa de 3,5GHz. "Estamos muito esperançosos que ainda neste primeiro semestre saia o leilão de frequências, pois somos uma empresa verde-amarela, realmente preparada para fazer frente às demandas futuras de equipamentos para suportar os novos serviços de acesso", diz Mauro de Araújo, Diretor Comercial da Parks. Juntamente com a ampliação de sua unidade fabril, houve a criação de uma nova célula na área de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa, criando uma equipe técnica formada por conceituados profissionais especializados em tecnologias wireless. A Parks é participante efetiva do WiMAX Fórum, acompanhando assim tudo

hothardware.com

Parks já está preparada para a liberação de novos blocos de frequência

que está sendo desenvolvido sobre esta tecnologia no mercado mundial. Fazem parte da família de produtos com Tecnologia WiMAX 802.16d: Estações Base e CPES com e sem antena integrada, todos fabricados em território brasileiro, na Unidade Fabril Parks, com o apoio do FINEP. Os equipamentos para WiMAX 802.16d em 3,5GHz da Parks já estão certificados pela ANATEL e contam com o PPB (Processo de Produção Básico) e podem ser financiados pelo BNDES. São utilizados em aplicações comerciais no território nacional.

13 Abril de 2010

O que é WiMAX? Da sigla Worldwide Interoperability for Microwave Access (Interoperabilidade Mundial para Acesso por Micro-ondas), é uma tecnologia de banda larga sem fio, atuando como alternativa a tecnologias como cabo, ADSL e 3G. Seu alcance e capacidade de banda é muito maior e possui pouca interferência. Outra vantagem do WiMAX é que cada antena de propagação do sinal pode cobrir uma área de aproximadamente 50 km².

região

Para Parks, WiMAX em 3,5GHz já é realidade


ECS Krug volta às origens nacionais A Empresa Krug foi uma das pioneiras no Distrito Industrial de Cachoeirinha (1974) com a fabricação de escovas e porta escovas para veículos convencionais e elétricos, ferramentas elétricas e eletrodomésticas. Ao longo dos anos acumulou um histórico de credibilidade e confiabilidade. Há cerca de 12 anos tornou-se uma multinacional com a aquisição pelo grupo Morgan PLC e, posteriormente pela ECS Holdings LLC. A longa experiência na fabricação de escovas de carbono no mercado nacional, aliada aos 25 anos de exportação para mais de 40 países, confere aos produtos Krug reconhecimento único tanto no mercado OEM como de reposição. No ano passado, com as grandes oscilações do mercado e a dinâmica da economia, a empresa voltou às suas origens nacionais enriquecida pelos conhecimentos tecnológicos e

operacionais obtidos, mas mantendo a garra e a competência de sua gente. "Possuímos uma cultura organizacional forte e atuante, com ênfase nas pessoas e processos, aliada à uma base tecnológica atualizada e em constante desenvolvimento. Nossa política comercial, ética e responsável, é reconhecida em todos os segmentos do mercado onde a ECS Krug está presente", revela o Diretor Ivo Piccinini. Com certificação ISOTS16949, a ECS Krug tem como seus principais valores a máxima qualidade de seus produtos e serviços, a excelência no atendimento, a busca constante de soluções inovadoras que representem valor aos seus clientes, colaboradores e acionistas bem como a sustentabilidade de suas operações, protegendo e buscando melhorias ao meio ambiente.

Divulgação

Diretor da empresa, Ivo Piccinini

Aços Favorit inaugura filial em São Paulo A Aços Favorit, de Cachoeirinha, inaugurou no dia 26 de março sua primeira unidade em São Paulo. Líder na região Sul no mercado de distribuição de aços longos, tubos mecânicos e vigas, a Favorit agora possui centro de distribuição em Itupeva, o que aumenta a capacidade de atendimento em mercados já consolidados, como o Rio de Janeiro, e agrega novos clientes em São Paulo, Minas Gerais e norte do Paraná. A nova unidade tem 9 mil m2 de área construída e opera com a maior serra fabricada no Brasil, que permite o corte de blocos de até 4 metros de comprimento por 1,60 metro de altura. Itupeva conta com 15 serras de corte e cinco pontes rolantes. Somadas às filiais de Caxias do Sul (RS), Curitiba (PR) e Cachoeirinha (RS), são 86 serras e 38 pontes rolantes. A Aços Favorit possui trefilas

Divulgação

Encerramento das apresentações

próprias para atendimento de dimensões especiais. Para 2010, o faturamento previsto é de R$ 215 milhões, quase 24% a mais que em 2009. A carteira ativa de clientes da empresa possui mais de dois mil nomes e o número

14 Abril de 2010

de colaboradores é superior a 300, entre diretos e indiretos (representantes). De acordo com o diretor-presidente da Aços Favorit, Rudolf Fritsch, a filial paulista deve propiciar um crescimento imediato entre 15% e 20%.


serviços

Como manter a qualidade na prestação de serviços Divulgação/MP

A globalização abriu as fronteiras e possibilitou a expansão de empresas nos mercados do mundo inteiro. Com isso, a concorrência e competitividade aumentaram, os clientes ficaram mais exigentes, as operações precisaram de maior agilidade e das empresas foi exigida maior flexibilidade, além da capacidade de prever o que o cliente quer. Com todas as opções que as pessoas têm hoje, fica uma pergunta: como fazer um consumidor se tornar um cliente? A questão pode parecer complexa, mas a resposta é muito mais simples do que se possa imaginar: a qualidade na prestação dos serviços e no atendimento. Nesse ponto, surge outra questão, que é como melhorar a prestação de serviços e porque ela ainda é tão precária no país se, afinal, é tão importante para o sucesso de um negócio. De acordo com especialistas em marketing, a solução para estas questões está no ser humano. Isso porque ele é o coração do negócio. É ele quem administra, é ele quem executa e é ele quem atende. Portanto, a preparação e o treinamento são fundamentais. É muito comum, por exemplo, quando a pres-

tação de um serviço não é de qualidade, culparmos quem executa, quando na verdade o problema começa lá em cima, no gestor, que provavelmente não achou necessário investir em um serviço de qualidade, com pessoas capacitadas. Quem trabalha com serviços deve ter em mente que o ser humano não é apenas um executor das tarefas, afirmam os estudiosos da área. Ele representa a própria empresa, principalmente quando está em contato direto com o cliente. Por isso, o atendimento também é essencial. É ele quem realiza a interação organização-cliente. As pessoas conhecem a organização através de suas instalações físicas e de seu contato com os funcionários da empresa. Por este motivo, educação e cortesia são características básicas para quem atende, mas não é só isso. Conhecer o produto/serviço que está representando também é indispensável. Quem está na "linha de frente" precisa entender sua importância e precisa de treinamento, para saber reconhecer cada tipo de cliente e saber como atendê-los. Por isso, a capacitação dos colaboradores é tão importante.

Para melhorar a qualidade é preciso investir em capacitação

15 Abril de 2010


Fundos de crescimento Rosani Erhart Schlabitz - jornalista Correspondente Revista Matéria Prima Munique - Alemanha

A Alemanha não dorme no ponto. Agora as manchetes de todos os jornais não falam em outra coisa a não ser na criação dos fundos de crescimento europeu. O objetivo é salvar os países que estão em crise. O problema para a Alemanha, que tem um sistema político e econômico separado por Estados, a ideia dos fundos não funcionaria, pois a sua sustentação reside na união dos Estados. É uma espécie de sociedade visando arrecadar dinheiro para a fase de “vacas magras”. Naturalmente que o projeto romântico recebe críticas severas dos corações endurecidos, começando com as perguntas de quem vai sustentar estes fundos? De onde viria este capital? Em que formatação política e econômica seria apresentada esta ideia? Porque os países/Estados/cidades deveriam poupar, sabendo que receberiam ajuda ex-

terna? De qualquer forma, os especialistas dizem que mesmo que isto se realize já é muito tarde para ajudar aqueles que já estão no fundo do poço com suas dívidas. A Grécia é que está em evidência neste momento. O país grego luta para mudar o curso doTitanic, diz Giorgos Papandreou, que quer poder reduzir as dívidas de seu PIB de 12,7% em 2010 para 8,7%. O Primeiro Ministro acredita que com uma reforma no sistema de pensões, redução salarial do setor estatal e economia social, os problemas de sobrevivência do seu país estarão resolvidos. Já o economista Thomas Mayer, do Deutschen Bank, ressalta que a União Europeia pode ajudar a Grécia na recuperação da credibilidade, mas que todos os déficits que ela está mergulhada deverá sanar sozinha e, mesmo que pudesse contar com ajuda dos fundos, eles

não têm obrigação de ajudar cidades que transferem suas dívidas. O problema é que não existe um plano de emergência para uma situação tão emergente. Todos os economistas alertam para cautela e planejamento nestes momentos em que se apresentam tantos países com dificuldades de dívida externa. A Grécia não está sozinha nesta grande crise. A Espanha, a Itália e Portugal estão com os dedos cruzados torcendo pelo final vitorioso dos gregos nesta grande e decisiva partida, pois se eles perderem, a Península Ibérica despenca até a bota Italiana. Muitos apontam a solução com um pedido de insolvência pelos gregos. Outros apostam nos empréstimos americanos e tantos outros especulam alternativas infundadas. A questão é que para os gregos só resta rezar pela ajuda dos seus deuses e aguardar.

