Page 1

| novembro de 2010 | 1


Índice

EDITORIAL COLUNA VERTEBRAL

04

A importância da atualização constante Dr. Fernando Sanchis

CIRURGIA PLÁSTICA

Regeneração da derme: tecnologia disponível em Gravataí

06

Dr. Ricardo Lodeiro

NUTRIÇÃO

12

Sucos com propriedades funcionais

O verão está chegando e com ele a estação onde as pessoas revelam seu lado mais alegre e descontraído. Calor é sinônimo de férias, festas e praia. Mas esta é sem dúvida a estação que requer maior cuidado, tanto na alimentação como na proteção. É nesta época que resolvemos colocar uma blusa mais justa e notamos os efeitos do inverno. Nesta edição, nossa reportagem especial é justamente sobre a estação mais deliciosa do ano e seus cuidados. Os malhadores de verão e os cuidados para aqueles que querem manter um ritmo acelerado para ficar “sarado” na praia, os cuidados com a pele e dicas de sucos para manter a saúde e o corpo saudáveis são alguns dos destaques da Revista Matéria de Saúde de novembro. Preparamos uma matéria especial em comemoração ao Dia Internacional do Voluntariado, comemorado no dia 5 de dezembro. Os benefícios para quem exerce uma atividade voluntária são comprovados cientificamente. Ajudar o próximo e estar em contato com pessoas que se sentem alegre pelo simples fato de estarmos ali, dedicando um pouquinho do nosso tempo, é sem sombra de dúvida uma terapia. Nesta edição selecionamos vários assuntos de interesse do público. Se você quiser sugerir alguma matéria pode enviar um e-mail para saúde@trcomunicacao.com. Boa leitura e até janeiro de 2011.

Expediente Novembro - 2010 - Ano I - 4a Edição

22

DERMATOLOGIA

Circulação: 5000 Exemplares

Cuidados com a pele no verão

Jornalista Responsável: Roselaine Vinciprova (MTB 11043) * Os artigos assinados não refletem, necessariamente, a opinião da revista Matéria de Saúde e são de inteira responsabilidade dos autores. * Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis na revista Matéria de Saúde possuem apenas caráter educativo.

Contatos:

ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

30

Joelho: Lesões Meniscais

Fone: 51 3041.2333 | e-mail: saude@trcomunicacao.com

Dr. Roberto Schwanke (CEOT)

Comercial: Tadeu Battezini - tadeu@trcomunicacao.com Leonardo Azevedo - vendas@trcomunicacao.com

PROFISSIONAIS QUE COLABORARAM COM ESTA EDIÇÃO Fernando Sanchis (CRM 25665), Ricardo Lodeiro (CRM 18066), Vilson Fernando de Oliveira (CRM 11016), Carlos Teodósio Da Ros (CRM 16962), Luis Augusto Girardi (CRO CLM 1002), Gisele Silveira (CRN 5801), Diovani Soster da Silva (CREF. 009796-G/RS), Renato Bender Castro (CRM 16838), Fabrício Luiz Horta Pereira, Eneida Kompinsky (CREMERS 15849), Silvia M. B. Guaranha (CRO 3069), Roberto Schwanke (CRM 020379).

2 | novembro de 2010 |

Coordenação: - Roselaine Vinciprova - roselaine@trcomunicacao.com - Tadeu Battezini - tadeu@trcomunicacao.com

Colaboração: Camila Schäfer - camila@trcomunicacao.com Rodrigo Viegas - rodrigo@trcomunicacao.com Kamyla Jardim - redacao@trcomunicacao.com Dierli Santos e Juliana Litivin Matéria de Saúde é uma publicação bimestral da TRCOM. Todos os direitos reservados.


| novembro de 2010 | 3


:: COLUNA VERTEBRAL

Dr. Fernando Sanchis Especialista em Cirurgia da Coluna Vertebral CRM 25665

A busca constante por novas técnicas e atualização deve ser um dos objetivos do cirurgião responsável e preocupado com seus pacientes

www.room4.co.uk

A importância da atualização constante Divulgação

A medicina é uma ciência em constante evolução. Diariamente novas pesquisas têm início e grandes descobertas são anunciadas nas mais diversas áreas. Na ortopedia não é diferente. Novas e modernas técnicas de diagnóstico e tratamento surgem a cada dia. Na área de cirurgia da coluna vertebral não é diferente, pelo contrário, é sem dúvida a especialidade da ortopedia que mais apresenta novidades e opções aos pacientes e médicos. Toda essa modernidade se deve ao fato de que o número de pessoas atingidas por patologias da coluna é cada vez maior e mais frequente, levando à neces-

sidade de novos e eficazes tratamentos. Com o aumento da longevidade vemos que cresce a importância de um diagnóstico precoce, evitando assim que doenças tratáveis em pacientes relativamente jovens evoluam para patologias muito avançadas na terceira idade, de difícil tratamento (com riscos bem maiores) e com resultados parciais. A busca constante por novas técnicas e atualização deve ser um dos objetivos do cirurgião responsável e preocupado com seus pacientes. Geralmente buscamos essa atualização em congressos, cursos, simpósios, treinamentos específicos direcionados a alguma técnica especial e jornadas da área.

O Dr. Fernando Sanchis, sempre em constante atualização, participou em maio de 2010 do DUBAI SPINE MASTERS - Minimally Invasive Spine Techniques, que ocorreu em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, como parte da programação da NASS (Sociedade Americana de Cirurgia da Coluna Vertebral)

Como Especialista em Coluna Vertebral e coordenador do CEOT, Divulgação

minha formação e dia-a-dia profissional são voltados para a utilização e desenvolvimento de técnicas minimamente invasivas, trazendo aos pacientes sempre o que há de mais moderno e atual na área de cirurgia da coluna vertebral. Para me manter sempre atualizado, participo ativamente dos principais encontros, cursos, simpósios e congressos nacionais e internacionais sobre o desenvolvimento da moderna cirurgia da coluna vertebral. Mais informações no site www.colunars.com.br. Dr. Sanchis presente no II COMINCO Congresso Brasileiro de Cirurgia e Técnicas Minimamente Invasivas da Coluna Vertebral, realizado do dia 21 a 23 de julho de 2010, em São Paulo/SP. "A cirurgia minimamente invasiva da coluna vertebral é o nosso foco atual, trazendo aos nossos pacientes excelentes alternativas e resultados para o tratamento de diversas patologias da coluna" - comemora o Dr. Fernando Sanchis

4 | novembro de 2010 |


| novembro de 2010 | 5


:: CIRURGIA PLÁSTICA

Dr. Ricardo Lodeiro Cirurgião Plástico CRM 18066

A parte profunda da pele, conhecida como derme, onde se encontram as fibras elásticas, é a chave para o problema

Regeneração da derme: tecnologia disponível em Gravataí Uma queimadura pode ser tão grave que compromete todas as camadas formadoras da pele. Neste caso, é classificada como de 3o grau. Isto significa que, naquele local, não crescerá mais pele normal. A solução que o corpo acha para criar uma barreira à entrada dos microrganismos que nos cercam e ao mesmo tempo evitar perdas pelo contato dos tecidos nobres internos com o ar: fechar a lesão com um tecido que chamamos de cicatriz. Este tecido é formado de células diferentes da pele normal: rígido, sem elasticidade e que tende a se retrair com o tempo, o que, além de restringir o movimento, ainda provoca distorções anatômicas ao seu redor. Quando grandes áreas ou articulações importantes são acometidas, as técnicas da cirurgia plástica muitas vezes são limitadas em tentar liberar os movimentos e reduzir as distorções. A parte profunda da pele, conhecida como derme, onde se encontram as fibras elásticas, é a chave para o problema e variadas técnicas tentam trazer das redondezas ou de pontos mais distantes do corpo coberturas que a possuam. Há anos se desenvolve no Japão uma solução: a matriz dérmica. Trata-se de uma espécie de placa microporosa, como uma "esponja", de colágeno suíno que permite o crescimento de vasos sanguíneos e migração de células cuja função é absorver este colágeno e trocá-lo pelo humano, criando uma nova derme no local, com a elasticidade da derme perdida. Neste momento é depositada sobre a nova derme uma fina camada de pele (enxerto), provendo células que irão se desenvolver ali. Onde havia uma cicatriz repuxada e rígida, passamos a ter pele flexível. Um recurso fan6 | novembro de 2010 |

tástico para sequelas de queimaduras que inutilizavam membros e desfiguravam pessoas, levando a aposentadoria precoce e mais privações para já tão sofridas vítimas. Um uso mais recente desta matriz, conhecida como Pelnac®, foi objeto de atenção de alguns profissionais da saúde envolvidos com trauma: um paciente teve perda importante de praticamente toda a cobertura da região lateral da perna, deixando uma extensa área óssea exposta. Fui chamado para tentar ajudar os colegas todos exímios profissionais - que buscavam uma solução. Todas as tentativas convencionais tornavam-se impossíveis ou extremamente arriscadas, e a falta de soluções tornava cada vez mais próxima a amputação do membro (o dessecamento do osso exposto levaria à infecção e perda). Estudando e buscando opiniões de cirurgiões plásticos renomados, falei com Dr. Jaime Federbusch (Unimed V. Sinos) - que já o havia utilizado em queimados - e recebo informações de que o Dr. Francisco Tostes (Santa Casa de Poa) obtivera sucesso cobrindo osso exposto (uma pequena área em tamanho, imensa em importância). Decidi apostar no Pelnac® como recurso derradeiro. Resultado? Houve integração perfeita e o osso foi coberto com pele, evitando a amputação. Após colher dados com a fábrica da matriz no Japão, embora ainda em análise inicial, aparentemente esta foi uma das maiores - senão a maior cirurgia de cobertura óssea por trauma do mundo feita com Pelnac®. O procedimento foi executado no Hospital Dom João Becker e o tratamento contou com a devoção dos colegas Dr. Zygmunt Wojcicki Filho (cirurgião vascular), Dr. Alfredo Gritsch (traumatologista) e Dr. Cristian Benicasa (clínico), fundamentais para o conjunto

de ações que levou ao êxito o caso, tanto quanto todas as equipes de enfermagem que nos deram suporte. O apoio logístico proporcionado pelo Enf. Joel Pruss e a gentileza do Serviço de Cirurgia Plástica da ISCM-Poa cedendo equipamentos que carecíamos completaram a receita do sucesso. Para minha preocupação, o paciente algumas semanas após a alta já estava andando de moto (veículo em que se acidentou). Torço para que a sorte permaneça com ele. Divulgação


| novembro de 2010 | 7


:: ENDOSCOPIA

Doença Diverticular dos Cólons (intestino grosso) Por Vilson Fernando de Oliveira

Divulgação

Nos pacientes que apresentam a doença diverticular evoluindo para uma oclusão parcial com importante repercussão na qualidade de vida, há a possibilidade da retirada do segmento intestinal comprometido (colectomia parcial). Hoje este procedimento pode ser realizado totalmente por videolaparotomia, com mínimos cortes, apresentando grande vantagem na evolução destes pacientes. Há menor desconforto, menor hospitalização, menor infecção e maior rapidez no retorno às atividades laborativas.