Tamborsul lançará novo serviço na Fiema 2010 A Tamborsul, empresa de Gravataí, participará da 4ª edição da Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente (Fiema), que acontecerá de 27 a 30 de abril no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Na feira, a empresa pretende apresentar o novo serviço de destinação de embalagens contaminadas de óleo pós consumo. O objetivo da Fiema é concentrar em um mesmo cenário o maior número de empresas e organizações voltadas para a produção de tecnologia, soluções e serviços focados no meio

ambiente. Completando e dando ainda mais consistência ao que será visto na parte da feira, especialistas, pesquisadores e público em geral reunirão as ideias, as tendências, as descobertas e as aplicações do universo ambiental contemporâneo na intensa programação paralela. De acordo com Diego Rodrigues, do setor comercial da Tamborsul, a feira será um divisor de águas para a empresa. Além de apresentar seus tradicionais serviços, como destinação de embalagens contaminadas geradas nas indústrias dos mais variados segmentos, a Tamborsul apre-

16 Abril de 2010

sentará o processo de destinação de embalagens contaminadas de óleo pós consumo. "Como iniciamos estes serviços há menos de um ano, estamos eliminando cerca de 20 toneladas por mês de resíduos, somente de empresas da grande Porto Alegre. Ou seja, toda esta quantidade, que era disposta de maneira incorreta, está sendo transformada em matéria-prima", explica Rodrigues. A meta da empresa para 2010 é transformar 100 toneladas de resíduos em matéria-prima.


Empresa participa da InovaBrasil Divulgação/Get Way

A Get Way Tecnologia, empresa incubada no Centro de Empreendedorismo e Parque Tecnológico de Canoas (CECan) e que gerencia projetos voltados às áreas de marketing aplicada à tecnologia de ponta, participou da 1ª Feira Nacional de Incubadoras e Parques Tecnológicos InovaBrasil, que aconteceu de 15 a 18 de março em São Paulo. No evento, a empresa participou da rodada de negócios organizada pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) e Sebrae/SP, onde realizou reuniões diretas com companhias como a Viapol, e representantes da Kodak, Johnson & Johnson e Monsanto. De acordo com o sócio gerente da Get Way, Guilherme Masseroni, o produto apresenta-

do pela empresa (o Get Way Search) foi bem aceito na rodada de negócios. Segundo ele, reuniões futuras foram acordadas. A InovaBrasil, promovida pela Rede Paulista de Incubadoras - RPI destacou a importância das incubadoras e parques, junto a agentes públicos e privados, como entidades promotoras de inovação tecnológica, e de fomento à ampliação de emprego e renda. O objetivo da feira de negócios foi facilitar a aproximação das empresas incubadas ao mercado corporativo, visando promover associativismos, vendas e busca por canais de distribuição. Estiveram presentes no evento cerca de 200 empresas incubadas do Estado de São Paulo e 50 de diferentes Estados do país, entre eles: Mato Grosso, Rio

Feira destacou a importância das incubadoras

Grande do Sul, Ceará, Santa Catarina, Minas Gerais e Paraná. Além da Get Way, a Purus - Biorremediação de Efluentes Industriais, também de Canoas, participou do evento com o apoio do Sindicato das Indús-

trias Metal-Mecânicas e EletroEletrônicas de Canoas e Nova Santa Rita (Simecan). A empresa atua na questão do passivo ambiental das empresas que utilizam aterros de resíduos ambientais.

as: Produção e Logística; Comercial e Marketing e Administrativa das empresas fabricantes”, explica Masseroni. De acordo com ele, esta tecnologia está patenteada e não é necessário nenhum tipo de hardware nem algum tipo de "localizador" nos produtos.

O Get Way Search se aplica a empresas de qualquer porte. "Os investimentos realizados em ERP e sistemas semelhantes serão multiplicados, já que o GWS irá alimentá-los de forma precisa e direta", conta o sócio gerente da Get Way.

Sobre o Get Way Search Com aplicação em todo o varejo nacional, o Get Way Search é um software capaz de rastrear de forma online diversos pontos de venda atuantes no varejo nacional. “Por exemplo, um fabricante de biscoitos é capaz de acompanhar as vendas de

seus produtos em todos os pontos de venda existentes, identificando-os de forma individual ou macro. Esta informação sai do ponto de venda e é enviada para a Get Way, que trata toda a informação e a transforma em inteligência competitiva em diversas áre-

17 Abril de 2010


reportagem especial

Divulgação

Empresários estão otimistas com 2010 Pesquisas mostram que empresariado gaúcho e brasileiro está mais otimista este ano em relação a 2009. Na região, as expectativas são as melhores O ano de 2010 iniciou com muitas expectativas. Pesquisas e estudos com empresários mostraram que eles estão mais otimistas neste ano em relação a 2009. Na região, as expectativas também são as melhores. O "Panorama da Indústria do Rio Grande do Sul e Perspectivas", divulgado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) em fevereiro, mostrou que os industriais gaúchos vislumbram uma recuperação em 2010, graças ao arrefecimento da crise financeira mundial e também às melhores condições do mercado interno. Para o sócio da Etto Brasil, de Canoas, João Alécio Poletto, o pior já passou e agora é trabalhar para buscar resultados. Já o diretor comercial da Neoform, de Cachoeirinha, Gedson Cunha Ibañez, acredita que este é o momento de retomada dos padrões habituais de crescimento que o

país vinha apresentando antes da crise iniciada nos Estados Unidos no final de 2008. O que se percebe na região de Cachoeirinha, Gravataí e Canoas é que as consequências da crise financeira deixadas em 2009 afetaram pouco as indústrias locais. É o caso da MD Indústria e Comércio de Peças, de Canoas, a PWD Informática, de Gravataí, e a R3 Embalagens, de Cachoeirinha, que inclusive registraram crescimento no ano passado. Para o sócio da MD, Daniel Varela, as expectativas para 2010 são as melhores possíveis. “Para nós 2009 foi um ano bom, mesmo sentindo uma mudança por causa da crise. Isso nos incentivou a buscar novos mercados e novos clientes, possibilitando um crescimento apesar da turbulência, o que nos deixa confiantes para este ano”, afirma Varela.

18 Abril de 2010


Divulgação

Na Neoform, porém, o ano de 2009 foi de diminuição na demanda. “Com relação à produção, mantivemos o nível do ano anterior - à custa de muito trabalho e abertura de novos mercados”, explica Gedson Cunha Ibañez. Apostando no crescimento da indústria metalmecânica, a Steel Sul Comércio e Representação de Aços e Metais, de Canoas, iniciou o ano de 2010 acreditando nas lições deixadas pela crise. “A expectativa da empresa reflete o otimismo geral”, afirma Tiago Mattes, sócio da companhia. Já no mercado de software, que é o caso da PWD Informática, o otimismo também é grande para 2010. “Cada vez mais o mercado de software está afunilando e estão permanecendo somente as empresas certificadas e com soluções mais completas”, explica o diretor, Luiz Carlos Meneghini Menezes. De acordo com o estudo da Fiergs, a maioria dos empresários espera um crescimento nos níveis de produção e demanda e boa parte também coloca o desenvolvimento de novos produtos e a redução de custos como estratégias importantes para o ano que se inicia. Outra pesquisa divulgada na mesma época pelo Lide (grupo de líderes empresariais), em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), mostrou que o empresariado brasileiro no geral está mais otimista em relação à economia brasileira em 2010. Para 74% dos empresários, os negócios neste ano estão melhores que em 2009. Entre as micro e pequenas empresas,

“Estamos na expectativa de mudança para um prédio maior e investiremos em maquinário e mão de obra especializada. Também apostamos no desenvolvimento de uma nova linha de produtos e na reafirmação da nossa marca” Daniel Varela sócio da MD Ind. e Com. de Peças foi realizada a sondagem do Sebrae/RS, que mostrou que 85% delas têm perspectivas de crescimento para este ano. Esse percentual é maior do que as expectativas que elas têm para a economia brasileira como um todo neste mesmo quesito (79%).

Investimentos De acordo com o levantamento da Fiergs, 82,2% dos consultados têm intenção de investir no Estado este ano, 66% a mais do que no ano passado. A maior parte do montante de investimentos será destinada ao capital fixo (67,3%), em especial para a aquisição de máquinas e equipamentos (50,6%). O restante do total caberá a obras da construção civil, informática e pesquisas e desenvolvi-

Divulgação

“Cada vez mais o mercado de software está afunilando e estão permanecendo somente as empresas certificadas e com soluções mais completas” Luiz Carlos Menezes diretor da PWD Informática 19 Abril de 2010

mento de produtos. A MD e a R3 Embalagens são algumas dessas empresas. “Estamos na expectativa de mudança para um prédio maior e investiremos em maquinário e mão de obra especializada. Também apostamos no desenvolvimento de uma nova linha de produtos e na reafirmação da nossa marca”, conta Daniel Varela, sócio da MD Indústria e Comércio de Peças. Mesmo com a queda na demanda e na produção em comparação com 2008 e com a conjuntura econômica desfavorável, 73,9% das pesquisadas investiram no Estado em 2009, como a MD, que adquiriu três novas máquinas (um torno, uma geradora de engrenagens e uma fresadora), a PWD Informática, que investiu em estrutura e equipamentos e a R3 Embalagens, que pretende investir mais em 2010. “O mercado tem se mostrado aquecido e estruturamos um departamento comercial para aumentarmos o faturamento”, afirma o diretor da empresa, Ricardo Sastre. Na Neoform, segundo Gedson Cunha Ibañez, os investimentos em 2009 ficaram praticamente congelados. “Aguardamos uma sinalização clara do momento e do tamanho da reação que o mercado estaria apresentando frente à crise que se estabelecia”, conta. Para 2010, o investimento da empresa será na recomposição da estrutura de pessoal, na descentralização do proces-


reportagem especial

Divulgação

so de distribuição e na estrutura de pesquisa e desenvolvimento. Questionados sobre investimentos em 2010 na sondagem do Sebrae, a maioria (76%) dos empresários demonstrou intenção de investir, especialmente em melhoria das instalações (66%). Um número significativo (74%) pretende investir em capacitação em 2010, com ênfase maior em gestão de pessoas (49%). Em relação à atuação, 68,5% disseram que têm planos de expansão, mas grande parte (43%) somente no mercado onde já se situa. Diferentemente de algumas empresas da região, a Etto Brasil apostará, em 2010, no e-commerce, através do site www.navitrinebrasil.com.br.