Cirurgia e Endoscopia Digestiva CRM 11016 O intestino grosso (cólon) pode apresentar defeitos em sua parede (diâmetro aproximado da parede intestinal de quatro a cinco milímetros). Em determinadas regiões do intestino grosso há a ausência da camada muscular. Desta forma, há a protusão da camada interna (mucosa) para a parte externa com cobertura da camada externa (peritônio), mas sem a camada muscular (intermediária). Este defeito vai ocasionar diversas evoluções da doença. Alguns pacientes apresentam o defeito sem sintomas relevantes e não há complicações a curto e longo prazo. Outros pacientes apresentam inflamações e eventualmente infecções da região dos divertículos. A presença dos divertículos com ou sem sintomas é chamado de doença diverticular dos cólons. O local de maior incidência no intestino grosso ocorre no segmento do cólon sigmóide (conforme foto). Quando há infecção nos divertículos chamamos de diverticulite. A grande maioria dos pacientes evoluiu lentamente com inflamações de repetição (sem infecção detectável). Os sintomas mais frequentes da doença diverticular são: flatulência (eliminação de flatus) que aumenta progressivamente, alteração do hábito intestinal (alternância de fezes mais endurecidas com fezes mais amolecidas e até diarreia), dores abdominais, plenitude abdominal (estufamento) e tenesmo intestinal (estímulo evacuatório sem que ocorra a eliminação de fezes). A doença diverticular aumenta a incidência de tumores intestinais. A doença diverticular é extremamente

8 | novembro de 2010 |

frequente após os 60 anos, mas ocorre em qualquer idade adulta e vem ocorrendo com maior frequência na população mais jovem. Em alguns pacientes, a doença pode ocasionar a perfuração intestinal com grave infecção (peritonite) podendo ameaçar a vida. Alguns pacientes podem apresentar sangramento, devido à ruptura de vasos junto aos divertículos, ameaçando sua vida. A grande maioria desses pacientes tem a parada espontânea do sangramento. Alguns pacientes podem necessitar de intervenção cirúrgica para contê-lo. Alguns pacientes (principalmente aqueles que iniciam sua doença quando muito jovens) evoluem lentamente para um processo inflamatório crônico na parede intestinal provocando grande endurecimento intestinal e estreitamento da luz intestinal, podendo levar a uma oclusão intestinal.

Quando a doença evoluiu para uma oclusão total do intestino grosso, somos obrigados a realizar um desvio do intestino (colostomia). Abertura na parede abdominal de um orifício com exteriorização do intestino na região anterior a área obstruída. O paciente usará uma bolsa (colostomia) que recolherá as fezes até que seja resolvida a obstrução intestinal. A totalidade dos pacientes com colostomia por doença diverticular só permanecerão com a colostomia (bolsa coletora de fezes) por um período até a resolução da obstrução. Na obstrução total do intestino há uma grave alteração metabólica do paciente, ameaçando sua vida e não podemos deixar sem intervenção devido ao risco de morte por translocação bacteriana (passagem de bactérias do intestino para o sangue) e septicemia (reprodução das bactérias no sangue). Todo o paciente com dor abdominal, febre e alteração do hábito intestinal deverá ser avaliado por um médico para que seja realizado um diagnóstico adequado e prescrição da conduta terapêutica mais adequada.


:: UROLOGIA

Hemodiálise e problema de ereção peniana Por Carlos Teodósio Da Ros Urologista CRM 16962 A doença renal crônica tem alta morbidade e mortalidade em todo o mundo. São milhares de pessoas que fazem hemodiálise e a prevalência de doença renal em fase final, quando vai precisar do tratamento dialítico, é de aproximadamente 5% ao ano. Porém, a expectativa de vida destes pacientes em hemodiálise tem aumentado, devido aos avanços do tratamento. A Disfunção Erétil (DE), ou impotência sexual, é definida como a constante incapacidade do homem em obter e/ou manter uma ereção peniana com rigidez e tempo de duração suficiente para uma satisfatória relação sexual. A DE atinge mais da metade destes pacientes que apresentam insuficiência renal crônica. A causa desta disfunção é multifatorial, como por exemplo: má nutrição, deficiências vitamínicas e de zinco, problemas vasculares e neurológicos e alterações hormonais. Muitas vezes a causa da

insuficiência renal, como é o caso da diabetes mellitus, pode ser a responsável pelos problemas de ereção peniana. Acredita-se que, aproximadamente, 75% dos pacientes diabéticos apresentarão DE no decorrer das suas vidas. Esta DE ocorre de cinco a dez anos antes nos homens com diabetes. A gravidade e a prevalência da DE aumentam com o controle insatisfatório da glicemia, com a idade, o fumo, a neuropatia diabética, a duração da doença e hipertensão arterial associada. Mais da metade dos pacientes em hemodiálise têm hipertensão arterial, que, por si só, já é causa de DE, bem como algumas medicações anti-hipertensivas. Os agentes beta-bloqueadores e os diuréticos tiazídicos, tão utilizados para o controle da pressão arterial, são prejudiciais para a função erétil normal. Também não pode ser ignorado o fator emocional, que está presente em todos os casos de DE. Além disto, muitos homens também apresentam hiperparatireoidismo, que também está associada à fisiopatologia da DE.

Outra causa é a baixa da testosterona, ou hipogonadismo, nesta população. É conhecido o papel deste hormônio no mecanismo da ereção bem como na libido ou desejo sexual. Fato interessante é que muitos pacientes que têm a testosterona baixa durante a diálise vão apresentar níveis normais após o transplante renal. O tratamento se faz da mesma forma que os demais pacientes. Primeiro, procuramos modificar o estilo de vida, hábitos alimentares, atividade física, controle do tabagismo e do alcoolismo. Pode-se também alterar, sempre que possível, as medicações em uso. A reposição de testosterona se faz necessária e o emprego de drogas que agem diretamente na musculatura do pênis fazem parte das primeiras medidas. A injeção de medicamentos diretamente no pênis e o implante de próteses penianas ficam como segunda e terceira alternativas. A sexualidade é definida como um dos pilares da qualidade de vida, sendo cada vez mais valorizada sua abordagem, com diagnóstico e tratamento adequado.

| novembro de 2010 | 9


:: VOLUNTARIADO

Ser voluntário

melhora saúde física e mental Segundo um estudo realizado pela Universidade de Harvard, o serviço voluntários nos deixa mais saudáveis, trazendo benefícios ao coração e ao sistema imunológico, além de aumentar a expectativa de vida e a vitalidade Em 1985, a Organização das Nações Unidas instituiu o dia 5 de dezembro como Dia Internacional do Voluntário. O objetivo era incentivar a promoção de ações gratuitas em todo o mundo. No Brasil, já existem diversas iniciativas a favor do desenvolvimento de práticas de voluntariado. Muitas vezes nem percebemos, mas ao nosso redor existem locais que precisam de trabalho gratuito e, o mais importante, pessoas que exerçam essa função espontaneamente. Mas como o voluntariado pode influenciar em nossa qualidade de vida? Segundo um estudo realizado pela Universidade de Harvard, o serviço voluntário nos deixa mais saudáveis. A pesquisa, que envolveu cerca de 2.700 pessoas, aponta que ser voluntário faz bem ao coração e ao sistema imunológico, além de aumentar a expectativa de vida e a vitalidade. A atividade auxilia também no desenvolvimento pessoal e profissional, aumentando o círculo de amizades e tornando as pessoas mais produtivas. Iara Bravo faz parte desse grupo. Voluntária desde 1995, começou esse traba-

Uma pesquisa do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) mostra que o número de voluntários no Brasil passou de 22 milhões para 42 milhões nos últimos anos. 10 | novembro de 2010 |

lho na Cruz Vermelha, ministrando palestras sobre dependência química e sexualidade para jovens. Desde o início da atividade, ela conta que aprendeu a respeitar e valorizar o ser humano como um todo, mesmo discordando dos fatos. "Sinto-me mais disposta fisicamente e emocionalmente. Hoje percebo com mais clareza as diferenças, sejam de ordem social, física, afetiva e/ou financeira. Somos invadidos pelo sentimento do dever cumprido. Isso torna as pessoas mais felizes, e, consequentemente, mais saudáveis", relata. Para a professora especialista em Educação e em Gestão Pública Participativa e voluntária, Janete Welter, o exercício das virtudes, não só fazem bem para a saúde pessoal do voluntário, mas principalmente para a saúde mental e moral de toda a sociedade. "É uma corrente do bem, de paz, que constrói, inevitavelmente, sujeitos individuais e coletivos comprometidos uns com os outros", revela. Sobre como se tornar um voluntário ela acrescenta: "para quem deseja se tornar um voluntário, penso que o primeiro passo é procurar uma entidade séria, comprometida com os princípios do voluntariado; após, deve escolher uma atividade para realizar, sendo que esta deve ser escolhida a partir do casamento da capacidade pessoal do(a) voluntário(a) com a necessidade do(a)s beneficiado(a)s pelo seu trabalho; depois, exercitar a humildade, pois na convivência com seus pares e com as pessoas que recebem as ações, há uma via de duas mãos no que se refere à aprendizagem; e por último, aproveitar ao máximo as emanações que, com certeza, passarão a fluir e a fazer parte do seu dia-a-dia", afirma. Para a Coordenadora do Lar do Idoso Nossa Senhora Aparecida, Kátia de Olivei-

ra, o voluntário tem que acreditar e querer ver um mundo melhor, acreditar no ser humano e que toda ação vinda do coração sempre trará bons resultados. "Temos que acreditar que nossa ação de hoje influi no resultado de amanhã, por isso a nossa grande responsabilidade", revela. Kátia, voluntária desde 2003, garante que os voluntários desenvolvem vários valores para a sua vida pessoal. "Aprendi que as dificuldades que tenho, às vezes são pequenas perto de tantas outras que existem. Aprendi a dar valor a gestos simples, como um 'bom dia', um abraço, um sorriso, um carinho, um olhar de ternura ou um 'muito obrigado'. Temos de viver bem cada momento da nossa vida, não deixar para amanhã o que se pode viver hoje", garante. Os benefícios enumerados para quem desenvolve algum tipo de atividade voluntária são inúmeros. A melhora da disposição física e mental são os principais, acompanhados de melhora do relacionamento, dar mais valor aos momentos alegres e a facilidade de encarar melhor os problemas do dia-a-dia. A psicóloga Iara Bravo finaliza com uma questão: "Alguém conhece um voluntário doente?".