Obstáculos ao crescimento Nem a crise econômica conseguiu roubar a posição de maior obstáculo ao crescimento das micro e pequenas empresas. A carga tributária e a burocracia para conseguir crédito continuam no caminho das MPEs. O sócio da MD, Daniel Varela, ainda acrescenta a mudança constante na forma de tributação. “A troca de Simples GaúDivulgação

“Estamos otimistas com o novo ano. O pior já passou e agora é trabalhar e buscar resultados” João Alécio Poletto sócio da Etto Brasil cho para Federal nos prejudicou muito, a implantação da Substituição Tributária nos colocou em desvantagem com nossos clientes da região sudeste e agora a Nota Fiscal Eletrônica. Toda hora surge algo novo”, explica Varela. Para Luiz Carlos Meneghini Menezes, diretor da PWD Informática, a burocracia financeira e a falta de incentivos voltados diretamente para cada setor, com esclarecimento adequado, são ainda os principais obstáculos. O diretor comercial da Neoform concorda com a falta de incentivos. “Acreditamos que a falta de algumas linhas

“Com relação à produção, mantivemos o nível do ano anterior - à custa de muito trabalho e abertura de novos mercados” Gedson Cunha Ibañez diretor comercial da Neoform

20 Abril de 2010

facilitadas de crédito (sobretudo para empresas menores) é um grande entrave à retomada rápida de alguns investimentos”, afirma Gedson Cunha Ibañez.

74%

Par dos araa empresários, os negócios neste ano estão melhores que em 2009 pesquisa divulgada pelo Lide (grupo de Líderes Empresariais), em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas)

85% das micro e pequenas empresas têm perspectivas de crescimento para este ano sondagem do Sebrae/RS


Cresce o número de franquias em 2009 O ano de 2009 foi de crescimento para o setor de franquias. De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor não recuou diante da crise mundial e fechou o ano com um faturamento de R$ 63 bilhões, um crescimento de 14,7% em relação ao ano anterior. A pesquisa foi feita com 1.643 marcas atuantes no país. Para 2010, a expectativa é de que o faturamento aumente, já que muitos pontos inauguraram no ano passado. Outra grande aposta em 2010 são as microfranquias (negócios de até R$ 50 mil de investimento) e a exploração de novas cidades. Nos últimos três anos, o setor de franquias cresceu 50%, sendo um dos que mais avança no país. Na avaliação da ABF, o aumento de redes e unidades, somado ao aumento do poder de consumo das classes B e C, foram os grandes responsáveis pelo crescimento do setor. Em faturamento, o segmento de franquia que

mais cresceu em 2009 foi o de Acessórios Pessoais e Calçados, pelo terceiro ano consecutivo, registrando 41,2% de aumento em relação ao ano passado. A previsão da ABF é de que em 2010 o setor aumente o faturamento entre 15% e 16%. Em número de novas marcas a expectativa é de 10% a 12%. Já em número de unidades essa variação pode ficar entre 8% e 10%. E aí, se interessou pelo setor de franquias? Então confira algumas dicas do site Sucesso News para quem pensa em abrir uma: Gostar e se identificar com o produto: os produtos ou serviços precisam agradar ao futuro franqueado. Não basta uma marca renomada para que tudo dê certo. Não utilizar todo o capital disponível: é prudente reservar 30% do seu investimento para cobrir despesas pessoais. Conheça a proposta da franquia e os diferenciais: qual é a visão do franqueador da marca

que você escolheu investir? Aonde ele pretende chegar? O que ele tem de especial que justifique seu investimento? Antes de entrar para a rede, procure conhecer bem quem ela é. Leia atentamente a Circular de Oferta de Franquia: trata-se de um documento importante e indispensável que deve reunir todas as informações relativas ao negócio. Submeta o Contrato de Franquia à apreciação de um advogado: vale a pena consultar um especialista antes de assinar o contrato. No entanto, eleja um profissional que conheça bem o sistema e a lei que o regula. Conheça franqueados da mesma rede: quem está na rede pode auxiliá-lo a amadurecer a escolha. Nada como a experiência. Procure saber, principalmente, como o franqueador lida com a rede no dia-a-dia e se ele realmente trabalha pela marca. Converse com ex-franqueados: É um contraponto que pode ser decisivo na sua seleção.

Flexibilidade e funcionalidade nas embalagens A indústria tem apostado forte na forma como seu produto é apresentado. É cada vez maior o número de empresas que acreditam na utilização de embalagens diferenciadas. Existem dois tipos de embalagens: a de consumo, que está em contato direto, comunicando e vendendo o produto na gôndola ou na prateleira, e as embalagens de transporte, que tem como finalidade levar o produto se-

guro até seu destino. O papel ainda é o material mais utilizado, pela sua praticidade e também por ser 100% reciclado. A R3 Embalagens está conquistando seu espaço no mercado por ter sua gestão estratégica voltada a pequenas tiragens. "Temos como valores, atender nossos clientes de forma agilizada, flexível e com qualidade compatível. Um dos nossos diferenci-

21 Abril de 2010

ais é que fornecemos suporte no lançamento de novos produtos em pequena escala, o chamado 'Lote Piloto'", afirma Ricardo Sastre. A R3 atende todo o Estado e está planejando um ano com novos investimentos. Hoje já oferece um serviço diferenciado com a produção de embalagens em cartão duplex, triplex e micro ondulado em seleção de cores.


especial 2 anos

Revista Matéria Prima completa dois anos Com o objetivo de ser um meio de comunicação das indústrias e empresas da região que fazem a economia crescer, a Revista Matéria Prima completa seu segundo ano com o cumprimento de sua missão e a superação das expectativas. Quem trabalha dentro de uma indústria ou empresa sabe que muitas notícias são geradas diariamente nas mais diferentes áreas. A busca por tecnologia, informação, qualidade e crescimento possibilitam que nasçam, a cada dia, fatos importantes para o desenvolvimento e progresso da economia. Divulgar isso foi o principal intuito da revista. Mas nesta caminhada muitas outras metas foram cumpridas, como a geração de negócios, integração entre as empresas e a chegada do conhecimento. Mais do que contar

histórias de empresários, a Revista Matéria Prima está se tornando um espelho da realidade empresarial. Focada nas cidades de Cachoeirinha, Canoas e Gravataí, conta com circulação dirigida para empresários e profissionais liberais que, até então, não conseguiam ver sua realidade nos meios de comunicação tradicionais. Por isso, ao completar dois anos de circulação, a publicação ganha um destaque no mercado gaúcho do ramo empresarial e, sobretudo, mais uma vez abre suas páginas para divulgar tudo o que for importante para o empresariado, independente do porte da empresa. Dizem que neste novo milênio o conhecimento será a chave para o sucesso. A Revista Matéria Prima será uma parceira nesta busca.

22 Abril de 2010

mensagens Como empreendedora, encontro na Matéria Prima informações atualizadas sobre temas fundamentais de crescimento empresarial com uma abordagem clara e objetiva. Como Assistente Social, fico encantada pela abordagem sobre responsabilidade social e a importância de ampliar o olhar com respeito sobre nosso meio ambiente, as pessoas em seus espaços de trabalho e a comunidade na qual estão inseridas. Representante de uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), fico satisfeita pelos espaços de conscientização social. Na minha opinião, estes anos de vida da revista encantam e fortalecem a toda comunidade. Parabéns à equipe e aos parceiros visionários deste empreendimento de sucesso! Flávia FFrancisco rancisco Presidente da Associação Amigos Voluntários de Cachoeirinha Parabéns pela cuidadosa edição da revista. Realmente, o sucesso não é obra do acaso. R oberto TTeixeira eixeira D'llarte Produções


23 Abril de 2010


INFORME PUBLICITÁRIO FESTA E FANTASIA PREP ARA NO VID ADES PREPARA NOVID VIDADES A Festa e Fantasia, de Cachoeirinha, está com muitas novidades em 2010. A compra de novos brinquedos e uma grande reforma para abril são as surpresas que a empresa apresenta para atender ainda melhor seus clientes. É mais diversão para as crianças, que agora podem contar com novos brinquedos nas festas, e mais qualidade para os adultos, que poderão contar com um salão de festas mais bonito e agradável. Oferecendo todo o suporte e a organização completa da festa, desde o local, a decoração, os brinquedos, fotografia, filmagem, telão, lembrancinhas, convites e o buffet. A Festa e Fantasia comemora nove anos sempre buscando o que há de mais novo no mercado. "Atualmente organizar uma festa não é tarefa fácil, por isso sonhe com sua festa e deixe que nós organizamos tudo para você", disse Fânia Diniz Martins, proprietária. Mais informações no fone (51) 3469 8790 ou faça seu orçamento no site www.festaefantasia.com.br.