Conheça algumas entidades onde você pode ser um voluntário: • Parceiros Voluntários de Cachoeirinha (Associação Amigos Voluntários) Fone: 3041-5752 • Parceiros Voluntários de Gravataí Fone: 3488-5566 • Projeto Pescar - Unidade Cachoeirinha Fone: 3471.7431


:: ODONTOLOGIA

Dentes amarelados não são mais problema Incluído na categoria de Estética Dental, o clareamento é um dos procedimentos mais procurados nessa área. Isso porque, com o passar dos anos, nossos dentes se tornam amarelados pelo efeito do cigarro, café, chimarrão, chá e outros, o que deixa muitas pessoas insatisfeitas com seu sorriso. Além dos tipos tradicionais (à laser e caseiro), o Dr. Luis Augusto Girardi (CRO CLM 1002) recomenda ainda a opção das facetas de porcelana, que proporcionam um "clareamento definitivo", uma vez que elas não escurecem com a ação do tempo e dos alimentos. No clareamento à laser, um gel clareador à base de peróxido de hidrogênio é aplicado pelo dentista sobre a superfície externa do dente e ativado por um tipo de laser. Já no clareamento caseiro, o paciente aplica em casa um gel clareador sob um molde de silicone por um certo período. O tempo de tratamento varia de acordo com o grau de amarelamento. Em média, o clareamento à laser leva duas ou três sessões. Já o caseiro pode levar de uma semana a 10 dias. O clareamento dental é indicado nos seguintes casos: dentes manchados por Divulgação

uso de tetraciclina e seus derivados; dentes escurecidos pela idade; dentes com calcificação pulpar causada por traumatismo; dentes acometidos por fluorose e que tenham manchas amarronzadas e dentes com indicação de faceta. São contra-indicados os casos de dentes hipersensíveis ou hipoplasia de esmalte; crianças com menos de 10 anos de idade; alérgicos a algum componente da fórmula do agente clareador; grávidas ou que estejam amamentando e incapazes de seguir as instruções corretamente.

te os dentes. Com as facetas isso não acontece", afirma Girardi. As facetas são feitas com um composto de resina ou porcelana para cobrir a superfície dos dentes manchados e dar uma aparência homogênea aos dentes quebrados e de formato irregular. Esse revestimento oferece uma cor mais próxima à dos dentes vizinhos e dura em geral de cinco a dez anos.

ANTES E DEPOIS

A sensação de dor varia de paciente para paciente. O clareamento dental não enfraquece os dentes, pois o laser não possui potência para isto. O que pode acontecer é o clareamento evidenciar rachaduras que o seu dente já possuía, ou seja, o tratamento apenas mostrou onde elas estavam, mas não foi o causador. Mesmo com o clareamento, o dente pode voltar a escurecer, mas nunca como era antes. Após dois ou três anos pode haver a necessidade de uma manutenção. Clareamento definitivo Uma forma de ter os dentes sempre brancos é através das facetas. "Esse tratamento é indicado sobretudo aqui no Sul, onde temos o costume de tomar chimarrão, o que escurece bastan-

Clareamento à laser

| novembro de 2010 | 11


:: NUTRIÇÃO ramzi hashisho/stock.xchng

Nos dias mais quentes, a perda hídrica é maior do que em qualquer estação do ano, e com os sucos conseguimos repor a perda de água e sais minerais como o potássio

SUCOS com propriedades funcionais Por Gisele Silveira Nutricionista Ortomolecular CRN 5801 Os sucos - fontes de vitaminas e minerais - são uma ótima opção para as estações de calor que se aproximam. Possuem muitos nutrientes e podem corrigir necessidades orgânicas. Nos dias mais quentes, a perda hídrica é maior do que em qualquer estação do ano, e com os sucos conseguimos repor a perda de água e sais minerais como o potássio. Os sucos devem, de preferência, ser tomados logo após seu preparo para evitarmos a oxidação e perda de suas vitaminas. Mas os exageros também não são recomendados com os sucos - não devemos consumir em grandes quantidades e nem várias vezes ao dia. Por conterem grandes porções de carboidratos, podem gerar aumento de peso. No preparo, o ideal é evitar a utilização de açúcar, 12 | novembro de 2010 |

pois isso aumentaria o valor calórico, não aumentando a quantidade de nutrientes. Caso haja necessidade de adoçar, prefira um adoçante natural como a stévia ou o mel em pequena quantidade. Se o suco for coado, perderá grande parte das fibras da fruta, substâncias que auxiliam o funcionamento intestinal e a eliminação de toxinas do organismo, além de promoverem maior saciedade. Agora falaremos de alguns sucos específicos com propriedades funcionais de acordo com seus ingredientes: Desintoxicante Ingredientes: 1 copo de 300ml de abacaxi em cubos, 1 colher de sopa de raspas

de casca de limão e ½ colher de sobremesa de gengibre fresco ralado. Bata no liquidificador. O abacaxi é energético e contém vitaminas do complexo B, acido pantotênico e vitamina A. Tem efeito diurético e digestivo, pois possui uma substância no miolo chamada bromelina. A casca do limão contém substâncias antioxidantes e desintoxicantes, e o gengibre, alem de anti-inflamatório, é desintoxicante. Firmeza da pele Ingredientes: 1 copo de suco de laranja concentrado - 1 cenoura pequena ralada 2 fatias finas de beterraba - ½ copo de água mineral gelada. Bata todos os ingredientes no liquidificador.


:: NUTRIÇÃO Esse trio garante a firmeza da pele, especialmente devido ao conteúdo de vitamina A, bioflavonoides, vitamina C - substâncias importantes para a formação de colágeno. Pós-academia Ingredientes: Água de coco - 200ml, melão, mamão. Bata no liquidificador. Juntou-se aqui as maiores fontes de potássio, mineral essencial para a contração muscular e para evitar a retenção de líquidos. Suco para pele dourada e hidratada Ingredientes: Cenoura crua, um mamão papaia, um limão para suco, 1 colher de sobremesa média de semente de linhaça dourada e 1 colher de sobremesa de gérmen de trigo, água suficiente. Bata no liquidificador. O mamão papaia e a cenoura são ricos em vitamina A, importante para a recuperação e regeneração do tecido celular, e fundamental para a saúde de cabelos, pele e unhas. O caroteno garante maior permanência do bronzeado. Essa combinação contém alto conteúdo de vitamina C e flavonoides que combatem o excesso de radicais livres, protegendo a pele dos efeitos nocivos do sol, prevenindo o envelhecimento precoce da pele. A linhaça e o gérmen de trigo fazem o equilíbrio de gorduras boas - essências à saúde da pele.

Estudos da Faculdade de Medicina da USP, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNESP-Araraquara (SP) e da Universidade de Harvard mostraram que o suco de laranja traz diversos benefícios. Entre eles estão : • efeito sinérgico ao tratamento convencional da aterosclerose com estatina e fibratos (drogas comumente indicadas para o tratamento da aterosclerose); • pode prevenir doenças cardiovasculares, quando associado à atividade física e o consumo diário; • favorece a redução do mau colesterol e aumento do bom.

| novembro de 2010 | 13


:: EVENTOS

- Quer divulgar um evento? Mande um e-mail para saude@trcomunicacao.com -

57º CONGRESSO BRASILEIRO DE ANESTESIOLOGIA

III CONGRESSO GAÚCHO DE INFECTOLOGIA

Sob o título de “A Anestesia em 2010: Avanços e desafios da última década”, o 57º Congresso Brasileiro de Anestesiologia ocorrerá entre os dias 20 e 24 de novembro, no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre. O evento contará com a participação de aproximadamente 2,5 mil anestesiologistas - brasileiros e estrangeiros - que buscam atualização. Serão mais de 300 temas abordados durante as várias palestras diárias organizadas pela Sociedade de Anestesiologia do Rio Grande do Sul (SARGS). A qualidade da prática diária é um dos assuntos que terá destaque na programação. Maiores informações sobre o evento podem ser encontradas através do site www.sargs.org.br. O que? 57º Congresso Brasileiro de Anestesiologia Onde? Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre Quando? De 20 a 24 de novembro

Entre os dias 18 e 20 de novembro ocorrerá o III Congresso Gaúcho de Infectologia. Promovido pela Sociedade Riograndense de Infectologia, o evento acontecerá no Hotel Villa Michelon, cidade de Bento Gonçalves. O principal objetivo do congresso é enfocar e discutir as principais doenças infecciosas do Estado. Com mesas temáticas inovadoras, os debates visam exemplificar os tópicos pertinentes com relatos de casos e experiências locais dos apresentadores. Durante esta edição, também serão apresentados trabalhos científicos. Para maiores informações sobre o evento, acesse o site na internet www.plenariumcongressos.com.br. O que? III Congresso Gaúcho de Infectologia Onde? Hotel Villa Michelon, Bento Gonçalves/RS Quando? De 18 a 20 de novembro

VII CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL “Hipertensão arterial: uma doença além das cifras” é o tema do VII Congresso Brasileiro do Departamento de Hipertensão, que será realizado entre os dias 24 e 27 de novembro. O principal assunto será os aspectos práticos para o cardiologista que trata o hipertenso, tanto em consultório como em hospitais. Um dos pontos mais importantes do Congresso, além das discussões sobre a assistência ao doente, é a capacitação dos profissionais. Mais informações sobre o Congresso podem ser conferidas no site departamentos.cardiol.br/dha/congresso2010/mensagem.asp. O que? VII Congresso do Departamento de Hipertensão Arterial Onde? Maksoud Plaza, São Paulo/SP Quando? De 24 a 27 de novembro

14 | novembro de 2010 |

CONGRESSO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS CARDIOVASCULARES O 20º Congresso Internacional de Ciências Cardiovasculares e o 28º Congresso Brasileiro de Circulação Extracorpórea são os dois eventos importantes que acontecerão em dezembro. O Bourbon Convention Ibirapuera Hotel, em São Paulo, sediará o evento duplo entre os dias 2 e 4. O Internacional College of Cardiovascular Sciences, juntamente com a Fundação Cardiovascular São Francisco de Assis – ServCor, são os responsáveis pela organização desta edição comemorativa do evento. O congresso tem como público alvo cardiologistas clínicos e cirurgiões, hospitais brasileiros e escolas de medicina. Maiores informações podem ser obtidas pelo site www.forumcientifico.com. O que? Congresso Internacional de Ciências Cardiovasculares. Onde? Bourbon Convention Ibirapuera Hotel - Av. Ibirapuera, 2927 - Moema - São Paulo Quando? De 2 a 4 de dezembro de 2010

47º CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA PLÁSTICA A cidade de Vitória (ES) sediará a 47ª edição do Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica, entre os dias 11 e 15 de novembro. Na programação estão previstas mesas redondas, conferências, painéis e debates. Nesta edição, também ocorrerá um dia exclusivo para discutir assuntos referentes à rinoplastia (cirur-

gia de nariz). Mais informações podem ser obtidas pelo site na internet www.cirurgiaplastica.org.br. O que? 47º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica Onde? Centro de Convenções de Vitória – Vitória/ES Quando? 11 a 15 de novembro

XII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA E II CONGRESSO PANAMERICANO DE CIRURGIA DO DIABETES TIPO 2 O XII Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e o II Congresso Pan-Americano de Cirurgia do Diabetes tipo 2 serão realizados na cidade de Bonito (MS) entre os dias 17 e 20 de novembro. Os eventos pretendem reforçar a importância das equipes multiprofissionais, valorizando as especialidades que compõem toda a cadeia que

envolve a cirurgia bariátrica. Inscrições e mais informações no site www.sbcbm2010.com.br. O que? XII Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e o II Congresso Pan-Americano de Cirurgia do Diabetes tipo 2 Onde? Centro de Convenções de Bonito-MS Quando? 17 a 20 de novembro


:: PREVENÇÃO

Gel germicida diminui o risco de

contágio de vírus em mulheres Estima-se que cerca de 630 mil indivíduos de 15 a 49 anos vivam com o HIV/ AIDS no Brasil. De acordo com o Boletim Epidemológico 2009, em média, são identificados mais de 35 mil novos casos por ano. A busca pela cura da doença ainda não teve sucesso, mas há progressos sobre os métodos de prevenção. A maior novidade na área é um gel vaginal que reduz em até 54% o risco de contágio do HIV em mulheres. A notícia foi dada pelo Centre for the AIDS Programme of Research in South Africa (CAPRISA). O estudo, intitulado CAPRISA 004, começou no dia 27 de fevereiro de 2007. O objetivo era estabelecer a eficácia e a segurança de um gel com 1% de tenofovir, um componente muito utilizado como antirretroviral, para a prevenção do vírus entre as mulheres. A incidência

Divulgação

do HIV foi 54% mais baixa entre as mulheres que fizeram o tratamento completo, de 38% entre as que seguiram o tratamento parcialmente e de 28% entre as que recorreram pouco ao tratamento. Os testes comprovaram também que o gel protegeu as mulheres ainda mais contra a herpes genital, uma reação inesperada. Não houve efeitos negativos do tratamento. Depois de tantos fracassos com pesquisas e microbicidas, esse foi um grande alívio, e gerou aclamações por pesquisadores de todo mundo. O dia 1º de dezembro é considerado Dia Mundial de combate à AIDS, onde o mundo une forças para a conscientização sobre essa doença.

Os testes comprovaram também que o gel protegeu as mulheres ainda mais contra a herpes genital

| novembro de 2010 | 15


:: EXERCÍCIOS FÍSICOS Divulgação

Movimento em academias

aumenta 40%

no verão

Verão é época de roupas curtas, praia, piscina e férias. Nessa estação, muitas pessoas procuram as academias em busca do tão sonhado físico. Porém, muitas vezes esses “malhadores de verão” exageram na carga dos treinos. Confira as dicas de como melhorar o condicionamento sem exageros 16 | novembro de 2010 |


:: EXERCÍCIOS FÍSICOS No verão, a preocupação com a beleza e o físico aumenta ainda mais entre os brasileiros. Praia, piscina, festas... ninguém quer fazer feio na estação mais quente do ano. Por isso, durante os meses que antecedem esse período, a procura pelas academias aumenta consideravelmente e muitas pessoas enfrentam uma verdadeira maratona para ficar com os músculos definidos e corpos exuberantes antes do verão. Como os exercícios demoram mais que o esperado para trazer os resultados desejados, os chamados "malhadores de verão" acabam exagerando na carga dos treinos, o que pode resultar em lesões ou até desistência da prática de exercícios. De acordo com Diovani Soster da Silva (CREF. 009796-G/RS), da Academia Corpo Ativo, o número de alunos matriculados aumenta cerca de 40% no verão. Segundo ele, os principais problemas que podem surgir devido a um esforço demasiado em pouco tempo de treinamento, são nas articulações, tendões e ligamentos de ombro, joelho e coluna, contraturas musculares e até mesmo tendinites e bursites. "A pessoa deve levar em conta que, assim como ninguém ganha sobrepeso do dia para a noite, também não haverá emagrecimento do dia para a noite. Por esse motivo, deve-se usar o bom senso e iniciar com cautela na academia", afirma. Outros problemas que surgem com essa "pressa" em

ficar malhado são os efeitos colaterais do uso de suplementos e anabólicos sem a orientação de um profissional e lesões causadas pelos exercícios feitos em apenas alguns grupos musculares (somente pernas, por exemplo), o que pode acabar sobrecarregando os demais. Para evitar que você comece um treinamento com o pé esquerdo, é essencial iniciar com cargas baixas, para aquecer a musculatura. Depois, partir para a carga adequada ao seu objetivo. Ao final dos exercícios, faça o alongamento dos membros superiores e inferiores para relaxar a musculatura trabalhada. "É sempre bom lembrar que antes de iniciar a prática de qualquer exercício físico é essencial consultar um médico e fazer alguns exames para que tenha a certeza de que você não possui nenhuma alteração cardiovascular, bem como verificar os níveis de colesterol (HDL e LDL), triglicerídeos, pressão arterial, entre outros", explica Diovani. Essa avaliação é de suma importância porque durante o exercício há um aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial e isso pode trazer problemas como, por exemplo, arritmias ou isquemia do coração em pessoas predispostas. A alimentação também é fundamental para o sucesso dos treinos, tanto para quem quer aumentar a massa muscular

Pesquisa divulgada recentemente pelo Ministério da Saúde apontou um aumento no número de pessoas sedentárias no país, ou seja, quem não pratica exercícios físicos regularmente, chegando a 16,4% da população. Esse índice é 24% maior do que o registrado em 2006, quando era de 13,2%. De acordo com o levantamento, apenas 14,7% dos brasileiros adultos se exercitam pelo menos durante 30 minutos diários, cinco vezes por semana. Considerando aqueles que se deslocam para o trabalho ou para escola a pé ou de bicicleta, o índice sobe para 30,8%.

"A pessoa deve levar em conta que, assim como ninguém ganha sobrepeso do dia para a noite, também não haverá emagrecimento do dia para a noite. Por esse motivo, deve-se usar o bom senso e iniciar com cautela na academia" Diovani Soster da Silva - professor, Pós-graduado em Musculação e Treinamento de Força quanto para quem quer diminuir seu percentual de gordura. Para pessoas que tem como objetivo a perda de peso, a ingestão calórica deve ser menor que o seu gasto calórico. "Os exercícios recomendados são aqueles em que o aluno tem um maior gasto calórico e exigem a parte cardiovascular, ocasionando aumento da frequência cardíaca e tendo uma demanda maior de gasto de caloria (esteira, bicicleta, aulas de ginástica como Power Jump, Body Pump, Step, RPM entre outras)", afirma Diovani. Já para quem quer ganhar massa muscular (massa magra), o ideal é ter uma dieta equilibrada entre carboidratos, proteínas e lipídios de boa qualidade. "Em relação ao treinamento, o ideal é que se treine com muita intensidade, fazendo entre 3 e 4 séries com 8 a 12 repetições. Deve haver intervalos de 30 a 40 segundos entre séries e entre exercícios intervalo de 1 minuto. Outra forma que também recomendo e é muito eficiente é o treino de forma ondulatória, onde o aluno varia diariamente seu tipo de treino com séries de resistência , hipertrofia e de força", explica o professor. Por fim, se você está com pressa para entrar em forma, lembre-se: procure antes um especialista, respeite suas limitações (não exagerando na carga), cuide da postura na hora da execução dos movimentos e descanse os músculos ao término do treino. Assim, você entrará no verão com o pé direito e com a condição física desejada.

| novembro de 2010 | 17


:: CONSCIENTIZAÇÃO

Aguapé promove ações para

mudar a realidade do Rio Gravataí Apontado no ano passado com uma das águas mais poluídas do Brasil, o Rio Gravataí está recebendo uma atenção especial graças a um projeto internacional do Rotary que iniciou em 2009 e segue até 2012 recebendo recursos nacionais e internacionais. Uma das maiores preocupações é que, ironicamente, as populações das cidades de Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí (foco do projeto) que são abençoadas por terem um rio, recebem a água encanada retirada de outros locais porque, segundo a Corsan, não existe mais condições de tratar a água para consumo. O Projeto Aguapé, que está investindo mais de R$ 500 mil, focou suas ações em quatro áreas: mutirões de limpeza, conscientização e educação, patrulhamento e plantio de mudas. Uma legião de voluntários dos Clubes de serviço das cidades de Cachoeirinha, Gravataí e Alvorada, mais Porto Alegre, dedica parte do seu tempo para mudar esta situação. Considerado com um dos maiores projetos mundiais na área ambiental, o Aguapé é amplamente divulgado em diversos lo-

cais do planeta, principalmente onde tem parceiros como a Inglaterra e Estados Unidos. Uma das atividades que garantem maior repercussão e possibilita a mudança no comportamento das comunidades são as ações junto às escolas. Palestras, capacitação gratuita de professores e líderes, distribuição de gibis e concursos culturais foram algumas das ações desenvolvidas neste ano. Cerca de 3 mil trabalhos foram inscritos no concurso, que encerrou suas inscrições dia 15 de outubro. Participaram crianças de 1ª a 8ª série, distribuídas nas categorias de desenhos, frases e redações sobre o Rio Gravataí. Os melhores trabalhos recebem premiação e a escola ganha um computador. Na capacitação de professores aconteceram aulas com mestres e doutores em meio ambiente e uma das atividades mais interessantes foi a visita técnica à nascente do Rio Gravataí promovida pelo projeto também. Para medir os resultados das campanhas realizadas, o Aguapé prevê a realização de

pesquisa com a população sobre suas atitudes em relação ao meio ambiente. A primeira análise realizada neste ano trouxe resultados interessantes e parâmetros sobre o caminho a ser seguido. Quase 90% da população garante ter reciclagem de lixo, mas apenas 35% revela separar os resíduos degradáveis e não degradáveis. 15% ainda afirmam que jogam papel no chão caso não tenha uma lixeira por perto. A pesquisa promovida pelo Cesuca apontou ainda que o maior índice de conscientização é entre pessoas de 46 a 55 anos e com maior índice de escolaridade. Conheça as ações do Aguapé Mutirões de limpeza Situação: realizados 5 Meta: realizar 21 Plantio de mudas Situação: 13 mil mudas Meta: 20 mil mudas Patrulhamento Situação: entregue para a Brigada Ambiental duas motos, um barco e equipamentos Educação e Conscientização Meta: conscientizar 100 mil alunos Frederico Mombach

Moto entregue à Brigada Ambiental

18 | novembro de 2010 |


:: TRATAMENTO DA DOR

Dor Musculoesquelética Por Renato Bender Castro Anestesiologista com Área de Atuação em Dor. Médico Acupunturista. CRM 16838

De todas as dores que acometem o ser humano ao longo de sua existência, as dores musculoesqueléticas são as mais prevalentes A importância deste assunto fez com que a International Association for the Study of Pain (IASP) realizasse uma campanha global que ocorreu entre outubro de 2009 e outubro de 2010, visando a divulgação de forma ampla dos mais diferentes tipos de dores musculoesqueléticas. Esta campanha culminou com o 13th Congresso Mundial de Dor, realizado em Montreal, no Canadá, onde o tema foi extensamente discutido.