Sebrae e ABDE firmam parceria O Sebrae Nacional e a Associação Brasileira de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ABDE) assinaram em fevereiro um convênio de cooperação geral. O objetivo dessa parceria é estimular e fomentar ações de inclusão financeira de micro e pequenas empresas e empreendedores individuais por meio do intercâmbio de informações entre os associados, realização de visitas técnicas, promoção de reuniões e eventos. Além disso, serão feitas ações para aprimorar e fortalecer programas e projetos da ABDE, que reúne 25 instituições. De acordo com o Sebrae, há tempos a instituição vinha buscando parcerias com os bancos, como o Ban-

24 Abril de 2010

co Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa Econômica Federal, o que fez com que as instituições financeiras passassem a criar produtos mais voltados às micro e pequenas empresas. Além de promover o intercâmbio de boas práticas e governança, por intermédio de visitas técnicas entre as associadas da ABDE, o convênio prevê outras formas de atuação, como debater o tema das garantias de crédito, com foco tanto nos novos fundos garantidores quanto nos antigos. Outra medida é a realização de oficinas que terão o objetivo de apontar melhores formas de atender às micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais.


Deutsche Messe traz duas feiras líderes para o Brasil em 2011 O empresário Andreas Gruchow, presidente da Deutsche Messe AG, maior promotora de feiras de negócios do mundo, anunciou oficialmente no começo de março em Porto Alegre, o lançamento de dois novos projetos para atender os mercados de Tecnologia da Informação (TI) e de Logística. Tratam-se dos maiores eventos mundiais desses segmentos: BITS - Business IT South America, uma nova feira comercial, com uma forte programação paralela criada especificamente para os mercados de TIC brasileiro e latino americano, e CeMAT - Feira Internacional de Movimentação de Materiais e Logística. Segundo Gruchow, a América do Sul é uma região chave na estratégia de expansão internacional da promotora de feiras alemã. "E nesse contexto, o Brasil é visto num cenário de expectativas bastante promissoras

pelos nossos expositores. O país foi bem sucedido ao evitar grande parte do impacto da crise financeira", afirmou Gruchow. BITS terá a chancela da CeBIT - "A BITS oferecerá às indústrias de tecnologia da informação e comunicação e prestadores de serviços de TIC da América Latina uma plataforma única que compreende o público B2B, combinando exposições com uma forte programação paralela, tendo como diferencial a expertise da CeBIT, a mais importante e bem sucedida feira mundial dos negócios digitais", conta Constantino Bäumle, diretor da Hannover Fairs Sulamerica, empresa organizadora da BITS e representante exclusiva da Deutsche Messe. O evento acontecerá de 10 a 12 de maio de 2011, na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre. Sobre a BITS - Iniciativa da Deutsche

25 Abril de 2010

Messe e da Hannover Fairs Sulamerica, a BITS é organizada em cooperação e com o suporte do Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul - Ciergs e da Fiergs, que coletivamente representam 41 mil indústrias com 600 mil colaboradores. Outros parceiros são as associações das indústrias de TI Softex e Softsul. A consagrada CeMAT chega ao Brasil - Realizada tradicionalmente em Hannover, na Alemanha, e com edições na China, Rússia, Turquia e Índia, agora chegou a vez da América do Sul, através do Brasil, sediar a primeira edição da CeMAT South America, de 4 a 7 de abril de 2011, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. Ela reunirá exposição, seminários, workshops, apresentações técnicas especiais de equipamentos e processos e verdadeiros shows em área externa livre, além de outras atrações.


carreira

Pensar só no lado financeiro pode trazer desmotivação Receber altos salários e bons benefícios é o sonho de qualquer profissional, certo? Certo. Mas e aquelas pessoas que fazem suas escolhas visando apenas o lado financeiro, não estariam prejudicando sua carreira? Para a diretora e psicóloga da Conect RH, de Cachoeirinha, Tatiane Scotta, isso é o que geralmente acontece com os profissionais que pensam dessa forma. "Somos os únicos responsáveis pelas nossas escolhas. Quando visamos apenas o lado financeiro e os bons benefícios, talvez nos esqueçamos da nossa qualidade de vida. Acredito que de nada adianta você ganhar um salário atrativo e excelentes benefícios se você não tem sucesso", afirma. Para alguns especialistas, a pessoa que valoriza mais o salário e benefícios, com o tempo pode se tornar um profissional desmotivado e despreparado para o mercado de trabalho. "Aqueles que procuram somente benefícios esquecem que possuem um capital intelectual a ser desenvolvido. Dessa forma, não desenvolvem suas competências e seus valores para se prepararem para o mercado de trabalho" disse Tatiane. Mas e aqueles que desejam um bom salário para, na frente, investir na sua carreira? Neste caso, afirmam especialistas, existe um objetivo e um planejamento a longo prazo, portanto o profissional não estaria prejudicando sua carreira. Esse planejamento é muito importante, por isso o profissional pre-

Divulgação/MP

cisa visualizar como pretende estar daqui a cinco anos e, a partir daí, se aprimorar para conseguir o cargo, a empresa e a atividade que deseja. Tatiane Scotta dá mais algumas dicas para quem almeja uma carreira de sucesso. "Uma das qualidades mais importantes de um profissional que deseja ter sucesso na carreira é saber ouvir. Quando entendemos que ainda não sabemos tudo e que sempre temos que melhorar como ser humano, conseguimos ser mais felizes e realizados tanto na vida profissional quanto na pessoal", afirma. Manterse atualizado sobre as exigências do mercado de trabalho é uma excelente estratégia para impulsionar a carreira, segundo a psicóloga.

26 Abril de 2010

OUTRAS DICAS • Ter metas e objetivos para sua carreira; • Confeccionar um currículo adequado; • Não esqueça que uma boa apresentação pessoal é fundamental, e que seu principal produto é você mesmo!; • A auto-estima precisa estar presente em todos os momentos de nossas vidas, seja pessoal, seja profissional; • Avalie sua carreira todos os dias. Invista nela, participe de treinamentos, palestras, grupos de estudos, etc; • Todas as estratégias e comportamentos que não deram certo em empresas anteriores, que sirvam de aprendizado para as próximas; • Construir um Networking - Rede de relacionamento (ganhar visibilidade no mercado de trabalho - cultivar bons contatos profissionais).


Volnei Borba Gomes Consultor Empresarial Sênior CRA/RS e CRC/RS 80.603

Em 1912 Joseph Schumpeter, em sua obra Teoria do Desenvolvimento Econômico, destacava que o crédito deveria servir como ferramenta de apoio ao crescimento e desenvolvimento econômico. Ele analisava a função do empreendedor como agente de desenvolvimento econômico (criação de riquezas, ciclos de desenvolvimento econômico, expansões, criação de emprego e prosperidade). O próprio Keynes (1936) indicava a importância das perspectivas e das condições de financiamentos para o investimento. Gurley e Shaw (1955) destacam a relação entre financiamento e crescimento. O pós-crise de 2008 trouxe para o palco um debate de extrema relevância em apontar qual o papel do Estado como indutor de crescimento e desenvolvimento econômico. Deve interferir em maior ou menor grau? Em quais áreas o papel do Estado é mais ou menos importante? Qual a prioridade de um Estado-Nação à frente das prioridades que o Estado deve operar, com maior ou menor agressividade? Deve ter uma participação mais conservadora ou ousada como indutor nos sistemas de produção de riqueza, prosperidade, geração de emprego e renda? Uma certeza que virou pó e que os neoliberais defendiam com exageradas convicções e até mesmo um viés fundamentalista em alguns casos, era

Declaração de Imposto de Renda Gislaine Beatriz da Silva

que o "Estado mínimo" deveria reinar como elemento chave, pois a participação do Estado desobstruía a livre iniciativa (vide: Empreendedorismo). Atualmente os "discípulos neoliberais" que apregoavam em todos os espaços esse modelo a ser praticado cegamente, não encontram mais eco e guarida para sustentar tal modelo de desenvolvimento. O cenário que se apresenta atualmente para o debate político deve vir revestido com discursos e projetos, mas principalmente com a prática política de nossos futuros mandatários, ou seja: Qual o papel do BNDES, do BRDE? Da Caixa RS? Do Banrisul, como propulsores e fomentadores de uma política de crédito que prime pelo investimento e retorno no setor produtivo, e que tenham ações cada vez menos concentradoras de crédito, à exceção quando esses financiamentos tenham caráter estratégico para o Estado. Que nossos futuros mandatários possam nos apresentar políticas públicas de desenvolvimento econômico voltadas para o pequeno e médio empresário. Aos pequenos e médios empresários (empreendedores - vocacionados, profissionalizados), cabe o desafio de desenhar-redesenhar suas táticas e estratégias empresariais, preparando seu micro-ambiente econômico com vistas a permitir o acesso a financiamentos e recursos mais competitivos. Deus e audácia! (Regnare Christum volumus)

Contadora CRC 071037 | Fiscontarh

Mais um ano se passou, e estamos, novamente, correndo para reunir os documentos necessários para a elaboração da declaração de imposto de renda pessoa física. Segue algumas novidades para esse ano: 1. Para reduzir a quantidade de declarações em seu banco de dados, a Receita Federal do Brasil - RFB alterou alguns pontos da obrigatoriedade da apresentação da declaração, como por exemplo, o valor de bens ou direitos, antes para quem possuía bens superiores a R$ 80 mil era obrigado a apresentar declaração, agora a obrigatoriedade é para quem possua bens acima de R$ 300 mil. 2. Outro ponto que foi retirado era que toda pessoa física que em 2009 tenha participado de quadro societário de alguma empresa era obrigado a apresentar declaração. Neste ano, não tem mais essa obrigação, desde que não tenha se enquadradro em nenhum outro item de obrigatoriedade, está dispensado da apresentação da declaração. 3. Cuidado com os valores lançados nas deduções e compensações, pois no art. 23 da Medida Provisória 472 de 15/12/ 09, a RFB pode aplicar multa de ofício de 75% sobre a parcela do imposto a restituir informado na declaração, se constatar infração à legislação tributária. Ou seja, se o contribuinte lançou uma despesa médica indevida, recebeu notificação, retificou sua declaração, antes da restituição, e o valor da restituição baixou de R$ 600 para R$ 400 (exemplo) a RFB não cobraria multa, pois a declaração continuou com valor a restituir, porém agora com a MP, a RFB pode aplicar a multa sobre os R$ 200 que deixou de ser restituído. Este ponto deve ser olhado com maior atenção na declaração de 2011, pois os prestadores de serviços de saúde, e as operadoras de planos privados terão que apresentar a Dmed (Declaração de Serviços Médicos), e a RFB pode confrontar as informações com as dos contribuintes. 4. A pessoa física que se enquadrou em qualquer item de obrigatoriedade, fica dispensada de apresentar a declaração se constar como dependente em declaração apresentada por outra pessoa física, na qual sejam informados seus rendimentos e bens, caso os possua. Fique atento para evitar penalidades.