Os sintomas clínicos incluem: •dor aguda ou crônica. •dor localizada ou disseminada e persistente. •dolorimento. •irritação neural periférica. •fraqueza. •movimento limitado e rigidez

De todas as dores que acometem o ser humano ao longo de sua existência, as dores musculoesqueléticas são as mais prevalentes. Podem ser consequência de sedentarismo, alterações posturais ou decorrência de atividades com esforços repetitivos no trabalho. A dor pode ser aguda ou crônica, focal ou difusa e acomete 40% da população em geral, causando 29% das faltas no trabalho. A dor lombar baixa é o exemplo mais comum de dor musculoesquelética crônica e a maior causa de incapacidade para o trabalho. Outros exemplos incluem osteoartrites, artroses, fibromialgia, dores cervicais, lombociatalgias, LER/DORT, síndrome dolorosa miofascial, tendinites, bursites, entre outras. Os prejuízos econômicos em função das dores musculoesqueléticas ocupam o segundo lugar, ficando atrás somente das doenças cardiovasculares.

disciplinar e inclui: •acupuntura. •fisioterapia. •modalidades físicas como calor ou gelo. •uso de AINES (anti-inflamatórios não-esteroidais). •bloqueios anestésicos. •redução da carga de trabalho e aumento do repouso. •controle do estresse / intervenção comportamental. É importante ressaltar a importância dos exercícios físicos supervisionados, tanto aeróbicos e de fortalecimento muscular, quanto de alongamento para reabilitação de pacientes com condições álgicas musculoesqueléticas. Divulgação

Os sintomas são exacerbados pelo estresse pessoal ou relacionados ao trabalho, por exemplo, controle deficiente sobre o mesmo, dificuldade nos relacionamentos e pressão de tempo. O tratamento é principalmente multi-

Os sintomas são exacerbados pelo estresse pessoal ou relacionados ao trabalho, por exemplo

| novembro de 2010 | 19


:: INOVAÇÃO

Fisioterapia durante as sessões de hemodiálise melhoram a qualidade de vida dos pacientes Estudos identificam que realizar exercícios durante a diálise aumenta a sua eficácia, além de aumentar a motivação dos pacientes. Apesar disto, a prática ainda é pouco comum no Estado As doenças renais crônicas afetam todos os sistemas do corpo, causando descondicionamento físico e prejuízo na qualidade de vida dos que são portadores dessas doenças. Muitos apresentam problemas de mobilidade, fraqueza, câimbras, dores musculares e articulares. Diante deste diagnóstico, a Clínica Nefrocor, de Cachoeirinha, resolveu oferecer um diferencial aos seus pacientes das sessões de hemodiálise, que duram cerca de quatro horas. A ideia de que um fisioterapeuta aproveitasse esse tempo para promover exercícios que melhorassem esses sintomas foi rapidamente colocada em prática com a contratação de um profissional da área. O trabalho vem sendo desenvolvido há dois anos e os resultados são muito positivos, com melhora significativa na fraqueza muscular e câimbras. O fisioterapeuta Fabrício Luiz Horta Pereira salienta que o tra-

balho não é só desenvolvido na clínica. Cada paciente recebe exercícios para fazer em casa com a ajuda dos familiares. O profissional lembra de casos que são exemplos, como de uma paciente que sofria de fortes dores na cabeça há 34 anos e melhorou após as sessões de fisioterapia. Outro caso é de um paciente que, após passar por duas cirurgias por queda, tinha dificuldades de locomoção. Com as sessões de fisioterapia e os exercícios em sua casa, ele consegue caminhar sem ajuda de muletas. São exemplos de pessoas que não teriam condições de pagar por este tratamento e foram beneficiados pela Nefrocor. Estudos identificam que realizar exercícios durante a diálise aumenta a sua eficácia, além de aumentar a motivação dos pacientes. Apesar disto, a prática ainda é Divulgação Nefrocor

pouco comum no Estado. Fabrício lembra que na Nefrocor existe uma equipe multidisciplinar, formada por médico, enfermeira, psicólogo, nutricionista, assistente social e fisioterapeuta. Este grupo se reúne semanalmente para avaliar os resultados e discutir os casos de cada paciente. Um dos pontos mais positivos desta inovação é a melhora da autoestima de cada paciente, maior indepedência funcional e a motivação para realizar as sessões, que deixaram de ser monótonas. Sobre a doença: O tratamento hemodialítico é responsável por um cotidiano restrito, tornando as atividades limitadas. A doença renal é considerada um grande problema de saúde e tem impacto negativo na qualidade de vida dos portadores. No Brasil, a prevalência de doentes renais mantidos em programas de diálise dobrou nos últimos anos. A incidência de novos pacientes cresce cerca de 8% ao ano.

A ideia de que um fisioterapeuta aproveitasse o tempo da hemodiálise para promover exercícios que melhorassem diversos sintomas foi rapidamente colocada em prática com a contratação de um profissional da área, que hoje ajuda muitos pacientes com problemas de fraqueza e câimbras, por exemplo Paciente realizando exercício resistido para flexores de quadril, com caneleira de 1kg

20 | novembro de 2010 |


:: PSIQUIATRIA

TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo Por Eneida Kompinsky Psiquiatra CREMERS 15849 Com alguma frequência aparecem nos telejornais notícias de pessoas que guardam grandes quantidades de lixo ou mesmo animais nas suas casas. Em geral, são denunciadas por vizinhos que se sentem incomodados pelo cheiro ou ratos que invadem suas residências. Nas entrevistas, dizem que já tentaram conversar, mas são muito mal recebidos e acabam construindo muros cada vez mais altos para tentar isolar o cheiro ou animais. Um leitor mandou um email perguntando se isto é doença. Então resolvi falar um pouco sobre o chamado Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). O TOC é caracterizado pela presença de obsessões ou compulsões repetitivas e severas que ocupam boa parte do tempo do paciente, causando desconforto ou comprometimento que podem chegar ao ponto de prejudicar sua vida social e produtiva. Obsessões são pensamentos ou ideias (dúvidas, por exemplo), impulsos, imagens, cenas, que invadem a consciência contra a vontade da pessoa. São repetitivas e persistentes e podem ou não ser seguidas de rituais que servem na mente da pessoa para anular as obsessões. A sensação da pessoa é de que ela é invadida pelos pensamentos, que são sentidos como estranhos pelo menos em algum momento ao longo do transtorno. Traz muito sofrimento e vem com uma tentativa do paciente de resistir, ignorar ou suprimir com

ações outros pensamentos. O paciente sabe que os pensamentos vêm da sua mente e não de fora e muitas vezes sente vergonha ou tem a sensação de que está louco (o que retarda a busca pelo tratamento). Os temas mais comuns desses pensamentos têm relação com limpeza (medo de ser contaminado, por exemplo), armazenagem (armazenar e colecionar objetos inúteis), sexual (pensamentos obscenos repetidos), religioso (sensação de estar sempre pecando, por exemplo), simetria (preocupação, por exemplo, com o alinhamento de objetos), agressão (preocupação excessiva em poder ferir ou insultar as pessoas), ou somáticas (preocupação excessiva com doenças). Compulsões ou rituais são comportamentos ou ações voluntários e repetitivos, em resposta às obsessões. As compulsões aliviam por um tempo a ansiedade associada às obsessões, levando o indivíduo a executá-las toda vez que sua mente é invadida por uma obsessão. E, como funcionam para aliviar a ansiedade por algum tempo, a pessoa tem a tendência de repeti-las. Ao invés de enfrentar seus medos, acaba tornandose ao mesmo tempo prisioneiro dos seus rituais. Se não fizer, na sua mente vai acontecer o que teme, então não consegue deixar de fazer ou será culpado por aquilo que tem medo que aconteça. Os exemplos mais comuns são lavar as mãos, verificar inúmeras vezes se o gás está desligado ou a porta fechada, contar, repetir frases ou números, alinhar, guardar ou armazenar objetos sem utilidade, repetir perguntas, evitar tocar em determinados objetos com medo de ser contaminado. Nem sempre a pessoa consegue fazer uma ligação

direta entre a necessidade da compulsão e o pensamento como, por exemplo, se não arrumar um objeto de tal jeito alguém querido pode morrer. Nesse caso, por trás desses rituais existe um pensamento ou obsessão de conteúdo mágico, muito parecido com o que acontece nas superstições. Por exemplo, o "pobre" do gato preto que dá azar (muitas pessoas nem falam essa palavra, dizem que traz falta de sorte). A pessoa pode demorar horas para sair de casa, por exemplo, porque volta inúmeras vezes para verificar alguma coisa, podendo perder o emprego. A convivência familiar também pode ser muito difícil em função dos rituais obsessivos. Lembro de uma amiga que o marido não demorava menos que duas horas no banheiro todos os dias de manhã. Todo mundo conhece aquela pessoa em que conta tudo nos mínimos detalhes e por mais que se tente interromper, ela volta para o mesmo ponto de antes da interrupção. Portanto, respondendo ao leitor sobre o armazenamento de lixo ou objetos inúteis ou até mesmo animais (os protetores de animais seguidamente encontram pessoas que recolhem dezenas de cachorros na rua e não cuidam, apenas "colecionam" animais). É bom lembrar que todos nós podemos ter pequenos sintomas obsessivos, mas como tudo em psiquiatria, o que faz a doença é a intensidade, duração e o sofrimento que os sintomas trazem. O tratamento é feito com medicação e psicoterapia. A mais eficaz parece ser a terapia cognitivo-comportamental.

| novembro de 2010 | 21


:: DERMATOLOGIA Divulgação

Diversas doenças de pele surgem no verão devido ao sol, areia, piscina e até pelo excesso de suor. Porém, muitas podem ser prevenidas com alguns cuidados básicos

Cuidados com a pele no verão Depois que o verão termina, os consultórios dermatológicos ficam lotados de pessoas à procura de soluções para os problemas de pele que ficaram da estação. Manchas de sol, pele seca, acne, micose e outros, são alguns dos exemplos. Por isso, para não ter de lidar com estes problemas no final da estação, porque não evitá-los antes que o verão chegue?

cer de pele.

Em primeiro lugar, é muito importante consultar um dermatologista antes de se expor ao sol, piscina, mar, areia e outros. Dessa forma, você poderá ser orientado sobre as principais doenças do verão e como preveni-las. A primeira orientação é em relação ao protetor solar. O que os médicos recomendam é que a pessoa procure um dermatologista para escolher o FPS ideal para seu tipo de pele. Se o fator de proteção for menor que o necessário, a pele poderá sofrer agressões solares que ameaçam a saúde, como o cân-

Existem ainda alguns produtos que ajudam a manter um bronzeado bonito e saudável, protegendo a pele, combatendo os radicais livres e minimizando o aparecimento de manchas. Porém, apenas um dermatologista pode indicá-los.

22 | novembro de 2010 |

Os lábios e cabelos também necessitam de cuidados, pois, assim como a pele, eles podem ficar muito desidratados por causa do mar e da piscina, da exposição ao sol, da areia e do vento. Mesmo as peles oleosas ficam desidratadas e precisam de cuidados especiais.

Doenças Com o calor e o aumento do suor, algumas doenças de pele podem ser favorecidas, como as micoses, o "bicho geográfico" e outras infecções. Confira abaixo as doenças mais comuns nessa época do ano.

Acne solar Atinge principalmente o tronco e a raiz dos membros superiores e surge poucos dias após a exposição intensa destas áreas ao sol. Formam-se "bolinhas endurecidas" e bolhinhas de pus, sendo algumas delas doloridas e avermelhadas por causa da inflamação. O problema pode ser evitado com a utilização de filtro solar, preferencialmente os do tipo "oil free", que são menos oleosos. Para tratar, são utilizados alguns medicamentos para acne como esfoliantes e antibióticos em loção ou gel. A acne solar tende a ir melhorando com o tempo, mesmo sem tratamento. Fitofotomelanose Manifestação alérgica causada pela exposição ao sol da pele que teve contato com plantas ou suco de algumas frutas, principalmente limão, laranja e tangerina. Outros produtos, como perfumes e refrigerantes, também podem causar a reação,


:: DERMATOLOGIA sendo neste caso uma fotomelanose. Manchas escuras aparecem na área afetada e o formato delas dependerá da exposição. As áreas mais comumente afetadas são o dorso das mãos, colo e os lábios. Para evitar a fitofotomelanose, evite fazer ou beber limonadas, sucos de frutas, caipirinhas e se expor ao sol. Mesmo lavando as áreas atingidas pelo suco das frutas, a pele pode manchar. O desaparecimento das manchas ocorre de forma espontânea e gradativa, devendo-se proteger a pele da exposição ao sol com filtros solares potentes. Despigmentantes podem ser utilizados para acelerar o processo. As reações mais intensas podem exigir o uso de medicamentos para seu controle, que devem ser indicados por um dermatologista. Foliculite É a infecção dos folículos pilosos causada por bactérias do tipo estafilococos. O problema pode ocorrer espontaneamente ou favorecido pelo excesso de umidade, suor ou depilação. Atinge crianças e adultos, podendo surgir em qualquer localização onde existam pelos, sendo frequente na área da barba (homens) e na virilha (mulheres). A foliculite se caracteriza pela formação de pequenas "bolhinhas de pus" centradas por pelo com discreta vermelhidão ao redor. Pode haver dor e coceira no local afetado. O tratamento é feito com antibióticos de uso local ou sistêmico específicos para a bactéria causadora e cuidados antissépticos, além de evitar fatores predisponentes, como a depilação. Furúnculo Infecção bacteriana da pele que provoca a necrose (destruição) do folículo pilosebáceo. É causada pela bactéria estafilococos. A lesão se inicia por um nódulo muito doloroso, vermelho, inflamatório, endurecido e quente, centrado por um pelo, onde pode aparecer pequeno ponto de pus. Com a evolução do quadro, ocorre o rompimento do nódulo e a eliminação de pus e de uma massa esbranquiçada, popularmente conhecida como "carnegão", formando uma ferida ulcerada que, ao cicatrizar, pode deixar uma mancha escura no local. Os locais mais frequentes são dobras da pele, sendo muito comuns nas nádegas e virilhas, mas podem surgir em outros lugares como o abdômen e as coxas. O tratamento é feito com antibióticos locais e sistêmicos. Nos casos muito dolorosos e com superfície amolecida, pode

ser feita a drenagem da lesão, com alívio imediato da dor. Quando ocorre a furunculose, deve-se pesquisar e evitar o que está favorecendo o surgimento das lesões e estimular a imunidade do indivíduo a combater a infecção. O médico dermatologista é o profissional indicado para o tratamento dos furúnculos e da furunculose. Herpes labial Infecção causada pelo Herpes simplex vírus. O contato com o vírus ocorre geralmente na infância, mas muitas vezes a doença não se manifesta nesta época. O vírus atravessa a pele e, percorrendo um nervo, instala-se no organismo de forma latente, até que venha a ser reativado. A reativação do vírus pode ocorrer devido a diversos fatores desencadeantes, tais como: exposição à luz solar intensa, fadiga física e mental, estresse emocional, febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica. As localizações mais frequentes são os lábios e a região genital, mas o herpes pode aparecer em qualquer lugar da pele. O tratamento deve ser orientado pelo dermatologista e iniciado tão logo comecem os primeiros sintomas, assim o surto deverá ser de menor intensidade e duração. Larva migrans ("bicho geográfico") É uma doença causada por parasitas intestinais do cão e do gato. Ao defecar na terra ou areia, os ovos eliminados nas fezes transformam-se em larvas. Estas, penetram na pele do homem, causando a doença. Por estar em pele humana, a larva não consegue se aprofundar para atingir o intestino (o que ocorreria no cão e no gato), e caminha sob a pele formando um túnel tortuoso e avermelhado. Mais comum em crianças, as lesões são geralmente acompanhadas de muita coceira. Os locais mais comumente atingidos são os pés e as nádegas. Dependendo da extensão da doença, o tratamento pode ser feito por via oral para os casos mais extensos ou com o uso de medicação tópica nos casos mais brandos. Para prevenir a infecção pela larva migrans deve-se evitar andar descalço em locais frequentados por cães e gatos e cobrir as caixas de areia durante a noite para evitar sua utilização por gatos para defecar. Miliária ("brotoeja") Apresenta-se como uma erupção cutâ-

nea relacionada com as glândulas sudoríparas (que produzem o suor). Afeta principalmente as crianças, mas também pode atingir os adultos. O quadro está relacionado com o aumento do calor e da produção do suor que, extravasando dentro da pele, antes de atingir a superfície, provoca um processo inflamatório. A localização mais comum é o tronco e a região cervical. As lesões geralmente são acompanhadas por coceira. Formam-se "bolinhas avermelhadas" ou vesículas (pequeninas bolhas) sobre a pele avermelhada, podendo, em alguns casos, formar lesões mais exuberantes. Para evitar a miliária deve-se usar roupas frescas, tomar banhos frios e se proteger do calor, evitando o excesso de suor. O ar condicionado é um grande aliado no combate à doença. Deve-se evitar o excesso de roupas nas crianças pequenas, principalmente nos recém-nascidos. A miliária e as infecções secundárias que podem acompanhar a doença têm tratamento, que será determinado pelo médico dermatologista, de acordo com cada caso. Pitiríase versicolor ("micose de praia", "pano branco") É uma micose, mas, ao contrário do que se pensa, não é adquirida na praia ou piscina. O fungo causador da doença habita a pele de todas as pessoas e, em algumas delas, é capaz de se desenvolver provocando as manchas. Muitas vezes, a doença é percebida poucos dias após a exposição da pele ao sol, porque nas áreas da pele afetadas pela micose, a pele não se bronzeia. Com o bronzeamento da pele ao redor, ficam perceptíveis as áreas mais claras onde está a doença e a pessoa acha que pegou a micose na praia ou piscina. Entretanto, o sol apenas mostrou onde estava a micose. A doença se manifesta formando manchas claras, acastanhadas ou avermelhadas que se iniciam pequenas e podem se unir formando manchas maiores. As lesões são recobertas por fina descamação que, às vezes, só é percebida quando se estica a pele. Geralmente, a Pitiríase versicolor é assintomática, mas alguns pacientes podem apresentar coceira. O tratamento pode ser feito com medicamentos de uso via oral (comprimidos) ou local (sabonetes, xampus, loções, sprays ou cremes), dependendo do grau de comprometimento da pele. Fonte: Dermatologia.net

| novembro de 2010 | 23


Dra. Silvia M. B. Guaranha Cirurgiã-dentista CRO 3069

A saúde bucal dos idosos Fazendo consultas periódicas ao seu dentista para realizar exames completos, limpeza e cuidando bem de seus dentes, eles podem durar a vida inteira. Independentemente da idade, você pode ter dentes e gengivas saudáveis se escovar três vezes por dia com creme dental apropriado e usar fio dental pelo menos uma vez por dia. Pessoas da terceira idade podem ter alguns problemas específicos. Muitos usam dentaduras, tomam remédios e têm problemas de saúde geral. Felizmente seu dentista pode ajudar bastante a encarar estes problemas. Nas pessoas mais velhas é mais frequente o aparecimento de cárie e problemas na raiz dos dentes, por isso recomenda-se o uso de pastas contendo flúor. Com o passar do tempo, temos o aparecimento da retração gengival (onde parte da raiz fica exposta). Isto pode ocasionar bastante sensibilidade. Existem cremes específicos para o tratamento da sensibilidade. Se persistir, consulte seu dentista porque o problema pode ser outro, como cárie, dente fraturado, etc. A gengivite afeta pessoas de todas as idades e se não diagnosticada precocemente pode se tornar muito séria. Fatores que agravam a gengivite: má alimentação; higiene bucal inadequada; doenças sistêmicas, como o diabetes, enfermidades cardíacas e câncer; fatores ambientais, tais como estresse e o fumo; certos medicamentos que podem influenciar os problemas gengivais. As doenças gengivais são reversíveis em seus primeiros estágios. É importante diagnosticá-las o mais cedo possível. Controle periódico e uma boa higiene bucal evitam o aparecimento de enfermidades gengivais. O que fazer quando há perda de um ou mais dentes? Implantes Dentários Implantes Dentários são suportes ou estruturas de metal posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva. Uma vez colocados, permitem ao

24 | novembro de 2010 |

dentista montar dentes substitutos sobre eles. Para receber um implante, é necessário gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Os implantes duram de 10 a 20 anos, dependendo da sua localização e da colaboração do paciente em fazer uma boa higiene oral e de suas visitas regulares ao dentista. Próteses - Próteses fixas: coroas e pontes fixas. As coroas e pontes são usados para reforçar dentes danificados ou substituir dentes extraídos. Uma coroa é usada para recobrir um dente que perdeu substância. Ela melhora sua aparência, sua forma e fortalece sua estrutura. As pontes substituem um ou mais dentes faltantes e são fixadas nos dentes naturais ou nos implantes situados ao lado do espaço deixado pelo dente extraído. - Prótese parcial removível: consiste em uma estrutura metálica que se apoia nos dentes naturais. Substitui alguns dentes que foram extraídos. - Prótese total: dentadura, esta é colocada na boca após a extração de todos os dentes e os tecidos estiverem cicatrizados. Pode ser superior e inferior. Escove sua prótese diariamente e após as refeições para remover resíduos e a placa bacteriana. Escove suas gengivas, língua e palato todas as manhãs com uma escova de cerdas macias antes de colocar a prótese. Visite se dentista se sua prótese quebrar, lascar, ficar solta ou rachar. Não tente consertá-la, isto poderá danificá-la ainda mais. Com o aumento da população idosa, encontramos um novo idoso, que quer se sentir bem, ter uma nova estética, ter conforto, habilidade para mastigar, sentir e falar.

Telemedicina para profissionais de Gravataí O câncer de colo de útero é o de maior incidência no Brasil, entre todos os tipos de câncer. Para qualificar a prevenção da doença, a prefeitura de Gravataí oferece para os profissionais da área um programa de telemedicina, em parceria com o Instituto de Prevenção do Câncer de Colo de Útero (Incolo). A primeira aula aconteceu no dia 28 de outubro com o tema ‘O câncer de colo de útero como problema de saúde pública’, ministrada pelo presidente do Incolo, o médico Paulo Naud. O programa é oferecido por web conferência, através de vídeo-aulas, que acontecem de forma simultânea em 30 municípios do Rio Grande do Sul. As aulas são semanais e acontecem na Secretaria Municipal de Saúde de Gravataí. As unidades de saúde estão sendo equipadas para que também recebam o telemedicina, que busca capacitar os profissionais de saúde e assessorar, via online, médicos e enfermeiros do município. A doença O câncer de colo de útero é causado pelo vírus do papiloma humano (HPV), uma doença sexualmente transmissível. Estimase que entre 25% a 50% da população feminina mundial esteja infectada com o vírus, mas nem sempre a infecção se manifesta. No Brasil, a doença é a que tem maior propagação entre as mulheres, sendo responsável por 24% das ocorrências de câncer no país. A prevenção é feita através do exame de papanicolau e de vacina contra o HPV.