FISCONTARH

27 Abril de 2010

contabilidade

Financiamentos e Desenvolvimento Econômico


Toalhas de pano na indústria minimizam danos ao meio ambiente De forma espontânea, a Renova Lavanderia e Toalheiro sempre se preocupou em ser uma empresa com o mínimo de dano ao meio ambiente. O fornecimento de toalhas de pano aos clientes, que podem ser reutilizadas, no lugar de papel, trapos e estopas, materiais descartáveis, é uma prova. Além disso, a empresa possui uma política ambiental e um sistema de gerenciamento que se misturam aos projetos sociais que beneficiam apenados e comunidades carentes, tudo com o certificado ISO14001 e com base na sustentabilidade. Para conhecer um pouco mais os métodos da Renova, confira uma entrevista com o presidente Joarez Venço e o Gerente Comercial Carlos Santana: A indústria tem buscado desenvolver suas atividades dentro de um padrão ambientalmente correto. Por que não se deve utilizar toalhas de papel, trapos ou estopas? Que prejuízos eles trazem para o meio ambiente? Joarez Venço - Tanto o papel quanto os trapos e as estopas são sistemas baseados numa única utilização, com descarte imediato, gerando um passivo ambiental de difícil reparação em função do volume formado a cada utilização. Quanto maior for o volume de resíduos gerados, maiores são os impactos no meio ambiente e os riscos de contaminação no solo, sub-solo e lençóis freáticos, caso a disposição e o tratamento não sejam os adequados. Qual o motivo das toalhas de pano serem as mais aconselháveis? Joarez Venço - As toalhas de pano são as substitutas ecológicas do trapo e da estopa, pois absorvem graxas, óleos, tintas e resinas. Confeccionadas em formatos anatômicos e em tecido 100% algodão, não deixam resíduos nos equipamentos em que foram utilizadas. Em que condições as toalhas devem ser enviadas para a lavanderia? Com que periodicidade elas devem ser encaminhadas? Jorez Venço - No sistema de locação, a Renova disponibiliza quantidades predeterminadas de toalhas ao cliente, substituindo periodicamente as usadas por outras devidamente higienizadas. O processo eli-

Divulgação/Renova

Toalhas de pano não deixam resíduos nos equipamentos e podem ser reaproveitadas

mina a formação de lixo sólido nas empresas, o que evita o descarte sem reutilização, promovendo ao mesmo tempo a redução de resíduos e a redução de custos à indústria. A toalha utilizada para limpeza de cilindros de impressão normalmente é de cor branca, e não deve ser misturada com as toalhas de manutenção, essas na cor azul. A Renova tem uma política ambiental e um sistema de gerenciamento ambiental? Jorez Venço - Sim, essa é a maior diretriz da Renova, onde busca contribuir para a redução do impacto ambiental, criando soluções e produtos que atendam as necessidades de seus clientes. Todo este processo só será eficiente a partir de um sistema de gestão ambiental que identifique meios e procedimentos formais para que todo o ciclo de vida do produto esteja em conformidade com o ambiente sustentável, foco da Renova. Em que local estas toalhas já utilizadas devem ser acondicionadas para, posteriormente, serem encaminhadas para a Renova? Carlos Santana - As toalhas já utilizadas devem ser acondicionadas em sacos de ráfia, que permitam seu transporte sem provocar perdas ou vazamentos. Estes sacos são fornecidos pela Renova em sede de comodato aos seus clientes, e devem ser

28 Abril de 2010

utilizados exclusivamente no transporte das toalhas industriais. O solvente, por exemplo, recuperado pode ser utilizado para novas operações? Carlos Santana - As lavanderias industriais operam, via de regra, com dois processos de lavagem: o convencional, com emprego de água, e a lavagem a seco, com emprego de solventes. Na lavagem à água, o reaproveitamento consiste em utilizar a água dos ciclos de enxágue de itens de baixa sujidade (toalhas contínuas, uniformes, toalhas de banho) na pré-lavagem e de mais ciclos dos itens de sujidade pesada. Já a lavagem com solventes é utilizada para higienização de EPI´s confeccionados em raspa de couro, ou ainda sintéticos como PVC. Na lavagem a seco, todo o solvente utilizado pode ser reutilizado, consistindo atualmente na forma de higienização mais ecologicamente correta, já que permite a utilização inúmeras vezes. A higienização das toalhas industriais é realizada com o emprego de água - que no caso Renova, consiste na água reutilizada por processos de baixa sujidade - com tratamento após seu uso na Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), química e biologicamente, com os resíduos sólidos extraídos no tratamento encaminhados a aterros industriais devidamente licenciados junto aos órgãos de controle ambiental.


Entrega do MPE Brasil

ISO 9001 Erotildes Nogueira Machado Auditora Líder e Especialista em Consultoria Diretora da Nogueira Machado Assessoria Empresarial Integrante do Comitê do PGQP - Cachoeirinha

Ainda há surpresas na revisão da ISO 9001 A ISO 9001 teve revisão em 2008. As empresas certificadas que não realizarem auditoria externa na nova versão até a metade do mês de novembro perderão a certificação. Quem deve estar atento a este compromisso é o RD. Leia-se Representante da Direção para o Sistema de Gestão da Qualidade da empresa. Muitas migrações têm sido providenciadas às pressas. Por quê? Inerente a quem vive ISO 9001 é perguntar "Por que isto está ocorrendo?". Muitos entendem que seja porque o prazo de implementação foi simultâneo ao início da "crise mundial de negócios" e que o foco no período foi na sobrevivência - para quem ficou em crise - ou em aproveitar a oportunidade - para quem não foi atingido. Em ambas as situações, a revisão foi sendo postergada. Buscando causa raiz, talvez o motivo possa estar relacionado com a falta de identidade de quem ocupa a função de RD ou no entendimento do seu papel. Importância do RD Fazendo uma abordagem simples, pode-se dizer que os requisitos da ISO 9001 estão agrupados em cinco assuntos: Documentos, Direção,

Recursos, Produção e Melhorias. Existe, portanto, um item inteiro dedicado aos compromissos da Direção. Considera ser indelegável o papel do Diretor para: • Estabelecer Política, Objetivos e Metas com foco no Cliente e na Qualidade; • Determinar Planejamento e Ações consistentes com estes e sua Análise Crítica formal; • Prover Recursos e Comunicação Interna adequados; e • Estabelecer Autoridade/Responsabilidades. Mas, sabiamente reconhece que o Diretor precisa cuidar dos Negócios e determina que indique um membro da administração para representá-lo nos assuntos da Qualidade. Este deve assegurar a manutenção e evolução dos processos, a contínua conscientização das pessoas e relatar à Direção as necessidades e as melhorias. Portanto, ser RD não é portar um cargo honorífico. É uma função vital para a Qualidade e para o resultado da empresa. Pessoa de confiança do Diretor, que fala em seu nome e está completamente comprometido em fazer a Qualidade ser a realidade e o orgulho da empresa. Tanto em dias de crise quanto nos períodos de fartura. Em qualquer tempo!

No dia 23 de março aconteceu a cerimônia de entrega dos prêmios do MPE Brasil, em Brasília. No 7° Reconhecimento e Premiação Nacional das Micro e Pequenas Empresas foram conhecidos os nove vencedores da etapa nacional. Do Rio Grande do Sul foram premiadas duas emecnologia ecnologia, de Santa Maria, na presas, a Ômega TTecnologia categoria Tecnologia da Informação e a Quinta da Estância Grande Grande, de Viamão, na categoria Destaque em Responsabilidade Social. O discurso do empresário Rafael Sittoni Goelzer, que administra a Quinta da Estância Grande, sintetizou a emoção dos grandes vencedores da noite. "Muitas vezes não percebemos o alcance das nossas pequenas ações, mas a conquista desse prêmio mostra o quanto isso é verdadeiro. Nem acreditávamos que pudéssemos passar da primeira fase e agora estamos aqui, compartilhando com vocês nossa enorme alegria, com a certeza que cada um de nós pode fazer diferença", comemorou. Os vencedores em cada categoria foram: Agronegócios Fazenda Vale do Boi (Araguaína-TO) Comércio Patrimonium Segurança (Maringá-PR) Educação Escola Kennedy (Eunápolis - BA) Indústria ICQL Química (Duque de Caxias-RJ) Saúde Simpharma Farmácia (Arco Verde - PE) Serviços Aprimor Consultoria (Natal - RN) Tecnologia da Informação Ômega Tecnologia (Santa Maria - RS) Turismo Cantos das Águas Hotel (Lençóis - BA) Destaque em Responsabilidade Social Quinta da Estância Grande (Viamão - RS)

29 Abril de 2010

qualidade

RD e a empresa


sustentabilidade

O problema do lixo tecnológico Um recente estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) mostrou que o Brasil é o mercado emergente que produz o maior volume de lixo eletrônico por pessoa a cada ano. Vigorando entre os líderes em descarte de celulares, TVs e impressoras, o país não tem estratégia para lidar com o fenômeno e o tema sequer é prioridade para a indústria, segundo o relatório. Este é o primeiro estudo sobre o tema realizado pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente (Pnuma), que constatou que o crescimento econômico dos países emergentes levou a um maior consumo doméstico, com uma classe média cada vez mais forte e estabilidade econômica para garantir empréstimos para a compra de eletroeletrônicos. Tudo isso ajudou na produção sem precedentes de lixo. A estimativa é de que, no mundo, 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico são produzidas por ano. Só a Europa seria responsável por um quarto desse lixo. Acompanhe abaixo uma entrevista com André Spohr Senger, diretor da Reverse, empresa focada na destinação correta de resíduos eletrônicos gerados pela população e empresas. Você concorda com a afirmação da ONU de que o Brasil não tem estratégia para lidar com o fenômeno? Sim. O país não possui nenhuma estratégia para o correto tratamento destes resíduos. Exemplo disso é que são poucas as leis sobre o tema, e esta solução mais abrangente e séria ainda está em fase de conversação entre os diversos interessados no assunto. O tema realmente não é prioridade para a indústria ou você acredita que as empresas se preocupam com o lixo, mas não sabem para onde enviar? Há uma preocupação no correto descarte dos diversos resíduos gerados pelas indústrias. O motivo que dificulta esse correto descarte são os custos envolvidos, não havendo, em

Divulgação/Reverse

muitos casos, a aceitação de que um correto destino demanda custos. Em sua opinião, como o Brasil pode lidar com esse fenômeno que tende a aumentar ainda mais? O primeiro passo é a aprovação de uma lei específica e coerente sobre resíduos tecnológicos, colocando obrigações para todas as partes envolvidas nesta cadeia (fabricantes, comerciantes, importadores, órgãos públicos, empresas recicladoras, órgãos ambientais). A segunda parte é o envolvimento de órgãos para fiscalizar as empresas que trabalham com este tipo de resíduo, avaliando se há um correto manejo e destinação do material recebido. O terceiro e mais importante passo é a conscientização das pessoas de que este tipo de resíduo também deve ter seu devido destino, e que são preocupantes as consequências de um descarte incorreto deste tipo de material. Existem outras empresas que fazem o trabalho da Reverse? No Rio Grande do Sul somente a Reverse faz o trabalho de tratar os equipamentos como resíduos, sem aproveitá-los para revenda de peças ou equipamentos. No Brasil existem outras empresas que atuam do mesmo modo que a Reverse, sendo a maioria atuante no Estado de São Paulo. Quanto material é processado pela Reverse e qual a capacidade da empresa? A Reverse processa mensalmente em tor-

30 Abril de 2010

no de 3-4 toneladas, tendo a capacidade de processar entre 10-15 toneladas/mês. A Reverse recicla o material, ou seja, revende o que pode estar funcionando? A Reverse trabalha considerando tudo que recebe como resíduo, não realizando a revenda de equipamentos ou peças que ainda possam estar funcionando. Esta prática é comum por empresas recicladoras. Ao tratarmos tudo como resíduo, ao desmontar e dar o correto destino dos resíduos, elimina-se o passivo ambiental do gerador do resíduo. Dependendo do equipamento, o aproveitamento dos materiais pode variar entre 94% a 99%. Sendo que estes resíduos, quando corretamente classificados, são enviados para empresas recicladoras que inserem no mercado matéria-prima para confecção de vários produtos novos. O que é feito com os componentes que não podem ser reaproveitados? Os resíduos que não são recicláveis são enviados para o melhor destino ambiental possível. Para as empresas ou mesmo as pessoas que queiram reciclar seu lixo eletrônico, que locais devem procurar no Rio Grande do Sul? Existem postos de coleta? As empresas que queiram destinar corretamente seu resíduo eletrônico podem entrar em contato diretamente com a Reverse. O fone é o (51) 3587 1239. São cobradas taxas para recebimento e tratamento do material.


Maurício Fernandes da Silva Advogado OAB/RS 53419 | Consultoria Ambiental

Quem nunca se questionou acerca da real necessidade da embalagem da pasta de dentes? Sabemos que resíduos inúteis são gerados e dispostos na natureza, poluindo e desperdiçando dinheiro. Essa prática pode estar com os dias contados, pois foi aprovada em consenso na Câmara dos Deputados a Lei que cria a Política Nacional de Resíduos Sólidos, após 19 anos de tramitação. Agora só falta o Senado. Importantes princípios como Ecoeficiência e Responsabilidade Compartilhada pelo Ciclo de Vida do Produto estão legislados, bem como a obrigação à União, Estados e municípios de elaborarem (e cumprirem) seus Planos de Resíduos. Trata-se de um planejamento por 20 anos que será atualizado a cada quatro. O mais interessante é que, pela primeira vez, fica condicionado, ou priorizado, o repasse de recursos da União aos Estados e municípios que já tiverem seus planos. Trata-se de um bom incentivo ao

Eloisa Ribeiro

Planejamento, tão raro no Brasil. A responsabilidade pelos resíduos é compartilhada entre quem coloca o produto no mercado (indústria ou importador) e o consumidor, que deverá dispô-lo adequadamente, onde o produtor ou o Poder Público indicar, passando por toda cadeia comercial (inclusive distribuidor e comerciante). A consequência é que fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes terão de investir para colocar no mercado artigos (e embalagens) recicláveis e que gerem a menor quantidade possível de resíduos sólidos. Em relação aos resíduos perigosos, como agrotóxicos, pilhas e baterias, pneus, óleos lubrificantes, lâmpadas fluorescentes e produtos eletroeletrônicos e seus componentes, os responsáveis pela cadeia comercial deverão implementar medidas para receber embalagens e produtos usados pelo consumidor, independente do Poder Público. Este processo é chamado de Logística Reversa. Para realizar essa logística, os empresários pode-

Lei cria Política Nacional de Resíduos Sólidos

rão recorrer à compra de produtos ou embalagens usados, atuar em parceria com cooperativas de catadores e criar postos de coleta. É possível o acordo com a empresa de limpeza urbana, mediante remuneração. Por fim, a coleta seletiva (separação dos resíduos Recicláveis, Orgânicos e do Rejeito), que no Brasil alcança módicos 8,2% segundo o IBGE, será obrigatória em todo o país. Todos ganham, pois novos mercados se abrirão, gerando empregos e renda e o ambiente será mais respeitado sem que ninguém precise subir em árvores, como fazíamos no século passado.

Década de 2000 foi a mais quente da história moderna Os dez anos entre janeiro de 2000 e dezembro de 2009 formaram a década mais quente da história moderna: é o que aponta uma pesquisa da National Aeronautics and Space Administration (NASA), conduzida pelo Goddard Institute for Space Studies (GISS), de Nova York. O estudo mostrou que o hemisfério sul,

no ano de 2009, apresentou as maiores temperaturas desde que as medições começaram a ser feitas, em 1880. Considerando as temperaturas globais, o ano de 2009 aparece em segundo lugar (empatado com 1998, 2002, 2003, 2006 e 2007), perdendo apenas para o ano de 2005. A pesquisa mostra ainda que o aumento

31 Abril de 2010

das emissões e dióxido de carbono e outros gases são fatores cruciais para essa elevação na temperatura, juntamente com mudanças na radiação do sol e a oscilação das temperaturas nos trópicos. Mas, segundo a NASA, os efeitos não são suficientes e a atividade humana continua tendo grande peso no aumento das temperaturas.

sustentabilidade

Resíduos Sólidos: O Brasil entrando no século 21


logística

TRC tem expectativas de crescimento Refletindo o otimismo geral dos empresários, também o setor de Transporte Rodoviário de Cargas (TRC) pretende crescer entre 5% e 10% neste ano. O dado foi revelado numa pesquisa realizada pelo assessor técnico da NTC&Logística, Antonio Lauro Valdivia, com 399 empresas do setor. Segundo o estudo, um número preocupante de empresas, 87,4%, não estão ou estão apenas parcialmente capitalizadas para atender a demanda de carga em 2010. Para os empresários pesquisados, 2009 foi um ano razoável. Para 41,6% o ano foi pior que 2008 e, para 19,3%, não foi nem melhor, nem pior. No entanto, 38,8% consideraram que 2009 foi melhor que 2008. A falta de infraestrutura

para atender a demanda prejudicou mais da metade dos entrevistados no ano passado. Para 38,2% deles faltou caminhão, para 16% faltou motorista e para 6% foi espaço nos terminais. Mesmo com a amenização da crise em 2009, 27,3% dos entrevistados se viram forçados a conceder descontos no frete e 37,6% apenas mantiveram o preço. Para Antonio Lauro Valdivia, o realizador da pesquisa, o receio da crise fez com que muitas empresas cortassem os investimentos e até se desestruturassem. O assessor acredita que, se houver o crescimento esperado em 2010 e não for registrada uma recuperação rápida nos valores de frete, o "apagão" logístico será inevitável.