:: REGIÃO

Cachoeirinha é uma das 200 melhores para viver O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal relativo ao ano de 2010 é considerado um retrato da qualidade de vida no Brasil. Realizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, segunda maior associação industrial do país, o ranking aponta Cachoeirinha como uma das 200 melhores cidades para se viver. O IFDM avalia as condições de saúde, emprego e renda dos municípios brasileiros, com

base exclusiva em dados oficiais. Dentre as cidades gaúchas, Cachoeirinha se posiciona como a 11ª com melhor qualidade de vida do Estado. A ampliação da rede de saúde e a criação do Programa de Saúde da Família são obras que ajudaram a cidade a entrar nesta lista. A chegada de novas empresas ao município, proporcionando novos empregos e o aumento da renda das famílias

Cirurgias serão disponibilizadas a pacientes do SUS em Gravataí Com o objetivo de melhorar a saúde do município, a Prefeitura de Gravataí assinou um novo contrato com o Hospital Dom João Becker para que os serviços prestados pelo hospital ao Sistema Único de Saúde sejam ampliados. Assim, estarão disponíveis atendimentos cirúrgicos de média complexidade em traumatologia e ortopedia. O investimento também possibilitará a ampliação em 10% no número de leitos destinados ao atendimento de pacientes da rede pública, além do aumento da diversidade de exames e procedimentos. Equipamentos e materiais usados para a recuperação das lesões, como placas e parafusos, que serão implantados nos pacientes, estão inclusos na parceria. Os serviços de traumatologia e ortopedia serão apenas para os procedimentos cirúrgicos, tanto de emergência ou eletivos (previamente agendados). Os procedimentos não-cirúrgicos continuarão sendo atendidos pelo Serviço de Urgência e Emergência 24 horas. Anualmente, o HDJB recebe mais de R$ 24 milhões de recursos. Desse valor, R$ 8 milhões são referentes a recursos próprios do município. Para

a implantação do atendimento de média complexidade, o governo municipal irá investir mais R$ 3,6 milhões/ ano. Projeto para Hospital regional Para complementar os serviços na área da saúde, Gravataí está defendendo a construção de um hospital público regional para reduzir a sobrecarga das instituições de Porto Alegre. A proposta foi apresentada na reunião da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal). A implantação de uma nova instituição hospitalar seria uma forma de suprir as necessidades no acesso ao serviço público na região. Estudos realizados pelo Grupo Hospitalar Conceição indicam que 35% dos atendimentos realizados na capital são do Vale do Gravataí e Litoral Norte. O projeto será apresentado ao Ministério da Saúde e prevê um atendimento de 950 mil pessoas da região. O futuro hospital, que pretende oferecer mais de 300 leitos, planeja ter 60% dos recursos oriundos do SUS e o restante dos municípios beneficiados.

também colaboraram para essa boa colocação. O estudo, que também analisa os últimos dez anos, mostra que no ano 2000 Cachoeirinha ocupava a 34ª posição no ranking. O desenvolvimento econômico e social na última década fez com que o município subisse 23 posições e passasse a constar entre as 12 cidades gaúchas de alto desenvolvimento da Firjan.

Lançada ampliação do Hospital Padre Jeremias O Hospital Padre Jeremias recebeu um repasse de R$ 500 mil para as obras de ampliação. O valor é proveniente da Consulta Popular e as atividades devem começar até o final do ano. Atualmente, o HPJ possui uma área de 424,25 metros quadrados. Além da reforma, a nova obra incluirá também a construção de mais 258,56 metros quadrados, totalizando assim uma área de 767,81 metros quadrados de área edificada. As novas construções ampliarão o Centro de Parto Normal e abrigarão um novo Centro Cirúrgico Obstétrico. Com um complemento de R$ 36 mil da própria instituição, o hospital materno-infantil será transformado em hospital geral, após as duas etapas de reformas. Com as obras, a cidade terá uma ampla rede de atendimento básico, que fará com que os moradores não precisem mais buscar auxílio em outras cidades.

Secom Cachoeirinha

| novembro de 2010 | 25


:: AUDIÇÃO Divulgação

Proteja seus ouvidos Considerada a segunda maior causa de deficiência auditiva, a exposição a sons intensos é um dano possível de prevenir, mas difícil de reverter Com o som muito alto, as células sensoriais auditivas são lesadas, causando perda auditiva. Essa perda pode levar a zumbidos e distorção sonora. Em alguns casos, um único episódio de som intenso já é suficiente para causar perda irreversível. De acordo com um estudo publicado pelo Journal of the American Medical Association, os problemas auditivos envolvendo jovens tiveram um aumento de quase 30% nos últimos 15 anos. Entre os motivos dessa elevação está o maior uso de aparelhos como iPod e mp3 players. 26 | novembro de 2010 |

O estudo realizado nos Estados Unidos efetuou a comparação entre pesquisas nacionais do começo dos anos 90 e meados dos anos 2000. Cada teste incluiu milhares de adolescentes com idade entre 12 e 19 anos, porém com composição para representar todo o país. Na primeira parte da pesquisa, profissionais treinados constataram que cerca de 15% dos adolescentes apresentavam algum grau de perda auditiva. Após 15 anos, essa proporção aumentou para aproximadamente 20%. Os especialistas destacaram que na maioria das vezes os jovens não percebem a quan-

tidade de barulhos a que são expostos diariamente. Essas deficiências auditivas podem conduzir a diferenças até mesmo em desenvolvimento de linguagem e aprendizado. Sons muito altos podem acarretar também em doenças como estresse, insônia e dores de cabeça. Os primeiros sintomas de perda de audição provocada por ruídos são, na maioria das vezes, sutis e geralmente começam pelas frequências agudas. Quando exposta a sons intensos, mesmo que por um período curto, a pessoa pode sentir uma leve surdez passagei-


:: AUDIÇÃO ra, mas a audição volta ao normal assim que ela se retira do ambiente barulhento. Já sons excessivamente altos podem levar à perda permanente da audição. Na pesquisa também foi constatado que a perda de audição era registrada em maior parte em apenas um ouvido, mas as dimensões do dano estavam se agravando. Embora a lesão ainda seja em geral modesta, 5% dos adolescentes registraram problemas mais pronunciados. Os pesquisadores não apontam os iPods ou outros tocadores de música como os únicos causadores do problema. Declaram que os motivos da alta ainda são incertos, visto que os jovens disseram não haver mudanças quando questionados sobre exposição a ruídos, seja no trabalho ou a lazer. Porém, salientam que é importante manter cuidados quanto a esses aparelhos eletrônicos. Reduzir o volume e não ouvi-los continuamente pode ser um bom começo. A opção mais eficaz para evitar a perda auditiva é a prevenção. É necessário ter noção dos danos que o barulho pode causar. Respeitando o volume adequado, as pessoas melhoram tanto o seu próprio bem-estar quanto o de todos que estão ao seu redor.

Cuidados: Quando está tocando uma música, é necessário que você grite para se fazer ouvir? Você ouve zumbidos após sair de um lugar onde houve música? Aparece uma sensação de ouvidos cheios ou diminuição de audição após a exposição sonora?

Limpeza dos ouvidos Nunca empurre ou enfie algo para limpar seus ouvidos. Esse ato pode comprimir a cera e torná-la dura, impedindo que ela saia normalmente. A função da cera é justamente juntar a sujeira e levá-la para fora do ouvido. A limpeza mal feita pode danificar o tímpano ou causar sérios problemas de audição. Geralmente, não há a necessidade de limpar os ouvidos com cotonetes. Os pelos e a cera no canal auditivo fazem esse trabalho por você.

rulho que importa, mas também há quanto tempo a pessoa fica exposta a ele. Existem leis que estabelecem o nível máximo de 85 dB. Acima desse limite, o empregador deve fornecer tampões ou protetores de ouvidos, pois o barulho torna-se perigoso. Corpos estranhos Fora da atenção dos pais, muitas vezes as crianças colocam objetos dentro da orelha. Estes objetos estranhos podem causar infecções. Se um objeto ficar preso no canal auditivo incline a cabeça para que ele caia. Após o procedimento procure orientação médica. Perfurações Timpânicas Sendo uma das responsáveis pela captação e transmissão do som para a orelha interna, a membrana do tímpano, quando perfurada, pode prejudicar a audição. Infecções ou traumas são alguns dos motivos da perfuração. Dependendo do caso, pequenas cirurgias recuperam o tímpano.

Se você respondeu sim a pelo menos uma dessas perguntas é provável que você frequenta ou frequentou ambientes com volume de música potencialmente nocivos à audição. Dessa maneira, para evitar problemas futuros é importante tomar alguns cuidados.

Dores de ouvido Ao sentir dor de ouvido é fundamental procurar um médico, pois a dor pode ser sinal de que algo está errado, escondendo até mesmo uma infecção no ouvido médio. Essas infecções podem levar a complicações mais graves, pois há a possibilidade de se espalhar para outras partes do corpo.

Barulho no trabalho Quem trabalha em fábricas e indústrias muito barulhentas tem a audição mais prejudicada. O alto barulho danifica a cóclea no ouvido interno. Ao contrário do que muitos pensam, não é somente a quantidade de ba-

Música Um dos maiores vilões da perda auditiva em jovens são as danceterias, as raves, os bares noturnos e o uso do mp3 player. Com os avanços tecnológicos, houve uma melhora no áudio e os fones de ouvido ficaram menores,

direcionando toda a sua potência para o ouvido da pessoa. Esses fatores são a segunda causa mais comum de perda auditiva. Se é possível perceber o som do fone de ouvido a mais de um metro de distância, é sinal de que ele está muito alto. Pessoas com perda auditiva tendem a falar mais alto. Causas e efeitos Apenas algumas das perdas podem ser reparadas com cirurgias, como o rompimento do tímpano. A maioria dos casos, entretanto, só pode ser remediada com o uso de aparelhos auditivos. Entre os fatores que causam lesão está a idade, a predisposição e o impacto muito intenso e breve. Um exemplo comum é a queima de fogos de artifícios no final do ano. Mesmo com a sensação de ouvido tapado ou leves zumbidos, não há a percepção de que ocorreu uma pequena lesão. A exposição ao ruído intenso pode levar à lesão permanente e irreversível, que depois de existente não pode ser resolvida. Esse dano pode piorar com o tempo, só ficando estável quando o ruído é controlado. Perda auditiva Mesmo que não haja sintomas evidentes, é importante visitar um médico. O especialista é o otorrinolaringologista (ouvido, nariz e garganta), ou somente otologista (ouvidos). Esses profissionais avaliam a capacidade auditiva do indivíduo. Entre os exames realizados destaca-se o da audiometria. Dentro de uma cabine o paciente tem sua audição testada. O resultado é expresso em um audiograma, que é um gráfico que revela as capacidades auditivas da pessoa.