Arquivo/MP

Setor pretende crescer entre 5% e 10%

Aumento das compras online puxa crescimento das entregas expressas Não é apenas o Transporte Rodoviário de Cargas que prevê crescimento em 2010. Operadoras logísticas de entrega expressa prevêem um aumento de até 50% este ano, puxado principalmente pelo crescimento na demanda do varejo ele-

trônico (e-commerce) no país. Por ano, as vendas na internet crescem em média 40%. No início, o mercado eletrônico contava com os serviços oferecidos pelos Correios, porém, a necessidade de diferenciar determinados produtos fez com

32 Abril de 2010

que mais empresas de entrega expressa entrassem nesse mercado e disponibilizassem soluções diferenciadas para cada cliente ou entrega. As gigantes nesse tipo de entrega, como a Direct Express e a Jadlog, aumentaram o faturamento

de 2009 em mais de 50%. Para se ter uma ideia, a Jadlog, que possui apenas cinco anos, mas já vem acumulando um crescimento anual de 80%. Em janeiro deste ano, a empresa cresceu 57% em relação a 2009 e em fevereiro, 62%.


uma unidade ampliada e reformada A Central Médica Carlos Chagas estará inaugurando ainda em abril a ampliação da sua unidade em Cachoeirinha. O espaço, agora, passa a contar com três andares e 1 mil metros quadrados, possibilitando mais qualidade, aumento das especialidades e novos equipamentos para as empresas da região. A Carlos Chagas, com esta ampliação consolida um trabalho pioneiro focado na parceria constante entre a Central Médica e a Empresa. “Buscamos a eficácia na solução dos atendimentos da medicina assistencial, do trabalho e ocupacional”, revela Dr. Gildo Irineu Coifman, médico especialista em ginecologia e medicina do trabalho, e Diretor da Carlos Chagas. A Central Médica atua em parceria com as empresas em busca de ações preventivas e recuperações das ações indenizatórias por acidente do trabalho. Esse trabalho consiste principalmente na prevenção, com a realização de palestras, identificação dos agentes causadores das lesões, exposições, pesqui-

Roselaine Vinciprova/MP

A Central Médica é focada na busca de soluções da medicina assistencial, do trabalho e ocupacional. sas, laudos e acompanhamento jurídico. Todas essas ações demonstram como está a saúde da empresa e de que forma é possível implantar ações de melhoria para evitar a lesão. Neste ano, foi criado o Fórum de Conhecimento que possibilitará uma compilação das informações, com isso, a Carlos Chagas passa a ser disseminadora de uma educação amplamente qualificada para levar as empresas. “Este trabalho garante um incremento do conhecimento de tal forma que os danos da saúde do trabalhador sejam minimizados. Com isso, ganha a empresa e ganha o colaborador, porque o nosso objetivo é a prevenção.”, revela Dr. Gildo. A Central Médica conta com unidades em Cachoeirinha, Canoas e Porto Alegre.

Objetivos da Carlos Chagas • Diminuir o absenteísmo; • Controle e prevenção dos riscos de Acidentes de Trabalho; • Prevenção de doenças profissionais; • Diminuição dos gastos/custos com doenças; • Melhoria na Qualidade de Vida; • Aumento da produtividade na empresa.

33 Abril de 2010

saúde

Carlos Chagas entrega à cidade


Câmara terá programa de

separação do lixo reciclável Começou a ser discutida pela mesa diretora da Câmara Municipal de Cachoeirinha uma resolução que tem como tema a ecosustentabilidade. A ideia é instalar em pontos estratégicos da casa, recipientes de coleta para separação de lixo reciclável. A iniciativa tem como objetivo conscientizar os funcionários pela ação correta de separação. Para iniciar a elaboração do projeto, o presidente da Câmara, vereador Maurício Medeiros, se reuniu com o Secretário Municipal de Serviços Urbanos, Francisco Belarmino Dias, e os vereadores Marco Barbosa e Rosane Lipert, 1ª secretária. "Pretendo colocar em prática a resolução o mais rápido possível", declarou Medeiros. Depois de o projeto ser colocado em prática, por meio de uma ordem de serviço, o caminhão da prefeitura, que faz o recolhimento da coleta seletiva, passará uma vez por semana para coletar o lixo reciclável

(papel, vidro e plástico) da Câmara. A compra dos recipientes que servirão para armazenar o lixo reciclável já foi encaminhada. Francisco Belarmino Dias disse que, na cidade, mais de 100 famílias são beneficiadas com a reciclagem. O lixo recolhido é levado para o Galpão Municipal, que fica localizado no Distrito Industrial. O Brasil, mesmo quando comparado a alguns países desenvolvidos, apresenta elevados índices de reciclagem. O país desenvolveu métodos próprios para incrementar essa atividade e o maior engajamento da população pode contribuir ainda mais para o aumento do índice de embalagens reaproveitadas. Vantagens Cada 50 quilos de papel transformado em papel novo evita que uma árvore seja cortada. Pense na quantidade de papel que você já jogou fora até hoje e ima-

gine quantas árvores você poderia ter ajudado a preservar. Cada 50 quilos de alumínio usado e reciclado evita que sejam extraídos do solo cerca de 5 mil quilos de minério, a bauxita. Quantas latinhas de refrigerante você já jogou fora até hoje? Saiba também que uma lata de alumínio leva de 80 a 100 anos para decompor-se. Com um quilo de vidro quebrado faz-se exatamente um quilo de vidro novo. E a grande vantagem do vidro é que ele pode ser reciclado infinitas vezes. Em compensação, quando não é reciclado, o vidro pode demorar 1 milhão de anos para decompor-se. A reciclagem favorece a limpeza da cidade, pois o morador que adquire o hábito de separar o lixo dificilmente o joga nas vias públicas. A reciclagem também gera renda pela comercialização do material a ser reciclado.

Caem pedidos de falência de MPEs A possível melhora no cenário econômico brasileiro em 2009 refletiu na queda do número de pedidos de falência entre as micro e pequenas empresas. É o que revela o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, que registrou o menor índice de pedidos de falência desde 2005: 106 no total. Em relação a fevereiro de 2009, a queda registrada foi de 8,6%, de 116 para 106 pedidos. O número de recuperações judiciais requeridas também caiu em fevereiro deste ano em comparação com 2009. Foram 23 no segundo mês do ano, uma queda de 62,3% se comparado com fevereiro do ano

passado. Em relação a janeiro, a queda foi de 48,9%. A quantidade de micro e pequenas empresas com falência decretada caiu de 62, em fevereiro de 2009, para 47 no mesmo mês de 2010. Em janeiro deste ano foram 63. De acordo com os economistas da Serasa Experian, a consolidação do crescimento econômico, especialmente a partir do segundo semestre de 2009, juntamente com a redução dos níveis de inadimplência, tanto das empresas quanto dos consumidores, têm proporcionado melhor saúde financeira às organizações, favorecendo quedas nos pedidos de falências e nos de recuperações judiciais.

34 Abril de 2010

Divulgação/MP


Congresso Brasileiro do Aço reunirá grandes nomes De 14 a 16 de abril acontece, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, a 21ª edição do Congresso Brasileiro do Aço, que apresentará um painel exclusivo sobre a produção mundial de aço bruto e as perspectivas de recuperação dos níveis de atividades da indústria do aço no País. A discussão terá a participação do presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), Luciano Coutinho, do presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB), Paulo Godoy e do vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e coordenador do Construbusiness, José Carlos de Oliveira Lima. O Congresso tem como objetivo traçar o panorama da indústria do aço no Brasil e no mundo. O evento, organizado pelo Ins-

tituto Aço Brasil (IABr), acontece depois do impacto provocado pela crise mundial e reunirá os principais representantes do setor, governo, fornecedores e clientes para debater as perspectivas da siderurgia no Brasil e no exterior. Os participantes poderão conferir debates com nomes importantes do setor como o diretor geral do WorldSteel Association, Ian Christmas, o professor especializado em economia chinesa da University of Califórnia, Barry Naughton, o diretor da Accenture, John Lichtenstein, o CEO da ArcelorMittal, Lakshmi Mittal, e o presidente da Vale, Roger Agnelli. Além das discussões durante as palestras, os congressistas poderão conversar pessoalmente com representantes da cadeia

35 Abril de 2010

siderometalúrgica durante a ExpoAço 2010, feira de 3 mil m2 que reunirá representantes da cadeia e terá entrada gratuita para visitantes. Em espaço adicional estará a Vila do Aço, onde visitantes e congressistas terão a oportunidade de conhecer uma área de 1.400 m² destinada a apresentar a aplicação do aço em casas, prédios, equipamentos urbanos, sistema drywall, engradamento metálico, esquadrias, coberturas e passarela, ou seja, opções arquitetônicas em aço em tamanho real. A mostra será especialmente atraente para empreendedores, construtores, engenheiros e arquitetos, bem como estudantes da área que poderão conhecer melhor as opções em aço para construção. Informações: www.acobrasil.org.br/ congresso2010.