Como prevenir? A prevenção começa quando há conhecimento de que a perda auditiva está relacionada com o volume do barulho e o período de exposição. Em uma discoteca, por exemplo, o volume da música pode chegar a 100 dB. Nessa situação, deve-se procurar ir para uma área externa ou um lugar mais calmo por cerca de 15 minutos. Dessa maneira, o sistema auditivo se repara. Já para quem trabalha próximo a pontos de ônibus ou ruas movimentadas, fazer o uso de abafadores de ouvido pode ser uma das soluções.

| novembro de 2010 | 27


:: OFTALMOLOGIA Rakesh Ahuja, MD/Wikimedia

O paciente com catarata pode ver manchas escuras no seu campo de visão

Catarata senil e cirurgia Antigamente, a cirurgia necessitava de internações de uma semana ou mais, além de trazer algumas complicações. Hoje, existem técnicas mais simples e seguras A catarata é uma das doenças que atinge grande parte da população com mais de 60 anos. Quando sua origem é o envelhecimento, ela é chamada de catarata senil. Caracterizada pelo turvamento da visão, que piora ao longo do tempo, o mal pode interferir em atividades como ler um livro ou dirigir um veículo. Como não existem medicamentos que possam reverter este problema, a solução é a remoção cirúrgica. Quem tem catarata explica que é como se estivesse olhando através de uma queda d'água, de forma embaçada. Isso acontece porque há um turvamento progressivo do cristalino (que serve como lente para o olho), interferindo na absorção da luz que chega à retina. O paciente também pode ver manchas escuras no seu campo de visão. A catarata não provoca dores ou avermelhamento dos olhos e a causa mais comum ainda é relacionada à idade. Por isso, é muito importante que a doença seja diagnosticada precocemente. 28 | novembro de 2010 |

O uso de óculos, no início do problema, pode ajudar. Porém, quando o paciente começa a ter dificuldades em realizar tarefas cotidianas, a solução acaba sendo apenas a cirurgia.

microscópicas usando o ultrassom e sendo aspirada pelo olho. Para compensar a remoção do cristalino, implanta-se uma lente intraocular ou um cristalino artificial. A recuperação dependerá de cada indivíduo, mas no geral o paciente pode retornar às atividades em dois ou três dias.

Antigamente, o processo cirúrgico necessitava de internações de uma semana ou mais, além de trazer algumas complicações para os pacientes, por isso era evitado sempre que possível. Hoje, existem vários tipos de intervenções cirúrgicas, mas somente o médico pode avaliar qual é a mais adequada.

Mesmo que a possibilidade de complicações seja mínima, trata-se de uma cirurgia, por isso não é isenta de problemas. Os médicos também não recomendam a operação dos dois olhos ao mesmo tempo.

Uma das técnicas mais modernas que existem é a facoemulsificação, em que a catarata é removida com uma pequena incisão. Esta intervenção é uma das mais seguras e precisas que existem atualmente. A anestesia é tópica (através de colírios especiais) e aplicada na parte branca do olho (esclera) ou na córnea clara (logo acima da área onde a córnea encontra a esclera). Em seguida, a catarata é fracionada em partículas

Depois da cirurgia, alguns pacientes precisam usar óculos, que costuma ser prescrito depois de algumas semanas da operação. Muitas vezes esses óculos são apenas para a visão de perto. É importante lembrar que o paciente deverá seguir todas as orientações do seu oftalmologista e evitar esfregar os olhos durante um mês. A maquiagem também deve ser evitada por pelo menos um mês depois da intervenção cirúrgica.


:: ACUPUNTURA

Acupuntura no tratamento da bursite O uso das agulhas pode ser a técnica principal no tratamento, mas também é interessante a associação com fisioterapia ou medicamentos, por exemplo Velha conhecida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a bursite é uma doença que atinge muitos brasileiros. É caracterizada pela inflamação de um tecido denominado bursa, que recobre algumas superfícies ósseas e tem a função de diminuir o atrito entre tecidos adjacentes. A mais atingida geralmente é a do ombro, causando muita dor e desconforto, mas outros locais podem ser afetados, como o joelho, cotovelo, quadril e tornozelo. Nesse cenário, a acupuntura surge como uma das soluções recomendadas para aliviar as dores e tratar a doença. Em geral, a bursite é provocada por sobrecargas, esforços excessivos e repetidos da articulação ou ainda por traumas. Também pode ser causada por doenças inflamatórias (artrite reumatoide, gota) ou infecciosas. Como exemplo, as lesões por esforço repetitivo no trabalho e as lesões por esforço excessivo no esporte. Entre as opções de tratamento estão a acupuntura, fisioterapia, uso de anti-inflama-

tórios e reforço da musculatura. De acordo com o médico acupunturista Renato Bender Castro (CRM 16838), o tratamento com as agulhas traz bons resultados. "A acupuntura trabalha com a liberação de substâncias analgésicas existentes em nosso organismo, os opioides endógenos, encefalinas e endorfinas. Existe também a liberação de substâncias anti-inflamatórias e substâncias que levam à vasodilatação e regeneração dos tecidos. É importante ressaltar também o efeito de relaxamento muscular, diminuindo a tensão a que estes tendões são submetidos", explica Castro. Segundo o médico, é considerável o número de pessoas que procuram sua clínica, em Gravataí, com queixas relacionadas à bursite. A acupuntura pode ser a técnica principal no tratamento da doença, mas também é interessante a associação com fisioterapia, por exemplo. "Podemos usar ainda os anti-inflamatórios não esteroides, mas é importante lembrar dos efeitos negativos sobre a mucosa gástrica e o sistema cardiovas-

cular, principalmente quando usados por um período longo", lembra o Dr. Castro. A duração do tratamento com as agulhas dependerá de cada paciente. Em geral, duas sessões semanais, durante quatro a cinco semanas, são suficientes. Porém, casos crônicos podem necessitar de tratamentos mais longos, de acordo com a avaliação individual. Depois de tratada a doença, para evitar que ela volte, o médico acupunturista afirma que o paciente deve passar por um programa de reabilitação, retirando ou pelo menos diminuindo os fatores causais, realizando atividades físicas aeróbicas e de reforço muscular. "É importante ressaltar ainda que a acupuntura não apresenta efeitos colaterais, podendo ser usada por longos períodos sem acarretar problemas ao paciente. Além disso, ela melhora também fatores como a ansiedade, sempre presente em pacientes com dor", finaliza o Dr. Castro. Divulgação

A duração do tratamento com as agulhas dependerá de cada paciente

| novembro de 2010 | 29


:: ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Centro de Especialidades Ortopédicas e Traumatológicas de Gravataí - CEOT Dr. Fernando Sanchis (Coluna Vertebral) | Dr. Paulo Velasco (Ombro) | Leohnard Bayer (Mão e Cotovelo) Dr. Pablo Lessa (Quadril e Fraturas) | Dr. Roberto Schwanke (Joelho) | Dr. Alfredo Sanchis (Quadril e Fraturas)

Joelho: Lesões Meniscais Divulgação

O que são os meniscos? Os meniscos são estruturas fibrocartilaginosas (75% de colágeno), de formato semicircular em forma de meia lua. Localizam-se entre o fêmur e a tíbia e recobrem aproximadamente 2/3 da superfície articular. Qual a sua função? - Distribuição e absorção de parte da carga (peso) através da articulação, diminuindo assim o "stress" de contato; - Melhora da conformidade da articulação, facilitando deste modo o seu movimento e auxiliando na estabilidade da mesma; - Prevenção do pinçamento de tecidos moles durante o movimento do joelho. O que causa a sua lesão? São estruturas bastante importantes e bastante sujeitas a lesões. Geralmente, as lesões meniscais são causadas por entorses (torções) do joelho ou até mesmo por traumas (menos comuns), sendo mais frequentes nas práticas esportivas (futebol, vôlei, tênis, etc.). Com o avanço da idade, os meniscos podem apresentar alterações degenerativas (muito comuns no idoso), o que fragiliza sua estrutura, ficando assim mais suscetível a lesões ocasionadas por entorses mais leves (não relacionadas à prática de esportes).

Quais os sintomas? A queixa inicial do paciente geralmente é de dor e derrame, com certa dificuldade na mobilidade do joelho. Normalmente esses sintomas persistem por 1 a 2 semanas e vão reduzindo-se. Podendo até desaparecer para logo voltarem em nova crise. Pode-se dizer que a lesão meniscal caracteriza-se por crises com intervalos assintomáticos (sem dor). Os sintomas mais comuns são: - Dor importante no momento da entorse, podendo ser acompanhada de sensação de estalido ou mesmo estalido audível (nas lesões em meniscos com alterações degenerativas, o quadro de dor pode não ser muito intenso no início e sim ir piorando progressivamente); - Bloqueio da movimentação do joelho (limitação da flexão e/ou extensão); - Ressalto durante a movimentação do joelho; - Dor aguda ao agachar-se; - Edema e derrame articular no joelho podem estar presentes ou não. Existem casos mais graves em que a lesão meniscal bloqueia a articulação (lesão meniscal em alça de balde). Essa situação é considerada uma urgência em ortopedia. Como diagnosticar? A história e o exame físico adequado são essenciais para que o médico possa suspeitar de uma lesão meniscal. Entretanto, a Ressonância Magnética é considerada a melhor maneira para o diagnóstico dessas lesões, porque também auxilia no planejamento do tratamento, uma vez que permite avaliar o tipo e localização da lesão meniscal e a presença de outras lesões associadas (ligamentos, cartilagem,...). Qual o tratamento? O tratamento é baseado principalmente no tipo e localização da lesão. Pode variar entre conservador, com fisioterapia e

30 | novembro de 2010 |

Dr. Roberto Schwanke Especialista em Joelho e Videoartroscopia

uso de analgésicos/anti-inflamatórios (mais utilizado para pacientes idosos com alterações degenerativas), e o tratamento cirúrgico, realizado por videoartroscopia para ressecção da área lesada ou sutura da mesma. Com a chegada da artroscopia e com o desenvolvimento da menistectomia parcial, que consiste na retirada apenas da parte lesada do menisco, preservando todo o restante do menisco sadio, os resultados geralmente são excelentes. A sutura meniscal é realizada nas lesões em que se é possível, neste caso são dados pontos para a fixação da lesão.

A recuperação após a artroscopia é bastante rápida, com um período de reabilitação com fisioterapia e reforço muscular, geralmente o paciente que é atleta retorna à sua plena atividade esportiva em apenas 30 dias e o não atleta em até 60 dias após a cirurgia. Já nos casos de sutura meniscal, a recuperação é de cerca de quatro meses.


| novembro de 2010 | 31


32 | novembro de 2010 |


Matéria de Saúde - 4ª edição  

Novembro de 2010

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you