Vendas pela internet cresceram 30% em 2009 Com o avanço da internet e, principalmente, das lojas que vendem pela rede, muitas empresas passaram a investir também nesse nicho. Como exemplo, temos as Casas Bahia e o varejista Carrefour, que entraram recentemente no mundo virtual. E não é por acaso que essas organizações resolveram vender pela internet. Pesquisas mostram que, a cada ano, o faturamento das lojas virtuais aumenta consideravelmente. De acordo com estudo realizado pela consultoria de comércio eletrônico e-bit, as compras feitas pela internet em 2009 totalizaram R$ 10,6 bilhões, uma alta de 30% ante 2008. A empresa não considera apenas as vendas de veículos, passagens aéreas e leilões virtuais. Cerca de 17,6 milhões de consumidores brasileiros já haviam feito pelo menos uma compra pela internet ao final de 2009, segundo o levantamento, um crescimento de 33%. Os líderes em vendas virtuais são livros, revistas e jornais, com 20% dos pedidos em 2009, seguidos de saúde, beleza e medicamentos (13%). Com a redução de IPI para a linha branca, os eletrodomésticos garantiram a terceira posição no ranking (11%), à frente de informática (9%) e eletrônicos (6%). Para este ano, a previsão é ainda melhor, de aumento nas vendas em compara-

ção a 2009. A meta é movimentar R$ 13,6 bilhões. Potencializando os negócios Para quem já investe em internet como uma das ferramentas de venda, existem alguns passos que podem ajudar a potencializar os negócios. Um dos investimentos a serem feitos é em SEO (das iniciais em inglês para Search Engine Optimization, otimização para mecanismos de busca). Através dele, as principais informações do seu site podem ser facilmente localizadas pelos mecanismos de busca. A base está nas palavras-chave, frases e títulos dos conteúdos do site, que devem ser específicas, constantemente atualizadas e estar diretamente relacionadas aos negócios, serviços ou produtos da empresa. Também é importante fazer propaganda na internet, que pode ser feita em forma de links patrocinados ou banners em redes e mídias sociais. Mas lembre de manter os anúncios sempre atualizados. Investir em redes e mídias sociais também é uma boa ideia. Orkut, Facebook, Twitter, Flickr, Slideshare, etc, são o grande tema do momento e funcionam como canais de comunicação direta entre a empresa e seus clientes.

Divulgação

Vendas pela internet aumentaram 30% em 2009

Lançado Sistema de Avaliação do PGQP de 2010 Roselaine Vinciprova/MP

O Comitê Regional Cachoeirinha promoveu no final de março o lançamento do Sistema de Avaliação 2010 do PGPQ. Com o intuito de demonstrar às empresas a utilização das ferramentas da qualidade e a possibilidade de se integrarem ao Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade, o evento reuniu cerca de 50 empresários no auditório do Centro das Indústrias de Cachoeirinha e contou com a palestra de Maneca Duarte. Dentre os pontos abordados estão a importância da qualidade como diferencial na vida e na empresa, trabalho em grupo e cooperação, humor como ferramenta da qualidade, comunicação para o desenvolvimento pessoal e motivação em busca do sucesso pessoal e profissional. O presidente do Comitê Regional Cachoeirinha, Airton Venso, salientou que a qualidade já faz parte da vida das empresas e se tornou uma ferramenta importantíssima para o crescimento de qualquer negócio.

36 Abril de 2010


Duplicação da Avenida Frederico Ritter recebe investimento de mais de R$ 9 milhões A obra de duplicação da principal via de escoamento do Distrito Industrial de Cachoeirinha, a Frederico Augusto Ritter, está 30% concluída. O trabalho iniciou em outubro do ano passado e tem previsão de cerca de um ano e meio para ficar pronto. A obra faz parte do Programa de Ampliação e Melhoria da Infraestrutura de Cachoeirinha e também foi uma promessa à direção da Souza Cruz quando anunciou a ampliação da fábrica na cidade. Conforme o Gerente de Engenharia Industrial da Souza Cruz, Antonio Carlos Perrone Freire, a duplicação da Frederico Ritter é um desejo antigo de todos os moradores e trabalhadores de Cachoeirinha e, principalmente, das empresas que dependem desta importante via que abrange uma grande área do

município, interligando outras importantes vias e cidades. O projeto, desenvolvido em parceria com o Fomplata, destina no total cerca de R$ 40 milhões para a cidade, sendo 50% proveniente de recursos próprios da administração, que servem como contrapartida. Cerca de 1/3 deste valor, em torno de R$ 9 milhões, está destinado para as melhorias da Ritter entre a Avenida das Indústrias e a RS-118, num trecho de seis quilômetros. O programa ainda prevê a substituição asfáltica de toda a Avenida Flores da Cunha e duplicação da Papa João XXIII. Para o prefeito de Cachoeirinha, Vicente Pires, todos os esforços e compreensão são importantes neste momento. "Estamos cumprindo um grande plano de crescimento para cidade e para o desenvol-

Roselaine Vinciprova/MP

vimento econômico", revela. A Souza Cruz tem apoiado e sabe da importância desta obra. "Podemos esperar alguns transtornos aos usuários da Frederico Ritter nesta fase de obras, que sem dúvida demandará paciência e colaboração na busca de soluções alternativas que minimizem as dificuldades, mas devemos estar felizes com os ganhos que segu-

ramente teremos no fluxo de transporte dos produtos/serviços e da segurança pessoal de todos que utilizam esta via. A localização privilegiada de Cachoeirinha no Estado lhe dá uma condição diferenciada na capacidade de atrair novos empreendimentos, como foi o caso da Souza Cruz e de tantos outros que chegaram", revela Perrone.

Veículos leves têm novo acesso ao Distrito Industrial A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT) fez um mutirão de sinalização e colocação de placas nas ruas 29 de Setembro, Das Flores e Manoel Messias, na Vila da Paz, que passaram a ter mão única no sentido Distrito Industrial. O novo acesso ao bairro deverá ser feito pela Edgar Bins. O supervisor de trânsito da SMTT, Carlos Massalay, alerta que o novo acesso é apenas para veículos leves (motos e carros). Os veículos pesados deverão continuar acessando o Distrito pela Avenida

das Indústrias. Conforme Massalay, as mudanças têm a intenção de qualificar o fluxo das avenidas Fernando Ferrari e Frederico Ritter e proporcionar mais segurança aos alunos e à comunidade escolar da região. O deslocamento desse tráfego é também uma preparação para as obras de duplicação da Avenida Frederico Ritter. Agentes de trânsito orientarão os motoristas nos locais. O supervisor lembra que este também foi um pedido do Centro das Indústrias de Cachoeirinha (CIC).

Divulgação

Veículos pesados deverão continuar acessando o Distrito Industrial pela Avenida das Indústrias

37 Abril de 2010


Renovação de contrato temporário pode ser feita pela internet O Ministério do Trabalho e Emprego publicou portaria que simplifica o pedido de prorrogação dos contratos de trabalho temporários. Agora eles podem ser feitos pela internet, reduzindo a burocracia e ampliando para seis meses o período de trabalho desses funcionários. Antes da portaria, os contratos temporários de emprego tinham duração de três meses, podendo ser renovados por mais três meses. Nessa renovação, o empregador precisava pedir uma autorização ao ministério, que demorava em torno de 45 dias para ser concedida. Agora, com a portaria e o sistema informatizado, a prorrogação pode ser solicitada até o penúltimo dia de término do contrato. O pedido é feito ao ministério e emitido no mesmo instante. Em todo o país existem cerca de 1 mi-

Divulgação/MP

Pela internet, a renovação é mais rápida e com menos burocracia

lhão de trabalhadores temporários. Com as mudanças, a expectativa é que haja au-

mento de 30% nas contratações em todo o Brasil.

Terex construirá unidade em Guaíba A Terex Roadbuilding, de Cachoeirinha, anunciou a assinatura de Protocolo de Intenções com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, que ocorreu no dia 29 de março, para o investimento de R$ 150 milhões, nos próximos cinco anos, para a construção de uma nova unidade fabril na cidade de Guaíba. "A iniciativa faz parte da estratégia de expansão da Terex nos mercados de maior crescimento para a companhia mundialmente, entre os quais o Brasil e a região latinoamericana", afirma Liège Olmos, analista de marketing da empresa.

Construída em uma área de 500 mil m², a nova fábrica será mais de 10 vezes maior que a atual e deverá entrar em operação após um ano. "Inicialmente, produziremos os equipamentos para o segmento de roadbuilding (construção de estradas) e a Terex já estuda fabricar máquinas de outros segmentos nos quais atua (construção, plataformas aéreas de trabalho, guindastes e processamento de materiais)", disse Liège. De acordo com a analista de marketing, a empresa, com a ajuda do Governo do Rio Grande do Sul, realizou diversas análi-

ses e estudos, mas não encontrou uma solução viável para a ampliação da atual planta em Cachoeirinha. "Não existem áreas ao redor para expansão de nossas atividades. Por esta razão, escolhemos a cidade de Guaíba para a construção da nova unidade fabril da Terex, que vai gerar 650 postos de trabalho ao final de cinco anos", explica. Os atuais colaboradores permanecem na equipe, de acordo com Liège, porque possuem a expertise dos processos de produção e porque terão oportunidades de crescimento com o projeto de expansão.

Cidades podem ir para a China A Expo Mundial de Cidades 2010 deve receber 70 milhões de visitantes de maio a outubro em Shangai, na China. Conta com a participação de 192 países e 40 Organizações Internacionais. A China é hoje, em termos mundiais, a 2ª maior economia, o maior mercado consumidor, o maior crescimento médio do PIB nos últimos 30 anos, o maior detentor de reservas cambiais e o maior exportador. Esse ano deverá ser também o maior importador mundial. É o maior par-

ceiro comercial e o maior comprador de produtos agropecuários do Brasil - apesar disso, a China compra aqui menos de 2% de tudo o que compra do mundo. As cidades brasileiras podem participar deste evento e estabelecer intercâmbios científicos e tecnológicos, educacionais, culturais, esportivos, e na área ambiental, com instituições da China e de outros países, além da possibilidade de captar recursos junto a organismos internacionais. O Instituto de

38 Abril de 2010

Cooperação Internacional (ICOOI) está intermediando a participação brasileira. O ICOOI (www.icooi.org) desenvolve intensa divulgação recíproca, da China e do Brasil, desde 2004, por meio de seminários e palestras e a organização e recepção de missões empresariais e governamentais nos dois países. O prazo para adesão é até 30 de abril. O consultor Volnei Borba está responsável por maiores informações pelo e-mail volneiborba@wciconsultoria.com.br.


39 Abril de 2010


40 Abril de 2010

Revista Matéria Prima - 13ª edição  

Abril de 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you